Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Toxicodependência => Tópico iniciado por: Marianna em 06 de Novembro de 2009, 23:33

Título: Como deixar de fumar
Enviado por: Marianna em 06 de Novembro de 2009, 23:33



Lendo este texto, seguindo as orientações e como muita força de vontade, é obvio.

FUMO é a designação genérica do tabaco - "Nicotina Tabacum". É uma grande erva da família das solanáceas, originária da ilha de Tobago, nas Antilhas. Quando Colombo chegou ao novo continente (na ilha hoje chamada Cuba), viu nativos trazendo à boca um fumegante rolo de folhas secas que tragavam e aspiravam a fumaça, demonstrando visível sensação de prazer.

Jean Nicot (1530-1600), embaixador francês em Portugal, em 1560 mandou de Lisboa três pés de tabaco a Catarina de Médicis (rainha da França), exaltando as virtudes medicinais da planta. Catarina, que tinha enxaquecas constantes, aspirano o fumo em forma de rapé, espirrava, com isso sentindo-se melhor. A moda pegou.

A - O CIGARRO:

Admite-se que tenha sido um grupo de soldados turcos que inventou os cigarros. Enquanto defendiam a cidade de São João do Acre dos ataques de Napoleão, em 1779, o cachimbo comunitário foi destruído por uma bala. Enrolaram então o tabaco em papel embebido em nitrato utilizado para disparar os canhões.

Estava inventado o cigarro! Somente no século XX se industrializou o fumo, surgindo aí os cigarros vendidos em maço (com 20 unidades). O cigarro, aparentemente, é menos nocivo à saúde do que o álcool. Só aparentemente!

B - Cigarro, o inimigo:
Os cigarros possuem dentre outras substâncias tóxicas, os seguintes venenos:
• Fenol;
• Cresol;
• Formol;
• Piridina;
• Nicotina;
• Colidina;
• Furfural;
• Alcatrão;
• Arsênico;
• Acroleína;
• Ácido cianídrico;
• Sais amoniacais;
• Monóxido de carbono - C02.

As primeiras tragadas são relativamente inócuas, pois o fumo e o filtro absorvem a maior parte do alcatrão e da nicotina. Logo após, porém, a nicotina e os demais produtos químicos começam a provocar a irritação dos delicados condutos pulmonares, segregando uma mucosidade ou humos viscoso. Essa mistura do alcatrão com o muco acaba por obstruir e deteriorar os pulmões. Quando no fim, o fumo aspirado encontra-se saturado de nicotina e demais produtos, que recobrem as paredes dos pulmões de alcatrão líquido, causando maior irritação e provocando mais segregação de muco que os dois primeiros terços do cigarro juntos.

Nicotina:
- É um alcalóide vegetal desprovido de oxigênio, incolor, com odor semelhante ao da piridina. Altamente venenoso — mata insetos. É o primeiro componente do fumo. Cada cigarro contém 2 miligramas de nicotina. Metade dessa quantidade seria suficiente para matar uma pessoa se fosse injetada sob a pele. Sessenta miligramas correspondem a 30 cigarros. Se um homem fumasse 30 cigarros de uma vez, teria morte instantânea.

Colidina:
- O cheiro do fumo se deve a este alcalóide.

Alcatrão:
- Líquido escuro e viscoso de cheiro forte.

Ácido cianídrico:
- Líquido incolor e volátil. É o mais rápido, violento e fulminante de todos os venenos conhecidos. Matou seu descobridor, Karl Scheele, químico suíço (1742 -1786). Se os rins e o fígado não metabolizassem parte do ácido contido no fumo, o homem morreria à primeira tragada. Todas essas substâncias altamente tóxicas causam prejuízos irreparáveis ao organismo humano, como vamos ver a seguir.

8.1 - FUMO: EFEITOS SOBRE O ORGANISMO HUMANO:
Assim como devasta a vontade e a lucidez, o cigarro ataca e destrui o organismo, criando doenças, provocando disfunções.

Para se ter uma idéia do alguns dados estatísticos: O fumo faz, anualmente, cinco vezes mais vítimas do que que todos os acidentes de tráfego do mundo. Por causa do fumo, ainda morrem , por ano, mais americanos do que morreram na I Grande Guerra, na Guerra do Vietnâ e da Coréia, combinadas e quase tantos quantos morreram II Guerra Mundial.

Sistema Respiratório:
- Bronquite, Enfisema. Câncer pulmonar, Angina de peito, Laringite, Tosse, Tuberculose, traqueíte, rouquidão.

Sistema Digestivo:
- Diminui a secreção gástrica, diminui o apetite e dificulta a digestão; úlcera gastroduodenal; quilite (inflamação dos lábios); sialorréia (salivação abundante), hepatite, aumento do ácido úrico, provocando a chamada Gota.

Sistema Circulatório:
- Arteriosclerose (20 cigarros ou mais por dia), varizes, flebite; isquemia; úlceras varicosas, palpitação, "Mal de Buerger" (trombose), aceleração de doenças coronárias e cardiovasculares.

SISTEMA NERVOSO:
- Uremia; "Mal de Parkinson"; vertigens; náuseas; dores de cabeça; nervosismo; opressão.

8.2 TABAGISMO: CONSEQUÊNCIAS:
Assim como acontece na falta de bebidas alcoólicas, a falta do fumo para o viciado gera ansiedade, angústia. Desencadeia crises, convulsões e espasmos. É a dependência: mental, psíquica e física.

EFEITOS SOBRE NÃO FUMANTES:
Segundo publicação da "Folha de São Paulo", de 12/ Maio/90 cerca de 3.800 norte-americanos morrem anualmente de câncer de pulmão, provocado pela fumaça de cigarros, apesar de não fumantes. "Este é o resultado de estudo divulgado esta semana pela E. P.A, o departamento de proteção ao meio ambiente dos EUA," diz o Jornal.

8.3 -O CIGARRO E O DINHEIRO:
Vendas no Brasil (em 350 mil postos de venda) As vendas de cigarros alcançaram as seguintes cifras:
• Em 1986: 168,8 bilhões de unidades
• Em 1987: 162,4 bilhões de unidades
• Em 1989: 157,9 bilhões de unidades
• Em 1993: 120 bilhões de cigarros (6% a menos do que em 1992).

O setor exportou, em 1985: 550 milhões de dólares. O Brasil é o segundo maior exportador mundial de tabaco. Safra de 1989: 450 mil toneladas de folhas (recorde). Impostos: Sobre o faturamento bruto de 1989 (US$3,6 bilhões): À elevada taxa de 76%! Fumantes brasileiros: aproximadamente 33 milhões.

Fraude: Em Junho/94 a imprensa noticiou que a indústria "Souza Cruz" mantinha, pelo menos nos últimos dez anos, uma fábrica secreta no Rio Grande do Sul, para produzir fumo com o dobro da incidência de nicotina encontrada naturalmente na planta (Folha de S.Paulo, 22.Junho.1994). Com efeito, naquele mês foi apresentada denúncia no Congresso norte-americano, em Washington, pela FDA(Footf and Drug Administration - agência do governo americano encarregada de controlar produtos alimentícios e remédios), contra uma das maiores fabricantes americanas de cigarros.

Pela denúncia, aquela fabricante de cigarros há tempos vinha usando um tipo de tabaco geneticamente alterado, para adquirir o dobro do teor de nicotina e, desse modo, aumentar a dependência dos fumantes. Local onde era cultivado o tabaco mutante: Brasil. Assustador, não é mesmo? OBS: Não causa estranheza que nos EUA as fabricantes de cigarros estejam ultimamente às voltas com pedidos oficiais de indenização, cujos valores são astronômicos.

Apelos Promocionais:
A estratégia de "marketing" do cigarro enaltece o culto à personalidade.

Eis alguns exemplos:
•  Um raro prazer;
•  A decisão inteligente;
•  Venha para o mundo de;
•  O homem fuma... e basta;
•  O importante é ter it: fume;
•  Mude para melhor: mude para;
•  Alguma coisa temos em comum;
•  "Os homens se encontram no cigarro;
•  O importante é levar vantagem: fume;
•  "Mais que um cigarro: um estilo de vida.

Advertência Oficial: Atualmente todos os maços de cigarros têm, impressa nos rótulos, a seguinte frase (determinação legal): "O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: Fumar é prejudicial à saúde

A frase "Fumar é prejudicial à saúde", importante advertência, obrigatória nos maços de cigarros, em 1994 completou 30 anos nos Estados Unidos, onde surgiu em 1964, no relatório anual do "Surgeon General"(Cirurgião Geral), o médico-chefe dos serviços norte-americanos de saúde. Foi adotada nos últimos anos por quase todos os países do mundo. Em Maio/1990, o Ministério da Saúde do Brasil baixou Portaria proibindo a venda de cigarros a menores de 18 anos.

8.4 TABAGISMO - PREVENÇÃO - CURA

1. — POR QUE FUMAR?

"Os homens se encontram no cigarro;
•  Antigamente:
O tabaco era usado nas práticas de feitiçarias, nas quais os indígenas acreditavam que a fumaça afastava os "maus espíritos". Como defumador, os pajés jogavam folhas secas de tabaco no braseiro, ao mesmo tempo que invocavam os deuses. Os nativos, com o tempo, passaram a fazer um rolo de folhas secas de tabaco, fumegantes, aspirando e tragando a fumaça demonstrando visível sensação de prazer.

"Os homens se encontram no cigarro;
•  Atualmente:
Hoje o fumo é consumido em larga escala (aproximadamente 33 milhões de "brasileiros e brasileiras"), graças à herança daqueles costumes nativos, porém sob a égide de mentiras comerciais douradas, condutoras à exacerbação do consumo.

Tamanha e tão bem feita é a propaganda que quem não fuma, quase:
• ..."não tem "it"
• ..."não é homem"
• ..."não é inteligente"
• ..."tem um raro prazer"
• ..."não tem alguma coisa em comum com ninguém"...

2. — POR QUE O CIGARRO, QUASE SEMPRE, É COMPANHEIRO DO ÁLCOOL E DAS DROGAS?

Porque os três são e estão intimamente interligados. Difícil só se ligar a um deles. Geralmente, a dois. Quando ligado aos três, o homem está indo a largas passadas para o final de sua existência.

A - O alcoólatra:
Chega ao vício por tristezas, desgostos, frustrações, solidão etc., causadas por brigas na família ou na profissão. Também por indução de um paradoxal contexto, no qual familiares e/ou amigos, solidarizando-se com ele no vício, arremessam-no mais para baixo no "poço".

B - O fumante:
Com ele, ocorre o contrário: começa a fumar por curiosidade, despertada pelos exemplos dos familiares e/ou pressionado subliminarmente pela vasta propaganda do fumo. Aprende que o cigarro é a moldura indispensável para comemorar um êxito qualquer: uma boa refeição / uma relação sexual / um bom negócio.

Acontece que, quando as coisas não andarem tão bem, o cigarro será igualmente consumido, já agora para aplacar a angústia, a ansiedade, o fracasso. E o pior e mais falso de todos os motivos alegados pelos fumantes é o de que fumam para não engordar: a Medicina prova que a obesidade é assunto genético, jamais aquele mentiroso argumento!

C - O toxicômano:
Iniciado ou não no alcoolismo e no cigarro, sempre estará a um passo de se tornar dependente dos três. Na verdade, o álcool, o fumo e a droga, não obedecem a nenhuma ordem para o início de consumo, qual um mini-dominó, no qual os três se justapõem e se derrubam, sempre.

3. — COMO PREVENIR O TABAGISMO?
• Na família, pelo exemplo.
• Na sociedade, pela educação (onde sejam demonstrados os males do vício).
• Na religião, pelo respeito devido ao corpo e à vida.

4. — OS MALES DO TABAGISMO TÊM CURA?
Sim.

Nosso organismo possui extraordinária capacidade de refazimento e de recuperação. Estima-se, contudo, que eliminação dos agentes nocivos do fumo no corpo humano processa-se em período de tempo igual à duração do vício. Por exemplo: quem fuma há dez anos, se deixar o vício, levará aproximadamente outros dez anos para extirpar completamente do seu corpo os sintomas negativos do fumo. Orientação médica será de grande valia num programa de recuperação, visando dieta alimentar, exercícios físicos, repouso etc.

5. — COMO DEIXAR DE FUMAR?
Agora!

A melhor maneira é fazê-lo de uma só vez. Com extraordinária força de vontade. Pegue seu maço de cigarros e jogue-o no lixo. É melhor passar alguns dias de angústia, mas reprimir definitivamente o desejo de fumar do que prolongar essa agonia indefinidamente até que um câncer pulmonar ou laríngeo faça-o por você.

Obs: Métodos de abstinência progressiva até extirpação total do vício, tais como a diminuição de cigarro dia ou o uso de cachimbo, etc... demonstram poucos resultados. Tais métodos revelam também pouca decisão do viciado e deixam à mostra uma auto-enganação, pois verdadeiramente, no íntimo, ele não quer deixar de fumar...

8.5 - VISÃO ESPÍRITA DO TABAGISMO E DO FUMANTE:

Fumo: uma infeliz criação humana, dentre tantas. Por ser gerador de doenças e dependências (viciação), promove graves distorções no corpo e no caráter, refletindo-se em danos impressos no perispírito. E isso representará sofrimento em vidas futuras, senão já a partir desta. O fumante, após desencarnar, certamente irá ressentir-se da falta do fumo.

Buscará desesperadamente satisfazer o vício, só o conseguindo, tal como no processo de vampirismo, citado no capítulo do alcoolismo, deste trabalho. Por outro lado, o Espiritismo oferece inestimável apoio ao viciado que queira libertar-se, através da EVANGELHOTERAPIA.

Fontes:
Revista "Exame" - Melhores e Maiores "Folha de São Paulo" -24.Maio.90, Revista
"VEJA", 29. Junho. 1994.
TÓXICOS - Duas Viagens

Grupo Acostumei.


Título: Re: Como deixar de fumar
Enviado por: Marianna em 05 de Dezembro de 2009, 17:27

Com sua proposta para o auto-conhecimento e a reforma íntima, o Espiritismo torna-se um grande aliado ao viciado que almeja sua libertação.

Vícios, paixões e desatinos humanos normalmente se desenvolvem e fazem morada em nosso corpo carnal quando estamos invigilantes e quando nosso padrão vibratório está tão baixo que nos deixamos dominar por forças do plano astral inferior ou seja, quando perdemos por completo o controle sobre nossos próprios atos e quando não mais conseguimos evitar certas ações e atitudes que até então julgávamos ter sobre nossa vontade.

Então, infelizmente, estamos nas malhas do vício. Isso normalmente acontece quando estamos invigilantes e por mantermos um comportamento moral condizente com espíritos do plano inferior e, portanto, ficamos literalmente nas mãos deles. Dessa forma, não mais teremos nenhum controle, nem sobre nosso corpo físico e nem sobre os danos que estamos causando ao nosso perispírito, ao dar vazão aos vícios em geral e desregramentos da vida carnal.

Nessa categoria, podemos citar o alcoolismo, o tabagismo, os tóxicos, a alimentação carnívora, o sexo, a maledicência, a avareza, a mentira e tantos outros que nos oprimem, que atentam contra a delicadeza da vestimenta perispiritual que nos envolve e sobre a qual estamos atentando e, muitas vezes, destruindo o que de mais importante nos foi emprestado para que possamos evoluir e alcançar outros planos espiriiuais que é o nosso corpo físico.

O vício do fumo foi adquirido pelos espanhóis, junto aos índios da América Central, que o encontraram nas adjacências de Tobaco, provínoia de Yucatán. Um dos primeiros a cultivar o tabaco na Europa foi o Monsenhor Nicot, embaixador da França em Portugal, de onde se derivou o nome de nicotina, dado à principal toxina nele contida. O fumo, pelos danos que ocasiona ao organismo, é, por isso mesmo, perigo para o corpo e para a mente.

Examinando a Obsessão.

Os distúrbios provocados nos que se iniciam no vício, tais como tonteiras, vômitos, perturbações bronquiais, são indício do envenenamento que o fumo provoca e da luta que o organismo trava ao se defender para adaptar se ao mesmo. Uma vez estabelecido o vício, a pessoa se torna vítima do tabagismo, uma doença à qual se entrega, abdicando da própria vontade, incapaz de resistir à vontade de fumar, que se transforma em ação obsessiva simples.

Que a ação do fumo seja ofensiva o demonstram as próprias propagandas que alardeiam a utilização de filtros ou a consecução de cigarros com muito menos nicotina. Mas além desta, ele contém outros venenos como: ácido tânico, omálico, oxálico, amônia e outros que lhe imobilizam outras importantes defesas do organismo. Sua ação se torna muito pior para aqueles que detêm certas insuficiências orgânicas, acrescendo-as ainda mais.

As mulheres, entretanto, são as mais prejudicadas, por sua natureza mais delicada e sensível, principalmente na gravidez, tornando-as mais propensas aos distúrbios da gestação. Além do mais, são afetadas na própria fertilidade. O fumo "Hábito vicioso, facilita a interferência de mentes desencarnadas também viciadas, que se ligam em intercâmbio obsessivo simples, a caminho de dolorosas desarmonias."

(Extraído da Revista Cristã de Espiritismo, nº 07)
Título: Re: Como deixar de fumar
Enviado por: Marianna em 16 de Dezembro de 2009, 21:48

FUMO E VAMPIRISMO:
 
Intercâmbio obsessivo simples, pois não influi no cunho moral do homem, nem o avilta até a degradação completa, como acontece com o vício da embriaguez ou da toxicomania.

Mas se a pessoa se entregar em demasia ao hábito, poderá servir de "piteira viva" para desencarnados também viciados, de natureza inferior que, ao se servirem dele para satisfazer o vício de fumar, poderão influenciá-lo a fumar muito mais e estabelecer com ele uma forma de simbiose prejudicial, inoculando-lhe pensamentos deletérios, de ordem moral inferior, cuja receptividade será tanto maior quanto mais fraquezas a pessoa possa ter. Trata-se, enfim, de más companhias que, por sua influência perniciosa, poderão acarretar deslizes morais perigosos e associações com delinqüentes e viciados.

Mas nem sempre tais influências provocam situações de domínio caracterizáveis. O domínio psíquico tem diversas gradações e a pessoa pode passar uma existência inteira a desviar-se do que se havia proposto antes de reencarnar, sem aperceber se. Ao desencarnar, os vícios se tornam mais dominantes, acarretando momentos de angústia muito cruciantes que impelem a buscar a saciedade no vampirismo dos encarnados "...Infunde pena a angústia dos desencarnados amantes da nicotina..."

O vício do fumo é uma porta aberta para o início das obsessões mais variadas e, embora obsessão simples, pode servir de trampolim a outras de maior gravidade, pela sujeição a espíritos atrasados. O viciado no fumo é mais uma vítima de sua debilidade mental do que mesmo de uma invencível atuação fisiológica, ele esquece-se de si mesmo e, por isso, aumenta progressivamente o uso do cigarro, tentado continuamente pelo desejo insatisfeito, criando então uma segunda natureza que se torna implacável e exigente carrasco.

Os efeitos perniciosos do cigarro transformam-se em enfermidades crônicas que minam as defesas naturais e de proteção do organismo. Uma das mais conhecidas enfermidades crônicas é a célebre "bronquite tabagista" ou a causada por distúrbios próprios da "asma brônquica", com a presença do incômodo pigarro, que é produto da irritação constante causada pelo fumo às mucosas respiratórias.

O fumante inveterado vive com a faringe, a laringe, os brônquios, o estômago e intestinos supercarregados de nicotina e de todos os derivados tóxicos do fumo, obrigando a sua natureza à permanente vigilância, a fim de se poder manter em relativo contato com os fenômenos da vida física exterior.

Portanto, como vimos, o fumo é um dos grandes responsáveis pela falência moral do homem, visto que ele abre brechas para todos os tipos de obsessões.

Assim, para "largar o cigarro" é preciso readquirir o poder da vontade de que se acha escravizado a ele. É na mente do homem que, antes de tudo, deve ser empreendida uma campanha sadia contra o vício. Através de reflexões inteligentes, deve ele se convencer da tolice de se submeter a prejuízos físicos, psíquicos e econômicos, causados pelo cigarro, o charuto ou o cachimbo.

RETOMANDO O CONTROLE:

Portanto, a ofensiva não deve ser iniciada contra o objeto do vício, que é o fumo, mas no sentido de recuperar o comando mental perdido. Há que ser retomado novamente o psiquismo diretor dos fenômenos de relação entre a alma e o meio.

É preciso que o homem se torne outra vez senhor absoluto dos seus atos, desprezando as sugestões tolas e perniciosas do vício que o domina. É certo que a libertação do vício de fumar seria muito mais difícil se, por afinidade de vícios ou devido a qualquer desregramento moral, a criatura já estiver sendo cercada por entidades de astral inferior, atraída para junto de si. Neste caso, a libertação não só requer o domínio da própria vontade, como ainda a adoção de um modo de vida que provoque o desligamento de outra vontade viciosa e livre, do além-túmulo.

Magaly Sonia Gonsales.
Título: Re: Como deixar de fumar
Enviado por: Marianna em 01 de Janeiro de 2010, 23:20

O cigarro é um dos produtos de consumo mais vendidos no mundo, comanda legiões de compradores leais e tem um mercado em rápida expansão.

O QUE VAI NO CIGARRO:

Até 700 aditivos químicos talvez entrem nos ingredientes utilizados na fabricação de cigarros, mas a lei permite que os fabricantes guardem a lista em segredo. No entanto, constam entre os ingredientes matais pesados, pesticidas e inseticidas. Alguns são tão tóxicos que é ilegal despejá-los em aterros. Aquela atraente espiral de fumaça está repleta de umas 4.000 substâncias, entre as quais acetona, arsênico, butano, monóxido de carbono e cianido. Os pulmões dos fumantes e de quem está perto ficam expostos a pelo menos 43 substâncias comprovadamente cancerígenas.

Mais viciante que drogas como o álcool, cocaína, crack e morfina; a nicotina atinge o cérebro em até vinte segundos: tempo bem mais rápido que o princípio ativo de qualquer outra destas drogas. Assim, a probabilidade de um indivíduo se tornar dependente da nicotina é muito alta, com crise de abstinência bastante incômoda, que geralmente se inicia minutos depois do último trago, sendo as grandes responsáveis pela dificuldade de um fumante em interromper o uso do cigarro. Esta situação é tão séria, e triste, que não é raro vermos pacientes fumantes em estágio terminal, implorando desesperadamente por mais um trago.

Gás carbônico, monóxido de carbono, amônia, benzeno, tolueno, alcatrão, ácido fórmico, ácido acético, chumbo, cádmio, zinco, níquel dentre muitas outras substâncias são encontradas no cigarro. Estas são responsáveis pelo aumento dos riscos que estes indivíduos têm de desenvolver problemas de saúde como cânceres, doenças coronarianas, má circulação sanguínea, enfisema pulmonar, bronquite crônica, derrames cerebrais, úlceras, osteoporose, impotência, catarata.

O QUE HÁ POR TRÁS DO CIGARRO:

O cigarro é considerado o maior poluente de ambientes domiciliares; é responsável pela derrubada de árvores e queimadas em prol do plantio do fumo e fabricação de lenha para abastecimento de fornalhas para o ressecamento das folhas; contamina os solos pelo uso de agrotóxicos; e é o causador de inúmeras queimadas, graças ao descarte indevido de suas bitucas.

NÃO FUMANTES EM RISCO:

Você mora, trabalha ou viaja com fumantes inveterados? Então talvez corra o risco ainda maior de contrair câncer de pulmão ou doenças cardíacas. Um estudo realizado em 1993 pela Agência para Proteção do Meio ambiente (EPA, em inglês) concluiu que a fumaça de cigarro no ambiente é um carcinógeno do Grupo A, o mais perigoso.

A Associação Médica Americana publicou, em junho de 1994, um estudo que revela que as mulheres que nunca fumaram, mas que inalam fumaça de cigarro no ambiente corre um risco 30% maior de contrair câncer de pulmão do que outras pessoas que também nunca fumaram.

Um levantamento feito pela equipe de José Rosember, pneumologista brasileiro, avaliou os efeitos do tabagismo na saúde de 15 mil crianças entre zero e um ano. Nas famílias em que o pai fuma, cerca de 25% das crianças apresentou problemas respiratórios. Quando a mãe é fumante o número passa para 49%, pois ela tem mais contato com a mãe.

Em 2002, o governo brasileiro estampará nos maços de cigarro, imagens e alertas aterradores, como por exemplo, uma doente grave aparecendo num leito de hospital com câncer de pulmão. Terá também imagens de crianças prematuras para alertar o fumo durante a gravidez e frases de efeito como “Fumar causa impotência sexual”. Será a maior ofensiva contra os mais de 30 milhões de viciados, que segundo o Ministério da Saúde mata 80 mil brasileiros por ano.
Título: Re: Como deixar de fumar
Enviado por: Marianna em 01 de Janeiro de 2010, 23:24

COMO PARAR DE FUMAR:

Para quem quer se livrar da dependência, a medicina está trazendo tratamentos desde terapias e antidepressivos até chicletes e adesivos de nicotina. Algumas alternativas se baseiam na reposição de nicotina. O fumante é poupado dos efeitos da interrupção repentina do hábito, como a irritabilidade.

Então, se oferece ao corpo a nicotina, mas em doses menores até que ele dispense a substância, como é o caso do chiclete e do adesivo de nicotina. Há outros tratamentos que usam antidepressivos, com bupropriona (Zyban, da empresa Glaxowellcome).

Mas ainda não se sabe como ele funciona contra a dependência.

Há também técnicas para quem, durante o tratamento, sente um desejo incontrolável de fumar. Trata-se de um sray de nicotina. Ao bater aquela vontade de tragar, o fumante pode borrifar um pouco do líquido no nariz. Mas esse produto só existe nos Estados Unidos.

Já descobriu-se que o cérebro possui receptores de nicotina, espécies de fechadura localizadas nas células nas quais o composto se encaixa. A partir daí começam a ser liberadas no corpo substâncias como a seretonina, catecolamida e dopamina. Elas estão envolvidas no processamento de sensações como bom-humor e relaxamento. Com o tempo, o corpo se acostuma com a nicotina e precisa cada vez mais dela para sentir as mesmas coisas. Está consolidada a dependência.

Sabe-se também que além da nicotina, o outro vilão é o alcatrão. Ele causa alterações nas células que podem levar ao desenvolvimento de vários tipos de câncer como o de pulmão e o de boca.

Salvador/BA
Jul/2009
Mediador: Carleane.
Título: Re: Como deixar de fumar
Enviado por: Zé Ninguém em 05 de Julho de 2012, 10:47
Olá Mastomisto.
Olha, particularmente,acho muito temerário afirmar que não há problema em se fumar desde que se fume pouco.
Claro que é "menos pior" fumar 5 cigarros por dia do que 5 maços, mas levando-se em consideranção que o cigarro possui mais de 4000 substâncias tóxicas, inclusive metais pesados, creio que deve ser interesse de qualquer um abandonar o vício e não apenas diminuir o consumo.
Costuma-se citar como exemplo casos de pessoas de que viveram 100 anos ou mais  fumando, mas se vc observar na maioria esmagadora dos casos são pessoas que viviam na área rural, não estavam inseridas em um meio extremamente contaminados como nós, com agentes cancerígenos espalhados por todos os lados.
É  o ar de péssima qualidade e contaminado, é a água também contaminada por metais pesados em áreas industriais, são os agrotóxicos dos alimentos, os parabenos e demais componentes dos produtos químicos que usavamos, são os aditivos químicos dos produtos industrialializados, enfim, nós estamos cercados por agentes nocivos e dentro deste contexto o cigarro piora bastante as coisas.
Estamos intoxicados e o corpo não dá conta ter que se livrar de tanto veneno , daí começam a vir os problemas.
No livro " Anticâncer", o autor mostra a relação perigosa que existe entre o câncer e o cigarro e apresenta os resultados dos útlimos estudos realizados.
Algumas das substâncias encontradas no cigarro:
 
Gases tóxicos:
 
1- Monóxido de carbono (CO)
 2- Amônia
 3- Tolueno
 4- Cianeto
 5- Butano
 6- Cetonas
 7- Terebentina
 8- Xileno
 9- Ácido levulínico
 10- Naftalina
 11- Nicotina
 12- Carbono 14 (radioativo)
 13- Benzopireno
 14- Agrotóxicos - DDT
 
Metais tóxicos
 
1- Arsênico
 2- Cádmio
 3- Acetato de chumbo
 4- Fósforo P4 P6
 5- Níquel
 6- Polônio 210 (altamente radioativo)
 
Putras substâncias:
 
1- Formol (Utilizado para conservar cadáveres. Provoca câncer no pulmão, problemas respiratórios e gastrointestinais)
 2- Methoprene (Inseticida usado como antipulgas. Provoca irritação na pele e lesões no aparelho respiratório)
 3- Pólvora (É adicionada ao cigarro para facilitar a queima. Explosivo que provoca tosse, falta de ar e câncer)
 
Ingredientes degradantes
 
1 Alcatrão: É um composto de mais de 40 substâncias comprovadamente cancerígenas, formado a partir da combustão dos derivados do tabaco. Entre elas, o arsênio, níquel, benzopireno, cádmio, resíduos de agrotóxicos, substâncias radioativas, como o Polônio 210, acetona, naftalina e até fósforo P4/P6, substâncias usadas para veneno de rato.
 

2 Filtro: Leva 100 anos para se deteriorar. Enquanto isso fica poluindo o meio ambiente.
 
3 Folhas de Tabaco: Para que fiquem próprias para fazer cigarro, levam muito fertilizante, pesticida e desbrotante em cima. Estas também chegam até os pulmões do fumante.
 
4 Monóxido de carbono: O mesmo que sai do escapamento dos carros, quase na mesma concentração, misturado a um "coquetel" de substâncias tóxicas. Afeta quem traga e também quem respira sem querer.
 

"A fumaça do cigarro é uma mistura de cerca de 5 mil elementos diferentes, fornecendo ao fumante um coquetel de substancias tóxicas, cancerígenas e ate radioativas.
 
Entre as substâncias radioativas encontradas, esta o polônio 210 (PO-210) e o carbono 14 que são também carcinogênicos, ou seja provocam câncer.
 
Já as Tóxicas e cancerígenas encontradas estão compostos como Nicotina, monóxido de carbono (CO), Amônia, Tolueno, Cianeto, Butano, Arsênio, Níquel, Acetato de chumbo, benzopireno e cádmio, Terebentina, Xileno, Ácido levulínico, Fósforo P4 P6."

Sim, existem pessoas que fumam e a despeito disso não irão desenvolver câncer, mas uma enorme quantidade irá, então acho um pouco arriscado incentivar as pessoas a continuar se intoxicando.
Abraços
Susana