Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Tópico iniciado por: rtt em 04 de Janeiro de 2013, 01:45

Título: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: rtt em 04 de Janeiro de 2013, 01:45
Em minha opinião, quem mais seguiu os ensinamentos de Jesus foram os cristãos primitivos, muito mais até que os espíritas.

Esses cristãos buscavam praticar a doutrina de Jesus em sua forma autêntica, isto é, buscavam se elevar moralmente conforme recomendado em muitos trechos dos evangelhos (sede perfeitos como é perfeito vosso pai celestial, etc.), inciando por deixar de praticar aquilo que cause o mal ao próximo. Isso implicava ações objetivas em situações práticas e não apenais ideias vagas. Por exemplo, eles viviam de forma autônoma e equitativa para não colaborar com a servidão e outras injustiças.

Com o crescimento das igrejas esse objetivo de perfeição moral foi deixado de lado, se não esquecido totalmente, e no lugar disso o cristianismo passou a focar-se em dogmas como uma doutrina de redenção, ou seja, bastava seguir a doutrina da Igreja para ser salvo, e não mais era necessário se melhorar. É óbvio que com isso as pessoas não precisariam se esforçar mais para atingir a perfeição moral, elas permaneciam estacionárias.

No movimento espírita, querendo ou não essa influência dogmática permanece, quando o principal (se não o único) objetivo dos espíritas em maioria é ser salvo, isto é, obter um destino feliz após o desencarne, livrar-se da obsceção, ser beneficiado por passes e fluidoterapia, práticas que têm seu valor mas que deveriam ser secundárias em comparação com o principal objetivo de se melhorar.

Por que não retomar o sentido original do cristianismo, acrescentando aquilo que a doutrina espírita revela?
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Anton Kiudero em 04 de Janeiro de 2013, 02:42
Por que não retomar o sentido original do cristianismo, acrescentando aquilo que a doutrina espírita revela?

Porque para o 'ser humano' isto é muito dificil, quase que impossivel. Falo de todos os seres humanos, não apenas dos espíritas. O ser humano é tangido por quatro objetivos em sua vida:

O ganho, material, moral ou sentimental
O prazer de qualquer forma
O elogio
A fama

E foge da perda, do desprazer, da crítica e da infamia.

E apesar de tangido por estes quatro sentimentos duplos, cada um possui o seu aspecto negativo, acredita que tudo o que pensa e faz é fruto de seu livre arbítrio.

O espírita tem mais uma desvantagem frente ao restante da humanidade. Como aprendeu que pode renascer inumeras vezes, muitas vezes 'deixa pra próxima' o que poderia fazer hoje.

Mas não tome nada do que escrevo como verdade. Procure as suas proprias.

Anton



Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 04 de Janeiro de 2013, 02:57
RTT,

Na sua opinião:

Qual seria o propósito do Consolador prometido por Jesus aos cristãos primitivos?

Por que esse Consolador só apareceu 1824 anos após a promessa?

Abraço,
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Janeiro de 2013, 14:27
Olá

Citar
Por que não retomar o sentido original do cristianismo, acrescentando aquilo que a doutrina espírita revela?

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/cristianismo-primitivo-e-espiritismo/#ixzz2H1018K40

Cada um deve fazer essa pergunta a si mesmo, e não aos outros...

bem haja
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 04 de Janeiro de 2013, 14:32
Amigos, o que vem a ser Cristianismo primitivo?

Meus caros, ao tempo de Jesus, havia e eram exercidos uma dez denominações ditas Cristãs, logo, há que se saber qual delas era a que se diz hoje, "primitiva".
Esclareço, as dez era também perseguidas e como as outras eram exercidas nas cavernas ou em cemitérios.
Certo é: Sigamos a DE e já estaremos fazendo um favor imenso a nós mesmos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Janeiro de 2013, 14:42
Entendo Moura, que o cristianismo, como tudo na vida, esta sujeito a evolução própria do universo.
Cristianismo primitivo ou pós moderno, são termos apenas para alguem ter discurso.
O evangelho é o mesmo desde sempre, e os conceitos morais que ali estão tambem são os mesmos desde antes dos filósofos gregos ou mesmo dos pensadores asiaticos.
O que mudou nesse tempo?, a nossa capacidade de raciocinar e, raciocinando, melhor comprender esses conceitos, para então melhor aplicar esses conceitos.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 04 de Janeiro de 2013, 15:13
Exatamente mano Guga e se sabemos que a DE contém tanto os ensinos morais pertinentes ao amealhado da boa nova, para que esse discurso de tendencia religiosista?
Abração,
Moura
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Ignarus em 04 de Janeiro de 2013, 15:34
Olá amigos! permitam-me uma opinião. No meu entendimento a expressão "cristianismo primitivo" é uma força de expressão verbal para designar apenas a forma como Jesus vivia e propagava os seus ensinamentos, ou seja, sem as modificações e interferências dos poderes. Assim, talvez, dizer-se cristianismo primitivo não implica diretamente no conceito doutrinário, pois que a Doutrina de Cristo em seus principais fundamentos perpertuou-se, mas a manifestação religiosa modificou-se completamente, basta comparar com as descrições contidas na Bíblia: não havia templos, velas, trajes, rituais, incensos, dízimos, imagens, sacerdotes e etc..Em outras palavas, havia apenas a simplicidade nnas palestras públicas ou realizadas nas casas dos adeptos. onde, acima de tudo, a verdadeira Fé era despertada através do amor e não de leis, expressões ritualisticas ou mandamentos dogmáticos.

Desta forma entendo ainda que, quando dizemos que o espiritismo é o cristianismo primitivo redivivo, é para trazer à lembrança de que deve seguir o modelo de simplicidade, humildade e amor entres seus profitentes, onde os estudos dos ensinamentos é a base para que se chegue à pratica. Dessa forma se extirpa os velhos conceitos de religiosidade "de aparências" e destaca a necessidade de reforma íntima em busca do verdadeiro amor.

Abraços
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 04 de Janeiro de 2013, 15:45
Mano Ignarus, Jesus não foi o primeiro a pregar no mesmo sentido em que se tem o que se conhece por Cristianismo hoje. A citação é vaga e dúbia ao meu entender.
Repare, não sou eu quem o diz mas os historiadores e alguns deles judeus como Jesus.
abraços,
Moura
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Rola em 04 de Janeiro de 2013, 15:53
RTT,

Na sua opinião:

Qual seria o propósito do Consolador prometido por Jesus aos cristãos primitivos?

Por que esse Consolador só apareceu 1824 anos após a promessa?

Abraço,

O Consolador, prometido por Jesus, não tem nada a ver com o aparecimento de doutrinas ou religiões.

O Consolador é a manifestação do Espírito Santo, do Sagrado, de Deus, ao homem, quando o homem ama a Deus acima de todas as coisas sem parar, de forma que até se esquece dele próprio, não pensa.

Só com a cabeça livre de pensamentos há espaço para que o Consolador, o Espírito Santo, o Sagrado, Deus faça contacto.

O Sagrado não se mistura com o profano.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 04 de Janeiro de 2013, 16:22
Mas Rola, Jesus não prometeu nadica de nada a não ser "pedir ao Pai".
só isso...
Estando assim em João: "Se me amais, guardai os meus mandamentos.
E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre."
João 14:15-16
abraços,
Moura
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: rtt em 04 de Janeiro de 2013, 16:25
É impressionante como tentam silenciar quando alguém questiona a inércia vigente nesses tempos, quando alguém relembra o que é a recomendação mais frequente do evangelho e mesmo da doutrina espírita, a saber, a necessidade de se melhorar.

"Mas os espíritos superiores dizem que o progresso intelectual deve vir antes". Seja, então que estudem e usem o que já sabem para se melhorar, ou têm a pretensão de conhecer absolutamente tudo para só depois começar a mudar sua postura?

O que se passa é muito simples. Jesus comunicou seus ensinamentos e exerceu grande influência moral para muito que estiveram próximos de si. Assim estes, memo tendo seus defeitos, buscaram praticar os ensinamentos de não resistir ao mal, não julgar, não jurar, amar o próximo e os inimigos, ser humilde, etc. Tal é o que quero dizer com cristianismo primitivo. Aí veio a Igreja e a doutrina de Jesus foi distorçida, mutilada. As pessoas passaram a não ser tocadas mais pelo significado original dos ensinamentos.

Algo semelhante acontece com o movimento espírita: com o tempo deixou-se de seguir muitas diretrizes da doutrina, incluindo a evolução moral, dentre outras coisas.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Rola em 04 de Janeiro de 2013, 16:36
Mas Rola, Jesus não prometeu nadica de nada a não ser "pedir ao Pai".
só isso...
Estando assim em João: "Se me amais, guardai os meus mandamentos.
E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre."
João 14:15-16
abraços,
Moura

Tenho-vos dito isto, estando convosco.

Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.
João 14:25-26


E a doutrina diz; "somente a alma pode ter a perceção de Deus, e, só quando desaparecem todos os pensamentos terrestres."

Portanto, e apesar da doutrina não ser o Consolador, como pensa a maioria dos espíritas, mesmo assim, ela corrobora o que falei mais acima...
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 04 de Janeiro de 2013, 16:45
Mas a doutrina, Rola, também ensina que "alma é o Espírito encarnado".
Abraços,
Moura
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Ignarus em 04 de Janeiro de 2013, 17:34
Mano Ignarus, Jesus não foi o primeiro a pregar no mesmo sentido em que se tem o que se conhece por Cristianismo hoje. A citação é vaga e dúbia ao meu entender.
Repare, não sou eu quem o diz mas os historiadores e alguns deles judeus como Jesus.
abraços,
Moura

Moura, em momento algum eu disse que é isso, apenas, coloquei o meu entendimento quando muitos amigos utilizam essa expressão (Cristianismo Primitivo), com certeza, Jesus não foi o primeiro nem o único a pregar de forma simples e no meio do Povo, e para comprovar isso temos a figura ilustre de João Batista que pregava no deserto conforme os relatos.
 
Mas em se tratanto da Doutrina do Cristo, obviamente, cria o termo cristianismo primitivo.
 
Abraço
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Paulo Cortez em 04 de Janeiro de 2013, 18:07
O Espiritismo sem Jesus perde a sua finalidade, se anula.
O Espiritismo tem como missão trazer de volta, e o faz com clareza, os princípios morais do Cristianismo Primitivo, única maneira de realizarem-se mudanças verdadeiras no interior do ser e em seu ambiente.
Entretanto a resistência dos "intelectuais, catedráticos e cientificistas" é enorme.
Com certeza um estagio natural e transitório que não os permite perceber que a grande "sacada" de Kardec, foi dar uma finalidade moral cristã ao Espiritismo, como corolário a toda revelação dos Espíritos.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: EsoEstudos em 04 de Janeiro de 2013, 18:24

Certa vez assim me pus:



[...]

O que importa é a essência dos ensinamentos.

Um homem... com uma Alma límpida do ponto de vista de seus sentimentos, emoções e determinação quanto ao ensinamento ministrado. Não foi uma mente científica ou filosófica, mas sim uma mente bem ajustada e em sintonia com o que era, naquele momento da Humanidade, necessário para a modificação dos referenciais religiosos. Do que disse, hoje temos variantes que devem ser consideradas em sua essência e não na literalidade.

O mundo não precisava de um filósofo maior do que a Vida já produzira. Não precisava, tampouco, de um misticismo maior do que as ciências antigas das Escolas de Mistérios dos egípcios cuidaram de manter nos círculos esotéricos. O mundo precisava de alguém que falasse ao povo como parte dele. De alguém que ensinasse o Amor sem digressões condoreiras restritas aos doutores. De alguém que surpreendesse os doutores exatamente pelo caráter simples de conceitos que lhes calaram fundo com foros de verdade intuitiva, verdade cuja menção simplesmente não saíra de suas orgulhosas culturas. Um homem bem diferente de alguém que as pessoas teimam em imaginar flutuando sob uma aura de incognoscível beatitude devolvendo a visão a cegos, fazendo paralíticos andarem e - nada menos que isso! - um certo Lázaro ressuscitar dos mortos... Ele próprio teria que voltar ao mesmo corpo físico para convencer seus apóstolos!!!???

Insisto: será que se nada disso fosse contado acerca de Jesus seus ensinos seriam menos valiosos?

Por que as pessoas aceitam algo tão absurdo como “Deus” encarnado, traído, molestado e assassinado?

Jesus foi um homem... Um homem excepcionalmente bem preparado espiritualmente para sua elevada missão. Mas um homem. O Cristo Planetário é Jesus? Não sei... Isso também não tem nenhuma importância... Como sempre, o que importa é o ensinamento...

[...]


O modelo apontado pela Doutrina é Jesus, certamente pelo ensinamento de Amor e não por cerebrinas fantasias como andar sobre as águas, transformar água em vinho, multiplicar pães e peixes etc etc etc...
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Anton Kiudero em 04 de Janeiro de 2013, 19:44
Jesus e todos os que conviveram com ele eram judeus. O primeiro e maior dos mandamentos que lhe é atribuido é: Amar a Deus acima de tudo e ao proximo como a ti mesmo que foi colocado cerca de um milenio antes.

O povo judeu, entretando esquecia-se bem depressa de todas as recomendações de Moises. Assim, a cada curto periodo de menos de 100 anos o Pai enviava um 'profeta', espírito e médium elevado que fazia com que o povo voltasse a estudar e cumprir os mandamentos basicos. E quando morria o profeta, em poucas decadas o povo novamente degenerava.

Jesus mostrou o mesmo que todos os profetas anteriores haviam mostrado, com um detalhe a mais. Ele viveu o que dizia, em tempo integral, jamais convocou alguem para orar aos sabados na sinagoga. Jamais condenou alguem por comer algo proibido pela lei. Hoje isto pode parecer banal, mas naquele tempo seria o equivalente a uma pessoa se declarar 'espírita' mas afirmar que a reencarnação não existe.

Portanto o maior dos mandamentos de Jesus é o seu exemplo. É viver como ele viveu, sem jamais condenar alguem, mas tambem sem contemporizar com quem quer que seja. Ser cristão não é louva-lo, endeusa-lo ou cita-lo a torto e a direito, mas viver do modo como ele viveu...

A igreja catolica é a continuidade do judaismo em seu aspecto ritualistico. Espiritualmente é assim considerado e posso afirmar sem medo de errar muito que a cupula que criou e vivificou o imperio catolico (foi um imperio, continuação do império romano) foi formada pelos mesmos espíritos que vivenciaram o farisaismo e que eram 100% apegados a forma.

Portanto a mensagem de Jesus esta contida no Velho Testamento e ele foi um divisor de aguas. Resumiu a parte mais pura que os apostolos se encarregaram de divulgar e deixou todo o edificio milenar de construções humanas para ser apossado alguns seculos pelo reino da besta, nas palavras de Daniel.

Por isto parece-nos que o cristianismo primitivo era mais puro e os seus seguidores mais espiritualizados. E eram mesmo, constituiram um grupo de elevados espíritos que veio semear a verdade ou boa nova naqueles tempos.




Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 04 de Janeiro de 2013, 19:47
Mas Rola, Jesus não prometeu nadica de nada a não ser "pedir ao Pai".
[...]

Poderia ter ido dormir sem essa... (rs...)

Obrigado Moura! Por resgatar o rigor que às vezes falta a quem já tem a coisa por resolvida.

Grande Abraço,
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Rola em 04 de Janeiro de 2013, 20:05
Mas Rola, Jesus não prometeu nadica de nada a não ser "pedir ao Pai".
[...]

Poderia ter ido dormir sem essa... (rs...)

Obrigado Moura! Por resgatar o rigor que às vezes falta a quem já tem a coisa por resolvida.

Grande Abraço,

Permite-me esclarecer um pouco, amigo, já que está aí o meu nome.

RTT,

Na sua opinião:

Qual seria o propósito do Consolador prometido por Jesus aos cristãos primitivos?

Por que esse Consolador só apareceu 1824 anos após a promessa?

Abraço,

O Consolador, prometido por Jesus, não tem nada a ver com o aparecimento de doutrinas ou religiões.

O Consolador é a manifestação do Espírito Santo, do Sagrado, de Deus, ao homem, quando o homem ama a Deus acima de todas as coisas sem parar, de forma que até se esquece dele próprio, não pensa.

Só com a cabeça livre de pensamentos há espaço para que o Consolador, o Espírito Santo, o Sagrado, Deus faça contacto.

O Sagrado não se mistura com o profano.

Mas Rola, Jesus não prometeu nadica de nada a não ser "pedir ao Pai".
só isso...
Estando assim em João: "Se me amais, guardai os meus mandamentos.
E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre."
João 14:15-16
abraços,
Moura

Tenho-vos dito isto, estando convosco.

Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.
João 14:25-26


E a doutrina diz; "somente a alma pode ter a perceção de Deus, e, só quando desaparecem todos os pensamentos terrestres."

Portanto, e apesar da doutrina não ser o Consolador, como pensa a maioria dos espíritas, mesmo assim, ela corrobora o que falei mais acima...


Assim fica completo, e podemos rir todos...
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 04 de Janeiro de 2013, 20:16
[...] a grande "sacada" de Kardec, foi dar uma finalidade moral cristã ao Espiritismo, como corolário a toda revelação dos Espíritos.

Paulo,

Não é a Kardec que se deve atribuir a “grande sacada” de dar uma finalidade moral cristã ao espiritismo. O Codificar apenas reforçou o que estava suficientemente claro nas diversas comunicações dos Espíritos que revelaram a Doutrina. Sua “grade sacada” foi, ao contrário, não ter negado aquilo que poderia com grande facilidade, já que, segundo ele próprio: “Sou um homem positivo, sem entusiasmo, que tudo julga friamente.” (Revista, julho de 1865)

Aquele hoje que, no entanto, não é capaz de perceber que a proposta do espiritismo como doutrina filosófica é uma proposta essencialmente cristã, está ainda longe de compreender o princípio mais básico da revelação: o seu porquê.

Abraço, 
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 04 de Janeiro de 2013, 20:23
Rola,

Não fui claro. Perdoe-me.
Quem poderia ter ido dormir sem essa era eu. Estava referindo-me a mim mesmo, já que disse que Jesus prometeu um Consolador, quando na verdade o que ele prometeu foi que o pediria ao Pai. Para mim o Consolador prometido (expressão que não é minha) é o espiritismo e tenho isso como algo resolvido.

Abraço,
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: filhodobino em 04 de Janeiro de 2013, 20:25
Amados,
Este homem, creu como nós e se indagou do Cristianismo primitivo, e o Espiritismo, e tem nos revelado importantes detalhes, que a nós nao nos cabe refutar, a menos que estudemos tanto quanto ele...
Haroldo Dutra Dias...






Jesus Cristo - Programa Opinião Minas com Haroldo Dutra Dias (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTVtWDBIY3ByUzRJJmFtcDtmZWF0dXJlPXNoYXJlJmFtcDtsaXN0PVBMQ0Q1NDQ4RjQxNDkwNkYwOCM=)
Saúde e Paz!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Paulo Cortez em 04 de Janeiro de 2013, 20:38
[...] a grande "sacada" de Kardec, foi dar uma finalidade moral cristã ao Espiritismo, como corolário a toda revelação dos Espíritos.

Paulo,

Não é a Kardec que se deve atribuir a “grande sacada” de dar uma finalidade moral cristã ao espiritismo. O Codificar apenas reforçou o que estava suficientemente claro nas diversas comunicações dos Espíritos que revelaram a Doutrina. Sua “grade sacada” foi, ao contrário, não ter negado aquilo que poderia com grande facilidade, já que, segundo ele próprio: “Sou um homem positivo, sem entusiasmo, que tudo julga friamente.” (Revista, julho de 1865)

Aquele hoje que, no entanto, não é capaz de perceber que a proposta do espiritismo como doutrina filosófica é uma proposta essencialmente cristã, está ainda longe de compreender o princípio mais básico da revelação: o seu porquê.

Abraço, 

É isso!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Claudemir dos Santos em 04 de Janeiro de 2013, 22:01
Cristianismo primitivo eu acredito que seja aquele que o povo simples e ingenuo praticavam nos velhos tempos em que temiam as forças da natureza pelo seus desconhecimentos e procuravam em Deus ou na religião as forças ou o refugio necessário para continuarem vivendo,hoje os homens em seus conhecimentos e intelectualidade tem mais fé na ciência material do que no poder espiritual,e a terceira revelação codificada por Kardec teve de ser ligada a ciencia e intelectualidade para ser melhor direcionada aos sabios e prudentes modernos,para que estes se interessa-sem pela religião e o evangelho de Jesus e tambem fossem colaboradores da terceira revelação, e a verdadeira pureza do cristianismo primitivo esta para ser reemprantada na terra em breve,dando-se assim condições de se reunir as religiões. Abraços e muita paz.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Ignarus em 05 de Janeiro de 2013, 01:30
 Cristianismo Redivivo e o Espiritismo

 Embalde, revira-se as páginas da Codificação de Kardec e não se encontra o  dístico: Espiritismo é o Cristianismo Redivivo.

Quem sabe possa haver um engano e perlustramos novamente as páginas de “O  Evangelho Segundo o Espiritismo”, a obra basilar da Moral Espírita. E, nada!  Quem sabe, nas entrelinhas? E, nada. Ali Kardec afirma, na belíssima obra de  maneira clara e insofismável, que a Moral trazida pelo Cristo, tanto serve para  o espírita, como para o cristão, tanto serve para o budista, como para o muçulmano ou xintoísta, porque é Universal.

  - Quem sabe Léon Denis – o Apóstolo do Espiritismo -, que escreveu a portentosa  obra – “Cristianismo e Espiritismo”? Nada. Nessa obra só divisamos na última  página, uma nota da editora (FEB), informando que as interpretações constantes  no livro, não passam de opinião pessoal do autor, e, portanto, não levasse o  leitor em conta a assertiva de que o Espiritismo não é Cristão, dita pelo  autor.

  Recorremos em seguida, sob a orientação do próprio Denis que indicara a obra –  “Depois da Morte”. E lá encontramos Léon Denis, afirmando que Jesus foi homem  igual a nós, com carne e osso, sangue nas veias; que Jesus chorou ao ver a cena  dantesca que o esperava em seu calvário:
- OH! Pai! Afasta de  mim esse cálice!
Jesus voltou a orar.  Levantou-se e partiu para enfrentar a vida. A desistência naquele momento seria  um ato de covardia e destruiria todo o seu trabalho e ele perderia a condição  de bússola para a Humanidade. Com coragem, Jesus enfrentou.

E Gabriel Delanne,  quem sabe? Ora quem escreveu: “Segundo penso, o Cristo é um Espírito  eminentemente superior; é o modelo pelo qual nos devemos conformar, porém,  entre Deus e ele, a distância é ainda maior do que de nós para ele.”
  Além do mais, se bem que Delanne compreendesse o Espiritismo Moral na sua mais  profunda concepção, não hesitou em afirmar em “O Fenômeno Espírita” (FEB, pág.  225), que “O Espiritismo é uma ciência”. Bem como a página 245, que “O  Espiritismo não é uma religião”.
  Logo Delanne, que foi o filho que Kardec, jamais faria a afirmativa de que o  Espiritismo é o Cristianismo redivivo.

  Concluímos então, que da Equipe da Codificação, só nos restava Camille  Flammarion. Nem adiantava buscar em seus livros. A obra espírita de Flammarion  funciona como uma espécie de arrecife, na proteção da Doutrina Espírita contra  os arroubos emocionais de principiantes mal avisados do Espiritismo que procuram  torná-lo exclusivamente de caráter religioso ou que colocam este aspecto acima  dos demais.

  Se tal assertiva não nasceu no seio da Codificação Espírita, onde poderia ter  surgido?   

  Talvez, com Bellemare, em seu “Espírita e Cristão”, mas nessa obra do escritor  francês, o que há de importante é a definição dada por um Espírito, que afirma  ser o Cristo, o Médium de Deus. Definição esta que Kardec foi autorizado a  fazer citação em “A Gênese” (cap. XV, item 2).

  Onde então encontrar tal assertiva, de que o Espiritismo é o Cristianismo  Redivivo.   

Vamos para a Itália.  Lá tem Bozzano, Lombroso e outros sábios.
  Mas, o “Espiritismo – dizia Bozzano – é a doutrina desenvolvida por Allan  Kardec, que tem como finalidade levar aos aflitos a Consolação.”
  E acrescentava:
  “Se é verdade que o Espiritismo seja tomado num sentido religioso por uma  multidão, aliás, muito respeitável, de almas simples, não quer dizer isso que  ele seja religioso, mas tão somente que as conclusões rigorosamente  experimentais e, portanto, científicas, a que conduzem as investigações  medianímicas, tem a virtude de reconfortar grande número de almas atormentadas  pela dúvida.”
  E Lombroso? Este não teve tempo nem para estudar em maior profundidade a  mediunidade extraordinária de Eusápia Paladino, quanto mais para averiguações  filosóficas.

  Na Inglaterra, encontramos Conan Doyle com “A Nova Revelação”;e, Oliver Lodge,  preocupado e estudando a morte do filho – “Raymond”; ou, ainda, Fredéric Myers,  com a “Personalidade Humana”.

  Na Alemanha, há Carl Du Prel, o russo Aksakof. E nada, não encontramos nada a  respeito. Estes sábios estavam preocupados em provar a existência do Espírito e  a sua sobrevivência após a morte do corpo físico e a sua comunicabilidade com  os chamados vivos.

  Será que a ideia veio de Portugal? Lá teve o médico Antonio J. Freire,  estudioso do Espiritismo. Mas, o médico português, igualmente, estava  preocupado em estudar o intercâmbio entre o Mundo Físico e o Mundo Espiritual.  Não terá sido trazido pelo médium Fernando de Lacerda, que foi de certo modo  exilado no Brasil?

  E na Argentina? Na Argentina teve Cosme Mariño, Humberto Mariotti. Não. Eles  estão interessados na Filosofia Espírita e com as consequências morais que  resultam do aspecto religioso.

  Então só podemos procurar a origem desta assertiva no Brasil.

Mas, antes, voltemos  à França. Faltou passar em revista a obra do Sr. Jean-Baptiste Roustaing. Como  vocês sabem, transformaram-no em um concorrente de Kardec. De aluno, o elevaram  a professor; de discípulo que se sentia, o colocaram-no acima do mestre; de  vassalo que era, se lhe imputaram maior que o rei.
  Pois bem! Vasculhamos suas duas mil páginas da “Revelação da Revelação”.  Estranho! Não consta o dístico que orienta, dirige e controla o Movimento  Espírita no Brasil. Em “Os Quatro Evangelhos”, o autor, coordenador ou  compilador, como queiram, criou apenas o ESPIRITISMO CRISTÃO, como se isso  fosse pouco. Mas, ele também asseverou que o ESPIRITISMO É O CRISTIANISMO.

  Eis aí a origem.

  Falta somente descobrir o autor do dístico do Espiritismo religioso:  CRISTIANISMO REDIVIVO.

  Mas o autor encontra-se acobertado por um véu, que no mais, o que podemos é  especular.
  O que podemos dizer-lhe e isso vamos fazer, é demonstrar quem é o suposto autor  ou pelo menos, aquele que carrega às costas o estigma de haver escrito a  “BÍBLIA DA FEB – O livro sagrado do poder”.
  Antes, porém, é necessário dizê-lo: apenas um só espírita no Brasil,  levantou-se e por toda a sua vida, apregoando alto e em bom som: “O ESPIRITISMO  NÃO É O CRISTIANISMO REDIVIVO”.
  Esse grande escritor foi Carlos Imbassahy.

  Agora sim, feita à ressalva, podemos continuar.
 
  A assertiva de que – O ESPIRITISMO É O CRISTIANISMO REDIVIVO -, foi criado –  diz a FEB , pelo Espírito Humberto de Campos ou Irmão X, que ditou um livro só  para fazer tais revelações que confirmam e garante que o BRASIL, É A PÁTRIA DO  EVANGELHO.
  No capítulo XXVIII, do livro “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”,  intitulado – A Federação Espírita Brasileira -, a página 220, inicialmente,  timidamente, escreveu o autor, o que o Senhor dissera:
  “(...) Na pátria dos meus ensinamentos, o Espiritismo será o Cristianismo  revivido na sua primitiva pureza...”.
  E no capitulo seguinte – O Espiritismo no Brasil -, agora com firmeza, assevera  o autor, a página 226:

  “(...) o Espiritismo penetrava o Brasil com todas as suas características de  Cristianismo redivivo, levantando as almas para uma nova alvorada de fé.”

  A primeira edição desta obra é de 1938 e a partir daí, o dístico – O  Espiritismo é o Cristianismo redivivo, tornou-se a locomotiva do Espiritismo  pregado pela Federação Espírita Brasileira.
   
  Estava comprovado o ESPIRITISMO CRISTÃO, introduzido indevidamente pelo Sr. J.  B. Roustaing, na França, que ganhou cidadania no Brasil. Agora, a FEB tinha  respaldo na autoridade do maior médium que o Brasil já viu – Chico Xavier.  Conseguia assim, enfrentar Imbassahy e todos aqueles que negavam e não  aceitavam o Espiritismo Cristão.

  E com o “Pacto Áureo”, a FEB elevou o livro “Brasil, Coração do Mundo, Pátria  do Evangelho” à condição de modelo e guia para o Movimento Espírita Brasileiro.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Ignarus em 05 de Janeiro de 2013, 01:42
O outro lado da mesma moeda!
 
    Espiritismo Cristianismo Redivivo
   
“Se, pois, O Espírito da Verdade deve  vir mais tarde ensinar todas as coisas, é que o Cristo não pôde dizer tudo. Se  ele vem fazer lembrar o que o Cristo disse, é que o seu ensino foi esquecido ou  mal compreendido. O espiritismo vem, no tempo assinalado, cumprir a promessa do  Cristo: o Espírito da Verdade preside ao seu estabelecimento.” (Allan Kardec, O  Evangelho Segundo o espiritismo).
   
As igrejas cristãs tradicionais se  opõem mais fortemente ao espiritismo. Isto se dá por causa da revolução  religiosa deflagrada por Kardec. É mais fácil transitar entre os diferentes  misticismos e mistérios do que dar o salto qualitativo que o espiritismo exige.  As religiões, por mais abertas que se proponham, não querem essa crítica  radical, que lhes desencante, desfazendo a aura sobrenatural, desmanchando os  ritos e racionalizando os dogmas.
   
O Espiritismo, extremamente abrangente  em seus ensinamentos, confirmando todos os ensinamentos e exemplos de Jesus,  traz à Humanidade o conhecimento de coisas novas, para que o homem se conheça e  saiba de onde vem, para onde vai, que é imortal, e que atingirá, no futuro, a  plena felicidade.
   
Kardec se colocou numa posição de  universalidade religiosa, mas também disse que o espiritismo era a terceira  revelação na linha judaico-cristã e cumpria a promessa de Jesus a respeito da  vinda do Consolador.
   
Realiza, assim, o Espiritismo – a  doutrina dos Espíritos – sistematizada para os homens, tudo o que Jesus  prometeu: relembra seus ensinos, escoimados das interpretações inexatas que  deram origem às declarações do Cristianismo primitivo; vem trazer a consolação  aos que sofrem, explicando as causas das dores; descortina a vida nas esferas  espirituais; demonstra que a morte, tão temida e incompreendida, é apenas o fim  da vida do corpo, continuando o Espírito imortal sua trajetória nos planos  espirituais; enfatiza a necessidade do amor a Deus e ao próximo como base  essencial para aquisição de todas as virtudes; desenvolve a fé e a esperança em  todos os que o estudam e o praticam; descortina e explica a doutrina da  reencarnação em planos materiais, dando um outro sentido à vida, não aceito  pela maioria das religiões; desenvolve nas criaturas, que se esforçam por  praticá-lo, a fé, a paciência , a coragem e a resignação, pela certeza da  perfeição das leis de Deus, que jamais falham na sua justiça perfeita.
   
Allan Kardec escreveu O Evangelho  Segundo o Espiritismo e respondeu ponto por ponto a todos os dogmas instituídos  pela igreja católica no decorrer dos séculos, em detrimento da mensagem  simples, ética e libertadora de Cristo. Em O Céu e o Inferno e depois, em A  Gênese, estuda minuciosamente todos os pontos polêmicos da tradição  judaico-cristã. O mais crucial, justamente o da divindade de Jesus, aparece,  por último, em Obras Póstumas.
   
Cabia-lhe, portanto, historicamente, a  missão de fazer uma revisão do próprio cristianismo, certamente sob a  supervisão do próprio Cristo, que é, segundo muitos espíritas aceitam, o  Espírito da Verdade. “Venho como outrora, entre os filhos desgarrados de  Israel, trazer a verdade e dissipar as trevas... Todas as verdades se encontram  no Cristianismo; os erros que nele se enraizaram são de origem humana...”  (Allan Kardec, O Evangelho Segundo o Espiritismo). Quem não enxerga e não sente  o eco de Jesus nessas palavras? Se isso não for cristianismo, o que será?
   
Por Dora Incontri, Em Para Entender  Allan Kardec. Item VI. Lachátre.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 04:48
Amados do meu coração;
Estamos a falar de Religião...
Entendo que não estamos a falar de logias...
Logias se fazem com fé religiosa, cega... sectária... cara... dispendiosa... pouco acessível... formadora dos bolsões de miséria, pois não esclarecem, apenas enganam...
Religião em verdade, é o religare em verdade, sem bandeiras, sem máculas e se faz com exemplos e fé em Deus...
Assim se deu com Bhuda, Khrisna, Pai Abrahão, Jesus Cristo...
Estes personagens existiram em verdade?
Que importa para o pensamento?
Tantos creram que se firmou em tese a fé...
Que a princípio não foi cega... cegaram-na, as logias, interessadas no mando, e em impedir que as luzes se fizessem...
Alegaram que não estávamos prontos...
Como Se Cremos que Deus nos clareou o caminho com a luz do primeiro dia...?
Faltou-nos paciencia para suportar neófitos, questionadores, e inventadores de teses, que é natural em todo aprendiz...
Disseram-nos...
Querem saber? Que estudem por si... ou... sigam-me, mas não façam o que faço, façam o digo...
Essa não é a religião... Mas... Deu-se com todas...

Mas, a essência da verdadeira liberdade, veio com a Doutrina dos Espíritos, que ninguem pode asseverar sua posse de todas as verdades... embasadas nos demais postulados já aprendidos pelos humanos, em justiça,beleza e comunicabilidade, assim como o amor perfeito o Cristo de Deus...
Menos ainda os Espíritos, pois que em não podendo nos falar acerca do não entendemos, como sabermos do "quantun" deteem...

Resta-nos em verdade esperar e estudar, observar, aprender... Não ensinar... Exemplificar...
Estamos dispostos?
Poucos...
Para exemplificar, precisamos abrir mão do que mais prezamos...
Então, ficamos tecendo e urdindo teses e mais teses, questões e mais questões, que mais não passam de tentativa de ajeitamento...
Isso não passa de falaciosa tentativa de carregar água com a peneira...

Então Resta-nos aguardar... Paciencia, respeito a todas as teses, mesmo porque, no meio do lodo geram-se pérolas lindas...
Estudar e disponibilizar nossos estudos, no tentame de a ninguém lesar, mas disponizar meios suficientes para quem o queira poder refletir...
Aquele que não está pronto não consegue ainda exemplificar... Então praque mentir?
Agora, estudando e disponibilizando, nos fazemos canos condutores de agua, e nunca ficaremos sedentos...
Disponibilizar sem nada querer em troca, é dificílimo... poucos hão capazes de tanto...
Paciência vamos tentando...
Porque não basta ler, é preciso viver por sob a própria pele o ato, exteriorizado, para então dizer SEI...


RELIGIÃO -
Nenhuma nuvem obscurece a luz mais pura; o diamante sem mácula é o que tem mais valor.
A unidade se fará do lado onde ao bem jamais se haja misturado o mal, porquanto considerarão que aí está a verdade.
Por toda parte os princípios fundamentais são os mesmos e tem que vos unir numa idéia comum: o amor de Deus e a pratica do bem.
Qualquer que seja, conseguintemente, o modo de progressão que se imagine para as almas, o objetivo final é um só e um só o meio de alcançá-lo: fazer o bem.
Ora, não há duas maneiras de fazê-lo.
Se dissidências capitais se levantam, quanto ao princípio mesmo da Doutrina, de uma regra certa dispondes para as apreciar: a melhor doutrina é a que satisfaz ao coração e à razão e a que mais elementos encerra para levar os homens ao bem.
Essa, eu vo-lo afirmo, a que prevalecerá.

Allan Kardec em: ESPÍRITO VERDADE em:
Livro dos Médiuns;301/9,302 -
Allan Kardec em  -
Livro dos Espíritos; Conclusão IX -
Gênese; 18/19 -

No estado atual da opinião e dos conhecimentos, a religião que terá de congregar um dia todos os homens sob o mesmo estandarte será a que melhor satisfaça à razão e às legítimas aspirações do coração e do espírito; que não seja em nenhum ponto desmentida pela ciência positiva; que, em vez de se imobilizar, acompanhe a Humanidade em sua marcha progressiva, sem nunca deixar que a ultrapassem; que não for nem exclusivista, nem intolerante; que for a emancipadora da inteligência, com o não admitir senão a fé raciocinada; aquela cujo código de moral seja o mais puro, o mais lógico, o mais em harmonia com as necessidades sociais, o mais apropriado, enfim, a fundar na terra o reinado do Bem, pela prática da caridade e da fraternidade universais.
ALLAN KARDEC em:
Gênese; 17/32 -
Livro dos Espíritos; 842 -

Saúde e Paz!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Wim em 05 de Janeiro de 2013, 05:23
Acredito que a pergunta 625 de O Livro dos Espíritos não deixa nenhuma margem à dúvida sobre a estreita relação que há entre o Espiritismo e o Cristianismo:

Pergunta 625 - Qual é o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e de modelo?

Resposta: Vede Jesus.

Comentário de Kardec: Jesus é para o homem o modelo da perfeição moral que a Humanidade pode pretender sobre a Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a mais pura expressão da sua lei, porque ele estava animado do espírito divino e foi o ser mais puro que apareceu sobre a Terra. [o comentário se estende por mais um parágrafo, mas este parece ter mais a ver com o assunto deste tópico]
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 05:28
Amados,
É vero Wim
Reflitamos...
No estado atual da opinião e dos conhecimentos, a religião que terá de congregar um dia todos os homens sob o mesmo estandarte será a que melhor satisfaça à razão e às legítimas aspirações do coração e do espírito; que não seja em nenhum ponto desmentida pela ciência positiva;

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/cristianismo-primitivo-e-espiritismo/15/#ixzz2H4ldlnWe

Não podemos nos deixar iludir, pelo citado por Kardec...
Ciencia positiva não é a logia de Comte e seus seguidores ateus e incrédulos além de céticos no amor o puro amor...
Ciencia positiva, é aquela que o tempo não a desmentirá...
Aguardemos...
Saúde e Paz!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 05 de Janeiro de 2013, 15:53
Mano Bino,
quando se afirma algo como: "Ciencia positiva não é a logia de Comte e seus seguidores ateus e incrédulos além de céticos no amor o puro amor..."
Ou ainda:
"Ciencia positiva, é aquela que o tempo não a desmentirá..."
Se engloba tudo num mesmo saco, e por tal motivo o foco fica prejudicado.
A razão da Ciênmcia está em que seus estudos e avaliações não possam sofrer um estacionamento.
embora haja para a Ciência do homem, pontos já bem assinalados e cujas respostas ofereçam a satisfação de muitas idéias, nem por isso se pode afirmar que esteja aquele ponto sacramentado, pronto e acabado, senão seria pregar-se que a ciência a partir de certo ponto não mais progride o que demandaria estultice das maiores.
A ciência do homem só chega até o ponto em que sua inteligência a leve e nisso difere da ciência dos Espíritos que, sendo avaliadores que tenham a visão mais alargada que a nossa podem ver com mais exatidão e certeza, se estão na Classe dos Superiores ou dos Puros Espíritos.
Exatamente esta a razão de que por ordenação Divina (conforme explica a obra básica), Deus tenha legado aos puros Espíritos o labor da propagação da idéias Espíritas, e estes, chamaram ao mesmo trabalho mas já com o foco na Humanidade, a classe dos Espíritos Superiores.
Como se vê há uma hierarquia a ser obedecida, e fases separadas de saber, conhecimento e trabalho tanto nos seres encarnados quanto na esfera espiritual.
Generalizando-se, não se tem isso em vista e portanto se perderá o foco.
Abraços,
Moura

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/cristianismo-primitivo-e-espiritismo/15/?action=post;num_replies=29#ixzz2H7Hq0wAB
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 05 de Janeiro de 2013, 19:06
[...]A razão da Ciênmcia está em que seus estudos e avaliações não possam sofrer um estacionamento.
embora haja para a Ciência do homem, pontos já bem assinalados e cujas respostas ofereçam a satisfação de muitas idéias, nem por isso se pode afirmar que esteja aquele ponto sacramentado, pronto e acabado, senão seria pregar-se que a ciência a partir de certo ponto não mais progride o que demandaria estultice das maiores. [...]

Moura,

É importante lembrar que esse princípio é de grande interesse para a filosofia da ciência e para a epistemologia. O trabalho do filósofo Karl Popper, por exemplo, foi em grande parte voltado para a defesa de que uma teoria científica válida é somente aquela que ainda não foi falseada ou refutada por outra.

Abraço, 
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 19:28
Amado irmão Moura,

"Ciencia positiva, é aquela que o tempo não a desmentirá..."

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/cristianismo-primitivo-e-espiritismo/30/#ixzz2H89aaK7z

Reflitamos:
Não podemos colocar num mesmo saco a filosofia do amor, (o toque terapeutico, a prece por intersessão a outrem ou a nós mesmos necessitados de apoio, força, (o amigo entende milagre, discordo), a filosofia hermeneutica, que está distorcida para atender o interesse falacioso, tanto dos pregadores do pulpito, quanto os que usam a falácia no direito, na politica,não é essa), a filosofia do que já sabemos até então constante na codificação), o que temos até agora de experiência de quase morte... Então há controversias numa afirmação pura e categórica...
saúde e Paz!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Wim em 05 de Janeiro de 2013, 19:41
O trabalho do filósofo Karl Popper, por exemplo, foi em grande parte voltado para a defesa de que uma teoria científica válida é somente aquela que ainda não foi falseada ou refutada por outra.

Somente completando essa sua observação, Edmar: Para ser uma teoria científica válida, segundo Popper, esta tem que poder ser falseada.

Mas eu ainda me permito dizer que os temas metafísicos não deixam de ser menos reais simplesmente porque não satisfazem os critérios de pertencimento à ciência atual.

Abraços!  :)
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Wim em 05 de Janeiro de 2013, 20:45
Agora, voltando à questão da relação entre o Espiritismo e o Cristianismo, vale a pena transcrever o primeiro parágrafo da Introdução (item I) de O Evangelho Segundo o Espiritismo:

"As matérias contidas nos Evangelhos podem ser divididas em cinco partes: os atos comuns da vida do Cristo; os milagres; as predições; as palavras que serviram de base para o estabelecimento dos dogmas da Igreja; e o ensino moral."

Após fazer a classificação acima, Kardec enfatiza que, dentre essas cinco partes, somente o ensino moral dos Evangelhos estaria livre de controvérsias. E, partindo desse pressuposto (apoiado sempre pelas comunicações dos Espíritos), incorpora a moral evangélica de Jesus ao conjunto do trabalho que vinha realizando de estabelecimento da Doutrina Espírita.

Deste modo, podemos dizer que o Espiritismo é cristão sim. Agora, quanto à questão de o Espiritismo ser uma religião, é necessário que sejamos mais cautelosos antes de nos pronunciarmos de forma peremptória. Numa época (séc. XIX) de profundo antagonismo entre ciência e religião, Kardec reconhece a importância de ambas como "alavancas da inteligência humana" (vale a pena ler "Aliança da Ciência e da Religião" no Cap. I do ESE). A Doutrina Espírita propunha-se a ser universalista, o que se chocava frontalmente contra o exclusivismo salvacionista da Igreja Católica. Para Kardec não havia problema algum em uma pessoa ser, ao mesmo tempo, católica e espírita (existem interessantes artigos na Revista Espírita sobre esta questão, mas que não tenho aqui à mão neste momento), mas o dogmatismo católico tinha (como parece que ainda tem) uma opinião diferente desta, já que seus fiéis deveriam crer exclusivamente naquilo que era sancionado pelas lideranças eclesiásticas de então, cuja última palavra era mesmo a do Papa. Há um momento, inclusive, em que Kardec tem mesmo que se defender da acusação de querer criar uma nova religião.

Seja como for, parece-me perfeitamente clara a existência de um aspecto religioso no Espiritismo, bastando apenas procurarmos entender "religião" no seu sentido mais amplo, longe dos sectarismos tão comuns aos religiosos.

E todos sabemos que a prática dos princípios morais mais elevados é mais difícil do que a simples enunciação dos mesmos!

Saudações a tod@s!  :)
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 06 de Janeiro de 2013, 16:03
Bino, quando eu falo em Filosofia, refiro-me a ela em espécie e não a o que um ou outro pense ou faça a seu bel prazer dizendo que seja Filosofia.
Abraços,
Moura
Amado irmão Moura,

"Ciencia positiva, é aquela que o tempo não a desmentirá..."

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/cristianismo-primitivo-e-espiritismo/30/#ixzz2H89aaK7z

Reflitamos:
Não podemos colocar num mesmo saco a filosofia do amor, (o toque terapeutico, a prece por intersessão a outrem ou a nós mesmos necessitados de apoio, força, (o amigo entende milagre, discordo), a filosofia hermeneutica, que está distorcida para atender o interesse falacioso, tanto dos pregadores do pulpito, quanto os que usam a falácia no direito, na politica,não é essa), a filosofia do que já sabemos até então constante na codificação), o que temos até agora de experiência de quase morte... Então há controversias numa afirmação pura e categórica...
saúde e Paz!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: filhodobino em 06 de Janeiro de 2013, 17:21
Amado,
Entendo, mas ai só poderás filosofar, quando a história comprovar, pois nenhuma outra academia se atrave a dizes ao contemporâneo, que a filosofia dele é a melhor, ou mais certa, ou a que deve ser divulgada etc...
Até que a história configure através das teses que com o tempo vão se construindo é que se vê realmente a nobreza ou não de uma determinada filosofia...
Enfim...
basta pesquisar, quantas, foram as que cairam no esquecimento...
Agora, convenhamos, para nós a doutrina Espírita está ficando fácil, mas na virada do século, ou até nos anos  60/70/80, muito diferente não?
Saúde e Paz!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Luís Filipe em 06 de Janeiro de 2013, 19:29
Olá a todos;

na minha opinião, e comentando o título do tópico, o Espiritismo e o Cristianismo, são uma e a mesma Doutrina: a Espírita-Cristã, pelo que, é lícito afirmar-se que o Espiritismo, é o desenvolvimento natural e científico do Cristianismo; isto significa, que a Doutrina é sempre a mesma, mas tem sido gradualmente revelada e ampliada, à medida que a Humanidade, progride em termos morais e intelectuais; é assim, que as 3 Revelações Sagradas de Deus à Humanidade: 1ª Decálogo; 2ª Cristianismo; 3ª Espiritismo; se confundem numa só Doutrina, cada vez mais ampliada; de onde se segue, que futuramente poderá surgir uma Nova Revelação, e se isso acontecer, será o desenvolvimento natural das obras codificadas por Allan Kardec, sob a orientação e instrução dos Espíritos Superiores.

Cumprimentos;

Luís Filipe.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: EsoEstudos em 06 de Janeiro de 2013, 19:50
Tenho que o Espiritismo é uma doutrina que detém, inclusive, postulados de natureza moral.

Daí a ser uma religião ou uma revelação... Respeito mas discordo.

Até porque muito antes de Jesus já havia mestres pelo planeta orientando a humanidade sobre o Amor Universal.
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 07 de Janeiro de 2013, 14:31
Bino, veja com se muda o foco  do debate:
Ninguém aventou a hipótese de ser uma filosofia melhor do que a outra, inclusive esta que estamos a fazer agora mesmo...
Abraços,
Moura
Amado,
Entendo, mas ai só poderás filosofar, quando a história comprovar, pois nenhuma outra academia se atrave a dizes ao contemporâneo, que a filosofia dele é a melhor, ou mais certa, ou a que deve ser divulgada etc...
Até que a história configure através das teses que com o tempo vão se construindo é que se vê realmente a nobreza ou não de uma determinada filosofia...
Enfim...
basta pesquisar, quantas, foram as que cairam no esquecimento...
Agora, convenhamos, para nós a doutrina Espírita está ficando fácil, mas na virada do século, ou até nos anos  60/70/80, muito diferente não?
Saúde e Paz!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: filhodobino em 07 de Janeiro de 2013, 16:32
Bino, veja com se muda o foco  do debate:
Ninguém aventou a hipótese de ser uma filosofia melhor do que a outra, inclusive esta que estamos a fazer agora mesmo...
Abraços,
Moura
Amado,
Entendo, mas ai só poderás filosofar, quando a história comprovar, pois nenhuma outra academia se atrave a dizes ao contemporâneo, que a filosofia dele é a melhor, ou mais certa, ou a que deve ser divulgada etc...
Até que a história configure através das teses que com o tempo vão se construindo é que se vê realmente a nobreza ou não de uma determinada filosofia...
Enfim...
basta pesquisar, quantas, foram as que cairam no esquecimento...
Agora, convenhamos, para nós a doutrina Espírita está ficando fácil, mas na virada do século, ou até nos anos  60/70/80, muito diferente não?
Saúde e Paz!

Amado,
Dura lex, razão inconteste, submeto-me...
Aceitas, amado irmão, um atenuante?
falta de revisão... em verdade não imaginei dizer "melhor" no sentido de desmerecer a outra, queria dizer melhor no sentido de mais explicita, mais compreensível, mais palatável, menos ambígua, ou menos sujeita a equivocos interpretativos...
Vejo válido o conserto.
Grato, Saúde e Paz!
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Mourarego em 07 de Janeiro de 2013, 16:57
Mano véio,
eu nem pensei que estivesses a querer suplantar outra opinião, posto que não é do teu feitio.
abraços,
Moura
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Conforti em 08 de Janeiro de 2013, 03:10
      Ignarus    (ref msg #7)

      O amigo Ignarus escreveu um texto q, lhe peço, me permita complementar.

      Ignarus: No meu entendimento "cristianismo primitivo" é uma força de expressão verbal para designar apenas a forma como Jesus vivia e propagava os seus ensinamentos, ou seja, sem as modificações e interferências dos poderes.

      Cel: não era bem assim; naquela época, os poderes interferiam continuamente; eram discricionários e tinham o poder de vida e de morte, tanto q Jesus foi crucificado, os cristãos foram perseguidos, caçados, torturados e assassinados. Os poderosos eram a lei; o povo judeu vivia oprimido pelos romanos e pela nobreza da própria terra.

      Ignarus: Assim, talvez, dizer-se cristianismo primitivo não implica diretamente no conceito doutrinário, pois que a Doutrina de Cristo em seus principais fundamentos perpertuou-se, mas a manifestação religiosa modificou-se completamente, basta comparar com as descrições contidas na Bíblia: não havia templos, velas, trajes, rituais, incensos, dízimos, imagens, sacerdotes e etc..

      Cel: não deve ser essa a diferença importante existente entre cristianismo primitivo e o q veio depois dele; o cristianismo primitivo é muito diferente do atual, não tanto (mas também) nos escritos bíblicos, mas, e principalmente, nas palavras dos sacerdotes e ministros, na literatura das doutrinas dele advindas e na mente do povo.

     No correr dos séculos, interpretações erradas ou seleção indevida dos ensinamentos de Jesus (de várias dezenas de evangelhos, a igreja nascente selecionou quatro q, após, foram adotados pelas doutrinas protestante e espirita), fizeram com que suas lições chegassem, aos homens, de maneira deturpada. Tanto isso é verdade que ministros cristãos chegaram a afirmar que “pelo cristianismo de hoje, ninguém chega a Deus”; que “a igreja cristã falhou, por estar fazendo a humanidade ocidental caminhar contra uma muralha, sem conseguir dar um passo na direção de Deus”. E, o mais grave: que as igrejas se preocuparam (e se preocupam) mais em levar aos fiéis “os fatos da história da vida de Jesus”, em vez de lhes levar aquilo que é muito mais importante: “seus ensinamentos”.  Enquanto Jesus ensinou sobre o reino de Deus, as igrejas cristãs ensinam mais sobre sua vida, paixão e sofrimentos, levando-o à posição de um mártir q se imolou para “lavar os pecados do mundo”. 

      As igrejas passaram a contar sua história, a ensinar a adorá-lo, a dar glórias, a lhe agradecer por graças, a fazer-lhe culto e súplicas quando, o importante, é transmitir, aos homens, seus ensinamentos.

      Mas, os próprios ensinamentos foram deturpados.  Muitos textos bíblicos foram adulterados, tanto q pesquisadores e estudiosos aconselham q desconfiemos de muito do q lá está escrito. Trechos foram subtraídos ou acrescentados, muitas vezes para tentar justificar atos arbitrários (principalmente do papado) e sua ambição terrena.

     Pesquisadores cristãos afirmam que “o que falta, no cristianismo de hoje, é o conhecimento de que podemos ir além da teoria e da doutrina; que podemos ter “percepção direta” daquilo que a doutrina fala: a percepção de Deus”. Esse conhecimento existia no cristianismo dos primeiros séculos, mas a igreja cristã se esqueceu de ensinar.

      São palavras, hoje esquecidas, de padres do cristianismo dos primeiros tempos: “meditação é a coisa mais importante que a humanidade tem a fazer”.

      Ignarus: Em outras palavas, havia apenas a simplicidade nas palestras públicas ou realizadas nas casas dos adeptos, onde, acima de tudo, a verdadeira Fé era despertada através do amor e não de leis, expressões ritualisticas ou mandamentos dogmáticos.

      Cel: sinto dizer q, aqui, não entendi: o q significa dizer q “a verdadeira Fé era despertada através do amor e não de leis, expressões...”. A fé não nasce do amor, nem de leis, leituras, ouvir dizer, preleções, palavras, nem de manifestações de amor. A fé/certeza, não a crença comum, nasce da compreensão profunda e do sentir ou testemunhar coisas e ações extraordinárias inimagináveis.  E a fé, a confiança nas palavras dos pregadores e sobretudo do mestre de Nazaré, veio mais do medo, da admiração, do inusitado frente a curas e ações extraordinárias (milagres) q a todos surpreendia. 
.............................................


Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Conforti em 10 de Janeiro de 2013, 20:53
      Amigos    (ref #26)
   
      Cel: como diz acima o amigo, o espiritismo traz todos os ensinamentos de Jesus; se é assim, porq não ensina o q Jesus quis dizer com “tudo vem do Alto!”, como qdo disse a Pilatos: “nenhum poder teríeis se do Alto não vos fosse dado”? O q quis dizer com “o reino de Deus está dentro de vós!”? Porq não ensina q nada é escolha nossa, pois até mesmo o segui-lo (ou seguir, portanto, qualquer coisa, Jesus ou Calígula, Madre Teresa ou Hitler, o caminho do bem ou o do mal) não é escolha ou decisão nossa?! 
     
      Texto: o espiritismo enfatiza a necessidade do amar a Deus e ao próximo como base  essencial para aquisição de todas as virtudes...

      Cel: o amigo está certo de q o espiritismo diz isso? Ou diz q o mais importante é o mandamento de "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo!"? Será, então, a aquisição de virtudes recompensa, prêmio ou consequência/efeito causado por amar a Deus e amar o próximo?! O amar Deus e o próximo é a causa q tem como efeito a aquisição de virtudes?!

      Mas, se ainda não adquirimos as virtudes, e entre elas a mais importante é o amor, pois elas são consequência de amar a Deus e ao próximo, com poderemos amar a Deus e ao próximo? A causa q tem como efeito a aquisição de virtudes é amar a Deus e ao próximo, ou a causa q tem como efeito amar a Deus e ao próximo é a aquisição de virtudes? Pois como amar antes de termos adquirido a virtude do amor?!

      Amigos, como a DE, enfaticamente, recomenda, devemos raciocinar sobre a fé: fé raciocinada!
.................................................     
Título: Re: Cristianismo primitivo e Espiritismo
Enviado por: Conforti em 19 de Janeiro de 2013, 20:50
      Filosofo    (ref #37)

      Olá amigo Filósofo, há diferenças, sim, e algumas bem graves, pois trazem sentido totalmente diferente entre concepções do cristianismo e do espiritismo. Algumas são até contrárias entre si. 

      Digo isto dentro da suposição de q o amigo considere como sendo cristianismo, não apenas os quatro evangelhos, mas o Novo Testamento; para alguns, cristianismo é apenas aquilo q está nos evangelhos!

      Aliás, uma coisa a se estranhar e q, me parece, nunca foi bem explicada, é a razão de a doutrina espírita haver adotado (como também os protestantes fizeram), entre dezenas de evangelhos, os quatro q o Vaticano selecionou, e mesmo após séculos de adulterações à conveniência dos poderosos, em particular de papas de Roma. Dos evangelhos, muita coisa foi alterada, trechos suprimidos e adaptados, principalmente para tentar justificar atos arbitrários do papado. Portanto, não são a mesma doutrina; divergem em pontos importantes.   

      Posteriormente, também se verificou q há equívocos no q se refere a traduções; assim, aquelas frases tão conhecidas e tão importantes para a visão dos cristãos: “eu sou o caminho, a verdade e a vida!” e “ninguém vem (ou vai) ao Pai senão por mim!” tem sua tradução correta em: “o ‘eu’ é o caminho, a verdade e a vida!” e: “ninguém vai ao Pai senão pelo ‘eu’!”, fato q muda totalmente o sentido q antes dávamos àquelas duas frases.

      Há, na doutrina espírita, como na protestante, ensinos que se opõem a ensinos de Jesus, mesmo se as considerarmos alicerçadas somente nos evangelhos. Quanto às epístolas, em particular as de Paulo, há divergências evidentes, mas q muitos não admitem pois dizem q cristianismo está apoiado apenas nas palavras de Jesus q os evangelhos contêm.
.................................