Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Sexualidade => Tópico iniciado por: Gigii em 26 de Setembro de 2007, 14:29

Título: Celibato
Enviado por: Gigii em 26 de Setembro de 2007, 14:29
Companheiros

Aqui fica a questão para debater:

Celibato é sinal de evolução?

Para os budistas é a forma mais eficaz de atingir o nirvana.

Gandhi falava na necessidade do Bramacharya(voto de castidade, não só fisico, mas essencialmente de pensamentos), que só assim o homem se unia á divindade.

Infelizmente, diz.nos a história que o celibato dentro das ordens religiosas pouco propiciou ao adiantamento moral, pois que era mais uma decisão imposta que espontânea.

Kardec faz referência ao tema em O Livro dos Espiritos.

Qual a vossa opinião sobre o assunto?

Um abraço a todos
Gi
Título: Re: Celibato
Enviado por: Joao Manuel Santos em 26 de Setembro de 2007, 20:07
Olá Gi

Celibato?
Castidade?

Ou Celibato e Castidade conjuntamente?


cumprimentos

João Manuel Santos
Título: Re: Celibato
Enviado por: Gigii em 26 de Setembro de 2007, 20:30
oi João

Conjuntamente sim, até porque uma leva sempre à outra, não?

Um grande abraço,
Gi
Título: Re: Celibato
Enviado por: SB em 26 de Setembro de 2007, 22:20
Enquanto cristãos vemos a palavra celibato, situação sujeita á não procriação, á anulação ideologicamente do acto sexual ou ausência de união. Por isso nos parecer uma palavra de imposição e contra as leis de Deus.

Enquanto no budismo ou mesmo no yoga, o celibato, pareça ser imposta, não o é.
São crenças internas muito diferentes e penso não puderem ser comparadas.

Isto porquê?
Porque toda a sua instrução vem do tantra.
E o tantra é uma filosofia de vida do conhecimento de si mesmo através do outro.
No tantra existe união, existe acto sexual, e o seu "celibato" (entre aspas neste caso pq a palavra celibato é uma palavra cristã), será a nível de orgasmo sexual.
Buscam, através dessa energia contida em sabedoria de que o seu próprio corpo lhe manifesta.
Não é uma filosofia transmissível mas sentida, ensinada no viver e geralmente passada por um mestre, logo pouco se pode falar dela.
Assim no caso dos monges budistas encontram nessa energia sexual, contida e solitária, a comunhão com o seu ser, pq lhes permite através dela a transformação interior e em serenidade.
A energia sexual, é a mais importante porque através dela, podem igualmente criar a varios niveis, nao sendo limitativa á procriação do ser humano.
Aprendem a canalizar essa energia para a mente de uma forma brilhante.
Conteem-na, mas nao a reprimem, aceitam-na, logo nao há imposição. Certo é que a maior parte desses monges através dessa energia, conseguem controlar a mente, e não o controle da mente sobre eles. Conseguem viver um estado de liberdade muito diferente do que nós sentimos.

No tantra não existe censura ou sentimento de culpa como em nós cristãos  :P e tb como é hábito frequente na cultura brahmácharya que dá valor principalmente à castidade.

E nesta palavra castidade vemos aqui um outro ponto, pureza, virgindade, outros valores a serem tomados no caso de Gandhy.

Regina, acho que é uma questão muito pertinente e deveras brilhante pra quem se debata profundamente com esta questão mesmo até  nivel pessoal  ;) mas eu, pelo respeito por todas as crenças internas, não consigo fazer qualquer comparação por qualquer uma delas. 

Por vezes não passa de uma questão de intrepertação, será?  ;D (deito mais lenha na fogueira)

Acho todas estas filosofias fascinantes, e agora?  ;D  ;)

Mas para mim todas as filosofias sempre trazem consigo, de uma forma ou de outra a evoluçao.

Abraços  :)
Título: Re: Celibato
Enviado por: Joao Manuel Santos em 27 de Setembro de 2007, 15:28
Olá Gi

Não, não a mesma coisa.

Castidade é a qualidade de pureza,privação dos prazeres sexuais.
Teológicamente é a abstenção de todo o amor carnal.

Celibato significa não casado, contrário a constituição de família.
Pode ser celibatário e não casto e crio que temo smuitos exemplos na história.

Teológicamente pode ter, e teve ao longo dos tempos, outras interpretaçãoes conforme as épocas. Entrar nesta análise penso que não será necessário.

Cumprimentos

João Manuel Santos
Título: Re: Celibato
Enviado por: Victor Passos em 27 de Setembro de 2007, 19:17
Ola Regina
Muita paz

                 Antes demais temos que separar, a castidade com celibato, porque um relaciona-se com a vida sexual, o outro apenas com a condição de viver no estado de solteiro.
                Mas a questão se o celibato é evolução ?
       
   Realmente é , porque nós estamos a ver o Celibato como se estivesse a falar de isolamento e aqui não! 
      Nós estamos a falar de celibato nos sentimentos , pensamento e actos é assim que esses irmãos se fazem sentir ou seja , é estar sem pecado ou lutar contra ele.
     Nós não podemos ver, a sua postura pelo lado material, e sim pelos valores que eles  seguem, que são os do espírito, porque o Celibato para eles é também para tudo que seja material vicioso.
       Por isso eles dizem só dessa forma atingir o Nirvana...

      Não sei se me expressei bem, mas é desta forma que vejo a situação.

   Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: Celibato
Enviado por: Vitor Santos em 28 de Setembro de 2007, 11:46
Olá

Mais uma opinião:

O celibato, com ou sem privação da sexualidade não tem nada de mau nem de bom em si. Não acho que o celibato seja censurável, como também não acho que a opção do casamento seja censurável. É uma opção meramente pessoal.

O celibato da Madre Teresa de Calcutá, por exemplo, foi muito útil, pois a sua missão talvez não fosse possivel de outra forma. Ser mãe ou pai é também uma missão de importância capital. Cada opção tem o seu lugar na sociedade e até se complementam.

O que interessa é que não se faça o mal e se faça o bem independentemente da opção de vida ser o celibato ou o casamento e/ou a maternidade/paternidade.

Quanto ao celibato impostos a alguns sacerdotes, é uma opção de vida. Quem não quiser ser celibatário deve arranjar outro modo de vida.

S. Paulo falou sobre isso:

Citar
»I CORINTIOS [7]
1 Ora, quanto às coisas de que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher;
2 mas, por causa da prostituição, tenha cada homem sua própria mulher e cada mulher seu próprio marido.
3 O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher ao marido.
4 A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher.
5 Não vos negueis um ao outro, senão de comum acordo por algum tempo, a fim de vos aplicardes à oração e depois vos ajuntardes outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.
6 Digo isto, porém, como que por concessão e não por mandamento.
7 Contudo queria que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um deste modo, e outro daquele.
8 Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu.
9 Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se.
10 Todavia, aos casados, mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido;
11 se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.
12 Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher incrédula, e ela consente em habitar com ele, não se separe dela.
13 E se alguma mulher tem marido incrédulo, e ele consente em habitar com ela, não se separe dele.
14 Porque o marido incrédulo é santificado pela mulher, e a mulher incrédula é santificada pelo marido crente; de outro modo, os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.
15 Mas, se o incrédulo se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou a irmã, não está sujeito à servidão; pois Deus nos chamou em paz.
16 Pois, como sabes tu, ó mulher, se salvarás teu marido? ou, como sabes tu, ó marido, se salvarás tua mulher?
17 Somente ande cada um como o Senhor lhe repartiu, cada um como Deus o chamou. E é isso o que ordeno em todas as igrejas.
Título: Re: Celibato
Enviado por: Gigii em 02 de Outubro de 2007, 17:06
Caros companheiros

Obrigado pelas vossas respostas.
Vitor é ilucidativa essa passagem...na verdade a necessidade do casamento pode até ser uma necessidade do nosso estado evolutivo.
Talvez o celibato para o Ser mais evoluido, nem exista, ou seja, ele nunca se sente só, mesmo quando não se entrega a um relacionamento amoroso. Não sei se me faço entender...

Victor Passos... li num tópico a sua referencia á minha troca de nomes...aceite as minhas sinceras desculpas  :-* Já não encontro o tópico  :-\ onde isso estava....
Aliás é algo que me desagrada no forum...como aparecem as mensagens mais recentes, se eu estiver uns dias sem vir, depois para encontrar o fio é meada é dificil... 8)...e logo eu que sou distraida ;)

Um grande abraço a todos
Gi
Título: Re: Celibato
Enviado por: Victor Passos em 02 de Outubro de 2007, 17:23
Ola meus amigos
Muita paz
Regina

                  Minha amiga não tem que pedir desculpa por trocar os nomes, apenas alertei, para que quando aparece uma resposta seguida, não se confunda a quem se responde...Vitor Santos...Victor Passos....Vamos sorrir....tudo bem
                 Fique em paz

                    Vitor estamos de acordo realmente não é necessário estar casado para fazer o bem, assim como o celibato ,na situação que nos coloca também é positivo.
                    Pois faz-se obra em prole dos outros, mas o Celibato de clausura não é igual, pois não se faz nada pelo próximo, e sim apenas pelo próprio, logo  tem o                    egoísmo embuido nele, porque fomos criados para viver em sociedade.  Não cometer erros na clausura, é tão valido como cometer no meio da dificuldade, porque somos mais tentados a fazê-lo vivendo em Sociedade e penso que era aonde a nossa amiga Regina queria chegar....não acha amigo ?
       


VICTOR PASSOS
Título: Re: Celibato
Enviado por: Vitor Santos em 02 de Outubro de 2007, 17:28
Olá Victor

Não há duvida que estamos de acordo, a avaliar pela sua última intervenção.

Bem haja
Vitor Santos

Título: Re: Celibato
Enviado por: Gigii em 02 de Outubro de 2007, 17:49
  Não cometer erros na clausura, é tão valido como cometer no meio da dificuldade, porque somos mais tentados a fazê-lo vivendo em Sociedade e penso que era aonde a nossa amiga Regina queria chegar....não acha amigo ?    



Era essa a minha reflexão sim  ;)

Essa reflexão é uma duvida minha, existencial digamos assim, do momento...

Vejamos o Chico Xavier, aquele doce amigo... sem duvida foi dificil para ele por vezes uma certa solidão. Mas ele tinha um proposito.
Vejamos Kardec, ele tinha uma missão, mas escolheu ter ao seu lado a sua querida Amelie (Gaby), a sua companheira inseparavel...

(estou a pensar alto)

Por vezes parece-me que estar só é mais fácil para seguir certos caminhos, e estudando certas mensagens parece-me que com o tempo o espirito deixa de sentir a necessidade de um ser apenas do seu lado, pois que ele começa a amar muitos...ou a todos da mesma forma.
Será que é mesmo?
Confusão nesta minha cabeça  ::)

Abraços
Gi
Título: Re: Celibato
Enviado por: tearsinheaven em 02 de Outubro de 2007, 17:57
A propósito da energia sexual... Se uma pessoa tiver uma actividade sexual imensa, adoeçe, morre mais depressa que uma pessoa que não o faça (tanto). Isto porquê? Porque nas relações sexuais, orgasmos, descarrega-se bastante energia, energia essa que é vital e custa a recarregar.

Há investigadores que são da opinião que as pessoas que não têm uma actividade sexual elevada.. ou simplesmente não a têm que têm uma actividade intelectual/criatividade muito desenvolvida. Pode essa energia sexual ser canalizada e expressa em determinadas formas... daí o chegar ao "nirvana" ou "superconsciencia" como diria o filosofo Osho.

Segundo este mesmo filosofo (Osho) era da opinião que o estado nirvana (ou superconsciencia) nao podia ser atingido por uma pessoa que nunca tivesse experienciado a sensação de um orgasmo uma vez que esse estado de clareza, "oração", é como um prolongar da sensação espiritual de um orgasmo mas já sem relações sexuais, não desperdiçando essa energia sexual.




Título: Re: Celibato
Enviado por: Victor Passos em 02 de Outubro de 2007, 18:18
Ola amigo tershiaven
Muita paz
                         Não sou expert nas filosofias orientais, mas dentro do pouco conhecimento vou tentar dizer o que sei.
                      Nirvana é um estado de consciência, aquilo que chamam extinção total de toda forma discriminada no UM absoluto.Passando a ser um todo?!

 Essa condição de observação coloca um problema difícil porque ela conduz rapidamente atitude dispersa da consciência; mas de outro lado, esta condição de observação trespassa pensamento consciente e o subconsciente, a compreensão verdadeira, quer dizer não intelectual, desse subconsciente; essa compreensão, directa, intuitiva, imediata, é a condição requerida para que surja a autêntica sabedoria [prajna] que se manifesta progressivamente através da consciência ou seja  nirvana.Portanto estado de consciência como que extase , não necessita de valores sexuais , porque é um estado que só a pureza consciêncial consegue.
      Ora se nós estamos numa estância de sublimidade, estamos fora dos conceitos materiais.
      O vasos reprodutores sexuais sempre estiveram presentes na nossa evolução, porém não quer dizer  que num futuro tal como os espiritos evoluidos , o vejamos de uma forma diferente.
      E  a minha opinião ,mas não faz razão.
        Muita paz

   VICTOR PASSOS
Título: Re: Celibato
Enviado por: SB em 02 de Outubro de 2007, 18:31
De facto tearsinheaven, essa energia pode sempre ser canalizada conscientemente na criação de outras coisas.

Quanto ao aproveitamento dessa energia, pode se-lo em relação sexual, o orgasmo em si é que liberta essa energia, nao o relacionamento, nem os demais ou de menos afectos entre duas pessoas.

Por isso o facto de OSHO ou outros similares espiritualistas afirmarem o que acaba de afirmar. "Segundo este mesmo filosofo (Osho) era da opinião que o estado nirvana (ou superconsciencia) nao podia ser atingido por uma pessoa que nunca tivesse experienciado a sensação de um orgasmo uma vez que esse estado de clareza, "oração", é como um prolongar da sensação espiritual de um orgasmo mas já sem relações sexuais, não desperdiçando essa energia sexual."
No entanto, a pessoa solitária ou em recolhimento, sabendo ou conhecimento todos estes ensinamentos, retirará mais energia ou beneficiará cada vez mais da energia sexual.

Pela forma espiritualista, o sexo fica situado num dos chakras( ou por outra um dos chakras fica situado na zona do sexo) mais importantes, gerador de energia sexual e da emoção, chamado o chakra Sacral.

O que quer dizer que se tivermos um bom relacionamento com esta energia sexual, seja de que forma for, estaremos a lidar bem com o nosso emocional, e sem problemas aparentes, assim activos e abertos tanto á intimidade como á criatividade conseguida sem a necessidade do orgasmo  ;D

Mas isto é mesmo uma visão espiritualista, e em nada de espiritismo  ;)

Beijinhos

Título: Re: Celibato
Enviado por: jorge lobo em 02 de Outubro de 2007, 18:34
Citar
Mas isto é mesmo uma visão espiritualista, e em nada de espiritismo 
- Susana
Nada mesmo de espiritismo, assim como nada de espírita tem esse tal de Osho.
Título: Re: Celibato
Enviado por: SB em 02 de Outubro de 2007, 18:37
Todos sabemos Jorge Lobo, é evidente!  ;)

O que nao quer dizer que nao troquemos ideias, para podermos ter uma melhor escolha, e melhor racionalidade do que empreendemos com Allan Kardec.

É de salutar a aceitação de tudo, e seguir apenas o que a conscienica nos incinta caminhar Sr. jorge Lobo.

Mta Paz

Título: Re: Celibato
Enviado por: jorge lobo em 02 de Outubro de 2007, 18:46
Concerteza amiga Susana.  ;)
É sempre bom trocar idéias mesmo que tenhamos de sair fora do espiritismo. Apenas convém salientar aquilo que é espiritismo e aquilo que não o é, para que não misturemos as coisas. E como nós nos dizemos espíritas e como este fórum é de espiritismo, mais importante ainda se torna fazer essa distinção.
Título: Re: Celibato
Enviado por: Victor Passos em 03 de Outubro de 2007, 09:03
Ola muita paz
Amigo Jorge Lobo

                       Amigo , me desculpe o reparo, acho interessante estarmos a lembrar isto não é espirita ou aquilo não é!?
                          Todas as Filosofias orientais são reencarnacionistas, apesar de espiritualistas , então se pensarmos comovê .não podemos divulgar e esclarecer ,os irmãos de outras religiões porque não são espíritas.  Me perdoe, mas isso seria ser fundamentalista.
            Nós espíritas temos que nos convencer que só com a compreensão e aceitação dos outros credos , como a Doutrina Espirita tem em seus princípios, faremos um bom trabalho.
            Todo o conhecimento é importante.
             Se você me dissesse que se responde pouco aos temas da Codificação, estava de acordo consigo,agora impedir trocar conhecimento com irmãos de outros credos, acho isso menos correcto.Mas quem sou eu ...
           Susaninha gostei da tua resposta , foste ao ponto vital...parabéns.
muita paz
        Victor Passos

                     
Título: Re: Celibato
Enviado por: jorge lobo em 03 de Outubro de 2007, 13:06
Amigo Vitor Passos:
acho que percebeu mal minhas palavras. Veja bem o que escrevi:
Citar
É sempre bom trocar idéias mesmo que tenhamos de sair fora do espiritismo.
Penso que está tudo dito...
Ass:"Jorge Lobo"
Título: Re: Celibato
Enviado por: Victor Passos em 03 de Outubro de 2007, 13:47
OLa muita paz
Amigo Jorge
                   Peço desculpa se percebi mau...mas pareceu-me haver intenção disso...veja..mas não vale a pena entrar em melindres...

Citar
Apenas convém salientar aquilo que é espiritismo e aquilo que não o é, para que não misturemos as coisas. E como nós nos dizemos espíritas e como este fórum é de espiritismo, mais importante ainda se torna fazer essa distinção.
[/color]

Peço perdão se percebi mau...

Muita paz abraço fraterno

Victor Passos
Título: Re: Celibato
Enviado por: SB em 03 de Outubro de 2007, 17:26
Ola Sr. Jorge Lobo,

Esclarecidos que ficamos, que o Jorge pouco se desvia do espiritismo, pareceu-me...

Mas esperei ate hoje que pudesse então falar deste assunto, como espírita que se considera. E pudesse relegar algo que não pudesse aqui ser dito.

Como nao o fez, venho corroborar um pouco do que foi dito pela espiritualidade, para o espiritismo... :D

E sem falar aqui do sexo para reprodução, este assunto o Vitor Passos já respondeu no desenrolar deste Topico e bem, mas apenas no que respeita as últimas respostas…

O Espiritismo, dá-nos a informação que o espírito não tem sexo, encarna em homem e mulher porquanto a sua necessidade nas experiencias, e assim um e outro se estimulam mutuamente dando lugar a evolução, pois é através da emoção que se efectua com mais ou menos gravidade. Sendo que o sexo para o espírito, entende o amor e a simpatia, baseados portanto nos sentimentos.

Já dizia André Luiz que o sexo reside na mente. ;)

Assim, não só em OSHO mas também no espiritismo, os seres mais puros, entenderão o amor como puro e sem necessidade de sexo.

Nós caminhamos para sublimar as emoções, renunciando ao desejo supérfluo até alcançarmos o amor divino, atributo dos Seres Puros, que se edificaram para a união com Deus. O "nirvana" de OSHO  ;D ;)


Mta paz
Título: Re: Celibato
Enviado por: jorge lobo em 03 de Outubro de 2007, 17:43
Olá Vitor Passos: claro que não vale a pena entrar em melindres. Eu sempre continuo a dizer (e perdoem se me estou a repetir) que qualquer religião é boa se conduz ao bem cultivando bons preceitos morais. Que todas as pessoas têm o direito de ler qualquer tipo de livros (sejam eles espíritas ou espiritualistas), pois ninguém deve impor este ou aquele tipo de leitura pois que isso seria interferir com o livre-arbitrio das pessoas. Como diz o povo:"há gostos para tudo". Há quem goste de ouvir Mozart e há quem goste de ouvir musica pimba. Gostos não se discutem! O que quis deixar bem claro é que existe leitura que nada tem a ver com espiritismo (caso do tal osho), mas isso não significa que eu seja contra as pessoas que gostam desse autor. Afinal estamos num país democrático e livre e cada qual lê o que quer. Agora que é preciso separar as coisas, lá isso é!
Ass:"Jorge Lobo"
Título: Re: Celibato
Enviado por: Ana Ang em 03 de Outubro de 2007, 17:44
Olá aos amigos :)

Regina,

Nunca tive uma opinião formada sobre este assunto e aproveitei o tópico para refletir :)

Me parece que o celibato sempre ocupou o seu lugar junto aos grandes missionários da Humanidade, como Paulo de Tarso e Francisco de Assis, assumindo características de elevação do ser, numa espécie de pureza de virtudes.

Este site (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy52YWRlbWVjdW1lc3Bpcml0YS5jb20uYnI=) fornece referências sobre o celibato. ;)

Abraço afetuoso!  
Título: Re: Celibato
Enviado por: Victor Passos em 03 de Outubro de 2007, 18:09
Ola muita paz
Amigo Jorge

                Amigo Jorge , não vou tornar-me repetido, apenas quero dizer que a amiga Susana , teve luz e respondeu por mim...
                E queria dizer que aqui não se trata de iluminismo, nem subjectividades, mas apenas do uso do bom senso,  e tolerância por todos os temas, porque no intercâmbio de ideias espiritualistas, espíritas , ou não é que achamos lucidez para entender a nossa caminhada, o Deus é o mesmo, chamem-lhe António...Butha...Krishna...Confugio...o importante é uma consciência de bem e respeito mutuo pelos valores de cada um.
               Penso que um abraço e um sorriso de amizade permite equacionar consenso.

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: Celibato
Enviado por: Vitor Santos em 03 de Outubro de 2007, 18:45
Olá

O Livro dos Espiritos é claro quanto ao celibato:

Citar
698. O celibato voluntário representa um estado de perfeição meritório aos olhos de Deus?

“Não, e os que assim vivem, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam o mundo.”

699. Da parte de certas pessoas, o celibato não será um sacrifício que fazem com o
fim de se votarem, de modo mais completo, ao serviço da Humanidade?

“Isso é muito diferente. Eu disse: por egoísmo. Todo sacrifício pessoal é meritório,
quando feito para o bem. Quanto maior o sacrifício, tanto maior o mérito.”

Esta regra está definida em toda a codificação e nas palavras de Jesus: Tudo o que façamos que tenha como intenção e consequência apenas o bem está certo. A intenção é tudo.

Quanto à energia sexual e quanto ao respectivo aproveitamento ou consumo, nada sei. Energia sexual só conheço a energia fisica que gastamos no acto sexual? Será isso? Os estudos cientificos que tenho visto falam de beneficios do sexo para a saude.

Embora a sexualidade não dirigida para a reprodução seja fruto uma necessidade animal e não espiritual, não é nenhum crime aos olhos de Deus, como não são crime os nossos momemntos de lazer que não são úteis a não ser para nos distrairmos ou divertirmos, desde que não conduzam ao mal e não sejam a razão de viver e a única actividade das pessoas.

bem hajam
Vitor Santos
Título: Re: Celibato
Enviado por: Gigii em 04 de Outubro de 2007, 13:53
Oi companheiros:


Assim, não só em OSHO mas também no espiritismo, os seres mais puros, entenderão o amor como puro e sem necessidade de sexo.
Nós caminhamos para sublimar as emoções, renunciando ao desejo supérfluo até alcançarmos o amor divino, atributo dos Seres Puros, que se edificaram para a união com Deus. O "nirvana" de OSHO  ;D ;)


Absolutamente de acordo Susana. Parece-me agora que deve ser por aí o caminho.


Esta regra está definida em toda a codificação e nas palavras de Jesus: Tudo o que façamos que tenha como intenção e consequência apenas o bem está certo. A intenção é tudo.

Também penso assim Vitor. O que me leva a concluir que quando o celibato visa o sacrificio individual para atender á familia, por exemplo, será caminho para a evolução, não é? Mas o celibato pode também ser uma forma de nos dedicarmos a um projecto, e aí nem sentirmos que exista sacrificio e no entanto ser também uma forma de progresso interior.

Embora a sexualidade não dirigida para a reprodução seja fruto uma necessidade animal e não espiritual, não é nenhum crime aos olhos de Deus, como não são crime os nossos momemntos de lazer que não são úteis a não ser para nos distrairmos ou divertirmos, desde que não conduzam ao mal e não sejam a razão de viver e a única actividade das pessoas.

É isso...mas talvez em vez de deixarmo-nos levar pelas propostas de "vive agora o momento", "disfruta que a vida é curta", devessemos encetar o caminho do "mãos á obra que o tempo urge", não?

(pensando alto de novo  ;))....

Há tempos comentava-se nos meios de comunicação que talvez Jesus tivesse casado com Madalena (há quem realmente afirme ter encontrado indicios disso).
Ora, desculpem o termo, nunca ouvi tamanho disparate!
A verdade é que escutei espiritas afirmarem que Jesus era um homem como nós e que isso seria natural. :o
No entanto o bom senso diz-me que um ser de tal evolução como é Jesus ( os espiritos afirmam várias vezes que Ele foi o espirito mais evoluido que pisou a Terra), com plena consciencia da missão que trouxe, e sabendo que tinha uma passagem curta pelo nosso planeta, não iria perder tempo a constituir familia, mesmo que isso fosse tradição na época.
Pois veja-se o caso de Gandhi, que certamente não tem a mesma evolução que Jesus, e por volta dos 40 anos "convidou" a esposa a partilharem o quarto como irmãos.
Se o próprio Gandhi reconhece que o sexo era perturbador da sua ligação á espiritualidade, como imaginar que o nosso mestre se prestaria a tal?

Pois bem... são apenas reflexões...

Um grande abraço
Gi
Título: Re: Celibato
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Outubro de 2007, 19:34
Olá Regina

Também acredito que seres como Jesus não sintam necessidade nem interesse pelo sexo. Tratando-se de uma necessidade muito ligada ao corpo fisico, necessária para assegurar a reprodução das espécies, não é própria de seres tão elevados, cuja única ligação à matéria se prende com uma missão de altissimo nivel.

Contudo, o sexo faz parte das necessidades das pessoas comuns deste planeta e a sua prática, per si, é normal e salutar, desde que não se torne numa obsessão.   

bem haja
Vitor Santos
Título: Re: Celibato
Enviado por: Gigii em 24 de Janeiro de 2008, 23:15
Queridos companheiros do forum,

Coloco aqui uma das passagens mais lindas e profundas que pude ler alguma vez num livro espírita: a conversa entre Jesus e Maria de Magdala retratado no livro Boa Nova, pelo espírito Humberto de Campos, psicografia de Francisco C.Xavier, FEB, 32ª edição, 2004, pág.131/134. Vale a pena ler toda esta passagem.


"Maria de Magdala ouvira as pregaçõess do Evangelho do Reino, não longe da Vila principesca onde vivia entregue a prazeres, em companhia de patrícios romanos, e tomara-se de admiração profunda pelo Messias.

(...)
Vencendo, porém, as suas mais fortes impressões, assim falou, em voz súplice, feitas as primeiras saudações:
_Senhor, ouvi a vossa palavra consoladora e venho ao vosso encontro!...Tendes a clarividência do céu e podeis adivinhar como tenho vivido! Sou uma filha do pecado. Todos me condenam. Entretanto, Mestre, observai como tenho sede do verdadeiro amor!...Minha existência, como todos os prazeres, tem sido estéril e amargurada...

 As primeiras lágrimas lhe borbulharam dos olhos, enquanto Jesus a contemplava, com bondade infinita. Ela, porém continuou:
_Ouvi o vosso amoroso convite ao Evangelho! Desejava ser das vossas ovelhas; mas será que Deus me aceitaria?
 O Profeta nazareno fitou-a, enternecido, sondando as profundezas do seu pensamento,e respondeu, bondoso:
_Maria, levanta os olhos para o céu e regozija-te no caminho, porque escutaste a Boa Nova do reino e Deus te abençoa as alegrias! Acaso, poderias pensar que alguém no mundo estivesse condenado ao pecado eterno? Onde, então, o amor de nosso Pai? Nunca viste a Primavera dar flores sobre uma casa em ruínas? As ruínas são as criaturas humanas; porém, as flores são as esperanças em Deus. Sobre todas as falências e desventuras próprias do homem, as bençãos paternais de Deus descem e chamam. Sentes hoje esse novo Sol a iluminar-te o destino!Caminha agora, sob a sua luz, porque o amor cobre a multidão de pecados.
(...)
_Sim (...), tua sede é real. O mundo viciou todas as fontes de redenção e é imprescindivel compreender que em suas sendas a virtude tem de marchar por uma porta muito estreita. Geralmente, um homem deseja ser bom como os outros, ou honesto como os demais, olvidando que o caminho onde todos passam é de fácil acesso e de marcha sem edificações. A virtude no mundo foi transformada na porta larga da conveniência própria. Há os que amam os que lhes pertencem ao círculo pessoal, os que são sinceros com os seus amigos, os que defendem seus familiares, os que adoram os deuses do favor. O que verdadeiramente ama, porém, conhece a renúncia suprema a todos os bens do mundo e vive feliz, na sua senda de trabalhos para o dificil acesso ás luzes da redenção.
O amor sincero não exige satisfações passageiras, que se extinguem no mundo com a primeira ilusão; trabalha sempre, sem amargura e sem ambição, com os júbilos do sacrificio. Só o amor que renuncia sabe caminhar para a vida suprema!...


(...)
_Vai, Maria!...Sacrifica-te e ama sempre. Longo é o caminho, dificil a jornada, estreita a porta; mas, a fé remove os obstáculos...Nada temas: é preciso crer somente!"



Quando releio esta mensagem, permaneço com a convicção de que para alcançarmos a felicidade teremos de renunciar ao amor egoista, e que só o amor desinteressado pela humanidade nos eleva...Estarei a interpretar mal?


Abraços
Gi