Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Conforti em 18 de Março de 2011, 18:18

Título: Por nossos olhos Deus vê o universo
Enviado por: Conforti em 18 de Março de 2011, 18:18
              POR NOSSOS OLHOS DEUS VÊ O UNIVERSO         

              Koestler: “Não há uma linha divisória nítida entre a auto-reparação (cura do corpo) e a auto-realização (cura da alma). A doença, tanto a do corpo, quanto a da alma, resulta do distanciamento da percepção de Deus; a cura se dá pela aproximação do Absoluto”.
              Heidegger (filósofo alemão, um dos pensadores fundamentais do século XX pelo reavivamento dos estudos do problema do ser e pela aprofundamento da parte da filosofia que trata da natureza do ser, da realidade, da existência dos entes e das questões metafísicas em geral). “Uma pessoa não é nem uma coisa, nem um processo, mas uma “abertura!”, uma clareira, pela qual o Absoluto se manifesta” (como a ciência moderna e os físicos quânticos: somos os olhos e ouvidos do Absoluto; por nossos olhos Deus vê o universo. Ver experimento da dupla fenda, que prova que a matéria e o universo existem pela observação de seres sencientes. Amit Goswami, físico quântico: “a consciência cria o universo material”).
               John A. Wheeler, eminente cosmólogo e teórico quântico, expressa o papel crucial do observador assim: “Antiga lenda descreve breve diálogo entre Abraão e Jeová. Este repreende Abraão: “Sequer existirias se não fosse por mim!”. “Sim, Senhor, eu sei’, responde Abraão, ‘mas o senhor também não seria conhecido se não fosse por mim”. Em nossa época, mudaram os participantes do diálogo. São eles o homem e o universo” (a parte que vê e a parte que é vista). (A ciência mais recente, como os sábios, dizem a mesma coisa: os seres sencientes são os olhos de Deus).
..
Título: Re: Por nossos olhos Deus vê o universo
Enviado por: Bismarck em 20 de Março de 2011, 20:24
Somos tão pequeninos, porque tanta prepotência para com os olhos de Deus. Nos afastamos dele por pensar assim, todos nos.
Título: Re: Por nossos olhos Deus vê o universo
Enviado por: Conforti em 21 de Março de 2011, 02:54
          Bismarck   (ref#1)
         
          Olá, amigo,

          Amigo, me permita discordar de vc por três vezes:
          Primeira: essa concepção de que somos pequeninos, é apenas uma crença das religiões populares (“somos um verme num monturo de lixo”, disse uma “santa” dos católicos); na verdade, nossa grandeza é imensa: temos Deus em nós: Jesus: “... pois o reino de Deus já está dentro de vós”, Paulo:  “Vós sois o templo do Altíssimo”, “O Senhor habita em vossos corações”.
          Segunda: amigo, relembre o “experimento da dupla fenda”, um dos experimentos que dividiram a ciência em “antes” e “depois” deles e que fez com Einstein afirmasse: “Não há mais um palmo de chão firme sobre o qual se possa construir alguma coisa” e: “Toda ciência anterior, todas as descobertas do homem destes três últimos séculos, têm de ser reinterpretadas”; e cientistas: “Como a natureza pode ser tão absurda?” e: “A realidade se mostra mais estranha do que a ficção!”. Relembre e verá que somos os olhos de Deus.
          Terceira: somos mais que os olhos de Deus: “somos os olhos através dos quais é feita a criação do universo”.

          Um abraço. Perceba Deus em você.



Título: Re: Por nossos olhos Deus vê o universo
Enviado por: Goedert em 07 de Abril de 2011, 17:42
              POR NOSSOS OLHOS DEUS VÊ O UNIVERSO         

              Koestler: “Não há uma linha divisória nítida entre a auto-reparação (cura do corpo) e a auto-realização (cura da alma). A doença, tanto a do corpo, quanto a da alma, resulta do distanciamento da percepção de Deus; a cura se dá pela aproximação do Absoluto”.
              Heidegger (filósofo alemão, um dos pensadores fundamentais do século XX pelo reavivamento dos estudos do problema do ser e pela aprofundamento da parte da filosofia que trata da natureza do ser, da realidade, da existência dos entes e das questões metafísicas em geral). “Uma pessoa não é nem uma coisa, nem um processo, mas uma “abertura!”, uma clareira, pela qual o Absoluto se manifesta” (como a ciência moderna e os físicos quânticos: somos os olhos e ouvidos do Absoluto; por nossos olhos Deus vê o universo. Ver experimento da dupla fenda, que prova que a matéria e o universo existem pela observação de seres sencientes. Amit Goswami, físico quântico: “a consciência cria o universo material”).
               John A. Wheeler, eminente cosmólogo e teórico quântico, expressa o papel crucial do observador assim: “Antiga lenda descreve breve diálogo entre Abraão e Jeová. Este repreende Abraão: “Sequer existirias se não fosse por mim!”. “Sim, Senhor, eu sei’, responde Abraão, ‘mas o senhor também não seria conhecido se não fosse por mim”. Em nossa época, mudaram os participantes do diálogo. São eles o homem e o universo” (a parte que vê e a parte que é vista). (A ciência mais recente, como os sábios, dizem a mesma coisa: os seres sencientes são os olhos de Deus).
..

Que benefícios no aqui e agora podemos tirar com isso? Seria bom que o amigo desse uma instrução completa para nós sobre o tópico.
Título: Re: Por nossos olhos Deus vê o universo
Enviado por: Conforti em 08 de Abril de 2011, 23:03
          Goedert   (ref #3) por nossos olhos deus vê o universo
          Olá, Goedert, cito você:
          “Que benefícios no aqui e agora podemos tirar com isso? Seria bom que o amigo desse uma instrução completa para nós sobre o tópico”.
           Cel: amigo, veja que, de acordo com as religiões, incluídas as cristãs, o ser humano é impotente sob todos os aspectos para, sozinho, se “salvar”; as religiões nos têm como seres fracos, ignorantes e insanos, corruptos e insalubres pois é isso que, na verdade, aparentamos ser. Contudo, não somos esse ser cheio de defeitos morais, pecador, tão fraco que, por si só, não consegue se libertar de suas imperfeições e pecados, como afirmam as religiões populares.
          Os conceitos negativos, que essas religiões fazem acerca do homem, já estão, há séculos, na cultura dos povos, em particular dos do Ocidente (por isso, os sábios dizem que a cultura ocidental é prostituta). E daí vem essa visão errada de que “o homem nada pode fazer sozinho”. E, assim, os ocidentais, em geral, estão convencidos de que devem se sujeitar a intermediários, como “santos”, padres, sacerdotes, ministros, religiões das diferentes denominações, ou a mentores espirituais, gurus, entidades amigas, para tentar conseguir algum alívio para os seus problemas fisiológicos, existenciais ou psicológicos/morais e, para, finalmente, alcançarem a realização espiritual.
          Essa é a visão das religiões. Porém, se esquecem das afirmações de Jesus, Paulo e outros, de que o Pai, desde sempre, está em nós. A igreja de Roma, por um de seus santos, dizia que o homem nada mais é que um “vermezinho num monturo de lixo”. Mas, todos esses conceitos negativos ruíram; a ciência moderna, como os místicos das escolas milenares, afirmam, como já coloquei para o amigo (noutro tópico?), que somos apenas máscaras de Deus; diferentes na aparência, no modo de ser, mas que, em nós, confundido-se conosco, está o próprio Deus, “único” ator neste mega-drama universal que todos representamos no dia-a-dia.
          Como disse o profeta do Ant Test, se vc aquietar sua mente, perceberá, como Jesus, Eckhart, Boheme e muitos perceberam, que “eu e o Pai somos um”; que, como afirma, hoje, a ciência, “só há uma Mente e nós somos essa Mente”. Só não percebemos isso, neste instante, pelo fato de o ego estar encobrindo essa realidade. Como muitos cantaram e afirmaram “a alma não é isso que as religiões fazem crer: pequena, frágil, insignificante, pois ela é a própria divindade radiante”. Todos que descobriram essa verdade se tornaram bem-aventurados.
          Não vê, o amigo, a importância ou benefício que esse conhecimento traz às pobres criaturas divinas, tão sujeita a dores e ilusões? Percebemos que, como diz Leonardo Boff, “podemos alçar o vôo da águia e não ficar voando sempre rente ao chão como as galinhas”. A sofrida criatura humana pode vir a perceber que não é insignificante como a vida a condicionou a crer; mas que é, como disse acima, “a própria divindade radiante”.
          E quanto a afirmação de que “por nossos olhos Deus vê o universo”, essa é a concepção do misticismo e da ciência atual, evidentemente ainda imperfeita pois, na realidade não é por nossos olhos que Deus vê o universo: nós somos os olhos e os sentidos do Criador. Como disse um sábio místico contemporâneo, “a Mente (Deus, universo, o Todo) é vazia e, por isso, o cérebro existe no espaço e no tempo”, significando que, por nossos sentidos se concretiza o universo, a obra da criação; Deus cria e nós damos o “retoque final”.
          Um abraço.