Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Rose FRA em 28 de Maio de 2011, 15:46

Título: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 28 de Maio de 2011, 15:46
Amigos, companheiros de jornada e de Forum,

aqui venho postar mais uma das minhas reflexoes, que como sempre gosto de compartilhar com voces.

Para vermos a Deus..... precisamos elevar nossos pensamentos e estar sempre ligados com o alto!!

Vamos orar e vigiar-nos a cada instante e com certeza dessa forma estaremos Vendo a Deus...

Com carinho da
Rose


Para vermos a Deus

Primeiro temos que ter a certeza dentro de nós de que Ele existe e está em tudo, inclusive dentro de nós.

Somos seus filhos legitimos, somo uma centelha D'Ele e temos uma essência única que Ele nos deu, tirada D'Ele mesmo.

Deus é o Universo!!  É essa forca maior, essa forca que nós todos também temos dentro de nós, para buscarmos a cada dia, em nós e para nós
podermos seguir na nossa evolucao.

Alguns de nós vem a esse mundo um pouco mais evoluídos que outros, devido às suas experiências anteriores, de vidas anteriores.

Cada vez que encarnamos, temos a chance de crescer espiritual e moralmente.  Esse crescimento significa evolucao para uma próxima encarnacao, isto é, quanto mais aproveitarmos as nossas encarnacoes para evoluir nosso espírito moral e espiritualmente, estaremos reencarnando cada vez mais sábios, mais coerentes, mais centrados, enfim com mais base para sofrer menos.

Com isso, estaremos cada vez mais aptos a ajudar a humanidade de encarnados e desencarnados que ainda estao galgando os degraus que já galgamos!!  Para estar todos em breve, na mesma sintonia evolutiva e assim poderemos fazer parte da nova "geracao" que estarao cominhando rumo a mundos mais evoluídos.

Já passamos por fases muito primitivos na Terra e chegamos ao mundo de Provas e Expiacoes.  Agora estamos galgando para uma transformacao muito importante, que chegará em breve, transformando nossa querida Terra em um planeta de Regeneracao, isto significaca um degrau na pirâmide da evolucao dos mundos.

Podemos ver com isso a obra de Nosso Deus, o Criador dos Céus e da Terra, que nos dá a mesma chance a todos, desde os vegetais, animais, hominais até o Universo completo.

De Deus vem a Evolucao para tudo e para todos, assim como vemos uma semente se transformar em flôr, veremos a Terra, se transformar em um planeta mais evoluído e quanto a nós vamos buscando acompanhar essa evolucao para estar ombro a ombro com as dádivas que nosso Criador nos ofereceu.
Usando todas as ferramentas que Ele soube sabiamente nos oferecer como o Livre-Arbítrio, o Amor, o Sofrimento, os Sentimentos e a nossa forca interior, pois na verdade nao vivemos uma única vida na Terra!!!

Somos imortais: nascemos, vivemos, morremos e voltamos a renascer em um novo corpo material, onde podemos, por obra Divina, continuar nossa jornada evolutiva.

Aqueles que conseguem ver com os olhos do espírito, possuem mais sabedoria, amor, compreensao e esses conseguem ver com os olhos que vao além dos olhos físicos, sao os espíritos milenares, que já passaram por várias encarnacoes.

Esses sao os espíritos que podemos chamar de adultos, da nossa humanidade.

Os espíritos que alimentam o ódio e os sentimentos inferiores, podemos chamar de espíritos primários, que ainda estao iniciando a sua jornada ou sao os recalcitrantes que demoram mais que outros a assimilar a licao do Amor.  Estes deverao aprender a amar através da dor e do sofrimento, por isso terao que reencarnar em planetas como o nosso, de provas e expiacoes, porque aqui encontrarao as ferramentas de que necessitam para sua evolucao.

Há espiritos que já tem outra forma de ver a vida em consequência de sua maior bagagem espiritual pelo que já viveram e evoluíram.

E assim podemos concluir que Deus na sua sabedoria, criou nao só o nosso planeta, de provas e expiacoes, porque os espíritos mais evoluídos, estao em outros planetas, mais adiantado, moral e espiritualemtne que o nosso.

Olhemos para os céus, ao vermos tantas estrelas, perguntemo-nos a nós mesmos se acreditamos que só na Terra há vida??
Por esse motivo Deus é infinito Criador dos Céus e da Terra, que cria incessantemente, porque a Evolucao é incessante também e assim Ele cria o tempo todo para que tenhamos um planeta certo, que condiz com a nossa evolucao, seja primitiva, seja de elevacao moral e espiritual superior.

A nossa vida é infinitamente claculada e apoiada pelos critérios Divinos de Deus nosso Pai maior.

O Grande Deus Universal é o Criador e o responsável pelo Universo infinito.

A essência de Deus é abstrata e nos é dada pelo Criador, da mesma forma, invisível aos olhos físicos, porque essa Essência é Deus, devemos sentí-lo nos nossos coracoes, em nossas acoes.

Certos espíritos ainda estao aqui saciando sua sede material, percorrendo os degraus da sua evolucao e com certeza, cedo ou tarde, nessa encarnacao ou numa próxima, estarao cada vez em um degrau mais algo da sua própria evolucao.

Tudo acontece conforme a vontade do nosso Pai Maior que vice em mim, em ti e em todos nós.  Porém cabe a nós decidir a aceitar ou nao a Luz ou se irá desprezar essa oportunidade de crescimento e felicidade, como já ocorreu antes de nós, com a presenca de Nosso Mestre Jesus, enviado pelo nosso Pai Maior.

Vamos aproveitar "Os Sete Princípios Básicos do Conhecimento" ditado por Hermes e Radamés em Akhenaton em o livro A Revolucao Espiritual do Antigo Egito - que é uma obra mediúnica escrita pelo médium Roger Bottini Paranhos, que diz:

Os Sete Principios sao: do Mentalismo, da Correspondência, da Vibracao, da Polaridade, do Ritmo, da Causa e Efeito e por fim o princípio do Genero, que vem abaixo como está no livro acima descrito.


Primeiro - O principio do Mentalismo - A mente é tudo.
O Universo é mental.  Por sobre tudo aquilo que conhecemos há o plano de um Espírito Maior, que nao podemos conhecer.  Ele é a Lei.  O Todo-Poderoso está em tudo.

Segundo - O pincipio da Correspondência - Como é em cima, é embaixo; como é embaixo, é em cima.
Tudo se corresponde.  As mesmas leis que atuam sobre o homem atuam sobre uma lagarta ou uma estrela.  Assim como os astros se deslocam no céu, seguindo um princípio inteligente, assim é com nossas vidas; devemos interagir em relacao ao Universo que nos cerca com sabedoria, entao, cumprindo o plano Divino.

Terceiro - O principio da Vibracao:  Nade descansa, tudo se move.  Nada desaparece, tudo se transforma.  Há vida em tudo, pois tudo possui energia.

Quarto - O principaio da Polaridade - Tudo é dual.
Tudo tem 2 polos.  Os opostos sao identicos, da mesma natureza, porém em diferentes graus.  Os extremos se tocam.

Quinto - O principio do Ritmo: Tudo flui, fora e dentro.
Tudo tem suas subidas e descidas, assim é a vida.  O ritmo compensa e mantém o equilíbrio.  O sábio deve saber comandar os ciclos vitais, seguindo o seu fluxo, nunca violentando-os!!  Ele sabe que tudo possui sua época e que a balanca oscila de acordo com o peso específico de cada acao.  O sábio deve ser puro equilíbrio!

Sexto - O principio da Causa e Efeito:  Qualquer causa tem seu efeito.  Qualquer efeito tem sua causa.
Tudo acontece de acordo com a Lei.  Nada escapa dela.  A cada acao devemos antever a sua reacao.  Assim, seremos sábios em nossas decisoes e promoveremos a paz e a felicidade entre os homens.

Sétimo - O principio do Genero:  Tudo tem seu princípio masculino e seu princípio feminino.
O genero se manifesta em todos os níveis da existência.  Todo o epírito é co-criador.  Algumas vezes somos pai, outras maes, logo o potencial criador está dentro de cada um.


Vamos estudas e refletir sobre esses ensinamentos, eles resumem a Lei do Criador do Universo.
A soma do princípio masculino e feminino é a Criacao.  A mente é dual.

Vejam e estudem o sexto princípio: toda causa gera um efeito.  Tudo o que plantamos, colheremos.

Pode ser que nao colhamos nesta vida, mas sim em vidas futuras.

Lembremos sempre que, caso vejas um homem de má sorte ou desvalido, creia que assim é porque ele colhe agora o que plantou no passado.

Nao existe injusticas no plano do nosso Divino Criador!!

A Luz Divina é enviada a todos nós, pelo Divino Criador que nos criou; por isso vamos prefereir a Luz do Divino ao invés das Trevas.

Agradecamos todos os dias por toda perfeicao Divina que rege a nós e a TODO O UNIVERSO!

Deus nos abencoe hoje e sempre!

Que as palavras sábias de Jesus, que foi o homem mais sábio que passou por esse planeta, esteja sempre à nossas maos e em nossos corcoes para quando precisarmos.

Orai, vigiai, estudar e evolui a ti mesmo, é o melhor que temos a fazer nesta encarnacao.

Amém!
Com carinho,
Eu Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 28 de Maio de 2011, 16:36
Segundo a doutrina espíritas,amiga Rose, a nenhum Espírito não chegado aos mundos Felizes, habitação dos Puros Espíritos, é dado ver a Deus.
Em nosso caso,e nas classes de Espíritos abaixo da nossa,apenas se o sente ou ,como no dizer descrito pelos Espíritos superiores, se o "adivinha".
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 28 de Maio de 2011, 16:46
Segundo a doutrina espíritas,amiga Rose, a nenhum Espírito não chegado aos mundos Felizes, habitação dos Puros Espíritos, é dado ver a Deus.
Em nosso caso,e nas classes de Espíritos abaixo da nossa,apenas se o sente ou ,como no dizer descrito pelos Espíritos superiores, se o "adivinha".
Abraços,

Querido Amigo Moura,

em nenhum momento em meu texto, está escrito que conseguiremos ver a Deus... só o título serve para chamar a atencao dos menos avisados, que buscam ver a Deus... mas que quando lerem o texto, vao entrar em contato com o Deus que temos todos dentro de nós e que nao é tangível e tampouco visivel.... kkkkk

Que Deus nos ilumine e se um dia entrarmos em contato com Deus, só se for por oracao!!

Isso sim podemos e ver a Deus que temos em todos o lugares, também podemos, pelas metaforas, podemos ver a Deus nas plantas, animais e em tudo que existe, nao é verdade??

Que a paz esteja dentro de nossos coracoes para podermos entender o que estamos dizendo e passando aos nossos companheiros de jornada.

Com carinho da
Rose
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 28 de Maio de 2011, 16:48
Querido Amigo Moura,

em nenhum momento em meu texto, está escrito que conseguiremos ver a Deus... só o título serve para chamar a atencao dos menos avisados, que buscam ver a Deus... mas que quando lerem o texto, vao entrar em contato com o Deus que temos todos dentro de nós e que nao é tangível e tampouco visivel.... kkkkk

Que Deus nos ilumine e se um dia entrarmos em contato com Deus, só se for por oracao!!

Isso sim podemos e ver a Deus que temos em todos o lugares, também podemos, pelas metaforas, podemos ver a Deus nas plantas, animais e em tudo que existe, nao é verdade??

Que a paz esteja dentro de nossos coracoes para podermos entender o que estamos dizendo e passando aos nossos companheiros de jornada.

Com carinho da
Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 28 de Maio de 2011, 16:49
Maninha Rose,
eu me referia integralmente ao título do tópico.
Abraços,
Moura

Querido Amigo Moura,

em nenhum momento em meu texto, está escrito que conseguiremos ver a Deus... só o título serve para chamar a atencao dos menos avisados, que buscam ver a Deus... mas que quando lerem o texto, vao entrar em contato com o Deus que temos todos dentro de nós e que nao é tangível e tampouco visivel.... kkkkk

Que Deus nos ilumine e se um dia entrarmos em contato com Deus, só se for por oracao!!

Isso sim podemos e ver a Deus que temos em todos o lugares, também podemos, pelas metaforas, podemos ver a Deus nas plantas, animais e em tudo que existe, nao é verdade??

Que a paz esteja dentro de nossos coracoes para podermos entender o que estamos dizendo e passando aos nossos companheiros de jornada.

Com carinho da
Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 28 de Maio de 2011, 17:02
Rose, honestamente, você já viu Deus?
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 28 de Maio de 2011, 18:37
Rose, honestamente, você já viu Deus?

Estimado Goedert,

vejo Deus todos os dias quando olho o céu, as estrelas, as flores e se me permites, quando falo de Reforma Intima também!!  Porque Deus está dentro de nós e só de termos a oportunidade de estar aqui com essa magnifica ferramenta, que é o nosso corpo material, nossa forca de vontade, nossos irmaos que nos ajudam a sentirmos Amor, a fé e também a palavra de Jesus, para nos transformar e evoluir o nosso Espírito.... vejo Deus... em tudo isso e um pouco mais.

E voce Estimado Amigo??  Ve Deus dentro de ti??

Com carinho da
Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 28 de Maio de 2011, 18:46
Ocorreu-me perguntar:
Não se está materializando muito,o que apenas é uma imagem de retórica?
Quem nota nas plantas,nos diferentes albores que os dias trazem, nas modificações climáticas,
nas ações mais acertadas que positivamente estão remetendo a população global a um mundo mais justo e eqüânime, e notando isso,diz"ver a Deus", positivamente não o vê, e não o enxerga.
Sente apenas a sua excelsa ação, entre os que mais progrediram.
quando este Espírito chegado à condição de Puro,ou seja, dentro da classe em que este estão, diz,vejo a deus,este sim o vê já que eles,no dizer referente à Escala Espírita, convivem com ele.
Devemos sempre ter em mente o que é uma linguagem figurada para podermos não nos mergulharmos nos erros tão comuns dos que generalizam.
Estejamos, o mais que possamos e compreendamos,dentro dos parâmetros codificados,meus manos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 28 de Maio de 2011, 19:01
Estimado Moura,
o tópico que postei nao é um estudo mensal, mas sim uma reflexao que escrevi e isso nao quer dizer que todos tenham que acreditar ou deixar de acreditar, ou mesmo ir na doutrina buscar causa e efeito para um texto que escrevi durante um momento da minha vida, que com muito carinho tive e tenho a Deus dentro de mim, para escrever certas palavras e nada que posto aqui é para causar "polemicas" como tanto gosta.

com muito carinho vou continuar postando minhas palavras, pq aqui no forum temos publico para tudo, ou seja, publico que gosta de poesia, publico que gosta de refletir, publico que aprende com as palavras e situacoes, que sao postadas aqui e principalemente, publico que procura a paz interior, a forca no Evangelho de Jesus e palavras que lhes dao conforto ao coracao.... Amor, caro Moura, nao é visivel, assim como Deus também nao o é.... mas acho que para voce a beleza da poesia, do ramantismo e da serenata na janela, já passou nao é mesmo?? 
Seja mais paciênte com o próximo e deixe que cada um aqui busque de forma leve o que está procurando... seja a Doutrina, seja uma palavra de Amor e Carinho, seja o respeito que devemos ter por todos.... mesmo que nao concordemos com tudo que escrevam aqui, temos que ter no mínimo carinho pelos que aqui estao... e vao continuar... assim como eu.

Com todo meu carinho por voce e pelo Forum que gosto tanto.... um abraco

Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 28 de Maio de 2011, 19:39
Rose, honestamente, você já viu Deus?

Estimado Goedert,

vejo Deus todos os dias quando olho o céu, as estrelas, as flores e se me permites, quando falo de Reforma Intima também!!  Porque Deus está dentro de nós e só de termos a oportunidade de estar aqui com essa magnifica ferramenta, que é o nosso corpo material, nossa forca de vontade, nossos irmaos que nos ajudam a sentirmos Amor, a fé e também a palavra de Jesus, para nos transformar e evoluir o nosso Espírito.... vejo Deus... em tudo isso e um pouco mais.

E voce Estimado Amigo??  Ve Deus dentro de ti??

Com carinho da
Rose

Estimada Rose.

Não, eu não vejo Deus dentro de mim. Não vejo eu em nenhum lugar.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 28 de Maio de 2011, 19:51
Pena, Amigo Goedert... esse é voce... e todos nós somos diferentes em tudo... ves??

Por isso temos que respeitar o que o outro ve, pois nao sao com os nossos próprios olhos, entao nao podemos dizer que o outro ve ou nao ve certas coisas...

Temos que estar mais abertos para as coisas de Deus para ve-lo.

Um abraco,
Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 28 de Maio de 2011, 20:05
Entendo você amiga Rose,

Mas o que você ve como Deus, vejo apenas fenômenos surgindo e cessando.

Muita paz e iluminação para você.
Título: Re: Para vermos a Deus - Sobre Deus
Enviado por: Rose FRA em 28 de Maio de 2011, 20:12
Amigos de Jornada,

aqui vai mais um texto interessante sobre Deus.

Com carinho,

Rose


Sobre Deus
"ele é antes de tudo e tudo nele subsiste". Colossenses, 1:17

Dizia Maharma Gandhi em sua sabedoria: "A verdade é dura como o diamente - e delicada como a flor do pessegueiro".

Analisando as concepcoes de Deus, podemos dividi-las didaticamente em: conceito de Deus-Pedra, de Deus-Pessoa e de Deus-Universal.

No infantilismmo dos povos primitivos, as estátuas e os totens representaram a Divindade durante séculos.

Entre os antigos povos da Palestina e outros tantos do Oriente, Deus tinha feicao antropomórfica.  No passado, foram poucos os prepostos da Divina Providência que professaram a idéia do Deus-Universal.  À idéia da unicidade do Criador e suas criaturas referiu-se Paulo de Tarso em suas cartas evangélicas:  "Nele vivemos, nos movemos e existimos".

Na atualidade, muitos sao os missionários que espalham as mesmas concepcoes do apóstolo Paulo - sao precursores que sublimam os destinos humanos, transcendem igrejas e teologias e sao encontrados entre todos os povos e religioes.

Os emissários espirituais e os autêncticos arautos do bem nao sao politeístas, nem panteístas, nem monoteístas mosaicos, e sim monoteístas universais - "inteligencia suprema, causa primária de todas as coisas".  "Ele é antes de tudo e tudo nele subsiste".

Deus está em tudo, e tudo está nele, mas tudo nao é Deus.

Deus está em todas sa suas criacoes, mas é distinto, nao se confunde com nenhuma delas.   Os indivíduos e todos os seres inanimados do Universo nao sao Deus, mas nao estao separados dele.

"A verdade é dura como o diamante - e delicada como a flor do pessegueiro".  Quem apenas analisa de modo superficial os conceitos filosóficos sobre Deus pode encontrar a dureza do diamante, mas quem se deixar levar pelo fluxo intuitivo e sapiencial da alma gozará da verdade divina, percebendo as nuances sutis e delicadas da flor do pessegueiro.


Livor: Um modo de entender uma nova forma de viver - de Fco. do Espírito Santo - ditado por Hammed
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Conforti em 31 de Maio de 2011, 03:12
          Rose Pedersoli    (ref #0)
          A nova amiga colocou, de suas reflexões:
          “Para vermos a Deus..... precisamos elevar nossos pensamentos e estar sempre ligados com o alto!! Vamos orar e vigiar-nos a cada instante e com certeza dessa forma estaremos Vendo a Deus...”
          Cel: amiga, me permita dizer: nem a oração, como a entendemos, nem a vigilância, como tb a entendemos, nos leva a Deus. Nossa oração é discursiva, recheadas de pensamentos,pedidos, agradecimentos, lembranças e esperanças, visualizações, sentimentos e emoções. A oração que leva a Deus é em silencio mental, ego calado, em “oculto”, como disse Jesus. O profeta do Antigo Testamento aconselhou: “Aquieta-te e sabe: eu sou Deus!”; Tereza de Ávila ensinou: primeiro, “oração de recolhimento”, na qual tudo é recolhido, emoções, sentimentos, lembranças, expectativas, pedidos e agradecimentos, enfim, mente totalmente vazia; depois, se essa oração for bem feita, virá o que Teresa chamou de “oração de quietude”, que não mais depende de nós, pois é o resultado da primeira, resultado que vem para nós, “automaticamente”. 
          Então, sim, podemos “ver” Deus, senti-lo, compreende-lo e nos confundir com Ele.
          Cito a Rose:
          “Primeiro temos que ter a certeza dentro de nós de que Ele existe e está em tudo, inclusive dentro de nós”.
          Cel: amiga Rose, quem é que pode ter essa certeza? Ninguém! Podemos apenas ‘imaginar’, supor que isso seja uma verdade. Nossa mente limitada e finita não pode perceber aquilo que é infinito e ilimitado. Temos q confiar nas palavras de Jesus, de Paulo, de iluminados, sábios e místicos: “O reino de Deus está dentro de vós”, “Vos sois o templo do Altíssimo”, “O Senhor habita em  vossos corações”, “Eu e o Pai somos um”, “A essência da alma e a essência da Deus se confundem”, “Só existe uma consciência e nós somos essa consciência”, e muito mais...
          Assim, se para “ver” Deus ‘primeiro’ temos de ter certeza de que Ele existe e está dentro de nós, “nunca” veremos Deus. Para ‘ver’ Deus temos de ir para além de nossa mente, além do ego.
          Rose:
          “Os que alimentam o ódio e os sentimentos inferiores... são os recalcitrantes que demoram mais que outros a assimilar a lição do Amor.  Estes deverão aprender a amar através da dor e do sofrimento, por isso terão que reencarnar em planetas como o nosso, de provas e expiações, porque aqui encontrarão as ferramentas de que necessitam para sua evolução”.
          Cel: aqui, minha amiga, cabe uma pergunta: dentro da  visão de um amor e uma justiça perfeitos, como é possível imaginar que o Criador crie espíritos destinados, obrigatoriamente, a sofrimento, como esses que alimentam sentimentos inferiores? Como é que de um Criador de infinito amor e justiça, Pai Perfeito, podem proceder espíritos assombrosamente imperfeitos, verdadeiros monstros de perversão e destituídos de qualquer moral? Como crer que um Ser onisciente cria seres que, desde sempre sabe, serão criaturas destruidoras dos semelhantes e da harmonia da própria criação, que farão derramar lágrimas e que trarão todas as espécies de desgraças e tragédias aos semelhantes? Que desde sempre sabe o que cada um fará de certo ou de errado, que desde sempre sabe o que cada um terá de sofrer, em conseqüência de seus desacertos, tanto que tb criou leis punitivas e mundos de expiação? E, além disso, se somos todos criados em perfeita igualdade, como é que uns se tornam recalcitrantes e demoram mais a aprender as lições do Amor? O que foi que desfez a perfeita igualdade inicial?
          Rose:
          “Tudo acontece conforme a vontade do nosso Pai Maior que vive em mim, em ti e em todos nós”.
          Cel: veja, Rose, qdo dizemos: tudo acontece conforme a vontade de nosso Pai, só nos lembramos das coisas belas e boas, agradáveis, que  trazem felicidade e alegria, e nos esquecemos do lado escuro da moeda, das epidemias, das tragédias provocadas pela natureza, terremotos e tsunamis e tempestades destruidoras de homens e de tudo que o homem construiu; nos esquecemos das guerras, dos cânceres, das prisões, daqueles que vivem sob aquela ponte ou dos lixões das cidades, dos crimes hediondos, da filhinha pequenina e indefesa, a alegria do lar, estuprada e assassinada à frente dos pais, dos que têm os pés arrancados a machadadas para que, qdo adultos, não sejam adversários de valor... esta lista não tem fim... e “tudo acontece conforme a vontade do nosso Pai”??!!... Temos de repensar essas concepções doutrinárias!
          Rose:
          “... cabe a nós decidir a aceitar ou não a Luz ou desprezar essa oportunidade de crescimento e felicidade”,
          Cel: aqui lembro, novamente, a pergunta: se todos são criados iguais porq agirão de forma tão desigual? Porq querem? Alguém é mau simplesmente porq quer ser mau? Porq este é mau e aquele é bom?
          Rose:         
          “A mente é tudo”.
          Cel: uma conclusão perfeita: a mente/consciência é tudo, inclusive o bem e o mal; matéria é mente. Universo, nós, Deus, somos mente.
          Rose:
          “A soma do princípio masculino e feminino é a Criação. A mente é dual”.
          Cel: observe, amiga Rose, esse princípio foi descartado pela ciência moderna, como tb nunca existiu no misticismo milenar, nem no testemunho de sábios e iluminados: dualismo é ilusão do mundo do espaço-tempo; a doença do mundo é supor que existe o “dois’ qdo a realidade é o Um (“Eu e o Pai somos um”, “O observador é a coisa observada”, “Só existe uma mente e nós e tudo o mais somos essa mente”).
          Rose:
          “... estudem o sexto princípio: toda causa gera um efeito. Tudo o que plantamos, colheremos!!!”.
          Cel: amiga, aqui devemos entender que essa é uma lei da física, não uma lei moral, senão na concepção de doutrinas; na física a ação-reação ocorre com objetos inertes, não cérebrados e que, por isso, não podem se esquivar da reação. A lei moral leva o mesmo nome, mas se aplica a eventos totalmente diferentes; é, apenas, uma concepção ou “verdade” religiosa.
          Rose:
          “Lembremos sempre que, caso vejas um homem de má sorte ou desvalido, creia que assim é porque ele colhe agora o que plantou no passado. Não existe injustiças no plano do divino Criador”
          Cel: aqui a amiga lembra os sofrimentos a que estão sujeitas as criaturas divinas, filhos de um Pai Perfeito, sofrimentos tantas vezes inenarráveis, torturantes e insuportáveis, como se isso fizesse eco com a justiça de um Ser de infinito amor. Pode-se sequer imaginar que a evolução seja feita à força de sofrimentos? Que o Criador, como um verdugo empunhando um chicote, nos faz avançar, a chicotadas, no caminho da evolução??!!
          Rose:
          “... cabe a nós decidir a aceitar ou não a Luz ou desprezar essa oportunidade de crescimento e felicidade”.
          Cel: nova companheira de jornada, me perdoe tantas questões; a intenção é fazer refletir para melhor compreender. Seja bem-vinda.
          Perceba que Deus está em você.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 31 de Maio de 2011, 13:09
Boa tarde Amigos de Forum e Coronel,

aqui vai uma parte da minha resposta, quanto as suas perguntas.

Que Deus nos ilumine e nos ajude a nao sermos tao céticos, intelectuais e descrentes.

Com carinho da
Rose

> “Para vermos a Deus..... precisamos elevar nossos pensamentos e estar sempre ligados com o alto!! Vamos orar e vigiar-nos a cada instante e com certeza dessa forma estaremos Vendo a Deus...”
> Cel: amiga, me permita dizer: nem a oração, como a entendemos, nem a vigilância, como tb a entendemos, nos leva a Deus. Nossa oração  é discursiva, recheadas de pensamentos,pedidos, agradecimentos, lembranças e esperanças, visualizações, sentimentos e emoções. (Coronel, a sua oracao pode ser assim!!  Nao generalize, todos nós somos únicos e com isso temos nossa própria forma de orar!! A minha forma de ver Deus e orar nao é igual a sua e nem é igual a de ninguém. A minha oracao é cheia de meditacoes que me levam a esvaziar-me, mente e coracao, de tudo que seja terreno, para poder estar mais perto do Nosso Pai Celestial) A oração que leva a Deus é em silencio mental, ego calado, em “oculto”, como disse Jesus. O profeta do Antigo Testamento aconselhou: “Aquieta-te e sabe: eu sou Deus!”; (e o que é estar quieto para voce??  Assim que a quietude para mim, é quando as pessoas conseguem entar consigo mesmo, dentro de si e isso leva o ser humano a conhecer-se a si mesmo, a renovar seus conceitos de vida e de morte)  Tereza de Ávila ensinou: primeiro, “oração de recolhimento”, na qual tudo é recolhido, emoções, sentimentos, lembranças, expectativas, pedidos e agradecimentos, enfim, mente totalmente vazia; depois, se essa oração for bem feita, virá o que Teresa chamou de “oração de quietude”, que não mais depende de nós, pois é o resultado da primeira, resultado que vem para nós, “automaticamente”. (Para mim os resultados que me interessam, sao aqueles, que levam o individuo, encarnado ou nao, querer buscar o pqs da suas vidas.  Para mim os resultados que obtive nao foram conforme os seus, voce é uma pessoa cética e tem que ler para crer eu nao, eu estudei a doutrina, ainda estudo e com muita humildade no coracao, tento praticar o que nosso Senhor Jesus Cristo nos deixou como exemplo, a bondade, a caridade e o amor a nós mesmos e ao próximo.   O Conhece-te a ti mesmo, que sempre está na pauta da minha vida, a renovacao de atitudes, a forma como olhar a minha encarnacao atual e tudo o que está me trazendo, há anos, esses estudos, essa Reforma íntima, essa nova forma de buscar a felicidade, que tanto todos queremos....)
> Então, sim, podemos “ver” Deus, senti-lo, compreende-lo e nos confundir com Ele.  (Nao sei como voce se confundirá com Deus, se voce é cético.... tem que passar a vida estudando para se convencer ou sei la o que, de que Deus é algo maior e que cada um pode ve-lo, como bem desejar... e sempre terás algo que nao está dentro das conformidades do seu intelecto, do seu entendimento.  Deus nao é objeto de Estudo, mas sim de mudanca interior, isso me dá o conforto de saber que sou Filha de Deus.... Reflita também Coronel....isso me lembra bem quando Jesus foi julgado no Sinédrio... se calou e a mensagem dele, nao foi compreendida por muitos, pelo mesmo motivo que está sendo exposto aqui. Paulo de Tarso foi um que teve que ver Jesus nas portas de Damasco e aqui parece que está acontecendo o mesmo,  sabe muito das palavras... ou Nicodemus que muito sabia por ter estudado a vida toda e se viu velho, mas até encontrar-se com Jesus, só tinha teoria e nada de obras, nada de vivenciar o que estudou....  Jesus também foi mal compreendido por muitos!!  Nao estavam a altura para compreender... muitas vezes compreendemos e falamos com Deus, desde o nosso coracao e nao em palavras.)

Continua......
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 31 de Maio de 2011, 13:20
Continuando....
> Cito a Rose:
> “Primeiro temos que ter a certeza dentro de nós de que Ele existe e está em tudo, inclusive dentro de nós”.
> Cel: amiga Rose, quem é que pode ter essa certeza? (Qualquer pessoa que tenha fé, que leia, que acredite em dias melhores, que acredite que somos eternos como espíritos!!  Eu tenho essa certeza, pq sinto-me muito bem quando busco as "coisas do alto", nos estudos, na ajuda a mim mesma, quando tenho problemas, quando nao consigo entender o que passa com o outro e busco ajuda, espiritual, com Deus, com Jesus... pq Ele é um e as respostas que necessito, sao plantadas em meu coracao, nao com palavras, mas com atitudes para comigo e para com o meu próximo) Ninguém! (Coronel, nao afirme o que voce nao pode provar... como pode provas que ninguém pode ver Deus???  Se acima voce mesmo está me questionando... Questione-se a si mesmo!!) Podemos (Esse tipo de afirmacao, deve ser feita na primeira pessoa do singular EU e nao Nós, pq eu nao afirmo que alguém nao viu Deus... todos nós somos únicos, com pensamentos e formas de ver o mundo, individualmente, nao generalize) apenas ‘imaginar’, supor que isso seja uma verdade. Nossa mente limitada e finita não pode perceber aquilo que é infinito e ilimitado. (Novamente Coronel, fale na primeira pessoa) Temos q confiar nas palavras de Jesus, de Paulo, de iluminados, sábios e místicos: “O reino de Deus está dentro de vós”, “Vos sois o templo do Altíssimo”, “O Senhor habita em vossos corações”, “Eu e o Pai somos um”, “A essência da alma e a essência da Deus se confundem”, (Aqui está tudo que estou falando e voce pode levar a vida toda estudando, sendo cético, que de palavras ninguém vive... vivemos de atitudes, de renocao interior, de ver o mundo com outros olhos, depois que se renova interiormente.) “Só existe uma consciência e nós somos essa consciência”, e muito mais... (Estás sendo repetitivo e isso nao me convence... todos os céticos sao assim, querem levar o outro a ser também.  eu confio no "meu taco" e nunca me arrependi por isso.

> Assim, se para “ver” Deus ‘primeiro’ temos de ter certeza de que Ele existe e está dentro de nós, “nunca” veremos Deus. (Nunca para mim é forte demais Coronel, tenho mais esperanca na nossa evolucao do que voce.  e ver a Deus, já falei e repito, cada um é único, voce nao pode ver com os meus olhos) Para ‘ver’ Deus temos de ir para além de nossa mente, além do ego. (Cético e intelectual para o meu gosto..... novamente, só acreditas na sua palavra)
> Rose:
> “Os que alimentam o ódio e os sentimentos inferiores... são os recalcitrantes que demoram mais que outros a assimilar a lição do Amor. Estes deverão aprender a amar através da dor e do sofrimento, por isso terão que reencarnar em planetas como o nosso, de provas e expiações, porque aqui encontrarão as ferramentas de que necessitam para sua evolução”.
> Cel: aqui, minha amiga, cabe uma pergunta: dentro da visão de um amor e uma justiça perfeitos, como é possível imaginar que o Criador crie espíritos destinados , ( cada um esta galgando seu caminho rumo a sua evolucao) obrigatoriamente, a sofrimento,(se nao for pelo Amor será pela dor) como esses que alimentam sentimentos inferiores? (Sao espiritos primitivos ainda) Como é que de um Criador de infinito amor e justiça, Pai Perfeito, podem proceder espíritos assombrosamente imperfeitos, (todos nós nascemos da mesma forma, imperfeitos, primitivos e a evolucao vai acontecendo gradativamente) verdadeiros monstros de perversão (repito flata de evolucao) e destituídos de qualquer moral? (Novamente repito, sao espiritos sem evolucao, estao em um degrau como sós também) Como crer que um Ser onisciente cria seres que, desde sempre sabe, serão criaturas destruidoras dos semelhantes (Nao sao destruidores, sao espiritos primitivos ainda) e da harmonia da própria criação, que farão derramar lágrimas e que trarão todas as espécies de desgraças e tragédias aos semelhantes? Que desde sempre sabe o que cada um fará de certo ou de errado, que desde sempre sabe o que cada um terá de sofrer, em conseqüência de seus desacertos, (sim tudo isso faz parte da evolucao... uns sao mais rápidos e outros mais demorados) tanto que tb criou leis punitivas e mundos de expiação? ( Isso tudo nao é punicao, mas sim formas diversas de evolucao... todos nós que aqui na Terra estamos, que é mundo de Provas e Expiacoes, estamos sujeitos às mesmas formas de primitivismo.  Nada de punicao... é simplesmente a Lei Divina de Acao e Reacao, que temos que sentir na própria pele, para crescemos e evoluirmos).
 E, além disso, se somos todos criados em perfeita igualdade, como é que uns se tornam recalcitrantes. Somos únicos e assim alguns evoluiem  e demoram mais a aprender as lições do Amor? O que foi que desfez a perfeita igualdade inicial? (A individualidade... claro!!  Somos diferentes em tudo e nao seria assim, se todos evoluissem ao mesmo tempo em igual condicoes... kkkk já estou rindo, pq isso é basico no espiritismo.  Leia em O Evangelho Segundo Espiritismo - Introducao - IV - Sócrates e Platao, precursores da doutrina Crista e do Espiritismo -
"IV - A alma impura, nesse estado, encontra-se pesada, e é novamente arrastada para o mundo visível, pelo horros do que é invisivel e imaterial.  Ela erra, entao, segundo se diz, ao redor dos monumentos e dos túmulos, junto dos quais foram vistos às vezes fantasmas tenebrosos, como devem ser as imagens das almas que deixam o corpo sem estar inteiramente puras, e que conservam alguma coisa da forma material, o que permite aos nossos olhos percebê-las.  Essas nao sao as almas dos bons, mas as dos maus, que sao formcadas a erras nesses lugares, onde carregam as penas de sua vida passada, e onde continuam a errar, até que os apetites inerentes à sua forma material as devolvam a um corpo.  Entao, elas retormam sem dúvida os mesmos costumes que, durante a vida anterior, eram de sua predilecao.
Nao somente o principio da reencarnacao esta aqui claramente expresso, mas também o estado das almas que ainda estao sob o domínio da matéria é descrito tal como o Espiritismo o demonstra, nas evocacaoes.  E há mais, pois afirma-se que a reencarnacao é uma consequencia da impureza da alma, enquanto as almas purificadas estao livres dela.  O Espiritismo nao diz outra coisa, apenas acrescenta que a alma que tomou boas resolucoes na erraticidade, e que tem conhecimentos adquiridos, trará menos defeitos ao renascer, mais virtudes emais idéias intuitivas do que na existência precedente, e que assim, cada existência marca para ela um progresso intelectual e moral.  (Céu e Inferno - iia. parte: exemplos)"

[size=12pt]Seguirei em outro quadro de respostas... outro dia, pq suas perguntas Coronel, estao se repetindo e o Evangelho é o livro que está disponivel a todos e todos podemos ler e refletir sobre as suas perguntas, sozinhos, buscando assim sua própria evolucao... para evuluir mais rápido e nao ficar como céticos ou intelectuais... estudar e tirar suas próprias conclusoes, penso que é do interesse de cada um.

Que a Luz do Divino esteja nos clareando cada dia mais e nao nos confundindo....

Com carinho da

Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 31 de Maio de 2011, 19:38
Rose,

Não se trata de ser cético, intelectual ou descrente.

Mesmo os estados divinos são grilhões que para o objetivo final da existência, devem ser abandonados. Estes estados estão profundamente enraízados no sentimento de segurança e resposta para a não compreensão perfeita dos fenômenos.

Existem aqui mesmo, nesse mundo, seres humanos muito mais sábios e morais que as próprias divindades.

O progresso espiritual em si, acontece em quatro estágios gradativos.

O primeiro é a fé;
O segundo é a moralidade;
O terceiro é a renúncia e absorção meditativa;
O quatro é a completa compreensão dos fenômenos por si próprio.

Os sábios e contemplativos não conversam através do deboche ou da das gargalhadas 'kkkkk', eles estão apenas preocupados em tirar a ignorância dos olhos dos ignorantes, trazer de volta ao caminho correto aqueles que estão perdidos, etc. Nenhum deles esta preocupado com ganhos e honrárias divinas ou parabenizações ou críticas pelos seus atos.

Continue na sua jornada como descreves, assim encontrarás ou não sua resposta.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 31 de Maio de 2011, 19:50
Em termos de doutrina mano Goedert, a coisa é um cadinho diferente:
Primeiro o intelecto para depois seguir-se a moral.
Estes dois fatores, e nesta ordem regem a escalada do Espírito.
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 31 de Maio de 2011, 20:32
Queridos companheiros de Jornada,

aqui vao umas boas palavras que funcionam como  VACINAS CONTRA O MAL!!

O Mal nao deve ser comentado em tempo algum, segundo a minha Reforma Ìntima!!

Nesses momentos meu Amigo Goedert, te deixo sem resposta, pq nao faz parte da minha Reforma Íntima receber e tampouco doar certos comentários desnecessários.

Fique na Luz Divina, que todos nós merecemos e necessitamos.

Rose


 
VACINAS CONTRA O MAL

Não creias que Deus te honra
Com teus créditos e dons
Para que entendas e sirvas
Somente aos justos e bons.

Honrar as obrigações
Mesmo em luta, anos inteiros,
Sem deixar as próprias cargas
Nos ombros dos companheiros.

Evitar em qualquer tempo
Este desastre comum:
Contentar-se em criticar
Sem prestar auxílio algum.

De gênio perdido em furto,
O irmão Quelidônio Alpaca
Do além quer voltar à Terra
Sofrendo cabeça fraca.

Legenda aos servos do bem
Aos de agora e aos que virão:
Nunca se faça a mistura
De esclerose e tradição.

Não faças aos semelhantes
Seja o que for, onde estejas,
Que em se tratando de Ti,
Não aprovas, nem desejas.

pelo Espírito Cornélio Pires - Do livro: Coisas deste Mundo, Médium: Francisco Candido Xavier.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 31 de Maio de 2011, 21:57
Amigos,

podemos encontrar uma resposta no Evangelho Segundo Espiritismo, cap. VII - Instrucoes dos Espíritos - ítem 11 - O Orgulho e a Humildade, que servirá para todas as questoes acima e perfeitamente para responder as dos Amigos de Forum e de Jornada, Coronel e Goedert:

"... Despertai, meus irmaos, meus amigos!  Que a voz dos Espíritos vos toque o coracao.  Sede generosos e caridosos, sem ostentacao.  Querdizer: fazei o bem com humildade.  Que cada um vá demolindo aos poucos os altares elevados ao orgulho.  Numa palavra: sede verdadeiros criataos, e atingireis o reino da verdade.  Nao duvideis mais da bondade de Deus, agora que Ele vos envia tantas provas.   Viemos preparar o caminho para o cumprimento das profecias.  Quando o Senhor vos der uma manifestacao mais espelendente da sua clemência, que o enviado celeste vos encontre reunidos numa grande família; que os vossos coracoes  brandos e humildes, sejam dignos de receber a palavra divina que Ele vos trará; que o eleito nao encontre em seu caminho senao as palmas dispostas pelo vosso retorno ao bem, à caridade, à fraternidade; e entao o vosso mundo se tornará um paraíso terreno.  Mas se permanecerdes insensíveis à voz dos Espíritos, enviados para purificar e renovar a vossa sociedade civilizada, rica em conhecimentos e nao obstante tao pobre de bons sentimentos, ah! Nada mais nos restará do que chorar e gemer pela vossa sorte.  Mas, nao assim nao acontecerá.  Voltai-vos para Deus, vosso pai, e entao nós todos, que trabalhamos  para o cumprimento da sua vontade, entoaremos o cântico de agradecimento ao Senhor, por sua inesgotável bondade, e para O glorificar por todos os séculos dos séculos.  Assim seja.

Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 31 de Maio de 2011, 22:12
para complemento a esse tópico a as minhas reflexoes, ainda podemos encontrar no mesmo cap. VII - Evangelho Segundo Espiritismo - Instrucoes dos Espíritos - ítem 12 - O Orgulho e a Humildade - Adolfo - Bispo de Alger , Marmade, 1862 :

"... O mal-estar se torna geral.  A quem se deve, se nao a vós mesmos, que incessantemente procurais aniquilar-vos uns aos outros?  Nao podeis ser felizes, sem mútua benevolência, e como poderá esta existir juntamente com o orgulho?  O orgulho, eis a fonte de todos os vossos males.   Dedicai-vos, pois, à tarefa de destruí-lo, se nao quiserdes perpetuar as suas funestas consequências.  Um só meio tendes para isso, mas infalível:  Tomais a Lei do Cristo por regra invariável de vossa conduta, essa Lei que haveis rejeitado ou falseado na sua interpretacao.
..... Sem dúvida, mas por que deixastes as necessidades materiais sobreporem ao bom-senso e à razao?  Por que cada qual deseja se elevar sobre o seu irmao?  Agora a sociedade sofree as consequências.
Nao esquecais que um tal estado de coisas é sempre o sinal da decadência moral.  Quando o orgulho atinge o seu extremo, é indício de uma próxima queda, pois Deus pune sempre os soberbos.  SE às vezes os deixa subir, é para lhes dar tempo de refletir e de emendar-se, sob os golpes que, de tempos a tempos, desfere no seu orgulho como advertência.  Entretanto, em vez de se humilharem, eles se revoltam.  Entao, quando a medida está cheia, Ele a vira de repente, e a queda é tanto mais terrível, quanto mais alto tiverem se elevado.
Pobre raca humana, cujos caminhos foram todos corrompidos pelo egoísmo, reanimai-vos, apesar disso!  Na sua infinita misericórdia, Deus envia um poderoso remédio aos teus males, um socorro inesperado à tua aflicao.  Abre os olhos à luz: eis que as almas dos que se foram estao de volta, para te recordar os verdadeiros deveres.   Elas te dirao, com a autoridade da experiência, quanto as vaidades e as grandezas da vossa passageira existência sao pequeninas, diante da eternidade.  Dirao que, nesta, será maior o que foi menor entre os pequenos deste mundo; que o que mais amou os seus irmaos será o mais amado no céu; que os poderoso da Terra, se abusaram da autoridade, serao obrigados a obedecer aos seus servos; qua a caridade e a humildade, enfim, essas duas irmas que se dao as maos, sao os títulos mais eficazes para obter-se graca do Eterno.

Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 31 de Maio de 2011, 22:15
Só para relembrar bem o que a doutrina ensina:
Do LE:
"244. Os Espíritos vêem a Deus?
Somente os Espíritos superiores o vêem e compreendem; os Espíritos inferiores o sentem e adivinham."

Logo, em nosso atual estágio não vemos a Deus.
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: EsoEstudos em 01 de Junho de 2011, 01:55

Não creio que senão por força de expressão possa-se dizer que alguém "vê" Deus.

Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.

Deus existe, não o podeis duvidar, e isso é o essencial. Acreditai no que vos digo e
não queirais ir além. Não vos percais num labirinto, de onde não poderíeis sair. Isso não
vos tornaria melhores, mas talvez um pouco mais orgulhosos, porque acreditaríeis saber,
quando na realidade nada saberíeis. Deixai, pois, de lado, todos esses sistemas; tendes
que vos desembaraçar de muitas coisas que vos tocam mais diretamente. Isto vos se mais
útil do que querer penetrar o que é impenetrável.


Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Conforti em 01 de Junho de 2011, 05:16
 Rose Pedersoli   (ref #14)
          Nova amiga, não fui claro; coloquei “a oração como a entendemos”, isto é, como, em geral, a entendemos no Ocidente, como as religiões ocidentais a ensinam (a amiga pode ser, portanto, uma exceção à regra). Ficou melhor assim?
          Amiga Rose, me permita dizer: sua forma de oração, como compreendi por suas palavras (posso ter compreendido erradamente), apenas a faz mais feliz e leve, conforta-a, embala-a, faz se sentir (apenas suposição, imaginação) “mais perto de nosso Pai”; apenas isso. Se a amiga deseja ir além e, realmente, ter o percebimento de Deus, deve se esvaziar, não somente “de tudo que seja terreno”, como diz, mas, tb, de tudo que <não> seja terreno, isto é, do que seja “celestial”, inspirador, belo, elevado; se o pensamento “Deus”, “Cristo”, “amor ao próximo”, “paz a todos”, ou o que for, estiver ocupando sua mente, a amiga não “verá” Deus. O pensamento é ação do ego e, enquanto este opera, a Divindade não se manifesta... Eqto o ego/mente localizada/eu existe, Deus estará fora da percepção. O ego é o “único” obstáculo entre nós e a realidade...  Como dizem os mestres “ou eu, ou Deus”.
          Observe, amiga Rose, regra geral o homem usa orar dos modos abaixo:
          Eleva a mente e o coração a Deus, esforça-se para manter pensamentos elevados; visualiza o que julga serem bem-aventuranças celestiais, hierarquias e as moradas dos perfeitos; procura trazer à memória tudo que aprendeu dos mestres e doutrinas, e reflete sobre tudo isso, procurando aumentar seu desejo de amar mais e mais Deus e o próximo, às vezes até chorando e se lamentando, pedindo, agradecendo, desejando felicidade para todos...
          Com esse modo estará apenas perdendo tempo, pois nada resulta dessa oração; não dará sequer um passo em direção a Deus. Esse modo só leva à divagação (seu erro: usa o ego, pois pensa, imagina, usa a memória, se esforça, reflete,... tudo isso, obstáculos à percepção do sagrado; “se o eu é, Deus não é”). 
          Outro modo: procura esquecer todas as coisas exteriores, volta a consciência para dentro de si mesmo; controla os sentidos, os pensamentos e a imaginação para que não se voltem para os atrativos do mundo; ora, analisa os pensamentos elevados; ora, reflete nas orações que mentalmente pronuncia; ora, procura, com força de vontade, afastar pensamentos “negativos”, que surgem do nada.       
          Este modo, tb, é inútil, porque ele se dá na mente (e a mente é o ego), pensamento lutando contra pensamento, numa luta do homem consigo mesmo; não leva um passo à frente (ainda os mesmos erros; o ego está ainda presente).
          O outro modo: nem eleva a mente e o coração a Deus, nem a coloca nas coisas celestiais etc. É apenas um esvaziar-se, um entregar-se, uma “abertura”,... e venha o que vier. É como fazer cessar a estática, produzida pelos ruídos do ego, para poder sintonizar Deus. É verdade que isso exige treinamento da mente, para q possamos comandá-la e não ela a nós; exige tb uma consciência sadia no relacionamento com os demais e indiferença com as coisas da vida. É uma oração sem palavras nem conceitos. É a primitiva “oração de recolhimento” (dos sentidos, da memória, da imaginação) que resulta, se bem feita, “na oração de quietude”, que torna silenciosa a mente. Essas são as orações ensinadas por Teresa de Ávila. Sem esse tipo de oração silenciosa (não é silencio mental, mas “ausência” de mente), afirmam os sábios, os cristãos continuarão nas “alucinações da cristandade” e ninguém terá percepção das coisas divinas. Nesse modo não há controle, nem esforço, lembrança ou imaginação, emoção ou pensamento, remorsos, medos, esperanças, objetivo, nem pedidos, nem agradecimentos... apenas o vazio, a abertura.
          Rose:
          “A alma, ‘princípio intermediário’ existente na natureza humana, está entre o homem e Deus. O que lhe traz poder é a atenção; o desenvolvimento da atenção é o próprio desenvolvimento da alma. A atenção surge espontaneamente pelo profundo auto-questionamento, mas desaparece com a tristeza, medo, tédio, supersatisfação, desilusões (talvez, por isso, Krishnamurti tenha recomendado indiferença e bom humor em qualquer situação).
          Cel: os exercícios de desenvolvimento da atenção, ensinados pelas tradições, as várias parábolas de Jesus sobre a atenção, as recomendações de Tereza de Ávila às noviças (“Atenção! Atenção! Atenção!”), visam exatamente a trazer disciplina à mente para que, mais facilmente, se aquiete nas tentativas de realizar a oração. A mente (como diz o Bhagawad Gita) é como “um cavalo selvagem”, sempre indócil; ela nos comanda, e não nós a ela. Por isso, esses exercícios para torna-la mais maleável. Todos os exercícios de auto-questionamento têm o mesmo objetivo: conhecer a indocilidade da mente, pelas suas reações internas frente à ações externas, e perceber que devemos nos preparar para domina-la. Já, os exercícios de questionar as coisas do mundo, visam a que se perceba que o mundo não oferece solução para seus problemas; que nem religiões, nem filosofias, nem as ciências têm a solução, com isso nos levando a compreender q a solução está além do mundo, o que equivale a dizer que a solução está além do ego, pois é este q nos relaciona com o mundo. Então podemos vir a compreender que a única saída para o homem é aquietar o ego (como disse Blavatsky, fundadora da Sociedade Teósofica: “a mente é a assassina de Deus; mate a assassina”, como disse Masaharu Taniguchi, fundador da Seicho-no-ie: “quando o ego é anulado, Deus se manifesta”, e o profeta do Ant Testamento: “aquieta-te e sabe: eu sou Deus”. A oração que leva a Deus é em silencio mental, ego calado, em “oculto”, como disse Jesus.
          Rose:
          “E o que é estar quieto para você??”
          Cel: é esquecer-se e esquecer tudo; é “morrer a cada instante”, pois para a morte não existe passado, nem futuro; é aquele esvaziar-se de que falamos acima.
          Rose:
          “Para mim os resultados que me interessam, são aqueles, que levam a querer buscar os pqs da suas vidas.  Para mim os resultados que obtive não foram conforme os seus, você é uma pessoa cética...”
          Cel: amiga, são céticos aqueles cujas concepções, todas ou algumas, são diferentes das suas?
          Rose:
          “... Senhor Jesus Cristo nos deixou como exemplo, a bondade, a caridade e o amor a nós mesmos e ao próximo.   O Conhece-te a ti mesmo, que sempre está na pauta da minha vida, a renovação de atitudes, a forma como olhar a minha encarnação atual e tudo o que está me trazendo, há anos, esses estudos, essa Reforma íntima, essa nova forma de buscar a felicidade, que tanto todos queremos...”
          Cel: renovação de atitudes, reforma íntima estão ainda no domínio do ego; apenas levam ao cumprimento das recomendações dos homens de cuja palavras outros convencionaram religiões. Observe que nem os mandamentos (talvez de todas as religiões), nem as palavras de Jesus, contêm “regras de salvação”; apenas contêm “regras de bem conviver”. Os mandamentos: não matar, não mentir, não cobiçar, não isto, não aquilo; as palavras de Jesus: oferece a outra face, abençoai os que vos querem fazer mal, perdoai não sete vezes, amai-vos uns aos outros, teu credor te levara ao juiz... e dali não sairás até q tenhas pago o último ceitil, será lançado ao fogo da geena, observe Rose, tudo que ali está representa apenas “regras para bem- conviver” (essa, geralmente, foi a primeira preocupação e providencia daqueles líderes: ordenar, organizar e trazer um relacionamento mais
          Continua para terminar...
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Conforti em 01 de Junho de 2011, 05:19
         Rose pedersoli    (ref #14)    Continuação e fim...
ordenar, organizar e trazer um relacionamento mais harmonioso a primeira preocupação e providencia daqueles líderes: a seu povo).
          Quanto às “regras para a salvação”, estão em poucas passagens que, felizmente, foram preservadas, mesmo com tantas modificações introduzidas nas escrituras por interesse de poderosos. De Jesus: “buscai em primeiro lugar... e tudo o mais vos virá por acréscimo”, “... a verdade vos libertará”, “o reino dos céus está dentro de vós”, “que te importa a ti? Segue-me tu”, “deixai que os mortos enterrem seus mortos”; de Paulo: “é o Senhor q opera em nós o pensar...”, “... como se tivésseis algum pensamento como de vós mesmos, pois todos eles vêm de Deus”, “não sois salvos por vossas obras, mas pela graça de Deus”, “o Senhor habita em vossos corações”, “vós sois o templo do Altíssimo”, “o Senhor está à direita e à esquerda, à frente e atrás... dentro e fora...” e outras mais. Logo, se bem analisar verá que não é o ser bom, solidário, humilde etc que salva, mas o “conhecer a verdade”.
          E, amiga, o que é o “conhece-te a ti mesmo”, senão o mesmo conselho daqueles filósofos, que completariam suas palavras com “...e serás Deus”?
Pois é exatamente esse o objetivo mais alto da oração silenciosa: perceber, como muitos perceberam, e como Jesus percebeu que “eu e o Pai somos um”.   
          Rose:
         “Não sei como você se confundirá com Deus, se você é cético...”.
          Cel: por aí vc pode avaliar meu ceticismo, amiga...
          Rose:
          “Deus não é objeto de Estudo...”
          Cel: exato, Rose, mas pode ser “objeto” de percepção daqueles que chegaram “lá”.
          Rose:
          “... não afirme o que você não pode provar... como pode provar que ninguém pode ver Deus???”
          Cel: minha amiga, nós, vc, eu, talvez todos estamos sempre afirmando coisas que não podemos provar; afirmamos baseados no testemunho daqueles que passaram pela experiência; afirmamos porq temos a crença (não convicção absoluta!) de q o que as religiões ensinam está correto (embora cada uma se diga a única certa); veja que em grande parte desta mensagem você mesma afirmou coisas de Paulo, de Nicodemos, de Jesus que vc apenas crê que sejam verdades...
          Rose:
          “... eu não afirmo que alguém não viu Deus...”
          Cel: minha amiga, <ninguém> pode ver Deus; quando buscamos Deus é Deus se buscando. Como o Vedor pode ver a si próprio? Só uma pequena digressão, para ilustrar o q digo, encontrada no Zen: “... um monge perguntou ao roshi: “O que é buscar o Buda?”, e o mestre respondeu: “é cavalgar o boi para ir buscar o boi”. É o q o misticismo de séculos ou milênios a.C., os sábios e mestres e, hoje, a ciência mais avançada do planeta dizem: “Somos todos, seres sencientes ou não, uma só coisa”, “Só existe uma mente (consciência) e nós somos essa mente”, como Jesus tb disse: “eu e o Pai somos um” e muitos tiveram essa experiência de se perceber um com o Pai, experiência de concordância universal, como a denominaram notáveis, como Einstein e Jung. Os sábios dizem; “Só existe Um; a doença do mundo é crer que existe o Dois” 
          Cel: “Nossa mente limitada e finita não pode perceber aquilo que é infinito e ilimitado, e não pode  porq olhamos o mundo através da miopia do ego: anulado o ego, vemos a verdade, o Real.
          Rose:
          “... só acreditas na sua palavra”.
          Cel: a amiga sabe que essa não é a minha palavra, mas de todos os místicos, ocidentais e orientais, dos sábios, da ciência moderna e de Jesus, como coloquei acima.
          Rose:
          “Os que alimentam o ódio e os sentimentos inferiores... são os recalcitrantes que demoram mais que outros a assimilar a lição do Amor. Estes deverão aprender a amar através da dor e do sofrimento, por isso terão que reencarnar em planetas como o nosso, de provas e expiações, porque aqui encontrarão as ferramentas de que necessitam para sua evolução”.
          Cel: como a amiga não especificou, não sei se às palavras acima, já dei resposta; mas vamos lá: apenas uma pergunta, para refletir: porq uns são maus, egoístas, orgulhos, recalcitrantes e outros não? De onde vem essa tremenda desigualdade que, afinal, implica em sofrimentos para os primeiros, pois, como vc diz, estão sujeitos a expiações? O homem é responsável ou culpado de seus desacertos? Ou é a escola da vida (do bem e do mal) que o leva a errar? Vc, amiga, se fez a si mesma, se moldou como quis, ou foi a vida que, com as influencias exercidas sobre vc, por esse sem número de experiências, fez e faz vc ser o que é agora? O homem bom é bom simplesmente porq quer ser bom? O mau é mau simplesmente porq quer ser mau? A escola da vida é que nos molda, caráter, atitudes, sentimentos e tudo o mais...
          Rose:
          “... cada um está... rumo a sua evolução. Se não for pelo Amor será pela dor”.
          Cel: não, Rose, ninguém evolui (no sentido de se aproximar de Deus) nem pelo amor, nem pela dor. Não é o amor que “salva”; é o conhecimento da verdade que liberta; o amor é imprescindível, pois nos prepara a mente para atingir o alvo final, que é a verdade. A dor pode sim, tb ajudar pois, é pelo fato de o mundo não apresentar solução para o sofrimento do homem, que, este, desencantado com seus atrativos efêmeros, busca e pode, eventualmente, encontrar o caminho que leva à verdade.
          A evolução existe apenas para a adaptação dos seres ao meio mutável e adverso. Evolução psicológica ou moral não existe: o espírito é puro e perfeito; o que, neste aspecto, existe, é (talvez já tenha falado acima) um amadurecimento gradativo do ego até ao ponto de compreender que tem de, inegavelmente, encontrar uma solução para o sofrimento (que a todos afeta). É por isso que o ser se desencanta em relação aos atrativos do mundo e parte à procura da felicidade duradoura.
          Amiga Rose, me perdoe a prolixidade e a aparente insistência; minha intenção sempre é levar os amigos a refletirem e, assim, conseguir que alguém abra os olhos para a verdade. 
          Perceba Deus em você.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 01 de Junho de 2011, 11:37
Bom dia Coronel,

aqui vai o meu abraco a voce e a todos que estao acompanhando esse tópico, mas nao me interessa esse tipo de comportamento, de provar ou contestar o que o outro acha e sente.

Respeito a todos e desculpe pelos atropelos, nao me sinto bem com esse tipo de comportamento, tanto do meu lado, como do lado do outro.... meu íntimo é só meu e nao estou trazendo aqui para ser exposto e discutido em público.  Meu aprendizado é só meu e o de cada um, pertence única e exclusivamente a cada um.

Estou aqui par acrescentar o bem em minha vida e na vida de quem quer que entre nos meus tópico ou texto que aqui posto.
Quando é para acrescentar algo de bom na vida das pessoas, estou sempre à disposicao, mas aqui estou me sentindo atacada e sendo provada por mortais e pequenos, como eu... vou levar o que aconteceu aqui como experiência, nao das melhores, mas uma experiência... e vou prestar mais atencao onde irei postar os meus textos da próxima vez.

Só responderei para pessoas que nao queiram polemizar um assunto que é de grande Amor e interesse de todos por aqui, que é Deus.

Que Deus no abencoe e nos livre de qualquer desentendimento, ainda mais vindo do coracao.

Fiquem na paz do nosso Senhor Jesus Cristo.

Com carinho da

Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 01 de Junho de 2011, 13:35
Bom Dia Amigos,

deixo aqui um texto, do livro que estou estudando no momento e é de grande ajuda para todos.... creio que estamos todos no mesmo "barco", que é a busca...

Encontrei e repasso aos que gostam de buscar....

é uma parte do Livro: Iniciacao - Viagem Astral - Joao Nunes Maia - Lancellin.

Com muito carinho da

Rose

"... Se o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo é difundido a todas as criaturas no mundo terreno, o é muito mais no mundo dos Espíritos.   É aqui, no nosso plano, que ele é bem conhecido, porque é entendido em Espírito e Verdade.  Quem conhece os ensinamentos do Senhor e comeca a vivê-los, sente no coracao os princípios de libertacao, cujo avanco depende de certo modo de esforco próprio, como sendo sementes lancadas na lavoura interior.  Nao existe outro preparo maior e melhor do que o dado por Jesus, em todos os Seus conceitos de vida.  Eles sao ensejo de entrada para a verdadeira iniciacao espiritual."
"A base para qualquer desenvolvimento espiritual se encontram no Evangelho do Nosso Senhor Jesus Cristo... e todos nós temos acesso."

Língua de Luz

O desenvolvimento espiritual depende de muitos fatores, cujas forcas ajudam no despertar da alma e, nisso, o tempo passa e passa, deixando o saldo divino nos caminhos percorridos.

A Língua de Luz que aqui mencionamos é a uma forca sobremodo poderosa, que se encaixa no final da medula espinhal, com um esplendor de filamentos energéticos que se irradiam por todo o sistema nervoso, onde poderá comandar o mundo mental da criatura ou, mais aceertadamente, dar condicoes à alma de realizar grandes coisas, de conformidade com seus sentimentos.

Esse fogo serpentina, no dizer de vários escritores espiritualistas, é filho de uma computacao programada na contraparte solar e induzida pelo Cristo cósmico a todos os seres viventes.  A sensibilidade dessa forca escapa até ao raciocínio dos mestes em matéria de espiritualidsmo.  Essa forca estuante de Deus nas criaturas se parece com a luz, mas nao é ela; tem muitas afinidades com o Prâna, mas nao é ele.  Os orientais a batizaram de Kundalini, entretanto, tem ela variados nomes, de conformidade com a escola que a estuda e, por vezes, exercita o seu despertar."
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Anton Kiudero em 01 de Junho de 2011, 19:00
Para quem duvida de Deus, da ação do Universo independente da intenção humana e da Ação Amorosa de Deus não existe felicidade em lugar algum.

Como disse Cristo, as raposas têm suas tocas e os pássaros têm seus ninhos para descansar, mas o homem não tem onde encostar a sua cabeça. O ser humanizado não tem descanso porque o espírito trabalha vinte e quatro horas por dia para a sua elevação espiritual.

Portanto, quem duvida da Ação de Deus, quem duvida da sua identidade espiritual, quem duvida que esse é um mundo de provas e expiação e não um mundo de prazer, não tem onde descansar, já que está a todo momento sendo testado, seja pelo sofrimento ou pelo prazer. Já aquele que crê na sua identidade espiritual, em Deus e na Sua Ação Amorosa, este repousa em verdes campos, pois, não importa o que está acontecendo, está sempre vivendo a felicidade que Deus tem prometido aos Seus filhos.

Por isso, se alguém chega perto de você e diz que tudo que ele faz dá errado, pode ter certeza de uma coisa: tudo está dando certo. Isso porque o que dá errado para o ser humanizado é uma Ação Amorosa de Deus, é uma questão da provação que o ser universal veio fazer na carne.

Qual a verdade de todos os ensinamentos dos mestres? Deus... Mas, o Deus que é verdade não é aquela figura que vocês têm na cabeça: um ser preso ao Universo que assiste o que se passa em sua casa. Este não é o Deus verdadeiro. O Deus Real é ativo, onipresente, onipotente, onisciente, inteligência suprema, justiça perfeita, amor sublime, causa primária de todas as coisas. Este é o Deus ensinado pelos mestres e do qual falamos.

Fazemos isso porque só quando você conhecer Deus de verdade vai se salvar. A salvação acontece para aqueles que convivem com o Deus Real porque por este ser podemos abrir mão de nossa intencionalidade e jogar-nos em Seus braços. Será que você se sentiria confortável em entregar sua intencionalidade ao acaso, à sorte ou ao azar? Claro que não... Estes elementos não são inteligentes, amorosos ou justos. Somente Deus o é... Por isso, a Ele podemos nos entregar de corpo e alma...

O ensinamento que consiste na verdadeira religação a Deus consiste em entregar a nossa intencionalidade ao Pai. Estamos falando em viver a partir da intenção de Deus, ou seja, a partir da vontade de Deus e não mais da nossa. Isso só é possível quando se conhece um Deus do jeito que sempre nos foi mostrado.

Quando se convive com um Deus pró-ativo, justo e amoroso sabemos que Sua intencionalidade não tem nenhum mínimo aspecto individualista e, por isso, nela não reside qualquer ambição pessoal, de lucro individual. Por isso podemos nos entregar a Ele, anulando a nossa intenção individual para penetrar na intenção universal.

Como entregar-se a alguém se não temos confiança naquilo que este ser quer? Como podemos entregar nossas intenções, que são o leme de nossa vida, e os desejos, que são o combustível dela, a quem não é justo, amoroso ou tenha a capacidade suprema única de dirigir os acontecimentos do mundo para que cada um receba segundo as suas obras? É justamente por não terem essa resposta que as pessoas que não acreditam em Deus como Causa Primária de todas as coisas não entregam o comando de sua existência a Ele.

Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 02 de Junho de 2011, 09:44
Minha resposta para  (#27) Anton Kiudero.
Bom Dia Irmaos de Jornada e de Forum,

nada como um novo dia, nada como um dia após o outro!!

Gracas a Deus existem homens de muita fé ainda no mundo. 

Meu Estimado Irmao em Cristo Anton, sua resposta foi para mim um bálsamo regenerador!!
sozinhos nao se vai longe, temos que saber e confiar que em Jesus Cristo, em Deus e na providência divina D'Ele!!

Estava angustiada depois de tantas respostas insanas que estavam aparecendo por aqui, mas a providência Divina nao falha e manda pessoas certas, na hora certa, com as palavras certas para acalmar os nossos coracoes.... esse foi voce, meu Irmao em Cristo.... através de voce, de suas palavras, me trouxe, hoje, uma paz em estar neste Forum e poder saber que há pessoas como voce, Dothy, Gil Lima, Katitog e varios outros, que posso estar certa de que sao pessoas que somam nas nossas vidas.

Deus continue te abencoando e que Jesus Cristo seja sempre o seu Mentor Maior, para que suas palavras, tragam esse bálsamo que me levou hoje, a aquietar minhas inquietacoes perante o absurdo!!

Obrigada e tenha um ótimo feriado.... com Jesus no seu barco, vai tudo bem!!!

Com carinho da

Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 02 de Junho de 2011, 10:02
Bom Dia!!!

Amigos aqui deixo uma mensagem para reflexao!!

Vale a pena estudar, se informar e edificar nossos conhecimentos em base na verdade.
Jesus Cristo vivenciou todo o seu ensinamento e nós estamos aqui para tentar, com toda fé, vivênciar o que aprendermos nessa encarnacao e assim elevarmos o nosso espírito.

Aqui vai o texto....do Livro: Iniciacao - Viagem Astral - Joao Nunes Maia - Lancellin
Com carinho,
Rose




"A Doutrina Espírita nao é o que os homens queiram fazer dela através dos séculos; quem pretender torcer o seu destino grandioso no seio da sociedade será retirado como palha imprestável e queimada como joio sem interesse.  Serao chamados os verdadeiros dicípulos, para que deem exemplos do verdadeiro amor e da caridade e esses instrumentos dos Espíritos superiores já se encontram, em quantidades suficiente, animando corpos, ainda no anonimato, no meio dos homen, mas que, na hora certa, atenderao ao chamado do Divino Mestre.

Nos céus da nacao brasileira se encontram muitas falanges de Espíritos puros, com a sagrada missao de difundir as verdades espirituais.  Ninguém deterá essa marcha, por ser ela executada sob as ordens de Deus, para a paz dos seres humanos.  Nao há mais dúvida para os espiritualistas sobre a realidade da reencarnacao, sobre a comunicacao dos Espíritos com as criaturas e sobre a continuacao da vida após a morte.

Enquanto alguns querem se fazer de esquecidos das verdades eternas, nós outros, do plano espiritual, trabalhamos todos os dias, avivando cada vez mais a nocao iluminada da vida do Espírito.   As escolas na erraticidade nao se fecham.  Sao elas abencoados pousos de educacao das almas em trânsito e o tempo, como forca de DEus, vai nos mostrar a colheita do que ora plantamos em todos os coracoes de boa vontade.

Repetimos, nada se perde, principalmente o Bem que se prega, que se ensina e que se vive!!!"
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 02 de Junho de 2011, 14:17
Em termos de doutrina mano Goedert, a coisa é um cadinho diferente:
Primeiro o intelecto para depois seguir-se a moral.
Estes dois fatores, e nesta ordem regem a escalada do Espírito.
Abraços,
Moura

Talvez seja assim para alguns. Mas na doutrina dos nobres não é assim. Para eles, um ser imoral, imerso nas qualidades prejudiciais, não consegue ter visão correta, não tendo visão correta, eles carecem de entendimento correto. Desta maneira, nesta ordem, estes fatores influenciam o desenvolvimento do intelecto que tem como base a moralidade.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Conforti em 02 de Junho de 2011, 14:29
          Rose Pedersoli    (ref #25)

          Perdoe-me se fui inconveniente; é q estamos num forum de estudos...

          Fique em Deus.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 03 de Junho de 2011, 22:03
Prezados Companheiros de Forum,

vou deixar aqui um texto que diz muito aos nossos coracoes;  O Amor.

Esse é o melhor remédio para todos os males e lembrem-se que Deus é Amor....

Com carinho da
Rose


O Amor

O amor é a suprema felicidad do místico, é a alma acesa em todas as dimensoes da vida, é a forca concêntrica do cosmo, é a luz de Deus que se expande em todas as latitudes da criacao.  A escola do amor é infinita, como infinito é o poder do Pai Celestial.

O amor canta, na forca eletrostática do átomo, e torna-se uma melocia universal, na mecânica do cosmo.  Ele é um conjunto de fios invisíveis que partem do Criador ligando toda a criacao.

O amor é a vida.
O amor é Deus,
O amor é a caridade,
O amor é a paciência, a tolerância, o perdao, a amizade, o trabalho, a fraternidade.

Descendo infinitamente para o mundo, o amor se manifesta no próprio instinto, impulso irresistível e misteriosos que direciona os animais.  E por lei da evolucao, ele parte da simples afinidade entre pessoas e coisas e esplende como flor da mais rara beleza.

Nada resiste ao amor.

Se porventura estás cansado e orpimido, pensa no amor, comeca com alegria a pensar nele, a vivê-lo na sua mais pura radiacao, que notarás logo uma diferenca no teu estado psicológico:  a mente mais ativa, o coracao mais ritmado e os olhos mais vivos.  E, se esse exercício for cultivado de vez em quando, a alma se habituará, com as bencaos de Deus, a sentir amor por tudo que existe, pois nada foi feito sem ele.

As vibracoes sao cosntituídas de sons, e as emissoes dos pensamentos sao reconhecidas, quando provêm de almas que dignificam a vida palas portas do amor.  A melodia é harmoniosa e divina.

A mente acostumada na ginástica do amor é capaz de curar seus próprios desequilíbrios, ou pelo menos, aliviar os outros.  O Cristo, quando andou pela Terra, foi a personificacao do amor.  Por isso, as suas vestes eram disputadas, para que os enfermos pelo menos tocassem nelas, e quando assim acontecia - afirma o Evangelho - eles eram curados.  O amor lhes conferia uma profusao de fluidos superiores, que a inteligência de Jesus sabia repartir com os famintos e os desesperados.  Em muitos casos, eram Espíritos superiores que o acompanhavam, que faziam essa distribuicao de bencaos, em nome de Deus e, em outros, a própria fé do paciente absorvia o fluido de luz que circundava o Divino Mestre.

Jesus valorizou a fé, por saber que ela remove montanhas de imperfeicoes para atingir a essência da vida.

Se nao temos, na atualidade, o Cristo frente a frente para nos curar, se nao temos os Espíritos nobres, seus agentes, mais de perto para nos aliviar, temos todavia, o poder da fé que, de certo modo, Ele nos deixou, para que pudéssemos usar, e temos o testemunho de sua eficácia.  A fé nos faz reportar à época do Cristianismo primitivo, encontrando-nos com o SEnhor e os Espíritos nobres, e tornando-nos livres de todas as enfermidades.

O amor é também fé, por unificar todas as virtudes do Evangelho.

Faze experiências, experimenta o poder do amor e verás.  concentra-te no amor, sem que o devaneio da mente divida a meditacao.  Sente no coracao, e deixa que o rosto denuncie esse estado superior.  Desde a cortina dos olhos e uns dez minutos bastarao para que, pondo as tuas maos em alguém que padece, restabeleca-se-lhe o ânimo.  A farmacopeia universal está dentro do teu coracao em tamanho compatível com a tua estrutura, mas elástica, até o infinito.

Uma mente educaca opera maravilhas, eum mente que ama é o próprio céu na alma, onde Deus habita com a presenca dos Espíritos puros.

Nada resiste ao Amor.


Livro: Horizontes da Mente - Joao Nunes Maia - pelo espírito de Miramez
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 04 de Junho de 2011, 15:31
Goedert,
parece-me que o amigo ainda não deixou cair a ficha.
Falamos de doutrina espírita e ela não tem separações para nobres e plebeus.
Então, não é para "alguns" que ela ensina, mas para todos.
Abração, mano.
Moura

Em termos de doutrina mano Goedert, a coisa é um cadinho diferente:
Primeiro o intelecto para depois seguir-se a moral.
Estes dois fatores, e nesta ordem regem a escalada do Espírito.
Abraços,
Moura

Talvez seja assim para alguns. Mas na doutrina dos nobres não é assim. Para eles, um ser imoral, imerso nas qualidades prejudiciais, não consegue ter visão correta, não tendo visão correta, eles carecem de entendimento correto. Desta maneira, nesta ordem, estes fatores influenciam o desenvolvimento do intelecto que tem como base a moralidade.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 04 de Junho de 2011, 16:26
Amigo Moura,

A interpretação da palavra nobre equivale a Deus ou Espíritos Superiores para você.

Amigo Moura, você declara com base na doutrina que ela é para todos. Então, responda:

O selvagem feroz pode, numa só existência, adquirir as qualidades que lhe faltam?

Que educação dar-lhe-íeis, desde o berço, para fazerdes deles um São Vicente de Paulo, um sábio, um orador, um artista?
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 04 de Junho de 2011, 16:32
Mano Goedeert,
me desculpe,mas falamos aqui de Espíritos que já estão prontos ao entendimento de coisa tão ampla e complexa.
Estes irmãos, não estando ainda com possibilidades intelectuais para assim o fazerem,não estão incluídos neste contexto.
Note porém,que não é a doutrina que estabelece isso,mas sim a fase pela qual estão a vivenciar.
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 04 de Junho de 2011, 16:56
Mano Goedeert,
me desculpe,mas falamos aqui de Espíritos que já estão prontos ao entendimento de coisa tão ampla e complexa.
Estes irmãos, não estando ainda com possibilidades intelectuais para assim o fazerem,não estão incluídos neste contexto.
Note porém,que não é a doutrina que estabelece isso,mas sim a fase pela qual estão a vivenciar.
Abraços,
Moura

Nesta caso amigo Moura,

Da mesma forma amigo a Doutrina dos nobres só pode ser compreendida por seres que tem pouca poeira nos olhos, o restante não está incluído neste contexto.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 04 de Junho de 2011, 17:16
Amigo Goedert,
cite-me,onde na doutrina você vê citação alguma á doutrinados nobres...
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 04 de Junho de 2011, 18:33
Amigo Moura,

Vejo que não compreendeste. Estamos falando de duas doutrinas.

Doutrina dos Espíritos e a Doutrina dos Nobres.

Você utilizou uma doutrina como base e eu utilizei outra.

Além disso você se comporta de maneira evasiva nas questões, não responde uma pergunta de maneira direta, em uma pergunta que merece uma resposta direta.

Suas argumentativas não são diretas, claras e objetivas ao questionado em uma pergunta. Quando não consegue argumentar com seu próprio conhecimento direto, recorre a base da DE, ou seja, não responde.

Mais do que mil palavras vazias sem significado substancial e palpavel, apenas uma que simples e direta é de grande valia amigo Moura.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 04 de Junho de 2011, 19:08
Amigo Goedert,
por certo não havia compreendido,tens razão.
E o fato se prende a que por ser este um Fórum Espírita,nele só trato de doutrina Espírita.
É importante não perdermos o foco,senão tudo se há de perder no roldão.
Só um aviso que o faço repetindo.trate de idéias e não de pessoas. Quem sabe não seja você agora quem não esteja a entender?

Abração,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: EsoEstudos em 04 de Junho de 2011, 23:46
É como eu disse em outro tópico, acerca de um outro assunto... Existem dissensos doutrinários...

Não vou entrar no mérito se é ou não o caso da questão acima discutida. De qualquer forma, basta assumir a postura de delimitar a discordância sem tentar convencer.

Viva a liberdade de pensamento...  ;)
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 05 de Junho de 2011, 03:27
Amigo Goedert,
por certo não havia compreendido,tens razão.
E o fato se prende a que por ser este um Fórum Espírita,nele só trato de doutrina Espírita.
É importante não perdermos o foco,senão tudo se há de perder no roldão.
Só um aviso que o faço repetindo.trate de idéias e não de pessoas. Quem sabe não seja você agora quem não esteja a entender?

Abração,
Moura

Sim amigo Moura,

Desta forma então porque as perguntas que merecem receber um resposta categorigamente direta, não o fazes?

A pergunta foi direcionada ao entendimento da DE. Vejamos:

Amigo Moura,

A interpretação da palavra nobre equivale a Deus ou Espíritos Superiores para você.

Amigo Moura, você declara com base na doutrina que ela é para todos. Então, responda:

O selvagem feroz pode, numa só existência, adquirir as qualidades que lhe faltam?

Que educação dar-lhe-íeis, desde o berço, para fazerdes deles um São Vicente de Paulo, um sábio, um orador, um artista?

Com que base na doutrina tiras teu entendimento, se possível cite. Pois aparenta-me que os argumentos são evasivos a questão, não a respondendo diretamente.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 05 de Junho de 2011, 16:51
Goedert,
vamos pensar juntos:
Algum dia você viu Jesus,sair de sua base de pensamentos empregar segundo a vontade de umou de outro|?
nunca!
Por que?
Ora a resposta é simples., Jesus trazia uma doutrina que lhe foi passada pelo Pai.Esta doutrina tinha um embasamento e uma via de acesso que ele propagava, logo,se ele saísse dessa via,para pregar segundo o que este ou aqueles entendessem,estaria simplesmente intrujando na doutrina dele,pensamentos que não lhe pertenciam.
eu para não pregar uma doutrinam mesclada com meus pensares, apenas uso do que a doutrina ensina e não saio dela.
Porém o amigo me quer fazer pensar dentro de sua óptica,mas isso não acontecerá e por uma razão lógica, a doutrina é o fiel da balança, não você ou eu.
A doutrina,no entanto é de fácil entendimento, mas para aqueles que a estudam antes de qualquer mergulho mais afoito num conteúdo que de uma vez abarca muitas áreas.
Só como um exemplo do que falo este pensamento está no LE sob o titulo de Perseverança e Seriedade.
E as tuas afirmações,onde estão?
Amigo,em primeiro lugar tens de conhecer e bem a doutrina,para depois procurares vôos mais altos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 06 de Junho de 2011, 03:01
Amigo Moura,

Irei lhe responder, pense o que quiser, porém seu argumento não merece prosperar.

Existe o vício de não pensar, de se satisfazer com um produto final e acabado, sem que se possa ou saiba julgá-lo. Então, quando se depara com um problema se descobre que não se consegue resolve-lo.

O amigo entede o por quê?

Porque um detalhe mudou e falta raciocínio e criatividade. A única constante que esta presente no Universo e em todos os fenômenos que existem é a mudança e quem não raciocina não está preparado. Quem conhece os princípios de cada fenômeno, seus pontos principais e resultados, tem enorme facilidade diante de questões que para outros são inexpugnáveis.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 06 de Junho de 2011, 13:55
No caso, amigo quem não faz o exercício de raciocínio, não sou eu. mas quem quer que queira, apenas insistir num pensamento que apenas trás luz a seus anseios mais íntimos.
Este o grande erro,e por isso todos nós da classe dos Imperfeitos estamos a voltar N vezes ao mesmo orbe.
vou lhe dar uma dica:quando o amigo disser: "eu argumento não merece prosperar." Cite a base doutrinária,mostrando livro .capítulo e item.
Só assim estará contribuindo dentro do aspecto doutrinário.
Abração,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 06 de Junho de 2011, 18:21
Amigo Moura,

O meu anceio não é doutrina, são pessoas.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 06 de Junho de 2011, 18:22
Então mano Goedert, estás em lugar errado.
Aqui o anseio é compreender melhor e mais o que a doutrina tem em ensinos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Roger Tadeu em 06 de Junho de 2011, 18:38

I guess something is wrong with Goedert...

[]s
Roger
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Goedert em 06 de Junho de 2011, 20:05
Amigo Moura,

Lembra-te que das perguntas que fiz a respeito da doutrina, não respondestes nenhuma. Você mesmo aponta que aqui o anseio é compreender melhor e mais o que a doutrina tem em ensinos.

Quando confrontádo em seus argumentos, contorce-te como um repétil a fugir da argumentativa.

Isso não se trata de anseios pessoais Moura, isso se tratar de não poder haver duas realidades distintas ao mesmo tempo, isso é a discussão sobre a realidade dos fenômenos existenciais.

Esse é o anseio de todos, compreender os fenômenos da existência e não doutrinas.

Seja como amigo quiser.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Mourarego em 06 de Junho de 2011, 20:51
Amigo Goedert, vou te avisar apenas mais esta vez, conserva teus escritos apenas no teor da doutrina.
Não avisarei outra vez.
Ao invés de ficares a jogar conversa fora, procura estudar a doutrina e vais ver que nada do que dissestes está correto ou é verdade.
Falamos de doutreinaenão depessoas.
E sobre doutrina ainda não mostrastes nada.
Abraços,
Moura
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 12 de Junho de 2011, 11:37
Queridos irmaos de Jornada e de Forum,

aqui vai mais um texto para estarmos sempre com a ligacao a Deus e ao alto que nos apoia, nos edifica o espírito, nos leva a aprender todos os dias, uma parte nova da vida como encarnados e levarmos para o nosso espírito eternos.

Estudemos, porque estudar é viver e nos leva a reflexoes.... porém procuremos reflexoes de Amor, Carinho e Humildade.

O texto abaixo é tirado do livro do Francisco do Espírito Santo, ditado pelo espírito de Hammed - chamado: Os pazeres da alma.

Boa leitura!!
Com carinho da
Rose



Compreensao

Quando se trata da "compreensao de Deus", nao neguemos nada, nao afirmemos nada, apenas esperemos confiantes.  O estado numinoso é a maos misteriosa que nos aproxima daquilo que nos é útil e nos afsta daquilo que nao nos serve.

As enciclopédias trazem no verbete "religiosidade" as mais diversas observacoes de ordem linguística, restringindo-nos a compreensao clara e uma nocao definida a respeito deste tema.   Apesar do elenco de idéias de definicoes que podemos encontrar, aqui registramos um conceito  que, a nosso ver, melhor se ajusta ao vocábulo religiosidade:  "estado íntimo em que a alma se identifica com o sagrado", ou seja, "eincontro do homem com o numinoso".   A palavra "nume" é oriunda do latim numem, inis e que dizer "divindade".

O "nume" é a essência da idéia do divino.  Essa essência é  encontrada na inspiracao ou intuicao, enquanto sua vivência é sentida no âmago das criaturas através de um estado afetivo de confianca absoluta na Ordem Divina.

Quando se trata da "compreensao em Deus", nao neguemos nada, nao afirmemos nada, apenas esperemos confiantes.  O estado numinoso é a mao misteriosa que nos aproxima daquilo qeu nos é útil e nos afasta daquilo que nao os serve.

O individuo envolvido pelo sentimento numinoso está influenciado pelas qualidades transcendentais do Criador.  Essa sensacao íntima é captada pelas vias invisíveis do Espírito e, para muitos, ela ainda é considerada uma experiência indecifrável, misteriosa e nao racional, isto ´w, um enigma para os seres humanos.

No entanto, é indispensável lembrarmos que "aos olhos daqueles que olham a matéria como uma única forca da natureza, tudo o que nao pode ser explicado pelas leis da matéria é maravilhoso ou sobrenatural".  Na atualidade, nossa ligacao com as vias sagradas do Universo nao é compreendida com clareza nem vista como uma atitude natural e espontânea.

Por isso, Allan Kardec pergunta aos Seareiros do Bem:  "Se nao podemos compreender a natureza íntima de Deus, podemos ter uma idéia de algumas de suas perfeicoes??"  E os Espíritos Amigos respondem:  "Sim, de algumas.  O homem as compreende melhor à medida que se eleva acima da matéria; ele as entrevê pelo pensamento."

O "tempo da compreensao" do sagrado ou numinoso nao está em percorrer um caminho florido e verdejante numa planície tranquila e pitoresca, e sim em escalar o cume de uma montanha majestosa, onde se passa pelas trilhas íngremes da inspiracao e pelas sendas estreitas da introspeccao.

Quando estivermos dispostos a nos soltar e nos entregar nas Maos Divinas, poderemos compreender que esse estado de conficanca e entrega a Deus nada mais é do que possibilidades naturais, sao capacidades peculiares ou comuns a todos os homens.

Deveríamos compreender que o entendimento jumano é limitado e que existem fatos e situacoes que nao podemos resolver por nós mesmos.  Somente confiando na Inteligência Superior é que as coisas inexplicáveis comecam a revelar-se em nossa vida.

É indispensável, porém, entendermos a expressao "lancarmos-nos nas Maos de Deus" como uma "manifestacao valorosa de devocao e fé" e jamais como uma "manifestacao de entrega desesperada diante da perda e ruína".

No primeiro caso, ela possui o significado de que o Bem Maior deve prevalecer acima de qualquer solucao ou julgamento de nossa parte.  Quanto mais cultivarmos a compulsao de tudo saber e resolver, mais as respostas nos escaparao e menores serao as oportunidades de dissolvermos as dificuldades existenciais.

Todavia, nao podemos nos esquecer de que as dádivas que Deus nos conferiu nao devem servir como passaporte para a apatia, já que o livre-arbítrio, a inteligência, a vontade e o senso crítico sao dons que podemos e devemos utilizar para enfrentarmos as crises que surgem em nosso cotidiano.

No segundo caso, existe uma expressao de acomodacao, apatia e má vontade.  É uma postura de virar as costas para a orientacao celeste.  Aí está implícita toda uma atitude de nao pedir nem esperar ajuda, mais simplesmente de quere que a solucao apareca como um conto de fadas.

Para compreender as dádivas de Deus, às vezes é necessário cerrarmos os olhos para tudo que nos rodeia e abandonarmos a nossa síndrome de onipotência e de inflexível obstinacao, qual seja a de spervalorizar às próprias idéias, resolucoes e empreendimentos.

Permanecermos em um "estado numinoso" quando possuímos a compreensao plena de ser sustentados pela Forca Sagrada do Universo.  Vivemos em "estado numinoso" quando nos soltamos e nos entregamos só a Deus, e Nele confiamos.
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Rose FRA em 12 de Junho de 2011, 21:01

Vamos compreender mais a Deus... leiam e poderemos estar compreendendo mais o Universo Divino de Deus... O Criador dos Céus e da Terra...

Boa Leitura e boa noite....

com carinho da

Rose
Título: Re: Para vermos a Deus
Enviado por: Conforti em 12 de Junho de 2011, 22:01
          Para reflexão.
          Dentro da recomendação da DE e de idêntica de Paulo (“Estudai de tudo e guardai o que for bom”), de que devemos estudar as demais doutrinas e linhas de pensamento, até mesmo as “críticas” e os “contras” à nossa crença, e, desse modo, escolher, pela comparação, aquela que melhor se adapte a nossa maneira de entender a vida, para reflexão dos companheiros coloco o texto abaixo. 
          Com certeza todos já observaram muitas vezes que, sempre que nos referimos ao Criador do Céu e da Terra, nos vêm à lembrança coisas sublimes, inspiradoras, belas, boas, agradáveis, benfazejas, que nos fazem felizes e dão esperanças, do mesmo modo que, qdo nos lembramos dessas coisas ou, qdo as presenciamos, nos vem à mente o Criado de todas as coisas.
          Sempre esquecemos que não devemos olhar apenas o lado polido, brilhante, belo, limpo da vida, mas também, o outro lado, o lado feio, sujo, grosseiro, que provoca infelicidade, sofrimentos, tragédias e desgraças. Vemos as cachoeiras e cordilheiras e nos esquecemos que não passam de cicatrizes marcadas no planeta por terremotos, erupções vulcânicas, tsunamis... vemos pássaros e flores coloridas e esquecemos dos animais peçonhentos, escorpiões, das imensas colônias de ratos que infestam o planeta; das numerosas espécies de insetos portadores de vírus e bactérias, das tempestades e epidemias que destroem e matam, das guerras e crimes hediondos e violentos, da exploração dos semelhantes perpetradas por indivíduos e pelos poderosos... todos criaturas divinas procedentes de Deus...
          Por isso, para reflexão dos amigos e para suas conclusões, coloco o texto a seguir:

          “Este mundo em que vivemos é um mundo de luta e labor, um mundo feroz, perigoso, destrutivo, devorador, no qual, a cada passo, queiramos ou não, algo é esmagado e destruído; no qual cada sopro de vida é também um sopro de morte.
          Colocar a responsabilidade de tudo que nos parece mau ou terrível nos ombros de um demônio semi-impotente, ou deixá-la de lado, como sendo parte da natureza, criando uma oposição intransponível entre a natureza do mundo e a natureza de Deus, como se a natureza fosse independente de Deus, ou ainda lançar a responsabilidade sobre os homens e seus pecados, como se o homem tivesse voz ativa na criação deste mundo ou pudesse criar algo contra a vontade de Deus, tudo isso constitui estratagemas, artifícios cômodos... Erigimos, criamos, imaginamos um Deus de amor e misericórdia, justo, probo e virtuoso de acordo com as nossas concepções morais de justiça, virtude e retidão e, a todo o resto dizemos ‘Não é Ele’ ou ‘Não é dele’, isto é, ‘não foi Deus quem fez isso’ etc., mas que foi criado por um ser diabólico a quem, por um motivo qualquer, Ele permite cumprir sua vontade perversa e funesta; ou, então, foi culpa do homem egoísta e pecador, que estragou, pelo mau uso de seu livre-arbítrio, aquilo que foi criado originalmente perfeito.
          Temos de encarar corajosamente a realidade e perceber que foi Deus, e ninguém mais, que criou este mundo em seu próprio ser e o fez como ele é (Paulo: ‘Em Deus vivemos e respiramos; Ele está acima e abaixo, à frente e atrás, à direita e à esquerda, fora e dentro de nós). Temos que ver que a Natureza devorando seus filhos, o Tempo consumindo as vidas das criaturas, a Morte universal e inelutável e as violências no homem e na natureza são também o supremo Ser Divino em uma de suas representações cósmicas, em uma de suas manifestações e efeitos.   
          Temos também de perceber que o Deus generoso, amoroso, o conservador prestimoso, forte e benévolo é também o Deus devorador e destruidor. O sofrimento, a dor e o mal com que somos torturados é também seu toque tanto quanto a felicidade, a suavidade e o prazer. Só quando vemos com a visão de completa união e sentimos essa verdade no âmago de nosso ser é que podemos descobrir totalmente, por trás dessa máscara, o rosto sereno e formoso da Divindade bem-aventurada. 
          As discórdias do mundo são as discórdias de Deus, são a vontade de Deus, e só aceitando-as e superando-as podemos ascender à concórdia maior de sua suprema harmonia, à vastidão, à imensidade transcendente. Porque a Verdade é o alicerce da verdadeira espiritualidade e coragem da alma”.       
                                                       (Shri Aurobindo).
          Para reflexão...