Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Toxicodependência => Tópico iniciado por: Diana em 17 de Julho de 2005, 17:56

Título: Droga
Enviado por: Diana em 17 de Julho de 2005, 17:56
Droga
André Luiz (espírito)


Prosseguindo nas tarefas socorristas a que me afeiçoara no Plano Espiritual, acompanhei Calvino para serviço de emergência.

Enquanto volitávamos, atravessando faixas sempre mais densas, na direcção da Crosta, Luciano e eu; recebíamos oportunos esclarecimentos do generoso instrutor:

- Em verdade – dizia bondoso – tanto o céu quanto o inferno da terminologia teológica, começam nos caminhos do mundo, em experiências diversas da criatura humana. Os vícios constituem, nesse capítulo, autêntico chamariz às quedas mais espectaculares no abismo da dor. Se o homem comum soubesse dos perigos a que se vê ameaçado constantemente, procuraria reunir todas as suas forças para libertar-se definitivamente das situações indesejáveis. O vício, em boa sinonímia, quer dizer hábito destrutivo. Toda cautela possível no comportamento diário é necessária, para que a criatura eduque-se cada vez mais a caminho da paz e da tranqüilidade. Um grande incêndio pode ter início num simples palito de fósforo.

A esta altura adentramos região de trevas, onde tivemos de dinamizar nossas vibrações individuais, projectando discreta claridade no ambiente.

Nesse exacto momento visualizamos um jovem em lamentável situação de angústia e dor.

Muito serenamente, Calvino informou-nos:

- Este nosso irmão vive nestas condições, conflitado e demente, há três anos, jamais faltou-lhe assistência de benfeitores dos Planos mais altos, dentro dos limites estabelecidos pela Lei, contudo, só ultimamente tem conseguido registrar vibrações superiores.

O rapaz, que se chamava Albertino, gemia como se sofresse doloroso pesadelo. Sua expressão facial traduzia desespero e pavor.

Calvino, afavelmente estendeu as mãos sobre o doente ao tempo em que pedia nossa colaboração por meio de prece silenciosa e foi então que percebi que o moço passava a respirar mais facilmente, demonstrando alívio.

Em seguida, o mentor esclareceu-nos:

- Estamos diante duma vítima do tóxico. O problema é delicado e exige de nós o máximo de compreensão. Albertino deixou o plano físico com a idade de vinte e seis anos, após insuflar nas artérias excessivas doses de cocaína. Viciado fazia mais de oito anos, vinha paulatinamente degenerando seu organismo, com graves distúrbios no campo psíquico.

Sem que me pudesse controlar ante a inusitada experiência, levantei uma questão:

- O tóxico, além de alterar a saúde física, abala a estrutura íntima da alma?

O orientador, pacientemente, explicou-me:

- A droga lembra o cupim, animáculo que corrói madeira, causando quase que ocultamente danos irrecuperáveis. Inicialmente o indivíduo invigilante ingere pequena dose, sem atinar para as conseqüências do ato praticado. Em seguida outra e mais outra. A progressão das doses e ouso variado do alucinógeno, estabelece a dependência que em si representa não apenas problema fisiológico, mas sobretudo, espiritual, deteriorando continuamente os centros vitais magnéticos.

Todo o sistema nervoso é atingido juntamente com o aparelho circulatório, respiratório e região gastrointestinal. A essa altura são igualmente prejudicadas as glândulas sudoríparas e endócrinas. Os
neurónios, células delicadíssimas do cérebro, passam também a desgastar-se e consequentemente se estabelece o enfraquecimento da vontade, apesar de toda a reacção dos anticorpos nos mais diversos sectores da fisiologia.

Foi nesse ponto das considerações altamente valiosas que formulei outra pergunta:

- E o problema obsessivo, onde fica?

- As atitudes da pessoa - elucidou gentilmente - tem sempre repercussão no plano invisível. As boas acções encontram ressonância nas faixas elevadas, enquanto as más buscam sintonia com as sombras, isto é, com as zonas da ignorância e do sofrimento.

Após ligeira pausa. prosseguiu:

- Considerando a circunstância, devo dizer que a pessoa a - quem prestamos amparo neste momento, está ligada por vigorosos laços magnéticos a entidades sombrias, desde os seus primeiros passos na ribanceira do vício.

O instante era grave. O serviço exigia nossa melhor atenção, portanto, calei minha curiosidade científica, enquanto, obedecendo ao orientador, voltamos às aplicações fluídicas, visando a recuperação de Albertino.

Extraído de "NOVAS LUZES", dos espíritos André Luiz e Hilário Silva, psicografia de Ariston S. Teles
Título: Re: Droga
Enviado por: aruanda em 24 de Julho de 2005, 19:09
Realmente temos que estar muito atentos,porque os "vicios"são uma das situações mais complicadas de se ultrapassar sejam de que tipo for.
Por isso,é muito importante que tenhamos essa consciencia e ajuda tanto clinica como espiritual.
Um livro a ler.
Abraços
Título: Re: Droga
Enviado por: Liana em 24 de Julho de 2005, 23:35
Olá amigos

Esse é um assunto, do qual tenho , infelizmente, muita experiência.
A realidade é dura, sinceramente, em alguns momentos, desesperadora.
Não fosse essa doutrina maravilhosa, não sei se teria superado, da maneira como superei, esse momento tão difícil de minha vida.
O apoio moral da família, muito amor, paciência, tolerância, diálogo franco e aberto a qualquer hora, do dia ou da noite, muita oração e fé em Deus, tudo isso, e mais um pouco. Mas o excencial é a força de vontade, e essa não podemos impor a ninguém, mas podemos orar a Deus, para que ele a fortaleça.
 Não sei lhes dizer, como passei por isso sem enlouquecer, sinto que Deus me carregou e carrega o tempo todo, em seus braços.
Existe, é claro, a parte espiritual, irmãos desencarnados sofredores, que se aproximam, muitas vezes, pude perceber essas presenças em meu lar, orei por eles, com todo amor e fé que orava pelo meu filho, para que o socorro, fosse para todos.
Hoje, rezo a Deus agradecendo, e ao mesmo tempo peço a ele que continue amparando, fortalecendo e protegendo, meu filho, e todos os jovens, encarnados ou não, que escolhem esse caminho de dor e sofrimento.
Essa situação, me levou a reunir um grupo de estudos do envangelho para os jovens. Essa reunião, a quase dez anos, é feita em minha casa todas as segundas feiras, as oito horas da noite. Dela partecipam meus filhos e amigos, até hoje a presença de jovens, inclusive meus filhos, não é constante. Mas eu e minhas amigas não desanimamos, continuamos com a mesma fé e a mesma vontade de auxiliar, que tinhamos a dez anos atrás, na verdade, a nossa fé e vontade, é cada vez maior.
Amiga Diana, eu agradeço por você ter colocado esse assunto aqui no Fórum, me deu a oportunidade de desabafar,( eu peço que me perdoem )
e de pedir a todos vocês, que se puderem, unam se a nós às segundas feiras as oito horas da noite, em preces para todos os jovens, implorando a Deus e Jesus, misericordia, amparo, força e coragem para todos eles, onde quer que se encontrem.
Obrigada Diana, mas uma vez.
Que Deus nos ampare a todos

Muita paz

Liana
   
Título: Re: Droga
Enviado por: Report em 25 de Julho de 2005, 03:23
(http://www.luizsergio.vilabol.uol.com.br/capacabana.jpg)

CABANA DE SONHOS

Novo livro

de Luiz  Sérgio

 


Nesta sua 23a obra, com 432 páginas de muita informação, Luiz Sérgio adentra mais uma vez o terrível mundo das drogas, do qual traz informações que nos mostram o submundo em que vivem aqueles que escolheram esse tortuoso caminho. Novas drogas surgem com impressionante rapidez, as quais, juntamente com o fortalecimento daquelas já existentes, ceifam vidas e sonhos de uma juventude que necessita de exemplos, de amor e de compreensão.

Neste livro, o "nosso" Luiz Sérgio traz até seus leitores esclarecedoras noções sobre o comportamento atual da juventude, a preocupante situação do Espiritismo em terras brasileiras, a responsabilidade do orador espírita, a questão da opção sexual, lançando o alerta de que, para salvar a juventude atual, é necessária a união da família, da escola e da Casa Espírita, tarefa para a qual conclama todos os que dispostos se encontram a permanecer no planeta Terra, transformado em morada regeneradora. 


  do site           
http://www.luizsergio.vilabol.uol.com.br

.
Título: Re: Droga
Enviado por: SB em 27 de Julho de 2005, 19:39
Olá Liana,

Acabei de ler o seu desabafo, e devo dizer-lhe que me comoveu ao sentir a sua coragem aqui demosntrada, senti a sua dor mas principalmente a sua força! Bem hajas!

Nunca vivi estas situações directamente, mas sempre me comevem!

e reforçando o que dizes, Deus nos ampare a todos!
Que na aflição nos mostre seu amor na sua bondade, revitalizando a nossa fé, e fortaleçendo a nossa Alma nos piores momentos!
Deus nos ampare a todos, hoje e sempre!
Título: Re: Droga
Enviado por: Liana em 28 de Julho de 2005, 06:31
Minhas queridas amigas Susana e Maria C

Vocês não sabem como me emocionei com suas mensagens de força.
É sempre muito bom termos amigos, principalmente, como vocês.
Me conhecem tão pouco, mas me dão essa força, que embora venham de uma amizade nova ainda, sei e sinto , que vem de seus corações.
Muito Obrigada mesmo!
Que Deus as abençoe sempre

Muita Paz a vocês

Liana
Título: Re: Droga
Enviado por: Victor Passos em 09 de Junho de 2007, 23:03
 
  A DROGA

    Os anos 60, da dita revolução da juventude! Em nada contribuíram, para melhorar o comportamento das pessoas, penso mesmo, que muito pelo contrário, os jovens acabaram por perder a sua identidade, a sua postura moral e acabaram por transformar aquilo que pareceria bom, no que respeita à igualdade de direitos e prioridades, atendendo ao trabalho, à amizade e ao meio social. Porém tudo se diluiu quando em nome do sexo livre, as drogas começaram andar no meio dos jovens em nome duma liberdade que encerrava apenas a sua própria prisão, destruindo todos os valores de vida natural que tanto procuravam.
      Desses tempos até agora, entendo que inglórios, morreram milhões de jovens e ainda morrem, sendo a miséria e o sofrimento de muitas famílias.
    Os tempos de hoje, após a emancipação da mulher, mudaram em demasia os conceitos de como viver em Família, o que veio a contribuir também para o enxame de divórcios, de violência no lar e desamor que se verifica nos casais, cada vez mais.
    Logo tudo isto, mais a falta de diálogo, de compreensão e tolerância, atirou o Mundo para um labirinto, de difícil saída.
    O poder governamental também em nada ajuda, pois a falta de emprego, de incentivos e de meios para combater a droga, são factores que provocam também a fuga para muitos dos viciados. Enfim estamos num dilema, que só com o esforço de todos, poderemos banir deste Mundo. Aos doentes viciados, apelo para que busquem a vida real, que lutem para poder viver e para a sua cura é importante a sua vontade, querer e fé. Criar programas de integração, em zonas de lazer, com ensinamentos espirituais, acompanhamento, psicológico, psiquiátrico e muito amor, poderemos ajudar estes irmãos no mínimo a tentar voltar para a vida. As palavras que tenho para vós, sendo que não sou nada, nem nenhum especialista na cura, é que se hoje caminhas nessa via, o teu sofrimento será deveras recalcado em várias encarnações, pois tudo que faças para mutilar o teu corpo será cobrado em dor. Abraçai o esclarecimento espiritual, tentai perceber que a verdadeira liberdade, é aquela que nos dá a paz, harmonia e equilíbrio na vida.
    Aos Pais, pede-se mais atenção, carinho, compreensão e que logo que sintam indícios de que os filhos estão se drogando, procurem de imediato ajuda nunca descurando a ajuda espiritual.
    A droga é uma prisão em que os grilhões dificilmente se cortam, é preciso muita fé, querer e vontade para voltar à vida.
      A vida não é uma droga, nós é que fazemos dela isso mesmo.
     Orai, vigiai e lutai com coragem, os anjos ajudarão.


Victor Passos