Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Transcomunicação Instrumental => Tópico iniciado por: Victor Passos em 16 de Julho de 2007, 17:53

Título: O Primeiro Transcomunicador?
Enviado por: Victor Passos em 16 de Julho de 2007, 17:53
Ola amigos

            Para quem estuda e gosta da transcomunicação

Padre Landell de Moura -

O Primeiro Transcomunicador?

Luiz Netto

Quem tem um certo conhecimento sobre transmissão e recepção de sinais eletrônicos e se disponha a ler com atenção as bibliografias existentes sobre o Padre Landell, que conseguiu já em 1893 fazer experiências coroadas de êxito, transmitindo sinais de sons da palavra humana, que eram portadas ou carregadas pela luz, ou cuja onda portadora da informação era uma onda de luz, fica com uma pergunta a lhe fustigar a imaginação e a inteligência, quando associa estes conhecimentos aos de Transcomunicação Instrumental: Teria o Padre Landell utilizado o seu invento somente para transmitir um sinal de um ponto a outro aqui na nossa situação física, ou teria utilizado o seu invento, já naquela época, fazendo o que hoje chamamos de transcomunicação, unindo este mundo a outro de outra dimensão?
Lendo os relatos encontrados no livro "Landell de Moura", de autoria de B. Hamilton, da coleção "Esses gaúchos”, a pagina 49, da Quinta Edição, encontrei o seguinte relato, que passarei a transcrever, para posteriormente tecer algumas considerações técnicas, no sentido de concluir que o Padre Roberto Landell de Moura, que foi seguramente o Primeiro comunicador no mundo; mas que além disso e sobretudo pode ter sido também o Primeiro Transcomunicador, empregando o termo com a conotação que lhe damos nos dias de hoje.
Vejamos o relato: ... Quando localizado Benedicto Olegario Berti, aos 81 anos, em 1976, conseguiu lembrar muitos fatos passados e mesmo repetindo os casos constantemente, soltou as palavras com convicção: " Ele era bravo, não cochilava, não levava troco para casa. No Largo do Carmo, não sei por que motivo, ele tirou a batina e brigou com dois rapazes ". Padre Landell era assim e muito mais. Quando chegou em Mogi,(Mogi das Cruzes - SP), Berti já era coroinha e, aos onze anos, continuou o seu ofício com o novo padre. A proximidade possibilitou ao coroinha colher informações históricas preciosas. Padre Landell morou num quarto da igreja da paróquia de Santana (bairro da cidade de São Paulo), onde ninguém podia entrar, por que ele sempre trancava a porta. Até a limpeza era ele quem fazia. Certa vez, Berti e outro coroinha conseguiram entrar no seu quarto. Eles estavam brincando, viram uma CAIXINHA com uns fios e começaram a mexer num botão. De repente A CAIXINHA FALOU!! "IMAGINEM O SUSTO DOS DOIS!!" ...... A caixinha falou alguma coisa em italiano (assim Berti se recordou) e Padre Landell chegou bravo:
- O que vocês estão reinando aí? - Vocês estão falando com MARCONI...!
E Berti, que nunca ouvira falar de Marconi, saiu sem entender nada. A caixinha, prosseguiu, " deveria ter uns vinte centímetros de largura por dez de altura, e ele, quase sempre, a mantinha em seu bolso. Andando na rua, às vezes, parava e começava a se comunicar com a caixinha, e, por isso, diziam que ele era louco. Nas missas, Padre Landell levava a caixinha para o altar e a colocava próximo ao cálice. A um sinal vindo de dentro da CAIXINHA, padre Landell parava a missa e começava a falar em italiano com aquele objeto estranho, que respondia bem baixo ". O coroinha ao lado dele tudo presenciava. " Quando terminava o diálogo, Padre Landell perguntava: “Aonde é que paramos”? “E recomeçava a missa”!”

continua
Título: Re: O Primeiro Transcomunicador?
Enviado por: Victor Passos em 16 de Julho de 2007, 17:54
continuação

Bom...Prezados leitores, depois desse emocionante relato, vejamos como funcionava o invento do Pe. Landell. Ele construiu uma câmara, no interior da qual colocou uma fonte poderosa de luz, gerada por uma lâmpada de arco voltaico, cujos raios, partindo do foco dessa superfície parabólica, convergiam sobre ela, e estes raios saiam em paralelo à linha que unia o foco ao centro da superfície parabólica. Esta é uma propriedade das superfícies parabólicas hoje usadas corriqueiramente para captar sinais vindos de satélites, qual seja a de concentrar as ondas vindas do espaço, para o ponto central que é o foco, sendo que vale o inverso também: o sinal que sai do foco reflete-se na superfície e sai paralelamente ao eixo que liga o foco ao ponto central da superfície.
Que mais? Muito engenhosamente dispôs, a seguir, em um outro compartimento da mesma câmara, colocado subsequentemente, uma placa de quartzo (transparente). Neste seguimento ele fazia entrar uma corrente de ar, gerada por um pequeno ventilador elétrico, onde, através de um bocal, também se introduzia a fala. As ondas de som, penetrando neste ponto da câmara, faziam oscilar a placa de quartzo. Com isso, a intensidade dos raios de luz que atravessavam este segmento da câmara variava de INTENSIDADE. Isto significa, utilizando notação moderna, que ele estava modulando o sinal de LUZ. A luz variava de intensidade segundo a intensidade do sinal da voz que penetrava na câmara. Bom...E daí?
Sim...e daí...Como fazer para transformar este sinal de luz, cuja intensidade estava variando segundo a intensidade do sinal de som, para detectá-lo na outra ponta onde se pretendia ouvir a voz transportada pela luz...? Não havia ainda o diodo, triodos, tetrodos, pentodos,...Transistores....Amplificadores de tensão... de potência... estavam ainda no útero da ciência . O Padre Landell não poderia fazer como nós hoje aqui em São Paulo... “ - Vou dar um pulinho até a Rua Santa Efigênia comprar um diodinho para detectar o meu sinal de áudio... " Esta deveria estar ainda na fase embrionária...sim...Aquela rua que por coincidência fica perto da Estação da LUZ...
Bom...Ainda aí entra mais uma vez a genialidade deste homem. Não me canso de admirá-lo....Ele simplesmente descobriu uma propriedade interessantíssima do elemento Selênio. Simplesmente o seguinte: “A resistência elétrica de uma placa de Selênio varia inversamente à quantidade de luz nela incidente", ou seja: quanto mais luz incide em uma placa de Selênio, menor é a sua resistência elétrica. (Este dispositivo é hoje conhecido como fotocélula, ou foto resistor. )
Que fez o Padre Landell? Equipou o aparelho com um pequeno refletor parabólico que recebia essa luz, fazendo-a incidir sobre essa placa de selênio, e que, portanto, fazia a resistência da placa variar. Construiu um pequeno e simples circuito série composto por uma bateria, um interruptor elétrico, um fone e placa de selênio. Não havia nenhuma amplificação adicional. E não poderia haver, pois recordem-se, não existiam ainda as válvulas termoiônicas, transistores. O gênio teria que extrair do simples... Simplesmente o máximo!!

continua
Título: Re: O Primeiro Transcomunicador?
Enviado por: Victor Passos em 16 de Julho de 2007, 17:55

Continuação

A corrente elétrica, ao passar pela placa de selênio, variava segundo a variação da luz incidente, e, portanto, essa variação da corrente elétrica contínua, modulada pelas alternâncias das freqüências do som, fazia vibrar uma membrana metálica, convertendo dessa maneira a corrente elétrica em uma vibração acústica. (Transdutor Elétrico-Acústico). A parte alternada do sinal, sobreposta à corrente continua, criava campos magnéticos com a freqüência e amplitude do sinal de áudio, fazendo oscilar a membrana metálica, convertendo assim o sinal elétrico em um sinal acústico. Assim se ouvia nitidamente a voz de quem falava a distâncias grandes. Os livros registram uma experiência realizada em 3 de junho de 1900, transmitindo som, desde o Bairro de Santana até os altos da avenida Paulista, cobrindo uma distância de aproximadamente 8 kilometros.
Os americanos fizeram em 1933 uma portentosa demonstração da aplicação desse princípio, que permitiu a uma orquestra, tocando no edifício Chrysler, da cidade de Nova York, diante de um microfone, ter suas músicas transportadas para uma estação de Broadcasting, situada a uma milha de distância, através de um projetor luminoso de 50.000 velas. Isto foi publicado na revista Popular Science com o título: "BEAM OF LIGHT CARRIES MUSIC".
Lembremos que este princípio foi utilizado pelo cinema para gravar e reproduzir os sons gravados diretamente sobre as películas. Pois é patrícios... Vejam quantas maravilhosas aplicações estão ligadas a este Gigante de nossa ciência. Convém ressaltar que o aparelho completo, construído já em 1893 pelo Padre Landell, além de transmitir a informação de áudio por esse meio, também transmitia sinais telegráficos por meio de ondas eletromagnéticas, que poderia utilizar o código Morse, ou qualquer outro. Era possível também enviar informações em código por pulsos de Luz. Estou analisando somente o transmissor relativamente à parte de Luz modulada pelo Áudio.
Bom... Agora alguém tem dúvida de que a Caixinha poderia FALAR? Embora o relato do coroinha seja muito sugestivo, minhas conclusões se baseiam em outros raciocínios. Vejamos: O que fazemos hoje para "garimparmos" as nossas transcomunicações? Vamos aqui pegar um caso mais simples quando algum “comunicante" impressiona o transdutor mecânico/elétrico (o popular microfone) de nossos gravadores de áudio. Como fazem isso?...Simplesmente o fazem... Como? Ainda não sabemos direito... mas o fazem... Desde quando começou com Jürgenson. Por que esses "comunicantes" não poderiam fazer o mesmo com a CAIXINHA do Pe. Landell? Poderiam modular o raio de luz gerado na câmara de seu aparelho, sendo a modulação detectada na placa de selênio, como foi descrito acima. A caixinha da qual fala o coroinha certamente era bem menor que o aparelho que o Pe. Landell construiu. Mas... Sabe-se lá o que ele já não teria melhorado...Não duvido de nada que tenha vindo do Padre Landell.
Por essas e por outras é que eu acho que o Pe. Landel pode ter sido também o Primeiro Transcomunicador do Mundo!! Estudem-no e irão se maravilhar com ele! Se ele perdeu a batalha de ter sido reconhecido como o real inventor dos aparelhos de radio comunicação, poderá ter um dia a glória póstuma de ser não só reconhecido como Primeiro Comunicador, como também o Primeiro Transcomunicador do Mundo, quando as pesquisas estiverem mais adiantadas! Oro a Deus para que inspirem os nossos dirigentes de universidades para que acordem e apoiem pesquisas de TCI em todos os lugares do mundo. Penso especialmente na Igreja católica de cujo seio brotou este génio, que não via incompatibilidades entre Ciência e Religião. Ao pensar que a Igreja deu apoio aos estudos de Jürgenson, acho que tenho motivos para manter minhas esperanças.
 
 
muita paz

Título: Re: O Primeiro Transcomunicador?
Enviado por: Vitoca em 26 de Abril de 2008, 18:56
Uma pergunta:

Suponho que a parte de transmissão (Arco voltaico, parabola, quartzo, ventilador) não estejam na mesma caixa que a parte de recepção (parabola, selênio, "corrente continua" e placa metalica).

Pelo que eu entendi a informação era levada pelas ondas luminosas por longas distancias.
Se os raios luminosos estavam saindo paralélos, do transmisor teriamos que colocar o receptor em linha reta para capta-las, o que não é evidente de realizar à 8km de distância, teria que ser à noite e em um lugar com pouca poluição luminosa pra não ter interferência. No meio da cidade acho pouco provavel que tenha acontecido.
Ou talvez não entendi bem o transmissor.

Caso as ondas depois de passarem pelo quartzo se dispersarem em raios luminosos não paralelos, a dispersão maior seria com a distancia, o que tornaria inviavel a recepção do sinal.

Acredito que poderiam ter conseguido comunicação a curta distancia, com condições ideais, o que por si ja seria um grande feito e prova da genialidade do Padre!
Precursor de processos que levariam a célula fotovoltaica e até da fibra óptica, que transmite sinais axatamente utilizando a luz.

Mas como esse aparelho poderia ser um Transcomunicador sem um médium?