Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Tópico iniciado por: Victor Passos em 19 de Outubro de 2010, 17:18

Título: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 19 de Outubro de 2010, 17:18
Ola muita paz


“Os vícios entram tanto na composição das virtudes como os venenos na dos remédios .”                                                                               François La Roche foucauld

CONCEITOS

   Droga - (do francês drogue, provavelmente do neerlandês droog, "seco, coisa seca"), narcótico, entorpecente ou estupefaciente são terminologias que designam substâncias químicas que causam adulterações dos sentidos.
Droga, no sentido original, envolve enorme abundância de substâncias, que vai do carvão à simples aspirina. Seja qualquer produto alucinógeno (ácido lisérgico, mescalina etc.) que leve à dependência química e outra substância ou produto tóxico (fumo, álcool etc.) de uso exagerado, são também sinônimo como entorpecentes.

   Dependência -  É a tendência de o Ser humano consumir droga de forma contínua ou cíclica (frequentemente) para obter prazer. Existem também indivíduos que usam constantemente determinada  droga para abrandar tensões, ansiedades, medos, sensações físicas, desagradáveis, etc. O dependente distingue-se porque não consegue dominar-se  no consumo de drogas, opera impulsivamente e recorrente. Essa vinculação subordinada  apresenta-se  de duas formas,física e  psicológica.

   A dependência física – Distingue-se pelos sintomas físicos que aparecem quando a pessoa deixa de tomar a droga ou diminui bruscamente o seu uso: é a síndrome de abstinência. Os sinais e os sintomas de abstinência dependem do tipo de substância utilizada e aparecem em algumas horas ou dias após ter sido consumida pela última vez. Nos dependentes do álcool, por exemplo, a abstinência pode provocar tremores, náuseas, vômitos e até um quadro de abstinência mais grave denominada "delirium tremens", com risco de morte, em alguns casos.

   A dependência psicológica corresponde ao desconforto do dependente quando interrompe o uso de uma droga. Os sintomas são, ansiedade, sensação de vazio, dificuldade de concentração, mas que podem variar conforme o individuo.Existe medicação atualmente, que permite nos casos de dependência física poderem ser tratados.

No entanto o que geralmente faz com que uma pessoa volte a usar drogas é a dependência psicológica, de difícil tratamento e não pode ser resolvida de forma relativamente rápida e simples como a dependência física.

•   Overdose – É o termo cientifico usado para designar o excesso no organismo de grandes doses de substâncias químicas, seja um medicamento, droga ou outra substância qualquer. É no fundo a denominação para o abuso agudo a doses excessivas de uma droga, incidindo ou não com a intoxicação, isto é, havendo ou não sinais e sintomas clínicos que debilitam o organismo, provocando a falência de órgãos vitais como coração e pulmões.
O corpo humano tem limites. Os sintomas da overdose geralmente são: problemas respiratórios e perda de consciência. A overdose é fatal em vários casos e uma das principais causas de morte dos dependentes químicos.
•   Metadona - Produzida em laboratório, tem um efeito mais prolongado que a heroína, é um poderoso analgésico e é tomada apenas uma vez ao dia sem que o paciente tenha sintomas de "ressaca", sendo esta a sua grande propriedade. É administrada por via oral e permite um melhor controlo sanitário.
Não causa danos físicos no cérebro, nos rins e nos ossos. Tem alto poder aditivo, ainda que este seja inferior ao da heroína. Por ser tóxica e poder gerar comportamentos a sua administração tem de ser cuidadosa e vigiada por técnicos. A toma de doses extra de metadona e a mistura com sedativos ou álcool aumentam o risco de overdose.
 As vantagens da sua prescrição é de poder ser integrada em programas de tratamento da redução do uso de droga ilícita, a diminuição do consumo de opiáceos ilegais, dos comportamentos criminosos e da mortalidade dos toxicodependentes. Além disso, os doentes organizam mais facilmente outros aspectos das suas vidas.
INTRODUÇÃO
“Aquele que dependeu apenas de si mesmo e pode, em tudo, ser tudo para si, é o que se encontra em melhor situação.”   
 Fonte: "Aforismos sobre a Sabedoria da Vida" , Arthur  Schopenhauer
     A droga é um flagelo complexo e destruidor. Milhares de jovens e adultos, sentem-se atraídos pela ilusão que ela incute no seu psiquismo, impulsionados pela indução a que ela os envolve, porém muitas das vezes nem refletindo da gravosa atitude a que se submetem.
   Uns pela desventura social, outros pela busca duma felicidade que não passa de uma mera fuga de si mesmos , mutilando suas vidas e daqueles que os amam ,os seus Familiares.
  Mas afinal que fazer perante esta fatalidade que aumenta , vejam-se as estatisticas da no mais recente relatório da Organização das Nações Unidas sobre o consumo de drogas no mundo, publicado no final de Junho, cerca de 200 milhões de pessoas, representando cerca de 5% da população mundial com idades compreendidas entre os 15 e os 64 anos, consumiram drogas ilícitas no último ano.
Este número representa um acréscimo de 15 milhões de consumidores relativamente às estimativas do ano anterior, mas ainda assim é muito menor do que a percentagem da população mundial que, de acordo com o mesmo documento, abusa de substâncias psico-activas lícitas, como é o caso do tabaco (30%) e do álcool (50%).
  Então perante tal cenário questiona-se? Que se tem feito para diminuir, este problema? Quais os metodos de alerta, que prevenção de saúde, o que se pode fazer para ajudar a eliminar este suicidio lento a cada dia que passa. E os que estão enriquecendo com o narcotrafico ?
  É realmente o tal dilema do poder materialista sobre a razão que conspira contra a justiça e aniquila as vidas daqueles que sugam o sumo proibido pela incuria da falta de educação etica, porque todo vicio tem cunho moral. Existe, no entanto a opção da liberalização das drogas! Será benefica, vai diminuir a dependencia, o narcotrafico vai desaparecer, qual a visão espirita desta situação?!

 continua
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 19 de Outubro de 2010, 17:20
continuação

 Liberalizar , sim ou não?

“Se nós não sabemos gostar de nós próprios, como vamos ser capazes de amar os outros?”                                                                                                          Victor Passos
 
 Segundo  Eugène Delacroix, in 'Diário' os vícios são de corpo e alma
   “Se descobrires em ti um ponto fraco, em vez de o dissimulares reduz-te às tuas próprias dimensões e corrige-te. Ah!, se a alma tivesse de combater só o corpo ?! Porque ela também tem as suas inclinações viciosas e é necessário que uma das suas partes - a mais pequena, mas ao mesmo tempo a mais divina - combata a outra, sem cessar. Todas as paixões do corpo são vis. As da alma, que são vis, tornam-se verdadeiros cancros: a inveja, etc. A cobardia é tão vil que deve ser comum a ambos.”
Na realidade estamos sempre mais próximos do erro quando queremos viver pela sombra e ninguém tenha duvidas , que a busca das drogas é sempre uma opção de livre - arbítrio, podemos colocar muitas causas, , tomar muitas direções, mas ela tem sempre a raiz no próprio demando de conduta, na busca de prazeres mundanos, nos medos da realidade, da nossa concha. Estamos sempre procurando refugio para acobertar a mutilação pelas drogas, mas não podemos esquecer de forma alguma que o cancro está no silencio, da acrópoles daqueles que estão envolvidos pelo lucro, por os que governam e por  aqueles que se desculpam consumindo, porém os culpados estão omissos esta é a concha, constante que inibe as respostas reais a esta veia maquiavélica do mundo da droga.
      Séneca, in 'Cartas a Lucílio  nos ensina que “Não há vício que se não esconda atrás de boas razões; a princípio, todos são aparentemente modestos e aceitáveis, só que a pouco e pouco vão-se expandindo. Não conseguirás pôr fim a um vício se deixares que ele se instale. Toda a paixão é ligeira de início; depois vai-se intensificando, e à medida que progride vai ganhando forças. É mais difícil libertarmo-nos de uma paixão do que impedir-lhe o acesso. Ninguém ignora que todas as paixões decorrem de uma tendência, por assim dizer, natural. A natureza confiou-nos a tarefa de cuidar de nós próprios, mas, se formos demasiado complacentes, o que era tendência torna-se vício. Aos actos necessários juntou a natureza o prazer, não para que fizéssemos deste a nossa finalidade mas apenas para nos tornar mais agradáveis aquelas coisas sem as quais é impossível a existência. Se o procuramos por si mesmo, caímos na libertinagem. Resistamos, portanto, às paixões quando elas se aproximam, já que, conforme disse, é mais fácil não as deixar entrar do que pô-las fora. “.
  Existe tanta desinformação, quem vê a liberalização das drogas como uma saída, apenas está a adiar um caminho que não tem volta, porque é nas pequenas coisas que tudo se aufere, senão vejam, um simples cigarro tem 7000 produtos quimicos e dentro dos quais alguns radioativos  no entanto é licito fumar?! As bebidas alcoolicas de igual forma, empobrecem o organismo destruindo as celulas  e abrindo caminho para cirroses e problemas de pancreas, no entanto aí estão são legais!?
  Claro que temos a vertente que alega ser um mal menor, mas isso não deixa de acarretar destruição do corpo, porém , continuamos consentindo e minimizando .Os governos mesmo proibindo em determinados locais , não podem assumir o aniquilamento pois é uma subeja forma de ir buscar os seus rendimentos pelos impostos. Esta teia , tem é enormisima e isso dificulta toda e qualquer possibilidade de neutralização, quer do narcotrafico, quer do aumento de consumidores.
   A juntar a tudo isto vejam os Paises que liberalizaram as drogas, Holanda ,Suiça, ,Alemanha,Reino Unido  e Dinamarca , quais foram os ganhos?!  Mais violência, maior numero de jovens a iniciar a viciação e os ganhos praticamente nenhuns, tudo porque os que eram dependentes não deixaram de o ser e aqueles que não eram passaram a ter oportunidade mais facil de serem dependentes.porque a liberalização se fez um pau de dois gumes. Mas mais ridiculo é a Dinamarca dispor de clinicas de distribuição de heroina, por precrição medica?! Aonde pára a ética medica? Em nome de evitar a promiscuidade, mata-se ou induze-se o suicidio, mesmo que indireto?!
   Afinal as clinicas de recuperação, com o apoio da metadona e Lofexidine, bem administradas, com um programa de coerencia e ajuda constante, apoio medico e Familiar não fariam um trabalho melhor?!O incentivo a tarefas espirituais e de valorização humana , não seriam bons handicapes para ajudar na recuperação?
   Sabemos perfeitamente que um dos problemas ao nivel da libertação do consumo de drogas, tem por dificuldade a vampirização  que os envolve , tornando mais dificil essa libertação., daí a importãncia da Ciência medica se juntar ao vinculo espiritual , de forma a juntar forças para ajudar a diminuir este flagelo.
 

continua
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 19 de Outubro de 2010, 17:22
continuação

 Liberarlizar ou proibir? Todos temos livre-arbitrio, as escolhas são sempre nossas, por muito que procuremos justificativas temos de ter em conta que somos espiritos em evolução, que expiamos por conta propria dos nossos tropeços, temos que educar, moralizando aqueles que de nós precisam , afim de não asfixiarem pelo halito do vicio.
 
  O Livro Dos Espiritos de Allan Kardec, traduz bem essa necessidade vejamos;.

630. Como se pode distinguir o bem do mal?

— O bem é tudo o que está de acordo com a lei de Deus e o mal é tudo o que dela se afasta. Assim, fazer o bem é se conformar à lei de Deus; fazer o mal é infringir essa lei.

631. O homem tem meios para distinguir por si mesmo o bem e o mal?

— Sim, quando ele crê em Deus e quando o quer saber. Deus lhe deu a inteligência para discernir um e outro.

632. O homem, que é sujeito a errar, não pode enganar-se na apreciação do bem e do mal e crer que faz o bem quando em realidade está fazendo o mal?

— Jesus vos disse: vede o que quereríeis que vos fizessem ou não; tudo se resume nisso. Assim não vos enganareis.

633. A regra do bem e do mal, que se poderia chamar de reciprocidade ou de solidariedade, não pode ser aplicada à conduta pessoal do homem para consigo mesmo. Encontra ele, na lei natural, a regra desta conduta e um guia seguro?

— Quando comeis de mais, isso vos faz mal. Pois bem: é Deus que vos dá a medida do que vos falta. Quando a ultrapassais, sois punidos. O mesmo se dá com tudo o mais. A lei natural traça para o homem o limite das suas necessidades; quando ele o ultrapassa é punido pelo sofrimento. Se o homem escutasse, em todas as coisas, essa voz que diz: chega, evitaria a maior parte dos males de que acusa a Natureza.

634. Por que o mal se encontra na natureza das coisas? Falo do mal moral. Deus não poderia criar a Humanidade em melhores condições?

— Já te dissemos: os Espíritos foram criados simples e ignorantes. (Ver o item 115) Deus deixa ao homem a escolha do caminho: tanto pior para ele se seguir o mal; sua peregrinação será mais longa. Se não existissem montanhas não poderia o homem compreender que se pode subir e descer, e se não existissem rochas não compreenderia que há corpos duros. É necessário que o Espírito adquira a experiência, e para isso é necessário que ele conheça o bem e o mal; eis porque existe a união do Espírito e do corpo. (Ver item 119)

Paixões

908. Como definir o limite em que as paixões deixam de ser boas ou más?

— As paixões são como um cavalo que é útil quando governado e perigoso quando governa. Reconhecei, pois, que uma paixão se torna perniciosa no momento em que a deixais de governar, e quando resulta num prejuízo qualquer para vós ou para outro.
As paixões são alavancas que decuplicam as forças do homem e o ajudam a cumprir os desígnios da Providência. Mas, se em vez de as dirigir, o homem se deixa dirigir por elas, cai no excesso e a própria força que em suas mãos poderia fazer o bem recai sobre ele e o esmaga.
Todas as paixões têm seu princípio num sentimento ou numa necessidade da Natureza. O princípio das paixões não é portanto um mal, pois repousa sobre uma das condições providenciais da nossa existência. A paixão propriamente dita é o exagero de uma necessidade ou de um sentimento; está no excesso e não na causa; e esse excesso se torna mau quando tem por conseqüência algum mal.
Toda paixão que aproximou o homem da natureza animal distancia-o da natureza espiritual.
Todo sentimento que eleva o homem acima da natureza animal anuncia o predomínio do Espírito sobre a matéria e o aproxima da perfeição.

909. O homem poderia sempre vencer as suas más tendências pelos seus próprios esforços?

— Sim, e às vezes com pouco esforço; o que lhe falta é a vontade. Ah, como são poucos os que se esforçam!

911. Não existem paixões de tal maneira vivas e irresistíveis que a vontade seja impotente para as superar?

— Há muitas pessoas que dizem: "Eu quero!" mas a vontade está apenas nos seus lábios. Elas querem mas estão muito satisfeitas de que não pode superar suas paixões é que o seu Espírito nelas se compraz por conseqüência de sua própria inferioridade. Aquele que procura reprimi-las compreende a sua natureza espiritual; vencê-las é para ele um triunfo do Espírito sobre a matéria.
  É bem verdade meus Irmãos, não chega dizer quero com os labios , a vida faz-se pela conduta nas ações e pelo emprego dos ensinos do Mestre , sabendo sempre que a retidão nas escolhas vão escrever o livro da vida, e portanto “Cada um segundo suas obras”
  Liberalizar, no contexto espiritual será usurpar o os valores do amor e da razão, porque manda o bom senso é preciso educar  e discilinar as mentes e tornar as Leis humanas mais concernes com a solidariedade e fraternidade, mas sempre dentro dos valores da razão e justiça.
   A melhor forma de combatermos o mal é conhecê-lo , então pela prevenção educativa  podemos e devemos levar luz de entendimento às Familias , incentivando o abraço da Evangelização, porque só nos conhecendo e sabendo como distinguir o mal venceremos.
  Liberalizar ou oprimir,  prefiro regenerar.


Bibliografia

Livro Dos Espiritos de Allan Kardec
Wikipedia
http://www.citador.pt/
http://www.fcsh.unl.pt/cadeiras/ciberjornalismo/ciber2000/metadona/metadonaoquee.htm
Apoio de companheiros que deram sua opinião sobre a tematica


Victor Passos

 
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: EmBuscaDaLuz em 19 de Outubro de 2010, 19:55
Parabéns pela postagem, amigo Victor Passos!

Muita paz!
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 19 de Outubro de 2010, 22:51
Ola muita paz e harmonia
Boa Amiga Em Busca de Luz

Agradeço sua bondade, e acho que apenas é uma compartilha , que pode servir para reflexão, pois não sou dono da verdae...

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Mestre Jleal em 19 de Outubro de 2010, 23:08
A liberalização é nosa única altenativa para combater o consumo desenfreado, e aniquilar o poder paralelo do Narcotráfico, que já tem um faturamento superior a industria bélica.
Terá que ser uma decisão mundial com a adesão de todo o mundo civilizado.
Quanto ao argumento que a criminalidade aumentaria, não procede pois na Holanda, atualmente ocorre um crime a cada 1 minuto, com a droga liberada e a polícia desarmada, enquanto que na vizinha Belgica, produzaindo UZIS e proibindo a droga, ocorre um crime a cada dez segundos.
A fortuna hoje administrada pelo  Narcitráfico, que tem um lucro aproximado de 1000%, deverá alimentar um fundo para o recuperação dos dependentes, em clinicas especializadas e na criação de projetos de formação e absorção de mão de obra, dando-lhes alguma prespectiva de vida, pois sua ausencia é o principal fator da condição de dependente.         
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: filhodobino em 19 de Outubro de 2010, 23:46
Amados Irmãos,
Liberação das drogas, é um assunto, exatamente igual ao homossexualismo, posto que é uma ação puramente física, e onde há controvérsias da implicação espiritual, altamente relevantes...
Já choramos o alcoolismo... mas nos paises onde a religião proibe terminanetemente o alcool, está livre dos problemas de vício?
Pelo contrário, a heroina é usada para financiar suas guerras...
Penso que a experiência que o Brasil, e outros paises do mundo obtiveram educando cidadãos quanto ao tabagismo poderia ser usado, mais fortemente quanto ao álcool e às drogas, e em sendo liberada, desnortearia as fontes das gangues e gerariam divisas para serem investidas em Educação do povo ao invés dos seus lucros gigantes ficarem nas mãos inescrupulosas e sem controle da sociedade...
O não liberar, é chave automática para os néscios vaidosos mostrarem poder tanto da posse quanto do consumo, é prática oriunda dos súditos do reino dos gigantes.
Saúde e Paz!
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: GUSTAVO GEORG TORRES em 20 de Outubro de 2010, 00:52
Olha, achei muito inteligente a resposta dos irmãos, anteriores, e gostaria de expressar minha completa concordância com os dois, pois a prática de
proibição usada há muito, não surtiu efeito, e pelo contrário, serviu para estimulação e aumento de violência levado muito em conta pelo fator "é
proibido", que desperta nos seres humanos mais fracos, o alto poder de influência, no que diz respeito ao que se é errado!
Deveríamos sim, criar, ao invés de combate altamente custoso aos nossos bolsos, utilizar toda essa fortuna gasta, em tratamento e concientização
o que levaria a uma redução significativa desse monstro que é o sistema todo que envolve as mais diversas esferas que envolvem esse tipo de material.
Mas, para isso, teríamos que repensar nosso principal problema: politica!

Obrigado, e fiquem com Deus e nossos amigos espirituais!
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: belina em 20 de Outubro de 2010, 12:01
Olá amigo Vitor

Pirmeiro parabéns por ter trazido um tema, que nos deveria deixar a todos alerta, debatê-lo abertamente e não fazermos como a avestruz colocar a cabeça na areia e dizer : não acontece comigo.

As drogas são o flagelo da humanidade e nisto eu incluo as legalizadas também.
Acho que se deveria legalizar tudo, pois só assim se acabaria com o narcotráfico e seus poderosos membros.

Ninguém sabe que é dependente quimico até consumir drogas, e muitas vezes o que os jovens fazem por brincadeira ,nao pensando nas consequências, quando se apercebem já estão metidos, num caminho que só com  muita força de vontade de lá saem.

Podemos dizer que todos os que dependemos de uma qualquer droga seja legalizada ou não, somos doentes dependentes quimicos.
Mas tudo isto envolve uma educação de todo um povo, pois que:
O Sr.X depende de um medicamento para a tensão arterial=Hipertenso=doente.
O Sr.Y depende de heroina/ ou outra n/legalizada= Toxicómano=Segregação.
esta é a realidade, poucas pessoas os vêem como doentes , a começar pelo próprio pessoal da saúde.
Governos pouco ou nada fazem. Metadona é um engano, e só serve para gastar dinheiro.
muitos doentes continuam a consumir.
Se houver legalização e controle de consumo, bem como terapia apropriada , penso que se poderia resgatar muitos doentes; do consumo; do tráfico; da prostituiçao; da delinquencia.

Paz e Luz
Belina



Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 20 de Outubro de 2010, 19:33
Ola muita paz e harmonia bons amigos

  Meus discordo , com todo respeito , porque abrir mão do efeito estufa da droga é alienar o Universo da juventude,senão vejam;

Drogas Leves e Pesadas

          Os defensores da liberalização das drogas falam com freqüência em drogas leves e pesadas, tentando tornar livres para o consumo as drogas leves. Esta classificação se baseia no estado de dependência que se instala no usuário. A dependência, como já falamos, pode ser psíquica e física. A dependência psíquica é mais fácil de ser erradicada e as drogas que as determinam seriam então rotuladas como drogas leves e as que determinam a dependência física, de mais difícil libertação, seriam as drogas pesadas. Ora, esta classificação só vê uma parte do problema. Senão vejamos. A cocaína cria uma dependência psíquica, portanto deveria ser uma droga leve. No entanto, é uma das drogas que exercem ações devastadoras nos usuários. Pode então ser considerada uma droga leve? Parece-nos, portanto, não ter consistência tal classificação. Outra alegação em favor da liberalização das drogas vem a ser a capacidade criadora, artística, que algumas drogas favorecem nos usuários. A Dra. Nise da Silveira demonstrou a capacidade artística de psicopatas dando o nome de museu do inconsciente ao resultado de tal capacidade. Seria, então, o caso de desejarmos uma humanidade esquizofrênica para termos todo um mundo de artista.
  A violencia aumentaria e as drogas com maior acesso seria apanagio de doença publica e a mortificina maior...
  Estão também esquecendo o fator Familia, como fica então ?
  Não existe mal , que se cure com mal, mas soluções que possam prevenir e educar , e isso cabe à Familia...

Muita paz e harmonia  bons Amigos

Victor Passos
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Mourarego em 20 de Outubro de 2010, 20:34
A cocaína, benzoilmetilecgonina ou éster do ácido benzóico é um alcalóide usado como droga, derivada do arbusto Erythroxylum coca Lamarck, com efeitos anestésicos e cujo uso continuado, pode causar outros efeitos indejados como dependência, hipertensão arterial e distúrbios psiquiátricos. A produção da droga é realizada através de extração, utilizando como solventes álcalis, ácido sulfúrico, querosene e outros.

ainda mais:
 
O que a cocaína faz no corpo com o uso contínuo (efeitos físicos crônicos)?
http://www.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/quest_drogas/cocaina.htm#7

"Existem inúmeras complicações físicas associadas ao uso crônico da cocaína. Os distúrbios mais freqüentes são os cardiovasculares, incluindo distúrbios no ritmo cardíaco e ataques do coração. A cocaína provoca ainda efeitos respiratórios como dor no peito e dificuldade respiratória, além de efeitos gastrointestinais como dores e náuseas. É importante ressaltar que o aparecimento de problemas pelo uso crônico irá depender da via de administração. Por exemplo, problemas nasais, como ruptura do septo nasal e perda do olfato, aparecem com aspiração crônica da cocaína. Distúrbios cardiovasculares aparecem em todas as vias de administração. No uso de crack há complicações respiratórias ainda! maiores envolvendo bronquite, tosse persistente e disfunções severas."

Espero ter contribuído com mais alguns relatos, credíveis.
As drogas têm uma particuaridade muito infeliz se as formos ver pelo Lado Espiritual. Pois que atuando na desconstrução da mente e do psíquico  entravam a produção e ação normal dos neurônios desrregulando a produção cerebral.
Na parte física é visível e comprovável cientificamente a destruição da capacidade motora e varias outras anomalias que privam ao indivíduo de sua ação normais mesmo no caminhar.
Se minha opinião vale, costumo dizer, se droga fosse algo bom, não teria esse nome...
abraços,
Moura
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 21 de Outubro de 2010, 10:50
Ola bons Amigos Muita paz e harmonia a todos

Amigo Moura está aqui na realidade o fusilis, como Tu o afirmas e muito bem , se a droga fosse boa ,não tinha esse nome...
Citar
As drogas têm uma particuaridade muito infeliz se as formos ver pelo Lado Espiritual. Pois que atuando na desconstrução da mente e do psíquico  entravam a produção e ação normal dos neurônios desrregulando a produção cerebral.
Na parte física é visível e comprovável cientificamente a destruição da capacidade motora e varias outras anomalias que privam ao indivíduo de sua ação normais mesmo no caminhar.
Se minha opinião vale, costumo dizer, se droga fosse algo bom, não teria esse nome...


Faço minhas tuas palavras...e argumentas-te melhor ainda...

Na realidadae o pior problema é que a droga , faz da vida uma droga também, e dizima , mutila e destroi todo um crescimento , que deveria serr assimilavel, e assim continuo a reforçar a minha ideia, educar, regenerar , disciplinar, mas com amor...fazer um trabalho de prevenção a nivel de escolas , demosntrando todos os maleficios , todas as sequelas que levam sempre a um unico caminho...suicidio voluntario, porque nem é indireto, pois temos livre -arbitrio e sabemos qual o seu maleficio....

Muita paz e gratos bons Amigos , está ser muito importante este estudo...
Abraço fraterno a todos...


Victor Passos
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 21 de Outubro de 2010, 10:55
Ola Bons Amigos (as)
Muita paz

Vejam apenas umas minusculas consequências;

CONSEQÜÊNCIA DAS DROGAS

ÁLCOOL

1- O Álcool é depressivo no sistema nervoso e não estimulante como se pensa;

2- Sob a forma de cerveja, vinho, conhaque, Uisque, cachaça, etc., é a droga de maior consumo e abuso contra a saúde, no mundo moderno;

3- Pode provocar vícios desde cedo, começando por crianças e adolescentes, transformando-as em alcoolatas em potencial;

4- A maior parte dos alcoolatas começam a beber na adolescência;

5- Em demasia, o álcool, torna a pessoa repressiva pelo mal hábito, olhos injetados, dificuldade na fala, perda de controle de suas ações e abandono dos hábitos de higiene;

6- Os efeitos aumentam quanto maior for a quantidade ingerida;

- Conseqüências devidas ao excesso:

A) Afeta o juízo e a memória;

B) Doenças mentais;

C) Danos ao fígado, pâncreas, estômago, nervos e outros órgãos;

D) Causa dependência e leva ao alcoolismo;

- Outras conseqüências sociais:

A) Diminui a produtividade do trabalho;

B) Causa mal desempenho escolar;

C) Cria marginalizarão social;

D) Acidente de trânsito (motorista bêbado)

- Durante tratamento médico, o álcool altera ou anula o efeito dos remédios (ex.: o antibiótico);

- Provoca a morte por intoxicação ao deprimir o centro do cérebro que controla a respiração e os movimentos cardíacos;

- No caso da mulher grávida afeta o desenvolvimento do feto;

- O álcool é responsável por problemas de esterilidade e impotência.

MACONHA "Maconha em seu corpo"

Ela é fumada como cigarro, inicialmente indo para o sistema respiratório, daí a distribuição para outros órgãos através da corrente sangüínea.

- Sistema Respiratório:

Prejudica os pulmões diminuindo sua capacidade imunológica, tendo o viciado facilidade em adquirir doenças pulmonares.

Substâncias existentes na fumaça da maconha são irritantes para a mucosa pulmonar; geralmente o dependente tem problemas de sinusite, laringite, inflamações nos brônquios e traquéia, causando dor de garganta e tosse crônica.

Pressão Cardíaca:

Aumenta o trabalho do coração. As mudanças ocorridas nesse órgão e o aumento da pressão arterial durante o efeito da droga assemelha-se ao quadro cardiovascular de uma pessoa com STRESS. O coração necessita de oxigênio, mas os pulmões cheios de fumaça de maconha aumenta o teor de monóxido de carbono no sangue, reduzindo a quantidade de oxigênio que chega ao coração, através da corrente sangüínea.

- Sistema Nervoso:

O uso contínuo da maconha causam transformações na química do cérebro. Essa droga inibe os neuro transmissores de acetilcolina, mensageiros químicos que transmitem informações de uma célula nervosa para outra.

Enfraquece sua coordenação motora, perturba o senso de espaço e tempo, e retardamento do arco-reflexo.

Além disso provoca ansiedade, confusões mentais e pode levar a psicoses incuráveis.

A maconha sendo uma droga desmotivante, diminui acentuadamente a vontade de estudar, trabalhar, relacionamento familiar, capacidade de memorização, bem como desinteresse por tudo que o rodeia

- Problemas Visuais:

Causa embrulhamento, percepção visual irregular.

Devido aos efeitos adversos do THC (tetrahidrocanabinol) nas várias funções do cérebro, geralmente os olhos ficam avermelhados e sensíveis à luz solar.

- Aparelho Reprodutor:

O uso da maconha afeta a produção de espermatozóides e óvulos (células reprodutivas). Análises feitas com espermas de homens dependentes revelam menor número de espermatozóides e maior número de defeitos genéticos.

Na mulher perturba o ciclo menstrual e altera o metabolismo da ovulação, resultando períodos imprevisíveis de infertilidade.

Filhos de dependentes podem nascer com defeitos congênitos, pois alteram a forma de seus cromossomos.

COCAÍNA E CRACK

1) A cocaína é um pó branco, químico, derivado das folhas secas da planta conhecida por coca;

2) Consumida sob a forma de pó, pode ser aspirada, injetada na veia ou fumada como "crack".

3) O primeiro efeito é a sensação de falsa euforia.

4) A seguir, surgem os seguintes sintomas:

a) Depressão

b) Ansiedade

c) Agressividade

d) Desconfiança

e) Alucinações

f) Perda de controle

5) Outras conseqüências na vida do usuário ou dependente:

a) Quebra do desempenho profissional;

b) Desintegração das relações pessoais, familiares e sociais;

c) "Roubo financeiro" nas economias familiares, devido ao alto custo na aquisição da droga;

d) A cocaína, aspirada, destrói a mucosa interna do nariz, causando dores de cabeça, nariz escorrendo e hemorragias nasais;

e) Quando injetada, na companhia de usuários com AIDS, corre-se o risco da contaminação;

f) Cria-se dependência e tolerância rapidamente, e o organismo exige doses cada vez maiores tentando obter os resultados iniciais;

g) Para manter o vício, a qualquer preço, começa um processo de desintegração social, familiar, de trabalho, usando a mentira, o furto ou o roubo, podendo chegar ao extremo do homicídio (mata para conseguir dinheiro para sustentar, o alto custo do vício).

Abraço fraterno
Victor Passos
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: maria gi em 21 de Outubro de 2010, 13:57
Muito foi dito aqui e muios exemplos foram dados o que algumas drogas fazem e como vemos os rsultados não são nada bons.
Não concordo com a Liberalização das Drogas, pelos prejuizos que acarream fisica e psicologicamente.
Espirtualmnte o prejizo é maior. porque alimentamos o vício dos encarnados  dos desencarnados que se aproximam para inalar o fumo ou os vapores.
Temos o exemplo das bebidas alcoolcas e d cigarro, que são drogras autorizadas e por tal motivo todos têm acesso a qalquer hora do dia e qu tano tm destruido o homem.
Poibindo os produores e vendedores da droga não vão deistir de tal maldade. Mas vamos fazer com que o acesso a essas drogas sejam facil e que todas as lojas vedam facilitando as pessas sem ecrupulos vendam as nossas crianças tal veneno. Ja imaginaram terem o vossos filhos drogados?  e principalmente a maioria das crianças e dos jovens. Seria o mesmo que ir para a esquina e comprar um reboçado.
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: filhodobino em 21 de Outubro de 2010, 15:06
Amados Irmãos,
Néscio pensa assim... se proíbem e eu fizer, serei o maioral da turma.... Que pai, que mãe, que parente, que amigo, que policia do mundo, que juiz, que lei, impede isso?
Quando néscio pensa, o bom senso, se vai... será que ajuizado se droga? sim... tabaco, alcool, ansiolíticos, anti-depressivos, maldizer dos outros, mentir, trair, ... geralmente o néscio que se droga, nem faz tanto, mas por ser ilegal e caro, afunda... e vai pra criminalidade... e quem fica com os lucros, exatamente os primeiros que são contra a liberação, o poder paralelo, exceto a população civil( essa coitadafica a ver navios, e os leitos que poderiam estar disponiveis para velhos e crianças doentes, estão sendo ocupados por pessoas que trocaram tiros e pelos que adoeceram vitimas das drogas, e o custo da recuperação desse povo, cujas receitas vão para os criminosos?... quantas reportagens temos noticias, quantos filmes do que foi proibido e virou modismo, as primeiras gangues criadas nos EEUU, foi por causa da lei seca, e nem conseguiram prendê-lo por fraudar a lei seca, tiveram que usar a sonegação fiscal.
Raflitamos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 21 de Outubro de 2010, 15:28
Ola muita paz e harmonia
Amigo filhodobino

Me perrdoe mas isso é um contra senso , querer mitigar a desforra do problema para aqueles que não concordam com a liberalização....Estamos quase como era e não era!;

Virtude Viciosa

Como se tivéssemos o tacto infectado, corrompemos com a nossa manipulação as coisas que por si mesmas são belas e boas. Podemos aprender a virtude de forma que ela se tornará viciosa, se a abraçarmos com um desejo demasiadamente ávido e violento. Os que dizem que na virtude nunca há excesso, porque já não há virtude se o excesso ali está, jogam com as palavras: O sábio deve receber o nome de insensato, o justo o de injusto se eles forem longe demais, mesmo nos seus esforços para atingir a virtude (Horácio). É uma consideração subtil da filosofia. Pode-se tanto amar demais a virtude como se comportar com excesso numa acção justa. A esse ponto de vista se ajusta a voz divina: Não sejais mais sábios do que é preciso, mas sede sobriamente sábios (São Paulo).

Michel de Montaigne, in 'Ensaios'

Nunca de forma alguma devemos compartilhar com atos viciosos e que sabemos na realidade estarem ao alcance de nossas escolhas, por isso , tudo tem dce partir duma melhor educação , abra as portas à droga e depois reclame como na Inglaterra , Suiça , e Holanda que os mais jovens +orque não é proibido acham bom experimentar...e daí o resto já sabemos...

Muita paz

Abraço fraterno

Victor Passos
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: filhodobino em 21 de Outubro de 2010, 15:37
Ola muita paz e harmonia
Amigo filhodobino

Me perrdoe mas isso é um contra senso , querer mitigar a desforra do problema para aqueles que não concordam com a liberalização....Estamos quase como era e não era!;

Virtude Viciosa

Como se tivéssemos o tacto infectado, corrompemos com a nossa manipulação as coisas que por si mesmas são belas e boas. Podemos aprender a virtude de forma que ela se tornará viciosa, se a abraçarmos com um desejo demasiadamente ávido e violento. Os que dizem que na virtude nunca há excesso, porque já não há virtude se o excesso ali está, jogam com as palavras: O sábio deve receber o nome de insensato, o justo o de injusto se eles forem longe demais, mesmo nos seus esforços para atingir a virtude (Horácio). É uma consideração subtil da filosofia. Pode-se tanto amar demais a virtude como se comportar com excesso numa acção justa. A esse ponto de vista se ajusta a voz divina: Não sejais mais sábios do que é preciso, mas sede sobriamente sábios (São Paulo).

Michel de Montaigne, in 'Ensaios'

Nunca de forma alguma devemos compartilhar com atos viciosos e que sabemos na realidade estarem ao alcance de nossas escolhas, por isso , tudo tem dce partir duma melhor educação , abra as portas à droga e depois reclame como na Inglaterra , Suiça , e Holanda que os mais jovens +orque não é proibido acham bom experimentar...e daí o resto já sabemos...

Muita paz

Abraço fraterno

Victor Passos

Certamente não lhe faltam razões, e ainda sobram amado irmão...
No entento, penso que o  mal maior está no incitamento à criminalidade,...
Caminhos que ninguém consegue evitar para o pouco esclarecido...
Quanto ao esclarecido que o queira, é uso de livre arbítrio...
Mas, tens razão Educação é tudo...
Por isso é tão dificil por termo ou diminuir o abuso, mantendo a proibição, ou liberando, haverá consumidores, mas aumentaria o consumo e a criminalidade em se liberando?
Há estatísticas que mostram que a médio prazo o consumo diminuiu e a criminalidade em torno do assunto foi diminuída, houve menos poucos esclarecidos automaticamente introduzidos na criminalidade com a liberação?
Sempre é Bom Pensar.
Saúde e Paz!
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 21 de Outubro de 2010, 16:09
Ola muita paz
Bons Amigos

E se começarmos por aqui!

As drogas e a família
   
O uso de drogas é um problema de grandes dimensões em todo o mundo. Atinge jovens e adultos, destruindo vidas e desestabilizando famílias e a sociedade.

O termo droga é popularmente limitado às drogas ilícitas, mas não podemos esquecer de que o álcool e o cigarro, apesar de vendidos livremente, na maior parte dos países, causam vício de difícil reversão.

O assunto hoje ganha visibilidade devido ao grande contingente de usuários e ao grave problema da violência que acompanha o comércio ilícito.

É muito comum o discurso de que o usuário de qualquer droga é uma vítima, cuja vontade foi totalmente destruída pela necessidade da substância química.

Ora, esta afirmação compara o ser humano a um animal desprovido de raciocínio, de vontade e de autocontrole.

Não esqueçamos de que, antes de ser viciado, o indivíduo decidiu experimentar. Depois decidiu repetir a experiência por ter gostado das sensações, do prazer e, nesse momento, fez uma opção consciente.

Habitualmente o vício principia em idade jovem. Quase sempre, na qualidade de pais, costumamos negar a realidade, talvez por comodismo, talvez por medo das atitudes a tomar para coibir a continuidade do problema.

Com o tempo, quando grandes somas de dinheiro são consumidas, ou quando ocorre violência doméstica, é comum venhamos a nos sentir vítimas.

Muitos nos perguntamos a razão da queda de nossos filhos e não descobrimos a causa no seio familiar.

No entanto, uma análise profunda do comportamento dos familiares pode revelar causas raramente admitidas.

Como nos comportamos perante as leis? Será que respeitamos, sem exceções, as leis do nosso país ou será que desrespeitamos algumas delas com frequência, convivendo naturalmente com ilicitudes?

Como nos comportamos perante a violência? Somos coniventes com pequenos atos de violência física ou verbal que ocorrem no ambiente familiar, ou de convívio social?

Como nos comportamos diante de vícios morais como a inveja, a ambição, a corrupção? Tentamos livrar-nos de tais hábitos ou entregamo-nos a eles sem lutar por melhora?

Como nos comportamos diante de vícios aceitáveis socialmente como o tabagismo e o uso de álcool?

Filhos que nos veem fazer uso de álcool ou de cigarro, com a maior naturalidade, não vislumbram problema algum em usá-los, mesmo antes da maioridade, encarando a dependência química como algo normal.

Como nos comportamos perante o crescente movimento de legalização do uso de drogas? Concordamos, somos indiferentes ou engajamo-nos em movimentos pacíficos e organizados na direção contrária?

Ter filhos é uma verdadeira missão. Poucos de nós, ao decidir abraçar a tarefa, deixamos de lado hábitos errados ou abandonamos o egoísmo de nossos prazeres.

Qualquer atitude nossa é percebida pela criança desde os primeiros anos de vida, quando a personalidade do indivíduo se forma e quando as más tendências podem ser corrigidas. Os filhos tendem a agir como seus pais.

Se esperamos que nossos filhos sejam indivíduos corretos, dignos e respeitadores das leis, sem vícios morais ou físicos, devemos primar por ser exatamente assim.

Reflitamos, portanto: se abraçamos ou desejamos abraçar a tarefa de educar um filho, será que não há nada a mudar, para melhor, em nossas atitudes?

Redação do Momento Espírita.
Em 09.02.2010

Abraço fraterno

Victor Passos
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Mourarego em 21 de Outubro de 2010, 16:25
Ai está um bom artigo mano Victor.
mesmo generalizando aqui e ali, ele nos remete ao pensamento maior de que ser pai inclui uma responsabilidade que os grandes problemas como ganhar dinheiro  e trabalhar o dia todo não lhes retiram da vida, para com seus filhos.
Tenho apenas um adendo a ele, quando se lê: "É muito comum o discurso de que o usuário de qualquer droga é uma vítima, cuja vontade foi totalmente destruída pela necessidade da substância química."

Quem é vítima meu mano, perguntaria a equipa de articulistas:
Só o viciado?
Um amigo meu  passando por uma rua, recebeu de presente o que chamam no Brasil de "bala perdida", Ora qual a função do projétil? Colocar abaixo aquilo que acerte, não?
então mesmo que este projétil acerte quem não estava na mira, ele cumpriu o seu papel, degenerado, logo não existe bala perdida, senão aquela que falha ou não acerte em nada. Este meu amigo, passou longos meses em reabilitação pois a bala acertou-lhe a coluna cervical, hoje se arrasta, perdeu o seu emprego e sua família passa por necessidades financeiras.
Ele não será vítima? todavia não é viciado em drogas, nenhum dos membros de sua família também, logo, foi apenado por uma fatalidade? Esta também é uma coisa que não aceito já que por fatalidade o Estado se exime de pagar a ele o que ele tem por direito devido a seu estado, pois o dever de dar segurança é do Estado não é mesmo?
Assim, o viciado se viciou por ter experimentado e GOSTADO da droga experimentada, contudo meu amigo não gosta, não é viciado e sua familia também não, porque então ser apenado pela sociedade na pessoa de seu empregador, e pela justiça por não lhe prover meios para superar a dificuldade por que passa sem ter feito nada para tal?
A questão das drogas não começa nos morros ou nos traficantes, começa no plantio e este, para a maioria delas excetuando as sintéticas começa longe do teu pais Victor, e do meu pais também.
Este o meu adendo.
abração,
Moura


Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: filhodobino em 21 de Outubro de 2010, 16:30
Amado Irmão Victor...
Raciocínio irretorquível.
Qualquer filho de Deus que já adquiriu consciência de sí mesmo, reconheçe a perfeição desse raciocínio.
Adotá-lo é uma questão que recebe diferentes formas de desculpismos...
Isto posto, só tenho concordância, para os já auto-conscientes...
Preocupa-me os inconsciêntes e a indução inconsciênte, que é passível de ser corrigida pela Educação, nesse ponto a liberação seria um incentivo...
Incontestávelmente pernicioso é a indução conciênte ao vício, e o mergulho do inconsciênte, gerada pela ilicitude, e quem não teve a oportunidade de ser educado, posto que há milhares de filhos só de mães, ou de pais inaptos, que mesmo inaptos, teem direito a ter filhos...
Saúde e Paz!
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Richardson Miranda em 21 de Outubro de 2010, 18:06
                      Amigo Victor Passos.
                      Nos dias de hoje, realmente temos que discutir e nos interagir com situações conflitantes em que os seres humanos se encontram. As drogas além de adoecerem os usuários trazem grandes sequelas familiares e sociais. A cada vez as drogas são aprimoradas como armas que causam perdas em quantidade exorbitantes.
                      Principalmente nossos jovens, que não têm educação adequada em seus lares, inclusive educação religiosa, se acham acima dos males que desconhecem. As escolas são hoje verdadeiros pontos de pessoas que fazem o uso e dissiminam essas substâncias, devido público com mais afinidades às aventuras, que futuramente causam desventuras.
                      Em quase 90%, para não dizer (100%) de ocorrências policiais, o uso de qualquer droga que seja, está diretamente relacionada com os envolvidos. Principalmente no que se refere a crimes hediondos de qualquer natureza, principalmente os crimes contra a pessoa, crimes de trânsito, contra o patrimônio, os relacionados propriamente ao tráfico de drogas, etc.
                      Muito há de se estudar e conseguir êxito para que este índice altíssimo se modere, que, até chego a pensar não ser proeza no mundo de expiações e provas e sim quando conseguirmos um degrau a mais. Mais enquanto estamos nesse patamar, seria muito importante a cooperação dos trabalhadores espíritas de palestras em escolas, casas de desintoxicações ou qualquer lugar que se fizer necessário, para que sejam  resgatos  irmãos a tempo, pois Jesus veio em auxílio aos doentes. No que se refere ao "crack" é alarmante a sua dissiminação e dependência psíquica, tendo o usuário ser subjulgado à sarjeta em prol de suas consequênicas avassaladoras. Atualmente quero estudar e aprender muito sobre esse tema, para que possa trabalhar em prol dos irmãos que estão doentes, juntamente com seus familiares. Se puder sugerir obras espíritas dessa natureza, a princípio de compreensão mais ampla, agradecerei pela oportunidade. Essa libertação em meu entender só se fará através da educação e não propriamente dito da repressão. No quesito educação a doutrina tem muito a contribuir com novas visões com embasamento no Amor ao próximo.
                      Saudações fraternas e parabéns pela postagem de assunto realmente de interesse mundial............
                       
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Hebe M C em 21 de Outubro de 2010, 18:27
Vou deixar uma reportagem para reflexão, a qual  estou inteiramente de acordo.
Um abço
Hebe

"Quem mata mais? A droga lícita ou a ilícita?

7 Outubro 2008  |  Publicado por Editor BRAHA em Políticas de Drogas

Por: Mina Seinfeld de Carakushansky

Nos últimos dias, os jornais publicaram os resultados de um relatório de pesquisa da Organização Mundial de Saúde (OMS), segundo o qual, em 2000, o tabaco contribuiu com 4,1% e o álcool com 4% para a carga de doenças, enquanto as drogas ilícitas (ou seja, maconha, cocaína, anfetaminas, crack, etc.) contribuíram com “apenas” 0,8%.

Como muitas vezes ocorre nesses casos, a apresentação jornalística da matéria pode dar margem a interpretações errôneas. Por exemplo, O Globo (edição de 19/03) ostenta em uma chamada na primeira página, a única frase: “Alcoolismo e tabagismo matam mais que drogas ilícitas”. Esta frase, assim solta (e a matéria interna nada faz para mudar esta impressão) pode levar o leitor desavisado a pensar que as drogas ilícitas fazem menos mal do que o álcool e o tabaco. Daí é apenas um pequeno passo para cair no conto da carochinha de que  a legalização seria a solução para o problema das drogas.

 
Em primeiro lugar, o relatório da OMS fala de doenças, e não de mortes. Mas vamos admitir que “matam mais” seja sinônimo de “são mais prejudiciais à saúde”. Além disto, o que acontece é que o alcoolismo e o tabagismo “matam mais”, em valor absoluto, que as drogas ilícitas, não por serem mais nocivos, e sim porque são consumidos em muito maior escala. E são mais consumidos, entre outras coisas, exatamente porque são legais. No momento em que legalizarem a cocaína, por exemplo, e o seu consumo atingir a ordem de grandeza dos níveis de consumo do álcool, a cocaína vai matar muito mais do que o álcool.

 
Para certificar-se disto, vamos aos dados. Em 2001, a Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD), em parceria com o Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas, da Escola Paulista de Medicina, publicou os dados do Primeiro Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil. De acordo com este levantamento, no mês anterior à pesquisa, 35,3% das pessoas de 12 a 65 anos consumiram bebidas alcoólicas, enquanto 19,8% dessas mesmas pessoas usaram tabaco e apenas 2,5% usaram alguma droga ilícita (fique bem claro que este número refere-se ao conjunto de todas as drogas ilícitas; se fosse, por exemplo, só para a maconha, que foi a mais usada, esta proporção cairia para 0,6%).

 
É preciso tomar cuidado ao comparar estes dados com os dados da OMS, pois estes últimos referem-se a doenças, enquanto os da SENAD referem-se a pessoas; pode haver múltiplas contagens (uma mesma pessoa pode consumir álcool e tabaco simultaneamente, e uma mesma doença pode ser atribuída a estas duas drogas); as populações investigadas não são as mesmas; etc.

 
Porém, só para efeito de ilustração, imaginemos uma população de mil doentes brasileiros. Pode-se estimar razoavelmente, pelos dados da SENAD, que 353 deles são consumidores de álcool, 198 de tabaco e 25 de drogas ilícitas. Por outro lado, não é despropositado pensar que, pelos dados da OMS, 41 estejam doentes devido ao álcool, 40 devido ao tabaco e 8 devido às drogas ilícitas. Mas então a “malignidade” do álcool é de 41 em 353 (ou seja, 12%), enquanto a “malignidade” do tabaco é de 40 em 198 (ou seja, 20%), e a “malignidade” das drogas ilícitas é de 8 em 25 (ou seja, 32%).

 
Portanto, de acordo com estes dados e com hipóteses razoáveis, quem “mata mais” são as drogas ilícitas, em segundo lugar vem o tabaco e, depois, o álcool.

 
Não nos iludamos. As drogas ilícitas são nocivas à saúde. E é por isto que são ilegais e devem continuar a sê-lo."


Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 21 de Outubro de 2010, 19:02
Ola bons Amigos
Muita paz

 E agradecimento por todas as colocações de extrema reflexão e qyue na realidade e felizmente demonstra que existem Irmãos preocupados com o proximo.
 Mano Moura no Espiritismo todos sabemos da Lei causa e efeito, nada acontece por acaso, e sei e não me afasto do que concerne ao teu raciocinio, na realidade costuma-se dizer" paga o justo pelo pecador", mas quem é o justo e pecador?
Quem deu permicia do armamento?Quem abriu o Mundo à droga  e reparem que já não é só da era da Revolução sexual como muitos aplidam, ela já vem milenios de traz!
  E porque se fuma, e se bebe perante os filhos?Porque tomamos medicamentos por tudo e por nada , só por causa de uma dor de cabeça?!
A violência mesmo sem as drogas , sempre existiu pela cobiça do poder, que o diga Hiroshima!Mas agora temos mais Hiroshimas, Buyling, violencia domestica, violencia arreizada pelas ruas , policias corruptos, governos corruptos!.....
  Será que nós não temos que reativar os valores?
Mas quem desmotiva cartéis?
   Se o medo calcifica as mentes e não protege seus utentes, como atuar senão pela moralização, pela educação , pelo esclarecimento.
  uso de drogas entre os adolescentes, durante a década passada, no Brasil, Estados Unidos e em outros países. Acreditava-se que, na década de 60 os jovens passaram a consumir mais drogas com o advento da cultura e essa crença limitava-se somente aos jovens. Tal crença é uma ilusão e só pode obstruir as tentativas de se colocar o problema em perspectiva adequada.

O emprego e abuso propagado de drogas não se restringem adizima adolescentes e  adultos .
Conquanto possa haver diferenças significativas entre as gerações no que concerne aos seus padrões de uso de drogas, a sociedade mais ampla, da qual os adolescentes são uma parte, vem-se desenvolvendo como uma "cultura da droga" há muitos anos. Por exemplo, de um quarto a um terço de todas as prescrições médicas atualmente feitas no Brasil, Portugal , E.U.A.Inglaterra, Holanda,  são para estimulantes ou comprimidos para regime (anfetaminas) ou tranquilizantes. Entre 1964 e 1977, as receitas de Valium e Librium, os dois tranquilizantes mais usados, aumentou de 40 para 73 milhões por ano, só nos Estados Unidos.

Revistas, jornais, rádios, televisões bombardeiam as pessoas com mensagens insistentes de que o alívio para quase tudo - ansiedade, depressão, excitamento - depende "exatamente de engolir mais um comprimido". Nas palavras de um garoto de 13 anos: "Espera-se que nós não tomemos drogas, mas a TV está cheia de comerciais mostrando pessoas correndo para obter seus comprimidos porque alguma coisa as incomoda". Os adolescentes que adotaram essa maneira de ver como a vida deve ser conduzida podem
apenas estar refletindo modelos sociais e paternos.

Através de pesquisas têm se mostrado que, os jovens cujos pais fazem uso significativo de drogas como álcool, tranquilizantes, fumo, sedativos e anfetaminas são mais inclinados que os outros adolescentes a usar maconha, álcool e outras drogas. Como li num estudo um garoto de 15 anos: "Em minha casa, não se pode espirrar sem tomar algum comprimido. Minha mãe está sempre tomando alguma coisa para dor de cabeça, e meu pai para ficar acordado a fim de trabalhar à noite. Eles não são alcoólatras, mas certamente bebem muito. Assim sendo, sou algum criminoso por fumar maconha?”.

Embora muitos adolescentes estejam se tornando dependentes de drogas de alto risco, a maioria não está. Apesar das predições lúgubres do fim dos anos 60 de que estávamos na iminência de uma "epidemia" de uso de drogas entre adolescentes, nada disso realmente aconteceu. O uso da maconha, álcool e fumo está disseminado entre os jovens; mas o uso das drogas da "contracultura", como o LSD e outras substâncias, inalantes (cheirar cola), estimulantes (anfetaminas) e calmantes (barbitúricos) e produtos que ingressaram mais recentemente no campo das drogas da juventude, como heroína, cocaína, PCP ("pó de anjo"), quaaludes etc.,

Não podemos tapar o sol com peneira, não há lugar para complacência. Embora seja certo afirmar, por exemplo, que "apenas" de 3% a 5% dos estudantes de nível colegial no Brasil , já experimentou maconha, isso significa mais de um milhão de jovens. Além disso, o uso de drogas "tradicionais" (isto é, de adultos), sobretudo o álcool, tem aumentado nos últimos anos, mais notavelmente entre os adolescentes mais jovens. Revista saude

É Amigos temos que começar a trabaçlhar em resoluções e isto passa por cuktivar a razão e o bom senso , a defesa dos valores da vida e da saude, e quem pode fazer isso ? Todos nós...

Muita paz e harmonia

Abraço fraterno

Nota Amigo nem as estatisticas são reais...e atenção..não falo nos abusos sexuais, , venda de orgãos , de filhos...e por ai fora..

Muita paz

Victor Passos
 
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: filhodobino em 21 de Outubro de 2010, 19:33
Amados Penso que todos tem razão...
Acrescento ao raciocínio, apenas, o detalhe de incentivo à criminalidade que o trafico de drogas ilicitas incita, o JN mostrou há poucos dias 40 farmacias vendendo anfetaminas que foram fechadas... Pela internet a venda de medicamentos falsificados é imensa... mas os jovens que são atraídos para trabalharem nas pequenas distribuições são um caos, alguns vão para suprir o próprio vício, e acabam mortos posto que usou mais que vendeu... esses as estatisticas não mostram realidade... Outros vão pelo ganho fácil, e mais rentável como vão nossas irmãzinhas para a prostituição, posto que trabalhando, ganham muito pouco... Nossos presídios para menores infratores são uma fábrica de autênticos bandos de criminosos, e são pessoas quase sem nenhuma consciência de si mesmas, as que nós mais deviamos proteger, pois aquele que já é consciente e faz, não gera tanta preocupação, posto que a maioria se auto-impõe alguns limites...
Nossos irmãos néscios, que ainda ignoram, esses me constrange nada poder fazer a não ser externar um pensamento de que se houvesse a liberação essa maioria de néscios e ignorantes não teriam como adentrar ao mundo das drogas, da mesma forma que se não houver receptadores, e gananciosos que compram mercadorias a preço vil, ou que buscam em lojas de usados algo mais barato, não importando a procedência e até dispensam nota fiscal para gastar menos... não haveria ladrões... em tudo o Espiritismo está presente, posto que muito antes da missão religiosa aventamos a missão esclarecedora da moral e da ética.
A grande maioria dos consumidores de drogas ilícitas, é da classe média, a alta e o fazem por fanfarronice e como forma de se mostrarem, esses embora merecedores da nossa compaixão, são efetivamente os que mais induzem os ignorantes ao crime.
E a quantidade de inocentes mortos pelas balas perdidas, e a quantidade de traumas psicológicos que formatam?
Santo Deus, cabe a nós mesmos é que temos de envidar soluções, e não ficar esperando que Deus faça o que isoladamente somos incapazes...
Que Deus nos abençoe a todos, e a todos os nossos irmãos que ignoram suas consciências e agem em desacordo, para que tenhamos um mundo melhor...
Saúde e Paz!
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Mourarego em 21 de Outubro de 2010, 19:35
Exatamente mano victor,
e vou alongar mais a fieira que o amigo expos, para mostrar outro meio de incentivo: As propagandas, pelo menos no Brasil, e as campanhas anti drogas.
Apareceu na nossa TV  uma propaganmda mostrando as consequencias que eram veicuadas pela caractyeruização do artista no caso uma mulher antes linda que apareceia depois toda retalhada, partida, na ikmagem. Isso não é campanha, é piada, porque um viciado não ´[e um burro ou um idiota e sabe reconhecer oq ue não é real. assim ele acha piada e continua na mesma.
De oputro lado  as punições da lei estão sendo abrandadas ao viciado e no caso dele ser rico nem existem, transformam-0se em prestação de serviço alternativo etc.
Ora é necessário que a mão da lei seja pesada para fazer o sentido coativo da lei, senão  é pedir-se para ser descumprida tal lei.
A ação governamental também há de ser forte, mas ai a Igreja pela turma dos direitos humano sempre encontra um meio de fazer do traficante a maior vítima esquecendo-se das familias devastadas.
Ora, a Igreja não deve se meter senão com a religião e sem expandir sua fala para fora dos limites das igrejas ou templos.
Teu pais tal como o meu é de maioria católica e sabemos o que isso pode fazer com mentes mal formadas.
Também sabemos que na classe politica, isso da parte do meu pais, há integrantes que viabilizam as grandes compras de drogas, mas nada é feito, quer dizer faltando apuro na moralização desta classe também.
como vemos é uma sucessão de motivos que fazem com que a escalada das drogas não cesse. Quando uma partida de drogas de uma tonelada como a que foi apreendida em Lisboa é descoberta é que já passou pela mesma fonte quantidade muito superior e em alguns casos a droga acaba sendo roubada dos cofres da polícia federal como vimos acontecer cá no Brasil.
Cabe ao Espírita a conscientização, contudo há de ser feita inteligente e moralizadamente, sem imposição mas conduzindo ao racíocinio.
Nós ainda erramos demais  ao colocarmos mais "achismos" do que a verdade da doutrina.
Há muitos espiritólicos que transferem a Deus uma proteção que Ele não dá na maneira que eles ensinam. tudo isso é fator de fortificação de uma atitude no vício.
Os cigarros, houve temo que eram o padrão da vitalidade, macheza e riqueza dos anuncio, sempre um ator bonito ladeado por mulheres lindas e todos fumando.
AS TVs também fazem mau pela na informação, quando em novelas tardetinas, colocam temas sobre drogas ou mesmo natalidade sem nenhuma explicação, vem daí um súbito crescimento da gravidez na adolescência e ninguém faz nada.
O problema é grande, vasto e de difícil conserto mano. Sabemos nós.
abraços,
Moura
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: Victor Passos em 21 de Outubro de 2010, 19:45
Ola bons Amigos

  É isso bom Amigo a sombra , é a ponta do iceberg e para costurar , é preciso muita aplicação...Costunma -se dizer aqui , é preciso agarrar o touro pelos cornos....e não é facil....

Muita paz

Victor Passos
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: maria gi em 21 de Outubro de 2010, 22:38
Oi Vitor Passos

obrigada pr ter posto este tema em discussão, é importantísssimo falar sobre isso

Um abraço
Título: Re: Liberalização das Drogas Visão Espirita
Enviado por: azevedok em 23 de Outubro de 2010, 12:48
Bom dia a todos.
A questão da liberação das drogas é um assunto hoje muito divulgado na sociedade, a revista Epóca fez uma reportagem a respeito, não faz muito tempo.

Concordo com o amigo que defende sua liberação, pois o dinheiro envolvido em armamentos de ambos os lados, os profissionais treinados para conter/manter a violência e todo o esquema montado para proteger e propagar a droga e/ou suas vítimas, pode ser direcionado para a educação.

Orientação maciça das famílias, com projetos ligados aos bolsas-auxilio disseminados pelos governantes.  Não basta obrigar a família a colocar seu filho na escola.  O pai, a mãe, o que sustenta o lar, também deveria ser direcionado à escola, para se qualificar e conseguir trabalho digno, por exemplo... o filho vendo que seus responsáveis estão se esforçando, se esforçaria pelo exemplo recebido.   Auxílios programados por ano.  A família receberia até que seus responsáveis completassem o curso fundamental, por exemplo.  Outra entevista e então nova autorização para auxílio, dependendo do que estes queiram estudar na próxima etapa.   Qualificação para o trabalho ligada à vontade de trabalhar, deveriam ser dados a avaliar nestas propostas de amparo às famílias...

Dar por dar, não alimenta a alma.

As famílias devem ser educadas em projetos cada vez mais amplos, qualificadas para ser pai, mae, tio, avo...enfim, responsáveis de melhor qualidade.

Paralelo a isso, projetos culturais, com dança, teatro, musica, expressões artisticas das mais variadas, ligadas à psicologia, fazendo assim grupos-terapia onde a teoria e a ação promoveriam cidadãos mais fortes, críticos, qualificados eticamente, sabendo escolher melhor onde estar e o que fazer.

A dificuldade está em que,  uma população que pensa, não pode ser manipulada... mas isso já é uma outra questão...

Desculpem o tom de desabafo.

Abraços a todos.