Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Auto-Conhecimento => Tópico iniciado por: lconforjr em 04 de Novembro de 2015, 20:45

Título: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: lconforjr em 04 de Novembro de 2015, 20:45
O autoconhecimento é ferramenta suficiente para que saibamos quais são as causas dos absurdos que fazemos?

      Num tópico, que não consigo mais encontrar, o amigo Vinicius disse: Acredito que a resposta ao "como fazer", que o amigo lconforjr tanto questiona, está no autoconhecimento.

      Conf: olá, Vinicius, se o amigo acredita que a resposta está no autoconhecimento, com certeza é porq já comprovou isso. Assim, vou lhe fazer a mesma pergunta que fiz a outro amigo nosso: vc, meu amigo, já encontrou, por meio de seu autoconhecimento, a resposta a esta pergunta que é fundamental para que se entenda a doutrina: “qual é a causa de um ser bom e outro ser mau?”.

      Se já encontrou, por favor, diga onde, que todos nós precisamos conhecê-la! Pois, se não a conhecermos, jamais vamos entender a doutrina e nem a vida! E esse conhecimento é muito importante para todos nós, pois tudo na vida gira em torno do bem e do mal; tudo que construímos e destruímos, os ensinamentos da codificação e das escrituras, as doutrinas religiosas, as alegrias e os sofrimentos, a felicidade e a infelicidade, o aperfeiçoamento moral etc, giram em torno deles, concorda?

      Vinicius: Se nós não soubermos quais falhas dentro de nós precisamos corrigir, quem irá saber?

      Conf: mas, meu jovem, como vamos evitar de cair e recair nas mesmas falhas ou causas que nos levaram a cometer já tantos erros, se nem mesmo sabemos quais são elas? Afinal, Vinicius, quais são, para vc, as causas que fazem que uns sejam bons e que outros sejam maus? Já usou seu autoconhecimento para conhecê-las? Se já as conhece, por favor, nos ensine quais são para que, conhecendo-as, possamos evitar de cair e tornar a cair nelas!!

      Vinicius:... a correção, compete a cada um de nós. Vou dar um exemplo. Fulano X tem o vício da bebida. De que forma ele conseguirá se livrar desse vício? A única forma de se livrar completamente, é entender a causa do vício...

      Conf: como já sabemos, muitos só sabem ensinar “o que fazer”, mas absolutamente ninguém e nada sabe ensinar o “como fazer”. Assim, do mesmo modo que muitos, vc apenas ensina “o que fazer”: entender a causa de seus vícios... Mas, meu amigo, “como fazer” isso? “Como fazer” para entender a causa de sermos viciados na bebida, nos jogos de azar, na pedofilia, nas drogas, nos estupros?

      “Como fazer” para entender as causas que nos fazem ser maus, egoístas, orgulhosos, criminosos, cobiçosos, ambiciosos, de praticarmos tantos atos imorais, de termos pensamentos, sentimentos e desejos maus e, em consequência, de escolhermos  tantas vezes fazer o mau, em vez de escolher fazer o bem?!

      Meu amigo, vc sabe a causa de vc ser egoísta, ou cheio de pensamentos e procedimentos bixos ou maus? Se vc sabe, porq vc ainda possui imperfeições, se pode se desfazer delas? Porq é que vc, eu, e bilhões de irmãos, estamos habitando um mundo de sofrimentos desesperadores?

      Vinicius:... e isso apenas o Fulano X irá saber, ao olhar para dentro de si, analisar o seu passado e descobrir em que momento esse vício tomou conta, e se foi causado por uma decepção amorosa, por conflitos familiares, por problemas profissionais, mil possibilidades. Ele não tem outro meio de descobrir as respostas se não for dessa forma. A partir daí, ele terá novos meios de se livrar, pois o seu autoconhecimento o proporcionará a libertação. É ensinamento comum de todos os grandes mestres: conheça a verdade e ela te libertará.

      Conf: meu amigo, vc, pelo seu autoconhecimento, já consegue analisar seu passado, um passado que pode vir de milhões de anos atrás, desde os nossos mais remotos ancestrais e das causas que lhes deram origem? Qdo muito, nós conseguimos, se nossa memória for “infalível”, analisar nosso passado nesta mesma encarnação!

      Ninguém possui a capacidade de penetrar nos segredos de nossas vidas anteriores, sobretudo se, como a doutrina afirma, Deus  faz que comecemos uma nova vida esquecidos de nosso passado!

      Vou lhe dar um exemplo do que lhe disse: aquele homem que sempre está embriagado, sempre agressivo e iniciando conflitos, acaba de matar um outro homem. Todos que o conhecem pensarão ou dirão: “ele é assim mesmo, sempre se envolvendo em conflitos, sempre embriagado e agressivo; precisa ir para a cadeia pois lá é o lugar em que ele deve estar para não mais cometer os absurdos que sempre está cometendo!”...  Pronto... o julgamento está feito!! Mas, na verdade, esse é apenas um falso julgamento, pois ninguém  conhece as causas verdadeiras de ele ser assim! Quem é que tem a capacidade ou faculdade, o poder, de penetrar no passado, nesses                                       milhões de anos ou séculos que já se passaram? Quem é que conhece as causas de esse homem estar sempre embriagado, agressivo e tão desequilibrado mentalmente, ao ponto de matar um semelhante e enfrentar o julgamento de Deus e o julgamento dos homens?

      Vinicius disse: Amigo lconfrj, gostaria de perguntar por quê você não considera o autoconhecimento como ferramenta suficiente do "como fazer", pois já o vi questionar a mesma coisa e os amigos que lhe respondem sempre dão uma resposta na mesma linha, que é a do autoconhecimento, mas para ti não parece ser a resposta certa ou então incompleta. Questionar é sempre válido, e são questionamentos que nos levam adiante, e se há muitas pessoas que possuem a resposta pra isso, baseado em estudos da doutrina, é porque então há uma base verdadeira no que dizem.

      Conf: exato, meu amigo, é sempre conveniente questionar, mas vou responder a pergunta q vc fez acima com outra pergunta: porq vc acha que o auto-entendimento é uma ferramenta  suficiente, conveniente, para aprendermos o "como fazer"? Vc mesmo, seu autoconhecimento já lhe fez compreender como fazer para deixar de ser egoísta ou orgulhoso?

      Meu amigo, me desculpe, mas tenho absoluta certeza que, como talvez milhões ou bilhões de irmãos nossos, vc não sabe, pois nem mesmo sabe como fazer para deixar de ser mau e ser bom.

      Um grande abraço!
...................
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: moreirinha85 em 05 de Novembro de 2015, 10:24
Bom dia!

Bom, vou tentar trazer um ponto que, em minha visão, parece não ter sido abordado ainda tão explicitamente. Há um questionamento de que o esquecimento do passado seria um obstáculo para a validade do autoconhecimento como ferramenta de libertação, foi o que eu entendi. Entretanto, outro aspecto importante é que o objetivo da encarnação é o aprendizado e, por isso, não estamos dispensados da repetição exaustiva, ocorrida quantas vezes forem necessárias, posto que a misericórdia de Deus não tem limites, nunca iremos "bombar". Por isso, apesar de não trazemos na memória consciente a lembrança de nossas vidas passadas, as nossas tendências persistem e vivenciaremos novamente as situações que nos incitam aos vícios e erros para tentar fazer diferente, observar o sofrimento que elas nos trazem, qual nossa responsabilidade e como nossas atitudes contribuem para que soframos. Isso ninguém poderá fazer por nós.
Outro ponto é que somos muitos imperfeitos, logo não deixaremos todos os nossos vícios somente em uma encarnação, não aprenderemos tudo de uma vez só, mesmo porque isso não é necessário, ou mesmo possível, já que há toda a eternidade para isso e, enquanto aprendemos, mesmo errando, é possível auxiliar os demais até por nossos maus exemplos, pois ver os outros errando e refletir sobre nós mesmos, para que não façamos o mesmo, é uma forma excelente de aprender.
Se me perguntar se eu já aprendi pelo autoconhecimento como deixar de ser egoísta, orgulhosa, etc., minha resposta seria que este é um exercício diário, tem dias que eu consigo ver melhora, outros dias não e, provavelmente, na maioria dos dias eu nem perceba se consegui ou não, somente os outros vêem, mas creio que o como fazer seja esse, cotidianamente, tentando fazer com que cada dia mais eu consiga ver o que os outros vêm de mim e transformar aos poucos, na medida que tome consciência de como as minha atitudes refletem o mal e causam sofrimento.
Oremos, porque isso não é uma tarefa fácil, mas é para isso que estamos aqui e ajuda não faltará se solicitarmos e nos esforçarmos sinceramente ao exercício dos ensinamentos morais do cristo.
Espero ter sido útil! grande abraço. 
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: Michel Michels em 05 de Novembro de 2015, 11:46
Interessante o tópico,

Quanto ao bem e o mal, Kardec trata de uma maneira mais aprofundada em A gênese, capítulo III, itens 1 a 10, vou transcrever somente uma parte, mas o texto, é bastante elucidador:

10. Estudando-se todas as paixões e, mesmo, todos os vícios, vê-se que as raízes de umas e outros se acham no instinto de conservação, instinto que se encontra em toda a pujança nos animais e nos seres primitivos mais próximos da animalidade, nos quais ele exclusivamente domina, sem o contrapeso do senso moral, por não ter ainda o ser nascido para a vida intelectual. O instinto se enfraquece, à medida que a inteligência se desenvolve, porque esta domina a matéria.
O Espírito tem por destino a vida espiritual, porém, nas primeiras fases da sua existência corpórea, somente às exigências materiais lhe cumpre satisfazer e, para tal, o exercício das paixões constitui uma necessidade para o efeito da conservação da espécie e dos indivíduos, materialmente falando. Mas, uma vez saído desse período, outras necessidades se lhe apresentam, a princípio semimorais e semimateriais, depois exclusivamente morais. É então que
o Espírito exerce domínio sobre a matéria, sacode-lhe o jugo, avança pela senda providencial que se lhe acha traçada e se aproxima do seu destino final. Se, ao contrário, ele se deixa dominar pela matéria, atrasa-se e se identifica com o bruto. Nessa situação, o que era outrora um bem, porque
era uma necessidade da sua natureza, transforma-se num mal, não só porque já não constitui uma necessidade, como porque se torna prejudicial à espiritualização do ser. Muita coisa, que é qualidade na criança, torna-se defeito no adulto.
O mal é, pois, relativo e a responsabilidade é proporcionada ao grau de adiantamento.
Todas as paixões têm, portanto, uma utilidade providencial, visto que, a não ser assim, Deus teria feito coisas inúteis e, até, nocivas. No abuso é que reside o mal e o homem abusa em virtude do seu livre-arbítrio. Mais tarde, esclarecido pelo seu próprio interesse, livremente escolhe entre o bem e o mal.

Opino: nos passado o período de evolução de princípio inteligente em Espírito (individualidade), temos na consciência nosso norte de ação, mas ao invés de buscarmos nos pautar sobre ela, como refere Kardec acima, escolhemos ou passamos a nos pautar mais pelos nossos instintos materiais, e teremos as consequências dessas escolhas.

Mas como bem salientado pela moreirinha85, essas escolhas ruins que fizemos, essas escolhas em seguirmos esse caminho do "mal", será oportunidade de aprendizado posterior.

Deus nos criou imperfeitos, e principalmente nestas primeiras encarnações nossas no reino hominal, vamos apenas despertando isso, lembro de uma passagem do Evangelho Segundo o Espiritismo, falando sobre a lei do Amor:
o. Em sua origem, o homem só tem instintos; quando mais
avançado e corrompido, só tem sensações; quando instruído e depurado,
tem sentimentos. E o ponto delicado do sentimento é o amor, não o amor
no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior que condensa e reúne em
seu ardente foco todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas. (Cap. IX, item 8)

Com isso quero dizer que na fase de infância espiritual alguns se desviam daquela rota ascensional, indicada pela consciência, e dentro da nossa vontade vamos nos readequando.

Ontem terminei a releitura do Livro Libertação de André Luiz, e o orientado do André, de nome Gúbio, vai a uma comunidade no umbral, regida por Espíritos que comprazem-se no mal, e de lá dialoga com um dos chefes para atuar no caso de uma obsidiada, e após isso, exemplifica aos irmãos que atuavam no processo obsessivo, por meio do auxílio as pessoas caras a eles, que eles poderiam escolher outro caminho, assim como esse chefe posteriormente, tem no exemplo de sua mãe a oportunidade de também retificar ou iniciar o processo de melhora na nossa rota.

Quanto ao que fazer para se melhorar, de minha parte penso que a melhor forma de combatermos nossas imperfeições é a da prática da virtude que é o antagonismo desta, ou a busca do exercício da caridade, no auxílio do nosso familiar, colega de trabalho, para que por meio do amor praticado largamento, ampliemos nossos canais de entendimento, e vamos cobrindo a nossa multidão de "pecados", conforme ensinou Jesus.

A trilha é árdua, e nos causa desconforto, descobrirmos tantos defeitos, e tantas iniquidades e maldades que ocorrem no mundo, mas como co-criadores da obra divina, nosso papel, é buscar o conhecimento, o qual temos tido nessa encarnação a Doutrina Espírita como norte, e sublimar nossos sentimentos, o que é tarefa dificil, que como bem referido pela moreirinha85 é caso diário, um destes ensinamentos do como fazer para o autoconhecimento é o referido na Questão 919 do Livro dos Espíritos.

As rotas de evolução são trilhadas individualmente, mas podemos nos pautar nos exemplos dos emissários divinos - Jesus, Buda, Gandhi, Madre Teresa de Calcutá, Chico Xavier e tantos outros, que vem e nos demonstram como podemos ter uma relação mais próxima de Deus, por meio do contato com nosso semelhante.

Outro ponto, de suma importância, que para mim tem sido motivo de alegria, é estudar o Livro Genesis, com nosso irmão Haroldo Dutra Dias, todos os vídeos disponíveis no Youtube, que demonstra um pouco dessa caminhada da Espiritualidade perante a proposta de Deus para nos Espíritos em aprendizado.
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: ViniciusSSantos em 05 de Novembro de 2015, 12:33
O autoconhecimento é ferramenta suficiente para que saibamos quais são as causas dos absurdos que fazemos?

      Conf: exato, meu amigo, é sempre conveniente questionar, mas vou responder a pergunta q vc fez acima com outra pergunta: porq vc acha que o auto-entendimento é uma ferramenta  suficiente, conveniente, para aprendermos o "como fazer"? Vc mesmo, seu autoconhecimento já lhe fez compreender como fazer para deixar de ser egoísta ou orgulhoso?

      Meu amigo, me desculpe, mas tenho absoluta certeza que, como talvez milhões ou bilhões de irmãos nossos, vc não sabe, pois nem mesmo sabe como fazer para deixar de ser mau e ser bom.

      Um grande abraço!
...................

Caro lconfrj,

Você me passa uma impressão de que busca uma causa única para a origem de nossas mazelas, sem levar em consideração a individualidade de cada um. As suas causas não serão as minhas e vice-versa. Por esse motivo, continuar questionando "a causa" não lhe trará nenhuma resposta satisfatória, ao menos para você, pois de verdade para mim é suficiente saber que todas as minhas falhas foram devidas ao abuso do meu livre-arbítrio, em minhas inúmeras vidas passadas. Eu acredito que durante a minha longa caminhada até aqui, devo ter me inebriado com as possibilidades que ele me ofereceu, mas eu não era consciente, eu não era desperto da minha verdadeira natureza espiritual. Somos todos criados simples e ignorantes certo? Como poderia eu saber, sem ter experimentado, que algo era bom ou ruim?

Nós evoluímos moral e intelectualmente, e muitas vezes priorizamos este ou aquele atributo. Apenas o despertar espiritual nesta minha vivência me permite entender com clareza de que preciso evoluir os dois em conjunto, para assim ser um espírito melhor a cada dia. Sim, eu não me lembro dessas vivências, tenho minhas intuições de coisas que eu sei que preciso melhorar, mas no meu estado atual, não me compete e não me ajudaria em absolutamente nada saber. Pelo contrário, poderia me atrapalhar!  Tente compreender que se esquecemos nosso histórico, há um excelente motivo na providência divina para assim ser. Quando aceitamos nossa condição de seres que erraram e que nos foi dada a oportunidade para reparação, isso é mais que suficiente. Muitos outros ilustres foristas deste maravilhoso espaço já lhe disseram coisas semelhantes. Como dizem alguns por aí: aceita que dói menos! Em que você ganha insistindo nessa atitude? Não seria mais proveitoso olhar para dentro de si, identificar seus pontos que precisam ser corrigidos, e trabalhar para corrigir? De verdade mesmo, você pede um manual para poder atender o pedido de Cristo, que foi amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo, sendo que a verdade está toda aí caro irmão! Não seja um cego que se recusa a ver, Deus lhe deu olhos e ouvidos, escute Sua palavra e ouça o que Ele tem a te dizer. Ele fala conosco de todas as maneiras, desde que estejamos abertos a isso, e Ele, através de bons espíritos, nos intui a tomar as decisões corretas para nossa evolução, e se nós não a tomamos, a culpa não cabe a ninguém além de nós mesmos, nos foi dado o livre-arbítrio por isso!


Como se auto-conhecer? Medite, leia, respire fundo, observe a si e ao seu redor. Nós todos esquecemos do poder da observação e o quanto o simples ato de observar constante e continuamente pode nos ensinar. Nem eu e nem ninguém poderá te ensinar o seu como, mas eu acredito e tenho fé que as respostas estão dentro de você. Você pode contra-argumentar que isso é uma resposta vazia e generalista, mas eu lhe garanto que funcionou comigo, e também com outros. Uma pessoa inteligente aprende com seus erros, uma pessoa sábia aprende com os erros dos outros. Procure bons exemplos, o mundo está cheio deles, de pessoas que doam seu tempo para entregar comida à moradores de rua, professores que doam seu tempo em cursos comunitários, empresários que doam sua fortuna para caridade e pesquisa e desenvolvimento (são poucos, mas estão por aí!).

Para finalizar, eu respeitosamente discordo da sua última afirmação (um pouco arrogante por sinal), que afirma que eu não sei como fazer para ser bom. Sim, eu sei. Ou melhor, eu acredito que sei, pois seria arrogância da minha parte agir como se eu soubesse de tudo, sendo que eu não sei de nada! Eu trato as pessoas como eu gostaria de ser tratado, treino minha mente para repelir pensamentos de baixa vibração, doo o meu tempo para ensinar o pouco que sei aos amigos e familiares, faço preces para aqueles que não encontro uma maneira mais material de ajudar, e escuto. Você já parou para escutar alguém? Não é preciso muito para saber "como ajudar", muitas pessoas se sentem aliviadas e ajudadas apenas se você escutar o que elas têm a dizer.

Acima de tudo, não se esqueça de que não adianta saber e não por em prática. A prática vem da repetição, e se reencarnamos inúmeras e inúmeras vezes, é justamente com essa finalidade, repetir a prática, até que ela esteja consolidada dentro de nós, virando não um hábito, mas sim um comportamento intrínseco à nossa personalidade, depurando pouco a pouco nossas mazelas. Tenho como exemplo disso a gratidão. Em todo momento estou agradecendo a Deus pela bênção de estar encarnado e por em prática ensinamentos que tive durante a erraticidade (não me pergunte quais, afinal eu não tenho memória para lhe dizer!), agradeço pela minha família, pelo meu emprego, pelos meus amigos, pelo meu gato, pelas refeições, enfim por tudo! Você agradece a Deus todos os dias por cada pequena coisa que Ele lhe deu? Seja grato! Você é infinitamente mais afortunado que milhões de outros seres humanos pelo simples fato de ter acesso à internet! Há gente por aí bebendo água de esgoto, comendo grama para sobreviver, gente sendo expulsa da própria pátria por guerras, entre outras coisas ruins. Mas eu escolhi olhar para o lado bom de tudo. Em algum ponto do livro dos espíritos diz algo como "os bons não têm consciência da força do bem, e é por isso que o mal triunfa neste mundo" (me perdoe por não colocar as palavras exatas, mas creio que a ideia geral é esta). Se você se melhora, você melhora automaticamente tudo ao seu redor. Não temos força para mudar o mundo, mas temos poder suficiente para mudar quem somos. Há uma letra do Michael Jackson que diz: "se você quer fazer do mundo um lugar melhor, olhe antes para o homem no espelho". ninguém além de você mesmo tem esse poder irmão lconfrj!

Um abraço.
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: SimonB em 05 de Novembro de 2015, 15:07
Concordo plenamente com o Vinícius. Cada um tem as suas falhas, oriundas dos seus próprios erros. Da mesma forma, cada um de nós temos TUDO que precisamos saber para corrigir-nos, e isto se encontra na nossa consciência profunda, sendo relembrada constantemente pelo nosso guia espiritual por meio da intuição.

Como já comentei em outro post, a dificuldade do nosso irmão Iconfrj não esta em encontrar as 'causas' de tudo, mas na sua inconformação, não aceitação das orientações que recebeste, tanto pela doutrina espirita, que pela intuição. Não limite a sua apreciação da DE à Codificação, estude as obras da Joanna de Ângelis, do Léon Denis, André Luiz, Emmanuel... E acima de tudo, percebe que a voz, que não quer calar as dúvidas, esta lhe atrapalhando, fazendo você perder tempo valioso em indagações, que poderia usar na prática do bem.
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: lconforjr em 05 de Novembro de 2015, 22:07
Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?

      Ref resp #3 em: 05 11 15, às 12:33, de Vinicius

      Conf (resp de 04 11 15, às 20:45): O autoconhecimento é ferramenta suficiente para que saibamos quais são as causas dos absurdos que fazemos? Sem dúvida, não é!...

      Conf:... vou responder a pergunta q vc fez acima com outra pergunta: porq vc acha que o auto-entendimento é uma ferramenta  suficiente, conveniente, para aprendermos o "como fazer"? Vc mesmo, seu autoconhecimento já lhe fez compreender “como fazer” para deixar de ser egoísta ou orgulhoso, cheio de defeitos morais e imperfeições? Se já lhe mostrou o “como fazer”, então vc não tem mais defeitos morais e imperfeições?! E, se não tem, porq é que vc está ainda cumprindo sentença que Deus lhe deu, de continuar habitando um mundo de sofrimentos cruéis?! Já se livrou do egoísmo, do orgulho, dos pensamentos baixos ou imorais... , já não erra mais e nem passa por sofrimentos?!

      Meu amigo, me desculpe, mas tenho absoluta certeza que, como talvez milhões ou bilhões de irmãos nossos, vc não sabe "como fazer" para deixar de ser mau e ser bom.
...................
      Vinicius escreveu: Você me passa uma impressão de que busca uma causa única para a origem de nossas mazelas, sem levar em consideração a individualidade de cada um.

      Conf: exato, meu jovem, pois se as mazelas resultam em sofrimentos para nós, e os sofrimentos só os merecem os que transgridem as leis de Deus, o que o amigo pode entender disso, senão que todos os sofrimentos têm apenas uma “única” causa: a transgressão às leis de Deus (Exceções: sofrimentos decorrentes de provas solicitadas e/ou missões assumidas).


      Vinicius: As suas causas não serão as minhas e vice-versa. Por esse motivo, continuar questionando "a causa" não lhe trará nenhuma resposta satisfatória, ao menos para você, pois de verdade para mim é suficiente saber que todas as minhas falhas foram devidas ao abuso do meu livre-arbítrio, em minhas inúmeras vidas passadas.

      Conf: as suas, as minhas e as de todos, sem exceção, são uma única causa que é havermos, propositadamente, transgredido a lei de Deus! Segundo a doutrina, nada mais do que isso!

      Vinicius: Eu acredito que durante a minha longa caminhada até aqui, devo ter me inebriado com as possibilidades que ele me ofereceu, mas eu não era consciente, eu não era desperto da minha verdadeira natureza espiritual. Somos todos criados simples e ignorantes certo? Como poderia eu saber, sem ter experimentado, que algo era bom ou ruim?

      Conf: e agora, vc está liberto dos atrativos do mundo? E porq teria de sofrer (ou vc não sofreu?) por ter ficado inebriado com eles? Isso foi transgressão às leis divinas? Afinal, qual é a causa de nossos sofrimentos, meu jovem amigo? Vc ou alguém que vc conhece, sabe? Está na literatura espírita, ou em qualquer outra doutrina religiosa? Pois, meu amigo, não está nem mesmo nos ensinamentos de Jesus (do modo como as 3 doutrinas cristãs tentam nos ensinar!, nem nesses milhares de msgs, textos etc. que lemos todos os dias!)

      Vinucius: Como se auto-conhecer? Medite, leia, respire fundo, observe a si e ao seu redor. Nós todos esquecemos do poder da observação e o quanto o simples ato de observar constante e continuamente pode nos ensinar. Nem eu e nem ninguém poderá te ensinar o seu como, mas eu acredito e tenho fé que as respostas estão dentro de você. Você pode contra-argumentar que isso é uma resposta vazia e generalista, mas eu lhe garanto que funcionou comigo, e também com outros.

      Conf: primeiro, se as respostas estão dentro de cada um, porq nós somos  ainda o que somos? Segundo: se funcionou com vc, vc já se conhece em todos os seus aspectos de desejos ou aversões, de  acertos erros, do porq faz escolhas corretas ou incorretas? Se já, meu jovem, porq é que vc continua fazendo escolhas incorretas?

      Porq vc ainda tem pensamentos, sentimentos, desejos e decide e faz escolhas muitas vezes incorretas escolhas incorretas, ou já se tornou perfeito? Ou em tudo que vc faz, meu jovem, vc não mais erra!

      Veja, Vinicius, que, conforme a doutrina, todos somos perfeitamente iguais no momento de nossa criação, certo? Mas, sendo assim, lhe pergunto: o que é que de repente surge (e de onde surge, e porq surge?) em vc (em todos nós) isso que destrói aquela perfeita igualdade original e a transforma em gigantesca desigualdade, pois leva uns para o caminho do bem e da felicidade, e outros para o do mal e das mais extremas infelicidades?

      Vinicius: Uma pessoa inteligente aprende com seus erros, uma pessoa sábia aprende com os erros dos outros. Procure bons exemplos, o mundo está cheio deles, de pessoas que doam seu tempo para entregar comida à moradores de rua, professores que doam seu tempo em cursos comunitários, empresários que doam sua fortuna para caridade e pesquisa e desenvolvimento (são poucos, mas estão por aí!).

      Conf: se é tão fácil assim, se uma pessoa inteligente aprende com seus erros e os erros de outros, porq o mundo continua sendo esse abismos de ilusões, ignorâncias, perversidades, perversões, crimes os mais hediondos? Vc acredita que Deus, além de nos criar simples e ignorantes, tb nos criou destituídos de um pingo de inteligência, ou deficientes mentais, imbecis, loucos?!

      Onde, afinal, estão essas pessoas inteligentes que aprenderam  com os erros e, consequentemente, não mais os cometem?!

      Vinicius: Para finalizar, eu respeitosamente discordo da sua última afirmação (um pouco arrogante por sinal), que afirma que eu não sei como fazer para ser bom.

      Conf: me perdoe, meu jovem, se lhe pareceu que fui arrogante. Não foi meu desejo! O que eu quis dizer é que nem vc, nem qualquer outro que está na carne, sabe como fazer” para ser bom, e tb nem mesmo sabe porq se tornou mal!

      E, se o amigo diz que sabe “como fazer” para ser bom, por favor, nos ensine pois é, de saber isso, que o mundo mais necessita para que deixe de ser esse antro de seres monstruosamente imperfeitos e se torne melhor!

      Vinicius:... Sim, eu sei.

      Conf: pois, se vc sabe, porq não faz o que sabe para ser bom? O que que o impede de ser bom pois, se vc fosse bom, não estaria agora, como bilhões de irmãos nossos, cumprindo a sentença que Deus lhe deu, obrigando-o a que viva neste mundo de sofrimentos desesperadores??
........

      Um abraço, Vinicius! Mais tarde termino esta resposta!

........................
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: Antonildo Cordeiro em 06 de Novembro de 2015, 18:57
O mestre Jesus nos responde; Os grande males da Humanidade são o Egoísmo e o Orgulho. São desenvolvidos nas nossas primeiras encarnações pelo instinto de conservação resposta dada no LE.
O mestre Jesus nos responde novamente; "Fora da Caridade (Benevolência para com todos, Indulgencia para com as imperfeições dos outros e Perdão das ofensas) na há Salvação" ou seja só deixaremos de ser egoístas e orgulhosos se praticarmos o Bem e deixaremos de praticar o Mal, pois quando vc não faz o Bem automaticamente se faz o Mal.

O autoconhecimento nos traz conhecimento de nós mesmo, e de vermos em nós nossas imperfeições e assim compreendermos os erros e as imperfeições dos outros.
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: lconforjr em 07 de Novembro de 2015, 20:06
Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?

      Ref resp #6 em: 06 11 15, às 18:57, de Antonildocordeiro

      Conf: olá, novo companheiro de estudos, seja benvindo!

      A doutrina, sabiamente, recomenda que, se quisermos entende-la, devemos raciocinar.  Vamos raciocinar sobre sua resposta:

      Cordeiro escreveu: O mestre Jesus nos responde: Os grandes males da Humanidade são o Egoísmo e o Orgulho. São desenvolvidos nas nossas primeiras encarnações pelo instinto de conservação, resposta dada no LE.

      Conf: raciocinando: se essas imperfeições são desenvolvidas pelo natural instinto de conservação, porq temos de sofrer por possui-las?

      Cordeiro: O autoconhecimento nos traz conhecimento de nós mesmos, e de vermos em nós nossas imperfeições e assim compreendermos os erros e as imperfeições dos outros.

      Conf: é isso que vc vê no mundo: todos se autoconhecendo e se tornando melhores? E, se vc é mau, pelo autoconhecimento que já tem, vc já deixou de ser mau? Em tudo que vc faz, agora vc age sempre com profundo amor?

      E como é que vc aprendeu a ter amor em seu coração se, para ter amor, absolutamente ninguém ensina e ninguém aprende nem com conselhos, nem com ensinamentos, nem com exemplos, mesmo que sejam de Jesus!

      Cordeiro: O mestre Jesus nos responde novamente; "Fora da Caridade (Benevolência para com todos, Indulgencia para com as imperfeições dos outros e Perdão das ofensas) na há Salvação" ou seja, só deixaremos de ser egoístas e orgulhosos se praticarmos o Bem e deixaremos de praticar o Mal, pois quando vc não faz o Bem automaticamente se faz o Mal.

      Conf: pois é, meu amigo, e “como fazer” para ser verdadeiramente caridoso se isso exige que se tenha amor, mas,  ninguém ensina "como fazer" para ter amor?

      E, se somos egoístas, isto é, se somos causadores dos males do mundo, como praticaremos o bem para deixarmos de ser egoístas, se a prática do bem exige que se tenha amor? E se temos imperfeições (como vícios no álcool, jogo, pedofilia, estupros; de roubar, matar, mentir, ciúmes, inveja) como faremos para nos livrar delas? Dê-nos nem que seja apenas uma "dica"!!
 
      Cordeiro: O autoconhecimento nos traz conhecimento de nós mesmos, e de vermos em nós nossas imperfeições e assim compreendermos os erros e as imperfeições dos outros.

      Conf: meu jovem, para fins deste estudo, vamos concordar que isso seja uma verdade; mas, raciocinando: de que lhe adiantará saber que vc tem uma imperfeição se vc não sabe como fazer para se livrar dela?

      Se vc sabe que é egoísta, como fará para deixar de ser egoísta? Vc sabe como fazer isso? Tente nos explicar, pois essa explicação interessa a todos; é o que todos devemos saber para que nós mesmos e o mundo sejamos melhores, concorda?

      E, se somos maus, para sermos bons, como deixaremos de ser maus, já que nem mesmo conhecemos as causas que nos fazem ser maus e, não as conhecendo, não poderemos evitar de incidir e reincidir nelas?

      Um abraço!
................
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: wender100%espirita em 07 de Novembro de 2015, 21:04
 
CAPÍTULO XII
DA PERFEIÇÃO MORAL
 
Conhecimento de si mesmo
 
919. Qual o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta vida e de resistir à atração do mal?
 
“Um sábio da antigüidade vo-lo disse: Conhece-te a ti mesmo.”
 
a) - Conhecemos toda a sabedoria desta máxima, porém a dificuldade está precisamente em cada um conhecer-se a si mesmo. Qual o meio de consegui-lo?
 
“Fazei o que eu fazia, quando vivi na Terra: ao fim do dia, interrogava a minha consciência, passava revista ao que fizera e perguntava a mim mesmo se não faltara a algum dever, se ninguém tivera motivo para de mim se queixar. Foi assim que cheguei a me conhecer e a ver o que em mim precisava de reforma. Aquele que, todas as noites, evocasse todas as ações que praticara durante o dia e inquirisse de si mesmo o bem ou o mal que houvera feito, rogando a Deus e ao seu anjo de guarda que o esclarecessem, grande força adquiriria para se aperfeiçoar, porque, crede-me, Deus o assistiria. Dirigi, pois, a vós mesmos perguntas, interrogai-vos sobre o que tendes feito e com que objetivo procedestes em tal ou tal circunstância, sobre se fizestes alguma coisa que, feita por outrem, censuraríeis, sobre se obrastes alguma ação que não ousaríeis confessar. Perguntai ainda mais: “Se aprouvesse a Deus chamar-me neste momento, teria que temer o olhar de alguém, ao entrar de novo no mundo dos Espíritos, onde nada pode ser ocultado?”
“Examinai o que pudestes ter obrado contra Deus, depois contra o vosso próximo e, finalmente, contra vós mesmos. As respostas vos darão, ou o descanso para a vossa consciência, ou a indicação de um mal que precise ser curado.
“O conhecimento de si mesmo é, portanto, a chave do progresso individual. Mas, direis, como há de alguém julgar-se a si mesmo? Não está aí a ilusão do amor-próprio para atenuar as faltas e torná-las desculpáveis? O avarento se considera apenas econômico e previdente; o orgulhosos julga que em si só há dignidade. Isto é muito real, mas tendes um meio de verificação que não pode iludir-vos. Quando estiverdes indecisos sobre o valor de uma de vossas ações, inquiri como a qualificaríeis, se praticada por outra pessoa. Se a censurais noutrem, não na poderia ter por legítima quando fordes o seu autor, pois que Deus não usa de duas medidas na aplicação de Sua justiça. Procurai também saber o que dela pensam os vossos semelhantes e não desprezeis a opinião dos vossos inimigos, porquanto esses nenhum interesse têm em mascarar a verdade e Deus muitas vezes os coloca a vosso lado como um espelho, a fim de que sejais advertidos com mais franqueza do que o faria um amigo. Perscrute, conseguintemente, a sua consciência aquele que se sinta possuído do desejo sério de melhorar-se, a fim de extirpar de si os maus pendores, como do seu jardim arranca as ervas daninhas; dê balanço no seu dia moral para, a exemplo do comerciante, avaliar suas perdas e seus lucros e eu vos asseguro que a conta destes será mais avultada que a daquelas. Se puder dizer que foi bom o seu dia, poderá dormir em paz e aguardar sem receio o despertar na outra vida.
“Formulai, pois, de vós para convosco, questões nítidas e precisas e não temais multiplicá-las. Justo é que se gastem alguns minutos para conquistar uma felicidade eterna. Não trabalhais todos os dias com o fito de juntar haveres que vos garantam repouso na velhice? Não constitui esse repouso o objeto de todos os vossos desejos, o fim que vos faz suportar fadigas e privações temporárias? Pois bem! Que é esse descanso de alguns dias, turbado sempre pelas enfermidades do corpo, em comparação com o que espera o homem de bem? Não valerá este outro a pena de alguns esforços? Sei haver muitos que dizem ser positivo o presente e incerto o futuro. Ora, esta exatamente a idéia que estamos encarregados de eliminar do vosso íntimo, visto desejarmos fazer que compreendais esse futuro, de modo a não restar nenhuma dúvida em vossa alma. Por isso foi que primeiro chamamos a vossa atenção por meio de fenômenos capazes de ferir-vos os sentidos e que agora vos damos instruções, que cada um de vós se acha encarregado de espalhar. Com este objetivo é que ditamos O Livro dos Espíritos.”
SANTO AGOSTINHO.
 
A.K.: Muitas faltas que cometemos nos passam despercebidas. Se, efetivamente, seguindo o conselho de Santo Agostinho, interrogássemos mais amiúde a nossa consciência, veríamos quantas vezes falimos sem que o suspeitemos, unicamente por não perscrutarmos a natureza e o móvel dos nossos atos.
A forma interrogativa tem alguma coisa de mais preciso do que qualquer máxima, que muitas vezes deixamos de aplicar a nós mesmos. Aquela exige respostas categóricas, por um sim ou não, que não abrem lugar para qualquer alternativa e que são outros tantos argumentos pessoais. E, pela soma que derem as respostas, poderemos computar a soma de bem ou de mal que existe em nós.
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: lconforjr em 10 de Novembro de 2015, 02:44
Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?

      Ref resp #8 em: 07 11 15, às 21:04, de Wender.

      Conf: exato, amigo Wender, a DE ensina, por palavras de Sto Agostinho, que o autoconhecimento mostra nossos erros, afirmando que, pelo fato de os conhecermos, podemos trabalhar para eliminá-los!

      Mas como entender isso se tão somente nos mostra quais são nossos erros, mas nunca mostra quais são as causas que nos levam a cometê-los ou como fazer para eliminá-los?! 


      E, certamente, se não conhecemos as causas, como podemos nos desviar delas, como poderemos evita-las, ou como poderemos evitar de incidir e reincidir nelas, para nos tornarmos o “homem de bem” tão aconselhado por Jesus em seu evangelho?     

      Por ex: se vc, pelo autoconhecimento, fica sabendo que é egoísta, como poderá deixar ser egoísta se não sabe quais são as causas que o fizeram ter-se transformado em egoísta?! E mais: o que vc poderá fazer para deixar de ser egoísta?

      Sendo assim, de que nos adianta saber que somos egoístas, se não sabemos "como fazer" para deixar de sê-lo?! Nem mesmo sabemos porq uns são bons e outros são maus! E, mesmo que soubéssemos que somos maus, como fazer para deixar de ser maus!
Basta querer?! Sabemos que não!!
.............
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: san_123 em 12 de Junho de 2016, 17:49
de qualquer forma, há duas coisas que eu acredito que não pode faltar nesse tópico: 1-todo defeito moral que vemos nos outros, também é nosso defeito; 2-é necessário remover a "catarata" (forma de dizer) que o orgulho acaba colocando em nossos olhos.
Título: Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?
Enviado por: lconforjr em 12 de Junho de 2016, 20:45
Re: O autoconhecimento mostra as causas de nossos erros?

      Ref resp #10 em: 12 06 16,  às 17:49, de Zeus910

      Primeiramente, antes de comentar a resp do amigo Zeus, podemos ter certeza absoluta de que o autoconhecimento não tem a "mágica", a capacidade de mostrar a causa de nossos erros e, portanto, não nos ensina como evitar de cometer os mesmos erros no futuro. Qdo muito, o autoconhecimento apenas nos mostra, embora não mostre para todos, o que somos agora, no momento em que nos examinamos, e mesmo essa mostra sempre está sujeita a muitos erros nossos!
....

      Zeus disse: de qualquer forma, há duas coisas que eu acredito que não pode faltar nesse tópico: 1-todo defeito moral que vemos nos outros, também é nosso defeito; 2-é necessário remover a "catarata" (forma de dizer) que o orgulho acaba colocando em nossos olhos.

      Conf: o amigo tem certeza de que todos os defeitos que eu tenho, que Hitler, Calígula, Nero, teve, vc tb tem?! Que Francisco de Assis, Madre Teresa de Caucutá, Chico Xavier também têm os mesmos defeitos que nós temos?!!! Que vc tem os mesmos defeitos dos grandes criminosos, dos corruptos, dos estupradores, pedófilos, dos viciados, as mesmas imoralidades, os mesmos vícios?!! Então, meu jovem, ninguém progride moralmente , nem avança, nem se atrasa em relação aos outros, neste mundo?

      E, meu jovem, vc sabe como fazer para remover essa “catarata” que não nos deixa ver a verdade? De que adianta dizer que temos de removê-la se ninguém ensina ou não sabe como fazer isso?!

      E, qto ao orgulho que, segundo vc, é o causador dessa “catarata”, vc sabe como fazer para deixar de ser orgulhoso? Veja que nem mesmo sabemos porq nos tornamos orgulhosos, nem sabemos quais são as causas de uns serem bons, e outros serem maus! E éramos todos perfeitamente iguais no princípio, lembra-se? A própria doutrina não permite que saibamos quais são as causas, nem porq somos egoístas, orgulhosos, nada...

      Sendo assim, alguém me diga, como vamos poder entender a doutrina?!!
..............