Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Tópico iniciado por: x em 31 de Janeiro de 2008, 13:58

Título: A Terceira Revelação
Enviado por: x em 31 de Janeiro de 2008, 13:58
Olá amigos! Como gostei deste texto, decidi colocá-lo aqui.

«A terceira revelação de DEUS para a humanidade, ou seja, a Doutrina Espírita, criada pelos Espíritos superiores e codificada por Allan Kardec, teve como alicerce a liberdade de pensamento que desencadeou procedimentos individuais e coletivos nos indivíduos que lhe seguiram os ideais. Nasceu com essas características, para diferenciar-se de outros movimentos religiosos, fundamentados em hierarquias papais, organismos de mando etc. Mas, isso jamais quer dizer que deva existir entre nós uma liberdade irrestrita, podendo cada um fazer do Espiritismo o que bem entender. Antes de voltar ao mundo espiritual, o Codificador deixou-nos preciosas instruções de como deveríamos proceder em relação à organização do sistema espírita e às revelações que viessem a acontecer em relação à teoria doutrinária e sobre pessoas. Os fundadores do Movimento Espírita no Brasil, infelizmente deram pouca importância a essas orientações e, possivelmente, nem possuíam conhecimento a respeito. Muitos equívocos portanto, edificou no país um movimento espiritualista denominado “espírita”, mas com incômodas semelhanças com o catolicismo e até mesmo com outras religiões. Alguns que se dizem espíritas, afirmam que Francisco Cândido Xavier, um grande médium, mas não espírita, seria a reencarnação de Allan Kardec. Que coisa mais maluca esta estória. Chico Xavier foi um missionário que recebeu a tarefa de tornar o Espiritismo acessível às pessoas comuns. Pela beleza do seu trabalho mediúnico, Chico despertou enorme legião de admiradores. Muitos deles fanatizaram-se e tomaram seus ensinamentos como palavra de ordem ou complemento da Doutrina Espírita, o que é um outro absurdo. Nada até hoje foi complemento da Doutrina Espírita.   

A obra de Chico é admirável. Foi ele quem, involuntariamente, fundou enorme escola, de onde nasceram outros médiuns conhecidos. Mas seus livros não podem ser considerados “complemento” da Doutrina Espírita, simplesmente porque jamais foram submetidos ao Controle Universal dos Espíritos, um mecanismo de aferição doutrinária inexistente, pois nunca foi criado pelos que tiveram a missão de comandar o sistema. O que o médium mineiro construiu deve ser tomado como opinião de um grupo de Espíritos e não da universalidade dos Espíritos. Passar pelo Controle Universal é condição “sine qua non” para que qualquer novo ensinamento ou conceito possa ser introduzido na Doutrina Espírita, mas quem se importa com isso? Os fanáticos seguidores de Francisco Cândido Xavier, em maioria, desconhecem a obra do Codificador e são avessos ao seu estudo. Iludidos pela beleza dos fenômenos produzidos por ele, acham que seria “maravilhoso” validar a tese de que sua obra veio “complementar” a Doutrina Espírita. E para isso nada melhor do que dar-lhe o honroso título de “reencarnação de Allan Kardec”.  A Federação Espírita Brasileira - FEB, até agora tem silenciado sobre esse delicado assunto, pois a tese lhe é favorável para que os livros mediúnicos não parem de ser produzidos. A “Folha Espírita” não se deteve só em apresentar a absurda teoria de que Chico seria a encarnação de Kardec. Publicou outro texto,  dizendo que o médium seria também a reencarnação de Platão. Uma idéia certamente inspirada por Espíritos galhofeiros, que ridiculariza o Espiritismo publicamente e que qualquer pessoa idônea não levaria a sério.(...)

                                          (Continua)

Título: Re: A Terceira Revelação
Enviado por: x em 31 de Janeiro de 2008, 14:10
                                     
                                         (Continuação)

(...) A fascinação atinge também outros meios de comunicação. Recentemente, no SBT, apresentaram um senhor que, para espanto de muita gente, dizia-se a encarnação do Codificador. Vamos usar a razão e o bom senso? Se Allan Kardec voltar Allan Kardec, voltar a reencarnar, será reconhecido por retomar as obras do sistema que criou outrora, para dar seguimento aos planos dos Espíritos superiores que o assistiam, mas jamais contrariando regras que eles mesmos criaram. Em vez de buscarmos utopias, faríamos melhor se seguíssemos seus preciosos ensinamentos. Não tem sentido os dirigentes de casas espíritas substituírem as obras da Codificação pelos livros de Francisco Cândido Xavier, de Divaldo Pereira Franco ou de quem quer que seja, naquilo que se refere à formação do trabalhador espírita. Isso acontece com uma frequência preocupante. Há grupos que deixam de realizar o estudo do “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, tampouco fazem qualquer leitura de “O Livro dos Espíritos”. Esses importantes livros estão sendo substituídos por obras acessórias. Abandonam a orientação da Codificação, substituindo-a por mensagens ou escritos populares, despidos de maior profundidade. Sem estudo, o Centro Espírita permanece no atraso, sob o comando de Espíritos pouco adiantados.

Allan Kardec é a escola fundamental do trabalhador espírita. É em suas obras que se inicia o servo de Jesus e de sua causa. Sinceramente não sei aonde isso vai chegar. Essas informações ilógicas sobre o Espiritismo é o que faz com que as pessoas percam cada vez mais respeito por esta doutrina maravilhosa que só veio para complementar o que Jesus não poderia dizer naquela época. Além disso veio dar autenticidade as informações de Jesus. Só uma coisa eu tenho certeza. Que o dinheiro também fala alto em alguns centros espíritas que só querem vender livros mediúnicos, ao invés de ensinar tudo aquilo que Allan Kardec com a ajuda dos espíritos superiores veio nos deixar como lição. Mas o que me conforta é a justiça divina, porque quem tem o conhecimento e se utiliza dele para fins materiais, com certeza será cobrado na passagem para outro plano. Só espírita aquele que estuda a codificação, e que age baseando-se sempre nos seus ensinamentos. Do contrário, são charlatães em busca de levar cada vez mais a ignorância aos homens ingênuos.» (Fabrício Machado)


Abraços!
Título: Re: A Terceira Revelação
Enviado por: Jorge em 31 de Janeiro de 2008, 15:22
Olá amigo Luís,

É claro que a doutrina espírita tem por pedra angular a codificação de Kardec.
É uma obra intemporal.
No centro espírita que eu frequento é costume dedicar as quartas-feiras ao estudo da codificação de Kardec existindo toda uma dinâmica de perguntas e respostas que envolve assistentes e palestrantes.

Quanto às outras obras de Chico Xavier, Divaldo Pereira Franco acho que elas são também essenciais no desenvolvimento de conhecimentos adquiridos em Kardec.
Por exemplo todos os livros do espírito André Luís são verdadeiros mananciais de luz, porquanto nos ilucidam com base em experiências dele (André Luís) e de outros espíritos, como se processam as coisas na vida espiritual e o respectivo processo de evitarmos surpresas desagradáveis para nós outros.

"O intercâmbio com o invisível é um movimento sagrado, em
função restauradora do Cristianismo puro; que ninguém, todavia,
se descuide das necessidades próprias, no lugar que ocupa pela
vontade do Senhor.
André Luiz vem contar a você, leitor amigo, que a maior
surpresa da morte carnal é a de nos colocar face a face com
própria consciência, onde edificamos o céu, estacionamos no
purgatório ou nos precipitamos no abismo infernal; vem lembrar
que a Terra é oficina sagrada, e que ninguém a menosprezará,
sem conhecer o preço do terrível engano a que submeteu o
próprio coração.
Guarde a experiência dele no livro dalma. Ela diz bem alto
que não basta à criatura apegar-se à existência humana, mas
precisa saber aproveitá-la dignamente; que os passos do cristão,
em qualquer escola religiosa, devem dirigir-se verdadeiramente
ao Cristo, e que, em nosso campo doutrinário, precisamos, em
verdade, do ESPIRITISMO e do ESPIRITUALISMO, mas, muito
mais, de ESPIRITUALIDADE."

Abraços fraternos.
Jorge