Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Artigos Espíritas => Tópico iniciado por: Decazinha em 09 de Abril de 2010, 20:21

Título: Chico, a bola da vez
Enviado por: Decazinha em 09 de Abril de 2010, 20:21
Só para os amigos que são formadores de opinião para que possamos refletir sobre os pontos sérios e importantes da fala do Luciano, esquecendo as ironias, próprias de seu estilo e com as quais quase sempre não sintonizamos, embora respeitemos.
 MEDIUNIDADE OU MEDIOCRIDADE?      
 
    Assistindo a mais um programa da série que a Globo News vem apresentando sobre Francisco Cândido Xavier, vi-me na circunstância desconfortável de anotar grandes e pequenas bobagens (sem culpa nenhuma da Rede Globo, que apenas faz, e sempre faz bem, seu papel jornalístico). O representante da Federação Espírita Brasileira declara (naquele estilo morno do "não me comprometa") que, segundo a doutrina espírita, conhecer encarnação passada do Chico é irrelevante. Velho e falso argumento clicherizado e sem nenhum ineditismo. Certamente ignora que o próprio Chico Xavier falou dele como Joana a Louca e outras; que Emmanuel revelou quem havia sido antes; que a excelente médium Yvonne Pereira contou quem fora Bezerra de Menezes; que Eurípedes Barsanulfo nunca escondeu quem ele havia sido; e tantos e tantos outros grandes vultos do espiritismo, todos com muito mais autoridade do que os líderes que andam por aí escrevendo e dizendo mediocridades. E para rematar, lembro que o Codificador divulgou sua encarnação anterior como Allan Kardec, e que o maior e mais sábio modelo da humanidade fez questão de nos exemplificar que conhecer encarnação anterior, sem perder o equilíbrio, nem sempre é irrelevante: Jesus revelou para a eternidade que João Batista era a reencarnação de Elias. Fica óbvio, pois, que irrelevante é a
opinião irrelevante de quem vem para a televisão pontificar irrelevâncias. Mas, salvo raras presenças humildes de verdade, estiveram todos, no programa, em merecida companhia, exceção do Arnaldo Rocha, este, de todos, o maior amigo do Chico, aquele que mais o conheceu e que, sendo espírita sério, honesto, decente, foi logo encerrando o assunto dizendo que Chico Xavier como Allan Kardec é uma bobagem. Pelo menos esse teve bom senso.
    O pretenso e buliçoso médium que diz receber o espírito Chico Xavier é dos mais desavisados dentre esses que ultimamente se lançaram em massa e que sonham substituir o querido missionário de Pedro Leopoldo e Uberaba. Enquanto Arnaldo Rocha foi realmente fiel confidente do Chico, esse Carlos Baccelli nem era mais recebido pelo Chico, desde pelo menos 1993. Até a desencarnação, em 2002, o Chico não queria sequer ouvir o nome dele e lhe fechou as portas, coisa rara no comportamento cândido do Chico.. Conhecendo-lhe as razões (algumas deploráveis), na ocasião escrevi para o Chico me solidarizando com a atitude radical que tomou em meio a muita mágoa e muito aborrecimento. O Jornal da Manhã uberabense, de 5.7.97 (que guardo em meus arquivos), reproduziu com amplo destaque a carta manuscrita do Chico, dizendo que não iria mais receber o Baccelli em sua casa. Pois é esse "médium" que tenta convencer o público de que recebe o espírito Chico Xavier, por sinal com respostas tolas, falsas e absurdas como as que lemos na "entrevista" que diz haver conseguido no Além. A linguagem, junto às parvoíces, é muito aquém da lhanesa, do padrão generoso do inesquecível servidor do Cristo. Atribuída ao Chico, a entrevista do Além são arranjos de quem perambula pelo humanismo barato dos pobres de espírito.