Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Marianna em 19 de Setembro de 2009, 03:21

Título: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Marianna em 19 de Setembro de 2009, 03:21



REGIÃO DO UMBRAL

As histórias que chegam até nós a respeito do Umbral mostram um local de sofrimento como dificilmente podemos imaginar. Para falar mais sobre o assunto e esclarecer alguns pontos, conversamos com o médium e escritor Alceu Costa Filho, que vem publicando seus livros pela Petit Editora. Alceu diz que no início, recebeu muitas mensagens, procurando orientação nas pessoas que sempre considerou médiuns exemplares. No entanto, foi a própria espiritualidade que se encarregou de motivá-lo e ampará-lo.
 
"Eu vejo e ouço os amigos do outro lado, e não posso deixar de registrar minha gratidão pelas lições de vida que deles recebi. Os espíritos Filipe, Xisto Vinheiros, Cornélio Pires e Nina Arueira são aqueles aos quais estou servindo de intermediário, no momento". Várias linhas espirituais falam sobre um lugar de trevas, para onde criaturas que desencarnam em situação de muita dor, ódio, suicídio, etc. acabam indo.

Como e quando surgiu a palavra Umbral no espiritismo?
Amplamente usada por André Luiz através da psicografia de Chico Xavier, hoje faz parte da linguagem espírita para definir zonas de dor e sofrimento. Definida nos dicionários (Aurélio) como: “Limiar da Entrada”, este sempre existiu como conseqüência natural da mente humana.

Na obra Nosso Lar encontramos, nas palavras de Lísias: “O Umbral começa na crosta terrestre. É a zona obscura de quantos no mundo não se resolveram atravessar as portas dos deveres sagrados a fim de cumpri-los, demorando-se no vale da indecisão ou no pântano de erros numerosos”.
 
- Via de regra, até quanto tempo uma alma pode passar no Umbral?
- Em que circunstâncias a alma pode ser resgatada e ir para uma dimensão mais elevada?

A) O tempo que sua consciência determinar.
B) A partir de seu despertar para as verdades eternas. Um espelho sujo não pode refletir a luz..
 
O Umbral também possui vários planos de existência?
No Livro dos Espíritos, as questões 101 e seguintes, tratam bem do assunto, explicando-nos as diferentes categorias de espíritos. Portanto, os agrupamentos são determinados pelas afinidades vibratórias formando núcleos pela concentração de tendências e desejos gerais. Compreendemos que cada criatura vive daquilo que cultiva em qualquer dos planos da vida.
 
No livro Memórias de um Suicida nós temos um relato no mínimo tétrico dessa região e dos espíritos que ali habitam. Alguns videntes dizem que quem ali se encontra, muitas vezes não consegue enxergar espíritos consoladores, de tão densos que são os seus corpos etéricos.

- O senhor poderia nos falar um pouco sobre isso?
Allan Kardec, no Livro dos Espíritos, capítulo Ensino Teórico das Sensações dos Espíritos, questão 257, cita: “Não possuindo órgãos sensitivos, eles podem, livremente, tornar ativas ou nulas suas percepções". Uma só coisa são obrigados a ouvir: os conselhos dos Espíritos bons. A vista, essa é sempre ativa; mas eles podem fazer-se invisíveis uns aos outros. Conforme a categoria que ocupem podem ocultar-se dos que lhes são inferiores, porém não dos que lhes são superiores.
 
Muitos dizem que o Umbral é o pensamento global dos sofredores plasmado no éter próximo à crosta da Terra. Isso é verdade?
Manoel Philomeno de Miranda, através da mediunidade de Divaldo, em Nas Fronteiras da Loucura, assim o descreve: “Composta de elementos que me escapavam, eram e são, no entanto, vitalizadas pelas sucessivas ondas mentais dos habitantes do planeta, que de alguma forma sofrem-lhe a condensação perniciosa”.
 
Existem espíritos além de qualquer possibilidade de resgate?
É possível um espírito, de tão maligno, ter sua centelha divina extinta para sempre ou então reencarnar no corpo de um animal?

Seria negar a justiça divina. Todos nós, por momentos ou séculos, atravessamos estas regiões. Todos fomos criados com o objetivo de evolução, e sermos condenados a penas eternas ou retroagirmos por castigo, é negar os princípios de amor e perdão pregados pelo Cristo. Na questão 194 do Livro dos Espíritos encontramos: “A alma não pode regredir, afirmar ao contrário seria negar a lei de progresso.”
 
Como se dá a reencarnação de espíritos que não conseguem sair do Umbral?
A questão 330 do Livro dos Espíritos nos responde: “A reencarnação é então uma necessidade, assim como a morte é uma necessidade da vida corporal". Ainda no Livro dos Espíritos, questão 1006, encontramos o ensinamento de São Luís de que “ninguém é totalmente mau”.

E em João, cap. 1 a 12: “Em verdade vos digo, ninguém poderá ver o reino de Deus se não nascer de novo”. Cedo ou tarde todos despertamos para a luz. Deus oferece a todos oportunidades iguais, facultando a cada um o que melhor lhe aprouver, enquanto assim o deseja, dentro do céus ou do inferno que construiu para si. Somos escravos de nossas culpas, mas também construtores de nosso amanhã.
 
Qual dos seus livros trata mais de perto da existência do Umbral?
À Sombra da Luz.
 
Existe uma hierarquia entre os habitantes desse plano?
Sim, dentro das conquistas de cada um, de conformidade com os ideais que alimentam.
 
Qual é o elo de ligação entre essas entidades?
Através da psicografia de Chico Xavier, em Ação e Reação, André Luiz nos relata, no capítulo 19: “situado entre dolorosa região de sombra cultivada pelas mentes, em geral, rebelde e ociosa, desvairada e enfermiça.” Em Nosso Lar, capítulo 12: “Lá vivem e agrupam-se os revoltados de toda espécie, formam igualmente, núcleos invisíveis de notável poder, pela concentração de afinidades comuns.”
 
É verdadeira a informação de que o plano umbralino envolve o nosso planeta, num verdadeiro “cinturão” vibratório?
Em nossa busca pelo aprendizado, encontramos a palavra esclarecedora de Manoel Philomeno de Miranda, em sua obra Nas Fronteiras da Loucura, psicografado por Divaldo. No capítulo 19 lemos: “percebi haver em torno da Terra, faixas vibratórias concêntricas, que a envolviam, desde as mais condensadas, próximas à esfera física, até as mais sutis, distanciadas do movimento humano da crosta”.
 
É possível mencionar algumas das fraternidades que se dedicam a amparar e a resgatar os espíritos que, se encontrando no Umbral, arrependem-se dos seus erros, rogando a misericórdia de Deus?
Nossos amigos espirituais nos orientam que estes postos de socorro, núcleos de atendimento e apoio são criados e sustentados por aqueles voltados ao bem que já de há muito dispõem de condições para trabalho em esferas mais elevadas, no entanto preferem servir na prática do amor onde a dor é mais aguda. Note-se que nos referimos às equipes existentes no plano espiritual. Como são inúmeras e evitando incorrer em erro, pois naturalmente omitiríamos, por esquecimento e por desconhecê-las, muitas, preferimos não citar aquelas que são de nosso conhecimento.
 
É recomendável vibrar ou fazer preces pelos espíritos que se encontram no Umbral?
Jesus nos afirma através de Mateus, no capítulo 9, vers. 10 a 12 do Evangelho Segundo o Espiritismo: “Não são os que gozam de saúde que precisam de médico”. Veja-se ainda, no capítulo 27, questão 18 (prece pelos mortos e espíritos sofredores): “... a prece tem sobre eles uma ação mais direta, reanima-os, incute-lhes o desejo de se elevar pelo arrependimento e pela reparação...”. Como espíritas, compreendemos ser a prece uma sublime oportunidade de praticar a caridade.
 
Os espíritos em condição mais elevada transitam – se assim o desejarem – pelas regiões umbralinas?
Na obra Ação e Reação, de André Luiz, encontramos no capítulo 15 a descrição de uma destas muitas incursões feitas por aqueles que ali vão na prática do serviço fraterno em nome de Jesus, o que nos faz compreender que em parte alguma é escasso o amparo do Mais Alto. Aqueles que lá se encontram conseguem influenciar os encarnados? Descreva, se possível, como acontece essa influenciação.

Manoel Philomeno de Miranda descreve, através da psicografia de Divaldo, em Nas Fronteiras da Loucura: “Em muitos desses sítios programam-se atentados sórdidos contra os homens e elaboram-se atividades que objetivam a extinção do bem, assim como a instalação do primado da força bruta no mundo. Pelo processo de sintonia, desencarnados imantam-se àqueles que lhe são afins, sempre conjugando os valores morais que os caracteriza”.
 
Os encarnados – em sonhos ou em desdobramentos – conseguem penetrar nessas regiões sofredoras?
Buscamos no Livro dos Espíritos, capítulo 8, a questão 402, que ilustramos a seguir: “... os espíritos dedicados ao bem, ao se libertar da vestimenta carnal vão reunir-se a outros espíritos com os quais se instruem e trabalham. Todavia, a massa de homens vai seja para regiões ou mundos inferiores onde velhas afeições os evocam”.
 
O Vale dos Suicidas – citado por muitos espíritas – existe realmente?
Acreditamos que sim, pois a sintonia atrai as vibrações similares que aproximam e vinculam as almas. Vive-se, portanto, em comunhão constante com aqueles aos quais nos afinamos psiquicamente.
 
Existem trabalhos de desobsessão no Cenáculo Espírita Fraternidade para auxiliar os espíritos que se encontram nas regiões umbralinas?
As reuniões de ajuda e esclarecimento a irmãos sofredores fazem parte da rotina de atividades de nossa casa. As de desobsessão são realizadas atendendo às orientações de nossos mentores, quando as julgam necessárias e se estivermos aptos para tal.
 
O Umbral corresponderia ao Hades grego ou ao purgatório da Igreja Católica?
A descrição de nossos mentores e irmãos espirituais, nas muitas obras que tratam do assunto, nos levam a crer que sim. Citaremos para referência as obras de André Luiz, através da psicografia de Chico Xavier, e ilustraremos com as palavras de Manoel Philomeno de Miranda através de Divaldo, em Nas Fronteiras da Loucura: “...colônias específicas por sua maldade construídas, nas quais fazem supor tratar-se de purgatórios e infernos governados por verdadeiros gênios do mal...”.
 
Fale sobre o seu último livro, que está sendo lançado pela Petit Editora.
Filipe nos relata com detalhes a formação de um posto de socorro junto às sombras, descrevendo com riqueza de detalhes essas regiões de dor e sofrimento, quando nos é dada ainda a oportunidade de conhecer um de seus lideres, à frente de inúmeros seguidores. Todo o relato feito por nosso irmão se passa nestas regiões de dor e sofrimento.
 
Finalize, Alceu, com uma mensagem para os leitores da revista Espiritismo & Ciência.
Se nos fosse possível conhecer a extensão do nosso hoje, certamente saberíamos melhor aproveitar as oportunidades que nos são ofertadas por Deus. O Consolador prometido por Jesus veio em tempo certo, encontrando muitos já prontos para assimilar seus princípios, enquanto outros ainda à margem da estrada, insistem em manter-se ausentes dos compromissos que lhes cabem em sua oportunidade de evolução.
 
Outros ainda, ao se aproximarem da doutrina consoladora, o fazem moldando-a a seu critério, esquecendo-se de que esta é a única que pode encarar a razão face a face, em qualquer época da humanidade.

Portanto, como espíritas, cumpre-nos o dever de execução das palavras de Jesus, que nos determina “Amar a Deus sobre todas a coisas e ao próximo como a nós mesmos”, e o Espírito de Verdade nos fornece o direcionamento que é a luz, o caminho correto para nos beneficiarmos da oportunidade de sermos espíritas cristãos. “Espíritas, amai-vos, espíritas instrui-vos”; estes princípios são imprescindíveis a qualquer ação que nos leve à conquista de nossa evolução.
 
Tornemo-nos, portanto, a ponte entre a dor e a esperança, a sombra e a luz do esclarecimento, o pão e a fome, o ódio e o amor, encurtando as distâncias entre nós e Jesus.

Gilberto Schoereder.

Livros de Alceu Costa Filho:
Nas Margens do Grande Rio
O Diário de Sofia
Ao Entardecer de uma Existência
Do Amor Nasce o Perdão
Entre Amigos
À Sombra da Luz
 

Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2009, 16:49
Eu ainda vou ficar famoso e rico, bastando que para tal eu escreva sobre o Umbral.
Não precisa ser necessariamente verdade, porque a moçada gosta de crer no que quer crer.
Assim, esperem e verão.
Abraços,
Moura
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2009, 18:18
Moura

Creio que não,
desta vez e com este assunto não ficarás rico.
A não ser que queiramos partilhar dos "Umbrais Físicos" existentes no Rio de Janeiro.
relacionado ao mundo cão das drogas

Pois a literatura espírita já possui inúmeros livros que relatam e descrevem os locais e esclarecem-nos as causas destas consequências.

Fora que nas câmaras de desobsessão, estes relatos brotam naturalmente nas atividades mediúnicas, sem escolher ou previlegiar os médiuns...ou qualquer que seja o participante

Médiuns estes abnegados
Muitas das vezes não tendo nem o dinheiro da condução par se dirigerem as Casas Espíritas.
Muitas das vezes indo com fome
Muitas das vezes enfrentando o machismo dos seus maridos, ou a indiferança dos filhos e até o caçoar de suas esposas.
E também aqueles que bem sucedidos em suas atividades profissionais, dispoêm de seu tempo voluntariamente providos do amor ao próximo que é a muito a Causa Espíita.

Confiemos.
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2009, 18:55
Não mano Moisés, confiar, confio mesmo nas obras básicas.
O resto deixo num inventário esperando que o tempo resolva as questões.
Nota: A maioria desses médiuns que nada têm não editam livros, mas nem assim deixam de poderem ser ludibriados.
Abraços,
Moura
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2009, 19:05
Kardec nos falou sobre iludir uma massa !

será possivel
e em todos os paises, povos ou cultura?

e de graça!
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2009, 19:11
Kardec também nos falou das obsessões coletivas e dos possessos de Morzines, lembra?
Pois claro que existe essa possibilidade e olha, não é dificil desse núcleo de pessoas serem ludibriadas por charlatões desencarnados.
Abração,
Moura
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2009, 19:31
Verdade...

Mas lembrança em se tratando de Doutrina
é estudo e convivência
convivência  e estudo.

esperemos extrair da moral a referência sobre a moral.

(São Mateus 5,22)

Mas eu vos digo: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: Raca, será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: Louco, será condenado ao fogo da geena.


 
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2009, 21:06
Bem colocado e lembrado, mano Moisés.
Abraços,
Moura
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Marianna em 21 de Setembro de 2009, 00:19


Citar
Mas eu vos digo: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: Raca, será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: Louco, será condenado ao fogo da geena.

Se formos seguir isso a risca então voltaremos a barbarie, seria a volta do "olho por olho, dente por dente", a coisa não é bem assim.
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Mourarego em 21 de Setembro de 2009, 16:14
Na verdade maninha Marianna,
isso seria apenas o estrito seguimento da Lei de Deus, já que um mandamento diz, Amai-vos uns aos outros, e aquele que se ira contra seu irmão incide contra este mandamento;
todo aquele que diz "raca", (raca era tal como um xingamento naqueles dias, dizia-se raca e virando-se o rosto para o lado cuspia-se ao chão em sinal de nojo, para com aquela pessoa.
Os doutores da lei então no intuito de materam a ordem moral, instituiram pensa que era cominadas aos infratores, logo, como diz a obra básica, a cada tempo existe uma forma de coibir, antes era mais dura, hoje mais branda, mas a lei continua imutável e sempre incide contra o infrator.
Abraços,
Moura
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Setembro de 2009, 20:14
Citação;
Se formos seguir isso a risca então voltaremos a barbarie, seria a volta do "olho por olho, dente por dente", a coisa não é bem assim.

Creio que é isto mesmo
a risca da barbarie e
a risca da educação.
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Mourarego em 21 de Setembro de 2009, 22:15
E competirá a nós seguirmos ou para a barbárie ou para a educação.
Abraços,
Moura
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Marianna em 22 de Outubro de 2009, 21:58



Todas as descrições, feitas pelo espírito André Luiz recordam situações e circunstâncias pelas quais já devemos ter passado, e, com certeza vamos tornar a atravessá-la, queira Deus, sempre com maior compreensão da Justiça Divina.

As informações tanto do ministro Clarêncio como do enfermeiro Lisias, foram e são como poderoso foco de luz num porão de intensa escuridão. O que todos devemos conscientizar-nos é da nossa condição de almas a caminho da clarificação e da luminosidade do reino de Jesus.

Nesta obra o mundo espiritual mostra o que até aqui permanecia em hipóteses, especulações e interpretações das diversas religiões, notando-se o extraordinário senso de misericórdia, dos espíritos elevados para conosco que caminhamos penosamente na Terra. Temos que aproveitar o tempo que o Pai Divino nos concede na Terra, para estarmos convictos de que no outro lado da vida continuamos percorrendo os caminhos da evolução, e como foi a nossa vida aqui neste plano será o nosso reinicio na outra dimensão existencial.

Quem foi desesperado e problemático trate de resolver aqui essas dificuldades com Jesus para não chegar lá e consumir meses e dezenas de anos para recomeçar em condições melhores.

O chamado repouso eterno na verdade nunca existiu, ou seja, os espírito egoístas e preguiçosos ficam um tempo indefinido num pesadelo sofrido que começa com a morte.

Leiamos e reflitamos pois, diante das descrições autenticas de André Luiz que transmite a todos para que a nossa existência melhore de situação espiritual:

Ver capítulo 12 – "Notando-me a dificuldade para apreender todo o conteúdo do ensinamento, com vistas à minha quase total ignorância dos princípios espirituais, Lísias procurou tornar a lição mais clara: - Imagine que cada um de nós, renascendo no planeta, somos portadores de um fato sujo, para lavar no tanque da vida humana.

Essa roupa imunda é o corpo causal, tecido por nossas mãos, nas experiências anteriores. Compartilhando, de novo, as bênçãos da oportunidade terrestre, esquecemos, porém, o objetivo essencial, e, ao invés de nos purificarmos pelo esforço da lavagem, manchamo-nos ainda mais, contraindo novos laços e encarcerando-nos a nós mesmos em verdadeira escravidão.

Ora, se ao voltarmos ao mundo procurávamos um meio de fugir à sujidade, pelo desacordo de nossa situação com o meio elevado, como regressar a esse mesmo ambiente luminoso, em piores condições? O Umbral funciona, portanto, como região destinada a esgotamento de resíduos mentais; uma espécie de zona purgatorial, onde se queima a prestações o material deteriorado das ilusões que a criatura adquiriu por atacado, menosprezando o sublime ensejo de uma existência terrena.

A imagem não podia ser mais clara, mais convincente. Não havia como disfarçar minha justa admiração. Compreendendo o efeito benéfico que me traziam aqueles esclarecimentos."

LIvro Nosso Lar
André Luiz
Chico Xavier.
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Marianna em 28 de Outubro de 2009, 21:12
   


Umbral

- Nome atribuído a uma localidade do chamado "astral inferior", onde se estabelecem os espíritos de baixa vibração espiritual, que precisam pagar por infrações cometidas contra as leis de Deus.  Em geral ...

  Suicidas,
  Homicidas,
  Almas desajustadas
  Almas cometedoras de graves delitos.

Sua descrição não foge muito as descrições dantescas do inferno.  E aí pode estar uma das razões da lenda de um inferno de fogo e enxofre. Porém a realidade dos espíritos que expiam no umbral é bem diferente e por que não dizer bem pior que a do inferno católico:

O espírito, não raro, sofre incessantemente com a visão de seu suicídio ou de seus crimes. Ás vezes, por anos a fio, revê sem parar o instante em que com um tiro tirava a própria vida, sente a carne sendo dilacerada pelo projétil, vê a condição desamparada de seus filhos que porventura tenha deixado, é constantemente acusado de assassino, numa guerra psicológica fora de nossa compreensão.

  Muitas vezes sente fome ou sede insuportáveis, as vezes por anos seguidos.
  Sente frio ou calor inenarráveis.

E muito freqüentemente sentem o seu próprio corpo sendo consumido pelos vermes, o vê se deteriorando e sente todas as sensações decorrentes deste estado de putrefação.

O umbral se caracteriza, na linguagem dos espíritos, como um lugar de extremo sofrimento, "de choro e ranger de dentes". Muitas vezes o espírito, tão ignorante, desencarna, passa ali vários anos e mesmo assim ignora sua condição desencarnado.

Segundo as descrições dos espíritos, o umbral é a sede dos espíritos de baixo desenvolvimento espiritual da terra, e sua descrição é, não raro, de um lugar de trevas povoado de dor, gritos de sofrimento, gemidos, de um insuportável cheiro pútrido, o que já é suficiente para caracterizar o nível moral dos que ali residem. Essa descrição deve ser tomada como uma constante, pois o umbral, como já relatado alhures, se trata do nome do lugar onde existem essas características básicas e para onde os espíritos inferiores são encaminhados para resgatar dívidas, crimes e infrações.

O umbral se localiza próximo a crosta terrestre. E é importantíssimo lembrar a maior diferença entre o umbral e o inferno católico:

No inferno católico a alma infeliz recebe uma sentença eterna de sofrer nas chamas do inferno para todo o sempre.

Segundo a doutrina espírita, o umbral é a região onde o espírito desregrado permanece temporariamente, até que lhe seja permitida uma nova encarnação para que possa, sob o jugo da matéria, resgatar melhor suas dívidas para com Deus ou expiar para que possa continuar caminhando para frente rumo a sua evolução.

Porque no espiritismo não existe uma lei de Deus que condene ou felicite um espírito eternamente, pois existe a lei da reencarnação e uma imposição assim estaria claramente negando a tão falada justiça divina, que o catolicismo tanto proclama mas se contradiz totalmente ao impor penas eternas para uma alma que só teve uma encarnação para praticar o bem e o mal.

Nesse ponto o catolicismo não procura nem saber em que condições aquela alma veio ao mundo, se numa família rica e carinhosa ou se numa sarjeta com uma mãe prostituta e um pai desconhecido. É por esses motivos que só o espiritismo consegue explicar lógica e racionalmente a vida e Deus sem se contradizer em nenhum momento.

Leitura básica:

- "O céu e o Inferno" de Allan Kardec)
- "O martírio dos suicidas" de Almerindo Martins de Castro, 
- "Nosso Lar" de André Luiz e psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier, 
- "Nos bastidores da obsessão" psicografado pelo médium Divaldo Pereira Franco e ditado pelo espírito Manoel Philomeno de Miranda 




Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Fevereiro de 2010, 11:11
na natureza
os ninhos de urubus são fedorentos
lá nascem os seus filhotes.

mas estes fazem a limpeza da própria natureza.

"Se as nossas luzes são trevas
quas escuras serão as nossas trevas."

A Doutrina nos diz e ensina que os espírtos sofrem,
esclarece-nos também sobre a nao existência das penas eternas
logo existe "penas."


Então se nos escritos está exposto os relatos daqueles que sofrem, ou que viram outros sofrendo, ou que estiveram em auxilio daquels que sofrem...

Penso eu, que como tada passagem remete-nos a idéia de uma " Umbral", de uma porta, de uma separação de cômodos....

!!

Fica aí a conclusão de cada um.

Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Anton Kiudero em 15 de Fevereiro de 2010, 13:53
Será que o umbral existe realmente?

Boa pergunta.

Mas é claro que existe. Estamos todos vivendo nele neste preciso instante. O que é o umbral senão o lugar onde impera o egoísmo, a ambição, a corrupção e a mentira?

E a cegueira derivada de achar que conhecemos alguma verdade baseada em qualquer religião ou doutrina? E o egoísmo ao dizermos "meu filho" para um filho de Deus, irmão nosso? E o egoísmo moral ao dizer a outro irmão que ele esta "errado" e nos estamos certos em alguma coisa? E a paixão por nossas posses materiais? E a paixão por tudo que nos passa pela mente e consideramos coisa nossa? Isto é o umbral. É a criação do espirito humanizado que acredita ser o que vê no espelho a sua frente. É a criação do espirito humanizado que acredita em tudo o que lhe diz a mente.

Certa vez um espirito assim me explicou o que é umbral: Voce gosta de canto de passarinho? Se voce gosta, vai para o umbral, porque na espiritualidade não existe passarinho e nem canto de passarinho. E se mesmo assim, quiser escutar o canto do passarinho deverá criá-lo em sua mente e isto é o umbral.

Portanto, a denominada vida material ou terrena, é a vida no umbral onde todos acreditamos viver o que acreditamos ser a nossa vida. E nada muda com a morte fisica. Perdão muda só uma coisa. As percepções se multiplicam em uma escala de 100 por 1. E é então que todos os sentimentos e pensamentos negativos que criamos a todo instante transformam-se em enormes monstruosidades e perigos, em nossa mente espiritual. E é isto que todos os espíritos descrevem como sendo o umbral...
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Fevereiro de 2010, 16:37
Umbroso [do espanhol umbral + -oso] - Aquilo que é escuro, sombrio, próprio do umbral.

(cahei este dizer)
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: MarcoALSilva em 15 de Fevereiro de 2010, 16:46

Permitam-me opinar,

Caímos aqui também naquela questão que vem sendo debatida em vários outros tópicos: a ideoplastia ambiente.

Essa questão não diz respeito apenas à eventual mecânica de manipulação fluídica etc etc etc. Diz respeito, mais propriamente, à questão de serem as criações mentais amoldadas no plano astral tão reais para o habitante do plano astral como uma barra de ferro o é para um encarnado...

Ambas as proposições são verdadeiras (como aliás o Anton vem dizendo desde sempre): é tudo ilusão; nem por isso menos real.

Abraços!
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Marianna em 07 de Março de 2010, 02:45
Citar
Mas é claro que existe. Estamos todos vivendo nele neste preciso instante. O que é o umbral senão o lugar onde impera o egoísmo, a ambição, a corrupção e a mentira?
É verdade, sabemos que vivemos nele em muitas reencarnações, só não sabemos quando vamos sair.
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Mourarego em 07 de Março de 2010, 15:15
continuo a anotar que se dá mais validade a uma opinião pessoal do que mesmo à doutrina que se diz seguir.
Amigos,  se não há citação a Umbral, em em se sabendo que os mundos transi´torios têm sua superfície erma, quer dizer desprovida de qualquer construção;
Em se considerando que criações mentais, desaparecem quando de um passo a frente na evolução dos Espíritos,;
Considerando ainda, que, nenhum Espíritos, relembrando que Espíritos são as almas dos homens, e que nenhum está evolutivamente em igualdade aos outros, excetuando-se a Classe dos Puros Espíritos, até porque estes não estão mais sujeitos a encarnação em mundos materiais;
A questão que permanece aberta é a de como poderiam, seres em tão franca desigualdade evolutiva, pensarem da mesma forma, com os mesmos sinais, e com uma visão física do ambiente plasmado tão igualitária?
Será que não se percebe que não é exequível um pensamento assim?
A questão meus manos, não se fixa apenas na igualdade ou comunhão desse pensamento, mas sim encontra fulcro e esteio na exequibilidade na execução deste pensamento..
Isso sem se falar que todos estes Espíritos estão fadados a uma estagnação posto que se avançam em moral e intelecto, toda a colcha de pensamento se dissolveria, levando num roldão inabalável toda a formação plasmática criada.
abraços,
Moura
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Anton Kiudero em 07 de Março de 2010, 17:06
A questão que permanece aberta é a de como poderiam, seres em tão franca desigualdade evolutiva, pensarem da mesma forma, com os mesmos sinais, e com uma visão física do ambiente plasmado tão igualitária?
Será que não se percebe que não é exequível um pensamento assim?

Voce esta no caminho da solução desta questão. Na realidade, não existe o ambiente plasmado por muitas mentes. Ao contrario, cada espirito é em si um universo completo e percebe o que acredita que percebe, vive o que acredita que vive e faz o que acredita que faz enquanto não faz absolutamente nada. O espirito vive em Deus e tudo o que acontece durante a fase humanizada do mesmo é a grande ilusão, o tão falado Maya.
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: MarcoALSilva em 07 de Março de 2010, 18:07
A questão que permanece aberta é a de como poderiam, seres em tão franca desigualdade evolutiva, pensarem da mesma forma, com os mesmos sinais, e com uma visão física do ambiente plasmado tão igualitária?
Será que não se percebe que não é exequível um pensamento assim?

Voce esta no caminho da solução desta questão. Na realidade, não existe o ambiente plasmado por muitas mentes. Ao contrario, cada espirito é em si um universo completo e percebe o que acredita que percebe, vive o que acredita que vive e faz o que acredita que faz enquanto não faz absolutamente nada. O espirito vive em Deus e tudo o que acontece durante a fase humanizada do mesmo é a grande ilusão, o tão falado Maya.

Mas se a mente de um Espírito percebe o que acredita que percebe e, dizendo isso a outros Espíritos os convence de que é verdade, não estarão, ambos, em comunhão quanto à realidade descrita, mesmo com eventuais diferenças consoante a idiossincrasia de cada um?
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Mourarego em 07 de Março de 2010, 19:13
Genericamente sim mano Marco, contudo especificamente não.
quer dizer: eu concordo contigo sobre um tema, temos as mesmas impressões, porém, não podemos ter o mesmo matiz de inferências desse tema já que nossos conhecimento, apreensões da vida e das vicissitudes nos fazem diferentes.
Dessarte, eu posso concordar contigo sobre o Umbral mas decerto terei dele, uma visão específica coerente com minhas aquisições intelecto-morais.
abração,
Moura
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: MarcoALSilva em 07 de Março de 2010, 19:23
Genericamente sim mano Marco, contudo especificamente não.
quer dizer: eu concordo contigo sobre um tema, temos as mesmas impressões, porém, não podemos ter o mesmo matiz de inferências desse tema já que nossos conhecimento, apreensões da vida e das vicissitudes nos fazem diferentes.
Dessarte, eu posso concordar contigo sobre o Umbral mas decerto terei dele, uma visão específica coerente com minhas aquisições intelecto-morais.
abração,
Moura

Concordo.

Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Marianna em 08 de Março de 2010, 19:10

Citar
Na realidade, não existe o ambiente plasmado por muitas mentes. Ao contrario, cada espirito é em si um universo completo e percebe o que acredita que percebe, vive o que acredita que vive. e faz o que acredita que faz. enquanto não faz absolutamente nada.
Muito bom.
Título: Re: REGIÃO DO UMBRAL
Enviado por: Stela Up em 03 de Fevereiro de 2011, 20:12
Olá!

Com relação à evolução espiritual. Muitas vezes os animais nos ensinam a ser melhores que pessoas muito ignorantes. Não é meio contraditório, prepotente e vaidoso colocar o ser humano como um espírito mais evoluído que os outros seres da Terra?

Outra coisa, muitos seres que morrem de maneira cruel são enviados ao Umbral assim? Com tanta facilidade? E aquele ser maligno que se sente bem?

Agora, nada mais justo que existir o Umbral, não acredito mas tbm não desacredito, por isso estou investigando. A minha esperança é que os seres maltratados encontrem paz depois de tanto sofrimento, e que os injustos sintam a dor da maldade praticada.