Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Reencarnação => Tópico iniciado por: Marianna em 07 de Março de 2010, 04:21

Título: PERANTE A DESENCARNAÇÃO
Enviado por: Marianna em 07 de Março de 2010, 04:21


(http://img169.imageshack.us/img169/5591/desencarnac387c383o.jpg)


Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte." — Jesus. (João, 8:51.)  


(http://img408.imageshack.us/img408/7905/bl19.gif)

(http://img186.imageshack.us/img186/5264/grdiam.gif)  A Alma Após a Morte:
No instante da morte a alma volta ao mundo dos Espíritos donde se apartara por algum tempo.
(LE - Item 149)

(http://img186.imageshack.us/img186/5264/grdiam.gif)  Separação da Alma e do Corpo:
O corpo quase sempre sofre mais durante a vida do que no momento da morte. (LE.154)
A separação da alma e do corpo ocorre quando os laços que a retinham se rompem. (LE.155)
Esta separação se dá gradualmente. Os laços se desatam pouco a pouco, não se rompem. (LE155ª)

(http://img186.imageshack.us/img186/5264/grdiam.gif)  Separação da Alma e do Corpo:
Muitas vezes a alma sente o desprendimento e se esforça para ajudar e goza por antecipação do estado de espírito. (LE.157) A lagarta que se arrasta e depois da morte aparente na crisálida renasce, nos dá uma idéia acanhada do que é a morte. (LE.158)

(http://img186.imageshack.us/img186/5264/grdiam.gif)  Separação da Alma e do Corpo:
A sensação da alma após a morte varia. Para o justo é boa para quem praticou o mal não é.(LE.159).
Muitas vezes, espíritos nossos conhecidos, nos ajudam no desligamento e encontramos muitos que a tempo não víamos. (LE.160).

(http://img186.imageshack.us/img186/5264/grdiam.gif)  Separação da Alma e do Corpo:
Geralmente em caso de morte violenta a separação da alma e a cessação da vida ocorrem simultaneamente. (LE.161). Após decapitação o homem conserva por minutos a consciência de si, mas também tem casos de perda da consciência. (LE.162).

(http://img186.imageshack.us/img186/5264/grdiam.gif)  Separação da Alma e do Corpo:
A perturbação que o espírito sofre ao encarnar é muito maior e mais longa do que ao desencarnar. (LE.339)
O Espírito, visto que o corpo privado de vida é, a partir de então, sem utilidade, deixa-o como se abandona uma casa em ruína ou uma vestimenta imprestável. (A gênese)

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  Fenômeno da morte ou desencarnação:

“A morte é uma simples mudança de estado, a destruição de uma forma frágil que já não proporciona à vida as condições necessárias  ao seu funcionamento e a sua evolução. Para alem da campa, abre-se uma nova fase de existência.” (Leon Denis)

“A extinção da vida orgânica acarreta a separação da alma em conseqüência do rompimento do laço fluídico que une ao corpo, mas essa separação nunca é brusca. O fluido perispiritual só pouco a pouco se desprende de todos os órgãos, de sorte que a separação só é completa e absoluta quando não mais reste um átomo do perispírito ligado a uma molécula do corpo”. (O céu e o inferno)

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  PERANTE A DESENCARNAÇÃO:

Desterrar de si quaisquer conversações ociosas, tratos comerciais ou comentários impróprios nos enterros a que comparecer. O corpo que morre não se refaz. Aproveitar a oportunidade do sepultamento para orar, ou discorrer sem afetação, quando chamado a isso, sobre a imortalidade da alma e sobre o valor da existência humana. André Luiz.

Resignar-se ante a desencarnação inesperada do parente ou do amigo, vendo nisso a manifestação da Sábia Vontade que nos comanda os destinos. Maior resignação, maior prova de confiança e entendimento. Nem todo Espírito se desliga prontamente do corpo. Emitir para os companheiros desencarnados, sem exceção, pensamentos de respeito, paz e carinho, seja qual for a sua condição. André Luiz.
 
Título: Re: PERANTE A DESENCARNAÇÃO
Enviado por: Marianna em 07 de Março de 2010, 04:23

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  TEMAS DA VIDA E DA MORTE:

Compreendendo que o fenômeno da morte faz parte do compromisso da vida, o homem se arma de valores para o momento da própria como da libertação dos afetos, que voltará a encontrar na grande pátria de onde todos procedemos. MANOEL P. DE MIRANDA.

Morrer é desnudar-se diante da vida, é verdadeira bênção que traz o Espírito de volta ao convívio da família de onde partiu. A experimentação mediúnica desenvolvida pelo Espiritismo é o mais seguro guia destinado a esclarecer o transe da morte e preparar os homens para a inevitável decorrência libertadora. A libertação, todavia, depende de cada criatura que experimenta o acidente fisiológico que lhe interrompe o ciclo, propiciando a tranqüilidade ou o demorado sofrimento que carpirá. Manoel P. DE MIRANDA.

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  ETAPAS DA DESENCARNAÇÃO E SEU PARALELO COM A FISIOLOGIA DO DESENCARNE.

A exaltação das derradeiras horas  de Jesus na Terra, através da representação ou lembrança incessante de seu martírio, costumam deixar em nossas almas um quê de melancolia, de remorso indefinível...
Isso porque as comemorações da semana santa prodigalizam a morte, quando sabemos que Jesus ressurgiu triunfante após o suplício, mostrando-nos que nada termina no sepulcro.

▬  "Por que chora?"
▬  "Porque levaram seu corpo embora."

Significativo, profundo, o fato nos ensina que assim como Maria, choramos a desencarnação dos nossos entes amados tão só porque a morte levou-lhes o corpo embora, ignorando, qual ela fez, o triunfo da Vida sobre as sombras passageiras da morte terrena.

Morrer não é desaparecer, é retornar para casa, para a verdadeira Casa. E para onde mais cedo ou mais tarde também retornaremos todos nós.

Que a morte não nos abale além da saudade compreensível, do pranto justo da dor da separação, do carinho ausente, sabe Deus por que tempo ainda!

▬  Mas que não seja revolta, desespero ou lágrimas que adoecem.
▬  Seja a compreensão de que a vida, para além das tramas do silêncio repentino,
▬  Que a desencarnação seja para nós algo maior que uma cerimônia fúnebre, com véus escuros e lágrimas amargas,
▬  Sempre mais bela e mais plena, perguntando-nos por isso mesmo, porque afinal ainda nos encontramos chorando.

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  PERANTE A DESENCARNAÇÃO:

Resignar-se ante a desencarnação inesperada do parente ou do amigo, vendo nisso a manifestação da Sábia Vontade que nos comanda os destinos. Maior resignação, maior prova de confiança e entendimento.

Dispensar aparatos, pompas e encenações nos funerais de pessoas pelas quais se responsabilize, abolir o uso de velas e coroas, crepes e imagens, e conferir ao cadáver o tempo preciso de preparação para o enterramento ou a cremação.

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  Nem todo Espírito se desliga prontamente do corpo.

Emitir para os companheiros desencarnados, sem exceção, pensamentos de respeito, paz e carinho, seja qual for a sua condição. A caridade é dever para todo clima.

Proceder corretamente nos velórios, calando anedotário e galhofa em torno da pessoa desencarnada, tanto quanto cochichos impróprios ao pé do corpo inerte.

O companheiro recém-desencarnado pede, sem palavras, a caridade da prece ou do silêncio que o ajudem refazer-se. Desterrar de si quaisquer conversações ociosas, tratos comerciais ou comentários impróprios nos enterros a que comparecer.

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  A solenidade mortuária é ato de respeito e dignidade humana.

Transformar o culto da saudade, comumente expresso no oferecimento de coroas e flores, em donativos às instituições assistenciais, sem espírito sectário, fazendo o mesmo nas comemorações e homenagens a desencarnados, sejam elas pessoais ou gerais.

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  A saudade somente constrói quando associada ao labor do bem.

Ajuizar detidamente as questões referentes a testamentos, resoluções e votos, antes da desencarnação, para não experimentar choques prováveis ante inesperadas incompreensões de parentes e companheiros.

(http://img14.imageshack.us/img14/5103/piminus.gif)  O corpo que morre não se refaz.

Aproveitar a oportunidade do sepultamento para orar, ou discorrer sem afetação, quando chamado a isso, sobre a imortalidade da alma e sobre o valor da existência humana. A morte exprime realidade quase totalmente incompreendida na Terra. ANDRÉ LUIZ

Bibliografia:

André Luiz
Leon Denis
Manoel P. de Miranda.
A Gênese – Allan Kardec
O Céu e o Inferno – Allan Kardec
Livro dos Espíritos – Allan Kardec
Título: Re: PERANTE A DESENCARNAÇÃO
Enviado por: EmBuscaDaLuz em 07 de Março de 2010, 12:01
Marianna, este texto deve ser lido por todas as pessoas, visto que ninguém sabe como se portar e pensar diante do desencarne de pessoas queridas... Vou repassar a todos os meus contatos para que de alguma forma possam pensar diferente do que ocorre normalmente.
A mim, pode ter certeza de que foi extremamente válido.

Fique na paz de Jesus e muito obrigada mais uma vez.
Título: Re: PERANTE A DESENCARNAÇÃO
Enviado por: Marianna em 10 de Março de 2010, 19:10
Citar
Vou repassar a todos os meus contatos para que de alguma forma possam pensar diferente do que ocorre normalmente.

Concordo Daci, precisamos enfrentar esta realidade que ninguém escapa.