Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Reencarnação => Tópico iniciado por: Marianna em 03 de Dezembro de 2009, 20:07

Título: DESENCARNAÇÃO
Enviado por: Marianna em 03 de Dezembro de 2009, 20:07

Um tema, uma palavra, uma sentença, um acontecimento que poderão se enquadrar muito bem na estagnação biológica ou “morte”. Fazem parte dos ensinamentos da Doutrina Espírita ou Espiritismo. A dor, o sofrimento, a “desgraça”, as incontáveis moléstias físicas e morais que marcam a vida dos hominais recebem essa nomenclatura. Tem como origem nas transgressões dos limites impostos a liberdade da Lei Divina, que inclui ou explicita que o limite natural da liberdade hominal é o ponto onde começa a liberdade de outro. Apesar do instinto natural de conservação do homem ele jamais escapará deste fenômeno que atormenta a humanidade. Onde existe dois ou mais seres humanos os direitos ao respeito existem.

A união do perispírito e da matéria carnal, que se efetuara do princípio vital do gérmen, cessa, paralisa, desde que esse princípio deixa de atuar, em conseqüência da desorganização do corpo. As doenças graves, os acidentes fatais, o suicídio, os vícios, a drogadização são as causas mais comuns da desencarnação. Diante de tantas nuanças negativas a desencarnação tem um ponto importante para o Espírito, pois ele sabe a hora exata em que deve deixar a matéria surrada, grosseira, velha e que não lhe serve mais. Um senão apenas nos acontecimentos imprevisíveis, pois Deus na sua bondade deixou para o homem o livre-arbítrio. Ele poderá ser vítima de sua imprudência ou de outros humanos que foram aquinhoados também pela Lei Divina. O perispírito se desprende, molécula a molécula, conforme aconteceu na sua união, e ao Espírito é restituída à liberdade.

A partida ou desprendimento não é a partida do Espírito que causa a estagnação do corpo ou sua morte, mas esta é que determina a partida do Espírito. O fluido cósmico e universal deve ser bem aproveitado para que não aconteça uma escassez repentina e o Espírito venha a se libertar mais repentinamente.

A desencarnação está atrelada aos fatos e acontecimentos da existência carnal. Muitos fatores concorrem, a fim de que os processos da morte biológica se deem. A desencarnação causa um sofrimento muito grande às pessoas, visto que a maioria não está preparada espiritualmente para encarar este fato. Somos apegados demais à matéria e por isso sofremos demais. A desencarnação nem sempre será um acidente pacífico em nosso caminho para a Vida Maior é o termo de mais um dia de trabalho santificante, para que se ponham de novo, a caminho do alvorecer. (Espiritismo de (A) a (Z))

Os desencarnados não são magos nem adivinhos. São irmãos que continuam na luta de aprimoramento. Para aqueles que dizem que os espíritas ou espiritistas conversam com os “mortos” não é verdadeira essa insinuação, visto que o fone toca de lá para cá. Desencarnar é mudar de plano, como alguém que se transferisse de uma cidade para outra, aí no mundo, sem que o fato lhe altere as enfermidades ou as virtudes com a simples modificação dos aspectos exteriores. A diferença primordial entre encarnados e desencarnados é a vestimenta carnal, pois o desencarne provoca a libertação do Espírito dessa matéria grosseira e os encarnados ainda estão sob o peso dela.

Pode-se afirmar ser a emancipação total do Espírito em relação ao corpo físico ou material. Morte do corpo. Falecimento. As funções fisiológicas do corpo, não sendo mais possíveis, ele para de funcionar e liberta o Espírito que a ele está ligado. Há, portanto uma desencarnação. Procuramos demonstrar com todas as nuanças os motivos, as causas que levarão a desencarnação e o que se deve fazer para retardá-la, pois vida e morte caminham juntas. E aqui colocamos um ponto que achamos importante dizer: O maior enigma da vida é a morte e o maior enigma da morte é a vida. É um processo de ida e volta, ou seja, desencarnação e reencarnação, pois sem estes caminhos a evolução do espírito jamais aconteceria.

Deus na sua infinita bondade planejou este processo para os seres vivos, já que todo ser vivo é possuidor de Espírito, mas as religiões de antanho ou da antiguidade provocaram um redemoinho na cabeça dos fiéis mostrando o seu critério o que acontece com o ser humano durante a sua permanência no orbe terrestre.

Porém esqueceram de prepará-lo espiritualmente para tal. Se o ser humano tivesse sido preparado como devia a perda de um ente querido não seria tão preocupante, doloroso, inexplicável para a maioria, mesmo assim Deus deixou o tempo como propósito para a conscientização e brandura do espírito que fica. Ficamos a meditar porque determinadas nações vivem em guerra, seria a não valorização da vida?

A Lei Divina traz em si um perfeito mecanismo de cobranças de faltas e nenhuma escapa à Justiça Divina. Qualquer imperfeição é causa de sofrimento e o aperfeiçoamento é causa de satisfação. Deus criou o homem simples e “ignorante”, mas com a convivência diária ele naturalmente irá se adaptar ao meio em que vive. Lá no mundo acontece o mesmo e o livre-arbítrio que temos aqui não é privilégio nosso, pois no mundo espiritual ele tem o mesmo livre-arbítrio. Pense bem no que andas fazendo.

No certo e no errado. Queremos um mundo de paz, pois a violência que aí está será sempre uma conotação negativa e causadora de muitas desencarnações. Evitem o mal e o negativismo para não atraíres conseqüências ruins. Se você viu ou ouviu algo maléfico ou desastroso, não seja você quem vai passá-lo adiante. Leve aos outros, apenas o que seja agradável, dê paz, traga incentivo, impulsione para frente e proporciones melhorias. Não seja egoísta e nem materialista. Pensem nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-
MEMBRO DA ACI/ DA ALOMERCE E DA AOUVIR/CE.
Título: Re: DESENCARNAÇÃO
Enviado por: Marianna em 07 de Dezembro de 2009, 00:03
PRINCÍPIO VITAL

Nome que denota início, começo, criação. Tem como ponto primordial a união no tocante ou respeitante à vida.  Próprio para a preservação da vida de todos os matizes, e de uma importância capital, fortificante e essencial a ela. Têm outras sinonímias como aura, ciclo, espaço e espíritos vitais. É, na verdade o começo da vida. O principio geral da vida material comum a todos os seres orgânicos: homens, animais e plantas.

Deriva do latim principiu e refere-se ao momento, local ou trecho em que algo tem origem. Causa primária, elemento predominante na constituição de um corpo orgânico, preceito, regra ou lei.  É a base e o germe da vida. Na filosofia a palavra princípio está relacionada à origem de algo, de uma ação ou de um conhecimento. Pode também está relacionado com o verbo principiar. O principio antrópico segundo a qual tudo quanto podemos observar no Universo deve depender estritamente das condições próprias da nossa existência, da nossa presença como observadores no cosmo.

O princípio cosmológico se refere à hipótese segundo a qual o Universo é homogêneo e isotrópico, ou melhor, não existe nem local nem direção privilegiada, qualquer que seja a posição ocupada pelo observador. Tem ligação com o principio de bivalência sendo o principio da lógica clássica segundo o qual uma proposição ou é verdadeira ou é falsa. O principio vital dá origem à vida dos seres e a perpetua em cada globo ou orbe, conforme a condição deste princípio que, em estado latente, se conserva adormecido onde a voz de um ser não o chama.

Toda criatura, todo o ser, mineral, vegetal, animal ou qualquer outra coisa participantes ou integrantes de outros reinos naturais que são muitos, de cuja existência nem sequer suspeitamos. Em virtude desse princípio vital e universal, apropriar-se das condições de sua existência e de sua duração. Pode ser o combustível da vida que nós recebemos quando encarnamos na Terra. (Fontes) Espiritismo de (a) a (Z) da FEB e dicionário Aurélio.

Esse combustível vai durar mais ou menos conforme as abluções “Ato ou efeito de abluir (-se); lavagem: “(banhou o rosto e as mãos na água fresca do rio, e como se a ablução lhe desse um novo batismo de crença e de fé, sentiu-se são).” (Inglês de Sousa, O Missionário, p. 252)”. (Refere-se ao banho de todo o corpo, ou de parte dele, com esponja embebida em água ou com toalha molhada, ritual de purificação por meio da água, praticada em várias religiões. Ação de lavar-se antes de uma prece). O princípio vital é de uma importância fundamental para a manutenção da vida neste orbe, é cabível que se admita que a vida orgânica resida num princípio inerente à matéria, independente da vida espiritual, que é inerente ao Espírito.

Novamente a filosofia vem com seus aspectos modulando seus preceitos afirmando ser uma das relações fundamentais apreendidas pelo pensamento, e que assim se enuncia: “Todo fenômeno tem uma causa.” Vê o princípio de contradição como uma lógica que afirma: “O que é não é o que não é”.

Em termos lógicos, a negação de uma proposição afirmativa verdadeira será falsa e vice-versa, pois o contrário do falso é o verdadeiro; princípio de não-contradição. Sem se descuidar do princípio da finalidade em que uma das relações fundamentais apreendidas pelo pensamento, e que consiste na atribuição de uma finalidade a tudo o que é, do que resulta à busca da compreensão do que é pelo que está para vir.

O Princípio de identidade é o princípio que afirma: “O que é, é; o que não é não é”. Em termos lógicos, trata da relação entre a qualidade (afirmação ou negação) e o valor de verdade (verdadeira ou falsa) que define uma proposição como tal. O princípio de individualização no estudo filosófico é a essência própria a cada indivíduo, e graças à qual se pode dizer de cada um deles, “Ei-lo”: o singular, concreto, determinado no tempo e no espaço. Ex.: a hecceidade.

A unidade das características que diferencia uma coisa de outras assemelhadas, o princípio de não-contradição será o princípio de contradição. Já o princípio de razão suficiente, segundo Leibniz, o princípio que afirma que nada acontece sem que haja uma causa ou razão determinante. Olhem prezados amigos são tantos princípios em nossas vidas que ainda estamos engatinhando na vida e nos encontramos muito aquém do que deveríamos ser hoje pelo avanço da tecnologia, mas o ser humano ainda está com o azimute quebrado e sem norteamento para obedecer às derivações destes princípios.  

Princípio de verificação no positivismo lógico é o princípio que afirma que o significado de uma proposição é dado na sua verificação, já o princípio do prazer na psicanálise exerce uma tendência da atividade psíquica a buscar a satisfação e evitar o pesar, sem levar em conta a realidade.

O princípio do terceiro excluído será o princípio segundo o qual uma proposição ou é afirmativa ou é negativa, não havendo meio-termo também conhecido como princípio da bivalência. A princípio no começo, no início: “Capitu, a princípio, não disse nada.” (Machado de Assis, Dom Casmurro, p. 40.) Em princípio, antes de qualquer consideração; antes de tudo; antes de qualquer coisa ou mais nada.

O nosso foco principal foi o princípio vital, mas para dar uma dinâmica mais bem explicativa resolvemos inserir outros princípios que no pensar da filosofia, da psiquiatria e da psicologia tem importâncias fundamentais. Ressalte-se que O Espírito tem por fonte o fluido universal. Este fluido é conhecido como magnético, ou fluido elétrico animalizado, sendo o intermediário, o elo existente entre o espírito e a matéria. É ele que dá movimento e atividade aos seres orgânicos e os distingue da matéria inerte ou estagnação biológica, porquanto o movimento da matéria não é a vida.

Esse movimento ela a recebe, e não o dá. O principio vital é o seu combustível da vida que anunciamos nas entrelinhas e se você leva uma vida cheia de vícios, manias, fobias, ele vai se evaporando sem que tenhamos conhecimento e se você não cuidar bem dele sua permanência aqui no orbe terá dias contados, mas se sua vida é regrada e controlada é isenta de vícios viverás bem mais, pois o consumo do fluido cósmico ou fluido universal será bem menor. Jesus Cristo curava seus doentes através da imposição das mãos, visto que é uma região do corpo em que se concentra maior magnetismo. Pensem nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-
MEMBRO DA ACI-DA ALOMERCE E DA AOUVIR/CE.

PRINCÍPIO VITAL: