Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Pluralidade Mundos Habitados => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 08 de Agosto de 2016, 22:27

Título: Matéria e pluralidade dos mundos habitados
Enviado por: dOM JORGE em 08 de Agosto de 2016, 22:27
                                                                  VIVA JESUS!



             Boa-noite! queridos irmãos.



                     Matéria e pluralidade dos mundos habitados



               Uma das bases do conhecimento passado pelas inteligências superiores à Kardec, trata da existência de outros mundos habitados por seres dotados de inteligência, a semelhança do ser humano.

Vale lembrar que esses ensinamentos foram passados em meados do século XIX, quando a astronomia ainda era muito rudimentar se comparada à dos dias atuais. Somente dos anos 2000 para cá ficou comprovada a existência de planetas em outros sistemas estelares - os exoplanetas. Tal contagem ultrapassa a marca dos 200 planetas descobertos, sendo este um número em constante crescimento dado os pesados investimentos feitos nessa área nos últimos anos.

Mais uma fez a filosofia trazida por Kardec sobrevive à passagem do tempo e é capaz de enfrentar a ciência frente a frente, o que a torna segura e o que justifica tomarmos a Doutrina Espírita como base dos estudos realizados neste espaço.

Ao falar sobre a pluralidade dos mundos habitados, os espíritos foram enfáticos ao afirmar para Kardec que "todas as esferas são habitadas". Isso a princípio nos deixa em um curioso dilema, pois as muitas esferas estão realmente lá fora, porém estudos de nosso Sistema Solar nos colocam como única espécie pensante existente ao redor desta estrela. Isto poderia porem cheque tal afirmação dos espíritos, e consequentemente uma importante referência doutrinária espírita, contudo mais uma vez o tempo veio trazer não ainda a confirmação final, mas um caminho por onde tal verdade pode ser definida.

E assim, passamos mais uma vez a se referir à Teoria - M, aonde nosso universo possui inúmeras dimensões, constituídas por matéria cada vez menos densa, possibilitando assim uma enorme variedade de vida e de inteligência. Com esse conhecimento podemos admitir a possibilidade de vida nos mundos que compõem o Sistema Solar, contudo esta vida estaria em uma outra faixa de vibração, ainda distante daquela que os nossos sentidos físicos sejam capaz de perceber.

Inclusive no meio espírita, um dos estudos mais notórios realizados por Kardec e sua equipe foi acerca das comunicações com diversos espíritos acerca da vida no planeta Júpiter. Tratando-se de uma vida superior a nossa, estes seres possuem corpos feitos de uma matéria mais rarefeita do que a nossa, sendo Júpiter um mundo destinado para as próximas fases do processo evolutivo das almas que por hora estagiam na Terra.

Nesses estudos é enfatizado que para habitar uma morada do porte de Júpiter, necessário se faz que o espírito conquiste certas virtudes íntimas e que não mais se identifique com os vícios que caracterizam a vida na Terra. Isso ocorre pois somos exatamente aquilo que pensamos.

O Espírito, ao pensar, emite um sem número de informações ao seu redor, criando formas e agregando energias ao redor de seu cérebro. Cada tipo de emoção, de sensação, de pensamento cria uma forma diferente que possui cor, forma e cheiro próprios, além de possuírem uma densidade própria. Essa densidade atua diretamente no perispírito - o corpo multidimensional que envolve o Espírito - deixando-o mais leve ou mais pesado.

Com isso, nosso comportamento moral está diretamente relacionado com o tipo de vida que levamos na Terra, como também com o tipo devida que teremos quando deixarmos a Terra. Enquanto vivos nesta dimensão pois todos os nossos comportamentos e pensamentos irão influenciar diretamente na saúde de nosso corpo físico. Quando estivermos na próxima dimensão, a densidade de nosso perispírito - fruto de nossas ações na dimensão física - será determinante para influenciar até que esfera poderemos subir.

Somente com uma densidade menor será possível alcançar moradas mais sublimes, ou seja, menos materializadas. Isto por que segundo os Espíritos, o perispírito se reveste da matéria do mundo que habita. Assim sendo um espírito muito materializado da Terra não conseguiria reter ao seu redor a matéria sutil de mundos como Júpiter. Cabe a ele continuar estagiando na escola que lhe compete, a Terra.

Passamos a ver a pluralidade dos mundos habitados, como diferentes níveis de educandários, aonde o espírito vai se burilando na matéria do mundo em que está estagiando, buscando seu aperfeiçoamento íntimo e a benção do acesso à uma escola superior.


Referências de estudos: O Livro dos Espíritos - Perguntas 55 até 58.
O Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap 3.
Revista Espírita - Ano de 1858.
Cartas de uma morta - Chico Xavier





                                                                                                        PAZ, MUITA PAZ!