Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Tópico iniciado por: Ignarus em 05 de Janeiro de 2013, 02:15

Título: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 05 de Janeiro de 2013, 02:15
    Infelizmente,  vemos tantos que gastam verdadeiras fortunas com seus animais de estimação.  Tomam os mais variados cuidados: banhos, tosas, manicure, veterinário,  remédios, roupas, hotel, rações, etc., etc., e etc... . Enquanto isso nosso  irmãos sofrem com o abandono, com a fome, frio, desprezo, preconceitos e tantos  outros tipos de discriminação. Diante disso deixamos a seguinte pergunta, será  que invertemos os valores e as prioridades? Será que uma vida humana vale menos  do que a de um cão?  Claro que todos são  importantes e são filhos do mesmo Deus, mas será que alimentar uma criança,  dar-lhe cuidados e dignidade é menos trabalhoso, meritório e digno do que  cuidar de bicho de estimação? Onde está o espírito Cristão nesta atitude? Será  que toda essa onda de violência e viciação não é em decorrência do abandono,  também, por parte as sociedade que simplesmente fecha os olhos àqueles que  sofrem relegando-os aos cuidados do falido poder público?
Façamos algo  em nome do amor aos animais e dos humanos!
Adote uma  criança!

***
Adotar uma  criança é sim um ato de amor, incondicional. Segundo Allan Kardec: “O corpo  procede do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito” (Evangelho Segundo o  Espiritismo – Kardec, A.). Quando adotamos, ou pensamos em adotar uma criança,  devemos estar cientes de que entra para nossas vidas outro ser humano, com uma  bagagem afetiva, genética, histórica, diversa da nossa. Por outro lado, se  pensarmos bem somos todos adotados, pois ninguém é propriedade de ninguém. Um  filho nosso de hoje poderá vir a ser nosso pai ou mãe amanhã. Isso é o que  estabelece a lei da reencarnação.

Neste plano  terreno, onde tantas são nossas provas e expiações, assumir os cuidados para  com uma criança que se encontra sozinha no mundo constitui a um só tempo,  formar as bases para se criar um ser humano mais feliz e cumprir com uma etapa  de uma encarnação bem sucedida. desta forma ter um filho adotivo ou biológico  sempre será para a família uma forma de ressarcir débitos anteriores, direta ou  indiretamente, independente de serem da família ou da própria criança.

Qualquer  pessoa pode adotar uma criança, desde que maior, com condições psicológicas e  financeiras estáveis. Há uma crítica quanto aos casais homossexuais serem  capazes ou não de adotar uma criança. Pessoalmente acredito que onde há amor,  há compromisso e há a necessidade de ser amado, todas as maneiras de amar podem  ser possíveis, afinal, são de almas reencarnantes de que estamos falando.

Aonde há  exercício da afetividade e da solidariedade fraterna, há progresso. N o Evangelho  Segundo o Espiritismo, Cap. XI, item 9, diz: “Disse Jesus: ‘Amai o vosso  próximo como a vós mesmos’. Nossa relação com o próximo deveria de ser  ilimitada, sem famílias, nações ou seitas para bloqueá-la, ou seja, a  humanidade inteira. De livre arbítrio do indivíduo entender se o exercício que  está fazendo dentro da relação é de solidariedade, desenvolvimento de laços  fraternos, ou se apenas está baseado nas sensações e na busca da sensualidade.

Levando em  conta que a constituição de laços de família é uma necessidade do Espírito, a  família terrena é um instrumento para a construção da família espiritual. Desta  forma, devemos ponderar que, ao adotar uma criança, devemos também estar  conscientes de que assumimos a responsabilidade da problemática do ser adotado.  O espírito Joana de Angelis nos alerta que os filhos recusados em outras etapas  alcançar-nos-ão o lar ou a intimidade por processos transversos. Portanto, se  você pensa em adotar uma criança, você pode estar adotando, nada mais nada  menos, um ser que de alguma maneira está relacionado com sua vida anterior.  Somos todos irmãos, ligados por um mesmo laço: cada indivíduo que passa por  nós, nos deixa um pouco de si e leva um pouco de nós, Fernando Pessoa já dizia  isso, quem somos nós para refutá-lo?

Um casal  impossibilitado de ter filhos agiria de acordo com a Caridade se adotasse. Se  eles desejam filhos e não os consegue ter é porque certamente estão num  processo de reabilitação, que eles podem apressar com a adoção de crianças  desvalidas.

Enfim,  adotar uma criança é um grande ato de amor e uma solução feliz para aqueles  casais que não podem ter filhos ou para os que têm e sentem a necessidade de  amparar mais um ser. Desta forma não estamos trazendo para dentro de nossas  casas filhos sem pai nem mãe, mas sim, grandes afetos nossos de passadas  reencarnações, espíritos com quem devemos nos reajustar. Os Órfãos, no  Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. 13, item 18, diz: “Meus irmãos, amai os  órfãos. Se soubésseis quanto é triste ser só e abandonado, sobretudo na  infância! Deus permite que haja órfãos, para exortar-nos a servir-lhes de  pais.”

Por  Liudimila Carla Pinheiro, em Rede Amigo Espírita.
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 07 de Janeiro de 2013, 16:46
Adotar por Amor (à criança e não a si próprio)

Atualmente, vemos inúmeros casos de maus tratos com crianças adotivas. O que diz o espiritismo sobre a adoção?

Nos orfanatos, uma imensidão de crianças está à espera de adoção. Esperam dia após dia que um casal venha lhes oferecer um lar, amor e carinho. Para muitos, cada dia que passa se torna mais difícil, pois as pessoas preferem adotar crianças recém-nascidas ou com no máximo, dois anos de idade. Muitas crianças também são retiradas de seus lares por maus tratos, dos próprios pais biológicos. Assim, os orfanatos abrigam estes dois místeres.

Conforme estudos feitos por Elinor Ames, no Canadá, foi diagnosticado que 78% das crianças romenas provenientes de orfanato estavam atrasadas quando foram adotadas, ou seja, a vida no orfanato tende a inibir a inteligência das crianças, gerando um prejuízo no aprendizado.

Atualmente, as adoções deixaram de ser um ato caridoso, pois 63% dos casais procuram a adoção por problemas de infertilidade, enquanto que 37% ainda se comovem com a situação destas crianças e adotam por amor.

Existe um cuidado, por parte das autoridades, ao liberar uma criança para adoção. Este cuidado que as autoridades têm em excesso é para evitar que as crianças venham a sofrer maus tratos ou sejam vendidas para casais estrangeiros, no tráfico ilegal.

O escritor Richard Simonetti explica em seu livro “Temas de Hoje, Problemas de Sempre”, que “há Espíritos que reencarnam para serem filhos adotivos. Esta situação faz parte de suas provações, geralmente porque no passado se comportaram de forma indigna em relação aos deveres familiares. Voltam ao convívio dos companheiros do pretérito sem laços de consangüinidade, o que para os Espíritos de mediana evolução representa sempre uma provação difícil, destinada a ensiná-los a valorizar a vida familiar”.

Recentemente, o jornal Correio Braziliense publicou que um casal da Flórida torturava cinco de seus sete filhos adotivos. Linda, 51 anos e Jonh Dollar, 58, foram presos no Estado de Utah, por manterem as crianças em cárcere privado. As crianças tiveram unhas arrancadas com alicate e, segundo uma autoridade, estavam tão desnutridas “que pareciam sobreviventes de Auschwits” - em referência ao campo de concentração nazista na Polônia.

Apesar de ter acontecido nos Estados Unidos, também acontecem maus tratos no Brasil. Por isto, os órgãos competentes brasileiros exercem uma vigilância constante para que as crianças sejam adotadas por casais que não tragam maiores problemas emocionais, afinal, nos orfanatos, a falta dos pais, amor e carinho, já traz um prejuízo incalculável para elas. Dessa forma, a burocracia prevalece; papeladas e mais papeladas são preenchidas na intenção de que o menor venha a ter um verdadeiro lar e não seja protagonista de um “filme de terror”.

Infelizmente, muitas crianças ficam nos orfanatos por problemas de saúde, idade, cor. Devemos ter a consciência de que a adoção é um ato caridoso e de amor; não deveríamos escolher pela beleza física – pele clara, loira e de olhos azuis -, pois estamos adotando um espírito em evolução que depende de nós para que possamos, também, prosseguir em nossa caminhada evolutiva, e muitas vezes, dependemos deste companheiro para repararmos alguns erros do passado.

Simonetti ainda escreve que “harmoniza-se, assim, a situação de um grupo reunido no lar para serviços de resgate e reajuste, competindo aos pais, o máximo de cuidado em favor daquele familiar que ressurge na condição de filho adotivo. Este, mais do que os outros, é alguém necessitado de muita compreensão e carinho, a fim de que, superando o trauma que fatalmente experimentará ao ter conhecimento de sua condição, aproveite integralmente os benefícios da experiência, sem marcas negativas em sua personalidade”.

Podemos ver que é uma responsabilidade muito grande a adoção, pois estará junto de nós um espírito que necessita de auxílio, e o sucesso de seu resgate dependerá da forma com que os pais adotivos irão criá-lo. Existe um ditado que diz que “pai é aquele que cria”. Há muita verdade nestas palavras que soam como dedicação e carinho, afinal, o filho adotivo pode trazer para o casal que não pode ter um filho “legítimo”, muitas felicidades e a realização de serem pais.

Os lares provisórios são uma outra forma das pessoas poderem ter contato com as crianças do orfanato, levando-as para sua residência, mesmo que seja apenas nos finais de semana. É um jeito de dar a estas crianças tão sofridas um pouco de alegria. Muitas vezes, pensamos que é pouco, mas para elas, o amor não tem preço e vale mais que muitas fortunas. Muitos lares provisórios acabam por se tornar uma adoção, devido aos laços afetivos criados entre o adulto e a criança.

Algumas empresas brasileiras, sabendo da intenção de seus funcionários em adotar uma criança, mas receosos do desgaste emocional e burocrático do processo, colocam o serviço social da empresa para auxiliar nos trâmites oficiais. Assim, concluída a fase legal, os pais adotivos recebem benefícios idênticos aos dos pais de filhos legítimos. Isso mostra que algumas coisas têm mudado, mas muito ainda precisa ser feito para que os orfanatos não fiquem lotados de crianças sem esperança, aliás, a esperança de um dia serem adotadas por uma família é o que lhes conforta na vida.

***
Façamos sempre tudo o que pudermos para ajudar, nem que seja uma oração.
 
Paz Sempre!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mourarego em 07 de Janeiro de 2013, 16:52
Sabemos que muitos dos que adotam, e esta uma prática muito usada no nordeste, o fazem para terem nos adotados, no mais das vezes apenas pegados para criar com eles dizem, escravos modernos, trabalhando sem receberem senão as sobras da comida e as roupas inservíveis dos patrões.
Seu post me fez lembrar da estrofe de música do Eduardo Duzek que dia assim:
"Troque seu cachorro
Por uma criança pobre
(Baptuba! Uap Baptuba!)
Sem parente, sem carinho
Sem rango, sem cobre
(Baptuba! Uap Baptuba!)
Deixe na história de sua vida
Uma notícia nobre..."
Abraços,
Moura
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 07 de Janeiro de 2013, 18:09
Só uma ressalva, mano Moura, não é só Nordeste não, inclusive agora com as "bolsas" oferecidas pelo governo. Mas o problema é mundial e só não enxerga quem não deseja ver.

Abraços!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mourarego em 08 de Janeiro de 2013, 14:32
Correto mano Ignarus, é que eu costumo mais me fixar por aqui mesmo.
Abraços
Só uma ressalva, mano Moura, não é só Nordeste não, inclusive agora com as "bolsas" oferecidas pelo governo. Mas o problema é mundial e só não enxerga quem não deseja ver.

Abraços!
Moura
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 08 de Janeiro de 2013, 15:59
Caros amigos, muita gente desejosas de fazer o bem e a caridade nos pergunta:

- como posso ajudar?
- como fazer o bem ?
- onde sou necessário?

Lembremos neste momento o ensinamento do Mestre Jesus para com aqueles que desejam segui-lo na jornada do bem:
Vai, vende tudo que tens e dá aos pobres! Jesus - (Mc 10,17-30)

Dizendo em outras palavras podemos entender assim: vem, despoja-te de teu orgulho e de teu egoísmo para ajudar quem precisa, liberte-se de si próprio para fazer o bem.

Pois bem, compreendido isso, vejamos quem mais necessita de socorro urgente e iremos constatar que muitos precisam de ajuda, mas se desejas realmente fazer algo por amor, adote uma criança e ame-a como desejarias ser amado.

Meditando Sempre!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mourarego em 08 de Janeiro de 2013, 17:01
Amigos, sabemos oque muitos não gostariam de adotar uma criança, e para estes casos, já existe em muitos orfanatos o apadrinhamento, pelo qual  quem se veja tocado à ajuda pode contribuir especificamente com uma ou mais crianças, destinando-lhes um valor.
Abraços,
Mmoura
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: EsoEstudos em 08 de Janeiro de 2013, 22:20
De minha parte, sou suspeito...
Ao todo tenho 8 filhos (são já 3 netos e mais um quase nascendo), sendo biológico meu apenas um.
Todos são idênticos (no Amor) e totalmente distintos (na Alma).
Os três filhos mais novos têm 9, 8 e 7 anos.
Para mim não é missão, é puro interesse!  ;)  A satisfação que sinto é impagável...
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 08 de Janeiro de 2013, 23:02
E assim com seu depoimento amigo EsoEstudos comprova-se a veracidade do ensinamento Cristão:
"Porque, àquele que já tem, mais se lhe dará e ele ficará na abundância; àquele, entretanto, que não tem, mesmo o que tem se lhe tirará." (Jesus - Mt 13, 12)

Quem doa amor se farta de alegrias sem fim!

Paz Sempre!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 08 de Janeiro de 2013, 23:09
Sempre fui a favor da adoção. Não penso em ter filhos ainda ,mas a adoção, independente de poder gerar um filho, é uma forte possibilidade.
Porém não concordo muito com a linha de raciocínio da autora da mensagem de abertura do tópico.
Primeiro, comparar adoção de animais com crianças foi muito infeliz.
Uma criança exige muito, mas muito mais cuidado, atenção e recursos financeiros do que um cão. Cachorro não vai para a escola, não tem plano de saúde, não precisa comprar roupa, sapato, livros escolares. O custo de um cão é infinitamente menor do que o de um filho.
Tenho dois cachorros e eles me custam exatamente 160 reais por mês que é o custo da ração, gostaria de saber em país se consegue sustentar uma criança de foma digna e decente com este valor.
Ainda, criança precisa de atenção 24 horas. Um descuido é fatal. É a piscina, a tomada de casa, os produtos de limpeza, tudo é risco, Não se pode deixar uma criança sozinha, Meus cachorros ficam horas sozinhos numa boa. Se fossem crianças teria ou que sair do trabalho ou ter que arcar com os custos de uma babá.

Não se trata apenas de uma questão de valor financeiro como foi colocado, tipo: já que banca um cachorro , banque uma criança. Isso é uma forma muito simplista e superficial de abordar a questão.

Outra coisa, já que ela jogou a bola para os outros, colocando na conta dos que adotam animais a obrigação de adotar crianças, pergunto: Esta obrigação não  é de todos?
Quer dizer então que as pessoas que adotam animais agora são as responsáveis pelos infortúnios e sofrimentos das crianças órfãs ou abandonadas?Será mesmo?

Pergunto:
Os casais não poderiam priorizar a adoção de crianças sem lar antes de gerarem seus próprios filhos?
 Não estaria por trás disso muto mais do nosso ego em querer gerar um filho que seja nosso, ou comoc se costuma dizer: "sangue do meu sangue"?
Se cada casal quando decidisse ter um filho, priorizasse a criança sem lar o problema não estaria resolvido?
Penso que a campanha para se adotar uma criança não deveria ser direcionada apenas aos que têm animais de estimação mas a todas as pessoas.
Sou muito a favor de que antes que pensemos em gerar nossos próprios filhos acolhamos um irmão que não tem lar.
Isso sim seria uma atitude muito louvável e muito mais digna e efetiva  do que colocar as pessoas que adotam animais como bodes expiatórios da indiferença alheia.
Plantemos amor em nossos corações e  enxerguemos a família como algo que transcende o laço sanguíneo e a necessidade de perpetuação de si mesmo e aí sim, todas as crianças terão um lar.

paz e luz
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: EsoEstudos em 08 de Janeiro de 2013, 23:16
Eu acho que o bem que se faça a um animal deve ser, sempre e sempre, estimulado e louvado.

Concordo em não misturar as coisas. Na verdade, se a adoção permite dar uma vida melhor a uma criança, nada melhor do que acarinhá-la com um bichinho de estimação, ou vários, não é mesmo?  ;)

É preciso que existam pessoas atuando em todos os setores... Ajudar um animal que por estar próximo do homem muitas vezes sofre-lhe as más influências é de todo louvável.
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mario Vet em 08 de Janeiro de 2013, 23:50
EsoEstudos,

Assino embaixo!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 09 de Janeiro de 2013, 00:05

Realmente,
 cuidar de um animal é bem mais fácil do que de uma criança, não exige renúncias! e se precisar pode deixá-los aos cuidados de qualquer um. Mas cada um dá o que tem e não se pode exigir algo de quem não tem!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: EsoEstudos em 09 de Janeiro de 2013, 00:07

Não devemos julgar as pessoas. Devemos discutir ideias, não é isso?

Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mario Vet em 09 de Janeiro de 2013, 00:40

...não exige renúncias! e se precisar pode deixá-los aos cuidados de qualquer um...

Desculpe amigo, cuidar de animal exige renúncias sim e em hipótese nenhuma deixo meus animais aos cuidados de qualquer um...

Paz e Luz!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 09 de Janeiro de 2013, 00:50

...não exige renúncias! e se precisar pode deixá-los aos cuidados de qualquer um...

Desculpe amigo, cuidar de animal exige renúncias sim e em hipótese nenhuma deixo meus animais aos cuidados de qualquer um...

Paz e Luz!

de fato! mas se comparado a uma criança....

Paz e Luz!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2013, 00:54
Lógico que exige, menos que crianças é verdade mas exige.
Por exemplo, se você vai sair para trabalhar não precisa deixar alguém tomando conta do cachorro, mas se tem uma criança não pode deixá-la nem por um minuto sozinha.
Outro inconveniente são as viagens. Já deixei de viajar muitas vezes por não ter com quem deixá-los
O animal exige cuidados e dá trabalho ,mas não dá para comparar com um filho que exige vigilância em tempo integral.
Gostei das colocações do EsoEstudos, todos são servidores, "é preciso que existam pessoas atuando em todos os setores."

paz  e luz


Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2013, 01:00
Ignarus,
Espero que seja só uma impressão errada minha mas senti uma ponta de ironia no seu comentário.  Da forma como você se expressou ficou parecendo que está insinuando que quem adota animal não está disposto a fazer uma renúncia tão grande quanto adotar uma criança.
Então pergunto amigo, você já adotou uma criança? Já foi capaz de fazer o que está exigindo do próximo?
A autora do texto de abertura do tópico ,que critica a adoção de animais, por acaso também já fez sua parte e adotou uma criança?
Meditemos.
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 09 de Janeiro de 2013, 01:21
Cara Suzana, primiro estamos aqui para discutir ideis e não julgar pessoas! posto isto, respondo-lhe que tenho dois filhos adotados, um inclusive com 16 anos, o qual tenho o maior orgulho, pois além de pai sou mãe também há mais de 8 anos.

Também tenho animais os quais temos muito carinho.

Agora, falando a todos, dou o meu tedstemunho de convivido com famílias muito pobres finaceiramente, que não tem casa própria, que não tem planos de saúde, que não uma renda superior a dois salários mínimos e praticamente não tem instruçõa escolar. Mas que tem filhos adotivos e são milionários em amor, e hoje os filhos adotivos já adultos dizem que não trocariam nada por uma família rica. Isto não só comove mas demonstra o verdadeiro amor e a fé no Pai que sustenta aqueles que se propõe a seguir Jesus.

Conhe''co também pessoas boníssimas, caridosas e que gastam fortunas com seus animais e deixam de ajudar uma criança. Aliás nem é preciso adotar uma criança, bastaria apenas que colaborassem mensalmente com a manutenção como alertou o Mano Moura no início do Tópico.

Assim, minha irmã, cada um sabe de si, sabe o que é certo, sabe o caminho que deva seguir, sabe inclusive valorizar cada coisa devidamente.

Com certeza é muito ruim ver o sofrimento dos animais, judiados pelos homens, caçados pelos insensatos, largados pelos irresponsáveis. Mas assim também o é em relação as crianças e muito pior para a consciência, pelo menos a minha.

Paz Sempre!
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: EsoEstudos em 09 de Janeiro de 2013, 01:30
Isso!

Assim pensamos!

 :D
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2013, 11:20
Cara Suzana, primiro estamos aqui para discutir ideis e não julgar pessoas! posto isto, respondo-lhe que tenho dois filhos adotados, um inclusive com 16 anos, o qual tenho o maior orgulho, pois além de pai sou mãe também há mais de 8 anos.

Também tenho animais os quais temos muito carinho.

Agora, falando a todos, dou o meu tedstemunho de convivido com famílias muito pobres finaceiramente, que não tem casa própria, que não tem planos de saúde, que não uma renda superior a dois salários mínimos e praticamente não tem instruçõa escolar. Mas que tem filhos adotivos e são milionários em amor, e hoje os filhos adotivos já adultos dizem que não trocariam nada por uma família rica. Isto não só comove mas demonstra o verdadeiro amor e a fé no Pai que sustenta aqueles que se propõe a seguir Jesus.

Conhe''co também pessoas boníssimas, caridosas e que gastam fortunas com seus animais e deixam de ajudar uma criança. Aliás nem é preciso adotar uma criança, bastaria apenas que colaborassem mensalmente com a manutenção como alertou o Mano Moura no início do Tópico.

Assim, minha irmã, cada um sabe de si, sabe o que é certo, sabe o caminho que deva seguir, sabe inclusive valorizar cada coisa devidamente.

Com certeza é muito ruim ver o sofrimento dos animais, judiados pelos homens, caçados pelos insensatos, largados pelos irresponsáveis. Mas assim também o é em relação as crianças e muito pior para a consciência, pelo menos a minha.

Paz Sempre!

Que ótimo!  Parabenizo-lhe pelo belo exemplo e  justamente por isso deveria ser o primeiro a não julgar as pessoas.
Eu sempre defendi  a ideia de que se todas as pessoas, antes de terem seus  filhos, adotassem não haveria criança sem lar, mas nunca critiquei quem não o faz.
Infelizmente ainda não conheci uma única pessoa que tenha buscado o recurso da adoção senão após ter seus filhos, sei que existem porque vejo alguns casos na mídia mas na esmagadora maioria as pessoas adotam porque não podem gerar seus próprios filhos ou quando já os têm. A adoção raramente é a primeira opção.
Deveríamos pensar nos que não tem lar antes de trazer uma criança ao mundo, isso resolveria o problema das crianças abandonadas, este é meu pensar.
Só não acho correto insinuar que quem adota animais não tem amor pelos seres humanos e não é capaz de fazer tamanha renúncia.
Não calçamos o sapato dos outros e não sabemos as outra renúncias que ele já fez em sua vida.  Da forma como o texto colocou ficou parecendo que quem adota animais são desalmados que não se preocupam com as crianças e isso é muito injusto além de não ser nada caridoso colocar na conta destas pessoas uma responsabilidade que é de todos nós.
Não critiquei seu pensar em nenhum momento, questionei a autora do texto inicial por sua comparação muito infeliz entre adotar crianças e cachorros e também quanto à sua crítica a quem adota animais.
Daí, não sei porque você tomou a o comentário para si e ironizou a situação de quem adota animais insinuando que eles não têm espírito de renúncia. Foi aí que se perdeu porque de forma indireta julgou e criticou o próximo.
Podemos defender e estimular a adoção sem precisar usar deste recurso.
Bem lembrado o alerta sobre discutir idéias, se não percebeu ele lhe foi direcionado há alguns comentários atrás quando fez justamente isso: criticou pessoas.
O texto que você trouxe depois estava muito bom, imparcial sem críticas a ninguém, mas o primeiro apesar de ter ótimas passagens pecou sim neste ponto e não pude deixar de fazer a observação.
Reforço o que disse antes: o alerta sobre adoção deve ser direcionado a todas as pessoas e não apenas as que adotam animais.
 Ninguém pode ser responsabilizado e criticado pela indiferença alheia, que cada um tome a sua cruz.

P.S: Percebe que continua criticando o próximo:


Conhe''co também pessoas boníssimas, caridosas e que gastam fortunas com seus animais e deixam de ajudar uma criança. Aliás nem é preciso adotar uma criança, bastaria apenas que colaborassem mensalmente com a manutenção como alertou o Mano Moura no início do Tópico.


Olha , sim tem pessoas que gastam fortunas com seus animais mas eu não convivo diriamente com elas para saber se também não direcionam seus recursos para ajudar ao próximo em paralelo, em algum momento. Além do mais os animais também são criaturas divinas, então creio que Deus vê com bons olhos o amor direcionado a eles.
Amor é amor, com o tempo o homem  aprende a não ver diferença entre um homem e uma formiga, essa separação não existe é uma ilusão. Deus palpita em todas suas criaturas.
  Ás vezes não fazemos o que criticamos no próximo e já temos discernimento quanto áquilo, mas por outro lado podemos ter questões muito mais sérias a trabalhar que ainda não enxergamos, por isso melhor se abster de criticar o próximo, ele pode estar fazendo hoje justamente o que fizemos ontem, é apena um irmão muitas vezes menos experimentado do que nós. Talvez esteja ele ensaiando seus primeiros passos na afetividade.
Talvez o afeto direcionado apenas a um animal já lhe seja um avanço em relação á sua última encarnação quando nem isso existia, vai saber? ;)

paz e luz
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2013, 12:06
Cara Silvia( via facebook)
É provável que seja um resgate de vocês( a certeza mesmo é difícil).
Dizem os amigos espirituais que é nos seio familiar que se encontram as pessoas com que mais precisamos nos harmonizar.
O filho que nos deve chegar perante os compromissos assumidos, chegará de um jeito ou de outro. Se não for gerado por nós é muito provável que nos chegue por uma adoção, tudo se encadeia nos desígnios divinos.
Por isso, pense, e se fosse um filho gerado por você? Qual a garantia de que a criança ao crescer não iria lhe trazer problemas?
Filhos dão problemas, adotados ou não.
Infelizmente esta sua queixa é comum a todas as famílias inclusive àqueles  pais que geraram seus filhos. A adolescência em especial é um período muito difícil para os pais.
Ás vezas as pessoas dizem que adoção é perigoso porque não se sabe a genética dos pais, mas para os espíritas isso não tem o menor fundamento já que a personalidade do espírito não é determinada pela genética mas é ela quem condiciona sua genética.
O corpo não dá nada ao espírito que já não lhe seja próprio, é o espírito que exprime no veículo físico suas tendências através a genética.
De qualquer forma ore por ele, peça auxílio a espiritualidade, procure fazer o Evangelho no Lar ou algo similar transformando seu lar em um templo de Deus, isso possivelmente terá algum impacto positivo sobre ás disposições mentais de seu filho.
Mas é isso mesmo, conheço a história de muitas famílias e a maioria delas teve que enfrentar muitas provas com seus filhos, nos fortaleçamos em Deus e sigamos em frente.
abraços
Susana
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 09 de Janeiro de 2013, 12:18
Cara Suzana eu tinha escrito um longo texto endereçado a você, mas resolvi que não tenho mais o que discutir com você.
 
Lembre-se apenas que todos tem o direito de defender seus pontos de vista e não nos é lícito fazer comentários a respeito das pessoas, isso não é prudente. Assim, se desejas me criticar faça-o através do e-mail que disponibilzei para isso, não use este espaço para criar dilemas pessoais. Acho que você já sabe disso!
 
Digo-lhe apenas que o que foi escrito não foi direcionado a ninguém como crítica e sim foi um apelo diante das misérias que vivem tantas crianças do mundo todo enquanto tantos gastam tanto para criar seus animais de estimação.
 
Apenas aqueles que não suportam ser contrariados levam o assunto para o lado pessoal e passam da defesa de ideias à acusações descabidas e deselegantes, isso é apenas falta de coerência doutrinária, humildade, educação e caridade.
 
Diante de uma causa destas acho que todos que seguem Jesus através da Doutrina Espírita deveriam ajudar divulgando a ideia, conscientizando pessoas, disseminando o amor ao próximo.
E falo isso não só com conhecimento de causa como vivência, pois também fui adotado!
A grandeza do caráter está nas importâncias de suas escolhas!
Paz sempre!

Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2013, 14:12
Ignarus...
Eu entendi o seu propósito. O objetivo foi muito nobre, a mensagem principal foi passada.
Só não concordo que para se defender a adoção tem que se criticar o próximo e pior responsabilizar um grupo de pessoas como responsáveis pelas misérias humanas. Responsabildiade social é dever de todo cidadão. Está na Constituição Federal que é dever de todos nós ampararmos as crianças e não apenas dos que adotam animais. ;)
Você foi muito bem, os textos estavam ótimos só que este ponto não deu para ignorar.
Você poderia ter deixado o recado sem ter ironizado as pessoas que adotam animais, cada um de nós tem um papel a desempenhar.
A adoção é uma forma de se demonstrar amor , mas não é a única. Deus tem diferentes "faces", nós podemos ser úteis como instrumentos divinos de várias maneiras, a adoção de crianças é uma delas, mas não é a única.
 paz e luz
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mourarego em 09 de Janeiro de 2013, 14:17
Até porque, maninha Susana,
o que nos diz que não possa, aquele que cuida de animais mas não adota uma criança, estar, ajudando um orfanato, custeando estudos e saúde de meninos sem lar?
Uma coisa não invalida a a outra.
Abraços,
Moura
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2013, 14:29
Sim Moura.
Conheço pesoas que fazem justamente isso. Adotam animais e ajudam instituições, fazem trabalho voluntário, etc.
Parece haver uma idéia ,equivocadamente disseminada, de quem gosta de bicho não se preocupa com gente. Não sei de onde veio isso.
Convivo com pessoas que ajudam gente e animais, nunca achei que um invalidasse o outro.
 paz e luz
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mourarego em 09 de Janeiro de 2013, 14:31
Exato, até porque aquele que gosta mesmo de gente, entende que o animal por não ter a mesma capacidade, deve também ser contemplado com nossa consideração carinho e amor.
Abraços,
Moura
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 09 de Janeiro de 2013, 15:10
Suzana, entenda como ironia a palavras do Eduardo Dusek em sua música que, trenho certeza, foi jusatamente para alertar a tantos que gastam tanto com futilidades para seus pets e fecham os olhos para as mazelas humanas achando que quem deve dar resolver os problemas citados sãos os outros. Vejo ainda muitra incoerência nas suas palavras que agora elogia a mensagem visto que antes as criticava com veemência. Pense bem!

Às vezes vestimos as carapuças lançadas ao alto sem sermos o alvo, mas se coube, então atendeu ao fim que se propôs.

Meditando Sempre.
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: cgmachado em 09 de Janeiro de 2013, 15:56
Tema complicado, acho que não devemos julgar as pessoas que gastam com seus animais e não adotam crianças, porque nao dá para comparar um com o outro. Para adotar uma criança a pessoa tem que estar preparada em todos os sentidos. Principalmente em aceitar e amar um ser que não vem de vc, que por sinal é uma atitude admiravel. Talvez quem tenha seus animais não esteja pronto para assumir tal responsabilidade como adotar, além disso muita gente desiste na fila de espera devido a burocracia que existe no Brasil, em média leva mais de 5 anos, enquanto isso a criança fica sofrendo nos orfanatos, são 5 anos perdidos, podendo ter sido amado, respeitado.
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: EsoEstudos em 09 de Janeiro de 2013, 16:21
Tema complicado, acho que não devemos julgar as pessoas que gastam com seus animais e não adotam crianças, porque nao dá para comparar um com o outro. Para adotar uma criança a pessoa tem que estar preparada em todos os sentidos. Principalmente em aceitar e amar um ser que não vem de vc, que por sinal é uma atitude admiravel. Talvez quem tenha seus animais não esteja pronto para assumir tal responsabilidade como adotar, além disso muita gente desiste na fila de espera devido a burocracia que existe no Brasil, em média leva mais de 5 anos, enquanto isso a criança fica sofrendo nos orfanatos, são 5 anos perdidos, podendo ter sido amado, respeitado.

Nesse ponto (e apenas nesse), infelizmente vem ocorrendo mesmo...

Mas os Juízes e Promotores das Varas da Infância e da Juventude também vêm realizando um trabalho muito difícil em que a demanda, ao contrário do que muitos imaginam, é bem grande.

Genericamente falando, há quem faça tantas exigências que a fila não anda mesmo...

Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2013, 16:26
Ignarus,
Você vê incoerência porque quer. Releia com isenção e imparcialidade todos meus comentários.
Verá que nunca disse que acho errado adotar ou critiquei todos os textos postados por você, ao contrário defendi a adoção.
Minhas observações foram pontuais:
1- crítica da autora do texto inical aos que adotam animais querendo dar lição de moral de forma preconceituosa insinuando que quem tem dinheiro para cuidar de bicho deveria cuidar de gente.
2- sua crítica, endossando a afirmação da autora do texto inicial, no sentido de que quem adota animal não é capaz de ter um gesto tão generoso como adotar uma criança( nas suas palavras não existe uma renúncia de fato).

Só isso. Apenas isso. Simplesmente isso.

O próprio texto inicial não é de todo ruim, tem partes interessantes( do meio para o final) mas no começo ela derrapou tentando delegar para um grupo diminuto uma responsabilidade que cabe a todos e indiretamente os condenando por suas escolhas.
Assim, como você que estava indo muito bem até querer ditar normas de conduta e  dizer como os outros devem agir.

Se ler todas as minhas mensagens vai ver que concordo com tudo o que foi exposto menos com esta forçação de barra de tentar usar outros irmãos como bodes expiatórios para os infortúnios humanos.
Esqueçam a meia dúzia de pessoas que tratam animais como brinquedos, não são elas as responsáveis pela triste situação de muitas crianças. O número de pessoas que não se encontra nesta situação e que poderia efetivamente fazer algo para mudar esta realidade é muito superior aos proprietários de animais.
Não adianta querer entubar algo que não existe dentro de alguém. Se a pessoa  ainda não consegue ter empatia pelo próximo não vai ser a leitura de um texto que irá plantar isso em seu coração.
O desenvolvimento da afetividade é um longo caminhar. Muitos irmãos ainda estam ensaindo os primeiros passo nesse sentido então tenhamos compreensão e entendimento.
paz e luz
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: cgmachado em 09 de Janeiro de 2013, 16:29
Primeiramente admiro muito essas mães adotivas, estão de Parabens, por tao nobre atitude. Realmente muita gente exige, bebe pequeno, olhos azuis, loiros, etc... Mas acho estranho como estrangeiros tem facilidades em adotar crianças aqui no Brasil. Será que é pq tem mais dinheiro??
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mourarego em 09 de Janeiro de 2013, 16:30
Só lembrando, "Devemos ser tolerantes para com os erros dos outros mas exigentes para com os nossos erros" (ESE)
abraços,
Moura
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2013, 16:39
Pois é, eu também fiz a mesma pergunta e descobri que faz.
Então, nada mais a dizer. Creio que já dei minha contribuição, qualquer coisa que diga agora será chover no molhado como aliás já tenho feito há algumas mensagens.


paz e luz
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Mourarego em 09 de Janeiro de 2013, 16:44
machado, veja: você fala em que não se julgue, mas observe, tudo oque você trouxe não passa de outro julgamento.
Vamos aprender a ver o que escrevemos, pois que julgar todos o podem já que é ato de Espírito. Afinal é ele quem pensa e não o corpo.
Cada um deve julgar conhecendo antes sobre o tema, fora disso não se trata de julgar mas sim de criticar sem base.
Por isso, ao final do ensino sobre o não julgueis Jesus nos explica, "para que não sejais julgados como mesmo peso que julgardes."
Ora, não soa estranho que só os outros nos possam julgar? A lei de Deus é equanime, não tem, por isso eleitos ou coisa que uns podem e outros não possam.
Abraços,
Moura
Título: Re: Adote uma criança!
Enviado por: Ignarus em 09 de Janeiro de 2013, 19:57
Quem o faz por amor, não vê dificuldades e nem diferenças!

Quem deseja ajudar e doar algo de si não escolhe e luta sempre até conseguir.

Juizes de Família, hoje bem mais conscientes levam em conta o amor e a dedicação e não só a condição finaceira. Aliás, se não fossem as leis teríamos muitos escravos infantis a medingar.

Contudo, aquele que desejar ádotar uma criança, que o faça por amor ao próximo e não para a satisfação pessoal.

Temos, no mundo todo, muitos pequenos sofredores a espera de um abraço amoroso. Pensemos nisso antes de tudo e façamos o que a nossa consciência mandar.

Abraços a todos!