Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Tópico iniciado por: MariaC em 11 de Abril de 2006, 22:13

Título: UMA PERGUNTA....
Enviado por: MariaC em 11 de Abril de 2006, 22:13

   Olá a todos,

   Quando alguem desencarna por negligênçia
   médica o que acontece a esse espirito que
   desencarna??
   
   Obrigada desde já!!

                                    Beijinhos :-* :-*
   
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: Mourarego em 12 de Abril de 2006, 19:12
Maninha Maria, vou te responder com uma analogia.
Quando o Espírito está para reencarnar e nota que o corpo a quem ele foi destinado não vingará, o que ele faz?
A resposta à esta questão em O Livro dos Espíritos é esta: " Procura outro"

Nessa analogioa o Espírito que se separa de suas vestes carnais, por força de negligência médica, também continua sua marcha para o progresso, em tempo apropriado, pois o Creador, que  é Soberanamente Justo e Bom, nõa permitiria que por erro de outrem,  aquele Espírito tivesse por finda sua possibilidade de tornar-se Puro Espírito.
Abraços,
Moura


   Olá a todos,

   Quando alguem desencarna por negligênçia
   médica o que acontece a esse espirito que
   desencarna??
   
   Obrigada desde já!!

                                    Beijinhos :-* :-*
   
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: demis em 12 de Abril de 2006, 19:35
Esse o grande problema de alguns Espíritas.
Quando estamos na carne, demis, o véu do esquecimento nos tolda as lembranças.
É uma benção esse véum pois mais das vezes em mundos de prova e expiação, tais lembranças ao invésde ajudanos nos fariam vacilar e errar mais.
Logo, o teu corpo, é o que precisas ter, e exatamente, para te fazer lembrar da Resignação, e melhor passar por tuas provas. Senão demis, Deus haveria de já ter perdido os dois atributos maiores que tem: O De ser SOBERANAMENTE JUSTO E BOM.
Abraços,
Moura


Quando o Espírito está para reencarnar e nota que o corpo a quem ele foi destinado não vingará, o que ele faz?
A resposta à esta questão em O Livro dos Espíritos é esta: " Procura outro"


então não sei como pude escolher o corpo que tenho!
tenho um corpo que não vingou em nada,incluindo no amor...
como posso ter escolhido este corpo?
ou será que fui obrigado a escolher?
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: Peregrino em 12 de Abril de 2006, 21:13
Amigos  :)

A negligencia médica é responsabilidade deste e terá que prestar contas a Deus por isso, mas quanto à "vitima", apenas há aqui uma instrumentalização que Deus fez, usando seu conhecimento do futuro, da impericia do medico, juntando às provas que o doente devia ter, neste caso, a morte, o desencarne. Isso está claramente expresso no Livro dos Espiritos:

853. Algumas pessoas só escapam de um perigo mortal para cair em outro. Pareceque não podem escapar da morte. Não há nisso fatalidade? “Fatal, no verdadeiro sentido da palavra, só o instante da morte o é. Chegado esse momento, de uma forma ou doutra, a ele não podeis furtar-vos.”
853a) - Assim, qualquer que seja o perigo que nos ameace, se a hora da morte ainda não chegou, não morreremos?
“Não; não perecerás e tens disso milhares de exemplos. Quando, porém, soe a hora da tua partida, nada poderá impedir que partas. Deus sabe de antemão de que gênero será a morte do homem e muitas vezes seu Espírito também o sabe, por lhe ter sido isso revelado, quando escolheu tal ou qual existência.”
854. Do fato de ser infalível a hora da morte, poder-se-á deduzir que sejam inúteis as precauções para evitá-la?
“Não, visto que as precauções que tomais vos são sugeridas com o fito de evitardes a morte que vos ameaça. São um dos meios empregados para que ela não se dê.”

Pg.
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: Peregrino em 12 de Abril de 2006, 21:23

Demis, tenha fé e coragem, veja mais além do presente dificil..

Nós escolhemos nossas provas antes de reencarnar, com a finalidade de mais rápido progredirmos e sermos felizes depois, regressados ao mundo dos Espiritos. Leia o cápitulo elucidativo sobre a escolha das provas pelo Espirito (N.º258 e seguintes do Livro dos espiritos)

Livro dos Espiritos, pergunta n.º335: Cabe ao Espírito a escolha do corpo em que encarne, ou somente a do gênero de vida que lhe sirva de prova?
Resposta: “Pode também escolher o corpo, porquanto as imperfeições que este apresente ainda serão, para o Espírito, provas que lhe auxiliarão o progresso, se vencer os obstáculos que lhe oponha. Nem sempre, porém, lhe é permitida a escolha do seu invólucro corpóreo; mas, simplesmente, a faculdade de pedir que seja tal ou qual.”

Livro dos Espiritos, pergunta n.º266: Não parece natural que se escolham as provas menos dolorosas?
Resposta: “Pode parecer-vos a vós; ao Espírito, não. Logo que este se desliga da matéria, cessa toda ilusão e outra passa a ser a sua maneira de pensar.

Vale a pena transcrever aqui o comentário de Kardec sobre esta questão:

Sob a influência das idéias carnais, o homem, na Terra, só vê das provas o lado penoso. Tal a razão de lhe parecer natural sejam escolhidas as que, do seu ponto de vista, podem coexistir com os gozos materiais. Na vida espiritual, porém, compara esses gozos fugazes e grosseiros com a inalterável felicidade que lhe é dado entrever e desde logo nenhuma impressão mais lhe causam os passageiros sofrimentos terrenos. Assim, pois, o Espírito pode escolher prova muito rude e, conseguintemente, uma angustiada existência, na esperança de alcançar depressa um estado melhor, como o doente escolhe muitas vezes o remédio mais desagradável para se curar de pronto.

A doutrina da liberdade que temos de escolher as nossas existências e as provas que devamos sofrer deixa de parecer singular, desde que se atenda a que os Espíritos, uma vez desprendidos da matéria, apreciam as coisas de modo diverso da nossa maneira de apreciá-los. Após cada existência, vêem o passo que deram e compreendem o que ainda lhes falta em pureza para atingirem aquela meta. Daí o se submeterem voluntariamente a todas as vicissitudes da vida corpórea, solicitando as que possam fazer que a alcancem mais presto. Não há, pois, motivo de espanto no facto de o Espírito não preferir a existência mais suave. Não lhe é possível, no estado de imperfeição em que se encontra, gozar de uma vida isenta de amarguras. Ele o percebe e, precisamente para chegar a fruí-la, é que trata de se melhorar.
 
O Espírito enxerga mais longe que o corpo e para qele a vida corporal é apenas incidente de curta duração. Que espanto ele escolher uma existência árdua e laboriosa, desde que o conduza à felicidade eterna? Os que dizem que pedirão para ser príncipes ou milionários, uma vez que ao homem é que caiba escolher a sua existência, se assemelham aos míopes, que apenas vêem aquilo em que tocam.
O viajante que atravessa profundo vale ensombrado por espesso nevoeiro não logra apanhar com a vista a extensão da estrada por onde vai, nem os seus pontos extremos. Chegando, porém, ao cume da montanha, abrange com o olhar quanto percorreu do caminho e quanto lhe resta dele a percorrer. Divisa-lhe o termo, vê os obstáculos que ainda terá de transpor e combina então os meios mais seguros de atingi-lo. O Espírito encarnado é qual viajante no sopé da montanha. Desenleado dos liames terrenais, sua visão tudo domina, como a daquele que subiu à crista da serrania. Para o viajante, no termo da sua jornada está o repouso após a fadiga; para o Espírito, está a felicidade suprema, após as tribulações e as provas.

Dizem todos os Espíritos que, na erraticidade, eles se aplicam a pesquisar, estudar, observar, a fim de fazerem a sua escolha. Na vida corporal não se nos oferece um exemplo deste fato? Não levamos, freqüentemente, anos a procurar a carreira pela qual afinal nos decidimos, certos de ser a mais apropriada a nos facilitar o caminho da vida? Se numa o nosso intento se malogra, recorremos a outra. Cada uma das que abraçamos representa uma fase, um período da vida. Não nos ocupamos cada dia em cogitar do que faremos no dia seguinte? Ora, que são, para o Espírito as diversas existências corporais, senão fases, períodos, dias da sua vida espírita, que é, como sabemos, a vida normal, visto que a outra é transitória, passageira?
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: demis em 13 de Abril de 2006, 10:46
mas é triste e tremendamente injusto numa vida não se chegar a saber o que é o amor nem ter a possibilidade de se constituir familia,isso é para mim o mais dificil...
sabemos que qualquer ser humano precisa de amor para se manter emocionalmente equilibrado...
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: Peregrino em 13 de Abril de 2006, 17:45
olá,Demis  :)

Dessa sua conclusão certissima de ser dificil a ausência desse "bem" decorre exactamente a compreensão da noção de "prova" ou "expiação", e a experiência do que sofre quem passe pelo mesmo (empatia): daí podermos entender que nos forticamos moralmente para, de futuro, passada a prova ou a expiação, não sermos a causa do próximo ser privado por nossa causa de um bem tal qual seja o amor e o amparo de alma afim.

Sei que é bem dificil a prova, mas é por isso que se chama "prova" e tem a eficácia de nos ser benefica.

Tudo passa, meu amigo. Há que seguir o convite de Jesus: "quem me quiser seguir, carregue sua cruz e me siga".

Um abraço, meu amigo, e que deus lhe dê ánimo e coragem para levar a bem a reencarnação que VOCÊ escolheu com sabedoria.

Pg.
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: demis em 13 de Abril de 2006, 17:54
olá peregrino,
nem sei como fui capaz de escolher algo tão dificil...
isso poderá ser uma expiação por suicidio?
ás vezes apetece-me desistir...
Título: Re: UMA PERGUNTA...
Enviado por: Peregrino em 13 de Abril de 2006, 20:11
Se desistir, volta para o mundo espiritual com a mesma necessidade evolutiva e o que já passou aqui não será suficiente.
E vai lá sofrer porque continua com a mesma necessidade evolutiva e quem sabe se quem sente a sua ausencia só poderá estar consigo depois destas provas? Vai adiar o afastamente por mais tempo? Acredite que Deus só permite que o Demis passe por estas provas para que alcance mais rápido a felicidade que tanto lhe falta. Leia o Livro dos Espiritos nas respostas cujo numero citei.
E não desiste se quer ser feliz. Já lhe disse: TUDO que é ruim PASSA.

Um abraço.
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: demis em 13 de Abril de 2006, 20:29
não acredito que tenha alguém á minha espera.
o que mais me custa é a solidão forçada
vejo certos tipos estrangeiros chegarem cá e andarem com mulheres...e eu a ver...
é justo?
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: M em 13 de Abril de 2006, 23:15
Olá Demis,
Há uma canção do Rod Stewart que diz: "Some guys have all the luck, some guys have all the pain".
Para uns só sorte, para outros só sofrimento, portanto... Ele é um íman, no que toca a mulheres, não tem razão de queixa (que se saiba).
Mas cá em Portugal costumamos dizer que há uma tampa para cada panela!
Então há que insistir. Só calha a quem joga ;)
M.
Título: Re: UMA PERGUNTA....
Enviado por: Light_pt em 19 de Abril de 2006, 06:19
Demis,
não sei a razão do teu sofrimento mas não consegui deixar de te deixar uma mensagem de ânimo.
Nem sempre o que é instituído e tido como prazenteiro é necessáriamente assim para todos. Eu sempre ouvi dizer que temos que viver com o que temos. Há muitas formas de felicidade, cabe a cada um encontrar a sua.
Na infância e adolescência li muitos romances. Os média bombardeiam-nos com estereótipos do ser ideal e parece que só esses deveriam ter direito ao prazer, à abundância e à felicidade, mas não é assim. Pois bem, eu sonhava ser uma mulher linda, ter uma vida de abundância, bem sucedida profissionalmente, uma linda moradia num local maravilhoso, lindas crianças a correr pelo jardim e pela casa.. enfim .. uma vida cor-de-rosa. Mas, não foi assim! Deveria sentir-me irremediavelmente infeliz por isso? Desperdiçar a minha vida chorando o meu infortúnio? Que proveito retiraria da vida? Que ensinamentos teria colhido?
Costumamos dizer: "ai se eu voltasse atrás.. não faria (...), não deixaria que (...)"  ;) mas só o sabemos agora não é? porque tivemos a oportunidade de olhar para trás e observar onde eventualmente errámos... Não fora essa experiência de vida, teríamos essa mesma consciencia?
Os obstáculos existem para pôr à prova a nossa capacidade de os derrubar, e assim nos tornar-mos mais fortes.
Podemos sempre tirar as melhores lições das piores situações, pois elas nos tornam mais sábios e sensatos.
A felicidade está ao alcance de todos, porque ela reside no íntimo de cada um.
A tua felicidade não tem que ser igual à do teu vizinho, é tão somente a Tua. Descobre-a e luta por ela.
Muita Força e muita Luz
 :-*