Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Atma em 04 de Novembro de 2008, 23:36

Título: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Atma em 04 de Novembro de 2008, 23:36
Emmanuel fala sobre Ramatís

Fonte: Revista Espírita Allan Kardec - nº 43


A mensagem abaixo reproduzida contém a íntegra de uma entevista realizada com o médium Francisco Cândido Xavier e seu Instrutor Espiritual chamado Emmanuel, recentemente publicada pela "Revista Espírita Allan Kardec", em sua edição de nº 43. 

Logo que apareceram as primeiras publicações da "Conexão de Profecias*", de Ramatis (atualmente com o nome "Mensagens do Astral"), fomos a Pedro Leopoldo, a fim de ouvir a palavra autorizada de Emmanuel, através daquele aparelho maravilhoso que é Francisco Cândido Xavier. Isto, porque o que era dito pelo espirito de Ramatís, parecia-nos perfeitamente lógico. Mas, como constituía novidade, não queríamos aceitar de pronto algo que não passasse pelo crivo de várias manifestações mediúnicas, através de diversos aparelhos. *Obs. Hoje com o título: "Mensagens do Astral".

Desta forma, munidos do aparelho de gravação em fita, fomos atendidos gentilmente pelo médium, que respondeu às perguntas que fazíamos, repetindo as palavras da resposta, que eram ditadas por Emmanuel. A gravação foi feita no dia 5 de janeiro de 1954. Conservamos até hoje o rolo gravado em nosso poder.

Passamos a estampar as perguntas e respectivas respostas.

Pergunta: - Poderíamos ter alguns informes a respeito de Antúlio?

Chico Xavier: - Vejo, aqui, nosso diretor espiritual, Emmanuel, que nos diz que um estudo acerca da personalidade de Antúlio exigiria minudências relacionadas com a história, no espaço e no tempo, que, de imediato, não podemos realizar. De modo que, tão somente, pode afiançar-nos que se trata de uma entidade de elevada hierarquia, no plano espiritual; vamos dizer; um ASSESSOR, ou um daqueles ASSESSORES, que servem nos trabalhos de execução do plano divino, confiado ao Nosso Senhor JESUS CRISTO, para a realização do progresso da Terra, em geral.

Esclarece nosso amigo que JESUS CRISTO, como GOVERNADOR de nosso mundo, no sistema solar, conta, naturalmente, com grandes instrutores, para a evolução física e para a evolução espiritual, na organização planetária. E, subordinados a esses ministros, para o progresso da matéria e do espirito, no plano que nós habitamos presentemente, conta Ele com uma assembléia de múltiplos INSTRUTORES, de variadas condições, que lhe obedecem as ordens e instruções, numa esfera, cuja elevação, de momento, escapa à nossa possibilidade de apreciação. Antúlio forma no quadro destes elevados servidores.

Pergunta: - Que pode o irmão dizer-nos a respeito do astro que se avizinha, segundo a predição de Ramatís?

Chico Xavier: - Esclarece nosso orientador espiritual que o assunto alusivo à aproximação de um Planeta ou de Planetas, da zona - ou melhor da aura da Terra - deve, naturalmente, basear-se em estudos científicos, que possam saciar a curiosidade construtiva das novas gerações renascentes no mundo.

O problema, desse modo, envolve acurados exames, com a colaboração da ciência e da observação de nossos dias. Razão por que pede ele que não nos detenhamos na expressão física dos acontecimentos que se vizinham, para marcar maiores acontecimentos - acontecimentos esses de natureza espetacular - na transformação do plano em que estamos estagiando, no presente século.

Afirma nosso amigo que o progresso da óptica e das ciências matemáticas, serão portadoras, naturalmente, de ilações, conclusões da mais alta importância para os nossos destinos, no futuro próximo.

Pergunta: - Pode Emmanuel dizer-nos algo a respeito da verticalização do eixo da Terra e das transformações que esta sofrerá, segundo Ramatís?

Chico Xavier: - Afirma nosso Orientador espiritual que não podemos esquecer que a Terra, em sua constituição física, propriamente considerada, possui os seus grandes períodos de atividade e de repouso.

Cada período de atividade e cada período de repouso da MATÉRIA PLANETÁRIA, que hoje representa o alicerce de nossa morada temporária, pode ser calculado, cada um, em duzentos e sessenta mil (260.000) anos. Atravessando o período de repouso da matéria terrestre, a vida se reorganiza, enxameando de novo, nos vários departamentos do Planeta, representando, assim, novos caminhos para a evolução das almas.

Assim sendo, os GRANDES INSTRUTORES da Humanidade, nos PLANOS SUPERIORES, consideram que, desses 260.000 anos de atividade, 60 a 64 mil anos são empregados na reorganização dos pródomos da vida organizada.

Logo em seguida, surge o desenvolvimento das grandes raças que, como grandes quadros, enfeixam assuntos e serviços, que dizem respeito à evolução do espírito domiciliado na Terra.

Assim, depois desses 60 a 64 mil anos de reorganização de nossa Casa Planetária, temos sempre grandes transformações, de 28 em 28 mil anos.

Depois do período dos 64 mil anos, tivemos duas raças na Terra, cujos traços se perderam, por causa de seu primitivismo.

Logo em seguida, podemos considerar a grande raça Lemuriana, como portadora de urna inteligência algo mais avançada, detentora de valores mais altos, nos domínios do espírito.

Após a raça Lemuriana - em seguida aos 28.000 anos de trabalho lemuriano propriamente considerado - chegamos ao grande período da raça Atlântida, era outros 28.000 anos de grandes trabalhos, no qual a inteligência do mundo se elevou de maneira considerável.

Achamo-nos, agora, nos últimos períodos da grande raça Ariana.

Podemos considerar essas raças, como grandes ciclos de serviços, em que somos chamados de mil modos diferentes, em cada ano de nossa permanência na crosta do planeta, ou fora dela, ao aperfeiçoamento espiritual, que é o objetivo de nossas lutas, de nossos problemas, de nossas grandes questões, na esfera de relações, uns para com os outros.

Assim considerando, será mais significativo e mais acertado, para nós, venhamos a estudar a transformação atual da Terra sob um ponto de vida moral, para que o serviço espiritual, confiado às nossas mãos e aos nossos esforços, não se perca em considerações, que podem sofrer grandes alterações, grandes desvios; porque o serviço interpretativo da filosofia e da ciência está invariavelmente subordinado ao Pensamento Divino, cuja grandeza não podemos perscrutar.

Cabe-nos, então, sentir, e, mais ainda, reconhecer, que os fenômenos da vida moderna e as modificações que nosso "habitat" terreal vem apresentando nos indicam a vizinhança de atividades renovadoras, de considerável extensão.

Daí esse afluxo de revelações da vida extra-terrestre, incluindo sobre as cogitações dos homens; esses apelos reiterados, do mundo dos espíritos; essa manifestação ostensiva, daqueles que, supostamente mortos na Terra, são vivos na eternidade, companheiros dos homens em outras faixas vibratórias do campo em que a humanidade evolui.

Toda essa eclosão de notícias, de mensagens, de avisos da vida espiritual, devem significar para o homem, domiciliado na Terra do presente século, a urgência do aproveitamento das lições de JESUS. Elas devera ser apreciadas em si mesmas, e examinadas igualmente no exemplo e no ensinamento de todos aqueles que, em variados setores culturais, políticos e filosóficos do globo - lhe traduzem a vontade divina, que na essência é sempre a nossa jornada para o Supremo Bem.

*Os termos da comunicação obtida em Curitiba (a "Conexão de Profecias", de Ramatís) são de admirável conteúdo para a nossa inteligência, de vez que, realmente, todos os fatos alusivos à evolução da Terra, e referentes a todos os eventos, que se relacionam com a nossa peregrinação para a vida mais alta, estão naturalmente planificados, por aqueles MINISTROS de Nosso Senhor JESUS CRISTO; os quais, de acordo com Ele, estabelecem programas de ação para a COLETIVIDADE PLANETÁRIA, de modo a facilitar-lhe os vôos para a divina ascensão.

Embora, porém, esta mensagem, por isso mesmo, seja digna de nosso melhor apreço, contudo, na experiência de companheiro mais velho, recomenda-nos nosso Orientador Espiritual (Emmanuel) um interesse mais efetivo, para a fixação de valores morais em nossa personalidade terrena, de conformidade com os padrões estabelecidos no Evangelho de nosso Divino Mestre. Porque, para nossa inteligência, os fenômenos renovadores da existência que nos cercam têm qualquer coisa de sensacional, de surpreendente, nosso coração de inclinar-se, humilde, diante da Majestade do Senhor, que nos concede tantas oportunidades de trabalho, em nós mesmos, a revelação dos grandes acontecimentos porvindouros; novo soerguimento íntimo, novo modo de ser, a fim de que estejamos realmente habilitados a enfrentar valorosamente as lutas que se avizinham de nós, e preparados para desfrutar a Nova Era que, qual bonança depois da tempestade, facilitará nossos círculos evolutivos.

Será, todavia, muito importante encarecer, que não devemos reclamar, do TERCEIRO MILÊNIO, uma transformação absolutamente radical, nos processos que caracterizam, por enquanto, a nossa vida terrestre.

O prazo de 47 anos é diminuto, para sanar os desequilíbrios morais, de tantos séculos, em que o nosso campo coletivo e individual adquiriu tantos débitos, diante da sabedoria e diante do amor, que incessantemente apelam para nossa alma, no sentido de nos levantarmos, para uma clima mais aprimorado da existência.

Não podemos esquecer, que grandes imensidades territoriais, na América, na África e na Ásia, nos desafiam a capacidade de trabalho. Não podemos olvidar, também, que a Europa, superalfabetizada, se encontra num Karma de débitos clamorosos, à frente da LEI, em doloroso expectação, para o reajuste moral, que Ihe é necessário.

Aqui mesmo, no Brasil, numa nação com capacidade de asilar novecentos (900) milhões de habitantes, em quatrocentos e alguns anos de evolução, mal estamos - os espíritos, encarnados na Terra em que temos a bênção de aprender ou recapitular a lição do Evangelho - mal estamos passando das faixas litorâneas.

Serviços imensos esperam por nossas almas no futuro próximo.

E, se é verdade que devemos aguardar, em nome de Nosso Senhor JESUS CRISTO, condições mais favoráveis para a estabilização da saúde humana, para o acesso mais fácil às fontes da ciência; se nos compete a obrigação de esperar o melhor para o dia de amanhã cabe-nos, igualmente, o dever de não olvidar que, junto desses direitos, responsabilidades constringentes contam conosco, para que o Mundo possa, efetivamente, atender ao programa Divino, através, não somente da superestrutura do pensamento científico - que é hoje um teto brilhante para os serviços de inteligência do mundo - mas também, através de nossos corações, chamados a plasmar uma vida, que seja realmente digna de ser vivida por aqueles que nos sucederão nos tempos duros; entre os quais, naturalmente, milhões de nós os reencarnados de agora, formaremos, de novo, como trabalhadores que voltam para o prosseguimento da tarefa de auto acrisolamento, para a ascensão sublime, que o Senhor nos reserva.

Considerando, assim, a questão sob este prisma, cabe-nos contar com o concurso da ciência, no setor das observações de ordem material; com a evolução dos instrumentos de óptica; com o avanço dos processos de exame, na esfera da QUÍMICA PLANETÁRIA, na qual os mundos podem ser analisados, como ÁTOMOS DA AMPLIDÃO DE UNIVERSOS, que se sucedem uns aos outros, no infinito da Vida.

Será lícito, então, esperar que certas afirmativas, referentes a vida material, se positivem satisfatoriamente, para mais altas concepções da MENTE PLANETÁRIA; de vez que, muito breve, o homem estará ligado à glória da RELIGIÃO CÓSMICA, da Religião do Amor e da Sabedoria, que o CRISTIANISMO RENASCENTE, no Espiritismo de hoje, edificará para a Humanidade, ajustando-a ao concerto de bênçãos, que o grande porvir nos reserva.

Pergunta: - Foi, de fato, há 37.000 anos que submergiu a Atlântida?

Chico Xavier: - Diz nosso Amigo (Emmanuel) que o cálculo é, aproximadamente, certo, considerando-se que as últimas ilhas, que guardavam os remanescentes da civilização atlântida, submergiram, mais ou menos, 9 a 10 mil anos, antes da Grécia de Sócrates.

Pergunta: * - Acha nosso irmão que a Mensagem de Ramatís deva ser divulgada com amplitude?

Chico Xavier: - Diz nosso Orientador que a Mensagem é de elevado teor... E todo trabalho organizado com o respeito, com o carinho e com a dignidade, dentro dos quais essa Mensagem se apresenta, merece a nossa mais ampla consideração, de vez que todos nós, em todos os setores, somos estudiosos, que devemos permutar as nossas experiências e as nossas conclusões para a assimilação do progresso, com mais facilidade em favor de nós mesmos.


Revista Boa Vontade, Ano 1, n0 4 - Outubro de 1956.
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Guilherme D. em 01 de Agosto de 2009, 01:52
Atma, interessante essa entrevista.

Aliás, cabe um comentário despretensioso de minha parte.

Acho que Ramatís não é muito bem quisto por parte de alguns espíritas ortodoxos, porque ele ensina e diz coisas que tiram nossa mente do comodismo e do ostracismo.
Algumas pessoas se revoltam quando confrotadas em seu comodismo.

Direi algo que ocorreu comigo, mas que não tem necessariamente ligação com espiritualidade, porém é exemplo interessante disso.
Me tornei vegetariano há 4 anos atrás. Antes disso, eu procurava ridicularizar os vegetarianos. Até que, num dia qualquer, descobri que eu fazia isso simplesmente porque eu estava acomodado dentro de meu estilo de vida alimentar e, por orgulho, não permitia que viessem dizer-me que eu cometia um erro ao matar (ou pagar para matarem) para simplesmente nutrir meu corpo físico. Era, resumindo, puro orgulho de meu espírito ainda muito novato na caminhada rumo ao bem espiritual.

Paz e Luz.
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Mourarego em 01 de Agosto de 2009, 03:37
O Espírita tem de se convencer de duas máximas:
1. Tudo nos é lícito, porém nem tudo nos convém.

2. A doutrina em seu corpo diz o que é uma obra Espírita e o que não é. Porém, parece que nos esquecemos sempre dessa parte.
Quem quer  e gostar, leia Ramatis, eu mesmo já li algumas de suas mais de 18 obras. contudo também leio Lobzang Rampa e Tio Patinhas... Ora porque gosto das últimas duas, elas deverão ser encampadas pela doutrina?
Abraços,
Moura
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: hcancela em 01 de Agosto de 2009, 15:06
Olá amigos(as)

Podemos e devemos de ler todas as obras que podermos, nomeadamente as Espiritas (ou ditas)
porque é sempre óptimo preenchermos a mente com coisas úteis, desviando-nos de outros assuntos que nos poderão(fazer mal) ;)
Agora uma coisa é certa, também devemos filtrar o que quer que seja, com sentido analítico, e assim não cairmos tão facilmente no erro,(ISTO PARA TODOS OS AUTORES), e por muito respeito que nos mereçam, e por muito que façam pela doutrina que muito ama-mos.

KARDEC alertou para isso,é melhor por vezes rejeitar, e ,na dúvida!... :D


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Ana Guterres em 01 de Agosto de 2009, 15:36
Bom dia Guilherme,
Me sinto bem em saber que com sua idade e sendo homem exista alguem que já tenha esses pensamentos tão centrados, deve ter um espirito mais evoluido. Ser vegetariano é uma dádiva, é um presente.
Por outro lado, me sinto mal porque é triste saber que certas pessoas que muito já viveram e se dizem conhecedoras dos ensinamentos da doutrina, não conseguiram aprender e são embrutecidos, talvez por causa dos miasmas, cancros, provenientes da alimentação carnivora.
Sou vegetariana e me sinto mais leve,mais nutrida,mais iluminada. Queria poder ver nossas auras !
Indico o livro 2012 A Era de Ouro, parece um tanto mirabulante, mas tem haver com o que Ramatis disse.
Continue assim, iluminado.
Sds

Ana Guterres
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Rafa em 29 de Setembro de 2009, 05:29
Emmanuel, brilhante como lhe é peculiar, não ataca Ramatis, mas sim deixa pra que cada um analise sua mensagens.

Esse é o Espiritismo de Kardec: pesquisar, confrontar idéias, errar tentando. E essa última parte deveria vir primeiro para os espíritas e espiritualistas: se Kardec, Emmanuel, Ramatis ou qualquer outro fosse perfeitos, ou se chamariam Jesus Cristo, ou para aqueles que não acreditam na perfeição do Mestre, eles seriam o próprio Deus!

Percebem, que mesmo quando lemos autores consagrados, precisamos analisar sempre?

Acho ridículo os espíritas que criticam Ramatis. E não que eu seja ramatista (é assim que fala?!?), mas simplesmente não critico o que não conheço. Nunca recebi um comunicação de Ramatis pra sentir sua energia pra poder distinguí-lo como sábio ou pseudo-sábio: simplesmente já li livros dele onde tirei algo proveitoso.

Mais uma vez reforço o exemplo de Emmanuel em resgatar os princípios espíritas nessa comunicação através do nosso saudoso Chico Xavier.
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Aldebaran em 29 de Setembro de 2009, 07:09
Atma, interessante essa entrevista.
Aliás, cabe um comentário despretensioso de minha parte.
Acho que Ramatís não é muito bem quisto por parte de alguns espíritas ortodoxos, porque ele ensina e diz coisas que tiram nossa mente do comodismo e do ostracismo.
Algumas pessoas se revoltam quando confrotadas em seu comodismo.

Olá Guilherme!!! Escrevi um post (lá na minha apresentação) falando dos novos jovens espíritas, a nova geração de espíritas, em confronto com a ortodoxia. Eu passei 20 anos quieto, sem poder fazer essa crítica, e hoje, me sinto feliz de ver jovens inteligentes e criteriosos como você, a tecerem.
Esse negócio de que "ah, não está nas Obras Básicas" então não é Espiritismo. Significa que não devemos estudar então? Significa que não tem nada a nos oferecer de bom? Não penso assim. Comecei no Espiritsmo em 1989, e naquela época os espíritas (muitos deles), já teciam críticas ácidas a Ramatís.

Infelizmente tenho que parar por aqui, porque não consigo escrever mais do que 15 linhas mesmo.

Abraços
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Aldebaran em 29 de Setembro de 2009, 07:12
Emmanuel, brilhante como lhe é peculiar, não ataca Ramatis, mas sim deixa pra que cada um analise sua mensagens.
Esse é o Espiritismo de Kardec: pesquisar, confrontar idéias, errar tentando. E essa última parte deveria vir primeiro para os espíritas e espiritualistas: se Kardec, Emmanuel, Ramatis ou qualquer outro fosse perfeitos, ou se chamariam Jesus Cristo, ou para aqueles que não acreditam na perfeição do Mestre, eles seriam o próprio Deus!

É isso aí Rafa! Esse também é o Espiritismo de Kardec que eu estudei.
Mandou bem mesmo!

Abraços,

Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Atlante em 29 de Setembro de 2009, 09:51
Olá

Pois é, muita gente ainda não entendeu que vivemos num mundo de provas e expiações.
Este é um mundo pouco evoluido onde o conhecimento ainda é muito precário.
Todos aqueles que nele habitamos, estamos em consonância com o conhecimento atingido por esta humanidade.
No entanto muita gente se posociona como tudo soubesse. São os doutores do espiritismo.
Pelo seu auto convencimento não têm mais espaço para outros conhecimentos.
Não percebem que, se sua sabedoria fosse tão elevada, já não haveria razão para aqui estarem. Mas estão!


E assim vamos caminhando neste vale de lágrimas.

Atlante
 
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Aldebaran em 29 de Setembro de 2009, 11:24
E agora uma mensagem do nobre Emmanuel para relaxar...
Autor Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
"O moderno Espiritualismo não vem revogar as leis diretoras da evolução coletiva.
As suas concepções avançadas representam um surto evolutivo da Humanidade, uma época de
mais compreensão dos problemas da vida sem o oferecer talismãs ou artes mágicas, com a
pretensão de derrogar os estatutos da Natureza.
Desvenda ao homem um fragmento dos véus que encobrem o destino do ser imortal e ensina-lhe
que a luta é o veículo do seu progresso e da sua redenção.
Traz consigo o nobre objetivo de enriquecer, com as suas benditas claridades, os homens que os
aceitam, longe da vaidade de prometer-lhes fortunas e gozos terrestres bens temporais que apenas
servem para fortificar as raizes do egoismo em seus corações, agrilhoando-os ao potro, das
gerações dolorosas."
Pelo Espírito Emmanuel - psicografia de Francisco Cândido Xavier.
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Atlante em 29 de Setembro de 2009, 11:35
Amigo

Se os Espiritos são superiores, não ficam cobrando nada a ninguém.
O problema é que, muitas vezes, consideramos superiores aqueles que são semelhantes a nós, ou piores um pouco. ;)

Pela experiência que tenho, os mentores não dão reprimenda. Eles sabem como é porque já viveram e aprenderam por essa vivência. Eles aconselham e elucidam. E, falando em coisas naturais da vida, incentivam a fazer. A possibilidade de errarmos é sempre muita, mas uma coisa é certa, se não fizermos nem vivenciarmos nunca iremos aprender e esta é a essência de tudo.

Atlante

Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Aldebaran em 29 de Setembro de 2009, 12:40
Amigo Aldebaran, chorou quando leu Paulo & Estevão?
O meu "Paulo e Estevão" está caindo aos pedaços, de tanto que eu já li. Muito bom o livro!
Não chorei no final, só choro quando leio Ave Cristo!!
Fazendo uma análise ideológica e literária de Paulo e Estevão. O objetivo do Emmanuel nesse livro, é claramente, dar uma "resposta" à igreja católica. Por que?? porque a igreja é paulina - já reparou que na hora do sermão o padre não comenta uma passagem do Evangelho, mas sim, os "ATos de Paulo"???  ;) Pois é... então é uma resposta de Emmanuel à igreja, pq enquanto esta vem mostrar que Paulo é o personagem mais importante do Cristianismo após Jesus, Emmanuel vem dizer que Estêvão é o primeiro cristão, e a obra de Estêvao é muito mais importante que a de Paulo para o desenvolvimento e disseminação dos ensinos de Jesus. É um recado que ele dá para a igreja, portanto. Paradoxalmente, no livro, "Palavras de vida eterna" (eu tenho a primeira edição desse livro), Emmaneul não se cansa de citar Paulo...
Sabem que é o Anticristo no livro "O Anticristo" de Friedrich Nietzsche? Paulo...
No meu próximo post, vou tecer umas considerações pessoais sobre o que eu acho de Paulo... e pq Jesus escolheu ele para divulgar a Boa-nova - se bem que para Nietzsche, Paulo é o portador da "Má-nova" hehheee :D
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Atlante em 29 de Setembro de 2009, 12:49
Olá Jorge

Também não comungo da opinião que, nosso amigo, ali colocou sobre a doutrina.
A doutrina tem e está fazendo coisas maravilhosas pela humanidade. Mas isto é uma questão de opinião.
Por outro lado verifica que nosso irmão está passando por um periodo de desilusão.

Aquilo que se critica são os comportamentos ortodoxos e, como sabes, é uma crítica que, por diversas vezes, já aqui fiz.
Entendo que, neste momento, este comportamento, é um dos maiores impecilhos dentro da doutrina. Mas isto é apenas a minha opinião.

Sobre a discordia, meu amigo, ela é necessária porque construtiva. Aquilo que se pede é o respeito pelas pessoas.

Atlante  
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Rafa em 30 de Setembro de 2009, 05:15
... Os espíritas ortodoxos gostam de criticar a Psiquiatria e as Neurociências, mas o tratamento de desobsessão, qual eficácia tem, se a única cura possível é o obsediado se converter moralmente?? (e essa modificação leva décadas, quando não a existência inteira, logo o tratamento de desobsessão não cura, mas a psiquiatria pelo menos te oferece alguma espécie de gardenal para você dormir à noite e ter uma trégua em relação aos Espíritos perseguidores....

Já que estamos num tópico sobre o tão polêmico Ramatis, gostaria de citar algo que aprendi lendo Fisiologia da Alma. Ramatis prega a homeopatia, pois enfatiza a cura do doente e não da doença. Concordo com ele plenamente quando vejo as desobsessões tradicionais que encaminham o obsessor "pra luz", dão um passe no assistido e mandam vir frequentemente assistir palestras. Peraí! O que estão fazendo é exatamente tratando a doença, que nesse caso é o obsessor. Levando em consideração que a maioria dos obsessores se aproximam do obsediado por afinidade, só o que se faz não basta. Já já o assistido se afiniza com outro obsessor e isso vira um ciclo interminável! É preciso identificar a causa, tratar também o doente, que é o assistido. A palavra tem que ser dirigida a ele, tem que explicar o que ele tem feito que atrai esse(s) obsessor(es); explicar com melhorar a auto-estima; ajudá-lo a identificar onde e como ele "pega" esse(s) obsessor(es).

Trabalho num local onde isso tudo acontece! E sabe qual a bandeira pregada pelo dirigente? Simplesmente mediunidade e vontade de fazer o bem ao próximo. Se você dispor dessas duas características, pode trabalhar lá. Não há "religião" vinculada: há o conceito moral pregado no evangelho segundo o espiritismo, mas há entidades que trabalham lá que são orientais; outras são das linhas da umbanda; outros são mentores como os que se apresentam constantemente em centros espíritas. Se eles, os espíritos, aceitam essa convivência de crenças numa boa, porque nós também não podemos aceitar?

Façamos então como Emmanuel e respeitemos, de verdade, toda e qualquer comunicação. Vejam que eu disse respeito e não aceitação. Aceitar ou não cabe a cada um, dentro de um linha de raciocínio própria.
Título: Você é dono da verdade?
Enviado por: leonardo_m_g em 18 de Dezembro de 2009, 11:35
Aqui mesmo tem um tópico onde Divaldo Fala sobre Ramatis, vale dar uma olhada.
http://www.forumespirita.net/fe/audio-video/divaldo-fala-sobre-ramatis/ (http://www.forumespirita.net/fe/audio-video/divaldo-fala-sobre-ramatis/)

Eu não tenho uma opinião formada sobre ele.
Na dúvida eu prefiro não criticar.
Na história vimos algumas vezes diversas pessoas errando e muito tentando acertar, o caso de Saulo de Tarso, todos sabem.

Aconselho a companheiros que possuem sites tentando "desmistificar" alguém que pensem nesse exemplo de São Paulo, ainda mais quando ícones do espiritismo possuem visões diferentes sobre o assunto.
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Mourarego em 18 de Dezembro de 2009, 15:22
Criticar com base sólida é possível, mano Leonardo.
O que não se pode é chutar o balde e sem conhecer o tema.
Neste caso, Ramatis nunca se disse Espírita, e porque então terá ele de seguir ao codificado?
Espíritos também têm livre arbítrio não é mesmo?
Afinal só porque eu sou fluzão e o outro mengo, o outro estará errado por não seguir as orientações do técnico do Fluzão?
(Notem que coloco Flusão com a inicial em maiúsculo enquanto mengo é apenas unzinho que deu sorte hehehehe)
Abraços,
Moura
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Halan Crystian em 16 de Janeiro de 2010, 18:06
Parece que há pessoas que realmente não compreende o princípio básico da doutrina espírita ou de qualquer movimento filosófico positivista. Algumas críticas diretas aqui só vem a provar a imaturidade e incompreensão da essência da doutrina espírita. Divaldo Franco por exemplo tem sido a exemplificação do cristianismo e não pelo o que ele fala e sim pela sua biografia e não porque anda em fóruns virtuais satisfazendo seus questionamentos e necessidades de discussão. Dizer que tal obra é pessimista ou outros adjetivos do gênero para pior, me causa surpresa que coisas assim ocorram no movimento espírita. Ainda mais de pessoas que parecem ser tão esclarecidas e intelectualizadas. A doutrina foi tão bem codificada por Kardec que pra mim não resta dúvida que tais posturas críticas infundamentadas ou pseudo fundamentadas é totalmente contrária a essência do espiritismo. Estudar e questionar sim, mas, agredir e desmoralizar educadamente não está em nenhum livro das obras básicas e nem nos evangelhos.

Parece-me totalmente verossímil a entrevista citada, embora eu a desconhecia, no entanto, conheço depoimentos de Divaldo Franco sobre Ramatís e alguns outras discussões sobre Ramatís. Talvez não seja essa sua pergunta mas, falarei sobre o que penso de Ramatís. conforme no final da entrevista, o primeiro depoimento, considero totalmente franco e lógico. Ramatís causa polêmica porque "incomoda" demais nosso comodismo. todas as obras de Ramatís que eu li vão de perfeito encontro com a razão e a lógica. Há alguns pseudos-espíritas que falam em nome de uma obra chamada sábio ou pseudo-sábio, onde falam sobre Ramatís pronunciar as maiores mentiras e focam num trabalho "anti-espírita" em nome do espiritismo. É exatamente assim que surge movimentos como a inquisição. Mas, o que vejo de interessante é que na verdade não se pode provar como mentira qualquer obra de ramatís. Alguns alegam sobre o telescópio Hubble ter desmascarado ramatís em mostrar marte sem vida, no entanto, o próprio ramatís disse que seria muito fácil para os povos de marte burlar imagens que chegariam até nós, considerando que suas tecnologias eram muito mais avançadas. Considero esta possibilidade e assim, não há nenhum ponto que ramatís pronuncia que possa ser derrubado. Quanto ao sublime peregrino, os pergaminhos do mar morto vieram a corroborar com o que fora apresentado anos antes por Ramatís. Na obra fisiologia da alma pude verificar a posteriori que tudo vai perfeitamente de encontro. Enfim, vejo Ramatís como um espírito da alta estirpe sideral e é comum que nos cause muita polêmica ainda, pois, ainda somos verdadeiros pseudos-sábios taxando outros de pseudos-sábios.
Quanto a ramatís ser divulgado com amplitude, certamente que sim, pois, é exatamente esta a intenção dos amigos espirituais ao trazerem para nós as obras de Ramatís que ao meu ver são extremamente esclarecedoras. Mas, é claro que irá gerar polêmica, no entanto, isso faz parte do processo como a própria doutrina espírita passou em seus primórdios e na verdade isso acontece ainda em nossos dias através dos desinformados como você mesmo diz. Divaldo Franco diz em uma de suas palestras que há obras de Ramatís que ainda aguardam para ser publicadas já que causariam mais polêmicas do que as que já foram à público. De minha parte eu lhe digo, a doutrina espírita muito meu auxiliou e esclareceu, mas, foram as obras de ramatís que puderam complementar certas dúvidas. Vejo a codificação kardeciana com um propósito e as obras de ramatís com outros propósitos, no entanto, ambas tem o mesmo propósito essencial, mas, utilizam de linguagens um tanto diferentes para indivíduos de grau e de "linguas" diferentes.
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Fer Nando em 09 de Março de 2010, 08:10
Aqui mesmo tem um tópico onde Divaldo Fala sobre Ramatis, vale dar uma olhada.
http://www.forumespirita.net/fe/audio-video/divaldo-fala-sobre-ramatis/ (http://www.forumespirita.net/fe/audio-video/divaldo-fala-sobre-ramatis/)



Eu não tenho uma opinião formada sobre ele.
Na dúvida eu prefiro não criticar.
Na história vimos algumas vezes diversas pessoas errando e muito tentando acertar, o caso de Saulo de Tarso, todos sabem.

Aconselho a companheiros que possuem sites tentando "desmistificar" alguém que pensem nesse exemplo de São Paulo, ainda mais quando ícones do espiritismo possuem visões diferentes sobre o assunto.

Olá a todos. É meu 1o post aqui e queria desejar muita luz a todos (não ao ponto de cegar, é claro).

Venho recorrido a este fórum há algum tempo para sanar dúvidas. Hoje resolvi "postar" para agradecer a todos aqueles estudiosos das doutrinas positivistas que a este fórum frequentam e se doam de maneira a enriquecer os debates, propiciando uma maior gama de enriquecimento intelectual para aqueles que o estão buscando.

Para complementar, vou dar meu exemplo tendo como contexto o assunto tratado neste tópico: Sou um jovem espiritualista de 26 anos e estou tendo o prazer de fazer o meu primeiro contato com as obras de Ramatís. Estou lendo Mensagens do Astral, e fiz uma pequena pausa para pesquisar mais na internet sobre o espírito quando me deparei com o seguinte trecho do livro:

“A fase mais intensa da modificação física situar-se-á entre os anos de 1982 e 1992, e os efeitos catastróficos se farão sentir até o ano de 1999, pois o advento do terceiro milênio será sob os escombros que, em todas as latitudes geográficas, revelarão o maior ou menor efeito dos “fins dos tempos”. Daqui a mais alguns anos, os vossos geofísicos anunciarão, apreensivos, a verdade insofismável: – 'O eixo da Terra está se verticalizando!'" (pág. 54 da 17ª edição).

Como o livro foi emprestado pelo meu irmão (que pesquisa muito sobre as coisas antes de comprar), logo pensei que tal trecho merecia uma pesquisa nas críticas daqueles mais entendidos no assunto. Assim, pensei logo em Divaldo e Chico, mentores contemporâneos aos quais devoto muito crédito.

Após dar uma lida no material que encontrei sobre a opinião de ambos e após navegar nos debates travados aqui no Fórum Espírita (inclusive este que você recomendou, Leonardo), minha opinião quanto ao trecho citado é o seguinte: Não importa se o espírito se referia a um calendário diferente do nosso ou não. É também citado por ele que a precisão de ocorrência dos fatos de pouco importa (também compartilho desta sensação).

Assim, me fica a sensação de que um dos maiores objetivos da obra é ensejar o nosso poder de questionamento, mais do que nunca, sobre o seguinte: ONDE ESTAMOS E ONDE GOSTARÍAMOS DE ESTAR e para não perdermos mais tempo em procurar alcançar aquilo que tanto almejamos, no caso questão, para aqueles que estão atentos à necessidade mais do que urgente de evangelização sob exemplo do mestre maior, Jesus Cristo.

É isso que fala fundo em meu coração quando leio o livro. E, como o próprio Ramatís expõe, se a obra é endereçada a um público determinado, e por isso não haveria o porquê de se incomodar com a polêmica que iria ser gerada, para mim isso faz todo sentido do mundo, pois sinto claramente que faço parte desse público ao qual o livro foi destinado. Isto é, um público que se preocupa com o todo, assim, deixando-se agir intuitivamente, como muitos aqui também estão demonstrando neste tópico (totalmente diferente daquele iniciado lá em 2008, onde a maior preocupação estava na necessidade de se defender os seus próprios entendimentos das coisas).

Desejo bastante força a todos nós! Que nossos mentores estejam ao nosso lado, nos auxiliando no grande desafio que se aproxima (estejemos encarnados ou desencarnados).
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Sergio Guida em 06 de Maio de 2010, 04:42
Gostei muito das opiniões acimas, do debate; bom isso!
Nos anos 80, li o primeiro livro de Ramatis: "Mensagens do Astral" e gostei muito do pensamento UNIVERSALISTA nele contido e isso foi tão forte, que comprei na época todos os livros psicografados pelo Hercílio.
DEUS é o TODO e nele cabem todas as coisas, todos os ensinamentos, uma coisa acrescentando à outra, alargando o FOCO, possibilitando enxergar mais LONGE e mais DENTRO, aumentando assim a possibilidade de adentrarmos o CONHECIMENTO, que é INFINITO!
Gosto disso!
Paz e LUZ!
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: Mourarego em 06 de Maio de 2010, 16:25
Emmanuel e Divaldo: sempre com a boca fechada pelo bem do Espiritismo

Todos sabem que, se alguma vez, Emmanuel ou Divaldo tivessem criticado Ramatís ou qualquer outro Espírito pseudo-sábio, eles teriam promovido um escândalo dentro da própria doutrina.

Não que Divaldo e Emmanuel concordam com Ubaldi e Ramatís, mas ás vezes, é preciso enxergar nesses "testemunhos", uma jogada política.

O Inri Cristo, promoveu um escândalo no seu site, sobre aquele famoso e controverso "plágio" que o Divaldo teria feito de uma mensagem do Chico. Quando entrevistaram o Divaldo, ele meio sem graça disse que "essa é uma prova do CUEE", pois que vários médiuns podem receber a mesma mensagem como atestado de veracidade.

Quando entrevistaram o Chico, a respeito do ocorrido, ele se fez de desentendido.

Tudo por que? por uma questão político-doutrinária do movimento espírita.

Se foi plágio ou não? não interessa. O que interessa é que ambos souberam driblar a delicada situação, assim como o Divaldo "fala de Ramatís", mas não concorda com nada do que ele fala, e agora, vive publicando livros sobre crianças-índigo, por uma determinação da Joanna de Ângelis??

Ué?? cadê os críticos de antanho que viviam dizendo que o meu papel aqui era criticar sábios e mentores??

Por que ao invés de criticar o Divaldo sobre a publicação das "crianças-índigo", não se criticam a Joanna de Ângelis???

Ahhhh o dia que eu desencarnar... vou assinar embaixo: James Clerk Maxwell :D


abc

 

Renatão,
Divaldo at[e já elogiou a Ramatis amigo.
e o fez em conhecida entrevista num programa de TV. Chico citou Emmanuel que afirmou que Ramatis é um Espírito muito bem relacionado "lá em cima".
Divaldo se esgrima de falar sobre o plágio citando o CUIEE, e o faz mentindo já que ele sabe que as comunicações por tal método devem todas sem exceção serem feitas num mesmo tempo e não como nos chegam popularmente, hoje um daqui a um ano outras duas etc.
Joanna e sua pretensa psicologia, que é motivo de risadas pelos profissionais da área, também faz das suas.
No entanto não se pode dizer que sejam Espíritos embusteiros, ou mesmo pseudos sábios, São o que são, Espíritos que são superiores apenas a nós mas que ainda estão sob o mesmo caráter que nós, imperfeitos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: arajani em 16 de Agosto de 2011, 21:22
Boa tarde.
através de um busca na Google, cheguei neste texto que pra mim de grade valia, não sei se convém relatar toda ai historia com me vi nas mãos com um livro que citava Ramitis,uma outra hora quem sabe...
Que seja como curiosa que sou,amei o texto e os comentários ,por que assim acredito que vamos formandos ideias e relacionando as coisas, como me ensinou minha mãe conselho se fosse bom não se dá se vendia,mas devemos ter conhecimento de tudo que e nós passados, e assim criar nossas próprias ideias. Isto acredito nesta minha vida, tanto que onde frequento sou colocada como a verdadeira insatisfeita, por que sempre procuro saber os 'PORQUÊS"  Tenho dificuldade pra aceitar que ainda temos que viver numa regra que foi passado as nossos ancestrais -
Acredito que isto tem de nós servi de base, e criar novas visões. Os tempos são outros, e onde haja a lei do amor , onde nasça o mais puro amor e caridade, so pode ser obra de Deus.
 Inajara Cardoso ::)
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: VLRC em 30 de Novembro de 2013, 13:42
Ramatis, Ramatís, Rama-tys ou Swami Sri Rama-tys é o nome atribuído por diversos médiuns a um espírito que seria o autor/inspirador de dezenas de obras escritas por eles. Hercílio Maes, América Paoliello Marques, Maria Margarida Liguori, Wagner Borges, Norberto Peixoto e Dalton Roque são alguns dos que afirmaram ou afirmam comunicar-se com Ramatis. O conjunto das obras atribuídas a ele representa a principal fonte bibliográfica e ideológica do espiritualismo universalista.

Ramatis não é Espirita
Ramatis nunca se disse espirita, e sim universalista
O que não serve pra uns pode servir bem para outros.

Ha algum tempo atras os espiritas se diziam perseguidos por fanáticos de outras religiões e com razão pela intolerância destes  e hoje muitos desses "espiritas" outrora perseguidos viraram os perseguidores de todos aqueles que  divergem em algum ponto de seu entendimento quanto a espiritualidade, que o digam nossos amigos umbandistas.

Tenho confiança nas mensagens de Chico e Emmanuel ,não que não haja erros pois não existe ninguém que não os cometa mas seus exemplos falam por eles.

Não foi só o Emmanuel que fez referencia a Ramatis Divaldo Franco também

Abç

 ;D
Valter LRC


Divaldo Franco fala a respeito de Ramatis (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTBRVGlFNUZzMjM4Iw==)
Título: Re: Emmanuel fala sobre Ramatis.
Enviado por: EsoEstudos em 30 de Novembro de 2013, 17:05
Na verdade é tudo muito simples... Já li Ramatís e gostei das informações que obtive. Apenas não são ensinos doutrinários...

Ora, recentemente li Summa Daemoniaca, de José Antonio Fortea, um padre exorcista espanhol. Claro que foi necessário filtrar aqui, ali, acolá, praticamente o tempo todo... Mas, o livro tem (como não poderia deixar de ser) informações interessantes e úteis para todo espiritualista...

Leiamos de tudo para podermos reter o que seja bom.