Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Toxicodependência => Tópico iniciado por: Victor Passos em 01 de Outubro de 2007, 10:13

Título: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 01 de Outubro de 2007, 10:13


AOS USUÁRIOS DE DROGAS   

Talvez você já tenha dito ou ouvido a infeliz afirmativa: "se eu uso drogas, o problema é meu, e ninguém tem nada a ver com isso. A droga só a mim prejudica"

Se você pensa dessa maneira, gostaríamos de lhe convidar a fazer algumas reflexões a respeito, sob outro ponto de vista.

Você já deve ter visto, ao vivo, pela TV ou nos jornais, a triste imagem de uma criança de oito anos de idade ou de um adolescente de doze, com uma metralhadora na mão, a serviço dos traficantes de drogas, não é mesmo?

São cenas chocantes e deprimentes, você há de convir...

No entanto, você jamais deve ter pensado que, usando drogas, está colocando o dinheiro na mão do traficante para que ele compre a arma e a coloque nos ombros dessas crianças.

Você já deve ter visto o sórdido espectáculo de uma mãe desesperada, com o coração sangrando e o rosto banhado em pranto, debruçada sobre o cadáver do filho querido que foi morto tentando fazer com que a "mercadoria" chegasse às suas mãos.

Você, que é consumidor, talvez não tenha se dado conta, mas é um dos responsáveis pela violência gerada nesse disputado mercado das drogas.

Você, que é usuário de drogas, ainda que seja de vez em quando, está contribuindo com a corrupção nutrida no submundo das drogas, e fomentado a disputa sangrenta pelo consumidor, que enche os bolsos dos poderosos do tráfico, dizimando vidas e matando esperanças.

Lamentavelmente, a grande maioria desses consumidores não percebe que o mal que causam está longe de ser "um problema seu", como afirmam.

Não se dão conta de que seu vício é alimentado com sangue e lágrimas de muitos.

Em nome da satisfação de seu egoísmo, o consumidor de drogas deixa um rastro de sangue sem precedentes... E responderá por isso perante as leis divinas, sem dúvidas.

Recentemente as mídias noticiaram o assassinato de um jornalista, que foi executado a sangue frio pelos "donos do pedaço" que ele invadira no cumprimento do seu dever de profissional comprometido com a verdade.

O povo se manifestou. Houve passeatas, protestos e pedidos de justiça. Muito louvável, não há dúvida.

Mas, quantos daqueles que empunharam a bandeira da paz e da justiça não terão contribuído para que aquela execução se realizasse?

Quantos executivos que, sentados em suas poltronas de luxo criticam a violência, sem se dar conta de que esta é alimentada pela farta mesada que colocam nas mãos de filhos viciados.

Você há de concordar que não haveria esse mercado infame das drogas se não houvesse o consumidor.

Quando vemos a cínica expressão de um prisioneiro que comanda o terror de dentro da prisão, temos que admitir que ele age dessa forma porque tem "costas quentes", e está seguro de que nada lhe acontecerá.

E você, que é consumidor de drogas, está financiando esse mercado bilionário, alimentando esses tiranos cruéis que enriquecem graças a sua frágil vontade de encarar a vida de frente e de mente lúcida.

Mas essas não são as únicas desgraças que um viciado provoca. Há aquelas que acontecem dentro do seu próprio lar. Aquelas capazes de dilacerar um coração de mãe ou de pai, de irmão ou de filho, com atitudes inconsequentes e egoístas.

Se você ainda não havia pensado nessa questão sob esse ponto de vista, pense agora.

E, se pensar com sinceridade, perceberá que o vício está longe de ser um problema só seu, que só a você prejudica.

Faça um balanço urgente e tome a decisão acertada: boicote as drogas.

Empobreça esses abutres que se alimentam das vidas dos dependentes descuidados.

Se lhe faltarem as forças, busque ajuda de profissionais especializados e confie seu coração àquele que foi e continua sendo O maior Psicoterapeuta de todos os tempos: Jesus Cristo. Seu atendimento é gratuito, basta busca-Lo através da oração.

Se as drogas ainda não destruíram por completo o seu senso crítico, reflicta agora sobre tudo isso e mude o rumo dos seus passos.

Temos certeza de que você conseguirá.

Equipe de Redação do Momento Espírita.
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: manuel em 22 de Outubro de 2007, 00:15
Concordo com o conteúdo do artigo.
Acrescentar-lhe-ia que a toxicodependência é um problema social. Cabe à sociedade não marginalisar os consumidores, dar-lhes amor, muito amor e fazer o que estiver ao seu alcance para os resgatar. Traz incómodos, quicá problemas, mas a solução está na intervenção social.
Amor, paz para todos.
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 22 de Outubro de 2007, 10:50
Ola Manuel
Muita paz

                Estamos de acordo , que devemos dar tudo de nós para ajudar nesse flagelo, que provoca tanta dor nos lares.
                Porém todos sabemos que é uma luta complexa, porque não depende apenas dos que envolvem estes irmãos , mas acima de tudo da vontade do próprio de se libertar das drogas e por aquilo que tenho verificado, é uma tarefa muito dolorosa, que requer muita coragem , amor intimo e fé .

                     Muita paz e harmonia
VICTOR PASSOS
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 16 de Dezembro de 2009, 11:08
Ola Amigo Aldebaran
Muita paz

   O Opio do Povo começa com pensamentos matizados de penumbra de irmãos que se julgam donos da razão, e que tem toda a verdade na lingua, mas cuidado para que ela não seja o jugo de sim mesmo..

Você fala daquilo com se afiniza, mas não d´+a soluções para alterar a Humanidade, por isso terá como todos de fazer uma plena reflexão dentro da razão e do bom senso, e perceber o que na realidade da vida voce quer, porque parece andar ainda à procura do que está à vista de todos....


Muita paz e luz no seu pensamento....-

Victor Passos
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 16 de Dezembro de 2009, 18:47
Quando se fala em drogas, logo vem a autoridade pública relacionar drogas  com armas.
Ora, traficantes são marginais da mesma laia que os assassinos e ladrões, só se diferenciam por terem um objeto diferente para trabalharem.
Assim as armas que os traficantes compram não fomentam mais que a pseudo segurança que eles pensam ter e dão suporte, à crença de que armados estão mais homens.
Ladrões também compram ou roubem armas nos mesmos locais que os traficas e diversamente a autoridade pública não os incluem no mesmo rol.
Os maiores financiadores deste estado de coisa os organismos de segurança das forças armadas sabem onde se encontram mas não têm nem força nem vontade de prendê-los, deixando à raia miúda o papel de alvos fixos.
Fernandinho Beira -Mar, é fichinha perto deste reais financiadores.
As leis estão ai e duras cabe a autoridade pública manter campanhas, mas campanhas honestas e não essas piadas que vemos pela TV.
Descriminalizar usuários é fazê-los no amanhã tornarem-se traficantes tão ou piores do que os que há estão por ai. Cadeia para eles também!
Agora custa caro ao organismo público fazer cadeias especiais e prover a estas de mantenedores a altura do cargo.
Essa a real situação.
Não entro no mérito de ser ou não bom esse tópico porque a liberdade existe, mas deixo bem clara minha posição.
Criminoso não é só aquele que tem a arma, é também quem usa a droga e mesmo ai vê-se a hipocrisia do povo.
Usuário rico é droga-adicto;
Usuário pobre e preto é "vagal", meliante, viciado, escória da sociedade.
Acabemos com a hipocrisia que a coisa anda.
dura lex sed lex!
Abraços,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 17 de Dezembro de 2009, 10:42
Ola Amigo Moura
muita paz e harmonia


    Reconheço-lhe determinada razão, porque sempre o pequeno é que apanha e recesso do que "Cão grande", sei que entende, mas também é um problema social e acima de tudo de educação mal gerida no seio do ciclo Familiar, talvez pelas incongruências fragilidades dos meios de subsistência, ou outro problema qualquer, porque não é só o que tem dinheiro que se droga, e o Amigo sabe bem isso....a deliquência cresce pela falta de meios, de educação da sociedade e porque o facilitismo, e corrupção estão nas lides da governação dos destinos dos Povos...Mas alguém tem de fazer algo e isso cabe a todos nós ajudarmos com a educação nos lares espiritas... e nós temos responsabilidades em alertar para o maleficio da droga ....

Muita paz bom Amigo
Abraço

Victor Passos

Amigo deixo aqui este texto....


http://www.espirito.org.br/portal/artigos/valdomiro/drogas-o-tragico-mecanismo.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2FydGlnb3MvdmFsZG9taXJvL2Ryb2dhcy1vLXRyYWdpY28tbWVjYW5pc21vLmh0bWw=)
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 17 de Dezembro de 2009, 12:07
Concordo consigo, amigo Vitor,
todavia não sou dos partidários de nenhum abrandamento de pena nem de tipificação diferenciada, afinal crime é crime.
São muitas as situações que levam às drogas, mas nosso governo faz pouco e mal.
Por isso a droga cresce e se alastra no Brasil.
Veja o caso da lei dos crimes hediondos, começou não dando espaço para progressão de pena etc e tal e hoje temos até agora tres incursos nesta lei que estão saindo das grades para passar o natal em casa.
Vão voltar? duvido muito, pois mais de 40% dos que saem não voltam onerando mais  ainda o herário e dando mais trabalho à polícia.
A coisa é muito séria meu mano.
Abração,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: B... em 17 de Dezembro de 2009, 12:27
Quando faz-se discussão sobre drogas tem que se ter uma visão de todos os argumentos.

1) O que é droga? Alcool é droga? Cigarro é droga? Coca-cola é droga? cafeína é droga? Anti-depressivo é droga? Quem tem autoridade pra dizer o que é droga? A Anvisa? Prender quem fuma cigarro é a solução? Quem vende?

2) Porque o Alcool é liberado e não se fala em dar dinheiro pra criança ficar com arma na mão e a maconha se fala? No Alcool damos dinheiro pra criança ficar com cerveja na mão vendo futebol e mulheres gostosas. E o cigarro? dar dinheiro pra se matar? pra matar quem está perto? pra depois encher hospitais com problemaas que poderiam ser evitados e tirar a vaga do filho d alguem?

3) Dar dinheiro pra traficante é relativo, a maconha, por exemplo, pode ser plantada em casa e  aí o usuário não estar mais no círculo do tráfico. ALias só existe tráfico pq é proibido senão não haveria tráfico, quem pode dizer o q deve ser proibido o q não deve? E o livre arbítrio? um dia poderão dizer q espiritismo faz mal (pra ICAR faz!) e proibi-lo e ai? quem cuida d quem diz estar nos cuidando? Quem criou o problema do tráfico? o usuário ou quem proibiu o uso? quem misturou droga com arma quem marginalizou a droga ou quem usa?

4) por que não dar esclarecimento e deixar as pessoas fazerem o q querem? Para crianças eu sei que é dificil deixar elas escolherem, mas e os adultos, não tem discernimento (eu acho que não)? Mas será que a Anvisa sabe o que é bom ou ruim pra gente? Até q ponto pode ir a regulação do Estado? pq no alcool não rolou uma regulação com mais rigor? Tem propagando d cerveja de dia na TV com criança assistindo que se beber vai pegar as gostosonas e se não beber vai ser excluído!!!!! ABSURDO !

5) A violência e a marginalização de algumas drogas se dá pq o governo assim o quer. Não há como se impor sua vontade sobre todos, sempre haverá contestadores, nem q a pessoa use drogas pelo simples fato de achar q ninguem manda nele pra dizer q ele não pode. é um assunto complicado.

=> E o uso religiosos de certas substâncias? O espiritismo não concorda, mas pede que se respeite! E ai, como faz? prende todo mundo? E o uso recreativo consciente, como deveria haver com o alcool? existem drogas d tudo qnto é tipo, usuários d tudo qnto é tipo. Tem quem vicia em comida.

6) prisão pra usuário? eu sou a favor de menos prisões para traficante! Existem traficantes que são viciados, que vendem drogas pra sustentar seu consumo, não ficam ricos, pelo contrário vivem preso no ciclo de vício e estão doentes, precisam de tratamento, de atenção .. não de prisão. Alias prisão não ajuda ninguem, só o bando d preguiçosos que não querem tentar ajudar alguém com amor e resolvem fingir q seu irmão não precisa d ajuda e bani-lo do seu campo d vista. Mas fazer o q? é dificil conviver com diferenças, ainda mais diferenças violentas.

7) Dores nos lares? E um filho obeso que vive tomando 2 litros de coca-cola e gordura trans não cria dores nos lares? Fazer o q? Deixar o Estado dizer o q devemos comer e beber, sob pena de prisão? DOres nos lares sempre existiram e existirão, é o local onde a maioria dos Karmas são colocados em confronto, não é? Falar q droga causa dores nos lares é reduzir a um só motivo o q tem vários outros. Ainda tem o uso de drogas socialmente aceitas e pessoas q "sabem" usar e vivem a vida normalmente. Tentar reduzir as dores nos lares não é só no uso de drogas é aprendermos a tentar ter uma vida em família melhor.

8) Vício é uma coisa ruim, qualquer vício, não só em drogas. Como ajudar as pessoas a transmutarem vícios em virtude é a busca q deve ser feita. Agora proibir d uma pessoa ter vício não resolve. Deus já nos colocou a dor como reação a atitudes de vício e as pessoas não largam o vício, proibir é q vai resolver? Quem sabe qual é a melhor forma? prisão? Quem fuma cigarro deveria ser preso pra parar d fumar?

9) O assunto é mto delicado, não há solução, há compreensão, e vontade de esclarecer e ajudar a quem precisa. Assim como a Doutrina recomenda não julgarmos, não cabe a nós julgar o caminho q o outro segue.

Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: B... em 17 de Dezembro de 2009, 12:32
10) Escrevi ao acaso um monte d argumentos, não sou a favor do uso d drogas, sei q não leva a nada. É só um exercício do pensar. Cada um com sua opinião. Mas não é tão simples qnto dizer q a droga é um mal e deve ser extirpado. Quem vai vigiar quem diz isso? Não poderá haver um dia q ele ache um mal, uma coisa q seja boa? e ai... o q fazer? e o contrário já não existe com relação a cigarro e bebida, dizem q eh bom e fazem até comercial em horário q crianças estão vendo, quem deu-lhes essa permissão? Eu não!

Não acho q um erro justifique o outro, só estou mostrando alguns argumentos. Já vi mtas vidas acabarem pelo uso d drogas, realmente é triste. Mas vi tb mtas acabarem por excessos em coisas ilícitas. Excesso d sexo (AIDS), d comida (parada cardíaca e AVC), excesso d confiança (quedas d motos, afogamentos em mar), excesso d fanatismo religioso (Jihad e homens-bombas)... e ai vai...

O espiritismo como consolador nos mostra q a paciência é o único remédio, um dia a pessoa aprenderá, deixa-a seguir o caminho e qndo buscar ajuda estamos pronto para ajudá-la. Proibir não a fará crescer pois não foi ela q buscou parar, fomos nós q impomos, não há cura assim e quem somos nós para ajudar quem nao quer ser ajudado.

A vida é maior que nosso julgamento! A crença em mutiplas encarnações nos dá um conforto d saber q ninguém morre pq usou droga, na verdade deixa d evoluir, mas usar drogas não é a unica coisa q tem esse resultado.

o q fazer? quem diz saber a resposta está mentindo, na minha opinião! Me parece que conscientizar é o melhor, mas como fazer isso, parece q Deus sabe melhor q nós!


Abraços.

Ps: escrevi e mandei. Nem li o q escrevi, foi mal se fui prolixo ou não me fiz entender.
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 17 de Dezembro de 2009, 12:52
Em 23 de agosto de 2006, o presidente Lula sancionou a Nova Lei Antidrogas, n. 11.343, que entrou em vigor em outubro do mesmo ano.
Esta lei, abrandada em muito não satisfaz, a meu entender, o que se espera como repressão.
Esta a minha visão.
É crime portar, ter consigo, oferecer, fazer uso, contudo se os amigos forem às penas verão que são brandas demais e que, em suma, não recuperam nem educam nem ao viciado.
Abraços,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: B... em 17 de Dezembro de 2009, 13:08
"Ano-novo / 15 presos não voltam do saidão

Dos 1.007 presidiários beneficiados com o saidão para o réveillon, 15 não voltaram na data prevista: 2 de janeiro, última sexta-feira. Segundo o balanço divulgado pela Secretaria de Cidadania e Justiça do Distrito Federal, três dos liberados para passar a virada do ano fora da cadeia acabaram presos por terem cometido crimes no período. O índice de desobediência é similar ao do ano passado, quando, dos 1.371 beneficiados, 14 não retornaram. No Natal de 2008, dos 1.041 detentos que saíram para comemorar a data com a família, 18 permaneceram nas ruas. Anderson da Silva Santos, 31 anos, um dos beneficiados, terminou baleado por um policial federal ao tentar furtar um carro, na madrugada de 24 de dezembro, na 416 Sul. Em 2007, 21 dos 1.345 contemplados com o saidão não voltaram. Três deles foram presos por porte de drogas. A liberação dos detentos tem como base a Lei de Execuções Penais (Lei nº 7.210/84). O benefício é concedido aos internos que cumprem pena em regime semi-aberto com autorização para saídas temporárias e aos que têm trabalho externo. A Secretaria de Justiça do DF estuda o monitoramento eletrônico dos presos por tornozeleiras para evitar a fuga de detentos durante os saidões."
Fonte: http://www.pmdf.df.gov.br/default.asp?pag=noticia&txtCodigo=2012 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wbWRmLmRmLmdvdi5ici9kZWZhdWx0LmFzcD9wYWc9bm90aWNpYSZhbXA7dHh0Q29kaWdvPTIwMTI=)

Esse ai foi o ultimo saidão de final de ano em Brasília...longe de ser 40% os q não retornam. Não sei em outras cidades há q se pesquisar

Abraços.

Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 17 de Dezembro de 2009, 16:17
Você fala de Brasilia com se fosse eu, contudo falo do rio e por ter visto a reportagem ontem, num canal de TV.
Como se vê a pressa no contestar induz ao erro.
Me desculpe mano, mas se você gosta desse tipo de benesse, ofereça sua casa a eles.
Onde já se viu presos por crimes hediondos terem indulto?
Aposto que as famílias onde filhos, pais ou mães morreram também não aprovariam e o direito humano deles?
Abração,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: leandro_manzo em 13 de Maio de 2010, 15:53
A verdade é que toxicodependentes não são criminosos, independente da "droga" que estejam usando, e ser doente não é crime.
Esse problema é uma doença e isso já foi comprovado pela OMS, e pelo que eu saiba não se tratam doentes em prisões.

Abração e fiquem com Deus!
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 13 de Maio de 2010, 18:03
Leandro,
a OMS não diz assim, por favor...
A toxicodependência tráz a doença que é tanto psíquica quanto física, em alguns casos mais psíquica que físicca, como no caso das drogas que tragam conteúdo depressivo como  a cannabis-sativa, (THC), a popular maconha. As outras têm conteúdo mais físico mesmo que desarrumem também a parte mental.
Logo, e diferentemente do comercial de certa marca de biscoitos, os toxicodependentes, não vão as drogas por causa da doença, eles se tornam doentes por ação das drogas.
Abração,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 13 de Maio de 2010, 18:45
Ola Muita paz e harmonia
Meus bons Amigos

Após recesso de falta de tempo aqui estou moribundo...srsrsr

Amigos não odemos esquecer que no meio de toda a situação de dependência , como doença  ou não...temos a Opção...Escolha...Livre-arbitrio..
Não podemos cuklpar tudo e todos do que acontece, e é preciso entender que não se pode levar tudo à roda de coitadinhos, conforme fizesres assim colher+ás, não é o olho por olho dente por dente, mas a coresponsabilidade da individualidade peranteo acesso ao vicio...

Muita paz e harmonia Amigos abração

Victyr Passos
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 13 de Maio de 2010, 18:47
mano Victor, o bom filho a casa torna!
abração meu querido amigo
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: leandro_manzo em 13 de Maio de 2010, 18:48
Quando se diz ToxicoDEPENDÊNCIA, já se alinha automaticamente à dependência de alguma substância, ou seja, o sujeito já está doente, já é um dependente, e não AINDA vai ficar doente, ou muito menos algo vai trazer a doença. Portanto não é a toxicodependência que leva a doença e sim a doença que leva ao uso contínuo e desenfreado de tal substância.

A dependência química é uma doença crônica e hereditária. Muitas vezes pode ser passada de pai para filho. O indivíduo já nasce com uma pré-disposição para a dependência.

Mas mesmo que tudo isso fosse pura balela, o fato de procurarem as drogas não faz deles bandidos que mereçam cadeia.

Abração e fique com Deus!
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 14 de Maio de 2010, 15:34
Hereditário, é tudo aquilo que o filho herda, Leandro.
Sei que você usou o termo sabendo, tanto quanto eu usei toxicodependencia.
como você vê, o amigo incorre naquilo que vem mostrar aos outros...
amigo o que se quer dizer e que "novamente eu reafirmo", (pleunasmo), é que o cara não é um doente e que por isso vai as drogas, é justamente o contrário.
E no caso das drogas não há hereditariedade. O que ainda está em estudo é uma possível predisposição mas isso além de não estar plenamente comprovado, não tem caráter de hereditariedade.
abraços,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: leandro_manzo em 14 de Maio de 2010, 15:45
.
E no caso das drogas não há hereditariedade. O que ainda está em estudo é uma possível predisposição mas isso além de não estar plenamente comprovado, não tem caráter de hereditariedade.
abraços,

Eu não disse que a droga é um problema hereditário, e sim a doença.
E a predisposição não está em estudo, isso já foi comprovado. Basta você pesquisar e irá saber.
E eu também "novamente reafirmo", isso não faz deles bandidos que mereçam cadeia.

Abraços...
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 14 de Maio de 2010, 16:37
Mas nem a doença, mano. nem ela...
Há indícios de que algumas pessoas sejam mais propensas ao uso devido a classificação da droga usada pelos pais, mas são só indícios, nada de comprovadamente real.
Abraços,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: leandro_manzo em 14 de Maio de 2010, 16:42
Bom, se você quiser dar uma pesquisada sobre isso vou te dar uma mãozinha...

CID-10 - CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE DOENÇAS

T65.2 - Dependência de Tabaco/Nicotina
Y57.8 - Uso de drogas e medicamentos
E24.4 - Síndrome de pseudo-chusing que induz ao álcool
Z81.1 - Histórico familiar do uso de substâncias
Z72.1 - Uso de álcool
Z72.2 - Uso de drogas
F19.2 - Síndrome de dependência

Bom Moura, essas são apenas algumas referências, se não for o suficiente é só procurar que vai encontrar mais algumas.

Abração e fique com Deus!
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 15 de Maio de 2010, 12:34
Ola muita paz e harmonia bons Amigos

Moura , não fugi, apenas estou numa fase de retemperança da casamental....srsrsrs
Mas não deixo os posts sem resposta...

abração

Quais as causas que levam as pessoas às drogas?

Os motivos são vários: busca de uma sensação prazerosa, curiosidade, desejo de pertencer á “turma”, problemas sócio-econômicos, fuga de problemas e da realidade, descontentamento com a sociedade de consumo, falta de diálogo entre pais e filhos, dificuldade de relacionamento com outras pessoas, falta de informações precisas sobre drogas, ansiedade, influência de traficantes, influência de familiares, pressão de “amigos’’, etc”.

Como alguém começa a usar drogas?

Quase sempre este início é igual: através do melhor amigo, o colega de carteira da escola, o namorado ou a namorada. Quando o jovem está aborrecido, oferecem-lhe de graça uma passagem para um mundo onde o aborrecimento vai desaparecer.

Se ele aceita, o “amigo’ ’vai estar em seu caminho para oferecer outras doses até que a dependência se instale e aí o produto passa a custar dinheiro. E nesse ponto a pessoa já se tornou escrava da droga e do seu fornecedor, que nem sempre é o traficante maior, mas age em seu nome. Daí as conseqüências são as piores possíveis.

A tolerância por parte das escolas é outro fator que tem contribuído para a dispersão do consumo de drogas ilícitas.

As escolas particulares “cumprem” com seu papel informando com palestras não efetivas, e também o número de expulsões relacionadas com o uso de drogas é baixo. Hoje em apenas um de cada dez casos, o estudante é desligado do estabelecimento. Geralmente, quando se droga dentro das dependências do colégio.

A droga no colégio é fácil de ser adquirida, podendo ser comercializada pelo vendedor de balinha que fica na porta, por um professor, ou um colega.

 SINAIS QUE IDENTIFICAM UM USUÁRIO DE DROGAS:

 Os principais são:

* Mudança brusca de comportamento;
* Irritabilidade sem motivo aparente;
* Inquietação motora;
* Depressões. Estados de angústia sem motivo aparente;
* Queda do aproveitamento escolar, desistência dos estudos ou do rendimento do trabalho;
* Insônia rebelde;
* Isolamento;
* Mudança de hábitos;
* Olhos vermelhos;
* Troca do dia pela noite;
* Existência de seringas, comprimidos ou cigarros estranhos entre seus pertences;
* Desaparecimento de objetos de valor, dinheiro ou também constante pedidos de dinheiro;
* Más companhias;

Mas é preciso prestar atenção, pois, algum ou alguns desses sinais podem indicar outra coisa, como alguma doença ou outra coisa que, não necessariamente, uso drogas, e não se pode correr o risco de rotular alguém sem certeza.

Assim como indicamos através de nossas pesquisas, alguns dos sintomas que podemos localizar, indicamos abaixo algumas CONSEQUÊNCIAS DA DEPENDÊNCIA.

Amigo como vê existe sempre um indicio que a permeabilidae á droga advém duma fragilidade, mas ela não sai do vazio , mas im daquilo que nós criamos, do mundo em que nos fechamos...Tal como não podemos culpar os espiritos de tudo que acontece, também não podemos tomar tudo como doença, porque no caso da droga , ela só se torna com essa identidade, quando o dependente, está com o vicio conumado e aí a doença a parece, pelo excesso e deslumbre das suas opções....

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 15 de Maio de 2010, 14:46
Exato mano Victor.
Essa permeabilidade, já que não aparece do nada, advém, segundo entendo, da moral do sujet, este, tendo uma moral vacilante, se sujeita no mais das vezes aos caprichos da turma ou da curiosidade.
Abração,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: La. em 15 de Maio de 2010, 15:40
bom dia aos Amigos,

Se me permitem vou da um testemunho pessoal, hoje completa 7 dias que enterrei meu irmão vitimado pelo uso de drogas. E não foi leis hereditárias, ou a falta de dialogo, e compreensão por parte dos familiares que o conduziram a isso.

As drogas hoje configuram uma pandemia social, em todos níveis sociais. Se larçamos os nosso olhos acima do aqui agora, veremos uma coletividade de irmãos reencarnados com compromissos que tocam a essa hora.

E outro apontamento pessoal que vou fazer é que percebi que as drogas são sintetizadas no mundo espiritual para depois serem produzidas aqui. Há laboratorios e mentes genias devoltas ao mal por trás disso. Por algumas vezes já estive em desdobramento em contato com esses irmãos , e creiam os senhores que por maior que sejam a minha fé ela não chega a um grão de mostarda, porque o medo me congelou. Experiencia essa complicada viu. Os irmãos queriam me drogar em meu desdobramento. Eu que tenho ojeriza a droga pelo tamanho do sofrimento que eu vi minha familia ser envolvida fui envolvida nessa trama.

Além das organizações humanas, existem outras muito piores que não querem de forma alguma o progresso humano, as trevas são extremamente articulados e eficientes. Mas nós outros sabemos que contra o amor não há resistencia, Emmanuel nos diz que nenhuma escuridão é capaz de apagar um risco de um fósforo de luz. Então nos devemos confiar os nossos corações a Jesus, orar muito pela nossa humanidade que passa por momentos dificilimos, que venhamos a fazer a nossa parte. Atitudes políticas governamentais são de fundamental importancia para a prevensão e repreensão . A lei 11.343/06 mudou a otica de ação pois estabeleceu o usuario e a sua familia como enfermos que necessitam de auxilio. Em um sistema prisional fálido como o nosso cadeia para bandido não é corretivo infelizmente.

Então nós outros mobilizamos compreensão e amor, irradiemos luz para nossa humanidade que ela precisa muito, muito, muito,confiemos em Jesus porque a batalha a ele pertence, e que façamos a nosso parte como pequenininos obreiros imbuidos de boa-vontade.

abraços!
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 15 de Maio de 2010, 23:38
Não laisa,
a batalha pertence ao droga adicto ou viciado como costumo dizer.
Na verdade Deus quando dotou o ser humano de razão, intelecto e moral e o fez de forma a ser o único entre todos os ser que lhe poderia conhecer, por extensão lhe deixou o livre arbítrio, pelo qual qualquer um pode aceitar ou não a droga.
Logo a batalha pertence a nós em nos afastarmos das drogas e noticiarmos o mal que elas fazem, e aos viciados porque só eles pela vontade, essa aliada as preces dos parentes, a medicina pelos remédios e terapias os pode fazer vencer.
Deus e Jesus agem, mas não interferem assim como os Espíritos.
Abração.
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 16 de Maio de 2010, 13:09
Ola muita paz Amigos

Moura
Citar
Logo a batalha pertence a nós em nos afastarmos das drogas e noticiarmos o mal que elas fazem, e aos viciados porque só eles pela vontade, essa aliada as preces dos parentes, a medicina pelos remédios e terapias os pode fazer vencer.
Deus e Jesus agem, mas não interferem assim como os Espíritos.
Abração.

Amigo estou consigo , e existe também existe a necessidade de cultivar valores dentro do lar, o espetro da carencia existe , os meios materiais também fazem desviar , pela fome , miseria, mas sempre existe a opção de escolha ...
Muita paz e harmonia
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: La. em 16 de Maio de 2010, 14:35
Sim sim Moura, a vontade ativa é força propulsora sempre. E sem ela nada podemos.

O que enternece meu coração é ver crianças de nove, oito anos, envolvidas nesse sub-mundo. Eles já viraram para mim e dizer " tia vou ser bandido" . È complicado isso, geração perdida, sem perspectiva e amparo governamental. Infelizmente se não podemos ter pessoalmente ações incisivas o recurso que nos resta é a prece. =(

abraços!

Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: LCAC em 16 de Dezembro de 2010, 17:40
Descobri nesta segunda-feira que meu companheiro de 4 anos usa drogas, quando fui perguntar a medica psiquiatra que o estava acompanhando. Fui enganada e surpreendida por usa filha ex-dependente quimica, seu atual namorado de 4 meses ex-dependente quimico que segundo me relataram os irmaos de meu companheiro também usuarios. Os 4 no dia 3 de dezembro se reuniram e o internaram involuntariamente, sem meu conhecimento e de sua medica. Gostaria de saber como proceder, visto que só quero o bem de meu companheiro e sua cura (que jaz pesquisei e vi que não há. Estou perdida, desorientada, mal durmo, mal como, mal faço alguma coisa. Tenho uma familia bem estruturada, nenhum dependente quimico, nenhum jogo de poder, nem mentiras sordidas. Porque estes dependentes se encobrem tanto? Porque não pedem ajuda a quem não vive neste meio, para quem não é covarde. Porque há meu ver dependente é um covarde que não lida com os problemas do dia a dia. Gostaria muito de uma palavra de ajuda. Não sei como proceder, eu o visito ou não? Tenho 51 anos e meu companheiro a mesma idade. Muito grata pela ajuda.
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Diogoseverino em 28 de Dezembro de 2010, 13:34
Deus vos ilumine a todos.
Bem o tema da droga é um tema muito particular e um tanto complicado.
Os consumidores de drogas por o seu egoísmo e usando a capacidade do livre arbítrio seguiram por o caminho da dependência e do vício, atrasando a sua evolução moral e espiritual.
Alguns casos de consumo de droga têm nela uma causa de vampirismo espiritual e outras uma causa psicológica. Nos casos de tratamento de consumidores de drogas é necessário muita compreensão, ajuda permanente, apoio familiar e uma terapia de auto ajuda. Fazer compreender ao consumidor destas substâncias que este não é caminho correcto e que a auto ajuda e a elevação moral e espiritual é muito importante.
Existe também todo uma componente familiar, que é mostrar ao consumidor de drogas que o mal que está fazer a si próprio está também a prejudicar os outros ao seu redor de uma forma negativa.
Que os céus vos acompanhem a todos. Até breve.
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 28 de Dezembro de 2010, 14:40
Diogo, deixe-me explicar bem essa coisa de vampirismo.
Segundo a doutrina (note Herculano não faz doutrina, e usa o termo apenas para dar uma imagem aos acontecimentos).
Não existe nenhum Espírito por melhor que seja, que possa interferir, naquilo que você faz. Acontece deles influenciarem mas é sempre você quem deixa ou não que esta influenciação aconteça.
Esta a doutrina.
Logo, pensar-se que um Espírito possa estar como que de canudinho, a sugar isso ou aquilo, não é verdade segundo a doutrina. ela mesmo explica bem claramente: "E nisso se dá um dos aspectos de sua pena!" E num exemplo do LE um Espírito avaro, tem como pensa ver sua fortuna e nela não poder mexer.
Logo nenhum Espírito por via de outro, este encarnado pode se satisfazer com a droga que este encarnado usa.
Abraços,
Moura
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Kazaoka em 28 de Dezembro de 2010, 15:49
LCAC

Como conhecedor do fato apenas com base no seu relato e, considerando que você deseja o melhor sempre para seu companheiro, imagino que o procedimento das pessoas que tomaram a iniciativa de interná-lo mesmo involuntariamente e sem o seu conhecimento, deve ser encarado como uma atitude que vai em favor das considerações que você tem para com ele. Pelo que entendi do seu relato, aqueles que o encaminharam ao tratamento são pessoas com conhecimento de causa, pois são ex-dependentes, isso me faz acreditar que eles têm bagagem de conhecimento e sensibilidade prática para atuarem nestas situações. Estamos em um fórum espírita e, de acordo com a ótica que observamos tais fatos, acredito que tanto eu como a maioria dos companheiros, aconselharia a você a estar se aliando a este grupo de irmãos que tentam resgatar o seu companheiro das malhas do vício, mantendo os seus sentimentos o mais distante possível das situações que te colocaria em níveis de vibrações inferiores, proporcionando a ti e a quem você queira o bem, receber o auxílio espiritual dos bons espíritos que possam vir em auxílio de todos vocês.
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Diogoseverino em 28 de Dezembro de 2010, 17:15
Obrigado por o exclarecimento, foi muito pedagógico.
Abraços fraternos.
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 28 de Dezembro de 2010, 20:38
Ola Amiga Lcac
Muita paz e harmonia


LCAC
Citar
Porque não pedem ajuda a quem não vive neste meio, para quem não é covarde.

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/toxicodependencia/aos-usuarios-de-drogas/15/#ixzz19RLdNlrk

Não se resolve o problema da droga dessa forma, pois se ela já é por si uma fuga a determinado processo , não devemos julga-lo pela cobardia, mas pela causa que a proporciona.
Só o amor pode reter o vicio, e mais do que isso a vontade do proprio. Se assim atuar ele consegue superar e recuperar, agora se recriminamos , como vão eles pedir auxilio, quando estão já em situação precaria tal como seu companheiro, e que aceitação teria ele se pedisse ajuda a quem , está limpo de drogas?!

vejamos;

depoimentos de vários especialistas, lê-se o seguinte:
"...é impossível compreender - se o problema da droga isolado do seu contexto social e cultural, que, entre outras características, comporta hoje uma consciência aguda da mudança. As populações vêm o seu meio ambiente modificar - se, suas tradições desaparecerem, as regras não mais se aplicam às novas formas de vida".
Estas mudanças têm repercussões imediatas sobre o uso de entorpecentes.
Comecemos uma abordagem semântica do problema, a ver se conseguimos chegar a um entendimento mais realista. Entorpecente apresenta - se como palavra - chave e de emprego prioritário sempre que se parte para um exame de problemática das drogas. Entorpecer é causar torpor, um estado de lassidão, indiferença, amolecimento, desânimo, do qual resulta uma espécie de anestesia mental, um desligamento da realidade, sempre difícil, às vezes agressiva e hostil. O individuo que se sente hostilizado ou rejeitado por uma realidade contundente e ininteligível, busca na substância que anestesia a sua sensibilidade para essa realidade dolorosa, o que lhe parece um alívio, ainda que temporário e efêmero,
e de dramáticas conseqüências para a saúde física e mental, a médio prazo, e
fatal a longo prazo.
O ópio, segundo o Dr. Poshiachinda, da Tailândia, é recurso empregado para combate à depressão, e a heroína, é veículo pra escaparem jovens e adultos às pressões da vida ou às suas carências afetivas, insegurança ou inconformação.
O Dr S. W. Acuda, do Quênia, atribui a súbita expansão no uso de drogas às tensões e conflitos gerados pela velocidade de mudança nos países em desenvolvimento, onde se desintegram as tradições culturais.
A droga surge, assim, como uma anestesia para a sensibilidade, e, portanto, um claro e inequívoco MECANISMO DE FUGA.
O Dr. D. Robinson, discorrendo sobre o problema do alcoolismo, adota pontos de vista semelhantes, denunciando a decadência das estruturas tradicionais que poderiam ajudar a reconfortar o indivíduo. E cita três elementos básicos a essa
estrutura de apoio: a igreja, a vizinhança e a família. Em lugar da palavra
Igreja, eu poria o sentido religioso da vida, mas não discordo da postura do Dr.
Robinson, mesmo porque sabemos que estruturas religiosas, sociais em geral e de
família, em particular, estão apresentando elevado índice de turbulência e
mazelas. Que apoios podem proporcionar ao indivíduo perturbado ante um contexto
que não entende e teme se elas próprias, as instituições, também se encontram
algo perdidas, confusas perplexas?
Para muitos, escreve o Dr. Robinson, o mundo muda depressa, é vasto, e indiferente às qualidades individuais e às necessidades de compreensão, de solidariedade, de amizade.
O ser humano reage à nova situação com automatismos atávicos de fuga ante o perigo. Em vez de fugir ao animal selvagem agressor e esconder - se na sua caverna, quando não podia eliminá-lo, ele foge agora de perigos mais terríveis
porque indefiníveis e invisíveis, utilizando - se de processos artificiais de
bloqueio da mente.
Apela, portanto, para a droga, que o leva ao torpor da indiferença e do alheamento, ainda que provisório. E aí estamos de volta à nossa abordagem semântica.
Quando, porém, a realidade, embora hostil, exige a sua volta, porque o alheamento é necessariamente um estado transitório, o fugitivo sente a necessidade de outra droga potente e não menos destrutiva, os estimulantes. É a
vez das anfetaminas que suprimem o apetite, reforçam a atividade e a consciência
e estimulam o sistema nervoso central, criando a falsa euforia.
Na esteira de drogas mais potentes para alienar e entorpecer, ou para excitar a coagem necessária a enfrentar problemas existenciais, começaram a surgir na década de 60 os tranqüilizantes, chamados tecnicamente de drogas anxiolíticas,
destinadas a combater estados de ansiedade, ou seja, "para eliminar desordens
psíquicas e problemas emocionais da vida cotidiana", segundo conceituação da
UNESCO. Uma de tais drogas, o diazepan, tornou - se em 15 anos o medicamento
(?!) mais vendido no mundo.
O dr. Edwards e o Dr. Awni Arif, autores do estudo para a UNESCO, não hesitam em declarar que o uso indiscriminado de tranqüilizantes resulta de uma defeituosa "visão biomédica do homem". e prosseguem:
Segundo esta visão filosófica, todos os problemas expostos no consultório médico se originam no próprio individuo, e por isso exigem soluções biológicas.
é certo, isto, no sentido de que disfunções espirituais estão sendo tratadas como problemas de saúde física, de vez que na chamada visão biológica predomina, em toda a sua estreiteza a unilateralidade, o conceito de que o ser humano não
passa de um engenhoso conglomerado celular orquestrado pelo cérebro. É,
portanto, um ser transitório e perecível que tem começo ao nascer sem passado e
fim ao morrer sem futuro.
Ficamos sem saber, contudo, se os autores da expressão aceitariam a realidade espiritual da preexistência e da sobrevivência como elementos retificadores à abordagem biomédica que, evidentemente, condenam e com justa razão.
Provavelmente apenas introduziriam no esquema o conceito de mente, sem mais
nítida definição, com o que estaríamos na mesma.
Claro é, porém, que a medicação prescrita segundo a ótica meramente organicista e biológica só poderá cuidar de sintomas, de efeitos e não das causas geradoras dos distúrbios, que não se encontram no componente material do
ser vivo e, por conseguinte, não poderão ser corrigidas ou eliminadas por
processos meramente bioquímicos, por mais sofisticados que se apresentem.
Seja como for, ao cabo de mais de duas décadas de intensa experimentação, o emprego de tranqüilizantes começa a ser questionado e já há quem considere que prescreve - los equivale à clara "admissão de um fracasso terapêutico". Em suma:
quando não se sabe o que fazer com um doente, recorre - se ao tranqüilizante.
Curioso paradoxo este: exatamente porque nada justifica, do ponto de vista
orgânico, estado de ansiedade, medica - se com drogas artificiais dirigidas ao
organismo. Se o problema não é biológico por que empregar a abordagem biológica?
Parece aquela anedota, seguindo a qual se procura o anel não onde foi perdido,
no escuro, mas alhures, junto do poste de iluminação, porque nada se pode
enxergar lá...

continua
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 28 de Dezembro de 2010, 21:10
continuação

QUE REFLEXÕES TERIAM O ESPIRITISMO A OFERECER PARA MELHOR ENTENDIMENTO DE TÃO INQUIETANTE SITUAÇÃO?
Como temos repetido, o Espiritismo não propõe soluções específicas, procurando regulamentar cada atitude ou ditar normas de comportamento do ser humano. Prefere acatar, em toda a sua amplitude, os dispositivos da lei divina
que asseguram a todos o direito de escolha e a responsabilidade conseqüente pelo
que fizerem. Prefere a atitude do Cristo que condena o pecado, mas oferece sua
ternura e compreensão ao pecador, procurando mostrar - lhe o que precisa fazer
para livrar - se do erro, construindo oportunidades de acerto.
Também não propõe o Espiritismo uma condenação formal ao processo mesmo da civilização, como vimos ainda há pouco no julgamento de alguns especialistas. É certo que as estruturas estão mudando e talvez mais rapidamente do que pode
absorver a grande maioria dos seres hoje encarnados na Terra. Tensões,
insegurança, temor, rivalidades e competição entre indivíduos, instituições e
povos criaram um quadro confuso e incompreensível para muitos. O inseto
aprisionado numa sala voa desesperadamente até cair morto de exaustão, de tanto
chocar - se contra o vidro da janela, obstáculo invisível e incompreensível para
ele, contra toda a lógica primitiva e espontânea. Por que não o pode voar rumo à
liberdade se aparentemente nada existe à sua frente que o impeça?
Neste contexto, torna - se difícil enfrentar o medo indiscriminado, a insegurança generalizada e o desespero existencial sem apoio em uma sólida estrutura de convicções sem um sistema ético adequado. Daí os apelos a
entorpecentes, estimulantes ou tranqüilizantes, que representam, no fundo,
passaportes para a fuga.
Em vez de condenar a civilização pelos nossos equívocos, os Espíritos ensinaram a Kardec que "condenássemos antes os que dela abusam e não a obra de Deus" (pergunta n°790). Pouco adiante, na questão 793, documentaram o
entendimento deles acerca das correções necessárias, ao informarem que
reconheceríamos uma civilização completa "pelo desenvolvimento moral". E
prosseguem:
"Credes que estais muito adiantados porque tendes feito grandes descobertas e obtidas maravilhosas invenções; porque vos alojais e vestis melhor do que os selvagens. Todavia, não tereis verdadeiramente o direito de dizer - vos
civilizados, senão quando de vossa sociedade houverdes banido os vícios que a
desonram e quando viverdes como irmãos, praticando a caridade cristã. Até então,
sereis apenas povos esclarecidos, que hão percorrido a primeira fase da civilização".
Longe de sr desanimadora, ou mera pregação, a resposta é realista e programática.
A civilização em si não é um mal e nem pode ser, mas está sendo afetada e contaminada por mazelas humanas, por turbulências no comportamento dos próprios seres que a desenvolvem. Conquistas tecnológicas não solucionam problemas humanos por si mesmas e muitas vezes contribuem para agrava-los, com o controle
da energia nuclear, que está gerando novas tensões individuais e sociais em vez de novo impulso civilizador pela aplicação pacífica da descoberta.
A receita que a Doutrina prescreve para os males da civilização pode até parecer óbvia e simples de mais, mas a questão é que a verdade é simples e óbvia, embora nem sempre atinemos de pronto com ela. Resumem - se tais
prescrições na prática da caridade e do entendimento, em convivência fraterna, inteligente que dissipe os temores, não identificados alguns e conhecidos outros, que mantêm uma parte considerável da humanidade em permanente regime de stress e de angústia. É esse o diagnóstico da ciência, como vimos há pouco.
Encontramos tais aspirações nos documentos que consultamos para este estudo. Ou seja, especialistas que propõem mecanismos sociais de mútuo apoio e entendimento para exorcizar o fantasma aterrador do medo generalizado, do qual os mais desesperados fogem desabaladamente despencando - se em abismos tenebrosos,
empurrados por drogas alienantes. Não faltou ao diagnóstico nem mesmo a generalizada irreligiosidade.
Cresce assustadoramente a massa de desesperados, criatura desenraizada, a vagarem sem rumo e sem propósito, arrastados por circunstâncias que não sabem como superar porque não se empenham em entender a realidade da proporia vida.
Não sabem tais pessoas que são seres espirituais imortais, responsáveis, criados
simples e ignorantes, como nos asseguram os Instrutores, mas programados para a
felicidade. Pensam muitos e muitos que são apenas um corpo físico pressionado
por ânsias que é necessário satisfazer, por temores de que é preciso escapar,
por angústias que tem de ser sufocadas, quando temores e angústias são
conseqüências e não causa da visão deformada da realidade.
Recorrem ao entorpecente, diz - se, os que nasceram em lares desajustados, mas quem está cogitando aí de investigar as verdadeiras causas do desajuste e o que fazer, senão para neutraliza - lãs prontamente, pelo menos para promover
atitudes e medidas que as excluam para sempre do futuro que nos aguarda?

continua
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 28 de Dezembro de 2010, 21:12
Recorrem a drogas de variada natureza os que sofrem de carência afetiva, certo. Mas o que desencadeou nessas criaturas o doloroso processo de carência? Não seria porque o afeto que hoje lhes falta, eles próprios recusaram - se a
doar em outros tempos? Se for assim, que correções introduzir para evitar a
recaída futura?
Buscam a alienação da droga os que perderam o endereço de Deus, no dizer de alguém. Nem sabem que pertence a uma comunidade de seres imortais ligados por vínculos indestrutíveis e destinados à felicidade em algum ponto na intersecção
espaço/tempo.
Falta, pois, conteúdo espiritual, convicções racionais, confiança nos mecanismos auto - reguladores da própria vida. falta o senso da responsabilidade pelos atos praticados, bem como a certeza de que a cada ação num sentido
corresponde uma reação em sentido contrário. Vivemos num universo harmônico e
que restabelece a ordem e o equilíbrio sempre que alguém tenta desestabilizar a
menor de suas leis naturais.
O físico francês Jean Charon declara em L’ESPRIT, CET INCONNU que, ao contrário do que muitos supõem, o universo evolui no sentido de uma contínua ordenação e não para a desagregação e o caos.
O problema aflitivo da droga não é, portanto, um caso de polícia ou uma questão alfandegária,(..............) é problema espiritual, distúrbio emocional do ser humano em atrito com as leis divinas. Como comportamento alienador e
mecanismo de fuga, caracteriza - se como sintoma inequívoco de rebeldia ante o
severo sistema de ajustes a que somos submetidos em conseqüência de
transviamentos anteriores.
Isto não quer dizer que devamos condenar aquele que recorre à droga porque rejeita a realidade. Ele precisa de compreensão e de esclarecimento. Precisa descobrir sua própria realidade espiritual, sua condição de ser preexistente,
sobrevivente e imortal, a caminho da perfeição, por mais distante que esta se
coloque afugentada pelos desacertos.
Não nos iludamos, porém, de que isto seja viável apenas com uma vigorosa campanha de doutrinação maciça e compulsória. "O homem não passa subitamente da infância à madureza" - disseram os Espíritos à Kardec na questão n°90. Para que amadureçam, os imaturos que recorrem ao processo de fugas proporcionado pelas
drogas, precisam antes do amor que, na sua dinâmica, se converte em caridade.
Envolvidos pela turbulência íntima, o dependente da droga não esta preparado para ser doutrinado e rejeitará sumariamente qualquer tentativa de pregação com a qual seja abordado. Não rejeitará, porém, a abordagem do amor fraterno, que é, precisamente, o componente pelo qual mais anseia, na tormentosa aflição e solidão em que vegeta.
Quando lideranças políticas e sociais entenderem isto, estaremos começando a escalada rumo ao saneamento espiritual da civilização.
Não nos iludamos com o problema minimizando suas proporções, nem cometamos equívoco ainda mais grave considerando - o insolúvel. Só nos resta aqui a alternativa do realismo consciente, objetivo e otimista. É preciso insistir até à exaustão no conceito de que o ser humano é espírito que, intermitentemente,
habita um corpo físico.
As multidões que se despedem a cada instante da vida física e retornam ao mundo invisível continuam vivas, pensantes e atuantes, arrastando problemas que não conseguiram solucionar aqui, e que, lamentavelmente conseguiram quase sempre agravar. E multidão desencarnada também exerce suas pressões sobre a que ficou na carne por mais algum tempo. Temos encontrado Espíritos que nos falam de suas manobras para levar seres encarnados a drogarem - sae, a fim de que possam usufruir uma quota de alienação, pois também eles estão tentando aflitivamente fugir de realidades que lhe são penosas demais para as suas estruturas desarticuladas.
O problema das drogas oferece, pois, no enfoque doutrinário do espiritismo, aspectos inusitados, surpreendentes e desconhecidos de muitos. É na exploração de tais contribuições que encontram os meios para um equacionamento racional do problema que não é insolúvel, não porém,por um passe de mágica, utilizando - se
de fórmulas secretas,rituais excêntricos ou novas drogas miraculosas, pois nada
disso entra como componente na formulação doutrinária e sim por meio de uma
atitude de inteligente compreensão da realidade espiritual.
O drogado é um doente espiritual, carregado de problemas cármicos e que se deixa arrastar pelas correntezas da vida na ilusão de que está sendo levado para longe de uma realidade que o assusta e aflige. Em verdade, porém, para onde for,
aqui ou no mundo ultradimensional em que irá continuar a viver na condição de
espírito, estará sempre ligado à realidade desagradável, que não é exterior e
sim interior, com raízes profundamente mergulhadas no solo íntimo do passado.
Somente através do amor poderá ele ser instruído a cerca dessa realidade, a fim de que, entendendo - a, fique preparado para aceita - la e vencer os obstáculos que estão a bloquear seu caminho rumo à felicidade a que todos temos
direito inalienáveis.
Entendimento e amor fraterno é o que nos recomendou o Espírito de Verdade, com extraordinário impacto e poder de síntese, numa frase que se tornou antológica.
"Espíritas! amai - vos, este o primeiro ensinamento; instruí - vos, este o segundo",
Duas únicas, simples e viáveis propostas, portanto, com as quais somos advertidos de que o caminho está no amor e na instrução. (Livro O Espiritismo e os Problemas Humanos,Deolindo Amorim, Ed. U. S. E.).

Valdomiro Halvei Barcellos
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mirina em 28 de Dezembro de 2010, 22:45
Queridos amigos,

ontem, lendo o LE me deparei com a seguinte questão:
No capitulo sobre a emancipação da alma...

407- ..."basta que os sentidos entre em torpor para que o Espirito recobre a sua liberdade.  Para se emancipar, ele se aproveita de todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede.  Desde que haja prostração das forças vitais, o Espirito se desprende, tornando-se tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo".

409 - Estando entorpecido o corpo, o Espirito trata de desprender-se  Transporta-se e vê....

Assim que li me veio imediatamente a situação do drogado, seja por alcool, entorpecentes, chás de rituais, claramente pude entender a ansia que leva o ser a entorpecer-se, buscando um mundo no qual preso ao corpo não lhe é concedido penetrar.
O entorpecimento do corpo solta as amarras que prendem o espirito, e esta pratica leva o corpo a se tornar fisicamente dependente, o que no meu entendimento passa a ser uma questão inicialmente espiritual.  Adentra então o individuo num circulo vicioso do qual não consegue se libertar pela imposição de seu espirito e pela debilidade de seu fisico.

Amigos, ouso dizer que o problema das drogas é um problema que tem seu desencadeamento no campo espiritual, e que, por se tratar de espiritos libertos sem nenhum conhecimento dos perigos que os cercam, tornam-se presas faceis como bem o sabemos de um sem numero de energias que habitam nosso plano terrestre.

Li todos os post, mas em nenhum encontrei a luz deste esclarecimento, então resolvi colocá-lo para que analisemos juntos estas revelações.  Se estiver correta, o combate a droga deve começar pela doutrinação do espirito, pois este se recusa a viver no plano material, e busca a emancipação para adentrar mundos de vicios muito mais poderosos e aprisionantes.
Será que usei somente da minha imaginação, ou, outros amigos conseguem enxergar a gravidade da questão por este prisma.

Aguardo vossas opiniões,
Abs,
Mirina
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Kazaoka em 29 de Dezembro de 2010, 00:56
Mirina

O seu raciocínio não está desprovido de lógica. Mas analisando o exposto com base nas orientações da Codificação, somos levados a crer que o corpo estando em vigilia, o espírito obrigatoriamente está presente. Os efeitos das drogas e toda gama de alucinógenos atuam no sistema nervoso do indivíduo, dando-lhe um sentimento de torpor que o afasta do estado de equilíbrio mas que pela condição de semi-consciência não permite o afastamento do espírito como acontece nos momentos de repouso físico. Então, dá para deduzir daí que o vício, que nada mais é do que uma vontade fora de controle ( o corpo físico tem suas "vontades" naturais como vontade de comer, beber, dormir, etc ) responde a um impulso do organismo físico e que tem um efeito na consciência e, portanto, afetando o próprio espírito. Partindo desse princípio, dá para imaginar que em tais casos o espírito passa ocupar a condição de vitima e não de verdugo. Questões físicas trata-se no campo da realidade física e as morais trata-se a nível de consciência, de educação e, portanto, a nível Espiritual. É uma opinião pessoal, embora lastreada pelo que encontramos nas obras básicas. E seguindo o seu exemplo deixo plenamente aberta às discussões.
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mirina em 29 de Dezembro de 2010, 01:56
Amigo Kasaoka,

exatamente este estado de torpor que é citado nas questões do LE, não se referem a repouso e sim prostração das forças vitais.
No seguimento deste trecho do LE eles se referem exatamente ao sono e aos sonhos, que segundo explicação, são fugas do espirito pelo entorpecimento do corpo durante o sono.
Logo deduzi que o estado de entorpecimento que os alucinogenos nos causam, e afirmo isto por já ter experimentado a ayahuasca durante rituais, onde altera-se não só a respiração, como os batimentos cardiacos e o formigamento do corpo levando realmente a um estado de torpor onde perdemos o contato com nosso corpo.  Este estado dura pelo menos umas quatro horas após a qual começamos a recobrar lentamente os sentidos. 

Recordando o ocorrido e confrontando com a descrição deste capitulo da emancipação da alma, creio que pude de fato vivenciar tal situação.  Estes individuos que recorrem a droga, de qualquer especie, que provocam este estado de torpor talvez estejam literalmente sendo guiados por seus impulsos espirituais de retornar a liberdade fora do corpo.
Sabemos que muitos de nós encarnados somos relutantes quanto as novas provas ou encarnações a que nos submetemos ou somos impulsionados.

Então, a luz do espiritismo acho que atuando somente no corpo fisico estamos combatendo somente os efeitos e não a causa propriamente, que tem seu fundo na essencia do espirito e no seu grau de conhecimento e adiantamento.
Tomemos por exemplo pessoas ligadas as artes.  Embora de maneira velada, pois são pessoas publicas, temos conhecimento do uso indiscriminado de varios entorpecentes.  Buscam inspiração através da liberação do espirito?
Temos conhecimento também de que Freud, o pai da psicanalise, utilizou-se destes expedientes. 
A droga vai muito além da sensação fisica, e acredito que devemos nos debruçar nas informações já fornecidas pelos espiritos na propria codificação para desmistificar e avançar nesta area.
Obrigada por sua resposta,

Abs,
Mirina
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Kazaoka em 29 de Dezembro de 2010, 11:24
Mirina

O sono físico é o recurso natural que Deus criou para dar ao aparelho físico o repouso necessário e ao espírito a oportunidade de se sentir com a liberdade, ainda que momentânea mas, também, necessária de sua plenitude como Ser espiritual. É natural que o espírito, com os limites impostos pela matéria, se sinta limitado em suas potencialidades. Quando este espírito percebe que, por intermédio da ação sobre o corpo, proporcionada pela ação dos químicos, ele consegue uma liberdade relativa (aí sim, estamos chegando na intercessão  de nossas formas de interpretar o que você expôs) ele está buscando através de uma ação externa, um efeito que aproxime daquele que os meios naturais lhe proporciona. E como esta ação depende de uma resposta do corpo físico, continuo achando que a forma mais acessível de podermos estar atuando neste processo é limitando esta ação na matéria. Como em tudo que envolve a existência humana, esta situação que estamos avaliando tem suas complexidades. Assim como também entre o veneno e o remédio a diferença é a dosagem, entre o Espírito sofredor e o Espírito de luz a diferença é o adiantamento Espiritual. Estejamos sempre atentos às oportunidades de aprendizado e receptivos a tudo que nos eleve em termos de conhecimento e de avanço Espiritual. Principalmente, que tudo que façamos, façamos com a responsabilidade de quem tem toda a liberdade de ação e o conhecimento às leis do livre arbítrio e de causa e efeito. O Espírito do dependente químico está em "fuga" o do "espiritualista" está em busca. Talvez seja esta a grande diferença entre os casos. Para um é uma porta que se abre, para o outro um abismo que não tem fundo
 
Que sejamos merecedores das Bençãos de que necessitamos! 
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Victor Passos em 30 de Dezembro de 2010, 20:08
Ola muita paz e harmonia bons Amigos

Amigo Kazaoka, reconheço-lhe determinada razão na consistencia do figurino que apresenta nas suas respostas , e penso que a nossa companheira, me perdoe sofre de engano fervoroso e do qual peço que se detenha em maior profundidade de estudo para que não caia, na comparação entre a morte e a vida!

Amiga em nenhuma ciorcunstância lhe dá razão para afirmar que um espirito encarnado ornado epla droga e em seus delirios de fuga , vá e se mantenha na vivciação por se sentir bem, na estrutura a que se acometeu, senão veja;

407- ..."basta que os sentidos entre em torpor para que o Espirito recobre a sua liberdade.  Para se emancipar, ele se aproveita de todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede.  Desde que haja prostração das forças vitais, o Espirito se desprende, tornando-se tanto mais livre, quanto mais fraco for o corpo".

409 - Estando entorpecido o corpo, o Espirito trata de desprender-se  Transporta-se e vê....


“Que Deus está conosco, em todas as circunstâncias, é verdade indiscutível. Todavia, se você não estiver com Deus, ninguém pode prever até onde descerá seu espírito, nos domínios da intranquilidade e da sombra”.

André Luiz, Agenda Cristã, pelo médium Francisco Cândido Xavier.

L.E. 405. Freqüentemente se vêem em sonhos coisas que parecem pressentimentos e que não se cumprem; de onde vêm elas?

Podem cumprir-se para o Espírito, se não se cumprem para o corpo. Quer dizer que o Espírito vê aquilo que deseja, porque vai procurá-lo. Não se deve esquecer que, durante o sono, a alma está sempre mais ou menos sob a influência da matéria e por conseguinte não se afasta jamais completamente das idéias terrenas. Disso resulta que as preocupações da vigília podem dar, àquilo que se vê, a aparência do que se deseja ou do que se teme. A isso é que realmente se pode chamar um efeito da imaginação. Quando se está fortemente preocupado com uma idéia liga-se a ela tudo o que se vê.
As "drogas fortes" em geral, como a morfina, a cocaína, a heroína, haxixe, etc. geram uma dependência psicofísica, Enfim, há outra dimensão humana que não pode ser esquecida, talvez a mais importante, trata-se da dimensão espiritual.
 
As pessoas dependentes de drogas não estão, na maioria das vezes, com o livre-arbítrio comprometido, por isso, para quase todos elas vale o dito popular: Ajuda-te que o céu te ajudará. Se o dependente não se dispuser a se afastar das drogas, pouco pode ser feito para ele e, neste caso, haverá a agravante de que, nesta condição ele estará com a "porta" aberta para os hóspedes indesejáveis – os obsessores. A pessoa dependente está sintonizada com a pior espécie de Espíritos desencarnados, que se aproveitam da invigilância dessas pessoas para aniquilarem, espiritualmente, seus eventuais algozes de encarnações pretéritas, hoje vítimas... Neste caso, também se enquadram os dependentes de álcool, e esta também é uma droga; mas, na maioria dos casos, nos dependentes de álcool, os prejuízos são adquiridos a médio e longo prazo e não são agudos, como no caso das "drogas fortes".
 
O efeito da droga não é o que constata, mas o que se afigura no corpo físico e vai desde a destruição de células que acabam modificando o funcionamento dos órgãos, até o próprio aniquilamento destes, podendo levar o paciente a óbito. No psiquismo agem excitando, deprimindo ou alterando o funcionamento cerebral; provocam delírios; alucinações; a depressão, que é um caminho perigoso em direção ao suicídio; o embotamento afetivo; a agressividade; a demência, dentre muitos outros”.
Isto nada tem de afinidade com o reencontro com a espiritualidade Amiga, mas por opção do mesmo, por isso se diz que a fuga da dependencia está sempre na vontade do proprio.

Nunca em situação alguma teremos similitude do acovartamento do uso com as drogas e a emancipação da alma, repare que no estado natural de sono essa emancipação se faz naturalmente e nesse estado é onde o espirito retira muitas das vezes enormes aprendizados, no estado de provocação do extase pela euforia das drogas apenas encontra alienados que se aproveitam do estado calamitoso do dependente para fazer dele apenas mais um joguete da sua vingança, não que a droga seja incutida por outro espirito , por alerto o merecimento desse estado se deve sempre ao proprio espirito drogado, porque é no uso do seu livre arbitrio que ele usa a droga , e essa é negativa e um suicidio indireto...Aconselho a não as usarem , pois só dessa forma terão lucidez para perceber o que envlve os Seres.

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: fluir em 20 de Maio de 2011, 20:56
Concordo com o conteúdo do artigo.
Acrescentar-lhe-ia que a toxicodependência é um problema social. Cabe à sociedade não marginalisar os consumidores, dar-lhes amor, muito amor e fazer o que estiver ao seu alcance para os resgatar. Traz incómodos, quicá problemas, mas a solução está na intervenção social.
Amor, paz para todos.
gostei muito do texto
Título: Re: AOS USUÁRIOS DE DROGAS
Enviado por: Mourarego em 22 de Maio de 2011, 16:44
Se drogas fossem boas, não teriam esse nome né? :)
Abraços,
Moura