Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Norizonte da Rosa em 10 de Janeiro de 2012, 14:34

Título: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Norizonte da Rosa em 10 de Janeiro de 2012, 14:34
Uma questão que me intriga é o fato de o espiritismo ter como base o cristianismo (não que os princípios estejam em desacordo), me refiro ao fato de que o espiritismo alicerça-se sobre os ensinamentos do Nazareno, não renega a Bíblia (ainda que a interprete de forma diferente que a religião 'oficial').

A questão é entender como uma religião ou filosofia que, pelo que li, deve ser a religião do futuro (afinal as pessoas tomando contato com essa religião, filosofia, encontrará respostas que não são obtidas em outras religiões), como essa religião, eu dizia, pode 'esperar' que isso ocorra se existem outras religiões com tantos seguidores, ou mais, que o Cristianismo (Budismo, Islamismo, por ex.)?

É mais fácil imaginar que alguém, como eu, que já foi católico possa por meio de leitura e de respostas a acontecimentos particulares que de início poderiam ser atribuídos ao sobrenatural, fantasmas e que com a leitura da doutrina espírita possa ter encontrado explicações racionais, sem apelo à superstição, possa com mais facilidade aceitar uma doutrina, filosofia alicerçada no Cristianismo, mas como esperar que o Espiritismo consiga 'atingir' pessoas de outras creças que não o Cristianismo. Essas pessoas estariam relegadas pelo destino que às fez nascerem em comunidades com outras crenças e deuses a não tomarem contato com o espiritismo?
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: linda alves em 10 de Janeiro de 2012, 15:29
Sabe o que falta???? É voce ter mais paciencia e ler mais principalmente o livro dos espiritos e com calma sim calma vc vai enteder o que ocorre. Temos livre arbitrio e Deus e os espiritos superiores respeitam nossas escolhas, eles sabem que vamos entender um dia e tem paciencia de esperar. Não nos deixam sofrer mais do podemos e escolhemos. Por que tudo que nos acontece plantamos e colhemos e escolhemos. Pois temos o direito de escolha. E nessa a caridade que é o alicerce de tudo que é amor. Se faz em ensinar e poupar todos nós de dores que talvez fossem maiores e não estivessemos em alguma religião. Tudo na terra tem sua hora, não existe acaso existe apenas a providencia divina que nunca dorme e nunca nunca se cansa de AMAR. Que o que precisamos apreender a fazer. Muita Paz
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Norizonte da Rosa em 11 de Janeiro de 2012, 11:22
Obrigado Linda Alves, minha intenção não é por em dúvida o espiritismo, mas tentar entender de forma racional mais essa questão, até porque uma das coisas que encanta no espiritismo é o fato de apresentar respostas racionais para as questões da alma, do espírito.

Continuarei lendo.

Ótima semana!
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 11 de Janeiro de 2012, 13:29
Bom dia irmãos.
Embora espirita, acho que temos uma responsabilidade muito grande: não cometer os mesmos erros das igrejas que costumo chamar de tradicionais.
No evangelho de Mateus capítulo 25 a partir do ersículo 31 Jesus nos dá a senha para entrar no reino de Deus. De uma forma resumida pq não acho necessario repetir a biblia aqui, o Mestre nos diz que TODAS as nações serão chamadas e que para entrar no reino é necessário dar comida a quem tem fome, vestir quem esta nú, cuidar dos doentes entre outras coisas é claro. sugiro que leiam o texto para entender melhor.
Jesus tambem nos disse que para sermos reconhecidos como seu seguidores precisamos "amai ... como eu vos amei".
Dessa forma, entendo que o espiritismo é a terceira revelação exatamente por explicar o que não ficou claro, dando luz ao que estava escondido a apresentando a luz da razão o que era sobrenatural.
"A verdadeira fé é aquela que pode encarar a razão face a face em qualquer época da humanidade", e o espiritismo faz isso.
Mas como citei anteriormente, e a doutrina enfatiza isso, é a caridade que nos permitira evoluir em direção a casa do Pai.
Acho que é muito mais facil entender a justiça e a misericórdia de Deus atraves dos conceitos espiritas, mas não é acreditando na reencarnação que vou entrar no reino de Deus, é praticando a caridade.
Os conceitos espiritas, para mim, são fundamentais no entendimento da lei de causa e efeito, que explica passagens do evangelho como "a cada um segundo suas obras".
Continuemos estudando por que o estudo é que nos permite fortalecer a fé, através dos pilares sólidos da razão.
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Renato.Oliv em 11 de Janeiro de 2012, 14:47
Uma questão que me intriga é o fato de o espiritismo ter como base o cristianismo (não que os princípios estejam em desacordo), me refiro ao fato de que o espiritismo alicerça-se sobre os ensinamentos do Nazareno, não renega a Bíblia (ainda que a interprete de forma diferente que a religião 'oficial').

A questão é entender como uma religião ou filosofia que, pelo que li, deve ser a religião do futuro (afinal as pessoas tomando contato com essa religião, filosofia, encontrará respostas que não são obtidas em outras religiões), como essa religião, eu dizia, pode 'esperar' que isso ocorra se existem outras religiões com tantos seguidores, ou mais, que o Cristianismo (Budismo, Islamismo, por ex.)?

É mais fácil imaginar que alguém, como eu, que já foi católico possa por meio de leitura e de respostas a acontecimentos particulares que de início poderiam ser atribuídos ao sobrenatural, fantasmas e que com a leitura da doutrina espírita possa ter encontrado explicações racionais, sem apelo à superstição, possa com mais facilidade aceitar uma doutrina, filosofia alicerçada no Cristianismo, mas como esperar que o Espiritismo consiga 'atingir' pessoas de outras creças que não o Cristianismo. Essas pessoas estariam relegadas pelo destino que às fez nascerem em comunidades com outras crenças e deuses a não tomarem contato com o espiritismo?

Olá irmão Norizonte,

Se olharmos com a visão no presente realmente fica difícil conceber que as várias religiões que existem atualmente se tornem espíritas. Léon Denis 1846-1927, grande apóstolo da Doutrina Espírita afirmava: "O Espiritismo é o futuro das religiões, e não a religião do futuro como muito pregam." Com esta afirmação, fica claro, que o Espiritismo será o futuro das religiões e não o contrário, que todas as religiões irão com o passar do tempo se tornando mais e mais espiritualistas e consequentemente se completarão com as respostas, com esclarecimentos que a Doutrina Espírita já nos dá a muito tempo, mas isso é um longo processo.
Num mundo de regeneração que é o próximo estágio de nosso planeta, não será necessário ter centenas de crenças e religiões separadas, existirá uma só, com extremo teor espiritualista, mas que não será marcada ou "carimbada" como Espiritismo. A pluralidade das existências, ou seja, a reencarnação, além das Leis Morais, serão normais, todos irão crer, ninguém achará os fenômenos espíritas uma coisa de outro mundo, algo sobrenatural, a humanidade perceberá que isso é tão natural quanto o dia e a noite, que o mundo espiritual é o nosso verdadeiro lar.

Muita paz,
Abraços fraternos.
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 11 de Janeiro de 2012, 15:03
Irmão Renato.
Essa frase do Leon Denis, resume de forma muito correta a realidade.
Como citei na resposta anterior, não faz diferença, hoje, acreditar ou não na reencarnação para evoluir, pois para isso é fundamental praticar a caridade.
Mas realmente quando a evolução mora e intelectual nos colocarem no planeta de regeneração que devemos alcançar logo, o conhecimento deixara de ser exclusivo e satisfazer apenas ao egoismo de padres e pastores.
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Norizonte da Rosa em 11 de Janeiro de 2012, 16:46
Uma questão que me intriga é o fato de o espiritismo ter como base o cristianismo (não que os princípios estejam em desacordo), me refiro ao fato de que o espiritismo alicerça-se sobre os ensinamentos do Nazareno, não renega a Bíblia (ainda que a interprete de forma diferente que a religião 'oficial').

A questão é entender como uma religião ou filosofia que, pelo que li, deve ser a religião do futuro (afinal as pessoas tomando contato com essa religião, filosofia, encontrará respostas que não são obtidas em outras religiões), como essa religião, eu dizia, pode 'esperar' que isso ocorra se existem outras religiões com tantos seguidores, ou mais, que o Cristianismo (Budismo, Islamismo, por ex.)?

É mais fácil imaginar que alguém, como eu, que já foi católico possa por meio de leitura e de respostas a acontecimentos particulares que de início poderiam ser atribuídos ao sobrenatural, fantasmas e que com a leitura da doutrina espírita possa ter encontrado explicações racionais, sem apelo à superstição, possa com mais facilidade aceitar uma doutrina, filosofia alicerçada no Cristianismo, mas como esperar que o Espiritismo consiga 'atingir' pessoas de outras creças que não o Cristianismo. Essas pessoas estariam relegadas pelo destino que às fez nascerem em comunidades com outras crenças e deuses a não tomarem contato com o espiritismo?

Olá irmão Norizonte,

Se olharmos com a visão no presente realmente fica difícil conceber que as várias religiões que existem atualmente se tornem espíritas. Léon Denis 1846-1927, grande apóstolo da Doutrina Espírita afirmava: "O Espiritismo é o futuro das religiões, e não a religião do futuro como muito pregam." Com esta afirmação, fica claro, que o Espiritismo será o futuro das religiões e não o contrário, que todas as religiões irão com o passar do tempo se tornando mais e mais espiritualistas e consequentemente se completarão com as respostas, com esclarecimentos que a Doutrina Espírita já nos dá a muito tempo, mas isso é um longo processo.
Num mundo de regeneração que é o próximo estágio de nosso planeta, não será necessário ter centenas de crenças e religiões separadas, existirá uma só, com extremo teor espiritualista, mas que não será marcada ou "carimbada" como Espiritismo. A pluralidade das existências, ou seja, a reencarnação, além das Leis Morais, serão normais, todos irão crer, ninguém achará os fenômenos espíritas uma coisa de outro mundo, algo sobrenatural, a humanidade perceberá que isso é tão natural quanto o dia e a noite, que o mundo espiritual é o nosso verdadeiro lar.

Muita paz,
Abraços fraternos.

Olá amigo Renato.

Muito esclarecedora tua esposição, o grande problema é que somos imediatistas e  queremos muitas vezes, na nossa curta existência, presenciar evoluções que ocorrem em milênios, à semelhança do que ocorre com as ciências naturais (biologia) e até fenômenos físicos como movimentos da própria terra.

Um abraço ao amigo.
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Conforti em 14 de Janeiro de 2012, 20:56
      Linda    (ref #1)

      Amigos, vamos refletir?

      Linda escreveu: Temos livre arbítrio...

      Cel: nova amiga, vc já fez uma análise profunda do q seja o livre-arbítrio? Temos realmente <liberdade> de escolha naquilo q fazemos, ou tudo q escolhemos está totalmente <preso> ao passado, às experiências pelas quais já passamos nesta escola do bem e do mal, q é a vida? E se o q escolhemos se refere à escolha de antes de reencarnar (como diz a doutrina), tudo q escolhemos está também totalmente <preso> àquilo q pensamos ou sabemos q devemos saber ou q necessitamos aprender para nos melhorarmos intimamente.
      E mais uma coisa importante: como harmonizar o “livre-arbítrio” com estas palavras: “Deus é o criador de todas as coisas e sem Ele nada foi feito”; e estas de Jesus: “... tudo vem do Alto”, “nenhum poder teríeis se do Alto não vos fosse dado”, “ninguém vem a mim se o Pai q me enviou não o mandar a mim!”; e com estas, de Paulo: “É o Senhor que opera em nós o pensar, o querer e o fazer!”, “... como se tivésseis algum pensamento como de vós mesmos, pois todos eles vêm de Deus!”?

      Linda: Não nos deixam sofrer mais do q podemos e escolhemos.

      Cel: é isso q vemos no mundo? Que não sofremos mais do q podemos suportar? Qtos abandonam a vida por não suportarem as terríveis conseqüências da lei de causa e efeito? Embora se assegure q o sofrimento não significa castigo (embora na DE a palavra “castigo” seja repetida muitas vezes, como tb, leis punitivas, penalidades expiatórias, sofrimentos torturantes, mundo de expiações, encarnações multiplicadas e dolorosas por milhões de anos etc), afinal, o dizer q sofrimento não significa castigo, ameniza ou aniquila as dores terríveis conseqüentes da lei de causa e efeito, como cânceres, demência, cegueira, aleijões, deformações físicas e mentais, epidemias dolorosas, miséria, fome, viver sob aquela ponte ou dos lixões das cidades; o ver a pequena filhinha, a alegria da casa, ser cruelmente violentada e assassinada na sua frente; ver os seus filhos mergulhados no inferno das drogas; ver roubado todo o produto de uma vida inteira de trabalhos em prol da família; seus queridos serem humilhados e injustiçados; as crianças terem os pés amputados, a machadadas; os desastres naturais, como terremotos, tsunamis, erupções vulcânicas, inundações, tempestades q destroem tudo q o homem construiu; guerras e mais uma lista sem fim de dores?! Essas coisas significam bênçãos e manifestações da misericórdia de Deus de soberano amor e todos as suportamos?
      Afinal, as criaturas de Deus somente entendem a linguagem dos sofrimentos? Será q o Criador de infinitos amor e onisciente (perfeita sabedoria) só soube idealizar um plano de ensino para a escola da vida, cujo método, mais usado e mais eficiente, são os sofrimentos, obrigatórios para todos?!
      E porq se diz q escolhemos sofrer? Se podemos escolher ser felizes praticando o bem, porq escolhemos ser infelizes praticando o mal?

      Fiquem em Deus.
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Conforti em 14 de Janeiro de 2012, 21:01
      Gustavo   (ref 33)

      Novamente, convido os amigos a refletirem.

      Gustavo escreveu: Mateus 25:31 e seguintes, Jesus nos dá a senha para entrar no reino de Deus... nos diz que todas as nações serão chamadas e que para entrar no reino é necessário dar comida a quem tem fome, vestir quem esta nú, cuidar dos doentes entre outras coisas é claro. Sugiro que leiam o texto para entender melhor.

      Cel: meu novo amigo, afinal, em quem devemos crer? As escrituras sofreram, nos séculos, principalmente para atender a interesses de poderosos, muitas e enormes modificações. Evangelhos tiveram partes subtraídas e partes adicionadas. Assim, em q devemos crer? Na Bíblia ou na DE?
      Veja, Jesus e Paulo enalteceram o amor, mas nunca afirmaram q é o amor q salva. No entanto, na passagem q vc citou, o Mestre dá a entender q é o amor q salva, mas, ao mesmo tempo, fala em “fogo eterno”, em “diabo e anjos do diabo”, em “tormento eterno”, chama uns de “malditos”, determina q se “afastem dele” etc.
      Contudo, noutras passagens, afirma q “conhecer a verdade é q liberta”, mostra amor para com os “malditos, qdo diz: “não vim para os sãos, mas para os doentes!”, e amor para com todos qdo diz: “perdoai sempre”, “abençoai os inimigos”, etc. Afinal, como explicar essas estranhezas?
      Paulo também afirma: “Deus não faz acepção de pessoas!”, ninguém é responsável ou culpado, pois “É o Sr q opera em nós o pensar, o desejar e o obrar” e “Como se tivésseis algum pensamento como de vós mesmos, pois todos eles vêm de Deus!”; e ainda, embora nas escrituras esteja escrito: “a cada um segundo suas obras!”, ao mesmo tempo se afirma: “não sois salvos por vossas obras...!”. E ainda Jesus: “tudo vem do Alto” e, mais estas palavras sobre as quais devemos refletir muito, pois, por elas, se afirma q mesmo nosso desejo ou decisão de seguir Jesus não é verdadeiramente nosso, pois o Mestre disse: “Ninguém vem a mim, se o Pai q me enviou não o mandar a mim”.

      Gustavo: Jesus também nos disse que para sermos reconhecidos como seu seguidores precisamos "amai... como eu vos amei".
Dessa forma, entendo que o espiritismo é a terceira revelação exatamente por explicar o que não ficou claro, dando luz ao que estava escondido a apresentando a luz da razão o que era sobrenatural.

      Cel: amigo, porq o espiritismo é a <terceira> revelação? Afinal, a primeira foi mesmo aquela trazida por Moisés? Quem afirma isso está mostrando q não conhece o Antigo Testamento e, se o conhece, não analisou bem suas palavras.

      Gustavo: "A verdadeira fé é aquela que pode encarar a razão face a face em qualquer época da humanidade", e o espiritismo faz isso.

      Cel: o q significam essas palavras: “encarar a razão face a face”? Observe q a doutrina afirma q está aberta a novas verdades, desde q cientificamente comprovadas, certo? Mas, tem mesmo feito isso? Do mesmo modo como as demais das doutrinas vindas do cristianismo, o espiritismo ainda não se manifestou, cem anos passados, sobre as descobertas da ciência q fazem q se coloque o homem em seu verdadeiro lugar no universo e na criação; descobertas q podem levar a se repensar as bases das doutrinas. Será receio do impacto q causará entre os fiéis ou o receio de terem de repensar e, talvez, de modificar suas premissas básicas?

      Gustavo: Continuemos estudando por que o estudo é que nos permite fortalecer a fé, através dos pilares sólidos da razão.

      Cel: concordo plenamente; e do mesmo modo q fez Paulo ao aconselhar “Estudai de tudo e guardai o q for bom!”, o LM, cap 3, item 35, também, sábia e democraticamente, repete esse conselho, e com mais clareza e detalhes:
      "... os que desejam conhecer completamente uma ciência devem ler necessariamente tudo o que foi escrito a respeito, ou pelo menos o principal, não se limitando a um único autor. Devem mesmo ler os prós e os contras, as críticas e as apologias, iniciar-se nos diferentes sistemas a fim de poder julgar pela comparação. Cabe ao leitor separar o bom do mau, o verdadeiro do falso."
     Aí está um sábio conselho que poucos seguem. Em geral, as pessoas se prendem àquela crença que conhecem e que julgam correta e não se interessam em conhecer outras. Veja a necessidade de estudar, olhar noutras direções e comparar; nossa cabeça é que vai decidir porque, afinal, a crença/religião é assunto de foro pessoal, de acordo com aquilo que compreendemos e pode ser muito diferente do que aquilo que está escrito, por quem quer que seja, daquilo que ouvimos etc.
      É isso que todos devíamos fazer mas, infelizmente, não é o que acontece e, assim, muitos  podem estar deixando de conhecer coisas de extrema importância para o crescimento em direção à verdade.

      Fiquem em Deus.
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: NIKITA10 em 15 de Janeiro de 2012, 18:03
Caro Coronel,

Concordo com parte de seu texto e adiciono: por que temos que nos basear num livro mitológico como a bíblia? A moral e a ética do ser humano se desenvolveram, apesar da bíblia, e não por causa da bíblia. Quem lê principalmente o antigo testamento e quiser achar alguma moral que nos sirva ainda hoje vai ter um grande problema nas mãos.
Abraços

Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Conforti em 16 de Janeiro de 2012, 03:46
      Nikita10     (ref #9)

      Olá, novo amigo. Você colocou:
      Nikita: Concordo com parte de seu texto e adiciono: por que temos que nos basear num livro mitológico como a bíblia? A moral e a ética do ser humano se desenvolveram, apesar da bíblia, e não por causa da bíblia. Quem lê principalmente o antigo testamento e quiser achar alguma moral que nos sirva ainda hoje vai ter um grande problema nas mãos.
Abraços

      Cel: Nikita, percebo q o amigo não é, como muitos, de aceitar passivamente tudo q lhe vem à mão, já interpretado por outras cabeças. E é assim, q todos devem fazer, mas não fazem.
      Qto à questão de “por que temos que nos basear num livro mitológico como a bíblia?”, isso se deve ao fato de q, todas as civilizações do mundo, orientais e ocidentais, se desenvolveram sob a influência das palavras desses homens que trouxeram, no passado, ensinamentos q continham consolações ou esperanças para criaturas já tão sofridas, principalmente naqueles tempos em q os poderosos eram a lei.  O avanço científico, que mostrou a existência de muitas incoerências nas tradições e crenças existentes, e que fez com que histórias e fatos, que pareciam lógicos e verdadeiros, fossem rejeitados por se mostrarem totalmente ilógicos e absurdos, levou muitos para a descrença total.
       Mas, considerável parcela da população mundial permanece fiel às suas crenças.
São palavras que, para muitos, embora a ciência tenha comprovado tantas incoerências, têm tanta importância e significação que, milhares de anos depois de pronunciadas, ainda produzem seus efeitos. E, qto à bíblia ela é, em particular no Ocidente, o ponto de partida para muitos q estão tentando compreender o q a vida tem de incompreensível.

      Nikita: Quem lê principalmente o antigo testamento e quiser achar alguma moral que nos sirva ainda hoje vai ter um grande problema nas mãos.

      Cel: essa é uma verdade inquestionável, embora muitos nem se atrevam a tocar nesses assuntos, ou por receio de desagradar a Deus, ou por tolo preconceito.

      Peço ao amigo q, se desejar, aponte a parte de meu texto com q não concordou q, talvez, possamos continuar nossa conversa, corrigindo-a ou a esclarecendo melhor.

      Fique em Deus.
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 16 de Janeiro de 2012, 10:58
Carissimos Coronel e Nikita.
Muito pertinentes suas colocações. Vamos ao debate:
Em primeiro lugar acho que tudo que esta na Biblia é verdadeiro, MAS, tudo deve ser entendido de forma relativa, posto que, em especial no velho testamente, tudo adaptado ao momento evolutivo da humanidade.
A Biblia é sim um código moral importante, pois tenta regular a sua época e a barbárie nela existente. As igrejas tradicionais erram exatamente por não compreenderem essa relatividade do momento em que o livro foi escrito.
Acredito que o próprio livro dos espiritos, livro dos médiuns bases doutrinarias do espiritismo, pode e deve ser relativizado uma vez que escrito em uma epóca evolutivamente distante, afinal, não existem mais duelos.
Ao contrário das igrejas tradicionais, em especial das evangélicas, que chamam Jesus de "o sacrificio perfeito", pelo qual nossos pecados são perdoados, acredito que a verdade que Jesus quer nos mostrar e que nos libertará, é a de que somos os verdadeiros responsáveis por nossos atos e que, só no momento que aprendermos a amar incondicionalmente, como ele nos amou, dando a vida pela verdade que ele pregou é que teremos acesso ao "Reino de Deus".
Não existe melhor forma de amar ao próximo do que "fazer por ele aquilo que queiramos que façam por nós".
Na passagem de Mateus que citei, Jesus deixa claro que é só pela caridade incondicional, a todos e qualquer um, que poderemos ser considerados benditos e que fora dela havera choro e ranger de dentes, castigos que pareceram eternos, posto que só mudarão, conforme ele mesmo disse, quando "pagar o último centavo".
Alem disso, as zonas umbralinas e de inferior energias, são eternas sim, posto que sempre recebendo irmãos ignorantes e endurecidos no egoismo e na ignorância.
Para concluir, o grande mérito da DE é exatamente permitir que estudemos, analisemos e tiremos nossas próprias conclusões, através das nossas próprias interpretações, e não de "fórmulas prontas".
Somos seres pensantes e não abro mão dessa condição.
Por isso acredito que esses espaços são de fundamental importância, posto que permitem o exercício do livre pensar e do debate, unicas formas de "conhecer a verdade".
É nossa opinião.
Mas podemos continuar debatendo.
Título: Re: Espiritismo e Cristianismo
Enviado por: Conforti em 16 de Janeiro de 2012, 22:29
      Gustavo Rettenmaier    (ref #11)

      Olá, novo amigo, me perdoe se trago muitas perguntas. A intenção é fazer refletir.

      Gustavo escreveu: ... acho que tudo que está na Bíblia é verdadeiro, MAS, tudo deve ser entendido de forma relativa, posto que, em especial no velho testamente, tudo adaptado ao momento evolutivo da humanidade.

      Cel: meu novo amigo, a bíblia foi vítima de numerosas alterações; partes de textos, inclusive do Novo Test, foram subtraídos ou acrescentados. Muitas adulterações, nos primeiros séculos, por interesses de poderosos, em particular de papas, na tentativa de justificar atos discricionários. Podemos considerá-la um livro histórico mas, sempre questionar e, se possível, tentar conhecer a veracidade do q ali está escrito e, sobretudo, duvidar de muitas interpretações realizadas e ensinadas pelas religiões q conhecemos. Essas interpretações enchem os fiéis de esperanças, receios, remorsos e ilusões.

      Gustavo: A Bíblia é sim um código moral importante, pois tenta regular a sua época e a barbárie nela existente. As igrejas tradicionais erram exatamente por não compreenderem essa relatividade do momento em que o livro foi escrito.

      Cel: o amigo Gustavo, então, supõe q os conselhos contidos na bíblia não se aplicam aos dias de hoje? A humanidade de hoje está cometendo os mesmos ou até maiores absurdos do q naqueles tempos! Releia o decálogo, os ensinamentos de Jesus e perceba se isso não é uma verdade.
 
      Gustavo: Acredito que o próprio livro dos espíritos, livro dos médiuns, bases doutrinarias do espiritismo, pode e deve ser relativizado uma vez que escrito em uma época evolutivamente distante, afinal, não existem mais duelos.

      Cel: nada mais existe q se assemelhe a duelos?! Os ensinamentos da codificação se aplicavam, anteriormente, somente a esse tipo de violência?! Hoje não acontecem coisas muitíssimo piores q isso? Eqto o encarnado existir, aqueles ensinamentos estarão perfeitamente coerentes em relação aos fatos e atos.

      Gustavo: ... acredito que a verdade que Jesus quer nos mostrar e que nos libertará, é a de que somos os verdadeiros responsáveis por nossos atos...

      Cel: amigo, o q é q o leva a pensar assim? Será q o bom é bom simplesmente porq quer ser bom? Q o mau é mau simplesmente porq quer ser mau? Afinal, porq uns desejarão ser bons e outros não? Porq a perfeita igualdade inicial foi desfeita? Se podemos escolher entre ser bons e, consequentemente, mais felizes, porq escolhemos ser maus e, consequentemente, mais infelizes? Será q cada um pesa as conseqüências terríveis que lhe virão se burlar a Lei e, por livre vontade, escolhe e decide ser mau?!i
 
      Gustavo: e que, só no momento que aprendermos a amar incondicionalmente, como ele nos amou, dando a vida pela verdade que ele pregou é que teremos acesso ao "Reino de Deus".

      Cel: amigo, muitos sabem <o que> devemos fazer; todas as religiões nos dizem, todos os dias, <o que> fazer, o q devemos colocar em nossos corações; no entanto, <ninguém> e <nenhuma religião>, sem exceção, sabem ensinar <o como> fazer. Será q basta dizer: a partir de amanhã, serei bom e caridoso, não serei mais invejoso, ciumento, nem cheio de desejos maldosos, de vingança, de cobiçar, de mentir, de roubar, matar etc?
      Sabemos <como> substituir a maldade q temos no coração, em nossa natureza, portanto, por bondade? Quem tem a receita mágica para isso?

      Gustavo:... Jesus deixa claro que é só pela caridade incondicional... poderemos ser benditos e que, fora dela haverá castigos que pareceram eternos, posto que só mudarão, conforme ele mesmo disse, quando "pagar o último centavo".

      Cel: meu amigo, tem certeza q Jesus disse q os castigos poderão ser “eternos”? E, Gustavo, como é q se adquire “caridade incondicional”?? Afinal, meu amigo, o q é q faz q uns sejam caridosos e outros maldosos? Será que, por decisão ou vontade própria, escolhemos ser maus?

      Gustavo: ... irmãos ignorantes e endurecidos no egoísmo e na ignorância.

      Cel: qual será a razão de uns serem endurecidos no egoísmo e na ignorância e outros não? Os egoistas e ignorantes escolhem ser assim,para, como vc disse, serem submetidos aos castigos, às terríveis, torturantes e insuportáveis conseqüências da lei de causa e efeito? O espírito não era ignorante, nem egoísta, mas resolveu, por vontade própria, e à força, se encher de ignorância e de egoísmo? Afinal, qual é a causa do egoísmo? Estará na natureza do homem? De onde vem a ignorância? Não é preciso refletir e refletir muito?

      Gustavo: ... o mérito da DE é exatamente permitir que estudemos, analisemos e tiremos nossas próprias conclusões, através das nossas próprias interpretações, e não de "fórmulas prontas". Somos seres pensantes e não abro mão dessa condição.
 
      Cel: meu amigo, seus pensamentos vêm de onde se Paulo afirmou q “É o Sr que opera em nós o pensar...”?

Por isso acredito que esses espaços são de fundamental importância, posto que permitem o exercício do livre pensar e do debate, únicas formas de "conhecer a verdade".

      Cel: Gustavo, nunca o exercício mental, como pensar, raciocinar, imaginar, compreender, nos fazem q se “conheça a verdade? Nunca, o homem, com sua mente limitada e finita, poderá conhecer aquilo q é ilimitado e infinito. O “conhecer a verdade” é o mesmo q “encontrar o Reino”, ação q, conforme aconselhou Jesus, devemos fazer (buscar) “em primeiro lugar”, pois q tudo mais virá por acréscimo. O “conhecer a verdade” ou o “Reino” estão além dos acanhados limites de nossas mentes “pequenas” e finitas.
 
      Podemos continuar “debatendo”, sim; percebo q vc é um bom pensador.

      Fique em Deus.