Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Tópico iniciado por: Marianna em 13 de Novembro de 2009, 14:52

Título: O QUE É DEUS?
Enviado por: Marianna em 13 de Novembro de 2009, 14:52


1 - COMO SE PODE CONCEITUAR DEUS?

RESP. Deus é a inteligência suprema e causa primária de todas as coisas.
OBS.: Deus é eterno, único, imutável, imaterial, soberanamente justo e bom.

2 - COMO ENTENDER A NECESSIDADE DA REENCARNAÇÃO?

Resp. Devido a Deus ser soberanamente justo e bom, é que se funda o princípio da reencarnação. Se todos tendemos à perfeição, Deus nos proporciona os meios de conseguí-la, com as provas da vida corpórea. É então que nos depuramos, submetendo-nos, condição necessária da evolução do Espírito, sem a qual permaneceríamos estacionários.

3 - ONDE SE PODE ENCONTRAR DEUS?

O próprio Universo ofereceu evidências materiais acerca da existência de Deus. Em nossa consciência, estão inscritas as suas leis infinitamente perfeitas. E o sentimento inato de sua existência, que trazemos no coração, é a marca do obreiro em sua obra. "Ora, vede a obra e procarai o autor", sentenciou o espírito da Verdade. Deus está em todos os lugares.

4 - A FORMAÇÃO PRIMÁRIA DAS COISAS É OBRA DO OCASO? COMENTE.

RESP.: Vê-se assim que a Doutrina Espírita define Deus a partir do princípio da causalidade segundo o qual Deus constitui o fundamento que torna possível o mundo e os seres.

5 - CONHECER DEUS É TÃO SOMENTE UMA QUESTÃO DE FÉ?

RESP.: A partir deste conceito, Deus deixa de ser tão somente uma questão de fé, para revelar-se, de forma racional, na Inteligência que rege as formas da natureza.

6 - PODEMOS DEFINIR DEUS COMO SENDO O INFINITO?

RESP.: Ao buscar definir Deus, porém, é muito comum ao entendimento humano associá-lo à visão de algo que lhe permanece desconhecido e portanto, à noção de infinito. No entanto, esclarecem os Espíritos que Deus como sendo o infinito e tomar o atributo de uma coisa ainda não conhecida, por outra que, também não o é.

7 - EM QUE AXIOMA FUNDAMENTA-SE O CONCEITO ESPÍRITA DE DEUS?

RESP.: A Doutrina Espírita fundamenta a concepção de Deus a partir do axioma: Não há efeito inteligente sem causa inteligente, e à grandeza do efeito corresponde a grandeza da causa. O universo mostra-se organizado inteligentemente em todas as suas dimensões. Seria absurdo supor que a inteligência da estrutura universal fosse resultado de um simples acaso.

8 - QUAIS SÃO OS ATRIBUTOS DE DEUS?

RESP.: DEUS É

1° - É único;
2° - É eterno;
3° - É imutável;
4° - É imaterial;
5° - É Todo-poderoso;
6° - É soberanamente justo e bom.

9 - SOB QUE ASPECTO O PANTEÍSMO PODE SER CONSIDERADO UMA CONCEPÇÃO MATERIALISTA DE DEUS?

RESP.: Deus define-se, portanto, especificamente pelas suas qualificações, e a prova de sua existência está no princípio da causalidade, segundo o qual Deus que torna possível o Universo e os seres. No entanto, não se deve por isso compartilhar da opinião de que todos os seres e corpos do Universo seriam partes da divindade, tal qual afirma o Panteísmo.

10 - O QUE SIGNIFICA AMAR DEUS NA VISÃO ESPÍRITA?

RESP.: Amar a Deus é uma lei natural, mas essa ligação, porém, dá-se em pensamento, em sentimento, através da prece, da adoração e da doação de si. Mas não se restringe a um templo, mas se dá na intimidade de cada indivíduo. Então adorar em espírito consiste em uma ligação interior com Deus a partir de uma consciência espiritualizada. A verdadeira adoração é aquela que busca a identificação com Deus em essência, pela consciência dessa essência divina em si mesmo e no próximo.

11 - O QUE DEVEMOS ENTENDER POR INFINITO?

RESP.: Aquilo que não tem começo nem fim; o desconhecido; todo o desconhecido é infinito.

12 - PODERÍAMOS DIZER QUE DEUS É INFINITO?

RESP.: Definição incompleta. Pobreza de linguagem dos homens, insuficiente para definir as coisas que estão além da sua inteligência.

13 - ONDE PODEMOS ENCONTRAR A PROVA DA EXISTÊNCIA DE DEUS?

RESP.: Num axioma que aplicais às vossas ciências: "Não há efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o que não é obra do homem, e vossa razão vos responderá.

14 - QUE CONSEQUÊNCIA PODEMOS TIRAR DO SENTIMENTO INTUITIVO, QUE TODOS OS HOMENS TRAZEM CONSIGO, DA EXISTÊNCIA DE DEUS?

RESP.: Que Deus existe; pois de onde lhes viria esse sentimento, se ele não se apoiasse em nada? É uma consequência do princípio de que não efeito sem causa.

15 - O SENTIMENTO ÍNTIMO DA EXISTÊNCIA DE DEUS, QUE TRAZEMOS CONOSCO, NÃO SERIA EFEITO DA EDUCAÇÃO E O PRODUTO DE IDÉIAS ADQUIRIDAS?

RESP.: Se assim fosse, por que os vossos selvagens também teriam esse sentimento?

16 - PODERÍAMOS ENCONTRAR A CAUSA PRIMÁRIA DA FORMAÇÃO DAS COISAS NAS PROPRIEDADES ÍNTIMAS DA MATÉRIA?

RESP.: Mas, então, qual será a causa dessas propriedades? É sempre necessária uma causa primária.

17 - QUE PENSAR DA OPINIÃO QUE ATRIBUI A FORMAÇÃO PRIMÁRIA A UMA COMBINAÇÃO DA MATÉRIA, OU SEJA, AO ACASO?

RESP.: Outro absurdo! Que homem de bom senso pode considerar o acaso com um ser inteligente? E, além disso, o que é o acaso?

18 - SE NÃO PODEMOS COMPREENDER A NATUREZA ÍNTIMA DE DEUS, PODEMOS TER UMA IDÉIA DE ALGUMAS DE SUAS PERFEIÇÕES?

RESP.: Sim, de algumas. O homem compreende melhor, à medida que se eleva sobre a matéria; ele as entrevê pelo pensamento.

19 - DEUS CONCEDE O FAVOR A QUE CHAMAMOS GRAÇA?

RESP.: São tão grandes as expressões da misericórdia divina que nos cercam o espírito, em qualquer plano da vida, que basta um olhar à natureza física ou invisível, para sentirmos, em torno de nós, uma aluvião de graças. O favor divino porém, como o homem pretende receber no seu antropomorfismo, não se observa no caminho da vida, pois Deus não pode assemelhar-se a um monarca humano, cheio de preferências pessoais ou subornado por motivos de ordem inferior. A alma, aqui ou alhures, receberá sempre de acordo com o trabalho da edificação de si mesma. É o próprio espírito que inventa o seu inferno ou cria as belezas do seu céu. E tal seja o seu procedimento, acelerando o processo de evolução pelo esforço próprio, poderá Deus dispensar na Lei, em seu favor, pois a Lei é uma só e Deus o seu Juiz Supremo e Eterno.

20 - EM O LIVRO DOS ESPÍRITOS, ALLAN KARDEC ABORDA COMO TEMA INICIAL A EXISTÊNCIA DE DEUS. ALGUMA RAZÃO ESPECIAL?

RESP.: Deus é a idéia primeira, a base de nossas convicções religiosas e de nossa orientação moral. Sem um Criador com objetivos definidos para a Criação, sem uma meta a alcançar, a Vida perde o sentido.

21 - A EXISTÊNCIA DE DEUS É UM PRINCÍPIO DE FÉ, UMA IDÉIA RELIGIOSA. NÃO COMPROMETE A RACIONALIDADE EM QUE SE SITUA O ESPIRITISMO?

RESP.: O objetivo da Doutrina é exatamente dar à crença uma substância de racionalidade, como bem exprime o próprio Codificador na máxima: Fé verdadeira é aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas. Kardec instituiu o princípio da fé racional.

22 - PESQUISAS CONSTATAM QUE PERTO DE CEM POR CENTO DOS BRASILEIROS ACREDITAM EM DEUS, NA SOBREVIVÊNCIA DA ALMA E NAS CONSEQUÊNCIAS DAS AÇÕES HUMANAS. ESSA CRENÇA PARECE NÃO REPERCUTIR EM SEU COMPORTAMENTO. PREVALECEM MENTIRAS, TRAIÇÕES, ADULTÉRIOS, CORRUPÇÃO, VÍCIOS, ISSO SEM FALAR DOS QUE SE DEDICAM AO CRIME. COMO EXPLICAR ESSA CONTRADIÇÃO?

RESP.: A crença em Deus é algo superficial, distante para o homem comum. A própria noção de que há uma justiça divina, que premia os bons e castiga os maus, não chega a repercutir no comportamento dos religiosos.

23 - O ESPIRITISMO CONSEGUE SUPERAR ESSE DESCOMPASSO ENTRE A CRENÇA E A VIVÊNCIA?

RESP.: Sem dúvida. Num primeiro momento, a Doutrina racionaliza a idéia de Deus, a partir da resposta do mentor espiritual a Kardec, na questão número 4: podemos provar a existência de Deus considerando que não há efeito sem causa. O Universo é um efeito inteligente. Forçosamente, tem uma causa inteligente.

24 - E NUM SEGUNDO MOMENTO?

RESP.: Mostra-nos de forma clara e objetiva como é a Vida Espiritual e o que nos espera, se não atendermos à ordem universal, disciplinando nosso comportamento.

25 - PARECER NÃO HAVER ESPAÇO ENTRE OS CIENTISTAS PARA A IDÉIA DE UM CRIADOR. CONCEBEM QUE O UNIVERSO CONSTRUIU-SE A SI MESMO, ATENDENDO ÀS LEIS QUE O REGEM?

RESP.: Incrível que pessoas tão inteligentes desenvolvam raciocínios tão simplistas! Se o Universo criou-se a si mesmo, atendendo às leis que o regem, quem fez essas leis, quem as sustenta, quem as faz funcionar? Como dizia Tomas de Aquino, se tudo é movimento na Vida Universal, desde o verme que nas profundezas do solo o fertiliza, aos mundos que se equelibram no espaço, forçosamente há um motor parado, que sustenta essa movimentação. Por isso Voltaire, não obstante sua irreverência, proclamava: Se Deus não existisse seria preciso inventá-lo.

26 - COMO É DEUS, SOB O PONTO DE VISTA ESPÍRITA?

RESP.: O Deus mostrado pelo Espiritismo é o mesmo pai generoso revelado por Jesus, que aponta caminhos acenando-nos com um glorioso porvir.

27 - TRADIÇÃO RELIGIOSA SUGERE UM PAI À MODA DE MOISÉS. MISERICORDIOSO COM AQUELES QUE O OBEDECEM, NÃO VACILA EM CASTIGAR COM REQUINTES DE CRUELDADE OS DESOBEDIENTES. É ASSIM PARA O ESPIRITISMO?

RESP.: Deus não castiga ninguém. O suposto castigo divino, quando nos transviamos é apenas uma reação da nossa própria consciência. Fomos programados para o Bem. Quando nos envolvemos com o mal é como se agredíssemos a nós mesmos, habilitando-nos a sofrimento regeneradores.

O Livro dos Espíritos
Allam Kardec.


 
Título: Re: O QUE É DEUS?
Enviado por: Marianna em 01 de Dezembro de 2009, 02:06


O professor Rivail, já utilizando desde então o codinome "Allan Kardec", abre o capítulo primeiro, do livro primeiro da codificação da Doutrina (Ensinamentos) dos Espíritos, com a pergunta título deste artigo.

Kardec já tomava por base que para iniciar e ter total empenho nas suas pesquisas espíritas, nunca seria demais a máxima frieza e o sistemático controle das paixões evitando descambar-se para a religiosidade muito forte da época, para a curiosidade pueril, para a sede do sobrenatural ou quaisquer manifestações deste gênero. Tanta convicção tinha neste comportamento que mais adiante advertiria os seus seguidores: "O Espiritismo será científico ou não subsistirá".

Recebeu dos Espíritos que "assinam" os prolegômenos de "O livro dos Espíritos" a resposta mais próxima da verdade científica até hoje já concebida: - Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. A lei básica que rege o Universo (todas as coisas) é a lei de Causa e Efeito ou Ação e Reação, como é conhecida no meio científico. Para um efeito inteligente sempre haverá uma causa inteligente correspondente.

Para que possamos chegar próximos a entender o que é Deus, devemos fazer um esforço para idealizarmos mais ou menos o que seria o Universo, começando portanto pela tomada de consciência do espaço tridimensional (comprimento, largura e altura) que ocupamos no mesmo, passando daí para a percepção do espaço da nossa residência, bairro, cidade, estado, país, continente e planeta Terra com seus 40.000 quilômetros de extensão na circunferência. A Terra faz parte de um sistema solar que possui apenas 9 planetas com 57 satélites no total de 68 corpos celestes. A "grosso modo" em relação a outros astros do sistema solar, a Terra possui um volume 49 vezes maior que o da lua e 1.300.000 vezes menor que o do sol. É preciso que tenhamos noção de sua pouca importância diante do restante do Universo.

Nosso sistema solar faz parte de uma pequena galáxia conhecida por Via Láctea, um aglomerado de cerca de 100 bilhões de estrelas, com pelo menos cem milhões de planetas e conforme os astrônomos, no mínimo cem mil com vida inteligente e mil com civilizações mais evoluídas que a nossa. As últimas observações do telescópio Hubble (em órbita), elevaram o número de galáxias conhecidas para 50 milhões. Em 1991, em Greenwich, na Inglaterra, o observatório localizou um quasar (possível ninho de galáxias) com a luminosidade correspondente a 1 quatrilhão de sóis.

Diante destes números pensaríamos haver chegado na idéia do que é o Universo; ledo engano, pois estas áreas, ou melhor, volumes, representariam apenas 3% do que seria a totalidade de tudo dentro do tridimensional e espaço / tempo como conhecemos. Os espaços interplanetários, interestrelares e intergalácticos, obviamente, formariam a maior parte daquilo que chamamos de Universo.

Os fenômenos de aporte (transporte de matéria através de outras dimensões) tão conhecidos dos pesquisadores da paranormalidade e a anti-matéria já produzida em laboratórios experimentais mais desenvolvidos através do planeta, nos dão a confirmação dos estudos de pesquisadores da capacidade de um Friedrich Zöllner, que no século passado , comprova a existência da quarta dimensão e conseqüentemente outros tantos Universos, quantas tantas dimensões for possível conhecermos. A teoria mais moderna da criação do Universo, nos remete não apenas para o Bigbang (a grande explosão) início de tudo, mas, para a idéia de vários bigbangs, com Universos cíclicos através de quatrilhões ou mais de anos.

E aí?

Será que conseguimos chegar perto da idéia da concepção e tamanho da obra de Deus, para tentar entendê-lo?

Não seria no mínimo estranho que após esta monumental obra inteligente, Deus colocasse em um planeta que representa um ínfimo grão de areia em uma cadeia de montanhas como o Himalaia, sua grande criação, o homem, feito sua imagem e semelhança?

Nosso grande irmão e amigo Jesus, há 2000 anos, já passava em forma de contos e parábolas vários conhecimentos intelectuais e morais que possuía devido ao seu grande estado evolutivo, quando em missão entre nós, confiada pelo Criador afirmou: "Na casa de meu pai existem muitas moradas".

Para concluirmos esta nossa pequena intenção de lançarmos nossos confrades na especulação ao entendimento do que seria Deus, iremos nos valer da "coleção de livros" chamada Bíblia, que no entender do grande intelectual e eminente espírita Dr. Carlos Imbassahy, é um livro como outro qualquer, em que nos seus textos contém tudo que a gente queira para justificar, a favor ou contra qualquer coisa. No Antigo Testamento, Livro Gênesis, Capítulo 1 (Criação do homem), versículo 26 temos: "e (por fim) disse: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança (sic...)".

Se tomarmos como verdadeira a hipótese de que a Bíblia é a palavra de Deus, qual seria a imagem correta do nosso Criador? Um homem ou mulher? Velho, ariano de barbas longas ou de cor negra, e magro como os etíopes (teoricamente os primeiros hominídeos) ?

Não seria melhor tentarmos entender uma concepção mesmo que não a conheçamos bem? Como por exemplo: o que sabemos a respeito do que somos (espírito)? Qual a imagem fiel que temos do mesmo? Ninguém sabe, ou melhor, conhecemos bem o corpo material, e relativamente o periespiritual, mas não o espírito. Conforme Allan Kardec, o espírito é alguma coisa formado por uma substância, mas cuja matéria, que afeta nossos sentidos, ele não nos pode dar uma idéia.

Pode-se compará-lo a uma chama ou centelha cujo clarão varia de acordo com o grau de sua depuração.

Sendo assim, pois, teríamos o entendimento melhor de nossa imagem de acordo com a de Deus. No tocante a semelhança é mais fácil a sua comparação quando procuramos compreender a eternidade, já que a palavra pressupõe algo que não tem início nem fim, como Deus; que é infinito, único, perfeito e todo-poderoso. Já ao passo que nós somos algo como semi-eternos; tivemos um começo criado por Ele e evoluímos na Sua direção conforme o Seu desejo.

Paulo Roberto Martins
Artigo publicado no Jornal Espírita de Pernambuco.
Título: Re: O QUE É DEUS?
Enviado por: Marianna em 22 de Dezembro de 2009, 22:07


Na questão 1ª de "O Livro dos Espíritos", tratado da filosofia espírita, Allan Kardec perguntou aos Espíritos:

Que é Deus?

A pergunta de Kardec, só por si, revela-nos que Deus não é uma pessoa já que não pergunta: Quem é Deus? Revela-nos também que Deus não é um objeto ou uma coisa material, pois na pergunta o que não foi precedido do artigo o. Feita a análise da pergunta, passemos à resposta dada pelos Espíritos: "É a inteligência suprema, causa primária de todas as cousas".

- Isto é, sem Deus nada do que existe existiria.

É a Inteligência Suprema:

- Não existe nenhuma outra que sequer a iguale.

Os Espíritos, respondendo a Kardec quando desejava saber o que são os espíritos, disseram: "Os seres inteligentes da criação". Criados por Deus à sua imagem e semelhança, isto é, seres inteligentes como Inteligente Ele o é.

- O Ser Supremo é rico de atributos ou qualidades que O tornam ímpar no Universo.

Deus é eterno.

- Existe de toda a eternidade. Não teve princípio e nem terá fim.

É imutável.

- É sempre o mesmo hoje como o foi ontem e o será amanhã.  

É por isso que disse a Moisés para que O revelasse ao Faraó: "Aquele que é te mandou".

- É soberanamente bom e justo.
- É infinitamente Misericordioso.
- E onisciente.
- E onipresente
- E onipotente.

E em todos os atributos Ele o é infinitamente perfeito.

Na visão espírita, Deus jamais condenará uma criatura sua ao castigo eterno, pois ao criar o espírito tinha e tem Ele ciência dos erros que essa sua criatura cometeria ao longo de sua vida, logo cometeria "erros imperdoáveis" que a levariam ao "castigo eterno?" Sendo infinitamente Misericordioso, dará sempre ao faltoso - qualquer que seja a falta, porque o Espírito jamais poderá ser infinitamente mau - uma oportunidade a mais para refazer sua vida, corrigindo os erros.

Jesus nos ensinou, a nós espíritos imperfeitos, que devemos perdoar setenta e sete vezes as ofensas recebidas, logo Deus, a perfeição absoluta, perdoará sempre as ofensas ou faltas de suas criaturas imperfeitas, porque a sua criatura jamais cometerá o mal infinito. Não se pode, pois, punir com penas infinitas, eternas, as faltas finitas dos homens ou dos Espíritos.

Deus, na visão espírita, é o DEUS PAI que ama incondicional e desmedidamente todas as suas criaturas. Soberanamente Bom e Justo, distribuirá a Sua Justiça com Misericórdia.

- Este é o DEUS dos espíritas.

Expedito Luiz Leão.