Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Sexualidade => Tópico iniciado por: Eduardo V. S. em 21 de Junho de 2013, 03:56

Título: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Eduardo V. S. em 21 de Junho de 2013, 03:56
Olá, queridas amigas e queridos amigos! Ainda sou novo neste fórum e fico muito feliz por essa liberdade de escrever tópicos, discorrer conscientemente sobre assuntos envolvendo espiritismo e principalmente dividir meu conhecimento e experiências. O tema do qual eu gostaria de tratar dessa vez é a assexualidade como uma característica espiritual muito importante no processo de evolução. Por favor, perdoem-me por qualquer erro ou informação subjetiva abaixo, eu não li nenhum livro espírita e o que eu escrevi aqui é baseado no que eu já li na internet (em fontes que posso chamar de confiáveis) e ouvi da minha mãe (que é espírita há anos e já fez vários anos de curso espírita). Eu escrevi a abaixo a minha opinião pessoal, que pode (ou não) assimilar-se à de outras pessoas ou grupos. Ficaria muito feliz se lessem isso.

Bem, vamos lá então. Se vocês, caros leitores, conhecem os preceitos mais básicos da doutrina espírita, certamente devem estar cientes de que qualquer apego excessivo a coisas materiais por um ser humano é uma indicação de inferioridade espiritual, ou seja, de falta de evolução e de compreensão de valores reais. O propósito da vida humana é praticar o amor, a caridade e o respeito genuínos para com semelhantes, pretendendo ao máximo possível se livrar do desejo por prazeres mundanos dos mais variados tipos. Sim, estes ensinamentos podem ser considerados a base para o espiritismo; quem ainda não viveu uma vida livre de excessos e com amor puro (livre de interesses) continuará a reencarnar na Terra até que atinja esse objetivo.

É claro que, se nascemos neste mundo, é porque ainda não aprendemos a praticar a humildade plena na maioria das ocasiões ou porque ainda não desenvolvemos todo o intelecto que nos permita a passagem para o estágio angelical (aquele que sucede o estágio humano ou animal racional, que por sua vez sucede o estágio animal irracional). Por isso, existe um sistema de princípios, pensamentos e modos de agir de um ser humano que pode ser chamado de ideal e que, teoricamente, é aplicável a qualquer vida humana. Aquele que viver um longo período de sua vida de acordo com o seu ideal conseguirá desprender-se de muitos apegos e paixões do mundo terreno e provavelmente irá evoluir espiritualmente. Muitas pessoas conhecem o seu ideal, mas não procuram viver totalmente de acordo com ele. Procuram-no parcialmente no entanto, dedicando uma certa porção de suas vidas a prazeres mundanos e abrindo mão, consequentemente, de uma "aceleração" no processo evolutivo. Quanto mais predominante for o ideal na sua vida, mais rápido você evoluirá. Existem diversas religiões, como o cristianismo e o budismo, que ensinam esses conceitos dentro de seu repertório de crenças, textos e outros elementos; eu considero que ter em mente os sete pecados e as sete virtudes capitais ensinados pelo catolicismo como exemplos do que não fazer o do que fazer respectivamente é uma ótima maneira de guiar-se rumo a uma condição ideal. É evidente que aqueles acostumados com coisas materiais terão dificuldades para "largar" delas a princípio, mas o tempo, a vontade, o vigor, a persistência, o entusiasmo e até a auxílio dos outros poderão mudar isso.

Levando em consideração a discussão acima, podemos prosseguir com o raciocínio falando agora sobre o tema principal do tópico: a sexualidade. Biologicamente falando, esta é uma propriedade inerente de e importante para praticamente todos os seres vivos; é através dela, na maioria dos casos, que novos descendentes de uma espécie são gerados. Para os animais, a sexualidade também é frequentemente algo a mais que uma necessidade, estando ligada ao prazer e às interações sociais. Como seres humanos também são animais, essa descrição é válida para eles. No entanto, agora falando de uma perspectiva espiritual, a sexualidade também é material e portanto, qualquer ligação excessiva a ela é apego material da mesma forma que é a gula, a ganância, a avareza etc. A palavra "sexualidade" é frequentemente interpretada como referente a "relações" materiais propriamente ditas; estas se praticadas de maneira extrema são maléficas e atrasam muito a evolução. No entanto, "sexualidade" é referida por mim aqui como qualquer tipo de ligação entre um corpo e outro que ocorre de maneira instintiva e\ou romântica, que não é amor materno, paterno, fraterno ou de amigo. Isso significa que mesmo casar-se, namorar, "ficar" etc. não são atividades ideais para uma vida. É claro que podem existir muitos tipos de relacionamentos diferentes, mas todos têm apego material, uns (bem) mais e outros (bem) menos, mas todos têm. Pense bem. Muitos começam a namorar simplesmente porque acham outra pessoa bonita; isso demonstra grande apego material. Mesmo que o namoro seja focado nas características relacionadas à personalidade ou aos sentimentos de uma pessoa, ele é dominado por um amor condicional, aquele em que se impõem limites e interesses ("você não amaria se não fosse 'aquela' pessoa"). Lembre-se que isso não é nada ideal, pois o amor de Deus é genuíno e incondicional, ele não escolhe pessoas por sua aparência, hábitos, pensamentos, sentimentos ou quaisquer particularidades. Além disso, o tempo gasto com atividades que só beneficiam a duas pessoas de maneira predominantemente material poderia ser gasto em outras que beneficiariam a muitos de maneira predominantemente espiritual.

A sexualidade é sim uma coisa importante para a vida humana, ela pode fazer-nos mais felizes e até mesmo enriquecer nossa espiritualidade, mas não é ideal. Portanto uma orientação assexual é a melhor que uma pessoa pode seguir. Há quem diga que é capaz de ter uma vida ideal "com alguém", ou apegado a um certo tipo de sexualidade. Lembre-se que se você pensa em uma só pessoa muito mais do que no coletivo, não é ideal. Se você sente que não está na hora ainda de ter uma vida ideal, a escolha é sua, mas sempre guarde na cabeça que tal modo de viver seria-te infinitamente benéfico.

Agradeço a todos, sinceramente, pela atenção e carinho ao ler esse texto. Saibam que a sua opinião significa muito para mim, portanto sintam-se livres para comentarem o que quiserem a respeito. Que a paz esteja com todos!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: skidwasted em 22 de Junho de 2013, 11:21
Bem Eduardo, você ainda não leu nenhum livro e está começando agora, acho que já está indo na direção certa!
Essa semana, essa questão da sexualidade x matrimônio me veio à mente.
Jesus, Chico e outros grandes não se casaram e tinha sexualidade nula.
Casei-me antes de "tentar" seguir os preceitos espíritas e, já até tentei dar um tempo, mas minha mulher reclamou bastante  :-\
Você está certo quando menciona: "...o tempo gasto com atividades que só beneficiam a duas pessoas de maneira predominantemente material poderia ser gasto em outras que beneficiariam a muitos de maneira predominantemente espiritual." Acho que Deus junta duas pessoas para poderem se ajudar a evoluir.
Se livrar do desejo por prazeres mundanos é muito difícil e uma luta diária.  A "aceleração" no processo evolutivo é o que realmente devemos buscar. O sentido de nossa vida.
Muitas situações de vida me ensinaram na marra a perda do orgulho e agradeço à Deus, pelas oportunidades de melhoramento!
Bem, acho que as outras qualidades ruins também posso ir trabalhando, mas com certeza ainda vou voltar, se até o Chico disse que ele voltaria a reencarnar.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 22 de Junho de 2013, 15:50


Existe amor incondicional entre os sexuados sim! há pessoas que dão suas vidas por seus amados(as), mesmo sabendo que irão conviver com outro, e tomar posse de todos os seus bens...

A atração pode facilitar no inicio de um relacionamento, mas não é empecilho para se construir um  verdadeiro amor entre dois...
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 22 de Junho de 2013, 17:55
Mano skidwasted,
na verdade vem crescendo entre os pesquisadores judeus e mesmo outros, a certeza de que sim, Jesus se casou, bem como alguns de seus apóstolos, a idéia que a Igreja passou já de tempos, é vista como uma forma de transferir mais "santidade" àquele que dela não necessitava.
Abraços,
Moura
 
Bem Eduardo, você ainda não leu nenhum livro e está começando agora, acho que já está indo na direção certa!
Essa semana, essa questão da sexualidade x matrimônio me veio à mente.
Jesus, Chico e outros grandes não se casaram e tinha sexualidade nula.
Casei-me antes de "tentar" seguir os preceitos espíritas e, já até tentei dar um tempo, mas minha mulher reclamou bastante  :-\
Você está certo quando menciona: "...o tempo gasto com atividades que só beneficiam a duas pessoas de maneira predominantemente material poderia ser gasto em outras que beneficiariam a muitos de maneira predominantemente espiritual." Acho que Deus junta duas pessoas para poderem se ajudar a evoluir.
Se livrar do desejo por prazeres mundanos é muito difícil e uma luta diária.  A "aceleração" no processo evolutivo é o que realmente devemos buscar. O sentido de nossa vida.
Muitas situações de vida me ensinaram na marra a perda do orgulho e agradeço à Deus, pelas oportunidades de melhoramento!
Bem, acho que as outras qualidades ruins também posso ir trabalhando, mas com certeza ainda vou voltar, se até o Chico disse que ele voltaria a reencarnar.


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Junho de 2013, 17:57
Olá amigos

A minha opinião é que sendo cada um de nós um único espírito imortal, associado a um corpo de carne mortal, não podemos viver como se fossemos espíritos desencarnados.

A actividade sexual é uma necessidade física básica, como a fome. Logo, para quem a tem, pois há pessoas que efectivamente estão naturalmente livres dessa necessidade, trata-se de algo necessário e saudável, para manter o equilíbrio do corpo de carne e até o equilíbrio psicológico.

De nada vale uma pessoa andar a carregar uma necessidade que pode satisfazer. Pois a pessoa também pode ficar constrangida e perturbada devido a uma necessidade fisiológica não satisfeita. E uma necessidade fisiológica não se consegue evitar. É algo físico.

Para além disso, a família é o grupo humano mais importante. E quando as pessoas optam por viver juntas, se uma delas tem necessidades fisiológicas básicas que não são atendidas, terá muito mais probabilidade de trair o parceiro. E isso pode gerar violência, pode gerar conflito.

Assim, a opção não é entre praticar sexo ou não, mas então ser celibatário ou não. Porque não sendo celibatário, se o casamento já não se extinguiu, e não é apenas uma farsa, é normal que haja sexo. E penso que isso é saudável.

Se todos optassem por ser celibatários, a natalidade tendia para zero, ou então a fertilização passaria a ser toda realizada artificialmente. Como um industria.

Penso que o problema da não evolução espiritual da humanidade, não é o excesso de sexo. Os seres humanos são um pouco obsessivos em relação ao sexo, por vezes, isso pode ser mau. Mas, em regra, parece-me que se trata de algo que tem a haver com o incentivo à procriação da espécie.

Não me parece que a necessidade sexual seja uma imperfeição, mas uma característica natural humana. As qualidades da alma são a base da evolução espiritual. E penso que a prática do sexo não reduz essas qualidades. A não ser que a pessoa não sinta a necessidade fisiológica de praticar sexo.

Se praticar sexo nos aproxima dos animais, também alimentar-se nos aproxima dos animais. E não vamos deixar de comer para nos tornar-nos mais evoluídos espiritualmente...

Se Deus decretou as leis da natureza, é porque é assim que deve ser. E não para nos obrigar a evitar necessidades fisiológicas básicas, como se devêssemos sofrer um castigo por ter um corpo de carne. Para além disso, a actividade sexual reduz ao longo da idade. Depois da idade da procriação os corpos das mulheres alteram-se.

Eu não considero ninguém espiritualmente mais evoluído por não praticar sexo. Nem vejo uma relação directa entre ambas as coisas. Ser obcecado por sexo, ser pedófilo, viver quase só para o sexo, pode indicar um nível de apego à matéria excessivo, para além de doença psicológica, neurológica ou psiquiátrica. Mas para quem tem uma vida sexual normal, não vejo razões para deixar de a ter para evoluir espiritualmente.

Jesus indicou os critérios da evolução espiritual: não fazer ao próximo aquilo que não queremos que nos seja feito; não praticar aquilo que reprovamos nos outros; não ser violento; não ser vingativo; Nesses critérios não está incluído o celibato, ou a não prática sexual. Os católicos é que têm a tendência para associar o sexo ao mal, ao Diabo, figura em que eles acreditam. No espiritismo não há diabolização do sexo. E onde se houve falar mais em pedófilos é no seio da igreja católica, ainda por cima sacerdotes. Será que parte dessas obsessões não advêm precisamente da repressão desnecessária de uma necessidade fisiológica básica, que depois se torna em doença psicológica?

O tempo que as pessoas gastam a ver TV é bem mais mal empregue do que o tempo que passam a fazer sexo, com a programação que os canais de TV têm hoje em dia. O tempo que as pessoas passam a ver futebol também...   

bem hajam
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Rene Narciso em 22 de Junho de 2013, 19:08
Sinto muito Eduardo, mas discordo.

Admito que existem espíritos elevados que possam ter avançado para além das necessidades carnais. Mas a sexualidade pode sim ser um caminho que leva a Deus, como qualquer outra atividade. Estar apaixonado, esta união de corpo, coração, mente e alma, é enxergar a face de Deus em sua vida.

Também discordo de sua tese de que estar apaixonado é deixar de amar o resto da humanidade. Sinceramente, depois que eu encontrei esta pessoa maravilhosa que é a minha esposa, com a qual gosto muito de fazer sexo, eu passei a me sentir muito mais em contato com o resto da humanidade, muito mais compreensivo, amigo, tolerante, todas as coisas que me faltavam quando eu era um solitário celibatário.

Como o Vitor disse, a obsessão com a castidade pode ser apenas o outro lado da moeda da obsessão com o sexo. Aliás, muitas vezes andam juntas. Kardec escreveu sobre isso; a mortificação da carne, o orgulho pelo sacrifício, essas coisas todas podem indicar um tipo de materialismo mal-resolvido. Vamos admitir, o tempo que alguns padres e religiosos gastam lutando contra as "tentações da carne" também não é utilizado em "atividades que beneficiariam a muitos." As vezes, valeria mais a pena para o padre se casar.

Agora, não estou acusando ninguém ou dizendo que você deveria namorar e se casar. Acredito que algumas pessoas são mesmo mais asexuadas por natureza, por desenvolvimento espiritual ou o que quer que seja. Se este é o seu caminho, de fato, lhe desejo muita felicidade nele. Não devemos julgar os nossos semelhantes.

Outra coisa que tem que ser entendida é que a corrosão da espiritualidade em nossa época se deve, entre outras coisas, a uma postura intransigente por parte das religiões tradicionais em relação ao sexo. Cada vez que um religioso começa a discursar contra o sexo antes do casamento, contra a homosexualidade, ou mesmo contra qualquer manifestação da sexualidade, ele estará empurrando mais um montão de jovens para o ateísmo, para o agnosticismo.

Em outras palavras, é o "vocês são impuros, o nosso Deus não quer vocês." Aliás, é o caso de muitos amigos meus que são gays e que correm de qualquer religião, pois aprenderam que não são bem-vindos. E estão certos, vão fazer parte de um movimento que os demoniza? Não vamos ficar criando mais motivos para dividir a humanidade, porque isso só faz tornar as pessoas mais céticas.

E qual é a bondade e sabedoria de um Deus que nos dá um orgão sexual mas depois diz que não é para usá-lo? Seguir essa linha é dar mais argumentos para o ateísmo.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 22 de Junho de 2013, 19:44

Amigo Eduardo V. S.,

Viver assexuadamente é, simplesmente, egoísmo!

É negar aos nossos irmãos espirituais a oportunidade de encarnar para evoluir!

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Eduardo V. S. em 22 de Junho de 2013, 21:31
Discordo. Viver assexuadamente é viver em paz e livre de apegos materiais. Jesus, por exemplo, era assexuado. Muitos de seus discípulos eram também. Buda também. Chico Xavier também...
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 22 de Junho de 2013, 22:19
Discordo. Viver assexuadamente é viver em paz e livre de apegos materiais. Jesus, por exemplo, era assexuado. Muitos de seus discípulos eram também. Buda também. Chico Xavier também...


Quanto à Jesus e Buda nada se pode afirmar com certeza!

Mas permanece a questão: De onde viriam os corpos materiais para encarnarmos e evoluirmos? Geração espontânea?

Casar, gerar filhos, educá-los, é colaborar com a Obra da Criação.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Matheus Guisoni em 22 de Junho de 2013, 22:24
Olá a todos do tópico.

Tema maravilhoso

Assexualidade: uma condição ideal do espírito?
Amigo criado do tópico, antes de tudo gostaria de lhe dizer que o espírito já é assexuado, tanto é que pode reencarnar em organismos femininos e masculinos.

Em um futuro um tanto remoto, em outros estágios de evolução(antes do angelical, alias, bem antes) não haverá a necessidade de gêneros e as diferenças serão outras. No entanto, essa é uma condição animal e que por mais que nosso senso de que somos qualquer coisa acima disso possa nos engrandecer, precisamos dessa maravilhosa ferramenta. O sexo, antes de mais nada garante a lei divina da reprodução em nossa esfera e em nossa dimensão de existência. Não é um ultraje e faz parte da complementação e reposição de forças que nós tanto precisamos para conseguir vencer nossas provas e expiações.

Vi comentários muito "orientais" aqui e é legal. No entanto a visão de algumas doutrinas acerca da sexualidade não condiz com o que estão escrevendo. O budismo por exemplo, que diga-se de passagem NÃO é uma religião, pois não há deus/deuses e muito menos religação com qualquer coisa, desestimula a prática sexual por apontar essa como uma das causas do sofrimento humano(no entanto Sidartha teve um filho). Outra coisa muito triste que vi escrito, dizer que Jesus e outros missionários não possuíam sexualidade. De fato eles não tinha necessidade, pois para eles isso não era preciso para exercer suas missões aqui, o que não se aplica a nós.

Só uma lembrança de O Livros dos Espíritos:
Questão 698: "O celibato voluntário é um estado de perfeição, meritório aos olhos de Deus?
 - Não, e os que vivem assim, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam a todos"

Abraços
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Rene Narciso em 23 de Junho de 2013, 02:12
Eduardo, há uma diferença entre assexuado e celibatário, veja bem. Jesus, Chico Xavier e outros eram supostamente celibatários, mas não sabemos se eram assexuados ou não.

O assexuado é quem não tem sente atração sexual, tem pouca libido. Já conheci pessoas assim, e inclusive muitas nem eram religiosas ou particularmente preocupadas com moralidade. Não me pareciam mais "adiantadas". A baixa libido me parecia mais um condição hormonal destas pessoas, de nascença.

Já o celibatário evita a relação sexual, mas não deixa necessariamente de sentir estas vontades da carne. Não é um ser assexuado. Não sei dizer se Jesus era assexuado ou apenas celibatário.

Viver assexuadamente é viver em paz? Talvez, para quem já esteja nesse estado da evolução, para quem já é assexuado por natureza. Porém, para quem sente as agulhadas da vontade de fazer sexo, não acho que negar estas vontades seja "viver em paz". Muito pelo contrário.

Aliás, mesmo nesse nosso século 21 tão aberto para tudo, ainda tem um monte de gente por aí fazendo de tudo para sufocar suas tendências naturais e sofrendo o diabo. Tenho um amigo que fez seminário, quase virou padre católico, e ele me disse que alguns padres são gays que escolheram uma vida de celibato, e que o sofrimento é muito grande, é uma constante batalha interna pelo auto-domínio.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Eduardo V. S. em 23 de Junho de 2013, 05:20
Rene,

Verdade. Eu estava um pouco em dúvida sobre "assexual" e "assexuado" serem termos apropriados ou não; "celibatário" é realmente o mais correto. No entanto, há de se convir que qualquer um que exerça seu celibato até um determinado ponto torna-se assexuado, da mesma forma que qualquer que tente se desapegar de vícios e paixões materiais em geral pode atingir um nível em que não sente mais necessidade delas.

Levando em conta o discorrimento que fiz sobre as atitudes "ideais" e "não ideais" para uma vida humana, que foi baseado (indiretamente) em diversas fontes de livros, textos sagrados espíritas ou não espíritas, podemos concluir que a assexualidade é sim uma característica de espíritos evoluídos. A vida na Terra não é pra descanso ou diversão, estes são apenas partes dela; a vida aqui é para aprendizado do amor, do perdão, da dignidade e para o desenvolvimento do intelecto. É claro, qualquer um pode dizer "ora, mas se não tivéssemos sexualidade, ninguém se reproduziria e a espécie humana seria extinta"; para estes a resposta é simples: aquele que se desapegar de todas as coisas deste mundo material e aprender todo o amor e intelecto necessários, não precisará mais reencarnar nele.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 23 de Junho de 2013, 09:10
Olá

Citar
A vida na Terra não é pra descanso ou diversão, estes são apenas partes dela;

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/sexualidade/assexualidade-uma-condicao-ideal-do-espirito/#ixzz2X1UTNuid

As necessidades fisiológicas básicas não são propriamente um divertimento. São, ao contrário, uma forma de escravatura que o corpo de carne nos impõe. Se nós fossemos espíritos desencarnados, ao invés de encarnados, não teríamos essas necessidades.

O facto de o sexo dar prazer, como comer determinadas coisas dá prazer, são incentivos naturais à procriação e à alimentação, que servem para manter o corpo físico equilibrado.

Não sou nada adepto da santidade do sexo, que algumas crenças orientalizadas apontam, como não sou nada adepto da diabolização do sexo.  Entendo que se trata de uma função derivada do facto de termos corpos animais associados. É verdade, ou pelo menos eu quero acreditar, que cada um de nós é um só espírito imortal. E que os vários  corpos de carne onde esse espírito encarna, é apenas um veiculo provisório e mortal.

Mas não é possível ao ser humano fingir que não tem corpo de carne. Não podemos comparar o homem comum, que é a regra, com espíritos já mais avançados, que já tinham ultrapassado a fase de encarnar em mundos como a Terra. É evidente que as motivações, a sabedoria, a pureza, a inteligência, a sensibilidade moral, desses espíritos os conduziram por caminhos que eram adequados para a missão que eles vinham cumprir.

É verdade, que, ao que parece, o sexo tinha uma importância diminuta para esses encarnados, que já não são deste mundo, e que vieram à Terra em missão. Mas é preciso imitá-los no que é essencial, isto é no altruísmo. É esse o desafio que se coloca. Imitá-los apenas no comportamento sexual, é uma visão redutora da elevação desses homens e mulheres que vieram iluminar o mundo. A elevação espiritual deles não se alcança com medidas como o atrofiamento da sexualidade.

O atrofiamento da sexualidade vem da superioridade espiritual desses espíritos elevados. Eles não sentem as mesmas necessidades do que nós, provavelmente. Mas isso não é um dado cientifico. Não sabemos se é realmente assim. Mas, de qualquer moda,  a não necessidade sexual não leva à elevação espiritual, a elevação espiritual é que pode levar ao desligar das necessidades sexuais.

Como a elevação espiritual pode levar a não ter necessidade de objectos materiais, a não ser os essenciais, como a mochila que era o património de Teresa de Calcutá, diferenciando-a do cidadão comum da Terra, que se acha com a necessidade de se rodear de inúmeros objectos materiais. Assim também pode levar a outras formas de se comportar.

Mas a natureza altruista e a elevação espiritual das pessoas é algo que vem do interior. Que vem da alma. E não dos costumes materiais das pessoas. O desinteresse pelas coisas materiais, pelo sexo, por exemplo, é uma consequência e não a causa da elevação espiritual.

bem haja
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 23 de Junho de 2013, 12:24
Creio eu que os espíritos elevados não tenham necessidade materiais mesmo encarnados, cabe a eles usar da matéria ou não.., a superação das necessidades materiais, não impõe a eles alguma regra.

Ser pobre ou celibato não é sinônimo de avanço espiritual...

Se celibato fosse realmente sinônimo de santidade não haveria padres pedófilos.

Uma coisa é "ser" outra é se martirizar em vão.. 
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Junho de 2013, 12:33
Só uma lembrança de O Livros dos Espíritos:
Questão 698: "O celibato voluntário é um estado de perfeição, meritório aos olhos de Deus?
 - Não, e os que vivem assim, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam a todos"

Só que esta questão tem que ser analisada junto com estas:

   693. As leis e os costumes humanos que objetivam ou têm por efeito  criar obstáculos à reprodução são contrários à lei natural?

      — Tudo o que entrava a marcha da Natureza é contrário à lei geral.


 694. Que pensar dos usos que têm por fim deter a reprodução, com vistas à satisfação da sensualidade?

      — Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e o quanto o homem está imerso na matéria.


Conclusão: O  sexo pelo sexo, sem fins reprodutivos, com uso de contraceptivos significa predominio da matéria de acordo com os espíritos, isso não significa que seja feio ou pecaminoso, mas apenas que tem sido utilizado com a finalidade diversa do seu principal objetivo o que ainda se encontra dentro do estágio evolutivo da maior parte da humanidade que habita este planeta, onde predomina o mundo dos sentidos, humanidade esta na qual me incluo.
Só para constar, eu tb não cheguei neste estágio, mas não posso rebaixar o ideal porque ainda não me adequei a ele.
Continuo tentando.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Junho de 2013, 12:39
Já postei este texto antes em tópico semelhante, mas cabe também aqui:

" Quando a porta ao divino se abre, todas as energias que estão em você começam a fluir em direção a essa porta. O sexo é absorvido. Sempre que um deleite mais alto torna-se possível, as formas mais baixas de prazer tornam-se irrelevantes. Você não deve reprimi-los ou lutar contra elas. Elas apenas murcham. O sexo não é sublimado; é transcendido."
Osho


"A energia da vida é uma, mas ela pode manifestar-se em muitas direções. O sexo é uma delas. Quando a energia da vida torna-se biológica, torna-se energia sexual.
 
O sexo é apenas uma aplicação da energia da vida. Assim, não há a questão da sublimação.
 
Sexo é o fluxo natural, biológico, da energia da vida e a aplicação mais baixa dela. É natural porque a vida (orgânica) não pode existir sem ela, e a mais baixa porque é a fundação, a base, não o cume.
 
Não há necessidade de sublimação, porque a energia como tal, não é nem sexual, nem espiritual. A energia é sempre neutra. Em si mesma, ela é inominada. O nome não é o nome da energia em si; é o nome da forma que a energia toma. Quando você diz que a energia é sexual, significa que a energia flui através de uma saída sexual, através de uma saída biológica.
 
A energia em si é neutra. Quando é expressa biologicamente é sexo; expressa emocionalmente pode tornar-se amor, pode tornar-se ódio, pode tornar-se raiva; quando se expressa intelectualmente, pode tornar-se científica, pode tornar-se literária; quando se move pelo corpo, pode tornar-se física; quando se move pela mente, se transforma em mental. As diferenças não são diferenças da energia como tal, mas das manifestações aplicadas dela.
 

Assim, não é correto dizer: sublimação da energia sexual. Se a saída sexual, a saída do sexo não é usada, ela torna-se energia pura de novo. A energia é sempre pura. Quando se manifesta através da porta divina, torna-se espiritual, mas a forma é apenas uma manifestação da energia.
 
A palavra sublimação tem associações muito ruins. Todas as teorias de sublimação são teorias de repressão. Sempre que você diz sublimação do sexo, você se torna antagônico a ele. Sua condenação está lá, na própria palavra.

Continua...
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Junho de 2013, 12:40
Continuação:

Sublimação é uma palavra feia. Carrega um tom de antagonismo, de conflito nela. O sexo deveria ser encarado pelo que é. É apenas o alicerce biológico para a vida existir. Não lhe dê qualquer significado espiritual ou antiespiritual. Simplesmente entenda-o como o fato que é.
 
Não crie nenhuma filosofia em torno do sexo. Apenas veja os fatos. Não faça qualquer coisa a favor ou contra, deixe-o ser como é; aceite-o como normal. Não tome nenhuma atitude anormal em relação a ele.

 Assim como você tem olhos e mãos, também você tem sexo. Você não é contra os seus olhos ou suas mãos. Não seja contra o sexo. Então, a questão do que fazer com relação ao sexo torna-se irrelevante. Criar uma dicotomia a favor ou contra o sexo é sem sentido. É um fato dado. Você veio à existência através do sexo. E você tem um programa esquematizado para novamente dar nascimento através do sexo. Você parte de uma grande continuidade. Seu corpo vai morrer. Ele tem um programa estabelecido para criar outro corpo para substituí-lo.

A morte é certa. Eis porque o sexo é tão obcecante. Você não estará aqui para sempre, assim você terá que substituí-lo por um corpo mais novo, uma réplica. O sexo é tão importante, porque toda a natureza insiste nele; caso contrário, não haveria ninguém na Terra. O sexo é tão obcecante, tão compulsivo, o impulso sexual é tão intenso, porque toda a natureza é a favor dele. Sem ele, a vida (orgânica) não pode existir.

 A razão porque o sexo é tão importante para os buscadores religiosos, é porque ele é tão involuntário, tão compulsivo, tão natural. Tornou-se um critério para saber se a energia da vida numa dada pessoa alcançou o divino. Não podemos saber diretamente se alguém encontrou o divino - não podemos saber diretamente se alguém possui diamantes - mas podemos saber diretamente se alguém jogou fora as pedras, porque estamos familiarizados com as pedras. Podemos saber diretamente que alguém transcendeu ao sexo, porque estamos familiarizados com o sexo.

O sexo é tão compulsivo, tão involuntário, uma força tão grande, que não pode ser transcendido até que alguém tenha atingido o divino. Assim, bramacharya tornou-se um critério para saber se a pessoa alcançou o divino. Então o sexo, tal como existe nos seres normais, não existirá para ela.

Isto não significa que por abandonar o sexo, alguém atingirá o divino. O reverso é uma falácia. A pessoa que encontrou diamantes joga fora as pedras que estava carregando, mas o reverso disto não é verdadeiro. Você pode jogar fora as pedras, mas isto não significa que você tenha alcançado algo além delas.

Então você estará num meio-termo. Você terá uma mente reprimida, não uma mente transcendente. O sexo continuará a borbulhar dentro de você e criará um inferno interior. Isto não é ir além do sexo. Quando o sexo torna-se reprimido, torna-se feio, doentio, neurótico. Torna-se pervertido.

 A assim chamada atitude religiosa com relação ao sexo criou uma sexualidade pervertida, uma cultura que é completamente neurótica sexualmente. Eu não sou a favor dela. Sexo é um fato biológico; não há nada errado nele. Assim, não o combata ou ele se tornará pervertido, e o sexo pervertido não é um passo para a frente. É uma queda para baixo da normalidade; é um passo em direção à insanidade. Quando a repressão torna-se tão intensa que você não pode prolongá-la, então ela explode - e nessa explosão, você se perderá.

Você é todas as qualidades humanas, você é todas as possibilidades. O normal fato do sexo é sadio, mas quando se torna anormalmente reprimido, torna-se insano. Você pode caminhar em direção ao divino desde o normal muito facilmente, mas caminhar para o divino desde uma mente neurótica torna-se árduo, e de certa forma, impossível. Primeiro você terá que se tornar sadio, normal; então, no final, há possibilidade do sexo ser transcendido."
 
Osho - (Psicologia do Esotérico - Ed. Ícone)
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 23 de Junho de 2013, 13:47

Temos que ver também que no passado as coisas não eram como hoje, não tínhamos meios de comunicações como os atuais, talvez por causa disso os mestres sacrificaram muitas necessidade materiais. para espalhar de uma forma mais pratica as boas novas.



   
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 23 de Junho de 2013, 19:51


O  sexo pelo sexo, sem fins reprodutivos,...................................
...................................................................................me adequei a ele.



O ser assexuado também exclui o sexo com fins reprodutivos.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Junho de 2013, 22:01


O  sexo pelo sexo, sem fins reprodutivos,...................................
...................................................................................me adequei a ele.



O ser assexuado também exclui o sexo com fins reprodutivos.
Sim, e este é o futuro de todos nós.
A propósito, a sua transcrição alterou radicalmente o sentido do escrevi. Faltou um "não"antes do "me adequei a ele". ;)

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Rene Narciso em 24 de Junho de 2013, 00:01
A condição assexuada é a ideal? Sim, sem dúvida. É uma característica dos espíritos mais evoluídos. Porém, de acordo com a doutrina espírita, a nossa Terra ainda é um planeta de provas e expiações. Não chegamos ao fim do caminho, não chegamos nem na metade do caminho. No meu modo de ver, mais vale estar ciente de nossas limitações atuais e levar uma vida digna do que tentar dar um passo maior que a perna e cair. E cair feio.

A pessoa que trata seus parceiros no sexo com consideração, carinho e amor, que desenvolve uma atitude de mútuos cuidados com seu parceiro está num caminho mais adequado do que a pessoa que demoniza o sexo e depois acaba libertando tudo isso de um modo desorganizado, como os adúlteros, os pedófilos, os estupradores, e que tais.

Não por acaso, as sociedades mais repressoras em questões sexuais sempre tiveram as maiores perversões "por baixo do pano." Como aquela repórter americana que foi estuprada por uma multidão em algum país do Oriente Médio. O cara fica a vida toda forçando as mulheres a se cobrirem, daí quando aparece algo que agita a libido, sai de baixo.


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 24 de Junho de 2013, 11:20
A condição assexuada é a ideal? Sim, sem dúvida. É uma característica dos espíritos mais evoluídos. Porém, de acordo com a doutrina espírita, a nossa Terra ainda é um planeta de provas e expiações. Não chegamos ao fim do caminho, não chegamos nem na metade do caminho. No meu modo de ver, mais vale estar ciente de nossas limitações atuais e levar uma vida digna do que tentar dar um passo maior que a perna e cair. E cair feio.

A pessoa que trata seus parceiros no sexo com consideração, carinho e amor, que desenvolve uma atitude de mútuos cuidados com seu parceiro está num caminho mais adequado do que a pessoa que demoniza o sexo e depois acaba libertando tudo isso de um modo desorganizado, como os adúlteros, os pedófilos, os estupradores, e que tais.

Não por acaso, as sociedades mais repressoras em questões sexuais sempre tiveram as maiores perversões "por baixo do pano.
É exatamente isso que fala o texto de Osho. A repressão leva a neurotização e o neurótico não transcende. Só se pode alcançar a transcendência sexual  partindo-se do sadio.
Não adianta reprimir, sublimar, é apenas um verniz, uma maquiagem que tenta camuflar uma condição que ainda existe. Á medida que o homem  caminha em busca do divino, os pequenos prazeres vão de forma gradual e natural se diluindo e sendo absorvidos por um prazer maior.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: hcancela em 24 de Junho de 2013, 11:23
Olá amigos(as)


  Lembro que desde o advento da psicanálise, com Sigmund Freud, o homem descobriu que entre os processos psicológicos havia uma interpenetração de factores sexuais. Freud, entretanto, atribuía a esses factores sexuais as CAUSAS dos processos psicopatológicos. No entanto, o seu trabalho foi excepcional porque mostrou como o factor sexual pode entrar no homem manipulando-o à vontade para fazer dele um indivíduo melhor, pela psicoterapia.Como todo o conhecimento humano, é sempre bem e mal utilizado.
A grande onda de sensualismo que a media nos impõe vem dessa manipulação. O interesse não é outro senão o de ganhar dinheiro e criar poços de poder e manipulações humanas por orgulho e vaidade. Utilizam-se, para isso, de pontos da fraqueza humana, que foram descobertos com finalidades terapêuticas para induzi-lo à prisão e à dependência psíquicas, infelizmente. Como fizeram com a pólvora - inventada para fins úteis - em guerras, fizeram dos conhecimentos da sexualidade nos mecanismos psicológicos de Freud máquinas de ganhar dinheiro e poder, usando manipulação e dependência.
Quando é feito de maneira "sensual", ou seja, prima pelas "sensações" ao invés de pela finalidade, pelo amor e pela troca de afecto, companheirismo e carinho. Quando é relegado a plano material e esquecida a sua finalidade maior. Isso ocorre porque o espírito, como foi dito, posiciona o seu pensamento na direcção da ligação material. A satisfação dos desejos materiais é característica dos animais, que não possuem vida moral e cuja inteligência não passa além dessas mesmas necessidades. Daí a comparação.
     Qual a função da sexualidade na vida das pessoas? Uma vez entendendo-se sexualidade num sentido amplo, que determina inclusive o modo de vida de cada um, por que não reencarnamos todos com o mesmo sexo?
     Vemos em “O Livro dos Espíritos”, na questão 696. Lemos na resposta dos Espíritos: "(...) O casamento constitui um dos primeiros actos de progresso nas sociedades humanas, porque estabelece a solidariedade fraterna e se observa entre todos os povos, se bem que em condições diversas."
 
     A dicotomia dos sexos é algo FUNDAMENTAL para o aprendizado no nosso nível evolutivo. Os Espíritos dizem que "o mundo material poderia deixar de existir", porque o mundo espiritual é a única morada eterna e verdadeira, e o material é transitório. É um facto, mas para nós a encarnação é necessária. E na encarnação devemos desenvolver a solidariedade fraterna a partir do relacionamento com os nossos semelhantes. O espírito desenvolve-se do princípio inteligente, que não vê senão as finalidades materiais. No processo de perfeição deve utilizar-se do ponto em que está - e com o que seus sentidos, ainda atrofiados , estão acostumados - que é a matéria - como ponte necessária ao aprendizado. Não conseguiríamos desenvolver o sentimento de amor sem que para nós fosse necessário um cenário material, como é o caso da dicotomia dos sexos. A necessidade fisiológica passa, gradualmente, a dar lugar à vontade do homem, ao seu controle. É assim que é feito com o espírito em aprendizado, e é essa a finalidade da dicotomia - o aprendizado na Terra.
 
      No actual estágio evolutivo do ser humano, pode-se dizer que o sexo é uma necessidade biológica? Se é, seria legítimo procurar a sua satisfação ainda que fosse preciso recorrer a prostituição, por exemplo? Pode-se comparar a necessidade alimentar com a necessidade do sexo?
     Em “O Céu e o Inferno”, 1a. Parte, Capítulo VII, item "A carne é fraca", lê-se: Hoje, está plenamente reconhecido pelos filósofos espiritualistas que os órgãos cerebrais correspondentes a diversas aptidões devem o seu desenvolvimento à actividade do espírito.
     Assim, esse desenvolvimento é um efeito e não uma causa.
A carne só é fraca porque o espírito é fraco, o que inverte a questão deixando àquele a responsabilidade de todos os seus actos.
 A carne, destituída de pensamento e vontade, não pode prevalecer jamais sobre o espírito, que é o ser pensante e de vontade própria.

Obs: O Espirito não tem sexo, mas uma condição Biológica e apenas na reencarnação assim se diferenciando, mas com fins de ( Aprendizado), de uns com os outros.


Saudações fraternas
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 24 de Junho de 2013, 18:55

Todos nós, enquanto Espíritos, somos assexuados, pois assim Deus nos criou!

Porém, quando encarnados, viver assexuadamente é faltar com a Caridade. Pois tanto nós mesmos como nossos irmãos Espirituais necessitamos de corpos materiais para evoluirmos.
E esses corpos que necessitamos não podem ser produzidos senão através do ato sexual!

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 24 de Junho de 2013, 20:28

Todos nós, enquanto Espíritos, somos assexuados, pois assim Deus nos criou!

Porém, quando encarnados, viver assexuadamente é faltar com a Caridade. Pois tanto nós mesmos como nossos irmãos Espirituais necessitamos de corpos materiais para evoluirmos.
E esses corpos que necessitamos não podem ser produzidos senão através do ato sexual!

Breno,
Nem todas as pessoas vem nesta vida com o propósito de gerar filhos. Há pessoas que pela natureza de sua missão, ou de suas provas, irão gerar frutos de outras maneiras.
Grandes mestres que passaram por este planeta semearam muitas sementes, mesmo que não tenham tido filhos. Ter filhos não é a única forma de ser útil ao criador, nem de ser caridoso.
Irmã Dulce, Madre Teresa, Chico Xavier, Jesus não geraram filhos, mas deixaram um imenso legado de amor.
Olha o tamanho do Cosmos..acha mesmo que a Terra é o único lugar que existe para um espírito reencarnar? Se não for aqui será em outro mundo.
Vc fala dos irmãos que querem reencarnar, mas e os demais que estão nas filas da adoção, abandonados em orfanatos à espera da caridade dos homens?
Então estaria agindo com falta de caridade um irmão que não gera um filho mas acolhe outro irmão em seu lar?
Não conhecemos o programa reencarnatório do próximo, então deixemos o julgamento para Deus.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 25 de Junho de 2013, 18:14

Breno,
Nem todas as pessoas vem............................
........................................deixemos o julgamento para Deus.


Amiga Susana,

O que se discute no tópico é se a Assexualidade seria a condição ideal do Espírito. E eu entendo que se discute a condição do Espírito encarnado, pois que o Espírito desencarnado já é assexuado por natureza.

Ora, estando o Espírito encarnado deve cumprir aquilo que em O livro dos Espíritos se trata como a Lei de Reprodução.

686. É lei da Natureza a reprodução dos seres vivos?

“Evidentemente. Sem a reprodução, o mundo corporal pereceria.”

693. São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?

“Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral.”

695. Será contrário à lei da Natureza o casamento, isto é, a união permanente de dois seres?

“É um progresso na marcha da Humanidade.”

696. Que efeito teria sobre a sociedade humana a abolição do casamento?

“Seria uma regressão à vida dos animais.”

O estado de natureza é o da união livre e fortuita dos sexos. O casamento constitui um dos primeiros atos de progresso nas sociedades humanas, porque estabelece a solidariedade fraterna e se observa entre todos os povos, se bem que em condições diversas.
A abolição do casamento seria, pois, regredir à infância da Humanidade e colocaria o homem abaixo mesmo de certos animais que lhe dão o exemplo de uniões constantes.

698. O celibato voluntário representa um estado de perfeição meritório aos olhos de Deus?

“Não, e os que assim vivem, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam o mundo.”

699. Da parte de certas pessoas, o celibato não será um sacrifício que fazem com o fim de se votarem, de modo mais completo, ao serviço da Humanidade?

“Isso é muito diferente. Eu disse: por egoísmo. Todo sacrifício pessoal é meritório, quando feito para o bem. Quanto maior o sacrifício, tanto maior o mérito.”

Não é possível que Deus se contradiga, nem que ache mau o que Ele próprio fez.
Nenhum mérito, portanto, pode haver na violação da Sua lei. Mas, se o celibato, em si mesmo, não é um estado meritório, outro tanto não se dá quando constitui, pela renúncia às alegrias da família, um sacrifício praticado em prol da Humanidade. Todo sacrifício pessoal, tendo em vista o bem e sem qualquer ideia egoísta, eleva o homem acima da sua condição material.

Como se vê, viver assexuadamente enquanto encarnado pode até ter algum mérito em situações muito especiais, porém generalizar-se esse conceito como ideal para todos seria por fim à Humanidade.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 25 de Junho de 2013, 21:10

" Quando a porta ao divino se abre, todas as energias que estão em você começam a fluir em direção a essa porta. O sexo é absorvido. Sempre que um deleite mais alto torna-se possível, as formas mais baixas de prazer tornam-se irrelevantes. Você não deve reprimi-los ou lutar contra elas. Elas apenas murcham. O sexo não é sublimado; é transcendido."
Osho


Quem é este cidadão?


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 25 de Junho de 2013, 21:30
Brenno entendi o tema do tópico, não entendi foi o seu comentário.
Mas tá tudo certo.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 25 de Junho de 2013, 21:31

" Quando a porta ao divino se abre, todas as energias que estão em você começam a fluir em direção a essa porta. O sexo é absorvido. Sempre que um deleite mais alto torna-se possível, as formas mais baixas de prazer tornam-se irrelevantes. Você não deve reprimi-los ou lutar contra elas. Elas apenas murcham. O sexo não é sublimado; é transcendido."
Osho


Quem é este cidadão?

Foi um líder espiritual indiano.




Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 26 de Junho de 2013, 03:11

686. É lei da Natureza a reprodução dos seres vivos?

“Evidentemente. Sem a reprodução, o mundo corporal pereceria.”


                                                             (OLE)
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Zé Ninguém em 26 de Junho de 2013, 12:38
Brenno,
Vamos desenvolver a questão:
Neste planeta existem seres em vários níveis conscienciais.
É só olhar para o lado e perceber que a maior parte da população não teria condições ainda de desenvolver uma sexualidade voltada apenas para a reprodução, muito menos viver uma vida sem sexo. O sexo é tido como o maior prazer da vida, e é de graça então não surpreende que se dê tanta importância ao assunto.
Porque o sexo é prazeroso? Porque no nosso nível consciencial, bem próximo da animalidade, impera o mundo dos sentidos, buscamos o que nos trás prazer.
Então o modo como a espiritualidade, neste plano, chama atenção do homem é através do prazer, das sensações.
Sejamos sinceros: as pessoas não fazem sexo para se reproduzir, mas quando querem se reproduzir fazem sexo. Vejamos a quantidade de vezes que os casais têm relações sexuais e quanto filhos efetivamente eles têm.
Então, não parece que o móbil da humanidade ao praticar sexo seja a lei de reprodução, o povoamento do planeta e a generosidade de ofertar corpos para outros espíritos experimentarem uma vivência neste planeta. Aliás, é bem o contrário: a maioria esmagadora da população não só não visa a lei de reprodução, como a obsta deliberadamente através de métodos contraceptivos, o que segundo os espíritos denota predomínio da matéria.
Alguns espíritos já chegaram a um patamar de desapego dos sentidos, onde o sexo não tem a menor importância para eles, não é sujo ,nem feio, apenas desnecessário. Do mesmo modo que chupamos chupeta um dia e achávamos o máximo, hoje isso não desperta mais em nós o mesmo interesse. Seria mais ou menos isso.

Mas e se um dia todos nós chegássemos neste nível, o mundo não pereceria?
Não necessariamente. Quando desencarnássemos iríamos para outros planos e aqui reencarnariam espíritos que ainda precisassem vivenciar a sexualidade desta maneira, ou, caso continuássemos reencarnando por aqui a tecnologia aos poucos iria substituir o sexo e a lei de reprodução continuaria operando, apenas o método é que mudaria.
Enfim, há um mundo de possibilidades.
O texto que você trouxe fala que a lei de reprodução é uma necessidade, não o sexo.
Existem relatos mediúnicos sobre outros planetas onde a lei de reprodução continua a operar, mas sem o intermédio do sexo, por outros meios. Vai saber se este não é o nosso futuro?
 
Não condeno a lei de reprodução, nem o sexo. Nem poderia ele está na natureza,os planetas fazem sexo, os animais fazem sexo, as plantas fazem sexo, o sexo é uma  das manifestações físicas da lei da atração.
O que questiono é o apego disfarçado sobre o nome de necessidade biológica.





Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 26 de Junho de 2013, 20:00

Olá Susana,

Citar
O que questiono é o apego disfarçado sobre o nome de necessidade biológica.

Olá amiga, nesta ultima frase discordo da senhora, sexo é uma necessidade biológica e fisiológica! já foi comprovado pela ciência.

Na realidade o ser humano chega a uma fase em que o apetite sexual se esgota e se torna desnecessário, é na velhice.. Aí sim que nos encarnados deveríamos nos desapegar, mas vemos que não é bem assim, vemos idosos usando todo tipo de medicamentos etc.. simplesmente para alimentar os seus apegos sensuais. 

Não devemos nos envergonhar por necessitar ou desnecessitar de algo, tudo tem o seu tempo!

Para aqueles que anseia fortemente o desapego sexual, nada melhor do que a velhice, porque não esperar com naturalidade? só espero que esses mesmos não sejam  dependentes químicos mais tarde.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 27 de Junho de 2013, 01:18

Brenno,

Vamos desenvolver a questão:

Neste planeta existem.........................................
..................................................O que questiono é o apego disfarçado sobre o nome de necessidade biológica.



Amiga Susana,

Concordo integralmente com o seu texto.

Se havia algum desentendimento anterior, com certeza era devido apenas a questões de semântica.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 27 de Junho de 2013, 01:22


Olá amiga, nesta ultima frase......................................
............................................................. dependentes químicos mais tarde.


O sexo só uma necessidade biológica para a preservação da espécie.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 27 de Junho de 2013, 01:47


Olá amiga, nesta ultima frase......................................
............................................................. dependentes químicos mais tarde.


O sexo só uma necessidade biológica para a preservação da espécie.


Concordo amigo, mas há outros benefícios além da preservação da espécie.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 27 de Junho de 2013, 02:14


Olá amiga, nesta ultima frase......................................
............................................................. dependentes químicos mais tarde.


O sexo só uma necessidade biológica para a preservação da espécie.


Concordo amigo, mas há outros benefícios além da preservação da espécie.


Tão somente a satisfação de instintos bestiais.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: MarcosBorges em 27 de Junho de 2013, 02:35
"Na realidade o ser humano chega a uma fase em que o apetite sexual se esgota e se torna desnecessário, é na velhice.. Aí sim que nos encarnados deveríamos nos desapegar, mas vemos que não é bem assim, vemos idosos usando todo tipo de medicamentos etc.. simplesmente para alimentar os seus apegos sensuais."

Velhice é uma questão de condição física e mental, dependendo do estado naturalmente há a cessação da libido. Mas os idosos principalmente homens pode ter momentos de libido e quando a parceira aceita mesmo sendo idosa, não vejo nada contraindicado ter algum momento de prazer sexual. Ai eu pergunto, qual a idade que atende as características de ser idoso? A diminuição, normalmente transitória, do desejo sexual, sem ser um sintoma de uma doença, pode ocorrer mesmo antes da idade estipulada para idoso e mesmo antes da velhice, por questões naturais e por desejo mesmo da pessoa. Se isso causa sofrimento ai deve procura um psicologo ou psiquiatra, porque pode ser um problema endógeno ou mental. Não vejo a necessidade de aceitar, por ser idoso, aderência a abstinência e desapego ao desejo sexual. Certamente que não precisa ser um apetite sexual como na puberdade, mas um querer natural no qual o casal procure algo prazeroso e romântico em determinado momento. Reprimir o desejo sexual de um idoso que ainda possui saúde física e mental é muito mais danos principalmente para a sua saudade mental.

Antes mesmo dos medicamentos alopáticos, sempre houve recursos fitoterápicos para conseguir facilitar o ato sexual que proporciona prazer. Apego é fazer de algo prazeroso uma obsessão tornando o desejo sexual uma neurose no qual o pensamento está fixado em sexo. E isso não tem idade. Ai procura sempre medicamentos dos mais variados para ter ereção e mante-la por um tempo mais prolongado. Estes medicamentos não aumenta a libido mas o estimulo farmacológico pode alimentar o desejo neurótico de sexo a qualquer momento. Isso sim é prejudicial, pois pode acarretar na superdosagem e consequentemente o desencarne, que não é raro sejam em idosos ou até jovens que procuram manter o ato sexual por um tempo mais prolongado.

Assim, o sexo não é somente para procriação e manutenção da especie mas uma necessidade fisiológica, mental e social. Alguns símios procuram o sexo como forma de descarregar estresse causado por choques sociais e manter laços importantes para a sobrevivência da estrutura social e hierárquica.

Abraço fraterno
Marcos Borges
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: MarcosBorges em 27 de Junho de 2013, 02:52
"Tão somente a satisfação de instintos bestiais."

Isso parece uma pensamento moralista e puritano. Ou estou enganado?

Qual o problema de procura o sexo na ausência de interesses de procriação para satisfazer os instintos naturais? Digo naturais no lugar de bestiais. Porque, se por bestial que dizer em relação aos animais, tal instinto é natural. E pelo que eu saiba os animais em sua maioria fazem somente sexo por necessidade de procriação. E isso está no instinto também, dos espíritos na condição de encarnado. Do contrario bestial significa imoral, devasso, selvagem... uma conotação com certeza moralista.


Abraço fraterno
Marcos Borges
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 27 de Junho de 2013, 02:54


Olá amiga, nesta ultima frase......................................
............................................................. dependentes químicos mais tarde.


O sexo só uma necessidade biológica para a preservação da espécie.


Concordo amigo, mas há outros benefícios além da preservação da espécie.


Tão somente a satisfação de instintos bestiais.


Confira 7 benefícios do sexo para a saúde

O sexo alivia o estresse e deixa tudo mais leve
Foto: Getty Images
 
Patricia Zwipp
O sexo não é apenas um fator importante para o relacionamento. Além de queimar calorias, faz bem à saúde. Confira abaixo sete benefícios relacionados ao ato, listados pelo site FitSugar.

1 - Fortalece a musculatura do assoalho pélvico
Exercícios para fortalecer o assoalho pélvico (contração da região do períneo) podem ser feitos enquanto está sentada trabalhando e, também, durante o ato sexual. Eles até aumentam o prazer, além de ajudar a melhorar o controle da bexiga.

2 - Alivia a obstrução nasal
Ter um orgasmo alivia temporariamente os seios nasais. Portanto, sexo é bom contra as alergias.

3 - Aumenta a imunidade
Pessoas que transam uma ou duas vezes por semana têm até 30% de níveis mais elevados da imunoglobulina A, que estimula o sistema imunológico e colabora com o combate de infecções, como resfriados e gripe.

4 - Melhora o sono
O hormônio oxitocina aumenta quando faz sexo e o nível elevado ajuda a dormir melhor. Se tem problemas para cair no sono e descansar o tempo necessário, que tal se divertir entre quatro paredes?

5 - Reduz o risco de doença cardíaca
Uma pesquisa constatou que homens que fazem sexo duas ou mais vezes por semana cortam o risco de desenvolver doenças cardíacas pela metade.

6 - Adiciona anos de vida
Mulheres que gostam de sexo vivem mais do que as que o evitam. E o ato pode fazer com que elas se sintam de dois a oito anos mais jovens.

7 - Alivia o estresse
As endorfinas liberadas durante o sexo ajudam a aliviar a tensão e a deixar de lado os momentos ruins do dia.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Otimismo

Orgasmo faz bem para o corpo e para a mente. Os hormônios sexuais podem baixar os níveis de depressão e ansiedade. É uma forma de aliviar a tensão diária e ver a vida de forma mais otimista.

Contra o câncer de mama

Ter orgasmo e estimular os mamilos durante as preliminares também contribui para bons níveis de oxitocina, um hormônio que reduz a ansiedade e previne contra o câncer de mama.


Sono tranquilo

Depois de ter um orgasmo, há uma queda acentuada da pressão arterial e um relaxamento instantâneo, que gera uma noite de sono tranquilo.

Memória

Sexo aumenta a circulação do sangue e transporta oxigênio para o hipotálamo – parte do cérebro responsável pela memória e aprendizagem. Ou seja,  além de gostoso, ter orgasmo vai ajudá-la a lembrar onde colocou suas chaves.

fonte: http://saude.terra.com.br/bem-estar/orgasmo-previne-contra-o-resfriado-veja-10-beneficios-do-sexo,e4b923aacb82e310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 27 de Junho de 2013, 03:24
"Na realidade o ser humano chega a uma-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------  hierárquica.

Abraço fraterno
Marcos Borges

Olá Borges,

Realmente generalizei, para os idosos que ainda tem seus apetites sexual em perfeito estado, OK...que satisfaçam sua necessidade, nada os impedem.

Mas há uma fase em que este desejo se esgota naturalmente, aí sim que devemos nos preparar para uma vida "assexuada", porem se em casal um dos conjugues possuir desejo e o outro não é obvio que o não desejante deve procurar meio de satisfazer sua amada(o) mesmo que recorra a remédio. 

Estranho é quando idosos que já perderam suas necessidades sexuais "naturalmente", procuram desesperadamente por prazeres sem necessidade, pior ainda quando é meramente por libertinagem.
Para tudo existe seu tempo, devemos encarar essa realidade.

Acho uma das coisas mais lida do mundo, casais idosos que se amam verdadeiramente  acima dos desejos e paixões, que são verdadeiros companheiros independente de qualquer coisa.

Abraços.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 27 de Junho de 2013, 03:37

Assim, o sexo não é somente para procriação e manutenção da especie mas uma necessidade fisiológica, mental e social. Alguns símios procuram o sexo como forma de descarregar estresse causado por choques sociais e manter laços importantes para a sobrevivência da estrutura social e hierárquica.

Abraço fraterno
Marcos Borges



Qual o problema de procura o sexo na ausência de interesses de procriação para satisfazer os instintos naturais? Digo naturais no lugar de bestiais. Porque, se por bestial que dizer em relação aos animais, tal instinto é natural. E pelo que eu saiba os animais em sua maioria fazem somente sexo por necessidade de procriação. E isso está no instinto também, dos espíritos na condição de encarnado. Do contrario bestial significa imoral, devasso, selvagem... uma conotação com certeza moralista.


Abraço fraterno
Marcos Borges


 ???

                                                          Objetivo da encarnação

132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?

“Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está a expiação. Visa ainda outro fim a encarnação: o de pôr o Espírito em condições de suportar a parte que lhe toca na obra da criação. Para executá-la é que, em cada mundo, toma o Espírito um instrumento, de harmonia com a matéria essencial desse mundo, a fim de aí cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. É assim que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.”
A ação dos seres corpóreos é necessária à marcha do Universo. Deus, porém, na Sua sabedoria, quis que nessa mesma ação eles encontrassem um meio de progredir e de se aproximar Dele. Deste modo, por uma admirável lei da Providência, tudo se encadeia, tudo é solidário na Natureza.

Não é difícil entender que sexo é apenas para reprodução.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 27 de Junho de 2013, 03:44


Confira 7 benefícios ................................................
........................................................... onde colocou suas chaves.



Nada que uma alimentação saudável e exercícios físicos regulares não superem de muito!

E, ainda, com a vantagem de não influírem negativamente em nossa Evolução Espiritual.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 27 de Junho de 2013, 17:08
Não há indicação alguma em toda a obra básica que dê ao bom entendedor, algum indício de que o sexo deva ser de uso exclusivo para a procriação.
Esta idéia, errada e descompassada, não pode perdurar, pior ainda é quando se evoca uma resposta a uma questão como a 132 de OLE, para desdizer-se oque ela indica.
Muita calma nessa hora, gente amiga!
abraços,
Moura
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: HamLacerda em 27 de Junho de 2013, 22:00
Não há indicação alguma em toda a obra básica que dê ao bom entendedor, algum indício de que o sexo deva ser de uso exclusivo para a procriação.
Esta idéia, errada e descompassada, não pode perdurar, pior ainda é quando se evoca uma resposta a uma questão como a 132 de OLE, para desdizer-se oque ela indica.
Muita calma nessa hora, gente amiga!
abraços,
Moura

E, segundo a doutrina, qual é o outro uso para o sexo?







Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 01:48


Confira 7 benefícios ................................................
........................................................... onde colocou suas chaves.



Nada que uma alimentação saudável e exercícios físicos regulares não superem de muito!

E, ainda, com a vantagem de não influírem negativamente em nossa Evolução Espiritual.


Toda ação negativa nos traz consequência negativa, independente do que seja!

Minha vó desencarnou pelo vicio de comer desenfreadamente, morreu no leito do hospital segurando firmemente um pedaço de pão.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 02:12
Não há indicação alguma em toda a obra básica que dê ao bom entendedor, algum indício de que o sexo deva ser de uso exclusivo para a procriação.
Esta idéia, errada e descompassada, não pode perdurar, pior ainda é quando se evoca uma resposta a uma questão como a 132 de OLE, para desdizer-se oque ela indica.
Muita calma nessa hora, gente amiga!
abraços,
Moura

E, segundo a doutrina, qual é o outro uso para o sexo?


Qualquer um, que diz fazer sexo exclusivamente para procriar é "mentiroso" e "hipócrita".
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 28 de Junho de 2013, 03:19
Não há indicação alguma em toda a obra básica que dê ao bom entendedor, algum indício de que o sexo deva ser de uso exclusivo para a procriação.
Esta idéia, errada e descompassada, não pode perdurar, pior ainda é quando se evoca uma resposta a uma questão como a 132 de OLE, para desdizer-se oque ela indica.
Muita calma nessa hora, gente amiga!
abraços,
Moura

Amigo moura,

Confesso que não entendi a sua colocação quanto à questão 132 de OLE. Poderia esclarecer?

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: HamLacerda em 28 de Junho de 2013, 04:09
Não há indicação alguma em toda a obra básica que dê ao bom entendedor, algum indício de que o sexo deva ser de uso exclusivo para a procriação.
Esta idéia, errada e descompassada, não pode perdurar, pior ainda é quando se evoca uma resposta a uma questão como a 132 de OLE, para desdizer-se oque ela indica.
Muita calma nessa hora, gente amiga!
abraços,
Moura

E, segundo a doutrina, qual é o outro uso para o sexo?


Qualquer um, que diz fazer sexo exclusivamente para procriar é "mentiroso" e "hipócrita".

Esse fórum é para julgar o que as PESSOAS fazem, ou para estudar o que a Doutrina diz, meu caro?


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 28 de Junho de 2013, 09:53
Olá amigo Amós

Citar
Qualquer um, que diz fazer sexo exclusivamente para procriar é "mentiroso" e "hipócrita".

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/sexualidade/assexualidade-uma-condicao-ideal-do-espirito/45/#ixzz2XUn2IGym

O amigo faz uma afirmação generalista que abrange todas as pessoas. Independentemente da afirmação ela estaria sempre errada, pois cada pessoa é uma pessoa, não somos máquinas que procedem todas da mesma forma. Cada um tem as suas motivações. Cada um tem os seus comportamentos. Por isso há pessoas que não têm de ser hipócritas e mentirosas por tomar opções que o amigo Amós acha estranhas. Também pode haver, o amigo não pode é generalizar isso. Também não vejo qual é o interesse de estar a mentir nesta matéria. Eu, pelo menos, não me sinto envergonhado, nem diminuído por gostar de sexo sem ser para procriar... Mas cada pessoa é uma pessoa e há gostos para tudo. Se todos gostassem do amarelo o mundo era monótono, pois era tudo amarelo.

Se formos fazer um inquérito, estou convencido que a maioria das pessoas não faz sexo para procriar, em regra, todo o tempo. Apenas o fazem quando decidem ter filhos voluntariamente. Há pessoas que fazem tratamentos e sofrem muito pelo facto de não terem filhos. O sexo não tem nada de negativo. E todo aquele que se sente culpado de fazer sexo consentido, de forma que não prejudique outrem, parece-me que está apenas a prejudicar-se a si mesmo, não ganhando nada espiritualmente com isso.

Desde jovem eu sempre tive dúvidas se devia ter filhos. Isto porque sempre questionei se seria justo colocar alguém no inferno que é este mundo. O meu primeiro filho veio involuntariamente. Eu amo-o mais do que a mim mesmo, o nascimento dele foi um dos dias mais felizes da minha vida. Para mim foi um empréstimo de Deus, pelo qual estou eternamente grato. O meu segundo filho foi gerado porque a minha mulher o quis e eu aceitei o desejo dela, pois, como sempre, coloquei a dúvida a mim mesmo se deveria colocar alguém neste mundo cruel. Como eu tinha dúvida e ela tinha a certeza, a decisão pendeu para termos mais um filho. Como no caso do primeiro, foi um empréstimo de Deus, pelo qual estou eternamente grato.

Não tenho dúvidas que, para mim, os meus filhos são o melhor que me aconteceu na vida. Todavia eu sou o responsável por os colocar neste mundo cruel. Eles não me culpam por isso. E espero que nunca culpem. Mas que não os coloquei em grande lugar, ai isso não coloquei.

Do meu ponto de vista é uma grande vantagem, ter filhos, pois eles deram cor, amor, sentido à minha vida. Do ponto de vista deles, serão eles que poderão concluir isso, após o fim desta existência. Pois para avaliar a vida temos de passar por todas as fases que ela nos trás e não apenas os momentos felizes. Em condições normais, a vida trás-nos o nascimento, a juventude, a idade adulta, o envelhecimento e a morte. Pode trazer-nos fases saudáveis e fases de doença e dor física. Deus empresta-nos os que mais amamos, não nos dá os mesmos. De um dia para o outro podemos perdê-los.   

Admitindo que cada um seja um único espírito imortal (eu assim espero), que vai encarnando em vários corpos de carne mortais, e que a encarnação é uma oportunidade, uma experiência útil para o espírito, seja ela mais ou menos feliz, dos vários pontos de vista possíveis, colocar filhos no mundo é algo positivo. Todavia já há pessoas a mais. Isso está a afectar o equilíbrio do planeta, em conjunto com a má gestão que nós fazemos dos recursos do mesmo. É uma questão muito complexa.

No fundo, do ponto de vista espiritual, a opção por não ter filhos, no caso de quem tem boas condições para isso, não é assim tão diferente da opção do aborto, do ponto de vista do resultado final, para os espíritos reencarnantes. No fim de contas alguém que lhes podia dar a oportunidade de reencarnar, recusa-lhes essa oportunidade. Do meu ponto de vista, nós, enquanto seres encarnados, não somos responsáveis por assegurar que os espíritos errantes encarnem. É algo que nos transcende. Se eles não encarnam através de nós, encarnam através de outros, se eles não encarnarem neste planeta, encarnam noutro. Decerto que as leis que Deus concebeu, como a lei a reencarnação, serão sempre cumpridas, por que são soberanas.

Nós podemos colocar areia nesta ou naquela pequena engrenagem do universo, mas não podemos evitar que essa engrenagem abismal continue a mover-se. Um corpo humano terrestre é apenas uma formiga, num mundo onde há milhares de milhões de formigas, numa galáxia onde podem existir milhares de milhões da planetas, uns habitados outros não, num universo onde existem milhares de milhões de galáxias. Não demos demasiada importância ao que sabemos, porque não é nada, comparado com o que há para saber ...

bem hajam
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Norizonte da Rosa em 28 de Junho de 2013, 13:10
Olá amigos

A minha opinião é que sendo cada um de nós um único espírito imortal, associado a um corpo de carne mortal, não podemos viver como se fossemos espíritos desencarnados.

A actividade sexual é uma necessidade física básica, como a fome. Logo, para quem a tem, pois há pessoas que efectivamente estão naturalmente livres dessa necessidade, trata-se de algo necessário e saudável, para manter o equilíbrio do corpo de carne e até o equilíbrio psicológico.

De nada vale uma pessoa andar a carregar uma necessidade que pode satisfazer. Pois a pessoa também pode ficar constrangida e perturbada devido a uma necessidade fisiológica não satisfeita. E uma necessidade fisiológica não se consegue evitar. É algo físico.

Para além disso, a família é o grupo humano mais importante. E quando as pessoas optam por viver juntas, se uma delas tem necessidades fisiológicas básicas que não são atendidas, terá muito mais probabilidade de trair o parceiro. E isso pode gerar violência, pode gerar conflito.

Assim, a opção não é entre praticar sexo ou não, mas então ser celibatário ou não. Porque não sendo celibatário, se o casamento já não se extinguiu, e não é apenas uma farsa, é normal que haja sexo. E penso que isso é saudável.

Se todos optassem por ser celibatários, a natalidade tendia para zero, ou então a fertilização passaria a ser toda realizada artificialmente. Como um industria.

Penso que o problema da não evolução espiritual da humanidade, não é o excesso de sexo. Os seres humanos são um pouco obsessivos em relação ao sexo, por vezes, isso pode ser mau. Mas, em regra, parece-me que se trata de algo que tem a haver com o incentivo à procriação da espécie.

Não me parece que a necessidade sexual seja uma imperfeição, mas uma característica natural humana. As qualidades da alma são a base da evolução espiritual. E penso que a prática do sexo não reduz essas qualidades. A não ser que a pessoa não sinta a necessidade fisiológica de praticar sexo.

Se praticar sexo nos aproxima dos animais, também alimentar-se nos aproxima dos animais. E não vamos deixar de comer para nos tornar-nos mais evoluídos espiritualmente...

Se Deus decretou as leis da natureza, é porque é assim que deve ser. E não para nos obrigar a evitar necessidades fisiológicas básicas, como se devêssemos sofrer um castigo por ter um corpo de carne. Para além disso, a actividade sexual reduz ao longo da idade. Depois da idade da procriação os corpos das mulheres alteram-se.

Eu não considero ninguém espiritualmente mais evoluído por não praticar sexo. Nem vejo uma relação directa entre ambas as coisas. Ser obcecado por sexo, ser pedófilo, viver quase só para o sexo, pode indicar um nível de apego à matéria excessivo, para além de doença psicológica, neurológica ou psiquiátrica. Mas para quem tem uma vida sexual normal, não vejo razões para deixar de a ter para evoluir espiritualmente.

Jesus indicou os critérios da evolução espiritual: não fazer ao próximo aquilo que não queremos que nos seja feito; não praticar aquilo que reprovamos nos outros; não ser violento; não ser vingativo; Nesses critérios não está incluído o celibato, ou a não prática sexual. Os católicos é que têm a tendência para associar o sexo ao mal, ao Diabo, figura em que eles acreditam. No espiritismo não há diabolização do sexo. E onde se houve falar mais em pedófilos é no seio da igreja católica, ainda por cima sacerdotes. Será que parte dessas obsessões não advêm precisamente da repressão desnecessária de uma necessidade fisiológica básica, que depois se torna em doença psicológica?

O tempo que as pessoas gastam a ver TV é bem mais mal empregue do que o tempo que passam a fazer sexo, com a programação que os canais de TV têm hoje em dia. O tempo que as pessoas passam a ver futebol também...   

bem hajam

Penso como o amigo, só discordo de ser um mal assistir a futebol ;D

Embora nunca tenha lido a Bíblia, tenho formação católica e nunca ouvi padre condenando o sexo no casamento, nem vi alguma passagem bíblica (narrada ou em filmes) em que Jesus faça essa condenação. A passagem mais famosa e mais conhecida, talvez, mesmo por quem seja ateu é aquela do perdão à prostituta.

Caberia perguntar então, (a semelhança de questões como aquela do O.L.E que trata da lógica da monogamia levando-se em conta o número próximamente igual entre pessoas do sexo feminino e do sexo masculino), se quando Jesus perdoou e disse para a mulher não pecar mais, não teria a ver com o resultado da prostituição tanto para a mulher que se prostituiu, como para o homem que a procurou e também em relação à esposa traída? Não entraria aqui aquela questão de que não devemos fazer aos outros o que não queiramos que nos façam?

Problema é que de uma passagem como essa se passa a demonizar o sexo.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 28 de Junho de 2013, 14:13
A grande quest~
ao, escondida por uns e "esquecida" por outros é que no caso da mulher perdoada por jesus, não era ela que seria a adúltera. ela era solteira, logo, não adulterava, mas sim o homem pois que aquele sim vivia maritalmente com a mulher.
acontece que naqueles tempos o povo era machista por excelência, recém saído de processo matriarcal, e sem que se vá aos evangelhos, não se pode conhecer disso e o desconhecimento faz com que se continue a desconhecer a quem ou para quem Jesus havia, mesmo se dirigindo à mulher, vá e não peques mais".
Abraços,
Moura
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 14:48
Não há indicação alguma em toda a obra básica que dê ao bom entendedor, algum indício de que o sexo deva ser de uso exclusivo para a procriação.
Esta idéia, errada e descompassada, não pode perdurar, pior ainda é quando se evoca uma resposta a uma questão como a 132 de OLE, para desdizer-se oque ela indica.
Muita calma nessa hora, gente amiga!
abraços,
Moura

E, segundo a doutrina, qual é o outro uso para o sexo?


Qualquer um, que diz fazer sexo exclusivamente para procriar é "mentiroso" e "hipócrita".

Quem de nós seres humanos, encarnado no planeta terra irá fazer sexo exclusivamente para procriar?
Procriar é uma das razões, mas não é tudo, fazemos também por amor, carinho, desejos, paixão, sentimentos etc.. há vários fatores que nos leva ao sexo.

Possa ser que em outros mundos haja pessoas que façam sexo exclusivamente para procriar, mas em nosso planeta é estranho afirmar isto.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 15:01


Lembrem-se também que a igreja católica romana, utilizou muito este termo no passado: "Sexo é para procriar" reprimindo seu fieis, enchendo-os de medo e ameaças psicológicas!
Enquanto seus padres e bispos se prostituíam nos bordeis.

"Recentemente temos o exemplo do pastor Marcos Pereira".
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 15:46

Citar
Desejos, paixões e sentimentos que se misturam ao sexo, são tantas outras coisas que a doutrina nos ensina a combater

A combater ou a educar?
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: HamLacerda em 28 de Junho de 2013, 15:50

Citar
Desejos, paixões e sentimentos que se misturam ao sexo, são tantas outras coisas que a doutrina nos ensina a combater

A combater ou a educar?

Combater em certos casos, e educar em outros

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 16:09
Citar
Meu caro, se você não se preocupa em seguir este preceito: "Se só existe um fim absoluto, será o que estamos procurando; e, se existe mais de um, o mais absoluto de todos será o que buscamos."  Há muitos que se preocupa, portando, mais uma vez, fale somente por si mesmo, e não por todos.

Um dia não necessitaremos de sexo, assim como não necessitaremos de um corpo físico nem nos alimentar, nos vestir, e tudo em relação ao material. e eu quero chegar a esse patamar porem sem exageros ou precipitação.

Creio que houve homens como Buda, talvez Cristos e Chico Xavier que não necessitavam de sexo, mas essa realidade não é para todos.

Chico Xavier por exemplo, era solteiro e não teve relações, ele foi o que foi, é o que é!
Estranho é vermos homens tendo relações e depois abrindo a boca e dizer que foi exclusivamente para procriar.

 
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 16:13

Citar
Desejos, paixões e sentimentos que se misturam ao sexo, são tantas outras coisas que a doutrina nos ensina a combater

A combater ou a educar?

Combater em certos casos, e educar em outros

O espiritismo combate os excessos, e educa nossos sentimentos e paixões.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: HamLacerda em 28 de Junho de 2013, 16:54
Meu caro, Ribeiro, eu não estou entendendo aonde que o amigo quer chegar insistindo nesse ponto. Para o espiritismo, tanto o combate, ás más inclinações e as paixões, como a educação, é válido para a evolução moral.

912. Qual o meio mais eficiente de combater-se o predomínio da natureza corpórea?

“Praticar a abnegação.”



Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 18:11
Meu caro, Ribeiro, eu não estou entendendo aonde que o amigo quer chegar insistindo nesse ponto. Para o espiritismo, tanto o combate, ás más inclinações e as paixões, como a educação, é válido para a evolução moral.

912. Qual o meio mais eficiente de combater-se o predomínio da natureza corpórea?

“Praticar a abnegação.”


Entendo que más inclinações tem que ser combatidas e eliminadas,   (...) ..as más!.. (...)
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 28 de Junho de 2013, 18:22
Meu caro, Ribeiro, eu não estou entendendo aonde que o amigo quer chegar insistindo nesse ponto. Para o espiritismo, tanto o combate, ás más inclinações e as paixões, como a educação, é válido para a evolução moral.

912. Qual o meio mais eficiente de combater-se o predomínio da natureza corpórea?

“Praticar a abnegação.”

Meu caro amigo  HamLacerda, não estou criticando quem pratica o sexo ou deixa de praticar, só estou tentando esclarecer que quem pratica tem interesses e intenções além de procriar, e não há nada de mais nisso desde que pratiquem com a consciência limpa.

E há os assexuados, celibatos por natureza, também não há nada de mais nisso, desde que sejam verdadeiros.   
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 29 de Junho de 2013, 02:42

quem pratica tem interesses e intenções além de procriar, e não há nada de mais nisso desde que pratiquem com a consciência limpa.


A consciência limpa não torna a pratica do sexo apenas pelo prazer uma ação menos material e sensual.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: psi em 29 de Junho de 2013, 06:30
Quanto mais evoluído o espírito, menor o apego à matéria e aos prazeres dela oriundos.
Em mundos superiores, os espíritos encarnados se utilizam da função sexual apenas visando a procriação, já que o prazer para eles não mais se encontra na satisfação dos instintos animais como entre nós, mas na sublimação do amor, que independe do ato sexual. Eles canalizam o prazer de uma relação ou de um sentimento não para a matéria (ato sexual), mas na troca de energias positivas que esse sentimento propicia.

Um abraço

PSI   
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 29 de Junho de 2013, 10:04


Esta discussão me lembra uma passagem biblica, em 1 corintios 15: 39-49.

Nem toda a carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, e outra a carne dos animais, e outra a dos peixes e outra a das aves.
E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres.
Uma é a glória do sol, e outra a glória da lua, e outra a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela.
Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção.
Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor.
Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.
Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.
Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual.
O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu.
Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais.
E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.

Abraços.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 29 de Junho de 2013, 23:14


Esta discussão me lembra uma passagem biblica, em 1 corintios 15: 39-49.

Nem toda a carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, e outra a carne dos animais, e outra a dos peixes e outra a das aves.
E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres.
Uma é a glória do sol, e outra a glória da lua, e outra a glória das estrelas; porque uma estrela difere em glória de outra estrela.
Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção.
Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor.
Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.
Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.
Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual.
O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu.
Qual o terreno, tais são também os terrestres; e, qual o celestial, tais também os celestiais.
E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.

Abraços.


Porém, como estamos num Fórum Espírita, devemos nos pautar, sempre, pelo que nos diz a Doutrina Espírita, que não corrobora nenhuma dessas afirmações citadas!

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 30 de Junho de 2013, 16:37
Mano Amós, quando a DE nos ensina que o homem moralizado, já haverá de ter um Espírito de melhor envergadura moral e intelectual, ele diz a a mesma coisa que o versículo citado.
Assim, ao homem terreno, as ações morais segundo sua condição, e esta diz diretamente ao "homem Espiritual".
Abraços,
Moura
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 30 de Junho de 2013, 21:16


Quanto a paixão, vejam o que os espíritos superiores nos falam.


PAIXÕES

907. Será substancialmente mau o princípio originário das
paixões, embora esteja na natureza

“Não; a paixão está no excesso de que se acresceu a
vontade, visto que o princípio que lhe dá origem foi posto
no homem para o bem, tanto que as paixões podem levá-lo
à realização de grandes coisas. O abuso que delas se faz é
que causa o mal.


908. Como se poderá determinar o limite onde as paixões
deixam de ser boas para se tornarem más?

“As paixões são como um corcel, que só tem utilidade
quando governado e que se torna perigoso desde que passe
a governar. Uma paixão se torna perigosa a partir do momento em que deixais de poder governá-la e que dá em resultado um prejuízo qualquer para vós mesmos, ou para
outrem.”

"Podemos ver claramente que o perigo não está na naturalidade das coisas, da vontade, desejo e até mesmo à paixão: e sim no excesso, nos abusos."
Não precisamos agir como na era do bronze, para nos sentirmos mais "santos".


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 30 de Junho de 2013, 21:23
Mano Amós, quando a DE nos ensina que o homem moralizado, já haverá de ter um Espírito de melhor envergadura moral e intelectual, ele diz a a mesma coisa que o versículo citado.
Assim, ao homem terreno, as ações morais segundo sua condição, e esta diz diretamente ao "homem Espiritual".
Abraços,
Moura

É mano Moura! Quando fala-se em terreno e espiritual, refere-se a impressão das coisas. ambos são os mesmos, apesar que os desencarnados não estão tão influenciado pela matéria como os encarnados.

Abraços.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 30 de Junho de 2013, 22:35

quem pratica tem interesses e intenções além de procriar, e não há nada de mais nisso desde que pratiquem com a consciência limpa.


A consciência limpa não torna a pratica do sexo apenas pelo prazer uma ação menos material e sensual.



O DEVER

7. O dever é a obrigação moral da criatura para consigo
mesma, primeiro, e, em seguida, para com os outros. O
dever é a lei da vida. Com ele deparamos nas mais ínfimas
particularidades, como nos atos mais elevados. Quero aqui
falar apenas do dever moral e não do dever que as profissões impõem.
Na ordem dos sentimentos, o dever é muito difícil de
cumprir-se, por se achar em antagonismo com as atrações
do interesse e do coração. Não têm testemunhas as suas
vitórias e não estão sujeitas à repressão suas derrotas. O
dever íntimo do homem fica entregue ao seu livre-arbítrio
.
O aguilhão da consciência, guardião da probidade interior,
o adverte e sustenta; mas, muitas vezes, mostra-se impotente diante dos sofismas da paixão. Fielmente observado, o dever do coração eleva o homem; como determiná-lo, porém, com exatidão? Onde começa ele? onde termina? O dever principia, para cada um de vós, exatamente no ponto em que ameaçais a felicidade ou a tranqüilidade do vosso próximo; acaba no limite que não desejais ninguém transponha com relação a vós. (O Evangelho segundo o espiritismo)


"Quem se ama, e pratica sexo com fins além de procriar, não ameaça à tranquilidade e a felicidade de ninguém! quem sou eu para jugá-los.
Quanto ao prazer não precisamos nos apegar nem reprimi-lo, só dominá-lo." 
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 30 de Junho de 2013, 22:51
Quanto mais evoluído o espírito, menor o apego à matéria e aos prazeres dela oriundos.
Em mundos superiores, os espíritos encarnados se utilizam da função sexual apenas visando a procriação, já que o prazer para eles não mais se encontra na satisfação dos instintos animais como entre nós, mas na sublimação do amor, que independe do ato sexual. Eles canalizam o prazer de uma relação ou de um sentimento não para a matéria (ato sexual), mas na troca de energias positivas que esse sentimento propicia.

Um abraço

PSI


Eu particularmente creio que os espíritos superiores encarnados lidam com os prazeres materiais sem fobias, apegos ou repulsa, já que estão totalmente lapidados interiormente, dominando-os com naturalidade.

Quanto ao amor ???

Citar
sublimação do amor, que independe do ato sexual.
O amor impede o ato sexual ??? Isto se encontra em alguma das obras básicas ???
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 30 de Junho de 2013, 22:57
Aqui está um depoimento, de um assexual, somente para que refritamos.

Depoimento de um assexual:

GUEST POST: SOU ASSEXUAL, TUDO NORMAL

Uma leitora, a G, que pediu pra não ser identificada, lembrou que eu tinha pedido um post sobre assexualidade. Como ninguém se manifestou, ela decidiu escrever um. Tá aqui. Um assunto que eu e muita gente desconhecemos, mas uma -- hum, não sei como chamar: opção? orientação? identidade? -- que, como todas as outras, merece respeito.
 
Penso que não há uma definição exata pra assexualidade. É muito pessoal. Em comum, apenas a falta de interesse em sexo. De resto, cada assexual é fundamentalmente diferente em sua história de vida e no modo como se sente quanto a relacionamentos, atração física, masturbação... Por isso, vou me ater a minha história. Não sou ninguém pra representar todos os assexuais!
Fui uma criança super dentro dos padrões até os 12 anos. Tinha inclusive minhas paixonites de escola. Depois disso, minhas amigas começaram a beijar garotos. Me contavam suas histórias e eu fingia interesse. No final da 8ª série, vendo que eu era a única pessoa que conhecia que ainda não havia beijado ninguém, inventei que tinha beijado um garoto desconhecido nas férias de julho. E assim escapei das pressões que poderia sofrer das amiguinhas.
Aos 16, gostei de alguém de verdade pela primeira vez. Era um cara um pouco mais velho, lindo, divertido... Tudo indicava que ia rolar alguma coisa entre nós. Mas ele saiu da escola e nunca mais nos falamos. Logo o esqueci.
O tempo foi passando. Não me interessei por mais ninguém, e ninguém nunca me abordou diretamente (a não ser em baladas, porque né, só faltava).

Já encanei muito com isso. Tudo bem, eu não me interesso por ninguém, mas de todos os homens que conheci até hoje, nenhum nunca se interessou verdadeiramente por mim? Hoje, depois de muito pensar nisso, creio que passo uma "aura" de desinteresse, mesmo. Não dou abertura.
Minhas poucas amigas que sabem dizem que sou a pessoa mais bem resolvida que elas conhecem. Acho que isso transparece, sabe?
Aos 19, percebi que tinha algo de diferente comigo. Eu não sentia a MENOR necessidade de ter um relacionamento. Muito menos de pegar alguém por diversão. Era auto-suficiente, talvez até demais.

Sentia falta de poder me definir. De pertencer a algo. De saber que tinha gente que se sentia como eu. Claro que já tinha ouvido o termo assexual, e resolvi pesquisar.
Cheguei ao AVEN (que significa, em português, Rede da Visibilidade e Educação Assexual), e lendo o FAQ deles percebi: SOU EU! É assim que me sinto! [Nota da Lola: Aqui, uma reportagem, em inglês, com o fundador muito bonitinho do AVEN].

Lá, aprendi que assexuais podem ser românticos (inclinados a terem relacionamentos) ou arromânticos, hétero ou gays, enfim, dentro da assexualidade existe todo um universo de particularidades. E que pelo menos 1% da população se identifica como assexual.
Aliás, a assexualidade me ajudou a perceber que é assim com todo mundo. Você pode ser uma mulher hétero, mas só gostar de assistir pornô lésbico... Você pode ser gay e se relacionar com uma mulher, e ainda assim continua sendo gay. Enfim, são apenas enormes categorias em que você se encaixa (ou onde você não quer se encaixar), mas cada um é profundamente diferente!

Na verdade, eu me encaixo mais em "gray-a" (a área entre assexual e sexual). Me masturbo, acho algumas pessoas atraentes, enfim... Apenas não sinto a menor necessidade ou vontade de fazer sexo.
Hoje, aos 21 anos, sou o que na minha adolescência chamavam de "bv" e, obviamente, virgem. Mas me vejo no futuro gostando tanto de alguém que sentirei vontade de fazer sexo com ele. Não seria vergonha nenhuma pra mim ou hipocrisia da minha parte.

Quanto à sociedade... Bom, não sofro muita pressão porque nunca saí do armário "publicamente", apenas para um núcleo muito próximo mesmo. E, ao longo do tempo, aprendi a falar de sexo como se entendesse alguma coisa, a desviar de assuntos mais específicos.
Tenho preferido me esconder, pelo menos por enquanto. Isso porque não acho que as pessoas vão entender. Já pude perceber pelas poucas vezes na vida em que o tema da assexualidade surgiu nos meus círculos sociais. Vão dizer que é desculpa pro meu fracasso amoroso, que é impossível alguém não gostar de sexo, que tô querendo chamar atenção.

As pessoas que considero importantes, e que me conhecem de verdade, sabem. E se mostraram muito compreensivas. Só que ainda não sinto necessidade de levantar bandeira. Quem sabe num futuro próximo?


Fonte: http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2012/10/guest-post-sou-assexual-tudo-normal.html
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 01 de Julho de 2013, 01:08
Quanto mais evoluído o espírito, menor o apego à matéria e aos prazeres dela oriundos.
Em mundos superiores, os espíritos encarnados se utilizam da função sexual apenas visando a procriação, já que o prazer para eles não mais se encontra na satisfação dos instintos animais como entre nós, mas na sublimação do amor, que independe do ato sexual. Eles canalizam o prazer de uma relação ou de um sentimento não para a matéria (ato sexual), mas na troca de energias positivas que esse sentimento propicia.

Um abraço

PSI


Eu particularmente creio que os espíritos superiores encarnados lidam com os prazeres materiais sem fobias, apegos ou repulsa, já que estão totalmente lapidados interiormente, dominando-os com naturalidade.

Quanto ao amor ???

Citar
sublimação do amor, que independe :o do ato sexual.
O amor impede :o o ato sexual ? Isto se encontra em alguma das obras básicas ?

Perdão amigo PSI em relação à sublimação do amor, confundi independe com impede, realmente o amor não se limita à nada!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 01 de Julho de 2013, 02:01


"Quem se ama, e pratica sexo.................
...........................................reprimi-lo, só dominá-lo."



“O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque, quanto mais se aferrar aos bens deste mundo, tanto menos compreende o homem o seu destino. Pelo desinteresse, ao contrário, demonstra que encara de um ponto mais elevado o futuro.”   (OLE)

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 01 de Julho de 2013, 12:27
Olá amigo Brenno

Citar
“O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque, quanto mais se aferrar aos bens deste mundo, tanto menos compreende o homem o seu destino. Pelo desinteresse, ao contrário, demonstra que encara de um ponto mais elevado o futuro.”   (OLE)


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/sexualidade/assexualidade-uma-condicao-ideal-do-espirito/60/#ixzz2Xn8SalnT

A primeira distinção a fazer é entre apego e utilização das coisas materiais. Apego é viver apenas para a matéria, obcecado pela matéria. Utilização das coisas materiais é uma necessidade para quem está encarnado. Apego não.

Para um espírito que já ultrapassou a fase de encarnar na Terra, é normal que refira a nossa vida animal como um sinal de inferioridade relativa. Tal como a escravatura ou a pena de morte me parecem sinais de inferioridade relativa no âmbito das civilizações terrestres. Um dia, na etapa em que está o espírito que diz isso, também eu direi o mesmo.

A verdadeira liberdade é estar livre da escravidão do corpo de carne. Já não ter necessidade de encarnar. E a felicidade plena só se pode alcançar dessa forma.

De nada adianta andarmos a bater no peito a dizer que somos espíritos inferiores, até porque isso, em absoluto não é verdade. Nós somos espíritos inferiores em relação aos mais avançados do que nós e superiores em relação aos menos avançados. O que interessa é progredir e não agir artificialmente como se fossemos espíritos superiores ao que realmente somos. Isso é uma ilusão tonta.

bem haja
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 01 de Julho de 2013, 18:36


Para um espírito que já ultrapassou a fase de encarnar na Terra, é normal que refira a nossa vida animal como um sinal de inferioridade relativa. Tal como a escravatura ou a pena de morte me parecem sinais de inferioridade relativa no âmbito das civilizações terrestres. Um dia, na etapa em que está o espírito que diz isso, também eu direi o mesmo.



Os ensinamentos que os Espíritos Superiores nos trouxeram na Doutrina Espírita são todos perfeitamente adequados para o nosso atual estágio evolutivo. Nada há na Doutrina que não possamos por em prática de imediato.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 01 de Julho de 2013, 21:55
Olá amigos

Um conselho sobre como viver aqui na Terra (ESE):

Citar

O homem no mundo

10. Um sentimento de piedade deve sempre animar o coração dos que se reúnem sob
as vistas do Senhor e imploram a assistência dos bons Espíritos. Purificai, pois, os vossos corações; não consintais que neles demore qualquer pensamento mundano ou fútil. Elevai o vosso espírito àqueles por quem chamais, a fim de que, encontrando em vós as necessárias disposições, possam lançar em profusão a semente que é preciso germine em vossas almas e dê frutos de caridade e justiça.

Não julgueis, todavia, que, exortando-vos incessantemente à prece e à evocação
mental, pretendamos vivais uma vida mística, que vos conserve fora das leis da sociedade onde estais condenados a viver. Não; vivei com os homens da vossa época, como devem viver os homens. Sacrificai às necessidades, mesmo às frivolidades do dia, mas sacrificai com um sentimento de pureza que as possa santificar.

Sois chamados a estar em contacto com espíritos de naturezas diferentes, de caracteres
opostos: não choqueis a nenhum daqueles com quem estiverdes. Sede joviais, sede ditosos, mas seja a vossa jovialidade a que provém de uma consciência limpa, seja a vossa ventura a do herdeiro do Céu que conta os dias que faltam para entrar na posse da sua herança.

Não consiste a virtude em assumirdes severo e lúgubre aspecto, em repelirdes os
prazeres que as vossas condições humanas vos permitem.
Basta reporteis todos os atos da vossa vida ao Criador que vo-la deu; basta que, quando começardes ou acabardes uma obra, eleveis o pensamento a esse Criador e lhe peçais, num arroubo dalma, ou a sua proteção para que obtenhais êxito, ou a sua bênção para ela, se a concluístes. Em tudo o que fizerdes, remontai à Fonte de todas as coisas, para que nenhuma de vossas ações deixe de ser purificada e santificada pela lembrança de Deus.

A perfeição está toda, como disse o Cristo, na prática da caridade absoluta; mas, os
deveres da caridade alcançam todas as posições sociais, desde o menor até o maior. Nenhuma caridade teria a praticar o homem que vivesse insulado. Unicamente no contacto com os seus semelhantes, nas lutas mais árduas é que ele encontra ensejo de praticá-la. Aquele, pois, que se isola priva-se voluntariamente do mais poderoso meio de aperfeiçoar-se; não tendo de pensar senão em si, sua vida é a de um egoísta. (Capítulo V, nº 26.) Não imagineis, portanto, que, para viverdes em comunicação constante conosco, para viverdes sob as vistas do Senhor, seja preciso vos cilicieis e cubrais de cinzas. Não, não, ainda uma vez vos dizemos. Ditosos sede, segundo as necessidades da Humanidade; mas, que jamais na vossa felicidade entre um pensamento ou um ato que o possa ofender, ou fazer se vele o semblante dos que vos amam e dirigem. Deus é amor, e aqueles que amam santamente ele os abençoa. Um Espírito Protetor. (Bordéus, 1863.)

bem hajam
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 03 de Julho de 2013, 23:29

Só os Espíritos inferiores podem sentir saudades de gozos condizentes com uma natureza impura qual a deles, gozos que lhes acarretam a expiação pelo sofrimento. Para os Espíritos elevados, a felicidade eterna é mil vezes preferível aos prazeres efêmeros da Terra.”
Exatamente como sucede ao homem que, na idade da madureza, nenhuma importância liga ao que tanto o deliciava na infância.
                                                                    (OLE)

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 04 de Julho de 2013, 02:06

Só os Espíritos inferiores podem sentir saudades de gozos condizentes com uma natureza impura qual a deles, gozos que lhes acarretam a expiação pelo sofrimento. Para os Espíritos elevados, a felicidade eterna é mil vezes preferível aos prazeres efêmeros da Terra.”
Exatamente como sucede ao homem que, na idade da madureza, nenhuma importância liga ao que tanto o deliciava na infância.
                                                                    (OLE)


Os espiritosos superiores tem a capacidade de "gozar" sem se "apegar" "reprimir" ou "repulsar" eles chegaram ao estagio em que lidam com equilíbrio e naturalidade entre a matéria e o espirito.

"O gozo espiritual não tem comparação com o terreno, quem experimentou, nem que seja por segundos nunca se esquecerá".
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 04 de Julho de 2013, 02:40
Citar
Não consiste a virtude em assumirdes severo e lúgubre aspecto, em repelirdes os
prazeres que as vossas condições humanas vos permitem.

Concordo plenamente amigo Vitor Santos! mas as vezes somos obrigados à repelir, devido à prova ou expiação.
O problema é quando: nos reprimimos/repelimos por vaidade, simplesmente para alimentar o ego de superioridade.... orgulho muitas vezes disfarçado de sublimação etc...   
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 04 de Julho de 2013, 04:06

Só os Espíritos inferiores podem sentir saudades de gozos condizentes com uma natureza impura qual a deles, gozos que lhes acarretam a expiação pelo sofrimento. Para os Espíritos elevados, a felicidade eterna é mil vezes preferível aos prazeres efêmeros da Terra.”
Exatamente como sucede ao homem que, na idade da madureza, nenhuma importância liga ao que tanto o deliciava na infância.
                                                                    (OLE)

Os espiritosos superiores tem a capacidade de "gozar" sem se "apegar" "reprimir" ou "repulsar" eles chegaram ao estagio em que lidam com equilíbrio e naturalidade entre a matéria e o espirito.

"O gozo espiritual não tem comparação com o terreno, quem experimentou, nem que seja por segundos nunca se esquecerá".


É claro que a Doutrina Espírita não está se referindo à sexo. Pois que os Espíritos Elevados nenhum apego têm à matéria!

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 04 de Julho de 2013, 04:16

O problema é quando: nos reprimimos/repelimos por vaidade, simplesmente para alimentar o ego de superioridade.... orgulho muitas vezes disfarçado de sublimação etc...



Como o fazem alguns que, assim agindo, pensam que vão se transformar em Deus!

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: new em 04 de Julho de 2013, 04:56
É isso o que dá ficar lendo Andreluizismo no llugar de Espiritismo: parte-se para deduçöes pobres, descabida e contrarias à Doutrina.

Em primeiro lugar, o Espírito não possui sexo por natureza.
Em segundo, enquanto encarnado, a sexualida é uma necessidade regida pela lei de reprodução ..

Sem invencionices minha gente.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 04 de Julho de 2013, 05:12

Só os Espíritos inferiores podem sentir saudades de gozos condizentes com uma natureza impura qual a deles, gozos que lhes acarretam a expiação pelo sofrimento. Para os Espíritos elevados, a felicidade eterna é mil vezes preferível aos prazeres efêmeros da Terra.”
Exatamente como sucede ao homem que, na idade da madureza, nenhuma importância liga ao que tanto o deliciava na infância.
                                                                    (OLE)

Os espiritosos superiores tem a capacidade de "gozar" sem se "apegar" "reprimir" ou "repulsar" eles chegaram ao estagio em que lidam com equilíbrio e naturalidade entre a matéria e o espirito.

"O gozo espiritual não tem comparação com o terreno, quem experimentou, nem que seja por segundos nunca se esquecerá".


É claro que a Doutrina Espírita não está se referindo à sexo. Pois que os Espíritos Elevados nenhum apego têm à matéria!

Os espiritosos superiores tem a capacidade de "gozar" sem se "apegar" "reprimir" ou "repulsar" eles chegaram ao estagio em que lidam com equilíbrio e naturalidade entre a matéria e o espirito.

O que quis dizer amigo Bleno, é que os espíritos superiores enquanto encarnado podem gozar da matéria como bem entenderem e não levará saudade nenhuma quando estiverem de volta à pátria espiritual. pois o estado em que se encontrará será de um prazer inexprimível, mais vivo e sublime que os nossos materiais(e necessário ao estado de encarnado) ... não haverá razão para que sintam saudades.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Julho de 2013, 11:08
Olá amigos

Na minha óptica, o que está em jogo é o apego à matéria e não o uso da matéria. São duas coisas muito diferentes.

O homem que gosta muito dos prazeres desta vida (o sexo é apenas um deles), tem apego à mesma. Tem saudades do passado. Quando se lembra da morte, fica com pena de deixar este mundo. 

O homem espiritualizado compreende que esta vida é útil e positiva para o espírito. Pois crê na infinita bondade de Deus.  Embora a ideia de morte represente para ele libertação da escravidão da matéria, alegra-se de aqui estar porque sabe que é uma oportunidade de o seu espírito evoluir no caminho da felicidade e da liberdade, ainda que possa sofrer, por vezes. Mas não tem saudades do passado, porque anseia a libertação. Também gosta de estar aqui porque está junto de pessoas que ama. Mas sabe que elas foram emprestadas por Deus, e que, de um dia para o outro, Deus pode libertar-los antes de nos libertar a nós. Fica com saudades, mas fica contente por saber que eles já se libertaram.

Todavia, o homem espiritualizado também compreende que, se está aqui, tem de aceitar a sua associação a um corpo de carne animal. Não se põe a chicotear as costas, a jejuar, a reprimir as necessidades básicas saudáveis. Muito menos é obcecado pela matéria, a ponto de viver apenas para a matéria. Usa-a como uma ferramenta útil para alcançar o equilíbrio físico, psicológico e espiritual. Sem complexos católicos. Tudo é bom no tempo e na dose adequada. Abusos é que são erros.

O facto de sermos espíritos inferiores em relação a outros que já passaram pelo que estamos a passar, por ainda termos de encarnar na Terra, para aprender, não é vergonha nenhuma, nem nenhuma depreciação. Nem motivo para ficarmos ansiosos e entrarmos em negação, querendo à força ser espíritos de maior nível do que efectivamente somos, recorrendo ao sacrifício de evitar as necessidades psicológicas e os prazeres de que podemos usufruir de uma forma equilibrada e útil, que ajudam a criar ânimo para enfrentar as dificuldades. A encarnação é aprendizagem e só é útil quando aprendemos as lições que a vida nos dá. Algumas lições, senão a maioria, só aprendemos já no além, ao recordar o que foi a nossa vida aqui na Terra.

Na minha perspectiva, a virtude é sempre o melhor caminho, evidentemente. Tudo o que possamos fazer de bem, todo o mal que possamos evitar, para nós e para os outros que nos rodeiam, que convivem ou dependem de nós ou da nossa acção, só pode ser positivo.

Mas o espírito que não é inferior não precisa de lutar contra a sua natureza para fazer o bem. Não precisa de lutar para não se apegar demasiado à matéria, deixando de a usar como uma ferramenta útil, e vivendo para ela, como o espírito inferior. O espírito que não é inferior tem uma natureza que o leva a viver de uma forma adequada, do ponto de vista espiritual. É altruísta naturalmente, porque considera as outras pessoas espíritos irmãos, igualmente importantes para Deus e para todos os efeitos. Faz o bem naturalmente. Não deixa de fazer o mal com medo de penas futuras, mas porque não é a natureza dele fazer o mal.

Um espírito superior não é um espírito com as mesmas tendências dos espíritos inferiores, mas muito esforçado. É alguém cuja natureza, cuja maneira de ser automática conduz a não fazer o mal e fazer o bem. Evoluir espiritualmente é uma transformação interior irreversível. Não se volta mais para trás. vejam a bondade de Deus: somos aprendizes, mas quando acertamos, isto é, quando conquistamos a verdadeira sabedoria, interiorizamos a mesma para a eternidade. Os erros têm efeito apenas enquanto não os corrigimos.

O espírito inferior está numa fase em que necessita mais de se ajudar a si mesmo, e de ser ajudado. Se uma pessoa ainda não se consegue ajudar a si mesma, como pode ajudar os outros? - O primeiro passo e preocupação deve ser sobre si mesmo. Antes de trabalhar, o doente tem de terminar a convalescença. Não se pode esperar o altruísmo do espírito inferior por sistema.

Muitos religiosos querem alterar o mundo, querem actuar sobre os outros, mas ainda não capazes de actuar sobre si mesmos. Isso não é ser altruísta, mas exigir dos outros aquilo que ele mesmo não é capaz de fazer. É apontar o cisco no olho do irmão e não perceber a trave que lhe tapa o próprio olho.

O Altruísta não culpa, não condena moralmente. Não se vinga. Não se ofende. E se se ofende, no calor da situação, perdoa. Não se preocupa se foi injustiçado. deixa a justiça para os tribunais, e, sobretudo, para Deus. Não é um justiceiro à procura dos defeitos alheios para lhos apontar, e muito menos para os espalhar na praça pública.       
   
Muitos espíritas imaginam que somos espíritos perfeitos, mas revoltados contra Deus. Que temos a sabedoria, mas não a queremos usar, porque queremos optar por maus caminhos. Não é isso que diz a doutrina espirita. ela diz que somos espíritos aprendizes, que ainda não temos a sabedoria e que a encarnação é precisamente o processo de aprendizagem que nos conduz o nosso espírito à sabedoria. Não vêem que o que faz o mal é que é o infeliz e que o que faz o bem é que é o feliz. Confundem a vantagem material com felicidade espiritual. E por isso têm uma sede brutal de justiça, porque se sentem injustiçados.

bem hajam
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Conforti em 05 de Julho de 2013, 00:16
      Se os amigos bem refletirem, com certeza perceberão que o título deste tópico é, pelo menos, estranho (... equivocado... será?).

      (Obs: só estou me atendo ao título do tópico, não ao conteúdo das msgs/respostas q os companheiros já postaram, q ainda não li).

      Passando de leve pela informação de q espirito não tem sexo, aquele q possui sexo, isto é, o espécime humano (e os demais animais, erradamente denominados "irracionais") e se torna, por um motivo qualquer, assexuado, motivo q pode ser uma disfunção ou um distúrbio psicológico ou fisiológico, adquirido ou genético e q coloca o espécime no alvo dos preconceituosos, ou até no rol dos suspeitos de "inversão" sexual, causando-lhe e aos seus, com certeza, muitos dissabores e por muito tempo, não vejo como poderemos considerar  essa condição como sendo uma condição ideal.

      A "vantagem" de ser assexuado pode ser apenas estar livre de sentimentos e pensamentos ligados ao sexo, mas nem mesmo estará 100% livre de outros problemas pertinentes à existência dessa função. Essa questão pode ainda, além dos preconceitos e maldades de q será alvo, trazer sofrimentos ao assexuados poderá se sentirá diferente dos demais, talvez mesmo abandonado pelo Alto.

      Essa diferença entre sexuados e assexuados é ideal para estes? Significa algum progresso espiritual? Significa q está sendo protegido pelo Alto? Pela doutrina, continuará assexuado nas posteriores encarnações? Será ideal a condição de ser assexuado porq, assim, estar livre de tentações etc?

      Não será o mesmo q se considerar uma condição ideal o ser deficiente físico porq, sendo cego ou surdo, poderá se livrar de muitos problemas pelo fato de não ver o q não querem q ele veja, ou não ouvir o q não querem q ele ouça? Será uma condição ideal o fato de alguém ser tetraplégico porq assim, como diz a doutrina, além de estar resgatando débitos adquiridos no passado, estará, também, impossibilitado de contrair outros q cometeria se não possuísse a deficiência física?

      Essa forma de acreditar (ou pensar) q ser assexuado é uma condição ideal para alguém é o mesmo q acreditar q seja condição ideal aquele q é portador de qualquer deficiência física e mesmo de uma deficiência psicológica, a loucura, por exemplo.
..........................
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 05 de Julho de 2013, 04:51
Olá amigos

Na minha óptica, o que está em jogo é o apego à matéria e não o uso da matéria.......................
... porque se sentem injustiçados.

bem hajam


É que não sendo o sexo uma necessidade física, excluindo-se a finalidade reprodutiva, o praticá-lo apenas por prazer constitui-se, sem dúvida, em apego material.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Julho de 2013, 18:15
Olá amigo Brenno

Citar
É que não sendo o sexo uma necessidade física, excluindo-se a finalidade reprodutiva, o praticá-lo apenas por prazer constitui-se, sem dúvida, em apego material.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/sexualidade/assexualidade-uma-condicao-ideal-do-espirito/75/#ixzz2YBnoXqvo

Amigo, já vi que não temos opiniões idênticas em relação à classificação do sexo como necessidade fisiológica. Mas partamos do principio de que é como o amigo entende, isto é, que o sexo não é uma necessidade fisiológica. E que quem o faz, o faz por divertimento, com respeito pelo parceiro, ou até melhor: apenas com um parceiro que amamos.

O divertimento, só por si, é apego à matéria? - Devemos viver uma vida sem quaisquer divertimentos, para dedicar todos os segundos e todos os minutos da nossa vida à divulgação da doutrina espirita e à caridade? - Não podemos ter momentos de descanso, de descontracção, de convívio? - Não podemos ir jogar um jogo de futebol com os amigos? Não podemos ir ao cinema por entretenimento? Não podemos ir a uma galeria de arte ou a um concerto de música, para apreciar a arte?

Será que o amigo é contra os divertimentos, ou que considera que o sexo é uma actividade porca, suja, degradante? - Ou seja, que considera o sexo um divertimento mais negativo do que os outros?

Para mim o problema é uma pessoa viver só para o divertimento, só para o prazer. Há momentos para tudo na vida. E um homem equilibrado, um homem comum deve viver de uma forma equilibrada, tendo a noção dos momentos que são para se divertir, dos que são para trabalhar, dos que são para a prática da caridade, dos que são para ir ao Centro Espirita, dos que são para ir ao cinema, dos que são para ir apreciar a arte, etc.         

É claro, que eu, sendo um homem comum, tenho de viver como homem comum. Nem sei ser de outra forma. Admito e admiro que encarnem espíritos com uma elevação acima do comum na Terra. E que esses espíritos tenham opções diferentes do homem comum para a vida.

É claro que Teresa de Calcutá, por exemplo, quando se dedicou à missão de desenvolver a ordem religiosa que chefiava, não fazia uma vida de mulher comum. Provavelmente não praticava sexo, nem ia ao cinema. Tratava com as próprias mãos de doentes, de idosos, de desgraçados, cheirassem bem ou mal, que vagueavam pelas ruas, sem ter ninguém que os acudisse. Ela não tinha casa. Andava como uma esteira enrolada que era a cama dela. E com uma mochila que continha todos os objectos pessoais, que eram os mínimos possível. A minha admiração por ela é sem limites. Os meus heróis e heroínas são pessoas assim. Mas eu tenho que me por no meu lugar. Eu não tenho a elevação moral que Teresa de Calcutá demonstrou aqui na Terra. Por muito que eu queira eu não sou capaz de ser como ela.

Estou convencido que Teresa de Calcutá era muito mais feliz do que eu. Se eu fosse capaz de ser como ela, isso seria uma vantagem para mim. Mas tenho de ser humilde e honesto. Eu não sou como ela. Nem ela era uma pessoa comum. Dei este exemplo porque é muito recente e é mais ou menos consensual para todos, de diferentes religiões e crenças. E até os ateus materialistas mostram admiração por ela, embora não admitam essa vida para si mesmos.

A sua questão, no fim de contas é se a assexualidade é ideal para um espírito como Teresa de Calcutá. Tenho de lhe dar razão, isto é, acredito que sim.  Mas estou plenamente convencido que ela é um espírito incomparavelmente mais avançado do que eu. Um espírito mais antigo, também, provavelmente, não posso afiançar, mas é uma hipótese. Nem que eu grite, me esgadanhe todo, vá até aos meus limites mais profundos, conseguirei viver como ela. Porque eu não tenho as qualidades dela. E porque o sentimento de realização dela deveria compensar todas as necessidades fisiológicas, ou não fisiológicas, de divertimento e de prazer material do homem comum. E por isso ela era mais feliz do que nós. Não confunda felicidade com prazer, alegria com emoção positiva. Não é preciso andar sempre a rir e a gozar prazeres materiais para ser feliz, como é óbvio.   

Outra questão é perguntar se a assexualidade é ideal para o espírito do homem comum da Terra. Ai a minha resposta já é não.

Cada pessoa é uma pessoa, cada caso é um caso, o ideal para um não é necessariamente o ideal para todos. E como a maioria, na Terra, são as pessoas comuns...       

bem haja
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 06 de Julho de 2013, 01:56


Amigo, já vi que não temos .............................
................................................são as pessoas comuns...       

bem haja


Amigo, já vi que não temos opiniões idênticas em relação à classificação do sexo como necessidade fisiológica.

Realmente não concordamos.


Mas partamos do principio de que é como o amigo entende, isto é, que o sexo não é uma necessidade fisiológica. E que quem o faz, o faz por divertimento, com respeito pelo parceiro, ou até melhor: apenas com um parceiro que amamos.
O divertimento, só por si, é apego à matéria? - Devemos viver uma vida sem quaisquer divertimentos, para dedicar todos os segundos e todos os minutos da nossa vida à divulgação da doutrina espirita e à caridade? - Não podemos ter momentos de descanso, de descontracção, de convívio? - Não podemos ir jogar um jogo de futebol com os amigos? Não podemos ir ao cinema por entretenimento? Não podemos ir a uma galeria de arte ou a um concerto de música, para apreciar a arte?

Veja que o amigo cita descanso, descontração, convívio, enfim, coisas que nos são necessárias e que contribuem para a nossa saúde física e emocional, portanto, também para a nossa evolução espiritual.

As atividades físicas (prática de esportes) são necessárias ao nosso corpo material, as atividades intelectuais como cinema, música, artes de uma maneira geral, são parte integrante de nossa evolução.


Será que o amigo é contra os divertimentos, ou que considera que o sexo é uma actividade porca, suja, degradante?
Ou seja, que considera o sexo um divertimento mais negativo do que os outros?


Absolutamente! Vejo o sexo apenas como uma obrigação que temos para com a Lei de Reprodução. Portanto não como um divertimento.
[/size]

Para mim o problema é uma pessoa viver só para o divertimento, só para o prazer. Há momentos para tudo na vida. E um homem equilibrado, um homem comum deve viver de uma forma equilibrada, tendo a noção dos momentos que são para se divertir, dos que são para trabalhar, dos que são para a prática da caridade, dos que são para ir ao Centro Espirita, dos que são para ir ao cinema, dos que são para ir apreciar a arte, etc.         

Também deve, o homem equilibrado, saber diferenciar dos prazeres que o elevam daqueles que lhe são inúteis.




É claro, que eu, sendo um homem comum, tenho de viver como homem comum. Nem sei ser de outra forma. Admito e admiro que encarnem espíritos com uma elevação acima do comum na Terra. E que esses espíritos tenham opções diferentes do homem comum para a vida.

É claro que Teresa de Calcutá, por exemplo, quando se dedicou à missão de desenvolver a ordem religiosa que chefiava, não fazia uma vida de mulher comum. Provavelmente não praticava sexo, nem ia ao cinema. Tratava com as próprias mãos de doentes, de idosos, de desgraçados, cheirassem bem ou mal, que vagueavam pelas ruas, sem ter ninguém que os acudisse. Ela não tinha casa. Andava como uma esteira enrolada que era a cama dela. E com uma mochila que continha todos os objectos pessoais, que eram os mínimos possível. A minha admiração por ela é sem limites. Os meus heróis e heroínas são pessoas assim. Mas eu tenho que me por no meu lugar. Eu não tenho a elevação moral que Teresa de Calcutá demonstrou aqui na Terra. Por muito que eu queira eu não sou capaz de ser como ela.

Estou convencido que Teresa de Calcutá era muito mais feliz do que eu. Se eu fosse capaz de ser como ela, isso seria uma vantagem para mim. Mas tenho de ser humilde e honesto. Eu não sou como ela. Nem ela era uma pessoa comum. Dei este exemplo porque é muito recente e é mais ou menos consensual para todos, de diferentes religiões e crenças. E até os ateus materialistas mostram admiração por ela, embora não admitam essa vida para si mesmos.

A sua questão, no fim de contas é se a assexualidade é ideal para um espírito como Teresa de Calcutá. Tenho de lhe dar razão, isto é, acredito que sim.  Mas estou plenamente convencido que ela é um espírito incomparavelmente mais avançado do que eu. Um espírito mais antigo, também, provavelmente, não posso afiançar, mas é uma hipótese. Nem que eu grite, me esgadanhe todo, vá até aos meus limites mais profundos, conseguirei viver como ela. Porque eu não tenho as qualidades dela. E porque o sentimento de realização dela deveria compensar todas as necessidades fisiológicas, ou não fisiológicas, de divertimento e de prazer material do homem comum. E por isso ela era mais feliz do que nós. Não confunda felicidade com prazer, alegria com emoção positiva. Não é preciso andar sempre a rir e a gozar prazeres materiais para ser feliz, como é óbvio.


Esses são exemplos que devemos nos esforçar para seguir. 

Outra questão é perguntar se a assexualidade é ideal para o espírito do homem comum da Terra. Ai a minha resposta já é não.

Também acredito que não. Temos que cumprir com a Lei de Reprodução.




Cada pessoa é uma pessoa, cada caso é um caso, o ideal para um não é necessariamente o ideal para todos. E como a maioria, na Terra, são as pessoas comuns...


Aí já não concordo. As Leis Divinas são para todos, indistintamente. Assim como o ideal a se perseguir.



Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 06 de Julho de 2013, 04:05
Amigo Bleno acredito, que deveria observar um pouco a ciência!

Relação sexual

A reprodução sexual dos animais caracteriza-se pela fecundação de um óvulo por um espermatozoide.

Relação sexual humana

Relação sexual se refere a uma ampla variedade de comportamentos entre indivíduos voltados para a obtenção de prazer erótico de pelo menos um dos membros envolvidos independente de haver penetração, orgasmo e fins reprodutivos. Para isso é feita a estimulação de uma ou mais zonas erógenas, como seios, vagina e pênis.
Outros animais, além dos humanos, também praticam sexo sem fins reprodutivos. Para os bonobos, a relação sexual é uma forma de expressar carinho e intimidade entre os membros de sua sociedade. Golfinhos e penguins já foram observados fazendo sexo sem fins reprodutivos, inclusive em relações homossexuais.


Talvez haja uma má interpretação em tentar expressar suas ideias..
Sei que o amigo não condena o sexo em si, mas a promiscuidade e a libertinagem  em relação ao sexo, também estou de acordo! o amigo afirmou que não vê como imoral casais tendo relações sem fins reprodutivos.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 06 de Julho de 2013, 05:14

Amigo Bleno acredito, que deveria....................................
..................................................................sem fins reprodutivos.


Toda a questão desse tópico se resume à necessidade ou não do sexo.

É evidente que a assexualidade total do Espírito encarnado não pode ser ideal pois o sexo é necessário ao cumprimento da Lei de Reprodução.

É evidente, também, que a prática do sexo além da sua finalidade única, a reprodução, visa exclusivamente à satisfação da sensualidade (apego aos prazeres sensoriais) o que também não pode ser considerado ideal.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Julho de 2013, 06:36
Olá amigo Brenno

A minha conclusão é que o amigo vê o sexo sem fins reprodutivos como um prazer prejudicial ao homem. Eu vejo o sexo como um prazer benéfico para o equilíbrio psico-físico do homem, e estou certo de que os profissionais de saúde também pensam assim. São eles que estão habilitados para nos dizer o que é prejudicial ou benéfico para a saúde do homem, não é o amigo, em minha opinião. Não vejo diferença entre um passatempo qualquer e o sexo, em termos morais.

O amigo tem o direito à sua opinião e à abstinência. Por isso não há quaisquer obstáculos que se coloquem à via que o amigo considera correcto seguir. Isso é óptimo, não há problema nenhum para si...

Quanto às práticas sexuais de outras pessoas quaisquer, desde que não violem a lei, a dignidade e a liberdade de ninguém, o amigo nada tem a haver com isso. Cada um gere os seus instrumentos sexuais à sua maneira.  :D

No meu caso,  agradeço  e respeito o seu aviso, mas não tenho medo de ser penalizado espiritualmente por praticar sexo em condições não prejudiquem ninguém. A lei causa-efeito não me assusta. Confio na bondade de Deus. Não tenho medo da justiça divina.

Deus conhece as minhas verdadeiras intenções, as minhas capacidades, o meu grau de evolução. E terá isso em conta. Decerto que não me exigirá que eu seja um espírito puro já neste momento. Ele sabe que me criou simples e ignorante e que eu não me transformo em sábio, perfeito e livre de um dia para o outro. Tudo o que me possa acontecer em termos de justiça divina terá em linha de conta o meu bem e o bem de todos. Logo nada há a temer.     

bem haja
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 06 de Julho de 2013, 12:50
Citar
É evidente que a assexualidade total do Espírito encarnado não pode ser ideal pois o sexo é necessário ao cumprimento da Lei de Reprodução.


Outra coisa que não concordo com o amigo, há pessoas que não tem necessidade alguma de sexo, são assexuadas por natureza....
Não jugo-as 'superiores ou inferiores', isto vem da fisiologia individual e do intimo de cada um.. e temos que respeitar, sem preconceito, superiorização ou diminuição moral à natureza intima de cada ser.   

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 07 de Julho de 2013, 03:19
Olá amigo Brenno

A minha conclusão é que o amigo vê o sexo sem fins reprodutivos como um prazer prejudicial ao homem. Eu vejo o sexo como um prazer benéfico para o equilíbrio psico-físico do homem, e estou certo de que os profissionais de saúde também pensam assim. São eles que estão habilitados para nos dizer o que é prejudicial ou benéfico para a saúde do homem, não é o amigo, em minha opinião. Não vejo diferença entre um passatempo qualquer e o sexo, em termos morais.

bem haja


Não é isso, amigo Vitor,

Eu não vejo o sexo sem fins reprodutivos como um prazer prejudicial ao homem. Apenas vejo como um prazer desnecessário, que nada acrescenta à nossa evolução espiritual e pode (não necessariamente vai) até prejudicá-la!

Quanto aos profissionais da saúde, também são Espíritos encarnados sujeitos às Leis Divinas e a opinião destes não é maior que Aquelas (as Leis Divinas).

E, se o amigo não vê diferença entre um passatempo qualquer e o sexo é porque lhe falta muito conhecimento da Verdade, pois é justamente no nosso relacionamento com outros Espíritos encarnados que reside a base de nosso aprimoramento como Espíritos.

 
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 07 de Julho de 2013, 03:26
Citar
É evidente que a assexualidade total do Espírito encarnado não pode ser ideal pois o sexo é necessário ao cumprimento da Lei de Reprodução.


Outra coisa que não concordo com o amigo, há pessoas que não tem necessidade alguma de sexo, são assexuadas por natureza....
Não jugo-as 'superiores ou inferiores', isto vem da fisiologia individual e do intimo de cada um.. e temos que respeitar, sem preconceito, superiorização ou diminuição moral à natureza intima de cada ser.   

Assexuados por natureza todos nós somos, pois que somos Espíritos.

Porém, enquanto encarnados, estamos sujeitos à Lei de Reprodução, razão pela qual não podemos viver de forma totalmente assexuada!

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 07 de Julho de 2013, 15:41
Olá amigo Brenno

Citar
E, se o amigo não vê diferença entre um passatempo qualquer e o sexo é porque lhe falta muito conhecimento da Verdade, pois é justamente no nosso relacionamento com outros Espíritos encarnados que reside a base de nosso aprimoramento como Espíritos.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/sexualidade/assexualidade-uma-condicao-ideal-do-espirito/90/#ixzz2YN2s0xke

Que me falta muito conhecimento da verdade, nisso o amigo tem toda a razão. Sou um espírito comum de um mundo inferior. Um aprendiz. Só os sábios conhecem a verdade...

bem haja
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Conforti em 08 de Julho de 2013, 00:02
      Amigos,

      O ser assexuado representa um aleijão, como o ser cego, surdo, paraplégico, louco, ter nascido sem cérebro ou sem pernas etc. Se ao portador de uma deficiência física ou psicológica, sua deficiência significa uma condição ideal, pois lhe evitará, é evidente, a prática de muitos erros, o assexuado nenhuma vantagem tem sobre os demais aleijados.

      O assexuado, no q se refere a uma condição ideal para seu progresso espiritual, deve se assemelhar ao q lhe falta um membro, a capacidade de se locomover, de ver... nada mais. A diferença apenas se relaciona com a condição, o local, em que está essa deficiência, na área psicológica ou na área fisiológica, e com a incapacidade que lhe traz.

      Assim, os eunucos, os acidentados q perdem seus órgãos ou suas funções, os portadores de doenças que exigem castração etc...
............................. 
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 08 de Julho de 2013, 01:51
Olá amigo Brenno

Citar
E, se o amigo não vê diferença entre um passatempo qualquer e o sexo é porque lhe falta muito conhecimento da Verdade, pois é justamente no nosso relacionamento com outros Espíritos encarnados que reside a base de nosso aprimoramento como Espíritos.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/sexualidade/assexualidade-uma-condicao-ideal-do-espirito/90/#ixzz2YN2s0xke

Que me falta muito conhecimento da verdade, nisso o amigo tem toda a razão. Sou um espírito comum de um mundo inferior. Um aprendiz. Só os sábios conhecem a verdade...

bem haja


Então, sendo nós ambos Espíritos atrasados, vivendo num mundo bastante inferior, porém aprendizes da Vida Eterna, sujeitemo-nos à Sabedoria daqueles que são, de fato, conhecedores da Verdade: Os Espíritos Superiores que ditaram a Doutrina Espírita.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 08 de Julho de 2013, 01:54
      Amigos,

      O ser assexuado representa um aleijão.......................................
..................................................................doenças que exigem castração etc...



A assexualidade a que o tópico se refere é uma condição do Espírito e não um defeito do corpo material.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: hcancela em 09 de Julho de 2013, 19:08
Olá amigos(as)

Na questão do sexo, creio que é por darmos demasiada importância que por vezes leva a desvios de conduta sexual. Falei em desvios, que é nisto que nos deveríamos concentrar.
Tentarei explicar o meu pensamento!...

O Sexo propriamente dito,e, mesmo numa relação dita normal, não ocupa assim tanto tempo em nossas vidas,  talvez 1%, porque os restantes, são ocupados, com trabalho,dormir, lavar, comer, passear, ler ,familia, filhos(quem os tiver)estudar,desportos, etc. Já viram como tal se conseguirmos fazer tudo isto num dia e não fizermos demasiado em qualquer destas ocupações referidas, tudo vai bem, tal e qual o sexo.
Se comermos muito é mau, trabalhar muito idem e por aí fora até ao sexo.Até se fizermos muito desporto e aparentemente termos um corpo lindo e belo, com os músculos uma beleza de fazer( inveja), mas mesmo aqui (já aconteceu) darnos um AVC, e um dia no caixão as pessoas dizerem que éramos um morto bem bonito. ;D
Equilíbrio e mais nada, é o que se precisa. :-*



Abraços fraternos
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 10 de Julho de 2013, 00:35
Olá amigos(as)

Na questão do sexo, creio que é por darmos demasiada importância que por vezes leva a desvios de conduta sexual. Falei em desvios, que é nisto que nos deveríamos concentrar.
Tentarei explicar o meu pensamento!...

O Sexo propriamente dito,e, mesmo numa relação dita normal, não ocupa assim tanto tempo em nossas vidas,  talvez 1%, porque os restantes, são ocupados, com trabalho,dormir, lavar, comer, passear, ler ,familia, filhos(quem os tiver)estudar,desportos, etc. Já viram como tal se conseguirmos fazer tudo isto num dia e não fizermos demasiado em qualquer destas ocupações referidas, tudo vai bem, tal e qual o sexo.
Se comermos muito é mau, trabalhar muito idem e por aí fora até ao sexo.Até se fizermos muito desporto e aparentemente termos um corpo lindo e belo, com os músculos uma beleza de fazer( inveja), mas mesmo aqui (já aconteceu) darnos um AVC, e um dia no caixão as pessoas dizerem que éramos um morto bem bonito. ;D
Equilíbrio e mais nada, é o que se precisa. :-*

Abraços fraternos


Amigo hcancela,

O sexo difere fundamentalmente de outras atividades físicas inerentes ao nosso corpo material pela sua desnecessidade!

A alimentação é necessária, a prática de exercícios físicos é necessária! E, em ambos os casos, o excesso é prejudicial!


Porém, no caso do sexo, não existe nenhuma necessidade, a não ser a finalidade reprodutiva! Qualquer prática sexual sem finalidade reprodutiva deve ser considerada como excesso e apego sensual!

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 10 de Julho de 2013, 02:53


Olá amigo Bleno,

Sobre os espíritos superiores, segundo OLE:

Citar
- CARACTERES GERAIS - Predominância do Espírito sobre a matéria; desejo do bem. Suas qualidades e poderes para o bem estão em relação com o grau de adiantamento que hajam alcançado; uns têm a ciência,outros a sabedoria e a bondade. Os mais reúnem o saber às qualidades morais. Não estando ainda completamente desmaterializados, conservam mais ou menos, conforme a categoria que ocupem, os traços da existência corporal, assim na forma da linguagem, como nos hábitos, entre os quais se descobrem mesmo algumas de suas manias. De outro modo, seriam Espíritos perfeitos.

Se os próprios espíritos superiores não estão completamente desmaterializados, que dirá nós!

abraços.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 10 de Julho de 2013, 20:11
Amigos,
existe em OLE doutrina específica sobre este tema e está em:
Capítulo IV; item VI – SEXO NOS ESPÍRITOS.
Ali se pode compreender o tema para que não se afirmr mais sobre assexualidade nos Espíritos como condição ideal do Espírito.

"200. Os Espíritos têm sexo?
– Não como o entendeis, porque os sexos dependem da constituição
orgânica. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na afinidade de sentimentos."

Disso já se infere que assexuados eles não são nem estão mesmo quando Espíritos Puros.
O que não há entre Espíritos é o sexo na forma com oentendemos quando encarnados.
Gente é na doutrina e a doutrina que nos deve amparar e não aquilo que pensamos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Conforti em 10 de Julho de 2013, 21:35
Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
      Brenno   (ref #97 em: 08 de Julho de 2013, 01:54)

     Conf (msg ant): O ser assexuado (não o verbo ser, mas o ser humano ou espirito encarnado, é evidente) representa um aleijão.......................................
..................................................................doenças que exigem castração etc...


      Brenno: A assexualidade a que o tópico se refere é uma condição do Espírito e não um defeito do corpo material.

      Conf: me perdoe o amigo por ter entendido outra coisa. Estranhei a questão pois não vejo nisso nenhuma condição ideal. Primeiro, porq o espirito é assexuado mesmo; e, segundo, porq, com relação ao sexo, não existe qualquer outra condição para o espírito; é idêntica  para para todos.
...........................

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Conforti em 10 de Julho de 2013, 21:54
      Amós  (ref #2)

      Amigo Amós, o amor incondicional é desconhecido pelo mundo; esse a q vc se refere é ainda condicionado, no caso ao fato de o outro(a) ser quem é: filhinho(a), esposo(a), companheiro(a), amigo(a) etc. Mesmo o amor de uma mãe, mesmo q seja sublime, por seu filhinho está condicionado ao fato de ele ser seu filhinho querido. O amor incondicional não examina condições, nem merecimentos (se o outro o merece ou não), não tem limites ou barreiras, não vê cores, raças, caráter; não tem endereço determinado; é para todos, humanos e não humanos, não pesa as consequências de se está levando o q ama, o agente, a sofrimentos, nem se o julguem tolo, nem se o julguem louco por estar endereçando amor àquele q, no coração dos demais, não merece ser amado (como ao pedófilo, estuprador, explorador de crianças, perversos e pervertidos e seja lá o q for).

      Esse é o amor incondicional, só sentido por aqueles q conheceram a verdade e perceberam quem realmente são e, consequentemente, o q todos são e o que a vida de todos é. E (é) por isso q esses não se calam, senão qdo a morte ou obstáculo irremovível os impeça, tentando ensinar aos semelhantes, pelo resto de seus dias, a conhecerem o caminho q eles já trilharam, o caminho q leva à conhecer a verdade libertadora, q eles já conhecem.
..........................
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 11 de Julho de 2013, 01:11
Amigos,
existe em OLE doutrina específica sobre este tema e está em:
Capítulo IV; item VI – SEXO NOS ESPÍRITOS.
Ali se pode compreender o tema para que não se afirmr mais sobre assexualidade nos Espíritos como condição ideal do Espírito.

"200. Os Espíritos têm sexo?
– Não como o entendeis, porque os sexos dependem da constituição
orgânica. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na afinidade de sentimentos."

Disso já se infere que assexuados eles não são nem estão mesmo quando Espíritos Puros.
O que não há entre Espíritos é o sexo na forma com oentendemos quando encarnados.
Gente é na doutrina e a doutrina que nos deve amparar e não aquilo que pensamos.
Abraços,
Moura


Está perfeito, amigo Moura,

Por isso sempre tenho colocado que tudo o que se diz no tópico só pode referir-se aos Espíritos encarnados.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: hcancela em 11 de Julho de 2013, 10:37
Olá amigos(as)

Na questão do sexo, creio que é por darmos demasiada importância que por vezes leva a desvios de conduta sexual. Falei em desvios, que é nisto que nos deveríamos concentrar.
Tentarei explicar o meu pensamento!...

O Sexo propriamente dito,e, mesmo numa relação dita normal, não ocupa assim tanto tempo em nossas vidas,  talvez 1%, porque os restantes, são ocupados, com trabalho,dormir, lavar, comer, passear, ler ,familia, filhos(quem os tiver)estudar,desportos, etc. Já viram como tal se conseguirmos fazer tudo isto num dia e não fizermos demasiado em qualquer destas ocupações referidas, tudo vai bem, tal e qual o sexo.
Se comermos muito é mau, trabalhar muito idem e por aí fora até ao sexo.Até se fizermos muito desporto e aparentemente termos um corpo lindo e belo, com os músculos uma beleza de fazer( inveja), mas mesmo aqui (já aconteceu) darnos um AVC, e um dia no caixão as pessoas dizerem que éramos um morto bem bonito. ;D
Equilíbrio e mais nada, é o que se precisa. :-*

Abraços fraternos


Amigo hcancela,

O sexo difere fundamentalmente de outras atividades físicas inerentes ao nosso corpo material pela sua desnecessidade!

A alimentação é necessária, a prática de exercícios físicos é necessária! E, em ambos os casos, o excesso é prejudicial!


Porém, no caso do sexo, não existe nenhuma necessidade, a não ser a finalidade reprodutiva! Qualquer prática sexual sem finalidade reprodutiva deve ser considerada como excesso e apego sensual!


Breno

O Moura lembrou o que vem no LE.
"200. Os Espíritos têm sexo?
– Não como o entendeis, porque os sexos dependem da constituição
orgânica. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na afinidade de sentimentos."

Quando estamos encarnados temos um corpo orgânico, (biológico)como tal muito naturalmente que o sexo é um meio dos Espiritos de se aproximarem e reproduzirem-se porque este é bom,movendo energias salutares que ainda hoje estamos a tentar perceber, o problema é a forma como o utilizamos.
Dizes que o sexo sem fins reprodutivos é um sinal de apego, de espiritos inferiores,etc. Mas salvo rarissimas excepções neste Mundo Inferior estariamos há espera de quê?
Somos todos seres ainda em construção não me parece nada de mal, lógicamente que sem os tais desvios do sexo para todos os fins como nos mostra muita a vez a sociedade dita moderna. Allan Kardec não teve filhos e creio que só durante a fase em que se dedicou á Codificação é que achou o sexo desnecessário, porque creio eu não teria tempo para ele, e creio que assim acontecerá, quando chegarmos a essa fase; Não será necessário, teremos muito para onde desviar essa energia, possivelmente para coisas bem mais uteis.
Para mim o sexo nos Mundos inferiores como o nosso, desde que seja feito com carinho e Amor, atrai as pessoas, por isso é uma boa forma de aprendermos Amarmos uns ao outros.

Abraços

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 11 de Julho de 2013, 12:46



Amigo Conforti,

concordo em quase tudo que o amigo disse, menos: "E (é) por isso q esses não se calam", Hoje estou vendo mais do que nunca que os sábios devem se calar..

Abraços
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: lineu em 11 de Julho de 2013, 14:49
Citação de: Amós Ribeiro
Hoje estou vendo mais do que nunca que os sábios devem se calar...

Opa!

A sabedoria é corolário da responsabilidade. E a condição essencial e indispensável ao progresso.

O progresso é um bem comum cuja realização depende da comunicação da sabedoria. E o anseio prioritário dos sábios.

Decerto, pois, nenhum sábio concordaria com a opinião de que os sábios devem calar-se.


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 11 de Julho de 2013, 16:40
Pior ainda mano Lineu,
não teríamos, em nosso caso específico, por exemplo, nem mesmo a codificação já que esta tras a sabedoria e sapiência dos Espíritos Superiores e que lhes foi transmitida pelos Puros Espíritos e que foi adquirida de Deus. Deus.
Abraços,
Moura
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 11 de Julho de 2013, 19:13



Amigo Conforti,

concordo em quase tudo que o amigo disse, menos: "E (é) por isso q esses não se calam", Hoje estou vendo mais do que nunca que os sábios devem se calar..

Abraços


Com o silêncio dos Sábios só nos restaria ouvir o discurso dos ignorantes.



Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Conforti em 11 de Julho de 2013, 23:51
Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito

      Amós   (ref #106 em: 11.07.13,às 12:46)

      O amigo Amós escreveu: concordo em quase tudo que o amigo disse, menos: "E (é) por isso q esses não se calam", Hoje estou vendo mais do que nunca que os sábios devem se calar...

      Conf: me perdoe Amós, não entendi; porq vc diz q "hoje vc está vendo q os sábios devem se calar"?!!

      Mas, esses em quem despertou um "amor incondicional" mesmo q quisessem se calar não conseguem. Conforme testemunhos, a compreensão faz q desperte, em seu íntimo, um amor "quase insuportável" pelos semelhantes. Por isso, só se calam frente a impendimento irremovível, como a morte, por exemplo.

      Jesus e outros não se calaram e foram executados. A história da Idade Média tem muitos exemplos. Um deles é Giordano Bruno, q mesmo ao ser levado, manietado, numa carroça, exposto a vista de todos, para a praça onde seria submetido à morte pelo fogo, não se continha e gritava, para todos q estavam nas ruas, o q deveriam fazer para encontrar o caminho q leva à verdade. Para q se calasse, lhe fecharam a boca com grampos de ferros.

      Abç. 
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 12 de Julho de 2013, 03:22
Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito

      Amós   (ref #106 em: 11.07.13,às 12:46)

      O amigo Amós escreveu: concordo em quase tudo que o amigo disse, menos: "E (é) por isso q esses não se calam", Hoje estou vendo mais do que nunca que os sábios devem se calar...

      Conf: me perdoe Amós, não entendi; porq vc diz q "hoje vc está vendo q os sábios devem se calar"?!!

      Mas, esses em quem despertou um "amor incondicional" mesmo q quisessem se calar não conseguem. Conforme testemunhos, a compreensão faz q desperte, em seu íntimo, um amor "quase insuportável" pelos semelhantes. Por isso, só se calam frente a impendimento irremovível, como a morte, por exemplo.

      Jesus e outros não se calaram e foram executados. A história da Idade Média tem muitos exemplos. Um deles é Giordano Bruno, q mesmo ao ser levado, manietado, numa carroça, exposto a vista de todos, para a praça onde seria submetido à morte pelo fogo, não se continha e gritava, para todos q estavam nas ruas, o q deveriam fazer para encontrar o caminho q leva à verdade. Para q se calasse, lhe fecharam a boca com grampos de ferros.

      Abç.


Na verdade amigo conforti há tempo para tudo, inclusive para o silencio.(Quero chegar a esta plenitude)

Quando Pilatos perguntou ao Cristo o que era à verdade, ele respondeu com o silencio, calou-se!

O Buda alcançou à iluminação no silencio profundo.

https://www.youtube.com/watch?v=Xqkz0_p4Oso

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 12 de Julho de 2013, 03:54
Amigos Breno, Mourarego e Lineu.

OLE:

A ciência espírita compreende duas partes: experimental uma,  relativa às manifestações em geral; filosófica, outra,  relativa às manifestações inteligentes.
Aquele que apenas haja observado a primeira se acha na posição de quem
não conhecesse a Física senão por experiências recreativas, sem haver penetrado no âmago da ciência. A verdadeira Doutrina Espírita está no ensino que os Espíritos deram, e os conhecimentos que esse ensino comporta são por demais profundos e extensos para serem adquiridos de qualquer modo, que não por um estudo perseverante, feito no silêncio e no recolhimento.  Porque, só dentro desta condição se pode observar um número infinito de fatos e particularidades que passam despercebidos ao observador superficial, e firmar opinião.

936.Impacientemente suportamos as tribulações da vida. Tão
intoleráveis nos parecem, que não compreendemos possamos
sofrê-las. Entretanto, se as tivermos suportado corajosamente,
se soubermos impor silêncio às nossas murmurações, felicitar-
-nos-emos, quando fora desta prisão terrena, como o doente que
sofre se felicita, quando curado, por se haver submetido a um
tratamento doloroso.


772. Que pensar do voto de silêncio prescrito por algumas
seitas, desde a mais remota antiguidade?

“Perguntai, antes, a vós mesmos se a palavra é faculdade natural e por que Deus a concedeu ao homem. Deus condena o abuso e não o uso das faculdades que lhe outorgou. Entretanto, o silêncio é útil, pois no silêncio pões em prática o recolhimento; teu espírito se torna mais livre e pode entrar em comunicação conosco. Mas o voto de silêncio é uma tolice. Sem dúvida obedecem a boa intenção os que consideram essas privações como atos de virtude. Enganam-se, no entanto, porque não compreendem suficientemente as verdadeiras leis de Deus.”

Abraços.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Amós Ribeiro em 12 de Julho de 2013, 04:12



Amigo Conforti,

concordo em quase tudo que o amigo disse, menos: "E (é) por isso q esses não se calam", Hoje estou vendo mais do que nunca que os sábios devem se calar..

Abraços


Com o silêncio dos Sábios só nos restaria ouvir o discurso dos ignorantes.

É por isso que os sábios sempre ensinaram que só devemos falar alguma coisa “quando as nossas palavras forem mais valiosas que o nosso silêncio”.

Abraços.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 12 de Julho de 2013, 06:46


É por isso que os sábios sempre ensinaram que só devemos falar alguma coisa “quando as nossas palavras forem mais valiosas que o nosso silêncio”.

Abraços.


O silêncio nada comunica. A Sabedoria deve ser compartilhada (ensinada) com palavras e exemplos. Jamais escondida em silêncio egoísta.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Vitor Santos em 12 de Julho de 2013, 13:16
Olá

Citar
O silêncio nada comunica. A Sabedoria deve ser compartilhada (ensinada) com palavras e exemplos. Jamais escondida em silêncio egoísta.


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/sexualidade/assexualidade-uma-condicao-ideal-do-espirito/105/#ixzz2Yph1QAxn

A sabedoria deve ser partilhada, concordo. Mas, muitas vezes, o que é partilhado é fruto da  ignorância e não da sabedoria...

bem haja
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Conforti em 12 de Julho de 2013, 19:13
Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
      Amós   (ref #111 em: 12.07.13, às 03:22)

      Amós escreveu (#106): concordo em quase tudo que o amigo disse, menos: "E (é) por isso q esses não se calam", Hoje estou vendo mais do que nunca que os sábios devem se calar...

      Conf: me perdoe Amós, não entendi; porq vc diz q "hoje vc está vendo q os sábios devem se calar"?!!

      Mas, esses em quem despertou um "amor incondicional" mesmo q quisessem se calar não conseguem. Conforme testemunhos, a compreensão faz q desperte, em seu íntimo, um amor "quase insuportável" pelos semelhantes. Por isso, só se calam frente a impedimento irresistível, como a morte, por exemplo.

      Jesus e outros não se calaram e foram executados. A história da Idade Média tem muitos exemplos. Um deles é Giordano Bruno, q mesmo ao ser levado, manietado, numa carroça, exposto a vista de todos, para a praça onde seria submetido à morte pelo fogo, não se continha e gritava, para todos q estavam nas ruas, o q deveriam fazer para encontrar o caminho q leva à verdade. Para q se calasse, lhe fecharam a boca com grampos de ferros.

      Amós: Na verdade amigo conforti há tempo para tudo, inclusive para o silêncio. (Quero chegar a esta plenitude). Quando Pilatos perguntou ao Cristo o que era à verdade, ele respondeu com o silencio, calou-se! Buda alcançou à iluminação no silencio profundo.

      Conf: compreendo o q vc quer dizer. No entanto, veja q estou me referindo àqueles q buscam a iluminação, mas àqueles q já se iluminaram, q conheceram a verdade; para esses ficar em silêncio é até mesmo absurdo (o Buda, como o Cristo, nunca se calaram), pois o conhecer a verdade faz despertar um amor quase insuportável pelos semelhantes, lembra-se?

      E porq não teria Jesus respondido a Pilatos? Com certeza ele sabia q Pilatos não entenderia, não? Nem mesmo entre aqueles q ouviam os seus ensinamentos, nem todos os compreendiam, tanto q, num dos evangelhos não adotados pela igreja, nem lembrado pelo Espiritismo está: "... e, lamentava-se Jesus: ‘Mas os homens não me compreenderam!’”.
...........................
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 13 de Julho de 2013, 01:10

Para mim o sexo nos Mundos inferiores como o nosso, desde que seja feito com carinho e Amor, atrai as pessoas, por isso é uma boa forma de aprendermos Amarmos uns ao outros.

Abraços




Nesse caso, especificamente, concordo que o sexo possa ter algo além de apego a prazer material, pois é, de alguma forma, útil ao nosso desenvolvimento Moral.



Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 15 de Novembro de 2013, 17:01
Bom, a opinião que eu vou dar é pessoal.. e  mais baseada na minha vida..  Eu não acho que para não sentir vontade de fazer sexo é preciso ser super evoluido. Por uma razão muito sim, eu não sou, não me sinto espirito em missão especial. E não sinto a menor vontade de fazer sexo.. Eu já tenho 30 anos e nunca fiz. E posso garantir que isso não me deixa deprimida.  Eu me considero assexual , nem mesmo me masturbo e nunca tive vontade de fazer isso.

E posso afirmar que não foi repressão religiosa até porque não tive educação religiosa.. acho que nasci assim sim.. e também não fui abusada.  Não estou reprimindo nada eu simplesmente não sinto vontade.. nunca senti nem na adolescência.

Não acho que a religião tenha papel fundamental nisso eu participo de comunidades sobre o assunto  e vejo que há um numero considerável de ateus nelas..  Por todos esses motivos acredito que a assexuslidade pode ter outros fatares que não a elevação do espirito.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: lconforjr em 15 de Novembro de 2013, 17:30
      luciana.flora (ref #118, de 151113)

      Olá, nova amiga Flora, pois sua opinião, justamente por ser pessoal e por estar baseada em sua própria vida, é perfeitamente válida! O sexo, suas características podem ser muito diferentes entre uns e outros, do mesmo modo que são diferentes outras muitas características dos seres humanos.

      Sem dúvida, não sentir vontade de fazer sexo nada tem a ver com evolução espiritual. É uma característica fisiológica e não moral ou espiritual. E se alguém, por algum motivo, repressão religiosa ou o que for, se forçar a evitar o sexo, característica aos seres humanos e não humanos, concedida por Aquele que disse, conforme as religiões, "crescei e vos multiplicai", estará sendo levado a erro, pois estará reprimindo uma atividade tão natural como respirar, digerir os alimentos, circular o sangue, excretar etc. Basta lembrar o que tem ocorrido com tantos sacerdotes católicos para os quais a religião exige celibato.
.............
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: new em 15 de Novembro de 2013, 21:34
Bom, a opinião que eu vou dar é pessoal.. e  mais baseada na minha vida..  Eu não acho que para não sentir vontade de fazer sexo é preciso ser super evoluido. Por uma razão muito sim, eu não sou, não me sinto espirito em missão especial. E não sinto a menor vontade de fazer sexo.. Eu já tenho 30 anos e nunca fiz. E posso garantir que isso não me deixa deprimida.  Eu me considero assexual , nem mesmo me masturbo e nunca tive vontade de fazer isso.

E posso afirmar que não foi repressão religiosa até porque não tive educação religiosa.. acho que nasci assim sim.. e também não fui abusada.  Não estou reprimindo nada eu simplesmente não sinto vontade.. nunca senti nem na adolescência.

Não acho que a religião tenha papel fundamental nisso eu participo de comunidades sobre o assunto  e vejo que há um numero considerável de ateus nelas..  Por todos esses motivos acredito que a assexuslidade pode ter outros fatares que não a elevação do espirito.


Suas palavras são coerentes Luciana.

Assim como o seu organismo lhe predispõe a uma ausência de vontade, há organismos que estão, desde a mais tenra idade produzindo hormônios predispondo o corpo a uma atividade sexual maior. A Gênese e o Céu e o Inferno explicam muito bem isso, de modo que não vou aprofundar o assunto.
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 16 de Novembro de 2013, 02:56

Suas palavras são coerentes Luciana.

Assim como o seu organismo lhe predispõe a uma ausência de vontade, há organismos que estão, desde a mais tenra idade produzindo hormônios predispondo o corpo a uma atividade sexual maior. A Gênese e o Céu e o Inferno explicam muito bem isso, de modo que não vou aprofundar o assunto.


Amigo New,

O que gerou muita controvérsia nesse tópico foi o Título:

Assexualidade: uma condição ideal do espírito

Os Espíritos não são assexuados, nem mesmo os Puros, logo não se pode falar em assexualidade como uma condição do Espírito.

Menos ainda se pode considerar a assexualidade em se tratando de Encarnados.

Enfim o que se pode debater se é ou não ideal, é o celibato.

Quanto à esse a Doutrina Espírita nos diz:


693. São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?

“Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral.”

a) - Entretanto, há espécies de seres vivos, animais e plantas, cuja reprodução indefinida seria nociva a outras espécies e das quais o próprio homem acabaria por ser vítima. Pratica ele ato repreensível, impedindo essa reprodução?

“Deus concedeu ao homem, sobre todos os seres vivos, um poder de que ele deve usar, sem abusar. Pode, pois, regular a reprodução, de acordo com as necessidades. A ação inteligente do homem é um contrapeso que Deus dispôs para restabelecer o equilíbrio entre as forças da Natureza e é ainda isso o que o distingue dos animais, porque ele obra com conhecimento de causa. Mas, os mesmos animais também concorrem para a existência desse equilíbrio, porquanto o instinto de destruição que lhes foi dado faz com que, provendo à própria conservação, obstem ao desenvolvimento excessivo, quiçá perigoso, das espécies animais e vegetais de que se alimentam.”


694. Que se deve pensar dos usos, cujo efeito consiste em obstar à reprodução, para satisfação da sensualidade?

“Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material.”


695. Será contrário à lei da Natureza o casamento, isto é, a união permanente de dois seres?

“É um progresso na marcha da Humanidade.”

696. Que efeito teria sobre a sociedade humana a abolição do casamento?

“Seria uma regressão à vida dos animais.”

O estado de natureza é o da união livre e fortuita dos sexos. O casamento constitui um dos primeiros atos de progresso nas sociedades humanas, porque estabelece a solidariedade fraterna e se observa entre todos os povos, se bem que em condições diversas.
A abolição do casamento seria, pois, regredir à infância da Humanidade e colocaria o homem abaixo mesmo de certos animais que lhe dão o exemplo de uniões constantes.


698. O celibato voluntário representa um estado de perfeição meritório aos olhos de Deus?

“Não, e os que assim vivem, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam o mundo.”


699. Da parte de certas pessoas, o celibato não será um sacrifício que fazem com o fim de se votarem, de modo mais completo, ao serviço da Humanidade?

“Isso é muito diferente. Eu disse: por egoísmo. Todo sacrifício pessoal é meritório, quando feito para o bem. Quanto maior o sacrifício, tanto maior o mérito.”

Não é possível que Deus se contradiga, nem que ache mau o que Ele próprio fez.
Nenhum mérito, portanto, pode haver na violação da Sua lei. Mas, se o celibato, em si mesmo, não é um estado meritório, outro tanto não se dá quando constitui, pela renúncia às alegrias da família, um sacrifício praticado em prol da Humanidade. Todo sacrifício pessoal, tendo em vista o bem e sem qualquer idéia egoísta, eleva o homem acima da sua condição material.

                                                             O Livro dos Espíritos
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 16 de Novembro de 2013, 12:04
Eu francamente não vejo como não fazer sexo seria egoismo.. a pessoa não prejudica absolutamente ninguém por não fazer sexo.  Nam a si mesma se ela não sente falta!! E assexualidade é bem diferente de celibato. Na assexualidade a pessoa não reprime nada porque simplesmente não há desejo!!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 16 de Novembro de 2013, 13:18
Meus amigos,
Não há nenhum indício de que msmo na erraticidade um Espírio seja assexuado. Eles não têm sexo como nós o conhecemos, é isso que diz em OLE.
Nos mundos como o nosso, o termo assexuado trás esta significação:
assexuado
as.se.xu.a.do
(cs) adj (a4+sexuado) 1 Que não tem sexo ou órgãos sexuais funcionais. 2 Produzido sem ação ou diferenciação sexuais; assexo, assexual.

Sendo assim não se pode tomar do vocábulo sob a designação de não querer ou gostar fazer sexo.
Abraços,
Moura
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 16 de Novembro de 2013, 13:47
A lingua é viva e palavras podem adquirir novos significados.. Não vou ficar siscutindo palavras aqui.. mas acho que muitas pessoas podem não saber do que estou falando.. então quem tiver interesse de uma olhada:

http://assexualidades.blogspot.com.br/

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 16 de Novembro de 2013, 14:23
Essa é uma entrevista com a pesquisadora que explica bem o que seria a assexualidase:


Gostaria, em primeiro lugar, de saber como está sua tese de doutorado sobre assexuais? Aliás, tanto faz usar o termo assexuais ou assexuadas?
Minha pesquisa de doutorado - que busca conhecer as trajetórias de pessoas assexuais no processo de autoidentificação como tal – está na fase das entrevistas com pessoas autoidentificadas como assexuais. As entrevistas serão analisadas à luz de bibliografia teórica pertinente. A pesquisa está sendo feita na Faculdade de Educação da USP, na linha de pesquisa Sociologia da Educação.
Nas comunidades virtuais brasileiras, a palavra mais utilizada é assexuado/a. Fiz opção pelo uso da palavra assexual por ser a palavra já utilizada na literatura internacional sobre o tema. Além disso, como a perspectiva trabalhada é a de orientação sexual, a palavra assexual segue a mesma formação de outras palavras que nomeiam outras orientações sexuais, como heterossexual, homossexual e bissexual.

A senhora já defendeu a tese? Quando (foi ou será)?. Me fale mais de seu interesse no tema?
A tese será defendida em 2014. Meu interesse no tema surgiu a partir da constatação de que, apesar de haver comunidades de assexuais no Brasil, não havia pesquisas acadêmicas sobre este tema no país. Nos Estados Unidos, e em outros países, os assexuais estão se organizando em movimentos para a visibilidade da assexualidade nos meios de comunicação. No Brasil, as interações entre os assexuais restringem-se às poucas comunidades existentes no Orkut e na Comunidade Assexual A2 (www.assexualidade.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hc3NleHVhbGlkYWRlLmNvbS5icg==)). Embora a mídia brasileira esteja publicando matérias sobre a assexualidade pelo menos desde 2003, a academia infelizmente não seguiu o mesmo caminho.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 16 de Novembro de 2013, 14:24
Sua formação é sociologia, correto? Fale um pouco de seus estudos.
Sou pedagoga, com mestrado em sociologia da educação. Sou integrante da organização não governamental ECOS – COMUNICAÇÃO EM SEXUALIDADE, onde desenvolvo pesquisa sobre diversidade sexual, relações de gênero e educação em sexualidade. Meu mestrado - defendido na Faculdade de Educação da USP em 2007 -, foi sobre gravidez e maternidade na adolescência. No doutorado continuo a pesquisar a sexualidade, só que desta vez com o foco direcionado à diversidade sexual.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 16 de Novembro de 2013, 14:26
Li no seu blog, sobre sua pesquisa sobre assexualidade. Como funciona? Quem pode participar?
Podem participar pessoas que se autoidentifiquem como assexuais, preferencialmente a partir de 18 anos de idade. A pesquisa é exploratória, de caráter qualitativo e busca compreender o processo de autoidentificação como assexual.

Sua palestra tem como tema “o desejo sexual é universal”? Então, pergunto: ele é?
Essa é uma das provocações que costumo colocar para explicar o que é a assexualidade. Sempre fomos levados a acreditar que sim. O desejo sexual foi construído historicamente (sobretudo pelas ciências médicas) como universal, ou seja, todas as pessoas, independente da época, da cultura, do meio social devem sentir desejo sexual (de preferência desejo heterossexual), pois, supostamente, corpo biológico é o lócus da sexualidade. Mas sabemos que a sexualidade não está somente no corpo biológico. Ela se constrói no interior das relações sociais, desenvolvidas em determinadas culturas, em determinadas épocas e contextos diversos. Hoje temos um grupo emergente de pessoas – os assexuais – que contestam este postulado histórico. Essas pessoas têm nos mostrado, nos últimos 10 anos, que existe muita coisa que ainda não sabemos sobre a sexualidade humana. Inclusive que a falta de interesse pelo sexo faz parte da construção social da sexualidade. A falta de interesse não seria necessariamente um transtorno, mas uma variação da sexualidade humana. Mais uma cor no arco-íris da diversidade sexual.

Como definir o que é ser assexual?
A assexualidade é uma interpretação da falta de desejo (antes sempre considerada um distúrbio). Ainda não existe uma definição totalmente acabada da assexualidade. Essa definição ainda está sendo construída, tanto pelos assexuais como pelos pesquisadores estudiosos da assexualidade. Em linhas gerais, ser assexual significa não ter nenhum – ou pouquíssimo – interesse pela atividade sexual. Essa falta de interesse não é uma escolha do sujeito assexual e, em geral, não lhe traz infelicidade, angústia ou desconforto. Assim como a heterossexualidade, homossexualidade ou bissexualidade, a assexualidade não é uma escolha. A falta de interesse pelo sexo não significa que a pessoa não tenha interesse por relacionamentos amorosos. Sexo e amor são coisas separadas para os assexuais. Eles acreditam ser possível manter relacionamentos amorosos que não envolvam atividade sexual. Mas também existem assexuais que não têm interesse nem mesmo em relacionamentos amorosos. A assexualidade não diz respeito ao comportamento sexual. Uma pessoa assexual pode fazer sexo, apesar da falta de interesse, não há nada de errado com seu corpo. Muitos assexuais mantêm relacionamentos amorosos com pessoas não assexuais, e fazem sexo para dar prazer a seus parceiros, apesar da falta de interesse.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 16 de Novembro de 2013, 14:29
Na sua opinião, a assexualidade pode ser reconhecida como uma quarta orientação sexual (além de heteros, homos e bissexuais)?
Para os assexuais membros das comunidades assexuais norte-americanas, a assexualidade é uma orientação sexual. Porém, entre os poucos pesquisadores da assexualidade no mundo, isso ainda não é consenso. A assexualidade têm muitas semelhanças com outras orientações sexuais. Como outras orientações sexuais, a assexualidade (falta de interesse por sexo) é patologizada pela medicina, por exemplo, pois vivemos numa sociedade na qual o desejo sexual é compulsório. Outra semelhança é que os assexuais, em determinado momento da vida, sentem-se diferentes de seus colegas da mesma idade. Na adolescência, podem perceber que seus colegas passam a se interessar por sexo e relacionamentos amorosos, e não compreendem por que não sentem o mesmo. Os assexuais não se identificam com a forma com que a sexualidade está colocada na sociedade. Esse processo de desindentificação pode levar a pessoa assexual ao isolamento e ao sentimento de inadequação social. Por sua falta de interesse pelo sexo, alguns assexuais relatam ter sofrido discriminação, até mesmo homofobia, pois seus colegas - e até as famílias -,  pensam que eles são homossexuais enrustidos. Como não existem referências de identificação na sociedade (ao contrário do que ocorre com os homossexuais), - e também pela falta de informações sobre a assexualidade – jovens assexuais não têm a quem recorrer para esclarecer suas dúvidas. É difícil entender a assexualidade num contexto que patologiza a falta de interesse por sexo. Outra coisa que deve ficar clara é que a orientação assexual implica também uma orientação afetiva, que pode ser homo, hetero ou bi, ou nenhuma. Ou seja, os assexuais com interesse amoroso podem sentir atração amorosa pelo mesmo sexo, por sexo diferente ou por qualquer dos sexos. Portanto, uma pessoa pode ser ao mesmo tempo assexual e gay; assexual e lésbica; assexual e bi; ou assexual sem nenhuma orientação afetivo-amorosa (sem interesse por relacionamentos amorosos).

Diversas patologias são atribuídas às pessoas que não praticam o sexo, de acordo com o Manual Estatístico e Diagnóstico de Distúrbios Mentais (DSM) - publicado pela Associação Americana de Psiquiatria. Na lista aparecem transtornos sexuais sofridos pelas mulheres, como: transtorno do desejo sexual hipoativo, transtorno da aversão sexual, transtorno de excitação, anorgasmia, dispareunia e vaginismo. Não raramente, a sociedade atual equipara a necessidade sexual a outras necessidades biológicas como o alimento e o sono. Pensando assim, como diferenciar os diagnósticos?
Quando falamos de distúrbios sexuais, estamos considerando que existe um padrão normal e desejável de sexualidade (heterossexual, cisgênera e reprodutiva). Portanto, qualquer comportamento ou identidade sexual que se afaste disso, é considerado um distúrbio que requer diagnóstico, tratamento e cura.  Basta comparar as sucessivas edições do DSM para ver a proliferação de distúrbios sexuais que são acrescentados a cada nova edição. Com isso, a poderosa indústria de terapias, medicamentos e tratamentos cresce a partir do desejo das pessoas em atingirem determinados padrões sexuais considerados normais. Existem livros escritos sobre como a indústria farmacêutica norte-americana lucra com as chamadas disfunções sexuais femininas. Portanto, existem interesses econômicos e políticos por trás desses diagnósticos. Com isso, não estou afirmando que distúrbios não existam. Se uma pessoa que sempre teve determinado padrão de desejo, de repente, vê esse padrão diminuir ou desaparecer, se isso lhe traz infelicidade, certamente deve buscar ajuda médica ou psicológica para descobrir a origem do problema.
A assexualidade não é um diagnóstico. É uma interpretação da falta de interesse pelo sexo. Se existem pessoas que nunca tiveram interesse pelo sexo e são felizes dessa forma, não faz sentido buscar ajuda. A sociedade é que deve absorver esse conceito e reconhecer essas pessoas. Os assexuais são a prova viva de que a necessidade sexual não pode ser equiparada a outras necessidades biológicas, como alimento ou água. Isso é o que a mídia propaga; isso é o que as ciências biológicas propagam, isso é o que a indústria do consumo propaga. A sexualidade não está somente no corpo biológico, como eu já disse. Se a pessoa acredita que o sexo é fundamental, ela vai construir sua vida em torno dessa crença, e pode se sentir infeliz quando estiver impossibilitada de fazer sexo, ou de ter um relacionamento amoroso. Se a pessoa acredita que para ela o sexo não é importante – ou totalmente dispensável – ela vai viver sua vida bem e ajustada em torno dessa crença, ou sentir-se infeliz se for obrigada a fazer sexo. O sofrimento pode vir da pressão social para que ela siga o comportamento da maioria, não da falta de interesse por sexo. Embora vez por outra apareçam estudos apontando os benefícios do sexo para a saúde física e psicológica, eu não conheço nenhum estudo que consiga provar sem sombra de dúvida que a atividade sexual isoladamente está promovendo aqueles benefícios apurados. Ou que somente a atividade sexual promova aqueles benefícios; por exemplo, alimentação equilibrada, exercícios frequentes, baixo nível de stress, convívio com amigos também trazem benefícios para o corpo e para a mente da maioria das pessoas. Não há dúvida que a atividade sexual traz benefícios, mas outras atividades prazerosas também trazem. As fontes de prazer são diferentes para pessoas diferentes.

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 16 de Novembro de 2013, 14:31
Como entender alguém que simplesmente diz: não gosto de sexo e não tenho nenhuma doença? É verdade 7% das mulheres e 2,5% dos homens garantem viver perfeitamente sem sexo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde?
Por que uma pessoa que diz que não gosta de sexo e é feliz assim teria que fazer exames médicos e provar para os outros que é saudável? Por que quando alguém diz “sou heterossexual e adoro sexo”, ninguém pede a ele ou ela que faça exames para saber se é normal? Infelizmente trabalhamos com padrões de normalidade que não traduzem as experiências reais que as pessoas vivem. Temos que desconstruir a ideia de que o desejo sexual é universal, que é somente biológico, que independe da cultura, da história, das relações sociais, pois tudo isso constitui as sexualidades Só é possível entender a assexualidade - e as demais sexualidades - a partir dessa desconstrução.
Se 7% das mulheres e 2,5% dos homens dizem viver bem sem sexo, esses números só revelam que essas pessoas são (ou estão temporariamente) celibatárias, não que são assexuais. Celibato é uma escolha pela abstinência sexual; a assexualidade não é uma escolha. A assexualidade vai muito além do comportamento sexual. Nem todo mundo que não faz sexo é assexual; e muitos assexuais fazem sexo. Fazemos sexo por diversos motivos além do desejo sexual.

Na sua opinião, é maior o preconceito com quem não pratica sexo do que com aqueles que o fazem excesso?
Sem dúvida. Basta verificar a lista de distúrbios sexuais do DSM para constatar que a maioria diz respeito a falta (falta de desejo, falta de orgasmo, falta de prazer, falta de excitação, falta de ereção, etc.) Para o excesso ser considerado uma patologia, ele deve ser extremo. Compreende-se facilmente o excesso de desejo, mas não se compreende a falta dele. Socialmente é a mesma coisa, principalmente para os homens. Gostar de sexo e estar buscando sexo constantemente faz parte da construção da masculinidade mais valorizada. É preciso muita coragem para um homem se assumir como assexual numa sociedade tão machista como a nossa.

Vivemos em uma sociedade que, não raramente, banaliza o sexo. Talvez por este motivo, e também por falta de didática dos pais, muitos adolescentes não estão preparados para falar sobre sexo - ou se manifestarem sobre a questão. Então, como os pais podem reconhecer a assexualidade dos filhos e ajudá-los?
Não há como reconhecer a assexualidade, a não ser que a pessoa se autoidentifique dessa forma e revele a seu círculo social. É possível que um/a jovem tenha outras prioridades, como os estudos, a inserção no mercado de trabalho, lazer com amigos, e deixe os relacionamentos amorosos e sexuais para mais tarde na vida. Em minha opinião, os pais devem manter-se abertos e disponíveis para conversar com os filhos sobre todos os assuntos, inclusive sobre sexo. Acredito que uma lição importante que os pais devem passar a seus filhos é que, ao contrário do que propaga a novela das 8, a propaganda de refrigerante, o que fazem os amigos, o que se ouve na mídia, a atividade sexual não tem que ser necessariamente prioridade na vida do/a jovem. Existem muitas outras coisas importantes para aprender com os relacionamentos. Sexo não é tudo na vida.

Alguém que antes gostava, e depois de uma experiência traumática, deixou de gostar de sexo, pode ser considerado um assexuado?
Uma pessoa nessas condições deve procurar ajuda psicológica para superar seu trauma. A falta de desejo, nesse caso, pode ser consequência da experiência traumática.

Em geral, aprendemos que o sexo faz parte de nossa condição humana e não à toa o ato sexual está relacionado a reprodução - e a preservação da espécie. Além disso, também os animais fazem sexo. Sendo assim, a falta de libido não deve ser investigada como uma "falha" do corpo?
Não necessariamente, os assexuais estão aí para provar isso. Nós não somos exatamente como os animais irracionais; nós temos inteligência, autocontrole, poder de planejar, de construir, de escolher, de decidir. Como disse anteriormente, a sexualidade não ocorre somente no corpo biológico. É preciso desconstruir a ideia de que todos os seres humanos de todas as épocas e de todas as culturas sejam iguais. Não somos todos iguais. O principal problema da assexualidade é que sua principal característica – a falta de interesse por sexo –, pode ser também interpretada como transtorno. Isso diferencia a assexualidade de outras orientações sexuais.

Quais, na sua opinião, são os obstáculos de quem levanta essa bandeira da abstinência e dos que lutam para o reconhecimento da assexualidade?

·        Viver numa sociedade que considera que o desejo sexual é universal e que a atividade sexual é indispensável para a saúde e felicidade.
·         Viver numa sociedade que apregoe que não fazer sexo – ou não desejar o sexo – não é normal
·         Viver numa sociedade que ensina que não é possível ter relacionamentos amorosos prazerosos que não envolvam a atividade sexual.
·         Viver numa sociedade que apregoe que o sexo é necessariamente consequência do amor.
·         Viver numa sociedade que considera que não é possível ser feliz sozinho.
·         Viver numa sociedade que priorize a atividade sexual, quando existem tantos outros aspectos importantes na vida.
·         Viver numa sociedade que não acredite na diversidade humana
·        Viver numa sociedade que não respeita o direito individual de cada um de tomar decisões em relação ao uso de seu corpo.


fonte: http://assexualidades.blogspot.com.br/2012/09/nao-somos-todos-iguais-entrevista.html#comment-form
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 17 de Novembro de 2013, 04:48

A lingua ............
..........olhada:



Essa ........
.............caminho.



Sua.........
............... sexual.



Como............
...................corpo.



Porém, a Doutrina Espírita nos diz claramente:


698. O celibato voluntário representa um estado de perfeição meritório aos olhos de Deus?

“Não, e os que assim vivem, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam o mundo.”

                                                                 O Livro dos Espíritos


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 17 de Novembro de 2013, 08:56
Não fazer sexo não prejudica ninguem.. como pode ser egoismo????? Siceramente não vejo como!!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 17 de Novembro de 2013, 09:06
ahhh, e eu não acredito nessa historia de que quem não faz sexo está impedindo outros de reencarnarem.. nunca houve tanta gente na Terra!! E a grande maioria faz sexo!!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: luciana.flora em 17 de Novembro de 2013, 09:24
Só mais uma coisa.. não me sinto celibataria..no celibato vc estpá reprimindo e eu não me sinto reprimindo nada.. como posso reprimir algo que não existe em mim??? Por mais dificil que seja para as pessoas acreditarem é isso que acontece... E não vejo porque me forçar a algo que não tenho a minima vontade de fazer..  Nem procurar tramentos psicologicos por algo quer não quero mudar.. mas serio mesmo.. Não consigo ver egoismo em algem não fazer sexo!!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Andressa Z. em 17 de Novembro de 2013, 12:40

698. O celibato voluntário representa um estado de perfeição meritório aos olhos de Deus?

“Não, e os que assim vivem, por egoísmo, desagradam a Deus e enganam o mundo.”

                                                                 O Livro dos Espíritos




Olá Luciana!
Para mim, esse trecho do Livro dos espíritos está dizendo que as pessoas que vivem celibatárias por egoísmo desagradam à Deus, em vez de agradar como seria a sua intenção. Essas pessoas reprimem sua natureza e não estão seguindo sua missão por assim dizer (ter filhos, família, se acertar com antigos desafetos que podem reencarnar nessa forma). Quem é assexuado (uma condição como ser heterossexual ou homossexual), não está reprimindo um desejo apenas para se "santificar" aos olhos de Deus, pois Deus o criou assim!
Para a minha pessoa, está clara essa diferença!
Abraços
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 17 de Novembro de 2013, 13:23
Amiga Flora, entenda,
a amiga está num fórum onde tudo qoue se debate tenha de ter relação estrita para com a dourtina espírita.
Logo, eu não posso elencar apenas na parte científica a minha resposta, não aqui.
Dentro do tema, quele ou aquela que dotado de Livre Arbítrio passe sua vida, sem sexo,  se apriorístiocamen te não comete um mal nem por isso se adianta ou se torna melhor, aliás, o ensino doutrinário nos esclarece que o importante não é só não faer o mal, mas sim o de fazer o bem conquanto e dentro do que possamoas fazer. nesse sentido quem deixa de cometer o ato sexual, e aqui me reporto à condição de sobrevida da espécie, faz com que se eleve o número de Espiritos (Deus os crea incessantemente diz ESE e OLE), que esperampor novo reencarne, e consequente prpogresso aferido encarnadamente, e isso é um mal.
Abraços,
Moura


Não fazer sexo não prejudica ninguem.. como pode ser egoismo????? Siceramente não vejo como!!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 17 de Novembro de 2013, 13:26
Parece que eu adivinhava não?
Flora, neste fórum não está em voga oque você ou eu acreditemos, mas sim o que o ensino doutrinário nos explicita.
Estar aqui e dizer que não acrdita num ponto doutinário é o mesmo que fazer um café  mas só gostar de leite, por favor...
Abraços,
Moura
ahhh, e eu não acredito nessa historia de que quem não faz sexo está impedindo outros de reencarnarem.. nunca houve tanta gente na Terra!! E a grande maioria faz sexo!!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 18 de Novembro de 2013, 04:04

Para mim, esse trecho do Livro dos espíritos está dizendo que as pessoas que vivem celibatárias por egoísmo desagradam à Deus, em vez de agradar como seria a sua intenção. Essas pessoas reprimem sua natureza e não estão seguindo sua missão por assim dizer (ter filhos, família, se acertar com antigos desafetos que podem reencarnar nessa forma). Quem é assexuado (uma condição como ser heterossexual ou homossexual), não está reprimindo um desejo apenas para se "santificar" aos olhos de Deus, pois Deus o criou assim!
Para a minha pessoa, está clara essa diferença!
Abraços


Quem é assexuado (uma condição como ser heterossexual ou homossexual), não está reprimindo um desejo apenas para se "santificar" aos olhos de Deus

Mas está deixando de cumprir com a Lei de Reprodução e isso já é egoísmo.


pois Deus o criou assim!

A amiga está se esquecendo que somos nós mesmos que escolhemos as condições (as provas) em que devemos encarnar.


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Diegas em 18 de Novembro de 2013, 13:51
Olá


Citar
200. Os espíritos têm sexos ?

“Não como o entendeis, pois os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na semelhança dos sentimentos.”

Uma pergunta efetuada de forma generica merece uma resposta respectiva. E esta resposta atende os espiritos que ainda não se despojaram completamente da materialidade, que ainda necessitam de um organismo perispiritual para identicarem-se. Entretanto, os espiritos puros (e somente estes) por não disporem de qualquer materialidade (organismo intermediário) pertencem a um grupo distinto, a uma categoria em que não existe qualquer distinção de genero.  


---------


Po outra, desculpem-me alguns companheiros que querem ser castos à força por que a unica coisa que fazem é trairem o proprio instinto, tal como acontece com um cozinheiro que coloca uma panela no fogo e esquece de liberar a válvula de pressão - numa determinada hora, explode ! A castidade tem de ser conseguida ou alcançada naturalmente, tal como piscar ou respirar sem que apercebamos que estamos piscando ou respirando. E a castidade natural dá-se conforme o espirito se desmaterializa, despoja-se lentamente do veiculo perispiritual. Por isso, não adiantar os mais apressadinhos quererem colocar a carroça diante dos bois.



Abç

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Andressa Z. em 18 de Novembro de 2013, 16:37


Quem é assexuado (uma condição como ser heterossexual ou homossexual), não está reprimindo um desejo apenas para se "santificar" aos olhos de Deus

Mas está deixando de cumprir com a Lei de Reprodução e isso já é egoísmo.


pois Deus o criou assim!

A amiga está se esquecendo que somos nós mesmos que escolhemos as condições (as provas) em que devemos encarnar.




Olá amigo Brenno!
Nós escolhemos as condições, mas se Deus não permitir que assim seja, não vai ser!Talvez não tenha me expressado corretamente. Não é o meu caso, mas quem nasce sem nenhum desejo mesmo, por exemplo (não sei se era celibatário ou assexuado, mas é quem me vem à mente) Chico Xavier, não teve filhos e nem por isso deixou de cumprir sua missão com louvor. Ou ficou faltando ter filhos para que o sucesso fosse completo? E quem escolhe adotar uma criança e não tem problemas reprodutivos, não seria os filhos destinados por Deus?
Insisto nesse tema, pois não consigo concordar que a assexualidade quando presente em um indivíduo, precisa ser necessariamente combatida...é um defeito. Não seria como uma "violência" praticar o ato sexual sem sentir nenhuma vontade?
Abraço!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 19 de Novembro de 2013, 05:27

Olá amigo Brenno!
Nós escolhemos as condições, mas se Deus não permitir que assim seja, não vai ser!Talvez não tenha me expressado corretamente. Não é o meu caso, mas quem nasce sem nenhum desejo mesmo, por exemplo (não sei se era celibatário ou assexuado, mas é quem me vem à mente) Chico Xavier, não teve filhos e nem por isso deixou de cumprir sua missão com louvor. Ou ficou faltando ter filhos para que o sucesso fosse completo? E quem escolhe adotar uma criança e não tem problemas reprodutivos, não seria os filhos destinados por Deus?
Insisto nesse tema, pois não consigo concordar que a assexualidade quando presente em um indivíduo, precisa ser necessariamente combatida...é um defeito. Não seria como uma "violência" praticar o ato sexual sem sentir nenhuma vontade?
Abraço!


Amiga Andressa,

Nos casos em que a amiga citou não existe o egoísmo.

É como está na DE:

699. Da parte de certas pessoas, o celibato não será um sacrifício que fazem com o fim de se votarem, de modo mais completo, ao serviço da Humanidade?

“Isso é muito diferente. Eu disse: por egoísmo. Todo sacrifício pessoal é meritório, quando feito para o bem. Quanto maior o sacrifício, tanto maior o mérito.”

                                                                  O Livro dos Espíritos

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Brenno Stoklos em 19 de Novembro de 2013, 05:37
Olá


Citar
200. Os espíritos têm sexos ?

“Não como o entendeis, pois os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na semelhança dos sentimentos.”

Uma pergunta efetuada de forma generica merece uma resposta respectiva. E esta resposta atende os espiritos que ainda não se despojaram completamente da materialidade, que ainda necessitam de um organismo perispiritual para identicarem-se. Entretanto, os espiritos puros (e somente estes) por não disporem de qualquer materialidade (organismo intermediário) pertencem a um grupo distinto, a uma categoria em que não existe qualquer distinção de genero.  

Abç[/color]


Se a Doutrina Espírita nos diz que os Espíritos não têm sexo como o entendemos, é porque o têm de uma maneira que não entendemos!

Entretanto, os espiritos puros (e somente estes) por não disporem de qualquer materialidade (organismo intermediário)

O que a Doutrina Espírita nos ensina é bem diferente:

186. Haverá mundos onde o Espírito, deixando de revestir corpos materiais, só tenha por envoltório o perispírito?

“Há e mesmo esse envoltório se torna tão etéreo que para vós é como se não existisse. Esse o estado dos Espíritos puros.”

                                                           O Livro dos Espíritos

Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Diegas em 19 de Novembro de 2013, 10:16
Olá

Se a Doutrina Espírita nos diz que os Espíritos não têm sexo como o entendemos, é porque o têm de uma maneira que não entendemos!

Correto, em principio, aceitamos que há sexo de uma forma que não entendemos. O que diferencia a sua interpretação da minha é a abrangencia do fato. Para vc a resposta atende a totalidade de Espiritos; eu delimito, excluindo da relação os Espiritos Puros.


Kardec já se referia da dificuldade de entendermos determinados assuntos somente por meio das palavras, por faltar referenciais de comparação. Seria o equivalente a tentativa de explicar o perfume ou a beleza de uma rosa. Por isso, a expressão 'Espirito Puro' aparecer diferente em determinados contextos:

a- Espirito Puro = espirito livre da qualquer materialidade;

b- Espirito Puro = situar a hierarquia espiritual, sublinhando ser o Espirito uma entidade de moral e espiritual elevada, superior as contingencias humanas.


De todo modo, todos sabemos ou deveriamos saber:

1- O Perispirito é um organismo semi-material, e que esse organismo é provisório;

2- O Espirito é distinto do perispirito, por isso, um não pode ser confundido e nem fundido ao outro;

3- O Espirito (Puro) é uma centelha de luz, sem forma definida, e que organismo que lhé dá uma forma aparente é o Perispirito, e que esta forma definitiva é humana (não falaremos em ideoplastia que é um processo provisorio/temporario);

4- Não há perispirito-sem-Espirito;


5- Há Espirito-sem-perispirito


Citar
'...Ora, como o perispírito é apenas um agente de transmissão, visto que é o espírito que possui a consciência, daí resulta que, se pudesse existir um perispírito sem-espírito, ele não sentiria mais do que o corpo quando está morto; da mesma forma que, se o espírito não tivesse perispírito, seria inacessível a qualquer sensação penosa; é o que acontece com os espíritos completamente purificados.


Abç
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 19 de Novembro de 2013, 13:10
Mano Diegas,
há uma deformidade grande no seu entender sobre os espíritos ainda materializados, ou seja aqueles que não se depuraram totalmente.
Nem estes necessitam de organizações perispirituais, pois a resposta mostra bem, que nenhum Espírioto, tenham orgãos sexuais.
por que? Simples: São seres incorpóreos.
É a materialidade a que estão ainda apegados que não os deixa ver a situação como ela é.
Abraços,
Moura
Olá


Citar
200. Os espíritos têm sexos ?

“Não como o entendeis, pois os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na semelhança dos sentimentos.”

Uma pergunta efetuada de forma generica merece uma resposta respectiva. E esta resposta atende os espiritos que ainda não se despojaram completamente da materialidade, que ainda necessitam de um organismo perispiritual para identicarem-se. Entretanto, os espiritos puros (e somente estes) por não disporem de qualquer materialidade (organismo intermediário) pertencem a um grupo distinto, a uma categoria em que não existe qualquer distinção de genero.  


---------


Po outra, desculpem-me alguns companheiros que querem ser castos à força por que a unica coisa que fazem é trairem o proprio instinto, tal como acontece com um cozinheiro que coloca uma panela no fogo e esquece de liberar a válvula de pressão - numa determinada hora, explode ! A castidade tem de ser conseguida ou alcançada naturalmente, tal como piscar ou respirar sem que apercebamos que estamos piscando ou respirando. E a castidade natural dá-se conforme o espirito se desmaterializa, despoja-se lentamente do veiculo perispiritual. Por isso, não adiantar os mais apressadinhos quererem colocar a carroça diante dos bois.



Abç


Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Andressa Z. em 19 de Novembro de 2013, 15:59
Amigo Brenno!Falávamos as mesmas coisas com palavras diferentes  ;D
Abração!
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Diegas em 19 de Novembro de 2013, 16:34
'...É a materialidade a que estão ainda apegados que não os deixa ver a situação como ela é...'

Olá, Moura


Materialidade de quem responde pela Doutrina Espirita ?  
---------

Citar
200. Os espíritos têm sexos ?

“Não como o entendeis, pois os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na semelhança dos sentimentos.”

A resposta do Espirito da Verdade é clarissima !


E Brenno matou a charada:

Citar
'...Se a Doutrina Espírita nos diz que os Espíritos não têm sexo como o entendemos, é porque o têm de uma maneira que não entendemos!



Abç
Título: Re: Assexualidade: uma condição ideal do espírito
Enviado por: Mourarego em 19 de Novembro de 2013, 16:59
'...É a materialidade a que estão ainda apegados que não os deixa ver a situação como ela é...'

Olá, Moura


Materialidade de quem responde pela Doutrina Espirita ?  

EU: amigo, não mude o foco, você entendeu bem...
---------

Citar
200. Os espíritos têm sexos ?

“Não como o entendeis, pois os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na semelhança dos sentimentos.”

A resposta do Espirito da Verdade é clarissima !

EU: Novamente o amigo esbarra num mau entendimento...
Se são seres incorpóreos com diz OLE, não pódem ter arregimentação física alguma,. logo, por isso não têm sexo como o entendemos, quer dizer com os apetrechos quer de homens ou de mulheres.
Há entre eles oque diz a resposta: "Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na semelhança dos sentimentos.”
Agora quem matou quem a isso não posso estender comentário algum se é que me entendes...
Abraços,
Moura



E Brenno matou a charada:

Citar
'...Se a Doutrina Espírita nos diz que os Espíritos não têm sexo como o entendemos, é porque o têm de uma maneira que não entendemos!



Abç