Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Tópico iniciado por: Cavalcanti. em 25 de Maio de 2012, 00:13

Título: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 25 de Maio de 2012, 00:13
Com base nessas perguntas do Livro dos Espíritos, explicitarei minha dúvida:

Citar
121. Por que alguns Espíritos seguiram o caminho do bem e outros o do mal?
Não têm eles o livre-arbítrio? Deus não criou Espíritos maus; criou-os simples e ignorantes, ou seja, com as mesmas aptidões tanto para o bem quanto para o mal. Os que são maus o são por vontade própria.

122. Como é que os Espíritos, em sua origem, quando ainda não têm consciência de si mesmos, podem ter a liberdade de escolha entre o bem e o mal? Há neles algum princípio, alguma tendência que os leve para um ou outro caminho?
O livre-arbítrio se desenvolve à medida que o Espírito adquire a consciência de si mesmo. Não haveria mais liberdade se a escolha fosse determinada ou imposta por uma causa independente da vontade do Espírito. A causa não está nele, e sim fora, nas influências a que cede em virtude de sua livre vontade. É essa a grande figura da queda do homem e do pecado original: uns cederam, outros resistiram à tentação.

122.a) De onde parte a influência sobre ele?
Dos Espíritos imperfeitos que procuram apossar-se dele para dominá-lo e ficam satisfeitos de o fazer fracassar. Foi isso que se quis simbolizar na figura de Satanás.

Como pode o homem, na sua origem como espírito, simples e ignorante, sem bases nenhuma para discernir certo ou errado, ou seja, com praticamente nenhum livre-arbítrio, pode escolher entre o bem e o mal por si só? Como o homem pode ceder às influências externas por livre vontade, se não sabe o que quer, pois nunca existiu antes?

Isso só me faz pensar que o meio em que o espíritos está incluído que foi responsável pelo seu encaminhamento. Como todos foram criados simples e ignorantes, é difícil conceber que cresceram de forma diferente, a única diferença que possuem é o ambiente em que foram colocados, suponho novamente que o que é responsável pelo encaminhamento do espírito não é escolha dele próprio.

Como pode isso? Já que meu pensamento é contrário ao que dizem os espíritos no LE.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Danilo Henrique em 25 de Maio de 2012, 01:54
"pois nunca existiu antes"

De onde você tirou isso? Não acha que Deus criou o nosso espírito do nada, com um estalar de dedos, né?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 25 de Maio de 2012, 02:03
"pois nunca existiu antes"

De onde você tirou isso? Não acha que Deus criou o nosso espírito do nada, com um estalar de dedos, né?

Se quiser contar o princípio inteligente como importante também, na sua forma mineral, vegetal e animal. Tudo bem, mas acho que isso não modifica meu pensamento.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 25 de Maio de 2012, 02:56
Caro Leandro, um rapaz curioso sem duvida. Isso é bom, sou assim tambem.
Você gosta de cerveja? Já tomou um porre?
Bem, eu já. E lembro bem da minha mãe, quieta me observando enquanto o mundo girava ao meu redor. Quando melhorei fui dormir. No outro dia ela me disse uma só frase: "Viu como é, agora tu sabe se vai querer fazer de novo".Nunca mais.
Não sei se você gostou da historinha, mas é a realidade.
Alguem ja disse que no princípio, temos instintos, desses passamos as sensações e por fim os sentimentos.
Ao ser criado o espirito tem o instinto do que deve fazer. Comer, dormir, andar, tudo é instintivo. A medida que seu intelecto evolui, passa a ter percepções. Existem espécies de macaco que usam ferramentas, tais como pedras pontiagudas, para facilitar sua alimentação. Isso é a percepção que podemos usar as coisas. Foi assim com a invenção da roda, a descoberta do fogo, a alavanca.
Ate chegar o momento em que a evolução intelectual lhe fara compreender a necessidade da evolução moral.
Mas, o egoismo e o orgulho, manifestados no apego excessivo a materia densa e a tudo que ela oferece, são o "meio" de que nos falam os amigos, pois que, ainda mais proximos do animal, do instintivo e das sensações menos evoluidas, sucumbimos as tentações do prazer imediato e descompromissado.
É esse prazer imediato e descompromissado que faz de nos, devedores da nossa própria consciência, nessa constante busca de aprimoramento.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 25 de Maio de 2012, 03:21
Eu entendi a ideia do instinto, mas se Deus criou todos iguais, e consequentemente seus pensamentos e instintos são iguais (o que difere é somente o meio em que foram colocados), por que depois tomam caminhos diferentes, se a causa não é unicamente o meio?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Norizonte da Rosa em 25 de Maio de 2012, 12:34
Olá Amigo.

Algumas questões, como essa, parece, às vezes, que estão fora do nosso entendimento e muitas vezes acredito que estão mesmo, pois se somos seres atrasados, como entenderemos toda a obra Divina? Isso não quer dizer que não possamos ter nossas ideias e trocá-las, ainda que assim não tenhamos pretensão de fazer Doutrina.

Apenas uma opinião, veja o que o Amigo escreveu:

"
, ou seja, com praticamente nenhum livre-arbítrio, pode escolher entre o bem e o mal por si só?

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/escolha-do-espirito-entre-o-bem-e-o-mal-na-origem-de-sua-existencia/#ixzz1vsWaJU9T"

Essa questão já foi tema de outra discussão inciada por mim e 'chegamos a uma conclusão', baseado no que diz a resposta à questão 122, "..o livre-arbítrio se desenvolve à medida que o espírito adquire consciência de si mesmo" de que o espirito, enquanto não tiver desenvolvido essa consciência de si mesmo, enquanto ignorante, poderia sim ter procedido mal, mas esse mal só teria 'entrado na conta' do espírito somente quando seu livre-arbítrio tivesse se desenvolvido.

Veja também que a resposta à questão 122a trata da influência dos espíritos imperfeitos, mas se os espíritos imperfeitos tem influência na 'vida' inicial do espírito, por que não teria o espírito, como temos, a influência de um espírito elevado, um guia? Outra questão é que, me parece, ser criado simples e ignorante não significa ser criado igual, igualdade de condições sim, mas igualdade intimamente falando me parece que não, pois se assim fosse onde estaria a individualidade de cada um? 

Resumindo:no início quando ignorante e sem a consciência de si mesmo pode ter errado sem responsabilidade,  após o espírito adquiririndo a consciência de si mesmo e sob a influência dos espíritos imperfeitos e dos espíritos mais evoluídos, pôde decidir (livre-arbítrio) o caminho do bem ou do mal.

Repito que é apenas uma ideia! (não dá para deixar de lembrar que estamos divagando, pelo menos eu estou, sobre uma existência, a primeira do espírito, em um mundo mais inferior que a terra, onde os seres deveriam ter, ou ser, propensos a defeitos piores e desconhecidos aqui da terra).

Um abraço.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Danilo Henrique em 25 de Maio de 2012, 14:11
Eu entendi a ideia do instinto, mas se Deus criou todos iguais, e consequentemente seus pensamentos e instintos são iguais (o que difere é somente o meio em que foram colocados), por que depois tomam caminhos diferentes, se a causa não é unicamente o meio?

Leandro, justamente pela causa não ser unicamente o meio, que os espíritos tomam rumos diferentes.
Pois a medida que se desenvolve o livre arbítrio, o espírito tem a liberdade de usá-lo como quiser. Para mim, isso já explica tudo, não entendi a sua dúvida.


Dá uma olhada nesse tópico, onde o N. Rosa apresentou dúvida similar, e o assunto ficou bem desenvolvido.
http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/nem-todos-passaram-(conscientemente)-pela-fieira-do-mal/
Abraços!
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Norizonte da Rosa em 25 de Maio de 2012, 14:20
Só, se for consultar o tópico que o Danilo indicou, desconsidere o título do tópico que está totalmente errado.

Abraço.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: André Luis Carvalho em 25 de Maio de 2012, 14:31
Não há "praticamente nenhum livre-arbítrio", conforme as respostas dos espíritos, ele nasce com o livre-arbítrio. Aprende errando e acertando. Sua consciência vai dizer o que se deve fazer, antes do espírito entrar no processo de esquecimento ele mesmo "ditará" sua vida na Terra, tendo a consciência do que deverá ser feito, isso implicará diretamente na evolução do mesmo.

É questão de escolha, por ter pensamento limitado, um espírito imperfeito (ou recente) não pensa completamente nas consequências de suas ações.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 25 de Maio de 2012, 14:49
Mano Norizonte, com sua permissão gostaria de acrescentar algo.
O que é instinto?
O animal é culpado por matar a presa?
O leão escolhe ir para a direita ou para a esquerda, anda mais rapido ou mais devagar por que acha o caminho mais facil ou bonito?
Ainda que sendo principio inteligente, o espirito tenha a faculdade de pensar, essa só será efetivada a medida que seu intelecto, sua inteligencia forem evoluindo, com seu cérebro que é o aparelho fisico para exercitar essa inteligência.
Poderiamos talvez incluir ai a pirâmide de Maslow. A medida queas necessidades mais urgentes vão sendo atendidas, surgem outras. Uma vez alimentado, vou me abrigar, uma vez abrigado vou me preocupar com agasalhar e assim por diante.
A cada necessidade satisfeita surgem outras e a partir dai o ser vai começando a escolher suas prioridades. Quando isso acontece, começou a tomar consciencia de si e a fazer escolhas que, essas sim, refletirão no seu futuro.
Acho que é mais ou menos por ai.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 25 de Maio de 2012, 15:28
Pergunta do tópico: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Resposta, os Espíritos (todos), são creados, simples e ignorantes.
Ora não se escolhe uma conduta, quando ignoramos  o tudo.
com o passar das encarnações, e com as experiências já vividas vais se formando o intelecto e deste, a seguir-se, a moral, então a conduta é tomada no sentido de nos afinizarmos mais com certa ordem de coisas, ou menos, para com esta mesma ordem.
Só uma coisa: Espíritos recém-creados, não estão entre nós, pois hão que passar por mundos outros para conseguirem amealhar o conhecimento que os fará encarnar na terra.
Abraços,
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 25 de Maio de 2012, 19:14
Vou formular então outra pergunta:

Já que escolhemos nosso caminho devido às nossas experiências, então o nosso livre-arbítrio foi baseado primordialmente no meio em que fomos inseridos?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: hcancela em 25 de Maio de 2012, 19:40
Olá amigos(as)


Espíritos recém-criados podem escolher conduta? Estamos bem longe de conhecer o inicio dos Espíritos.

Tudo que possamos tentar explicar o (inexplicável) aos nossos olhos, é mera especulação.



Saudações fraternas
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 25 de Maio de 2012, 19:47

Como pode o homem, na sua origem como espírito, simples e ignorante, sem bases nenhuma para discernir certo ou errado, ou seja, com praticamente nenhum livre-arbítrio, pode escolher entre o bem e o mal por si só? Como o homem pode ceder às influências externas por livre vontade, se não sabe o que quer, pois nunca existiu antes?

Começa com os tropeções
até que o dedão não aguenta mais
ai passamos a andar com mais cautela até inventarmo os calçados

Ai melhora a conduta
Citar
Isso só me faz pensar que o meio em que o espíritos está incluído que foi responsável pelo seu encaminhamento. Como todos foram criados simples e ignorantes, é difícil conceber que cresceram de forma diferente, a única diferença que possuem é o ambiente em que foram colocados, suponho novamente que o que é responsável pelo encaminhamento do espírito não é escolha dele próprio.

igual a girino
sai aqueles, abanando suas nadadeira rabais
e vai indo
O meio favorece, ainda mais quando partimos para os extremos...

mas
uma pergunta
"homens" simples e ignorantes houve?


Citar
Como pode isso? Já que meu pensamento é contrário ao que dizem os espíritos no LE.

ai cada um tem o seu
deve ser a maneira que o conduziu
é só voltar
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 25 de Maio de 2012, 19:49
Nós desenvolvemos nosso livre arbitreo conforme
desenvolvemos nossas idéias


por isso que não é tão errado plagiar as idéias dos outros

para termos uma boa idéia
precisaremos ter muitas idéias
ai agente pega as dos ouutros
e avalia
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 26 de Maio de 2012, 16:34
Veja mano Leandro:
O amigo agrupa, duas coisas e dois momentos bem diferentes.
O primeiro é o do surgimento ou creação dos Espíritos.
Neste sim, Deus os Fez simples e ignorantes.
Ora, não tendo sido a Terra o local das primeiras encarnações dos Espíritos, com certeza não foi nela e nem no meio em que somos inseridos nela, o momento inicial.

O segundo é exatamente sobre a colocação de que se fomos feitos todos simples e ignorantes (Espíritos), decorreria que fossemos todos iguais, este o outro erro.
Cada um meu mano, é um Universo finito em si mesmo, logo, aquilo que eu fizer, respondendo às vicissitudes que venha a sofrer, pode ser diferente das respostas que você dará para as mesmas vicissitudes.
Sabemos também que as vicissitudes não são iguais para todos, e este é outro ponto que fará com que ajamos assim ou assado diante delas.
Ainda outro ponto e este de suma importância:
O de não darmos o mesmo valor às coisas da moral. Você pode dar valor extremo, e eu não.
Abraços,
Moura

Vou formular então outra pergunta:

Já que escolhemos nosso caminho devido às nossas experiências, então o nosso livre-arbítrio foi baseado primordialmente no meio em que fomos inseridos?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 26 de Maio de 2012, 18:39
Tudo bem, então os espíritos foram criados simples e ignorantes, mas não iguais, e o seu livre-arbítrio é baseado nas suas experiências e nas características que Deus inseriu em nós ao sermos criados (caso contrário seríamos iguais).

Então eu posso dizer que a nossa "livre-vontade" foi criada a partir dessas características primárias e no meio externo a que fomos submetidos. E como isso influenciou na nossa conduta entre o bem e o mal, então por que eu não poderia dizer que Deus foi injusto (por absurdo) ao dar características favoráveis à escolha do bem para um e não para outro?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 26 de Maio de 2012, 19:20
Não mano Leandro,
Deus não insere nada, nós é que amealhamos todas as características através daquilo a que nos afinizemos.
Senão, qual o mérito que teríamos?
Abraços,
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Kazaoka em 26 de Maio de 2012, 22:41
O Espírito avança em intelecto e em moral, nessa ordem.
E o Livre Arbítrio, que é o que permite ao Espírito discernir, vem depois do início do desenvolvimento intelectual. É assim que a DE explica esta questão.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: HamLacerda em 26 de Maio de 2012, 23:12
Revista Espírita 1864 » Janeiro » Questões e problemas »


Progresso nas primeiras encarnações


Pergunta. Duas almas criadas simples e ignorantes não conhecem o bem nem o mal ao virem à Terra. Se, nessa primeira existência, uma segue o caminho do bem e a outra o do mal, como, de certo modo, é o acaso que as conduz, elas não merecem castigo nem recompensa. Essa primeira viagem terrestre não deve ter servido senão para dar a cada uma delas a consciência de sua existência, consciência que antes não tinham.

Para ser lógico, seria preciso admitir que os castigos e as recompensas não começariam a ser infringidos ou concedidas senão a partir da segunda encarnação, quando os Espíritos já sabem distinguir o bem do mal, experiência que lhes faltava quando de sua criação, mas que adquiriam por meio da primeira encarnação. Tal opinião tem fundamento?

Resposta. Posto a pergunta já esteja resolvida pela Doutrina Espírita, vamos responder, para instrução de todos.

Ignoramos absolutamente em que condições se dão as primeiras encarnações da alma, porque é um dos princípios das coisas que estão nos segredos de Deus. Apenas sabemos que são criadas simples e ignorantes, tendo todas, assim, o mesmo ponto de partida, o que é conforme à justiça. O que também sabemos é que o livre-arbítrio só se desenvolve pouco a pouco, e após numerosas evoluções na vida corpórea. Não é, pois, nem após a primeira, nem após a segunda encarnação que a alma tem consciência bastante nítida de si mesma para ser responsável por seus atos. Pode ser que só aconteça após a centésima ou talvez após a milésima. Dá-se o mesmo com a criança, que não goza da plenitude de suas faculdades nem um nem dois dias após o nascimento, mas depois de anos. Além disto, quando a alma goza do livre-arbítrio, a responsabilidade cresce em razão do desenvolvimento de sua inteligência. É assim, por exemplo, que um selvagem que come os seus semelhantes é menos castigado que o homem civilizado que comete uma simples injustiça. Sem dúvida os nossos selvagens estão muito atrasados em relação a nós, contudo, já estão bem longe de seu ponto de partida.

Durante longos períodos, a alma encarnada é submetida à influência exclusiva do instinto de conservação. Pouco a pouco esses instintos se transformam em instintos inteligentes, ou melhor, se equilibram com a inteligência, e só mais tarde, e sempre gradativamente, a inteligência domina os instintos. Só então é que começa a séria responsabilidade.

Além disso, o autor da pergunta comete dois erros graves. O primeiro é o de admitir que o acaso decide do bom ou do mau caminho que o Espírito segue em seu princípio. Se houvesse acaso ou fatalidade, toda responsabilidade seria injusta. Como dissemos, o Espírito fica num estado inconsciente durante numerosas encarnações; a luz da inteligência só se faz pouco a pouco e a responsabilidade real só começa quando o Espírito age livremente e com conhecimento de causa.

O segundo erro é o de admitir que as primeiras encarnações humanas ocorram na Terra. A Terra foi, mas não é mais um mundo primitivo. Os mais atrasados seres humanos que se encontram na face da Terra já se despojaram dos primeiros cueiros da encarnação, e nossos selvagens estão em progresso, comparativamente ao que eram antes que seu Espírito viesse encarnar neste globo. Julgue-se agora o número de existências necessárias a esses selvagens para transporem todos os degraus que os separam da mais adiantada civilização. Todos esses degraus intermediários se acham na Terra sem solução de continuidade, e podem ser seguidos observando-se as nuanças que distinguem os vários povos. Só o começo e o fim aí não se encontram, e o começo se perde, para nós, nas profundezas do passado, que não nos é dado penetrar. Aliás, isto pouco importa, pois tal conhecimento nada significaria para nós em termos de evolução.

Nós não somos perfeitos, eis o que é positivo. Sabemos que nossas imperfeições são o único obstáculo à nossa felicidade futura. Estudemos, pois, a fim de nos aperfeiçoarmos.

No ponto em que estamos, a inteligência está bastante desenvolvida para permitir ao homem julgar criteriosamente o bem e o mal, e é também neste ponto que a sua responsabilidade é mais seriamente empenhada, porque não mais se pode dizer o que dizia Jesus: “Perdoai-lhes, Senhor, pois não sabem o que fazem.”
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 27 de Maio de 2012, 02:12
Moura, então em que ponto seriam os espíritos diferentes ao serem criados, senão em suas características primárias, se não foram criados iguais?

HamLacerda, grato pelas palavras de sabedoria. Mas ainda assim, tenho dúvidas. Nós escolhemos entre o bem e o mal assim que temos consciência e a luz da sabedoria. Mas essa consciência e sabedoria foram totalmente baseadas nas suas experiências e instinto (que nos foi dado por Deus) ao longo das encarnações. Então por que não posso dizer que foi o meio e o contexto (não o acaso) que decidiram o caminho do bem ou mal para o espírito a princípio?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 27 de Maio de 2012, 02:25
Mano Leandro, por que o meio, em tese, no princípio, é igual tambem.
Ja citei aqui que a capacidade de escolha avança com a evolução intelectual, o que alias todos aqui reiteram.
Como somos simples e ignorantes, escolhemos aquilo que melhor nos serve no momento.
Se trouxermos para nosso momento evolutivo, teremos o meio no qual estamos inseridos como a ferramenta para nosso progresso, sendo o resultados de nossas escolhas passadas.
Nós fizemos o meio, no momento que decidimos se aceitamos ou não as suas sugestões.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: LuizFrancisco em 27 de Maio de 2012, 11:19
Olá a todos,

Trago mensagem do Espírito São Luiz no ESE sobre:

A passagem dos Espíritos pela vida corpórea é necessária, para que eles possam realizar, com a ajuda do elemento material, os propósitos cuja execução Deus lhes confiou. É ainda necessária por eles mesmos, pois a atividade que então se vêem obrigados a desempenhar ajuda-os a desenvolver a inteligência. Deus, sendo soberanamente justo, deve aquinhoar equitativamente a todos os seus filhos. É por isso que Ele concede a todos o mesmo ponto de partida, a mesma aptidão, as mesmas obrigações a cumprir e a mesma liberdade de ação.
Todo privilégio seria uma preferência, e toda preferência uma injustiça. Mas a encarnação, para todos os Espíritos, é apenas um estado transitório. É uma tarefa que Deus lhes impõe, no princípio da existência, como primeira prova do uso que farão do seu livre-arbítrio.
Os que executam essa tarefa com zelo, sobem rapidamente, e de maneira menos penosa, os primeiros degraus da iniciação, e gozam mais cedo o resultado do seu trabalho. Os que, ao contrário, fazem mau uso da liberdade que Deus lhes concede, retardam o seu progresso. E é assim que por sua obstinação, podem prolongar indefinidamente a necessidade de se reencarnarem. E é então que a encarnação se torna um castigo.

Abraços,
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Hebe M C em 27 de Maio de 2012, 11:55
Recém criados não fazem escolhas
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Norizonte da Rosa em 27 de Maio de 2012, 16:52
Tudo bem, então os espíritos foram criados simples e ignorantes, mas não iguais, e o seu livre-arbítrio é baseado nas suas experiências e nas características que Deus inseriu em nós ao sermos criados (caso contrário seríamos iguais).

Então eu posso dizer que a nossa "livre-vontade" foi criada a partir dessas características primárias e no meio externo a que fomos submetidos. E como isso influenciou na nossa conduta entre o bem e o mal, então por que eu não poderia dizer que Deus foi injusto (por absurdo) ao dar características favoráveis à escolha do bem para um e não para outro?

Entendo o que você questiona e também já me questionei nesse sentido, mas, nesse caso, lembro sempre do que é dito em algumas partes de OLE, ou seja, que não temos capacidade para entender tudo, todos os desígnios de Deus; pode parecer até uma atitude dogmática, mas não é, é apenas admitir minha incapacidade em alguns assuntos e não jogar fora tudo aquilo que parece lógico, por não entender uma parte que apenas posso fazer divagações.

De duas, uma: ou se entende Deus como injusto ao criar seres com capacidades diferentes de decidir, ou entende-se que todos fomos criados, além de simples e ignorantes, iguais intimamente falando o que soa mal e daria azo a teorias exóticas e sem a fundamentação confirmada por seres desencarnados como a de sermos apenas joquetes de um Deus, pois se não eramos desiguais no início então só poderemos ter ido por um ou outro caminho por decisão de Deus. Não é mais fácil admitir que somos incapazes em muitos temas para entendermos tudo que pôr em dúvida toda uma Doutrina que parece além de lógica, justa?

Abraço.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Vitor Santos em 27 de Maio de 2012, 17:09
Olá

A alma passa por uma fase anterior, em que é uma espécie de alma, que anima os animais. Só depois essa espécie de alma evolui para alma humana.

Antes de fazer escolhas é necessário desenvolver a inteligência.

bem hajam
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: NIKITA10 em 28 de Maio de 2012, 00:03
Moura, então em que ponto seriam os espíritos diferentes ao serem criados, senão em suas características primárias, se não foram criados iguais?

HamLacerda, grato pelas palavras de sabedoria. Mas ainda assim, tenho dúvidas. Nós escolhemos entre o bem e o mal assim que temos consciência e a luz da sabedoria. Mas essa consciência e sabedoria foram totalmente baseadas nas suas experiências e instinto (que nos foi dado por Deus) ao longo das encarnações. Então por que não posso dizer que foi o meio e o contexto (não o acaso) que decidiram o caminho do bem ou mal para o espírito a princípio?
Leandro, permita-me adicionar um outro questionamento como gancho do seu: por que seria então que antes de discernirmos o que é errado do que é certo, lá na base da formação do espírito, já começamos a sofrer? O sofrimento não é a consequência dos erros cometidos nas vidas passadas? Mas qual são os erros de quem não consegue discernir entre o certo e o errado?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 28 de Maio de 2012, 00:31
O sofrimento começa quando conseguimos compreender que aquilo é erado.
Tomamos as decisões que acreditamos serem as melhores, sempre.
Mas isso reflete basicamente nossos conhecimentos e o conceito que fizemos desse conhecimento.
Temos nossos valores, mas acima de tudo temos um entendimento sobre cada um deles, com base ai sim, com uma boa influencia do meio.
Tivemos uma discussão sobres sexo em outro tópico que é um bom exemplo.
A sociedade tem como norma o sexo sem compromisso como sendo algo aceitavel. E acho que é. Mas com certeza trará consequencia. Enquanto não houver consequencia, estaremos "curtindo a vida". Apartir do momento que trouxer uma consequencia desagradavel, passaremos a refletir, srrepender e por consequencia, sofrer.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: NIKITA10 em 28 de Maio de 2012, 00:55
O sofrimento começa quando conseguimos compreender que aquilo é erado.
Tomamos as decisões que acreditamos serem as melhores, sempre.
Mas isso reflete basicamente nossos conhecimentos e o conceito que fizemos desse conhecimento.
Temos nossos valores, mas acima de tudo temos um entendimento sobre cada um deles, com base ai sim, com uma boa influencia do meio.
Tivemos uma discussão sobres sexo em outro tópico que é um bom exemplo.
A sociedade tem como norma o sexo sem compromisso como sendo algo aceitavel. E acho que é. Mas com certeza trará consequencia. Enquanto não houver consequencia, estaremos "curtindo a vida". Apartir do momento que trouxer uma consequencia desagradavel, passaremos a refletir, srrepender e por consequencia, sofrer.
Gustavo, discordo de ti onde dizes que o sofrimento começa a ser impingido quando conseguimos compreender que aquilo é errado. Muito antes de ser absolutamente consciente do mal e bem o ser humano já sofria. Mesmo o ancestral comum do macaco e do homem já sofria. O ancestral do ancestral tb já sofria. Faz parte da nossa história de caçadores e presas esse sofrimento. Por isso não consigo entender essa parte de que o sofrimento é efeito das nossas vidas passadas.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 28 de Maio de 2012, 01:59
Tentando ser mais claro, caro Nikita, digo que o que nos faz sofrer, é a consciência do erro, a precepção de que estamos errados e que isso nos trara uma consequencia. No momento em que o remorso pela atitude equivocada nos atinge, vem o sofrimento.
Tambem existe o sofrimento causado pelo orgulho e pelo egoismo, que é o sofrimento de não conseguir aquilo que, normalmente não precisamos.
Nossa ignorância da verdadeira vida, que é a espiritual, nos faz buscar incessantemente as coisas materiais, e o nãoatendimento de nossas vaidades nos traz sofrimento.
São, em meu entender as formass de se fazer sofrer, e isso pode ou não ter a ver com nossa história espiritual, cuja compreensão é fundamental para melhor viver.

Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Norizonte da Rosa em 28 de Maio de 2012, 11:49
Moura, então em que ponto seriam os espíritos diferentes ao serem criados, senão em suas características primárias, se não foram criados iguais?

HamLacerda, grato pelas palavras de sabedoria. Mas ainda assim, tenho dúvidas. Nós escolhemos entre o bem e o mal assim que temos consciência e a luz da sabedoria. Mas essa consciência e sabedoria foram totalmente baseadas nas suas experiências e instinto (que nos foi dado por Deus) ao longo das encarnações. Então por que não posso dizer que foi o meio e o contexto (não o acaso) que decidiram o caminho do bem ou mal para o espírito a princípio?
Leandro, permita-me adicionar um outro questionamento como gancho do seu: por que seria então que antes de discernirmos o que é errado do que é certo, lá na base da formação do espírito, já começamos a sofrer? O sofrimento não é a consequência dos erros cometidos nas vidas passadas? Mas qual são os erros de quem não consegue discernir entre o certo e o errado?

Desculpe-me  pela intromissão, mas Amigo Nikita não sofremos apenas por faltas em vidas passadas, sofremos também pela vida presente, basta que tenhamos feito algum excesso, por exemplo, isso poderia ser aplicado à primeira encarnação do espírito e se pensarmos bem, o sofrimento de alguma forma ensina, se bebermos muita bebida alcoólica, ou se ingerirmos muito de determinado alimento até mesmo no dia seguinte poderemos sentir os efeitos indejados do excesso cometido; essa não é uma forma de aprender a custa dos próprios erros?



Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Diegas em 28 de Maio de 2012, 14:10
Revista Espírita 1864 » Janeiro » Questões e problemas »


Progresso nas primeiras encarnações

(...)Durante longos períodos, a alma encarnada é submetida à influência exclusiva do instinto de conservação. Pouco a pouco esses instintos se transformam em instintos inteligentes, ou melhor, se equilibram com a inteligência, e só mais tarde, e sempre gradativamente, a inteligência domina os instintos. Só então é que começa a séria responsabilidade.(...)


Olá

Se a alma encarnada, como nos informa a espiritualidade, durante longos períodos é submetida à influência exclusiva do instinto de conservação, fica evidente que ela estagia/ou no reino animal, o que resulta saber das diferenças que predominam, por exemplo, entre a alma de um tigre e de um cervo. Obvio que o processo de 'domesticação' ou 'espiritualização' dessas 'almas' serão diferentes quando atingirem o reino hominal.


Abç

Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 28 de Maio de 2012, 15:26
Amigo leandro,
Note bem: "OS ESPÍRITOS FORAM CREADOS, SIMPLES E IGNORANTES".
Esta a informação da DE.
Logo, todos, sem exceção, não tinham nem o intelecto e nem a moral, acrescidos de algo.
Assim começamos todos.
Porém ao cabo de sucessivos reencarnes uns tenderam para o norte e outros para o sul. Simples não?

Moura, então em que ponto seriam os espíritos diferentes ao serem criados, senão em suas características primárias, se não foram criados iguais?

HamLacerda, grato pelas palavras de sabedoria. Mas ainda assim, tenho dúvidas. Nós escolhemos entre o bem e o mal assim que temos consciência e a luz da sabedoria. Mas essa consciência e sabedoria foram totalmente baseadas nas suas experiências e instinto (que nos foi dado por Deus) ao longo das encarnações. Então por que não posso dizer que foi o meio e o contexto (não o acaso) que decidiram o caminho do bem ou mal para o espírito a princípio?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 28 de Maio de 2012, 15:27
Poxa Diegas, ainda em dúvida?
O que estagiou nos reinos foi o PI e não o Espírito.
Abraços,
Moura

Revista Espírita 1864 » Janeiro » Questões e problemas »


Progresso nas primeiras encarnações

(...)Durante longos períodos, a alma encarnada é submetida à influência exclusiva do instinto de conservação. Pouco a pouco esses instintos se transformam em instintos inteligentes, ou melhor, se equilibram com a inteligência, e só mais tarde, e sempre gradativamente, a inteligência domina os instintos. Só então é que começa a séria responsabilidade.(...)


Olá

Se a alma encarnada, como nos informa a espiritualidade, durante longos períodos é submetida à influência exclusiva do instinto de conservação, fica evidente que ela estagia/ou no reino animal, o que resulta saber das diferenças que predominam, por exemplo, entre a alma de um tigre e de um cervo. Obvio que o processo de 'domesticação' ou 'espiritualização' dessas 'almas' serão diferentes quando atingirem o reino hominal.


Abç


Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Diegas em 28 de Maio de 2012, 16:22

Moura


A não ser que no seu entendimento o PI seja o de uma alma encarnada. Só assim estaríamos falando da mesmissima coisa com palavras diferentes. Ou seja, tenho uma conceituação diferente para o Principio Inteligente.

Peço que releia o texto:

Citar
'...a alma encarnada é submetida à influência exclusiva do instinto de conservação. Pouco a pouco esses instintos se transformam em instintos inteligentes, ou melhor, se equilibram com a inteligência, e só mais tarde, e sempre gradativamente, a inteligência domina os instintos. Só então é que começa a séria responsabilidade(...)

------


De todo modo, o que gostaria de registrar é que não adentramos o plano hominal em igualdade de condições. Cada um traz uma experiencia particular, com sensações diferenciadas, desde o reino animal.


Abç

Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 28 de Maio de 2012, 19:52
Diegas,
o texto a que você se refere faz alusão à alma encarnada, logo, não ao Espírito em si.
O texto do tópico porém nos pergunta: "Espíritos recém-criados podem escolher conduta?"
Se são recém creados, não estão em nosso mundo,m posto que só chegarão á terra depois de período de encarnação em mundos inferiores a Terra.
O amigo continua errando o alvo quando se refere a entrarmos no mundo hominal...
Se o Espírito é creado simples e ignorante, ele ignorando a tudo o que o intelecto possa lhe ditar, também, não trará tendência alguma, sendo por este pormenor, chamado de simples.
Tudo isso porém se  dará para com o Espírito antes dele estar na terra, mas já como Espírito hominal.
Abraços,
Moura


Moura


A não ser que no seu entendimento o PI seja o de uma alma encarnada. Só assim estaríamos falando da mesmissima coisa com palavras diferentes. Ou seja, tenho uma conceituação diferente para o Principio Inteligente.

Peço que releia o texto:

Citar
'...a alma encarnada é submetida à influência exclusiva do instinto de conservação. Pouco a pouco esses instintos se transformam em instintos inteligentes, ou melhor, se equilibram com a inteligência, e só mais tarde, e sempre gradativamente, a inteligência domina os instintos. Só então é que começa a séria responsabilidade(...)

------


De todo modo, o que gostaria de registrar é que não adentramos o plano hominal em igualdade de condições. Cada um traz uma experiencia particular, com sensações diferenciadas, desde o reino animal.


Abç


Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: NIKITA10 em 28 de Maio de 2012, 23:55
Tentando ser mais claro, caro Nikita, digo que o que nos faz sofrer, é a consciência do erro, a precepção de que estamos errados e que isso nos trara uma consequencia. No momento em que o remorso pela atitude equivocada nos atinge, vem o sofrimento.
Tambem existe o sofrimento causado pelo orgulho e pelo egoismo, que é o sofrimento de não conseguir aquilo que, normalmente não precisamos.
Nossa ignorância da verdadeira vida, que é a espiritual, nos faz buscar incessantemente as coisas materiais, e o nãoatendimento de nossas vaidades nos traz sofrimento.
São, em meu entender as formass de se fazer sofrer, e isso pode ou não ter a ver com nossa história espiritual, cuja compreensão é fundamental para melhor viver.
Estás querendo dizer que sofrimento físico não existe?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Maio de 2012, 02:27
Amigo Nikita, não disse isso, o tópico fala de  espiritos recem criados escolherem a conduta.
Diante do tema, chegou-se aoconceito de sofrimento, e aqui entendi ser o sofrimento moral que acompanha os equivocos que cometemos enquando espiritos ignorantes em processo evolutivo.
As dores físicas, que acontecem, no mais das vezes, tambem são decorrentes de decisões morais equivocadas. Doenças como cirrose, e câncer, tem na maioria das vezes origens em abusos na área alimentar e nos vicios.
Existe tambem a teoria dita por alguns "espiritualistas" de que o câncer é a "doença da mágoa". De novo teremos no câncer uma doença de fundo espiritual, provocada pelos equivocos morais que praticamos.
De uma maneira geral, todos os problemas orgânicos que possuimos, veem em decorrencia da desarmonia do espirito, ou se preferir, do perispirito.
É meu entendimento
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Kazaoka em 29 de Maio de 2012, 03:10
O Espírito humano é criado humano desde sua formação. E faço essa afirmação sustentado pelo o que os próprios Espíritos superiores dizem sobre a falta de unanimidade entre eles sobre o assunto. Portanto, me sinto confortável em alinhar aos que creem que o Espírito humano foi criado humano, não necessitando estagiar entre os seres inferiores da criação.

No instante da criação ele, o Espírito, tem todas potencialidades latentes. A primeira a desenvolver é a intelectual, as "forças das coisas" faz com que o Espírito desenvolva a inteligência em função da aplicação do raciocínio.
À medida que o raciocínio avança com as experiências vividas, o Ser passa a perceber a necessidade das inter relações com as demais obras da Criação, principalmente com os semelhantes, para o seu próprio fortalecimento ante as adversidades naturais que está exposto e que opõem à sua sobrevivência.

Quando o Espírito toma ciência da sua interação com o meio e com a vida compartilhada, ele começa a exercitar a sua potencialidade moral. As paixões começam a serem despertadas e este é o indício de que o Espírito desenvolveu. Após este estágio começa a marcha evolutiva da moral do Espírito, através do exercício do seu Livre Arbítrio, baseado no que apreendeu em sua fase de desenvolvimento intelectual e de inter relações com o meio e com os outros Espíritos.   
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Diegas em 29 de Maio de 2012, 10:57
'...o texto a que você se refere faz alusão à alma encarnada, logo, não ao Espírito em si...'

Moura

O que é uma alma encarnada senão o proprio Espirito em evolução ?

O texto do tópico porém nos pergunta: "Espíritos recém-criados podem escolher conduta?"


Obvio que o autor do tópico não soube formular de modo adequado a questão, e isso é plenamente desculpável em vista de cada um conceber de forma diferente o que seja o Espirito. Para alguns não passa de uma centelha, ou de uma gonada, ou de uma alma encarnada, ou desencarnada, um Anjo ou até um Arcanjo....enfim...há os que ainda tentam identificar em qual fase da evolução aparece o Espirito. Para mim, ele está presente desde o exato momento de sua formação, ou seja, recém-saido das mãos de Deus. Se assim é, então, sobra-me responder a pergunta do tópico que o espirito nessas condições não tem qualquer poder de escolha, somente terá quando desenvolver a inteligencia no reino hominal.



Abç
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 29 de Maio de 2012, 16:30
Mas mano Diegas,
será que o amigo está a ler tão velozmente que não atentou para a diferença?
A questão quer saber se Espíritos Recém creados... Ora, se são recém creados não estão encarnados meu mano, ou será que conseguiram furar a fila do "check in" Espiritual?
Mas o amigo empacou na coisa da alma encarnada, que está em situação bem diferente posto que está sob encarnação enquanto os Espíritos que a questão busca compreender acabaram (recém), de serem credos.
Sacou?
abraços,
Moura



Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Diegas em 29 de Maio de 2012, 17:50
'...Sacou?...'

Moura


Saquei !!!


Mas será que o autor do tópico sacou ?

Suponha que ele tenha considerado Espirito como um homem encarnado. O que me diz ?


Se assim foi o raciocinio, e só pode ter sido por que ele fala-nos em 'escolhas', então, sigo em frente para concluir que o Espirito quando adentra o reino hominal encontra-se com uma bagagem de sensações diferenciais, antes até de se tornar um 'embrião espiritual' (elemental)

Em relação a ficar em 'piruetas' ou zigue-zagues (como queira) foi em virtude de HamLacerda trazer-nos uma informação importantissima para o estudo, a qual não poderia passar despercebida.



Abç
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 30 de Maio de 2012, 01:16
mano diegas, não posso saber qual foi o ponto em que o autor se baseou, aliás, se ele pensou Espíito para o homem, mas se for assim ele já começou chutando para fora não?
Dizer-se Espírito e mais que isso recém creado, para designar ao home é tão errado quanto dizer-se alma, para designar o espírito (note que este espírito não leva E maiúsculo).
Alma é o Espírito encarnado ensinam em OLE os Espíritos Superiores;
"espírito" é o ser inteligente do Universo.
E Espírito é ser inteligente da Creação.
As diferenças são tão grassantes que se perguntarmos a um guri da evangelização ele as achará num átimo.
abraços,
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: EsoEstudos em 30 de Maio de 2012, 02:02
A responsabilidade nasce no exato momento em que o Espírito compreende o caráter lícito ou ilícito de seu ato. Isso por certo não ocorre no momento em que o Espírito é criado. Quanto tempo depois? Não tenho a mínima ideia... Mas creio que isso também varia muito...

Em "O Céu e o Inferno" (dentre outras obras) aborda-se a origem instintiva do que, depois, ganha o nome de "mal" --- as paixões e os vícios derivam do instinto de conservação, mas só podem ser assim valorados SE a noção de certo e errado, ao menos minimamente, se estabeleceu.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 30 de Maio de 2012, 13:12
Mano Eso.
Interessante, principalmente a parte final de seu post.
Entretanto, podemos esbarrar em um problema de dificil mensuração e compreensão: o conceito.
O conceito que cada um tem do seja certo e errado. Padrões de conduta "normais" muitas vezes estabelecem um conceito do que seja certo, bastante equivocado, mas que acaba moldando o comportamento dos individuos.
Por exemplo, furar a fila. recentemente nosso jogador Neymar achou que poderia chegar nos EUAe passar na frente dos outros na fila da imigração, não pode, mas aqui, provavelmente fosse tietado e ele teria conseguido.
São conceitos que acabam sendo padronizados.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: EsoEstudos em 30 de Maio de 2012, 23:51
Mano Eso.
Interessante, principalmente a parte final de seu post.
Entretanto, podemos esbarrar em um problema de dificil mensuração e compreensão: o conceito.
O conceito que cada um tem do seja certo e errado. Padrões de conduta "normais" muitas vezes estabelecem um conceito do que seja certo, bastante equivocado, mas que acaba moldando o comportamento dos individuos.
Por exemplo, furar a fila. recentemente nosso jogador Neymar achou que poderia chegar nos EUAe passar na frente dos outros na fila da imigração, não pode, mas aqui, provavelmente fosse tietado e ele teria conseguido.
São conceitos que acabam sendo padronizados.

É verdade.

Mas tudo se harmoniza em um contexto mais amplo. Darei um exemplo polêmico e que costumar gerar todo tipo de refutações. Mas direi assim mesmo. Imagine, já nos tempos atuais, que um homem cometa um crime hediondo, sob os chamados requintes de crueldade... Várias possibilidades existem. Uma delas é particularmente desconcertante. Esse ser humano efetivamente pode não ter em seu acervo de conquistas cosmoéticas a valoração essencial do quão profundamente ilícita foi a sua conduta... SE isso ocorrer, as consequências cármicas desse cidadão do Universo serão MENOS intensas do que para o homem mediano que, num dado momento, opta livremente por causar um dano bem menor, mas plenamente ciente de toda a extensão de seu ato.

E por que?

Porque o nosso juiz está bem no meio de nossas orelhas...

Veja que isso é verdade, seja qual o for o cenário cultural em ele esteja inserido, em qualquer época. O caráter objetivo é, na verdade, objetivo-subjetivo.

Como dizia Ubaldi, não tem sentido algum separar o Criador da Criação.


Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: EsoEstudos em 31 de Maio de 2012, 00:00
Estudando-se todas as paixões e, mesmo, todos os vícios, vê-se que as raízes de umas e outros se acham no instinto de conservação, instinto que se encontra em toda a pujança nos animais e nos seres primitivos mais próximos da animalidade, nos quais ele exclusivamente domina, sem o contrapeso do senso moral, por não ter ainda o ser nascido para a vida intelectual. O instinto se enfraquece, à medida que a inteligência se desenvolve, porque esta domina a matéria. O Espírito tem por destino a vida espiritual, porém, nas primeiras fases da sua existência corpórea, somente a exigências materiais lhe cumpre satisfazer e, para tal, o exercício das paixões constitui uma necessidade para o efeito da conservação da espécie e dos indivíduos, materialmente falando. Mas, uma vez saído desse período, outras necessidades se lhe apresentam, a princípio semimorais e semimateriais, depois exclusivamente morais. É então que o Espírito exerce domínio sobre a matéria, sacode-lhe o jugo, avança pela senda providencial que se lhe acha traçada e se aproxima do seu destino final. Se, ao contrário, ele se deixa dominar pela matéria, atrasa-se e se identifica com o bruto. Nessa situação, o que era outrora um bem, porque era uma necessidade da sua natureza, transforma-se num mal, não só porque já não constitui uma necessidade, como porque se torna prejudicial à espiritualização do ser. Muita coisa, que é qualidade na criança, torna-se defeito no adulto. O mal é, pois, relativo e a responsabilidade é proporcionada ao grau de adiantamento.
(A Gênese – pág. 73).

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/o-ser-humano/360/#ixzz1wOeu05OM
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Diegas em 31 de Maio de 2012, 11:51
'...O instinto se enfraquece, à medida que a inteligência se desenvolve...'

Olá, Marcos


Permita-me alertar que 'inteligencia' não tem nada a ver com individuos economicamente ou politicamente bem sucedidos ou maravilhosamente instruidos pela nossa ciencia academica. Há um vicio de nossa sociedade em destacar homens 'inteligentissimos' sem atentar para os aspectos morais - em valorizar o exterior sem analisar o interior. Como diria o filosofo, há homens inteligentissimos no inferno.

Ou seja, importante destacar que o homem inteligente é aquele que consegue dominar os seus instintos.



Abç
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 31 de Maio de 2012, 15:00
"...O mal é, pois, relativo e a responsabilidade é proporcionada ao grau de adiantamento.
(A Gênese – pág. 73)."
Acho que essa frase resume muito bem o entendimento.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 02 de Junho de 2012, 15:21
Fiquei ausente essa semana, mas venho aqui para acabar com a confusão quanto às minhas pergunta e intenção que alguns tiveram.

Realmente o título foi mal-elaborado, mas me esclareço a seguir. O que quero saber é como e por que, de acordo com a justiça divina, o ser que acaba de "receber" o livre-arbítrio escolhe entre o bem e o mal, de forma justa, sendo que todas as suas experiências anteriores e escolhas foram totalmente baseadas nas suas necessidades e no instinto (que acredito ser independente a esse ser, mas dependente do ambiente, já que não escolhe suas necessidades nem seus instintos)?

Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 02 de Junho de 2012, 15:46
Mano Leandro,
um ser que já está apto a ter a parcela de livre arbítrio que possa ter, pois não não o recebe todo de uma vez, ainda não estará apto a penar justamente porque não detém ainda um conhecimento intelectual grande, neste caso, através de seus Ministros, Deus provê em algumas situações.
Abraços,
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 02 de Junho de 2012, 18:01
Isso eu entendi, então adiciona à minha pergunta "conscientemente das consequências" após "escolhe". É nesse aspecto que quero saber.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 02 de Junho de 2012, 18:23
Mano
No caso do tópico, havemos de ficar, pertinentes apo que a questão encerra como viés principal.
Este viés é o de serem recém creados.
Logo, se assim o são, nem mesmo encarnados estariam, e se encarnassem, seria em mundo ainda inferior ao nosso.
Nesses mundos, eles ainda não têm conhecimento ou moral que os faça discernirem.
ali eles ensaiam, para a encarnação em mundos de provas e expiações, e se quando já estejam aptos a tal, já conseguiram amealhar algo intelecto-moral, que os faz passarem a nosso mundo, onde chegam para continuarem o aprendizado, mas agora já com possibilidades de entendimento e necessidades maiores.
Antes eram supridos por Deus., ou seja por seus ministros, andavam trôpegos como nós aos primeiros passos, e tal como crianças que era, não pensavam como os Espíritos terrenos.
Podemos dizer que recém creado mesmo que já seja um Espírito, este ainda não tem conhecimento para que a Lei de Causa e Efeito, lhes responda da mesma maneira que responde a nós.
Abração,
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 03 de Junho de 2012, 14:20
Moura, já que está resistente a continuar com minha pergunta porque o tópico não a inclui, gostaria que eu crie um novo tópico só para a minha pergunta, perdendo a linha de raciocínio aqui já construída?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Kazaoka em 03 de Junho de 2012, 16:32
O que quero saber é como e por que, de acordo com a justiça divina, o ser que acaba de "receber" o livre-arbítrio escolhe entre o bem e o mal, de forma justa, sendo que todas as suas experiências anteriores e escolhas foram totalmente baseadas nas suas necessidades e no instinto (que acredito ser independente a esse ser, mas dependente do ambiente, já que não escolhe suas necessidades nem seus instintos)?

O desenvolvimento do Espírito, bem como seus atributos, vão sendo despertados de forma gradativa e natural. Não existe nenhum automatismo como o que vemos em uma linha de produção industrial. Então, colocações que normalmente usamos, como por exemplo a que você utilizou; "...acaba de receber..." quando se referiu ao Livre Arbítrio, são incorretas na significância do termo e no conceito que queremos expressar sobre o desenvolvimento espiritual.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 03 de Junho de 2012, 16:44
Tantas correções de vocabulário...

Assim, está melhor?

"O que quero saber é como e por que, de acordo com a justiça divina, o ser que já é capaz de escolher entre o bem e o mal escolhe entre um deles, de forma consciente das consequências, de forma justa, sendo que todas as suas experiências anteriores e escolhas foram totalmente baseadas nas suas necessidades e no instinto (que acredito ser independente a esse ser, mas dependente do ambiente, já que não escolhe suas necessidades nem seus instintos)?"

Ainda estou no aguardo da resposta.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Kazaoka em 03 de Junho de 2012, 17:00
O Livre Arbítrio não significa saber escolher entre o bem e o mal. O verdadeiro sentido, e é no qual fundamenta esse atributo do Ser, é a noção da responsabilidade que assumimos em função da escolhas feitas.
Livre Arbítrio não significa liberdade de escolher. Seu significado está atrelado à Lei de Causa e Efeito, onde a consciência sobre nossos atos atribui-nos a respectiva responsabilidade das consequências que deles advenham.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Kazaoka em 03 de Junho de 2012, 17:05
"Escolher" tem sua origem no desenvolvimento da intelectualidade e Livre Arbítrio tem origem no conhecimento da abrangência moral das escolhas feitas. Por isso o desenvolvimento intelectual vem primeiro do que o moral.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 03 de Junho de 2012, 17:54
Por que uns escolhem o mal e outros escolhem o bem?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Junho de 2012, 01:49
Mano Leandro.
Tenho para mim que, por sermos todos filhos de Deus,criados por amor, para o amor, não escolhemos praticar o mal, posto que o mal sequer existe.
O que acontece é que somos ignorantes dessa realidade, não temos o verdadeiro entendimento do que seja a vida real que é a do espirito imortal.
Com o esquecimento que temos das vidas passadas, e consequentemente a mais dificil ainda, compreensão dessa realidade, ficamos atrelados a matéria, a qual represeta a nossa "realidade". É essa realidade que vivemos.
As decisões que tomamos, são sempre aquelas que acreditamos serem a mais corretas, de acordo com nossas necessidades e desejos materiais e não espirituais.
O problema é que nossas escolhas trazem consequencias que não são exclusivamente nossas, que afetam nossas familias, nossos amigos.
Sempre que prejudicarmos alguem, ainda que inconscientemente, estaremos fazendo o mal.
A ganância, o egoismo, o orgulho é que nos levam a querer mais do que temos, precisamos ou merecemos, é ai que erramos e em errando, praticamos o mal.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 04 de Junho de 2012, 03:11
Mas será que existem pessoas que escolhem o mal conscientemente?
E por que existem pessoas diferentes que escolhem o bem?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Junho de 2012, 13:21
Mano Leandro, Jesus nos disse que não se pode servir a 2 senhores.
Não acho que alguem "escolha o mal conscientemente".
O que acontece é que cada um de nós, pela sua trajetória espiritual, nos mundos materiais, possui um cabedal de valores, aos quais busca de forma consciente. Vejamos um exemplo, doqual posso falar bem.
Todos sabemos que o cigarro é um produto que vicia e que leva a doenças diversas, normalmente fatais.
Com o argumento de que fuma quem quer, minha cidade natal, Santa Cruz do Sul, aqui no sul do Brasil, vive as custas da produção e beneficiamento do tabaco.
É uma atividade agricola e industrial como tantas outras, mas que produz um artigo, o cigarro, que é um veneno.
As pessoas que trabalham na cadeia produtiva do cigarro precisam dos empregos para sua susbsitencia, portanto escolheram, conscientemente produzir e beneficiar fumo para produção desse veneno chamado cigarro. Elas escolheram o mal? Elas fazem o mal?
Podemos raciocinar da mesma forma com relação a bebida. Quantos motoristas embriagados provocam tragédias nas estradas. As pessoas que trabalham nas fabricas de bebidas ou nos bares que as vendem, deveriam ficar sem emprego para não praticarem ou fomentarem o mal?
O problema do nosso planeta meu irmão, é que ainda estamos muito proximo do inicio animalizado da criação. Ainda estamos mais interessados nos prazeres da matéria, e em busca desses prazeres, nossa visão fica distorcida, pois buscando a satisfação das nossas necessidades, muitas vezes prejudicamos nossos irmãos, sem ter essa intenção, ou seja escolhemos praticar o mal, sem que queiramos.
Em outras, como por exemplo no tráfico de drogas, no estelionato, na fraude, escolhemos praticar o mal por não termos a consciência de que esse mal praticados nos retornará um dia, ainda que em outra encarnação, apenas para a satisfação do nosso egoismo, do nosso orgulho.
Quem consegue despojar-se dessas chagas, egoismo e orgulho, não praticará o mal de forma consciente, pois sabera respeitar as necessidades e os interesses de seus irmãos.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 04 de Junho de 2012, 16:22
Mano Leandro,
não sou eu que esteja ou não esteja, trata-se de seguir a regra do fórum, por isso relembrei.
apenas isso.
Abraços,
Moura
Moura, já que está resistente a continuar com minha pergunta porque o tópico não a inclui, gostaria que eu crie um novo tópico só para a minha pergunta, perdendo a linha de raciocínio aqui já construída?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 04 de Junho de 2012, 18:05
Tudo bem, entendi que a prática do mal é decorrente da ignorância ou da busca do prazer imediato, ou uma felicidade instantânea e ilusória. Mas por que existem pessoas que estão evoluindo mais rápido que outras, por que alguns já chegaram à perfeição, mas outros, que foram criados antes ou ao mesmo tempo destes, ainda se encontram atrasados? Por causa das escolhas de cada um? Mas por que escolheram caminhos diferentes?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 04 de Junho de 2012, 18:24
Mano Leandro,
alguns chegaram a perfeição antes de outros que começaram, a marcha depois destes, porque os que chegaram, erraram menos, murmuraram menos sob as adversidades que vivenciaram e se instruíram mais intelecto-moralmente, sobre tudo o que lhes poderia levar onde chegaram.
Com se vê a reposta é simples e OLE a coloca noa primeira parte de OLE.
Abração mano.
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 04 de Junho de 2012, 19:08
E por que erraram menos que outros? Com que base está nessa diferença?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Junho de 2012, 21:04
Meu irmão, isso acontece da mesma maneira que um grupo de universitários, tendo iniciado a sua graduação em mesma época, termina o curso em períodos diferentes.
As escolhas que cada um faz tem muito a ver com os valores que cada um tem e vai agregando ao longa das diversas existencias.
Tambem podemos identificar que uns são otimos advogados, outros nem tanto.
Basta olhar para você mesmo.
Quais são as suas escolhas?
Que escolhas poderia ter feito diferentes para um resultado diferente?

Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 04 de Junho de 2012, 21:59
As escolhas que cada um faz tem muito a ver com os valores que cada um tem e vai agregando ao longa das diversas existências.

Ora, se as nossas escolhas são decorrentes das nossas experiências, então poder-se-ia dizer que as experiências acontecem antes de nossas escolhas, ou seja, é independente da livre-vontade do indivíduo/ser. Se as escolhas dos seres são diferentes, então pode-se dizer que assim também o foram as experiências, que são consequências do meio a que fomos inseridos. Por que uns tiveram experiências que influenciaram na sua escolha do bem, enquanto outros não? Onde está a justiça divina nisso?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: EsoEstudos em 05 de Junho de 2012, 01:03
Na verdade, à exceção de ranços inerciais que a religiosidade insiste em manter na maioria, o que aprendemos a chamar de "mal" é fruto dos impulsos instintivos que nos embalam e que ganham valoração moral. Por exemplo, o instinto de conservação nos limita a atividade e desforço a fim de manter o organismo sob boas condições para a busca de alimentos, proteção etc... Um felino selvagem, desde que tenha comido, deixa-se descansar à sombra poupando gastos desnecessários de energia. Esse mesmo aspecto do instinto de conservação, submetido ao homem já capaz de entender, assimilar, aprender e valorar suas atitudes, costumeiramente leva o ser a poupar energia ao embalo do prazer que essa inação propicia. No primeiro momento em que o ser deixa de fazer algo apenas pelo prazer da inação, sem necessidade alguma de conservação de energia, terá iniciado a prática de um vício: a preguiça.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 05 de Junho de 2012, 13:22
Mano Leandro.
Em meu ver, a justiça de Deus esta no direito de cada um de escolher os seus valores.
O mano Eso colocou um bom exemplo, mas podemos colocar outro.
Todos temos de trabalhar para nos manter. Uns trabalham mais, recebem mais, outros se contentam com pouco trabalham menos. Uns querem profissões mais rentáveis, fazem um curso de medicina ou direito por acham que ganharam mais, outros querem trabalhar por vocação e escolhem ser professores.
A diferença esta em uma palvara: VALORES, quais são os seus valores.
Se para alguem é mais importante ser rico do que ter carater, vai escolher ser rico independente do que precise fazer para isso, seja fraudar, roubra ou até matar.
Se para alguem é mais importante ter carater, terá carater, ainda que para isso tenha de devolver a fortuna que achou na rua.

Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Diegas em 05 de Junho de 2012, 15:36

Ora, se as nossas escolhas são decorrentes das nossas experiências, então poder-se-ia dizer que as experiências acontecem antes de nossas escolhas, ou seja, é independente da livre-vontade do indivíduo/ser. Se as escolhas dos seres são diferentes, então pode-se dizer que assim também o foram as experiências, que são consequências do meio a que fomos inseridos. Por que uns tiveram experiências que influenciaram na sua escolha do bem, enquanto outros não? Onde está a justiça divina nisso?


Olá


O processo evolutivo decorre do método tentativa-erro, a experiencia dá-nos a oportunidade de aprendizado; o aprendizado, por sua vez, dá-nos novas experiencias e, assim, sucessivamente até a Perfeição. Há uma relação de causa-efeito, diretamente proporcional, por que quanto mais aprendemos mais positivas as experiencias.

A Justiça divina encontra-se no fato de que não haver privilegios: como fomos criados simples e ignorantes, há a necessidade do burilamento espiritual, tal como acontece, por analogia, com o carbono que resiste às altissimas pressões termodinâmicas, a hostilidade do cascalho, e se transforma em magnifico diamante.

O problema é que há alunos desatentos, retardatários, que necessitam repetir alguns tipos de experiencias até o completo aprendizado.



Abç

Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 05 de Junho de 2012, 17:42
Tô contigo mano Diegas!
Abraços,
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 05 de Junho de 2012, 19:08
Realmente Diegas, um otimo resumo do conceito.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mônica Helena em 05 de Junho de 2012, 20:19
Um dia desses numa conversa á toa mas muito proveitosa, em nossa copa, quase hora do almoço no trabalho, alguém entrou com o assunto de pessoas que dizem:
_A vida é minha faço dela o que quiser. Trabalho e tenho dinheiro para beber, fumar, usar drogas e sendo assim, sou dono da minha vida.


Ate onde o ser minha vida modifica sua familia? Sim, quando se adoece e cai numa cama, acontece um acidente e  se fica numa cadeira de rodas, ou coisas ainda piores, porque existem. Aquelas atitudes pensadas e feitas agora tem reações impensadas  mas que modificam toda uma casa, familia, comunidade.  Nossos atos são escolhas. É isso. Mesmo nas mais pequenas atititudes... As reações as nossas ações tambem são nossas!
Paz e Bem!
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 05 de Junho de 2012, 20:20
Mas Monica, onde entra a sua postagem no tema deste tópico?
Abraços,
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mônica Helena em 05 de Junho de 2012, 20:24
Com relação ao topico,  é a minha opinião que mesmo os mais tenros brotos ou espíritos ja trazem dentro de sí as índoles que o farão crescer e se  formar. . Mudar ou crescer depende das experiencias vividas por ele.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 05 de Junho de 2012, 20:34
Pois é amiga Monica, acontece que o tópico está perguntando sobre Espíritos Recém creados, logo, que ainda nem mesmo estágio algum fizeram na Terra.
Como sabemos, Deus crea incessantemente, e sabemos mais, que a primeira aparição do Espírito não se deu Na terra.
Abraços,
Moura
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 05 de Junho de 2012, 21:42
Está tudo muito bem, tudo muito bom, não discordo de ninguém. Mas acontece que eu acho que minha pergunta que coloquei na resposta #67 não foi respondida. Então por favor, foquem-se nela. Ou se já responderam, desculpem minha ignorância, mas não a encontrei. Ela é essencial para o meu raciocínio.

Então ainda estou no aguardo da resposta, ou então que me mostrem a resposta já postada, com explicações mais "diretas". Obrigado.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: EsoEstudos em 06 de Junho de 2012, 02:52
As escolhas que cada um faz tem muito a ver com os valores que cada um tem e vai agregando ao longa das diversas existências.

Ora, se as nossas escolhas são decorrentes das nossas experiências, então poder-se-ia dizer que as experiências acontecem antes de nossas escolhas, ou seja, é independente da livre-vontade do indivíduo/ser. Se as escolhas dos seres são diferentes, então pode-se dizer que assim também o foram as experiências, que são consequências do meio a que fomos inseridos. Por que uns tiveram experiências que influenciaram na sua escolha do bem, enquanto outros não? Onde está a justiça divina nisso?

Justiça? No processo evolutivo "justiça" é o nome que se dá à relação de causa e efeito entre o ato e seu resultado. Um ser envolto nos instintos e que se inicia na valoração da conduta age e passa a perceber as consequências. Quando se diz que o espírito foi criado simples  e ignorante não se está afirmando que foram criados ao mesmo tempo... Um evolucionário que esteja nas tribos sob vida semi-civilizada não vai reagir do mesmo modo que um evolucionário embalado nas pesquisas de uma universidade em Copenhagen... Moralmente podem até equivaler, mas não serão iguais (salvo aquelas missões que seres já avançados desempenham aqui e acolá, espargindo sua experiência como catalisador etc...). A justiça está exatamente nisso: meritocracia. Não gosto de considerar tudo como crime, castigo. JUstiça traz uma visão muito moralista acerca da natureza.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 06 de Junho de 2012, 14:26
Caro Leandro.
Acho que suas perguntas foram todas respondidas, mas entendo que o post #78 do mano Eso, é bem mais claro e conciso.
Havemos de perceber que emtudo existe um componente importante a ser observado: o conceito.
"Justiça? No processo evolutivo "justiça" é o nome que se dá à relação de causa e efeito entre o ato e seu resultado"
Essa frase exprime um conceito de justiça, que me parece extremamente correto. Mas temos a tendência de acreditar que somos injustiçados quando algo não sai como desejamos. Na realidade estamos colhendo o fruto dos nossos erros e ai, temos de considerar que somos espiritos imortais vivendo uma vida eterna, em um corpo mortal e perecivel.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Mourarego em 06 de Junho de 2012, 16:24
Mano Leandro,
Se é sobre esta aqui "As escolhas que cada um faz tem muito a ver com os valores que cada um tem e vai agregando ao longa das diversas existências."
A resposta é bem simples, o que você cita, não tem a ver com a questão tema. Esta fala em Recém creados, logo, experimentando encarnações em outro mundo, anterior a terra.
Abraços,
Moura

Está tudo muito bem, tudo muito bom, não discordo de ninguém. Mas acontece que eu acho que minha pergunta que coloquei na resposta #67 não foi respondida. Então por favor, foquem-se nela. Ou se já responderam, desculpem minha ignorância, mas não a encontrei. Ela é essencial para o meu raciocínio.

Então ainda estou no aguardo da resposta, ou então que me mostrem a resposta já postada, com explicações mais "diretas". Obrigado.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 06 de Junho de 2012, 22:04
Então só para eu entender:

1. Então o fato de uns terem experiências que influenciaram na sua escolha do bem, enquanto outros não, é verdadeira?
2. Então o que significa dizer que alguém é justo?
3. Podemos dizer que a igualdade de direitos é justa?
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: EsoEstudos em 07 de Junho de 2012, 03:47
1. Então o fato de uns terem experiências que influenciaram na sua escolha do bem, enquanto outros não, é verdadeira?

Em termos. Em um dado momento da existência de dois seres diferentes, pode, sim, acontecer de um ter contato com circunstâncias favoráveis a uma opção "correta" enquanto o outro enfrenta vetores negativos e, assim, pode optar de forma "errada". PORÉM, o acervo de possibilidades será infindo para ambos. Se isolarmos um momento na senda evolutiva de dois seres diferentes, a sua proposição pode ser verdadeira.


2. Então o que significa dizer que alguém é justo?

Significa dizer que ele fez ou faz o que realmente lhe parece o certo a ser feito. Nem mesmo num mesmo Tribunal dois Juízes pensam de modo idêntico, conquanto existam normas objetivas de Direito. Quanto mais em relação à vida em todos os seus riquíssimos aspectos... Ser uma pessoa justa tem muito mais a ver com a sinceridade dos próprios atos do que com a valoração que outros deles venham a fazer.


3. Podemos dizer que a igualdade de direitos é justa?

Como dizia o grande Rui Barbosa, o princípio da igualdade consiste em tratar iguais como iguais e desiguais como desiguais... Não tem sentido pretender que uma pessoa lúcida, saudável e jovem pretenda ver-se igualmente aquinhoado com os mesmos benefícios que a Previdência Social (má e porcamente) reserva aos incapazes para atividades laborativas (o exemplo é apenas para deixar claro que uma frase de efeito não tem maiores fundamentos se não for bem interpretada).
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Cavalcanti. em 17 de Junho de 2012, 20:50
Talvez eu tenha chegado a uma conclusão:

Todos somos criados simples e ignorantes, mas isso não torna nossas experiências iguais, passamos por situações diferentes desde o início, de acordo com a decisão divina, mas depois disso, vamos adquirindo conhecimento e escolhemos nossos próprios caminhos. Uns escolhem um caminho que leva à perfeição mais rapidamente, enquanto outros ainda cometem erros e estacionam no caminho evolutivo.

Embora nossas experiências primárias, por onde começamos, tenham sido designadas pela divindade, isso não torna nossa existência ou Deus injustos. A justiça está no fato de que todos temos os mesmo direitos e as mesmas possibilidades de aprendizado, de uma forma ou outra, não importando o tempo, já que no futuro todos seremos perfeitos.

E assim que formos perfeitos, não estaremos reclamando que chegamos à perfeição depois que outros, pois esse defeito não teremos mais. Estaremos voltando a Deus e isso é tudo o que importa.

Estou satisfeito com essa minha explicação, e espero que eu esteja certo.
Obrigado a todos.
Título: Re: Espíritos recém-criados podem escolher conduta?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 17 de Junho de 2012, 21:40
Caro amigo Cavalcanti, de uma maneira simples podemos dizer que suas conclusões estão corretas, concrodamos com elas.
Entretanto, continue os seus estudos, pois com certeza outras duvidas e novas conclusões chegarão.