Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Conforti em 06 de Janeiro de 2011, 19:35

Título: Sugestiva Experiência
Enviado por: Conforti em 06 de Janeiro de 2011, 19:35
         Para reflexão, uma pequena e  sugestiva  experiência.

          Nuvens brancas, céu claro; daqui de baixo, uma escada azul diáfana e perfeita que sobe e, lá em cima, mergulha e se desfaz numa estrela chamejante; subindo, degrau a degrau, lado a lado, mãos dadas, o assassino e o assassinado, o explorador e o explorado, o egoísta e o solidário, o orgulhoso e o humilde, o corruptor e o que foi corrompido, o perverso e sua vítima, o rei e o indigente, o malfeitor e o benfeitor, lado a lado, mãos dadas, subindo, subindo...
          Não há culpas, nem culpados... tudo apenas é o que é. Por isso: “É o Senhor que opera em nós o pensar, o querer e o fazer”, e “Não sois salvos por vossas obras, mas pela graça de Deus”.




   
Título: Re: Sugestiva Experiência
Enviado por: filhodobino em 06 de Janeiro de 2011, 19:50
         Para reflexão, uma pequena e  sugestiva  experiência.

          Nuvens brancas, céu claro; daqui de baixo, uma escada azul diáfana e perfeita que sobe e, lá em cima, mergulha e se desfaz numa estrela chamejante; subindo, degrau a degrau, lado a lado, mãos dadas, o assassino e o assassinado, o explorador e o explorado, o egoísta e o solidário, o orgulhoso e o humilde, o corruptor e o que foi corrompido, o perverso e sua vítima, o rei e o indigente, o malfeitor e o benfeitor, lado a lado, mãos dadas, subindo, subindo...
          Não há culpas, nem culpados... tudo apenas é o que é. Por isso: “É o Senhor que opera em nós o pensar, o querer e o fazer”, e “Não sois salvos por vossas obras, mas pela graça de Deus”.

Um Homem, cheio de ansiedade, oscilava muitas vezes entre o medo e a esperança.
Certa vez, oprimido pela tristeza, entrou numa igreja e, prostrando-se diante do altar para fazer oração, dizia e repetia consigo mesmo...
Oh! Se eu soubesse que havia de perseverar!
E imediatamente ouviu dentro de sí esta divina resposta:
Que farias, se o soubesse?
Faze agora o que então quererias fazer, e estarás bem seguro.
E no mesmo instante, consolado e fortalecido, entregou-se à divina vontade e cessou sua ansiosa perplexidade.
Nem quis perscrutar curiosamente o que havia de suceder no futuro; mas aplicou-se mais a conhecer o que mais perfeito e agradável à vontade de Deus, para começar a levar a termo qualquer obra.
Imitação de Cristo - Tomás de Kempis.- Prim. livro-capl. xv= item 2.

Saúde e Paz!
Título: Re: Sugestiva Experiência
Enviado por: Conforti em 06 de Janeiro de 2011, 20:22
          Olá xará e amigo Filhodobino,

          Espero que o amigo e seus queridos tenham iniado o ano com alegria, saúde e fé.
          Também muito sugestivas as palavras de Kempis.

          Um abração.
Título: Re: Sugestiva Experiência
Enviado por: filhodobino em 06 de Janeiro de 2011, 20:28
          Olá xará e amigo Filhodobino,

          Espero que o amigo e seus queridos tenham iniado o ano com alegria, saúde e fé.
          Também muito sugestivas as palavras de Kempis.

          Um abração.


É vero irmão... É recíproco, os desejos de venturosos dias neste 2011..
Saúde e Paz!
Título: Re: Sugestiva Experiência
Enviado por: ken em 06 de Janeiro de 2011, 21:15
Prezado coronel

Gostaria de questionar as palavras de Paulo:
 " É o senhor que opera em nós o pensar, o querer e o fazer"
Acredito que este fato só ocorra quando tivermos eliminado por completo a ação de
nosso "Ego".
 " Não sois salvos por vossas obras, mas pela graça de Deus"
Esta frase me soa como uma versão católica..  Salvação!!.. acredito que não estamos
na matéria para sermos salvos, mas sim para evoluirmos, para buscarmos dentro de
nós " A Verdade ".
Apreciaria seus comentários

sds

ken
Título: Re: Sugestiva Experiência
Enviado por: Conforti em 07 de Janeiro de 2011, 03:21
          Ken   (ref #4)
          Companheiro de jornada Ken; cito você:
          “Gostaria de questionar as palavras de Paulo: “É o senhor que opera em nós o pensar, o querer e o fazer". Acredito que este fato só ocorra quando tivermos eliminado por completo a ação de nosso "Ego”.
          Cel: meu amigo, observe que numa outra passagem Paulo diz a mesma coisa: “... como se tivésseis algum pensamento como de vós mesmos, pois todos eles vêm de Deus”. Tudo vem do Alto. Jesus mesmo afirmou: “Só vem a mim aquele que o Pai que me enviou mandar a mim”, como tb disse, noutra passagem: “Nenhum poder teríeis se do Alto não vos fosse dado”. Analise as escrituras e veja que estão cheias de indicações, de outras não me lembro agora, de que tudo somente ocorre pela ação do Alto. 
          Para melhor compreender isso, veja que a segunda frase “Não sois salvos...” é, praticamente a continuação ou uma justificação e até autenticação da primeira. Ficaria assim: “É o Senhor que opera em nós o pensar e o fazer <<tanto que>> não somos salvos por nossas obras, mas pela graça de Deus”. É verdade que as escrituras foram muito manipuladas ao capricho de poderosos que podem tê-las modificado seriamente. Mas, ainda são a base das crenças, suposições e buscas dos ocidentais. A DE, como as duas outras ocidentais, têm sua base no cristianismo e a literatura e a codificação estão completamente presas a ele. Mas, para ter uma idéia: conforme os Evangelhos, Jesus disse “Ninguém vai ao Pai senão por mim”. Não teria ele dito: “senão pelo <eu>”? Afirmou também: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Não teria ele afirmado: “O <eu> é o caminho, a verdade e a vida”? Observe. As escrituras, nesses dois mil anos, passaram por tantas traduções, gramáticas, interpretações e idiomas, e sofreram a influência de tantos interesses, costumes e culturas diferentes! E, conforme doutores da lei judaica a tradução correta é mesmo “o <eu> é o caminho...” e “ninguém vai ao Pai senão pelo <eu>”, fato que altera completa e profundamente o sentido anterior dessas duas frases e que traz, tb, uma significação profunda do papel do “eu” de cada um. Veja outra coisa: Rui Barbosa, um dos mais fiéis historiadores, escreveu a introdução ao livro “O Papa e o Concílio”. As fontes que cita são de credibilidade indiscutível, muitas do próprio Vaticano: decretos, anais, tratados, acordos, bulas papais, cartas de bispos, padres, reis, imperadores, obras de historiadores de imparcialidade irrepreensível etc. Nessa introdução, conta que o Papa Sixto V escreveu uma nova versão da Bíblia, decretando que só essa era verdadeira e que seriam excomungados os que lhe alterassem uma só palavra. Contudo, a nova versão tinha cerca de duas mil incorreções em pontos importantes. Seu sucessor, Belarmino, aconselhou abafar o perigo a que Sixto levara a igreja: recolher e destruir todos os exemplares; e, depois de corrigida a Bíblia, reimprimi-la afirmando-se, no prefácio, serem os erros culpa dos impressores.
          Por aí podemos entender que não devemos aceitar, passivamente, tudo que lemos, ouvimos, aprendemos, como se fossem verdades absolutas, apenas por termos confiança nas fontes de onde vieram; temos de questionar, como vc está fazendo, analisar, comparar. A DE, no LM, cap III, item 35, tem um sábio conselho que muitos não seguem: "... os que desejam conhecer completamente uma ciência devem ler necessariamente tudo o que foi escrito a respeito, ou pelo menos o principal, não se limitando a um único autor. Devem mesmo ler os prós e os <contras>, as <críticas> e as justificações, iniciar-se nos diferentes sistemas a fim de poder julgar pela <comparação>. Cabe ao <leitor> separar o bom do mau, o verdadeiro do falso”.
          Igual disse Paulo: “Estudai de tudo e guardai o que for bom”. E veja que o LM recomenda estudar até mesmo os “contras”, as “críticas”, conselho que muitos desdenham ou até reagem quanto a essa possibilidade.
          Se não comparamos, se não abrimos os olhos para outras linhas de pensamentos, como saber que a nossa eleita é a melhor, que contém maior aproximação da verdade? E podemos, também, estar deixando de conhecer coisas de extrema importância para nosso crescimento espiritual, concorda?
          E mais uma coisa importante: religião é assunto de foro pessoal, pois elegemos aquela que mais se harmoniza com nossos conceitos acerca da vida e de tudo; e pode, portanto, ser totalmente diferente de tudo que já aprendemos, lemos, ouvimos ou supomos, seja de qualquer fonte que tenha vindo.
          Cito o amigo Ken:
          “Esta frase (a segunda) me soa como uma versão católica.  Salvação!!.. acredito que não estamos na matéria para sermos salvos, mas sim para evoluirmos, para buscarmos dentro de nós "A Verdade".
         Cel: veja meu amigo, isso de usar esta ou aquela palavra é apenas um detalhe sem importância. E qual é a finalidade da evolução senão a "salvação", dentro dos moldes do espiritismo? E “salvação” significa, dentro da DE, a realização espiritual que efetivamente nos libertará ou salvará de nossas dependências: “... a Verdade vos libertará”, ou “salvará”; não é a mesma coisa?
          Perceba Deus em você. Um abraço.
Título: Re: Sugestiva Experiência
Enviado por: ken em 07 de Janeiro de 2011, 10:52
Amigo Coronel

Fico-lhe grato por suas considerações.

Esteja sempre com Deus

ken