Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Tópico iniciado por: eldercoutinho em 17 de Dezembro de 2012, 01:08

Título: Corpos incorruptos?
Enviado por: eldercoutinho em 17 de Dezembro de 2012, 01:08
Qual a opinião de vocês sobre os corpos incorruptos?

Corpos de Santos Incorruptos. (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD9nbD1CUiZhbXA7aGw9cHQmYW1wO3Y9WWtwTC1KRkRlaWcj)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Corpo_incorrupto
Título: Re: Corpos incorruptos?
Enviado por: filhodobino em 17 de Dezembro de 2012, 01:23
Mitos de origens mais antigas que os dos próprios Egipcios absorvidas pelas tradições orais...Nada mais...Saúde e paz!
Título: Re: Corpos incorruptos?
Enviado por: jsoranz em 17 de Dezembro de 2012, 19:03
No livro de Joana Darc.
Conta que o coração dela encontra-se incorrupto ate hoje.

A explicação seria que um espirito que éra muito grato a ela... (no momento da morte se agarrou com tanto amor ao coração dela, que ele recebeu essa carga energetica muito positiva)... O que fez com que ele se mantivesse assim



Abs
Título: Re: Corpos incorruptos?
Enviado por: hcancela em 17 de Dezembro de 2012, 19:42
Olá amigos(as)

No Espiritismo os corpos são temporários tal e qual a ciència afirma e as evidências o confirmam. Tudo perece só o Espirito é eterno; Aliás não perece apenas se transforma, só para ser mais correto. ;D

Tentar explicar o porquê de um corpo demorar a se detiorar tem a ver com o campo da ciência.

Este um dos depoimentos da ciência do porquê corpos(incorruptos) se é que isto existe.

Depende de onde ele está. A decomposição pode ser afetada por fatores como a humidade, a temperatura e a presença de animais. No corpo, o processo costuma ser o mesmo: primeiro, ocorre a autólise, quando as células param de se oxigenar e o sangue é invadido por dióxido de carbono. O pH diminui e dejetos acumulados envenenam e destroem as células. Depois, enzimas “quebram” essas células, provocando a necrose  fazendo o corpo apodrecer de dentro para fora.

Saudações fraternas
Título: Re: Corpos incorruptos?
Enviado por: antevazin em 18 de Dezembro de 2012, 02:08
Existem algumas variaveis, todas cientificas, porem a que mais influi é o ambiente em que se encontra o corpo.
Título: Re: Corpos incorruptos?
Enviado por: Anton Kiudero em 18 de Dezembro de 2012, 02:17
Paramahansa Yogananda   Um Iogue na Vida e na Morte

Paramahansa Yogananda entrou em mahásamádhi (a derradeira vez que um iogue abandona conscientemente seu corpo) em Los Angeles, na Califórnia, em 7 de março de 1952, após concluir seu discurso num banquete em homenagem a Sua Excelência Binay R. Sen, embaixador da Índia. O relato da partida do muito amado iogue apareceu no número de março de 1952 de SeIf Realization Fellowship Magazine (Los Angeles) e no semanário Times de 4 de agosto de 1952.

O grande instrutor mundial demonstrou o valor da ioga (técnicas científicas para chegar à percepção de Deus como realidade) não apenas em vida, mas também na morte. Semanas após haver partido, sua face inalterada brilhava com o divino esplendor da incorruptibilidade.

O sr. Harry T. Rewe, diretor do Cemitério de Forest Lawn, de Los Angeles (onde o corpo do grande mestre jaz temporariamente) enviou a SeIf Realization Fellowship uma carta com firma reconhecida, da qual são extraídos os seguintes trechos:

“A ausência de quaisquer sinais visíveis de decomposição no cadáver de Paramahansa Yogananda constitui o mais extraordinário caso de nossa experiência... Nenhuma desintegração física era visível no corpo, mesmo vinte dias após a morte... Nenhum indício de bolor revelava se em sua pele e nenhum dessecamento (secagem) ocorreu nos tecidos orgânicos. Tal estado de preservação perfeita de um corpo, até onde vão nossos conhecimentos dos anais mortuários, é algo sem paralelo... Ao receber o corpo de Yogananda, os funcionários do cemitério esperavam observar, através da tampa de vidro do caixão, os costumeiros e progressivos sinais de decomposição física. Nossa admiração crescia à medida que os dias passavam sem trazer qualquer mudança visível no corpo em observação. O corpo de Yogananda permanecia evidentemente num estado fenomenal de imutabilidade.

“Nenhum odor de decomposição emanou de seu corpo em qualquer tempo ... A aparência física de Yogananda em 27 de março, pouco antes de colocar se a tampa de bronze no ataúde, era a mesma de 7 de março. Ele parecia, em 27 de março, tão cheio ' de frescor e intocado pela corrupção, como na noite de sua morte. Em 27 de março, não havia, em absoluto, motivo para se afirmar que seu corpo sofrera qualquer desintegração física visível. Por estas razões, declaramos novamente que o caso de Paramahansa Yogananda é único em nossa experiência.”



Este é um fato recente, bem documentado e publico. Transcrito do livro "Autobiografia de um Iogue Contemporâneo"