Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Toxicodependência => Tópico iniciado por: feio em 07 de Novembro de 2010, 16:54

Título: alcoolismo
Enviado por: feio em 07 de Novembro de 2010, 16:54
pela minha experiencia eu acho que os espiritos manifesta quando estamos embriagado eu sempre falo sozinho coisas que meus irmão não consegui entender. falo coisas que ninguem consegui entender e acompanhar  as minhas fala eu to pra entrar no AA eu tive essa sexta feira muito estranha eu mudo todo quando bebo e estranho a minha ressaca, eu acho  que influencia os espiritos alcoolitra, bom essa e a minha experiencia, a gente ficamos em duvida em muitas coisas por cada um contar algo diferente mas o motivo de ver muitas opiniões diferente e por ter experiencias diferente das outras pessoas espero que ajudei em algo.
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Cl em 07 de Novembro de 2010, 17:32
Amigo  o alcoolatra muda ,porque claro que com ele estão entidades que gostam do vício e geralmente não são boa companhia ,acho otimo vc procurar tratamento, o alcoolismo é uma doença e deve sertratada como todas as outars ,vc reconhecer que precisa de tratamento é excelente,boa sorte e um abraço...
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Suelen em 07 de Novembro de 2010, 18:52
Feio!
Esse gesto de escrever aqui demonstra a sua vontade de mudar a sua vida!
Faça isso, junte toda a sua força de vontade e procure ajuda, vai ver que será muito mais feliz!
Procure frequentar também uma casa espírita, a Federação Espírita da sua cidade pode te ajudar a encontrar uma casa perto da sua residência.
Estarei orando para que tenha sucesso nessa sua nova empreitada.
Abraço Fraterno!
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Jayme Tadeu em 07 de Novembro de 2010, 18:54
Feio, quero reiterar o que já foi falado.
Procure um bom psiquiatra e vá à alguma reunião dos alcoólicos anônimos em sua cidade.Na reunião, você não é obrigado a falar nada; é só sentar-se e assistir.
Há um médico excelente em São José do Rio Preto, que dá uma "vacina" para alcoolismo.Chama-se Dr José Toufik Rhad.Os índices de cura são altíssimos.
Não se esqueça de orar e pedir para Jesus te ajudar.
Peça a Jesus, não use intermediários.
Fique com DEUS!!!
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Blue soft em 07 de Novembro de 2010, 19:00
pela minha experiencia eu acho que os espiritos manifesta quando estamos embriagado eu sempre falo sozinho coisas que meus irmão não consegui entender. falo coisas que ninguem consegui entender e acompanhar  as minhas fala eu to pra entrar no AA eu tive essa sexta feira muito estranha eu mudo todo quando bebo e estranho a minha ressaca, eu acho  que influencia os espiritos alcoolitra, bom essa e a minha experiencia, a gente ficamos em duvida em muitas coisas por cada um contar algo diferente mas o motivo de ver muitas opiniões diferente e por ter experiencias diferente das outras pessoas espero que ajudei em algo.

                 Olá, Feio,
olha, o alcoolismo é uma doença séria e grave, pois, leva a pessoa a alteração
de personalidade, a alteração em várias áreas de sua vida, bem como,
problemas de muitas ordens.
              Feio, não esqueça que o alcool é uma substância, como qualquer outra,
que modifica a reação neoronal, como drogas de outros tipo, tiram a pessoa do prumo,
por isso, algumas pessoas, ficam mais alegrinhas, outras agressivas e muitas variantes.
            Bem, nesta caso o melhor seria você porcurar auxílio médico, claro, se não
conseguir se sair só, e tentar uma terapia, porque, talvez seu alcoolismo tenha uma fonte
no seu mundo interior.
           Feio, seja forte, tenha coragem, porque sóbrio vai ver um mundo diferente, talves
no início se espante um pouco, mas depois vai perceber que os melhores momentos da sua
vida foram passados sem os excessos da bebida.
           E se você puder, faça algo, além do seu trabalho normal, um trabalho voluntário,
porque, quando trabalhamos pelo outro, começamos a olhar nossos problemas de
maneira diferente, fora que temos motivação para estar bem, para continuarmos a tarefa.

                     Que Jesus lhe dê a aquilo de que necessita para a melhora  e que sua família
consiga estar sempre em harmonia e receba as bençãos do alto.

                                     Abraços Fraternos,


                                           Blue Soft
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Lucimara.PA em 07 de Novembro de 2010, 19:15
Amigos,

            Tive uma experiência muito triste e sofrida por conta do alcoolismo. Quando ainda criança sempre vi o meu Pai viver sobre o efeito do alcool, quantas e quantas vezes eu , e meus irmãos tivemos que buscar o meu pai de locais onde tornava para nós que éramos crianças um pouco repugnantes e vergonhoso, as vezes encontravamos o nosso pai jogado nas sargetas e pegava-o, lenvantavamos e tentavamos resgatá-lo até nossa casa, fora a outras situações de humilhação que passavamos por conta do seu vício, como por exemplo; algumas pessoas não nos respeitavam, nos humilhavam, pela carência que por conta do alcoolismo do meu pai nós passavamos; fome, falta de uma vida digna, não tinhamos casa para morar, as vezes nem roupa para vestir. sempre precisando da piedade de outras pessoas que tinham um coração bom e cheio de caridade e nos dava algumas roupas usadas ou um pouco de alimentos para que não morressemos de fome, como também as agressividades, as constantes brigas horrendas que haviam dentro de casa dele e de minha pobre mãe, que vivia na luta do dia, dia, lavando roupa de outras pessoas para pagar o aluguel da pequena casa sem móvel onde moravamos. Com o passar do tempo a situação ficou inssustentável, ele, meu pai tentou matar um dos meus irmãos, então minha mãe resolveu separar-se dele, bem isso não foi a melhor coisa, porque, por conta disso tudo vieram outros problemas, minha mãe que já era uma pessoa um tanto temperamental, com a separação tornou-se ainda pior. porém já não se tinha aquele quadro tão degradante, vendo o meu pai a cada dia se suicidando. Só que a vida nos prepara a cada situação, os anos decorreram e um belo dia o meu pai nos procurou, pedindo-nos ajuda, ele, estaria passando por dificuldade, desempregado, queria que os filhos o ajudassem, eu, conversei com ele e falei Pai, que ajuda voce pretende, pois os teus filhos não tem recursos, voce não fez nada por nenhum de nós, como poderemos  lhe ajudar, todos somos financeiramente pobres, só que Graças as bençãos de Deus, eu tenho um bom emprego que me dava uma vida digna, que podia sustentar meus filhos, dá uma boa educação a eles, só que não era muito mais dava para ajuda-lo e assim eu o ajudei. Depois de algum tempo como muitas lutas consegui aposentar o meu pai que já tinha uma outra família, mas tinha um porém, o vício!, ele não deixará de beber e a segunda família o abandou. Um belo dia fui procurada novamente pelo meu pai, ele já se encontrava com seus 78 anos, acabado, cadaverico, doente, porém continuava com vicio do alcool, fiquei com dó de me deparar novamente com aquele quadro deprimente, humilhante, triste, e novamente fui em busca de resgatar o meu pobre pai, trouxe para dentro de minha casa para lhe dar amparo, só que já era muito tarde, meu pai encontrava-se com um CA (câncer de estômago) num estágio muito avançado, tentei a sua cura, levei-o no médico, mas ele não aceitava parar de bebe e a doença foi se agravando intepestivamente, quando ele resolveu a se submeter a cirurgia não havia mais nenhuma chance, então ele veio a falecer com seus 81 anos de idade. Foi um desencarne muito sofrido e doloroso não só para ele mas para mim, que o acompanhei os seus últimos momentos. Por isso, meus fraternos se caso tenha um irmão, um pai, um filho ou voce mesmo com problemas de alcoolismo, procure ajuda ou procure ajudar o mais rápido possível.
Lucimara.PA
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Jairpereira em 07 de Novembro de 2010, 19:26
Vacina contra alcoolismo ? Gostaria de saber mais .
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Jayme Tadeu em 07 de Novembro de 2010, 19:38
Sr Jair Pereira, a medicação oferecida em S.J.Rio Preto é vulgarmente chamada de "vacina".
Técnicamente falando, a medicação ( injetável ) é um "aversivo", que provoca efeito "antabuse", e tem a duração de 2 meses, época em que se fará a 2ª consulta.
São 3 consultas, com intervalo de 2 meses entre elas.
É evidente, que deve haver 'vontade" da parte do paciente.
A medicação é um reforço à "vontade"; não se prescindindo nunca da intercessão de Jesus ( sem intermediários ).
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Jairpereira em 07 de Novembro de 2010, 19:48
O motivo de meu interesse  , seria para ajudar meu irmão a tentar largara o vício, que por sinal está deixando minha mãe  e família muito preocupada com a situação. Muito obrigado .
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: maria ineide em 07 de Novembro de 2010, 20:10
"Sr, Feio"
Que Jesus o abençoe. O sr está no caminho certo, procurando ajuda  para se livrar do vício. Procure ajuda em uma casa espírita aí na sua cidade, com certeza eles irão te ajudar muito, com orientação e muita prece. Tenha fé em Deus e em seu espírito protetor, que com sua força de vontade e mudança de atitudes vai conseguir.
Abraço fraterno...
Maria Ineide - MG
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Cl em 07 de Novembro de 2010, 21:00
Amiga Lucimara,fiquei comovida com sua historia,mais vc foi forte e venceu ,parabéns!!!
Como vc muitas famílias se deparam com esse problema,fé em Jesus é preciso e muita fé...
Amigo Jayme ,muito interessante este tratamento do qual falou,eu não tinha conhecimento,pode ser uma boa saída sim...
Abraço para todos....
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Edna☼ em 07 de Novembro de 2010, 21:46
Olá Feio, suas palavras demonstram que você já deu o primeiro passo para a cura, pois está conscientizando-se dos malefícios que a bebida alcoólica acarreta em sua vida.

Quando se busca com sinceridade superar o vício, veja que a ajuda não falta, seja ela médica, psicológica, social e espiritual.

Sempre há um grupo de AA, onde você se sentirá amparado, orientado e fortalecido nestes primeiros passos, o trabalho deles é exemplar.

Segue o link com os 12 passos de alcoólicos anônimos:

http://www.alcoolicosanonimos.org.br/modules.php?name=Conteudo&pid=14

Desejo boa sorte, e que Jesus te ampare e te fortaleça em todos os momentos da sua vida.

Fique com Deus.

Edna
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Jayme Tadeu em 07 de Novembro de 2010, 22:13
Realmente, a bebida alcoólica é uma desgraça.
Só traz tristeza, conflito, mortes e desuniões.
Deveria ter seu uso proibido.
No começo, é descontração, barzinho, violão e paqueras.
Com o tempo, a vida vira um inferno; o fundo do poço é pouco para exprimir, o grau de decadência provocado pelo alcoolismo.
É uma pena, que tenha seu uso liberado.
Entretanto, os espíritas poderiam dar o primeiro passo, mantendo-se sempre abstinentes.
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: carlos-tavares1@sapo.pt em 07 de Novembro de 2010, 22:31
Vacina contra alcoolismo ? Gostaria de saber mais .o alcoól destroi um ser humano
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: octacilio r.costa em 08 de Novembro de 2010, 00:49
O Alcoolismo é uma doença lenta progressiva e fatal e que todos procuram esconder,obssessão compartilhada quando bebemos atraimos espiritos desencarnados que tiveram esta mesma doença que nos fazem por afinidade beber até a exaustão,a famosa saideira nos é sugerida por espiritos que estão na mesma sintonia nossa,isto é sugando os gases e cheiros já que não podem beber ficam saciados ,procurem um grupo de AA Alcoolicos anonimos urgente,junto com uma casa espirita Federada e peça um atendimento fraterno,voçê está com uma obssessão muito grave,uma parte importante voçê já fez que é admitir a doença agora aja rápido,um grande abraço   octaciliocosta@hotmail.com
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: cezar cerqueira em 08 de Novembro de 2010, 11:50
Prezado amigo Feio

Em primeiro lugar, já foi constatado e dito aqui que o alcoolismo é um doença e como tal deve ser tratado. Tive também, em minha vida, experiencias muito marcantes com o alcoolismo em família. A sua decisão de buscar ajuda é um passo fundamental e o AA é um meio que considero o mais eficaz contra o alcoolismo, por experiencias que conheço de perto, de pessoas que mudaram completamente, depois de frequentarem esses grupos de mutua ajuda, que existem tb para outros tipos de vicio.
Do ponto de vista do Espiritismo, a informação que tenho e que ja foi dada a voce, é que o vicio atrai espíritos que te acompanham e devem te influenciar, sendo uma porta aberta para obssessões. POrtanto, vale a pena investir logo nessa busca, tenha força e coragem e certamente sua vida começará a ter novos horizontes. O passo fundamental é o autoconhecimento e o entendimento dos mecanismos que te levam a buscar a bebida.
abraços
Cezar
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Déa Feitosa em 08 de Novembro de 2010, 11:51
Bom dia,

Venho passando por problemas de alcoolismo em minha casa, meu marido tem bebido muito, e nossa vida está sendo muito ruim por conta disso. Temos tudo pra sermos uma família feliz, mas o álcool tem atrapalhado tanto. Meu marido acredito que já tenha dado um passo adiante, uma vez que já começa a perceber que a bebida está nos prejudicando. Mas o vício ainda está maior que a vontade. Estou casada há 11 anos, e nesse tempo todo venho lutando contra isso. Sei que algumas vezes vacilei em algumas atitudes, mas hoje me esforço ao máximo para melhorar. Faço evangelho no lar, busco Deus a todo instante, acredito que logo terei um retorno positivo. Tenho notado que cada vez que ele bebe, se transforma mais, sinto que nem sempre é ele ali presente, fica irônico, graças a Deus nunca foi agressivo comigo nem com meus filhos. Não quero me separar, mas me sinto impotente. São sempre promessas vazias e lá vou eu de novo acreditando, melhoramos e logo depois tudo cair por terra de novo. Mas sei que devo Orar e Vigiar sempre. Mas peço a Deus que encaminhe nossas vidas para o melhor, onde haja amor, harmônia e que a bebida seja banida, senão total mas pelo menos com responsabilidade.

Que Deus me ajude e atenda as minhas preces.

Fiquem todos com Deus e que com muita força de vontade possamos seguir os passos do mestre Jesus.

Andréa Feitosa - aapfeitosa@hotmail.com
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: fernando machado em 08 de Novembro de 2010, 12:58
Vacina contra alcolismo é a força de vontade.
Não existe nenhum remedio garantido,o paciente tem que querer se curar.
Meu pai foi durante varios anos um alcólatra,chegou um dia a deixar dois dentes numa cerca e neste mesmo dia ele ficou sentado em plena rua durante horas e quando se levantou chegou em casa disse para nós que nunca ia mais beber bebidas alcólicas,isso faz mais de 30 anos,hoje meu pai é pastor de uma igreja evangélicae nunca mais bebeu.
bem,esta foi a minha experiência,espero ter contribuido com a questão.
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: RJRAPHA em 12 de Novembro de 2010, 12:28
Amigos,

            Tive uma experiência muito triste e sofrida por conta do alcoolismo. Quando ainda criança sempre vi o meu Pai viver sobre o efeito do alcool, quantas e quantas vezes eu , e meus irmãos tivemos que buscar o meu pai de locais onde tornava para nós que éramos crianças um pouco repugnantes e vergonhoso, as vezes encontravamos o nosso pai jogado nas sargetas e pegava-o, lenvantavamos e tentavamos resgatá-lo até nossa casa, fora a outras situações de humilhação que passavamos por conta do seu vício, como por exemplo; algumas pessoas não nos respeitavam, nos humilhavam, pela carência que por conta do alcoolismo do meu pai nós passavamos; fome, falta de uma vida digna, não tinhamos casa para morar, as vezes nem roupa para vestir. sempre precisando da piedade de outras pessoas que tinham um coração bom e cheio de caridade e nos dava algumas roupas usadas ou um pouco de alimentos para que não morressemos de fome, como também as agressividades, as constantes brigas horrendas que haviam dentro de casa dele e de minha pobre mãe, que vivia na luta do dia, dia, lavando roupa de outras pessoas para pagar o aluguel da pequena casa sem móvel onde moravamos. Com o passar do tempo a situação ficou inssustentável, ele, meu pai tentou matar um dos meus irmãos, então minha mãe resolveu separar-se dele, bem isso não foi a melhor coisa, porque, por conta disso tudo vieram outros problemas, minha mãe que já era uma pessoa um tanto temperamental, com a separação tornou-se ainda pior. porém já não se tinha aquele quadro tão degradante, vendo o meu pai a cada dia se suicidando. Só que a vida nos prepara a cada situação, os anos decorreram e um belo dia o meu pai nos procurou, pedindo-nos ajuda, ele, estaria passando por dificuldade, desempregado, queria que os filhos o ajudassem, eu, conversei com ele e falei Pai, que ajuda voce pretende, pois os teus filhos não tem recursos, voce não fez nada por nenhum de nós, como poderemos  lhe ajudar, todos somos financeiramente pobres, só que Graças as bençãos de Deus, eu tenho um bom emprego que me dava uma vida digna, que podia sustentar meus filhos, dá uma boa educação a eles, só que não era muito mais dava para ajuda-lo e assim eu o ajudei. Depois de algum tempo como muitas lutas consegui aposentar o meu pai que já tinha uma outra família, mas tinha um porém, o vício!, ele não deixará de beber e a segunda família o abandou. Um belo dia fui procurada novamente pelo meu pai, ele já se encontrava com seus 78 anos, acabado, cadaverico, doente, porém continuava com vicio do alcool, fiquei com dó de me deparar novamente com aquele quadro deprimente, humilhante, triste, e novamente fui em busca de resgatar o meu pobre pai, trouxe para dentro de minha casa para lhe dar amparo, só que já era muito tarde, meu pai encontrava-se com um CA (câncer de estômago) num estágio muito avançado, tentei a sua cura, levei-o no médico, mas ele não aceitava parar de bebe e a doença foi se agravando intepestivamente, quando ele resolveu a se submeter a cirurgia não havia mais nenhuma chance, então ele veio a falecer com seus 81 anos de idade. Foi um desencarne muito sofrido e doloroso não só para ele mas para mim, que o acompanhei os seus últimos momentos. Por isso, meus fraternos se caso tenha um irmão, um pai, um filho ou voce mesmo com problemas de alcoolismo, procure ajuda ou procure ajudar o mais rápido possível.
Lucimara.PA
Bom dia Lucimara.PA,
nossa sua estória é muito comovente. Fico feliz em saber que existem seres humanos assim, que mesmo sendo criado com muitas dificuldades e problemas como o alcoolismo se mantêm na caridade, na fraternidade e na fé. Vc com certeza evoluiu bastante seu espiríto com tudo isso. Pelo que venho me instruindo nessa doutrina maravilhosa essa foi uma prova ou expiação que vc passou com muito amor no coração, e que se tem só agradecer à Deus e pedir ajuda a ele que já desercarnou.
Fica com Deus.
Bjs.
Raphael.

Bom dia Feio,
sua atitude foi primordial para sua cura. Procurando ajuda. Esse sentimento com muita dedicação de sua parte vc conseguirá se salvar desse vício. Namoro com uma menina que o pai dela teve problemas com alcool tb, ela sofreu muito a sua infância e graças à Deus ele se curou, por um acaso se curou com ajuda espiritual e muito dedicação dele. Hoje ele nem passa perto de bebida, foi um milagre mesmo, pq ele já estava num nível em já bebia os perfumes da minha namorada.
Lembre-se que vc tem que se desligar totalmente disso evitando amigos que bebam e te ofereçam, evitando parar em bar e não ligando para a opinião àqueles que te desencoragem ou fale algo contrário, e muita dedicação e fé. Foi isso que o pai dela me falou que fez para conseguir.
Fica com Deus,
Abraço,
Raphael.
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: lukas de souza em 14 de Novembro de 2010, 14:01
EU: UM ALCOOLISTA

Amigo(a) leitor(a),

Não surpreendam-se com esta declaração: Sou um alcoolista, salientando entretanto, em recuperação. Muitos anos faz que não uso essa droga lícita. o AA, não é anônimo, também não quero sê-lo, embora essa irmandade, pelos seu estatuto,  com carinho queira nos mater no anonimato e assim nos proteger tanto quanto lhe for possível.
Sem menosprezar as demais postagens em torno do assunto, todas valiosas e demonstrando especial nobreza de sentimentos e de solidariedade ao irmão, sob o pseudônimo  "FEIO", que veio a nossa presença expor sua doença. A ele muito especialmente quero me dirigir, dizendo-lhe primeiramente, da sua grandeza em querer ajudar-se. Isto mesmo. Ajudar-se, sem o que, tudo fica impossível ou muito difícil de reverter o quadro.
Em sua confissão de muita coragem, admitiu estar doente. E está. Talvez, mal saiba ou então não o saiba, que este passo que destes, ou seja, em admitir que é impotente perante o álcool e de que humildemente reconhece ser necessário obter ajuda, destes o decisivo passo rumo ao controle da doença. Deu-nos também licença, portanto, de ajudá-lo da forma que nos é possível e eficaz. É importante que isto seja aceito por ti.
"FEIO", é possível controlar esse mal, acolha todos os que a ti se dirigiram. O fizeram por amor a ti e, por via de conseqüências, ao teus queridos familares e amigos. Eles como eu te queremos de volta ao mundo real, apesar de todas as adversidades que se nos apresentam, a mais das vezes, estas são aparentes, creias.
Estava, em tratamento numa clínica, com fins de desentoxicação, quando recebi a correspondência que adiante transcreverei e que somada aos esforços de médicos, enfermeiros e auxiliares destes e de inúmeras pessoas, todas amorosas; permiti que seus dizeres em meu coração adentrasse e nele permanecesse perenemente.
Atente para a data da correspondência e perceberás por que disse dantes, do quanto é valioso o apoio moral além das medicações e ajuda de profissionais. Ah! Ia esquecendo, se tua doença requerer internação, aceite. Não temas e nem te envergonhes se o chamarem de louco ou de bêbado ou ainda de vagabundo na tentativa de estigmatizá-lo. Os que o fizerem não são teus amigos e os não verás nos dias de visitas na clínica, pois estarão ocupados demais dentro de uma garrafa de cachaça, doentes e dígnos de compaixão e de compreensão. Eis a correspondência que aludi:



Pelotas-Rs, 10/OUT/1997

Meu caro primo-irmão Lukas,

Transcrevo, a seguir, palavras do ex Secretário Geral da ONU, Dag Hammarkjold (as quais decorei e me dão alento):

“Você não fez o suficiente, jamais terá feito o suficiente, enquanto for possível haver alguma coisa de valor a contribuir. Esta é a resposta aos seus resmungos diante daquilo que você considera um fardo e uma incerteza, prolongados, “ad-infinitum.”
Não procure a morte, ela o encontrará; procure o caminho que faz da morte um complemento.”

Bem, nós alcoólicos sabemos que UM GOLE É MUITO E VINTE É POUCO. Devido à compulsão (fissura) e a conseguinte dependência física e obsessão mental. Tudo isso derivado de ser o nosso organismo predisposto ao álcool.
Física, mental e espiritualmente vamos enfraquecendo, perdemos as nossas defesas morais, nossa vontade é nula.
Damos assim, margem à instalação do processo obsessivo, cujas primeiras conseqüências são a debilidade física, mental e espiritual, as quais são o canal aberto para o constante e intenso assédio dos obsessores. Aí começa a necessidade de ajuda — Deus e a medicina porque a força de vontade inexiste. Temos que nos render, aceitar a impotência perante o álcool. A partir daí ter a MENTE ABERTA, boa-vontade e muita vigilância. “ORAI E VIGIAI.” As palavras chaves são: aceitação, humildade e honestidade para conosco mesmos.
Sem luta não há conquista. Acredito em ti e espero, com a graça de Deus, em breve, estarmos em sintonia com o astral superior e de bem com a vida; ou seja, com nós mesmos e com os outros, para não acabarmos sós e abandonados na sarjeta.
Um abraço,

René.

"Feio": EU ESTOU DE BEM COM A VIDA.VOCÊ TAMBÉM PODE.

                                    lukas

   
"Álcool: Paraísos irreais e infernos reais."
[/b] 
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: feio em 14 de Novembro de 2010, 20:23
obrigado  a todos  pela ajuda, de minha doença agradeço de coração, vou  me curar eu acredito nisso nunca estamos sozinho, .o vício não está em mim, eu que estou nele e vou sair dele, eu acredito  que no final tudo vai dar certo, se não deu certo e que eu não cheguei no final  obrigado a todos deste forum que me ajudou com suas belas palavras [feio]. 
Título: duvidas
Enviado por: feio em 14 de Novembro de 2010, 21:04
oi gente aqui e o feio de novo, eu estive aqui falando da minha doença que é o alcoolismo. agora eu quero que alguém que teve essa experiencia, do mesmo que está acontecendo comigo sobre uma pessoa.  sempre quando a gente ver uma pessoa atraente que faz o tipo da gente. a gente tem uma sensação boa, mas quando a gente ver uma que alembra alguém, que a gente conhece. a gente tem outro tipo de sensação, da mesma forma que  a gente ver alguém e confundi com alguém que agente conheci. mas essa moça que eu vejo ela direto, eu tenho uma sensação que já estive com ela, já pensei muito por onde andei e por onde trabalhei e estudei não veio em minha mente ela.  nem nos meus sonho ela esteve, mas ela é alta não e o tipo de moça que me agrada, apesar que ela e bonita eu gosto muito de mulheres mais baixa do que eu. eu tenho um presentimentos que ela senti o mesmo quando que eu olha pra ela, eu sinto que ela está  me olhando e sentindo o mesmo e pensando o mesmo.alguém pode me dizer algo sobre isso.eu sinto que ela senti algo diferente quando nós se ver. a minha sensação não e que eu estou afim dela é que eu já estive com ela. e logo vem em minha cabeça será que nós já tivemos juntos em vidas passadas. essa pergunta é a que vem sempre em minha mente quando vejo ela. ela olha pra mim tipo quando a gente está em duvida de algo. obrigado por vocês me ajudar nessa minha dúvida com essa moça que me deixa eu sempre pensando, onde eu estive com elas antes [feio].
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Déa Feitosa em 16 de Novembro de 2010, 12:18
É tão triste vermos quem amamos sendo devorado pelo álcool, sim acho que esse é o termo devorado, meu marido não passa um único dia sem colocar na boca uma lata de cerveja. Tenho por mim que já está no caminho do alcoolismo. Não tenho certeza, mas chega em casa e muitas vezes antes de ir pro banho abre sua latinha, geralmente toma pelo menos 3, isso não é normal para alguém que não se diz alcoolatra. Na verdade nem sei bem o que estou dizendo, ando muito pertubada com essa situação. todo fim de semana, meu marido fica bêbado. E me diz tô curtindo. Curtindo o quê??? Tenho vontade de me separar muitas vezes, mas penso não quero levar esse "problema" pra próxima reencarnação, se é que me entendem. Quero muito ajudá-lo, quero novamente amá-lo como antes, porque infelizmente, esse amor vai morrendo a cada dia. A bebida destrói lares, destrói o respeito, a amizade, tudo o que é bom. Hoje tô novamente sentindo uma tristeza imensa, brigamos, não com palavras graças a Deus, mas com a minha indiferença, não sei o que é pior. Sabe, tenho dois filhos uma menina de 8 anos que percebi tudo e um menino de 3 anos. Esta noite dormi no quarto dela com os dois. Poxa minha filha pode já estar sofrendo com isso, mas calada. Nãoq uero que ela tenha problemas futuros em sua vida. É tão triste ver o lar se acabar por causa de álcool. Hoje me encontro desesperada por uma solução, me separar e deixar ele se afundar sozinho, não conseguiria, quero ajudá-lo, mas o que fazer par ele entender que precisa de ajuda, que está se afundando a cada dia, que inevitavelmente a falta respeito vai entrar em nossas vidas. E não porque queremos e sim porque não podemos mais evitar, aguentar. Deus dai-me uma luz, ajuda-me a superar essa prova, ajuda-me encontrar a solução.

Quem puder conversar comigo a respeito, ficarei muito feliz, preciso aprender a fazer algo diferente.

Faço o evangelho no lar todas as quartas, isso tenho me ajudado muito, leio tudo a respeito que possa me ajudar. Mas confesso estou sem forças de tentar novamente seguir em frrente. Minha vontade é largar tudo e recomeçar minha vida com meus filhos. Mas sei isso não é o correto a se fazer.

Beijo fiquem com Deus

aapfeitosa@hotmail.com
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: SOLITUDE em 26 de Novembro de 2010, 05:56
Olá, senhores! Fico muito triste quando fico sabendo de mais uma vítima do alcoolismo. Acho que um país sério, de verdade, não permitiria que uma substância causadora de alterações orgânicas e psíquicas, como é o caso do álcool, fosse comercializada livremente. 
Graças a Deus, tenho uma "aversão natural" ao álcool. Até mesmo o cheiro me dá arrepios, náuseas.
Infelizmente convivo com este problema diariamente. Meu marido é alcoolista, mas nega veementemente!
Somente este Deus misericordioso me dá forças para suportar, dia-a-dia, os momentos de insânia degradante, quando as ofensas, mentiras, agressões morais e psicológicas (hoje, não mais físicas), me levam à desilusão... Mas, minhas lágrimas secaram... Minha dor já não se refere mais às minhas questões pessoais. Aprendi a trabalhar com minha auto-estima e com a solidão. Descobrii que posso ser feliz, apesar da exclusão de meu marido. Descobri que sou uma excelente companhia!
Entreguei nas mãos do Senhor. E foi dobrando meus joelhos e clamando auxílio, que superei meu desespero, que me levou à depressão e ao quase suicídio. Verdade, quase sucumbi. Havia dias em que minha angústia era tanta, que só conseguia me isolar no terraço, alhar para as estrelas, por horas, pronunciando: "Jesus...Jesus...Jesus...", até passar ao murmúrio e, enfim, adormecer. Não conseguia mais repetir as orações e pedidos que já fazia havia mais de uma década! E Deus veio em meu socorro.
O que mais me dói é ver meu marido, antes, tão bonito, culto, com um coração tão generoso, envelhecendo precocemente; adoecendo (sem se dar conta!); já obeso, olhar empapuçado, pernas inchadas, trêmulo ao amanhecer, sem resistência física e desvalorizando uma mulher que tem por ele um amor imenso (ele nunca se deu conta). Aliás, sequer me conhece! Quase nada se recorda de nossos pobres momentos juntos, do que conversamos e do ocorrido. Gastou sua juventude, dinheiro e beleza com coisas vãs; psicologias degradantes de botequim, onde as mulheres ("fáceis"), seus alvos prediletos, são postas num mesmo saco de farinha. Onde a masculinidade é ovacionada e comparada às dos cães farejantes de cadelas no cio.
Infelizmente é um espetáculo macabro o que assisto todas as noites em que abro a porta para o "negativo original" do homem  que por ela saíra há poucas horas, normalmente dizendo que já voltaria e me perguntando se precisava de algo da rua... Triste!
Amigo, Feio, não se demore na resolução de mudar seu destino! Corra atrás de sua felicidade, enquanto pode ter consciência desse MAL. Cuide do que é você, que Deus criou com um objetivo, certamente, muito mais nobre do que Lhe tem mostrado até agora. Honre a chance que Deus lhe deu! Não perca mais tempo. Você pode!
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: ANTONIO C. TONSIC em 06 de Dezembro de 2010, 13:40
Meu caso, não é muito complicado, não tenho o uso continuo do alcool, mas tenho tomado sempre que posso, num final de semna, numa festa, e ocorre que agora quando tomo bebidas alcoolicas, tenho uma recaida mental muito forte alem do mal estar que a ressaca me ocasiona, portanto tenho interesse muito grande de largar de beber, pois fico muito mal comigo mesmo, a realidade é que não estou mais aceitando o uso do alcool, acho  também, como ja tenho filhos e netos gostaria de mostra a eles algo de bom e não esse péssimo exemplo negativo. Bem acho que agora no momento estava realmente precisando falar um pouco e agradeço essa oportunidade, abraços a todos. Vô TOM......
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Heraly em 29 de Janeiro de 2011, 19:17
Olá
Meu nome é Heraly e tenho um filho alcoolista; ele tem grande dificuldade de aderir a um tratamento médico adequado; ouvi falar desse médico Dr. José Toufik Rhad em São José do Rio Preto e gostaria de saber o endereço dele.
Alguém pode me ajudar?
Deus abençoe a todos
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Victor Passos em 06 de Fevereiro de 2011, 13:45
Ola muita paz e harmonia

INTOXICAÇÃO AGUDA PELO ÁLCOOL/ EMBRIAGUEZ

A embriaguez ocorre quando se ingere grande quantidade de bebidas alcoólicas num curto espaço de tempo.


Os efeitos do álcool dependem da sua concentração no sangue.

Possíveis efeitos imediatos da embriaguez: excitação, agressividade, ansiedade, aceleração dos batimentos cardíacos, descoordenação motora, náuseas, discurso lento e arrastado, vómitos, confusão, sono profundo, coma e eventualmente a morte.

A pessoa em estado de intoxicação aguda está incapaz de conduzir ou trabalhar. No entanto, devido à perda de sentido crítico, é frequente pessoas com excesso de álcool ou embriagadas não se inibirem de o fazer colocando em risco a sua vida e a dos outros

ABUSO DO ÁLCOOL E DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL (ALCOOLISMO)

A ingestão excessiva e habitual de bebidas alcoólicas, muitas vezes em pequenas doses, mas repetidas ao longo do dia, vai mantendo uma alcoolização permanente do organismo e uma situação de intoxicação alcoólica crónica que, se for frequente e prolongada poderá originar uma situação de dependência.
Desta forma, existe um efeito tóxico contínuo sobre os órgãos do corpo, que pode provocar graves problemas de saúde.

A pessoa pode abusar do álcool sem saber, tratando-se de um mero consumo excessivo, ou então tratar-se de uma dependência, tornando-se o álcool na primeira obsessão da sua vida.

ALTERAÇÕES FÍSICAS PROVOCADAS PELO CONSUMO DE ÁLCOOL

A nível do aparelho digestivo: esofagites e gastrites, úlceras, hepatites alcoólicas, esteatose hepática, cirrose hepática, pancreatites, sindroma de má absorção.

A nível neuromuscular: "formigueiros", adormecimento dos dedos, cãibras, dores e cansaço muscular, tremores das mãos, atrofia do nervo óptico que pode levar à cegueira.

A nível mental e psicológico: dificuldades de raciocínio, perda de memória, demência, irritabilidade, depressão, delírio alcoólico, ... e ainda,
Anemias, estados de desnutrição e avitamínicos; doenças cardiovasculares e respiratórias diversas; doenças de pele; esterilidade e perturbações sexuais; aumento da probabilidade de cancro: no fígado, boca, esófago, estômago, cólon, mama

Agravamento das situações infecciosas: gripes, pneumonias, tuberculose pulmonar, hepatites virais,... e ainda, quem consome bebidas alcoólicas em excesso tem uma diminuição da esperança de vida e
um envelhecimento precoce

SÍNDROME DE DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL

O alcoolismo (síndrome de dependência do álcool) é uma situação de dependência física e psicológica do álcool.

A pessoa dependente passa a viver em função do álcool, desvalorizando aspectos essenciais da vida, como a família, o trabalho e os amigos, desprezando a saúde e, inclusivamente, a própria existência.

Como o álcool assume o centro da vida da pessoa dependente, torna-se extremamente difícil controlar o consumo. Quando a pessoa entra neste quadro está gravemente doente e a sua recuperação exige grande esforço de si próprio e dos que lhe estão próximos. Deve abster-se de tomar bebidas alcoólicas durante o resto da sua vida.

O ALCOOLISMO É UMA DOENÇA!

 
Por todas as razões apresentadas, o alcoolismo (e mesmo o consumo excessivo de álcool) deve ser considerado uma doença. As pessoas nestas situações estão a sofrer profundamente, embora por vezes consigam esconder ou iludir esse sofrimento.


Por outro lado, verifica-se uma perda parcial ou total do controlo sobre os consumos, e sobre a própria vida, que exige uma ajuda especializada para o tratamento e recuperação.

Recuperar é um processo difícil e demorado, que exige do próprio, dos seus familiares e dos colegas, equilíbrio entre a compreensão e a firmeza.

 muita paz e harmonia
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Jatai, José em 07 de Fevereiro de 2011, 19:01
Caros irmãos de lide espírita e companheiros de A.A., um abraço fraterno a todos. Não sei se estou participando a tempo em relação ao tema alcoolismo. Gostaria de lhes informar que passei alguns anos da minha vida entregue ao alcoolismo, sem saber que era portador da Doença do Alcoolismo. Comecei como todos começam, pensando que seria sempre do mesmo jeito, ledo engano. O alcoolismo é muito sutil, vai nos laçando e derrubando aos poucos, em câmera lenta, sem a gente nem perceber, quando de repente, percebemos. Percebemos, como eu percebi que a bebida alcoólica havia me dominado por completo, bebendo todos os dias e algumas vezes o dia todo. Percebi que os meus sonhos se tornaram pesadelos, que a minha autoestima tornou-se baixaestima ou sem estima alguma. Percebi que o que eu tinha de bom desaparecera e tornara uma pessoa má para os meus e pior, para mim mesmo.
Percebi que precisa deixar (parar) de beber, mas sozinho também percebi que não conseguiria; as minhas forças já fraquejantes, não me davam condição para fazer o que eu tinha vontade e tive que buscar ajuda, ou melhor, recebi ajuda, pois eu não mais sabia se queria, por conta de tanta fraqueza de todas as ordens, material, moral e espiritual... Foi quando, em 24 Programa de A.A. que já se vão quase 25 anos de sobriedade, bem como, forças buscar o crescimento espiritual. Costumo dizer que as duas melhores coisas que consegui na minha vida, foram: Alcoólicos Anôminos e o Espiritismo, ambas, Irmandade e Doutrina, foram criadas por Deus, portanto estou bem servido dos conhecimentos Divinos, tendo, ainda muito o que aprender, apreender e praticar, mas estou, creio, tentando seguir no caminho da busca da perfeição, estando sempre consciente de que a luta é grande, mas a batalha, um dia, será vencida, essa é a vontade do Poder Superior, de Deus. Muitas 24 horas de sobriedade aos companheiros de A.A. e muita paz aos irmãos espíritas. Que possamos um dia, encontrar o Feio com outro cognome: o Bonito, bem como todos que aqueles que possam um dia livrarem-se do álcool e dos irmãos inferiores que ainda vivem nas trevas e que, possam também, um dia, encontrar a luz de Divina para saírem da escuridão. Um grande abraço a todos.
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Victor Passos em 08 de Fevereiro de 2011, 10:40
Ola muita paz
 Amigo Jatai

Alcoólicos Anônimos (AA) é o programa mais comumente utilizado para a recuperação de abuso de substâncias e um dos poucos modelos a demonstrar resultados positivos de abstinência. Embora pouco se saiba quanto aos mecanismos subjacentes que resultem na eficácia desse programa, um aspecto freqüentemente referido é o apoio social.
A fim de se obter uma visão sobre os processos do trabalho desenvolvido em AA, o presente documento analisou 24 trabalhos examinando a relação entre AA e as variáveis da rede social. Vários tipos de apoio social foram incluídos na revisão, tais como, apoio estrutural, apoio funcional, apoio geral, apoio específico para o álcool e ajuda na recuperação. De um modo geral essa análise constatou que o envolvimento em AA está relacionado com uma série de mudanças positivas, qualitativas e quantitativas nas redes de apoio social.

O maior impacto de AA é relacionado à rede de amigos, com menos influência na rede entre familiares e outras. Complementarmente, foi verificado ser de grande valia para a recuperação o apoio de outras pessoas em AA, e os indivíduos com rede social de suporte negativo para abstinência beneficiaram-se ao máximo com o envolvimento em AA. Além disso as variáveis de suporte social consistentemente mediadas pelo impacto de abstinência de AA sugerem que o apoio social é o mecanismo da eficácia de AA na promoção de um estilo de vida sóbrio. São feitas recomendações para futura investigação e prática clínica.


Muitos trabalhos têm demonstrado a baixa efetividade dos tratamentos de internação e ambulatoriais para alcoolismo, como os trabalhos comparando os resultados entre os que receberam tratamento e aqueles que não foram tratados. Apesar do sucesso quanto aos tratamentos convencionais de curto prazo, estudos sugerem melhorias significativamente reduzidas ao longo do tempo. As taxas de recaída são elevadas, com a maioria dos pacientes terem retornado aos níveis de consumo de álcool pré-tratamento, em um ano após. Além disso, uma revisão da literatura sobre a eficácia do tratamento de substâncias de abuso indica alta incidência de índices de recaída em um ano para tratamentos de desintoxicação e adjacentes, por profissionais de saúde.

Atualmente existe crescente interesse por grupos de ajuda-mútua e auto-ajuda que influenciem nos tratamentos, oferecendo uma alternativa ao tratamento profissional ou pós-tratamento. Diferentemente dos tratamentos tradicionais, os programas de ajuda-mútua e auto-ajuda são livres, com encontros e freqüência voluntária, caracterizados por trabalhar juntos em um problema comum, com liderança auto-escolhida e troca de experiências. Em geral a terapia de auto-ajuda tem sido relatada como mais eficiente e menos dispendiosa do que a terapia tradicional liderada por profissionais.

Talvez o exemplo mais conhecido deste grupo de ajuda-mútua para apoiar a abordagem de abstinência seja o de Alcoólicos Anônimos. Alcoólicos Anônimos (AA) foi criado em 1935 como um grupo de auto-ajuda para as pessoas em recuperação de alcoolismo, mantendo a sobriedade através de sua ênfase na espiritualidade, apoio social, bem como no programa dos 12 Passos.

Atualmente mais pessoas recorrem ao AA para recuperação de alcoolismo do que qualquer outro programa ou tratamento, e no mundo são estimadas mais de 2 milhões de pessoas filiadas, em 150 paízes. Os seus membros são encorajados a progressos no sentido da recuperação, em seu próprio ritmo, por meio da partilha de experiências, força e esperanças. Os membros admitem a sua impotência perante o álcool através de sua própria auto-percepção, na medida em que progridem nos 12 Passos.

http://www.youtube.com/watch?v=-Z1eUnLTo8A[url][/url]

Sigam em frente na paz de Jesus, sem vossa vontade dificilmente ultrapassareis o momento..tende fé e venceréis


Muita paz

Victor Passos
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Mizica em 08 de Fevereiro de 2011, 14:45
Olá! Bom dia à todos
Em especial àqueles que vivem o drama do Alcoolismo... parar de beber só depende de voce!

Fiquei muito emocionada ao ver aqui no Fórum um tópico sobre Alcoolismo. É uma doença muito triste, que atinge, além do doente alcóolico, pelo menos 5 pessoas da família diretamente.

Espero que voce, caro irmão, já tenha ingressado em um Grupo de AA,  então, expontaneamente quebrando meu anonimato, apresento-me: sou uma Al-Anon, e sou esposa de um alcóolico recuperado, desfrutando de serenidade e calma, só por hoje.

Quando conheci o AA e o Al-Anon (programa baseado nos 12 passos e nas 12 Tradições do AA, que ajuda os familiares e amigos do dependente alcóolico) eu estava apavorada, meu marido havia conseguido parar de beber e me pedia para reatarmos nosso relacionamento, desfeito a 11 longos anos, quando ele deixou a mim e ao nosso filhinho com 2 anos (hoje casado e pai de 4 lindas crianças) e resolveu "viver" com uma garrafa ou no fundo dela. Descobri, na época, visitando um Grupo de Al-Anon, que Alcoolismo é uma doença que não tem cura, mas que podia ser controlada. Pensei: vou voltar com um homem que pode voltar a beber? E ai? Vou sofrer tudo de novo? Brigas, vexames, escandâlos..? Pedi à Deus ajuda para me orientar... minha família dividida: uns contra, outros a favor... alguns amigos até deixaram de falar comigo por que não concordavam que desse à ele (meu marido), outra chance. Me chamaram de louca, burra, insana... Sofri muito... tudo o que eu havia construído como seguro, durante os anos de separação, ruiu, veio por terra... até o relacionamento que eu tinha com outra pessoa "balançou". Foi quando conheci o Al-Anon e me agarrei tenazmente às mãos de Jesus... aceitei o João de volta, o meu Joca que veio tão diferente, desejoso de ser alguém melhor, precisando de uma única chance. Hoje estamos juntos, felizes, com nossa família de volta, reunida e unida... anos depois eu conheceria o Espiritismo e verifico hoje, que o AA e o Al-Anon me deram as "dicas" que me impulsionaram para a Doutrina Espírita, quem conhece um pouco a literatura dessas Irmandades sabe o que quero dizer, ... portanto, só por hoje eu terei calma, serei paciente, amarei à todos e não darei o exemplo, tentarei "ser" o exemplo.
Se voce ainda não é um AA, seja-o!... corra! Como eles dizem lá, existe um Poder Superior a todos nós que para mim é Deus e que para voce pode ser qualquer um outro, (no AA não importa sua crença) mas que vai te ajudar a sair do fundo da garrafa e voltar à vida.
E como se diz ao término de uma explanação em cabeceira de mesa durante uma reunião de Al-Anon: agradeço a um Poder Superior à mim, por mais esse dia em que não perdi a paciência com meu doente alcóolico sóbrio e desejo à todos muitas 24 horas de sublime serenidade. Só por hoje!
Que assim seja!

Meu carinho... sempre
Mizica
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Victor Passos em 08 de Fevereiro de 2011, 18:06
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos

O Alcoolismo


          Sem nos determos no exame dos fatores sócio-psicológicos causais do alcoolismo generalizado, de duas ordens são as engrenagens que o desencadeiam,- observado o problema do ponto de vista espiritual.

          Antigos viciados e dependentes do álcool, em desencarnando não se liberam do hábito, antes sofrendo-lhe mais rude imposição.

          Prosseguindo a vida, embora a ausência do corpo, os vícios continuam vigorosos, jungindo os que a eles se aferraram a uma necessidade enlouquecedora. Atônitos e sedentos, alcoólatras desencarnados se vinculam às mentes irresponsáveis, de que se utilizam para dar larga à continuação do falso prazer, empurrando-os, a pouco e pouco, do aperitivo tido como inocente ao lamentável estado de embriaguez. Os que lhes caem nas malhas, tomam-se, por isso mesmo, verdadeiros recipientes por meio dos quais absorvem os vapores deletérios, caindo, também, em total desequilíbrio, até quando a morte advém à vítima, ou as Soberanas Leis os recambiam à matéria, que padecerá das dolorosas injunções constritoras que lhe impõe o corpo perispiritual...

          Normalmente, quando reencarnados, os antigos viciados recomeçam a atividade mórbida, servindo, a seu turno, de instrumento do gozo infeliz, para os que se demoram na Erraticidade inferior...

          Outras vezes,. os adversários espirituais, na execução de uma programática de desforço pelo ódio, induzem os seus antigos desafetos à iniciação alcoólica, mediante pequenas doses, com as quais no transcurso do tempo os conduzem à obsessão, desorganizando-lhes a aparelhagem físio-psíquica e dominando-os totalmente.

          No estado de alcoolismo faz-se muito difícil a recomposição do paciente, dele exigindo um esforço muito grande para a recuperação da sanidade.

          Não se afastando a causa espiritual, torna-se menos provável a libertação, desde que, cessados os efeitos de quaisquer terapêuticas acadêmicas, a influência psíquica se manifesta, insidiosa, repetindo-se a lamentável façanha destruidora...

          A obsessão, através do alcoolismo, é mais generalizada do que parece.

          Num contexto social permissivo, o vício da ingestão de alcoólicos torna-se expressão de status, atestando a decadência de um período histórico que passa lento e doído.

          Pelos idos de 1851, porque enxameassem os problemas derivados da alcoolofilia, Magno Huss realizou, por vez primeira, um estudo acurado da questão, promovendo um levantamento dos danos causados no indivíduo e alertando as autoridades para as conseqüências que produz na sociedade.

          Os que tombam na urdi dura alcoólica, justificam-lhe o estranho prazer, que de início lhes aguça a inteligência, faculta-lhes sensações agradáveis, liberando-os dos traumas e receios, sem se darem conta de que tal estado é fruto das excitações produzidas no aparelho circulatório, respiratório com elevação da temperatura para, logo mais;. produzir o nublar da lucidez, a alucinação, o desaparecimento do equilíbrio normal dos movimentos...

          Inevitavelmente, o viciado sofre uma congestão cerebral intensa ou experimenta os dolorosos estados convulsivos, que se tornam perfeitos delírios epilépticos, dando margem a distúrbios outros: digestivos, circulatórios, nervosos que podem produzir lesões irreversíveis, graves.

          A dependência e continuidade do vício conduz ao delirium tremens, resultante da cronicidade do alcoolismo, gerando psicoses, alucinações várias que culminam no suicídio, no homicídio, na loucura irrecuperável.

          Mesmo em tal caso, a constrição obsessiva segue o seu curso lamentável, já que, não obstante destrambelhadas as aparelhagens do corpo, o espírito encarnado continua a ser dominado pelos seus algozes impenitentes em justas de difícil narração...

          Além dos danos sociais que o alcoolismo produz, engendrando a perturbação da ordem, a queda da natalidade, a incidência de crimes vários, a decadência econômica e moral, é enfermidade espiritual que o vero Cristianismo erradicará da Terra, quando a moral evangélica legítima substituir a débil moral social, conveniente e torpe.

          Ao Espiritismo cumpre o dever de realizar a psicoterapia valiosa junto a tais enfermos e, principalmente, a medida preventiva pelos ensinos corretos de como viver-se em atitude consentânea com as diretrizes da Vida Maior.

Livro:Calvário de Libertação
Victor Hugo & Divaldo P. Franco
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Mizica em 09 de Fevereiro de 2011, 01:34
Olá! Boa noite!
Olá Victor.

Peço desculpas pelo meu deslize em não enfocar o tema Alcoolismo sob o ponto de vista espiritual. Deixei-me levar pela emoção de ver o nome do AA no FE... e "disparei" na tentiva de auxiliar a quantos pudesse, a encarar e abandonar, com firmeza e determinação, a dependência alcóolica.
O Alcoolismo é uma doença lenta e progressiva que altera toda a vida de uma pessoa e dos que o cercam. Vai "minando" o seu dia a dia sutilmente até levar a pessoa a ruína material e moral completa. No início tudo parece alegria, tudo é prazeroso, mas com o tempo... o quadro toma aspecto  tenebroso. O doente alcóolico serve de veículo perfeito ao alcóolico desencarnado, seja por afinidade ou por ajuste de contas de dívidas pretéritas... o obssessor desencarnado julga que fazendo justiça com as próprias mãos, estará fazendo seu antigo inimigo de vidas passadas, pagar pelo mal que lhe fez. Então, encontrando nele campo vibratório adequado e uma tendência ao alcoolismo, agarra-se nele tenazmente, vampirizando-o, fazendo-o beber mais e mais e assim tbm conseguindo se "embriagar" através dele. É uma relação funesta, que deixa o bebedor compulsivo cair mais e mais até chegar ao fundo do poço moral, ou desencarnar, o que acontece muitas vezes prematuramente: dirigir bêbado, brigar na rua (o alcóol cria em seus usuários a ilusão de que estão sempre com a razão e são muito valentes) , desenvolver doenças no fígado, no coração, rins, entre outros.
Mas a Doutrina Espírita acena com a luz no fim do túnel, tanto que, no Livro dos Médiuns, capítulo XXIII, Da Obssessão, temos: "... Ressalta do que fica dito um ensinamento de grande alcance: que as imperfeições morais dão azo à ação dos Espíritos obssessores e que o mais seguro meio de a pessoa se livrar deles é atrair os bons pela prática do bem". Então, se o bebedor compulsivo associar seu tratamento, seja dentro do AA ou de outro modo (psicologos, médicos) aos ensinamentos da Doutrina Espírita deve saber que sua atitude mental tbm tem que se modificar, é uma reforma íntima lenta, mas que acontece quando a vontade de mudar é férrea. Nossas imperfeições morais nos sintonizam com os espíritos inferiores, nossas atitudes negativas, pensamentos cheios de rancor, de ódio, nos sintonizam com a inferioridade espiritual e só nossa vontade de mudar e nossa atitude de dobrar os joelhos com humildade perante Deus pedindo ajuda, é capaz de nós levar para o lado bom da Força Divina.

Desejando-lhes uma noite de paz, sigamos com Jesus no coração.
Fraternalmente
Mizica

Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Victor Passos em 09 de Fevereiro de 2011, 11:22
Ola muita paz e harmonia

Querida amiga Mizica

   Amiga nada tem que se sentir dessa forma, falou e bem, é um dos trabalhios que faço , na min ha Rede apoiar companheiros para que possam largar o alcool e drogas, que são um flagelo de dor para Familias e os proprios que sofrem da dependencia.
    É um trabalho que faço e me deixa bem, pois são Irmãos que necessitam de amor e compreensão.
Aqui tem a Rede onde tento fazê-lo;  Site - http://sites.google.com/site/socorroavida/
                                                            Rede- http://socorrovida.ning.com/

Abraço fraterno
Victor Passos
Título: Re: alcoolismo
Enviado por: Victor Passos em 09 de Fevereiro de 2011, 11:24
Ola muita paz

Álcool e Drogas

A ação das leveduras minúscula partícula chamadas fungos (plantinhas de uma só célula), em presença dos açúcares do vinho, frutos, cana-de-açúcar, cereais, batatas, madeiras, em suma, de qualquer substância que possa fermentar, produz um líquido chamado álcool (nome derivado do árabe Alkohol).

Muitas são as variedades dos álcoois, pois vários são os processos e elementos empregados para sua obtenção. Há álcoois venenosos, como o derivado da fermentação da madeira e chamado álcool metílico, e outros que podem ser ingeridos, contidos em certas bebidas.

As drogas são substâncias com as quais se preparam os remédios. Os médicos usam hoje milhares de diferentes espécies, cada uma com propriedades particulares para combate às doenças. as anestésicas, como o clorofórmio, suprimem a sensibilidade; as narcóticas, como o ópio, causam entorpecimento; as anódinas (sedativas), como a aspirina, aliviam as dores; as antibióticas, como a penicilina, destroem os germes.

Existem drogas de origem animal, de origem mineral e as drogas heróicas que são aquelas que contém princípios tóxicos, das quais resultam medicamentos ativos e que devem ser empregadas em doses pouco elevadas: beladona, dedaleira, ópio entre outras. Acontece, porém que o homem com sua mentalidade fértil procura se utilizar o álcool e de certas drogas para outras finalidades.

Finalidades estas muitas vezes prejudiciais a sua saúde e a integridade física e também com intenções não condizentes de um ser humano que só procura fazer mau uso de uma substância que muitas vezes é empregada para sanar alguns males que afetam a população. Nota-se uma progressão do alcoolismo entre os jovens, o que constitui talvez num substituto toxicomania, e que cada vez mais e freqüentemente a esta conduz ou acompanha. A vinculação entre o álcool e o crime é inquestionavelmente alarmante.

No Brasil, a criminalidade violenta do trânsito atesta um percentual igual ou superior a quarenta por cento; os crimes de homicídio aumentam consideravelmente aos sábados, quando a ingestão do álcool é mais elevada. Neste dia, creio eu, os acidentes de trânsito cheguem a cifras alarmantes de setenta por cento, em razão da bebida alcoólica. O novo Código Nacional de Trânsito está aí.

Será que resolverá o problema? Falta mais fiscalização e uma maior conscientização da população para julgar o que é certo e o que é errado. Observa-se a partir de alguns anos, um aumento do alcoolismo e do consumo de drogas, notadamente entre os jovens. Muito se discute na área relacionada com o reconhecimento de ser ou não a droga fator de agente criminológico.

No entanto, estudiosos como Israel Drapkin, Mayorca, Sabater, Pelegrini, Carratala, Elliot, Gonzáles Carretero e outros aludem à ação destrutiva dos tóxicos sobre o caráter dos seus adeptos, que normalmente se manifesta pela tendência à mentira, à dissimulação, à preguiça, em sua covardia diante das responsabilidades da vida, anomalias que levam o toxicômano, à medida que vai degradando, a costumes e atos desonestos para, em última instância, atingir a esfera do delito.

A criminalidade evolui de forma muito semelhante na quase totalidade dos países industrializados. Nestes, a violência geralmente tem um desenvolvimento particularmente rápido. Autoridades do meu Brasil alerta, senão o fim será trágico.


Antonio Paiva Rodrigues