Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Tópico iniciado por: marceloassis77 em 19 de Outubro de 2012, 14:42

Título: Preconceito
Enviado por: marceloassis77 em 19 de Outubro de 2012, 14:42
(http://www.feparana.com.br/imgs-mec/topo-14.jpg)

Aconteceu num voo da British Airways entre Johanesburgo, na África, e Londres, na Inglaterra.
Uma senhora branca, de uns cinquenta anos, senta-se ao lado de um negro.
Visivelmente perturbada, ela chama a comissária de bordo.
Qual é o problema? - Pergunta a moça.
Mas, você não está vendo? - Responde a senhora. Você me colocou ao lado de um negro. Eu não consigo ficar ao lado de gente desta classe. Quero que você me dê outro assento.
Por favor, acalme-se. Quase todos os lugares deste voo estão tomados. Vou ver se há algum lugar disponível.
A comissária se afasta e volta alguns minutos depois.
Minha senhora, como eu suspeitava, não há nenhum lugar vago na classe econômica. Conversei com o comandante e ele me confirmou que não há mais lugar na classe executiva. Entretanto, ainda temos um assento na primeira classe.
Antes que a senhora pudesse fazer qualquer comentário ou esboçar um gesto, a comissária continuou:
É totalmente inédito o fato de a companhia conceder um assento de primeira classe a alguém da classe econômica. Contudo, dadas as circunstâncias, o comandante considerou que seria verdadeiramente vergonhoso alguém ser obrigado a se sentar ao lado de uma pessoa intratável.
E, dirigindo-se ao senhor negro que, até aquele momento ficara sempre calado, ouvindo as agressões da senhora, que parecia tão distinta, a comissária complementou:
Senhor, se for de sua vontade, faça o favor de apanhar os seus pertences e me acompanhar. Eu o encaminharei para um assento na primeira classe, que está à sua espera.
E todos os passageiros ao redor, que acompanhavam a cena, muito chocados, levantaram-se e bateram palmas.
*   *   *
O preconceito é próprio dos orgulhosos. Expressa, em verdade, a estreiteza de visão da criatura.
Todos os seres humanos são formados dos mesmos elementos. Têm as mesmas necessidades, como seja de comer, beber, dormir, amar e sonhar.
Não há, pois, motivo algum para que alguém se julgue mais importante ou superior a quem quer que seja.
Qual a importância da cor da pele? Se apagarmos as luzes de uma sala cheia de pessoas e nos tocarmos no escuro, saberemos distinguir os brancos dos negros e esses dos amarelos?
Se chegássemos em uma aldeia indígena, onde os seus componentes jamais tivessem visto um homem branco, eles nos estranhariam. Reclamariam da palidez da nossa pele e seríamos ali um elemento muito diferente.
Que se diria se, em um canteiro de rosas viçosas, abertas, perfumadas, as de cor vermelha, aveludadas, desprezassem as amarelas? Não acharíamos grande tolice?
Pois o mesmo se aplica aos seres humanos.
*   *   *
A única superioridade que devemos perseguir, com ardor, é a superioridade moral.
Ela nos conferirá fraternidade, amor e justiça, afastando de nós todo preconceito, egoísmo e orgulho, porque nos elevará à condição de verdadeiros filhos de Deus.
 
Redação do Momento Espírita, com base no
artigo Racismo, de autoria desconhecida.
5.9.2012.

http://doutrinafilosofica.blogspot.com.br/
Título: Re: Preconceito
Enviado por: Antonio Renato em 21 de Outubro de 2012, 00:15
Meu nobre irmão Marcelo.Eis aí uma boa reflexão,o que pensar dos preconceitos,e em se
tratando da cor da pele,só a vê diferente aquele que não sabe destinguir a sua própia cor;pois sua visão é egoista e seus sentimentos inferiores.Na verdade quando alguém se coloca no seu
julgamento,superior aos demais,é porque o seu padrão moral é bem inferior ao de quem ele vê
de uma forma preconceituosa.É assim que eu penso.
Fique na paz.
Título: Re: Preconceito
Enviado por: Vitor Santos em 21 de Outubro de 2012, 13:38
Olá

Permitir que uma pessoa trate as outras pessoas como se de seres inferiores se tratasse, já está fora dos limites da tolerância.

Cada um pode pensar o que bem entender, não pode é prejudicar os outros por isso. O problema moral é com a própria pessoa. Se a justiça divina se encarrega dela ou não, é um problema que não está nas nossas mãos.

O que podemos fazer, para além de dar um bom exemplo moral de nós mesmos,  é ao nível da justiça terrena e não da justiça divina, tal como acontece na história em referência. Os que se constituem como juízes no âmbito da justiça divina, estão no seu direito, mas, em regra, expressam uma outra forma de nociva de orgulho: pensam que são os donos da verdade.  Não se confunda, contudo, a discussão dos bons princípios morais, sem qualquer pretensão de julgar e acusar moralmente pessoas concretas, com julgamento moral.

O exemplo deste belo texto que abriu o tópico aborda um tema em que o orgulho, no sentido de se considerar mais do que o próximo, é muito evidente. Mas, sob várias formas, umas mais subtis outras mais evidentes, é dos maiores contributos para a infelicidade humana.
 
Embora sob a forma de preconceito, a descriminação é um instrumento que serve para desvalorizar os outros, para depois os poder subjugar e/ou mesmo escravizar, ou para os colocar fora de condições de concorrência. O orgulho e o egoismo andam sempre de mãos dadas.

A crença em Deus e, sobretudo, no principio de que todos os espiritos, encarnados ou desencarnados, são igualmente importantes para Deus, ou seja, o principio da imparcialidade divina, coloca uma grande responsabilidade às costas dos que querem ser exemplificar um comportamento espirita.

Mas a ideia de igualdade de direitos e oportunidades entre todas as pessoas, vai para além das crenças espirituais e religiosas. É uma obrigação de todos, sem excepção. É a diferença entre ser um pessoa decente e uma pessoa indecente.

Mesmo que se chegasse à conclusão cientifica de que o homem é apenas um corpo de carne, o que não é provável, isso não justifica ter o direito de se comportar como sendo superior aos outros. Ter bons valores éticos, para além das vantagens na felicidade, ainda na Terra, e depois da morte do corpo, é algo que a humanidade valoriza, mesmo fora do ponto de vista moral, porque é difícil e belo. Tal como se valoriza um grande artista por uma obra muito bela, que não está ao alcance de qualquer um.

Toda a gente aprecia o altruismo. A maldade vigora na Terra, mas, ao mesmo tempo, Jesus de Nazaré nunca foi esquecido. Francisco de Assis nunca foi esquecido, bem como muitas outras pessoas altruístas que pisaram este planeta.

Se os espíritas têm razões maiores para garantir os valores éticos ou morais, os materialistas também têm a obrigação de os manter. No fundo isso é que faz os seres humanos serem diferentes dos animais. Têm a possibilidade de decidir o seu destino e optar por ideais nobres em vez de se deixarem submeter apenas à lei da força.

Eu creio que os animais têm alma, não os vejo como simples coisas, mas não têm nenhuma liberdade de decisão(?). A não ser que gostemos de nos ver a nós mesmos como bestas, valorizamos os bons valores éticos.

bem hajam
Título: Re: Preconceito
Enviado por: Claudemir dos Santos em 22 de Outubro de 2012, 10:43
Meus irmãos,levantemos a mão para o alto e agradeçamos a Deus por ter nos endereçados a esta doutrina bendita,pois a nossa alma agradece,por fim a Doutrina da reencarnação nos leva a meta final da evolução espiritual,bendita reencarnação,que nos purifica a ferro e fogo,e nos dá milhões de razões para sermos melhores,preconceito...preconceito...até guando vai perdurar,mas acredito eu que logo terá fim, pois neste nosso Brasil em que nossa senhora Mãe de Jesus,permitiu ser cultuada e respeitada numa imagem negra e sendo intitulada padroeira e rainha do Brasil,nos encaminhara a todos nós a verdadeira fraternidade,sem mais preconceito ou desrespeito a todos os irmãos.  Muita paz a todos