Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Rodrigo_sds em 19 de Abril de 2010, 21:14

Título: Duvida que me pegou de jeito....
Enviado por: Rodrigo_sds em 19 de Abril de 2010, 21:14
Discutindo com um colega de sala protestante ele venha a me falar que a rituais espirituais em sua doutrina que se denomina "arrebatamento" onde pessoas são levadas para o reino de deus,ou muitas vezes tem visão de demonios e anjos, e veem o "repouso dos santos" onde segundo meu colega a bibli diz que la dorme os que foram justos e guardaram a palavra de Deus, conforme relata no livro da biblia .porque isso acontece? oque é isso?

Título: Dúvida que me pegou de jeito....
Enviado por: rwer em 19 de Abril de 2010, 21:58
Ô, Rodrigo,

Cada sensitivo interpreta o próprio desdobramento conforme sua cultura religiosa.

Se é católico, verá demônios no Inferno e Anjos no Céu.

É espírita?  Verá irmãos infelizes nos umbrais  e  Espíritos superiores nas esferas de luz.

É indígena?  Viu tribos inimigas no pântano e irmãos de luta na floresta abençoada.

É ufólogo?  Dirá que foi abduzido e levado a um outro mundo. Que lá existem seres como os da Terra. O tal mundo tem regiões de sombra mas também tem ambientes paradisíacos, onde os humanóides voam ou viajam em naves intergalácticas.  ;)

Abração, RW
Título: Re: Duvida que me pegou de jeito....
Enviado por: dePersis em 19 de Abril de 2010, 23:16
Acredito que para cada ser há um determinado conhecimento das coisas de Deus, de acordo com sua evolução, cabe aos católicos acreditarem da forma deles, cabe aos protestantes acreditarem da forma deles e assim é para nós espíritas, a verdade.?... é aquela que vc sente em seu coração e que te faz acreditar em um futuro melhor. abraços fraternais.
Título: Re: Duvida que me pegou de jeito....
Enviado por: Rodrigo_sds em 20 de Abril de 2010, 00:41
muito obrigado amigos, por me responderem =D
Título: Re: Duvida que me pegou de jeito....
Enviado por: Conforti em 21 de Abril de 2010, 05:18
   Amigo Rodrigo,    (arrebatamento ou despertamento)

          O que seu colega falou, não são rituais; são experiências obtidas em momentos em que a necessidade de Deus é tão grande que a pessoa ‘deixa de ser ela propria’ e penetra em planos mais elevados de percepção.
          Não são levadas para o reino de Deus (sempre estamos nele), mas a associação dessa percepção mais apurada com o conhecimento de doutrinas religiosas, desperta enorme felicidade o que faz que julguem que foram arrebatadas ao reino. (Paulo: “...um homem que foi levado (arrebatado) ao... céu e lá viu e ouviu coisas indizíveis”).  
          O que leva a isso é a fé exacerbada que pode proporcionar ‘insights’, discernimento além dos sentidos, experiências paranormais, pois a necessidade as tornou mais sensitivas, mais sensíveis...

          A seguir, relato uma experiência dessas’:

          ‘Decidi resolver, duma vez, a questão da salvação de minha alma. Estava disposto a pôr de lado todo o meu trabalho, tudo quanto pudesse distrair-me, e a me dedicar, exclusivamente, a esse  objetivo.
         ‘Totalmente determinado, perguntei a mim mesmo: “Entregará seu coração ao Senhor hoje, agora? Respondi: ‘Sim, hei de o entregar hoje, ou hei de morrer na tentativa'...
          ‘Senti que precisava estar sozinho, distante de todo olho e ouvido humano, para que pudesse abrir meu coração para Deus...
          ‘Por fim me vi chegando às raias do desespero, com tão profundo desanimo e abatimento, que me senti fraco demais para me agüentar sobre meus joelhos.
          ‘Nesse instante, raiou em minha mente esta passagem da Escritura: ‘Então me buscareis e me achareis, quando me buscardes de todo o coração’ (isto é, sem receios, numa entrega total)...
          ‘Tentei tocar meu violoncelo, mas assim que tocava e cantava aquelas músicas sacras e inspiradas, começava a chorar. Parecia que meu coração estava se derretendo; era tal meu estado emocional que não podia ouvir nem minha própria voz cantar sem que minha sensibilidade extravasasse em lágrimas...
          ‘Um pensamento tomou conta de mim: não me descuidaria jamais da vida espiritual, de modo algum,
          ‘À noitinha meu coração parecia estar, novamente, derretendo dentro de mim. Todos meus sentimentos pareciam transbordar, e a expressão de meu coração foi: ‘Quero derramar minha alma diante do Senhor. Nesse instante, foi tal o arrebatamento que senti, que corri para o quarto, atrás do escritório, para orar.
          
(continuo)
Título: Re: Duvida que me pegou de jeito....
Enviado por: Conforti em 21 de Abril de 2010, 05:20
          Rodrigo, (continuando e terminando):

          ‘No quarto não havia luz nem fogo; contudo, pareceu que ele estava totalmente iluminado. Ao entrar e fechar a porta atrás de mim, pareceu-me encontrar o Senhor Jesus, face a face. Não me ocorreu, naquele momento, que aquilo tudo se passava na minha mente. Na verdade, pareceu-me vê-lo como veria qualquer homem. Ele nada disse, mas olhou-me de tal modo que me derrubou a seus pés. Pareceu-me que ele estava realmente em pé, ali, diante de mim. Caí a seus pés e abri-lhe minha alma. Chorei alto, como criança, e confessei-me como me permitiu minha voz engasgada de emoção. Pareceu-me que lhe banhei os pés com minhas lágrimas...
          ‘Assim que consegui me acalmar, voltei ao escritório. Ao voltar-me, porém, para me sentar à beira do fogo, recebi um poderoso batismo do Espírito Santo. Sem qualquer expectativa nesse sentido, sem jamais ter pensado que tal coisa pudesse me acontecer, sem qualquer lembrança de ter ouvido algo semelhante mencionado por alguém, o Espírito Santo desceu sobre mim de maneira que pareceu atravessar meu corpo e minha alma. Pude ter a impressão de ondas de eletricidade atravessando-me vez após vez. De fato, parecia vir em ondas e mais ondas de amor líquido; não sei de que outra maneira expressar o que senti. Parecia o próprio sopro de Deus. Recordo, claramente, que parecia soprar sobre mim como se fossem asas imensas me abanando.
          ‘Não há palavras que exprimam o maravilhoso amor que se espalhou em meu coração. Chorei alto, de alegria e felicidade; e, não tenho certeza, mas eu diria que saiam aos borbotões as emoções inexprimíveis de meu coração. Essas ondas vieram sobre mim, e vieram, e vieram, uma após outra, sem cessar, até que, lembro-me de ter gritado: ‘Morrerei, se estas ondas continuarem a cair sobre mim.’ E disse ainda: ‘Senhor, não agüento mais!’, embora não sentisse mais qualquer medo da morte.
          ‘Um amigo veio me ver e perguntou: ‘Finney, o que aconteceu, está sentindo alguma dor?’. Durante algum tempo não pude responder. E dominando-me da melhor forma que pude, respondi: ‘Não, mas estou tão feliz que nem posso mais viver... ’
          ‘Quando acordei, pela manhã, o sol já derramava sua claridade no quarto. Palavras não podem exprimir a impressão que essa luz do sol me fez sentir. Imediatamente, o batismo, que eu recebera na noite anterior, voltou sobre mim, e do mesmo modo. Fiquei de joelhos sobre a cama e chorei alto de alegria; permaneci algum tempo de tal maneira arrebatado pelo batismo do Espírito, que nada podia fazer senão abrir minha alma para Deus. E me era impossível duvidar que o Espírito de Deus controlava todo o meu ser.
          ‘Senti que todo sentimento de condenação desaparecera completamente de meu pensamento, e que, a partir daquele instante, eu não mais conseguia, nem me esforçando, sentir qualquer sentimento de culpa ou de condenação por meus atos quaisquer que fossem eles. O sentimento de culpa se apagara, cessara, morrera; foram-se os meus pecados, e eu não tinha mais nenhum sentimento de culpa; era como se eu nunca tivesse cometido qualquer pecado.
          ‘Meu cálice transbordava de bênçãos e de amor, e eu sentia que não mais estava pecando contra Deus. Além disso, nunca mais tive o menor sentimento de culpa pelos pecados que já cometera. ’
................................................

 
          Fique em Deus.
Título: Re: Duvida que me pegou de jeito....
Enviado por: Conforti em 22 de Abril de 2010, 23:39
   

          Novo amigo dePersis,

          Me permita um comentário.
          Você c diz que “para cada ser há um determinado conhecimento das coisas de Deus”.
          Vou lhe dizer uma coisa: não é bem assim. ‘Nenhum’ ser, nenhum de nós, tem qualquer conhecimento das coisas de Deus. Temos suposições. Nós temos apenas conhecimento das coisas do homem (e olhe lá!), das nossas coisas, daquilo que nos serve à nossa sobrevivência.
          Conhecemos certas coisas que as doutrinas nos passam e acreditamos que são coisas de Deus. As coisas de Deus são incompreensíveis para nós. Lembra-se que Paulo afirmou “... subiu até terceiro ou quinto céu, e lá viu e ouviu coisas indizíveis”? Nossa mente, repleta de ilusões, com que as tradições, costumes, cultura, religiões, sociedades nos ‘impuseram’ desde que viemos à existência, é incapaz de sequer saber o que é Deus. Nem mesmo o que somos e quem somos, verdadeiramente, sabemos. Nossa mente é limitada por todo esse condicionamento, e é finita, e somente o que está livre do condicionamento se torna infinito e pode ter qualquer conhecimento das coisas de Deus.
          Como a mente é finita e limitada, para conhecer qualquer coisa de Deus, temos que ultrapassar seus limites, ir além da mente, além do ‘ego’ ou ‘eu’. Mas, quando conseguirmos ir além da mente, não vamos conhecer ‘algumas’ coisas de Deus, mas ‘todas’ as coisas. 
   
           E se católicos, protestantes, espíritas, seja de qual religião for, acreditam em Deus de acordo com a forma deles, isso é apenas ilusão, crença, superstição....

          Abcs.
Título: Re: Duvida que me pegou de jeito....
Enviado por: Rodrigo_sds em 24 de Abril de 2010, 01:09
muito obrigado pela sua resposta é de grande ajuda para mim.