Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 13 de Agosto de 2018, 09:32

Título: Pretos velhos e caboclos nos centros espíritas
Enviado por: dOM JORGE em 13 de Agosto de 2018, 09:32
                                                              VIVA JESUS!





              Bom-dia! queridos irmãos.




                       
Pretos velhos e caboclos nos centros espíritas




Inicio este texto com algo que escrevi no facebook.

Outro dia vi o Zé falando uma grande verdade... Ninguém deu bola.... Então, trocaram o nome e colocaram: Barão Von Sternove como autor da frase do Zé, daí todos compartilharam.... Tornou-se verdade, citação aclamada pelo mundo, afinal, fora dita por uma celebridade...

A identidade dos Espíritos é um tema que, desde sempre, chama atenção por diversas razões. Quando uma comunicação é dada para o médium por personalidades da história, nomes consagrados e com grande clamor, em geral, são bem recebidas. Parece que a assinatura das comunicações por alguma personalidade conhecida causa um certo frisson e dá credibilidade.

Por isso, quero entrar, neste texto, nas comunicações dadas por pretos velhos e caboclos. E penso que há preconceito quando se fala da manifestação de Espíritos de pretos velhos e caboclos nos centros espíritas. Sinceramente, não sei se é por causa do nosso arraigado preconceito em relação aos negros, índios e demais, ou outras razões alheias a isto, o que não se pode negar, entretanto, é que há um certo “torcer o nariz” quando se fala na manifestação dessas entidades nas casas espíritas, coisa que não ocorre, por exemplo, quando há manifestação de um padre ou personalidade um pouco mais, digamos, ilustre do passado.

Algumas pessoas costumam refutar tais manifestações de pretos velhos e caboclos. Em muitas ocasiões, aliás, afirmam que, caso existam manifestações de pretos velhos só podem advir de um Espírito inferior.

Diante de tais narrativas quero apresentar alguns pontos importantes que, com frequência, passam despercebidos. O primeiro é o fato de Allan Kardec ensinar que o conteúdo de uma mensagem mediúnica é sempre mais importante do que a forma ou de quem apresenta a mensagem, aqui no caso em questão falamos, naturalmente, do Espírito comunicante.

No capítulo 24 de O Livro dos Médiuns – Identidade dos Espíritos – Kardec explana sobre este ponto, informando tratar-se de questão secundária essa identificação. Se o Espírito só diz coisas boas e não se contradiz, pouco importa se é preto velho, caboclo, padre ou algum nome conhecido do passado. Mais importante é, como já dissemos, o conteúdo que contém a mensagem. Para analisar o conteúdo, todavia, faz-se necessário um distanciamento da personalidade que a entidade se apresenta, caso contrário corre-se o risco de fazer-se uma análise superficial.

Um outro ponto de apoio que é encontrado para as manifestações de pretos velhos e caboclos não sofrerem preconceito está, também, em O Livro dos Médiuns, capítulo 6 - Manifestações Visuais. O citado capítulo informa que quando evocados com tal ou qual personalidade que viveram, os Espíritos podem, se assim o quiserem, manifestarem-se com a aparência evocada, mesmo que tenham vivido outras tantas existências depois da personalidade em questão.

Portanto, compreendo que é legítimo e perfeitamente factível que o Espírito, então, tome a forma e manifeste-se como um preto velho, caso pensem nele assim.

A propósito, encerro este texto da mesma forma que o iniciei, com o já mencionado post do facebook:

Outro dia vi o Zé falando uma grande verdade... Ninguém deu bola.... Então, trocaram o nome e colocaram: Barão Von Sternove como autor da frase do Zé, daí todos compartilharam.... Tornou-se verdade, citação aclamada pelo mundo, afinal, fora dita por uma celebridade...


              Wellington Balbo









                                                                                                     PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Pretos velhos e caboclos nos centros espíritas
Enviado por: VLRC em 13 de Agosto de 2018, 14:38
Acredito que todos os espíritos possam se manifestar em uma casa espirita, o conteúdo da msg como diz o texto é que tem de ser avaliado  e o preconceito não deve existir de modo algum.

O espirito comunicante se apresente como um padre,índio,Preto Velho etc... também tem de se adequar ao local e a doutrina que a casa onde esta se comunicando segue, não porque haja preconceito por parte dos Espiritas mas sim por que ha praticas que são usadas em algumas religiões, que não são usadas no Espiritismo como a defumação o uso de charuto etc... 


Uma msg dada em uma casa espirita tem de ser coerente com o espiritismo e suas praticas, um espirito não pode pedir um charuto ou que se reze um terço e faça uma defumação no local que esta passando a msg .

Assim penso
Sem preconceito mas com coerencia

Boa Semana a todos

 ;D
Título: Re: Pretos velhos e caboclos nos centros espíritas
Enviado por: Mateus_Gomes em 13 de Agosto de 2018, 14:49
Entendo e concordo com seu texto, partindo da minha própria experiência, eu nasci em uma família católica e eu tinha um grande preconceito sobre tudo o que não estava na cartilha, mas nunca me satisfez o me era ensinado, quando conheci o espiritismos, já com meus 18, eu era mais próximo a um ateus ou agnóstico, porém a doutrina me mostrou um amplo caminho, entretanto ainda tinha meus preconceitos, achando que a umbanda e afins eram inferiores, levei muito tempo para passar por isso, mais especificadamente quando comecei a conhecer a umbanda, e ainda sim tinha minha classificação hierárquica. Hoje entendo melhor.

O maior problema é que ainda estamos em um mundo inferior, nomes, títulos e afins são uma  credencial de validade das mensagens.

Se falar com alguns espiritas verá que acham que sua verdade é única, umbandistas que pensam que espiritas são ainda muito atrasados no desenvolvimento espiritual, assim como aqueles que entendem que todos tem seu lugar e não é uma competição, mas um complemento um dos outros, pelo menos é o que eu penso.
Título: Re: Pretos velhos e caboclos nos centros espíritas
Enviado por: jsoranz em 05 de Novembro de 2018, 18:04
“Kardc vs Umbanda” == “incorporar sofredor ou preto velho”
Caro amigos... Gostaria da opinião de vocês... Esse assunto tem tomado algum tempo nas minhas meditações.

Após saber da opinião de um respeitável espiritualista, que dizia que o espiritismo de Kardek precisa parar de incorporar entidades sofredoras e passar a incorporar entidades esclarecidas/superiores, somente assim os médiuns e demais do grupo poderem melhor desenvolver-se...
Tenho pensado, que nossos irmãos da umbanda, trabalham com entidades que foram discriminadas no passado no movimento espirita, eles trabalham com preto velhos, baianos, ciganos, etc.. Espíritos esses ainda apegados na matéria (ver ritual umbanda, cheio de defumações, bebidas, doces, alegorias).... mas mesmo assim superiores aos espíritos que lotam os centros espiritas nas seções de desobsessão  e ajuda (tenho visto nessas reuniões médiuns que passam anos somente incorporando essas entidades)....

Caros amigos.. não seria mais proveitoso aos médiuns espiritas desenvolver algum trabalha junto de entidades mais desenvolvidas do que somente com sofredores e obsessores?