Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Pedagogia Espírita => Tópico iniciado por: Rose FRA em 11 de Julho de 2011, 17:37

Título: Adolescência - um pouco mais sobre o assunto
Enviado por: Rose FRA em 11 de Julho de 2011, 17:37
Estimados Amigos de forum,

vamos estudar um pouco sobre a Adolescência... sempre nos esclarecendo algo, nos renovando para um convivio salutar junto aos nossos.

Francisco do Espirito Santo Neto, no livvro Adolescência causa da (in) Felicidade - pelo espírito de Ivan de Albuquerque nos dá grandes dicas... o resto temos que aprender no dia-a-dia, com os nossos e vivenciando aprenderemos mais e mais.

Com carinho da

Rose


Do Livro Adolescência causa da (in) Felicidade - Francisco do Espírito Santo Neto - pelo espírito Ivan de Albuquerque


Para Refletir - Questao 385 - LE

De onde provém a mudanca que se opera no caráter, a uma certa idade, e particularmente ao sair da adolescência?  É o Espírito que se modifica?

É o espírito que retoma sua natureza e se mostra como ele era.  (...) A infância tem, ainda, uma outra utilidade:  os Espíritos nao entram na via corporal senao para se aperfeicoar, se melhorar, a fraqueza da pouca idade os torna flexíveis, acessíveis aos conselhos da experiência e dqueles que os devem fazer progredir.  É, entao, que se pode reformar seu caráter e lhes reprimir as más inclinacoes; tal é o dever que Deus confiou aos seus pais, missao sagrada pela qual deverao responder. (...)

Fase de Transicao
Adolescência é um período de mudanca caracterizada por aspectos biológicos, psicologicos, sociais e culturais; uma estacao da vida do ser humano onde se vai descobrindo a si mesmo e aos outros, construindo sua personalidade, formatando ideais e projetos de cunho pessoal.

A fase da juventude terrena é, incontestavelmente, uma etapa de transicao em que o ser reencarnado precisa de auxílio e norteamento.  Recém-retornado do mundo espiritual para novos experimentos no planeta, cabe-lhe aproveitar bem a oportunidade de crescimento individual que lhe é concedida.

O Espiritismo apresenta ao jovem um programa notável de vida, explicando-lhe o propósito da existência na qual se encontra inserido, ora transitanto na esfera física ora fora dela, como um ser espiritual que nao pode ser dividido apenas porque vive uma etapa ou estado temporário.

O conceito de adolescencia foi construído através dos anos para assinalar a passagem de um ciclo da vida (infância) para um outro (idade adulta).  Ligada ao tempo e espaco, essa construcao teve seuas primeira pilastras na Idade Média.  Hoje tem outro significado.

A nocao de adolescência nao possui caráter absoluto, pois nem todos os adolescentes têm uma mesma experiência existencial.  Sao diferentes as experiências do jovem de classe alta e as do adolescente de classe baixa, como há tracos distintos entre a juventude asiática e a européia, por exemplo.  Cada tem seus desafios, valors e tradicoes, entretanto sao dessemelhantes entre si.

Existem diversidades e elas deverao ser levadas em conta no que se refere ao progresso interno do adolescente rumo á maturidade.  A transitoriedade juvenil é muitas vezes agravada pelos incessantes conflitos familiares, porque geracoes diferentes possuem visoes distintas do mundo, sendo perfeitamente compreensível e natural que jovens e adultos entendam as coisas de modo desigual, criando juízo ou apreciacao completamente divergente.

A base para um bom relacionamento é realmente o diálogo.  Através da troca de ideias, exposicao de razoes em defesa de pontos de vista, jovens e adultos entendem as angústias e meddos que cada um sente e, a partir daí, poderao tomar medidas que aliviem e diminuam esses choques de opinioes.

Ainda uma observacao a respeito do conceito de normalidade e anormalidade na adolescência:  normalidade é um estado padrao, considerado correto por conta de uma maioria que possui um ponto de vista comum; anormalidade é tudo aquilo que é contrário a essa maioria ou que foge desse padrao preestabelecido.

Nessa fase de transicao, muitos problemas do jovem dependem das expectativas ou comparacoes que os pais fazem ou alimentam a seu respeito.  É duro ver o filho dar "cabecadas", mas é a única maneira de deixar que ele cresca.  Muito importante e apropriado é o provérbio: "Se o jobem soubesse, se o velho pudesse...."

Um adolescente pode amadurecer sexualmente por completo num breve tempo de 6 meses, outro poderá levar 3 anos.  O desenvolvimento físico de um poderá iniciar-se aos 11, e de outro, só aos 16.   Fatores emocionais agem sobre os fatos da temporalidade, promovem alteracoes fisiológicas.

É imperioso incentivar os jovens a participar de grupos de relacionamento, para favorecer o entrosaemnte entre colegas e amigos de ambos os sexos, por meio de excursoes, acampamentos, frequencia em grupos de mocidade espírita e tudo aquilo que possa facilitar sua integrcao social.

Para o adolescente, estar ligado a um grupo social significa "encontrar-se", pois os amigos podem lhe dar certo suporte e seguranca nessa fase de adaptacao e transicao.  O agrupamento de jovens é o melhor espaco para descobrir a própria identidade, compartilhar sonhos, viver os melhores e mais saudáveis momentos da juventude.

Por fim, devemos nos perguntar o que é mocidade, já que procuramos viver de acordo com os princípios da imortalidade.  É um estado a idade física que nao corresponde necessariamente à do Espírito, quer dizer, nao representa a idade da alma.  Há mocos que habitam o mundo trazendo em si uma madureza indescritível, fruto das experiências adquiridas em múltiplas encarnacoes.

A jornada terrena pode ser comparada ao itinerário de uma turnê de grande utilidade.  A infância, a juventude e a velhice sao paradas predeterminadas das almas na viagem rumo a novas conquistas imortais.
Título: Re: Adolescência - um pouco mais sobre o assunto
Enviado por: Mariazinha C.Valenti em 14 de Julho de 2011, 13:23
ADOLESCENTE

   Em verdade vos digo, que se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos Céus. (Mateus, 18:3)


Quem é o adolescente?

É um espírito habitando um corpo carnal em sua fase de transição. Ele está deixando de ser criança, mas sabe que ainda está longe de se tornar um adulto. Muitas pessoas pensam que ele se considera o senhor de todas as situações,  que sabe tudo, que pode dominar tudo. Na verdade, não é bem assim.
Um adolescente sabe que é impotente para muitas coisas, é consciente de sua fragilidade e de sua incapacidade. Porém a natureza, automaticamente, o impulsiona a avançar. Intuitivamente ele sabe que precisa se tornar forte, mas a sua capacidade física e mental ainda é limitada.   É aí que entra em conflito consigo mesmo e,  consequentemente,  com o mundo.
O instinto lhe sugere a independência.  Por isso, ele não quer ser conduzido. Só que ainda não sabe se conduzir.
Ele dispensa a ajuda dos pais, mas sabe que precisa dela.
A cabeça do adolescente é muito confusa, a insegurança é muito grande.

Podemos comparar o adolescente a um passarinho deixando o ninho, já tem asas, mas ainda não sabe voar.  Precisa voar para sobreviver, mas ainda tem medo.

A necessidade instintiva da auto-afirmação faz o adolescente se tornar orgulhoso e rebelde.  Suas necessidades físicas e emocionais o fazem se tornar persistente e cansativo para os adultos que o acompanham. É por isso que o chamam descaridosamente de “aborrecente”.
Além de tudo isso, ele está passando por uma transformação hormonal, e isso causa sintomas físicos que se confundem com seu temperamento,  e até com o mau comportamento, por isso ele é mal compreendido. consequentemente, muitas vezes por falta de orientação, ele é desviado do caminho reto.

Se você convive com algum adolescente, considere  isto: 
Na realidade,  o adolescente promete muito, pois em breve se tornará um cidadão.
Se for bem compreendido e orientado hoje, será o adulto produtivo e positivo de amanhã.
Para orientá-lo,  é preciso primeiro fazê-lo entender a própria situação, mostrar o quanto ele é importante para o mundo e para a sociedade.
Podemos  conquistá-lo, através do diálogo constante, depositando-lhe  confiança  porém sem descuidar. Seguí-lo de perto sem imposição,  sem muita interferência e com  muito boa vontade, humildade e dedicação.  Ele precisa saber que é respeitado, que é importante na vida dos pais e no meio em que vive.  Ele precisa sentir que o mundo conta com ele,  por esta razão precisa ser responsável.
O bom exemplo é fator primordial.  A prova de que o amamos e somos seus amigos sinceros é de suma importância.  O diálogo pacífico e despretensioso é fundamental.
Todavia é importante considerar que existe a possibilidade de alguns pais não serem suficientemente amadurecidos. Não tiveram oportunidades de realizações e nem de receber orientações adequadas. Isso gera rivalidade e, consequentemente, competição com os filhos. Essa situação contribui indiretamente para os grandes conflitos, e até para o desencaminhamento.
As escolas da Doutrina Espírita poderão orientá-lo e integrá-lo socialmente nas normas de moral cristã.

Na verdade, conquistamos e orientamos um adolescente com muita humildade, espírito de renúncia e de fraternidade.  Conquistamos e  direcionamos um adolescente com muito AMOR.