Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Golbery Capistrano em 26 de Julho de 2012, 00:45

Título: Carl Rogers e o Espiritualismo
Enviado por: Golbery Capistrano em 26 de Julho de 2012, 00:45
"Helen era muito cética em relação a fenômenos psíquicos e à imortalidade. Mas fomos convidados a visitar uma médium honesta, que não cobraria pela consulta. Lá, Helen experimentou, e eu observei, um "contato" com sua irmã já falecida, envolvendo fatos de que a médium não poderia ter conhecimento. As mensagens eram extraordinariamente convincentes e vieram através das batidas de uma sólida mesa, que soletrava as palavras. Mais tarde, quando a médium veio à minha casa e minha própria mesa soletrou mensagens em nossa sala de estar, só me restava ceder diante de uma experiência incrível e certamente não-fraudulenta. (...)

Todas estas experiências que estou mais sugerindo do que propriamente descrevendo neste capítulo, tornaram-me muito mais aberto à hipótese da continuação do espírito humano, coisa que jamais acreditei ser possível. Estas experiências provocaram em mim um grande interesse por todo tipo de fenômenos paranormais. Modificaram completamente minha concepção do processo da morte. Agora considero possível que cada um de nós seja uma essência espiritual contínua, que se mantém através dos tempos e que ocasionalmente se encarna num corpo humano." 


Carl Rogers
Trecho do livro  "Way of Being".
Título: Re: Carl Rogers e o Espiritualismo
Enviado por: Golbery Capistrano em 26 de Julho de 2012, 13:11
Carl Roges foi um dos mais famosos psicólogos na história da psicologia. É o psicólogo humanista mais conhecido e é uma influência na psicologia clínica até hoje. Iniciou sua carreira no contato com crianças-problema (coisa que ele logo deixou de lado) e desenvolveu sua prática principalmente com o aconselhamento individual e na facilitação de grupos. Ao fim de sua vida, mais ou menos a época em que essa citação acima foi escrita, ele trabalhava com a mediação de conflitos entre grupos diferentes, chegando a viajar para outros países, como a África do Sul, para mediar grupos conflitantes desde que eles manifestassem algum interesse em entrar em acordo.

Por esta razão, acreditanto que esta postagem contribuiria muito mais para fomentar a discussão de toques entre psicologia e espiritismo, que inicialmente coloquei esta mensagem no tópico "Psicologia & Espiritismo". Uma pena ela ter sido deslocada para outra seção do fórum. Acredito, ainda, que é lá que esta mensagem deve ficar. Porque é lá que temos mais chances de encontrar as pessoas que podem fazer uso desta mensagem como semente de uma árvore maior.
Título: Re: Carl Rogers e o Espiritualismo
Enviado por: zarthur em 26 de Julho de 2012, 15:10
Caro Capistrano;
não somente neste fórum, mas o número de psicólogos e psiquiatras espíritas, espalhados por toda a web é imenso.
Em qualquer posição que seu tópico estivesse, um razoável número destes profissionais o acessariam.
Outros profissionais de grande projeção  têm suas obras publicadas sobre o tema espiritismo, e a repercussão é sempre moderada.
Um exemplo é o Dr. Brian Weiss, com seu best seller "Muitas Vidas, Muitos Mestres", que causou forte impacto, por um tempo, e agora  é pouco mencionado... é por aí.
Título: Re: Carl Rogers e o Espiritualismo
Enviado por: RMA_BH em 26 de Julho de 2012, 19:00
Golbery,
não conhecia esse trecho de Carl Rogers.
Para mim Carl sempre foi uma inspiração na psicologia,
e para cada paciente que atendo lembro de seus ensinamentos, mesmo seguindo uma outra linha que não a humanista.
Agora, conhecendo esse lado de Carl Rogers, terei outros olhos para a sua obra.
Obrigada por compartilhar.

Rita Maura
Título: Re: Carl Rogers e o Espiritualismo
Enviado por: Golbery Capistrano em 26 de Julho de 2012, 19:10
Rita,
A obra do Rogers tem suas fases. Na última ele já está muito mais aberto. Alguns dizem que ele já realiza um outro tipo de trabalho, diferenciado do que fazia antes e mais ligado às escolas da Psicologia Transpessoal.

De minha parte eu acho muito interessante que nós troquemos figurinhas. Acredito que só temos a crescer com isso. Apesar de ACP ser minha base, na medida em que vou estudando, outras angústias vão surgindo sem que eu perca a vontade de aprender mais e mais. Guardo no íntimo uma vontade de construir pontes que nos ajudem no caminho da alto.