Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Toxicodependência => Tópico iniciado por: Zirlene em 14 de Agosto de 2011, 00:57

Título: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Zirlene em 14 de Agosto de 2011, 00:57


 

 
Escrito por Xerxes Pessoa de Luna

Um dos problemas mais graves da sociedade humana, na atualidade, é o consumo indiscriminado, e cada vez mais crescente, das drogas, por parte não só dos adultos, mas também dos jovens e, lamentavelmente, até das crianças, principalmente nos centros urbanos das grandes cidades.
A situação é tão preocupante, que cientistas de várias partes do Planeta, reunidos, chegaram à seguinte conclusão: "Os viciados em drogas de hoje podem não só estar pondo em risco seu próprio corpo e sua mente, mas fazendo uma espécie de roleta genética, ao projetar sombras sobre os seus filhos e netos ainda não nascidos."
Diante de tal flagelo e de suas terríveis conseqüências, não poderia o Espiritismo, Doutrina comprometida com o crescimento integral da criatura humana na sua dimensão espírito-matéria, deixar de se associar àqueles segmentos da sociedade que trabalham pela preservação da vida e dos seus ideais superiores, em seus esforços de erradicação de tão terrível ameaça.
O efeito destruidor das drogas é tão intenso que extrapola os limites do organismo físico da criatura humana, alcançando e comprometendo, substancialmente, o equilíbrio e a própria saúde do seu corpo perispiritual. Tal situação, somada àquelas de natureza fisiológica, psíquica e espiritual, principalmente as relacionadas com as vinculações a entidades desencarnadas em desalinho, respondem, indubitavelmente, pelos sofrimentos, enfermidades e desajustes emocionais e sociais a que vemos submetidos os viciados em drogas.
Em instantes tão preocupantes da caminhada evolutiva do ser humano em nosso planeta, cabe a nós, espíritas, não só difundir as informações antidrogas que nos chegam do plano espiritual benfeitor que nos assiste, mas, acima de tudo, atender aos apelos velados que esses amigos espirituais nos enviam, com seus informes e relatos contrários ao uso indiscriminado das drogas, no sentido de envidarmos esforços mais concentrados e específicos no combate às drogas, quer no seu aspecto preventivo, quer no de assistência aos já atingidos pelo mal.
II - A Ação das Drogas no Perispírito
Revela-nos a ciência médica que a droga, ao penetrar no organismo físico do viciado, atinge o aparelho circulatório, o sangue, o sistema respiratório, o cérebro e as células, principalmente as neuroniais.
Na obra "Missionários da Luz" - André Luiz ( pág. 221 - Edição FEB), lemos: "O corpo perispiritual, que dá forma aos elementos celulares, está fortemente radicado no sangue. O sangue é elemento básico de equilíbrio do corpo perispiritual." Em "Evolução em dois Mundos", o mesmo autor espiritual revela-nos que os neurônios guardam relação íntima com o perispírito.
Comparando as informações dessas obras com as da ciência médica, conclui-se que a agressão das drogas ao sangue e às células neuroniais também refletirá nas regiões correlatas do corpo perispiritual, em forma de lesões e deformações consideráveis que, em alguns casos, podem chegar até a comprometer a própria aparência humana do perispírito. Tal violência concorre até mesmo para o surgimento de um acentuado desequilíbrio do Espírito, uma vez que "o perispírito funciona, em relação a esse, como uma espécie de filtro na dosagem e adaptação das energias espirituais junto ao corpo físico e vice-versa.
Por vezes o consumo das drogas se faz tão excessivo, que as energias, oriundas do perispírito para o corpo físico, são bloqueadas no seu curso e retornam aos centros de força.
III - A Ação dos Espíritos Inferiores Junto ao Viciado
Esta ação pode ser percebida através das alterações no comportamento do viciado, dos danos adicionais ao seu organismo perispiritual, já tão agredido pelas drogas, e das conseqüências futuras e penosas que experimentará quando estiver na condição de espírito desencarnado, vinculado a regiões espirituais inferiores.
Sabemos que, após a desencarnação, o Espírito guarda, por certo tempo, que pode ser longo ou curto, seus condicionamentos, tendências e vícios de encarnado. O Espírito de um viciado em drogas, por exemplo, em face do estado de dependência a que ainda se acha submetido, no outro lado da vida, sente o desejo e a necessidade de consumir a droga. Somente a forma de satisfazer seu desejo é que varia, já que a condição de desencarnado não lhe permite proceder como quando na carne. Como Espírito precisará vincular-se à mente de um viciado, de início, para transmitir-lhe seus anseios de consumo da droga, posteriormente, para saciar sua necessidade, valendo-se para tal do recurso da vampirização das emanações tóxicas impregnadas no perispírito do viciado, ou da inalação dessas mesmas emanações quando a droga estiver sendo consumida.
"O Espírito de um viciado em drogas, em face do estado de dependência a que se acha submetido, no outro lado da vida, sente o desejo e a necessidade de consumir a droga."
Essa sobrecarga mental, indevida, afeta tão seriamente o cérebro, a ponto de ter suas funções alteradas, com conseqüente queda no rendimento físico, intelectual e emocional do viciado. Segundo Emmanuel, "o viciado, ao alimentar o vício dessas entidades que a ele se apegam, para usufruir das mesmas inalações inebriantes, através de um processo de simbiose em níveis vibratórios, coleta em seu prejuízo as impregnações fluídicas maléficas daquelas, tornando-se enfermiço, triste, grosseiro, infeliz, preso à vontade de entidades inferiores, sem o domínio da consciência dos seus verdadeiros desejos".
IV - Contribuição do Centro Espírita no trabalho antidrogas desenvolvido pelos Benfeitores Espirituais
A Casa Espírita, como Pronto-Socorro espiritual, muito pode contribuir com os Espíritos Superiores, no trabalho de prevenção e auxílio às vítimas das drogas nos dois lados da vida.
Com certeza, essa contribuição poderia ocorrer através de medidas que, no dia-a-dia da Instituição, ensejassem:
Um incentivo cada vez mais constante às atividades de evangelização da infância e da juventude, principalmente com sua implantação, caso a Instituição ainda não tenha implantado.
Estimular seus freqüentadores, em particular a família do viciado em tratamento, à prática do Evangelho no Lar. Essas pequenas reuniões, quando realizadas com o devido envolvimento e sinceridade de propósitos, são fontes sublimes de socorro às entidades sofredoras, além, naturalmente, de concorrer para o estreitamento dos laços afetivos familiares, o que decerto estimulará o viciado, por exemplo, a perseverar no seu propósito de libertar-se das drogas ou a dar o primeiro passo nesse sentido.
Preparar devidamente seu corpo mediúnico para o sublime exercício da mediunidade com Jesus, condição essencial ao socorro às vítimas das drogas, até mesmos as desencarnadas.
No diálogo fraterno com o viciado e seus familiares, sejam-lhes colocados à disposição os recursos socorristas do tratamento espiritual: passe, desobsessão, água fluidificada e reforma íntima.
Criar, no trabalho assistencial da Casa, uma atividade que enseje o diálogo, a orientação, o acompanhamento e o esclarecimento, como fundamentação doutrinária, ao viciado e a seus familiares.
V - Conclusão
Diante dos fatos e dos acontecimentos que estão a envolver a criatura humana, enredada no vício das drogas, geradoras de tantas misérias morais, sociais, suicídios e loucuras, nós, espíritas, não podemos deixar de considerar essa realidade, nem tampouco deixar de concorrer para a erradicação desse terrível flagelo que hoje assola a Humanidade. Nesse sentido, urge que intensifiquemos e aprimoremos cada vez mais as ações de ordem preventiva e terapêutica, já em curso em nossas Instituições, e que, também, criemos outros mecanismos de ação mais específicos nesse campo, sempre em sintonia com os ensinamentos do Espiritismo e seu propósito de bem concorrer para a ascensão espiritual da criatura humana às faixas superiores da vida.
(Reformador – Março/98)
Muita Paz!
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 14 de Agosto de 2011, 01:39
Todo o texto, baseando-se numa premissa completamente estulta, perde em mérito e verdade, já que o perispírito ou mesmo o Espírito não sofrem pelas drogas,.
As drogas agem apenas no físico-psíquico, mas nunca no Espírito que é um ser totalmente moral.
Havemos de já termos chegado à idade adulta em termos de doutrina, portanto já é hora de largarmos mãos destas pretensas verdades que apenas ilustram o campo hipotético, pueril de certas pessoas.
Abraços,
Moura
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: filhodobino em 14 de Agosto de 2011, 02:10
Amados do meu coração,
Sou tocado de intensa compaixão, quando sou notificado de que A ou B são usuários de drogas ilegais...
Por uma razão que transcende todo o aspecto humano e espiritual, posto que envolve o usuário no financiador das mortes, sequestros, corrupção de agentes da lei, de menores, e tudo mais..."Não havendo comprador, desaparecem os vendedores, traficantes..."
Me lembro tempos atrás era um verdadeiro inferno o roubo de toca-fitas... Acabou, nem nisso se falam mais..."Não mais aos receptadores interesse em adquirir toca-fitas, desapareceram os ladrões..."
Quanto ao aspecto puramente espiritual, e ou suas implicações, as informações que temos dignas de serem levadas em conta são tão poucas, que nossos esforços penso eu, deveríamos
ser manos prolixos, e abrirmos mais os olhos dos usuários, que infelizes, estão se sobrecarregando de uma responsabilidade, pelo mau exemplo e pelo poder do dinheiro que não temos meios também de avaliar... Posto a que a esse tipo de comportamento (usuário-financiador), é um poderoso e pesado ilícito do mau uso do livre-arbítrio.
Saúde e Paz!
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: nicsoares em 14 de Agosto de 2011, 21:08
Penso que quem se droga ou faz uso de qualquer coisa que detrua seu organismo está se comprometendo com as leis de DEUS, cometendo suicídio, não prejudica aquele que está por encarnar, o qual terá um corpo adequado as suas necessidades.
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: fcfigueiredo em 15 de Agosto de 2011, 02:59
Meus parabens, Zirlene. Ótima contribuição que voce nos trouxe. Quem vivencia a prática mediúnica, se depara com os reflexos devastadores que as drogas e o alcool, traz para a realidade do espírito. Continue nos brindando com essas verdadeiras advertencias, pois como já dizia nossos avós, prudencia e canja de galinha, não faz mal a ninguém...
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 15 de Agosto de 2011, 17:09
Desculpe-me Figueiredo,
mas para a realidade do Espírito as drogas não contribuem nem negativa e nem positivamente.
Por ser o espírito um S]ser exclusivamente moral ( O LE diz totalmente moral), o que o dignifica é exatamente a moralidade que contenha, apreenda e faça uso.
As drogas não influenciam a moralidade, não obrigatoriamente.
tocando agora na vivência mediúnica, esta também não dá ao médium falando genericamente, nenhum trunfo a mais que aos outros senão Deus teria de ter usado de dois pesos e duas medidas.
Aos médiuns, que detêm qualidades medianímicas Ele daria maior gano enquanto que aos que apenas sentissem a influência dos Espíritos, a estes seriam os menos afortunados.
Como se vê este pensar encontra-se viciado em sua formatação.
Conheço mais de cinquenta médiuns, que mesmo trabalhando exaustivamente na Seara, não tiveram ou tiveram pouco desenvolvimento em termos de moralidade.
Isso porque, meu mano, eles assim não o quiseram desenvolver.
Uns esperam dos Espíritos este "milagre", mas milagres não existem não é mesmo?
Outros porque pensam que ainda não lhes chegou o tempo devido... Outro erro, não?
Outros mais porque pensam que ali estão apenas para ajudar aos "irmãozinhos" menos favorecidos, esquecendo-se de que eles também estão no mesmo barco.
porque falo com tanta certeza? Simples:
Tenho no Espiritualismo (Umbanda), 25 anos de vivencia mediúnica, tendo trabalhado com as mais diversas falanges.
No Espiritismo também tenho tempo igual,  e exatamente no campo da vivenciação mediúnica, que a exerci nos setores de auxílio no passe, na desobsessão, sem, contudo, deixar de lado o campo da experimentação e estudo de vários setores, e todos voltados também para o conteúdo moral.
É exatamente desta experiência que como se vê tem uns 50 anos, nas duas esferas do espiritualismo, que obtenho esse conteúdo.
Não meu tão somente, mas sim de Espíritos a quem tive o prazer de me tornar integrante de conversas, grupos de estudos.
Se não faço apologia disso é que não me cabe, nenhum mérito senão o de perseverar no aprendizado.
É por essa razão que me detenho a postar este comentário.
Abraços,
Moura
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Zirlene em 15 de Agosto de 2011, 21:49
Olá, estou tentando entender os efeitos das drogas.
A influência das Drogas no Perispírito         
Artigos sobre Drogas
Escrito por Carlos de Brito Imbassahy      
Carlos de Brito Imbassahy
Ao analisarmos os espectros do nosso corpo somático - através de aparelhos como os do electro-cardiograma, podemos constatar que eles são representados por linhas de força, o que denota a existência de um campo bioerngético em cada pessoa.
Evidentemente, este campo, como qualquer outro, é modulado pela ação de energias estranhas a ele.
De importante, poderemos destacar as experiências suecas - A Pesagem da Alma - que mostram que tal campo bioenergético é constituído do acoplamento de dois outros, daí alguns o denominarem erroneamente de duplo etéreo.
Um desses campos é produzido pelas células orgânicas e o outro acompanha a psiquê humana depois do desencarne, fazendo-nos admitir que seja o aludido perispírito defendido por Kardec.
O campo biológico de energia celular atua diretamente nas mesmas, sendo destaque o caso do câncer, como influência malígna, por isso, sempre que ele é ativado por qualquer outra influência, faz com que as células do nosso organismo sofram suas conseqüências. Já o perispírito - ou campo que acompanha a alma no trespasse - seria um campo parapsíquico, criado pelo espírito encarnante e que irradia as influências espirituais, transferindo-as para o corpo durante o período encanatório.
Da mesma forma, como uma fita de gravador, que ele passa seu sinal para o corpo, recebe deles suas influências capazes de modulá-lo e fazer com que elas se transfiram para uma próxima encarnação. Tais considerações foram obtidas através das observações que os cientistas fizeram quando estudaram tais campos de energia.
As drogas em si - no caso dos alcalóides - são bio-radiativas, isto é, podem atuar diretamente nas linhas de força dos campos bio-energéticos.
No Brasil, Dr. Botafogo, por volta dos anos da decada de 1960, conseguiu obter um resultado muito curioso usando como cobaia um fumante. Ele era colocada sob ação de um electro-espectrógrafo - hoje em dia, esses aparelhos compõem das CTI e UTI, além das salas cirúrgicas com o fito de detectar os campos de vida do paciente - e sujeito a análise, inicialmente, livre de qualquer influência, tendo suas linhas do campo de força biológico registradas por um osciloscópio. A seguir, o mesmo paciente era analisado, de igual forma, durante uma série de tragadas de fumaça de cigarro. Na tela do osciloscópio aparece, como conseqüência, aquilo que se classifica de distúrbio das linhas de força, mostrando que a nicotina, no caso, atua diretamente sobre este campo, produzindo efeitos drásticos.
Esta experiência pode ser repetida por qualquer pesquisador. Provavelmente, as drogas mais fortes, como o pó, a cocaína e outras, causem um efeito muito mais intenso. De qualquer forma, o que se conclui é que as drogas atuam diretamente em nossos campos bio-energéticos e que, como tal, gravam no perispírito suas deformações que serão transmitidas para as próximas encarnações.
É muito comum sermos informados de que certos bebês nascem com problemas pulmonares, sem que seus pais sejam fumantes, porque ele o era na encarnação anterior e teria destruído as linhas de força correlatas com a estruturação pulmonar.
O estudo dentro deste campo ainda é incipiente, por isso, as conclusões, apesar de óbvias, ainda poderão ser reforçadas com novas descobetas.
Contudo, é sempre útil alertar a todos para o risco que correm aqueles que fazer uso de drogas viciantes.

Carlos de Brito Imbassahy
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Zirlene em 15 de Agosto de 2011, 21:55
Olá , figueiredo, obrigado pela participação, estou tentando entender mais os efeitos das
drogas em nosso perispírito, pois ja li em diversos  livros  o estrago causado, mas estou em
dúvida, mas é perguntando e estudando que entenderemos não é mesmo?
abraço apertado!
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 15 de Agosto de 2011, 23:21
Zirlene,
as informações tidas em livros que apenas abordem temas, escritos por autores Espirituais ou terrenos, são apenas opiniões particulares e pessoais que eles dão.
Aliás, nesse sentido o próprio Emmanuel já se manifestou sobre suas missivas.
Logo, apesar de não haver proibição a que se leia, pelo contrário, o ensino é no tocante a que se leia de tudo, tanto as apologias quanto as contraditas, há também a explicação clara de que não fazendo parte da doutrina, não se deva dar a estas opiniões mais que o valor de uma opinião pessoal.
Doutrina está na obra básica, outras publicações não formam doutrina.
Abração,
Moura
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Zirlene em 17 de Agosto de 2011, 14:39
Moura,
conheço uma pessoa usuária de drogas, cocaina,  crak e etc...., tem mais ou menos 2 anos,
agora teve uma pancreatite, que segundo os médicos  causada exatamente pela drogas.....
e aí seu orgão físico foi afetado, como fica o perispírito nessa situação?
Por mais que estudo as obras básicas, perante minha ignorância tenho minhas dificuldades de compreensão.
Abraço apertado
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: filhodobino em 17 de Agosto de 2011, 15:08
Amados,
reflitamos...

O homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.
Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.
Primeira Epístola do Apóstolo Paulo aos Coríntios (NT) - 2:14 e 15
Replicou-lhe Jesus: “Bem-aventurado és, Simão, filho de Jonas, porque não foram a carne nem o sangue que isso te revelaram, mas meu Pai, que está nos céus.”

A tolerância é medicação e amparo a quem sofre ou extrapola da atitude correta, nunca, porém apoio ao equívoco nem negligência para com o dever.
No exercício da tolerância, a disciplina deve comparecer ensinando ao caído como levantar-se; Ao enfermo como curar-se;
Ao ignorante como esclarecer-se;
Ao desorientado como reencontrar o roteiro.
Lição de tolerância e disciplina dá-nos o organismo físico:
Determinado excesso ele supera;
O abuso, no entanto, fá-lo reagir, corrigindo o infrator.
JOANNA DE ÂNGELIS em OTIMISMO - 4ª Ed. ALVORADA, 1983 –9
Filhodobino reflete:
No que tange à percepção, posso filosofar livremente, pois John Locke testou exaustivamente e não se afigurou tal como queria que o fosse.
Pessoas não são espectadores esponjas...
Tentaram exaustivamente provar que as pessoas entendiam as coisas pela antipatia ou pela simpatia que se lhes causava...
Pela desaprovação ou aprovação que suas razões se lhes indicavam...
Que percebiam as coisas, do mesmo modo em que o mundo percebia... nada foi provado assim.
Pessoas observadoras e atentas aceitam as coisas na conformidade das maneiras idiossincrásicas causadas por acontecimentos anteriores que se lhes ocorreram, todos nós adquirimos comportamentos sob o controle do ambiente, tal é então volvendo ao espiritismo, a magnífica razão pela qual encarnamos e reencarnamos.

Saúde e Paz!

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-evangelho-segundo-o-espiritismo/ese-entendimentos-com-as-referencias-biblicas/930/#ixzz1VIMR9u98
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 17 de Agosto de 2011, 15:47
Maninha, Zirlene,
O perispíito de qualquer drogado, seja em que estado estiver, refletirá apenas o que o Espíritos tiver apreendido.
com é o orgão de das sensações do Espírito, qualquer meio ou adoecimento físico não lhe afetará, tal como não afetará ao Espírito.
Espíritos são seres totalmente morais, sendo assim têm na moral, seu alimento, seu crescimento e sua saúde.
Abraços,
Moura

Moura,
conheço uma pessoa usuária de drogas, cocaina,  crak e etc...., tem mais ou menos 2 anos,
agora teve uma pancreatite, que segundo os médicos  causada exatamente pela drogas.....
e aí seu orgão físico foi afetado, como fica o perispírito nessa situação?
Por mais que estudo as obras básicas, perante minha ignorância tenho minhas dificuldades de compreensão.
Abraço apertado
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Zirlene em 17 de Agosto de 2011, 19:28
Filhodobino, que bonita as suas citações....
Moura, obrigado dessa vez compreendi mais  o assunto .
Beijos.
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Rubens Freitas em 29 de Novembro de 2011, 11:37
Agora deu nó!!! Até então acreditava que, falando bem sucintamente, qualquer que fosse o vício o perispirito sofreria os reflexos, os quais carregaria consigo apos o desencarne. E ao reencarnar imprimiria na formação do corpo físico estes reflexos. No entanto, se entendi bem o que disse o moderador, isto não tem nada a ver. Compreendo que o espirito seja um ser moral, mas imaginava que ele sofreria com o estado de seu corpo (o perispírito) assim como nos sentimos mal quando o nosso corpo físico está doente, embora sejamos espiritos. Não sei se fui claro, mas gostaria de um esclarecimento. Obrigado.
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: hcancela em 29 de Novembro de 2011, 11:55
Agora deu nó!!! Até então acreditava que, falando bem sucintamente, qualquer que fosse o vício o perispirito sofreria os reflexos, os quais carregaria consigo apos o desencarne. E ao reencarnar imprimiria na formação do corpo físico estes reflexos. No entanto, se entendi bem o que disse o moderador, isto não tem nada a ver. Compreendo que o espirito seja um ser moral, mas imaginava que ele sofreria com o estado de seu corpo (o perispírito) assim como nos sentimos mal quando o nosso corpo físico está doente, embora sejamos espiritos. Não sei se fui claro, mas gostaria de um esclarecimento. Obrigado.
Olá amigo

As dores físicas como sabe pertence ao corpo, mas como será óbvio o Espírito as sente,e aqui depende do grau do valor que Ele as dá. Intensão aqui pervalece.
Agora o Perispirito é semi-material, muito subtil, e irá com certeza sentir os efeitos daquilo que fazemos com o corpo, mas isto é o Espirito que assim o faz com o sentimento de culpa moral ao chegar ao outro lado, porque o corpo desfaz-se na Terra; aliás o Espirito vê-se dessa forma, com os vicios etc e tal, mas quando consegue ver o seu atual estado, logo tudo desaparece, porque é Ele que assim o faz com o seu pensamento.
Espero ter ajudado, apesar de um pouco confuso..rssss

Abraços farternos
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Rubens Freitas em 29 de Novembro de 2011, 12:06
Sendo assim, posso concluir que não importa que vicio tenhamos, que suas consequências não se refletirão objetivamente no perispírito e não haverá nenhuma consequencia do uso de drogas apos a morte?
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 29 de Novembro de 2011, 12:18
Exato mano Cancela, mas vamos deixar mais claro:
O perispírito há de sentir porque é o agente das sensações do Espírito.
Ora, assim ele recebe estas impressões sensíveis, boas ou más e as transmite ao Espírito.
Não as vai reter, depois do desenlace corpóreo, porque o que haveria de ser retido já o está mas pelo Espírito, exatamente porque o perispírito há de sofrer as modificações decorrentes dos avanços que o Espírito houve de amealhar no périplo encarnado que se acabara antes.
Cada e qualquer avanço, intelecto-moral é fator e vetor de modificação para o Espírito que os vivenciou na vida carnal e isso o impulsiona para a frente hierarquicamente falando, logo, está ai o viés de modificação do perispírito.
Abraços,
Moura
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 29 de Novembro de 2011, 12:24
Rubens, vamos pensar juntos:
De que serviria, ao Espírito se o seu perispírito ficasse maculado por qualquer coisa?A lógica nos grita que de nada serviria pois enfraqueceria, reduziria, e tiraria muito da sensibilidade deste perispírito deixando o Espírito menos sensível às sensações que lhes ocorreriam durante a vida encarnada.
Quem deve reter estas sensações, mormente as viciadas, e nesse capítulo entram as drogas, é o Espírito pois apenas e tão somente ele é quem as pode julgar, combater, modificar para que no próximo estágio encarnado possa provas a sua modificação e progresso feito no Éter.
Abraços,
Moura


Sendo assim, posso concluir que não importa que vicio tenhamos, que suas consequências não se refletirão objetivamente no perispírito e não haverá nenhuma consequencia do uso de drogas apos a morte?
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Rubens Freitas em 29 de Novembro de 2011, 13:35
Entendo que as sensações em última análise sejam sentidas pelo espírito. Mas como entender as formas monstruosas que toma o perispírito e que são vistas por outros? O próprio André Luis apos seu desencarne deparou-se com suas vísceras para fora de seu abdomem aberto (Nosso Lar). Seriam sensações provindas apenas de sua memória? Desculpe a insistência, mas terei então de rever muitos de meus conceitos a respeito do tema. Agradeço a atenção de vocês.
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 29 de Novembro de 2011, 13:42
Rubens,
olha só, tomar as opiniões de André, é perigoso se as tomamos como doutrina posto que não o são.
Repercutem apenas a visão que André tinha no tempo em que as ditou, porém, se formos á obra básica veremos fatalmente que muitas delas não se coadunam com a idéia ensinada pela doutrina, ou que, por outra, são o produto (como ensina o LE) de um estado da mente do autor.
O Espírito pode dar ao perispírito a imagem que quiser, contudo, notadamente, como é explicado no LM na Revue ou no LE costumeiramente ele toma a forma humana que envergou em sua última encarnação.
O LM se não me engano ainda vai além,  declarando que estas formas horrendas e mesmo as de animais que as vemos, são a forma de assustar que os Espíritos levianos e os brincalhões, em menor quantidade  fazem aparecer aos que queiram assustar.
No caso de André e a visão de suas vísceras, a explicação é a de que ele guardou em Espírito aquelas visões porque foram elas as que mais o tocaram e impressionaram.
Por isso a lembrança.
Abraços,
Moura
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: hcancela em 29 de Novembro de 2011, 13:53
Sendo assim, posso concluir que não importa que vicio tenhamos, que suas consequências não se refletirão objetivamente no perispírito e não haverá nenhuma consequencia do uso de drogas apos a morte?
Conclui mal amigo

Se assim fosse, fazíamos o que nos dava na gana e tudo beleza lá em cima...rsssss

As dores são todas morais sim, mas elas se reflectem no Perispirito, porque o espírito se vê assim, dai as suas dores, até se encontrar novamente em si mesmo. Quem já fez ou faz parte de trabalhos mediúnicos, muitos Espiritos se apresentam como se veêm, quer seja com dores físicas, sem braços,etc, mas por indução de quem fala com ele, dizendo-lhe que aquilo que ele vê é apenas a dor moral e que se quiser pode mudar de pensar dessa forma e voltar há sua forma sem qualquer problema.Quantas vezes depois disto eles dizem como nós lhe fizemos isso, acreditando que somos nós como que por milagre que lhes curamos, mas que na realidade nada fizemos apenas lhes explicamos como as coisas funcionam com a mente,etc.
Se nos lembramos que até como encarnados, todo mundo diz que somos o que pensamos, imagine sem o corpo , as sensações são bem mais volumosos(por assim dizer).

Saudações fraternas
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Rubens Freitas em 29 de Novembro de 2011, 15:15
Acho que entendi. Muito agradecido pelos esclarecimentos, companheiros. Muito bom trocar idéias. Forte abraço.
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Hebe M C em 29 de Novembro de 2011, 15:16
Sendo assim, posso concluir que não importa que vicio tenhamos, que suas consequências não se refletirão objetivamente no perispírito e não haverá nenhuma consequencia do uso de drogas apos a morte?
Conclui mal amigo

Se assim fosse, fazíamos o que nos dava na gana e tudo beleza lá em cima...rsssss

As dores são todas morais sim, mas elas se reflectem no Perispirito, porque o espírito se vê assim, dai as suas dores, até se encontrar novamente em si mesmo. Quem já fez ou faz parte de trabalhos mediúnicos, muitos Espiritos se apresentam como se veêm, quer seja com dores físicas, sem braços,etc, mas por indução de quem fala com ele, dizendo-lhe que aquilo que ele vê é apenas a dor moral e que se quiser pode mudar de pensar dessa forma e voltar há sua forma sem qualquer problema.Quantas vezes depois disto eles dizem como nós lhe fizemos isso, acreditando que somos nós como que por milagre que lhes curamos, mas que na realidade nada fizemos apenas lhes explicamos como as coisas funcionam com a mente,etc.
Se nos lembramos que até como encarnados, todo mundo diz que somos o que pensamos, imagine sem o corpo , as sensações são bem mais volumosos(por assim dizer).

Saudações fraternas
Ufa!!!! até que enfim uma explicação bem dada.
Claro que não houve deformação no perispírito. O Espírito assim o forma até inconscientemente devido seu estado de culpa puramente moral.

Um abç
Hebe
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Rubens Freitas em 29 de Novembro de 2011, 15:21
Obrigado, Hebe. Deu o tiro de misericórdia na questão. Abraço.
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 29 de Novembro de 2011, 18:52
a doutrina, sobre este ponto, maninha Hebe ainda esclarece que a lembrança das dores físicas por impressionarem muito a quem as sentiu (perde de membro etc), pode se manifestar mesmo no pó morte.
Sendo apenas lembranças são sentidas difusamente, já que não detendo mais o corpo somático o Espírito as sente no geral.
Abração,
Moura

Sendo assim, posso concluir que não importa que vicio tenhamos, que suas consequências não se refletirão objetivamente no perispírito e não haverá nenhuma consequencia do uso de drogas apos a morte?
Conclui mal amigo

Se assim fosse, fazíamos o que nos dava na gana e tudo beleza lá em cima...rsssss

As dores são todas morais sim, mas elas se reflectem no Perispirito, porque o espírito se vê assim, dai as suas dores, até se encontrar novamente em si mesmo. Quem já fez ou faz parte de trabalhos mediúnicos, muitos Espiritos se apresentam como se veêm, quer seja com dores físicas, sem braços,etc, mas por indução de quem fala com ele, dizendo-lhe que aquilo que ele vê é apenas a dor moral e que se quiser pode mudar de pensar dessa forma e voltar há sua forma sem qualquer problema.Quantas vezes depois disto eles dizem como nós lhe fizemos isso, acreditando que somos nós como que por milagre que lhes curamos, mas que na realidade nada fizemos apenas lhes explicamos como as coisas funcionam com a mente,etc.
Se nos lembramos que até como encarnados, todo mundo diz que somos o que pensamos, imagine sem o corpo , as sensações são bem mais volumosos(por assim dizer).

Saudações fraternas
Ufa!!!! até que enfim uma explicação bem dada.
Claro que não houve deformação no perispírito. O Espírito assim o forma até inconscientemente devido seu estado de culpa puramente moral.

Um abç
Hebe

Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Rubens Freitas em 29 de Novembro de 2011, 22:59
Só duas questões que não querem calar: 1) em diversos Grupos Espíritas e mesmo se não me engano em revistas, nos dizem que realmente não são todas as obras dignas de credibilidade. E que as obras básicas (Pentateuco de Kardec) e as complementares (escritas por Chico Xavier, Divaldo e muitos outros "notáveis") seriam um "roteiro certo". Estariam enganados? 2) Outra questão: como é que pode André Luis ser autorizado em Nosso Lar pelos Espíritos Superiores a dar a Chico Xavier, em livros que teriam uma influência fortíssima sobre o movimento espírita, interpretações pessoais que não correspondessem à realidade? Quem foi o vacilão? rsrsrs...
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 30 de Novembro de 2011, 13:47
Mano Rubens,
entendo sua gostosa pergunta e a tenho como verdadeira.
Há CEs e CEs, há mesmo CEs que mais parecem igrejas, onde a rezação parece não ter fim mas nada de doutrina, ou pior ainda, acabando a rezação começam a parte doutrinária com citações a André, ou Emmanuel.
Pergunto-lhe, onde estão as respostas destes nas obras básicas?
Emmanuel, num de seus livros ditados, nos diz com estas mesmas palavras: "Caro amigo, tudo o que falo, é produto de minha opinião pessoal, tal como aquilo que você também o diz".
Ora, Emmanuel te o direito de se expressar de acordo com as convicções que tenha como verdadeiras, quem erra não é ele mas aquele que toma a suas ditas opiniões pessoais, como doutrina e nisso erra feio.
É importante que saibamos disso porque é isso que está preconizado na obra básica e mesmo no ESE.
Há gente que nunca leu o capítulo I de A Gênese, entitulado Caracteres da Doutrina Espírita, mas que se mete a falar com a maior das "verdades" e pior ainda, tem os que lhes escutando, dão ás falas escutadas o valor de uma verdade inquebrantável daí existirem tantos celeumas do nada para o nada no movimento espírita.
Há aqueles que preconizam sobre um tal "pentateuco Espírita" que não existe.
Não sabem estes que pentateuco quer dizer de cinco livros da doutrina, tido como obras básicas.
No entanto, cometem eles dois erros crassos que só um desconhecedor da doutrina ou mesmo alguém que nunca tenha se dado ao trabalho de ler o item 35 do capítulo tres de OLM, para ter uma noção daquilo que forma as obras básicas.
mas que de tanto ouvirem palestrantes ou diretores de CEs afirmarem sobre o tal pentateuco, começam a dar uma de papagaio de pirata, ops, de pirata não pois este só escuta mas não fala hehe. fazem mesmo como papagaio de bêbado que fala qualquer coisa mesmo sandices e dana a repetir, e o caso recai numa afirmação do filósofo das massas o popular Carlos Massa, ou mais conhecidamente o Ratinho da TV.
Disse ele: "Falar até papagaio fala... Quero ver é pensar".
Pois é mano, isso muito dito Espírita, não faze pior, não estuda para poder ter base no que diz. Esta a razão de tanta sandice ser propalada como "verdade verdadeira".
por exemplo mano, não existem "obras complementares".
por que? Ora, simples:
Porque para que uma obra, página ou escrito, tenha o valor de Obra complementar à doutrina, há que antes ser submetida e aceita pelo controle Universal do Ensino dos Espíritos, e mais, ter sido ditada por um Espírito da classe dos Superiores.
Não, isso não é idéia minha, consta da obra O ESE no item dois da Introdução (vejam só, Introdução), ao Estudo da doutrina Espírita, mas isso poucos são os que dão valor, afinal Kardec só fez editar com obras básicas, 18 livros, enquanto André e outros Espíritos, ditaram a Chico, 456 livros, logo, Chico deve entender mais de doutrina do que Kardec e os Espíritos Superiores.
Por favor não tomem os amigos estas palavras como  reprimenda ou descrédito ao chico, para mim ele foi um dos maiores médiuns que o Brasil já conheceu. porém, não fez doutrina, como eu sempre digo, sua obrigação era seguir àquela que dizia professar.
Chico nunca inventou nada, nunca mentiu ou modificou nada da doutrina, isso porque nunca escreveu nada de seu, e isso era ele mesmo quem vivia a afirmar.
Fica então também este esclarecimento, as obra básicas contam com 18 e não 5 livros e nestes não consta o ESE, espantem-se todos. O ESE é uma obra de interpretação de algumas das passagens da Boa Nova e portanto não foi ditada por Espírito algum mas sim retirada da própria Boas Nova, para fazer saltar aos olhos dos espíritas novatos, a parte mais importante da doutrina, que é a Moral.
Por isso não analisou a todas as passagens do Evangelho.
Portanto quem toma por obra complementar, ou como um roteiro certo e sem jaça ou ainda como doutrina publicações não constantes na ordenação que faz parte do item 35 do capítulo três de OLM além de não conhecer esta parte tão primária e tão importante do aprendizado codificado, ainda faz tal como o papagaio do bêbado, que só fala, (no caso, escreve), mas não pensa.
Há tempos, quando me aparecia pela frente pessoas deste jaez e que me cortava a palestra com insinuaçõoes malediscente dando conta de estar eu a falar sem conhecimento, quando me era voltada a palavra eu começava pela imitação de um personagem criado pelo Tom Cavalcanti, que o público muito conhece e pelo nome "João Canabrava" e retornando à fala gritava: "Sóóóbrioooooooo" imitando o bordão do personagem do humorista.
geralmente aquele que não entendia a alusão que eu fazia era apenas quem havia me contestado...
REspondendo a seu último questionamento sobre André ter sido autorizado por Espíritos //Superiores a isso ou aquilo eu teria de lhe dizer quem um Espírioto superiore não autoriza nada meu amigo, apenas segue órdens, com oo fizeram quando dos ditados feitos ao mestre de Ain, allan Kardec.
Não, não se assustem pois sei que também já ouviram dizer que kardec nasceu em Lion, na verdade o francês barrigudinho, como este amigo de vocês o chama, nasceu na cidade de Ain, onde sua família tinha ido morar, por dois motivos, pela mudança de emprego do pai de kardec e pela situação preocupante que a gravidez de sua mão inspirasse.
Depois do nascimento, e terminado o prazo para a finalização do trabalho do pai de Rivail, a família volta a Lion e ai sim, depois de sua volta da instituição onde fora interno, em Yverdon, O ainda Rivail, é iniciado por um amigo, naquilo que era a sensação das tertúlias de final de semana em França, as mesas girantes.
O ESE, OLE, e a Revue nos ensinam que os Espíritos Superiores são se pronunciam, quando têm a autorização divina, digo isso para o caso de novas revelações, das quais esperam também a ordem para que sejam legadas a nós.
Tudo isso está nas obras básicas, essas desconhecidas, mano Rubens.
Agradeço muitíssimo ao amigo por ter colocado as suas questões, pois que elas foram o agente propulsor de minha resposta, esta tem apenas o caráter geral, ou seja, não vai de encontro a você ou a qualquer um, mas sim as atiro ao vento que sopra no movimento espírita para quem sabe, ter de um leitor, pelo menos a vontade de ir às obras básicas ver se falei alguma coisa que esteja corrompida, falsa, ou mentirosa.
Abração,
Moura
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Rubens Freitas em 30 de Novembro de 2011, 16:01
Valeu pelos esclarecimentos, caro Mourarego! Muito boa esta troca de idéias. Muda o modo como encarar as obras espíritas em geral e convida a ler Kardec com mais atenção. Forte abraço!
Título: Re: As drogas e suas implicações Espirituais
Enviado por: Mourarego em 30 de Novembro de 2011, 17:48
Exatamente mano Rubens você entendeu perfeitamente aquilo que quis explicar.
Abraços,
Moura