Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Pedagogia Espírita => Tópico iniciado por: Gigii em 28 de Agosto de 2010, 15:03

Título: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 28 de Agosto de 2010, 15:03
Boa tarde!
 
Aqui um texto para reflexão:

Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
 
   Evangelizar pode ter muitos significados, mas conhecemo-lo sobretudo como “pregar” o evangelho, “catequizar” alguém em nome de uma religião. Sobretudo evangelizar é levar uma mensagem que julgamos essencial que os outros aceitem como verdadeira, e sentimos que irá mudar ideias, pensamentos e formas de agir.Por natureza o ser humano gosta de evangelizar, ou seja, de levar os outros a pensar como ele, faze-los aceitar a sua crença, de preferência sem discussão, e assumindo um papel de detentor da verdade. Na juventude descobri o espiritismo através dos livros e da convivência com espíritas, e como é natural, sempre que descobrimos algo que nos esclarece e alegra o íntimo, desejei partilhar com os outros esse conhecimento, na certeza que assim contribuía para melhorar o mundo.
 
Desejei evangelizar, e evangeliza quem não sabe educar.Evangelizar pouco tem a ver com educar. Evangeliza quem se limita a expor uma ideia, educa quem exemplifica e vivencia essa ideia; evangeliza quem fala, educa quem sabe ouvir; evangeliza quem não coloca dúvidas, educa quem questiona as certezas; evangeliza quem se sente mais sábio que o outro, educa quem se sente aprendiz com o outro.
 
Se voltarmos um pouco atrás na história, e recordarmos os missionários evangelizadores, colonizadores de novos povos, e a sua dedicação á divulgação do cristianismo, encontraremos exemplos de como a evangelização pode ser uma “faca de dois gumes”. Se por um lado levaram a boa nova, a mensagem de amor que o Cristo nos legou para divulgar e pôr em prática, por outro os homens destruíram culturas milenares, com total desrespeito pela natureza humana.Há erros que devem servir para reflexão, e evangelizar sem saber educar é um perigo a evitar.
 
O espiritismo proporciona ao homem todas as ferramentas para ser um bom educador, de si próprio – primeiro – dos outros – por fim. O espiritismo não tem como objectivo evangelizar.  Disse Allan Kardec que “não obrigamos ninguém a vir a nós”(R.E. 1861), pois  “o Espiritismo não admite a confiança cega; quer ser claro em tudo; quer que lhe compreendam tudo e que se dêem conta de tudo.”E reforçou várias vezes que “a verdadeira convicção só se adquire pelo estudo, pela reflexão…”
 
É impossível ensinar alguém a ter fé, a ter esperança, a ser humilde e caridoso. Essa aprendizagem é pessoal e intransmissível. Mas é possível proporcionar a compreensão das nossas dificuldades intimas, através de reflexões em conjunto, de estudos em grupo, em que cada um busca encontrar as respostas às suas dúvidas.A grande diferença entre evangelizar e educar está no educador. O educador que expõe uma ideia, a todos da mesma forma, usando o mesmo método, como sendo aquela uma ideia única e irrefutável, sem filosofar, sem questionar é um evangelizador.
 
Já li vários espíritos, e espíritas, afirmar: é urgente evangelizar! Como se essa fosse a solução para unificar pensamentos ou transformar o planeta num lugar harmonioso, onde todos dariam as mãos. Eu diria que é urgente aprender a educar, pois que educar pressupõe sermos exemplo do que ensinamos, o que sabemos ainda ser muito difícil. E educar é não nos envaidecermos pelo conhecimento que partilhamos, e sim tomar consciência da responsabilidade e  do efeito de tudo o que afirmamos e fazemos.
 
O verdadeiro educador promove a sua visão da vida, a sua filosofia, respeitando todas as outras. Ele não colhe  adeptos, ele desperta consciências. Ele não se vangloria do que sabe, nem precisa de convencer ninguém, ele estabelece laços de fraternidade em cada momento da vida, sem ser necessário subir a um púlpito.De que adiantaria evangelizar dezenas de homens, se eu permanecesse sem me transformar nas mais pequenas dificuldades? Como poderia me alegrar com a simpatia dos outros pela minha filosofia, se eu não uso essa filosofia para me tornar num Ser melhor?
 
“Sede francos convosco mesmos; travai conhecimento com o vosso carácter, mas não o aduleis, porque as crianças aduladas às vezes se tornam más e os aduladores são os primeiros a experimentar os efeitos” . (La Fontaine – Dissertações Espíritas, 1863)
 
Regina Figueiredo
in Jornal de Espiritismo
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 28 de Agosto de 2010, 15:35
Muito sábio esse texto,
 
Impor idéias, mostrar e não praticar de nada adianta.
Enxergar-se primeiro depois ir a luta, senão é cego ensinando cego a ver.
 
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 28 de Agosto de 2010, 17:23
E mesmo sobre a evangelização que virou um modismo entre os do movimento espírita, basta perguntar-se quantas vezes o codificador  falou no tema... (NENHUMA)
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 28 de Agosto de 2010, 22:11
Pois...
 
Quando visitei um centro espírita em Lyon, França, perguntei à dirigente se tinham educação espírita (ou evangelização) para crianças, e ela respondeu: "Isso não existe neste centro...só no Brasil que gosta de foclores...Kardec nunca propôs a evangelização mas sim a auto educação".
 
Note-se... educar é preciso, mas isso é bem diferente de evangelizar, com as suas cartilhas que muitas vezes se assemelham a catecismos.
 
O problema é que se continua a mesma filosofia do passado: angariar adeptos através da educação uniformizada, com canções infantilizadas, apostilas quantas vezes inadequadas...
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: MarcoALSilva em 28 de Agosto de 2010, 22:21

Até porque uma boa opção da educação nesse particular, creio, seja deixar que a criança tenha dúvidas e pergunte, mantendo as respostas dadas nos limites da codificação.

Essa coisa de antecipar o que deve ser pensado pela criança costuma levar à construção de conceitos inabsorvíveis...

Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 28 de Agosto de 2010, 22:32
Aqui nessa cidade que eu moro, também tem escolinha no Centro.
 
Não sei se fiz bem ou mal, mas nunca impus religião nenhuma aos meus filhos, até porque, quando eu era obrigada a ir a missa todo Domingo e tinha aula de Religião na escola a única coisa que conseguiram me incutir era o medo de Deus que Graças já foi embora.
Outra coisa, quando estudei a Idade Média e a Reforma, erradamente fiquei descrente de tudo. Só na fase adulta que me interessei novamente por alguma coisa.
 
Meus filhos não seguem religião alguma, passo os conceitos morais e os deixo livres para optarem. Acreditam em Deus e só, sabem que vou ao Centro que tenho afinidade com o Espritismo e respeitam, mas não querem ir e não vou forçá-los
 
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: MarcoALSilva em 28 de Agosto de 2010, 22:42

Diante disso, na minha opinião, seus filhos tiveram e têm uma ótima educação.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 28 de Agosto de 2010, 23:44
Sinceramente Marco não sei se tiveram ótima educação.
 
Tenho certeza que a intenção de minha mãe ao me colocar num colégio católico e me levar a missa todo Domingo foi a melhor possível, mas não surtiu o efeito desejado.
Filho não vem com manual ( cliché mas é verdade). Só não quis impor a eles ou forçá-los, acho que a Fé não pode ser imposta.
Vamos ver o resultado disto.
 
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fcfigueiredo em 29 de Agosto de 2010, 04:42
Acho que realmente há uma diferença muito grande entre catequese e evangelização, porém não vejo muita diferença entre educar e evangelizar.
Se pegarmos as apostilas da FEB de 30 ou 40 anos atrás, vamos realmente achar que aquilo era uma verdadeira catequese e olha que não havia justificativa para aquilo, pois o grande ícone da educação nas lides Espíritas, foi Eurípedes Barsanulfo que pasmem, desencarnou em l9l8 e foi o fundador do primeiro colégio espírita do mundo, cuja tarefa era além das matérias curriculares da época e outras extra-curriculares, como astronomia e fisiologia, ensinar o evangelho de Jesus, tudo de uma forma revolucionária para época pois seu método pedagógico é admirado e discutido até hoje.
Hoje em dia, atropelada pelos próprios Centros Espíritas que reformularam e aperfeiçoaram aquelas empoeiradas apostilas, a Feb reviu aquilo tudo e hoje tem um material muito mais educativo, porém ainda longe do ideal.
Gostaria de destacar, para nossas reflexões a seguinte pergunta do Livro dos Espíritos:
582. Pode-se considerar como missão a paternidade?

 

“É, sem contestação possível, uma verdadeira missão. É ao mesmo tempo grandíssimo dever e que envolve, mais do que o pensa o homem, a sua responsabilidade quanto ao futuro. Deus colocou o filho sob a tutela dos pais, a fim de que estes o dirijam pela senda do bem, e lhes facilitou a tarefa dando àquele uma organização débil e delicada, que o torna propício a todas as impressões. Muitos há, no entanto, que mais cuidam de aprumar as árvores do seu jardim e de fazê-las dar bons frutos em abundância, do que de formar o caráter de seu filho. Se este vier a sucumbir por culpa deles, suportarão os desgostos resultantes dessa queda e partilharão dos sofrimentos do filho na vida futura, por não terem feito o que lhes estava ao alcance para que ele avançasse na estrada do bem.”
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fcfigueiredo em 29 de Agosto de 2010, 04:54
continuação...

no livro O Consolador, perg.237 - Existe diferença entre Evangelizar e Doutrinar? Emmanuel responde que existe grande diversidade entre as duas tarefas, pois segundo ele para doutrinar basta o conhecimento intelectual da Doutrina, porém para evangelizar é necessário a Luz do Amor no ìntimo! vide o link abaixo em esclarecedoras respostas de Marilena Carvalho.
http://www.portaldoespirito.com.br/portal/palestras/irc-espiritismo/palestras-virtuais/pv260399.html
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fcfigueiredo em 29 de Agosto de 2010, 04:57
para encerrar...

Sobre se devemos encaminhar os nossos filhos à evangelização, gostei muito do artigo que quem quiser encontrará no seguinte link:http://jomalvarenga.sites.uol.com.br/dezembro2005/crianca.htm
Abraços.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mirina em 29 de Agosto de 2010, 05:10
Irmaos,

nesta questao gostaria de contar minha experiencia pessoal.
Tenho tres filhos, sendo a mais velha educada em escola de freiras ate o termino do ginasio.
E os outros dois, educados em escolas mais modernas que nao abordavam a questao do ensino religioso.
Passei por periodos dificeis, e nunca gostei de frequentar igrejas e missas.  Conheci o evangelho espirita em casa, pela mao de meus avos, que receberam de seus pais.
Mas nunca falei de Deus, religiao com meus filhos mais novos.
A alguns anos eles atingiram a adolescencia e a fase do questionamento e para minha triste surpresa, me dei conta de que eram completamente ateus. Descrentes de Deus, ignorantes de seus ensinamentos, e sofriam por nao possuir um direcionamento.
Creiam que eu mesmo me critiquei por haver relegado tanto tempo a tarefa de educadora de meus filhos, no que diz respeito ao conhecimento de Deus e da compreensao de seus ensinamentos.
Com a ajuda de meus guias e de leituras edificantes consegui estabelecer um dialogo aos poucos do que e Deus em nossas vidas, da diferenca que a fe nele nos traz no dia a dia e na maxima licao do mestre a de amar ao proximo como a ti mesmo.
Hoje, apos longos dois ou tres anos de dedicacao consegui reverter a situacao e vejo meus filhos mais felizes, mais confiantes e mais conectados com o divino.
Evangelizar, catequisar, ou conversar sobre Deus deve ser sim uma preocupacao dos pais, dos centros espiritas, das igrejas e das escolas.  Mas respeitar o livre arbitrio de cada um, no tocante de qual religiao traduz com mais fidelidade sua ligacao com Deus 'e obrigacao de todos nos.
Em tempo, fui educada em escola de freiras e hoje sou espirita, como muitos de voces, e isto nao me causou nenhum constrangimento.
Espero ter ajudado,
Abs
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mahis em 29 de Agosto de 2010, 05:38
Noto que atualmente a palavra evangelizar é muito falada e debatida por pessoas de diversos seguimentos, no entanto concordo com a Mulher do Centro Espírita da França a qual Gigi comentou; kardec propôs uma reforma intíma que pra muito e sua auto evangelizaçãoe não você sair por ai força as pessoas a acreditarem de forma imposta.
Sobre o Ego o qual tem no assunto, penso que o Ego adora de auto promover, então falar que estar evangelizando as pessoas e a tradução de eu ensino as pessoas. Na verdade ninguém ensina a ninguém, o aprendizado é algo que depende do individuo  ( decisão própria) que comentou que faz isso muito bem é Hemcogliatti . Criar os filhos com valores e princípios e não forçando -os ter uma religião ou doutrina por pressão.

Abraços

Mahis
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 29 de Agosto de 2010, 12:14
Mahis,
Acho que GiGi tem razão também.

Mas a principal questão do tópico é mais abrangente que o evangelização no lar, desculpem-me por  ter desviado o assunto.
Estamos falando de satisfazer o EGO evangelizando.
Nenhuma religião forma doutores em Deus embora muitos seguidores pensem desta forma.
Nada pior que querer  se vangloriar de ser um portador da  voz de Deus.
A proposta do Espiritismo é passar conduta e reforma íntima e não jeito de orar ou ser o único caminho para chegar até ele. Isso está claro bem na introdução da codificação.
Não confundam as coisas.
A liberdade e o respeito que a DE tem por qualquer religião tem que ser cultivada, não são seus seguidores que vão agir de forma diferente.
O caminho é o Universalismo. Deus é comum a todos os homens, não importa se é chamado de Krishna, Deus, Buda, Jeová, Maomé etc.
O importante é alcançar a iluminação.

Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 30 de Agosto de 2010, 19:33
Boa tarde!
 
Obrigada pela partilha de vivências que em muito enriquecem a reflexão do texto.
 
O que se pretende é sobretudo alertar para os exageros em que os homens caiem, de desejar transformar os outros ao invés de se transformarem primeiro em seres melhores.
 
Até hoje nunca entendi porque se menospreza tanto a palavra educar e se enaltece a palavra evangelizar.
Reparem quantas vezes Rivail fala de educação nos livros da codificação espírita e quantas eles se referiu a evangelização...e está tudo dito.
 
Quanto á orientação dos pais, infelizmente muitos por desejarem que mais tarde eles decidam o que desejam, acabam por não orientar nos caminhos de Deus, deixando para segundo plano (quando deveria ser o 1º) a educação moral.
Resultado de uma sociedade niilista...
 
As crianças precisam de conhecer Deus logo desde a infância, seja através de que religião for, ou sem religião nenhuma!
 
Abraços
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 30 de Agosto de 2010, 19:38
Amiga Gigii, em toda a obra básica Rivail ou kardec nunca se referiu a palavra evangelizar.
Pode procurar.
abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 19:52
Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:
      Há grande diversidade entre doutrinar e evangelizar.
Para doutrinar, basta o conhecimento intelectual dos postulados do Espiritismo;
para evangelizar é necessário a luz do amor no íntimo.
        Na primeira, bastarão a leitura e o conhecimento; na segunda, é preciso vibrar e sentir com o Cristo. Por estes motivos, o doutrinador muitas vezes não é senão o canal dos ensinamentos, mas o sincero evangelizador será sempre o reservatório da verdade, habilitado a servir às necessidades de outrem, sem privar-se da fortuna espiritual de si mesmo.

[41a - página 142] - Emmanuel - 1940
[41a] O CONSOLADOR – 23a. edição - Francisco Cândido Xavier – ditado pelo espírito Emmanuel * 1940
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 19:56
Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/new/#new#ixzz0y7JGnnMc

Acerca da autoevanglização:
        Espíritas!
Amai-vos; eis o primeiro ensinamento;
instruí-vos, eis o segundo.                         
[17b - Capítulo XXXI parágrafo IX]
 
( Ver: Budismo  e  Dissertação a cerca do Espiritismo)
[17b]O LIVRO DOS MÉDIUNS – 62a ed. – Allan Kardec  (GUIA DOS MÉDIUNS E DOS EVOCADORES) (Paris - 1861)
Ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, osmeios de comunicação com o mundo invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que se podem encontrar na prática do Espiritismo. Constituindo o seguimento d’ O Livro dos Espíritos. 
Estas duas obras, se bem a segunda constitua seguimento da primeira, são, até certo ponto, independentes uma da outra. [página 16]
Os Espíritos a corrigiram, com particular cuidado. Como reviram tudo, aprovando-a, ou modificando-a à sua vontade, pode dizer-se que ela é, em grande parte, obra deles. [página 16]
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 19:59
Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/new/#new#ixzz0y7JGnnMc

outras origens:
        O gnosticismo é, antes de tudo, um movimento pré—cristão, com raízes próprias. Deve ser entendido, portanto (...) em seus próprios termos, e não como ramo ou subproduto da religião cristã.43
 
   
43 - W. Bousset, Kyrios Christos (1ª edição, Göttingen, 1913; 2ª ediçãp, 1921; trad. para o inglês, 1970), 245.
[84 - Introdução XXXIII]
[84] OS EVANGELHOS GNÓSTICOS - Elaine Pagels - Tradução: Marisa Motta (Título original: The Gnostic Gospels)
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:05
  Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/new/#new#ixzz0y7MGgNJJ
    Abata-se o homem, purifique ele o seu espírito intimamente, expulse de si a impureza como uma peste, eleve as suas vistas à maior altura possível; ame a Verdade como a sua divindade, diante da qual tudo se deve inclinar; siga-a sem se inquietar para onde a sua pesquisa pode conduzi-lo; e ao redor dele os mensageiros do Altíssimo farão círculo e em sua alma interior ele verá a luz.

[108 - página 268] - Médium: William Stainton Moses - (1839 - 1892)
[108] ENSINOS ESPIRITUALISTAS - FEB - Obra mediúnica - William_Stainton_Moses (*05/11/1839 - +05/9/1892) - Textos ditados pelo Espírito Imperator, por intermédio de um outro Espírito que lhe servia de secretário, Rector, através da psicografia. *
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 30 de Agosto de 2010, 20:07
Amiga Gigii, em toda a obra básica Rivail ou kardec nunca se referiu a palavra evangelizar.
Pode procurar.
abraços,
Moura

Pois não... :)
 
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:08
  Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/new/#new#ixzz0y7N1igPW

      A luz definitiva para a vitória do apostoladlo mediúnico, essa claridade divina, está no Evangelho de Jesus, com o qual o missionário deve estar plenamente identificado para a realização sagrada da sua tarefa.
O médium sem Evangelho pode fornecer as mais elevadas informações ao quadro das filosofias e ciências fragmentárias da Terra;
pode ser um profissional de nomeada, um agente de experiências do invisível,
mas não poderá ser um apóstolo pelo coração.
        Só a aplicação com o Divino Mestre prepara no íntimo do trabalhador a fibra da iluminação para o amor, e da resistência contra as energias destruidoras, porque o médium evangelizado sabe cultivar a humildade no amor ao trabalho de cada dia, na tolerância esclarecida, no esforço educativo de si mesmo, na significação da vida, sabendo, igualmente, levantar-se para a defesa da sua tarefa de amor, defendendo a verdade sem transigir com os princípios no momento oportuno.
        O apostolado mediúnico, portanto, não se constitui tão-somente da movimentação das energias_psíquicas em suas expressões fenomênicas e mecânicas, porque exige o trabalho e o sacrifício do coração, onde a luz da comprovação e da referência é a que nasce do entendimento e da aplicação com Jesus-Cristo.

[41a - página 227] - Emmanuel - 1940
[41] O CONSOLADOR – 16a. edição - Francisco Cândido Xavier – ditado pelo espírito Emmanuel
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:10
roteiro para o Evangelho no Lar...
Elaborado pelo Instituto André Luiz e utilizado no lar por seus membros.
1. Escolha o dia de sua preferência. Sugerimos um dia de fácil memorização, como, por exemplo, segunda ou sexta-feira.
2. Escolha um aposento silencioso e agradável da casa, de preferência a sala de jantar, e que esteja com os aparelhos eletro-eletrônicos desligados.
3. Coloque uma jarra com água sobre a mesa, para fins de fluidificação. Na falta dessa podem ser utilizados copos, qualquer um, em número correspondente aos integrantes do Evangelho.
4. Sentar-se à mesa sem alarde e sem barulho.
5. Fazer a prece de abertura, a que toque mais fundamente o sentimento familiar. Pode ser uma prece pronta ou uma prece espontânea, o importante é, repetimos, o sentimento da fé e a confiança na Proteção Divina.
6. Após, fazer uma leitura breve de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Comentar com palavras próprias o trecho lido. No início poderá existir certa timidez mas, com o correr do tempo, os comentários surgirão espontaneamente pois que os Espíritos amigos estarão auxiliando na compreensão dos textos selecionados.
7. Os demais integrantes poderão tecer comentários também, caso o desejem, mesmo que estes levem a assuntos pessoais e/ou a diálogos, naturalmente que sempre pertinentes ao tema em foco. O Evangelho no Lar é antes de tudo uma reunião de Espíritos reencarnados no mesmo ambiente, buscando através da prece, da elevação de pensamentos e do diálogo fraterno, o amparo e o auxílio do Mais Alto para seus problemas e necessidades. Não deve ser jamais solene ou ritualístico, com palavras e movimentos decorados a lembrar missas e demais cultos.
8. Para incentivar a participação dos filhos ou demais membros, com exceção do pequeninos, é conveniente pedir que leiam mensagens espíritas, para reflexão do grupo. Incentivar também, com carinho, o comentário após a leitura. Sugerimos aqui mensagens de Emmanuel ou André Luiz, sempre claras e breves, porém de conteúdo precioso e oportuno.
9. Proferir a prece de encerramento e rogar, como exemplo, pela paz, harmonia, saúde e felicidade dos membros da reunião e de todos com os quais convivem. Desejando, rogar também pelos doentes, desamparados e infelizes da Terra. Por último, pedir a bênção de Deus para os familiares desencarnados, sem temor. A lembrança da prece alegra e pacifica os que partiram.
10. É completamente desaconselhável qualquer manifestação mediúnica durante o Evangelho no Lar.
11. Servir, após a prece de encerramento, a água fluidificada.
12. Tempo: o necessário para a família. Sugerimos uma reunião de 15 a 30 minutos. Música: sim, se for do agrado de todos. Sugerimos música instrumental, em volume baixo.
http://www.institutoandreluiz.org/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5pbnN0aXR1dG9hbmRyZWx1aXoub3JnLw==)
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:16
  Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139545/#msg139545#ixzz0y7P2Wwyx

        "Fazei o que eu fazia, quando vivi na Terra: ao fim do dia, interrogava a minha consciência, passava revista ao que fizera e perguntava a mim mesmo se não faltara a algum dever, se ninguém tivera motivo para de mim se queixar. Foi assim que cheguei a me conhecer e a ver o que em mim precisava de reforma. Aquele que, todas as noites, evocasse todas as ações que praticara durante o dia e inquirisse de si mesmo o bem ou o mal que houvera feito, rogando a Deus e ao seu anjo_de_guarda que o esclarecessem, grande força adquiriria para se aperfeiçoar, porque, crede-me, Deus o assistiria. Dirigi, pois, a vós mesmos perguntas, interrogai-vos sobre o que tendes feito e com que objetivo procedestes em tal ou tal circunstância, sobre se fizestes alguma coisa que, feita por outrem, censuraríeis, sobre se obrastes alguma ação que não ousaríeis confessar. Perguntai ainda mais: "Se aprouvesse a Deus chamar-me neste momento, teria que temer o olhar de alguém, ao entrar de novo no mundo dos Espíritos, onde nada pode ser ocultado?"
        "Examinai o que pudestes ter obrado contra Deus, depois contra o vosso próximo e, finalmente, contra vós mesmos. As respostas vos darão, ou o descanso para a vossa consciência, ou a indicação de um mal que precise ser curado."
        "O conhecimento de si mesmo é, portanto, a chave do progresso_individual. Mas, direis, como há de alguém julgar-se a si mesmo? Não está aí a ilusão do amor-próprio para atenuar as faltas e torná-las desculpáveis? O avarento se considera apenas econômico e previdente; o orgulhosos julga que em si só há dignidade. Isto é muito real, mas tendes um meio de verificação que não pode iludir-vos. Quando estiverdes indecisos sobre o valor de uma de vossas ações, inquiri como a qualificaríeis, se praticada por outra pessoa. Se a censurais noutrem, não na poderia ter por legítima quando fordes o seu autor, pois que Deus não usa de duas medidas na aplicação de Sua justiça. Procurai também saber o que dela pensam os vossos semelhantes e não desprezeis a opinião dos vossos inimigos, porquanto esses nenhum interesse têm  em mascarar a verdade e Deus muitas vezes os coloca ao vosso lado como um espelho, a fim de que sejais advertidos com mais franqueza do que o faria um amigo. Perscrute, conseguintemente, a sua consciência aquele que se sinta possuído do desejo sério de melhorar-se, a fim de extirpar de si os maus pendores, como do seu jardim arranca as ervas daninhas; dê balanço no seu dia moral para, a exemplo do comerciante, avaliar suas perdas e seus lucros e eu vos asseguro que a conta destes será mais avultada que a daquelas. Se puder dizer que foi bom o seu dia, poderá dormir em paz e aguardar sem receio o despertar na outra vida."
        "Formulai, pois, de vós para convosco, questões nítidas e precisas e não temais multiplicá-las. Justo é que se gastem alguns minutos para conquistar uma felicidade eterna."
        "Não trabalhais todos os dias com o fito de juntar haveres que vos garantam repouso na velhice? Não constitui esse repouso o objeto de todos os vossos desejos, o fim que vos faz suportar fadigas e privações temporárias? Pois bem ! Que é esse descanso de alguns dias, turbado sempre pelas enfermidades do corpo, em comparação com o que espera o homem_de_bem? Não valerá este outro a pena de alguns esforços? Sei haver muitos que dizem ser positivo o presente e incerto o futuro. Ora, esta exatamente a idéia que estamos encarregados de eliminar do vosso íntimo, visto desejarmos fazer que compreendais esse futuro, de modo a não restar nenhuma dúvida em vossa alma. Por isso foi que primeiro chamamos a vossa atenção por meio de fenômenos capazes de ferir-vos os sentidos e que agora vos damos instruções, que cada um de vós se acha encarregado de espalhar. Com este objetivo é que ditamos O Livro dos Espíritos."

SANTO AGOSTINHO
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:18
  Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139545/#msg139545#ixzz0y7P2Wwyx

     Muitas faltas que cometemos nos passam despercebidas. Se, efetivamente, seguindo o conselho de Santo Agostinho, interrogássemos mais amiúde a nossa consciência, veríamos quantas vezes falimos sem que o suspeitemos, unicamente por não perscrutarmos a natureza e o móvel dos nossos atos.
        A forma interrogativa tem alguma coisa de mais preciso do que qualquer máxima, que muitas vezes deixamos de aplicar a nós mesmos. Aquela exige respostas categóricas, por um sim ou não, que não abrem lugar para qualquer alternativa e que são outros tantos argumentos pessoais. E, pela soma que derem as respostas, poderemos computar a soma de bem_ou_de_mal que existe em nós.
 
[9a - página 423 questão 919]
[9a] O LIVRO DOS ESPÍRITOS – 76a. ed. - Kardec.  (Paris, 18-4-1857)   
Este livro é o repositório dos ensinamentos dos Espíritos.  Foi escrito por ordem e mediante ditado de Espíritos superiores, para estabelecer os fundamentos de uma filosofia racional, isenta dos preconceitos do espírito de sistema. Nada contém que não seja a expressão do pensamento deles e que não tenha sido por eles examinado. Só a ordem e a distribuição metódica das matérias, assim como as notas e a forma de algumas partes da redação constituem obra daquele(Allan Kardec) que recebeu a missão de os publicar .- página 49  (Ver: Prolegômenos)
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:25
Queridos e amados irmãos,
Que a paz que o mundo não pode nos dar, posto que é ilusão, mas que Cristo no-la prometeu, esteja em todos os corações neste momento,  posto que nos asseverou o mestre que quando dois ou mais estivessem reunidos em seu nome, nesse meio ele estaria...

Nós não temos nenhuma razão para duvidar, e Ele o Mestre dos Mestres, não tinha nenhuma razão para nos enganar...

Será que Evangelizar os próprios filhos e a si mesmo é manifestação do EGO?
roteiro para o Evangelho no Lar...
Elaborado pelo Instituto André Luiz e utilizado no lar por seus membros.

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139545/#msg139545#ixzz0y7QH6BHc

Que Deus os abençoe e ilumine, e que todas reflexões não tenham nenhuma outra intenção senão a de elevar e iluminar os humildes e indoutos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:40
Amados irmãos,
Que Deus os abençoe e ilumine, e que todas reflexões não tenham nenhuma outra intenção senão a de elevar e iluminar os humildes e indoutos.
Saúde e Paz!

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139553/?topicseen#msg139553#ixzz0y7V0wWyQ

 Hoje vos diremos o dever do homem no período da prova.
        O homem, como entidade espiritual responsável, tem deveres a cumprir,...

para consigo mesmo,
para com o seu próximo
e para com Deus.
        Os vossos guias instrutores esboçaram suficientemente o código moral que diz respeito ao espírito do homem, mas, ao lado e além do que puderam ensinar, se estende um vasto domínio. A influência do espírito sobre o espírito, apenas reconhecida entre os homens,...

é o mais poderoso socorro
ou o mais formidável obstáculo ao progresso humano.
        Resumamos. Pela palavra progresso ou conhecimento_de_si_mesmo, compreendemos...

segue...
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:41
Amados irmãos,
      Os vossos guias instrutores esboçaram suficientemente o código moral que diz respeito ao espírito do homem, mas, ao lado e além do que puderam ensinar, se estende um vasto domínio. A influência do espírito sobre o espírito, apenas reconhecida entre os homens,...

é o mais poderoso socorro
ou o mais formidável obstáculo ao progresso humano.
        Resumamos. Pela palavra progresso ou conhecimento_de_si_mesmo, compreendemos...

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139553/?topicseen#msg139553#ixzz0y7VKZMM0

       Resumamos. Pela palavra progresso ou conhecimento_de_si_mesmo, compreendemos...

o dever do homem, entidade espiritual, que deve fazer um constante esforço para ativar o seu desenvolvimento anterior.
O dever do homem, ser intelectivo e racional, define-se pela palavra, cultura ou pesquisa dos conhecimentos, não em uma única direção, mas em todas; não por interesse material, mas para estimular faculdades que, destinadas a perpetuar-se, devem aumentar incessantemente.
Enfim, diante do seu espírito, oculto sob_uma_forma_de_carne, o dever do homem é a Pureza, pois Progresso, Cultura, Pureza, totalizam no conjunto os deveres do homem para consigo mesmo, considerado como ser espiritual, intelectivo e material. (Ver: Amor e Conhecimento)
        Quanto ao dever do homem para com a raça de que é ele unidade, a comunhão de que é membro, experimentamos cristalizar em uma palavra a idéia central que lhe é o motor.

Caridade ou Tolerância para com as divergências de opinião, caridosa apreciação de atos e palavras duvidosas, benevolência nas relações, ardente_desejo_de_ajudar_o_seu_próximo, sem aspirar a recompensas;
cortesia e doçura de conduta;
paciência diante da injustiça ou interpretação malévola;
integridade nos negócios ou projetos, aliada a uma indulgente e afetuosa bondade;
simpatia perante os sofrimentos de outrem;
misericórdia, piedade e ternura de coração;
respeito à autoridade em sua esfera;
respeito aos direitos do fraco;
essas qualidades e outras que tais, do mesmo gênero, que são a verdadeira essência do caráter do Cristo, exprimimo-las nós pela palavra Caridade ou Amor ativo.

segue...
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:44
  Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139553/?topicseen#msg139553#ixzz0y7Vcxp9X

 Quanto à relação entre o homem e o seu Deus, é a de um ser que, colocado em um dos mais baixos graus de existência, aproxima-se da Fonte de Luz incriada, do Grande Autor, do Pai de tudo.
        A sua alteza é definida por estas palavras da Bíblia: “Os anjos ocultam a face com as asas quando se inclinam diante do seu trono.” Essa figura simboliza a veneração e a adoração que deve possuir o espírito do homem. Veneração e temor, mas sem terror. Adoração, Amor, tais são as qualidades que devem inspirar o espírito em sua relação com Deus.
        Este vago esboço dos deveres humanos pode ser completado, mas o homem, observando-os, fica em estado de realizar grandes progressos, de ser um bom cidadão, podendo servir de modelo em qualquer situação da vida. Não falamos do dever exterior, cuja importância não conhecemos. Por isso, durante todo o tempo em que o homem é um ser físico, os atos físicos ocupam-lhe grande lugar; não receamos que se deixe de ligar a isso uma importância suficiente, e eis por que não nos apoiamos sobre esse lado da questão. Ocupamo-nos sobretudo com atrair-vos a atenção sobre o vosso verdadeiro eu, e insistimos para que considereis tudo o que fazeis como a manifestação exterior de um espírito interior que determinará a vossa futura condição de existência ao deixardes esse ciclo. Quando reconhecerdes o espírito, que é alma de tudo, que é a realidade e a vida ocultas sob a Natureza e a Humanidade, e que se manifesta sob as formas mais diversas, estareis inspirado pela verdadeira sabedoria. Temos agora de tratar dos resultados que derivam da observância ou da não aceitação do dever do homem. Aquele que o preenche conforme a sua capacidade com o honesto, sincero e único desejo de o executar o melhor possível, é recompensado em progresso.

Dizemos progresso, porque o homem é inclinado a não reparar que o seu espírito tende a encontrar no progresso a mais real felicidade.
A alma pura goza apenas um contentamento relativo, não pode descansar no que é passado, onde só vê um estimulante exortando-a a caminhar; vai para o futuro, na esperança e na expectativa de um desenvolvimento sempre mais extenso.
A alma que adormece satisfeita, imaginando atingir a meta, estaria em perigo de retrogradar.
A verdadeira atitude do espírito é a do esforço ardente e ascensional, e a sua felicidade está na progressão perpétua.
        Isto se aplica não somente ao fragmento da existência a que chamais vida, mas à totalidade do ser. Sim, as ações efetuadas durante a encarnação têm a sua continuidade na vida do espaço; a barreira a que chamais morte nada limita, pois, longe disso, a condição do Espírito, ao_recomeçar_a_sua_vida_real, é determinada pelos seus atos corpóreos.
 O Espírito que foi indolente ou impuro gravita necessariamente em esfera congênere e começa o período de provas, que têm por objeto purificá-lo dos hábitos adquiridos durante a sua vida terrestre, inspirar-lhe a vergonha e o remorso, que despertam nele o desejo de se elevar; isso é o castigo da transgressão e não um julgamento arbitrário; é a inevitável sentença que condena ao remorso, ao arrependimento – retribuição do pecado consciente; é a vara que castiga, não porém aplicada por uma divindade vingadora; é a lei de um Pai terno que mostra ao filho a sua falta e o modo como repará-la. A recompensa não é um repouso inativo, monótono ou sensual, porém a consciência do dever cumprido, do progresso realizado, da capacidade acrescida para progredir ainda, do amor de Deus e do homem, aumentado pela verdade servida e conservada.
        é a recompensa do espírito, vinda como o descanso depois do labor, como a água ao sequioso, como a sensação de alegria ao viajante ao avistar a casa; é gratificação penosamente ganha. O aguilhão impelindo a outros progressos.

[108 - página 177 / 180] - Médium: William Stainton Moses - (1839 - 1892)
[108] ENSINOS ESPIRITUALISTAS - FEB - Obra mediúnica - William_Stainton_Moses (*05/11/1839 - +05/9/1892) - Textos ditados pelo Espírito Imperator, por intermédio de um outro Espírito que lhe servia de secretário, Rector, através da psicografia. *
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 20:46
Não precisa despejar esse bando de texto para dar uma simples opinião?

O tópico é sobre o envaidecimento criado pela evangelização e não se deve ou não deve ser feito.

Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 20:48
Não precisa despejar esse bando de texto para dar uma simples opinião?

O tópico é sobre o envaidecimento criado pela evangelização e não se deve ou não deve ser feito.

Um abço
Hebe
Amados Irmãos,
Para equilibrar a balança, e nortear alteridade:

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139563/#msg139563#ixzz0y7X3akP5


Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 20:53
 :D :D :D
O desejo de evangelizar às vezes enaltece  EGO,

Um abço
Hebe

Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 21:01
Irmãos,
Reflitamos:
Não são poucos os estudiosos que procuram investigar os domínios da ciência_psíquica, na sede de encontrar o lado verdadeiro da vida; porém, se muitas vezes acham apenas o malogro das suas esperanças, o soçobro dos seus ideais, é que se entregam a estudos arriscados sem preparação prévia para resolver tão altas questões, errando voluntariamente com espírito de criticísmo, muitas vezes injustificável, já que não é filho de raciocínio acurado, profundo. O êxito no estudo de problemas tão transcendentais demanda a utilização de fatores morais, raramente encontrados; daí a improdutividade de entusiasmos e desejos que podem ser ardentes e sinceros.

Então, para quem está ainda indouto, o melhor instrumento de que dispõe é Evangelizar, e Ebangelizador não age de dentro para fora....
Quando ele se auto-investe com amor na obra: torna-se médium de excelente quilate, posto que humildemente reconhece que de sí nada sabe, então lança mão do Evangelho...

Isto é alteridade....
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 21:05
:D :D :D
O desejo de evangelizar às vezes enaltece  EGO,

Um abço
Hebe



Sim amada irmã, como o culto do Evangelho no Lar...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 21:14
:D :D :D
O desejo de evangelizar às vezes enaltece  EGO,

Um abço
Hebe



Para não evangelizar(posto que é manifestação do EGO) é melhor falar dos livros que estão às centenas enchendo as bancas e enriquecendo milhares de Editoras... auto ajuda...
Work shop citando e vendendo livros de mestres dos mais variados timbres de Ego...
 
Mas tudo bem o que precisamos mesmo é criticar para gerar calor e interagir pela alteridade.

É humano e atual...
Prossigamos ...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 21:19
:D :D :D
O desejo de evangelizar às vezes enaltece  EGO,

Um abço
Hebe

Concordo plenamente com o posicionamento da amada irmã....

Evangelizar é manifestação do EGO....

mas... e?
Curso Regressão Memória
Técnicas simples e incontestáveis Mude Sua Vida Desperte o Líder Nato
www.AmadeuW.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5BbWFkZXVXLmNvbS5icg==)
Riqueza e Prosperidade
Independência Financeira Coaching Tenha Seu Treinador Pessoal
www.coachfinanceiro.com (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jb2FjaGZpbmFuY2Vpcm8uY29t)
Cursos de Psicologia
Encontre Cursos, Pós e Mestrados espalhados pelo Brasil e pelo Mundo
www.Mestrados-Cursos.com.br/Cursos (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5NZXN0cmFkb3MtQ3Vyc29zLmNvbS5ici9DdXJzb3M=)
Palestras de Psicologia
VII Congresso Transpessoal Sobre Felicidade Autêntica. 4 a 7 de Set.
Alubrat.org.br/FelicidadeAutentica
Psicoterapia BH - MG
Psicólogo: Eduardo Lacerda. Atendimento individual e casal.
www.prenatalsaudemental (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wcmVuYXRhbHNhdWRlbWVudGFs).

É mais saudável que Evangelho...  aplicar reiki...
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 21:21
:D :D :D
O desejo de evangelizar às vezes enaltece  EGO,

Um abço
Hebe

Amada irmã,

Tem uma outra por ai  que eu pensei que era  topógrafo que administrava...
uma tal de  apometria.... ainda não aprendi dessa não...
por isso vou ficando com o Evangelho...
Saúde e Paz!


Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 21:27
:D :D :D
O desejo de evangelizar às vezes enaltece  EGO,

Um abço
Hebe
EVANGELHO SEGUNDO TOMÉ O DÍDIMO
O Evangelho do Apóstolo Tomé
(Apostolo Dídimo Judas Tomé)
Texto Gnóstico encontrado em Nag Hammad, em 1945
 
        Estas são as palavras secretas que Jesus o Vivo proferiu e que Dídimo Judas Tomé escreve:
        (2) Jesus disse: "Aquele que busca continue buscando até encontrar. Quando encontrar, ele se perturbará. Ao se perturbar, ficará maravilhado e reinará sobre o Todo."
http://paginas.terra.com.br/servicos/ecard/apocrifosonline/evangelhos_gnosticos/evangelho_tome.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3BhZ2luYXMudGVycmEuY29tLmJyL3NlcnZpY29zL2VjYXJkL2Fwb2NyaWZvc29ubGluZS9ldmFuZ2VsaG9zX2dub3N0aWNvcy9ldmFuZ2VsaG9fdG9tZS5odG0=)

Esta também é muito boa e faz parte....
Saúde e Paz!


Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 21:32
Muito Obrigada Filho do Bino
Basta a Codificação e a Biblioteca que já tenho acesso.
No Forum, procuro resumir.
Uma simples frase já gerou 4 post. !!!!  :D
 
Fique em paz
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 21:59
Amada irmã... por favor...plys por obséquio...
deixa eu citar e explicar a última de hoje... quem sabe amanhã tem mais? ??? ??? ??? ?

Leia com atenção o que está em vermelho e Reflita se algo que tem origem no sufismo e não contraría frontalmente este criário. (lembra da recente novela que a Globo serviu de instrumento para merchandising?
Mas que foi inaugurado desde a cultura Egpcia antiga, referendada na cultura Grega, convertida em verdade onde imperou o Evangelismo, e mesmo o culto católico ainda mantem restrições... merece seu apoio de forma tão integral... entenda ... não estou afirmando nem criticando, estou pedindo alteridade e reflexão de uma mente que considero preciosa e elevada... a que mais me compreende... até aqui... daqui pra frente... tá na mão Dele...
Quem senão o Cristo, (vide Madalena e a samaritana no poço de jacó, respeitou como filhas de Deus mais que?


Peço-lhe ainda: Reflita no conteúdo e não ligues a autoria, posto que por formação de clãs também são os dignos brasões familiares dos criticos  do Evangelismo....

      Erige-se, desde então, o Evangelho em código de harmonia, inspirando o devotamento ao bem de todos até o sacrifício voluntário, a fraternidade viva, o serviço infatigável aos semelhantes e o perdão sem limites.
        Iniciam-se em todo o Orbe imensas alterações.
A crueldade metódica cede lugar à compaixão.
Os troféus sanguinolentos da guerra desertam dos santuários.
A escravidão de homens livres é sacudida nos fundamentos para que se anule de vez.
Levanta-se a mulher da condição de alimária para a dignidade humana.
A filosofia e a ciência admitem a caridade no governo dos povos.
O ideal da solidariedade pura começa a fulgir sobre a fronte do mundo.
        Moisés instalara o princípio da justiça, coordenando a vida e influenciando-a de fora para dentro.
        Jesus inaugurou na Terra o princípio do amor, a exteriorizar-se do coração, de dentro para fora, traçando-lhe a rota para Deus.
        E eis que o Cristianismo grandioso e simples ressurge agora no Espiritismo, induzindo-nos à sublimação da vida íntima, para que nossa alma se liberte da sombra que a densifica, encaminhando-se, renovada, para as culminâncias da Luz.
[56 pág. 157] Pedro Leopoldo - 13/4/1958
56] EVOLUÇÃO EM DOIS MUNDOS - Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira – André Luiz 20ª edição. *
A convite de André_Luiz, os médiuns Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira receberam os textos deste livro em noites de domingos e quartas-feiras, respectivamente nas cidades de Pedro Leopoldo e Uberaba, Estado de Minas gerais, em 1958As páginas psicografadas por um e outro podem ser identificadas pela data característica de cada texto.E ainda dizem que evangelizar é manifestação do EGO?
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 22:07
Quando se envaidece disto é.
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 22:11
Quando se envaidece disto é.
Um abço
Hebe
Não deu tempo de ler e entender o texto e responder... assim... criticar é fácil... e ainda tem coragem de dizer que  Evangelizar é manifestação do EGO?
Namasté... Deus te guarde e te guie!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 22:14
Já li seu post
Nem precisava escrever tanto primeiro.
Falando em outras palavras .
Quando se orgulha de envangelizar e não faz isso com humildade e sem esperar retorno, é manifestação do EGO.
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 22:14
Amada irmã...
Meu ultimo post de hoje... voce destinou a ler e entender apenas 2 segundos... está gravado....
Pelo menos pelas demais mulheres do planeta... irmã... erga um pouco mais de tempo...
Assim criticar evangelizador como manifestação de Ego é facil.... onde a alteridade?
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 22:16
Filho do Bino,
Não foram dois segundos,
Fiz até download de 4 livros em outro tópico enquanto lia o seu.
Pode conferir no relógio.
Eu não preciso soletrar
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 22:20
Filho do Bino,
Não foram dois segundos,
Fiz até download de 4 livros em outro tópico enquanto lia o seu.
Pode conferir no relógio.
Eu não preciso soletrar
Hebe

o meu post foi terminado em :« Última modificação: Hoje às 22:05 by filhodobino »
Citação de: hemcogliatti em Hoje às 22:07

está gravado...
Até amanhã!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 22:28
Leia e conte no relogio.
Quanto a citação sobre a mulher, primeiro eu sou espírito, nesta eu estou em corpo de mulher para cumprir minhas provas .
Não tem sentido enaltecer isso.
Um abço
Hebe
 
Ps: Enquanto você modifica o post continua exposto
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 22:42
Liga não amada irmã...
Isto também é Gestalt...terapia...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 22:48
Sem vaidade nenhuma Filho do Bino mas sou rápida mesmo para entender.
Não me conhece pessoalmente.
E está entendendo errado o sentido do tópico , mais uma vez repito.
Não é dizer se é válido ou não evangelizar e sim o orgulho que se tem disto que nada mais é do que egoísmo.
Sinto muito, mas essa é a minha visão. Não estou com isso denegrindo os ensinamentos Cristãos, que aliás, a principal coisa é despir-se desse egoísmo e interagir de forma completa.
Um abço
Hebe.
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 23:04
Sem vaidade nenhuma Filho do Bino mas sou rápida mesmo para entender.
Não me conhece pessoalmente.
E está entendendo errado o sentido do tópico , mais uma vez repito.
Não é dizer se é válido ou não evangelizar e sim o orgulho que se tem disto que nada mais é do que egoísmo.
Sinto muito, mas essa é a minha visão. Não estou com isso denegrindo os ensinamentos Cristãos, que aliás, a principal coisa é despir-se desse egoísmo e interagir de forma completa.
Um abço
Hebe.
 

Sim para mim ficou claro...
Como também ficou claro que citar somente obras básicas é doutrinar... sem deixar o Espírito entender nas entrelinhas... nesse ponto gosto mais de OSHO...
Agora Evangelizar não é religião... é tentar entender o que o Espirito da verdade colocou com a compreensão mistica espiritual(kardecista detesta este mística, mas não fui eu que criei, então não me entendam provocador)... foi só para explicar a diferença...
Porque há manifestação do Ego em repetir o que o Espirito fala...
Porque    n ã o   pode ser manifestação do Ego, repetir o que kardec codificou, ???
Porque   n  ã  o  pode ser manifestação do Ego aplicar Reik e magnetismo ensinado no mesmerismo?
Só posso entender que é pela falta de alteridade.
sem ofensas...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 23:13
Continua não entendendo o sentido do tópico.
Ninguem está criticando esta ou aquela forma de evangelizar e sim o orgulho que se tem em fazer isso.
AFF !!! Está dificil.
Não tem nem sentido ficar citando OSHO,Reik,  magnetismo, Budismo, Hinduismo, Catolicismo, protestantismo, espiritismo e qualquer coisa que o valha.
 
Um abço
Hebe
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 30 de Agosto de 2010, 23:15
legal maninha...
Eu perdi no par ou impar.... que tirei comigo mesmo...
a ultima palavra continua sendo sua...
Até amanhã...
Fique Com Deus...
Namasté.... Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 30 de Agosto de 2010, 23:19
a evangelização que vejo nas casas espíritas que frequento e que é indicada pela FEB não é nem de longe parecida e com os mesmos propósitos catequistas, de imposição. é justamente voltada para essa concepção do ser integral, da educação do ser espiritual consciente de sua posição no universo. Agora, enaltece o ego do evangelizador-educador, vai da evolução moral-espiritual deste. Trabalho em uma evangelização para crianças carentes. É muito bonito ver o despertar daquelas consciencias que não tem noção de nada realcionado ao espiritual, a Deus, Jesus, Kardec, Espiritismo. Enaltece o meu ego? talvez. Evangelizar não está na obra básica. Reclame com Jesus então, pois ele evangelizava-educava, nos trazia verdades novas, abria consciencias, e é essa a proposta da evaneglização espírita. 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 30 de Agosto de 2010, 23:26
Sem dúvida é esta a proposta da evangelização espirita.
Mas como você mesmo disse, tem pessoas e pessoas, algumas usam a evangelização para enaltecer seus conhecimentos e se orgulhar disso. Vemos isso a todo instante nos Centros. Quantos dirigentes de Centro são extremamente orgulhosos do que fazem?
 
Entenda bem , não sou contra as práticas de ensino da DE, o questionamento é a forma como se dá.
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 31 de Agosto de 2010, 13:19
Boa tarde!
 
Pois o texto é critico sim...crítica a forma como é divulgado o espiritismo entre as crianças e os jovens, mais concretamente, nos centros espíritas e respectivos departamentos do DIJ. No entanto, em momento algum se faz a apologia da "não evangelização", ou de deixar-se a criança e o jovem caminharem sem uma educação espírita.
O que se passa, é que os homens-espíritas têm desvirtuado o conceito de criança segundo o espiritismo.
Só um exemplo:
 
a criança que nasce, vem de novo á terra, reencarna num novo corpo, trás informações e experiências antigas, ora, não existem dois seres com a mesma necessidade de aprendizagem, certo? Estão todos em patamares diferentes de descoberta, de dificuldades...
 
As "aulas" de evangelização, colocam as crianças todas no mesmo grau de conhecimento e dificuldade! Separam-se por idades (quando sabemos que não é a idade do corpo que define a experiência/conhecimento); ensinam-se todas da mesma forma, fazem-se avaliações (imagine-se!!) iguaizinhas a todos...e ainda...são divulgadas e distribuidas pela europa e america, para povos com culturas diferentes e dadas da mesma maneira...e por aí fora.
 
Companheiros, eu conheço as apostilas recentes da FEB, já as tentei por em prática com um grupo de jovens, e sinceramente, 3 anos seguidos a falar de Deus, Cristianismo, Espiritismo (consolador prometido), Prece... é de mandar qualquer jovem ir pro cinema ou pra net, que no centro é que não quer ficar...
Têm de ser as crianças e os jovens a colocar questões/dúvidas, tem de renovar todos os dias, todos os anos a forma de expor matérias, para que eles busquem o conhecimento, para que eles sintam o entusiasmo nessa busca.
 
Porque num grupo da mesma idade não se pode estudar 2/3 temas diferentes?
 
Porque têm as crianças de decorar aquelas musiquinhas todas do mesmo modo que já faziam as mães e as avós? Os tempos mudam...
 
Mas bem, o que se passa, e vamos ao cerne da questão, é que é muito fácil ser evangelizador: pegam na cartilha já com os textos e perguntas prontinhas, os objectivos e actividades muito bem planificados, e só orientar...tá feito. E depois saiem satisfeitos, tal como os milhares de professores que enchem as escolas, que andam anos e anos a repetir o mesmo B A Ba!!!
Deve ser cansativo e terrivel para eles não? Que seca! Ah (perdoem a ironia) mas é uma maravilha: sou evangelizador!
 
É isto...é esta a reflexão. Obrigada Hebe por entende-la.
 
Abraços
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 31 de Agosto de 2010, 13:50
Oi Gigii,

Você levantou uma questão muito importante.
A padronização e obrigação do ensinamento não levando em consideração a vontade de aprender e o entusiasmo que tem que ser estimulado.

Sinto muito, mas nem na minha época era agradável qualquer coisa que fosse imposta em termos de religiosidade. Estudavamos e faziamos por obrigação ou por medo, seja dos pais ou pior ainda de Deus.
Essa imposição pode ser um grande desastre.

Esse ensinamento deve partir da vontade de aprender e passado no dia dia de forma muito agradável e suave.

Os tempos mudaram!!!!!

Um abço
Hebe



Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 14:00
Amados Irmãos,
Vejam como a palavra escrita, tem enorme dificuldade para divulgar o pensamento, depois desse debate todo, vi no último post da gigi, o mesmo que me afastou das apostilas organizadas pelos da pureza doutrinária... Concordo plenamente com ela da forma como ela colocou agora... até cliquei na setinha verde do post dela...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 14:06
Então meus amados companheiros e companheiras, (não é saudação política não), é amor que sinto por todos vocês....
Considero este fórum um veículo gestalt - terapia, centenas de vezes mais eficaz que os work shops com venda de livros caríssimos.
Saúdo-os todos enviando o que tenho de mais luminoso no coração.
Saúde e Paz!
PS.; se for só uma nuvenzinha morena que virem liga, liga, tem amor nela também.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 31 de Agosto de 2010, 17:12
É isso mesmo Gigii!
Em algumas poucas casas espíritas a evangelização, trás características mais modernas e mais eficazes, mas, com imensa tristeza anoto que não só No Rio de Janeiro, mas nos estados de São paulo, Minhas, e Bahia nos quais já passei dias olhando o desenvolvimento desse tipo de estudo, não vi mais do que reedições, da Escolinha da tia Juju, ou o mais triste, da Escolinha do professor Raimundo, sim aquela da TV.
Não ensinam mais do que os padres ensinam dentro da igreja, só que com a imperfeição de quem não conhece a doutrina católica.
Não se quer novos padres mirins, ou crianças alienadas, o que se quer é que a criança tenho do modo como possa compreender, as lições morais que são tidas no Evangelho Segundo o Espiritismo aliadas às concepções que possam conter as elucidações constantes no LE, LM, etc, assim sim, se faz uma evangelização de boa qualidade.
Em muitas aulas de evangelização vi espetáculos deprimentes, como um evangelizador não ter como responder a uma questão mais intrincada que uma criança projetou. a mim pareceu-me,. que ali pensava-se que a evangelização é apenas uma forma de passa-tempo  para as crianças ficarem quietinhas enquanto os pais  fazem o seu Espiritismo a moda da casa.
A amiga colocou com muita propriedade.
abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: hcancela em 31 de Agosto de 2010, 19:21
Olá amigos(as)




Ora aqui está um bom tema de "Evangelizar em crianças". ;D ;D ;D ;D




Nem vou dizer muito mais, mas recentemente abri um tópico ( quase por brincadeira) que diz! Espiritismo para crianças, que fala coisas de Deus e a forma como as crianças se devem ( comportar) contado em histórias e muito agradáveis até para adultos. Existem alguns livros de autores espirituais á base de Histórias e que relatam os temas quase por brincadeira incentivando á pintura, etc.


Não podemos é despejar a codificação ás nossas crianças e não só(existem adultos também) porque elas acham tudo muito chato. De facto é necessário alguma pedagogia para lidar com elas.


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 21:03
Queridos e Amados Irmãos,
A alteridade permanece incompreensível para nós Espíritas Adultos...
Inaugurada com o filme Shangri-lá, de origem Rosacruz, e pelo sucesso alcançado, inúmeras outras ordens místicas, passaram a produzir várias outras películas dirigidas aos adultos, me lembro assim de pronto Ghost...
Telenovelas, entraram no rítimo...
O Bhudismo fez melhor, em especial os oriundos da cultura japonesa, Coreana, e agora até os chineses também estão produzindo desenhos animados com intenso envolvimento mistico-exotérico...
Nós na nossa vida corrida para acumular bens, nunca nos assentamos para assistir o que nossos filhos preferem...
Estamos  com o nosso discurso purista, nos esquecendo que os tempos são outros...
Os joguinhos dos playstation, a turma do RPG(inclusive meu filhinho de 38 anos dedica no mínimo 3 horas diárias ao RPG com seus amigos...
Não há erros em lugar algum...
Então porque não Evangelizar com o que o Cristo nos legou?
Se há defeitos não são culpa dos que lá vão sem estarem preparados...
É que os preparados fogem sistematicamente desse labor... só querem a mesa mediúnica...
Compreender o que está acontecendo à nossa volta é alteridade...
Reflitam...
Não pensem que me desestimulou o fato de generalizarem Ego para Evangelizador...
Foi para mim uma experiência exata de Gestalt-terapia, e nem paguei vultosa soma para participar dos work-shop.
Reflitam considerando alteridade...
Com amor e carinho a todos posto que amo todos independentemente do que postam...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 21:08
Amados irmãos,
Acabei de postar e o meu post abriu exatamente ao lado de uma merchandising da Logosofia...
Losogosofia, forma crianças a partir do fundamental ao término do segundo grau, dentro das noçoes logosóficas...
Os Espíritas, já estão mais de 100 anos atrás em termos pedagógicos... e continuam debatendo o  sexo dos anjos...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 31 de Agosto de 2010, 22:22
O que tem que ser feito então?
Enfiar os 5 livros da codificação goela abaixo das crianças obrigando-as a aceitar?
Ora, Espiritismo é em primeiro plano ensinamento moral e isso se faz todos os dias no convívio seja em casa ou em qualquer lugar que frequentamos.
Olha só a dificuldade do entendimento da DE até entre adultos ou vai me dizer que isso não é verdade?
 
Além de conceitos errados passados por romances que é despejado aos montes no mercado por interesse puramente comercial.
 
Desenvolva-se então um material didático descente e atraente que possa fazer com que desperte a curiosidade e o interesse pela DE na forma correta.
 
Como Moura falou isto está sendo feito de uma forma errada, não generalizando é claro.
 
Um abço
Hebe
 
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: pati em 31 de Agosto de 2010, 22:34
Bons dias a todos!!
Se conseguir postar, vai ser uma bênção... ::)

Hebe, aqui estou eu...



Gosto desse tema, pois fico de EGO alterado(modificado) qdo se trata de evangelizar. Amigo filhodobino: o meu dicionário é tão velho que a palavra ALTERIDADE não consta, acredita?O que é realmente isso? EVANGELIZAR? Fico imaginando que estou longe de entender o Evangelho do Nazareno; então, como evangelhizar alguém, sem estar em "plena forma" comigo mesma? Hoje, consigo me ver como educanda, nessa vida, em humanidade. Nem sequer saí da casca, em pleno gozo do EGOÍSMO; então, como seguir algo já pronto(apostilas), se onde estou aprendendo a conversar sobre as coisas de Deus, os visitantes, crianças ou não, se olham com ódio e se afastam uns dos outros por que estão frequentando uma casa do demônio? Estamos instalados no meio de uma floresta,(mato, mesmo) onde os desencarnados(segundo quem os vê) estão, ainda de correntes arrastando-se pela escuridão, à procura de quem os acolha e lhes dê carinho e demonstrem respeito. Nem eles conseguem, ainda, se acalmar para ouvir. Que se dirão das musiquinhas citadas pela GIGII, ou pelos encontros de evangelhização nas casas espíritas por esse mundo de Deus. Onde estamos estudando são o FUNK, a pouca roupa, a bebida e as implicâncias entre vizinhos que imperam.(aliás, nem tão diferente de onde moramos).

Bem, não precisam responder às perguntas que faço a mim mesma...

Até agora, onde estudamos e realizamos encontros com os visitantes, de alegria e respeito, conseguimos orar, juntos, que pra nós é de encher qqr EGO. Às vzs até de mãos dadas. Falamos no Creador, e como cada um o vê ou sente.

Vamos continuar a ler as colocações, deixando claro que, onde estudo atualmente, nem sequer temos "registro" em órgão instituído. Lá não se vê salinhas de ESDE, apenas um cômodo onde nos encontramos semanalmente pra falar das coisas divinas; deixando a quem chega uma sensação agradável de bem-receber e bem-respeitar. Estamos começando a conhecer as coisas do Creador, juntos, desde o coordenador até quem quiser chegar, em Amor e Sabedoria, como eu mesma. ( Alter-ego cheíssimo). A tal da reforma íntima, chega de lixa na mão, nos arranhando pelas arestar grossas que ainda temos de aplainar.   :'(

Falei demais...

Obrigada por estes estudos.
Um grande abraço em todos.

Pati


Estejamos em Deus
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 31 de Agosto de 2010, 22:50
Pois é Pati,
Essa é principal questão.
A reforma intima, cadê?
 
Um abço
Hebe
 
 
 
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 22:56
O que tem que ser feito então?
Enfiar os 5 livros da codificação goela abaixo das crianças obrigando-as a aceitar?
Ora, Espiritismo é em primeiro plano ensinamento moral e isso se faz todos os dias no convívio seja em casa ou em qualquer lugar que frequentamos.
Olha só a dificuldade do entendimento da DE até entre adultos ou vai me dizer que isso não é verdade?
 
Além de conceitos errados passados por romances que é despejado aos montes no mercado por interesse puramente comercial.
 
Desenvolva-se então um material didático descente e atraente que possa fazer com que desperte a curiosidade e o interesse pela DE na forma correta.
 
Como Moura falou isto está sendo feito de uma forma errada, não generalizando é claro.
 
Um abço
Hebe
 
 

Quem está distorcendo para justificar EGO falam que divulgar o Evangelho e evangelizar é manifestação do Ego, agora fala em enfiar a codificação goela abaixo das crianças....
Eu me senti muito mal quando criticaram nossa irmã a respeito do Reiki, mas só vejo criticas sem apontamento de soluções....
Senhores doutores e doutoras da lei a vida está passando...
Até quando?
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 31 de Agosto de 2010, 23:02
 :D :D  Filho do Bino,
Preste atenção na sua última frase e comece a sua reforma intima.
É importante. Trocou tudo de novo.
Voltou atrás? Olha a referencia que fez aos post da GiGii.
 
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 23:08
Bons dias a todos!!
Se conseguir postar, vai ser uma bênção... ::)

Hebe, aqui estou eu...
Gosto desse tema, pois fico de EGO alterado(modificado) qdo se trata de evangelizar. Amigo filhodobino: o meu dicionário é tão velho que a palavra ALTERIDADE não consta, acredita?O que é realmente isso? EVANGELIZAR? Fico imaginando que estou longe de entender o Evangelho do Nazareno; então, como evangelhizar alguém, sem estar em "plena forma" comigo mesma?

Falei demais...

Obrigada por estes estudos.
Um grande abraço em todos.
Pati
Estejamos em Deus

Prezada irmã,
o idioma mãe do Portugues e do brasileirez é o galego...
assim ele define o que é alteridade:

Alteridade -s. f.
(1) Estado ou qualidade de ser outro.
(2) Fil. Feito ou qualidade de uma cousa ser diferente de outra.
[do lat. alteru]

Tentar compreender as diferenças,... pelo menos antes de sair soltando criticas e mais criticas se doutorando em doutrinar sem amor....
Evangelho ensina amor...o mais profundo amor...
Quando criticaram a autora do topico em me senti muito mal por causa de Reiki...
Não concordei com a critica...
e tem pessoas se especializando em bajular uns e outros e diz que falta reforma intima, em que se insurge contra generalizar quem se dedica aos estudos do Evangelho à luz da Doutrina Espírita chamando-os de Ego...
Que Deus os abençoe e ilumine.
Que suas inteligências sejam destinadas com mais sublimidade no amor que Jesus ensinou...
Não sou eu que falo de mim, falo do Cristo e do que ele ensinou...
Olhem à volta,
Reflitam...
Não desperdicem um instrumento tão maravilhoso como este fórum para virar chat de ...
Fiquem com Deus...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 31 de Agosto de 2010, 23:12
O que tem que ser feito então?
Enfiar os 5 livros da codificação goela abaixo das crianças obrigando-as a aceitar?
Ora, Espiritismo é em primeiro plano ensinamento moral e isso se faz todos os dias no convívio seja em casa ou em qualquer lugar que frequentamos.
Olha só a dificuldade do entendimento da DE até entre adultos ou vai me dizer que isso não é verdade?
 
Além de conceitos errados passados por romances que é despejado aos montes no mercado por interesse puramente comercial.
 
Desenvolva-se então um material didático descente e atraente que possa fazer com que desperte a curiosidade e o interesse pela DE na forma correta.
 
Como Moura falou isto está sendo feito de uma forma errada, não generalizando é claro.
 
Um abço
Hebe
 
 

Quem está distorcendo para justificar EGO falam que divulgar o Evangelho e evangelizar é manifestação do Ego, agora fala em enfiar a codificação goela abaixo das crianças....
Eu me senti muito mal quando criticaram nossa irmã a respeito do Reiki, mas só vejo criticas sem apontamento de soluções....
Senhores doutores e doutoras da lei a vida está passando...
Até quando?
Saúde e Paz!

manifestação do Ego é toda aquela que nasce numa ação humana amigo Filho do bino, mesmo a sua.
Agimos pelo Ego, este sim pode estar superexcitado ou não. Se superexcitado age-se mal, perde-se o foco, se tem ação ou pensamento assemelhado ao instinto.
Quando o Ego não se encontra enfunado pelos ventos do orgulho  e da vaidade, quando este mesmo Ego pauta-se na doutrina que o ser encarnado siga e que deve conhecer sempre mais, este Ego age pela razão e pelo conhecimento, agindo assim corretamente e é isso que cada um de nós aprende a fazer neste Mundo meu amigo.
Vamos e devemos deixar de falar em Ego apenas por falar mas sem raciocinar bem e dentro dos ditames da doutrina.
Mesmo quanto ao Orgulho se o amigo se dispuser a procurar no LE ver que a resposta sobre ele diz "Pode ser o propulsor do progresso". Logo quando a obra básica fala em orgulho como um adoecimento fala somente no excesso deste, que como em qualquer outro elemento  ou ação, é o que indica o adoecimento moral.
Amigo filho do bino, o fato de você ou eu nos sentirmos mal com alguma colocação feita em qualquer lugar, e no caso aqui no Fórum, não faz com que em estando correta a assertiva, nosso mal estar vá modificar a doutrina em que se pautou aquele que fez o comentário.
Abração,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 31 de Agosto de 2010, 23:13
Tem pessoas lucidas que entendem o sentido das coisas neste Forum Filho do Bino,
Estão lendo o meus post.
Não se preocupe.
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 23:24
O que tem que ser feito então?
Enfiar os 5 livros da codificação goela abaixo das crianças obrigando-as a aceitar?
Ora, Espiritismo é em primeiro plano ensinamento moral e isso se faz todos os dias no convívio seja em casa ou em qualquer lugar que frequentamos.
Olha só a dificuldade do entendimento da DE até entre adultos ou vai me dizer que isso não é verdade?
 
Além de conceitos errados passados por romances que é despejado aos montes no mercado por interesse puramente comercial.
 
Desenvolva-se então um material didático descente e atraente que possa fazer com que desperte a curiosidade e o interesse pela DE na forma correta.
 
Como Moura falou isto está sendo feito de uma forma errada, não generalizando é claro.
 
Um abço
Hebe
 
 

Saúde e Paz!

manifestação do Ego é toda aquela que nasce numa ação humana amigo Filho do bino, mesmo a sua.
Agimos pelo Ego, este sim pode estar superexcitado ou não. Se superexcitado age-se mal, perde-se o foco, se tem ação ou pensamento assemelhado ao instinto.
Quando o Ego não se encontra enfunado pelos ventos do orgulho  e da vaidade, quando este mesmo Ego pauta-se na doutrina que o ser encarnado siga e que deve conhecer sempre mais, este Ego age pela razão e pelo conhecimento, agindo assim corretamente e é isso que cada um de nós aprende a fazer neste Mundo meu amigo.
Vamos e devemos deixar de falar em Ego apenas por falar mas sem raciocinar bem e dentro dos ditames da doutrina.
Mesmo quanto ao Orgulho se o amigo se dispuser a procurar no LE ver que a resposta sobre ele diz "Pode ser o propulsor do progresso". Logo quando a obra básica fala em orgulho como um adoecimento fala somente no excesso deste, que como em qualquer outro elemento  ou ação, é o que indica o adoecimento moral.
Amigo filho do bino, o fato de você ou eu nos sentirmos mal com alguma colocação feita em qualquer lugar, e no caso aqui no Fórum, não faz com que em estando correta a assertiva, nosso mal estar vá modificar a doutrina em que se pautou aquele que fez o comentário.
Abração,
Moura
Compreendo o que o amigo diz... até gosto de suas posição favoráveis à doutrina, chamo-o carinhosamente de doutrinador... dai generalizar criticas em favor de que... em visitando tantos centros que apoios ofereceu?
Assim vi desestabilizarem 3 centros espíritas onde se reuniam pessoas simples e humildes, e foi só se filiarem à AME. que tudo ficou proibido... sem nem siquer terem ido lá fazer uma palestra siquer ... eu ví  com meus olhos doutrinadores da  pureza doutrinária e o nobre amigo me fala de adoecimento moral?....
Cadê o exemplo antes da critica?
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 23:38
Amigo Moura,
A liberdade que o amigo tem para tecer criticas e oferecer doutrina, foi construída embora com erros mas com sangue de Evangelizadores, atirados aos leões...
Porque o Evangelho não prosperou na Asia?
Onde se encontram tantos missionários que lá tentaram levar o amor de Cristo? e até hoje ninguem responde essa pergunta? Porque tantos morreram na noite de São Bartolomeu?
Por causa do fermento dos fariseus e saduceus, que não desejam o amor prosperar e ignorantes deixar de ignorar, nem mulheres tirarem o véu, e serem livres como o são aqui... e onde o Critianismo nasceu e proliferou...
A codificação fechou as portas da inquisição, não foi para que individualidade se manifestassem livremente, foi para o amor que Jesus Cristo exemplificou fosse associado...
a outras formas de amor, que os erros que o cristianismo cometeu sejam reparados...
A codificação não veio para criar doutores em leis espirituais, foi para compreendermos que o Espirito continue a obra iniciada com o sacrifício do Divino Mestre... Posto que para os doutores que o condenaram Ele provou que desmontaria o Palácio Mercantílico Judeu e o reconstruiria em 3 dias...
Generalizar criticas é fácil... aprensentemos soluções... sejamos alteritários... solidários... mostremos amor uns aos outros, não ofereçamos julgamentos...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 31 de Agosto de 2010, 23:46
Amigo Filho do Bino, as AMES para mim formam com raras exceções a algumas pessoas que delas fazem parte, o cancro que mais pustula no meio espírita. Este o meu comentário sobre elas.
Contudo não falamos sobre elas mas sim sobre assunto bem diverso e entrar por este lado é sair do caminho do meio e não produzir um entendimento que leve à compreensão do tema que dá título aos nossos posts.
Uma falácia muito em voga no meio da paz de pantanal que envolve o movimento espírita é esta do exemplo.
Parece que o exemplo seja o medalhão a ser ostentado quando Kardec e os Espíritos Superiores nos falam do conhecimento.
Assim quando um confrade nos  fala não dos 5 mas dos 17 livros que a codificação contem,  ele também exemplifica, e bem, melhor quando que ficar a externar sua opinião própria já que o cerne é o que a doutrina nos oferece e com comprovação por método investigativo, logo cientifico. Que mbelo exemplo a ser seguido por todos que se digam Espíritas!
É prática espírita trazer o subsídio da obra básica para nortear qualquer debate, fora deste, é chover no molhado, por falta de lastro validado pelo dizer da doutrina.
Então meu amigo vamos apenas focar no tema central e deixar tanto os seus olhos doutrinadores como a parca concepção moral dos AMEtistas, perdoe-me pelo neologismo, e voltar aos debates.
Não são as nossas poucas luzes ou mesmo a certificação moral deles que nos vão encaminhas mas todo o exposto doutrinário haurido por estudo perseverante dessa bela doutrina.
abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 31 de Agosto de 2010, 23:55
Bom,
fica assim então...
Eu o compreendo... desde há muito leio tudo que escreves, mas só não concordo com criticas a Evangelizadores generalizadamente.... fiquei vários dias me recusando a entrar aqui, pois me doia o coração, e pensando em tantos Evangelizadores que conhecí ao longo da minha vida, serem genericamente criticados, tanto quanto lhe doeu minha critica, no que lhe magoou peço desculpas, mas não coaduno com a demagogia.
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: pati em 01 de Setembro de 2010, 00:15
Prezado filhodobino,

De forma alguma tive a intenção de causar mal estar, nem tampouco criticar quem quer que seja. Apenas fiz uma exposição do que acontece comigo mesma,no que se refere ao tema apresentado aqui. Desculpem-me, por favor, se isso não ficou claro: eu apenas relatei o que se passa onde estudo; bem como o que sinto em relação à evangelização(que aliás, prefiro o termo educação mesmo). Declarei-me educanda, aprendiz no Evangelho do Nazareno, mas longe do entendimento integral. Estou aprendendo até a falar com as pessoas, sem as agastar, caro companheiro, mas ainda é difícil para um alter-ego como eu. Esta a minha finalidade, atualmente, como Espírito encarnado: a EDUCAÇÃO. Hoje, pra mim, ela só se faz com AMOR, como o senhor mesmo disse. Até nisto sou aprendiz.

Quanto à palavra no dicionário, estava me referindo ao que tenho em mãos, que foi ofertado pelo vô (que era conhecido como "O homem dicionário") ao papai, na "1ª edição em harmonia com o acordo ortográfico luso-brasileiro de 1945, Livraria Simões Lopes, Porto, Portugal, ano 1956, situada à rua do Almada, 119. Daí o fato do vocábulo não constar; somente "alter ego", por isso fiz uma brincadeira, viu? Liga não, sou meio assim mesmo. Não quis chatear ninguém, ok?
Boa noite pra todos!

Em Deus
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 00:17
O que tem que ser feito então?
Enfiar os 5 livros da codificação goela abaixo das crianças obrigando-as a aceitar?
Ora, Espiritismo é em primeiro plano ensinamento moral e isso se faz todos os dias no convívio seja em casa ou em qualquer lugar que frequentamos.
Olha só a dificuldade do entendimento da DE até entre adultos ou vai me dizer que isso não é verdade?
 
Além de conceitos errados passados por romances que é despejado aos montes no mercado por interesse puramente comercial.
 
Desenvolva-se então um material didático descente e atraente que possa fazer com que desperte a curiosidade e o interesse pela DE na forma correta.
 
Como Moura falou isto está sendo feito de uma forma errada, não generalizando é claro.
 
Um abço
Hebe
 
 
Boa Noite
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 01 de Setembro de 2010, 00:21
Oi Pati,
Nada existe que deva ser desculpada, nobre amiga.
Evangelizar, soa mesmo esquisito... mas o Cristo falou:
Aquele que se envergonhar por mim diante dos homens, ... vc já deve conhecer o resto...
Essa foi minha motivação... nada pessoal com respeito a ninguém, só às idéias...
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: mecame em 01 de Setembro de 2010, 01:19
Irmãozinho e irmãzinhas. Deus nosso Pai providencia para Cristo a manutensão de seus Evangelho através dos nosos irmãos evangélicos. Quem não recebeu um folhetinho evangélico. Nossos irmãos evangélicos são os verdadeiros evangelizadores de Cristo. São a luz do mundo e o sal da terra. Nós espíritas, na maioria de nós, somos mais admiradores dos fenômenos das faculdades mediunicas e animicas. Mas, o Pai está com tudo sobre contrele, irmãozinhos. Muitos de nós estamos hoje no espiritismo porque ouvimos falar em Cristo e ouvimos falar em evangelho, através dos evangélicos e católicos. Sabem porque? Porque na verdade o que importa é o amor. O que importa é que todos espírito entregue-se ao amor a Deus e ao próximo e, que assim cada criatura seja luz no mundo e sal na terra. Não estou dizendo que Deus utiliza os evangélicos para nos levar até o Espíritismo. Não. Estou dizendo que Deus mantém os evangelizadores para que reconheçam a verdade sobre o amor e a graça da vida eterna. Se somos espíritas ou evangélicos ou católicos não importa. O que importa é sermos expressão de amor. O que importa é caminhar para a evolução. Nenhuma criança ficará neste mundo sem ouvir o Evangelho de Cristo. E nenhum adulto poderá dizer que nunca ouviu. Por que o Proprio Cristo disse que seria pregado por toda a face da terra até aos confins do mundo. Nós que somos espíritas nos alegremos com a providencia divina para a divulgação do Evangelho no mundo. Porque esta divulgação não é feita para evangélicos, nem para católicos, nem para espíritas e nem para budistas ou qualquer outro grupo. Essa divulgação é feita para todos sem excessão. A paz de Cristo a todos
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 02:46
Boa Noite,
 
Gigii,
Muda o nome do tópico para
" Deve-se ter escolinha de evangelização ou não".
 
Porque parece que é isto que está sendo lido.
Um abço
Hebe
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mahis em 01 de Setembro de 2010, 03:52

Mahis,
Acho que GiGi tem razão também.

Mas a principal questão do tópico é mais abrangente que o evangelização no lar, desculpem-me por  ter desviado o assunto.
Estamos falando de satisfazer o EGO evangelizando.
Nenhuma religião forma doutores em Deus embora muitos seguidores pensem desta forma.
Nada pior que querer  se vangloriar de ser um portador da  voz de Deus.Concordo plemanente e pq continua a falar em evangelizar?
A proposta do Espiritismo é passar conduta e reforma íntima e não jeito de orar ou ser o único caminho para chegar até ele. Isso está claro bem na introdução da codificação.
Não confundam as coisas.
Bem não costumo confundir nada, mesmo por que sei ler e ter opiniões próprias, não sabia que nesse forúm tinhamos que pensar todos iguais.Lamentável!
A liberdade e o respeito que a DE tem por qualquer religião tem que ser cultivada, não são seus seguidores que vão agir de forma diferente.
Sobre Religião minha querida isso é tema pra outro tópico
O caminho é o Universalismo. Deus é comum a todos os homens, não importa se é chamado de Krishna, Deus, Buda, Jeová, Maomé etc.
O importante é alcançar a iluminação.

Um abço
Hebe


Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139121/#msg139121#ixzz0yEzE2p6Q



O importante é práticar mais!
Teoria demais e prática de menos?!
Qual a utilidade?

Atenciosamente

MAHIS
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 11:23

Mahis,
Acho que GiGi tem razão também.

Mas a principal questão do tópico é mais abrangente que o evangelização no lar, desculpem-me por  ter desviado o assunto.
Estamos falando de satisfazer o EGO evangelizando.
Nenhuma religião forma doutores em Deus embora muitos seguidores pensem desta forma.
Nada pior que querer  se vangloriar de ser um portador da  voz de Deus.Concordo plemanente e pq continua a falar em evangelizar?
A proposta do Espiritismo é passar conduta e reforma íntima e não jeito de orar ou ser o único caminho para chegar até ele. Isso está claro bem na introdução da codificação.
Não confundam as coisas.
Bem não costumo confundir nada, mesmo por que sei ler e ter opiniões próprias, não sabia que nesse forúm tinhamos que pensar todos iguais.Lamentável!
A liberdade e o respeito que a DE tem por qualquer religião tem que ser cultivada, não são seus seguidores que vão agir de forma diferente.
Sobre Religião minha querida isso é tema pra outro tópico
O caminho é o Universalismo. Deus é comum a todos os homens, não importa se é chamado de Krishna, Deus, Buda, Jeová, Maomé etc.
O importante é alcançar a iluminação.

Um abço
Hebe


Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/msg139121/#msg139121#ixzz0yEzE2p6Q


O importante é práticar mais!
Teoria demais e prática de menos?!
Qual a utilidade?

Atenciosamente

MAHIS

Mahis , Bom dia


Vamos organizar esse meu  post.
Citei você apenas por concordamos com o post da Gigii depois continuei e não é mais em referência a você,

“Não confundam as coisas” está num sujeito indeterminado, desculpe se dei essa impressão.

Também não sei porque continuam falando em evangelizar e não se remetem a tema do tópico, isso  é a minha posição. Aliás é o que está gerando a discórdia.

Quando citei a liberdade da DE Espírita em relação a qualquer tipo de Credo é para falar  que a conduta moral que é o principal tem que ser passado independente da Crença..
Também não estou desviando para outro tema, foi só um exemplo.

Acho que  deve-se praticar e não passar só teoria, já coloquei isso à uns post adiante,
Concordo com você mas uma vez.

Espero ter esclarecido.
Um abraço
Hebe


Ps: Vou começar a trabalhar agora, se demorar a responder não repare.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 01 de Setembro de 2010, 14:31
Boa tarde!
 
Não imaginei que o pequeno texto pudesse despertar este debate em torno da evangelização. Mas até acho bom! Mau seria deixar correr sem nada questionar...
 
Seja como for, o tema não é se deve ou não o espiritismo ter evangelização. Já tentei abordar esse tema aqui e ninguém se interessou, o que não é novidade: a educação que deveria ser prioridade no movimento espírita, sempre foi relegada a 2º plano. Primeiro vem sempre o fenómeno, a mediunidade!
 
Mas o que se pretende falar eu já expus, pelo que não vou me repetir.
 
Vejam bem: evangelizar não é mau nem bom. O problema está nos chamados evangelizadores, que pouco têm de educadores.
 
A grande maioria deles, nunca estudou nada de psicologia do desenvolvimento ou da aprendizagem; pouco sabem sobre a criança e jovem em si...e tantas vezes, pouco sabem sobre o próprio espiritismo.
Mas há grande desejo e vontade de ajudar, á amor para dar. Indiscutível. Mas não chega...
 
Abraços
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 01 de Setembro de 2010, 14:51
Boa tarde!
 
Não imaginei que o pequeno texto pudesse despertar este debate em torno da evangelização. Mas até acho bom! Mau seria deixar correr sem nada questionar...
 
Seja como for, o tema não é se deve ou não o espiritismo ter evangelização. Já tentei abordar esse tema aqui e ninguém se interessou, o que não é novidade: a educação que deveria ser prioridade no movimento espírita, sempre foi relegada a 2º plano. Primeiro vem sempre o fenómeno, a mediunidade!
 
Mas o que se pretende falar eu já expus, pelo que não vou me repetir.
 
Vejam bem: evangelizar não é mau nem bom. O problema está nos chamados evangelizadores, que pouco têm de educadores.
 
A grande maioria deles, nunca estudou nada de psicologia do desenvolvimento ou da aprendizagem; pouco sabem sobre a criança e jovem em si...e tantas vezes, pouco sabem sobre o próprio espiritismo.
Mas há grande desejo e vontade de ajudar, á amor para dar. Indiscutível. Mas não chega...
 
Abraços

Caríssima Irmã,

Acabei de clicar na setinha verde por ter lido e encontrado lógica em suas palavras, gostei...

Foi realmente ótimo como disse antes um verdadeiro workshop gratuito do tipo Gestalt-terapia virtual...

O assunto é amplo, pela própria essência, e gerador de calor e é bom que seja assim mesmo, afinal estamos aqui para estudar e aprender não é fato?

Adepto da Evangelização, seja no lar, seja infantil ou adulto, dentro do Espiritismo, posto que penso que Evangelizar não é religião, assim como doutrinar, qualquer que seja a doutrina não é religião... Religião é uma estrutura digamos em termos de cidadania: Pessoa Jurídica.

Como prezo o que pensas, me envolvo e leio tudo que escreves....
 
visando isto prezaria que se a nobre irmã o quizer, opinar sobre o anexo pdf e como voce vê a possibilidade de nos juntarmos ao esforço da ciência e divulgarmos o conceito: alteridade. ???

90% das dissenções, são causadas, na minha opinião por questões que nos parecem pueris, mas que conforme constatou geram calor...
Minha participação teve o escopo conforme está gravado nos primeiros posts lá atrás, foi para:
Equilibrar a balança e gerar alteridade.... lembras?

Opine por favor, se o quiseres, prometo não replicar nem polemizar sua opinião, que tenho certeza será sincera, mas gostaria de conhecê-la( sua opinião, claro).
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: mecame em 01 de Setembro de 2010, 15:11
Irmãos queridos, eu sou Pedagogo, e este tema me interessa. Mas, uma coisa não podemos confundir. Não podemos confundir Educação e Evangelização e doutrinação. Evangelização é dissiminar a palavra de Cristo, Doutrinação é dissiminar a obra codificada kardequiana ( no nosso caso que somos espíritas), e educação é desenvolvimento de ensino -aprendizado que se encontra no lar, na escola e na sociedade. Portanto, ao falarmos de evangelização não sejamos omissos só porque estamos num Fórum Espírita. Quantos espíritas os irmãos já viram evangelizando? É uma prática que os espíritas não tem. Falam, mas não fazem. Nisto eu assino com alegria sob às palavras do irmãozinho Filhodobino que realmente precisamos bater nesta tecla sempre. E eu tenho frequantado reuniões sobre a pedagogia espírita e muito me agrada, porque a ênfase é no Livro do Evangelho Segundo o Espiritismo, pelo menos onde estive aqui em São Paulo. Realmente temos que preparar nossos irmãos espíritas para a evangelização. Deus abençoe a todos e a paz de Cristo.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 17:00
Bom tarde Gigii,
Acho que eu devo ter entendido mal o  titulo do tópico.

" Quando o desejo e evangelizar enaltece o EGO"

Se for isso, volto afirmar a mesma coisa que coloquei antes.
Deve-se  passar a DE com humildade e desprendimento e de uma forma que não seja impositiva.
Se fizer com  orgulhoso de si mesmo para ganhar louvores ,  está enaltecendo o EGO.

Agora se o tópico é para discutir se deve ou não ter escolinha de evangelização nos Centros, é outra história.

Um abço
Hebe


Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 17:20
boa tarde pessoal,

é muito difícil para nós que somos tão imperfeitos não enaltecer de alguma forma, em certo grau, o nosso ego, em qualquer trabalho dentro de um centro espírita, não só na evangelização. veja a palestra, por exemplo, o quanto que se pode enaltecer. tem um palestrante daqui de brasília que diz que resolveu dar palestras, pq se reconhecia muito vaidoso, e canalizou esta sua grande vaidade para fazer o bem. ele adora dar palestras pq adora mostar seus conhecimentos para todo mundo. ele está super certo: 1º pq ele se autoconhece, é honesto consigo mesmo 2º pq, ao invés de ele ficar num boteco, discutindo lorota para mostrar seus conhecimentos, ele está num centro ajudando muitas pessoas, e consequentemente se ajuda, e se auto melhora. Por isso acho, com a devida licença,  que o tópico já começou errado, pois está querendo de certa forma julgar o interior dos evangelizadores. devemos questionar a evangelização em si, mas também com muita cautela e muito cuidado, pois, como está no ESE, se uma pessoa julga, parte do pressuposto que ela não faça aquilo que critica, ou faça diferente e melhor. Jesus nos dizia que os trabalhadores são poucos. Sendo assim, como querer exigir uma tamanha especialização por parte de tão poucos evangelizadores? e o trabalho da espiritualidade? eu concordo que a qualidade dos serviços devam ser melhoradas sempre, até por conta da evolução, mas penso que devemos ter muita cautela com as críticas, até pq estas pressupoem tb um ego muito aguçado.

abraços. Fernando
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 17:34
Não há crítica a esta ou aquela pessoa e sim uma confirmação da afirmativa do título do tópico.

E mais uma coisa, falar a palavra de Cristo não é para enaltecer ninguem, tem que se fazer de forma simples e natural, isso é passar ensinamento de vida.

Uma bço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 01 de Setembro de 2010, 17:34
Olá...
 
Companheiros isto já tá a ir por um caminho que nada tem a ver com a intenção do texto partilhado...
 
Hebe...você percebeu bem o tema em debate...sim...o que está em foco é o desejo de mostrar serviço, e de se vangloriar por ter evangelizado sem a preocupação de tê-lo feito como deveria, ou melhor sem observar se atingiu junto dos evangelizandos ao que se havia proposto.
 
Fernando, de forma alguma estamos a criticar a coragem e boa vontade dos evangelizadores. Acho que ninguém o fez.
O caso que nos narra, aparentemente não tem máculas, mas veja, será que ao fazer belissimas palestras, esse palestrante não aumenta a sua vaidade sempre que recebe os elogios? Será essa a melhor forma para ele exercitar a humildade? Ou isso serve de desculpa para seguir o seu próprio interesse pessoal?
 
Apenas são questões para cada um reflectir, até porque não se pretende julgar ninguém pelo que é ou pelo que faz. Nisso estamos todos de acordo.
 
Com mais tempo trago novas questões...
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 01 de Setembro de 2010, 18:02
É isso mesmo Gigii.
Abração,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 18:24
Olá...
 

 
Hebe...você percebeu bem o tema em debate...sim...o que está em foco é o desejo de mostrar serviço, e de se vangloriar por ter evangelizado sem a preocupação de tê-lo feito como deveria, ou melhor sem observar se atingiu junto dos evangelizandos ao que se havia proposto.
 
 
Apenas são questões para cada um reflectir, até porque não se pretende julgar ninguém pelo que é ou pelo que faz. Nisso estamos todos de acordo.
 
Então Gigii, é isso.

Se me permite coloco umas questões para reflexão.

1-  O que  levou o mundo para o horror da Idade Média?
Não foi exatamente usar a palavra de Cristo para alcançar poder deturpando toda filosofia Cristã?

2- Por que  ensinar o Espiritismo em forma de catequese como se fosse um padre ou Papa no linguajar se é uma Doutrina sem dogmas ou rituais?

3- Não seria melhor antes de evangelizar quem quer que seja mostrar o primeiro livro " O que é o Espiritismo", depois de bem entendido a pessoa optar se quer seguí-lo ou não?

Bem, acho que por enquanto é isso.
Um abço
Hebe
 


Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 18:32
mas aí vc está saindo do foco do título do tópico. estamos vendo se a evangelização enaltece ou não o ego de quem se diz evangelizador.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 01 de Setembro de 2010, 18:35
Este um grande debate...
Abração,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 18:38
Não há crítica a esta ou aquela pessoa e sim uma confirmação da afirmativa do título do tópico.

E mais uma coisa, falar a palavra de Cristo não é para enaltecer ninguem, tem que se fazer de forma simples e natural, isso é passar ensinamento de vida.

Uma bço
Hebe


se há uma confirmação do título do tópico, então há uma crítica aos evangelizadores, que deveriam o ser, mas sem enaltecer seus devidos egos. deveriam ser de forma natural. o que é bastante difícil, conforme expus em meu outro post, por conta de nossa ainda grande imperfeição. Se criticamos, devemos criticar a evangelização, e não os evangelizadores, e mesmo assim com muita cautela, pois não adianta reclamarmos se não fazemos nada. não adianta querermos que os evangelizadores sejam educadores, se não buscamos engrossar as fileiras dos trabalhadores, se não buscamos, com os pouquissimos recursos que uma casa esp tem, desenvolver cursos mais especializados e etc.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 18:50
Olá...
 
Companheiros isto já tá a ir por um caminho que nada tem a ver com a intenção do texto partilhado...
 
Hebe...você percebeu bem o tema em debate...sim...o que está em foco é o desejo de mostrar serviço, e de se vangloriar por ter evangelizado sem a preocupação de tê-lo feito como deveria, ou melhor sem observar se atingiu junto dos evangelizandos ao que se havia proposto.
 
Fernando, de forma alguma estamos a criticar a coragem e boa vontade dos evangelizadores. Acho que ninguém o fez.
O caso que nos narra, aparentemente não tem máculas, mas veja, será que ao fazer belissimas palestras, esse palestrante não aumenta a sua vaidade sempre que recebe os elogios? Será essa a melhor forma para ele exercitar a humildade? Ou isso serve de desculpa para seguir o seu próprio interesse pessoal?
 
Apenas são questões para cada um reflectir, até porque não se pretende julgar ninguém pelo que é ou pelo que faz. Nisso estamos todos de acordo.
 
Com mais tempo trago novas questões...

ninguém criticou a boa vontade dos evangelizadores, mas criticaram o por quê que eles vão ser evangelizadores, para enaltecerem os seus egos. sejamos honestos gente, vcs criticaram isso. não tem problema nenhum também, pq todos somos imperfeitos, eu tb to criticando vcs agora, e ai a gente vai aprendendo, discutindo idéias.

no caso do palestrante, foi a forma que ele arrumou de ajudar as pessoas. é a forma que ele consegue, e que lhe faz feliz. ele sabe a causa disso, pq ele faz a sua auto-análise, e se ele faz esta, provavelmente ele deve se controlar, se vigiar para não se ensoberbecer em demasia. e se foi a forma que ele arrumou de satisfazer seu interesse pessoal?? daí nós já estaríamos o criticando e o julgando. isso quem tem que cuidar é a consciencia dele. As palestras dele fazem muito bem para muita gente, p mim já fez muito bem, me melhorou, me levantou de tristezas e tudo o mais.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 01 de Setembro de 2010, 18:59
Amigo Fernando, calma, leia com atenção.
O amigo diz "ninguém criticou a boa vontade dos evangelizadores, mas criticaram o por   quê que eles vão ser evangelizadores, para enaltecerem os seus egos.   sejamos honestos gente, vcs criticaram isso. "
contudo vê-se claramente na mensagem da Hebe: "o que está em foco é o   desejo de mostrar serviço, e de se vangloriar por ter evangelizado sem a   preocupação de tê-lo feito como deveria, ou melhor sem observar se   atingiu junto dos evangelizandos ao que se havia proposto. "
Ora, das duas uma, ou o amigo não leu com atenção ou apenas falou por falar...
Abração,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 19:00
O tema é esse Fernando, se enaltecer através da evangelização sem se preocupar com o conteúdo que está sendo passado.
Se você acha certo , tudo bem, eu não, jamais faria isso.

Raramente converso sobre Espiritismo em qualquer roda que não surja o assunto para não impor minhas idéias a ninguem, quando me perguntam alguma coisa sobre, explico de forma natural.

As palestras tem que se ater ao tema e às perguntas que por ventura surgirem.

Se considerar importante porque está palestrando ou evangelizando, sinto muito meu amigo, está perdendo o foco e a importancia do que é passar a DE.

Um abço
Hebe




Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 19:35
meu Deus, como é difícil. por favor, alguém que esteja lendo e esteja com vergonha de falar me ajude.

o que estou querendo dizer é que não podemos querer "analisar" (vamos usar esta palavra) se o evangelizador, palestrante A ou B, foi fazer seu trabalho com o intuito de enaltecer o seu trabalho sem se preocupar com o conteúdo. Essa "análise" quem deve fazer é somente ele e Deus. vcs entenderam?

eu também acho que seria ÓTIMO que todos os evangelizadores fossem para os seus trabalhos com o coração mais puro possível, com a mente mais limpa possível de qq vício ou pensamentos odiosos; mas eu lhes trouxe uma sugestão de reflexão de que isto é muito difícil, ainda mais no mundo em que vivemos, pelo fato de sermos ainda muito imperfeitos, e lhes pedi e mostrei as razões para se ter mais compreensão nas "análises", mais uma vez por conta desta imperfeição, por conta tb da falta de trabalhadores, e por conta tb da falta de recursos para se ter uma especialização dos educadores-evangelizadores, e tb por não nos precipitarmos nos julgamentos sem termos a devida moral para isso.


Não acho certo analisar a atitude íntima do trabalhador. Agora, se formos analisar o trabalho em si de evangelização, da estrutura e da forma como é feita, tragamos algumas soluções, algumas experiências que tivemos inovadoras em nosso trabalho, pq só aí teremos gabarito para realizar tal análise.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 19:51
Mais do que se analisar o comportamento dos evangelizadores está também em foco o comportamento humano.

Ou vai negar que esse tipo de comportamento não exista?
Sinto muito Fernando, mas se eu entrar num Centro e o palestrante ou a pessoa que dirige o estudo se comportar dessa forma vai ficar dificil de engolir.

Deixa isso para os Pastores e Padres que se consideram portadores únicos da palavra de Deus. :o

Não é assim que a banda deve tocar dentro um Centro Espírita.

Outra coisa que você ressaltou e te dou muita razão é quanto a forma e o conteúdo que está sendo passado nos estudos.

Normalmente o envaidecido nem aceita qualquer interferência, como ousa  acrescentar alguma coisa ao que "a grande figura" está dizendo? Isso só emperra o estudo em qualquer lugar.

Um abço
Hebe

Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: hcancela em 01 de Setembro de 2010, 20:07
Olá amigos(as)




De uma forma geral evangelizar independentemente de ser adulto ou criança, é?





Evangelizar é instruir, é educar moral e espiritualmente,   dando a conhecer o que acontece ao Espírito em sua trajetória rumo à evolução.   Eis porque o Espiritismo e Evangelho têm que ser estudados juntos. O Espírito se   instrui quanto ao seu destino e se educa, preparando melhor futuro para si e   para o próximo. Instruir e educar na Doutrina Espírita não é catequizar, e sim   evangelizar.


 
"Evangelizar é evangelizar-se" (Amélia Rodrigues).

O   que é necessário para evangelizar "Amai-vos e Instruí-vos" (Allan   Kardec).

O Espiritismo estudado instrui. Praticado, além de instruir,   educa, porque faz o Espírito enxergar o seu futuro, não só na Terra, mas   principalmente no mundo espiritual.

Os requisitos exigidos para um   evangelizador espírita são os mesmos exigidos de um espírita: estudar,   trabalhar, construir sua reforma íntima. O evangelizador espírita precisa   estudar para ter bom conhecimento do Evangelho de Jesus e da Doutrina Espírita.   Só assim terá segurança no seu trabalho.

Deve aprimorar todos os recursos   necessários à sua tarefa, se quiser que as mensagens de suas aulas cheguem ao   coração do evangelizando de maneira clara, agradável, participante, dinâmica e   eficiente.

Deve aprimorar seus recursos intelectuais, morais e afetivos,   porque sabe que a teoria, por mais brilhante que seja, sem afetividade não   encontra ressonância no coração do evangelizando.

A boa vontade é outro   requisito. Ela o faz reconhecer suas deficiências, levando-o a buscar os   conhecimentos que lhe faltam. Boa vontade ensina ao evangelizador renunciar   muitos lazeres em favor de seu trabalho. Boa vontade estimula o evangelizador a   vencer qualquer empecilho, conscientizando-o do seu compromisso com Jesus. Boa   vontade, enfim, é a alavanca que impulsiona o evangelizador ao aprimoramento da   sua reforma íntima.

Ele sabe, então, que não é "vestir a túnica de   evangelizador" somente uma vez por semana, naquele horário, mostrando-se aos   olhos da classe com algumas virtudes aparentes, e sim viver 24 horas do dia tudo   aquilo que estuda com seus pupilos. Sabe, ainda, que além dos evangelizandos   encarnados, ele tem os evangelizandos desencarnados em suas aulas, aqueles que   não tiveram oportunidade de conhecer o Evangelho do Mestre e a Doutrina Espírita   quando na Terra.





SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 20:21
hcancela, concordo plenamente. o evangelizador mais do que ser tudo isso, ele BUSCA ser tudo isso incessantemente. e é por esse motivo que não devemos julgar pela aparência se ele está enaltecendo ou não o seu ego.

o que penso que devemos debater é sobre a evangelização em si,  sempre com as devidas cautelas, compreensão e caridade, e não sobre a atitude íntima que o evangelizador está tomando. Quando formos discorrer sobre o comportamento humano, creio que temos que fazê-lo igual vc fez, trazendo diretrizes gerais.
abraços
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 20:26
Oi HCancela,

Ótimo post,
è isso mesmo.

Nada aqui foi dito além disso. Pena que não foi percebido e visto como crítica.

Fernando tudo foi falado de forma geral, quem citou comportamento de algum amigo foi você.

Um abço
Hebe

Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 20:59
olha só o que vc disse uns posts atrás:

"o que está em foco é o   desejo de mostrar serviço, e de se vangloriar por ter evangelizado sem a preocupação de tê-lo feito como deveria, ou melhor sem observar se atingiu junto dos evangelizandos ao que se havia proposto. "

a hcancela trouxe diretrizes gerais de como se devem comportar os evangeizadores, trazendo um estímulo a estes se forem novatos ou veteranos na área.

o que foi feito neste tópico não foi isso. concordo que foi falado de forma geral, mas em forma geral de críticas à atitude íntima dos evangelizadores. é geral essa crítica que fizeram pq não citaram nomes dos evangelizadores, e sim criticaram a "classe" inteira.

é bem diferente um tópico desta forma: "qual atitude íntima, que preocupações que um evangelizador deve ter", do que já chegar falando que o que se vê são evangelizadores iguais a padres, enaltecidos pelo ego..etc

percebe a diferença? espero que no seu íntimo sim.

abraços

Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 21:45
Nenhuma diferença Fernando,
Não tapo o Sol com a peneira e o meu post foi referente ao tópico aberto.
Quer discutir como evangelizar abra outro que fale só sobre isso.
Não retiro uma virgula do que eu disse.
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 22:23
a diferença é diametral. a hcancela fez uma observação positiva, e vcs fizeram observações negativas. Você está sendo fiel ao tópico,  aí é que está o problema. Só nos resta orar e compreender.

boa noite
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 22:32
Muito Obrigada pela oração e compreensão.
 
De qualquer forma peço pelos que reportam o ESE em Centros tenham um comportamento digno e parem de usar os ensinamentos de Cristo como escudo para satisfazerem as suas vaidades pessoais.
 
Se achar que isso enaltece o Espiritismo, sinto muito, mais cedo ou mais tarde só afastam e deturpam a visão do que é realmente a DE.
Não se pode pregar a caridade e humildade tendo um comportamento orgulhoso.
 
A prática e o exemplo vem junto.
 
Não se pode querer ensinar algo quando a pergunta vai além do que foi exposto e o dito professor não sabe responder.
 
Por isso a preparação para esse tipo de comportamento evangelizador tem que ser muito consciente do que se está fazendo.
 
Um abço
Hebe
 
 
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 01 de Setembro de 2010, 22:43
meu Deus, como é difícil. por favor, alguém que esteja lendo e esteja com vergonha de falar me ajude.

o que estou querendo dizer é que não podemos querer "analisar" (vamos usar esta palavra) se o evangelizador, palestrante A ou B, foi fazer seu trabalho com o intuito de enaltecer o seu trabalho sem se preocupar com o conteúdo. Essa "análise" quem deve fazer é somente ele e Deus. vcs entenderam?

eu também acho que seria ÓTIMO que todos os evangelizadores fossem para os seus trabalhos com o coração mais puro possível, com a mente mais limpa possível de qq vício ou pensamentos odiosos; mas eu lhes trouxe uma sugestão de reflexão de que isto é muito difícil, ainda mais no mundo em que vivemos, pelo fato de sermos ainda muito imperfeitos, e lhes pedi e mostrei as razões para se ter mais compreensão nas "análises", mais uma vez por conta desta imperfeição, por conta tb da falta de trabalhadores, e por conta tb da falta de recursos para se ter uma especialização dos educadores-evangelizadores, e tb por não nos precipitarmos nos julgamentos sem termos a devida moral para isso.


Não acho certo analisar a atitude íntima do trabalhador. Agora, se formos analisar o trabalho em si de evangelização, da estrutura e da forma como é feita, tragamos algumas soluções, algumas experiências que tivemos inovadoras em nosso trabalho, pq só aí teremos gabarito para realizar tal análise.

Não amigo Fernando esse julgamento é de qualquer um que tome conhecimento do fato.
Vivendo em sociedade e tendo o fato ficado conhecido de todos a qualquer cabe esse julgar.
O Espírito ão é alienado, não é um ser que não tenha capacidade de discernimento, e por isso ele a usa quando se depare com esta ou qualquer outra situação.
Em seu último post, o amigo diz que o Cancela julgou positivamente e que nós julgamos negativamente, o que é isso senão outro julgamento negativo a julgar pelo que você disse?
Fernando releia o que escreve pois a coisa está beirando ao Samba do Crioulo Doido, do Stanislaw Ponte Preta.
E o pior é que o amigo diz que isso só compete a ele, evangelizador, contudo quando somos nós a julgar  a nós não é dado esse direito... Que bobagem.
No seu entendimento estaremos diante do "Liberou Greal" que o Espírito Tim Maia cantava... Uma pena mano a banda não toca desse jeito.
Abração,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 22:52
eu não acho que isso enaltece o espiritismo, e deixei isso claro pelo menos um milhão de vezes.

a preparação deve ser grande para esse tipo de trabalho. estudemos então sobre ela, enaltecendo as boas atitudes que os evangelizadores devem ter, e não enaltecer as más atitudes que eles vem tendo. quando fazemos isso, damos forças a elas, às más atitudes. além de não ser caridoso e compreensivo.

Ademais, estas atitudes, para satisfazer suas vaidades pessoais, só cabem a eles analisar e se preocupar. isto é uma questão tão básica de convivência.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 01 de Setembro de 2010, 22:54
Amigo Fernando não está em pauta se engrandece, enaltece ou faz gordo o Espiritismo, está?
Abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 23:03
"A indulgência jamais se preocupa com os maus atos alheios, a menos que seja para prestar um serviço, mas ainda assim com o cuidado de os atenuar tanto quanto possível. Não faz observações chocantes, nem traz censuras nos lábios, mas apenas conselhos, quase sempre velados. Quando criticais, que dedução se deve tirar das vossas palavras? A de que vós, que censurais, não praticastes o que condenais, e valeis mais do que o culpado. Oh, homens! Quando passareis a julgar os vossos próprios corações, os vossos próprios pensamentos e os vossos próprios atos, sem vos ocupardes do que fazem os vossos irmãos? Quando fitareis os vossos olhos severos somente sobre vós mesmos?"

a passagem acima do ESE não quer dizer que tenhamos que ficar alheios/passivos aos erros que vemos na sociedade. Aliás, este é um dos motivos pelo qual até agora estou debatendo com vcs.


Agora, uma coisa é condenarmos, por exemplo, a prostituição, que é um fato que vemos que é nocivo na sociedade. outra coisa é condenarmos a prostituta.

vcs criticam/condenam um ato que é ÍNTIMO do evangelizador. isto não deve ser criticado. o que deve ser criticado é a evangelização geral, a forma e estrutura, que não é o objeto do presente tópico, mas que deveria ser.

entendeu agora, ou quer que eu desenhe?
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 23:06
eu não acho que isso enaltece o espiritismo, e deixei isso claro pelo menos um milhão de vezes.

a preparação deve ser grande para esse tipo de trabalho. estudemos então sobre ela, enaltecendo as boas atitudes que os evangelizadores devem ter, e não enaltecer as más atitudes que eles vem tendo. quando fazemos isso, damos forças a elas, às más atitudes. além de não ser caridoso e compreensivo.

Ademais, estas atitudes, para satisfazer suas vaidades pessoais, só cabem a eles analisar e se preocupar. isto é uma questão tão básica de convivência.

Fernando olha o titulo do tópico,

Não cabe só a eles não porque estão influênciando diretamente o meio que convivem.
Já vi pessoas começarem a querer estudar , foram no Centro e não se conformaram com o comportamento dos dirigentes. Se desencantaram com a De. Isso foi dito a mim e tive que ficar quieta, porque era verdade, não tinha como desmentir.
Esse trabalho é sério, talvez uns dos mais sérios não se pode fazer sem estar preparado e de forma adequada.
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 23:14
Outra coisa, talvez seja pior a influência ruim ou deturpada de um evangelizador que destorce o que tem que ser passado do que o exemplo que a prostituta passa para sociedade que você citou acima.
Elas muitas vezes começaram dentro de casa passando fome e induzida pela própria família, ninguém cai nesta vida porque quer.
Já o dito evangelizador tem conhecimento , tem estudo e trabalha da maneira errada.
Vamos combinar quem tem que desenhar sou eu. Não preciso nem fazer você ler o evangelho para entender.
Um abço
Hebe
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 23:14
Amigo Fernando não está em pauta se engrandece, enaltece ou faz gordo o Espiritismo, está?
Abraços,
Moura
estava respondendo ao post da hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 01 de Setembro de 2010, 23:18
Amigo Fernando não está em pauta se engrandece, enaltece ou faz gordo o Espiritismo, está?
Abraços,
Moura
Fernando não é necessário que o amigo desenhe mas lhe é obrigação em virtude de regra deste fórum,  que tenha educação e respeito pelos outros.
Se o amigo mesmo se guiasse pelo que escreveu necessitaria o desenho pois no próprio exemplo dado resvala no pensamento e na conclusão senão vejamos:
"Agora, uma coisa é condenarmos, por exemplo, a prostituição, que é um fato que vemos que é nocivo na sociedade. outra coisa é condenarmos a prostituta."
Onde o amigo soube que a prostituição é nociva, na sociedade? A Constiuição nem fala sobre isso.
A classe médica indica que seja feito o sexo seguro, o que limita ao mínimo o risco de doenças sexualmente transmissíveis, a regra do Direito também não indica na prostituião e sim no lenocínio um crime.
As prostitutas em nosso pais, têm  regimento associação de classe garantida por , como se vê ou o amigo está a formular leis novas ou então acaba de errar mais uma vez.
Abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 23:27
hebe, o objeto do tópico é saber se o desejo de evangelizar enaltece o ego. 

se ele distorce o conteúdo como consequencia disso é outra coisa.

muitas vezes não é distorcido, como o caso daquele palestrante que falei antes. ele mesmo diz nas palestras que foi levado a dar palestras por conta de sua grande vaidade. e suas palestras são de conteúdo impecável, doutrinárias ao extremo, do jeito que vcs gostam. tem dvd, cd, mp3 e tudo, de tanto que as pessoas gostam.

agora, devo eu julgá-lo pela sua motivação?? desculpe-me, mas isso é falta de indulgência e caridade.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 23:32
Amigo Fernando não está em pauta se engrandece, enaltece ou faz gordo o Espiritismo, está?
Abraços,
Moura
Fernando não é necessário que o amigo desenhe mas lhe é obrigação em virtude de regra deste fórum,  que tenha educação e respeito pelos outros.
Se o amigo mesmo se guiasse pelo que escreveu necessitaria o desenho pois no próprio exemplo dado resvala no pensamento e na conclusão senão vejamos:
"Agora, uma coisa é condenarmos, por exemplo, a prostituição, que é um fato que vemos que é nocivo na sociedade. outra coisa é condenarmos a prostituta."
Onde o amigo soube que a prostituição é nociva, na sociedade? A Constiuição nem fala sobre isso.
A classe médica indica que seja feito o sexo seguro, o que limita ao mínimo o risco de doenças sexualmente transmissíveis, a regra do Direito também não indica na prostituião e sim no lenocínio um crime.
As prostitutas em nosso pais, têm  regimento associação de classe garantida por , como se vê ou o amigo está a formular leis novas ou então acaba de errar mais uma vez.
Abraços,
Moura

com relação à prostituição, foi só um exemplo, não vamos adentrar neste mérito, pois vai se alongar mais ainda.

posso ter faltado o respeito com vossa senhoria, mas não foi à toa, pois vc fez o mesmo, dizendo que o que eu disse era bobagem, me mandando ler o que eu escrevo, que ta parecendo não sei o que....

se vc não entendeu e pegou o bonde andando, não vem dizer que estamos a falar bobagem.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 23:34
se ficou insatisfeito com a prostituição, pegue o exemplo da corrupção. podemos condenar esta, mas não devemos condenar o corrupto. é o que a moral do evangelho e do kardec nos recomenda
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 01 de Setembro de 2010, 23:35
hebe, o objeto do tópico é saber se o desejo de evangelizar enaltece o ego. 

se ele distorce o conteúdo como consequencia disso é outra coisa.

muitas vezes não é distorcido, como o caso daquele palestrante que falei antes. ele mesmo diz nas palestras que foi levado a dar palestras por conta de sua grande vaidade. e suas palestras são de conteúdo impecável, doutrinárias ao extremo, do jeito que vcs gostam. tem dvd, cd, mp3 e tudo, de tanto que as pessoas gostam.

agora, devo eu julgá-lo pela sua motivação?? desculpe-me, mas isso é falta de indulgência e caridade.
Fernando,
Não sei nem que é esse rapaz que você está falando,esse é um caso que você está citando.
Estou falando de um modo geral,  evangelizar sem ter exemplo em si mesmo cai em erro e deturpa o ensinamento.
É o mesmo que eu ensinar a meus filhos que não roubem e eles me verem roubando num supermercado.
Isso é sério, não é julgamento.
Que bom que com seu amigo está danado certo, acredito até que esteja, porque pelo o que você citou ele já reconheceu que era vaidoso. Esse é o primeiro passo para ir adiante, mas muitos nem se enxergam.
 
Um abço
Hebe
 
 
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 01 de Setembro de 2010, 23:37
Fernandão, decobri o porque de vc não entender...
É que o amigo utiliza o termo julgar sob a mesma perspectiva e explicação do termo julgar, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa mano.
Julgar é tomar conhecimento do fato e com ele concordar ou não e se não concordar, explicar os porques. Todavia não tem nada a ver com condenação.
abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 01 de Setembro de 2010, 23:50
tá bem agora eu entendi. me desculpem. voces estão certos. é verdade, hoje a evangelização nas casas espíritas está aos frangalhos. os evangelizadores só vão pq são muito vaidosos, querem enaltecer os seus egos. 

grande abraço. fiquem com Deus.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 02 de Setembro de 2010, 00:43
Boa noite

estive cerca de meia hora a responder aqui e ao enviar, cliquei sem querer num anuncio e foi-se tudo... ai que tristeza...agora não tenho coragem de recomeçar.

Aamnhã com tempo...

Abraços
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 02 de Setembro de 2010, 00:51
Ai, Fernando

Releia o topico desde o inicio.
Um abço
Hebe

Boa Noite Gigii,

Isso já aconteceu comigo. :D :D :D
Agora quando quero me estender escrevo no world salvo, copio e colo para não perder o texto

Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 02 de Setembro de 2010, 22:30
Boa noite

estive cerca de meia hora a responder aqui e ao enviar, cliquei sem querer num anuncio e foi-se tudo... ai que tristeza...agora não tenho coragem de recomeçar.

Aamnhã com tempo...

Abraços

Amiga Gigii, quando isso acontecer faça o seguinte:
Não clique em em mais nada na página.
Vá lá em cima no navegador e clique então naquela setinha que aponta para o lado esquerdo, ela vai te trazer ( as vezes), de volta a página em que estavas antes. Observe que a amiga terá de clicar mais de uma vez, portanto nem sempre é da primeira vez que voltarás à página em que estavas.
Abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 02 de Setembro de 2010, 23:42
Boa noite!

Eu fiz isso Moura...mas não consegui...

Não é fácil abordar o tema sem que alguns se melindrem. E sabemos bem como os Homens, no qual eu me incluo, adoram exibir os seus conhecimentos, evangelizando aqueles que se julga saberem menos ou que estão menos preparados moralmente.
Não emiti uma opinião baseada em teorias ou porque ouvi dizer de outros.

Eu frequentei o grupo de jovens num centro espírita há mais de 20 anos; participei durante anos em encontros de jovens, e surgi no lugar de evangelizadora. Aqui em Portugal facilmente nos conhecemos todos, e aqueles jovens amigos da minha juventude são agora os dirigentes de DIJ e das direcções de centros espíritas. Convivi com as suas dificuldades.
A minha formação académica é a pedagogia, e estive na formação de educadores a orientar estagiárias. Fiz um curso com o Walter Alves de Pedagogia Espírita e depois conheci a Dora Incontri através da sua proposta fantástica de Educação espírita.
Digo isto para reforçar a ideia que não está em causa julgar no sentido prejorativo. Mas sim, foi feita uma crítica saudável e necessária, e que se sente urgente cultivar no meio da evangelização espírita.

Quando me propus a colaborar num centro espírita eu resolvi viajar e conhecer como era o movimento espírita na Europa, e “pasme-se”… só falam de evangelização os centros espíritas em que os dirigentes são brasileiros. Porque em centros com dirigentes ingleses, franceses, suíços, a preocupação ao nível da educação é o estudo acompanhado, em grupo da codificação espírita, dirigido a todas as idades.

Isto tem razão de ser: Kardec nunca falou em evangelizar ninguém, nem como diz o texto “colher adeptos”. Promover centros espíritas sim, espalhados pelas cidades, para discutir, investigar, estudar em conjunto, mas não para fundar igrejas com aulas de catequismo.
É difícil ouvir isto, mas esta é uma evidência: o povo brasileiro é religioso, convive com muitas expressões religiosas, cheias de rituais, e seria difícil levar uma doutrina filosófica sem dar algo ás pessoas que as consolem, além do conhecimento. Assim surgiu passe magnético em fileira, água fluidificada como se fosse hóstia, e aulas de evangelização onde se fala do cristianismo e do espiritismo, apenas.

Vocês sabiam que os programas para as crianças e jovens não abordam a mediunidade? Cerca de 90% das crianças que nos procuram no centro, vão lá porque vêem ou ouvem os espíritos, e são encaminhadas para as aulas de evangelização, só que ao fim de uns anos, continuam sem saber nada sobre aquilo que as levou lá…
Mas o que está em foco é o desejo de fazer, a vontade de mostrar trabalho e se enaltecer com isso. Alguns de vós comentaram: ah mas cada um sabe de si… Discordo! Se para se ser educador ou professor tem de se auto-avaliar a sua motivação, o seu empenho, a sua capacidade, porque deveria ser diferente com o evangelizador?
Vamos deixa-los pegar nas apostilas e fazerem o que lhes apetecer só porque têm boa vontade? Isto é absolutamente incorrecto. Ser conhecedor da doutrina espírita não é suficiente para se ser um educador ou evangelizador espírita.

Euripedes Barsanulfo, já aqui citado, o era…mas ele nunca evangelizou…ele era um verdadeiro educador, assim como o foi Rivail (Kardec). Aliás, algo que sempre me questionei, é como Rivail que se dedicou mais de 30 anos ao ensino (ele era professor), com uma visão Pestalozziana, muito moderna para a época em França, poderia sugerir a evangelização como forma de educar as crianças, da forma como tem sido feita? Não podia.

Cito-o no Plano proposto para a Melhoria da Função Pública, em 1828:

“Ela (a escola) teria por meta formar educadores, não somente capazes de ensinar, mas ao mesmo tempo de desenvolver o homem em todos os sentidos.”
Porque…
“os resultados da educação são muito importantes para confiá-la levianamente a qualquer um…”

 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 03 de Setembro de 2010, 00:25
Boa Noite Gigii,

O que me atraiu exatamente no Espiritismo foi a forma de estudar em mesa, junto com todos, perguntando, refletindo e acrescentando o que pudesse ao estudo.

Não havia distância entre o educador e o aluno. Todos interagiam e adquiriam conhecimento.

Também não vejo necessidade de ser de outra forma, lógico que sempre terá um que vai direcionar o estudo, mas de forma natural, assim deve ser feito com adultos e crianças.

Você respondeu a uma de minhas questões, não há a menor necessidade de se colocar em postura de padre com voz angelical e vocabulário empolado para se falar da DE. Quanto mais acessível for a comunicação melhor.


Boa Noite

Hebe




Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 03 de Setembro de 2010, 14:34
Hebe e Gigii,
vocês duas são para mim um bálsamo nessa sexta feira.
Não sabem a felicidade com que li a troca de postagens de vocês duas.
Elas me deixaram mais confiante ainda no pensar de que o movimento espírita ainda tem jeito!
Abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Silvio Matos em 03 de Setembro de 2010, 14:57
O verdadeiro educador promove a sua visão da vida, a sua filosofia, respeitando todas as outras. Ele não colhe  adeptos, ele desperta consciências. Ele não se vangloria do que sabe, nem precisa de convencer ninguém, ele estabelece laços de fraternidade em cada momento da vida, sem ser necessário subir a um púlpito.De que adiantaria evangelizar dezenas de homens, se eu permanecesse sem me transformar nas mais pequenas dificuldades? Como poderia me alegrar com a simpatia dos outros pela minha filosofia, se eu não uso essa filosofia para me tornar num Ser melhor?
 
“Sede francos convosco mesmos; travai conhecimento com o vosso carácter, mas não o aduleis, porque as crianças aduladas às vezes se tornam más e os aduladores são os primeiros a experimentar os efeitos” . (La Fontaine – Dissertações Espíritas, 1863)
 
Regina Figueiredo
in Jornal de Espiritismo


Na mosca Gigii!  ;D

Kardec e Espíritos Superiores foram claros, objetivos na Codificação. Como será a Doutrina Espírita no futuro, quando nossas crianças "evangelizadas de hoje" serão os dirigentes das casas? Doutrina Espiritólica?
abç
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 03 de Setembro de 2010, 15:11
Hebe e Gigii,
vocês duas são para mim um bálsamo nessa sexta feira.
Não sabem a felicidade com que li a troca de postagens de vocês duas.
Elas me deixaram mais confiante ainda no pensar de que o movimento espírita ainda tem jeito!
Abraços,
Moura


Tem jeito sim Moura,

É só os Papas de plantão se tocarem  ;D ;D

Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: drika.web em 03 de Setembro de 2010, 17:23
Boa tarde!  [...]
Mas bem, o que se passa, e vamos ao cerne da questão, é que é muito fácil ser evangelizador: pegam na cartilha já com os textos e perguntas prontinhas, os objectivos e actividades muito bem planificados, e só orientar...tá feito. E depois saiem satisfeitos, tal como os milhares de professores que enchem as escolas, que andam anos e anos a repetir o mesmo B A Ba!!!
[...]

Olá amigos do FE.

Cara Gigi, peço desculpas por colocar essa questão, mas é isso que tu pensas sobre ser "evangelizador"? Não achas que estás a "pejorativizar" o termo e a generalizar o erro desse ou daquele exemplo que por ti foi conhecido, legando essa visão à toda classe? Talvez o que é educar para ti, seja evangelizar ou doutrinar para outros. E para questionar uma outra passagem em que tu dizes que: [...]"A grande maioria deles, nunca estudou nada de psicologia do desenvolvimento ou da aprendizagem; pouco sabem sobre a criança e jovem em si...e tantas vezes, pouco sabem sobre o próprio espiritismo. Mas há grande desejo e vontade de ajudar, á amor para dar. Indiscutível. Mas não chega..."[...], gostaria que me explicasses(m) o que quer Emmanuel dizer na seguinte passagem:
O Consolador, perg.237 - Existe diferença entre Evangelizar e Doutrinar? Emmanuel responde que existe grande diversidade entre as duas tarefas, pois segundo ele para doutrinar basta o conhecimento intelectual da Doutrina, porém para evangelizar é necessário a Luz do Amor no ìntimo!, constante no post do amigo FCFigueiredo?

Sem mais demoras, pois não quero de forma alguma fugir ao tema que é enaltecer o ego evangelizando, penso que temos também de levar em conta as condições em que esses evangelizadores/doutrinadores/educadores passam os seus conhecimentos e que a autora não deve tirar exemplos de lugares como França e outros da Europa porque cada realidade é uma só e o Brasil e a sua cultura é diferente de todos os outros países. Eu já vivi muitos anos no Brasil e sei perfeitamente que possuir um Curso Superior é uma dádiva para poucos, infelizmente. E que ter primeiro uma formação em pedagogia, psicologia ou afins para depois educar/doutrinar/evangelizar, seria um feito muito moroso. É como um pensamento meu: "Sabe mais um trabalhador do campo que diariamente está na sua jornada do que um Engenheiro Agrónomo sentado numa sala de aula."

Peço perdão se disse alguma coisa inoportuna. Eu ainda sou um bebé e preciso crescer muito intelectualmente - ou seja, "Só sei que nada sei". (sem falsas modéstias)

Beijos de luz
Drika
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 03 de Setembro de 2010, 17:54
AH Drika,
O Consolador editado pela FEB é uma publicação ligada ao roustainguismo. Citá-lo é promover esta chaga que nem Espírita é.
A Gigii esteve coberta de razão, pois para se ter ações no campo da psicologia mesmo de pouca monta é necessário tal formação e conhecimento.
Eu diria mais, a grande maioria dos evangelizadores, nunca tomou  senão ao Emmanuel , André, Joana e outros, com  forma de fazerem seu trabalha, consta que, eles não fazem doutrina, logo, poderiam até numa extensão, serem citados, contudo  por estarem numa casa espírita deveriam seguir a doutrina.
Drika, não se embrenhe por atalhos onde a amiga ainda não saiba de onde chegam nem para onde vão...
Abração,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: drika.web em 03 de Setembro de 2010, 18:58
AH Drika,
O Consolador editado pela FEB é uma publicação ligada ao roustainguismo. Citá-lo é promover esta chaga que nem Espírita é.
A Gigii esteve coberta de razão, pois para se ter ações no campo da psicologia mesmo de pouca monta é necessário tal formação e conhecimento.
Eu diria mais, a grande maioria dos evangelizadores, nunca tomou  senão ao Emmanuel , André, Joana e outros, com  forma de fazerem seu trabalha, consta que, eles não fazem doutrina, logo, poderiam até numa extensão, serem citados, contudo  por estarem numa casa espírita deveriam seguir a doutrina.
Drika, não se embrenhe por atalhos onde a amiga ainda não saiba de onde chegam nem para onde vão...
Abração,
Moura

Amigo Moura, respeito-o como a um pai ou a um tutor que muito tem para ensinar-me, mas a finalidade do fórum não seria mesmo esse? Questionar para tentar encontrar a resposta pedia? O que sempre ensinaram-me foi não ter medo de errar e questionar. E mais, dizem que com os erros fazem-se acertos. Eu estou aqui para aprender e penso não estar iludida, visto já ter tido muitos bons resultados, agora, o meu livre arbítrio também diz que não devemos concordar com tudo, ou sim?

Novamente peço desculpas se percebi errado a mensagem. Não sei se a tua real intenção foi outra, a não ser repreender-me por ser novata na Doutrina. Mas as palavras são muito falhas e eu ainda não consigo comunicar-me contigo pelo pensamento.

Beijos de luz
Drika
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 03 de Setembro de 2010, 19:24
Não tive a mínima intenção de repreender a ti amiga Drika, até porque é questionando o que conseguimos as respostas no que estás certa na ação.
Abração,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: hcancela em 03 de Setembro de 2010, 21:53
Boa Noite Gigii,

O que me atraiu exatamente no Espiritismo foi a forma de estudar em mesa, junto com todos, perguntando, refletindo e acrescentando o que pudesse ao estudo.

Não havia distância entre o educador e o aluno. Todos interagiam e adquiriam conhecimento.

Também não vejo necessidade de ser de outra forma, lógico que sempre terá um que vai direcionar o estudo, mas de forma natural, assim deve ser feito com adultos e crianças.

Você respondeu a uma de minhas questões, não há a menor necessidade de se colocar em postura de padre com voz angelical e vocabulário empolado para se falar da DE. Quanto mais acessível for a comunicação melhor.


Boa Noite

Hebe





Por isso é que eu em tempos por aqui disse no sentido figurativo que o Espiritismo era o cristianismo Redivivo, e quase que me soltaram os cães...IHIHIH

Agora um pouco mais sério! O Espiritismo é isso mesmo para mim. Reunião , estudo, amizade, confraternização e inter-ajuda entre todos, coisa que os cristãos daquele tempo o faziam ás escuras. Não havia títulos nem chefes, apenas homens que sabiam mais que outros e explicavam o eram as coisas de Deus, e assim sucessivamente.
Mas a coisa vai lá amigos, devagar mas vai.
Bjsuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 03 de Setembro de 2010, 23:11
Boa Noite Hcancela,
É tudo muito simples,
né?
Passa-se a DE até no dia dia, a toda hora.
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: lukas de souza em 06 de Setembro de 2010, 16:41
Boa-tarde,

Para a reflexão, nos foi trazido o assunto em epígrafe. Todavia o "post" em suas entrelinhas, esconde sutilmente alguns ataques a pessoas humildes e até mesmo ao Espiritismo, que ao leitor menos atento, poderá haver escapado, a julgar pelas respostas.
Em face do acima exposto achei de bom senso realizar o meu "post", tendo a frente, observando o sentimento que percebi haver ficado de forma subliminar e estendi-me textualmente por necessário, pois se o "enxugasse" mais, poderia andar por caminhos tortuosos e frustrada a minha reflexão em torno do assunto, razão pela qual encaminho por ANEXO

Muita paz.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: fernandohort em 06 de Setembro de 2010, 17:14
muito bom o texto. disse tudo. parabéns!!

abração. fique com Deus.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 06 de Setembro de 2010, 18:55
Boa Tarde Lukas,
Poderia salvar o arquivo numa versão anterior ou em outro formato para que possa ser aberto?
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 06 de Setembro de 2010, 19:37
Boa tarde!

Lukas, li o seu texto com atenção e é legitima a sua critica, pelo que a respeito, assim como você deverá respeitar a minha opinião e as demais.
Antes de responder-lhe devo sublinhar que tenho me prenunciado de forma crítica em relação ao movimento espírita sim, e não em relação aos evangelizadores, e muito menos em relação à doutrina que abracei desde que nasci.
Vou tentar ser objectiva em resposta ao que expôs, visto que se dirigiu a mim.

Citar
“O Espiritismo é de origem divina e tem que ser tratado com respeito.”

Citar
“Improcedente o julgamento de que o MOVIMENTO ESPÍRITA não se mobiliza, provavelmente porque desconheça ou então por inepta, não percebeu que a Doutrina Espírita tem por peculiaridade a discrição, da espontaneidade do ser humano de auxiliar sem recompensas de qualquer ordem”

Por isso mesmo os moldes em que é feita a evangelização espírita deve ser objecto de análise constante e quiça de avaliação por parte das Federações espíritas sempre que possível. É preciso ter respeito por todos os seres humanos e suas crenças.
Vou dar exemplos: em muitos, mas muitos centros espíritas no Brasil existe apoio social, em que grupos de companheiros vão caridosamente dar cestas de alimentos e vestuário ás crianças que vivem miseravelmente, mas em troca, antes falam da doutrina espírita em forma de palestras, enquanto as pequenas esperam pelo pão… Diga-me onde há respeito? Onde o espiritismo demonstra respeito quando vai dar mas pede que escutem, que frequentem a sua doutrina? Isto em muitos casos se chama evangelização!
Mas não se deve generalizar, há muitas excepções… mas vamos ignorar o resto?
E vão dizer: ah mas as crianças passariam fome se não fosse a caridade desses espíritas. Sim, mas que se dê sem exigir nada em troca. Porque não se dá de comer primeiro e depois se alimenta a alma?

Citar
“A amiga, conhece então o que é necessário fazer, desça do trono e vá ao encontro dos que necessitam desse saber e que você deixa hermeticamente fechado em seu íntimo.”

Como já havia referido, a minha opinião não nasce de teorias companheiro, é de prática, muita prática diária nesta área da educação.
Narro pequena experiência pessoal que reforça os meus argumentos (pode considerar que é exibicionismo que não vou me aborrecer): tinha eu 17 anos (hoje tenho 42), era espírita, mas como não havia nenhum centro na minha cidade (a 2ª maior de Portugal) com actividades de apoio social eu procurei um lar de crianças, em risco (órfãos, abandonadas) para ajudar no que fosse preciso. Fui educada pelos meus pais a fazer voluntariado, pois eles eram um exemplo para mim nessa área. Os jovens dessa instituição (católica) eram quase da minha idade, muito problemáticos. Mas eu ofereci-me para ajudar nos estudos, brincar, conversar, etc com eles. Eu não estava preparada, mas tinha boa vontade. Quando comecei a defrontar-me com situações de vida para as quais eu não tinha nem maturidade nem conhecimento, eu senti-me perdida…ao fim de um ano, tive de me afastar por não conseguir lidar com a minha impotência para dar respostas ou ajudar fosse quem fosse naquela instituição.

Já assistiu a reuniões com evangelizadores? Muitos queixam-se que foram empurrados pelos dirigentes: ah, diziam, mas eu não sou capaz de orientar um grupo de crianças, não estou bem dentro dos conhecimentos, nunca lidei com crianças. Resposta do dirigente: pode sim, tem de ser que não há mais ninguém!
Esta é uma realidade, e podem vir teorias que lhe aponto uma lista de nomes que passaram por esta situação.
Não vamos generalizar, é óbvio, mas isto existe e não devemos ignorar!

(continua)
 
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 06 de Setembro de 2010, 19:48
Citar
“O tópico me remete ao entendimento do interesse e de pressa da postante no processo de regeneração humana, numa única existência, como isso fosse possível. (filosofia dos IMEDIATISTAS com forte presença nos materialistas), antagônica a do Espiritismo que adota a filosofia do MEDIATISMO) .”

Bom, confesso que me incomoda deveras ouvir espíritas afirmar: “eu sou assim, sou imperfeito, paciência, tenho muito tempo, muitas vidas para mudar”. Mas cada um é senhor de si. E a minha critica, é em relação á institucionalização e não hás pessoas em si – volto a reforçar!

Citar
“Reconhece a necessidade da presença do amor junto à ciência e ao mesmo tempo o desdenha, afirmando de que não é o bastante, quando em verdade é tudo”.

Sem dúvida, pois o amor que falamos, apanágio de espíritos menos evoluídos como somos, ainda é um amor pretensioso de quem deseja algo em troca. O Amor que certamente se refere como essencial, aquele que Jesus se referiu como amar a Deus sobre todas as coisas, ou aquele que refere de Pestalozzi, é um amor universal, a que o pedagogo chama l’amour maternelle, esse amor que leva pais, educadores a levá-lo ate mais próximo de Deus.
E como o amor que todos pomos na caridade ainda não chega a este patamar, é um principio mas ainda é rudimentar, ele é também insuficiente.
Não devemos generalizar, mas isto existe e não podemos ocultar.

Citar
“Desconhece entre tantas outras iniciativas do Movimento a AME – (ASSOCIAÇÃO DOS MÉDICOS ESPÍRITAS), espalhada pelo mundo a fora, e presidida no Brasil bem como no exterior, pela brasileira, Dra. MARLENE NOBRE.”

Conheço pessoalmente a Drª Marlene Nobre, bem como alguns médicos espíritas (sou amiga da presidente da AME do Porto) com quem já tive oportunidade de conversar (em especial Drº Sérgio Filipe que é fantástico), brasileiros, ingleses e um suíço. Mas não vejo que isto tem a ver com o tema. Se se refere á dedicação ao movimento saiba que sou membro de uma associação espírita, e colaboradora num centro espírita em várias actividades, e isso nada tem a ver com o tema, pois como sabemos, cada um disponibiliza-se da forma que pode para colaborar. Não está em causa neste tópico o que o movimento espírita tem feito ao nível associativo, nem as suas acções beneméritas que são muitas! Existem associações de médicos, juristas, psicólogos, pedagogos espíritas…estamos a intervir em todas as áreas do conhecimento humano.

Citar
“Verificamos então o Espiritismo consagrado em não se preocupando inutilmente com imediatismo dos resultados, se resigna com os de efeitos mediatos”

Ou você se expressou mal ou se contradiz, pois esta sua observação é o que estamos a debater: o espiritismo não pode desejar evangelizar ninguém ao fim de meia dúzia de anos, só porque as crianças/jovens/adultos vão passando de ano e fazem avaliações de conhecimento positivas!
Por acaso já investigaram se aquelas centenas de crianças e jovens que passam pelos DIJ continuam todas a colaborar no centro quando adultos? Se foram evangelizadas porque saiem e nunca mais voltam? Porque o descontentamento? Já lhes perguntaram?

Citar
“Ocorre é de que a postante, talvez, por desconhecer ou subestimar, presume de que as pessoas que se envolvem na evangelização quer no lar ou nas instituições espíritas, agem solitariamente”.

Mais uma vez fugiu ao tema para me acusar sem me conhecer, quando eu nunca afirmei tal coisa. Somos espíritas, todos nós que participamos neste tópico, pelo que deve pressupor que nunca me esqueceria que nada se faz sem o consentimento de Deus e o auxilio dos bons espíritos. Nem isso está em causa, mas também sabemos que não é desejo da espiritualidade que os humanos (chamemos assim aos espíritos encarnados) ajam só em função do que os espíritos dizem, ou que contem sempre com a sua ajuda. A responsabilidade é sempre nossa.
Em relação á restante exposição que faz, deixo dois artigos sobre o tema em anexo e termino referindo Rivail em 1834, num discurso que fez como director numa escola em Paris:

“Disse, no começo, que a educação é a obra da minha vida, não faltarei á minha missão, pois penso compreende-la. Inimigo do charlatanismo, não tenho o tolo orgulho de acreditar cumpri-la com perfeição, mas tenho ao menos a convicção de cumpri-la com consciência.”

Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 06 de Setembro de 2010, 20:12
Gigii,
Boa tarde

Não entrou o anexo? ??? ???
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Gigii em 06 de Setembro de 2010, 20:18
 OLá Hebe...já tá em formato pdf
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 06 de Setembro de 2010, 20:48
Boa tarde Gigii,
Não sei porque na hora que eu abri o tópico não constava o anexo.

Este texto em pdf é mostra como deve se  passar a DE, e reforça o que eu disse anteriormente, não pode ser de qualquer jeito, tem que ter conhecimento, agir de acordo com a conduta moral passada e DE ensina-se não só no Centro espírita, como em qualquer lugar que se tenha convívio (casa, escola, trabalho )de forma natural .
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: hcancela em 06 de Setembro de 2010, 21:26
Olá amigos(as)


Tentando colaborar com o tema, encontrei algo que me pareceu importante :-* :-* :-* :-*



A visão que se tem da criança pela ótica espírita difere fundamentalmente daquela que é sustentada pelas doutrinas que pregam a unicidade da existência corpórea. Para essas correntes de pensamento religioso, a criança traz, ao nascer, apenas os ascendentes biológicos, que seriam herdados dos antepassados próximos ou remotos. A concepção espírita difere, também, de outras doutrinas reencarnacionistas que consideram a volta do Espírito ao mundo material apenas com fins punitivos ou, quando muito, para o cumprimento de uma missão.

O Espiritismo não nega a reencarnação missionária, e ensina que aquilo que é visto como punição é apenas o funcionamento da lei de causa e efeito. Entretanto, vai além, ampliando a compreensão da própria vida, ao revelar o aspecto evolutivo da reencarnação.

Vista sob essa ótica, a criança é um Espírito imortal, detentor de imensa bagagem de experiências vivenciadas em outras épocas, herdeira de si mesma, que retorna à Terra, a fim de adquirir novos conhecimentos e, principalmente, de reformular sua maneira de proceder, ajustando-a, tanto quanto possível, aos postulados do Evangelho de Jesus. Assim, aprende-se, no Espiritismo, que a reencarnação tem por objetivo o prosseguimento da jornada evolutiva do Espírito.

Ao responderem a Kardec a respeito da utilidade de passar pelo estado de infância, os Espíritos Superiores atribuíram a responsabilidade da execução dos procedimentos educativos, não só aos pais, mas a todos aqueles que têm oportunidade de propiciar à criança ensinamentos e exemplos que a ajudem a adquirir novos conhecimentos e a reformular seu modo de proceder, ou seja, de reeducar-se através do esforço consciente, no sentido de exteriorizar sua luz, herança divina de que todos os Espíritos somos dotados, conforme ensinamento de Jesus (Mt, 5: 16).

Dentre esses “incumbidos de educá-lo”, conforme expressão dos Espíritos (O E.S.E., cap. 14, item 8), estão os evangelizadores da infância, ligados a esses irmãos recém-chegados do Mundo Espiritual, não pelos laços da consangüinidade nem do parentesco físico, mas pelos mais sagrados elos da nobre tarefa assumida perante o Evangelizador Maior. Entende-se, assim, que foram admitidos num trabalho que é continuação daquele iniciado no Mundo Espiritual, na preparação do Espírito para sua volta às lides terrenas.  Ao ser considerada a Escola Espírita de Evangelização como um Posto Avançado do Mundo Espiritual, deve-se meditar sobre a extensão e a responsabilidade da tarefa que é atribuída ao evangelizador.

Consciente dessa grave responsabilidade, qual seja a de iluminar consciências, urge que se prepare convenientemente através da oração sincera, da meditação serena, do estudo edificante, a fim de que a sua palavra, portadora de carga magnética gerada na convicção profunda, e não apenas na informação superficial, possa tocar os pequeninos, pois  quem não está convencido do que diz, raramente consegue convencer alguém. Como exemplo, é oportuna a lembrança das palavras do Benfeitor Alexandre, citadas no livro “Missionários da Luz”, à página 311: “O companheiro que ensina a virtude, vivendo-lhe a grandeza em si mesmo, tem o verbo carregado de magnetismo positivo, estabelecendo edificações espirituais nas almas que o ouvem. Sem essa característica, a doutrinação, quase sempre, é vã.” Desse modo, a palavra suave, embora firme, abrirá as portas do entendimento da criança, propiciando oportunidade à semeadura das lições do Evangelho, agora explicado à luz da Doutrina Espírita.

Deve, o evangelizador, ter consciência de que a Escola Espírita de Evangelização – chamada afetivamente  de “escolinha” – é, malgrado o pouco tempo de que dispõe para o convívio com a criança, apesar da incompreensão da maioria dos dirigentes de centros espíritas, e das dificuldades materiais, a escola que mais esclarece no mundo, aquela mais propícia à implantação dos tempos novos, face aos ensinamentos libertadores, capazes de levar o evangelizando a uma mudança de mentalidade, que o capacitará a colaborar efetivamente na implantação de uma sociedade mais justa, mais humana, mais fraterna, conforme preconizam os Espíritos.

Continua
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: hcancela em 06 de Setembro de 2010, 21:27
Continuando

Importa seja lembrando também que o Espiritismo, ao trazer de volta os ensinamentos de Jesus, na sua simplicidade, objetividade e pujança originais, anula aquele sentimento místico do comparecimento ao templo – assim chamado casa de Deus – e revela o mundo como oficina da vivência religiosa, portanto do aperfeiçoamento espiritual. Anula, também, outro referencial religioso, além do templo, qual seja a figura do guru, do sacerdote, do pastor.

Tendo isso em mente, deve o evangelizador meditar sobre o que ele representa para a criança, que o observa efetivamente como referencial religioso, malgrado o seu empenho em mostrar-lhe os verdadeiros referenciais nas figuras veneráveis que,  através dos tempos, têm trazido suas contribuições para a iluminação da criatura humana, no que se destaca a figura maior de Jesus.

Assim pensando, deve o evangelizador empenhar-se, com toda a força do seu entendimento, no sentido de aprimorar-se cada vez mais para a execução do seu trabalho junto à criança. Esse aprimoramento envolve três aspectos principais, que devem ocupar o primeiro plano das suas preocupações: o pensar, o sentir e o fazer.

O pensar leva-o à reflexão, à conscientização plena do valor do seu trabalho. Quando medita sobre sua atuação no setor de evangelização infantil, deve avaliar o nível do seu comprometimento com a tarefa; que espaço ela ocupa em sua mente; quantas horas por semana dedica ao preparo da mensagem que levará à criança que espera dele a orientação, a fim de que caminhe com segurança neste mundo tão conturbado da atualidade. Sem que se julgue grande missionário ou Espírito iluminado, é justo que tenha consciência da relevância e do valor da tarefa a que se dispõe, ainda que a sua turma de evangelizandos seja pequena, que seja “turma” de um só!

E quando o assalte alguma dúvida a respeito da validade do seu esforço, deve lembrar-se de que no trabalho mediúnico de desobsessão – que deveria denominar-se “evangelização do desencarnado” –
um grupo de várias pessoas se empenha, às vezes durante muito tempo, no encaminhamento de um único Espírito que trilha caminho equivocado, não raro por não ter sido evangelizado na infância.

Aos serem examinados os resultados das tarefas desenvolvidas nas instituições espíritas, fica evidente que a Evangelização da criança é a atividade mais importante, de vez que beneficia o Espírito desde a fase infantil, influenciando seu proceder, dando-lhe diretrizes que o ajudarão não só nesta sua passagem pela Terra, mas que servirão como farol a iluminar-lhe a consciência em sua vida de Espírito imortal. Por isso é que, embora reconhecendo o valor das outras tarefas desenvolvidas nos centros espíritas, chega-se facilmente à conclusão de que a Evangelização da Criança deveria ter primazia, deveria ser atividade olhada com a maior responsabilidade por parte dos dirigentes das instituições espíritas, por ser a encaminhadora do Espírito, numa verdadeira continuação do trabalho iniciado no Mundo Espiritual, durante os preparativos para sua volta.

É a consciência profunda do insubstituível valor da tarefa que deve alentar o evangelizador nos momentos de desânimo, quando a incompreensão dos dirigentes da casa onde trabalha, a falta de espaço físico, de material apropriado, a falta de cooperação dos próprios pais, as dificuldades com a criança – todas essas dificuldades quiserem tirá-lo dessa seara bendita a que foi convocado.

O Evangelizador deve empenhar-se, também, no desenvolvimento da sua capacidade de sentir. Todos temos em nós o amor, em estado de latência. Essa herança divina, que o Espírito vai revelando através dos séculos sucessivos, pode ter sua exteriorização acelerada pelo esforço consciente da criatura. E o evangelizador é desafiado ao esforço de amar, pois quem não ama não tem condição de suscitar nos pequeninos o desejo de amar. O pensar é muito importante, imprescindível mesmo. Mas o pensar sem o sentir pode levá-lo a uma postura muito fria, muito calculada que, embora matematicamente certa dentro dos parâmetros meramente pedagógicos, vistos do ângulo acadêmico, não se coaduna com o espírito do trabalho de evangelização, que deve primar pelo incentivo ao desenvolvimento das virtudes preconizadas pelo Evangelho.

E, quando após anos de trabalho junto a uma criança souber que ela se desviou, a partir da adolescência ou da juventude, o evangelizador não deve desanimar, julgando perdido todo o seu esforço ao longo de anos sucessivos. O Bem nunca se perde. Mais cedo ou mais tarde, às vezes com o concurso da dor, as sementes recolhidas com os risos da infância germinarão, até mesmo regadas pelas lágrimas na idade adulta.


Saudações fraternas
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Mourarego em 06 de Setembro de 2010, 21:42
Sabem meus amigos, a grande questão que anoto em certas postagens é a de pegar parcels do efeito, com se fosse o todo.
O Lukas fez assim...
tomou uma assertiva crítica da Gigii na qual  anotamos outros e eu, e a toma como o todo quando a crítica certa, oportuna e pertinente se dá e é feita contra algumas pessoas do movimento espírita e mesmo sobre muitas das casas espíritas que não comprometidas senão com que "acham" correto, afastam-se do cerne da doutrina e fazem um Espiritismo "a moda da casa".
Parece-me que tal fato, e ai julgo apenas o escrito do mano Lukas, se dá por uma leitura rápida, acredito eu e por isso tomo como mal menor, mas que, contudo, deve ser aclarado.
Quando se fala em movimento espírita fala-se da ação de uma parcela deste, é certo, contudo trata-se de uma grande parcela de tal movimento, e a prova está no número de ´postagens  anotando diversidades de outras mensagens que não as codificadas e que, como sabemos passaram pelo CUEE (sim, novamente o CUEE), e tomadas como expressões doutrinárias, esta a causa outra das diversas e grandes divergências que noto.
O pior é que ainda dão-se ao luxo de dizer "desça do trono", e mais algumas que anotam a franca  conotação de demérito que dão às postagens contrárias as suas.
Parece-me, também que acreditam estes que, o demérito, que dão, tomarão efeito em todos como se não se lêsse o que se escreveu.
Tenho avisado reiteradamente "leiam as postagens, mas leiam tudo que ela trás", ora se quero responder numa postagem cujo texto é imenso, a tenho de ler em todo teor e não apenas uma parte para "achar" sobre o resto do conteúdo. Afinal, amigos somos Espíreitas mas não somos adivinhos.
Melhor não se responder do que se fazer pior, comentar sobre o que não se leu...
Quando Erasto num de seus ensinos asseverou sobre os lobos em peles de cordeiro também se referiu aos que agem desta forma, pois estes, estando em mio aos do credo Espiritista, pegam seus pares desarmados, na sombra da noite  essa conduta é covarde.
Não quero me adentrar nas técnicas que usam, contudo as anoto, e meu combate a estas quando em erro é aberto e franco.
Somos antes de tudo, amigos, ou pelo menos companheiros de ideal e se isso não nos investe de sinceridade, melhor que se vá tratar de outras coisas.
Abraços,
Moura
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: drika.web em 07 de Setembro de 2010, 16:27
Gigii,
Boa tarde

Não entrou o anexo? ??? ???


Olá Hebe,

Tomei a liberdade de guardar num formato anterior do Word, assim já fica mais acessível a todos. Peço desculpas ao Lukas por "atropelá-lo".  :D

(anexos: PDF e WORD 93)

Beijos de luz
Drika
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 07 de Setembro de 2010, 17:54
Muito Obrigada Drika,
Agora consegui abri.
Fique com Deus
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Hebe M C em 07 de Setembro de 2010, 19:52
 :D  :D  :D
Gente olha que loucura, o que é a vaidade humana e o orgulho ferido.
Já ri muito, :D :D :D , estou ganhando -1 até quando peço para salvar anexo em outro formato ou digo que o anexo não entrou.
Bela avaliação, disfarcem pelo menos :D :D :D :D. Escolham post que tem texto.
Muito engraçado isso, gostaram das setinhas. Virou "bem me quer e mal me quer". hihihi
________________________________________________________________________

Lukas,
Gostei do seu texto, muito bem escrito e com boa pesquisa, mas ainda concordo com as colocações da Gigii.
E não vejo nenhum texto de efeito subliminar tentando diminuir mais humildes. Acho que nessa você exagerou um pouco.
Volto ao que eu tinha colocado antes, não se trata de availar se deve evangelizar ou não, e sim de enaltecer o EGO fazendo isso.
Sou a favor do estudo livre, bem , já coloquei isso antes.
Um abço
Hebe
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: drika.web em 07 de Setembro de 2010, 21:55
Muito Obrigada Drika,
Agora consegui abri.
Fique com Deus
Hebe

Olá Hebe,

Eu enganei-me na citação... (hehehe)  :D Na verdade era essa:

Boa Tarde Lukas,
Poderia salvar o arquivo numa versão anterior ou em outro formato para que possa ser aberto?
Um abço
Hebe


Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/pedagogia-espirita/quando-o-desejo-de-evangelizar-nos-enaltece-o-ego/135/#quickreply#ixzz0ysa4HsvE
 
mas o principal foi colocar os arquivos né?

Beijos de luz
Drika
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: drika.web em 07 de Setembro de 2010, 22:42
[...]
O Evangelizador deve empenhar-se, também, no desenvolvimento da sua capacidade de sentir. Todos temos em nós o amor, em estado de latência. Essa herança divina, que o Espírito vai revelando através dos séculos sucessivos, pode ter sua exteriorização acelerada pelo esforço consciente da criatura. E o evangelizador é desafiado ao esforço de amar, pois quem não ama não tem condição de suscitar nos pequeninos o desejo de amar. O pensar é muito importante, imprescindível mesmo. Mas o pensar sem o sentir pode levá-lo a uma postura muito fria, muito calculada que, embora matematicamente certa dentro dos parâmetros meramente pedagógicos, vistos do ângulo acadêmico, não se coaduna com o espírito do trabalho de evangelização, que deve primar pelo incentivo ao desenvolvimento das virtudes preconizadas pelo Evangelho.

E, quando após anos de trabalho junto a uma criança souber que ela se desviou, a partir da adolescência ou da juventude, o evangelizador não deve desanimar, julgando perdido todo o seu esforço ao longo de anos sucessivos. O Bem nunca se perde. Mais cedo ou mais tarde, às vezes com o concurso da dor, as sementes recolhidas com os risos da infância germinarão, até mesmo regadas pelas lágrimas na idade adulta.

Saudações fraternas

Olá amigo HCancela.

Excelente explanação. Eu particularmente gostei muito dessa parte final porque vai de encontro a um pensamento que trago comigo há muito tempo: O amor verdadeiro nunca é em vão.
E isso serve em muitas situações da nossa vivência. Quantas vezes nesse caminho de "ensinar e aprender" esmorecemos? Sim, porque o fazemos diariamente, tanto para crianças como para adultos. Quantas vezes nos tolhem a esperança? Mas o importante é que a sementinha foi plantada e mais cedo ou mais tarde vai germinar e nascer uma linda plantinha que dará belos frutos. Tudo a seu tempo...
 
Se não te importas, podes dizer-nos qual é a fonte?

Obrigada
Beijos de luz
Drika
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: hcancela em 08 de Setembro de 2010, 21:16
Olá amigos(as)

Drika nem eu sei qual a fonte, tenho sempre aqui alguma coisita minha e de outros que acabo nem eu saber ;) ;) ;) ;)

Mas o que interessa nesta altura é a mensagem, o resto vem por acréscimo, né. :-*


Bjsuuuuuuuuuuuuuuuuuu
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: drika.web em 09 de Setembro de 2010, 12:59
Olá amigos(as)

Drika nem eu sei qual a fonte, tenho sempre aqui alguma coisita minha e de outros que acabo nem eu saber ;) ;) ;) ;)

Mas o que interessa nesta altura é a mensagem, o resto vem por acréscimo, né. :-*


Bjsuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Sim... HCancela,  ;)

Eu só queria ler mais coisas do mesmo autor. HEHEHE   ;D
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: pati em 12 de Setembro de 2010, 22:06
Bons dias!
Voltei a este tópico e deparei com vários textos "chateados" com o que, hoje, estou considerando, pelo pouco que consegui avançar: o ME(movimento espírita) anda um tanto egocêntrico mesmo.
Entendo assim: não é só à luz do Espiritismo que educar não é transmitir conhecimento do Espiritismo; só os estudos oferecem o conhecimento de algo. Educar, hoje, o que entendo, é muito mais do que passar conhecimentos, já que esses conhecimentos são fruto do que cada um adquire com o estudo, seja no setor que for, é individual. Assim como os valores, conceitos adquiridos. Mas, os que "sabem mais", de maneira natural, exemplificam para os "que sabem menos". Existe troca de experiências, pois o que julgo saber, pode ser acrescentado pela experiência do outro que, aparentemente, sabe menos.
Qdo iniciei no que o ME chama de evangelização, nada sabia de como lidar com os visitantes da Casa que frequento, situada numa verdadeira floresta, para quem está habituada à selva de pedra. Fui meio que "forçada", não por pura imposição, mas por sentir que eu mesma estava sendo "educada" à luz da DE. Tornei-me disponível, para o crescimento espiritual individual e de outrem. Fui alargando limites, em mim mesma, sem impor os conhecimentos que estava adquirindo. (Se bem que no começo, foi difícil agir dessa maneira, pela forma como fui "educada".)Através dos estudos, da prática do que nos traz como ensinamentos, a DE, fui amadurecendo.  Hoje, vejo assim: participo ativamente da "evangelização"( só para me situar no tópico)de quem assim o aceitar, bem como, e ao mesmo tempo, continuo me reeducando(e aceitando a lixiviação doutrinária) à luz da DE. Confesso que  só tenho noções, em escola, de psicologia. Com formação em educação, adquiri com os estudos da DE muito mais do que na escola convencional: a necessidade de me conhecer. Consegui quebrar o orgulho(não me destituí dele, ainda), ver que nada sabia; ao mesmo tempo, fui amadurecendo como espírito, graças à dedicação ao outro, menos aquinhoado que eu, material/espiritual/moral.
Educar, à luz da Doutrina dos Espíritos, até onde alcancei,  é exemplificar no BEM. É fazer brilhar a luz interior; auxiliando o outro a despertar como filho do Pai Celestial.

Vejam bem, amigos: ainda não cheguei nem aos pés da "pulga do cachorro do meliante"; me esforço, persisto e faço o "amar a Deus, e ao próximo, como a mim mesma" vibrar em mim como um verdadeiro mantra.
Estou me deixando "evangelizar", também, através dos estudos, das leituras destes tópicos, convívios virtuais, familiares e sociais. Aprendendo a respeitar opiniões, entendo que o ME também passa por progresso e evolução. Ainda estamos longe de alcançar o ideal de educação espiritual, mas tenho fé e colaboro com o que "tenho" de melhor a oferecer à Doutrina que abracei.

Agradeço a atenção dos amigos e deixo o meu abraço fraterno a todos.

Pati

Estejamos em Deus
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: filhodobino em 12 de Setembro de 2010, 22:24
Amados Irmãos,
Saúdo a Irmã Pati, referendando sua preocupação e tentando clarear melhor o assunto.
Peço vênia aos srs. moderadores para replicar aqui o que postei alhures, em função da oportunidade de esclarecimento que pode proporcionar, dada a paridade do assunto.


Citar
Re: que parte da biblia os espiritas acreditam
« Responder #29 em: Hoje às 22:15 »
CitarModificarApagar0Gostou?
Amado Irmão,
hcancela,


Congratulações pela oportunidade que o amigo nos oferece ao raciocínio...
Dizem os entendidos que só conseguimos suportar 0,00005% dos 200 bilhões de bits de informações disponíveis ao ser humano...
Então Evangelizar e doutrinar são em verdade, uma unica coisa, porém com alteridade, e amor ao próximo pedagogicamente falando, é disponibilizar informações coerentes com cada assunto  a cada momento... E no meu entendimento isto não faz ninguem inflar o Ego a menos que essa inflação já seja presente naquele psiquismo... o que é perfeitamente natural, então, o desvirtuamento foi generalizar para criticar quem se preocupa em selecionar informações, adequando-as e as aglutinando num mesmo memorandum para fornecer melhor compreensão... isto não é ensinar...
Nisto o amigo é doutor..
.
Saúde e Paz!
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: dasdawfeafasfasdasd em 15 de Setembro de 2010, 01:59
Vivemos em sociedade, nessa sociedade as pessoas desde a infância entram em escolas e lá aprendem desde a escrever até a comparar fenótipos e genótipos e fazer classificação genética. Estamos inseridos em um meio não tão autodidata, necessitamos do outro para aprender, até porque pelos nossos estudos espíritas sabemos da necessidade desse contato, dessa dependência entre um e outro... Então, seja pela nossa natureza de interdependência ou seja somente pela força da sociedade, estamos condicionados à ajuda do outro, e nisso entra aprender com e pelo ensino do outro.
O Espiritismo existe pelas pessoas que o professam, as pessoas invariavelmente vivem e devem se ajustar às leis da sociedade, essa última por sua vez desde cedo, como já disse, nos impõe o ensino que depende do mestre, então se as coisas se interligam dessa maneira não tem como pensar num Espiritismo diferente, num Espiritismo em que as pessoas que vem atrás do conhecimento se contentem, se sintam bem, apenas por lerem os livros sem que alguém mostre uma direção à elas. Mas, agora tornar a evangelização um problema por causa do ego enaltecido de alguns evangelizadores é somente se dar a forma e não ao fundo, é ver o copo sempre metade vazio... Se seguirmos esse tipo de raciocínio então acharemos da medicina um problema porque alguns médicos são negligentes, acharemos a alimentação um problema porque alguns alimentos fazem mal... Como sabemos, a Terra não é o melhor dos mundos e quem faz com que seja assim é a coletividade que nela habita, essas pessoas tem seus defeitos, nenhuma das instituições, filosofias, religiões, etc. estão isentas de mácula simplesmente porque elas são feitas dia a dia pelos humanos de provas e expiações, querer pureza em alguma dessas coisas, nos dias de hoje, é sonhar demais.
A evangelização não é o que causa a insuflação do ego e sim o próprio defeito da vaidade na pessoa. A vaidade é problema do próprio vaidoso, é ele que terá que lidar com as conseqüências disso, se não prejudica o ensino que está sendo passado, tudo bem.
Allan Kardec, como é de conhecimento, era um educador, estudou no instituto do Pestalozzi e desde cedo ensinou os demais. Todos os livros da Codificação foram feitos de maneira didática, mostrando nisso o sentido de usá-los na educação, seja de si mesmo, seja instruindo os demais, pois esse é o sentido da didática e foi isso que ele fez quando codificou, ensinou as pessoas, deu o ensejo ao conhecimento.
A educação que se dá a uma pessoa é feita por outras pessoas, ou ações externas, é feita pelos pais, pelos professores, e quando não é assim, é feita pela dor, pela observação, por entrar em contato com tudo que é externo para depois imprimir no interno e tomar as próprias conclusões... Na educação precisamos das coisas de fora para arranjar as coisas de dentro, e esse é exatamente o sentido da evangelização, e é exatamente por essa necessidade que ela existe. O fato dela existir não contradiz a Codificação nem insulta o Espiritismo, e muito menos faz pessoas más, seja quem dela use para ensinar ou quem por ela aprenda.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: drika.web em 15 de Setembro de 2010, 11:18

[...]
A evangelização não é o que causa a insuflação do ego e sim o próprio defeito da vaidade na pessoa. A vaidade é problema do próprio vaidoso, é ele que terá que lidar com as conseqüências disso, se não prejudica o ensino que está sendo passado, tudo bem.
[...]
O fato dela [...](evangelização)[...] existir não contradiz a Codificação nem insulta o Espiritismo, e muito menos faz pessoas más, seja quem dela use para ensinar ou quem por ela aprenda.

(itálico meu para que não se perca o contexto do texto suprimido)

Olá Das... (que nome complicado!  :D :D :D)

Eu também penso assim...
E quem não teve o EGO "inflado" uma única vez na vida, nem que seja resultante de um elogio recebido, que atire a primeira pedra...
Somos seres humanos, ainda longe da perfeição. Estamos sempre à mercê desses sentimentos impuros... Mas o importante é seguirmos sempre vigilantes e obstinados a essas situações.

Beijos de luz
Drika
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: lukas de souza em 15 de Setembro de 2010, 15:44
Vivemos em sociedade, nessa sociedade as pessoas desde a infância entram em escolas e lá aprendem desde a escrever até a comparar fenótipos e genótipos e fazer classificação genética. Estamos inseridos em um meio não tão autodidata, necessitamos do outro para aprender, até porque pelos nossos estudos espíritas sabemos da necessidade desse contato, dessa dependência entre um e outro... Então, seja pela nossa natureza de interdependência ou seja somente pela força da sociedade, estamos condicionados à ajuda do outro, e nisso entra aprender com e pelo ensino do outro.
O Espiritismo existe pelas pessoas que o professam, as pessoas invariavelmente vivem e devem se ajustar às leis da sociedade, essa última por sua vez desde cedo, como já disse, nos impõe o ensino que depende do mestre, então se as coisas se interligam dessa maneira não tem como pensar num Espiritismo diferente, num Espiritismo em que as pessoas que vem atrás do conhecimento se contentem, se sintam bem, apenas por lerem os livros sem que alguém mostre uma direção à elas. Mas, agora tornar a evangelização um problema por causa do ego enaltecido de alguns evangelizadores é somente se dar a forma e não ao fundo, é ver o copo sempre metade vazio... Se seguirmos esse tipo de raciocínio então acharemos da medicina um problema porque alguns médicos são negligentes, acharemos a alimentação um problema porque alguns alimentos fazem mal... Como sabemos, a Terra não é o melhor dos mundos e quem faz com que seja assim é a coletividade que nela habita, essas pessoas tem seus defeitos, nenhuma das instituições, filosofias, religiões, etc. estão isentas de mácula simplesmente porque elas são feitas dia a dia pelos humanos de provas e expiações, querer pureza em alguma dessas coisas, nos dias de hoje, é sonhar demais.
A evangelização não é o que causa a insuflação do ego e sim o próprio defeito da vaidade na pessoa. A vaidade é problema do próprio vaidoso, é ele que terá que lidar com as conseqüências disso, se não prejudica o ensino que está sendo passado, tudo bem.
Allan Kardec, como é de conhecimento, era um educador, estudou no instituto do Pestalozzi e desde cedo ensinou os demais. Todos os livros da Codificação foram feitos de maneira didática, mostrando nisso o sentido de usá-los na educação, seja de si mesmo, seja instruindo os demais, pois esse é o sentido da didática e foi isso que ele fez quando codificou, ensinou as pessoas, deu o ensejo ao conhecimento.
A educação que se dá a uma pessoa é feita por outras pessoas, ou ações externas, é feita pelos pais, pelos professores, e quando não é assim, é feita pela dor, pela observação, por entrar em contato com tudo que é externo para depois imprimir no interno e tomar as próprias conclusões... Na educação precisamos das coisas de fora para arranjar as coisas de dentro, e esse é exatamente o sentido da evangelização, e é exatamente por essa necessidade que ela existe. O fato dela existir não contradiz a Codificação nem insulta o Espiritismo, e muito menos faz pessoas más, seja quem dela use para ensinar ou quem por ela aprenda.

Estimado irmão,

mais que um simples texto trouxestes um ensinamento e aí, e para mim, um apoio de valor indizível,eis que sou neófito (aprendiz) da Doutrina Espírita, mas que luta contra seus maus pendores no cometimento da Reforma Íntima, mas que não raramente queda.
Tarefa árdua, porque na minha infância, sem entrar no mérito, faltou-me exatamente essa orientação evangélica e espírita, que seguramente me remeteria a idade madura, com menos débitos.
Estaria hoje e sob diretrizes seguras, em mais auxiliar aos meus semelhantes com a naturalidade requerida e revestida de autoridade moral, o que se consegue a partir do direcionamento correto e factível pelo Espiritismo. Competente e necessário a partir da infância.
Não precisa que Espírito de Verdade tenha que nos vir novamente dizer que isso seja necessário se faça. Pretender isso, seria desejar escravizar uma plêiade de Puros Espíritos em novamente, vir dizer-nos que não busquemos tão somente o em alcançar a angelitude no porvir, mas sobretudo e humildemente, ou tentar pelo menos, como co-responsáveis que somos, em mergulhar no empreendimento do Criador, ou seja, em auxiliar no progresso intelecto-moral deste pequeno orbe. É o que nos reclama Deus e para o bem de toda a humanidade, encarnada ou desencarnada.
O ocaso da minha vida corpórea, no horizonte se revela muito próximo; não me assusta o decesso, mas confesso, como dever de consciência, dizer, de que quando enviado para a indivisibilidade, chegarei envergonhado. E este sentimento, entendam todos quantos lerem este acanhado texto, quiçá, inoportuno, o transformo num depoimento, destituído de falsa humildade, asseguro-lhes.
Perdi tempo, mas mesmo assim o Pai em sua infinita bondade brinda-me, mesmo não O tendo escutado em tenra idade e em significativa parcela da minha vida, em receber manifestações como esta que trago sob citação. Ficará a cabeceira do meu leito para releituras.
É um convite legítimo à reflexão ou então um combustível, cujo princípio ativo é o Amor Fraternal que deve mover todos os corações.
Por fim entendo necessário revelar que mesmo os que não acompanhem este pensamento por gozarem do livre-arbítrio, recebam afetuoso abraço que segue acompanhado do desejo de que desfrutem de muita...

PAZ




Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: mecame em 15 de Setembro de 2010, 16:31
Luz e paz, irmãos e irmãs queridos. Estou muito feliz pelo tema. E mais feliz por saber que a semente não cai para morrer se nossos solos forem férteis, por isso creio que estas postagens nos farão seguir adiante com o propósito de semear a amor . Muita luz todos. A paz de Cristo.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: Raquel Anjos em 15 de Setembro de 2010, 18:44
Quando o ser humano deixar o orgulho e a vaidade de lado posso arriscar dizer que esse terá dado 90% na sua evolução espiritual. Esses são os grandes entraves dos encarnados hoje.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: season em 16 de Setembro de 2010, 14:52
Boa tarde.
Penso haver aqui uma má interpretação de simples palavras. Os Espíritos eles mesmos nos advertem que a humanidade ainda não conhece determinadas palavras para poder exprimir-se mais correctamente.
Porque haveríamos nós então de nos chatearmos por meros significados, quando realmente o que mais importa são os exemplos.

Quem poderá dizer que quem evangeliza também não o exemplifica? Caberá apenas à providência divina julgar. Mas sabendo que nem mesmo a providência divina o faz, porque o haveremos de nós fazer? Certo é que em todos os livros que leio sobre obsessão, a palavra doutrinação e evangelização lá se encontra. Quem poderá contradizer Divaldo Franco e toda a plêiade de espíritos que o assiste e nos "evangeliza"?

Não nos deixemos levar por sentimentos menos capazes de dar exemplos edificantes, porque é a melhor forma de educar.
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: dasdawfeafasfasdasd em 25 de Setembro de 2010, 23:40
Concordo com a Raquel e com Season.
Agradeço ao Lukas e a Drika por embasarem minhas palavras.
Meu melhor sentimento a vocês.
Paz sempre,

Katia
Título: Re: Quando o desejo de evangelizar nos enaltece o Ego
Enviado por: lukas de souza em 26 de Setembro de 2010, 16:07
KÁTIA, estimada amiga,

agradeces desnecessariamente.
Receba meu afetuoso abraço.

MUITA PAZ!
   Lukas