Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Tópico iniciado por: andreia em 08 de Dezembro de 2005, 10:58

Título: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 08 de Dezembro de 2005, 10:58

Eu, menino, sentado na calçada, sob um sol escaldante, observava a movimentação das pessoas em volta, e tentava compreender o que estava acontecendo.

Que é o Natal?  Perguntava-me, em silêncio.

Eu, menino, ouvira falar que aquele era o dia em que Papai Noel, em seu trenó puxado por renas, cruzava os céus distribuindo brinquedos a todas as crianças.

E por que então, eu, que passo a madrugada ao relento nunca vi o trenó voador? Onde estão os meus presentes? Perguntava-me.

E eu, menino, imaginava que o Natal não deveria ser isso.

Talvez fosse um dia especial, em que as pessoas abraçassem seus
familiares e fossem mais amigas umas das outras.

Ou talvez fosse o dia da fraternidade e do perdão.

Mas então por que eu, sentado no meio-fio, não recebo sequer um
sorriso?
Perguntava-me, com tristeza  e por que a polícia trabalha no Natal?

E eu, menino, entendia que não devia ser assim...

Imaginava que talvez o Natal fosse um dia mágico porque as pessoas enchem as igrejas em busca de Deus.

Mas por que, então, não saem de lá melhores do que entraram?

Debatia-me, na ânsia de compreender essa ocasião diferente.

Via risos, mas eram gargalhadas que escondiam tanta tristeza e ódio, tanta amargura e sofrimento...

E eu, menino, mergulhado em tão profundas reflexões, vi aproximar-se um homem...

Era um belo homem...

Não era gordo nem magro, nem alto nem baixo, nem branco, nem preto, nem pardo, nem amarelo ou vermelho.

Era apenas um homem com olhos cor de ternura e um sorriso em forma de carinho que, numa voz em tom de afago, saudou-me:

Olá, menino!

Oi!... respondi, meio tímido.

E, com grande admiração, vi-o acomodar-se a meu lado, na calçada, sob o sol escaldante.

Eu, menino, aceitei-o como amigo, num olhar. E atirei-lhe a pergunta que me inquietava e entristecia:

Que é o Natal?

Ele, sorrindo ainda mais, respondeu-me, sereno:

Meu aniversário.

Como assim?  Perguntei, percebendo que ele estava sozinho.

Por que você não está em casa? Onde estão os seus familiares?

E ele me disse: Esta é a minha família, apontando para aquelas pessoas que andavam apressadas.

E eu, menino, não compreendi.

Você também faz parte da minha família... Acrescentou, aumentando a confusão na minha cabeça de menino.

Não  conheço você! - eu disse.

É porque nunca lhe falaram de mim. Mas eu o conheço. E o amo...

Tremi de emoção com aquelas palavras, na minha fragilidade de menino.

Você deve estar triste, comentei. Porque está sozinho, justo no dia do próprio aniversário...

Neste momento, estou com você - respondeu-me, com um sorriso.

E conversamos...uma conversa de poucas palavras, muito silêncio, muitos olhares e um grande sentimento, naquela prece que fazia arder o coração e a própria alma.

A noite chegou... E as primeiras estrelas surgiram no céu.

E conversamos... Eu, menino, e ele.

E ele me falava, e eu O entendia. E eu O sentia. E eu O amava...

Eu, menino: sou as cordas. Ele: o artista. E  entre nós dois se fez a
melodia!...

E eu, menino, sorri...

Quando a madrugada chegou e, enquanto piscavam as luzes que iluminavam as casas, Ele se ergueu e eu adivinhei que era a despedida. E eu suspirava, de alma renovada.

Abracei-O pela cintura, e lhe disse: Feliz aniversário!

Ele ergueu-me no ar, com Seus braços fortes, tão fortes quanto a paz, e disse-me:

Presenteie-me compartilhando este abraço com a minha família, que também é sua... Ame-os com respeito. Respeite-os com ternura, com carinho e amizade.
E tenha um feliz Natal!

E porque eu não queria vê-lo ir-se embora, saí correndo em disparada pela rua.
Abandonei-O, levando-O para sempre no mais íntimo do coração...

E saí em busca de braços que aceitassem os meus...

E eu, menino, nunca mais O vi. Mas fiquei com a certeza de que Ele sempre está comigo, e não apenas nas noites de Natal...

E eu, menino, sorri... pois agora eu sei que Ele é Jesus... E é por
causa Dele que existe o Natal.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base em texto de Fábio Azamor, da cidade de Rio Bonito-RJ.


Beijinhos  :D
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Det's me!... em 08 de Dezembro de 2005, 21:19
Muita Paz!

E tem mais relativamente ao Natal.......



O SIGNIFICADO
DO NATAL
(NATAL/2005)

--------------------------------------------------------------------------------



Hei, você, aonde vai com tanta pressa?

Eu sei que você tem pouco tempo...

Mas será que poderia me dar uns minutos da sua atenção?

Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você.

Para onde vão todos?

Os shoppings estão lotados...

Crianças são arrastadas por pais apressados, em meio ao torvelinho...

Há uma correria generalizada...

Alimentos e bebidas são armazenados...

E os presentes, então? São tantos a providenciar...

Entendo que você tenha pouco tempo.

Mas qual é o motivo dessa correria?

Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...

Mas confesso que vejo pouco brilho nos olhares...

Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...

É bonito ver luzes, cores, fartura...

Mas seria tão belo ver sorrisos francos...

Apertos de mãos demorados...

Abraços de ternura...

Mais gratidão...

Mais carinho...

Mais compaixão...

Talvez você nunca tenha notado que há pessoas que oferecem presentes por mero interesse...

Que há abraços frios e calculistas...

Que familiares se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação.

Mas já que você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: para que tanta correria?

Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto:

"Viva Jesus, feliz Natal"!

E os sóbrios comentam:

"É louco!”.

E a cidade se prepara... Será Natal.

Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:

O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade...

E quem vive sem caridade desconhece o encanto do mar que incessantemente acaricia a praia, num vai-e-vem constante...

Natal é fraternidade...

E a vida sem fraternidade é como um rio sem leito, uma noite sem luar, uma criança sem sorriso, uma estrela sem luz.

Mas o Natal também é união...

E a vida sem união é como um barco rachado, um pássaro de asas quebradas, um navegante perdido no oceano sem fim.

E, finalmente, o Natal é pura expressão do amor...

E a vida sem amor é desabilitada para a paz, porque em sua intimidade não sopra a brisa suave do amanhecer, nem se percebe o cenário multicolorido do crepúsculo.

Viver sem a paz é como navegar sem bússola em noite escura... É desconhecer os caminhos que enaltecem a alma e dão sentido à vida.

Enfim, a vida sem amor... Bem, a vida sem amor é mera ilusão.

Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...

Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem pela Terra deu origem ao Natal...

Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita.


Abraceijos :-*
Luís
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 09 de Dezembro de 2005, 00:48

Então é Natal

 

“...Então é Natal.
E o que você fez?
O ano termina
E nasce outra vez...”


Ouvindo a bela canção do título,
veio-me à memória os festejos natalinos da minha infância,
onde, com simplicidade e amor
as famílias reuniam-se para comemorar com alegres festas,
a ceia de Natal.

Nós crianças, pensávamos apenas nos presentes
e não víamos a hora de saborear
as delícias que eram laboriosamente preparadas.

Ah! Como era bom!
Reuniam-se os familiares, parentes, amigos e, juntos,
imbuídos do espírito cristão, extravasavam suas alegrias,
esquecendo-se por instantes, suas angustias, decepções e tristezas.

Passaram-se os anos, deixando para trás aquelas doces lembranças.
Hoje, mudaram-se os valores, imperando o consumismo desenfreado,
a falta de solidariedade, os excessos da gula
e manifestações exteriores espetaculares.

Comemora-se o nascimento do Cristo, praticando exageros de toda sorte,
rememorando talvez, os célebres banquetes comuns num passado longínquo.
Nem parece que a data lembra aquele que veio
para inaugurar uma nova era de fraternidade e amor.

Temos que buscar, novamente, na musicalidade da poesia,
inspirações que elevem nossas esperanças
e voltemos a acreditar e sonhar, como na infância, porque...
Natal é festa, do velho, do novo, do amor como um todo...
Para o enfermo e para o são, para o rico e para o pobre, num só coração...

Vamos comemorar sim, porque festejar com alegria e dignidade
em torno da fraternidade humana,
é uma das mais belas formas de auxílio,
pois a verdadeira alegria não foge da temperança.

- Quem sabe, Senhor, poderias voltar, consolidando a Tua Glória,
como fizeste há quase vinte séculos?
Entretanto, não nos atrevemos ao convite direto.

As estalagens do mundo estão ainda repletas
de gente negociando bens transitórios
e melhorando o inventário das posses exteriores.
Os Governos estão empenhados em orçamentos e tributos.
Os crentes pousam olhos apressados em teu Evangelho
e repetem fórmulas verbais, como os judeus de outro tempo,
que mastigavam a Lei sem digeri-la.

Quase certo que não encontrarias lugar entres as criaturas.
E não desejamos que regresses de novo
para nascer num estábulo trabalhar à beira das águas,
ministrar a revelação em casas e barcos de empréstimo
e morrer flagelado na cruz.

- Trabalharemos para que a Tua glória brilhe entre os homens,
para que a Tua luz se faça nas consciências,
porque, em verdade, Senhor,
que adiantaria o teu retorno se a estatística das coisas santas
não nos favorece a menor garantia de vitória próxima?

Como insistir pela Tua volta pessoal e direta
se na esfera dos homens ainda não existe lugar
onde possas nascer, trabalhar e morrer?

Pensemos nestas palavras comoventes e belas
lembrando Aquele que nasceu numa manjedoura,
viveu uma vida dedicada à misericórdia e amor,
simplicidade e compreensão, indulgência e grandeza;

Ele que estava no mundo,
o mundo foi feito por intermédio dele,
mas o mundo não o conheceu.
Apesar disso, o farol que acendeu no alto do calvário,
quando parecia derrotado e vencido,
continua iluminando os eternos caminhos da Humanidade Planetária.

- Desculpa-nos, Mestre, pela imperfeição de aprendizes
e, inspira-nos ao soerguimento no trabalho humilde,
convertendo-o em manancial de ventura,
fortalecendo-nos a noção de responsabilidade,
para que possas continuar habitando dentro de nossos corações.

“... Então, bom Natal.
E um Ano Novo também
Que seja feliz quem
Souber o que é o bem... ”


 

Texto: Edson Tomazelli

Música versão original: John Lennon e Yoko Ono
versão em português: Claudio Rabello


Beijocas  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Det's me!... em 09 de Dezembro de 2005, 16:05





QUISERA
Senhor, neste Natal
armar uma árvore e nela
pendurar, em vez de bolas, os
 nomes  de  todos  os  meus  amigos.
Os amigos de longe, de perto. Os antigos e
os mais recentes. Os que vejo a cada dia e os
que raramente encontro. Os sempre lembrados e
 os que às vezes ficam esquecidos. Os constantes e os
intermitentes.   Das horas difíceis e  os  das  horas   alegres.
Os que, sem querer eu magoei, ou sem querer me magoaram.
Aqueles a quem conheço profundamente e aqueles de quem conheço
 apenas  a  aparência.   Os  que  me  devem  e   aqueles a  quem muito devo.
Meus amigos humildes e meus amigos importantes. Os nomes de todos os que já
passaram pela minha vida. Uma árvore de raízes muito profundas para que seus nomes
nunca sejam arrancados do meu coração. De ramos muito extensos para que novos
nomes vindos
 De todas as partes venham juntar-se aos existentes. Uma árvore de sombra muito
agradável para
que nossa amizade,
 seja um momento de
Repouso nas lutas da vida.
Que o Natal esteja vivo em cada dia do ano que
 se inicia para que possamos juntos viver o amor !!
[/glow]
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 09 de Dezembro de 2005, 21:47
 
Actualidade do Natal


Andando sem rumo, sob o flagício de mil aflições,
o homem moderno deixa-se dominar pelo desânimo ou pela ansiedade,
malbaratando o valioso contributo da inteligência e do sentimento com que a vida o enriqueceu,
exaurindo-se, ora no consumismo insensato, ora na revolta desastrada por falta de recursos económicos ou emocionais para realizar-se.

A insatisfação é a tónica do comportamento individual e social que vige na Terra.

Aqueles indivíduos que experimentam carência de qualquer natureza
lamentam-se e rebolcam-se na rebeldia, que degenera em violência,
enquanto aqueloutros que se encontram afortunados, deixam-se dominar pelas extravagâncias ou pelo tédio,
derrapando, uns e outros, nas viciações perturbadoras
ou na dependência de substâncias químicas de funestas consequências.

As admiráveis conquistas da Ciência e da Tecnologia não os tornaram mais felizes nem menos tensos,
pelo contrário, empurraram-nos na direção trágica da neurastenia ou da depressão nas quais estorcegam.

Indubitavelmente trouxeram incomparável ajuda para a solução de diversos sofrimentos e situações penosas, de progresso material e social,
porém, não conseguiram penetrar o cerne dos seres humanos, modificando-lhes as disposições íntimas em relação à existência terrena e aos seus objetivos essenciais.

Considerando a vida apenas do ponto de vista material, sem as consequentes avaliações em torno do Espírito imortal, o comportamento materialista domina as mentes e os corações, que acreditam na felicidade em forma de valores amoedados, satisfações dos sentidos, destaque social e harmonia física...

Vive-se o apogeu da glória tecnológica diante dos descalabros comportamentais que jugulam os seres humanos aos estados primevos da evolução.

Há conquistas do Infinito sem realização pessoal, sorrisos de triunfo sem sustentação de felicidade, que logo se transformam em esgares, situações invejáveis mas alicerçadas na miséria, na doença e no desconforto das pessoas excluídas...

Faltando-lhes, porém, a vivência dos compromissos ético-morais, logo se lhes apresentam os desapontamentos íntimos, e os conflitos se lhes instalam devoradores.

Uma tormenta inigualável paira nos céus da sociedade moderna, ameaçando-a com tragédias inomináveis.


Em período idêntico, no passado, salvadas as distâncias compreensíveis, veio Jesus à Terra.

O mundo encontrava-se conturbado pelo poder mentiroso, pela falácia dos dominadores, pelas ambições desmedidas, pelas conquistas arbitrárias, pelas ilusões tresvariadas...

Predominavam o luxo e a ostentação em alguns segmentos da humanidade, enquanto nos porões do abandono em que desfaleciam, incontáveis criaturas espiavam angustiadas o passar do tufão devorador...

Apareceu Jesus, e uma aragem abençoada varreu o mundo, modificando-lhe a psicosfera.

Sua voz levantou-se para profligar contra o crime e a insensatez, contra a indiferença dos fortes em relação aos seus irmãos mais fracos, contra a hipocrisia e o egoísmo então vigentes e dominantes como hoje ocorrem......

Misturando-se aos mutilados do corpo e da alma, ergueu-os do pó em que se asfixiavam, conduzindo-os na direção da glória estelar, demonstrando-lhes que a vida física é experiência transitória, e que os valores reais são os que pertencem ao Espírito imortal.

Utilizou-se da cátedra da Natureza e ensinou a felicidade mediante o desapego e o despojamento das alucinantes prisões às coisas e às paixões materiais.

Cantou a esperança aos ouvidos da angústia e proporcionou a saúde temporária a quantos se Lhe acercaram, alentando-os com a certeza da plenitude após vencidas as etapas de regeneração e de resgate que todos os seres se impõem no processo da evolução.

Atendeu a dor de todos os matizes, defendeu os pobres e oprimidos, os esfaimados e sedentos de justiça, a quem ofereceu os preciosos recursos de paz.
No entanto, quando acusado, abandonado, marchando para o testemunho, elegeu o silêncio, a submissão à vontade de Deus, a fim de ensinar pelo exemplo resignação e misericórdia para com os maus e perversos, confirmando a indiferença pelos valores do mundo físico destituídos de utilidade.

... E permanece até hoje como O Triunfador não conquistado, que prossegue alentando os padecentes, convocando-os à transformação moral para a conquista dos imperecíveis tesouros internos do amor, do perdão, da caridade, da paz...


Recorda-te de Jesus neste Natal e reaproxima-te d'Ele, analisando como te encontras e de que forma deverias estar moralmente, conscientizando-te do que já fizeste e de quanto ainda podes e deves investir em favor de ti mesmo e do teu próximo mais próximo, no lar, na rua, na humanidade...

O Natal é presença constante do amor e do bem na atualidade de todos os tempos.

Não te esqueças que a evocação do nascimento do Excelente Filho de Deus entre as criaturas humanas, é um convite para que O permitas renascer no teu íntimo, se estiver desaparecido da tua emoçao, ou prosseguir vivo e atuante nos teus sentimentos, convidados à construção da solidariedade, do dever e da lídima fraternidade que deve viger entre todos os seres sencientes que vagueiam no Planeta.

... E deixa que Jesus te fale novamente à acústica do coração e aos escaninhos da mente, repetindo-te o poema imortal das Bem-Aventuranças.


Joanna de Ângelis

(Página psicografada pelo médium Divaldo P. Franco, no dia 20 de setembro de 2002, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia.)



Beijinhos  :D
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Det's me!... em 10 de Dezembro de 2005, 14:36
Muita Paz!


DE CORAÇÃO DE NATAL!!!

por
Cora Maria


--------------------------------------------------------------------------------




Enfeite a arvore de sua vida
com guirlandas de gratidão!
Coloque no coração
laços de cetim
rosa,
amarelo,
azul,
carmim,
Decore seu olhar
com luzes brilhantes
estendendo as cores
em seu semblante

Em sua lista de presentes
em cada caixinhas
embrulhe um pedacinho  de amor,
carinho,
ternura,
reconciliação,
perdão!

Tem presente de montão
no estoque do nosso coração
e não custa um tostão!

A hora é agora!

Enfeite seu interior!

Sejas diferente!

Sejas reluzente!


Feliz Renascimento!
[/b]

Fiquem bem

Abraceijos :-*

Luís
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 10 de Dezembro de 2005, 17:54
Natal no Coração


Abençoadas sejam as mãos que, em memória de Jesus, espalham no Natal a prata e o ouro,
diminuindo a miséria e a necessidade, a fome e a nudez!...

Entretanto, se não forem iluminadas pelo amor que ajuda sempre,
esses flagelos voltarão amanhã, como a erva daninha que espreita a ausência do lavrador.

Não retenhas, assim, a riqueza do coração que podes dar,
tanto quanto o maior potentado da Terra!
Deixa que a manjedoura de tua alma se abra, feliz, ao Soberano Celeste,
para que a luz te banhe a vida.

Com Ele, estenderás o coração onde estiveres,
seja para trocar um pensamento compassivo com a palavra escura e áspera
ou para adubar uma semente de esperança, onde a aflição mantém o deserto!

Com Ele, inflamarás de júbilo os olhos de algum menino triste e desamparado
e uma simples criança, arrebatada hoje ao vendaval, pode amanhã ser o consolo da multidão.

Com Ele, podes oferecer a benção da tolerância aos que trabalham contigo,
transformando o altar de teu coração em altar de Deus!...

Que tesouro terrestre pagará o gesto de compreensão no caminho empedrado,
o sorriso luminoso da bondade no espinheiro da sombra e a oração do carinho e do entendimento no instante da morte?

Natal no mundo é a epopéia do reconhecimento ao Senhor.

Natal no espírito é a comunhão com Ele próprio.

Ainda que te encontres em plena solidão da pobreza e do infortúnio,
sai de ti mesmo e reparte com alguém o dom inefável de tua fé.

Lembra-te de que Ele, em brilhando na manjedoura,
tinha consigo apenas o amor a desfazer-se em humildade, e,
em agonizando na cruz, possuía apenas o coração, a desfazer-se em renúncia.

Mas, usando tão somente o coração e o amor,
sem uma pedra onde repousar a cabeça converteu-se no Salvador do Mundo,
e, embora coroado de espinhos, fez-se o Rei das Nações para sempre.

Meimei - Psicografia de Chico Xavier
Fonte: Correio Fraterno – Dezembro, 1967


Beijocas  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Det's me!... em 10 de Dezembro de 2005, 20:20
Muita Paz!

A HISTÓRIA DO PINHEIRINHO DE NATAL


Quando o Menino Jeseus nasceu, todas as pessoas ficaram alegres.

Crianças, homens e mulheres vinham vê-lo, trazendo presentes pobres e ricos.

Perto do estábulo, onde dormia o Menino Jesus, num berço de palha, havia três árvores:

uma palmeira, uma oliveira e um pinheiro.

Vendo aquela gente que ia e voltava, passando embaixo dos seus galhos, as três árvores quiseram também dar alguma coisa ao Menino Jesus.

- Eu vou dar a minha palma maior e mais bela para que ela abane docementeo Bebê - disse a palmeira.

- Eu vou apertar as minhas olivas, o óleo servirá para amaciar os seus pezinhos - disse a oliveira.

- E eu? Que posso dar? - perguntou o pinheirinho.

- Você? - responderam as outras.

- Você não tem nada para dar!

Suas agulhas pontudas poderiam picar o Menino Jesus.

O pobre pinheirinho sentiu-se muito infeliz e respondeu tristemente:

- É mesmo. Vocês têm razão. Nada tenho para oferecer.

Um anjo que estava ali perto, escutou a conversa e teve pena dopinheirinho, tão humilde, tão triste, que nada podia fazer porque nada possuia.

Lá no céu as estrelinhas começavam a brilhar.

O lindo anjinho olhou para o alto e chamou-as.

No mesmo instante elas desceram com boa vontade e foram colocar-se sobre os ramos do modesto pinheirinho que ficou iluminado.!

Lá no bercinho, dentro do estábulo, os olhos do Menino Jesus brilharam ao ver aquela árvore tão linda.!

É por isso que as pessoas, até hoje, enfeitam com luzes o pinheiro, no tempo do Natal.


Fiquem bem

Abraceijos :-*

Luís
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 11 de Dezembro de 2005, 14:41
O Que Falta no Natal

Natal! Há festa em todos os recintos,
Papais Noéis, presépios, nozes, vinhos;
Misturam-se nas lojas e armarinhos
Ao lado dos felizes os famintos!

As ruas viram tensos labirintos
De multidões enchendo seus carrinhos
De queijo e suco, enquanto outros sozinhos
Tiveram os sonhos mínimos extintos.

Como é possível crer que a manjedoura
Seja essa festa que reluz, que doura
Sonhos de alguns, e doutros seja a cruz?

Tem algo errado no Natal na Terra:
Falta paz entre os homens, sobra guerra;
Falta pão, falta amor, falta Jesus!

Dimas Batista
Mensagem recebida por W. Pereira às 18h30min do dia 12.12.03


Beijinhos  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Det's me!... em 11 de Dezembro de 2005, 15:59
Muita Paz!

PRECE DE NATAL
 
Senhor!
 
Enquanto o júbilo do Natal acende a flama da oração, renova-nos por dentro para o mundo melhor.
 
Há quem diga que a fé se perdeu nas engrenagens da civilização e que a ciência na terra apagou a luz espiritual.
 
Em verdade, Mestre, o homem que já controla as energias atômicas prepara-se à conquista das forças cósmicas, qual se fosse comandante da vida.
 
Entretanto, à frente dos olhos, não temos somente o egoísmo e a vaidade que lhe comprometem a grandeza, semelhante a magnificente palácio sobre chão de explosivos...
 
Em toda parte, marginando a carruagem dos poderosos, arrastam-se os vencidos de todas as condições. Muitos enlouqueceram, no excesso de conforto, e vagueiam nas furnas dos entorpecentes; outros, terrificados na visão dos crimes perfeitos,  nascidos da pompa intelectual, jazem mutilados mentalmente nas trincheiras do hospício... Milhões erguem os braços por antenas de dor, no imenso mar das provações humanas, quais náufragos, nos esgares da morte, junto de multidões agitadas e infelizes, cansadas de incerteza e desilusão...
 
Por tudo isso, Senhor, nós, que tantas vezes Te negamos acesso `s portas da alma, esperamos por Ti, nos campos atormentados do coração.
 
Dobra-nos a orgulhosa cerviz, diante da manjedoura, em que exemplificas a abnegação e a simplicidade e perdoando ainda as nossas fraquezas e as nossas mentiras, ensina-nos, de novo, a humildade e o serviço, a concórdia e o perdão, com a melodia sempre nova do Teu cântico de esperança:
 
- Glória a Deus nas Alturas, paz na Terra e boa vontade para com os homens!...
 
(Emmanuel).
 
 
 





Fiquem bem

Abraceijos :-*

Luís
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 11 de Dezembro de 2005, 18:40
" As lembranças do Natal, porém, na sua simplicidade, indicam à Terra o caminho da Manjedoura... Sem Ele, os povos do mundo não alcançarão as fontes regeneradoras da Fraternidade e da Paz. Sem Ele, tudo será perturbação e sofrimento nas almas, presas no turbilhão das trevas angustiosas, porque essa estrada providencial para os corações humanos é ainda o Caminho esquecido da Humildade. "
Autor Espiritual : Emmanuel


Beijinhos  :D
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Mateus em 12 de Dezembro de 2005, 00:59

    Paz para todos
 
    Eu pergunto como vai ser este natal de 2005?

    Será que posso fazer ou vou fazer de concreto algo pelos outros?

    Acredito, que mesmo no inconciente, faremos.

    A questão mais importante ´é termos, a mínima plena consciência, de e com coragem faze-lo.

    No mínimo, e porque sabemos, que é poderosissima, a eficácia, da execução da energia do pensamento, é só desejar

    é só pensar e assim acontecerá.

    No dia a dia de cada um, já concerteza, reparamos em situações, que nos poderão causar um levissímo mal estar.

    Sabemos, de peesoas que dormem ao relento, aqui por exemplo, poderíamos entregar uma peça de roupa.

    sabemos, de pessoas que tem fome, aqui como exemplo, poderíamos entregar meia dúzia de paes.

    Como verdade, cada um teve a oportunidade, de vivenciar muitos casos.

    Se não tivermos uma peça de roupa, se não puder-mos arranjar a meia dúzia de paes, concerteza temos outras

    todas as outras soluções, para resolver qualquer um dos casos.

    Mesmo que nada tivessemos, temos tudo para resolver qualquer caso.

    O momento de futuro dános sempre a oportunidade, de e como temos todos os meios  para, ajudar, ou , pensar

    nessa ajuda, pensar nessa participação, pois como sabemos, cada um de nós é um ser muito, muito criativo.

    Tu, porque existes,sabes que existem muitos outros seres, que estáo em piores circunstâncias do que tu.

    Pede à coragem para te dar, a força vontade, de e pelo menos desejares, paz, alegria, harmonia, e muita, muita

    abundância de Amor.

     Ao sentires essa vontade, ou esse desejo, pára escuta-te, sente-te, és feliz, provávelmente tão maravilhosamente

     e humilde te sentes, pois são tantas as situções, que: aqui será do critério uno de cada um.

      Seres, que sempre foram amados, amai os outros, amai-vos.

      Uma lágrima foi vista, esta recebeu do teu Amor,trnsformou-se numa lágrima gigante.

      Eu vi uma lágrima gigante, toda ela de amor, e esta, vai concerteza, tocar até lágrimas escondidas, guardadas.

      Este natal de 2005 é único, vamos conscientemente vive-lo.

      Não deve existir a timidez, pelo e por Amor temos de ousados.



      Paz e Amor para todos.

      Mateus
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 12 de Dezembro de 2005, 20:15
SIGNIFICAÇÃO DO NATAL E
ANO NOVO PARA CHICO XAVIER

PERGUNTA: - Você acha que o Natal está perdendo o significado?
CHICO XAVIER: - Não, não acredito que esteja perdendo o significado, porque de ano a ano todos os cristãos se reúnem, num pensamento só, no recolhimento e na glorificação de Jesus Cristo, como sendo o Embaixador da Paz e do Amor na redenção da Terra. É possível que, com o aumento da população na cidade, com a explosão demográfica, muita gente esteja ainda despercebida do Natal, mas o Natal continua ainda dominando o coração das criaturas.

PERGUNTA: O que representa o Natal para os espíritas?
CHICO XAVIER: A necessidade de nos amarmos uns aos outros, segundo Jesus nos ensinou, perdão das ofensas, o esquecimento das injúrias, o cultivo do trabalho, a fidelidade ao dever, a lealdade aos compromissos assumidos, o lar, a família, a alegria de nos pertencermos uns aos outros, através dos laços da fraternidade. Isto tudo é Natal. É nossa mãe, nosso pai, quando estejam no Plano Espiritual. Natal representa nossos irmãos muito queridos, ainda mesmo aqueles que não se encontrem conosco. É muito amor, muita saudade, mas é, sobretudo, muita união para que se faça o melhor em cada Novo Ano que aparece.

DO LIVRO: Chico Xavier - O Homem, o Médium, o Missionário
AUTOR: Antônio Matte Noroefé         


Beijinhos  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Det's me!... em 13 de Dezembro de 2005, 20:49
Muita Paz!



O Natal é uma festa comemorada no mundo inteiro, independente do idioma, da raça, da condição econômica ou da idade. Esta comemoração é universal e cada país segue sua tradição, respeitando suas lendas e seus costumes.
 
Confira e compare a Comemoração Natalina em cada país:


Estados Unidos

A época de festejos natalinos fazem com que os Estados Unidos fique repleto de cor e brilho. Algumas semanas antes do Natal, milhões de pessoas percorrem as lojas em busca dos presentes para a família. As decorações das lojas e Shopping Centers são conhecidas mundialmente. O clima natalino pode ser sentido nas casas, com decorações com lâmpadas coloridas, bonecos de neve, velas e guirlandas feitas de plantas verdes, completando assim uma estação de muita alegria. Na véspera de Natal vizinhos se unem para cantar canções de Natal, mostrando o espírito de confraternização. As crianças penduram meias na lareira e na manhã do dia 25 de dezembro abrem os presentes. O prato típico americano é o peru recheado acompanhado de frutas tropicais.


Japão 

O Natal no Japão é cheio de significados e a troca de presentes é fortemente apreciada pelos japoneses. As crianças adoram conhecer a história do nascimento de Jesus em uma manjedoura porque é quando travam contato com a idéia de "berço" já que os bebês japoneses não dormem neles.


Índia

Os cristãos na Índia decoram pés de manga e bananeiras no Natal. Algumas pessoas decoram suas casas com folhas de manga. Em partes da Índia, pequenas lâmpadas de argila são acesas com óleo e servem também para decorar a casa.


China 


As casas são enfeitadas com lanternas e árvores de Natal com correntes e flores de papel. As crianças penduram meias e esperam pelo Papai Noel. A grande maioria dos chineses não é cristã, sendo que a maior celebração do inverno é o Ano Novo Chinês, no fim de janeiro. Nessa data, as crianças recebem roupas e brinquedos novos e são servidos pratos especiais.

Itália 

A principal entrega de presentes é no dia 6 de janeiro, em lembrança à visita dos Reis Magos ao menino Jesus. As crianças esperam a visita da Befana que traz presentes para os bons e castigo para os maus meninos. De acordo com a lenda, os três Reis Magos pararam durante a ida até Belém e pediram comida e abrigo a uma velha senhora. Ela negou ajuda e então eles seguiram a viagem com fome e cansados. A velha senhora sentiu depois um aperto no coração, mas os Reis Magos já estavam muito longe. A lenda conta que A Befana ainda vaga pelo mundo procurando o menino Jesus e tem várias formas: uma rainha, uma fada, uma velha ou uma bruxa.


Suécia 

As festas de Natal começam no dia 6 de dezembro, dia de São Nicolau. Nesse dia as crianças escrevem suas cartas de pedidos, que São Nicolau troca por um saquinho de balas ou nozes. Os presentes chegam no dia 25. Na noite de Natal, a filha mais velha se veste de branco com uma faixa vermelha amarrada na cintura e uma grinalda de folhas verdes com sete velas acesas na cabeça. Ela leva cuidadosamente café e bolinhos para cada membro da família aos seus quartos.


Portugal  e Brasil


Tem por norma missa e ceia. As crianças esperam pelos presentes que Papai Noel vai colocar em suas meias e tanto a ceia como o almoço do dia 25 são dados normalmente na casa dos parentes mais velhos.

Belém


Em Belém, a cidade onde Jesus nasceu, o Natal é comemorado com peregrinos e tribos árabes da região, que se ajoelham na cripta da capela dos franciscanos para adorar um berço. Segundo a tradição, esse é o berço de Jesus, que é conservado na igreja e apenas montado na noite de 24 para 25 de dezembro. Depois que termina a missa, os franciscanos oferecem uma ceia aos peregrinos: apenas pão preto acompanhado de vinho.
 
Veja como falar "Feliz Natal" em diversos idiomas:


Feliz Natal!

África    "Geseënde Kersfees"
Arábia   "Milad Majid" ou "Milad Saeed"
Argentina   "Feliz Navidad"
Armênia   "Shenoraavor Nor Dari yev Pari Gaghand"
Boêmia   "Vesele Vanoce"
Grã-Bretanha   "Nedeleg laouen na bloavezh mat"
Bulgária   "Tchestita Koleda" ou "Tchestito Rojdestvo Hristovo"
Camboja   "Soursdey Noel"
China (Mandarin)   "Sheng Dankuai Le"
China (Cantonês)   "Sing Daan Faai Lok"
Croácia   "Sretan Bozic"
Dinamarca   "Glædelig Jul"
Holanda   "Vrolijk Kerstfeest"
Inglaterra   "Merry Christmas"
Esperanto   "Gojan Kristnaskon"
Estônia   "Roomsaid Joulu Puhi"
Filipinas   "Maligayang Pasko"
Finlândia   "Hauskaa Joulua"
França   "Joyeux Noël"
Frísia   "Noflike Krystdagen en in protte Lok en Seine yn it Nije Jier"
Alemanha   "Froehliche Weihnachten"
Grécia   "Kala Christouyenna"
Havaí   "Mele Kalikimaka"
Israel   "Mo'adim Lesimkha. Chena tova"
Índia   "Shub Naya Baras"
Islândia   "Gledileg Jol"
Indonésia   "Selamat Hari Natal"
Iraque   "Idah Saidan Wa Sanah Jadidah"
Itália   "Buon Natale"
Japão   "Meri Kurisumasu"
Coréia   "Sung Tan Jul Chuk Ha"
Lituânia   "Linksmu Kaledu"
Malaia   "Selamat Hari Natal dan Tahun Baru"
Nova Guiné   "Meri Christmas"
Noruega   "Gledelig Jul"
Pensilvânia   "En frehlicher Grischtdaag"
Peru   "Felices Fiestas" ou "Feliz Navidad"
Polônia   "Wesolych Swiat Bozego Narodzenia"
Portugal   "Feliz Natal"
Romênia   "Sarbatori Fericite"
Rússia   "S Rozhdestvom Kristovym"
Sérvia   "Hristos se rodi"
Escócia   "Nollaig chridheil huibh"
Eslováquia   "Vesele Vianoce. A stastlivy Novy Rok"
Eslovênia   "Srecen Bozic"
Espanha   "Feliz Navidad"
Suécia   "God Jul"
Taití   "Ia ora'na no te noere"
Tailândia   "Suksan Christmas"
Turquia   "Noeliniz Ve Yeni Yiliniz Kutlu Olsun"
Ucrânia   "Z Rizdvom Krystovym" ou "Veselogo Rizdva""
Paquistão   "Shadae Christmas"
Vietnã   "Chuc Mung Giang Sinh"
Gália   "Nadolig Llawen"





Fiquem bem

Abraceijos :-*

Luís
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Telma em 13 de Dezembro de 2005, 21:06
Olá, a todos! :)

Deixo-vos aqui o endereço de um site sobre a História do Natal.
Pessoalmente acho-o muito interessante.

http://miladysethernal.vilabol.uol.com.br/pesquisa/natal01.htm

Um Bom Natal para todos vós! :-*
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 14 de Dezembro de 2005, 09:22
Falando a Jesus - Natal
                                                                                   
Senhor, o Teu Natal, de novo se descerra...
Ouve-se mais de perto as vozes cristalinas,
Dos pastores que ouviram as palavras divinas;
-“Glória a Deus no Alto Céu e paz na Terra!...”

Proclamando a verdade que não erra,
Amas, trabalhas, sofres mas ensinas...
Não possuis arma alguma, entretanto, dominas,
Com a força do Bem que a Tua vida encerra.

Conquistadores passam nos milénios,
Carrascos, sob máscara de génios.
Ficas, porém, connosco, em nosso amor profundo!...

Cantamos Teu Natal, sobre guerras e povos,
Sabendo que És, com Deus, também nos tempos novos,
A esperança da Paz e a Luz do Amor no Mundo!”

(Maria Dolores)


Beijinhos  :D
Andreia

Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 15 de Dezembro de 2005, 12:13
Rogativa de Natal
                                                                                           

Senhor Jesus!

Quando chegastes à Terra, através dos panos da mangedoura,
aguardava-te a Escritura como como sendo a luz para os que jazem
assentados nas trevas!...

E, em verdade, Senhor, as sombras dominavam o mundo inteiro...

Sombras no trabalho, em forma de escravidao...
Sombras na justiça, em forma de crueldade...
Sombras no templo, em forma de fanatismo...
Sombras na governança, em forma de tirania...
Sombras na mente do povo, em forma de ignorância e de miséria...

Pouco a pouco, no entanto, ao clarao de Tua infinita bondade,
quebraram-se as algemas da escravidao, transformou-se a crueldade em
apreciáveis direitos humanos, transmudou-se o fanatismo em fé raciocinada,
converteu-se a tirania em administraçao e, gradualmente, a ignorância e a
miséria vao recebendo o socorro da escola e da solidariedade.

Entretanto, Senhor, ainda sobram trevas no amor, em forma de egoísmo!

Egoísmo no lar...
Egoísmo no afeto...
Egoísmo na caridade...
Egoísmo na prestaçao de serviço...
Egoísmo na devoçao...

Mestre, dissipa o nevoeiro que nos obscurece ainda os horizontes e
ensina-nos a amar como nos amastes, sem buscar vaidosamente naqueles
que amamos o reflexo de nós mesmos, porque, somente em sentindo
verdadeiramente irmaos uns dos outros, é que atingiremos, com a pura
fraternidade, a nossa ressureiçao para sempre.

                 (Emmanuel)


Beijinhos  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: crisar em 15 de Dezembro de 2005, 17:58


Cancioneiro de Natal - David Mourão-Ferreira

Natal, e não Dezembro


 

 Entremos, apressados, friorentos,

numa gruta, no bojo de um navio,

num presépio, num prédio, num presídio,

no prédio que amanhã for demolido...

Entremos, inseguros, mas entremos.

Entremos, e depressa, em qualquer sítio,

porque esta noite chama-se Dezembro,

porque sofremos, porque temos frio.

 

Entremos, dois a dois somos duzentos,

duzentos mil, doze milhões de nada.

Procuremos o rastro de uma casa,

a cave, a gruta, o sulco de uma nave...

Entremos, despojados, mas entremos.

Das mãos dadas talvez o fogo nasça,

talvez seja Natal e não Dezembro,

talvez universal a consoada.





Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 16 de Dezembro de 2005, 09:24
Natal - Carta a Jesus



Caro Amigo Jesus!  Inicialmente, gostaria de pedir escusas pelo atraso de cerca de dois mil anos no endereçamento desta carta.  É que estive envolvido em sucessivas peregrinações reencarnatórias,  através das quais, diferentes solos pisei, realizando verdadeiras viagens por paisagens diferenciadas deste mundo-escola maravilhoso que é a Terra, durante as quais vivi tradições e culturas diversas e trocava de vestimenta carnal como, semelhantemente, fazem atores e atrizes que mudam de roupas nas peças teatrais.

Não digo que perdi um tempo precioso nessas andanças, porque as aventuras que vivi, boas e más, todas elas me serviram de experiências válidas para o crescimento do Espírito rumo à perfeição almejada, se bem que reconheço, ainda tão distante.  De qualquer forma, porém, desejo dizer, meu Amigo Jesus, que poderia ter sido mais proveitosa a minha estadia aqui na Terra, caso tivesse sabido utilizar melhor o meu livre-arbítrio, evitando prejudicar meus companheiros de jornada e comprometer-me com a Lei de Justiça Divina.

Ao perpassar de tanto tempo, muitas crenças e correntes filosóficas esposei, nem sempre tão esclarecedoras e proveitosas, e uma densa névoa impediu-me de ter uma visão mais clara da realidade da bondade e da misericórdia infinitas do nosso Pai e da Sua justiça serena, mas infalível.  Assim, muitas oportunidades áureas deixei escapar, esquecendo-me, vez por outra, seja por comodismo, seja por omissão ou mesmo por invigilância, dos teus sábios conselhos consubstanciados nos Evangelhos.

O tempo fluiu implacável e não volta jamais!  Como teria sido muito melhor se já tivesse aprendido, plenamente, a magna lei do amor, que tem por corolários a humildade, a tolerância, a compreensão fraterna, a sinceridade e o perdão incondicional!  Certamente, muitas dores teriam sido evitadas na minha caminhada.

Agora estou seriamente empenhado no esforço titânico de me desvencilhar das incrustações perniciosas do Espírito, adquiridas no pretérito e que, de certa forma, às vezes ainda querem me dominar: ora é o egoísmo ou o orgulho, ora é a vaidade ou a ambição e tantas outras impurezas poluidoras do Espírito.  Atualmente, no entanto, apoio-me na Doutrina dos Espíritos, codificada pelo Missionário Lyonês, Allan Kardec, que está baseada nos teus ensinamentos evangélicos.  Tenho consciência que a tarefa é difícil, mas não é impossível e guardo no coração as esperanças vivas de poder seguir os teus passos, o mais breve possível, pois confio que o Pai Supremo não abandona nenhum dos Seus filhos e oferece sempre novas oportunidades de redenção.

Nas próximas viagens à Terra que certamente ainda terei de encetar, espero escrever-te outras cartas relatando um progresso espiritual que seja mais significativo, com um aproveitamento melhor das bênçãos divinas.

Até lá, Irmão Querido, peço-te, em nome do Teu amor, que intercedas junto ao Pai por mim, no sentido de me revestir de fé inabalável, mas acima de tudo raciocinada, de muita coragem e resignação, para sofrer as conseqüências dos meus deslizes e reparar, com muito amor, os males que infringi aos meus semelhantes.

Neste momento em que a Humanidade Terrena lembra de Ti, embalada pelos festejos natalinos, Tu que és o Governador do Mundo Terra, gostaria que a Tua luz brilhante e magnetizante fosse sentida por todos, para haver mais paz e alegria em todos os corações, para que todos possam, finalmente, exercitar o perdão e o amor fraternal!  Derrama as Tuas bênçãos fluídicas sobre todas as criaturas para que possam viver em harmonia, sem guerras, sem violências e sem destruições, em perfeito clima de fraternidade e que cada um possa descobrir no seu semelhante aquele próximo que deve amar intensamente, apesar das suas diferenças e imperfeições, não importando as diferentes condições sociais, raças e crenças religiosas, evitando a disseminação da discórdia, da violência, da fome e da miséria.  Daí a todos a luz da compreensão da vida espiritual para aniquilar a ignorância e alçar vôos mais intensos e profundos na escala evolutiva, aproximando-se mais de Ti e do Criador.

Por ora, despeço-me de Ti, meu Amigo, desejando que as tuas parábolas evangélicas possam estar eternamente presentes dentro de cada um de nós, como faróis gloriosos e abençoados, iluminando as nossas vidas, pelo que só posso render graças a Ti e ao Pai, agora e sempre!

Autor:
Nelson Oliveira e Souza
Presidente do CETJ

Fonte:
O Mensageiro



Beijinhos  :-*  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Telma em 16 de Dezembro de 2005, 20:42
CONVITE  DE  NATAL


Enquanto a glória do natal se expande
Aqui, ali, além
Toda a Terra se veste de esperança
Para a festa do bem !

Natal ! ... Refaz-se a vida, alguém ressurge
Nos clarões com que o céu te anuncia ....
É Jesus pedir-te que repartas do teu pão de Alegria.

Para louvar-lhe os dons da presença Divina,
Não digas, alma irmã, que nada tens;
A riqueza do amor, no coração fraterno,
É o maior de teus bens...

Quando o dia se esvai e a noite desce
Ao comando da sombra que a domina,
Para varrer a escuridão da estrada
Basta a luz de uma vela pequenina.

O deserto se esfalfa em longa sede,
Na solidão em que se configura ...
Se chega simples fonte,
Ei-lo mudado em flórida espessura! ....

Ninguém sabe tão bem, senão aquele
Que a penúria desgasta ou desconforta,
O valor de uma veste contra o frio,
O Tesouro de um prato dado à porta.

A migalha de força é a base do universo,
Desde a furna terrestre à estrela mais remota !...
Todo livro se escreve, letra a letra,
Compõe-se a melodia, nota a nota

Alma irmã, no serviço da bondade
Jamais te afirmes desfavorecida
Pobres sementes formam ricas messes !
Assim também na vida . . .

O cobertor, o pão, a prece, o abraço,
Uma frase de paz e compreensão
Podem criar prodígios de trabalho
De reconforto e de ressurreição

Natal ! ... dá de ti mesmo o quanto possuas,
No amparo à retaguarda padecente;
Toda bênção de auxílio é socorro celeste,
Que Deus amplia indefinidamente.

Natal ! recorda o Mestre da Bondade !
Ele, o cristo e Senhor
Acendeu sobre a Terra o sol do Novo Reino
Com migalhas de amor!


Francisco Cândido Xavier por Maria Dolores. in: Antologia Mediúnica do Natal
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Marlenelua em 16 de Dezembro de 2005, 20:44
Cantiga  de  Natal



Eis o Natal brilhando novamente...

Sob as lembranças em que me aprofundo,

Revejo-te, Jesus, sobre a palha singela

No Grande Alvorece, iluminando o mundo.

 

Torno a escutar os anjos e os pastores

Na divina canção que o tempo nos descerra:

- “Glória a Deus nas Alturas, paz aos homens,

Boa vontade para toda a Terra!...”

 

Parece-nos reter na estrela inesperada

A resposta de Deus à profecia,

Enviando às nações a Lei do Amor

Em celestes mensagens de alegria.

 

Os séculos passaram, muitas vezes

Vendo o império da morte em lutas fraticidas;

No entanto, quanto mais a treva surge e passa,

Mais dominas, Senhor, em nossas vidas.

 

Sabemos nós que a inteligência humana,

Senhoreando agora a ação de nobres gênios

Arma novo conflito em que se apaguem

Os ódios e ambições de passados milênios...

 

Entretanto, no mundo, o amor se estende,

O progresso do bem se espalha e avança,

Unem-se os templos para a mesma fé,

A caridade é luz de socorro e esperança.

 

O Natal reaparece... A Terra inteira

Renova-se ao clarão de Sol renovador.

E cantamos, Jesus, sentindo-se a presença:

- Louvado seja Deus! Bendito seja o amor!...

 

Maria Dolores - Francisco Cândido Xavier
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Telma em 16 de Dezembro de 2005, 21:22
VOTOS



Desejava trazer-te, alma querida,

No Natal de Jesus,

Um presente de luz

Que te guardasse a paz, em toda a vida...

 

Uma doce lembrança

Eu te desse, a contento,

A supressão de todo sofrimento,

Através da esperança...

 

Mas não podendo fazer isso,

Rogo ao Céu te conceda, estrada afora,

Dia a dia, hora em hora,

A bênção do serviço,

 

Porque somente, no trabalho são,

Nunca estaremos sós

E teremos em nós

A presença de Deus no coração

 

 Maria Dolores -  Francisco Cândido Xavier
   
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 17 de Dezembro de 2005, 23:22
Natal - Suas Origens


Conforme as convenções e o calendário da Terra, estabeleceu-se o dia 25 de dezembro como sendo a data em que se celebra o nascimento de Jesus.

Nos primeiros séculos, o Natal era comemorado nos dias 06 de janeiro ou 25 de março. Aliás, o teólogo Orígenes em 245, repudiou a idéia de festejar o nascimento do Cristo como se Ele fosse um faraó. A partir de 440 a data foi fixada, provavelmente para cristianizar as festas pagãs que ocorriam nesse período do ano (Nascimento do Vitorioso Sol, a Saturnália, etc).

Francisco de Assis foi o introdutor da idéia do presépio, no século XIII.

E a "arvore de Natal", de origem germânica, apareceu no tempo de S. Bonifácio (o Apóstolo da Alemanha, 680-754), dentro do objetivo de substituir os sacrifícios ao carvalho sagrado de Odin, ao adorar-se uma árvore, em homenagem ao Messias.

A tradição do Papai-Noel é atribuída aos alemães, provavelmente em lembrança de um bispo - S. Nicolau (séc. IV) que se notabilizou por ser um religioso paciente e caridoso. Protestantes holandeses, radicados nos Estados Unidos da América, o teriam transformado na figura de realizador de sonhos e desejos, originando-se aí a tradição folclórica.

As atuais pesquisas históricas indicam que Jesus não teria nascido em dezembro, nem há 1998 anos atrás. O engano ocorreu, inicialmente em razão de múltiplos erros, alterações e casuísmo da fixação do calendário oficial, incluindo extensão ou supressão de dias e meses. O ano 46 a. c., por exemplo, teve a sua duração aumentada para 445 dias, com alguns meses de 34 dias. Quando se quis fixar o nascimento de Jesus a partir 753 da fundação de Roma, por engano não se inclui o ano zero, o que significa uma diferença para menos.

Conciliando estas divergências e considerando o calendário das tradições judaicas, verifica-se a possibilidade de Jesus ter nascido no mês de abril, de 4 a 6 anos antes do que fora anteriormente considerado.

Nunca seria demais relembrar a Introdução do Evangelho segundo o Espiritismo, item 1, onde Allan Kardec diz que e o que mais importa é o ensinamento moral de Jesus, pois não se sujeita a controvérsias e nos oferece verdadeiramente a ciência da vida.

Como foi visto acima, o Natal convencionado no mundo está envolto em tradições e simbolismos, dos quais não participa o Espiritismo o que não afasta o nosso dever de respeitar e reconhecer que na época do Natal a sociedade costuma ser envolvida num clima de maior fraternidade.

Natal espírita não se relacionaria ao nascimento físico de Jesus, mas sim ao seu nascimento "espiritual" em nossas almas. Isto é, o Natal para o espírita é aquele momento em que nós nos impregnaríamos da mensagem evangélica, permitindo a Jesus nascer em nossos corações, para nos tornarmos o "homem novo".

O emérito escritor espírita Pedro de Camargo "Vinícius", no livro "Em torno do Mestre", FEB, pág. 192, expressou isto com tanta maestria que nos permitimos reproduzir alguns trechos: "Indaguemos de Madalena, onde e quando nasceu Jesus.

Ela nos informará - Jesus nasceu em Betania, certa vez em que sua voz, ungida de pureza e santidade, despertou em mim a sensação de uma vida nova, com a qual, até então, jamais sonhara. Ouçamos o depoimento de Pedro, sobre a natividade do Senhor, e ele assim se pronunciará: Jesus nasceu no átrio do paço do Caifás, no momento em que o galo, cantando pela terceira vez, acordou minha consciência para a verdadeira vida... Chamemos à baila João Evangelista e peçamos que nos diga o que sabe acerca do Natal do Messias. E ele nos dirá: Jesus nasceu no dia em que meu entendimento, iluminado pela sua divina graça, me fez saber que Deus é amor. Interpelemos Tomé, o incrédulo - Quando e onde nasceu o Mestre?

Ele por certo retrucará: Jesus nasceu em Jerusalém, naquele dia memorável e inesquecível em que me foi dado testificar que a morte não tinha poder sobre o filho de Deus.

Só então compreendi o sentido de suas palavras: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida".

Apelemos, finalmente, para Dimas, o bom ladrão - Onde e quando Jesus nasceu?

Ele nos informará: Jesus nasceu no topo do calvário, precisamente quando a cegueira e a maldade humana supunham aniquilá-lo para sempre; dali Ele me dirigiu um olhar repassado de ternura e piedade, que me fez esquecer todas as misérias deste mundo e antegozar as delícias do paraíso. Desde logo, senti-O em mim e Nele. Tal foi o testemunho do passado - tal é o testemunho do presente, dado por todos os corações que, deixando de ser quais hospedarias de Belém, onde não havia lugar para o nascimento de Jesus, se transformaram, pela humildade, naquela manjedoura, que o amor engenhoso da mais pura e santa de todas as mães converteu no berço do redentor do mundo.

Inspirados por tão sábias e edificantes reflexões, repassadas de beleza, rogamos que o Natal "verdadeiro" se faça em nossos corações, para que possamos renascer para uma nova vida, em harmonia com as Eternas Leis...


(Fonte:  Boletim Semanal nº 1340 do SEI)



Beijocas  :D
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 18 de Dezembro de 2005, 18:28
"Glória a Deus nas Alturas, Paz aos Homens de toda a Terra!... "
Maria Dolores

A "LUZ" veio à Terra
Há mais de 2 mil anos que o Mestre dos Mestres desceu ao planeta e permaneceu entre nós por algum tempo, para nos ensinar e exemplificar o AMOR.
Quando acontece o nosso aniversário, gostamos e ficamos felizes, se alguém se lembra de nós. Nem que seja um abraço amigo, um pensamento, uma mensagem, um telefonema, até uma festa surpresa.
Porquê tanta relutância de alguns, nos dias de hoje, em "REJUBILAR" porque faz anos que JESUS, o CRISTO nasceu e habitou entre nós?
Seja qual for o dia em que tão maravilhoso acontecimento ocorreu, convencionou-se ser festejado na noite de 24 de Dezembro. É na passagem para o solstício de Inverno que se festeja essa alegria maior.
Todos O conhecem. Todas as religiões, ateus, intelectuais e os seres humanos de todo o mundo O respeitam. Cientistas e outros sábios, têm a certeza que Ele habitou entre nós.
"ANTES de CRISTO" e "DEPOIS de CRISTO" separam a história da humanidade em eras distintas.
Somos discípulos de Cristo. Lembremo-nos do que Ele disse:
"- Aquele que quiser ser o maior entre vós, seja o SERVO de todos".
Existe muita aflição e sofrimento à nossa volta;
Há muitos corações solitários e doloridos no nosso círculo de conhecidos.
Busquemo-los de maneira discreta.
Em nenhuma outra época do ano serão mais sensíveis aos nossos desvelos.
Espalhemos a Luz do Sol, "JESUS CRISTO" , em seus caminhos.
Doemo-nos, sem condições, de coração aberto ao "AMOR".

IN: LIVRO "Antologia Mediúnica do Natal (excerto) - Espíritos Diversos
Psicografia: Francisco Cândido Xavier


Beijinhos  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 19 de Dezembro de 2005, 19:13
Ave, é Natal

Ouve, Senhor,
os gemidos de todos os enfermos,
os ais de mães e pais cujos rebentos se arremessaram pela ladeira da dependência química, os ulos dos que sofreram golpes de violência no lar ou na via pública,
os gritos dos desesperados, que já não conseguem conter o turbilhão de frustrações que lhes vai no imo d’alma.
Olha, Senhor,
a lágrima silenciosa dos que não superaram as próprias fragilidades,
a chaga aberta no corpo ou na alma dos desassistidos,
as faces crispadas daqueles que guardam ódio no coração, pelas razões mais diversas,
as rotas tortuosas adotadas por todos os que passaram a desacreditar da justiça e da fraternidade.
Envolve, Senhor,
cada uma dessas almas e inunda com Tua luz cada um desses corações,
para que retornem aos caminhos da esperança e da alegria.
Abençoa, Senhor,
cada vivente na Terra, e que as almas humanas sustentadas por Teu amor infindo,
não se cansem de aprender e de servir, de lutar e de crescer, sem qualquer esmorecimento, fiéis aos tempos novos que se anunciam no mundo, a partir da evocação da Tua vinda.
Ave, é Natal!
Toca-nos, então, Jesus de Nazaré,
como tocaste os endemoniados, fazendo-os retornar ao equilíbrio;
como tocaste os paralíticos, levando-os a novos movimentos;
como tocaste Lázaro, para dar-lhe vida nova;
como tocaste Madalena, para que ela encontrasse definitiva paz íntima;
como tocaste Zaqueu, retirando-o dos conflitos existenciais;
como tocaste Simão Pedro, a fim de que se convertesse fundamento
da fraternidade e do amor ao próximo;
como tocaste Paulo, libertando-o do fanatismo para o encontro com a lucidez operosa;
como tocaste as bilhas d’água, na festa de Caná, convertendo-as em recipientes
cheios de sabor, patrocinando júbilos indeléveis.
Ave, Natal!
Penetra-nos o ser, Divino Amigo, para que não temamos as guerras, por reconhecermos, contigo, a supremacia do entendimento para a paz, hoje ou amanhã; para que não nos perturbemos com o egoísmo que infesta em toda parte, por crermos na excelência do espírito altruísta que há de reger os sentimentos humanos.
Releva, Jesus, as múltiplas limitações que nos assoberbam, e, uma vez mais, dedica um olhar de misericórdia, de piedade, sobre o Teu rebanho desarvorado ainda, deixando-nos ouvir de novo a Tua voz a incentivar-nos, a conclamar-nos ao progresso e ao bem, dizendo: Sois deuses...
Inebria-nos com Tua presença, novamente, Senhor.
É novo Natal!
Exultemos.


Camilo
(Mensagem psicografada pelo médium Raul Teixeira, em 11.11.2002, na Sociedade Espírita Fraternidade, Niterói-RJ.)



Beijinhos  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 20 de Dezembro de 2005, 15:41
CARTA de NATAL


Ninguém te esquecerá, Jesus, o berço pobre,
A noite, o frio, a palha, a estrebaria,
A estrela que surgiu no firmamento
E os pastores cantando de alegria!...

"Glória a Deus nas Alturas, Paz aos Homens
De toda a Terra!... "Temos na lembrança
A voz dos anjos que te acompanhavam
A mensagem de amor e de esperança...

Quantos conquistadores já passaram!...
Senhores do poder, altivos e aguerridos...
E quanto mais brilhavam sobre os povos,
Mais desceram, por fim, aos museus esquecidos!...

Hoje, o Progresso atinge culminâncias;
É o cérebro a fulgir em triunfos supremos;
Mas quando a provação nos procura e domina
É sempre a ti, Senhor, que recorremos.

Natal!... Os homens cantam separados...
Perdoa-nos, Senhor, os erros tais quais são
Não nos deixes a sós, Amado Amigo.
Fica, Jesus, em nosso coração!...

Fonte: Mensagem recebida no grupo Espírita da Prece, em reunião pública da noite de 15-Setembro-84, em Uberaba, Minas
Autor Espititual: Maria Dolores
Psicografada por: Médium: Francisco Cândido Xavier


Beijinhos  :-*  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: WOLLER em 21 de Dezembro de 2005, 13:57
Olá !

Eis o Natal brilhando novamente...
Sob as lembranças em que me aprofundo,
Revejo-te, Jesus, sobre a palha singela
No Grande Alvorecer, iluminando o mundo.

Torno a escutar os anjos e os pastores
Na divina canção que o tempo nos descerra:
- "Glória a Deus nas Alturas, paz aos homens,
Boa vontade para toda a Terra!..."

Parece-nos reter na estrela inesperada
A resposta de Deus à profecia,
Enviando às nações a Lei do Amor
Em celestes mensagens de alegria.

Os séculos passaram, muitas vezes
Vendo o império da morte em lutas fraticidas;
No entanto, quanto mais a treva surge e passa,
Mais dominas, Senhor, em nossas vidas.

Sabemos nós que a inteligência humana,
Senhoreando agora a ação de nobres gênios
Arma novo conflito em que se apaguem
Os ódios e ambições de passados milênios...

Entretanto, no mundo, o amor se estende,
O progresso do bem se espalha e avança,
Unem-se os templos para a mesma fé,
A caridade é luz de socorro e esperança.

O Natal reaparece... A Terra inteira
Renova-se ao clarão de Sol renovador.
E cantamos, Jesus, sentindo-se a presença:
- Louvado seja Deus! Bendito seja o amor!... (Maria Dolores)


Abraços

WOLLER
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 21 de Dezembro de 2005, 18:43
A Suave Magia do Natal
Joanna de Ângelis


No turbilhão dos conflitos, quando Israel havia perdido a própria identidade sob o jugo impiedoso do conquistador romano implacável, as expectativas de paz e as necessidades de equilíbrio espiritual de todo o povo eram superlativas.
À semelhança do que havia ocorrido várias vezes, no passado, quando sob o talante cruel das Nações que o escravizaram por largos períodos de miséria e aflição, o país esperava, como outrora, a libertação que lhe permitisse encontrar o rumo para a felicidade dos seus filhos.
As paixões inferiores, no entanto, governavam as mentes e os corações que se sentiam asfixiados pelo bafio dos interesses inconfessáveis, transformando as criaturas em servas da situação infeliz, assim tornando muito difícil que se cumprissem as Escrituras...
Anteriormente, no ano 444 a.C., quando Esdras, doutor judeu, foi libertado da escravidão na Babilônia, com mais 1.775 companheiros, por Artaxerxes Longímano, e retornou a Jerusalém, restabeleceu o culto a Jeová, restaurou a nacionalidade judaica e trabalhou pela reconstrução das muralhas da cidade. Reuniu todos os livros de Moisés, examinou-os detidamente e estabeleceu o Cânone das Escrituras, realizando atividades dignificadoras, que deveriam servir de modelo para sempre...
Nos dias da dominação romana, porém, as paisagens morais eram sombrias, em razão da corrupção que se tornara uma doença incurável, levando as criaturas a situações morais deploráveis.
De um lado, as ambições desmedidas de muitos, e de outro, o fanatismo religioso ímpar, geravam comportamentos agressivos e infelizes, que produziam calamitosas situações nas criaturas desequipadas de valores éticos para se libertarem da canga da escravidão.
Tornando-se insuportável a luta de bastidores e públicas entre os dominadores políticos e os pseudo-espirituais do Templo, o povo sofria o abandono e a perseguição inclemente dos esbirros de ambos os lados, que os afligiam impiedosamente.
Nessa paisagem moral de sofrimentos nasceu Jesus, sinalizando a Era da Esperança para os sofredores de todo jaez e para a transformação moral dos triunfadores de mentira, que sempre se arvoraram em condutores do mundo.
A singeleza do Seu berço, na noite estrelada e silenciosa, foi acompanhada por uma suave melodia de amor, que se espraiaria desde então por toda a Terra, e jamais desapareceria dos ouvidos do mundo.
Vivendo a sublime experiência do amor, Jesus desenhou nos painéis espirituais da Humanidade a incomparável diretriz de segurança para a felicidade, ensinando que somente através dos sentimentos de misericórdia, de bondade e de abnegação, a criatura atinge a meta para a qual se encontra na Terra.
A Sua mensagem, toda tecida de sabedoria, ternura e paz, tornou-se o clímax das conquistas do pensamento histórico, que um dia esplenderá soberana entre os seres humanos.
Desse modo, sempre que as alucinações humanas desbordam em crimes e violências, em desmandos e destruição, paira, acima das sombras dominadoras, a claridade sublime do Seu berço, anunciando a Sua chegada à Terra, na inesquecível e suave noite do seu Natal.
Tocado por essa melodia de amor, deixa-te dominar pelos sentimentos de fraternidade e converte os teus sentimentos em harpa delicada, espalhando a mensagem de solidariedade a todos os irmãos que se encontram pelo caminho, aguardando uma migalha que seja de misericórdia e de carinho.
Homenageando-O, torna-te Seu instrumento, e amplia os horizontes do Bem, que Ele iniciara naquela noite inesquecível de Natal.


Beijinhos  :-*  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: zetuga em 22 de Dezembro de 2005, 15:13
Olá a todos
Desejo um bom natal a todos e contribuo com um texto que me foi enviado por um grupo a que pertenço.
Zetuga

citando :

Por que as pessoas ficam mais fraternas no Natal?
Natal não é uma data, é uma configuração metafísica. Um encontro quântico entre o real e o desejo do melhor que há no humano do homem, que é o anjo em sua forma transcendente no dizer de Jean-Yves Leloup.
Marcos Bueno*

Por que o Natal nos inspira para que nos tornemos mais fraternos? É visível que as pessoas ficam mais fraternas, mais humanas, mais amorosas no Natal, pois representa um tempo de transcendência.

Talvez uma resposta para esse comportamento mais saudável e amoroso é provavelmente aquilo que o grande psicólogo Abraham Maslow disse sobre a sua teoria motivacional das necessidades humanas, que a necessidade maior é a de auto-realização.Quando superamos a gula, o medo, a insegurança, o orgulho, o egoísmo, a vaidade e o ter e pensamos no ser, no coletivo, no outro, na compaixão, na fraternidade aí atingimos a auto-realização proposta por Maslow, creio que isso representa um pouco do espírito do natal em cada ser humano. É desvelar o melhor do melhor que somos, que é o nosso anjo interior segundo Jean-Yves Leloup ou poderíamos chamar a mente sábia do nosso inconsciente segundo o notável psicoterapeuta naturalista Milton H. Erickson.

O ser humano, por ser um projeto infinito, vive de momentos e mostra o que tem de melhor e o que de mais saudável existe no humano em datas especiais. Somos um ser simbólico, vivemos de símbolos e significados. É preciso um motivo forte para fazer submergir da alma humana o que de melhor temos e podemos desvelar.O natal representa o arquétipo do amor, por isso ocorre uma influência positiva universal.

O ser humano infelizmente mais se permite ser influenciado pelas coisas negativas do que positivas. O natal é uma poderosa influência saudável onde o absurdo dá lugar à graça, ao espiritual, ao perene, ao permanente, ao fraterno.

Joseph Campbell estudioso da mitologia cita "Você deve estar disposto a abrir mão da vida que planejou para receber a vida que espera por você". A vida que planejamos é a vida confortável segura, tranquila, permanecendo o melhor possível na zona de conforto. O natal além de representar a natalidade, o nascimento de um ser muito especial, cósmico, transcendente também nos mostra o outro lado da nascimento, o lado do morrer e do renascer conforme Joseph Campbell afirma que a mitologia emerge do reconhecimento da morte e do despertar da capacidade de se espantar, admirar, venerar e de se fraternizar.

O sentido etimológico da palavra "fraternidade" remete-nos à ação fraternizar, que se subentende como fazer causa comum, unir-se estreitamente como entre irmãos, comungar nas mesmas idéias. O latim "fraternitate" se originou do grego "phratria", ou confraria, que era a denominação genérica para cada grupo ou clã que apresentava características similares.

Nos verdadeiros encontros de fraternidade, acontece alguma coisa muito essencial: mutuamente vamos desembrulhando, desempacotando, revelando, no bom sentido, é claro.

Falar do natal é falar de gente, de pessoas. Existe, por acaso, algo mais encantador, mais misterioso do que gente? Pessoas são um presente! O escritor Léo Buscáglia diz que quando nascemos recebemos um presente muito especial de Deus. Esse presente é a nossa vida. Muitos esquecem o presente, outros o abandonam, outros jogam foram e alguns guardam com carinho.

O inconsciente colectivo da Psicologia analítica do psiquiatra suíço Carl Gustav Jung pode ser uma boa explicação para o natal. Também Telhard Chardim sobre o fenómeno humano quando diz que o homem nasceu em algum lugar desse universo fantástico, como alfa e sua evolução será o inevitável ômega, o Cristo.

Natal não uma data, é uma configuração metafísica. Um encontro quântico entre o real e o desejo do melhor que há no humano do homem que é o anjo em sua forma transcendente no dizer de Jean-Yves Leloup.

Natal é um momento de rara beleza que experimenta o resgate com o encontro autêntico. Onde o simbolismo do espírito está presente em boa parte do mundo. É um momento mágico onde o coração humano transforma-se no acolhimento do berço e, se permite abrir ao outro, acolhe, abraça, carinho. Quem faz do natal apenas um ato de troca de mercadorias, não é raro se sentir violentado nos seus valores, no seu sentido existencial. Natal é uma aula vivencial de tradição, cultura e fraternidade. De ser e querer fazer o melhor que somos.

Simbolicamente o Natal provoca uma reflexão transpessoal, um despertar de consciências do ser humano que vive ausente de si mesmo. Que procura algo, mas não sabe o quê. Que se perdeu de si mesmo ao longo de sua própria história. Os três eixos da revolução francesa liberdade, igualdade e fraternidade e de tantas religiões e sociedades estão presentes no Natal como colunas gregas da sabedoria dos grandes sábios.

Quantas ausências nesses presentes!

O espírito ocidental seguiu o caminho oposto do Oriente.

Gostamos de presentes, mas valorizamos muito o lado comercial, o que nos encanta não é o ato de presentear como na cultura japonesa faz com o boneco Daruma. O povo japonês costuma comprar esse boneco que é vendido em barraquinhas localizadas próximo aos templos e santuários, no ano novo, para que se concretize o sonho depositado no
ano que se inicia. Ao comprá-lo, vem sem os olhos: quando você quiser que o seu desejo se realize, pinte um dos seus olhos e, se o pedido for atendido, o outro deverá ser pintado em sinal de gratidão. O ato de presentear deve levar e receber gratidão. É mais fácil encher o estômago e empanturrar-se de nozes e castanhas, vinhos e carnes do que abastecer o espírito que muitas vezes está só, sem que se faça presente junto àqueles que, caídos à beira do caminho, aguardam um gesto samaritano.

Muitos aproveitam a data mágica para dar valor à lista: a cura de um parente enfermo; um emprego para o filho da lavadeira; a paz no mundo. Estes dão significados a data máxima da cristandade. Essas pessoas é que fazem a diferença nesta data tão especial. O mundo deve muito a tão poucos.

Frei Betto diz “Meu pai insistia para que eu registrasse meus sonhos mais íntimos. Aos oito anos, escrevi:” Quero ver Deus". Minha mãe ponderou: "Não basta Nossa Senhora, como as crianças de Fátima?” Não, eu queria ver Deus Pai. Nem imagens dele eu encontrava nas igrejas, que exibem, de sobejo, ícones de Jesus e pombas que evocam o Espírito Santo”.

Na tarde de 25 de dezembro, meus pais levaram-me a um hospital pediátrico. Distribuímos alegria e chocolate às crianças, vítimas de traumas ou tomadas pelo câncer e outras enfermidades. Fiquei muito impressionado com um menino de seis anos, careca.

Na saída, mamãe indagou-me: "Gostou de ver Deus?" Fiquei confuso: "Só vi crianças doentes", respondi. Então ela me ensinou que a fé cristã reconhece que todos os seres humanos são imagem e semelhança de Deus. Por isso é tão difícil ver Deus. Pois não é fácil encarar a radical sacralidade de todo homem e de toda mulher.

Continua Frei Betto, aos poucos, entendi que o modo de comemorar o Natal forma filhos consumistas ou altruístas. E descobri que Deus é tanto mais invisível quanto mais esperamos que Ele entre pela porta da frente. Sorrateiro, Ele chega pelos fundos, via um sem-terra chamado Abraão; um revolucionário de nome Moisés; um músico com fama de agitador e campeão olímpico, Davi; uma prostituta, Raab; um subversivo conhecido por Jeremias; um alucinado, Daniel; um ser que tem medo de sua grandeza chamado Jonas; um casal de artesãos que, recusado em Belém, ocupa um pasto para trazer o Filho à vida: Maria e José, o maior de todos os terapeutas, Jesus. Deveríamos ter um pouco dessa educação do espírito fraterno do natal.

No evangelho de Mateus (25, 31-46) Jesus identifica-se com quem tem fome e sede, é doente ou prisioneiro, oprimido ou excluído, come na casa de Zaqueu cobrador de impostos, permite que as mulheres rejeitadas lhe banhem os pés com óleos. Desafia os poderosos do sinédrio judaico, desafia a tempestade e a morte de Lázaro. Aqueles que para os "sábios", os moralistas, os poderosos, os intelectuais e os religiosos são a escória da sociedade, para Deus são os convidados de honra ao banquete do Reino. Até hoje não caiu a ficha para esses pseudos donos do mundo.

Frei Betto comenta, desde então, aprendi que Natal é todo dia, basta abrir-se ao outro e à estrela que, acima das mazelas deste mundo, acende a esperança de um futuro melhor. Sonhar com um mundo em que o Pai Nosso transpareça na grande festa do pão nosso. Um mundo de compartilhar, conviver, de ser e transcender ao passado. Romper com os muros de culturas atrasadas, de valores obsoletos pelo apego ao poder e ao ter.

Os grandes místicos do oriente e do ocidente dizem que quando o discípulo está pronto o mestre aparece, Deus aparece. O Natal é uma oportunidade ímpar de vermos e ficarmos frente a frente com Deus, só que nossa cegueira materialista, consumista, fundamentalista e míope não nos deixa vê-lo, percebê-lo, senti-lo. Procuramos onde Ele não está, não está fora de nós. Leonardo Boff em seu livro Tempo de transcendência, comenta que num dialogo muito bonito e sagrado com sua mãe, ela pergunta - meu filho você já viu Deus? Boff meio encabulado com a pergunta tão simples e tão profunda como talvez só Francisco de Assis pudesse responder naquele momento, ele diz: mãe nós não vemos Deus, vemos sua criação, seus atos, a natureza, os homens, os animais, os vegetais, Deus está em tudo.

E sua mãe surpresa diz, meu filho você que é um franciscano, um teólogo, um doutor nunca viu Deus? Eu vejo Deus todos os dias, todos os dias quando levanto bem cedo e vejo o sol nascer maravilhoso ele passa junto com teu pai que já partiu e nos visitam todos os dias trazendo a luz, a esperança e a alegria.

O fenomenólogo Martin Buber escreveu que o homem é um Ser de Relação. É um ser que busca, que percebe e constrói pontes do imaginário com o real.

É na relação tridimensional com Deus, com o outro e com a natureza que o homem se relaciona e constrói o caminho da felicidade. A felicidade é um momento transitório, por que o homem é transitório no mundo.Ele veio ao mundo para desfrutar e não para ficar.

O franciscano Samir Cristino de Souza escreve que o homem veio ao mundo com Deus, pois, DELE recebeu a vida, para ELE caminha e NELE encontra um sentido pleno de sua caminhada como homem, ser humano e transcendência. Segundo as religiões, criadas à imagem de DEUS, têm a possibilidade de comunicação com ELE e a capacidade de vivenciar o amor, a liberdade, a consciência da criação.

“Nós aprendemos a voar como os pássaros;
a nadar como os peixes, mas não aprendemos
ainda a conviver como irmãos”.
(Martin Luther King)

Com o outro, como irmãos, pois ele faz a experiência e a partilha da vida. É na relação com o outro que o homem descobre a si mesmo, como ser capaz, diferente e integrador da vida, constrói as relações e, a partir delas, a sociedade onde se estabelece.

Com a natureza, aonde o homem histórica e processualmente vai construindo o seu mundo, como senhor e não como dominador. Através de sua capacidade e esforço exerce uma acção transformadora em benefício da sociedade.

O homem como ser - de - relação é convidado a ser o Homem Novo de que fala o evangelho e que se caracteriza fundamentalmente como um ser livre.

Liberdade que é a capacidade de estar no mundo, vivendo em relação com os outros, crescendo com eles, respeitando-os e transformando o mundo em que vivemos.

A convivência é a arte possível do encontro. Conviver é construir seu próprio espelho.O entendimento nos explica a razão, os para que, a percepção os porquês, a busca do significado tão falado por Viktor Emil Frankl o terapeuta da esperança, após ter saído dos campos de concentração e vivenciado seu primeiro natal livre da perversão mental nazista.

Ser fraterno para o cristão não é apenas ser solidário teoricamente com as lutas dos mais necessitados, empobrecidos. Ser fraterno é uma acção, uma prática, um movimento, um despertar. Viver fraternalmente é, sobretudo agir, pois na acção há significado para a vida fraterna. É pela acção que percebemos e reconhecemos o homem. Pelo discurso percebemos o ser que se engana e tenta sedutoramente enganar aos outros.

Ser fraterno pressupõe o encontro dos homens em relação, pressupõe a capacidade dialogal e profética do ser humano. Alguém capaz de perceber, com coragem de se posicionar e autenticidade de arriscar as mudanças necessárias.

O Natal representa natalidade, nascimento, renascimento, descobrir a vida, vir à luz.

Tem uma história africana muito bonita que fala sobre o nascer. Todo nascer trás uma canção de ninar. Uma canção natalina, uma canção africana. Quando uma mulher de certa tribo da África sabe que está grávida segue para a selva com outras mulheres e juntas rezam e meditam até que aparece a canção da criança. Sabem que cada alma tem sua própria vibração que expressa sua particularidade, individualidade e propósito. As mulheres entoam a canção e a cantam em voz alta. Logo retornam à tribo e a ensinam a todos os demais.

Quando a criança nasce, a comunidade se junta e canta a sua canção. Logo que a criança começa a ser educada, o povo se junta e canta a sua canção. Quando se torna adulto todo se juntam e novamente cantam. Quando chega o momento do casamento, a pessoa escuta a sua canção. Finalmente, quando sua alma está para ir-se deste mundo, a família e amigos se aproximam e igual como em seu nascimento cantam a sua canção para acompanhá-la em sua viagem.

Mas, nesta tribo da África, há outra ocasião na qual eles cantam a canção. Se em algum momento da vida a pessoa comete algum crime ou um ato social aberrante, levam-na até o centro do povoado e todos da comunidade formam um círculo ao seu redor e lhe cantam a sua canção.

A tribo reconhece que a correcção para as condutas anti-sociais não é o castigo, mas o amor e a lembrança de sua verdadeira identidade.

Ao encerrar esta mensagem de Natal transcrevemos um Feliz Natal que Frei Betto escreveu de forma poética. Você pode ter um Feliz Natal como disse Frei Betto a quem recolhe cacos de mágoas pelas ruas a fim de atirá-los no lixo do olvido e guardam recatados os seus olhos no recanto da sobriedade. A quem se resguarda em câmaras secretas para reaprender a gostar de si e, diante do espelho, descobre-se belo na face do próximo.

“Feliz Natal a todos que sabem voar sem exibir as asas e abrem caminhos com os próprios passos, inebriados pelos ecos de profundas nostalgias. E aos que decifram enigmas sem revelar inconfidências e, nus, abraçam epifanias sob cachoeiras de magnólias”.

* Marcos Bueno é psicólogo de orientação gestáltica, e ericksoniana, membro co-fundador do NUP-GT, membro fundador e titular do Instituto Milton H. Erickson do Triângulo Mineiro, formação em hipnose e psicoterapia ericksoniana pelo Instituto Milton H. Erickson de BH, professor universitário, mestre pela UFSC e membro da Academia Catalana de Letras-ACL.
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 22 de Dezembro de 2005, 15:19
É MAIS GRATIFICANTE DAR
"Um conto de Natal"

Paul ganhou como presente de Natal um automóvel novo.
No dia de Natal quando Paul saiu de casa, percebeu que um moleque de rua estava andando em volta de seu brilhante carro zero, admirando-o.
_ "Este carro é seu?" Perguntou o menino.
Paul confirmou com a cabeça.
_"Meu irmão me deu de presente no Natal".
O garoto estava maravilhado.
_ "Quer dizer que seu irmão deu a você e você não gastou nada? Cara, eu queria..."
Paul julgou saber como o garoto completaria a frase. Por certo iria dizer que queria um irmão como o dele.
Mas o que o moleque disse deixou Paul perplexo.
_ "Eu queria", continuou o garoto, "poder ser um irmão assim".
Paul o olhou surpreso e, impulsivamente, lhe perguntou: "Você gostaria de dar uma volta no meu automóvel?"
_ "Oh sim, eu adoraria".
Depois de uma voltinha, o menino virou-se e, com os olhos resplandecentes disse: "Você se importa de passar em frente à minha casa?"
Paul sorriu consigo mesmo, pensando que sabia exatamente o que o moleque queria. Certamente desejava mostrar aos vizinhos que podia voltar para casa num carrão.
Mas Paul se enganara outra vez.
_ "Você dá uma paradinha ali onde estão aqueles dois degraus?" Pediu o menino.
O garoto saiu do carro e subiu os degraus correndo. Logo Paul o viu voltando. Mas não estava mais andando rápido, estava carregando seu irmãozinho paralítico.
Fê-lo sentar-se no degrau de baixo e, abraçando-o com força, mostrou o carro.
_ "Lá está Buddy, exatamente como eu te contei lá em cima! O irmão deu o carro a ele de presente de Natal e isso não lhe custou nem um centavo".
"Algum dia eu vou te dar um como este... Daí você vai poder ver, por você mesmo, as coisas bonitas... As vitrinas enfeitadas no Natal, as ruas e árvores iluminadas, as belezas enfim, sobre as quais tenho falado".
Paul saiu do carro, pegou o garotinho no colo e o colocou no banco de trás. O irmão mais velho, com olhos brilhantes, sentou-se ao lado dele e os três começaram um inesquecível passeio de Natal.

(autor desconhecido)


Beijinhos  :-*  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: andreia em 23 de Dezembro de 2005, 09:38
O Natal de Jesus


A época era de dores acerbas e de conflitos intérminos.
As paixões, que predominavam em a natureza humana, consumiam as mais belas florações das vidas, ameaçando a estrutura da sociedade que estorcegava em aflições devastadoras.
O monstro da guerra espalhava horror em toda parte.
A política arbitrária dos governos estabelecia a supremacia da brutalidade sobre os direitos humanos, impedindo o desenvolvimento social e moral das criaturas.
Em toda parte a presença pestífera da intriga, do ódio, das discriminações de umas contra outras raças, assim como contra a mulher, as minorias, os enfermos graves, contaminava as comunidades, sufocando os ideais de liberdade, de fraternidade e de amor.
O homem tornara-se inimigo de outro homem, que desejava eliminar sem compaixão, gerando o horror que ateava o fogo da destruição por onde passava.
A supremacia da força esmagava quaisquer tentativas de apoio ao belo, ao bom, à verdade, em terrível manipulação dos interesses mesquinhos que se afiguravam de alta relevância na transitoriedade dos jogos carnais.
As vozes, que se erguiam para exaltar o dever, a dignidade, o bem, eram sufocadas com impiedade, enquanto o corcel do desespero avançava pelas paisagens conquistadas, levando mais temor e menos misericórdia.
O triunfo pertencia aos vencedores dos outros, àqueles que ceifavam outras vidas, que tripudiavam sobre a dignidade, a virtude, as heranças de enobrecimento humano.
Os pobres, os necessitados, a infância, a velhice, eram excluídos dos banquetes que se permitiam os conquistadores do mundo exterior, enquanto desfilando nos carros de luxo e grandeza que o túmulo sempre termina por devorar...
A fome, as doenças e a submissão humilhante faziam da miseranda existência do povo, dos que podiam ter os corpos mutilados e as vidas exterminadas sem qualquer motivo.
Aquele, porém, era o período de transição da sombra para a madrugada que anunciaria a Nova Era.
...E esse amanhecer começou com o Natal de Jesus.
Quando da Sua chegada à Terra, não houve mobilização humana, nem estardalhaço, ou qualquer movimento de massas para informar à Humanidade que o Rei Solar descera à sombra do mundo.
Anunciado secularmente como o Messias, fez-se preceder por preparadores dos caminhos e trabalhadores da abnegação, a fim de que o Seu se fizesse o ministério da ternura, da compaixão, do amor.
No silêncio de uma noite fria Ele chegou acolitado por seres angélicos invisíveis e sob a luz fulgurante de alguns astros em conjunção de órbitas, a fim de que a sombra fosse menos densa no mundo, que Ele renovaria moralmente, quando acendeu a claridade inapagável da Verdade.
...E a partir daquele dia memorável a Huma-nidade nunca mais seria a mesma.
Ele revolucio-nou os paradigmas existentes na sociedade, implantando novos códigos de justiça, de ética, de moral, de valores para a vida, centrados no dever e na solidariedade, na alegria de viver e na justiça com igualdade para todos.
A partir da sinfonia do sermão da montanha apresentou às criaturas de todos os tempos uma nova maneira de compreender o Pai e de comportar-se em relação ao seu próximo.
Demonstrou que fracos e infelizes são os que dominam os outros sem valor para dominar-se a si mesmos; que poderosos são aqueles que vencem as más inclinações e se libertam das paixões inferiores; que ricos são os que se caracterizam pela pobreza de inferioridade moral e de tendências para o mal: que triunfadores são os que amam e perdoam aos demais, renovando-se sempre no bem, tornando-se todos, desse modo, bem-aventurados...
Nunca mais ninguém falaria como Ele se expressou ou faria o que Ele fez, reverdecendo as terras áridas por onde passou e semeando esperança em todo lugar.
Jesus é inigualável! E o seu Natal é a epopéia da Luz que se encarcerou por momentos, a fim de que prosseguisse brilhando para sempre.
É certo que estes também são dias muito semelhantes àqueles em que Ele viveu. Há predominância das forças do mal, da anarquia, do desequilíbrio e as vidas são amesquinhadas pelo utilitarismo extravagante e perturbador.
No entanto, em razão da Sua mensagem, multiplicam-se em toda parte os Seus obreiros atentos para que se cumpram as Suas promessas e os indivíduos descubram as trilhas que Ele percorreu, seguindo-O empós e felicitando-se plenamente...
Esta é a tua oportunidade de encontrá-lO, caso ainda não tenhas estado com Ele.
Busca-O quanto antes, a fim de que não seja tarde demais...
E se O conheces, certamente O amas.
Utiliza-te, então, do Seu Natal para demonstrar que a Sua lição de ternura domina o teu coração, dis-tribuindo-a com todos aqueles que te espiam ou que, longe de ti, aguardam por uma migalha de bondade que lhe podes e deves ofertar.
O Natal de Jesus é uma festa que se faz celebrada pelo Céu e a Terra, homenageando o Rei Solar que te aguarda no topo da subida, montanha acima, que deves empreender desde agora, superando-te e renovando-te.
Porfia no desiderato de estar com Ele e não desistas nunca, mesmo que descubras conspirações contra os teus ideais e esforços, incompreensões e dificuldades em relação aos objetivos a que te dedicas...
Quem O ama nunca teme, jamais se detém.
É Natal!
Ama, ajuda, perdoa e sê feliz com Jesus.

Joanna de Ângelis
(Página psicografada pelo médium Divaldo P. Franco, na reunião da noite de 5 de setembro de 2003, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia.)


Beijinhos  :-*  :-*
Andreia
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Luz13 em 15 de Novembro de 2009, 12:01

   Tenho notado a hipocrisia das pessoas em todos os Natais...cada vez mais!!!
   É triste as pessoas durante todo o ano se esquecem dos mais necessitados,dos velhinhos,dos mendigos,dos que passam fome...todos são ignorados ao longo do ano,apenas no Natal se "lembram " deles..triste realidade em que vivemos!!!!
   Não gosto dessa gentinha pequenina que pensam que as pessoas são simples objectos e não têm sentimentos,a elas ignoro...para mim são o lixo da nossa sociedade,pois só no Natal praticam alguma caridade.
  Por isso e muito mais...detesto o Natal!!!!


   Abraços.
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: demis em 15 de Novembro de 2009, 12:25
 Olá Luz!
 
Não podia estar mais de acordo!
 É por essas e por outras que no Natal prefiro retirar-me e isolar-me pois não gosto de hipocrisia.

abraços,

Demis
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: sonho em 15 de Novembro de 2009, 22:54
Olá Luz!

Quando li sua mensagem não resisti a responder, sabe porquê?

Porque eu adoro o Natal!

Não o Natal do consumismo, mas a mensagem do verdadeiro Natal. E essa mensagem você pode ter consigo todo o ano!

Que importa essa tal gentinha, como você os denomina? É certo que não é correcto lembrar-nos de nossos irmãos mais carentes só no Natal, mas ainda bem que existe um dia em que essa "gentinha" se lembra deles e faz algo por eles.

Minha amiga Luz, não deteste o Natal, pois foi o dia que Cristo nasceu e, ele é nosso mestre, nossa conduta tem por base seus ensinamentos.

Então, há que celebrar com toda a alegria esse dia e pedir a Deus por essas pessoas egoístas que só nesse dia se lembram dos irmãos mais necessitados e carentes, não permitindo assim que as mesmas lhe estraguem o Natal, um dia que supostamente todo o Cristão deveria celebrar com todo o entusiasmo.

Um abraço muito carinhoso para você
Sonho :)
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Laurikytta em 18 de Dezembro de 2009, 15:11
OLÁ PESSOAL!!!

PORQUE É NATAL...

Senhor,

A Tua voz é o som perfeito que me embala o ser, e que me faz ouvir o murmúrio tranqüilizante dos astros.

O Teu olhar é como o brilho solar, que me aquece a alma fria, marcada pelo desalento e pela desesperança, nessa dura marcha para a elevação.

As Tuas mãos representam para mim o divino apoio, amparo que me impede de tombar, fragilizado como estou, nos rumos em que me vejo, ante a necessidade de subir.

As Tuas pegadas indicam-me as trilhas por onde devo me orientar nessa ausência de bússola moral com o entorpecimento da ética, quando desejo ir ao encontro de Deus.

As Tuas instruções, Jesus Nazareno, mapeiam para mim o território da paz, ensejando-me clareza para que saiba onde me encontro e como estou, para que não me perca nessa ingente procura dos campos de amor e das fontes de paz

Os Teus silêncios falam-me bem alto a respeito de tudo o que devo aprender e operar nos recônditos de minh’alma, aprendendo tanto a falar quanto a calar, sempre atuando na construção do mundo rico de fraternidade que almejamos.

Agora, quando me ponho a meditar sobre tudo isso, meu Senhor, desejo exalçar o Teu nome, por toda a minha omissão dos milênios afora, embora a Tua paciente e dúlcida presença junto a mim.

Já é Natal na Terra, Jesus!

E porque é o Teu Natal, busco em Tua luz desfazer as minhas sombras

Procuro em Tua assistência superar minhas variadas necessidades.

Quero no Teu exemplo de trabalho atender os meus deveres.

Porque é o Teu Natal, anseio por achar na Tua força a coragem de superar os meus limites.

Desejo ver na Tua entrega total a Deus o reforço para minha fidelidade ao bem e, na Tua auto-doação à vida, anelo tornar-me um servidor;

no culto do dever que Te trouxe ao Mundo, quero honrar o meu trabalho.

No Teu Natal, que esparge claros jorros de amor sobre o planeta, quero abrigar-Te no imo do meu coração convertido numa lapa bem simples, para que possas nascer em mim, crescer em mim e atuar por mim.

E, na magia do Natal, vibro para que minhas ações permitam que o Teu formoso reino logo mais possa alojar-se aqui, no Mundo.

E que cheio de júbilo n’alma eu possa dizer que Te amo, que Te busco e que Te quero seguir, apesar da simplicidade dos meus gestos e do pouco que tenho para dar-Te, meu doce Amigo, meu Senhor.

* * *

O Natal é sempre a especial oportunidade de exercitar o amor.

Em nome de um Menino, há cores e brilho nas ruas. Pessoas andam apressadas, entrando e saindo das lojas.

A sua preocupação é adquirir um mimo, um presente para os seus amados, para os amigos, para os colegas.

Também para quem nem conhece e resolveu apadrinhar. Um brinquedo para fazer sorrir uma criança.

Um abraço para quem vive só. Um sorriso para quem vive sem amor.

Tudo porque é Natal.

Natal de Jesus. Festa de corações. Momento de paz, de oração, de amor.

Não deixe passar em branco essa data. Participe com sua cota de alegria, de doação e de carinho.

Porque é Natal.

Redação do Momento Espírita, com mensagem do
Espírito Ivan de Albuquerque, psicografada por Raul Teixeira.
Em 25.12.2007.
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: DomingosPS em 18 de Dezembro de 2009, 23:32
Como vejo o natal?
Como uma festa cristã, e a ela esta ligada a tradição, a fé, e por que não o comercio que faz parte de nossas vidas humanas.
E por falar em nos humanos, que na sua maioria não é cristã, mas também tiveram seus ilustres enviados, como, Buda, Abrão, Maomé e outros menos famosos.
Até o Hinduísmo que é politeísta teve seus enviados como Mahatma Gandhi e Madre Tereza.

Como estou estudando a doutrina espírita através das obras de Kardec, percebo uma forte influência da fé crista em suas obras, talvez pela sua educação.
O Cristo muitas vezes, é tratado como o próprio Deus em alguns comentários, o que vai de encontro com os ensinamentos espíritas, pois Deus é único e a causa primeira. O nosso mundo, esta classificado como um mundo primitivo, e nos almas que aqui vivemos, somos imperfeitos, e estamos num processo de desenvolvimento.

Não me sinto em condições de julgar, mas apenas de expressar a minha opinião, imperfeita e não poética.
Título: Re: O QUE É O NATAL???
Enviado por: Hauch em 22 de Dezembro de 2009, 23:12
   Irmã Marianna, são tão sábias e cheias de sentimento que só nos resta parabenizá-la e, conforme já foi acrescentado por nosso querido Chico, recordo-me de uma palestra muito bonita de nossa amiga "Deuza" no CELD, na qual ela também falou na presença do MESTRE JESUS, por volta das 24 ou 00:00h (meia-noite)*, por um curto espasso de tempo em visita ao nosso planeta.
    Após este ano meu natal tomou outro sentido, procuro doar os escessos de alimento ganhos na empresa, até para nossa "secretária"(como gosto de chamar nossa empregada do lar), sua alegria em ter um chester ou coisa parecida, alguns caprichos que para nós passam desapercebidos. Este é o verdadeiro Espírito do Natal, aquela alegria que por 5 minutos ela nos passa e ao virar da noite mantenho-me em oração contínua com o MESTRE. Caso tentem vibrar desta forma verão que emoção!
Muita Paz do Amigo Hauch.