Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Páginas na internet => Tópico iniciado por: rtt em 04 de Maio de 2012, 17:58

Título: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 04 de Maio de 2012, 17:58
http://www.cme.org.br/
Existem muitos militares que são espíritas.
Para mim isso é bastante contraditório, porque o serviço militar é ligado a armas e violência além de haver uma hierarquia e uma disciplina incompatíveis com princípios cristãos.
Eles justificam sua ação com base na lei de ação e reação, pensando assim que deve haver repressão, mas esquecem de que "ai daquele por quem se faz o escândalo"
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Wellington tkd em 04 de Maio de 2012, 22:03
O amigo deve lembrar que vivemos num mundo de provas e expiações e infelizmente necessitamos das forçar armadas para impor ordem. Do contrário, viraria um caos. Se o amigo ler o livro  "Os Mensageiros" de André Luiz verá que nas zonas inferiores, existem umas espécies de castelos que socorrem alguns desencarnados e esses possuem canhões para proteger o seu interior. Seria mesmo muito bom não precisarmos de agentes da lei para colocar ordem. Mas... Quem sabe um dia?
Cuidado com a análise: bom militar e mau militar.
São Jorge era soldado também e muitos mais espíritos de alta escala foram militares.
Muita paz.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 05 de Maio de 2012, 00:15
Oi Wellington,
Estamos no fim da época de provas e expiações, por isso acho legal começarmos a pensar que mudanças devem acontecer aqui.
A desculpa da ordem muitas vezes é usada para cometer assassinatos e defender os interesses da elite. Lembremos que as forças armadas surgiram para defender esses intereses, principalmente para o roubo de posses dos outros.
Todos os problemas que gerariam o caos são causados pelas circunstâncias da sociedade (como a fome e a miséria) e a repressão é uma forma tola e ineficaz de combater o efeito e não a causa.
Mesmo assim, o uso da força pode ser necessário, como nesse caso dos socorristas, mas para isso não é preciso matar ou pegar em armas letais. Algo como bombeiros e defesa civil bastariam.
Alguém que seja bom necessariamente deve ser contra o assassinato.
Um abraço
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 05 de Maio de 2012, 00:46
Excetuando afirmações fantasiosas de André Luiz, contraditórias com a codificação (castelos, canhões - quando, na verdade o que coage um espírito rebelde é a força moral de um outro espirito superior), quem melhor analisou a questão do tópico, ao que eu tenha visto, foi Ney Lobo, no livro Filosofia Social Espírita.

Lá ele traçou uma linha de raciocínio, com a qual concordo. Trata-se das diferenças de aptidões das pessoas, da necessidade do cumprimento das leis que moralizam uma civilização e do papel didático de tudo isso.

Resumindo - o individuo que faz cumprir a lei, sendo espírita ou não, está, na prática, ensinando ao próximo os seus limites de comportamento e consequentemente, de acréscimo de qualidade evolutiva para toda a coletividade.

Vale aqui fazer uma analogia com a Lei de Destruição, na qual a guerra é situada no Espiritismo como necessária para promover a liberdade e o progresso, tanto quanto, em específica pergunta, o soldado que luta numa batalha é isento de culpa, exceto pelos excessos que cometeu.

Sugiro, então, ler o livro citado de Ney Lobo - extremamente exegético - e o capítulo pertinente do LIvro dos Espíritos.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Paulo Cortez em 05 de Maio de 2012, 01:51
São Jorge era soldado
Só a título de informação: parece que o dito São Jorge, nunca existiu. É uma invenção.
Tenho claro que o militarismo é bem a cara de um planeta atrasado e se serve para alguma coisa, é para explicitar a violência, com guerras e assemelhados de menores proporções.
O que aprendi na DE é que a violência não serve nem como reação.

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 05 de Maio de 2012, 02:26
Paulo está correto. Inclusive, nem mesmo é um "santo" consagrado na Igreja Católica. È uma lenda de um cavaleiro que teria matado um dragão. Bem, dragões também não existem...
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Joao Paulo Soares em 05 de Maio de 2012, 05:04
Olá ricardo,

 Pois não..
 
 PRECE DE OPERAÇÕES ESPECIAIS ,RANGERS DE PORTUGAL

Dai-nos, Senhor, tudo aquilo que nunca Vos é pedido.
Não Vos pedimos o descanso, nem a tranquilidade do corpo, nem tão pouco a do espírito.
Não Vos pedimos riqueza, nem o êxito e as honrarias, nem sequer o reconhecimento dos homens.
De tudo isto, que insistentemente Vos pedem, talvez quase nada já Vos reste.
Dai-nos, pois, ó Deus, o que ninguém quer, o que todos rejeitam: A insegurança, a incomodidade, a inquietude, a tormenta e o risco. A vereda estreita e agreste que vai até Vós.
Concedei-nos isto, nós Vos suplicamos, definitivamente, porque a fraqueza, fruto do egoísmo humano que em nós existe, talvez nos tire a coragem de o solicitar de novo.
Dai-nos, Senhor, o que Vos sobra, aquilo que ninguém quer, nem sequer Vos pedem mas, dai-nos, ao mesmo tempo, o valor, a vontade, a força e a fé que temperam a alma do soldado na grandeza da sua servidão.
Por ultimo, Vos rogamos, ó Senhor, por aqueles que, de entre nós, em todos os tempos, caíram no campo da Honra e derramaram o seu sangue pela Independência e Liberdade da Pátria.
Nós Vos pedimos, ó Deus dos Exércitos, que, no Vosso Seio, repousem na paz eterna as almas destes bravos.


PRECE DE OPERAÇÕES ESPECIAIS ,RANGERS DE PORTUGAL (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD9mZWF0dXJlPXBsYXllcl9kZXRhaWxwYWdlJmFtcDt2PXRZT01hYlROQ2RBIw==)

E tudo, sob o "disfarce" da nossa Padroeira, Nossa Senhora da Conceição (catolicamente falando) ;)

"A Imaculada Conceição, comemorada em 8 de Dezembro, é invocada como Padroeira de muitas organizações.
Foi definida como uma festa universal em 1476 pelo Papa Sisto IV. A Imaculada Conceição foi solenemente definida como dogma pelo Papa Pio IX em sua bula Ineffabilis Deus em 8 de Dezembro de 1854.
Nas instalações onde foi criado, em 16 de Abril de 1960, pelo Decreto 42926, o Centro de Instrução de Operações Especiais [hoje, Centro de Tropas de Operações Especiais], existe a Igreja dedicada a Nossa Senhora da Conceição.
Sob a sua invocação, foi criada a Irmandade Militar de Nossa Senhora da Conceição que, após a sua investidura de novos membros, dirigem-se à parada onde, durante as homenagens militares prestadas aos militares caídos no Campo da Honra"

 Poucos o sabem, e a quem perguntar, será negado :)
 E tenha calma. lá chegará o dia em que tal não será necessário..
 A Ler : Capitulo VI -  Lei da Destruição do LE.


Portuguese Army Special Operations - Rangers (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWNLMjJKMFVyNTdFJmFtcDtmZWF0dXJlPXBsYXllcl9kZXRhaWxwYWdlIw==)

Forte Abraço,
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 05 de Maio de 2012, 15:49

Resumindo - o individuo que faz cumprir a lei, sendo espírita ou não, está, na prática, ensinando ao próximo os seus limites de comportamento e consequentemente, de acréscimo de qualidade evolutiva para toda a coletividade.


O problema é que a lei humana não é igual a Lei de Deus, muitas vezes é até mesmo uma violação dela.
E uma coisa que é aprendida à força não é aprendida de verdade.
Abraços
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 16:36
Amigo Ricardo,
uma avaliação melhor do capítulo sobre as Guerras em OLE por certo o faria mudar de conceituação.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 05 de Maio de 2012, 16:40
Citar
O problema é que a lei humana não é igual a Lei de Deus, muitas vezes é até mesmo uma violação dela.

Como disse o Moura, a leitura do LE com certeza altera sua idéia. Lembre-se do nome do capítulo: LEI de destruição... LEI... Quem a escreveu?... Não foram os homens...

Guerras também podem ser atos de amor - a partir do momento em que se luta pela liberdade de um povo.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 17:52
Do LE:
"742. Qual a causa que leva o homem à guerra?
– Predominância da natureza animal sobre a espiritual e satisfação das paixões. No estado de barbárie os povos só conhecem o direito do mais forte, e é por isso que a guerra, para eles, é um estado normal. À medida que o homem progride ela se torna menos freqüente, porque ele
evita as suas causas, e quando ela se faz necessária ele sabe adicionar-lhe humanidade."

744. "Qual o objetivo da Providência ao tornar a guerra necessária?
– A liberdade e o progresso".

Só estas duas colocações doutrinárias já sustentam as últimas colocações do mano Randy.
mas avaliem com isenção e depois concluam, lendo mais esta:

"744. Qual o objetivo da Providência ao tornar a guerra necessária?
A liberdade e o progresso.

Qual a conclusão a que eu chego?

Ora, uma de simplicidade pueril:
Muitos não tomam o devido cuidado e se deixam levar pelos caminhos do açodamento.
É esta pressa, que os faz responder, afirmar e conjecturar, com se já detivessem um saber aprofundado sobre o tema, e nisso se perdem.
Se voltassem às páginas dessa coletânea de ensinos, conhecida como codificação, veriam que, ou se expressaram mal, ou que erraram quanto a profundidade que o tema tivesse.

abraços,
Moura

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 18:03
Em tempo:


744-a. Se a guerra deve ter como efeito conduzir à liberdade, como se explica que ela tenha geralmente por fim e por resultado a escravização?
– Escravização momentânea para sovar os povos, a fim de fazê-los andar mais depressa. (Eu: Leiamos ao vocábulo sovar utilizado pela Espiritualidade Superior, sob esta explicação do dicionariasta:6 Reg (Sul) Amaciar, tornar flexível (especialmente o couro cru).
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 05 de Maio de 2012, 18:46
Foi omitida uma questão:
"743- A guerra desaparecerá um dia da face da Terra?
Sim, quando os homens compreenderem a justiça e praticarem a lei de Deus; então todos os povos serão irmãos.
"

Já não é época de sermos justos e praticarmos a lei de Deus? Então porque não melhoramos o mundo e o fazemos andar pra frente em vez de deixá-lo na inércia, querendo conservar e justificar os nossos defeitos?


Do LE:
"742. Qual a causa que leva o homem à guerra?
– Predominância da natureza animal sobre a espiritual e satisfação das paixões. No estado de barbárie os povos só conhecem o direito do mais forte, e é por isso que a guerra, para eles, é um estado normal. À medida que o homem progride ela se torna menos freqüente, porque ele
evita as suas causas, e quando ela se faz necessária ele sabe adicionar-lhe humanidade."


Bom, a parte que foi destacada só pode significar que quando o uso da força for necessária não será de forma sanguinária como é atualmente, com armas letais nuclares, químicas e eletromagnéticas, mas de forma apenas a conter alguma pessoa, por exemplo com uso de spray de pimenta ou algum método de paralização, sem morte.

Isso foi falado aqui: http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/violencia/msg267594/#msg267594

Um abraço
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 19:00
Mano Ricardo, o problema da interpretação tendenciosa é que vicia o estudante.
às questões que o amigo comenta, seguem meus comentários:

Diz o amigo e em forma peremptória:
"Foi omitida uma questão:
"743- A guerra desaparecerá um dia da face da Terra?
Sim, quando os homens compreenderem a justiça e praticarem a lei de Deus; então todos os povos serão irmãos."

Eu lhe digo duas coisas:
1: Não, não foi, apenas ela nada tem a ver com a relação que fiz em minha postagem.
Afinal, o amigo adivinha qual a minha intenção?
Deveria antes ler com isenção para depois dizer o que entendeu, e não vaticinar sobre algo do qual não pode ter conhecimento.

2:Bom, a parte que foi destacada só pode significar que quando o uso da força for necessária não será de forma sanguinária como é atualmente, com armas letais nuclares, químicas e eletromagnéticas, mas de forma apenas a conter alguma pessoa, por exemplo com uso de spray de pimenta ou algum método de paralização, sem morte.

Continua o amigo no terreno de conjecturas e desviadas do tema que a questão trás.
O amigo parou para refletir sobre tudo o que pode dizer o vocábulo humanidade?
Claro que não, apenas parte do seu ponto de vista, que, sem o querer ofender, a mim soa como hipócrita.
Guerra é guerra e ter humanidade dentro da beligerância é se ter parcimônia;
O amigo aventa para o uso de armas nucleares e eu lhe pergunto, após o evento Hiroshima e Nagasaki qual outro evento usou desses petardos?
Esqueceu-se o amigo das guerras no Afeganistão, Iraque, etc onde nenhuma "Bomba A" foi deflagrada?
Nem mesmo o gás Sarin, meu amigo.
Das duas uma, ou o amigo sofreu de amnésia específica, ou quer levar o tema apenas por sua óptica.
Mas a questão aqui é puramente doutrinária.
Abração,
Moura


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/paginas-de-internet-espiritas/militares-espiritas/?action=post;num_replies=12#ixzz1u1FFBvpE

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/paginas-de-internet-espiritas/militares-espiritas/?action=post;num_replies=12#ixzz1u1EcXfSS
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 05 de Maio de 2012, 19:12
 Com omitir quis dizer apenas que não transcreveu uma questão, esse é o significado da palavra. Não tem nada a ver com as suas intenções.
 Com todo respeito, o resto do que escreveu é completamente sem-sentido. Inúmeras forças armadas possuem armas nucleares que podem usar a qualquer momento, inclusive fazem testes com elas.
 Por favor, considere só a ideia completa das coisas que escrevi e não selecione algumas palavras isoladas para me atacar.
 
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: HAVM em 05 de Maio de 2012, 19:19
Na Guerra Irão-Iraque, nos anos 80, foram usadas armas químicas por parte do Iraque e uma espécie de bomba suja por parte do Irão, que ao bombardear uma instalação nuclear, permitiu a libertação de material radioativo.

Entre 2008-2009, Israel utilizou armas com urânio empobrecido aquando da invasão de Gaza.

Mais uma nota, os obuses de urânio empobrecido dos EUA tinham plutónio, segundo a ONU...
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 19:21
Do dicionário:
"o.mi.tir
(lat omittere) vtd 1 Deixar de fazer ou dizer alguma coisa; não mencionar, deixar no esquecimento, de propósito ou não: "...os inimigos de Pombal omitem sistematicamente D. José" (Afrânio Peixoto). 2 Descuidar, desleixar, negligencia"

Logo, não é bem o que o amigo explica.

Sobre armas nucleares, a pergunta foi: Têm sido usadas em guerras, após Hiroshima e Nagazaki?
Agora sim, houve subterfúgio, e omissão mas de sua parte.
Quem pergunta sobre goiaba não quer saber sobre limão.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 19:26
Amigo Havm,
vamos ficar apenas nas armas nucleares, especificamente Bomba atômica.
Senão teríamos de falar também sobre as bombas mais modernas:
Atualmente as A Bombs são substituídas com vantagens por outras armas convencionais que produzem pulsos eletromagnéticos ou grande quantidade de calor e pressão. As bombas de pulso eletromagnético, ou bombas de energia direta como o JSOW, que produz uma descarga eletromagnética de micro-ondas direcionadas, substituem as armas nucleares táticas na função de danificar equipamentos eletrônicos, de computação ou comunicação em pequenas áreas. Quando o objetivo é simplesmente destrutivo, podem ser substituídas pelas bombas termobáricas mais poderosas, que mesmo sendo armas convencionais, produzem poder de destruição equivalente a 1 quiloton, sendo que EUA e Rússia já anunciaram possuir armas termobáricas com poder destrutivo equivalente a 5 e 11 quilotons respectivamente. A Rússia já utilizou armas termobáricas contra bunkers subterrâneos na Chechênia e os Estados Unidos utilizaram este tipo de armamento no Afeganistão e no Iraque.
Mas este já é outro papo e que excede ao tema em que estamos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: HAVM em 05 de Maio de 2012, 19:40
E as bombas de neutrões, essas sim são um mimo...

Mas voltando ao tema: apesar de a Codificação de certa forma legitimar uma guerra quando a mesma visa a liberdade de um povo, o que é facto é que eu não conheço nenhuma guerra que tenha sido desencadeada unica e exclusivamente pela luta pela liberdade.

É preciso ter cuidado quando abordamos este tema, pois quem não conhecer o Espiritismo e ler este tópico, pode pensar que o Espiritismo é uma filosofia pró-guerra e, por consequência pró-violência...
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 19:54
Tens uma certa razão no dizer que um leigo pode vir a ter idéias estapafúrdias ao ler certos temas.
Mas levando-se em conta que é da parte de um leigo e em se sabendo que existam pessoas que se dão ao azo de tentar explicar as questões, o problema não remete a nenhuma dificuldade maior ao entendimento posterior.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Edimo C. Durval em 05 de Maio de 2012, 20:01
http://www.cme.org.br/
Existem muitos militares que são espíritas.
Para mim isso é bastante contraditório, porque o serviço militar é ligado a armas e violência além de haver uma hierarquia e uma disciplina incompatíveis com princípios cristãos.
Eles justificam sua ação com base na lei de ação e reação, pensando assim que deve haver repressão, mas esquecem de que "ai daquele por quem se faz o escândalo"

O autor do tópico parece ter "raiva" dos militares e não entendeu que ser militar não é "estar ligados a armas e violência". Ser militar é estar ligado a DEFESA.

A policia militar defende a sociedade e as forças armadas defendem a soberania nacional. Não vou comentar a parte da hierarquia pois já foi explicado pelos companheiros de fórum.

Usam da força nessa defesa? Sim! Mas o individuo armado que invade a casa de trabalhador está usando o quê? Delicadeza?

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 20:10
É bem por ai mano Edimo.
Afinal canta o ditado popular que aquele que sobe o morro, para prender criminosos, e intenta contra eles jogando-lhes flores, desce o morro no caixão".
Há ocorrências em que haja exagero? Claro!
Porém a regra não é esta.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 05 de Maio de 2012, 20:20
http://www.cme.org.br/
Existem muitos militares que são espíritas.
Para mim isso é bastante contraditório, porque o serviço militar é ligado a armas e violência além de haver uma hierarquia e uma disciplina incompatíveis com princípios cristãos.
Eles justificam sua ação com base na lei de ação e reação, pensando assim que deve haver repressão, mas esquecem de que "ai daquele por quem se faz o escândalo"

O autor do tópico parece ter "raiva" dos militares e não entendeu que ser militar não é "estar ligados a armas e violência". Ser militar é estar ligado a DEFESA.

A policia militar defende a sociedade e as forças armadas defendem a soberania nacional. Não vou comentar a parte da hierarquia pois já foi explicado pelos companheiros de fórum.

Usam da força nessa defesa? Sim! Mas o individuo armado que invade a casa de trabalhador está usando o quê? Delicadeza?

Tudo isso eu e o Paulo refutamos nas respostas anteriores.
Os leigos e os ateus podem associar o espiritismo com defesa das guerras e da violência por causa dos inúmeros irmãos que têm mentalidade positivista e conservadora.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: HAVM em 05 de Maio de 2012, 20:29

Tudo isso eu, o Paulo e o HAVM refutamos nas respostas anteriores.
Os leigos e os ateus podem associar o espiritismo com defesa das guerras e da violência por causa dos inúmeros irmãos que têm mentalidade positivista e conservadora.

Eu não refutei o que o Edimo disse. O que procurei foi colocar a teoria na prática. Isto é: apesar de a DE afirmar que uma luta armada pela liberdade é justa, até ao momento nenhuma guerra decorreu apenas com o objectivo de adquirir a liberdade, como tal até hoje nenhuma guerra foi justa.

Outra coisa diferente é aquilo que o Edimo disse. O Edimo trouxe um outro assunto: o recurso à força no combate ao crime. Se os polícias e outros elementos das forças de segurança não usassem a força das armas para lutar contra os traficantes de droga, por exemplo, a nossa sociedade seria aniquilada por esses malfeitores.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 05 de Maio de 2012, 20:32

Tudo isso eu, o Paulo e o HAVM refutamos nas respostas anteriores.
Os leigos e os ateus podem associar o espiritismo com defesa das guerras e da violência por causa dos inúmeros irmãos que têm mentalidade positivista e conservadora.

Eu não refutei o que o Edimo disse. O que procurei foi colocar a teoria na prática. Isto é: apesar de a DE afirmar que uma luta armada pela liberdade é justa, até ao momento nenhuma guerra decorreu apenas com o objectivo de adquirir a liberdade, como tal até hoje nenhuma guerra foi justa.

Outra coisa diferente é aquilo que o Edimo disse. O Edimo trouxe um outro assunto: o recurso à força no combate ao crime. Se os polícias e outros elementos das forças de segurança não usassem a força das armas para lutar contra os traficantes de droga, por exemplo, a nossa sociedade seria aniquilada por esses malfeitores.

Tudo bem, eu tirei teu nome.
Achei que o que vocÊ escreveu mostrava que não é como dizem, que os militares usam armas sanguinárias e que não são mocinhos protetores.
Abraço
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Edimo C. Durval em 05 de Maio de 2012, 20:36
Só por curiosidade.

Dos que participam deste tópico, quem já foi ou ainda é militar?
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Edimo C. Durval em 05 de Maio de 2012, 20:54
Será que, entre companheiros, só eu rastejei na lama e empunhei o fuzil?  :P

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 05 de Maio de 2012, 21:02
Quem não está entendendo sou eu... O tópico era para censurar espíritas por serem militares - isso ficou muito claro.

A questão é que alguém tem que fazer o trabalho. Quem? Os espíritas não, porque são seres superiores?

E também não estou entendendo uma outra coisa - as pessoas daqui leram, de fato, as referencias sobre o assunto no LE? E em sendo espíritas, as elucidações ali contidas são falsas?

Se não são, segue a questão seguinte:

749. Tem o homem culpa dos assassínios que pratica
durante a guerra?

Não, quando constrangido pela força; mas é culpado
das crueldades que cometa, sendo-lhe também levado em
conta o sentimento de humanidade com que proceda.”
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: evangelico em 05 de Maio de 2012, 22:43
Eu não sou militar, sou policial, até hoje não matei ninguém pq isso não foi necessário, mas a força é necessária para proteger a própria sociedade, não existe forma de combater a violência com flores.... a resposta precisa ser proporcional... o Estado jamais pode ser mais fraco que o indivíduo.. e isso não é pregar o mal, mas sim o bem no sentido de proteger terceiros indefesos.
Só se combate força com força.
Provavelmente alguma ONG diga o contrário, uma vez que não vive na pele a realidade social.

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 06 de Maio de 2012, 02:54
(http://admin.inverta.org/jornal/edicao-impressa/409/internacional/tropas-brasileiras-no-haiti-promovem-massacre/image)

Amigos, acho que o caso do Haiti exemplifica bem a questão:

Março de 2012: Haiti, 8 anos de ocupação militar, repressão e saque de um povo!
FAG

O dia 29 de fevreiro marca uma das mais trágicas e doloridas páginas da recente
história dos povos latino-americanos e caribenhos. Em 29 de fevreiro de 2004, se
iniciou a ocupação militar do Haiti, primeiro país do continente a se livrar do
colonialismo e da escravidão a partir de uma insurreição popular.
A ocupação militar do Haiti se iniciou após uma série de eventos violentos,
financiados e executados com apoio direto da CIA, com vistas a desestabilizar o
governo populista de Jean Bertrand Aristide que vinha promovendo tímidas reformas
sociais no país. Estes eventos culminaram no desembarque de tropas dos EUA no país,
que sequestraram Aristide. Pouco tempo depois, assumia a presidência do país o
fantoche Gerard Latortue. Estava consumado o golpe de estado e a ocupação militar.


A ONU e o Brasil entram em cena


Eis que em meados de 2004, os EUA se "retiram" do país, deixando a responsabilidade
da ocupação militar à ONU. Sua retirada cumpria duas funções políticas: dar uma
legitimidade à ocupação, de forma que a mesma não fosse encarada como mais uma
intromissão imperialista no continente e concentrar esforços em sua ocupação no
Iraque.

A entrada da ONU em cena foi crucial para que a ocupação fosse tratada como
"humanitária", assim como a conduta de Forças Armadas (FFAA) latino-americanas foi
essencial para que a ocupação não fosse vista como realmente é: uma ação
imperialista. Coube ao Brasil o nefasto papel de comando da Missão das Nações Unidas
para a Estabilização do Haiti, a MINUSTAH, que também conta com tropas da Argentina,
Chile e Uruguai além de países cujos governos encampam o "progressista socialismo do
século XXI" como Bolívia e Equador.

Sob a patética justificativa de se controlar gangues que desestabilizariam o país,
as tropas de ocupação em realidade seguem exercendo uma voraz repressão contra o
povo desse país. Inúmeros protestos contra as precárias situações de vida em um país
onde as pessoas já recorrem a "biscoitos" de barro para saciar a fome já foram alvos
da repressão das tropas da ONU, além de haverem graves denúncias de massacres,
assassinatos e inclusive estupros.


Nada como uma tragédia para aumentar a ganância capitalista

Esse quadro de miséria e violação da autodeterminação do povo haitiano se agravou
ainda mais no início de 2010, quando o país foi atingido por um terremoto que deixou
um saldo de mais de 250 mil mortos, além de 1,5 milhões de pessoas desabrigadas e
considerável destruição de sua já frágil infraestrutura.

Não bastasse toda a tragédia que resultou em mortos, feridos, desabrigados e
destruição de infraestrutura, o terremoto justificou um fortalecimento da ocupação,
que se manifestou não apenas em um aumento no número de soldados da MINUSTAH como o
retorno da presença direta dos EUA em solo haitiano, que, após o terremoto enviou em
torno de 10 mil soldados ao país, passando a ocupar aeroportos, portos e demais
pontos estratégicos de comunicação no país.

Passados dois anos do terremoto, mais de 500 mil haitianos ainda estão desabrigados,
(sobre)vivendo em acampamentos com condições precárias, parte expressiva dos
escombros ainda não foi removida, a cólera segue ceifando a vida de milhares de
pessoas, a maioria da população segue desempregada ou subempregada, dentre inúmeras
outras tragédias que poderíamos citar.

Mas, tamanha dor e sofrimento se transformaram em um grande negócio. As "ajudas
humanitárias" que visam "reconstruir" o país, operam muito mais como um espetáculo
midiático para engrandecer os "doadores", uma vez que não são orientadas no sentido
de combater os problemas estruturais do país, focando apenas em questões
emergenciais.

Desgraçadamente, a maior parte destes recursos não chegam à população haitiana pois
acabam por financiar os altos salários dos funcionários da ONU e ONGs além de
financiar sua infraestrutura e, claro, fazer propaganda de seus "grandes feitos" e
assim solicitar mais doações.


Uma paz de cemitério e uma reconstrução para os de cima


A paz e a reconstrução que tanto propagam para o Haiti está longe de ser a que
aspira a esmagadora maioria de seu povo oprimido. Trata-se da famosa paz de
cemitérios. Uma paz e reconstrução para ampliar ainda mais o lucrativo negócio das
maquiladoras, zonas francas de produção onde os trabalhadores recebem salários
miseráveis, não possuem direitos e são vigiados por seguranças armados enquanto
trabalham.

Maquiladoras estas que se propagam ano após ano no país com a mão de obra mais
barata do continente (por sua vez, o país mais pobre do continente), sendo um grande
negócio para empresas como Levis, Wrangler e Walt Disney. Tudo isso com um excelente
cão de guarda, a MINUSTAH, que desde o início da ocupação não se exime em reprimir
manifestações populares e perseguir, prender e torturar lideranças populares.
Trata-se de mais um, dentre muitos fatores, que desnudam o verdadeiro caráter do
suposto governo democrático e popular, antes encabeçado por Lula e hoje por Dilma,
ambos do PT. Também evidencia, mais uma vez, o caráter das FFAA brasileiras, que
pelas palavras do general Heleno, ex primeiro comandante militar da MINUSTAH e hoje
na reserva, se vangloria de terem aprendido métodos úteis no Haiti a serem
empregados nas favelas brasileiras.

http://www.cecac.org.br/MATERIAS/Nota_massacre_Haiti_07.htm massacre perpetrado por militares brasileiros no Haiti

http://www.anovademocracia.com.br/no-62/2671-entrevista-franck-seguy-a-qajuda-humanitariaq-humilha-o-haiti- entrevista com sociologo haitiano

http://www.radiomundoreal.fm/Vergonha-uruguaia?lang=es militares uruguaios estupram menino haitiano

Aos irmãos que são militares ou policiais: não tenho "ódio" por vocês nem quero ofendê-los. A violência pode ser necessária em mundos inferiores, mas a terra está passando para um estágio a frente, e é preciso que se pense sobre o que precisamos mudar. Peço humildemente que pensem sobre isso sem preconceitos.
Certamente não são todos que cometem as atrocidades que eu citei, mas elas são acobertadas e escondidas e acontecem com muita frequência.
Sobre este assunto, sugiro o livro O Reino de Deus está em Vós do Leon Tolstoi
Abraços
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Edimo C. Durval em 06 de Maio de 2012, 04:24
Ricardogt

O companheiro faz uma inversão de valores. O ser humano precisa melhorar para deixar de usar a força das armas e não o contrário. Se por uma "mágica" as armas deixassem de existir, as pessoas se matariam com paus e pedras.

Quanto ao Haiti, eu também sou contra as tropas brasileiras lá. Prefiro que meus impostos sejam gastos no meu país e não no Haiti.

Agora só não entendo uma coisa. Se as forças armadas brasileiras maltratam tanto assim o povo haitiano pq eles fazem uma longa viagem pra vir viver no Brasil?

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/04/120410_haitianos_entrada_brasil_jp.shtml
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 06 de Maio de 2012, 06:20
Ricardo, honestamente não estou te entendendo. A codificação diz uma coisa, a realidade diz a mesma coisa e você discorda?

Quer dizer que para combater o crime no Rio de Janeiro, e assim, ajudar as pessoas a se sentirem mais seguras, os policiais não devem utilizar de violência?

Como você, então, imagina a forma como o crime organizado deva ser combatido?
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Hebe M C em 06 de Maio de 2012, 11:55
Olha,

Generalizar e dizer que os militares abusam da força é o mesmo que generalizar e dizer que os religiosos são pedófilos.

No estágio que estamos ainda é necessário a polícia e o exercito para mantermos a ordem, infelizmente é resultado de uma sociedade engatinhando ainda espiritualmente.

Quando indagados por Kardec, os Espíritos Superiores responderam que a Guerra é conseqüência da predominância da natureza animal do homem sobre a espiritual e do transbordamento de suas paixões.  Deus permite que assim aconteça para propiciar ao homem a oportunidade de uma evolução mais rápida, no sentido de atingir a liberdade e o progresso, esclarecem.
Esse é o  diagnóstico  das  causas  desse  mal. Ensinam, também, os benfeitores espirituais que, no estado de barbaria, os povos somente conhecem o direito dos mais fortes, daí vivenciarem um estado de guerra permanente, que vai se modificando à medida que o homem progride.

Resta-nos perguntar, então, se decorridos 150 anos,  não  terá  a  humanidade progredido o suficiente para evitá-la?

O homem progrediu muito intelectualmente, porém moralmente não acompanhou e o quadro que vemos hoje não é muito diferente do que víamos a 150 anos.

As armas se tornaram mais poderosas, o poder econômico prevalece, ainda temos corruptos no poder político, ainda temos fome e miséria no mundo.

Pela Lei do Progresso vemos que essa situação melhorará a medida que o homem progredir tanto moralmente como intelectualmente.

A violência portanto não é culpa dos militares ou deste ou daquele segmento, ela é resultado do adiantamento moral dos povos.

O militar ainda é tão necessário quanto o médico, dentista o lixeiro, o politico, o empresario etc etc etc.

O político corrupto não pega em armas e nem tem o confronto corpo a corpo, mas mata milhões de fome.

São todos os políticos assim? Não, assim como nem todos os militares.

Atrelar esta ou aquela profissão com o adiantamento Espiritual é, a meu ver uma estupidez do tamanho de um bonde. Cada um cumpre o seu papel e os papéis existem de acordo com as aptidões e com a necessidade da sociedade vigente.

É bom dar uma lida na Lei das destruição e Lei do progresso em OLE.

Um abç
Hebe
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: hcancela em 06 de Maio de 2012, 12:36
Olá amigos(as)


Apesar de eu particularmente não gostar deste termo, mas ao ler vossas opiniões veio-me há ideia o seguinte!...


Neste momento e por causa de nossa condição muito baixa de evolução, digo!...Se queres ter paz, prepara-te para a " Guerra". Tenho a certeza que pode levar a várias interpretações, mas  também tenho a certeza que no panorama actual, em que a maldade supera a bondade, teremos de utilizar os meios capazes para dar paz a quem a quer, a se utilizar alguma força para tal, por mim não vejo mal ao Mundo, se não o mal tomaria sempre conta de tudo, só porque temos de compreender tal atitude. Compreender não é ser conivente, por isso é que dentro deste meu entendimento pessoal coloquei a frase atrás referida, mesmo que eu tenha alguma aversão há confusão, não sabendo lidar com ela, mas a compreendendo por outro lado.

Saudações fraternas
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Antonio Renato em 06 de Maio de 2012, 14:18
Meus caros irmãos,muitas respostas foram dadas ao tópico colocado pelo nosso irmão Ricardo,
algumas coerentes outras contraditórias,até mesmo pelo própio autor do tópico.O mano Moura
deu explicações bem fundamentadas na Doutrina Espírita,mostrando assim aos irmãos menos
esclarecidos,que as orientaçoes contidas nas codificações de Kardec,devem ser estudadas e
e interpretadas,e não tão sómente lidas,mas no meu entender quem deu feche na questão em
si,foi a nossa irmã Hebe,foi muito justa nas suas colocações.Eu de minha parte tenho a dizer o
seguinte:Como militar das forças armadas que sou,embora que não estando mais na ativa,foi
na Marinha que comecei a minha atividade de trabalho,de quando adolescente inicei a minha
carreira Militar,disciplinado e consciente das minhas responsabilidades, até a minha reserva por
tempo de serviço.Durante o período de 31 anos em que estive na ativa,não foi necessário   fazer uso de armas para um confronto,mas o faria não só por obrigação do que diz respeito
ao militar,como também pela consciência e responsabilidade em defender a pátria como cida-
-dão.Ser espírita ou não,não vem ao caso,poderia seguir outras doutrinas ou religiões,não se-
-ria diferente do que sou,se hoje sigo a Doutrina Espírita é porque me sinto bem e melhor es-
-clarecido a respeito da vida.Agora fica um tanto quanto sem propósito julgar o militar nas suas obrigações,e ser espírita na sua crença.
Fiquem na paz.
 
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 06 de Maio de 2012, 16:28
Ricardo meu mano,
a terra está onde esteve sempre, ou seja, como um mundo de provas e expiações e assim continuará ainda por muitos séculos.
Acredito ser bom para o amigo deixar de propalar a notícia de que a Terra esteja perto de ser incluída como outro mundo pois isso não é verdade.Tais processos são muito longos amigo. pois que necessitam da transformação moral dos habitantes, pois são estes que progridem em primeiro plano.,
A terra progride em função deles.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 06 de Maio de 2012, 17:48
Ricardogt

O companheiro faz uma inversão de valores. O ser humano precisa melhorar para deixar de usar a força das armas e não o contrário. Se por uma "mágica" as armas deixassem de existir, as pessoas se matariam com paus e pedras.

Quanto ao Haiti, eu também sou contra as tropas brasileiras lá. Prefiro que meus impostos sejam gastos no meu país e não no Haiti.

Agora só não entendo uma coisa. Se as forças armadas brasileiras maltratam tanto assim o povo haitiano pq eles fazem uma longa viagem pra vir viver no Brasil?

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/04/120410_haitianos_entrada_brasil_jp.shtml

 Exatamente! O indivíduo que precisa melhorar para largar as armas. Ora, sendo espíritas, nós deveríamos fazer esforços para a melhoria moral.
 Acredito que o fim das guerras não virá de forma brusca e instantânea, mas gradual e regionalmente, de maneira semelhante a libertação dos povos do colonialismo.


 Randolfo, sendo resolvidos os problemas sociais e também psicológicos e morais, ao mesmo tempo não vai ser necessária a repressão, que ataca o efeito e não a causa.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 06 de Maio de 2012, 17:53
Ricardo meu mano,
a terra está onde esteve sempre, ou seja, como um mundo de provas e expiações e assim continuará ainda por muitos séculos.
Acredito ser bom para o amigo deixar de propalar a notícia de que a Terra esteja perto de ser incluída como outro mundo pois isso não é verdade.Tais processos são muito longos amigo. pois que necessitam da transformação moral dos habitantes, pois são estes que progridem em primeiro plano.,
A terra progride em função deles.
Abraços,
Moura

Sim, eu concordo. Acho que deveríamos fazer a nossa parte para catalizar essa transformação e pensar o que precisa mudar.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 06 de Maio de 2012, 17:57
Mano Ricardo, você eu e muitos mais fazemos a nossa parte, e nisso dando o exemplo, vamos ajudando...
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 06 de Maio de 2012, 18:10
Citar
Randolfo, sendo resolvidos os problemas sociais e também psicológicos e morais, ao mesmo tempo não vai ser necessária a repressão, que ataca o efeito e não a causa.
E enquanto isso?...
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 06 de Maio de 2012, 18:53
Exatamente Randy,
ora todos os países mantém seus diplomatas também para acertarem certas arestas, porém se estes não resolvem e a guerra eclode,  tal como na escola onde a arma é o lápis, no conflito esta é o armamento disponível.
Não podemos jogar o lixo pra baixo do tapete e querer outra coisa se a guerra já se instalou.
Houve mesmo uma vez que sempre tomo como exemplo que, ao estudarmos a parte sobre a defesa que se possa fazer da família, eu houvera dito: como espírita e como pai e marido se alguém meter o pé na minha porta, entrar armado e eu tiver tempo de pegar a minha arma eu largo o dedo sem dó e sem remorso algum.
Caramba os bonzinhos de plantão quase me crucificam...
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 06 de Maio de 2012, 18:57
                    Pois eu acredito muito na força da palavra, nada na violência.
                    ...Se ainda houvesse militares para:  educar, ensinar, ensinar que coca-cola na mamadeira envenena o bebê, que chupeta que cai no chão deve ser lavada, que criança precisa brincar, etc, enquanto este mundo não se regenera, está bem. Mas apenas isso, porque devemos lutar por um mundo de paz,e , acreditar "nele" apenas  nos aproximará "dele".
                   Acreditamos que criança tinha  direitos, lutamos por eles. Acreditamos que mulher não deve apanhar de seu marido e que devemos "meter a colher " sim! Criamos estatuto do idoso, discriminação de qualquer tipo é crime, etc. Ora, estamos nos tornando melhor e pela palavra, pela escrita, pela Lei, pela educação.
                   Outro exemplo: Gandhi, pela palavra, libertou a Índia da dominação inglesa, sempre pela palavra, e, ações de não violência!
                   Então, se ainda tiver que existir militares, que ele se tornem cada vez menos militares e cada vez mais educadores e auxiliares da paz. Por que, não?
                   Vale a pena, também,  ouvir com atenção este discurso de Charles Chaplin, acho que estamos cada vez mais próximos dele:
Discurso - O grande ditador (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXQwYWxkOFo1UFpjIw==)
                   
                 
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 06 de Maio de 2012, 19:06
Citar
  Pois eu acredito muito na força da palavra, nada na violência.

Ok... Sugiro conversar bastante com os traficantes de sua região.

Já tentou conversar com um assaltante drogado?
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 06 de Maio de 2012, 19:21
Mano Ricardo, você eu e muitos mais fazemos a nossa parte, e nisso dando o exemplo, vamos ajudando...
Abraços,
Moura

Isso aí, mano, foi esse meu objetivo!

Citar
Randolfo, sendo resolvidos os problemas sociais e também psicológicos e morais, ao mesmo tempo não vai ser necessária a repressão, que ataca o efeito e não a causa.
E enquanto isso?...
Enquanto isso vamos trocando ideias e agindo pra que aconteça o mais rápido que der.

                    Pois eu acredito muito na força da palavra, nada na violência.
                    ...Se ainda houvesse militares para:  educar, ensinar, ensinar que coca-cola na mamadeira envenena o bebê, que chupeta que cai no chão deve ser lavada, que criança precisa brincar, etc, enquanto este mundo não se regenera, está bem. Mas apenas isso, porque devemos lutar por um mundo de paz,e , acreditar "nele" apenas  nos aproximará "dele".
                   Acreditamos que criança tinha  direitos, lutamos por eles. Acreditamos que mulher não deve apanhar de seu marido e que devemos "meter a colher " sim! Criamos estatuto do idoso, discriminação de qualquer tipo é crime, etc. Ora, estamos nos tornando melhor e pela palavra, pela escrita, pela Lei, pela educação.
                   Outro exemplo: Gandhi, pela palavra, libertou a Índia da dominação inglesa, sempre pela palavra, e, ações de não violência!
                   Então, se ainda tiver que existir militares, que ele se tornem cada vez menos militares e cada vez mais educadores e auxiliares da paz. Por que, não?
                   Vale a pena, também,  ouvir com atenção este discurso de Charles Chaplin, acho que estamos cada vez mais próximos dele:
Discurso - O grande ditador (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXQwYWxkOFo1UFpjIw==)
                   
                 

 Isso Camila, finalmente mais alguém pra dar um "força", hehehe.
 Só um detalhe: na Índia também houve luta armada pela independência, apesar da importância dos esforços pacifistas. O mesmo nos EUA quando negros conseguiram mais direitos. Teve a participação não-violenta de King, aliada a grupos militantes como Panteras Negras, de Mumia Abu Jamal. Não podemos esquecer isso.
 Pôxa, esse assunto é muito amplo.
 Mas acredito que a palavra e a evolução moral são as formas mais eficazes.
 



Só mais uma coisa: Diz-se que é preciso defender a pátria, mas que eu saiba tivemos duas grandes invasões no território brasileiro:
1- Quando os militares portugueses e espanhóis chegaram e massacraram os Índios.
2- Quando aconteceu a ditadura militar.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 06 de Maio de 2012, 19:23
pois é assim mesmo...
"A cada um o seu cada qual".
Existem situações, com as que o Randy coloca e que as vemos todos os dias enumeradas e contadas na mídia, em que alguém por erguer a voz para dizer, esqueci a senha, toma um pipoco e morre.
Esse tipo de generalização ou ver mais chegado à hipocrisia, teve e sem dá suas consequências.Estávamos, num CE onde a mocidade estudava sobre casos correlatos e foi quando uma das meninas falou que uma amiga suia, também do CE, estava envolvida com um namorado drogado e não sabia o que fazer. Esta a fazia constantemente estar entre viciados e traficas.
Nesse momento a diretora do estudo mandou aquela de sabe tudo e vaticinou:
Sabe, tens de fazer com que tua amiga possa mostrar a doutrina e estar mais junto do namorado e se possível dos amigos mesmo nos morros.
Resumo da ópera, a menina antes sem vício hoje cheira, fuma e trafica.
A banda não toca assim gente.,
Há que haver sempre alguém que tenha e detenha em si moral e posicionamento firme e bastante conhecimento para que possa, com menos riscos desempenhar um papel modificador.
Falei tudo isso logo de chofre, quando no estudo mas tanto a diretora, que não conseguiu me calar, e outros mais imbuídos de que Deus proveira  foram os votos vencedores e deu no que deu...
Para minha cabeça, o que a diretora fez foi um crime. Disse isso também quando soubemos do corrido.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 06 de Maio de 2012, 19:38
           Quando cortaram a orelha do romano, Jesus a colocou no lugar, num pequeno e último milagre e disse o que mesmo?
            Parece que dois mil e doze anos depois ainda não aprendemos.
            Eu continuo não acreditando na força e violência e sempre na palavra. Alguém parou para ouvir o discurso de Charles Chaplin?
             E abaixo uma foto publicada no O Globo, uma maldade pura, policial "pacificador" jogando spray de pimenta no cachorro. Não posso acreditar nisso, vai contra tudo que busco e que sou.
            Acredito na paz e que devemos lutar por um mundo de paz. Lutamos por um mundo sem violência, acreditando nela, senão ela nunca chegará.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 06 de Maio de 2012, 19:42
Além do recente e típico caso de estupro que teve lá, causado por esta polícia.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 06 de Maio de 2012, 19:54
                Verdade, Ricardo. Todos os dias a TV Record faz alguma denúncia, uma polícia que era para "pacificar", está causando tantos estragos por lá.
                 Não acredito nisso, acredito na paz, até nos bombeiros que são militares que educam, salvam, acho que precisamos deles mesmo... Mas não acredito na violência.
                  Agora, se estamos nestes tempos de violência, então os policiais precisam ser preparados para a paz, para atuarem como educadores, quem não tiver ética, crença na não violência, nem deveria ser policial... Deveria ter um exame seríssimo psicológico e todo sádico não seria policial, todo aquele que acredita na violência não seria policial. É preciso acreditar na paz para combater a violência. Gandhi já provou que é possível!
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Edimo C. Durval em 06 de Maio de 2012, 22:03
                 
               
Só mais uma coisa: Diz-se que é preciso defender a pátria, mas que eu saiba tivemos duas grandes invasões no território brasileiro:
1- Quando os militares portugueses e espanhóis chegaram e massacraram os Índios.
2- Quando aconteceu a ditadura militar.

E se os índios tivessem forças armadas poderiam ter se defendido, como não tinham........

Eu devo ter faltado a essa aula de história pois não me lembro de nenhuma invasão durante a ditadura. A não ser que vc se refira aos comunistas. Nesse caso as forças armadas agiram do modo que foram treinadas.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Edimo C. Durval em 06 de Maio de 2012, 22:17
Sobre a imagem do policial jogando spray no cachorro.

Realmente é revoltante. E pq isso acontece? Pq ele é policial? Só policiais maltratam animais?

Infelizmente a humanidade, embora já tenha dado um grande passo no respeito aos animais, ainda os trata como objeto.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Hebe M C em 06 de Maio de 2012, 22:21
Opa!!! e a enfermeira que espancou o cachorro até a morte?
Cadê?
Não estou defendendo os policiais e suas truculências, mas é preciso ver de uma forma mais ampla. O problema ainda é a elevação espiritual num mundo de provas e expiações e não esta ou aquela função que o homem ocupa.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 06 de Maio de 2012, 22:43
         Só coloquei aquela imagem porque é um pequeno exemplo de tudo que vem sendo denunciado, sobre tudo o que aqueles policiais andam fazendo nas comunidades pacificadas! E, também, para demonstrar que acredito na paz, mas enquanto for necessário o militar, que eles sejam aprovados só quando não forem sádicos, não tiverem problemas psicológicos com o poder. Leia o livro chamado "Cartas da Prisão", ou "Abismo de Sangue", ambos de Frei Betto, ou, "Brasil, nunca mais", organizado por Dom Paulo Evaristo Arns, todos sobre a ditadura militar.
          Sádicos, a grande maioria, infelizmente. Deveriam passar no teste profissional, para serem policiais ou militares, apenas os que fizessem testes psicológicos e não tivessem este sadismo, esta crueldade, em seu perfil!! Deveriam passar apenas os que acreditassem na paz e na educação. Como os bombeiros, que  são militares e eu gosto deles, porque possuem este perfil humanizador. Este perfil deveria estar na grande maioria, mas pelas denúncias, que vemos na TV Record e outros,  a minoria possui este perfil. Pois não deveriam estar lá.
         Se somos espíritas, portanto cristãos (seguimos os ensinamentos de Jesus), então acreditamos na paz, deste modo, devemos lutar - no mínimo -  por um outro perfil de policiais, enquanto lutamos por um mundo onde a violência não seja o caminho. Gandhi já provou que é possível libertar um país com a não violência.
       
     
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 06 de Maio de 2012, 23:02
Gente,
um dos testes que mais reprova tanto para a PM quanto p ara a Civil é o psicológico.
Deste, que dura dois dias, ninguém escapa.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Joao Paulo Soares em 07 de Maio de 2012, 01:14
 Agradecido pelas elucidações dadas pelo Moura, Randolf, Edimo, Renato e a querida Hebe aos amigos foristas Ricardo e Camila.
 Foi-lhes indicado, e explicado doutrinariamente e socialmente, o suficiente para perceberem ou pelos menos para reflectirem sobre a questão do tópico.
 E adorava que todos os nossos irmãos aflitos por ajuda, neste exacto momento, tivessem a alegria de ver militares a entrar nas suas "terras".. Neste exacto momento, estão pessoas a morrer, e muitos diplomáticos em casa, muitos militares nos quarteis, e mais ainda muitos "boa-intenções" à frente de um computador..
 
 Os militares não vão para matar, vão para ajudar..

 Camila, quem lhe diz que os militares não usam a Palavra?! Quem lhe diz que o militar não prefere "reuniões diplomáticas" em vez de qualquer tipo de confronto? Quem lhe diz que um militar quer tirar a vida a alguém?

 Todas as imagens, videos, situações, de uma má indole por parte de militares, são uma "brincadeira" comparado com todos os tipos de registos de atrocidades desumanas que acontecem ACTUALMENTE em certas regiões deste planeta..
 Uma foto de um policial a usar um spray num cão?! Querem uma foto do Sudão? Afeganistão? Irão? Cazaquistão? Quirguistão? Tadjiquistão? Turcomenistão? ( só regiões acabadas em "ão" , como para rimar e "brincar" com a situação)


 É compreensível a vossa posição, e é para lá que caminhamos.. Mas se têm acesso a esta doutrina e com uma pesquisa da nossa História Mundial ( se preferirem só a Militar), podem tirar uma bela conclusão..

 Sem jamais querer ofender,

Forte Abraço,
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Paulo Cortez em 07 de Maio de 2012, 15:13
A violência é violência parta de onde partir, e não é indicação da DE, muito menos do Cristianismo que se expressa pela DE.
Às vezes desconsideramos passagens cristãs, para justificar o uso da força, tal como: oferecer a outra face, perdoar, etc. Eu sei que alguns ficarão indignados com essas colocações. Que fazer?
A violência está mais para os escândalos necessários, mas ai de quem por que venham......
É muito comum e fácil assistir o policial autorizado à contensão violenta, exorbitar e extravasar toda animalidade, às vezes de maneira igual aos criminosos, o que a meu ver passa a não os diferenciar.
E a doutrina militar, e os treinamentos, as músicas e as orientações? Como poderiam ser analisados à luz da DE?
Quanto à Lei de Destruição que está relacionada às leis naturais ou divinas, ela não justifica a violência e não lhe da autorização, ela somente reflete a nossa animalidade e o nosso atraso. Portanto ela explica e não apadrinha, induz ou justifica.
Repito: O militarismo é o reflexo do atraso de nosso Planeta.
Se educássemos mais, não teríamos muito que punir.
E quanto à reencarnação dos que gostaram e gostam das armas? Que foram doutrinados para uso da força. E os militares dos "butins"?
Quanto ao argumento da enfermeira ou qualquer outra profissão que use de violência, não pode servir, pois não é uma doutrina da profissão, também a pedofilia não é uma doutrina religiosa, mas a violência é uma doutrina militar!
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 07 de Maio de 2012, 16:14
 ;)  Ué, concordo com o Paulo quando ele disse: " Repito: O militarismo é o reflexo do atraso de nosso Planeta."
        Verdade, estamos super atrasados e é preciso irmos em outro caminho, Gandhi é sempre um exemplo, se não começarmos um movimento pela paz, pela não violência, e, continuarmos achando que violência se resolve com violência, dificilmente sairemos do lugar.

         
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 07 de Maio de 2012, 16:52
A violência é violência parta de onde partir, e não é indicação da DE, muito menos do Cristianismo que se expressa pela DE.
Às vezes desconsideramos passagens cristãs, para justificar o uso da força, tal como: oferecer a outra face, perdoar, etc. Eu sei que alguns ficarão indignados com essas colocações. Que fazer?
A violência está mais para os escândalos necessários, mas ai de quem por que venham......
É muito comum e fácil assistir o policial autorizado à contensão violenta, exorbitar e extravasar toda animalidade, às vezes de maneira igual aos criminosos, o que a meu ver passa a não os diferenciar.
E a doutrina militar, e os treinamentos, as músicas e as orientações? Como poderiam ser analisados à luz da DE?
Quanto à Lei de Destruição que está relacionada às leis naturais ou divinas, ela não justifica a violência e não lhe da autorização, ela somente reflete a nossa animalidade e o nosso atraso. Portanto ela explica e não apadrinha, induz ou justifica.
Repito: O militarismo é o reflexo do atraso de nosso Planeta.
Se educássemos mais, não teríamos muito que punir.
E quanto à reencarnação dos que gostaram e gostam das armas? Que foram doutrinados para uso da força. E os militares dos "butins"?
Quanto ao argumento da enfermeira ou qualquer outra profissão que use de violência, não pode servir, pois não é uma doutrina da profissão, também a pedofilia não é uma doutrina religiosa, mas a violência é uma doutrina militar!

Com certeza.
A violência é inerente ao militarismo, como a impenetrabilidade é inerente à matéria.
O que mais revolta é o serviço militar obrigatório, que há num monte de Estados, incluindo o Brasil. É um desrespeito à liberdade.
Abraços
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Luzceano em 07 de Maio de 2012, 18:37
O amigo deve lembrar que vivemos num mundo de provas e expiações e infelizmente necessitamos das forçar armadas para impor ordem. Do contrário, viraria um caos. Se o amigo ler o livro  "Os Mensageiros" de André Luiz verá que nas zonas inferiores, existem umas espécies de castelos que socorrem alguns desencarnados e esses possuem canhões para proteger o seu interior. Seria mesmo muito bom não precisarmos de agentes da lei para colocar ordem. Mas... Quem sabe um dia?
Cuidado com a análise: bom militar e mau militar.
São Jorge era soldado também e muitos mais espíritos de alta escala foram militares.
Muita paz.
Eu tambem penso assim
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Joao Paulo Soares em 07 de Maio de 2012, 23:43
Caro Paulo e Camila,

 Há necessidade do Perdão, se não houver Ofensa?
 
 É isso que ainda nao perceberam..

Forte Abraço,
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 08 de Maio de 2012, 01:46
                      Concordo, se alguém nem se sente ofendido, nem há necessidade de perdoar.
                       Neste pondo concordo mesmo.
                       Só que acho, como espíritas que somos, que devemos lutar pela paz , pela não violência, e esta luta não se faz através de mais violência e sim, através da educação, busca pela paz, como Gandhi fez na Índia.
                       Se ainda existe militares, que pelo menos sejam "testados" e amantes da paz antes de se tornarem militares. Na revista Caros Amigos de um tempo atrás li uma reportagem muito triste de uma mãe de periferia que perdeu o filho (uma época) e o marido (outra)  por um policiais militares que "erraram", pensaram que fossem bandidos. Ela criou uma Ong e pelo Brasil tem várias, de pessoas vítimas dos militares, principalmente as pobres.
                     Então, se tiver que haver militares pela situação que ainda vivemos, que no mínimo seja humanistas e amantes da paz convictos. 
                      É preciso começar a transformação para que o mundo se transforme, acreditar na paz é único caminho até ela.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 08 de Maio de 2012, 13:55
Citar
Quando cortaram a orelha do romano, Jesus a colocou no lugar, num pequeno e último milagre e disse o que mesmo?

Lamento, mas, não temos a menor prova ou consideração doutrinária de que este fato realmente aconteceu - ou se aconteceu da forma como foi narrado. Não haviam testemunhas disso entre os evangelistas.

Me parece, Camila, que você está culpando os militares pela violência. Não são os militares que devem educar pessoas. Eles estão ali é para reprimir quem não foi educado - pelos pais...

Seu discurso é utópico e falseado quando confrontado com a codificação. Infelizmente você não cede ao Espiritismo, preferindo manter seu posicionamento pessoal, extremamente ofensivo e degradante aos companheiros que possuem como profissão o estabelecimento da ordem e da paz.

Essa história de mostrar foto de policial maltratando cachorro é uma peça apelativa. Nenhum traficante ou sequestrador que executa suas vítimas usa uniforme e nem spray de pimenta. Além disso, eu gostaria muito de ver como você reagiria em duas situações diferentes:

- Quando estivesse ameaçada pelas armas de um sequestrador

- Quando seu país fosse invadido por potências estrangeiras

Nesse caso, eu iria querer saber para quem você iria apelar? O diálogo só funciona com quem quer dialogar. Se alguém vai te matar, vai te estuprar, vai tomar suas riquezas, vai tripudiar em seu país, é porque esta pessoa ou tropa estrangeira não está disposta a dialogar.

O que eu posso dizer neste momento é que sua posição não apenas não tem eco na codificação espírita, como ainda tem a particularidade de ofender a todos os companheiros militares - inclusive os da Cruzada Espírita. Se você ainda não se deu conta disso, os companheiros aqui, que são militares, já perceberam.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 09 de Maio de 2012, 19:17
                     Só repito o que tenho dito: acredito num mundo em que não precisaremos de militares. Sem eles e sem violência, Gandhi libertou a Índia.
                       Se ainda estamos num mundo com violência e militares, então, que pelo menos eles sejam melhores preparados!!!
                        Na Revista Caros Amigos mostrou uma mãe que luta por direitos humanos de uma das centenas de Ongs que existem no Brasil para ajudar as vítimas nas periferias,  parentes de jovens que estão sendo executados por militares, por serem pobres. Todos os relatados eram tidos - pela comunidade - como jovens trabalhadores, de Igrejas, estudiosos, só que pobres.
                       Nos últimos tempos só denúncias dos militares pacificadores (sai direto na TV Record) alguns já estão presos, outros sendo investigados.
                       Por isso que digo: "se" tem que haver militar, que este  seja melhor preparado, que passe por testes psicológicos, etc. Por que os Agentes Federais são melhores, embora muitos já tenham sido denunciados? Porque passam por testes rigorosos e são analisados - toda vida pessoal - a cada dois meses!
                        Embora ache - pois as estatíscas  dizem isso  - que a morte por mão de militares despreparados nas periferias é enorme, e que, por isso, se eles tiverem que existir que - pelo menos -  sejam melhor preparados, ainda acredito que devemos contruir a paz, buscando a paz e pregando a não violência.
                        Mas digo isso sem querer ofender ninguém, são dados, são crenças, são ideais. Apenas ideais que sempre casaram com os ideais espíritas, apenas isso.
                         Não gosto de ser ofendida pessoalmente quando discuto idéias, fico um pouco triste, mas me retiro aqui. Só que procure a Revista Caros Amigos, leia carta Capital, leia os livros do Frei Betto: "Batismo de Sangue", "Cartas da Prisão". Infelizmente, estes militares despreparados, ainda seguem a cartilha da ditadura.


 
           
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 09 de Maio de 2012, 20:09
Citar
Sem eles e sem violência, Gandhi libertou a Índia.

...e iniciou uma guerra sangrenta entre muçulmanos e hindus, que resultou na criação do Paquistão.

A guerra dura até hoje.

Detalhe - quando essa guerra começou no mesmo dia da independência da India.

E não vamos nos iludir - o processo de independência da India correu após diversas insurreições armadas e não foi tão pacífico quanto a lenda reza.

E você não nos respondeu sobre o que faria numa situação de violência. Quanto a ser ofendida, não vimos ninguém ofendê-la. Mas, os militares espíritas, com certeza ficaram.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 10 de Maio de 2012, 00:24
                   Bom, vamos por partes:  sobre a guerra entre Ìndia e Paquistão que falou, na verdade, sempre existiu esta rivalidade lá, entre hindus e muçulmanos, antes de Gandhi.
                   Gandhi fez greve de fome, falou aos indianos e eles pararam de brigar.
                   Mas sempre ele tinha que ficar falando, porque era um povo violento, com castas, vários defeitos. Porém, foi um líder da paz, que pregou a não violência. Foi exatamente num país violento, para ensinar isso, como missão.
                   Assim como nós tivemos Chico Xavier, que também foi um adepto da paz, nem pescar ele conseguia, totalmente averso a qualquer violência.
                   Isso não significa que os brasileiros sejam pacíficos e que toda violência que vivemos é culpa do Chico Xavier, um líder não faz seu povo, apenas passa a mensagem. Seu povo escuta, ou não. Alguns o seguem enquanto ele está vivo (caso do Gandhi, que com a greve de fome parou a guerra, mas depois que ele morreu, ela voltou), depois "esquecem" o que aprenderam. 
                  E as Cruzadas? E a inquisição? Nada disso foi culpa de Cristo, apenas não souberam interpretá-lo. A violência na Ìndia não é culpa do Gandhi.

                  Agora sobre minha angústia com os nossos militares brasileiros:
                  Débora Maria da Silva, é a mãe e líder da Ong " As Mães" (entre tantas) que trabalha por direitos humanos, esta nasceu para os parentes das vítimas de 493 assassinatos de jovens, somente entre 12 a 20 de maio, no episódio PCC, 47 homicídios foram atribuídos ao PCC e 446 a policiais, segundo relatório do Conselho Regional de Medicina de SP. Isso somente em SP, porque no Rio temos o grupo de direitos humanos "Tortura Nunca Mais" e outros dados, sempre fornecidos pelo Conselho Regional de Medicina, que atende lá. Isso se repete pelo Brasil.
                  O que podemos concluir? Que se ainda estamos num estágio que precisamos de militares, então, que eles sejam melhor preparados, como os federais são, pois não é possível que jovens morram mais pelas mãos de policiais do que pelas dos bandidos.
                  Fora isso, pregar sempre a não violência porque Cristo disse: " Bem aventurados os que são dóceis, porque possuirão a Terra." Mateus, cap. V, v. 4 E Disse também: " Bem aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus." (Id, v.9)Capítulo IX do Evangelho Segundo Espiritismo. No Capítulo XI do Evangelho Segundo Espiritismo: " Só é considerado verdadeiramente grande aquele que, considerando a vida como uma viagem que deve conduzi-lo a um fim, faz pouco caso das asperezas do caminho. Não se desvia do caminho reto; o olhar sempre dirigido ao termo, pouco lhe importa que as sarças e os espinhos da senda ameacem causar-lhe arranhaduras. !" Bispo de Argel, 1861. 
             Por tudo que leio todos os dias, desde os 14 anos de idade no Evangelho Segundo Espiritismo, é que acho que nosso caminho é o da paz, a pregação da não violência. E não tiro o mérito dos militares heróis, que salvam vidas, mas na situação que pincelei (só em SP E RJ) infelizmente eles têm matado mais do que salvado. Por isso, é urgente uma limpeza e que os novos sejam melhor preparados e sempre testados, como os agentes federais são.
               
                   
                   
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 10 de Maio de 2012, 00:46
              E sobre o que faria numa situação de violência? Já vivi vários assaltos em Campinas, quando era estudante. Uma vez tentei negociar um pacote de bolacha que comia, em vez do meu relógio. Outra disse: Menino, não faça isso.  Por duas vezes tive armas apontadas para mim, só que senti pena dos "bandidos" (pessoas desorientadas, com fome, coitadas). Sempre  senti vontade de entender aquela vida, em uma vez, um rapaz muito maior que eu, num ponto de ônibus escuro, ele podia ter feito pior, só levou meu relógio. Também conversei com ele, ele deve ter sentido meu tom de ternura, enquanto internamente eu fazia preces e chamava ao meu e ao protetor dele, os olhos dele estavam vidrados de drogas. Inicialmente ele tinha raiva, depois foi acalmando e levou só o relógio. Quando chegou meu ônibus entrei nele chorando, e, fazendo preces por aquele coitado, sem opção na vida.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 10 de Maio de 2012, 00:59
 Ao se buscar a melhora individual, que é o que se supõe que espíritas deveriam fazer sem interrupções, podemos destacar algumas questões que merecem atenção, entre elas ser brando e pacífico, amar os inimigos, ser humilde e caridoso, ter o coração puro.
 Isso pode ser complicado, eu tenho minhas dificuldades, mas esse fim não deveria ser adiado com fugas e desculpas, só porque alguns princípios cristãos se chocam com nossas ações.
 Buscando essa melhora, algumas atitudes práticas ficam totalmente sem sentido. Tentar uma pessoa a cair numa armadilha a qualque custo com perguntas traiçoeiras, como faziam os fariseus; negar ou atrasar sua própria melhoria usando textos da obra de Kardec, enquanto a mesma frisa essa questão e põe acima de tudo o uso da razão e da lógica; xingar alguém de roustaingista ou moralista e condenar autores como fantasiosos, por mais que esses temas possam ter relevância e tem mesmo, são questões pequenas comparadas ao verdadeiro progresso, o qual fica guardado no fundo da gaveta.
 Um abração
 
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 10 de Maio de 2012, 01:12
...e enquanto isso, o Espiritismo considera a guerra necessária para a liberdade e o progresso e escusa qualquer assassinato cometido na guerra ou em defesa da própria vida e de terceiros. E mais - considera a LEI como necessária para a civilização. E até onde consta, a lei delimita crimes e punições para quem cometê-los. E a LEI é resguardada por pessoas que possuem autoridade para reagir em caso de desobediência à prisão ou grave ameaça.

E viva nossos militares, que têm mais coragem do que nós de colocarem-se em perigo de vida todos os dias em nome do nosso bem estar.

Considero uma atitude de extrema caridade e não vou achincalhar quem se expõe ao perigo para me proteger. Isso, sim, é falta de caridade. Enaltece-se o bandido, mas ofende-se quem nos protege deles. É uma incrível inversão de valores.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: HamLacerda em 10 de Maio de 2012, 01:23
Apenas algumas palavras

Só existe militares porque existe criminosos; só existe criminosos porque damos valor nas coisas supérfluas. Pois, as pessoas devem entender que o carro importado, a mansão de 3 andares com tapete persa e porcelana chinesa, relógios caros, tênis de marca etc tudo isso é supérfluo. E, tanto individualmente, quanto socialmente, no final das contas, isso apenas produz discriminação, e trás mais infelicidade, tristeza e preocupação, do que felicidade, alegria e paz de espírito.

Praticamente todos nós somos responsáveis pela violência e a criminalidade, por isso que todos nós sofremos as consequências.
 
A solução é simples! Quando as pessoas pararem de valorizar as coisas desnecessárias logo ninguém mais vai desejar isso! não haverá mais roubo, nem militares.



Mas, enquanto houver o desejo do supérfluo, haverá criminosos e militares.




Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 10 de Maio de 2012, 01:38
...e enquanto isso, o Espiritismo considera a guerra necessária para a liberdade e o progresso e escusa qualquer assassinato cometido na guerra ou em defesa da própria vida e de terceiros. E mais - considera a LEI como necessária para a civilização. E até onde consta, a lei delimita crimes e punições para quem cometê-los. E a LEI é resguardada por pessoas que possuem autoridade para reagir em caso de desobediência à prisão ou grave ameaça.

E viva nossos militares, que têm mais coragem do que nós de colocarem-se em perigo de vida todos os dias em nome do nosso bem estar.

Considero uma atitude de extrema caridade e não vou achincalhar quem se expõe ao perigo para me proteger. Isso, sim, é falta de caridade. Enaltece-se o bandido, mas ofende-se quem nos protege deles. É uma incrível inversão de valores.

 A lei humana ainda não é igual a lei de Deus,  em nome da lei humana, pessoas são assassinadas ou presas por dizerem o que pensam; acontecem os massacres feitos por policiais/militares citados por mim e pela Camila; são feitas guerras causadas pela ambição e pelo conolialismo; a lei humana inclusive assassinou Jesus e outros sabios.
 A lei humana será igual à Verdade ou a lei de Deus quando os humanos se melhorarem individualmente e ajudarem na evolução dos semelhantes, em vez de perturbá-la .
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 10 de Maio de 2012, 01:43
                   Bom, vamos por partes:  sobre a guerra entre Ìndia e Paquistão que falou, na verdade, sempre existiu esta rivalidade lá, entre hindus e muçulmanos, antes de Gandhi.
                   Gandhi fez greve de fome, falou aos indianos e eles pararam de brigar.
                   Mas sempre ele tinha que ficar falando, porque era um povo violento, com castas, vários defeitos. Porém, foi um líder da paz, que pregou a não violência. Foi exatamente num país violento, para ensinar isso, como missão.
                   Assim como nós tivemos Chico Xavier, que também foi um adepto da paz, nem pescar ele conseguia, totalmente averso a qualquer violência.
                   Isso não significa que os brasileiros sejam pacíficos e que toda violência que vivemos é culpa do Chico Xavier, um líder não faz seu povo, apenas passa a mensagem. Seu povo escuta, ou não. Alguns o seguem enquanto ele está vivo (caso do Gandhi, que com a greve de fome parou a guerra, mas depois que ele morreu, ela voltou), depois "esquecem" o que aprenderam. 
                  E as Cruzadas? E a inquisição? Nada disso foi culpa de Cristo, apenas não souberam interpretá-lo. A violência na Ìndia não é culpa do Gandhi.

                  Agora sobre minha angústia com os nossos militares brasileiros:
                  Débora Maria da Silva, é a mãe e líder da Ong " As Mães" (entre tantas) que trabalha por direitos humanos, esta nasceu para os parentes das vítimas de 493 assassinatos de jovens, somente entre 12 a 20 de maio, no episódio PCC, 47 homicídios foram atribuídos ao PCC e 446 a policiais, segundo relatório do Conselho Regional de Medicina de SP. Isso somente em SP, porque no Rio temos o grupo de direitos humanos "Tortura Nunca Mais" e outros dados, sempre fornecidos pelo Conselho Regional de Medicina, que atende lá. Isso se repete pelo Brasil.
                  O que podemos concluir? Que se ainda estamos num estágio que precisamos de militares, então, que eles sejam melhor preparados, como os federais são, pois não é possível que jovens morram mais pelas mãos de policiais do que pelas dos bandidos.
                  Fora isso, pregar sempre a não violência porque Cristo disse: " Bem aventurados os que são dóceis, porque possuirão a Terra." Mateus, cap. V, v. 4 E Disse também: " Bem aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus." (Id, v.9)Capítulo IX do Evangelho Segundo Espiritismo. No Capítulo XI do Evangelho Segundo Espiritismo: " Só é considerado verdadeiramente grande aquele que, considerando a vida como uma viagem que deve conduzi-lo a um fim, faz pouco caso das asperezas do caminho. Não se desvia do caminho reto; o olhar sempre dirigido ao termo, pouco lhe importa que as sarças e os espinhos da senda ameacem causar-lhe arranhaduras. !" Bispo de Argel, 1861. 
             Por tudo que leio todos os dias, desde os 14 anos de idade no Evangelho Segundo Espiritismo, é que acho que nosso caminho é o da paz, a pregação da não violência. E não tiro o mérito dos militares heróis, que salvam vidas, mas na situação que pincelei (só em SP E RJ) infelizmente eles têm matado mais do que salvado. Por isso, é urgente uma limpeza e que os novos sejam melhor preparados e sempre testados, como os agentes federais são.
               
                   
                 

                 Acho que não leu com atenção, não tirei o mérito de militares heróis, apenas reafirmei o que venho falando, já que dados ( do Conselho Regional de Medicina de SP) apontam que eles têm matado mais do que salvado, infelizmente, por isso é necessário uma  limpeza entre os militares, e, que os novos sejam constantemente testados, como policiais federais são, ou seja, funciona. Falei sobre a paz e a paz.
                   
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 10 de Maio de 2012, 01:54
                Só uma dúvida, porque sou espírita desde que tinha 14 anos ( estou com 39 anos), frequento palestras, estudo, leio e nunca li  nem ouvi nada que o espiritismo defende as guerras e a violência para que haja progresso. Aliás, sempre li o contrário disso.  Onde está isso? Em que capítulo?
                 
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 10 de Maio de 2012, 02:03
como policiais federais são, ou seja, funciona. Falei sobre a paz e a paz.
                 
Não sei, Camila :
Cena de crueldade. Policial Federal mata cavalo a tiros em Rodovia https://blogdopaulinho.wordpress.com/2012/04/15/cena-de-crueldade-policial-federal-mata-cavalo-a-tiros-em-rodovia/
Policial Federal mata Bombeiro a tiros em Ponta Porã  http://www.grandefm.com.br/policial/policial-federal-mata-bombeiro-a-tiros-em-ponta-pora

Sobre as guerras ela é discutida no respectivo capítulo do LE, onde se explica seu papel em mundos inferiores e entre pessoas inferiores, que é o que deveríamos ultrapassar/já ter ultrapassado. E não usar isso pra atrasar a terra.

Outra coisa sobre leis humanas: vejamos os projetos de leis que querem censurar a internet e estão censurando em vários lugares.

Abraços
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 10 de Maio de 2012, 02:07
               Verdade, verdade, acho que nem com os policiais federais funcionam tanto.
              Mas a verdade, é que os militares aqui em SP, tem dados terríveis de matança aos pobres, principalmente jovens. Por isso existe esta Ong As Mães e outras similares.
               Pode ser que os testes constantes tenham falhado com os policiais federais, mas ainda temos dados menores do que com os militares daqui de SP, por exemplo.
                Mas está certo no que disse, pura verdade, no que disse logo acima também.
               
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 10 de Maio de 2012, 02:24
Citar
Só uma dúvida, porque sou espírita desde que tinha 14 anos ( estou com 39 anos), frequento palestras, estudo, leio e nunca li  nem ouvi nada que o espiritismo defende as guerras e a violência para que haja progresso. Aliás, sempre li o contrário disso.  Onde está isso? Em que capítulo?

No Livro dos Espíritos...

744. Que objetivou a Providência, tornando necessária a guerra?

“A liberdade e o progresso.”


a) — Desde que a guerra deve ter por efeito produzir o
advento da liberdade, como pode freqüentemente ter por
objetivo e resultado a escravização?

“Escravização temporária, para esmagar os povos, a
fim de fazê-los progredir mais depressa.”


Mas, você se recorda de como começou este tópico e sua primeira participação?

Vamos retornar, então: algum problema de espíritas serem militares das forças armadas ou da polícia?
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 10 de Maio de 2012, 02:43
Foi omitida uma questão:
"743- A guerra desaparecerá um dia da face da Terra?
Sim, quando os homens compreenderem a justiça e praticarem a lei de Deus; então todos os povos serão irmãos.
"

Já não é época de sermos justos e praticarmos a lei de Deus? Então porque não melhoramos o mundo e o fazemos andar pra frente em vez de deixá-lo na inércia, querendo conservar e justificar os nossos defeitos?


Do LE:
"742. Qual a causa que leva o homem à guerra?
– Predominância da natureza animal sobre a espiritual e satisfação das paixões. No estado de barbárie os povos só conhecem o direito do mais forte, e é por isso que a guerra, para eles, é um estado normal. À medida que o homem progride ela se torna menos freqüente, porque ele
evita as suas causas, e quando ela se faz necessária ele sabe adicionar-lhe humanidade."


Bom, a parte que foi destacada só pode significar que quando o uso da força for necessária não será de forma sanguinária como é atualmente, com armas letais nuclares, químicas e eletromagnéticas, mas de forma apenas a conter alguma pessoa, por exemplo com uso de spray de pimenta ou algum método de paralização, sem morte.

Isso foi falado aqui: http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/violencia/msg267594/#msg267594

Um abraço
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 10 de Maio de 2012, 02:57
A tradução feita por Herculano, me parece trazer um francês melhor quando na resposta troca o termo esmagar, por sovar.

"744. Qual foi o objetivo da Providência, tornando a guerra necessária?
“A liberdade e o progresso.”
a) Se a guerra deve ter por efeito alcançar a liberdade, como é que, freqüentemente,
ela tem por objetivo e resultado a escravidão?
“Escravidão momentânea para sovar os povos, a fim de fazê-los progredir mais
rápido.”
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 10 de Maio de 2012, 02:59
Citar
Já não é época de sermos justos e praticarmos a lei de Deus? Então porque não melhoramos o mundo e o fazemos andar pra frente em vez de deixá-lo na inércia, querendo conservar e justificar os nossos defeitos?

Faça.

Palavras convencem, mas o exemplo arrasta.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 10 de Maio de 2012, 03:11
O mundo não avança com discursos. O mundo avança com atos e fatos. Se o discurso vem de quem está ENGAJADO nas lutas sociais e pelos avanços civilizatórios, é combinação excelente. Mas, se o discurso não vem com o empenho, então temos palavras vazias e o tem "moralismo" que tanto nós quanto a codificação condenam.

Cabe ao indivíduo que quer mudar  civilização estar nas ONG´s, nos sindicatos, nas agremiações civis, comunidades rurais, associações ou cooperativas e efetivamente transformar suas palavras em atos concretos.

É isso que faz alguém líder e é isso que faz o exemplo ser seguido.

Enquanto isso não acontece, vamos encarando nosso mundo imperfeito de provas e expiações. O que não podemos é nomear ídolos no movimento espírita, por exemplo, como autores famosos, enaltecer seus exemplos morais, mas deixá-los como pinguins de geladeira - para mera contemplação inútil.

Se é de exemplo que falamos, exemplos sigamos - inclusive no tom das palavras.

Eu, particularmente imperfeito, anseio pela junção do discurso moralista com a ação moral. Tal será a pessoa que admirarei e seguirei. Mas, como fazer, se o discurso da moralidade vem seguido do tom de coerção e constrangimento para terceiros?

É por isso que eu opto por não fazer tais discursos - em mim soariam falsos. Eu não tenho altivez moral para dizer a outras pessoas como elas devem agir.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 10 de Maio de 2012, 17:05
Que curioso mano Randy,
tenho dito isso sobre mim varias vezes aqui no FE.
Digo que não quero servir de exemplo para ninguém pois ainda não estou nesse patamar, por errar mais do que acertar.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 10 de Maio de 2012, 21:59
                    Não quis pregar com falso moralismo para ninguém, apenas trouxe dados, um deles fizeram nascer a Ong "AS Mães de Maio", pois seus filhos morreram, entre os 493 assassinatos, de 12 a 20 de maio no episódio PCC. Destes  47 eram bandidos, mas 446, eram estes filhos, isso dito e registrado pelo Conselho Regional de Medicina de SP. Tem outros dados, outras Ongs como "Tortuta Nunca mais". Disse, em cima destes dados,  que esta polícia precisa mudar, isso é fato, pois elas seguem a cartilha da ditadura. Cartilha horrível que podemos ler no livro de Frei Betto: "Batismo de Sangue", e no "Cartas da Prisão". Cartilha que agora a faz ser violenta com as classes pobres, principalmente os jovens pobres.
                      Acredito que só uma preparação humanística - humanitária de fato - para estes os façam salvar mais do que matar, pois o que vem ocorrendo, é que matam mais do salvam.
                      As guerras, opressões, injustiças, num mundo de provas e expiações, ocorrem mesmo, mas estamos caminhando para um mundo de regeneração. Quando citam textos de Herculano, vale lembrar que, naqueles tempos, em alguns lugares ainda existia escravidão, que operários trabalhavam mais de 18 horas, países ricos colonizavam. Só começamos a discussão sobre Direito Humanos após o holocausto, depois da Segunda Guerra Mundial. Então, começamos a caminhar para um mundo de regeneração.
                      No capítulo XXVIII do Evangelho Segundo Espiritismo (EVSE), no texto "Não vim trazer a paz, mas a divisão", no parágrafo 17 está escrito: " O Espiritismo vem realizar, no tempo determinado, as promessas do Cristo. No entanto não pode fazê-lo sem destruir abusos. Como Jesus, encontra à frente de seus passos o orgulho, o egoísmo, a ambição, a cupidez, o fanatismo cego, que, acossados em sua última trincheira, tentam barrar-lhe o caminho, e suscitam-lhe entraves e perseguições. É por isso que também ele precisa combater. Mas passou o tempo de lutas e perseguições sangrentas. As lutas que terá que passar são todas morais, e aproxima-se o seu termo. As primeiras duraram séculos: estas durarão apenas alguns anos, porque a luz, em vez de partir de um só raio, jorra em todos os pontos do globo, e logo abrirá os olhos aos cegos".

                      Todas as guerras que existem e existiram sempre foram para as elites ficarem bem no seu acúmulo, na sua ambição, todas foram movidas por ganância, só que na humanidade, de fato, existem culturas diversas, mas uma só humanidade, uma só Terra.
                       Se pegarmos o documentário (que recomendo) do Michael Moore, "Farenheit, 11 de Setembro", veremos que a guerra do Iraque foi movida por ambição de grupo petroleiros ligados ao Bush, que estes sim, tinham ligações com os envolvidos no 11 de setembro, mas para ele foi mais fácil acusar um país, que tinha petróleo, mas não teve nada haver com 11 de setembro. Ou seja, foi só mais uma de tantas injustas, jovens americanos morreram, crianças iraquianas morreram, todos vítimas da ganância de poucos.
                       Está na hora de percebermos que nenhuma guerra mais deve existir, que devemos caminhar num outro caminho e sentido, onde as ambições não ocorram, onde disputas econômicas não separem entes queridos.
                       Num momento batíamos em mulheres, feríamos crianças, etc, hoje falamos em Direitos Humanos, esta mente que deve formar um militar novo (no de Regeneração nem existirão militares). Um militar que não pare apenas por melhores salários, mas se recuse a expulsar crianças, doentes,  de uma terra que nem era do dono grileiro, bandido internacional, era do estado desde 1969. Um novo militar cruzaria os braços no episódio do Pinheirinho e não apenas por melhores salários. Este novo é que acredito que está na hora de aparecer, para caminharmos na direção do mundo regenerado.
                         No capítulo XVII do EVSE: " (...)Ele é bom, humano, benevolente com todo mundo, sem distinção de raças, nem de crenças, pois considera todos os homens como irmãos. (...)O homem de bem, enfim, respeita em seus semelhantes todos os direitos dados pelas leis da natureza, como gostaria que os seus direitos fossem respeitados".
                        Na pergunta do EVSE 15, capítulo XI, se devem salvar um malfeitor, o espírito responde, entre outras coisas, bem ao final de muitas outras, "Em todo caso, não é preciso que vos pergunteis se deveis ou não fazer isso: é preciso ir ao socorro dele, pois, salvando-o, obedecereis a esta voz do coração que vos diz: "Podes salvá-lo: salva-o". Esta voz e esta consciência, sabemos que é Deus, estes novos militares que terão que existir enquanto o mundo de regeneração não se completa, com seu humanismo, terá este Amor dentro de si, e, este Coração, sempre justo,  será ouvido.  E então, cada vez mais distante, deixaremos para trás o mundo de provas e expiações, de ambições, fanatismos, ilusões, radicalismos, personalismos, para uma compreensão Maior, um amor Ágape.
                     
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 10 de Maio de 2012, 22:09
Amiga Camila, a confreira quando diz que em mundos de Regeneração nem existirão militares, não deve ter afirmado com base na doutrina posto que é ela quem adverte:
"Em mundos de Regeneração o mal ainda existirá (sem alusão aos militares), porém em menor escala.
Esta a informação que se encontra na doutrina.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 10 de Maio de 2012, 22:15
ESE: explicação sobre mundos regeneradores, ou de regeneraçao feita por Sto Agostinho:

"18. Mas, ah! Nesses mundos o homem ainda é falível, e o Espírito do mal ainda não perdeu completamente o seu domínio sobre ele. Não avançar é recuar, e se ele não estiver firme no caminho do bem, pode cair novamente em mundos de expiação, onde o esperam novas e mais terríveis provas. Contemplai, pois, durante a noite, na hora do repouso e da prece, essa abóbada azulada, e entre as inumeráveis esferas que brilham sobre as vossas cabeças, procurai as que levam a Deus, e pedi que um mundo regenerador vos abra o seu seio, após a expiação na Terra."
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 10 de Maio de 2012, 22:16
                     Verdade, Moura, esta tua citação.
                    Mas é que entendo que num mundo de regeneração não existam fronteiras, que nos veremos como uma só humanidade, e, embora talvez ainda exista o pequeno mal, não existirá este grande, movido pela ambição de poucos. Este mal que matou crianças e jovens no Iraque, pelo dinheiro de Bush e seus amigos, bem mostrado no documentário de Michael Moore que lhe falei, 11 de setembro. 
                      Abraços.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 10 de Maio de 2012, 22:38
Maninha Camila,
em verdade deves estar te referindo não aos mundos de regeneração mas sim aos mundos regenerados, ou felizes, que formam a habitação dos puros espíritos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 10 de Maio de 2012, 23:07
Citar
Um novo militar cruzaria os braços no episódio do Pinheirinho e não apenas por melhores salários. Este novo é que acredito que está na hora de aparecer, para caminharmos na direção do mundo regenerado.
Você está defendendo é o surgimento da indisciplina, de militares insubordinados. Essa questão do Pinheirinho ou outras mais é de simples solução e os protestos, como o seu revelam desrespeito à prática democrática e republicana. Militares seguem ordens, as ordens devem seguir a lei e quem fiscaliza o cumprimento da lei é o Poder Judiciário. A partir do momento em que as pessoas resolverem escolher QUAIS LEIS devem cumprir e desrespeitar decisões de tribunais soberanos, então, acabou-se a civilização. Se um militar, no Pinheirinho, recusasse a cumprir uma ordem judicial, que outras ordens ele se sentiria livre para descumprir com um revólver na cintura?

Camila, louvo sua boa vontade, mas você pretende trazer para hoje uma realidade de daqui a algumas centenas de anos. Neste momento temos leis. Neste momento devemos cumprimento às leis- mesmo discordando delas (traficantes também discordam das leis). Quem zela pelo cumprimento de algumas das leis são os policiais. Eles estão fazendo o papel deles. Se tiver que prender alguém, que prendam. Se alguém ameaçar outro com uma arma, que reajam para salvar vidas. Você quer que simplesmente os militares parem de usar armas, parem de reagir a ameaças de bandidos, parem de perseguir assassinos. E pior- está tomando a exceção como regra.

Esse mundo que você está defendendo não existe. E esse mundo que você está defendendo não vai aparecer se os bandidos - santos, segundo você - predominarem. Ou você acha que a partir do momento em que policiais começarem a distribuir flores os traficantes vão parar de traficar, os estupradores vão parar de estuprar, os assassinos vão parar de matar? Mundo sem lei? Mundo sem o cumprimento da lei?

Eu não quero morar num mundo assim. Veja como você inverte a situação - até agora só falou mal - MUITO MAL - dos militares. Sobre os bandidos você... simplesmente os enalteceu... Bandido é coitadinho... Quer acabar com o poder militar? Acabe com os bandidos primeiro, oras!!!...  De toda forma, o que você tem feito para que os bandidos parem de ameaçar pessoas? Ou você vai me dizer que realmente sai de casa sozinha à noite se souber que não há nenhum policial nas ruas?

Menos, Camila, menos... Esse mundo de Poliana que você defende não existe. Já os mundos avançados, moralmente superiores, estes existirão AO SEU TEMPO. Mas, esse tempo vai demorar muito se o povo ficar só no discurso. Eu prefiro não fazer discursos e fazer. Pertenço aos quadros de três entidades diferentes - e não me gabo disso: estou só fazendo meu trabalho voluntário em silêncio para um mundo melhor. E pelo menos por enquanto, estou muito feliz por fazer este trabalho sem medo de ser ameaçado por quem não tem o menor valor pela vida.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 11 de Maio de 2012, 20:51
Maninha Camila, você diz:
"Um novo militar cruzaria os braços no episódio do Pinheirinho e não apenas por melhores salários. Este novo é que acredito que está na hora de aparecer, para caminharmos na direção do mundo regenerado."

Se concordar com você, por extensão vou concluir que também possa deixar de pagar as contas que ache muito altas, ou que, um médico possa, por não receber o cheque de caução, não atender ao doente emergencial que o procure.
Este caso o dos cheques já recebe a resposta jurídica o dizendo como um crime e se o resultado da não prestação do auxílio for o da morte do paciente, a pensa será agravada ao triplo.
Como se pode ver a Justiça dá mais um passo, em sendo aprovado o projeto, no caminho da retidão maior.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 11 de Maio de 2012, 22:25
 Meus amigos,
 A disciplina e a hierarquia militares são algo limitado porque o indivíduo deixa de refletir para obedecer ordens de terceiros sem questionar.
 O ideal é agirmos com bom-senso e se for o caso, com auto-disciplina.
 O espiritismo destaca a individualidade e a importância de agir com razão, inclusive seguindo os ideais cristãos.
 Um exemplo são os militares que executaram Jesus obedecendo as autoridades, o espiritismo neste caso teria aconselhado eles a refletir e a não matar, e não a obedecer sem senso crítico.
 
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Paulo Cortez em 11 de Maio de 2012, 23:23
O profissional que abraça o Espiritismo, muda! Melhora, mesmo que lenta e gradualmente.
Assim deve ser com todas as profissões.
O médico, o advogado, o policial, o militar, o educador, o faxineiro, o vendedor, o juiz, etc.
Tomara eu encontre no meio militar, o profissional comedido, que use a arma em último caso, que considere o marginal como alguém que precisa de ajuda, que não cometa arbitrariedades, que não abuse de sua autoridade, que não comungue com as injustiças do poder; TOMARA!
Estou devaneando........
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 12 de Maio de 2012, 16:47
E está mesmo mano Paulo!
O militar (refiro-me aos das forças armadas), é o último patamar mano, um militar que não usar sua arma morre, vira lenda.
Já nas polícias existem e não se podem negar certos excesso, mas por que?
Por pura falta de formação moral. Se nelas existem os bons, e são muitos, os que não são bons, são mais barulhentos e aparecem mais nas notícias de sangue, claro.
Sim, amigos no exército marina e aeronáutica também os encontramos mas como o sistema lá é mais duro eles são bem poucos, e quando fazem das suas, como no caso dos Marines, que urinaram nos corpos mortos, estes também aparecem nas ditas notícias de sangue, mas são julgados por tribunais que não passam a mão na cabeça deles.
Ora se estamos num mundo de provas e expiações certo é que o mal se sobreponha ao Bem como ensina em ESE. mas isso vem decrescendo mano.
Francamente, não sou a favor deste falso alarmismo e dessa tônica de recriminar  a torto e a direito, pois que isso além de provar certo desconhecimento daquilo ensinado em OLE, também não faz do recriminador, pessoa melhor, ao contrário já que age em preconceito puro.
Abraços,
Moura
O profissional que abraça o Espiritismo, muda! Melhora, mesmo que lenta e gradualmente.
Assim deve ser com todas as profissões.
O médico, o advogado, o policial, o militar, o educador, o faxineiro, o vendedor, o juiz, etc.
Tomara eu encontre no meio militar, o profissional comedido, que use a arma em último caso, que considere o marginal como alguém que precisa de ajuda, que não cometa arbitrariedades, que não abuse de sua autoridade, que não comungue com as injustiças do poder; TOMARA!
Estou devaneando........
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 12 de Maio de 2012, 17:29
Citar
O profissional que abraça o Espiritismo, muda! Melhora, mesmo que lenta e gradualmente.
Assim deve ser com todas as profissões.
O médico, o advogado, o policial, o militar, o educador, o faxineiro, o vendedor, o juiz, etc.
Tomara eu encontre no meio militar, o profissional comedido, que use a arma em último caso, que considere o marginal como alguém que precisa de ajuda, que não cometa arbitrariedades, que não abuse de sua autoridade, que não comungue com as injustiças do poder; TOMARA!

Quase concordo com tudo. O problema aqui é essa história de "não comungar com as injustiças do poder.

E por que discordo?

Porque essa é justamente a desculpa utilizada por todos os militares golpístas que derrubaram governos democráticos ao longo de toda a história da humanidade.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Edimo C. Durval em 12 de Maio de 2012, 19:53
Meus amigos,
 A disciplina e a hierarquia militares são algo limitado porque o indivíduo deixa de refletir para obedecer ordens de terceiros sem questionar.
 O ideal é agirmos com bom-senso e se for o caso, com auto-disciplina.
 O espiritismo destaca a individualidade e a importância de agir com razão, inclusive seguindo os ideais cristãos.
 Um exemplo são os militares que executaram Jesus obedecendo as autoridades, o espiritismo neste caso teria aconselhado eles a refletir e a não matar, e não a obedecer sem senso crítico.

O companheiro se engana quando pensa que disciplina e hierarquia faz os militares obedecerem e não raciocinar sobre uma ordem. Uma  das primeiras coisas que se aprende sobre a hierarquia é que ordem absurda não se obedece (colocar a própria vida ou de outrem, desnecessariamente, em risco é uma ordem absurda).

Outro erro é pensar que quem dá a ordem é alguém despreparado. Quando prestei o serviço militar na AMAN (Academia Militar das Agulhas Negras) vi o quanto os cadetes são avaliados e exigidos. Eles estudavam 3 anos numa escola preparatória e passavam mais 4 anos na academia. E ao final desses 7 anos eles saiam aspirante e passavam mais 1 ano nessa condição. Essa avaliação eles carregam por toda a vida militar e determina quem será promovido mais rapidamente. Portanto não existe apadrinhamento no exército. Toda promoção é conseguida por mérito.

Mesmo entre os soldados eram poucos os de baixa escolaridade e que, em tese, não raciocinariam sobre a ordem dada.

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 12 de Maio de 2012, 20:03
Mano Edimo,
compreendo e aceito o seu raciocínio, mas note que o amigo trata de exceção, pois a AMAN, tal como outras academias militares só recebem alunos já como segundo grau completo.
No campo das avaliações, deixe-me lembrar-lhe que há excessos senão não haveria de ter morrido a quota de alunos que não aguentaram o treinamento. se há mesmo uma avaliação e capacitação, que sei que existe, há entre estes capacitados também os tacanhos que mais gritam do que pensam.
Não estou desdizendo a você nem afirmando sobre a pouca clareza da AMAN ou de qualquer outra, só estou anotando que no Exército,Marinha e na Aeronáutica existam os que não são assim tão bem preparados.
Quem engaja, no exército pelo alistamento militar já sofre mesmo para se apresentar, sofri isso com meu filho ano que passou.
Que a formação das academias é melhor e mais forte do que a do E.M., isso é notório até mesmo porque um se presta afirmação de simples combatentes e as academias se prestam a formação de oficiais.
Abração,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 12 de Maio de 2012, 20:18
O mundo não avança com discursos. O mundo avança com atos e fatos. Se o discurso vem de quem está ENGAJADO nas lutas sociais e pelos avanços civilizatórios, é combinação excelente. Mas, se o discurso não vem com o empenho, então temos palavras vazias e o tem "moralismo" que tanto nós quanto a codificação condenam.

Cabe ao indivíduo que quer mudar  civilização estar nas ONG´s, nos sindicatos, nas agremiações civis, comunidades rurais, associações ou cooperativas e efetivamente transformar suas palavras em atos concretos.

É isso que faz alguém líder e é isso que faz o exemplo ser seguido.

Enquanto isso não acontece, vamos encarando nosso mundo imperfeito de provas e expiações. O que não podemos é nomear ídolos no movimento espírita, por exemplo, como autores famosos, enaltecer seus exemplos morais, mas deixá-los como pinguins de geladeira - para mera contemplação inútil.

Se é de exemplo que falamos, exemplos sigamos - inclusive no tom das palavras.

Eu, particularmente imperfeito, anseio pela junção do discurso moralista com a ação moral. Tal será a pessoa que admirarei e seguirei. Mas, como fazer, se o discurso da moralidade vem seguido do tom de coerção e constrangimento para terceiros?

É por isso que eu opto por não fazer tais discursos - em mim soariam falsos. Eu não tenho altivez moral para dizer a outras pessoas como elas devem agir.
Oi Randolfo,
 Concordo com a necessidade da ação, mas a troca de ideias aplicadas do espiritismo é importante, inclusive suponho que é o principal papel desse site. Deve concordar já que você tem escrito mais que eu e em menos tempo.
 Não se trata de julgar ou dizer o que fazer, mas de pensar de forma fraterna como aplicar na prática o que foi dito por Jesus.
 Se não houver raciocínios de nossa parte, o espiritismo se torna fé cega, como acontece em muitas igrejas.
 Então, realmente, quando concordamos com um princípio, cristão por exemplo, apliquêmo-lo na vida real.
 Abraços
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Edimo C. Durval em 12 de Maio de 2012, 20:38
Mano Edimo,
compreendo e aceito o seu raciocínio, mas note que o amigo trata de exceção, pois a AMAN, tal como outras academias militares só recebem alunos já como segundo grau completo.
No campo das avaliações, deixe-me lembrar-lhe que há excessos senão não haveria de ter morrido a quota de alunos que não aguentaram o treinamento. se há mesmo uma avaliação e capacitação, que sei que existe, há entre estes capacitados também os tacanhos que mais gritam do que pensam.
Não estou desdizendo a você nem afirmando sobre a pouca clareza da AMAN ou de qualquer outra, só estou anotando que no Exército,Marinha e na Aeronáutica existam os que não são assim tão bem preparados.
Quem engaja, no exército pelo alistamento militar já sofre mesmo para se apresentar, sofri isso com meu filho ano que passou.
Que a formação das academias é melhor e mais forte do que a do E.M., isso é notório até mesmo porque um se presta afirmação de simples combatentes e as academias se prestam a formação de oficiais.
Abração,
Moura

Realmente a AMAN é uma exceção. Mas como o companheiro anterior generalizou eu citei o caso que eu conheço. É claro que existe o menos preparado mas ele é uma exceção e não a regra. Não sei o caso do seu filho mas lembro que no começo eles pegam pesado mesmo. Isso é feito pra mostrar quem manda e quem obedece.

O que posso dizer é que após meu ano no EB acabei ficando amigo até mesmo do sargento que mais odiava durante o período básico.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 12 de Maio de 2012, 21:03
Citar
Não se trata de julgar ou dizer o que fazer, mas de pensar de forma fraterna como aplicar na prática o que foi dito por Jesus.

Então, que cada um faça isso na sua vida, sem se importar com o que o outro faz de sua moral.

Simples, não?
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 12 de Maio de 2012, 22:28
Concordo com a necessidade da ação, mas a troca de ideias aplicadas do espiritismo é importante, inclusive suponho que é o principal papel desse site. Deve concordar já que você tem escrito mais que eu e em menos tempo.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Hebe M C em 12 de Maio de 2012, 22:54
Sinceramente acho que este tópico já se esgotou.

Chega uma hora que não há mais sentido nem em relação ao tema, nem em relação ao que é postado. Uma insistência sem fim nos argumentos, quando a DE já esclarece na Lei do Progresso, na Lei da destruição, nas provas escolhidas, nas diferenças de aptidões, nas diferenças de evolução de um Espírito a outro etc etc etc.

O militar tem o direito de escolher qualquer filosofia a seguir, será bom e mal de acordo com o seu adiantamento moral, assim como o padre, a madre, o professor, o engenheiro, o pedreiro, o lixeiro, o filósofo, o matemático, o político, a mãe , o pai , o filho....... todos são espíritos encarnados em prova cada um cumprindo seu papel de acordo com o mundo que habita.

Um abç
Hebe
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 14 de Maio de 2012, 00:17
            Não discordo de nada que disseram acima.
           Amei as palavras da Hebe e também do RTT.
            Verdade que alguns militares são bem mais preparados que outros.
            No episódio do Pinheirinho, tínhamos militares aqui do Estado de SP, que como sabemos, não ganham bem possuem uma história de falhas e violências contra a população pobre, infelizmente incentivadas.
             Acho que a discussão realmente se encerra no que a Hebe disse, os militares se diferenciam, individualmente, tanto quanto em qualquer outra profissão, devido ao grau de sua evolução moral. Sabemos na história de militares nazistas que ajudavam aos judeus nos campos. Vitor Franklin, médico judeu, conta em seu livro que alguns sofriam e tentavam ajudar, mas muitos outros eram sádicos.
              Se a maioria dos que cometeram atrocidades no Pinheirinho (há relatos de violência sexual contra jovens de 17 anos, etc) tivesse uma evolução moral um pouco maior: muito desrespeito aos diretos humanos não teria ocorrido. Se tivesse evolução moral, que sonhamos que um dia todos da Terra atinjam, então um não  atiraria pelas costas do Secretário Nacional de Habitação que estava com um mandado de um juiz Federal, para pararem a reintegração.
             Defensores dos Direitos Humanos estão apurando as atrocidades que ocorreram no Pinheirinho.
              " Na última matéria da série especial para a Rede Brasil Atual, o defensor público de São José dos Campos, Jairo Salvador, fala das ações para condenar os responsáveis, da investigação pela morte de um morador, avalia que o comandante da operação deveria ter recebido voz  de prisão e que um juiz de exceção comandou a desocupação, além de descrever a gravidade do impedimento ao trabalho da Defensoria:
                  "    Como estão as ações da Defensoria no caso do Pinheirinho?
" Temos instruídas 580 ações individuais de famílias que tiveram prejuízos materiais e morais. Estamos preparando uma ação civil pública pelos danos urbanísticos causados à cidade,  contra o poder público, e mais uma para questionar a desocupação. Esses três tipos serão encaminhados à Justiça Estadual.  Outra vertente são as ações internacionais. "

                Tem mais, coloquei só um pedaço  para termos ideia de que, embora tenham pessoas que obedeçam cegamente às ordens injustas e até abusam dela, quando percebem no outro alguém frágil, temos outras que estão lutando por Direitos Humanos. Luta que começou depois da atrocidade que foi a II Guerra, com violência que o Plano Espiritual tentou impedir, segundo o livro Nosso Lar. Esta luta, é que temos que ter em mente: ser espírita, ser cristão, é lutar por Direitos Humanos, por justiça social, sempre.
                  Abraço
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 14 de Maio de 2012, 00:45
Citar
Acho que a discussão realmente se encerra no que a Hebe disse, os militares se diferenciam, individualmente, tanto quanto em qualquer outra profissão, devido ao grau de sua evolução moral.


Só que não foi isso o que você vinha dizendo. Mudou agora... Se você tivesse dito ISSO antes, com certeza não teria ofendido aos militares, nem postergado o fim deste tópico pelo pecado da generalização geral de seu discurso.

Em caso de dúvidas, fineza reler suas postagens anteriores. De toda forma, quem está de fora percebeu bem qual é a posição da Doutrina Espírita sobre a questão.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 14 de Maio de 2012, 17:18
Maninha Camila,
quando a amiga se refere aos militares generaliza ao colocar a todos no caso do Pinheirinho.
A amiga fala apenas da PM que foi a força policial que agiu ali.
Porém militares existem também na força que é maior do que a polícia militar pois que esta é uma força auxiliar estando abaixo das forças armadas.
abração,
Moura

            Não discordo de nada que disseram acima.
           Amei as palavras da Hebe e também do RTT.
            Verdade que alguns militares são bem mais preparados que outros.
            No episódio do Pinheirinho, tínhamos militares aqui do Estado de SP, que como sabemos, não ganham bem possuem uma história de falhas e violências contra a população pobre, infelizmente incentivadas.
             Acho que a discussão realmente se encerra no que a Hebe disse, os militares se diferenciam, individualmente, tanto quanto em qualquer outra profissão, devido ao grau de sua evolução moral. Sabemos na história de militares nazistas que ajudavam aos judeus nos campos. Vitor Franklin, médico judeu, conta em seu livro que alguns sofriam e tentavam ajudar, mas muitos outros eram sádicos.
              Se a maioria dos que cometeram atrocidades no Pinheirinho (há relatos de violência sexual contra jovens de 17 anos, etc) tivesse uma evolução moral um pouco maior: muito desrespeito aos diretos humanos não teria ocorrido. Se tivesse evolução moral, que sonhamos que um dia todos da Terra atinjam, então um não  atiraria pelas costas do Secretário Nacional de Habitação que estava com um mandado de um juiz Federal, para pararem a reintegração.
             Defensores dos Direitos Humanos estão apurando as atrocidades que ocorreram no Pinheirinho.
              " Na última matéria da série especial para a Rede Brasil Atual, o defensor público de São José dos Campos, Jairo Salvador, fala das ações para condenar os responsáveis, da investigação pela morte de um morador, avalia que o comandante da operação deveria ter recebido voz  de prisão e que um juiz de exceção comandou a desocupação, além de descrever a gravidade do impedimento ao trabalho da Defensoria:
                  "    Como estão as ações da Defensoria no caso do Pinheirinho?
" Temos instruídas 580 ações individuais de famílias que tiveram prejuízos materiais e morais. Estamos preparando uma ação civil pública pelos danos urbanísticos causados à cidade,  contra o poder público, e mais uma para questionar a desocupação. Esses três tipos serão encaminhados à Justiça Estadual.  Outra vertente são as ações internacionais. "

                Tem mais, coloquei só um pedaço  para termos ideia de que, embora tenham pessoas que obedeçam cegamente às ordens injustas e até abusam dela, quando percebem no outro alguém frágil, temos outras que estão lutando por Direitos Humanos. Luta que começou depois da atrocidade que foi a II Guerra, com violência que o Plano Espiritual tentou impedir, segundo o livro Nosso Lar. Esta luta, é que temos que ter em mente: ser espírita, ser cristão, é lutar por Direitos Humanos, por justiça social, sempre.
                  Abraço
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 26 de Maio de 2012, 17:23
                Pois achei que estavam falando das PMs e suas atrocidades, quando entrei na discussão, estava neste pé. Lógico que temos outros tipos de forças policiais,  as armadas,  e a diferença ( sobre isso falei) está no fato de passarem por uma preparação melhor, antes, durante e depois. Além disso: ganham melhor.
               Temos as exceções às regras, mas os agentes federais mesmo, têm feito um ótimo papel nos últimos anos. Dentro da PF existe policial que decepcionou? Bem menos do que a PM de SP vem fazendo, pelos dados que discutimos.
                Também discuti que temos Ongs como "As Mães de Maio" e "Tortura Nunca Mais", que tentam atenuar o mal que estas polícias que têm feito, dizimado os jovens pobres. Isso temos em estatísticas divulgadas pelos Conselhos Regionais de Medicina, não é segredo, é fato.
                Não tem como sermos espíritas e taparmos os olhos para o que é bárbaro, porque acreditamos que um dia evoluiremos e/ou evoluirão, isso que quis dizer todo tempo e não me contradisse.
             Ser menos evoluído não justifica o que temos que combater, como espíritas e cristãos, que é a violência e a injustiça.
            "Se" policiais têm sido instrumentos de violência e injustiça, como espíritas temos que lutar para que melhorem, como Bezerra de Menezes, por exemplo, lutou contra a escravidão, mesmo que muitos justificassem aquela barbaridade na época, inclusive com o espiritismo que ele divulgava.

               
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 26 de Maio de 2012, 22:42
Citar
"Se" policiais têm sido instrumentos de violência e injustiça, como espíritas temos que lutar para que melhorem, como Bezerra de Menezes, por exemplo, lutou contra a escravidão, mesmo que muitos justificassem aquela barbaridade na época, inclusive com o espiritismo que ele divulgava.

Nada contra os traficantes, estupradores, assassinos e ladrões? Quem tem que melhorar são os policiais?

Jesus... A inversão está absurda neste tópico!!!
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 28 de Maio de 2012, 18:38
                O problema, Randolfo, é que entre muitas denúncias feitas pelas ongs que citei " As Mães de Maio" e " Tortura Nunca Mais", fora os últimos acontecimentos no Pinheirinho, é esse mesmo: não vemos diferença entre as atitudes de ladrões, traficantes, etc, e, aqueles que deveriam defender a população!! Isso que a pessoa que postou este tópico queria dizer, a PM de SP está agora com um processo porque até estupro contra a esposa, de apenas 17 anos, de um trabalhador, ocorreu lá no Pinheirinho, fora outras atrocidades!!
                Estas ongs pedem justiça, lógico, e mais o que venho falando aqui: melhor preparo antes, durante e depois. Mesmo que alguns militares menos evoluídos ainda venham a aprontar, isso não será a regra como vem sendo, infelizmente.
                 Agora, mudo de assunto e compartilho um texto lindo de Leonardo Boff, que diz uma frase linda quando discutia ecologia, sobre o terceiro modo de evitarmos uma destruição em massa: "O terceiro é viver a compaixão não só entre os humanos mas para com todos os seres, compaixão como forma de amor e cuidado. A partir de agora eles dependem de nós se vão continuar a viver ou se serão condenados a desaparecer. Precisamos deixar para trás o paradigma de dominação que reforça a extinção em massa e viver aquele do cuidado e do respeito que preserva e prolonga a vida."

            Quem quiser ler este texto e outros lindos é só dar um pulo no blog de Leonardo Boff:
             http://leonardoboff.wordpress.com/2012/02/26/como-enfrentar-a-sexta-extincao-em-massa/
             
               
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 28 de Maio de 2012, 18:48
Eu não sei porque a insistencia no Pinheirinho. Ordem judicial se cumpre. A Justiça determinou, cumpra-se. E quem desobedece a Justiça é criminoso mesmo, pois desobediencia é crime. E se quem desobedece resolve resistir fisicamente, lamento muito, deve ser removido fisicamente.

Se eu ocupo uma área que eu SEI que não é minha e eu SEI que a qualquer momento o dono pode pedi-la de volta, eu aceitei o risco. Portanto, não tenho nenhuma visão romantica sobre qualquer invasão de qualquer lugar. A propriedade privada é instituto previsto, inclusive, pelo Espiritismo.

Agora, o absurdo é que as pessoas podem escolher se cumprem ou não a lei? Manda o Randolfinho aqui descumprir ordem judicial para se ver o que acontece com ele...
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 28 de Maio de 2012, 22:59
Verdade Randy,
é mesmo como meu filho na sua filosofia que só a juventude abriga vem de afirmar:
Véio, se a lei existia e você não cumpriu... "Deu ruim".
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 29 de Maio de 2012, 00:18
              Acho que vocês precisam se informar um pouco mais sobre o caso do Pinheirinho:
            1. Havia uma ordem, com o secretário Nacional de Habitação, para pararem a reintegração, por conta disso houve uma comemoração com políticos preocupados com a questão da habitação um dia antes da madrugada sangrenta. No dia do massacre àquelas pessoas o secretário nacional levava esta ordem, de um tribunal superior ao estadual. Aliás, este juiz estadual - que passou por cima do federal  - por acaso era parente do prefeito. Prefeito e Cia ganhariam algo se Naji Nahas conseguisse vender aquele terreno, investigam que ganhariam na venda deste terreno para uma rede de supermercados.
            2. Aquele terreno sequer pertencia à Naji Nahas, estava sem dono desde 1969 quando sua família foi assassinada toda,  e, ficou sem herdeiros. Já era do estado há anos quando misteriosamente (e isso que se investigava com grupos de direitos humanos e habitação) foi parar nas mãos do Naji Nahas. Ou seja, ele era um grileiro, não um proprietário.
           3. Este grileiro Naji Nahas devia milhões em IPTU à prefeitura, pouco antes de reintegrar esta dívida diminuiu - também misteriosamente - em um milhão.
          4. Quando aquelas pessoas que não tinham onde morar ocuparam lá, construíram igrejas, parques, fizeram isso porque acreditavam que era do estado, já que Naji Nahas era um grileiro e não dono legítimo. A maioria destas famílias tinha cadastro na fila de espera por moradia da prefeitura.
           5. Políticos discutiam uma forma de urbanizar ali, inclusive o governador havia sentado com a presidenta dias antes, para urbanizarem e cobrarem água e luz das pessoas, construírem escolas lá dentro, postos de saúde,etc.
          6. Por isso que  com esta negociação  do governador, presidenta e o pedido do juiz federal que pedia para pararem a reintegração, houve uma festa sábado anterior com ongs que trabalhavam com arte lá dentro, igrejas diversas, até um centro espírita que ajudava com cestas básicas algumas famílias de lá e a população. Houve esta festa porque ninguém esperava que ocorresse o que ocorreu, um juiz estadual passasse por cima do federal junto ao prefeito e fizesse o que fez.
                Tudo isso agora é um processo de várias frentes,  a prefeitura, e, a PM está sendo processada por instituição internacional de direitos humanos (inclusive pelas barbaridades que os militares e policiais fizeram como: estupros, violência contra idosos, deficientes e crianças), e, além disso, está ocorrendo uma investigação mais séria sobre: os mistérios de um juiz estadual ignorar um federal, atirarem num secretário nacional de habitação, cegarem uma criança de três anos com balas de borracha, diminuírem o imposto deste grileiro em um milhão, descobrirem como este grileiro se tornou dono, e, como um prefeito ignorou tantas negociações que ocorriam.
               Se havia traficantes lá, havia tanto quanto em qualquer lugar, porque além das pessoas do centro espírita que trabalhavam com a comunidade de lá, eu conhecia pessoas de outras ongs, como o grupo cultural Bola de Meia. Todos estes diziam que estas pessoas se organizaram lá e estavam na fila de casas populares há anos, pois eram trabalhadores. Deste modo, nada justifica a violência que houve por lá.
             
           
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 29 de Maio de 2012, 02:09
Eu não sei porque a insistencia no Pinheirinho. Ordem judicial se cumpre. A Justiça determinou, cumpra-se. E quem desobedece a Justiça é criminoso mesmo, pois desobediencia é crime. E se quem desobedece resolve resistir fisicamente, lamento muito, deve ser removido fisicamente.

Agora, o absurdo é que as pessoas podem escolher se cumprem ou não a lei? Manda o Randolfinho aqui descumprir ordem judicial para se ver o que acontece com ele...

Então os carrascos que assassinaram Jesus são bonzinhos? Jesus desobedecia as leis humanas.

Uma sociedade depravada tem, certamente, necessidade de leis mais severas. Infelizmente, essas leis se interessam mais em punir o mal, quando já feito, do que secar a fonte do mal. Não há senão a educação para reformar os homens. Então eles não terão mais necessidade de leis tão rigorosas
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 29 de Maio de 2012, 13:25
Citar
Então os carrascos que assassinaram Jesus são bonzinhos? Jesus desobedecia as leis humanas.

Jesus, MUITO PELO CONTRÁRIO, dizia que devíamos a Cesar o que é de Cesar. E JAMAIS disse que deveríamos descumprir as leis. Ou ele disse?

A responsabilidade das leis de um país é do povo que o habita. No sistema democrático, VOCÊ escolheu as pessoas que fazem as leis e VOCÊ escolheu as pessoas que fazem cumprir as leis. Portanto, VOCÊ escolheu que as respectivas leis existam e que sejam cumpridas.

Num sistema não-democrático, VOCÊ escolheu NÃO LUTAR pela democracia para que leis mais justas imperem.

Portanto, o responsável por pinheirinhos da vida é você mesmo.

Além disso, quem é que decide que leis devem ser cumpridas ou não? Eu? Você?

Lei se cumpre. Se você não está satisfeito com uma lei, lute nas instâncias democráticas para que elas sejam refeitas.  A responsabilidade é sua.

Jesus foi julgado sob alegação de descumprimento da lei. Mas, QUEM ESCOLHEU A PUNIÇÃO foi o povo... você se esqueceu disso?

Conveniente para um debate onde não se demonstra a posição do Espiritismo e sim a pretensa vontade de "vencer" um duelo retórico.

E, finalmente, sobre o tal pinheirinho ou algo parecido, decisão judicial se cumpre. Se não se cumpre, é punido. Existe alguma coisa no Espiritismo que nos informe que não devemos cumprir a lei dos homens? E alguém tem dúvida de que o povo do tal pinheirinho vai votar nos mesmos candidatos de sempre nas próximas eleições?

Só uma pergunta - alguém aqui abrigou em sua casa algum egresso do Pinheirinho?
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 30 de Maio de 2012, 15:42
Só lembrando:
Jesus disse: "Não vim derrogar as leis, mas fazer cumprirem-se".
Em sua fala ele elencava todas as leis, a de Deus, e a dos homens, pois, que vivendo e sendo também homem, devia esta obediência às leis do Homem, mesmo que a lei mais importante para o homem como Espírito fosse a lei de Deus.
Decisão legal se cumpre este o brocardo mais conhecido no Direito.
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Diegas em 30 de Maio de 2012, 16:36
Só lembrando:
Jesus disse: "Não vim derrogar as leis, mas fazer cumprirem-se".
Em sua fala ele elencava todas as leis, a de Deus, e a dos homens, pois, que vivendo e sendo também homem, devia esta obediência às leis do Homem, mesmo que a lei mais importante para o homem como Espírito fosse a lei de Deus.
Decisão legal se cumpre este o brocardo mais conhecido no Direito.
Abraços,
Moura


Moura

Certissimo !!


Aliás, Jesus fora um fiel cumpridor das leis - em momento algum transgrediu as leis romana e judaica. O que levou Jesus para a cruz foi a classe sacerdotal comandada por Anas e Caifas que, enciumados e muitissimos preocupados com o esvaziamento da Arca, denunciaram-No como infrator das leis, que se auto-declarava Rei.

As pregações do sublime nazareno falava de um Deus de amor, em oposição ao lucro que os religiosos obtinham no Templo por meio das ofertas e dizimos - em agradar um Jeová sedento de ouro e prata.


Abç
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Paulo Cortez em 30 de Maio de 2012, 16:46
Prefiro o tratorista que perdeu o emprego, mas não teve coragem de derrubar os barracos, se não me falha a memória, na Bahia, há alguns anos atrás.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 30 de Maio de 2012, 21:10
 O que Jesus disse tinha como objetivo destruir preconceitos e mentiras. Ele pregou o amor, o perdão, a paz, em detrimento da hipocrisia, do egoísmo. Foi assassinado por que esses sentimentos ameaçavam e contradiziam a soberania dos fariseus, sacerdotes e déspotas, que eram quem decidia sobre a lei humana. E essas pessoas inclusive teriam manipulardo o povo ignorante a desejar a execução. E quando aparecem essas contradições e ameaças, sempre vem a repressão, em toda a História.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 30 de Maio de 2012, 21:15
É mesmo mano RTT, desde os tempos de Jesus até hoje ...
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Zé Ninguém em 30 de Maio de 2012, 23:31
O ideal é que estivéssemos em um estágio onde não houvesse do que se defender, onde todos nós nos enxergássemos como irmãos e vivessemos em harmonia.
Mas quão distante ainda estamos disso, é "zumbi" tomado de LSD comendo o rosto de um, é gente por ganância decapitando 7 pessoas, estupros, torturas, maus tratos..é tanta ,mais tanta atrocidade sendo cometida que muitas vezes penso que estamos mais próximos na escala evolutiva do mundo primitivo do que de regeneração.
Os militares são necessários diante do estágio evolutivo que nos encontramos, sem eles viveríamos em um caos pois o homem ainda não atingiu capacidade de autogestão.
Penso que todo excesso será punido. Um policial que diante de uma ofensiva , um ataque se defende ou defende outra vida não está em situação diversa de qulaquer um de nós que agisse da mesma forma, a diferença é que o fazem de forma rotineira, como trabalho.
Todos aqueles que abusam da autoridade e imputam sofrimento desnecessário a seus irmãos irão responder por isso. Quem tortura, executa certamente sofrerá a lei da ação e reação e terá que prestar contas de seus atos.
Não vejo contradição entre um irmão ser militar e espírita.
Na verdade vejo uma evolução, significa que mesmo em um meio hostil, agressivo, belicoso estes irmãos conseguiram desenvolver em si a semente da espiritualidade.
Se tivéssemos mais militares  espiritualizados certamente veríamos muito menos abusos por parte das forças policiais.
Certa vez ,um soldado americano veio a público manifestar sua indignação frente aos seus superiores e ao próprio governo americano quanto a ofensiva no Iraque ,demonstrando grande coragem e o mais importante, sensibilidade com o sofrimento alheio.
Antes ser um desertor do que um malfeitor.
Sim, existe hierarquia ,disciplina e elas devem ser respeitadas , mas se a ordem é abusiva ou injusta creio ser dever do militar se recusar a cumprí-la porque antes violar a lei dos homens que a lei de Deus.
Irmãos militares ,cada um aqui tem um papel o de vocês é defender seus irmãos, assim o façam com zelo e amor.
Apesar de não simpatizar com guerrilhas nem nada parecido ,acho que aqui cabe bem a famosa frase de Che Guevara:
" Hay que endurecerse pero sin perder la ternura jamás"

SOLDADOS AMERICANOS BRINCAM COM CRIANÇAS IRAQUIANAS
MILITARES AMERICANOS SE DIVERTEM COM CRIANÇAS IRAQUIANAS. (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUxRSFk2SS1pR0NvIw==)

Paz e luz!
Susana
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Zé Ninguém em 31 de Maio de 2012, 00:17
Veterano de guerra do Iraque relata os reais motivos_LEGENDADO_PT_BR.flv (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PW5xY0Z6ZHRZc3Y0I3dz)

O que mais chama a tenção no vídeo não são os motivos questionáveis envolvidos na guerra do Iraque e que fogem ao tema proposto , mas sim a postura do ex soldado e a reflexão trazida por ele.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: hcancela em 31 de Maio de 2012, 10:27
Olá amigos(as)


Como sempre amigos(as) não é o que fazemos, mas sim a forma como utilizamos e neste caso poder. Como falou e bem a Suzana, sem ordem era o caos, mas só porque  Militares (maus) tornem a coisas más, não quer dizer que muitos não sejam bons, da mesma forma religiosos, politicos, empresários, pessoas comuns, espiritas,etc.
No nosso Mundo tem de haver ordem pela força, um dia sim haverá ordem pelo Amor.

Lembrei agorinha mesmo!  :)

Todo Mundo fala em paz,Amor, que é bom, respeita o outro, não há guerra e outros coisas tais, que trata bem os animais e outras coisas tais, nomeadamente nos foruns, facebbok e outras coisas mais, mas não consigo ainda perceber de tanta bondade que todo Mundo diz que tem, mas o dito cujo, continua de uma forma barbara. Porque será!... :-*

Saudações farternas
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 31 de Maio de 2012, 16:16
                   Concordo, de novo, com RTT, com Suzanna e com Paulo Cortez: também, acho, Paulo, que temos que ser como aquele motorista de trator que não derrubou os barracos. Eu vi esta reportagem, foi aqui em SP acho que ano passado, mas outros podem ter feito isso na Bahia também.
                   Esta atitude do motorista é uma atitude coerente com que aprendemos na doutrina espírita.
                   Um militar espírita, num mundo que todos dizem que eles ainda são necessários, deve ter esta postura, sempre. Se for necessário não obedecer, ainda mais quando este ato significar ser desumano. Todos viram o filme O Pianista, aquele nazista desobedeceu seus superiores e ajudou ao pianista.
                    Suzanna está certa e RTT também, isso mesmo, devemos lutar para que a bondade ocorra, mesmo que o mundo seja injusto e violento. Por isso estão processados os policiais que abusaram de sua autoridade no Pinheirinho e os corruptos envolvidos.                    Bezerra de Menezes estava num mundo onde muitos defendiam que a escravatura era justa, ele era contra, pois ser contra era coerente com seu coração grande, e, com sua crença.
               Fora da caridade não a salvação - Filme Bezerra de menezes (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWFZb0d1UWpCb2M0JmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQj)
                     
                   
                 
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Conforti em 31 de Maio de 2012, 17:40
      Hcancela    (ref #115)

      Hcancela escreveu: Todo mundo fala em paz, Amor, que é bom, respeita o outro, não há guerra, q trata bem os animais e outras coisas tais, nomeadamente nos foruns, facebbok e outras coisas mais, mas não consigo ainda perceber de tanta bondade que todo Mundo diz que tem, mas o dito cujo, continua de uma forma bárbara. Porque será!?...

      Cel: meu amigo Hcancela, isso é assim porq cada um de nós é o que é (melhor oração para nos lembrarmos disso q o mundo é: “eu sou assim, vc é assim, eles são assim, o mundo é assim”). E porq somos todos assim? Porq, no contato de nossa natureza com a natureza do mundo ameaçador ao nosso redor, inconscientemente passamos a ter egoísmo, a “maior chaga da humanidade”, em nossa própria natureza. Desse mal, vêm todos os demais defeitos morais e somos o q somos porq a vida, exatamente a vida, com as experiências e lições q, incessantemente, nos proporciona, nos faz o q somos!
....................................................
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Gerbov em 31 de Maio de 2012, 18:44
Bom dia!
Como militar, gostaria de deixar meu singelo depoimento ao companheiro que julga ser incompatível ser militar e espírita.
Com todo o respeito, gostaria de lembrar primeiramente que a profissão exercida é tão passageira quanto a vida carnal e grande parte dos rótulos que carregamos. Quando afirmamos:- Sou o Dr. Fulano de Tal, pai de Beltrano e ciclano, nos referimos a atributos que estão revestidos da temporalidade e que identificam a personalidade com a qual o espírito se reveste na vida atual. Dito isto, devo dizer que assim encaro a profissão militar, como uma função temporária da qual estou investido e da qual prestarei contas pelo seu bom ou mau exercício, assim como responderão todos os profissionais independentemente da área abraçada.
Gostaria de lembrar ainda, da grande importância dos militares no movimento espírita brasileiro. Figuras como Manoel Vianna de Carvalho (Divaldo Pereira Franco escreveu diversas obras desse notável espírito) foi um verdadeiro bandeirante do espiritismo, perseguido em sua época pelo poderio da igreja mas que superando as adversidades foi fundador de humildes casas espíritas em diversas cidades do nosso país por onde passou em sua carreira militar. Ressalto aqui, o interessante e tocante fato, de que este militar fundou o primeiro centro espírita de Porto Alegre no bairro Partenon e que se serviu de uma casa abandonada para sediar a primeira reunião espírita naquela cidade, quando foi pra lá transferido ainda muito jovem como Tenente recém-formado, com a idade de 19 anos se não me falha a memória. Relata a história que sequer cadeiras existiam na casa abandonada naquela ocasião e que Vianna de Carvalho fizera ali a primeira exposição pública espírita daquela cidade.
Relembro ainda a personalidade de Edgard Armond, chamados por muitos de Comandante, que trouxe expressiva contribuição na divulgação da mensagem espírita através de seus diversos livros, do qual destaco Exilados de Capela, por ser um dos mais conhecidos no meio espírita.
Além disso, devo dizer que o próprio Bezerra de Menezes foi militar durante poucos anos, quando ostentou o posto de Cirurgião Mor do nosso exército, afastando-se da caserna por haver incompatibilidade entre a carreira militar e a política que resolvera então abraçar.
Deixo ainda meu testemunho pessoal de que boa parte das casas espíritas em regiões de fronteira do nosso país foram fundadas por militares e grande parte delas ainda hoje são presididas por militares que estão temporariamente servindo nessas longínquas regiões.
Testemunho ainda, que é expressivo o número de militares adeptos da crença espírita, fato que é facilmente observado por nós militares quando por ocasião das reuniões religiosas que são chamadas no meio militar de Páscoa dos Militares. Percebo ainda, depois desses 20 anos de profissão, que o sentimento religioso é uma tônica em nosso meio e imagino ser superior a diversos segmentos da nossa sociedade considerados mais "pacíficos".
Pelo meu discurso defensor da classe, talvez o amigo me julgue um apaixonado pela profissão militar, mas devo dizer que fui praticamente compulsado a sê-lo. Usei da minha liberdade relativa ao prestar o concurso e ainda hoje a poucos anos da aposentadoria, me esforço na tentativa de abandonar a carreira na busca de uma profissão menos beligerante, porém não obtive sucesso até o momento.
Peço desculpas pela longa postagem.
Um grande abraço




Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Zé Ninguém em 31 de Maio de 2012, 20:10
Olá Gerbov,
Parabenizo-o pela brilhante exposição.
Abraços
Susana
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 31 de Maio de 2012, 23:14
Vou tentar me explicar melhor:
Uma hora deverá haver paz na Terra, o objetivo aqui é pensar sobre isso e tentar acelerar o processo.
O militarismo está cheio de características que contrariam o cristianismo e o espiritismo, embora mesmo assim possam existir militares legais, principalmente voltados às atividades não-violentas, como construções e tarefas de bombeiros e defesa civil:

1-O serviço militar obrigatório, que desrespeita a liberdade. Lembro de quando passei por esse procedimento super burocrático e cansativo, era obrigado a esperar parado infinitamente e sem necessidade, eles passavam filmes de guerra e riam e faziam piadas quando havia alguma morte ou explosão. Fomos obrigados a fazer o teste de corrida e um menino que caminhava porque não conseguia correr foi humilhado e caçoado pelos militares.

2-Na esfera militar essa história de lei de liberdade e igualdade não tem valor, os inferiores são obrigados a obedecer ordens. Sabemos que essa hierarquia é uma bobagem e que os verdadeiros superiores não dão ordens, mas se comunicam de forma branda e respeitosa. É um teatro completamente alheio a realidade dos indivíduos.
 Jesus disse: "De maneira nenhuma jureis" e a disciplina militar está também baseada na violação disso, como no juramento à bandeira
 Vi numa página militar e espírita um caso em que um superior justificava as punições que dava a um soldado bêbado. Ele argumentava que mesmo bêbado o espírito tem responsabilidade por seus atos e merecia ser punido, mas esquecia que "ai daquele por quem se faz o escândalo" e que o epírito do soldado tem liberdade e cabe a Deus decidir o que ele merece.

3-As guerras.

4-As forças armadas surgiram e quase sempre serviram para defender os interesses de opressores. Ver a guerra do Iraque e os interesses colonialistas por petróleo. A ocupação do Haiti, detalhada antes nesse tópico. A ditadura militar no Brasil. O assassinato de Jesus e de cristãos primitivos.

Muitos dos males que existem são causados pela estrutura da sociedade (fome, miséria, depressão), se ela melhorasse (principalmente pela educação), os espíritos ignorantes que porventura aparecessem seriam arrastados pelo exemplo bom que veriam. Essa é a única forma de  resolver os problemas, porque ataca a causa, de maneira diferente da repressão.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 01 de Junho de 2012, 23:39
 :)   Muito bom texto, RTT, acho que foi bem claro e concordo com ele.

       Não achei incoerente com o amigo militar anterior que disse: " Usei da minha liberdade relativa ao prestar o concurso e ainda hoje a poucos anos da aposentadoria, me esforço na tentativa de abandonar a carreira na busca de uma profissão menos beligerante (grifo meu), porém não obtive sucesso até o momento. "
       
      Sabe por que?
      Porque o amigo militar está procurando uma profissão mais pacífica, "menos beligerante", mas fez bem em dizer isso que temos dito: é possível exercê-la bem e de modo mais coerente com o que a doutrina ensina, como ele mesmo citou o Bezerra de Menezes. Muitos médicos, enfermeiros e dentistas se tornam militares e com a farda se aventuram a ajudar e lutar pela saúde. Tem vários assim na história, deste nosso mundo ainda evoluindo, mas cada vez mais próximo do de regeneração.
       Acredito nisso também, RTT, que as forças armadas surgiram para defender interesses de opressores, veja quantos jovens americanos morreram na guerra do Iraque para que os negócios com petróleo da família Bush continuassem... Triste verdade de um mundo que ainda tem ser humano que explora ser humano. Veja as PMs massacrando no domingo sangrento as famílias pobres no Pinheirinho, enquanto negociações ainda ocorriam e a proposta de vários governantes (menos do prefeito) era urbanizar aquele bairro, só porque um corrupto grileiro, Naji Nahas, tinha um grande negócio para realizar ali.
       Também acredito que temos que lutar por um mundo que isso não ocorra, esta luta é ser coerente com o que acreditamos.
       Parabéns pelo texto, RTT.
       
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Joao Paulo Soares em 02 de Junho de 2012, 03:01
Caro Ricardo e Camila,

Supreende-me tal noção.. Mas o que dizem??!! Que vossas palavras não passem deste forúm..

É incrivel como após todo o tipo de explicações e até relatos pessoais, os amigos, continuam a confundir a causa com efeito..

Elevem-se pelo amor a Deus..

Se conhecem o Espiritismo, (pelo menos na sua vertente moral) conseguiam ter ideias afim de se, as discutir..

Sem conhecimento doutrinário, sem conhecimento histórico, sem conhecimento militar, vossas colocações são erróneas, e levam muitos outros visitantes a ter uma ideia errada sobre esta Verdade..

Sem ofensa, e tentando compreender a indulgência de outros para convosco, parem! Deixem de falar do que não sabem..

Belas palavras dos foristas Moura, Randolfo, Susana, Hcancela e Gerbov ( excelente post pessoal)..

Forte Abraço,



Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Conforti em 02 de Junho de 2012, 03:19
      Amigos,

      Camila T Cunha, em msg #121, escreveu: Não achei incoerente o amigo militar que disse: “Usei da minha liberdade relativa ao prestar o concurso e ainda hoje a poucos anos da aposentadoria, me esforço na tentativa de abandonar a carreira na busca de uma profissão menos beligerante, porém não obtive sucesso até o momento”.       

      Sabe por que? Porque o amigo está procurando uma profissão mais pacífica, "menos beligerante", como a doutrina ensina...

      Cel: esse é um modo interessante de colocar as coisas. Precisamos entender q, num mundo ameaçador, todos, queiram ou não, e dentro de suas possibilidades, procurem estar prontos para se defender frente a qualquer coisa q possa ameaçar sua felicidade, segurança, bens, entes queridos etc. Nós mesmos, não colocamos, em nossas casas, trancas, fechaduras, chaves, cadeados, alarmes, cercas elétricas, portões eletrônicos, cães bravos, guardas? Não fechamos portas e janelas, à noite? Não andamos, com cuidado e receio, pelas ruas desertas e escuras? Não estamos sempre pensando em não sermos vítimas de golpes de toda espécie, inclusive daqueles cuja função é servir e proteger a sociedade? Não estão bancos e carros-fortes, empresas e residencias protegidos por guardas bem armados?

      Assim, neste mundo, o homem se prepara para se defender, como também se preparam as sociedades, os estados, os países. Se não houvesse policiamento nas ruas e estradas, nem militares aguardando, nos quartéis, prontos para qualquer emergência, eu, vocês, todos estaríamos reclamando da incúria das autoridades políticas e prometendo não votar mais nelas.

      É verdade q, por parte dos q devem defender a sociedade, há inúmeros abusos q exigem punição; mas esse não é um “defeito” dos militares, pois são homens tão cheios de imperfeições como os demais. A diferença é q, qdo um civil (todos, de início, são civis) é investido de algum tipo de autoridade ou poder, ou se julga dele investido, pode, conforme seja mais ou menos imperfeito, abusar e praticar coisas absurdas.

      Mas, esse é um problema do ser humano e não de uma parcela dele, apenas.
...........................................             
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Joao Paulo Soares em 02 de Junho de 2012, 06:25
Vou tentar me explicar melhor:
Uma hora deverá haver paz na Terra, o objetivo aqui é pensar sobre isso e tentar acelerar o processo.
O militarismo está cheio de características que contrariam o cristianismo e o espiritismo, embora mesmo assim possam existir militares legais, principalmente voltados às atividades não-violentas, como construções e tarefas de bombeiros e defesa civil:

1-O serviço militar obrigatório, que desrespeita a liberdade. Lembro de quando passei por esse procedimento super burocrático e cansativo, era obrigado a esperar parado infinitamente e sem necessidade, eles passavam filmes de guerra e riam e faziam piadas quando havia alguma morte ou explosão. Fomos obrigados a fazer o teste de corrida e um menino que caminhava porque não conseguia correr foi humilhado e caçoado pelos militares.

2-Na esfera militar essa história de lei de liberdade e igualdade não tem valor, os inferiores são obrigados a obedecer ordens. Sabemos que essa hierarquia é uma bobagem e que os verdadeiros superiores não dão ordens, mas se comunicam de forma branda e respeitosa. É um teatro completamente alheio a realidade dos indivíduos.
 Jesus disse: "De maneira nenhuma jureis" e a disciplina militar está também baseada na violação disso, como no juramento à bandeira
 Vi numa página militar e espírita um caso em que um superior justificava as punições que dava a um soldado bêbado. Ele argumentava que mesmo bêbado o espírito tem responsabilidade por seus atos e merecia ser punido, mas esquecia que "ai daquele por quem se faz o escândalo" e que o epírito do soldado tem liberdade e cabe a Deus decidir o que ele merece.

3-As guerras.

4-As forças armadas surgiram e quase sempre serviram para defender os interesses de opressores. Ver a guerra do Iraque e os interesses colonialistas por petróleo. A ocupação do Haiti, detalhada antes nesse tópico. A ditadura militar no Brasil. O assassinato de Jesus e de cristãos primitivos.

Muitos dos males que existem são causados pela estrutura da sociedade (fome, miséria, depressão), se ela melhorasse (principalmente pela educação), os espíritos ignorantes que porventura aparecessem seriam arrastados pelo exemplo bom que veriam. Essa é a única forma de  resolver os problemas, porque ataca a causa, de maneira diferente da repressão.


Nada percebes do que falas caro ricardo, sem querer ofender..

1- O serviço obrigatório militar é um sinal de um povo inferior. Pesquise e verá quantos paises ainda o fazem.
2- na "esfera" militar o por onde nos regemos é exactamente no bem ao próximo, na comduta de bem com o próximo, sacrificamos pela liberdade que esse seu corpo nesse paìs vivencia.. ( mas lá vai alguma vex tu saberes)
3 - Essas guerras são graças a "idiotas" ( sem ofensa = ler qualquer dicionário a palavra idiota) como tu, pessoas que não percebem as coisas, e julgam que suas ideias são as mais correctas.. Mesmo assim dão-nos jeito, pois, se pode evoluir esse povo um pouco mais..

4- Realmente Iraque, não tem haver com o não vender petroleo, mas sim porque Hussein ameaçou vender o "seu" petroleo em Euros em vez de doláres! O maior exportador iraquiano era USA!
Os opressores "são maçonicos de 33º grau, baptizados(por eles mesmos) Illuminatti, que se regem por uma "doutrinia satânica".. A mesma que fez o vosso Lula gritar por uma "NOVA ORDEM MUNDIAL" e essa "idiota" da vossa presidenta que segue o mesmo rumo.. E essa mesmo que tanto sofreu nessa ditadura militar :) È de rir..

Sabe o que lhe sugiro? Esqueça lá isto de gurras, pois não tem cabalagem para ter todo conhecimento, mais vale ficar numa vibração zen, e seguir sua vida..
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 02 de Junho de 2012, 15:54
A Camila está nos devendo há muito tempo argumentos embasados na codificação espírita.

O ESPIRITISMO - porque estamos em ambiente espírita - justifica e explica tranquilamente as necessidades das leis e das forças armadas.

Camila simplesmente não quer enxergar isso e tenta exortar aos leitores que a profissão militar é menos digna de um espírita - ou menos digna sob todos os aspectos.

Camila fala de um mundo que não existe - um mundo sem militares. Só que no mundo que ela prega, ela não cita os malfeitores, os bandidos, as pessoas que pretendem ferir outras inocentes. Ela também não cita as forças estrangeiras que podem invadir - como invadem - terrritórios desprotegidos para explorar e escravizar os povos.

Camila nega não só o Espiritismo, como nega a História.

Eu é que faço um pedido aos companheiros - sob pena deste forum se transformar em bate-papo de assuntos aleatórios e divagações oníricas, peço que FUNDAMENTEM SUAS PALAVRAS CONSOANTE A CODIFICAÇÃO ESPÍRITA.

Além disso, me causa preocupação esse discurso de extinguir as forças de segurança: as pessoas que estão defendendo isso estão fazendo o que, efetivamente, pela paz mundial? Discutir em foruns virtuais?

O Espiritismo - assunto que nos interessa aqui - já nos tranquiliza quanto à licitude das forças militares e até da necessidade das guerras. Não nos estimula a elas, mas nos elucida com profundidade, sem emocionalismo ou demagogia.

Fico com o Espiritismo. Negá-lo é um ato de audácia fútil, se não vier com a devida e comprovada fundamentação.

Enquanto isso eu realmente queria ver esse pessoal andando pelas madrugadas numa cidade sem policiamento...
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Mourarego em 02 de Junho de 2012, 16:13
Pois é mano Randy,
Não chego a dizer que é um ato de audácia fútil, mas sim de audácia patrocinada exatamente pela ignorância ou inobservância do que a doutrina ensina.
Constantemente, lemos notícias de médicos que extraem do nariz, ouvido e de outros locais, moedas, grãos diversos, brinquedos, em crianças.
O porque disso responde bem, o que você coloca:
audaz
au.daz
adj m+f (lat audace) 1 Que tem audácia; atrevido, ousado, audacioso. 2 Que requer audácia; arriscado, temerário. Antôn: tímido, pusilânime.

No caso das crianças e quanto mais tenras ainda o sejam, esta audácia é produto do desconhecimento do medo, e das consequência s de seus atos.
Elas pensam e fazem, somente, não por maldade mas por ignorância.
Em nosso caso, neste tópico  a audácia está na inobservância do que a doutrina ensina, pois que já foi postada a própria doutrina e qual, a tônica continua no terra a terra.
Parece-me mesmo que para uns, quando a DE não remeta ao que "achem", ela simplesmente fica na poeira dos tempos e estes seguem dizendo oque lhes vá na telha.
Ora, qual a intenção de qualquer fórum que se destine a estudos e debates da doutrina?
ajudar para que todos possam ter uma visão melhor do que a doutrina, logo o Espiritismo nos tenha vindo instruir.
Se não aceitamos, ou não lhes damos atenção, prevalecendo nossa vontade, então para que nos dizermos espíritas, afinal não estamos mais avançados que os Espíritos Superiores.
Assim eu vejo essa coisa toda mano!
Abraços,
Moura
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 02 de Junho de 2012, 19:35
                 Acho que o amigo está me prejulgando, estudo a doutrina desde os 14 anos e tenho 39! Já fiz escolas mais de uma vez e escuto palestras toda semana. Talvez você não tenha entendido o que disse, mas nada do que disse é contraditório com a doutrina. Acho que estamos neste mundo de violências, que existe profissionais bons e outros que abusam, sejam militares, ou não. Todos os maus profissionais devem ser punidos, lógico.
               Contudo, um espírita, seja da profissão que for, deve ser o verdadeiro cristão, pois " do verdadeiro cristão reconhece-se o verdadeiro espírita", segundo passagem do Evangelho Segundo Espiritismo. Estes militares que ajudaram no domingo sangrento no Pinheirinho, podiam ter desobedecido estas ordens de um prefeito corrupto, por terreno de um grileiro corrupto, e, obedecido às ordens de um juiz federal, em vez de atirarem pelas costas do secretário de habitação nacional, que segurava esta ordem para que parassem o massacre. Com certeza estes não eram espíritas, ou, se eram, não entenderam nada do que estudaram por aqui, pois também no Evangelho diz: " Fora da Caridade, não há salvação".
              Fora isso, um militar disse por aqui que gostaria de estar numa profissão mais pacífica, ora, isso porque em seu íntimo a violência o incomoda. Ele já está evoluído para não querer obedecer, por exemplo, à prefeitos corruptos e fascistas. Isso é ser coerente com a doutrina.
              Acreditar e lutar por um mundo sem violência, não significa fechar os olhos para violência que existe, significa lutar pelo que o Evangelho Segundo Espiritismo ensina, já coloquei neste fórum a parte que diz sobre não matar sequer um malfeitor. Reconhecer que até hoje as forças armadas serviram para minorias, elites, e mataram inocentes, é um fato. Que devemos sonhar um mundo sem que elas existam, ou precisem existir, assim como já lutamos e sonhamos por um mundo sem escravos e outras atrocidades, faz parte do ser espírita!!  Bezerra de Menezes lutava contra a escravidão numa sociedade em que todos a defendiam como "natural", pois era coerente com a doutrina. Devemos falar sobre o que acreditamos e se acreditamos num mundo de Amor, sem exploração do homem pelo homem, sem forças armadas para defenderem elites exploradoras, devemos falar! Mesmo que isso ainda não exista e que o mínimo que pode haver são militares preocupados com o próximo, sem abusarem do poder.
            Não disse que todo militar não presta ou generalizei,  na história tivemos militares que lutaram por justiça social, etc. Apenas um militar espírita deve ser coerente com o "fora da caridade, não há salvação" e não se deixar usar por governantes fascistas, corruptos, ou por problemas com seu ego.
                 
               BEZERRA DE MENEZES : "FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO" (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWFmcG9zOXNpajZNIw==)
             
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Hebe M C em 02 de Junho de 2012, 20:36
Meu Deus,
O que esse tópico virou!!!!
Uma guerra hehehe!!! Só falta enfiar o evangelho goela abaixo.

Gente, toda explicação do porquê existe a guerra, o porquê da necessidade de haver policia e militares é bem simples, estamos num planeta de provas e expiações onde o mal impera.

E tem mais, impera em qualquer profissão, no médico relapso que mata, no político corrupto que mata milhões de fome e falta de saúde e estudo com o desvio de dinheiro, na professora que não ensina, na mãe que negligencia a educação dos filhos, na faxineira que não higieniza direito um quarto de Hospital, na enfermeira negligente que não administra direito o medicamento, nos sacerdotes e ditos filósofos que exploram multidões com crenças em benefício próprio, querem mais?

Agora, me diga quem além de Cristo seguiu e viveu o evangelho à risca?
Poucos se aproximaram disso e por isso mesmo são destaque neste mundo e assim mesmo quando são notados, isto está em OLE, porque muitas vezes nem são percebidos ou acreditados.

Militar, professor, padre, pastor, pedreiro, sapateiro, não importa, tem gente ruim e gente boa e todos interferem de alguma maneira na coletividade, além de serem todos necessários e cada qual com  o seu valor. Nem vejo necessidade de destacar um único segmento especificamente.

Falta estudo da Doutrina aqui, e muito.









Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 02 de Junho de 2012, 22:17
Citar
Acho que o amigo está me prejulgando, estudo a doutrina desde os 14 anos e tenho 39! Já fiz escolas mais de uma vez e escuto palestras toda semana.

Você já disse isso, neste mesmo tópico. Só que espírita não vive de currículo. Todos os presidentes anteriores da FEB tinham anos de Espiritismo, segundo eles, e no entanto eram todos roustanguistas... E aí, do que isso valeu? Curriculo de espírita não se baseia em anos nem em cursos, mas na compreensão intelectual da codificação e esforço particular e individual na sua vida moral.

E você também já disse sobre Bezerra de Menezes.

O que você não disse, foram argumentos codificados para o que você vem defendendo quase solitariamente.

Honestamente, com certeza eles não virão.

E não te respondo para tentar te convencer, mas para ajudar no esclarecimento das centenas de pessoas que vieram ler este tópico e se sentiram lesadas pelas distorções da letra da codificação.

E sobre militares espíritas não seguirem líderes... Bem, você está pregando insubordinação ou golpe de Estado? Ainda não estou bem certo, mas, saiba - foi o mesmo argumento que Hugo Chavez, Kadafi, Saddam e Hitler utilizaram para subir ao poder. TODOS eram militares de origem e TODOS se insurgiram contra o que ELES JULGARAM SER injustiça e opressão.

Então, fica a pergunta que fiz lá no inicio: quem julga qual lei serve ou não? Um militar?

Mas, felizmente sua teoria - que mete o pau literalmente nos militares e NÃO DIZ NADA SOBRE OS CRIMINOSOS - não prevalece, ou eu não poderia sequer sair de casa daqui a pouco para comer uma pizza com minha esposa em uma cidade sem policiamento armado. Sim, Camila, porque os bandidos não assaltam nem matam com o Evangelho Segundo o Espiritismo nas mãos...
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 03 de Junho de 2012, 00:52
Vocês podem me chamar de idiota, moralista e hipócrita e eu sou tudo isso junto, mas vocês demonstram ser incapazes de analizar e refutar analiticamente o que eu escrevi. Só ficam fazendo ataques pessoais malignos e tangenciando o tema.

"as pessoas que estão defendendo isso estão fazendo o que, efetivamente, pela paz mundial? Discutir em foruns virtuais?"
Em 02/06/2012,  RTT escreve 1,364 mensagens por dia; Camila T Cunha, 0,609 mensagens por dia; Randolfo - NEFCA, 6,882 mensagens por dia.
Quem é que fica discutindo mais em foruns virtuais agora? Mas eu não acho que fazer isso seja ruim e vou dar algumas sugestões para agir pela paz mundial:
Pode-se conscientizar outras pessoas (algo muito importante que está explicado na codificação, incluindo os foruns);  escrever para autoridades e fazer abaixo assinados (estratégia bastante limitada, já que muitas vezes é ignorada); boicotar formas de apoio à violência como produtos do mcdonald, nike, coca-cola, muitos produtos chineses,etc.; desenvolver alternativas a essas formas; agir diretamente em casos específicos.

E os fatos que eu falo estão conforme às leis morais, principalmente de destruição, progresso, liberdade, amor, justiça e caridade, ao contrário das acusações que são feitas baseadas em interpretações destorcidas-burguesas-positivistas-reacionárias desses textos.


Segundo a wikipedia, Conscrição é um termo geral para qualquer trabalho involuntário requerido por uma autoridade estabelecida, mas ao que é mais frequentemente associado é ao serviço militar obrigatório.
Lembro que quando me livrei de vez dessa chatice, caminhei pelas ruas quase saltitando de tanta alegria.
Mapa:
(https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/e/ea/Conscription_map_of_the_world.svg)
verde- Sem forças armadas

azul- Sem conscrição

laranja- Abolição da conscrição em três anos

vermelho- Conscrição

cinza- Sem dados

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 03 de Junho de 2012, 03:28
Eis um claro exemplo de distorção e falácia sobre palavras concretas:

Citar
"as pessoas que estão defendendo isso estão fazendo o que, efetivamente, pela paz mundial? Discutir em foruns virtuais?"
Em 02/06/2012,  RTT escreve 1,364 mensagens por dia; Camila T Cunha, 0,609 mensagens por dia; Randolfo - NEFCA, 6,882 mensagens por dia.
Quem é que fica discutindo mais em foruns virtuais agora? Mas eu não acho que fazer isso seja ruim e vou dar algumas sugestões para agir pela paz mundial:

Eu vou precisar explicar onde está aqui a distorção e sofisma? Eu questiono a "militância" de quem defende a paz mundial, o fim do militarismo, desejando saber até onde esse discurso é apenas mais uma teoria bonita de internet e vejam a resposta que obtive... O que é que a minha participação aqui, onde eu NAO DEFENDO o fim do militarismo e uma suposta paz mundial de Poliana tem a ver com o número de postagens que eu realizo?

RTT, com essa demonstração, fique tranquilo: vou manter minha regra pessoal sobre com que foristas eu discuto. Meu critério é sabido por todos. É, portanto, minha ultima resposta a você.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 03 de Junho de 2012, 03:44
 E segundo a afirmação extremamente fascista do nosso companheiro, toda a parte vermelha do mapa representa povos inferiores que merecem ser tratados de forma totalitária, já que não estão em condições de contestar isso efetivamente.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Paulo Cortez em 03 de Junho de 2012, 17:15
O Livro dos Espíritos justifica e explica a necessidade da guerra, do militarismo, da obediência às ordens superiores e etc, mas indica os limites, a transitoriedade do sistema e o caminho a seguir para nos libertarmos desses “atrasos”.

O que tem ficar claro é o atraso em que vivemos.

O convívio com as armas e a violência é um atavismo que deve ser eliminado por esforço pessoal.

“Não existe caminho para a paz, a paz é o caminho.” Se não me engano foi Ghandi que cunhou a frase.

Para mim militar bom, é militar bom, porém são raros e por falar nisso, se pudessem, aqui, já nos teriam prendido por desacato, desobediência civil, insurgência e etc, com o amparo dos arautos da lei de destruição.

Os homens são melhores ou piores em qualquer profissão isso é verdade, mas algumas tem suas características muito claras, já indicando as tendências de quem as incorpora.

Ao contrário de outros tópicos, esse não terá pontos de convergência, não consigo enxergá-los, porque pessoalizamos a discussão.
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Joao Paulo Soares em 04 de Junho de 2012, 00:14
Caro ricardo,
 Ainda bem que ficou livre do serviço militar..
 As vossas e todas forças armadas, deviam ser formadas por irmaos voluntários..
 Ninguem lhe quer o seu mal e jamais querer ofende-lo..
 Que tal debatermos a Lei da Destruição, de questão em questão, não só o subcapítulo de "Guerra", mas toda esta Lei, e juntamente dando a nossa opinião pessoal e sinalizada, e assim aprendermos um pouco uns com os outros? O que acha?

O Livro dos Espíritos justifica e explica a necessidade da guerra, do militarismo, da obediência às ordens superiores e etc, mas indica os limites, a transitoriedade do sistema e o caminho a seguir para nos libertarmos desses “atrasos”.

"O Livro dos Espíritos justifica e explica a necessidade da guerra, do militarismo(...)"

Nada disso de lhe diz o Espiritismo. Apenas lhe indica a causa, os efeitos, e o porquê! 


Para mim militar bom, é militar bom, porém são raros e por falar nisso, se pudessem, aqui, já nos teriam prendido por desacato, desobediência civil, insurgência e etc, com o amparo dos arautos da lei de destruição.


 Muito Obrigado! Mas provalvelmente seriam indulgentes para consigo..

Ao contrário de outros tópicos, esse não terá pontos de convergência, não consigo enxergá-los, porque pessoalizamos a discussão.

E que tal discutirmos o tópico com os saberes nos dados? E podemos dar relatos pessoais e opinioes pessoais para melhor compreensão? O que acha?

Forte Abraço,

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: rtt em 04 de Junho de 2012, 01:01
Eis um claro exemplo de distorção e falácia sobre palavras concretas:

Citar
"as pessoas que estão defendendo isso estão fazendo o que, efetivamente, pela paz mundial? Discutir em foruns virtuais?"
Em 02/06/2012,  RTT escreve 1,364 mensagens por dia; Camila T Cunha, 0,609 mensagens por dia; Randolfo - NEFCA, 6,882 mensagens por dia.
Quem é que fica discutindo mais em foruns virtuais agora? Mas eu não acho que fazer isso seja ruim e vou dar algumas sugestões para agir pela paz mundial:

Eu vou precisar explicar onde está aqui a distorção e sofisma? Eu questiono a "militância" de quem defende a paz mundial, o fim do militarismo, desejando saber até onde esse discurso é apenas mais uma teoria bonita de internet e vejam a resposta que obtive... O que é que a minha participação aqui, onde eu NAO DEFENDO o fim do militarismo e uma suposta paz mundial de Poliana tem a ver com o número de postagens que eu realizo?

RTT, com essa demonstração, fique tranquilo: vou manter minha regra pessoal sobre com que foristas eu discuto. Meu critério é sabido por todos. É, portanto, minha ultima resposta a você.

Acho que o grifo desmente sua acusação. Foi questionada a eficácia de usar a conscientização através do fórum e eu simplesmente respondi que isso (em destaque o estudo das leis morais) é algo recomendado na obra de Kardec e até você deve concordar pelo teor de mensagens que escreve, o que não tem nada de ruim ou errado.

Citar
Caro ricardo,
 Ainda bem que ficou livre do serviço militar..
 As vossas e todas forças armadas, deviam ser formadas por irmaos voluntários..
 Ninguem lhe quer o seu mal e jamais querer ofende-lo..
 Que tal debatermos a Lei da Destruição, de questão em questão, não só o subcapítulo de "Guerra", mas toda esta Lei, e juntamente dando a nossa opinião pessoal e sinalizada, e assim aprendermos um pouco uns com os outros? O que acha?

Olá João Paulo, obrigado pelas palavras. Podemos sim debater de forma fraterna sobre esta Lei, que já foi tratada aqui em páginas anteriores, sem contudo esquecer das outras.
Repito que recomendo a leitura do livro O reino de Deus está em vós (em anexo) e que não quero ser considerado como um "inimigo" .Um abraço

Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 04 de Junho de 2012, 14:26
            RTT, obrigada por nos trazer Tolstoi, um dos gênios da humanidade, já abaixei.
            Acho que às vezes falo grego, ou uma língua que só você entende... Imagino que você fale uma língua que só eu entenda também.
            Interessante que bem onde o serviço militar é obrigatório temos países subdesenvolvidos. Isso porque as elites querem isso mesmo: gente do povo lutando por ela, aliás, pelos bens dela, infelizmente.
            Hoje estava conversando com um amigo meu que é espírita desde sempre, há uns 10  educador, trabalha comigo na educação, e foi militar por 19 anos. Ele foi policial ambiental e  me contou como sempre foi coerente com a doutrina, numa época que ninguém multava ricos e autoridades, ele multava. Foi chamado diversas por seus comandantes para retirar as multas, e ele não as retirava, o que era certo, era certo, independente de ser rico ou pai de governador. Nunca aceitou propina e sofreu riscos de vida quando enfrentou garimpeiros. Quando algumas vezes pegava um caçador com caça e este dizia que era para matar a fome da família, ia até a casa dele e verificava: se constatava pobreza não o multava, aliás, porque na lei há garantia da caça para famélicos. Ele sempre foi coerente com a doutrina. Era sobre um militar assim que falava: coerente com a doutrina, ou seja, o cristianismo.
             Se os militares do Pinheirinho fossem coerentes com a doutrina: não fariam o que fizeram. E isso não me refiro apenas aos abusos e violências que ocorreram, mas depois que lessem aquele pedido do juiz federal para que não houvesse a reintegração - inclusive porque nele estava escrito que terreno urbano tem que ter função social, e, o grileiro Naji Nahas nunca deu função social ao terreno, mas aquelas famílias, todas na fila para habitação, davam - os militares não invadiriam e massacrariam crianças, idosos, mulheres, com suas balas de borrachas!  Obedecer ao juiz federal, em vez do estadual, seria o mais coerente com a doutrina.
             SE todos disseram que estamos num mundo onde ainda há necessidade de militares, então, o que digo e repito, é que sejam como meu amigo: coerentes com a doutrina. Não são apenas os militares que devem ser? Não são, todos nós devemos isso, lógico! Mas os militares possuem armas, força e militares sem bondade no coração fazem estragos bem  maiores, enquanto um médico ruim mata um, militares matam e traumatizam muitos. Como vem ocorrendo nos estados de SP e Rio, que vem sendo denunciado por ongs, como " As Mães de Maio" e "Tortura Nunca Mais". Não são poucas mortes, são milhares, e, o pior: de jovens pobres, em situação de vulnerabilidade social, mas como muitos processos denunciam, que não eram drogados, alguns sequer bebiam por serem evangélicos, etc, trabalhavam, estudavam... Ou seja, apesar de tudo para se perderem pelo meio, estavam superando isso pela força moral. Então, por serem pobres, levam tiros e morrem sem entenderem nada. Um espírita deve concordar com isso, esta injustiça? Digo que não.
          Isso não deve ser mudado? Todo espírita verdadeiro dirá que sim, devemos lutar para que mude e o que disse e repito, que por enquanto mude transformando os militares antes e  durante  sua profissão. Um dia, num mundo melhor, eles não serão necessários porque ninguém irá poluir um rio com mercúrio ou dar drogas para uma criança.
          Está escrito na doutrina? Em boa parte do Evangelho Segundo Espiritismo está escrito sobre sermos mansos e pacíficos, misericordiosos, fazermos ao próximo o que gostaríamos que nos fizessem, além de: "Reconhece-se o verdadeiro espírita, pelo verdadeiro cristão, ou seja, por suas obras de amor".
          Simples assim. Por que complicam tanto isso?
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Camila T Cunha em 04 de Junho de 2012, 14:38
                    RTT, li o texto que enviou, acho que resume toda a questão da coerência com a doutrina, principalmente esta frase: "Para Tolstoi, o cristianismo não é uma doutrina abstrata (para se saber), mas uma proposta prática (para se viver)".
                    É isso. Aliás, falando em literatura, no "Anna Karenina", Levi está sempre conversando com Deus enquanto observa a natureza, os homens, e redescobre Deus fora das Igrejas, mas no cotidiano da vida.
                   
Título: Re: Militares espíritas
Enviado por: Randolfo - NEFCA em 05 de Junho de 2012, 01:10
Bem, de sorte que temos militares e pessoas que desobedecem ordens judiciais são punidas por isso...

E que bom que podemos caminhar pelas noites protegidos pela força policial. E que bom ainda que a Doutrina Espirita autoriza e justifica tudo isso.

Enquanto isso, os bandidos são santos...