Forum Espirita

GERAL => Arte Espírita => Tópico iniciado por: Edna ☼ em 07 de Abril de 2019, 15:05

Título: A música na cultura e na divulgação espírita
Enviado por: Edna ☼ em 07 de Abril de 2019, 15:05
(https://livecoins.com.br/wp-content/uploads/2018/03/musica-cabe%C3%A7a-melhor-286x240-c-default.png)

A MÚSICA NA CULTURA E NA DIVULGAÇÃO ESPÍRITA - Denis Soares

"Emmanuel e André Luiz nos exortam, no capítulo Socorro Oportuno, do Livro “Estude e Viva”, ditado aos médiuns Chico Xavier e Waldo Vieira, o seguinte: “Seja no exemplo ou na atitude, na ação ou na palavra, recordemos que o Espiritismo nos solicita uma espécie permanente de caridade – a caridade da sua própria divulgação”. A reflexão parece aderir à singela lição de Francisco de Assis, assim registrada: “Pregue sempre o Evangelho. Se necessário, utilize palavras”. Somadas, essas ideias indicam que a divulgação do Espiritismo e do Evangelho se processam com excelência quando vertida dos nossos atos.

Viver o Evangelho, portanto, é possibilidade descortinada para todos os que esposem as ideias difundidas por Jesus, pautadas no amor, na humildade e em outros postulados indicativos de nova compreensão da vida. Tais ideias têm sido sistematicamente incorporadas pela nossa sociedade, o que se nota em muitas práticas sociais e até na evolução da legislação, ao longo dos séculos. Contudo, isso não significa que os valores salientados pelo Cristo já dominem o mundo. Efetivamente, há imenso trabalho a ser feito, dentro de cada um de nós, para que se alcance a construção coletiva que permitirá a identificação plena das sociedades com a proposta talhada pela Boa Nova.

Quando nos prontificamos a viver firmes na implementação do Evangelho em nosso íntimo, muitas mudanças devem ocorrer. As atitudes serão direcionadas à dissipação do orgulho e do egoísmo e as experiências da vida acabarão por nos suscitar a serenidade típica dos que compreendem que o Reino de Deusnão é deste mundo” (João, 18:36) e que a misericórdia é parte da essência do Pai (João, 1:50). Nessa seara, o triunfo dos valores novos, que dependerá de inarredável cota de esforço individual, produzirá novas expressões da individualidade em todos os campos da vida.

É nesse influxo que as manifestações culturais e artísticas igualmente se estabelecerão sob novos paradigmas. A arte, como expressão límpida e viva dos corações, refletirá os sentimentos mais elevados que passam a sustentar as inteligências interessadas em rumar no caminho amorosamente desenhado por Jesus. A proposta espírita de florescer com o Evangelho não poderia passar ao largo desses reflexos e a arte é parte integrante do que se processa na intimidade dos homens. Talvez seja por isso, aliás, que, segundo as narrativas, mártires cristãos enfrentaram em aceitação amorosa e comprometida as provas a que foram chamados em razão de sua fé, enquanto entoavam hinos de esperança, decantando o poder da Divina Luz.

Se Jesus advertiu que “a boca fala do que está cheio o coração” (Mateus, 12:34), aperfeiçoar as nossas formas de expressão, inclusive artísticas, é missão de todos nós, para que também nelas se revele o reflexo vivo e autêntico daquilo que abrigamos – ou ao menos almejamos abrigar – em nossos corações. A Divulgação Espírita encontra seu ápice quando seus adeptos agem, conforme suas possibilidades e esforços, em atitude cristã. Nesse compasso, também a música, ao lado de todas as artes, é ferramenta do progresso e da vida, destinada a conferir especial oportunidade de acatamento da recomendação de Jesus, feita ao indicar a missão dos apóstolos, após o Sermão do Monte: “brilhe a vossa luz diante dos homens para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem vosso Pai, que está nos Céus” (Mateus, 5:16).

Canta, pinta, dança, fala! Mas põe no foco o amor! Se é possível refletir a Luz Divina em melodias ou histórias, em representações ou pinturas, em movimento ou em esculturas, tome, quem puder, a oportunidade de tratar do Evangelho por meio da arte! Podemos falar do Evangelho por nossos atos; se necessário, que se utilizem palavras; e que empreguemos, também, as formas de expressão artística nesse mister, pois todas são patrimônio a nós confiado pelo Pai."

Texto de Denis Soares




"A MÚSICA NA CULTURA E NA DIVULGAÇÃO ESPÍRITA", artigo que escrevi para o Jornal "O Fraternista", do Grupo da Fraternidade Espírita Irmã Scheilla, de Belo Horizonte.

O texto segue transcrito a seguir e é possível baixar a íntegra do jornal no link a seguir: https://www.gruposcheilla.org.br/…/…/01/O-Fraternista-82.pdf