Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Pluralidade Mundos Habitados => Tópico iniciado por: Taprobana em 30 de Novembro de 2008, 19:11

Título: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 30 de Novembro de 2008, 19:11
Olá amigos.

Todos sabemos que a totalidade do Universo que conhecemos é constituída de matéria “grosseira”, portanto perfeitamente tangível aos nossos sentidos.

- Fará sentido levantar a hipótese de alguns desses mundos serem habitados por espíritos encarnados em matéria não tangível, portanto menos “grosseira”, mais evoluída que a nossa e invisíveis aos nossos sentidos?

- Não fará sentido existirem universos que sustentam essa vida constituídos por essa mesma matéria?

::) ??? :D

Um abraço, amigos
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Carlos Ribeiro em 30 de Novembro de 2008, 19:16
Citar
Todos sabemos que a totalidade do Universo que conhecemos é constituída de matéria “grosseira”, portanto perfeitamente tangível aos nossos sentidos.
- Taprobana

Isso está errado do ponto de vista cientifico.
Se não me engano a matéria "grosseira" que conhecemos constitui apenas 5% da totalidade de tudo o que existe no Universo.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 30 de Novembro de 2008, 19:21
Olá Carlos!
Feliz por te ver!  :)

Desculpa não te ter entendido bem... É possível ser mais explícito?

Eu pretendo referir as estrelas, os planetas, os sistemas solares, as galáxias, os conjuntos de galáxias, etc…
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Loan Medeiros em 30 de Novembro de 2008, 19:36
A Matéria é, ao meu ver, uma necessidade para o Princípio Inteligente evoluir. Seu grau encontra-se no Universo em diversos grau de. Acho que o que chama matéria "grosseira" quer dizer a física. A mesma da qual é feito este computador pelo qual nos comunicamos e o corpo no qual estamos. Contudo, ainda o Perispírito e seus diversos graus de depuração, alguns (e eu sou um deles) podem levar em consideração os Diversos Corpos que o Espírito se manifesta.
Quanto a Planetas, eles evoluem de tal forma que há neles Espírito que lá vão para poderem evoluir, em um corpo que não podem ser vistos pelos nossos olhos grosseiros. Contudo, vale lembrar que os Planos sempres estão sempre interligados, não podem, ao meu ver chamados, de Universos Paralelos.
Mas, imagino eu, que se neste momento: Planetas estão nascendo, sóis, nebulosas, galáxias. Por que não conceber que um outro Universo com característica similares se formam neste momento?!

Abraços!!

Loan Medeiros
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 30 de Novembro de 2008, 20:10
Olá Loan!
Vou tentar ser mais claro a explicar a dúvida que surgiu ao meu espírito.

Uma coisa á a matéria que sentimos e vemos enquanto encarnados. Como tu dizes a matéria física, a matéria que a nossa ciência hoje estuda.

Outra coisa diferente é os “corpos de matéria mais subtil” em que encarnam os espíritos mais evoluídos, que apesar de matéria não é visível aos nossos sentidos.

Não fará sentido esses seres habitarem em universos que os nossos sentidos não percepcionam, constituídos da mesma matéria que os seus corpos são constituídos?
Exactamente da mesma forma que acontece connosco?
Abraço
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Carlos Ribeiro em 30 de Novembro de 2008, 20:29
Olá amigo Taprobana.
O que quis dizer tem a ver com as ultimas descobertas cientificas dos astronomos.
Aconselho por ex. este site (http://www.portaldoastronomo.org/tema.php?id=25 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wb3J0YWxkb2FzdHJvbm9tby5vcmcvdGVtYS5waHA/aWQ9MjU=)) onde se lê:
Enquanto a matéria está associada a uma força gravitacional atractiva que tende a tornar a expansão do Universo mais lenta, a energia escura é repulsiva e tende a acelerar a expansão. Combinados, esses resultados sugerem que cerca de 70% do Universo é constituído por energia escura e cerca de 30% por matéria, sendo que aproximadamente 25% é matéria escura e 5% matéria ordinária.  
Abraços.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 30 de Novembro de 2008, 20:39
Obrigado Carlos.
Vou visitar esse site. Se não tiver capacidade de entender, vou de novo socorrer da sua ajuda para saber o que é isso de energia escura e matéria escura que ainda não sei.  ???

Até mais amigo
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Carlos Ribeiro em 30 de Novembro de 2008, 20:47
O que isto parece indicar, é que o mundo espiritual pode perfeitamente pertencer ao nosso universo que é constituído pela matéria ordinária que conhecemos (os tais 5%) e por matéria e energia escura (95%) que não sabemos de que se trata ao certo. Sendo assim, não vejo necessidade de os espíritos habitarem outros universos paralelos com matéria mais sutil. Essa "matéria sutil" já existe no nosso universo e pelos vistos em grande quantidade.
Mas percebi a sua duvida até porque já pensei de forma semelhente.
Abraços.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 01 de Dezembro de 2008, 01:08
Na sequência da preciosa dica que o Carlos deu para o desenvolvimento deste tópico, introduzindo aqui também esta nova evidência que a ciência nos dá que é a existência de energia e matéria escura na constituição do Universo, penso então estarmos em condições de continuar a explorar as nossas linhas de raciocínio introduzindo esta nova e notável variável.

Assim o Universo é então formado por:

Matéria Bariônica - constituída por bariões, essencialmente protões e neutrões, a matéria que é constituído por exemplo o sol ou a terra, aquela que é tangível aos nossos sentidos, é a menos expressiva em termos percentuais na constituição do universo, divergindo ainda, segundo opiniões diversas, entre os 4% e os 16%.
Citar
Num recente trabalho publicado na edição de 12 de Fevereiro de 2003 da revista Nature, o astrónomo F. Nicastro (Centro Harvard-Smithsonian para a Astrofísica, EUA) e os seus colaboradores descrevem a descoberta de um grande reservatório de matéria bariónica no nosso Grupo Local de galáxias (o Grupo Local de galáxias é o enxame de galáxias a que a Via Láctea pertence). Estes bariões formam um nevoeiro quente que envolve a Via Láctea e os seus vizinhos e poderá conter até dois terços da matéria normal na vizinhança da Via Láctea.
http://www.portaldoastronomo.org/noticia.php?id=174# (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wb3J0YWxkb2FzdHJvbm9tby5vcmcvbm90aWNpYS5waHA/aWQ9MTc0Iw==)

Matéria Escura – admitindo 25%
Energia Escura – admitindo 70%

(Por motivos compreensíveis não coloco aqui os pressupostos que a ciência utiliza para chegar a estas conclusões mas estão facilmente disponíveis em muitíssimos locais da internet.)

Colocam-se então aqui dois pontos de vista possíveis:

Primeiro:

- É da matéria escura que provem a “matéria subtil” que nos falam os espíritos na obra de Kardec.

- É da energia escura que provem o fluido universal.
(Nota Importante: Interessante a convergência que existe entre os motivos que a ciência aponta para ter determinado a existência desta energia e a resposta que os espíritos dão à questão 27 do Livro dos Espíritos. Ambos apontam esta energia como o garante das qualidades que a gravidade dá à matéria.)
Citar
Se a gravidade estivesse a provocar a diminuição da taxa de expansão do universo, tal como se pensava, a distância entre a galáxia e a Terra seria menor e a galáxia devia parecer mais brilhante do que se a expansão estivesse a ocorrer a uma taxa constante. O que foi observado foi justamente o contrário: as supernovas distantes eram cerca de 20% menos brilhantes do que o que seria de esperar se a taxa de expansão fosse constante, indicando que desde há alguns milhares de milhões de anos a taxa de expansão do universo está a aumentar.
http://www.portaldoastronomo.org/tema_pag.php?id=25&pag=1 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wb3J0YWxkb2FzdHJvbm9tby5vcmcvdGVtYV9wYWcucGhwP2lkPTI1JmFtcDtwYWc9MQ==)

No entanto subsiste uma questão que ainda não encontro resposta:
- Mesmo planetas, asteróides, ou outros astros que não produzem a própria luz , mesmo se feitos de átomos comuns, também são matéria escura. Eles são considerados matéria escura bariônica. Nesse caso as estrelas terão de ser partilhadas por toda a matéria escura. Não são conhecidas estrelas que não sejam constituídas de matéria bariônica.

Segunda hipótese:

Esta constatação da ciência está na esfera do nosso próprio universo e estes componentes agora descobertos são somente o garante da sua harmonização, não havendo portanto nenhuma relação entre a matéria e energias escuras, com o que nos falam os espíritos nas obras de Kardec.
 
Alguém quer ajudar no evoluir destas questões?

E agora sim, voltamos ao ponto primeiro:

- Fará sentido levantar a hipótese de alguns desses mundos constituídos de matéria bariônica, serem habitados por espíritos encarnados em matéria não bariônica?

- Não fará sentido existirem universos que sustentam essa vida constituídos por matéria não bariônica?

Nota final:

Sendo o universo infinito, as relações percentuais aqui expressas fazem somente sentido em apoio à razão, porque 5% de infinito é obviamente infinito.

Um abraço amigos.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Gigii em 01 de Dezembro de 2008, 10:56
Talvez seja despropositado o que vou dizer...

Usando de um conceito expresso pelo jovem físico português, Dr. Nuno (esqueci o último nome) da Universidade Nova de Lisboa, ao qual já tive o prazer de ouvir palestrar, nós vivemos em permanente dualidade:

   Somos imortais – mas temos dificuldade em compreender o eterno

   Estamos em contacto com o Universo – mas não entendemos o infinito

   Somos Espirito imaterial – mas vivemos para a matéria

   Somos amor – mas vivemos para a guerra, para o ódio

Sendo assim, como abarcar a imensidão do desconhecido? Pois se Jesus nos veio dar as orientações básicas e ainda não consiguimos assimilá-las...

Será mais importante definir o que é o Universo para mim, ou o que Eu sou para o Universo?

É o que eu sinto...
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: carloss em 01 de Dezembro de 2008, 11:49
Olá amigos.
Em primeiro lugar gostaria de parabenizalos pelo elevado nivel do raciocinio envolvido neste debate.
Confesso eu, não ter um bom dominio deste tema portanto, curioso nato que sou gostaria tambem de explanar sobre esse assunto.
Nõ tenho dúvidas da existencia de outras dimensões, e que as mesmas já são habitadas por inteligencias individuais ainda que totalmente invisiveis aos nosso olhos e sentidos, e que tambem poderemos sim um dia, alcançarmos as condições necessárias para compartilhar e existir em tais dimenções.
Vejamos o desenvolvimento da ciencia e da tecnologia atual. A pouco tive o conhecimento de que já se fáz possivel, ainda em fase esperimental, por em funcionamento máquinas e aparelhos eletronicos utilizando-se apenas da força do nosso penssamento.
Entende-se dessa forma, que em breve os meios físicos se farão desnecessários, podendo então prevalecer apenas o meio racional, bem como as inteligencias energízadas postas em corpos fluidicos ou seja, os espiritos em alto grau evolutivo, assim como defende a doutrina espirita.
Não sei se fugi do tema em dabate, caso sim pesso desculpas.
Forte abraço atodos
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Vitor Santos em 01 de Dezembro de 2008, 14:13
Olá

Que eu saiba, não há quaisquer limites determinados pela ciência que impliquem que só existe um universo. Podem existir imensos universos. Porque não?

Já quanto ao que é dito na codificação em relação à existência de diversos mundos (as várias moradas na casa do nosso pai), eu interpreto as várias moradas referidas como pertencentes a este universo. A matéria subtil (o fluido cósmico universal, conforme definição dada pelos espiritos a Kardec), não parece ser uma matéria de outros universos paralelos ou intersectantes, mas uma matéria que os nossos sentidos e aparelhos actuais não alcançam. A intangibilidade dessa matéria é derivada da nossa falta de capacidade de percepcionar. Para outros seres mais evoluidos essa matéria é tangivel ( e até para os seres humanos, em certas condições - médiuns videntes, por exemplo).

bem hajam
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Carlos Ribeiro em 01 de Dezembro de 2008, 14:32
Citar
Que eu saiba, não há quaisquer limites determinados pela ciência que impliquem que só existe um universo. Podem existir imensos universos. Porque não?
Vitor Santos
Concerteza que não, Vitor.Podem de facto existir até um numero ilimitado de universos. Claro que isso está para além da nossa compreensão e até da nossa imaginação.
O que eu quis dizer em resposta ao Taprobana, foi que o mundo espiritual pode perfeitamente fazer parte deste universo onde vivemos. Os espíritos não vivem somente em outros universos. Vivem neste e se existirem mais, possivelmente viverão também em outros.
Espero ter-me feito entender.
Um abraço.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 03 de Dezembro de 2008, 02:29
Olá amigos!

Continuando um pouco mais nesta linha de reflexão:

Ter a certeza comprovada da existência de matéria não sensível aos nossos sentidos é por si só um avanço notável e creio, que este facto deve ser reflectido por nós à luz dos ensinamentos que nos foram transmitidos.

Na resposta à pergunta 22 do Livro dos Espíritos, é afirmada a existência de matéria em estados ignorados por nós. Como exemplo, é afirmada a sua existência etérea e subtil que não causa impressão aos sentidos, sendo então completamente certo, que a não ser da matéria escura que os espíritos falam, trata-se indubitavelmente de matéria em estado diverso da matéria vulgar.

No desenvolvimento, na alínea a) desta mesma questão, a matéria é definida como sendo o laço que prende o espírito, o instrumento de que este se serve e sobre o qual ao mesmo tempo exerce a sua acção.

Conhecendo o tipo de relação que existe entre a matéria bariônica e o nosso espírito enquanto encarnado, sabendo também pelos ensinamentos da doutrina espírita que os espíritos livres têm também um “corpo etéreo” designado por perespirito, constituído obrigatoriamente por matéria não bariônica, sabendo que muitos desses mesmos espíritos estão entre nós, com “corpos” constituídos por essa matéria, parece ser inevitável admitir que a hipótese que o Carlos Ribeiro levanta está correcta.

Pela leitura da resposta 27 do Livro dos Espíritos, tornam-se claro que Deus, espírito e matéria, constituem o princípio de tudo o que existe no universo. No entanto, o fluido universal, junta-se ao elemento material desempenhando o papel de intermediário entre o espírito e a matéria tornando possível a acção que o espírito exerce sobre esta. Este fluido, apesar de poder ser considerado matéria, distingue-se pelas suas propriedades especiais, estando colocado num plano intermédio possibilita, através de incontáveis combinações com a própria matéria e sujeito à acção do espírito, a produção de uma infinita variedade de coisas de que somente uma ínfima parte nós conhecemos.
O fluido universal, sendo o meio que o espírito utiliza é também o responsável, o garante da estabilidade da matéria e das características que a gravidade lhe dá, sem o qual estaria em perpetuo estado de divisão.

Actualmente, fruto das várias observações levadas a cabo, os astrónomos tiveram a necessidade de admitir a existência de uma energia escura para justificar o comportamento dos corpos celestes. Esta a energia é também o garante da estabilidade da matéria e das características que a gravidade lhe dá. Poderá ser esta energia o fluido universal, primitivo ou elementar?

Ensinam-nos os espíritos na questão 29 do Livro dos Espíritos, que a ponderabilidade é uma característica da matéria, sendo que o fluido universal pelas suas características elementares é excepção. Uma boa justificação para este poder ser “confundido” com energia… Já no que se refere à matéria escura, apesar de não ser conhecida a sua constituição e a esta não serem sensíveis os nossos sentidos, a ciência deverá atribui-lhe ponderabilidade, sendo por isso mesmo considerada matéria.

Diz-nos a actualmente a ciência que a curvatura do espaço é aproximadamente zero, o que significa que o universo é plano. Mas no entanto a quantidade total de matéria é bastante menor do que aquela que seria necessária para explicar um universo plano. Acontece que a quantidade de energia escura necessária para explicar a expansão acelerada do universo é a mesma que é necessária para explicar a sua planaridade. Bem nos ensinaram os espíritos, quando nas questões 35 e 36 nos garantem que o universo é infinito e que o vácuo não existe. Todo o universo está ocupado de matéria.

Diz-nos Allan Kardec:
O Universo abrange a infinidade dos mundos que vemos e dos que não vemos, todos
os seres animados e inanimados, todos os astros que se movem no espaço, assim como os fluidos que o enchem.
Perante esta definição a resposta à pergunta Universos Paralelos? É um objectivo não que vai de encontro à opinião do Vítor Santos no que se refere à pluralidade dos mundos habitados. No entanto mais para a frente nesta reflexão poderemos através das palavras entender esta questão por um prisma diferente.

Amigos. Não quero de momento introduzir novas linhas de pensamento a esta reflexão, para que este texto não se torne demasiado denso de conteúdos, levando à monopolização por minha parte do diálogo, transformando-o num monólogo. O que aqui escrevo não é a minha opinião formada… é tão-somente uma reflexão que gostaria de partilhar convosco.

Um abraço
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: hcancela em 03 de Dezembro de 2008, 10:14
Olá amigos.

Todos sabemos que a totalidade do Universo que conhecemos é constituída de matéria “grosseira”, portanto perfeitamente tangível aos nossos sentidos.

- Fará sentido levantar a hipótese de alguns desses mundos serem habitados por espíritos encarnados em matéria não tangível, portanto menos “grosseira”, mais evoluída que a nossa e invisíveis aos nossos sentidos?

- Não fará sentido existirem universos que sustentam essa vida constituídos por essa mesma matéria?

::) ??? :D

Um abraço, amigos

Na casa de meu PAI há muitas moradas.
Creio que com isto,JESUS já nos disse tudo.Nós como ainda somos muito inferiores,lógicamente que os sentidos deslumbram somente a matéria densa.Creio pelo meu entendimento,através dos livros que os nossos amigos espirituais,(fazem o favor de escrever através dos mediuns),que mesmo no nosso sistema solar aqui bem perto,existe vida com vibrações mais alta do que a nossa;nós é que não os conseguimos dislumbrar pela nossa baixa sintonia vibratória,por isso,é que ainda somos um mundo de provas e expiações(baixa escala,nos mundos evolutivos):mas não fiquem tristes,um dia lá chegaremos;Disse JESUS em relação aos (milagres)que fazia!Podeis fazer estas coisas ,e muito mais,Eu me vou,mas irei praparar-vos o terreno,para que fiqueis comigo até ao (fim) dos tempos...Graças a DEUS.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 03 de Dezembro de 2008, 14:41
Olá amigos!

Continuado...  :D

Haverá algum ponto de contacto entre a matéria densa e a subtil?
Os Livro dos Espíritos dão uma pista nas respostas às questões 38 e 39. Os mundos formam-se pela condensação da matéria disseminada pelo espaço, sendo os cometas apontados como o inicio desse processo. Os cometas são essencialmente constituídos por água em forma sólida ou gasosa consoante a sua posição em relação ao sol. Alguns deles adoptam uma orbita parabólica ou hiperbólica, retornando ao espaço inter-estrelar, enquanto outros adoptam uma órbita elíptica mantendo-se por longos períodos de tempos no sistema solar. Não são conhecidos a sua origem nem tão pouco o seu destino…

Na resposta à questão 55 do Livro dos Espíritos, fica claro que todos os globos são habitados. Assim sendo, tal como acontece aqui na Terra, a matéria bariônica “convive” com a não bariônica em todos os outros planetas.

Sabemos e conhecemos bem o processo evolutivo do espírito desde que é criado por Deus, simples e ignorante, até à perfeição. Sabemos e conhecemos bem a vida dos espíritos desencarnados através da sua comunicabilidade e não nos restam dúvidas acerca da composição etérea do seu corpo espiritual, da sua imortalidade, da reencarnação e da pluralidade de mundos habitados.

Tal como refere o amigo Cancela, sabemos também que existem muitas moradas onde habitam os espíritos consoante o seu grau de evolução. (Este link que aqui coloco aborda esta questão)http://www.forumespirita.net/fe/index.php/topic,10382.0.html (http://www.forumespirita.net/fe/index.php/topic,10382.0.html)

Penso ter chegado ao ponto que é objecto da minha perplexidade:

Sabemos também através da doutrina, que existem vários globos de diferente composição que albergam espíritos que ai encarnam para o bem da sua evolução.
A Terra é um exemplo entre outros, uns ainda mais grosseiros e outros bem mais evoluídos, parecendo haver aqui um número indeterminado de mundos que recebem os espíritos no seu percurso evolutivo.

No entanto onde ficam esses mundos?

Sabemos pela ciência, que nenhum dos planetas que conhecemos alberga vida pelo menos inteligente, compativel com a nossa.

O mais obvio, para ir ao encontro do ensinamentos dos espíritos que afirmam que todos os globos são habitados, seria afirmar a existência de vida inteligente encarnada em matéria não bariônica, portanto invisível aos nossos olhos.

Parece correcto que a ideia da encarnação é permitir ao espírito agir sobre a matéria.

Entretanto, mesmo que essa acção ocorra porque estes interagem com matéria que ela própria não é tangível aos nossos sentidos, então porque motivo o planeta que suportaria esse tipo de vida é constituído de matéria bariônica, densa, vulgar? Este facto choca com a minha razão…

Já o mesmo não acontece se por exemplo, os planetas nossos vizinhos servissem de morada por exemplo a colónias de espíritos livres.

Foi por este motivo que decidi abrir este tópico. No decurso da leitura dos post editados pelos nossos amigos, recordo um do amigo Vangelis, ou melhor vi agora mesmo que é Jorge (risada), que é da opinião que as civilizações extraterrestres (bariônicas), estariam a uma distância no universo suficiente para evitar o contacto entre elas.

Citar
Bem, eu acho que o contacto entre os mundos (a nível material) é muito improvável devido às distâncias colossais entre os mesmos. Mesmo viajando à velocidade da luz é pouquissimo provável que cheguemos ao destino, mesmo tendo em conta que o tempo é tão mais lento quão maior for a velocidade (Einstein).

E isso tem uma razão de ser: Para não haver interferências na evolução de cada mundo. Cada humanidade deverá evoluir por si mesma.

Isto é a minha opinião.

No plano espiritual as coisas processam-se de uma maneira totalmente diferente porquanto já se poderá viajar à velocidade do pensamento (os que podem, claro!)

Sinto-me inclinado a concordar por completo. Até porque, consequência destas reflexões, essas civilizações deverão estar num nível evolutivo idêntico ao nosso porque aparentemente vibram na mesma dimensão. A avaliar pelo conhecimento que temos de nós próprios isto não daria bons resultados.

Como vimos acima, o fluido universal tem propriedades que lhe permitem ser a origem de coisas infinitas… até que ponto pode estar aqui a chave para esta questão?

Até já amigos
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Atma em 03 de Dezembro de 2008, 16:18
OI Taprobana.

Somos todos luzes, em qualquer parte do universo.
Irradiações que se vão quintenssenciando à medida que progredimos.
Logo em toda parte há energia e vida.


 O fluido cósmico universal é, como já foi demonstrado, a matéria elementar primitiva, cujas modificações e transformações constituem a inumerável variedade dos corpos da Natureza.   

        Como princípio elementar do Universo, ele assume dois estados distintos:
o de eterização ou imponderabilidade, que se pode considerar o primitivo estado normal
e o de materialização ou de ponderabilidade, que é, de certa maneira, consecutivo àquele (mundo visível). (Ver: Partícula de Higgs)

        O ponto intermédio é o da transformação do fluido em matéria tangível. Mas, ainda aí, não há transição brusca, porquanto podem considerar-se os nossos fluidos imponderáveis como termo médio entre os dois estados.
A Gênese - capítulo XIV  página 273 item 2
 
         No estado de eterização, o fluido cósmico não é uniforme; sem deixar de ser etéreo, sofre modificações tão variadas em gênero e mais numerosas talvez do que no estado de matéria tangível. Essas modificações constituem fluidos distintos que, embora procedentes do mesmo princípio, são dotados de propriedades especiais e dão lugar aos fenômenos peculiares ao mundo invisível.
A Gênese - capítulo XIV  página 274 item 3

        A matéria etérea e sutil que constitui esse fluido vos é imponderável. Nem por isso, entretanto, deixa de ser o princípio da vossa matéria pesada.   
O livro dos espíritos - página 61 questão 29]

        A matéria cósmica primitiva continha os elementos ...
materiais,  fluídicos  e vitais de todos os universos que estadeiam suas magnificências diante da eternidade. 

        Ela é a mãe fecunda de todas as coisas, a primeira avó e, sobretudo, a eterna geratriz.
Absolutamente não desapareceu essa substância donde provêm as esferas siderais;  (Matéria escura) não morreu essa potência, pois que ainda, incessantemente, dá à luz novas criações e incessantemente recebe, reconstituídos, os princípios dos mundos que se apagam do livro eterno.

        A substância etérea:
mais ou menos rarefeita, que se difunde pelos espaços interplanetários; 
esse fluido cósmico que enche o mundo, mais ou menos rarefeito, nas regiões imensas, opulentas de aglomerações de estrelas;
mais ou menos condensado onde o céu astral ainda não brilha; 
mais ou menos modificado por diversas combinações, de acordo com as localidades da extensão, nada mais é do que a substância primitiva onde residem as forças universais, donde a Natureza há tirado todas as coisas.
A Gênese - capítulo VI  página 116 item 17  - Allan Kardec  - 1868
 
        O fluido cósmico é o plasma divino, hausto do Criador ou força nervosa do Todo-Sábio. Nesse elemento primordial  constelações e sóis, mundos e seres, como peixes no oceano. (Ver: Matéria escura)
Evolução em dois mundos -André Luiz  (Uberaba,15 de Janeiro de 1958)

       Compete-nos, pois, anotar que o fluido cósmico ou plasma divino é a força em que todos vivemos, nos ângulos variados da natureza, motivo pelo qual já se afirmou, e com toda a razão, que "em Deus nos movemos e existimos" (*)
Evolução em dois mundos-André Luiz  (Uberaba,15 de Janeiro de 1958)
(*) - Paulo de Tarso, em Atos, 17:28.

       O fluido universal, onde se contém o principio da vida, é o agente principal das manifestações, agente que recebe impulsão do Espírito, seja encarnado, seja errante.

        Condensado, esse fluido constitui o perispírito, ou invólucro semimaterial do Espírito.  (Ver: Natureza do perispírito)
O livro dos Médiuns - página 100 item 75

        As respostas seguintes nos foram dadas pelo Espírito São Luís. Muitos outros, depois, as confirmaram.
I. Será o fluido universal uma emanação da divindade?
"Não."
II. Será uma criação da divindade?
"Tudo é criado, exceto Deus."
III. O fluido universal será ao mesmo tempo o elemento universal?
"Sim, é o princípio elementar de todas as coisas."
IV. Alguma relação tem ele com o fluido elétrico, cujos efeitos conhecemos?
"É o seu elemento." (Energia escura)
V. Em que estado o fluido universal se nos apresenta, na sua maior simplicidade?
 "Para o encontrarmos na sua simplicidade absoluta, precisamos ascender aos Espíritos puros. No vosso mundo, ele sempre se acha mais ou menos modificado, para formar a matéria compacta que vos cerca.  Entretanto, podeis dizer que o estado em que se encontra mais próximo daquela simplicidade é o do fluido a que chamais fluido magnético animal."
(Ver: Matéria PSI)
VI. Já disseram que o fluido universal é a fonte da vida. Será ao mesmo tempo a fonte da inteligência?
"Não, esse fluido apenas anima a matéria."
VII. Pois que é desse fluido que se compõe o perispírito, parece que, neste, ele se acha num estado de condensação, que o aproxima, até certo ponto, da matéria propriamente dita?
"Até certo ponto, como dizes, porquanto não tem todas as propriedades da matéria. É mais ou menos condensado, conforme os mundos." (Ver: Matéria escura)
O livro dos Médiuns - página 92
 
      Recentemente, foi descoberta pelo Dr. Paul Nogier do Gemer Institute da França (SOUZA, 1999) uma energia denominada Reticular, a qual, projeta-se em linha reta através dos pólos norte ou sul de um imã após passar através de filtros especiais. Tem ação sobre o metabolismo celular, ...
tanto ao nível das trocas celulares 
como no nível das funções nucleares. 

        É mais um passo no entendimento das possibilidades de expressão energética do fluido cósmico (KARDEC, 1986) ou energia cósmica (IMBASSAHY, 2002).
GEOMAT - DCTM - Escola Politécnica - UFBA
ANDADSYSTEM - Eng. Consultor

          Fluido universal:

1. Plasma divino, hausto do Criador, elemento primordial em que vibram e vivem constelações e sóis, mundos e seres. 

2. É o princípio material do universo, do qual se derivam todas as coisas materiais mediante alterações e combinações ainda insondáveis. 

3. As matérias derivadas do fluido universal apresentam-se nos estados sólido, líquido, gasoso e no estado fluídico propriamente dito, também chamado de fluido espiritual, tanto que, enquanto os três primeiros podem ser manipulados pela mão do homem, o último é sensível ao poder do pensamento e da vontade dos Espíritos.

        Essa energia fundamental, provavelmente a tida hoje em Física, como a energia amorfa fundamental. Tem sido cada vez mais entendida como o veículo do pensamento divino, no fantástico processo de criação e sustentação da vida.  Em tempos, aliás, da chamada Teoria da Grande Unificação, em que se busca reunir os quatro tipos de forças fundamentais conhecidas (eletromagnética, gravitacional, interação fraca e interação forte) em uma única grande força, a idéia de um “fluido cósmico”, apontada pelos instrutores de Kardec, surge cada vez mais compreensível.

PERISPÍRITO – 2a  Edição Revista e Ampliada – Zalmino Zimmermann
O LIVRO DOS ESPÍRITOS E A FÍSICA MODERNA – OS ESPÍRITOS ANTECIPAM A VERDADE Sérgio V.Thiesen

        Em 1975  Murray Gell Mann, à frente do acelerador de partículas da Stanford University estabeleceu o novo princípio revolucionário de que as partículas atômicas, por si só, jamais poderiam ser formadas se, sobre a energia cósmica universal não atuassem agentes estranhos ao domínio material e com poderes para estruturá-las.   

        O físico alemão Werner Karl Heisenberg, ao formular em 1927 o Princípio da Incerteza,  observou que, partículas lançadas sobre um mesmo alvo em idênticas condições, nem sempre obedeciam a mesma trajetória, sofrendo um desvio anômalo sem que se pudesse saber o motivo pelo qual assim agiam. Ele chegou a dizer que pareciam ovelhas desgarradas com vontade própria. Foi dessa maneira que se estabeleceu o primeiro princípio admitindo que, sobre a energia cósmica universal atuariam agentes externos capazes de modulá-la e dar-lhes forma dita material. Ou melhor, dotar-lhe da tal "vontade própria".
Ver: Mônada (em: evolução e corpo espiritual) 

        A tese, posteriormente, foi reforçada pelas pesquisas do Observatório Heck II do Haway ao verificar, ao final do século XX, que a estrela Alfa Centauro estaria formando um sistema planetário sugerindo que, em seu entorno, haveria uma ação conjunta de agentes externos ao Universo com poderes capazes de agregar a poeira cósmica, dando início ao sistema planetário em causa.   

        A Ciência está um passo de admitir que exista um outro domínio externo ao Universo, que, para os reencarnacionistas, seria o mundo espiritual.

Carlos de Brito Imbassahy
         Eu já tenho explicado, que o FCU (Fluido Cósmico Universal) foi imaginado por Sir Isaac Newton para justificar, na sua teoria das emissões luminosas, a propagação óptica pelo espaço sideral.

        Em 1905, Einstein provou que não podia existir nenhum fluido dentro das condições estabelecidas por Newton e o astrônomo norte americano Edwin Powell Rubble, estudando a expansão do Universo, concluiu que, de fato, não poderia existir nenhum fluido (FCU) enchendo o éter, como propusera Newton. Rubble faleceu em 1953 e deixou um vasto estudo comprovado pelo satélite-telescópio que leva seu nome. Neste estudo ele evidencia que a curvatura universal se deve à expansão cósmica devida a esta energia fundamental da qual tudo se forma.

        Einstein já houvera, com sua famosa equação, provado que a matéria nada mais era senão energia condensada.

        Fluido é apenas a fase da matéria não sólida, compreendendo os líquidos e os gases. Como não existe nenhum dos dois fora das atmosferas dos astros, não se pode dizer que o espaço sideral seja fluídico.         

        Em se falando da, lei de fluidos, cada orbe a possui de conformidade com a sua organização planetária.

        Com relação ao plano terrestre, somente Jesus e os seus mensageiros mais elevados conhecem os seus processos, com a devida plenitude, constituindo essa lei um campo divino de estudos, não só para a mentalidade humana, como também para os seres desencarnados que já se redimiram dos labores mais grosseiros junto dos círculos da carne, a fim de evolutirem nas esferas mais próximas do cenário terrestre.
Consolador-Emmanuel

        Assim como o fluido mentomagnético envolve e penetra o organismo fisiopsicossomático do ser humano, que modela e comanda em suas mais íntimas estruturas, o Universo inteiro vive mergulhado e penetrado pelo fluido cósmico e vivificador que dimana da Mente Paternal de Deus. (segundo o Espírito São Luiz - Livro dos Médiuns item 74 - não se trata de uma emanação da Divindade, é uma criação da Divindade, isto é, produto da Vontade de Deus: "que dimana da Mente Paternal de Deus" 

        Como já foi dito, é no Eterno Pai que somos e vivemos. Ele é nossa vida e nossa luz, nossa essência e nossa destinação. DEle recebemos o dom do raciocínio e do movimento, da consciência e da vontade. Ele é a alma de nossa alma, a substância de nosso ser. Existimos e evoluímos para conhecê-Lo, amá-Lo e nEle nos realizarmos na plenitude do Espírito, que é felicidade e harmonia, amor e poder. Viajamos para Ele desde tempos imemoráveis,...
do cristal ao vírus,
dá alga ao cefalópode,
da esponja à medusa,
do verme ao batráquio,
do lacertino ao mamífero,
do pitecantropo ao homem.

        Através das eras incontáveis e das inúmeras transformações evolutivas que experimentamos, Seu Divino Amor nos guia e sus­tenta, no carinho e na lucidez da Sua Justiça Misericordiosa e da Sua ilimitada Bondade.

        Infinito em Sua Solicitude, Ele não cessa de se mostrar a nós, Seus filhos, todos os dias, a todas as horas e em todas as situações, no sol da manhã e nas estrelas da noite, na imponência dos desertos e na placidez dos oásis, na doçura das fontes e na grandeza dos mares, no milagre dos nascimentos e no mistério das mortes.

        É no celeiro inesgotável do Seu Hausto Divino que os Arcanjos retiram o plasma vivificante com que constroem as galáxias e formam as constelações, distendendo e multiplicando, pelos domínios do sem-fim, a esplêndida sinfonia da vida.

        Esse Supremo Ser, Todo-Poderoso na Sua Eternidade e na Sua Glória Infinita, vive em nós, e nós vivemos nEle! Seu Hálito nos envolve e nos penetra sem cessar. Somos Seus filhos, aprendizes da ciência e da arte de buscá-Lo, de descobri-Lo e de revelá-Lo em nós mesmos, pelo nosso esforço de comunhão com Sua Divina Santidade, através do trabalho e do amor, na subida evolutiva que não pára.

        Quanto mais aprendemos e crescemos, mais pequeninos nos sentimos na escala infinita dos seres, em face das excelsas grandezas que continuamente deparamos. Quando, porém, nos voltamos para o Senhor de Tudo e de Todos, e sentimos vibrar dentro de nós o Espírito Divino de nosso Criador e Pai, reintegramo-nos na graça e na esperança, na alegria e na felicidade de existir, cônscios de que, através do tempo-espaço de nossas limitações e de nossas dores, chegaremos um dia à intemporalidade ilimitada da perfeição, no Seio Paterno do Onipotente Amor de que provimos.

        O fluido cósmico que liga a Criação ao Criador é fonte inexaurível, sempre ao alcance de todas as criaturas. É nele que a nossa mente espiritual busca e encontra a quintessência energética de que se sustenta, e é a partir dele que elabora a matéria mental que expede através do pensamento, sob a forma de fluido mentomagnético.

        Somos, por isso, de Deus, como tudo é de Deus, porque nós, como tudo, dEle provimos e dEle nos sustentamos. Ao malbaratarmos os bens da vida, depredamos o que é do Pai Celeste, que, todavia, nos tolera e nos ensina pacientemente a usar a herança que Ele nos destinou ao nos criar, até que aprendamos, com os recursos do tempo e da experiência, a assumir e a exercer definitivamente o Principado Espiritual, no seu Reino Divino.
Universo e Vida - FEB

        Se o espaço for preenchido com um tipo de “supercondutor” que afete mais a interação fraca que o eletromagnetismo, ele atribuirá massa para os bósons W e Z e limitará o alcance das interações fracas. Esse supercondutor é formado por partículas chamadas bósons de Higgs. Os quarks e léptons também adquirem massa por meio de suas interações com bósons de Higgs. Ao adquirirem massa dessa forma, em vez de obtê-la intrinsecamente, essas partículas permanecem fiéis às exigências da simetria da força fraca.
Revista SCIENTIFIC  AMERICAN - Brasil - ANO 6 - N° 70 - Março de 2008 - página 59

Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 03 de Dezembro de 2008, 18:55
Olá Jorge!

Isto deixou-me intrigado!!!  ???
Fui à net ver o que era o  N.E.C. pois não conheço!  :D

Fico feliz por te ter como amigo!

Olá Atma!

Muito bem... optima matéria! Lá vou eu de novo estudar!  :D
Obrigado, amiga!

Um abraço
 


Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Gigii em 03 de Dezembro de 2008, 20:00
Fui à net ver o que era o  N.E.C. pois não conheço!  :D


N.E.C....o Jorge refere-se ao Núcleo Espírita Cristão, um centro espírita, na Rua de Santa Catarina, no Porto.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Atma em 03 de Dezembro de 2008, 22:33
Oi Jorge, muito prazer e obrigada.

Como é bom estudar, não é mesmo amigo!
Gostei do visual!

Abraços fraternais.

Paz, saúde e alegria!

Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Atma em 03 de Dezembro de 2008, 22:47
OI Taprobana.

Obrigada, amigo.
Estude mesmo, estamos na época de novos conceitos da realidade.
Os claríns da eternidade soaram, fazendo nos entender a necessidade de renovação, e de conhecimentos.

Bons estudos!

Paz, saúde e alegria!
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 05 de Dezembro de 2008, 13:52
Olá amigos!

Avançando um pouco mais nesta linha de reflexão.

Observando a vida na Terra, sabemos que aqui convivem espíritos encarnados e desencarnados situados num mesmo patamar evolutivo característico do nosso estado.

Penso fazer sentido dizer que todos nós que aqui moramos, quer em estado encarnado ou em estado livre, comungamos de “problemas” idênticos razão pelo qual, acredito não haver diferenças significativas entre os que de nós são considerados “maus” e os que são tidos como “santos”, uma vez que essa diferença é na mais das vezes ditada pela lei dos homens, pelos valores que regem esta ou aquela organização social.

Com isto quero dizer, que provavelmente tanto necessita evoluir aquele que a vida levou à clausura, como aquele que pratica a caridade em centros sociais, e mais do que isso, ambos os dois convivendo no mesmo nível vibratório, estão obviamente no mesmo nível evolutivo.

A diferença poderá estar no maior ou menor aproveitamento que cada um tem pela vivencia da presente encarnação, que assim mesmo, a razão nos diz, que perante a eternidade, cada uma das nossas vidas por si só, não é de todo suficiente para que a elevação espiritual se desencadeie de forma expressiva.

Acredito que este processo é muito mais moroso, levado a cabo num conjunto de múltiplas existências e que a maior parte de nós acompanha naturalmente esse percurso.

Penso ser correcto dizer, que excepção feita aos espíritos superiores que connosco contactam, ou aqueles que por aqui encarnam em missão, todos os espíritos que vivem nesta esfera fazem parte da mesma “geração” espiritual.

Sabemos também, que consoante o espírito se vai depurando, vai tendo oportunidade de conhecer novas moradas, não perdendo a oportunidade se assim for necessário ou lhe aprouver visitar as moradas que já conheceu. Isto enquanto espírito livre, porque quando encarnado, pela influencia da matéria, disto fica normalmente inibido.

Abstendo-me de entrar em outras considerações não oportunas para o desenvolver deste tópico, mas que, se assim for possível, tenciono em conjunto com os nossos amigos meditar acerca delas, a vida espiritual é descrita por Allan Kardec no livro “O céu e o inferno” de forma precisa. Consoante o seu estado de “saúde”, os espíritos vivenciam experiencias distintas aguardando nova encarnação.

Penso fazer sentido, até porque isso já foi dito, que quando desencarna, um espírito que pertence a uma determinada morada, continuará normalmente inibido de percepcionar mundos mais evoluídos. Na melhor das hipóteses poderá visitar moradas menos evoluídas se assim o entender, pensando eu, que no nosso caso, não deverá ser nada de aprazível.  :D

Vários outros autores, entre eles Francisco Xavier, descrevem facetas de um mundo espiritual muitas vezes idêntico ao nosso enquanto encarnados.

Tudo aponta portanto, para que, todo o nosso universo de vida, esteja neste momento confinado a esta esfera que é a nossa dimensão vibratória.

No entanto, pelos estudos levados a cabo pela ciência e que parecem ir de encontro aos ensinamentos dos espíritos, talvez possa fazer sentido que todo o universo sensível aos nossos sentidos faz parte do nosso nível vibratório, sendo portanto todo ele a nossa actual morada. Se assim não fosse, não nos seria possível através dos sentidos observar os corpos celestes.

Todo o universo visível é a nossa actual morada? Será assim amigos? 

(tenciono continuar)  :D
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 05 de Dezembro de 2008, 15:42
(continuação)

Partindo então do pressuposto que todo o universo visível é a morada de todos os espíritos do nosso nível vibratório, chegamos finalmente ao ponto da verificação da viabilidade da existência de universos paralelos.

Aconselho agora uma releitura atenta ao que aqui foi colocado pela Atma.

Assim, poderia ser uma consequência inevitável que os mundos caracterizados por estratos vibratórios diferentes do nosso, portanto invisíveis aos nossos sentidos, sejam uma modificação do fluido cósmico universal, que serviria como suporte material desses mundos, tanto para os espíritos como para as almas (sendo que alma tem aqui o significado indicado pelos espíritos na obra de Kardec como sendo em espírito encarnado).

Parece neste mundo das ideias, ser perfeitamente concebível a existência de múltiplos universos, constituídos de diferentes combinações desse fluido, que albergara cada um dos níveis vibratórios característicos a cada uma das “gerações” de espíritos, assumindo então em cada um deles ora características ponderáveis como imponderáveis. Tal como acontecerá no “nosso” universo falando em termos bariônicos (tangíveis) ou não bariônoicos. (Materia bariônica e escura, energia vulgar e escura… e que mais?  :D).

Curioso verificar, que na medida que este raciocínio se desenvolve, vai tornando possível uma noção cada vez uma maior do que significa verdadeiramente o palavra infinito. Caso este exercício de reflexão tivesse algum significado, a noção de universo infinito passaria a ter uma múltipla dimensão. Por assim dizer universo infinito elevado a n.  :-\

Francamente assim tudo se tornaria menos complexo... explicaria porque motivo o universo nos parece tão desoladamente vazio.

Cada nível vibratório habitaria o universo que lhe corresponde, numa imensidão de globos distantes o suficiente para que cada uma das humanidades não se cruze quando vivencia a fase de encarnados, num corpo com as propriedades necessárias à expressão que necessita.

Bom… agora prometo que por uns tempos vou-me confinar ao universo das ideias proveitosas e calar esta minha imaginação que se expressa (as vezes passa) nos limites da razão. (risada)

Um abraço amigos.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Dezembro de 2008, 19:37
Olá

Citar
Com isto quero dizer, que provavelmente tanto necessita evoluir aquele que a vida levou à clausura, como aquele que pratica a caridade em centros sociais, e mais do que isso, ambos os dois convivendo no mesmo nível vibratório, estão obviamente no mesmo nível evolutivo.


Não sei em que sentido estás a usar a palavra "clausura". Suponho que estás a falar de pessoas que estão isoladas por opção própria e não os que estão em presidios, por ter cometido algum crime.

A caridade que é feita de forma desinteressada, sem ostentações e sem humilhar o beneficiário vai conduzir à evolução espiritual. A clausura pode ser útil para nos recompormos ou descansarmos, para meditar, etc. Mas como opção de vida, durante muito tempo, não leva à evolução. Pelo contrário. Se a clausura não servir para ser útil a outras criaturas, é um acto egoista. O actos egoistas não podem ser conduzir á evolução.

Citar
Penso ser correcto dizer, que excepção feita aos espíritos superiores que connosco contactam, ou aqueles que por aqui encarnam em missão, todos os espíritos que vivem nesta esfera fazem parte da mesma “geração” espiritual.

Não concordo que todos os espiritos que estão encarnados no mesmo planeta pertençam todos à mesma "geração espiritual". Entre aqueles que aqui vivem, alguns estão pela primeira vez a passar pelas provas a que são sujeitos, outros já são repetentes. Ou seja, não passaram a prova em encarnações anteriores e têm de vir de novo tentar.

Citar
Penso fazer sentido, até porque isso já foi dito, que quando desencarna, um espírito que pertence a uma determinada morada, continuará normalmente inibido de percepcionar mundos mais evoluídos. Na melhor das hipóteses poderá visitar moradas menos evoluídas se assim o entender, pensando eu, que no nosso caso, não deverá ser nada de aprazível.
 

Penso que nos é dada a oportunidade de perceber/ pressentir a vida em mundos mais evoluidos, enquanto desencarnados, para vermos o que podemos ganhar se evoluirmos e o que estamos a perder se não evoluimos. Não sei se poderemos visitar esses mundos, mas podemos, pelo menos, intui-los.

Citar
Cada nível vibratório habitaria o universo que lhe corresponde, numa imensidão de globos distantes o suficiente para que cada uma das humanidades não se cruze quando vivencia a fase de encarnados, num corpo com as propriedades necessárias à expressão que necessita.

os mais evoluidos poderão vir visitar os menos evoluidos, se tiverem forma fisica de o fazer. Para quem acredita em visitas extra-terrestres isso é indiscutivel. Eu acredito que existem extra-terrestres. Que eles nos visitam, já tenho muitas dúvidas. Mas nada é impossivel, até prova em contrário.

Citar
Observando a vida na Terra, sabemos que aqui convivem espíritos encarnados e desencarnados situados num mesmo patamar evolutivo característico do nosso estado.

Não concordo. É nitida a diferença de patamar evolutivo. Aparte aquelas pessoas que não agem mal apenas por medo de serem apanhadas pela justiça humana, há muitas pessoas que passam uma vida em que, em regra, não fazem o mal, mesmo que habitualmente não façam bem a ninguém, e há outros que fazem muito mal aos seus companheiros de encarnação com intenção deliberada de o fazer. Matam, torturam, etc. A diferença moral e intelectual é muito grande entre os encarnados da terra.

Citar
Vários outros autores, entre eles Francisco Xavier, descrevem facetas de um mundo espiritual muitas vezes idêntico ao nosso enquanto encarnados.

Tudo aponta portanto, para que, todo o nosso universo de vida, esteja neste momento confinado a esta esfera que é a nossa dimensão vibratória.

No entanto, pelos estudos levados a cabo pela ciência e que parecem ir de encontro aos ensinamentos dos espíritos, talvez possa fazer sentido que todo o universo sensível aos nossos sentidos faz parte do nosso nível vibratório, sendo portanto todo ele a nossa actual morada. Se assim não fosse, não nos seria possível através dos sentidos observar os corpos celestes.

Todo o universo visível é a nossa actual morada? Será assim amigos

Eu acredito que os desencarnados, se não evoluiram mais do que o mundo onde reencarnaram, ficam junto ao mesmo. Se evoluiram para um nivel moral para além do   máximo da terra, terão, provavelmente, acesso a mundos de nivel superior à terra, mas dentro do seu nivel moral.

Mas já não acredito (embora sublinhe que respeito integralmente as crenças alheias e que estou a dar a minha opinião pessoal) nas chamadas colónias espirituais, tal como descritas nos romances espiritas.

A visibilidade do universo não me parece o critério de acesso ao mesmo. Julgo que nós podemos ver um planeta através dos poderosos telescópios e antenas de hoje, sem que lhe tenhamos acesso. Mas para nos deslocarmos lá é preciso que a inteligência que manifestamos enquanto encarnados seja suficiente. No seguimento do teu raciocinio, parece lógico inferir que a inteligência daqueles que habitam um planeta está aquém da possibilidade de viajar para planetas em que o nivel moral dos encarnados é superior. Será assim? Eu não tenho a certeza de qual é a verdade, mas parece-me lógica a dedução.

O nivel intelectual precede o nivel moral. Ou seja a evolução intelectual facilita a evolução moral, mas não é garantia dela (atenção! não confundir nivel intelectual com formação académica - há pessoas de grande nivel intelectual, e até moral, com pouca instrução escolar).

Não sei se consegui acrescentar algo de positivo ao debate, mas que tentei, isso não tenho dúvidas.

bem hajas
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 05 de Dezembro de 2008, 21:49
Olá Vítor Santos
Feliz por te ver.  :)

Citar
Não sei em que sentido estás a usar a palavra "clausura". Suponho que estás a falar de pessoas que estão isoladas por opção própria e não os que estão em presidios, por ter cometido algum crime.

A caridade que é feita de forma desinteressada, sem ostentações e sem humilhar o beneficiário vai conduzir à evolução espiritual. A clausura pode ser útil para nos recompormos ou descansarmos, para meditar, etc. Mas como opção de vida, durante muito tempo, não leva à evolução. Pelo contrário. Se a clausura não servir para ser útil a outras criaturas, é um acto egoista. O actos egoistas não podem ser conduzir á evolução.
Realmente o exemplo que dei refere-se efectivamente à clausura em termos de estar preso por delitos contra a sociedade. O fim que se destina este exemplo, tem a ver com esta linha de razão: a menos que se trate de um espírito em missão, a única justificação que existe para uma encarnação neste mundo é o nível evolutivo desse espírito ser compatível com a vida na Terra. Não me parece que espíritos que convivem no mesmo ambiente de provas e expiações possam ser muito diferentes quanto à sua condição. Já me parece ser normal, que o tipo de necessidades que cada um deles tem, possa ser distinta. Por esse motivo são distintas as provas que cada um de nós se propõem a passar. No entanto, em termos de micro evolução pode haver obvias diferenças, que não suficientes para os distinguir. Concordo que a clausura vista pelo prisma que expressas é realmente um acto idêntico ao suicídio. Isto quando clausura é condição condizente em total concordância com o que a palavra significa.

Citar
Não concordo que todos os espiritos que estão encarnados no mesmo planeta pertençam todos à mesma "geração espiritual". Entre aqueles que aqui vivem, alguns estão pela primeira vez a passar pelas provas a que são sujeitos, outros já são repetentes. Ou seja, não passaram a prova em encarnações anteriores e têm de vir de novo tentar.

Não concordo. É nitida a diferença de patamar evolutivo. Aparte aquelas pessoas que não agem mal apenas por medo de serem apanhadas pela justiça humana, há muitas pessoas que passam uma vida em que, em regra, não fazem o mal, mesmo que habitualmente não façam bem a ninguém, e há outros que fazem muito mal aos seus companheiros de encarnação com intenção deliberada de o fazer. Matam, torturam, etc. A diferença moral e intelectual é muito grande entre os encarnados da terra.
Penso entender e concordar com o teu ponto de vista. Se assim for a diferença é a perspectiva em que observamos esta questão. Imagino que não existam aqui como em tudo o que aprendemos, limites físicos estritos que dividem cada estrato vibratório. É realmente verdade que existirão espíritos que se encontram há mais ou menos tempo nesta esfera evolutiva. No entanto acredito que uma ou duas ou mesmo três encarnações não serão suficientes para abandonar esta esfera. Penso que o tempo relativo que por aqui passamos é francamente mais alargado. É assim por esta perspectiva que pretendi enquadrar este raciocínio. Imagina que este estrato vibratório é a escola primária. Na escola existem 4 classes. Apesar disso todos habitam o mesmo edifício. No entanto é verdade que os da 4ª classe em princípio continuarão para o liceu antes dos que frequentam a 1ª. Digamos amigo Vítor Santos que poderá não haver possibilidade de passar de ano enquanto não soubermos todas as matérias. Não só aquelas que se referem à adequação aos valores sociais e morais que defendemos, felizmente já bastante interessantes, mas também naquilo que não é quantificável nem evidente em termos sociais.

Citar
Penso que nos é dada a oportunidade de perceber/ pressentir a vida em mundos mais evoluidos, enquanto desencarnados, para vermos o que podemos ganhar se evoluirmos e o que estamos a perder se não evoluimos. Não sei se poderemos visitar esses mundos, mas podemos, pelo menos, intui-los.
Completamente de acordo. Mais os da 4ª classe que sabem que vão passar de ano. O que não significa que um bom aluno da 1ª classe não possa ter essa percepção. Vítor Santos: nem precisa de ser desencarnado… ambos estamos neste momento a ter esse privilégio. Uma grande responsabilidade, amigo.

Citar
os mais evoluidos poderão vir visitar os menos evoluidos, se tiverem forma fisica de o fazer. Para quem acredita em visitas extra-terrestres isso é indiscutivel. Eu acredito que existem extra-terrestres. Que eles nos visitam, já tenho muitas dúvidas. Mas nada é impossivel, até prova em contrário.
Amigo Vítor Santos. Creio entender bem o que dizes. No entanto a proposta que apresento em termos empíricos é exactamente uma tentativa de resposta à questão porque estamos aparentemente sós no universo. Se este universo corresponder à morada dos espíritos que vibram em consonância connosco, os prováveis habitantes de outros globos com condições de vida bariônica, deverão ser idênticos a nós próprios. Com a matéria organizada de forma idêntica. Assim faz sentidos que estejam suficientemente afastados de nós de forma a não haver um contacto desnecessário, uma vez que este contacto daria provavelmente o mesmo resultado que já aqui foi observado aquando da época dos descobrimentos.

Citar
A visibilidade do universo não me parece o critério de acesso ao mesmo. Julgo que nós podemos ver um planeta através dos poderosos telescópios e antenas de hoje, sem que lhe tenhamos acesso. Mas para nos deslocarmos lá é preciso que a inteligência que manifestamos enquanto encarnados seja suficiente. No seguimento do teu raciocinio, parece lógico inferir que a inteligência daqueles que habitam um planeta está aquém da possibilidade de viajar para planetas em que o nivel moral dos encarnados é superior. Será assim? Eu não tenho a certeza de qual é a verdade, mas parece-me lógica a dedução.
Vitor eu sei que estamos num campo próximo da especulação pura... no entanto penso que inofensivo e um óptimo exercício mental. Mas tentando explicar a minha visão: Este Universo, a sua totalidade é para estes alunos da escola primária. O secundário e a universidade serão universos paralelos.

Citar
Mas já não acredito (embora sublinhe que respeito integralmente as crenças alheias e que estou a dar a minha opinião pessoal) nas chamadas colónias espirituais, tal como descritas nos romances espiritas.
Vítor Santos… tenho um grande apreço pela tua frontalidade e coragem. Penso que será uma excelente ideia um destes dias abrir um tópico acerca dos romances espíritas, nomeadamente aqueles que de forma marcante se desviam dos livros da codificação e também de novas referencias que no decorrer deste século se foram aos poucos impondo.

Sei que as palavras são imperfeitas amigo… mas mesmo assim nos vamos entendendo.

Um abraço
Obrigado Vitor.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Dezembro de 2008, 22:19
Olá

Citar
Vitor eu sei que estamos num campo próximo da especulação pura... no entanto penso que inofensivo e um óptimo exercício mental. Mas tentando explicar a minha visão: Este Universo, a sua totalidade é para estes alunos da escola primária. O secundário e a universidade serão universos paralelos

Tudo é possivel. Concordo que ainda não estamos habilitados para passar da especulação, nesta matéria. Aquilo que parece dizer no Livro dos Espiritos não é bem isso. Eles falam de planetas em concreto (Marte, etc), embora isso seja das partes mais discutiveis do L.E.. Kardec estava um pouco limitado neste assunto, em relação aos dias de hoje, pois a ciência da época ainda não tinha, nem de perto, a capacidade de observação do universo que tem hoje. Os espiritos podem ter falado assim porque o Kardec não entenderia de outra forma, quem sabe?

Na realidade acho que a tua opinião é plausivel. Mas outras também o poderão ser. Não sei mais o que dizer.

bem hajas
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 06 de Dezembro de 2008, 17:07
Talvez seja despropositado o que vou dizer...

Usando de um conceito expresso pelo jovem físico português, Dr. Nuno (esqueci o último nome) da Universidade Nova de Lisboa, ao qual já tive o prazer de ouvir palestrar, nós vivemos em permanente dualidade:

   Somos imortais – mas temos dificuldade em compreender o eterno

   Estamos em contacto com o Universo – mas não entendemos o infinito

   Somos Espirito imaterial – mas vivemos para a matéria

   Somos amor – mas vivemos para a guerra, para o ódio

Sendo assim, como abarcar a imensidão do desconhecido? Pois se Jesus nos veio dar as orientações básicas e ainda não consiguimos assimilá-las...

Será mais importante definir o que é o Universo para mim, ou o que Eu sou para o Universo?

É o que eu sinto...


Olá Gigisword!

Realmente este ponto de vista parece ser ainda mais complexo que o tema deste tópico.

Se entendermos a nossa essência como aquilo que ela parece ser perante a imensidão da vida, então a resposta seria muito pouco expressiva na relação de importância de que cada um de nós teria para o seu desenrolar.

No entanto, o potencial que encerra cada uma das criações de Deus e ele próprio interminável. O processo de evolução que nos é ensinado é infinitamente maior do que aquele que nos é dado a entender neste momento.

A imortalidade a alma, transporta-a para o infinito. Dai a importância que cada um de nós tem dentro do próprio universo não é mensurável... é tão importante para a harmonia celeste como o é o próprio universo.

Um abraço amigos
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 20 de Janeiro de 2009, 14:56
Olá Vítor Santos, olá amigos!

Tudo é possivel. Concordo que ainda não estamos habilitados para passar da especulação, nesta matéria. Aquilo que parece dizer no Livro dos Espiritos não é bem isso. Eles falam de planetas em concreto (Marte, etc), embora isso seja das partes mais discutiveis do L.E.. Kardec estava um pouco limitado neste assunto, em relação aos dias de hoje, pois a ciência da época ainda não tinha, nem de perto, a capacidade de observação do universo que tem hoje. Os espiritos podem ter falado assim porque o Kardec não entenderia de outra forma, quem sabe?

Na realidade acho que a tua opinião é plausivel. Mas outras também o poderão ser. Não sei mais o que dizer.

bem hajas

Não parece de todo razoável, manter a expectativa que exista vida humana, encarnada em matéria bariônica, nos planetas do nosso sistema solar.

Já a existência de colónias espirituais é provável. Sabemos que os espíritos, consoante o seu estado evolutivo, podem deslocar-se no espaço por acção da sua vontade e não necessitam de condições biológicas para “viverem”.

É para mim algo complicado compreender o significado das afirmações dos espíritos nas obras de Kardec acerca desta questão.

Levando à letra essas instruções, elas revelaram-se confusas. De facto não existe vida, pelo menos encarnada em matéria bariônica, à qual os nossos sentidos são sensíveis, em planetas que pelos menos aparentemente a deveriam albergar segundo as informações dos espíritos.

Mesmo que a constituição dessa matéria que encarnaria espíritos em outros planetas do nosso sistema solar fosse não sensível aos nossos sentidos, porque motivo o próprio planeta que a suporta o é? Nós vemos perfeitamente e conhecemos Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter… e todos os demais elementos que compõem o nosso universo visível.

Esta questão de facto intriga-me… claro que eu tenho eu mim algumas hipóteses já expostas neste tópico que eventualmente poderiam justificar esta questão… mas são respostas provenientes da colocação de múltiplas hipóteses que não passam disso mesmo… ??? ??? ???

Um abraço, amigos
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Vitor Santos em 20 de Janeiro de 2009, 15:12
Olá Taprobana

De facto, trata-se de um assunto em que não ha respostas, por enquanto.

O máximo que podemos fazer é aguardar por novidades e, se as houver, comunicarmos aqui as mesmas uns aos outros. Da minha parte fica essa promessa.

A probablidade de existir vida fisica no universo, para além da terra é maior do que a probabilidade de não existir. Aqui neste sistema solar, que eu saiba, de facto, ainda não foi encontrada vida fisica.

Poderia ocorrer que no séc. XIX existisse vida em planetas do sistema solar e agora já não exista, mas essa hipótese parece-me muito pouco provável.

bem hajas
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: pcaires em 26 de Janeiro de 2009, 23:52
Meu caro amigo:

Penso exatamente como você. É claro que a Ciência humana começou a estudar aquilo que lhe era visível e tangível. Como o espectro de cores visíveis ao olho humano, nada percebemos com frequências inferiores às da cor vermelha ou aquelas de frequencia superiores ao violeta.
No entanto estas cores existem, seguem as mesmas leis físicas de refração e refexão como as outras que são visíveis.
Quanto à questão da matéria, podemos admitir perfeitamente uma situação semelhante. Foi dito a Kardec Júpiter seria um exemplo de mundo superior à condição evolutiva da Terra e Marte (se não me engano...) seria um planeta da classe evolutiva inferior. Ora estamos falando aqui de seres inteligentes habitando estes planetas (não tem sentido falar que determinada substancia (matéria) é superior à outra).
Portanto, estes habitantes se nos apresentam invisíveis. É, portanto perfeitamente admissível serem constituidos de uma matéria sutil (ou de características diferentes) que fogem ao espectro de nossa observação.
Não me pergunte como... Mas tenho a impressão que a "coisa" funciona mais ou menos assim.
- Veja o caso dos chamados Objetos Voadores não Identificados: Se apresentam visíveis para quem e quando o desejam (aparentemente). Também a rapidez de deslocamento e mudanças bruscas de trajetória (vários relatos de pilotos de aeronaves comerciais) indicam que suas matérias não seguem as leis da física Newtoniana.
- Um cientista inglês divulgou sua "Teoria das Cordas" que explica, segundo ele a existência de mundos paralelos... o nosso seria apenas um deles....
- Outro cientista fala do chamado "Worm hole" - buraco de minhoca, que segundo ele cria "furos" no espaço interplanetário, como um cupim perfurando as folhas de um livro pode passar rápidamente da primeira para a última página, sem a necessidade de percorrer todas as páginas... Isto explicaria as 'visitas' ocasionais dos UFO's. Lembrar que, segundo nossa Física, nenhum objeto pode se deslocar a velocidade superior à da Luz.

Não sei explicar em minúcias a fundamentação física destas afirmações, mas noto que fazem sentido e inclusive são mencionadas 'en passant" na Codificação Kardequiano.

Um abraço fraterno,
Paulo
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Marden em 09 de Fevereiro de 2009, 13:25
Olá  Taprobana !

Por falar neste assunto, já leu: " Uma Outra Terra" do Isac Asimov ?

Bem, no limite do meu conhecimento atual, matéria é energia condensada.

Uma maior ou menor quantidade de átomos concentrados em um determinado espaço, sistema ou molécula por exemplo, é que vai determinar a densidade.

A dualidade das forças atuando em todos os sistemas é que dá equilíbrio a tudo.

Ação e Reação, Atração e Retração. Lei Natural, Lei Divina !
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 10 de Fevereiro de 2009, 02:35
Olá amigo Marden!

Não esse livro ainda não li. No entanto conheço o autor, já o li mas somente na sua vertente de ficção científica.

De facto a matéria parece ser energia condensada à luz dos desenvolvimentos que a ciência nos vai traduzindo. Sabemos que esta pode ser transformada em energia por exemplo através de reacções em cissão nuclear, na qual parte da matéria “desaparece” transformando-se em energia. A luz por exemplo, comporta-se como energia, mas em determinadas condições assume características da matéria, quando por exemplo sofre dos efeitos da gravidade. A equação de Einstein E=m.c2 relaciona a matéria com a energia…

No entanto nem esta ordem de factores nem aqueles que aponta como as relações de densidade da matéria nem mesmo as relações de dualidade que equilibram os sistemas, não parecem contribuir para explicar o motivo do porquê que a ciência aponta realidades bem distintas daquela que estão descritas em algumas passagens dos livros da codificação espírita, a menos que eu esteja a interpretar mal a sua linha de raciocínio pelo que peço desculpa e de imediato corrigirei a minha observação se for esse o caso.

Como diz estamos no limite do nosso conhecimento. Neste tópico bem podemos exercitar a nossa imaginação na tentativa de encontrar explicações que possam enquadrar aquilo que a ciência aponta hoje como novas evidências acerca da forma como as coisas se desenrolam no universo, com aquilo que alguns espíritos nos tentaram explicar neste campo, acerca de conhecimentos que deveriam aguardar pelas descobertas do homem.

No entanto, tudo daquilo que por aqui foi por mim reflectido nas participações anteriores neste tópico, não passam de exercícios de imaginação, carecendo portanto de qualquer fundamento de verdade.

Um abraço amigo.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Marden em 11 de Fevereiro de 2009, 11:48
Olá Taprobana !

Esse de que te falei, é ficção. Antiguinho. O Asimovi por ter sido cientista, é bom nisto, pra quem gosta é claro. Mesmo sem intenção ele passa perto dos conceitos doutrinários.

Fraterno Abraço !
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: zarthur em 16 de Maio de 2012, 01:13
Certo anjo aproximou-se do Pai Excelso e perguntou: Sapientíssimo! Eterno como sois, o que andavas a fazer no infinito tempo antes da criação do Universo?
Ao que o Todo Poderoso, esforçando-se por conter leve irritação, respondeu:

- Andava a cria os infernos para quem fizesse este tipo de pergunta!

Nesta aparente piada existe um questionamento de fundamental importância, para o homem de fé.
Se o Universo tem 13,9 bilhoes de anos, e se Deus é eterno... qual a razão deste Universo tão jovem?

A resposta é aparentemente simples: Deus sempre criou e Universos como este, existem sem contas, no infinito espaço cósmico.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: Taprobana em 16 de Maio de 2012, 23:40
Certo anjo aproximou-se do Pai Excelso e perguntou: Sapientíssimo! Eterno como sois, o que andavas a fazer no infinito tempo antes da criação do Universo?
Ao que o Todo Poderoso, esforçando-se por conter leve irritação, respondeu:

- Andava a cria os infernos para quem fizesse este tipo de pergunta!

Nesta aparente piada existe um questionamento de fundamental importância, para o homem de fé.
Se o Universo tem 13,9 bilhoes de anos, e se Deus é eterno... qual a razão deste Universo tão jovem?

A resposta é aparentemente simples: Deus sempre criou e Universos como este, existem sem contas, no infinito espaço cósmico.

zarthur, desisti... :)
É impossivel conhecer, através da vida, o que quer quer que seja acerca da natureza das coisas. Estamos completamente encorralados, suportados na certeza absoluta que o sentido interno da razão nos demonstra, perante a evidencia de que todos os progressos que a humanidade apresenta ao longo dos tempos é ilusória... nem o próprio tempo existe para além dos sentidos da vida... nem o espaço... nem tão pouco a matéria... não vale a pena continuar por este caminho.
Título: Re: Universos paralelos?
Enviado por: zarthur em 17 de Maio de 2012, 04:52
Amigo Trapobana;
se abrires mão da busca do conhecimento pelas vias da razão; se  perderes o entusiasmo pelas descobertas que a cada dia fazes sobre o teu próprio ser; enfim, se o ideal da sabedoria se extinguir em ti, então te tornarás em um homem comum, aquele para o qual a angústia do saber, sempre mais, é substituída pelo imperativo de atender às necessidades do corpo.
Por que estou dizendo-te isto?
Porque percebi em tua argumentação, desde muito tempo, que faltam pequenos detalhes, os quais devidamente alinhavados em teus raciocínios trarão a satisfação de saber o que poucos sabem, e disto tirar um prazer inefável.
Abandone os clichês negativistas que envolvem o homem moderno, decorrentes da realidade vulgar que nos cerca a todos.
Mas para isto é necessário a mudança de certos hábitos que preponderam em nossa rotina diária.
Dedique algum tempo ao silêncio da prece, do estudo e da meditação.
Procure cercar-te das pessoas otimistas e alegres.
Que o trabalho que te sustenta a vida não prepondere sobre o serviço que te alimenta o espírito. Trabalhamos para nós e servimos ao semelhante.

Se quiser, sempre voltaremos a nos falar.