Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Convívio => Tópico iniciado por: dfvalle em 17 de Setembro de 2013, 20:12

Título: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: dfvalle em 17 de Setembro de 2013, 20:12
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 18 de Setembro de 2013, 09:44
Olá Valle


É um assunto vasto e complexo que até pode ser um bom tópico-

Neste momento aquilo que me vem há ideia, é que a nossa Doutrina acentua-se na base do estudo sério levando assim ao entendimento correto da vida e a melhor forma de lidar com as coisas desta, mas  para isto requer tempo, método no pensamento, questionar, enfim pensar como deve-mos, mas as pessoas não gostam de o fazer, dá trabalho, e não falo isto no sentido pejorativo, mas porque no geral não estamos preparados e não queremos nos preparar. É mais fácil os outros pensarem por nós e se reparar o Espiritismo tornou-se muito num sistema Religioso por causa disso. Creio que seriamente até haverá menos do que se pensa, e aqui falo apenas no sentido Doutrinário, porque grande parte do Espirita seguiu, e segue este ou aquele médium, e estes desaparecendo a coisa fica ainda pior, porque as pessoas perdem os pontos de referência e desistem porque na realidade nunca estiveram no Espiritismo pelo entendimento(Fé raciocinada). Nesta conceito e pensando eu que o Espiritismo também veio para despertar as mentes, a coisa ficou mal, e não é culpa do Espiritismo mas sim das pessoas agarradas a conceitos pessoais dum passado não muito distante.
Vou apenas lembrar o que vem no LE INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA DOUTRINA ESPÍRITA
O que caracteriza um estudo sério é a sequência que se dá a esse estudo. Deve causar estranheza o fato de não se obter, muitas vezes, nenhuma resposta sensata às questões, sérias por si próprias, quando são feitas ao acaso e lançadas à queima-roupa no meio de enxurradas de perguntas absurdas? Uma questão, aliás, é muitas vezes
complexa e requer, para ser esclarecida, indagações preliminares.

Lembrando no LE na mesma introdução que me parece que isto anda afastado há muito "Na ausência de fatos, a dúvida é opinião sábia e prudente".

Para finalizar, o Espiritismo  vai com certeza ter um grande espaço neste Planeta quando as pessoas efectivamente perceberem que somos espíritos Inteligentes da criação, que povoam o Universo, e que são eternos, até lá vamos assistindo a um sem número de religiões cada uma prometendo o céu há sua maneira para angariar seguidores o mais que puderem alimentando suas máquinas a todo o custo, apelando mais á emoção do que há compreensão. Nada tenho contra mas se o Espiritismo seguir ou tentar seguir este caminho, eu pelo menos estaria fora.Digamos que seria um Espirita (Freelancer).


Abraços fraternos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: marcelo2100 em 18 de Setembro de 2013, 12:29
eis os motivos que para mim são cruciais para o não crescimento do Espiritismo:
1 - é uma doutrina de estudo, de muita leitura e no brasil por exemplo ler é quase uma tortura para muitos.
2 - As igrejas deturpam cada vez mais a imagem da doutrina espírita.
3 - o comodismo dos espíritas que vivem numa falsa jumildade
4 - ha muita coisa no espiritismo que deixam enromes margens para duvidas, como fenomenos de materialização, as cartas de mortos, as curas espirituais... e tudo isto sem compravação cientifica serve apenas para alimentar os detratores.
5 - a fama da palavra Centro espírita nao é boa, a imagem q se tem é preto velhos, velas, despachos ...etc
6 - quantidade enorme de livros e cada uma falando coisas diferente, nao se sabe se é da cabeça daquele que se diz medium ou se é realmente do espírito e se for do espírito nao ha uma peneira para filtrar o que é doutrina e o que nao é!!
7 - A casa espírita esta religiosa demais, quase igreja e as pessoas ja estao de saco cheio de igrejas.
8 - Os espíritas fogem de debates principalmente sobre a biblia que é usada frequentemente para atacar a doutrina.
9 - Os espíritas nao estudam a biblia justamente para se defender e contra atacar aqueles que usam a biblia para impor suas posiçoes religiosas contrárias aos espiritismo.
10 - as outras doutrinas sao mais comodos, ou seja basta ir sentar nos bancos esperar quem estar nao altar dizer o que ler na "palavra de Deus" e pronto. Não ha ali necessidade de estudo ao contrário do espiritismo.
11 - A recompensa do céu, para fieis, pelo simples fato de frequentarem a igreja é altamente convidativo principalmente onde em muitas igrejas ha um entendimento que nao há necessidade de se ajudar ao proximo pra se alcançar o paraíso.
12 - As pessoas se incomodam com fato d que cada ata falho, cada infração das leis de Deus terá q ser corrigida em uma outra vida.
13 - Os livros da codificação estão disputando espaço com romances que nada tem de espiritismo.
Bom para mim são isto aí uns dos motivos que travam o crescimento da doutrina.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 18 de Setembro de 2013, 17:10
meus amigos,
o Espiritismo não tem como fundamento senão a qualidade, logo, não prima pela quantidade.
Avaliem o que o codoificador deixou escrito na RE:
"(...) e quando me questionam sobre o porque não facilitamos o ingresso de novos sócios à Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, porque não diminuímos a anuidade, eulhes respondo: fizemos o contrário:dificultamos mais o ingresso, aumentamos a anuidade.
Apenas esta consideração dá a qualquer um o mote que se deve ter da Doutrina.
Abraços,
Moura
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: marcelo2100 em 18 de Setembro de 2013, 18:35
uma coisa é dificultar a entra numa sociedade de estudos que realmente merece ter somente aqueles queiram somar em conhecimento outra coisa é nao  ter o minimo de estrutura fisica para uma casa espírita!!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 18 de Setembro de 2013, 21:14
"(...) e quando me questionam sobre o porque não facilitamos o ingresso de novos sócios à Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, porque não diminuímos a anuidade, eulhes respondo: fizemos o contrário:dificultamos mais o ingresso, aumentamos a anuidade.
Quando Allan Kardec disse isso, era uma decisão de responsabilidade sua ou ele estava seguindo os ensinamentos dos Espíritos Superiores, encontrados nos livros da Codificação?
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 18 de Setembro de 2013, 21:26
Não teriam, muitos, tomado conhecimento dos livros da Codificação, através dos livros psicografados por Chico Xavier?
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 18 de Setembro de 2013, 22:06
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!

Não que eu seja seletivo

mas acho que já tem muita gente

Você não acha?
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Andressa Z. em 18 de Setembro de 2013, 22:14
Muitas pessoas fazem uma ideia errada da doutrina por puro preconceito e não fazem questão de ler alguma obra séria que seja para ter o entendimento e poder julgar se serve para elas ou não. Ainda é uma doutrina muito nova e as pessoas têm uma certa resistência com o novo. Andamos assim, com passos de formiga!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 19 de Setembro de 2013, 01:36
Nos variados segmentos da sociedade, o número de pessoas realmente sérias é restrito, a ponto de se destacarem no que fazem. O número de adeptos realmente sérios da doutrina espírita só pode, portanto, ser também um número restrito. Não importa o número de adeptos. Importa apenas que ele seja formado por membros realmente sérios.

 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Aimoré em 19 de Setembro de 2013, 02:45
O Espiritismo dá a matéria a importancia que lhe cabe:apenas um meio para a evolução do Espírito.A maioria da população do planeta,ainda muito materialista,reluta em aceitar sua realidade espiritual.O materialismo é o principal entrave para o desenvolvimento da Doutrina Espírita.É por isso que ainda somos tão poucos.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Fred Mesquita em 19 de Setembro de 2013, 06:34
eis os motivos que para mim são cruciais para o não crescimento do Espiritismo:
1 - é uma doutrina de estudo, de muita leitura e no brasil por exemplo ler é quase uma tortura para muitos.
2 - As igrejas deturpam cada vez mais a imagem da doutrina espírita.
3 - o comodismo dos espíritas que vivem numa falsa jumildade
4 - ha muita coisa no espiritismo que deixam enromes margens para duvidas, como fenomenos de materialização, as cartas de mortos, as curas espirituais... e tudo isto sem compravação cientifica serve apenas para alimentar os detratores.
5 - a fama da palavra Centro espírita nao é boa, a imagem q se tem é preto velhos, velas, despachos ...etc
6 - quantidade enorme de livros e cada uma falando coisas diferente, nao se sabe se é da cabeça daquele que se diz medium ou se é realmente do espírito e se for do espírito nao ha uma peneira para filtrar o que é doutrina e o que nao é!!
7 - A casa espírita esta religiosa demais, quase igreja e as pessoas ja estao de saco cheio de igrejas.
8 - Os espíritas fogem de debates principalmente sobre a biblia que é usada frequentemente para atacar a doutrina.
9 - Os espíritas nao estudam a biblia justamente para se defender e contra atacar aqueles que usam a biblia para impor suas posiçoes religiosas contrárias aos espiritismo.
10 - as outras doutrinas sao mais comodos, ou seja basta ir sentar nos bancos esperar quem estar nao altar dizer o que ler na "palavra de Deus" e pronto. Não ha ali necessidade de estudo ao contrário do espiritismo.
11 - A recompensa do céu, para fieis, pelo simples fato de frequentarem a igreja é altamente convidativo principalmente onde em muitas igrejas ha um entendimento que nao há necessidade de se ajudar ao proximo pra se alcançar o paraíso.
12 - As pessoas se incomodam com fato d que cada ata falho, cada infração das leis de Deus terá q ser corrigida em uma outra vida.
13 - Os livros da codificação estão disputando espaço com romances que nada tem de espiritismo.
Bom para mim são isto aí uns dos motivos que travam o crescimento da doutrina.

A dificuldade maior que ainda vejo é a alta carga de estudos para esse fim, coisa que só está mais acessível a aqueles que já estão aposentados, pois esses têm tempo de sobra para os estudos, que não são poucos. O pior de tudo ainda é o orgulho de muitos dirigentes. Orgulho esse que os impede de aceitar dicas, ou até mesmo uma opinião.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 19 de Setembro de 2013, 10:55
Não teriam, muitos, tomado conhecimento dos livros da Codificação, através dos livros psicografados por Chico Xavier?
Ganimedes por certo sim.
Agora pergunto conseguiram esses seguir o seu próprio caminho através do questionamento Doutinário? Quantos desses depois de sua partida, seguiram realmente o Espiritismo, ou acabaram por desistir porque já não tinham o seu guia, nada compreendendo da Doutrina?
Esses compreenderam realmente que o nosso caminho é solitário mesmo circulando no meio de todos através dum raciocinio pessoal mas motivados por um bem maior, percebendo que ninguém é super, mas que todos e sem excepções o são,e que para isso temos de pôr os pés ao caminho, numa jornada longa e que o aprendizado vem através disso mesmo(caminhando) até ao fim,colocando bem firme dentro de nós?
Ganimedes não falo isto numa de falta de respeito por ninguém, são apenas questões de estudo, e ,alerta porque a meu ver se idolatra sem o devido entendimento pessoal, enfim caro amigo caminhar por nós mesmo. Apenas isto, alertar consciências, respeitando sempre o caminho de cada um.

Abraços fraternos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: marcelo2100 em 19 de Setembro de 2013, 11:37

A dificuldade maior que ainda vejo é a alta carga de estudos para esse fim, coisa que só está mais acessível a aqueles que já estão aposentados, pois esses têm tempo de sobra para os estudos, que não são poucos. O pior de tudo ainda é o orgulho de muitos dirigentes. Orgulho esse que os impede de aceitar dicas, ou até mesmo uma opinião.

Isto mesmo, é muito estudo. Quem tem uma vida atribulada com trabalho, casa, estudo, filhos e etc dificilmente vai conseguir ler tanta coisa, acho que será necessário umas 5 vidas...rss
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Fernando 1969 em 19 de Setembro de 2013, 12:38
Bom dia,

O meu "pitaco" para a questão é o que senti, quando iniciei na doutrina há dois anos:

- "Leia o Livro dos Espíritos": é começar errado! O livro é maçante, chato, requer atenção e estudo até com o vocabulário utilizado, que utiliza palavras e expressões muito polidas, traduzidas do francês e ou utilizadas no século 19; não é para simples leitura. Quem se iniciar por ele, a chance de desistir é grande.

- Recomendar Divaldo Franco: Leituras e palestras (no youtube tem várias) do Divaldo Franco também são difíceis para quem não esta habituado. O português do homem é muito rico e vasto, coisa que ele faz questão de dizer que "espiritismo é ciência de cultura". Coitado do "zé povão"! Melhor indicar Chico Xavier.

Já sugeri a um iniciante o livro Nosso Lar, ele gostou e depois assistiu o filme. Acho que fica mais fácil de iniciar assim, e daí se estabelecer na Doutrina.

Abraços,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 19 de Setembro de 2013, 13:54
Olá amigos

Não há dúvida que os espíritas, a nível mundial, são mesmo muito poucos. No Brasil são mais, como é óbvio, mas ainda assim, as estatísticas dizem-nos que são poucos. Todavia, a população brasileira é numerosa, pois o Brasil é muito grande. A pequena quantidade, em proporção, representa uma quantidade grande em número de pessoas. Em Portugal, proporcionalmente, os espíritas não têm um número significativo (apesar disso há pessoas com um dinamismo, como o José Lucas e a ADEP, em geral, por exemplo, que conseguem levar o espiritismo aos media, de uma forma brilhante e muito respeitável, para o número de espíritas portugueses, mas fora dos horários nobres da TV e da Rádio.   

A pequena quantidade de adeptos não seria problemática se esse número fosse espalhado, mais ou menos, por todo o mundo. Mas não. Mesmo no resto do mundo o espiritismo é impulsionado em maior escala por pessoas brasileiras, ou descendentes de brasileiros. Assim, parece-me que a existência de um movimento espirita tem mais a haver com uma questão de tradição cultural, e menos a haver com a universalidade que Allan kardec previa para o movimento.

Mas a questão do pouco estudo parece-me uma falsa questão. Pois não é ela a responsável por existirem poucos espíritas, na minha óptica. E vou explicar porquê:

- O facto de uma hipótese de explicação da vida ser muito estudada não lhe confere um estatuto de aproximação à realidade. Pois pode ser apenas uma fantasia bem talhada, bem contada, coerente. E o facto de ter adeptos pode ser um fenómeno semelhante ao que leva as pessoas a gostar de ver uma telenovela que acaba bem. Pode ser a projecção de um desejo de melhoria da humanidade e de que haja justiça, ao contrário do que nos mostra a realidade da vida na Terra, para a maioria das pessoas. As pessoas podem passar períodos de tempo em que estão cegas a essa questão, mas, com grande probabilidade vão enfrentar a falta de dinheiro para o essencial, a perda de familiares queridos, a doença deles e/ou dos familiares, o envelhecimento, para falar apenas de algumas dificuldades. Todavia não é preciso adiantar muito nas dificuldades da vida, pois todos vemos os noticiários, todos vemos a realidade nas nossas vidas, mais tarde ou mais cedo.

Se o espiritismo é apenas uma religião dogmática, para as pessoas, então tem pouco cabimento, porque as outras religiões dogmáticas são muito mais agressivas e experientes na captação de adeptos. Numa perspectiva de fé cega, o facto de a explicação ser mais ou menos bem talhada, pouco adianta. Não há religião dogmática melhor ou pior. Crenças não necessitam de justificação alguma.

Mas para o espiritismo ultrapassar a classificação de religião dogmática, necessita de mostrar às pessoas que a doutrina espirita não é apenas uma fantasia, muito bem talhada, mas que corresponde a uma boa explicação da realidade.


E é aí, que, para muita gente, está a dificuldade. E, por mais que estudem, podem atingir fases da vida em que estão convencidas que a história que a doutrina espirita é uma boa explicação da realidade, fases de fé doutrinária, mas, sem mais do que o estudo, sem mais do que ouvir os testemunhos de outras pessoas, sem experimentar, de alguma forma, essa realidade em si mesmas, as pessoas estão sempre um pouco de pé atrás. E isso é agravado pela desconfiança generalizada entre as pessoas, e entre as pessoas e instituições, por todo o planeta. Sabe-se muito, pelos media, do que se passa de negativo, mas muito pouco do que se passa de positivo.       

A sobrevivência física é um desafio muito grande, para muitas pessoas. E a moral não impera muito a nível profissional. Assim, uma pessoa tende a afrouxar os valores morais, porque os chefes dela, os patrões dela, os clientes dela, não jogam com essas regras. Para a pessoa se resolver a enfrentar o desafio do comportamento moral correcto, tem de ter mais do que uma leve convicção de que vale a pena. Está um risco grande em jogo, que é a sobrevivência física, em condições minimamente dignas. Posso estar a ser pessimista, mas isto é o que a minha experiência de 52 anos de vida me mostra.

Quase todas as pessoas admiram (acredito que genuinamente, em muitos casos) uma pessoa como Teresa de Calcutá, por exemplo. Todavia, quando alguém lhes exige um comportamento mais correcto, do ponto de vista moral, não hesitam em dar uma gargalhada e dizer: "eu não sou uma Madre Teresa..." Como quem diz: isso é muito bonito, mas está no plano dos ideais inatingíveis, para o cidadão comum. Não se exige isso às pessoas, pois trata-se de casos isolados, fenómenos extraordinários, para admirar, mas não para praticar. Outros dizem que a moral fica em casa, pois no trabalho estão em guerra pela sobrevivência. 

Assim, a força que é necessário ter para conseguir ultrapassar a vida com um comportamento moral adequado, constante, é grande. Não se pode suportar numa crença cega. Nem numa história muito bem talhada. A história tem que corresponder à realidade, na mente das pessoas. E é essa demonstração, de que se trata mesmo da realidade, e não de uma fantasia bem contada, que as pessoas procuram no espiritismo. Especialmente depois de estudar Allan Kardec, que garante que se trata de uma realidade que se pode constatar, em termos práticos. E não de uma simples crença. Que nos dá uma ideia de que foi usado um método cientifico de observação, no sentido das ciências psicológicas. E que desse método a linha de demarcação entre a doutrina espirita e as outras doutrinas religiosas.

Em conclusão:

- Uma hipótese bem talhada, bem construída, com coerência, é insuficiente para convencer as pessoas, de uma forma permanente, nos dias de hoje. O que o estudo permite é verificar que se trata dessa hipótese bem talhada. O que já é uma grande vantagem em relação a muitas religiões tradicionais. É preciso mais do que isso. É preciso encontrar forma de demonstrar, seja lá porque via for, que se trata de mais do que uma hipótese de explicação da realidade, mas que é uma teoria que se aproxima mesmo da descrição da realidade.

- A divisão entre os espíritas, por facções, uns que são André-Luizistas, outros Kardecistas, outros Divalidistas, enfim, seja lá qual for o motivo de divisão, é extremamente nocivo par o ME. Pois se já é difícil as pessoas acreditarem de que se trata de que a doutrina espirita é mais do que uma história de ficção bem talhada, bem contada, coerente, piedosa, muito mais difícil é passar essa história como realidade, se nem sobre a história os espíritas se entendem. A divisão entre os espíritas talvez seja o maior impedimento à progressão da mesma.

- Estudem-se as razões dessa divisão, mostre-se o carácter não dogmático da doutrina (não a teimar que assim é, nem em guerra contra outras tradições espirituais, nem contra os ateus, nem contra ninguém, nem alegando que devemos crer sem ver, à boa moda dos religiosos dogmáticos, mas com evidências); mantenha-se a gratuitidade dos serviços das associações; e, estou convicto de que o nº de adeptos crescerá em quantidade e qualidade. Se isso não for possível, como as pessoas estão fartas de vendedores de sonhos e de promessas, de exorcistas, de profetas da desgraça que nos espera no além, em vez de pessoas que dêem esperança de que a bondade de Deus é real, não vejo grande futuro para a doutrina, tal como a vejo hoje em dia.
 
bem hajam
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 19 de Setembro de 2013, 13:57
Bom dia,

O meu "pitaco" para a questão é o que senti, quando iniciei na doutrina há dois anos:

- "Leia o Livro dos Espíritos": é começar errado! O livro é maçante, chato, requer atenção e estudo até com o vocabulário utilizado, que utiliza palavras e expressões muito polidas, traduzidas do francês e ou utilizadas no século 19; não é para simples leitura. Quem se iniciar por ele, a chance de desistir é grande.

- Recomendar Divaldo Franco: Leituras e palestras (no youtube tem várias) do Divaldo Franco também são difíceis para quem não esta habituado. O português do homem é muito rico e vasto, coisa que ele faz questão de dizer que "espiritismo é ciência de cultura". Coitado do "zé povão"! Melhor indicar Chico Xavier.

Já sugeri a um iniciante o livro Nosso Lar, ele gostou e depois assistiu o filme. Acho que fica mais fácil de iniciar assim, e daí se estabelecer na Doutrina.

Abraços,
É uma opinião que merece respeito, mas para mim errada.

Começar o quer que seja especialmente da Doutrina pelo fim nunca vai dar bons resultados,o máximo que dará é adeptos exaltados pela emoção, mas compreensão nada,ou melhor dizendo quase nada porque há sempre alguma coisa que sai.
Um Matemático que chega a um dia a ser Catedrático, por onde começou? Eu como exemplo até posso ler(Não sou Matemático)livros de Matemática da Universidade, mas ler não é compreender, como tal irei ficar pouco mais ou nada conhecedor.
Isto é o que tem acontecido. Começar a Doutrina sem ler a codificação? Como pode isso acontecer?.
Leiam primeiro a Codificação, estudem-na, a compreendam, e depois sim ler o que acharem melhor, aqui a diferença, é que têm condições de separar o que é certo e o que não.

Abraços fraternos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 19 de Setembro de 2013, 14:09
Olá amigo Fernando

Citar
- "Leia o Livro dos Espíritos": é começar errado! O livro é maçante, chato, requer atenção e estudo até com o vocabulário utilizado, que utiliza palavras e expressões muito polidas, traduzidas do francês e ou utilizadas no século 19; não é para simples leitura. Quem se iniciar por ele, a chance de desistir é grande.


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-que-e-o-espiritismo/porque-ainda-somos-tao-poucos/#ixzz2fLLZQt7T

O amigo pode ter razão, no caso geral, mas, no meu caso pessoal, não foi assim. Ao contrário, foi o Livro dos Espíritos que me impressionou positivamente. E não acho que seja um livro para intelectuais. Eu conheço muitas pessoas, pouco mais do que analfabetas, que o compreendem e admiram. Pois esse livro está construído para ser uma boa continuação/ extensão da história que nos foi contada por Jesus de Nazaré e que nos foi trazida através do NT de Biblia. E, se Jesus nos toca o coração, é fácil ser tocado pelo Livro dos Espíritos.

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2013, 14:34
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!

Não que eu seja seletivo

mas acho que já tem muita gente

Você não acha?

Minha opinião acima não passa de um brincadeira...
.....

Mas ,
agora com seriedade ....entendo que;

Se somos pouco
e podemos investifgar a data que representa o início do Espiritismo
no mundo

creio eu que a resposta
pode ser
é que ....

Somos poucos, em termos de professos, é porque está no começo.

Mas tenhamos nós em mente
que as idéias espíritistas, os asssuntos que a Doutrina Espírta trata...
o seus pontos fundamentais..

Já se encontra presente na maioria dos habitantes deste Orbe...
se não já em todos...

Abraços
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 19 de Setembro de 2013, 14:50
Bom dia,

O meu "pitaco" para a questão é o que senti, quando iniciei na doutrina há dois anos:

- "Leia o Livro dos Espíritos": é começar errado! O livro é maçante, chato, requer atenção e estudo até com o vocabulário utilizado, que utiliza palavras e expressões muito polidas, traduzidas do francês e ou utilizadas no século 19; não é para simples leitura. Quem se iniciar por ele, a chance de desistir é grande.

- Recomendar Divaldo Franco: Leituras e palestras (no youtube tem várias) do Divaldo Franco também são difíceis para quem não esta habituado. O português do homem é muito rico e vasto, coisa que ele faz questão de dizer que "espiritismo é ciência de cultura". Coitado do "zé povão"! Melhor indicar Chico Xavier.

Já sugeri a um iniciante o livro Nosso Lar, ele gostou e depois assistiu o filme. Acho que fica mais fácil de iniciar assim, e daí se estabelecer na Doutrina.

Abraços,

O livro que deveria ser lido inicialmente por todo novo adepto da doutrina espírita é O que é espiritismo. Essa recomendação é do próprio codificador da doutrina espírita. Ela está no capítulo 3, “Método” de O livro dos médiuns, e foi colocada ai justamente para que os adeptos já familiarizados com a doutrina espírita possam auxiliar melhor os novos adeptos a se introduzirem na doutrina.

É um livro pequeno, cujo primeiro capítulo foi escrito na forma de vários diálogos, justamente por não conter, nas palavras do próprio Kardec, “a aridez da forma dogmática” (KARDEC, 1859). Já os dois capítulos seguintes são sínteses de O Livro dos Espíritos e O livro dos Espíritos, apresentadas de forma muito clara e objetiva.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2013, 14:58
Olá amigos

Não há dúvida que os espíritas, a nível mundial, são mesmo muito poucos. No Brasil são mais, como é óbvio, mas ainda assim, as estatísticas dizem-nos que são poucos. Todavia, a população brasileira é numerosa, pois o Brasil é muito ................em geral, por exemplo, que conseguem levar o espiritismo aos media, de uma forma brilhante e muito respeitável, para o número de espíritas portugueses, mas fora dos horários nobres da TV e da Rádio.   

A pequena ...................é impulsionado em maior escala por pessoas brasileiras, ou descendentes de brasileiros. Assim, parece-me que a existência de um movimento espirita tem mais a haver com uma questão de tradição cultural, e menos a haver com a universalidade que Allan kardec previa para o movimento.

Mas a questão do pouco estudo parece-me uma falsa questão. ..... E o facto de ter adeptos pode ser um fenómeno semelhante ao que leva as pessoas a gostar de ver uma telenovela que acaba bem. Pode ser a projecção de um desejo d.........desgraça que nos espera no além, em vez de pessoas que dêem esperança de que a bondade de Deus é real, não vejo grande futuro para a doutrina, tal como a vejo hoje em dia.
 
bem hajam

Olá Vitor
Parabéns pela explanação
muito lógica

Abraços
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 19 de Setembro de 2013, 15:07
A dificuldade maior que ainda vejo é a alta carga de estudos para esse fim, coisa que só está mais acessível a aqueles que já estão aposentados, pois esses têm tempo de sobra para os estudos, que não são poucos. O pior de tudo ainda é o orgulho de muitos dirigentes. Orgulho esse que os impede de aceitar dicas, ou até mesmo uma opinião.

Conheço pessoas sem tempo que já leram Nosso Lar, A Caminho da Luz e Paulo e Estêvão por mais de uma vez e ainda não leram completamente um único livro sequer da codificação. Até mesmo o mais atarefado dos indivíduos consegue arranjar tempo para fazer o que realmente tem vontade de fazer. O professor Pierluigi Piazzi, muito conhecido pelos vestibulandos de São Paulo, disse em uma palestra que parte considerável de sua cultura foi adquirida no “sentado no troninho”. Ele fez física na USP quando já era casado e tinha uma filha pequena, e trabalhava todo o dia em horário integral.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2013, 15:13
Bom dia,

O meu "pitaco" para a questão é o que senti, quando iniciei na doutrina há dois anos:

- "Leia o Livro dos Espíritos": é começar errado! O livro é maçante, chato, requer atenção e estudo até com o vocabulário utilizado, que utiliza palavras e expressões muito polidas, traduzidas do francês e ou utilizadas no século 19; não é para simples leitura. Quem se iniciar por ele, a chance de desistir é grande.

- Recomendar Divaldo Franco: Leituras e palestras (no youtube tem várias) do Divaldo Franco também são difíceis para quem não esta habituado. O português do homem é muito rico e vasto, coisa que ele faz questão de dizer que "espiritismo é ciência de cultura". Coitado do "zé povão"! Melhor indicar Chico Xavier.

Já sugeri a um iniciante o livro Nosso Lar, ele gostou e depois assistiu o filme. Acho que fica mais fácil de iniciar assim, e daí se estabelecer na Doutrina.

Abraços,

Olha !
sabe....
Sua colocação merece ser bem observada
pois todas elas já ocorreram comigo
É uma observação sábia
e alerta-nos para nossas prensuçosas pretenções...

Pois
Nem todos tem as mesmas visões
para os assuntos em livros doutrinários
que realmente se tornam massantes
e a maneira é abandonar tal leitura

Muitas pessoas não conseguem acompanhar
as ecolas públicas, digo, de ensinos básicos
para os aprendizados
iniciais para a alfabetização de si

Pois
precisam de métodos diferenciados
de atenções diferenciadas
de organizações nas salas diferenciadas
para aprenderem...
Ou Iniciarem-se nesta rica aventura do campo dos livros

Por isto dou meu voto positivo
para a sua colocação e aprendo com ela


Apenas ressalto
que não concordo com a generalização dos casos

é isso.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2013, 15:17

Conheço pessoas sem tempo que já leram Nosso Lar, A Caminho da Luz e Paulo e Estêvão por mais de uma vez e ainda não leram completamente um único livro sequer da codificação. Até mesmo o mais atarefado dos indivíduos consegue arranjar tempo para fazer o que realmente tem vontade de fazer. O professor Pierluigi Piazzi, muito conhecido pelos vestibulandos de São Paulo, disse em uma palestra que parte considerável de sua cultura foi adquirida no “sentado no troninho”. Ele fez física na USP quando já era casado e tinha uma filha pequena, e trabalhava todo o dia em horário integral.



Eu tenho uma tia que fez suas necessidades fisiológicas no corredor...
quase que morre
pois
seu marido, meu tio ttinha o desagradável habto
de ler jornal no banheiro....no trono

Horrivel né edmar?

rs
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2013, 15:20
Me desculpe Fernando,
mas o amigo incorre no mesmo erro de muitos, o de recomendar livros que nada têm de doutrina, sendo apenas um conjunto de opiniões pessoais do Espírito que os ditou ou do próprio médium.
Nosso Lar é um romance, todos o sabem logo, começar por um romance querendo conhecer a De é tal com se eu começasse treinandoi faltas ou penaltis para conhcer a F1.
Taxar de maçante o Livro dos Espíritos dá mesmo o tom do desconhecimento doutrinário do amigo.
aliás, o início ou a iniciação nem mesmo deve ser feito através deste livro mas sim de outro que trás de modo simples e fácil, tudo  o que um iniciante deve estudar, esta obra chama-se O que é o Espiritismo.
Prudência meu amigo...
Abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2013, 15:21
.....A dificuldade maior que ainda vejo é a alta carga de estudos para esse fim, coisa que só está mais acessível a aqueles que já estão aposentados, pois esses têm tempo de sobra para os estudos, que não são poucos. O pior de tudo ainda é o orgulho de muitos dirigentes. Orgulho esse que os impede de aceitar dicas, ou até mesmo uma opinião.

Já na minha opinião

O Fred
Citou uma grande verdade

isto ocorre sim

Não podemos negar
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2013, 15:51
Primeiro vamos mergulhar no que se entende por estudar:
Alguns pensam que estudar é apenas ler o que dispõe uma obra codificada e daí sentam-se, e lêem sem mais nada, nem raciocinam sobre  o que leram;
Outros, passam horas a fio mas apenas a procurarem um capítulo  qualquer, quando na verdade deveriam começar pelo começo, avaliando, repercutindo interior e arrazoadamente cada ponto estudado.
quem assim o faz, com certeza passa mais tempo em dois itens de um capítulo do que outros que conseguem ler, no mesmo tempo toda a obra...
Pensem, analisem e respondam, quem, afinal está correto?
Abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Fernando 1969 em 19 de Setembro de 2013, 16:04
Me desculpe Fernando,
mas o amigo incorre no mesmo erro de muitos, o de recomendar livros que nada têm de doutrina, sendo apenas um conjunto de opiniões pessoais do Espírito que os ditou ou do próprio médium.
Nosso Lar é um romance, todos o sabem logo, começar por um romance querendo conhecer a De é tal com se eu começasse treinandoi faltas ou penaltis para conhcer a F1.
Taxar de maçante o Livro dos Espíritos dá mesmo o tom do desconhecimento doutrinário do amigo.
aliás, o início ou a iniciação nem mesmo deve ser feito através deste livro mas sim de outro que trás de modo simples e fácil, tudo  o que um iniciante deve estudar, esta obra chama-se O que é o Espiritismo.
Prudência meu amigo...
Abraços,
Moura

Olá,

Vou esclarecer melhor as minhas palavras ditas anteriormente:
Quando EU comecei no espiritismo, me foi dito por mais de uma pessoa dentro de casa espírita para iniciar lendo o Livro dos Espíritos. Sendo mais específico, isto aconteceu durante um atendimento fraterno.
O que acham disto? Por esta razão as haspas colocadas na frase.
É comumente praticada a indicação de início pelo LE.

O LE para quem nunca leu nada a respeito (e ele é indicado nas casas, os amigos já devem ter ouvido falar disto)- na minha opinião - será sim maçante.

Para dar uma idéia mais clara dessa situação, há uns 15 dias terminou a feira do livro espírita na minha cidade. Eu participei e presenciei curiosos e iniciantes sendo induzidos ao primeiro contato com a doutrina justamente com o L.E.

Particularmente atendi uma senhora e indiquei o Evangelho Segundo o Espiritismo e como ela disse gostar de romances, então Nosso Lar seria apropriado. Vai indicar LE para uma mulher dessas que eu duvido ela chegar na página 10!!!

Desconhecimento doutrinário é uma coisa, bom senso é outra. Acho que depende de cada pessoa e sobre o que ela gosta de ler, por isto da minha indicação. Erro maior seria indicar Robson Pinheiro !!!

Concordo com os outros manos que disseram ser o início correto é O Que é o Espiritismo, eu também o li e a linguagem é bem mais simples e clara. Seria o próximo que eu indicaria.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2013, 16:55
Apenas como um adendo doutrinário, deixo aqui a parte de OLM que nos diz com se deva estudar as obras básicas:

"35. Para aqueles que desejarem adquirir esses conhecimentos preliminares através das nossas obras, aconselhamos a seguinte ordem:
1°) O QUE É O ESPIRITISMO: esta brochura, de apenas uma centena de páginas, apresenta uma exposição sumária dos princípios da Doutrina Espírita, uma visão geral que permite abranger o conjunto num quadro restrito. Em poucas palavras se percebe o seu objetivo e se pode julgar o seu alcance. Além disso, apresenta as principais perguntas ou objeções que as pessoas novatas costumam fazer. Essa primeira leitura, que exige
pouco tempo, é uma introdução que facilita o estudo mais profundo
2°) O LIVRO DOS ESPÍRITOS: contém a doutrina completa ditada pelos Espíritos, com toda a sua Filosofia e todas as suas conseqüências morais. É o destino do homem desvelado, a iniciação ao conhecimento da natureza dos Espíritos e os mistérios da vida de além-túmulo. Lendo-o, compreende-se que o Espiritismo tem um objetivo sério e não é um passatempo frívolo.
3°) O LIVRO DOS MÉDIUNS: destinado a orientar na prática das manifestações, proporcionando o conhecimento dos meios mais apropriados de nos comunicarmos com os Espíritos. É um guia para os médiuns e para os evocadores e o complemento de O Livro dosEspíritos.
 Apesar de já estarmos há mais de cem anos do lançamento desse pequeno livro, ele se conserva oportuno e até mesmo de leitura obrigatória para principiantes. E podemos acrescentar que mesmo os adeptos mais experimentados deviam relê-lo de vez em quando. (N. do T.)
4°) A REVISTA ESPÍRITA: uma variada coletânea de fatos, de explicações teóricas e de trechos destacados que completam a exposição das duas obras precedentes, e que representa de alguma maneira a sua aplicação. Sua leitura pode ser feita ao mesmo tempo que a daquelas obras, mas será mais proveitosa e mais compreensível sobretudo após a de O Livro dos Espíritos.
Isso no que nos concerne. Mas os que desejam conhecer completamente uma ciência devem ler necessariamente tudo o que foi escrito a respeito, ou pelo menos o principal, não se limitando a um único autor. Devem mesmo ler os prós e os centras, as críticas e as apologias, iniciar-se nos diferentes sistemas a fim de poder julgar pela comparação. Neste particular, não indicamos nem criticamos nenhuma obra, pois não queremos influir em nada na opinião que se possa formar. Levando nossa pedra ao edifício, tomamos apenas o nosso lugar. Não nos cabe ser ao mesmo tempo juiz e parte e não temos a pretensão ridícula de ser o único a dispensar a luz. Cabe ao leitor separar o bom do mau, o verdadeiro do falso"
Abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 19 de Setembro de 2013, 17:03
Olá amigos(as)

Falta de tempo para estudos, como assim?

O Espirita agora tem de ser rico e assim nada fazer para estudar?

Temos sempre tempo para tudo desde que nos saibamos organizar, o que falta na realidade é pré disposição para se fazer esse estudo,e falo com o conhecimento de causa.

Não me digam que agora teríamos de ir para uma escola para se aprender a Doutrina?

Há caros amigos, salvo raras excepções não queremos realmente sair do antigo bem estar isto é; ganhar o sustento, chegar a casa e ter a janta na mesa(se for Homem), sentar no sofá, televisão, revista da moda e ler alguma coisita que agora percebi haver coisas para lá deste corpo.

Vou tentar explicar isto duma forma que percebam meu raciocinio!... 7 horas da manhã levantar, pequeno almoço para todos ( 4), levar os mesmos para escola ,emprego, e ir para o seu. Chegar a casa por volta das 19 horas ou 19h30, ajudar a fazer a janta arrumar tudo, tomar banho e sair por volta das 20h45, para andar de carro mais cerca de 25 minutos porque vai para a casa Espirita estudar, e fazer parte de trabalhos, que são ás terças e quintas feiras, por vezes á sexta com cursos de educação, e chegar por volta das 23h30 e deitar ás 24 horas,e isto todos os dias, ultimamente só dois dias por semana para não falar ao Domingo de manhã e outras vezes ao Sábado de tarde.
É muito, não ,quando nos parece que a coisa  de facto é clara em nossas vidas. Tempo livre para meu entender, é isto, e não outras coisas, e o faço porque acredito naquilo que faço.Para ler e aprender mais ,leio em casa, aqui neste forum e noutros que me apareçam desde que seja uteis, para não falar naquilo que aprendo e junto no diálogo com outros companheiros de ideal e não só. Já agora para aprender e por vezes melhor depois de certos conhecimentos é em casa, porque muita vez as casas espiritas são um rame rame de coisas inuteis .No meio de tudo isto bem antes do fim do mês, já falta dinheiro para pagar as contas, sempre tentando onde posso poupar para lá chegar e nunca consigo, porque de facto não há mesmo dinheiro.
Não falo isto para ser modelo de nada é apenas coisas minhas e conheço quem faz o mesmo e bem mais longe que eu.
Para mim não há altas cargas para fim algum, o que há é falta de vontade para tal, porque o aprendizado se faz , o fim é apenas o culminar do conhecimento que se percorreu, e concordo plenamente que percorrê-lo não é fácil não.

Abraços farternos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: dfvalle em 19 de Setembro de 2013, 17:04
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!

Não que eu seja seletivo

mas acho que já tem muita gente

Você não acha?


Acredito que a doutrina não foi apresentada a humanidade para privilégio de poucos. 
 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 19 de Setembro de 2013, 17:06
A dificuldade maior que ainda vejo é a alta carga de estudos para esse fim, coisa que só está mais acessível a aqueles que já estão aposentados, pois esses têm tempo de sobra para os estudos, que não são poucos. O pior de tudo ainda é o orgulho de muitos dirigentes. Orgulho esse que os impede de aceitar dicas, ou até mesmo uma opinião.

Conheço pessoas sem tempo que já leram Nosso Lar, A Caminho da Luz e Paulo e Estêvão por mais de uma vez e ainda não leram completamente um único livro sequer da codificação. Até mesmo o mais atarefado dos indivíduos consegue arranjar tempo para fazer o que realmente tem vontade de fazer. O professor Pierluigi Piazzi, muito conhecido pelos vestibulandos de São Paulo, disse em uma palestra que parte considerável de sua cultura foi adquirida no “sentado no troninho”. Ele fez física na USP quando já era casado e tinha uma filha pequena, e trabalhava todo o dia em horário integral.


Sem dúvidas Edmar, quando realmente queremos e acreditamos que estamos no caminho certo.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2013, 17:10
Quando se quer, se encontra tempo, mesmo que quando estivermos no banheiro, na condução, no café...
Tempo é coisa que o homem pode e deve saber arrumar.
Abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 19 de Setembro de 2013, 17:26
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!

Não que eu seja seletivo

mas acho que já tem muita gente

Você não acha?


Acredito que a doutrina não foi apresentada a humanidade para privilégio de poucos.

Realmente foi para todos nós

Como disse em outra postagem ...eu estava brincando...peço desculpas
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Fernando 1969 em 19 de Setembro de 2013, 17:29
Olá,

Vou citar meu exemplo: se estou em meu escritório, ouço no youtube ou outros sites audio-livros (às dezenas e de graça) que estão na internet.
Quando estou no carro, normalmente me deslocando para visitar clientes: paguei R$1,50 num cabo chamado ps2/ps2 e R$10,00 num MP3 portátil (menor que uma caixa de fósforos). Faço download via computador de audio-livros para o MP 3 e escuto no carro, na entrada auxiliar do toca CD. Se seu toca-cd tiver entrada USB, fica mais fácil ainda.
Em função do trabalho não consigo ler livros durante o dia, mas para dar uma idéia, na segunda passada parado na Marginal Tietê em SP, na ida e na volta, ouvi todo o audio-livro "O Médico Jesus" do De Lucca.
A noite e aos finais de semana, daí sim a leitura é possível e até se faz necessária.
"Não tenho tempo" é conversa de gordo que não quer fazer exercícios, rsrsrsr

Abraços
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2013, 17:39
Note, Marcelo,
em todasas suas postagenms que tragam livros ou títulos até agora o amigo não identificou uma sequer das obras codificadas, logo, está a ouvir ooq ue quer mas não o que a DE ensina.
Quando ainda estava na Unioversidade, chegava em casa Uma da manhã, cansado de um dia de trabalho, pois trabalhava e estudava com otantos, mesmo assim, no "busão" que tomava, eu encontrava tempo para estudar a DE e mesmo depois que passva a matéria a limpo ( de Direito), ao começar a jantar ainda voltava ao estudo da codificação... Ora, naquele tempo eu já era palestrante e dava cursos sobre as obras básicas, por que então haveria de estudar oque já conhecia? A resposta é simples, exatamente pelo princípio doutrinário do progresso, ora enquanto se vive o progresso se instala, mais depressa se opera quando se dá a ele possibilidade para tal e esta, é o estudo, este leva ao conhecimento, ponto que o codificador dava sempre como capital.
abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 19 de Setembro de 2013, 17:50
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!

Não que eu seja seletivo

mas acho que já tem muita gente

Você não acha?


Acredito que a doutrina não foi apresentada a humanidade para privilégio de poucos. 
 
Certamente amigo

Na questão do Consolador, o Espiritismo para o Espirita é o Consolador ,e este está cá apesar da maioria não o ver, porque não estuda para o ver, isto é; Estudar,aprender para ser esclarecido. Este o Consolador porque nos consola esclarecendo-nos as coisas de Deus.

Aquele abraço
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: marcelo2100 em 19 de Setembro de 2013, 18:12
Note, Marcelo,
em todasas suas postagenms que tragam livros ou títulos até agora o amigo não identificou uma sequer das obras codificadas, logo, está a ouvir ooq ue quer mas não o que a DE ensina.
Quando ainda estava na Unioversidade, chegava em casa Uma da manhã, cansado de um dia de trabalho, pois trabalhava e estudava com otantos, mesmo assim, no "busão" que tomava, eu encontrava tempo para estudar a DE e mesmo depois que passva a matéria a limpo ( de Direito), ao começar a jantar ainda voltava ao estudo da codificação... Ora, naquele tempo eu já era palestrante e dava cursos sobre as obras básicas, por que então haveria de estudar oque já conhecia? A resposta é simples, exatamente pelo princípio doutrinário do progresso, ora enquanto se vive o progresso se instala, mais depressa se opera quando se dá a ele possibilidade para tal e esta, é o estudo, este leva ao conhecimento, ponto que o codificador dava sempre como capital.
abraços,
Moura

eu?
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 19 de Setembro de 2013, 19:26
Desconhecimento doutrinário é uma coisa, bom senso é outra. Acho que depende de cada pessoa e sobre o que ela gosta de ler, por isto da minha indicação...
Concordo com os outros manos que disseram ser o início correto é O Que é o Espiritismo, eu também o li e a linguagem é bem mais simples e clara. Seria o próximo que eu indicaria.
Fernando 1969, concordo com o que você diz. Ter bom senso é fundamental. Aqui, você não está sozinho. Gostei do que você postou. É bastante esclarecedor para quem vem ao tópico em busca de informação.

Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: dfvalle em 19 de Setembro de 2013, 19:35
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!

Não que eu seja seletivo

mas acho que já tem muita gente

Você não acha?


Acredito que a doutrina não foi apresentada a humanidade para privilégio de poucos.

Realmente foi para todos nós

Como disse em outra postagem ...eu estava brincando...peço desculpas

Não quis ser rude, eu que peço desculpas.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: wender100%espirita em 19 de Setembro de 2013, 20:22
Sendo a doutrina espirita a que mais esclarece sobre a verdade, o sentido da vida, porque ainda não tem um grande número de seguidores no mundo?
É a religião que mais se aproxima da ciência moderna, e mesmo assim muitos a desconhecem ou fazem questão de temer.
Somos tão imperfeitos que não queremos enxergar a verdade?
O espirito consolador ainda virá?

Paz e harmonia para todos!
amigo a minha opiniao e igual a resposta atras, o Espiritismo nao quer quantidade e sim qualidade, pra mim a Doutrina Espirita e o sal da terra, e o tempero que faltava no conhecimento humano pra responder todas as questoes ainda velada por alegorias, preconceitos, e ignorancia. Estara em todos os pratos da ciencias ,das religioes, sem se contaminar, sem se corromper , por que o sal so doa, nao recebe,e nao aparece,porque usa a razao, esta aberta a todas as crencas a todas ciencias porque vem dos Espiritos Superiores as suas revelacoes! ta ai pra quem quiser estudar,e melhor de gratis rsrs, e um presente de Deus a todos nos! paz e luz
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 19 de Setembro de 2013, 20:50
Acredito que a doutrina não foi apresentada a humanidade para privilégio de poucos.
Amigo dfvalle, concordo com isto que você escreveu. Penso que  a capacidade de discernimento não é igual para todas as pessoas. Essas pessoas chegam ao Espiritismo da  maneira que podem. Escolhem o que é melhor para elas.
Antes, esses ensinamentos eram um mistério. O Espiritismo veio para por tudo às claras. E importa que todos tenham acesso a eles. Os livros psicografados por Chico Xavier funcionam nesse sentido.

Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 20 de Setembro de 2013, 05:19

O Espiritismo veio para por tudo às claras. E importa que todos tenham acesso a eles. Os livros psicografados por Chico Xavier funcionam nesse sentido.

Abraços.


Os livros psicografados por Chico Xavier podem ser um caminho que conduza ao conhecimento do Espiritismo.

Mas não são Espiritismo.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 20 de Setembro de 2013, 09:00
Olá amigo Brenno

Citar
Os livros psicografados por Chico Xavier podem ser um caminho que conduza ao conhecimento do Espiritismo.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/30/#ixzz2fPtz624t

Bem, o primeiro comentário que se me oferece é que não me parece que os livros psicografados por Chico Xavier sejam todos deslocados da mensagem espirita. O que me parece é que aqueles livros que fogem dos aspectos morais, e entram mais em dissertações sobre os pormenores da constituição do perispirito, sobre pormenores da vida mundo espiritual, se afastam, efectivamente. Os que focam os aspectos que estão mais ligados à moral e ao exercício prático da mesma, aproximam-se muito da mensagem  de Allan kardec. Todavia isso não é um problema com o médium, mas com os autores espirituais.

Em segundo lugar, a titulo de testemunho, tenho a dizer que, depois de ler o Livro dos Espíritos e estar numa fase de grande satisfação por ter conhecido a doutrina espirita,  ao tentar ler a obra o "O Nosso Lar, fiquei com vontade de largar a doutrina espirita. Para mim, as razões pelas quais me identifiquei com o LE, se apenas tivesse lido o "Nosso Lar" não existiriam. Seria uma razão para abandonar e não para me ligar à DE. Mas se eu ler "O Pão Nosso", de Emmanuel, já lá reconheço a doutrina espirita.

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Claudemir dos Santos em 20 de Setembro de 2013, 11:56
Amigos,na[verdade]nós ditos humanos ainda somos muito terrenos,e nossos pés ainda se encontram presos a terra,portanto não damos muita importância a uma escalada para o mais alto,e isso torna a nossa evolução mais lenta,digamos que 80% da humanidade se acomoda e se satisfaz com as condições que a vida material nos oferece,e não queremos abrir mão disso. Ainda somos tão pouco,porque a hora do derradeiro trabalho ainda não chegou,a base,ou a codificação de Kardec veio apenas preparar novos recrutas que se preparam para a luta,mas antes contra nossos próprios males terrenos,ou seja,nosso orgulho,vaidade e egoismo,a preparação é rígida para que aja qualidade e não quantidade. Somos poucos sim,mas que estejamos fortes na fé e na esperança,pois em breve teremos a nossa frente um grande líder [o messias do espiritismo]que nos dará as condições necessárias para este grande trabalho se de inicio. Uma coisa que eu achei interessante narrar a vocês é a de que os adventistas do sétimo dia tem como líder religioso uma médium americana que viveu quase que no mesmo tempo de Kardec,e essa médium Ellen White é tida por eles como uma profetiza,e ela declarou ou profetizou sobre o espiritismo assim;"O espiritismo esta prestes a cativar o mundo,muitos há que julgam ser espiritismo mantido por truques e imposturas,mas isto esta longe da verdade,um poder sobre humano esta operando de varias maneiras,e poucos tem a ideia do que sera a manifestação do espiritismo no futuro".Amigos, que cada um analise estas palavras da  maneira que achar mais conveniente. Abraços e muita paz.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 12:25
Amigos,na[verdade]nós ditos humanos ainda somos muito terrenos,e nossos pés ainda se encontram presos a terra,portanto não damos muita importância a uma escalada para o mais alto,e isso torna a nossa evolução mais lenta,digamos que 80% da humanidade se acomoda e se satisfaz com as condições que a vida material nos oferece,e não queremos abrir mão disso. Ainda somos tão pouco,porque a hora do derradeiro trabalho ainda não chegou,a base,ou a codificação de Kardec veio apenas preparar novos recrutas que se preparam para a luta,mas antes contra nossos próprios males terrenos,ou seja,nosso orgulho,vaidade e egoismo,a preparação é rígida para que aja qualidade e não quantidade. Somos poucos sim,mas que estejamos fortes na fé e na esperança,pois em breve teremos a nossa frente um grande líder [o messias do espiritismo]que nos dará as condições necessárias para este grande trabalho se de inicio. Uma coisa que eu achei interessante narrar a vocês é a de que os adventistas do sétimo dia tem como líder religioso uma médium americana que viveu quase que no mesmo tempo de Kardec,e essa médium Ellen White é tida por eles como uma profetiza,e ela declarou ou profetizou sobre o espiritismo assim;"O espiritismo esta prestes a cativar o mundo,muitos há que julgam ser espiritismo mantido por truques e imposturas,mas isto esta longe da verdade,um poder sobre humano esta operando de varias maneiras,e poucos tem a ideia do que sera a manifestação do espiritismo no futuro".Amigos, que cada um analise estas palavras da  maneira que achar mais conveniente. Abraços e muita paz.
No geral caro Claudemir apreciei sua opinião, mas aquele pequeno pormenor já repetido por si noutros temas ( Messias no Espiritismo) o novo lider do Espiritismo, sai fora do que é compreensível no Espiritismo,e, isto como já lhe disse outras vezes e o amigo repete continuadamente não existe, basta lembrarmos que o Espiritismo ou Codificação Espirita não é de ninguém e muito menos um Lider ou Guru como queiram chamar , mas sim dos Espiritos, por isso ( Messias no Espiritismo) é os Espiritas de uma vez por todas estudar e compreendê-la de uma forma correta a assim  colocar em prática seus ensinamentos. Alguns já tentaram dizer de outra forma que a nossa doutrina está ultrapassada, no entanto se esquecem que só se ultrapassa que consegue fazer melhor; pergunto já assimilamos a codificação de forma a colocarmos em prática? Não.

Nada me move contra si, e falo isto em termos explicativos de forma a quem leia não entre em equívocos primários, mas há coisas que não podemos de forma alguma deixar passar.

O Espiritismo é de todos e de ninguém porque não há lideres, Gurus, Santos etc. Convido todos a lerem( não sei aonde) em que Allan Kardec fala disto de forma diferente.

Abraços e muita paz.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 12:34
Muito do que aprendemos sobre o Espírito e o mundo espiritual, vieram dos livros psicografados por Chico Xavier. Ler esses livros é fundamental. Quem não faz isso, não avança em conhecimento. Hoje, não acredito nas pessoas, que dizem conhecer o Espiritismo, sem ter lido esses livros e aprendido com eles. Os livros de Chico Xavier, para mim, são Espiritismo sim. E bota Espiritismo nisso!
Todas as revelações vieram dos espíritos superiores, mas Kardec precisou fazer o CUEE, não é mesmo?
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 20 de Setembro de 2013, 13:36
Olá amigo Ganimedes

Citar
Muito do que aprendemos sobre o Espírito e o mundo espiritual, vieram dos livros psicografados por Chico Xavier. Ler esses livros é fundamental. Quem não faz isso, não avança em conhecimento. Hoje, não acredito nas pessoas, que dizem conhecer o Espiritismo, sem ter lido esses livros e aprendido com eles. Os livros de Chico Xavier, para mim, são Espiritismo sim. E bota Espiritismo nisso!
Todas as revelações vieram dos espíritos superiores, mas Kardec precisou fazer o CUEE, não é mesmo?

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/45/#ixzz2fR2dyCYI

Veja lá como são opiniões. Há para todos os gostos...

Eu não acho que seja fundamental ler os livros de Chico Xavier. Quando o espiritismo surgiu no mundo (o espiritismo, não os fenómenos espíritas, claro) Não havia nenhum Chico Xavier. Todavia o espiritismo nasceu!

Eu acho que alguns livros do Chico, designadamente os de André Luiz, não ajudam nada, pelo contrário vieram é criar polémicas, discórdias, divisões, no seio do movimento espirita. Já a pessoa "Chico Xavier", veio ajudar o ME. Uma coisa nada tem a haver com a outra.

O facto de Allan Kardec não se achar infalível, para mim, valoriza-o, não o deprecia. Isso é que é a tal humildade e a tal mentalidade cientifica que justifica dizer que o espiritismo é uma ciência de observação...Ou não?

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 14:03
Veja lá como são opiniões. Há para todos os gostos...
Eu não acho que seja fundamental ler os livros de Chico Xavier.
Existem sim muitas opiniões e cada um tem a sua.
Você acredita no que você quiser. Eu não tenho nada com isso.
Para mim, ler esses livros é fundamental, porque quem não faz isso, dentro do Espiritismo, não avança em conhecimento.
Quem disse que Kardec era infalível? Eu não sei quem foi.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Marcinho Medeiros em 20 de Setembro de 2013, 14:06
Em resposta ao tópico, acho que "ainda somos tão poucos"... porque estamos apenas no início da nova Era espiritual. Que valorizemos cada vez mais nossas crianças; que ensinemos a elas que a vida nunca acaba e tudo mais que não nos ensinaram os nossos pais, mas, a vida sim...


Paz e Luz!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: marcelo2100 em 20 de Setembro de 2013, 15:09
Doutrina espírita é somente a codificação, ou seja a estrutura do espiritismo veio da codificação.........somente o que passou pelo CUEE pode agregar alguma coisa ao espiritismo, do contrário são apenas livros esperando uma confirmação!!!

E somo tão poucos, como ja disse, pelo menos aqui no Brasil é simplesmente pelo fato do brasileiro nao gostar de ler ou porque não sabe ler  e quando lê nao consegue interpretar e entender oque está lendo!!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Setembro de 2013, 17:17
Em resposta ao tópico, acho que "ainda somos tão poucos"... porque estamos apenas no início da nova Era espiritual. Que valorizemos cada vez mais nossas crianças; que ensinemos a elas que a vida nunca acaba e tudo mais que não nos ensinaram os nossos pais, mas, a vida sim...


Paz e Luz!

Cuidado Marcinho
se descobrirem que você é evoluido

Cairão de martelada para cima...
(piada)
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 17:54
Olá amigos(as)


Pelas últimas colocações creio que certamente se percebe muita coisa, que é!...

Adorações de pessoas sem a devida razão se estas falam ou não acertado.

De facto Kardec, Chico e muitos outros não são infaliveis como disseram e bem, como tal como conseguem validar tudo que vem destes?

Já agora a codificação não é de nenhum atrás citado e sim pelos Espíritos Superiores tal e qual afirmou Kardec que emprestou o tempo organizando tudo. Neste aspecto ou se acredita ou não.Cada um tem seu caminho certo.Para se acreditar o que vem na Codificação o estudo é o melhor remédio; disse estudo e não ler.

Nota: Um ser (Allan Kardec)que veio auxiliar uma Revolução, sendo o Bom senso encarnado que por certo uma grande missão, sem nós conseguirmos de momento alcançar o quanto será grande , escolhido e auxiliado pelos Espiritos Superiores, e nós querendo comparar o incomparável este este e Chico Xavier,tenham paciência, ainda mais quando muita vez Chico ouvia de seu mentor Emmanuel lhe dizendo na dúvida fique com Allan Kardec!... Meus amigos(as) sinceramente de facto já li de tudo.

Estão a ver como ainda somos poucos, porque as pessoas são inteligentes e aquilo que lêem e ouve em relação ao ME é de uma discrepância sem fim. Parece-me igual ao Catolicismo em que se confunde Jesus com Deus.

Nota: Lembro que apenas explano ideias e não pessoas porque cada um segue o caminho que achar por bem.

Abraços fraternos

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 17:56
Muito do que aprendemos sobre o Espírito e o mundo espiritual, vieram dos livros psicografados por Chico Xavier. Ler esses livros é fundamental. Quem não faz isso, não avança em conhecimento. Hoje, não acredito nas pessoas, que dizem conhecer o Espiritismo, sem ter lido esses livros e aprendido com eles. Os livros de Chico Xavier, para mim, são Espiritismo sim. E bota Espiritismo nisso!
Todas as revelações vieram dos espíritos superiores, mas Kardec precisou fazer o CUEE, não é mesmo?

Kardec precisou e bem porque acreditar por acreditar nada trás de bom. Filtrar tudo e reter o melhor.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: marcelo2100 em 20 de Setembro de 2013, 17:58
Muito do que aprendemos sobre o Espírito e o mundo espiritual, vieram dos livros psicografados por Chico Xavier. Ler esses livros é fundamental. Quem não faz isso, não avança em conhecimento. Hoje, não acredito nas pessoas, que dizem conhecer o Espiritismo, sem ter lido esses livros e aprendido com eles. Os livros de Chico Xavier, para mim, são Espiritismo sim. E bota Espiritismo nisso!
Todas as revelações vieram dos espíritos superiores, mas Kardec precisou fazer o CUEE, não é mesmo?

Kardec precisou e bem porque acreditar por acreditar nada trás de bom. Filtrar tudo e reter o melhor.

é acreditar por acreditar nao dá ne!!! e isto que acontece com muito fieis de igrejas que por acreditar sem duvidar de seus lideres religiosos chegam ate vender bens para dar como dizimo para igreja!!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 18:11
Olá amigos(as)

Revista Espirita de 1863 (Allan Kardec)
Convido a todos e lerem esta maravilhosa revista que o ME pouco a conhece, e que por acaso ainda não percebi porquê.

Por mais que a torturem e deturpem, por mais que façam falar os Espíritos à sua vontade ou reúnam comunicações apócrifas para lançar contradições de permeio, não farão prevalecer  um ensino isolado, ainda que verdadeiro ou imaginário, contra o que é dado por toda parte. O Espiritismo se distingue de todas as outras filosofias pelo fato de não ser o produto da concepção de um só homem, mas de um ensino que cada um pode receber em todos   os   pontos   do   globo,  e   tal   é   a   consagração   que   recebeu  O Livro dos Espíritos. Escrito sem equívocos possíveis e ao alcance de todas   as   inteligências,  esse   livro   será   sempre   a   expressão   clara   e exata da doutrina e a transmitirá intacta aos que vierem depois de nós.

Para mim não tem dúvidas, por certo tudo que vem depois deve ser lido como cultura geral e muitos ensinamentos têm, mas na dúvida(lembrando Emmanuel) fique com Kardec.
Sim já li uma grande parte dos Livros de Chico Xavier(Grande homem sim senhor) Divaldo, Suely, etc etc.

Abraços fraternos

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Setembro de 2013, 18:26
Olá amigos(as)


Pelas últimas colocações creio que certamente se percebe muita coisa, que é!...

Adorações de pessoas sem a devida razão se estas falam ou não acertado.

De facto Kardec, Chico e muitos outros não são infaliveis como disseram e bem, como tal como conseguem validar tudo que vem destes?

Já agora a codificação não é de nenhum atrás citado e sim pelos Espíritos Superiores tal e qual afirmou Kardec que emprestou o tempo organizando tudo. Neste aspecto ou se acredita ou não.Cada um tem seu caminho certo.Para se acreditar o que vem na Codificação o estudo é o melhor remédio; disse estudo e não ler.

Nota: Um ser (Allan Kardec)que veio auxiliar uma Revolução, sendo o Bom senso encarnado que por certo uma grande missão, sem nós conseguirmos de momento alcançar o quanto será grande , escolhido e auxiliado pelos Espiritos Superiores, e nós querendo comparar o incomparável este este e Chico Xavier,tenham paciência, ainda mais quando muita vez Chico ouvia de seu mentor Emmanuel lhe dizendo na dúvida fique com Allan Kardec!... Meus amigos(as) sinceramente de facto já li de tudo.

Estão a ver como ainda somos poucos, porque as pessoas são inteligentes e aquilo que lêem e ouve em relação ao ME é de uma discrepância sem fim. Parece-me igual ao Catolicismo em que se confunde Jesus com Deus.

Nota: Lembro que apenas explano ideias e não pessoas porque cada um segue o caminho que achar por bem.

Abraços fraternos



A questão patente é;
O Espiritismo baseia-se nas leis naturais
E estas leis provêm de Deus
E Deus é infalível
Nisto apoia o espiritismo
Esta é a luz correta segura
Que nos orienta...
Uma coisa certamente é a obra de Kardec e todo o respaldo que ela contém
...Não por isso há se quer um menosprezo da obra para com as demais...
Nela mesmo está o ensino da psicografia e também das possibilidades deste intercâmbio...
Se um relato de um agrupamento de espíritos destrói ou mancha o espiritismo...
Começaria esta também por temer tal intercâmbio...
Jesus disse que;
“Como poderia Satanás laborar contra ele mesmo ?”
Por esta orientação já se nos previne para o conteúdo que nos chega...
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Setembro de 2013, 18:33
Doutrina espírita é somente a codificação, ou seja a estrutura do espiritismo veio da codificação.........somente o que passou pelo CUEE pode agregar alguma coisa ao espiritismo, do contrário são apenas livros esperando uma confirmação!!!

E somo tão poucos, como ja disse, pelo menos aqui no Brasil é simplesmente pelo fato do brasileiro nao gostar de ler ou porque não sabe ler  e quando lê nao consegue interpretar e entender oque está lendo!!

Conheço um camarada,
meu amigo

Que saiu daqui do Brasil
e foi transitar no caminho de San Tiago
aquele mesmo que originou o livro de Paulo Coelho...

bem na verdade o escritor Paulo Coelho
 descreveu suas avemturas endoçando com sua capacidade de escrever..
e encorajou a muitas a fazerem a tal caminhada...

Mas mesmo diante das regras e dos ensinos de se ir por este caminho
cada um que vai
da o seu próprio passo e vive sua propria aventura
e o caminho continua o mesmo.

Eu penso assim
a cerca da Doutrina.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 18:34
é acreditar por acreditar nao dá ne!!! e isto que acontece com muito fieis de igrejas que por acreditar sem duvidar de seus lideres religiosos chegam ate vender bens para dar como dizimo para igreja!!
Hoje, não acredito nas pessoas, que dizem conhecer o Espiritismo, sem ter lido esses livros e aprendido com eles. Os livros de Chico Xavier, para mim, são Espiritismo sim. E você, marcelo2100, é o meu argumento mais forte; é a certeza e a prova disso.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 18:36
Olá amigos(as)


Pelas últimas colocações creio que certamente se percebe muita coisa, que é!...

Adorações de pessoas sem a devida razão se estas falam ou não acertado.

De facto Kardec, Chico e muitos outros não são infaliveis como disseram e bem, como tal como conseguem validar tudo que vem destes?

Já agora a codificação não é de nenhum atrás citado e sim pelos Espíritos Superiores tal e qual afirmou Kardec que emprestou o tempo organizando tudo. Neste aspecto ou se acredita ou não.Cada um tem seu caminho certo.Para se acreditar o que vem na Codificação o estudo é o melhor remédio; disse estudo e não ler.

Nota: Um ser (Allan Kardec)que veio auxiliar uma Revolução, sendo o Bom senso encarnado que por certo uma grande missão, sem nós conseguirmos de momento alcançar o quanto será grande , escolhido e auxiliado pelos Espiritos Superiores, e nós querendo comparar o incomparável este este e Chico Xavier,tenham paciência, ainda mais quando muita vez Chico ouvia de seu mentor Emmanuel lhe dizendo na dúvida fique com Allan Kardec!... Meus amigos(as) sinceramente de facto já li de tudo.

Estão a ver como ainda somos poucos, porque as pessoas são inteligentes e aquilo que lêem e ouve em relação ao ME é de uma discrepância sem fim. Parece-me igual ao Catolicismo em que se confunde Jesus com Deus.

Nota: Lembro que apenas explano ideias e não pessoas porque cada um segue o caminho que achar por bem.

Abraços fraternos



A questão patente é;
O Espiritismo baseia-se nas leis naturais
E estas leis provêm de Deus
E Deus é infalível
Nisto apoia o espiritismo
Esta é a luz correta segura
Que nos orienta...
Uma coisa certamente é a obra de Kardec e todo o respaldo que ela contém
...Não por isso há se quer um menosprezo da obra para com as demais...
Nela mesmo está o ensino da psicografia e também das possibilidades deste intercâmbio...
Se um relato de um agrupamento de espíritos destrói ou mancha o espiritismo...
Começaria esta também por temer tal intercâmbio...
Jesus disse que;
“Como poderia Satanás laborar contra ele mesmo ?”
Por esta orientação já se nos previne para o conteúdo que nos chega...

Esta certo Moisés e eu faço questão disso e incisto, não menosprezar nenhum ensinamento e também não vejo isso por aqui embora por vezes as pessoas se excedam em suas colocações. Bato sempre na mesma tecla; alerto consciências dizendo leiam tudo e retenham o que devem, mas primeiro leiam e estudem estudando a codificação a compreendendo,e depois questionem para estarem preparados para dizer sim ou não. Estamos a falar das palavras e não donde vêm.

Abraços
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Setembro de 2013, 18:41
Olá amigos(as)

Revista Espirita de 1863 (Allan Kardec)
Convido a todos e lerem esta maravilhosa revista que o ME pouco a conhece, e que por acaso ainda não percebi porquê.

Por mais que a torturem e deturpem, por mais que façam falar os Espíritos à sua vontade ou reúnam comunicações apócrifas para lançar contradições de permeio, não farão prevalecer  um ensino isolado, ainda que verdadeiro ou imaginário, contra o que é dado por toda parte. O Espiritismo se distingue de todas as outras filosofias pelo fato de não ser o produto da concepção de um só homem, mas de um ensino que cada um pode receber em todos   os   pontos   do   globo,  e   tal   é   a   consagração   que   recebeu  O Livro dos Espíritos. Escrito sem equívocos possíveis e ao alcance de todas   as   inteligências,  esse   livro   será   sempre   a   expressão   clara   e exata da doutrina e a transmitirá intacta aos que vierem depois de nós.

Para mim não tem dúvidas, por certo tudo que vem depois deve ser lido como cultura geral e muitos ensinamentos têm, mas na dúvida(lembrando Emmanuel) fique com Kardec.
Sim já li uma grande parte dos Livros de Chico Xavier(Grande homem sim senhor) Divaldo, Suely, etc etc.

Abraços fraternos



Kardec também disse
que não calaremos os espíritos e
nem os submeteremos aos nossos caprichos

Vamos trabalhar
que o trabalho é uma lei da natureza
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 18:45
Olá amigos(as)

Revista Espirita de 1863 (Allan Kardec)
Convido a todos e lerem esta maravilhosa revista que o ME pouco a conhece, e que por acaso ainda não percebi porquê.

Por mais que a torturem e deturpem, por mais que façam falar os Espíritos à sua vontade ou reúnam comunicações apócrifas para lançar contradições de permeio, não farão prevalecer  um ensino isolado, ainda que verdadeiro ou imaginário, contra o que é dado por toda parte. O Espiritismo se distingue de todas as outras filosofias pelo fato de não ser o produto da concepção de um só homem, mas de um ensino que cada um pode receber em todos   os   pontos   do   globo,  e   tal   é   a   consagração   que   recebeu  O Livro dos Espíritos. Escrito sem equívocos possíveis e ao alcance de todas   as   inteligências,  esse   livro   será   sempre   a   expressão   clara   e exata da doutrina e a transmitirá intacta aos que vierem depois de nós.

Para mim não tem dúvidas, por certo tudo que vem depois deve ser lido como cultura geral e muitos ensinamentos têm, mas na dúvida(lembrando Emmanuel) fique com Kardec.
Sim já li uma grande parte dos Livros de Chico Xavier(Grande homem sim senhor) Divaldo, Suely, etc etc.

Abraços fraternos



Kardec também disse
que não calaremos os espíritos e
nem os submeteremos aos nossos caprichos

Vamos trabalhar
que o trabalho é uma lei da natureza
Vai lá então trabalhar,porque eu a partir deste mês fiquei no desemprego por isso é estou mais por aqui...kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 18:49
Doutrina espírita é somente a codificação, ou seja a estrutura do espiritismo veio da codificação.........somente o que passou pelo CUEE pode agregar alguma coisa ao espiritismo, do contrário são apenas livros esperando uma confirmação!!!

E somo tão poucos, como ja disse, pelo menos aqui no Brasil é simplesmente pelo fato do brasileiro nao gostar de ler ou porque não sabe ler  e quando lê nao consegue interpretar e entender oque está lendo!!

Conheço um camarada,
meu amigo

Que saiu daqui do Brasil
e foi transitar no caminho de San Tiago
aquele mesmo que originou o livro de Paulo Coelho...

bem na verdade o escritor Paulo Coelho
 descreveu suas avemturas endoçando com sua capacidade de escrever..
e encorajou a muitas a fazerem a tal caminhada...

Mas mesmo diante das regras e dos ensinos de se ir por este caminho
cada um que vai
da o seu próprio passo e vive sua propria aventura
e o caminho continua o mesmo.

Eu penso assim
a cerca da Doutrina.
Moisés pensei que isso estava mais que decidido aliás bem básico no Espiritismo; Cada um tem seu caminho logicamente e eu pelo menos escrevo daquilo que sei e aprendo mais ainda,sem querer convencer ninguém, aliás seria uma falta de respeito pelas decisões dos outros, alerto e tento respeitar , o resto é só fumaça, muita vez as pessoas tentam marcar posições que para mim não é necessário. Simples assim.


Aquele abraço
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 18:59
alerto consciências dizendo leiam tudo e retenham o que devem, mas primeiro leiam e estudem estudando a codificação a compreendendo,e depois questionem para estarem preparados para dizer sim ou não. Estamos a falar das palavras e não donde vêm.
A minha consciência, não. Não lhe fiz meu professor de Espiritismo. Você tem a sua opinião -- eu disse opinião -- e eu tenho a minha. Você lê e estuda, mas os outros não? Será que é assim mesmo? É claro que não.
Para mim, ler livros psicografados por Chico Xavier é fundamental, porque quem não faz isso, dentro do Espiritismo, não avança em conhecimento.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 20 de Setembro de 2013, 19:20
Ganimedes, deves medir teu açodamento.
A citação feita no corpo da postagem do mano Cancela trás como autor ninguém outro do que o Apóstolo dos Gentios.
Muita carma nessa hora mano! :)
Abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Setembro de 2013, 19:20
Doutrina espírita é somente a codificação, ou seja a estrutura do espiritismo veio da codificação.........somente o que passou pelo CUEE pode agregar alguma coisa ao espiritismo, do contrário são apenas livros esperando uma confirmação!!!

E somo tão poucos, como ja disse, pelo menos aqui no Brasil é simplesmente pelo fato do brasileiro nao gostar de ler ou porque não sabe ler  e quando lê nao consegue interpretar e entender oque está lendo!!

Conheço um camarada,
meu amigo

Que saiu daqui do Brasil
e foi transitar no caminho de San Tiago
aquele mesmo que originou o livro de Paulo Coelho...

bem na verdade o escritor Paulo Coelho
 descreveu suas avemturas endoçando com sua capacidade de escrever..
e encorajou a muitas a fazerem a tal caminhada...

Mas mesmo diante das regras e dos ensinos de se ir por este caminho
cada um que vai
da o seu próprio passo e vive sua propria aventura
e o caminho continua o mesmo.

Eu penso assim
a cerca da Doutrina.
Moisés pensei que isso estava mais que decidido aliás bem básico no Espiritismo; Cada um tem seu caminho logicamente e eu pelo menos escrevo daquilo que sei e aprendo mais ainda,sem querer convencer ninguém, aliás seria uma falta de respeito pelas decisões dos outros, alerto e tento respeitar , o resto é só fumaça, muita vez as pessoas tentam marcar posições que para mim não é necessário. Simples assim.


Aquele abraço

então!
vamos que vamos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 19:29
Mourarego, as palavras são usadas para expressar um pensamento dele. Neste caso, a minha resposta procede. É assim que vejo essa situação.

Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 20 de Setembro de 2013, 19:31
Amigo,  a coisa não é tão simples assim...

veja que se o pensamento está correto tudo o que se segue deveria estar também e quando se atesta contra uma postagem excetuando esta visão, atesta-se também contra a moral de quem postou...
abração,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 19:38
alerto consciências dizendo leiam tudo e retenham o que devem, mas primeiro leiam e estudem estudando a codificação a compreendendo,e depois questionem para estarem preparados para dizer sim ou não. Estamos a falar das palavras e não donde vêm.
A minha consciência, não. Não lhe fiz meu professor de Espiritismo. Você tem a sua opinião -- eu disse opinião -- e eu tenho a minha. Você lê e estuda, mas os outros não? Será que é assim mesmo? É claro que não.
Para mim, ler livros psicografados por Chico Xavier é fundamental, porque quem não faz isso, dentro do Espiritismo, não avança em conhecimento.
Para isto Ganimedes é:::Sem comentários
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 20 de Setembro de 2013, 19:43
vejam e se espantem:
"Para mim, ler livros psicografados por Chico Xavier é fundamental, porque quem não faz isso, dentro do Espiritismo, não avança em conhecimento."

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/60/?action=post;num_replies=68#ixzz2fSZFfcmu

A vista do que nos foi postado pelo mano Ganimedes,  se pode atestar que nosso amigo, dá à obra margui]inal à Doutrina, crédito maior doque à propria obra básioca, e o pior é que nenhuma linha do que consta nas tantas obras psicografadas pelo Médium mineiro, pasou pelo Método legado pelos Espiritos superiores ao codificador e que veio para conferir o criterium de Verdade destas obras básicas, segundo kardec.
abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 19:49
Se o pensamento está correto, a minha resposta também, porque, neste contexto, tenho o direito de discordar dele. Assim penso eu.
Moura, não exagere. Não estou contra a moral  de ninguém. Se assim entendesse, não faria isso.

Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 19:53

Eu não disse que os livros que o Chico Xavier psicografou são mais importantes que a Codificação.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Setembro de 2013, 19:59
Citar
Ganimedesvejam e se espantem:
"Para mim, ler livros psicografados por Chico Xavier é fundamental, porque quem não faz isso, dentro do Espiritismo, não avança em conhecimento."

A vista do que nos foi postado pelo mano Ganimedes,  se pode atestar que nosso amigo, dá à obra margui]inal à Doutrina, crédito maior doque à propria obra básioca, e o pior é que nenhuma linha do que consta nas tantas obras psicografadas pelo Médium mineiro, pasou pelo Método legado pelos Espiritos superiores ao codificador e que veio para conferir o criterium de Verdade destas obras básicas, segundo kardec.
abraços,
Moura


Moura

Não tiraria a razão do amigo Ganimedes,
mas complementando a colocação dele
estenderia estes estudos para tantas outras obras
provindas de tantos outros médiuns...
tantos outros estudiosos...
tantos outros pesquisadores

e também livros contrários ao Espiritismo

E
pela responsabilidade moral que nos cabe
não nos apartarmos das Obras Kardequianas
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Setembro de 2013, 20:03
Muitoas vezes discordo
outras já
discordo outravez

mas na verdade
aprendemos com todos
um com o outro

desde que
movidos do interesse de aprender ensinando
e ensinar aprendendo

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 20 de Setembro de 2013, 20:05
Mano Moisés,
em cada cabeça uma sentença né?
Abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Setembro de 2013, 20:06
Olá amigos(as)

Revista Espirita de 1863 (Allan Kardec)
Convido a todos e lerem esta maravilhosa revista que o ME pouco a conhece, e que por acaso ainda não percebi porquê.

Por mais que a torturem e deturpem, por mais que façam falar os Espíritos à sua vontade ou reúnam comunicações apócrifas para lançar contradições de permeio, não farão prevalecer  um ensino isolado, ainda que verdadeiro ou imaginário, contra o que é dado por toda parte. O Espiritismo se distingue de todas as outras filosofias pelo fato de não ser o produto da concepção de um só homem, mas de um ensino que cada um pode receber em todos   os   pontos   do   globo,  e   tal   é   a   consagração   que   recebeu  O Livro dos Espíritos. Escrito sem equívocos possíveis e ao alcance de todas   as   inteligências,  esse   livro   será   sempre   a   expressão   clara   e exata da doutrina e a transmitirá intacta aos que vierem depois de nós.

Para mim não tem dúvidas, por certo tudo que vem depois deve ser lido como cultura geral e muitos ensinamentos têm, mas na dúvida(lembrando Emmanuel) fique com Kardec.
Sim já li uma grande parte dos Livros de Chico Xavier(Grande homem sim senhor) Divaldo, Suely, etc etc.

Abraços fraternos



Kardec também disse
que não calaremos os espíritos e
nem os submeteremos aos nossos caprichos

Vamos trabalhar
que o trabalho é uma lei da natureza
Vai lá então trabalhar,porque eu a partir deste mês fiquei no desemprego por isso é estou mais por aqui...kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

$$$$$$$$$$$$$

então tens grana a emprestar
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 20:18
hcancela,

No meu entender, você não pode dizer para as pessoas que elas precisam ler e estudar mais e melhor. Você não pode saber o quanto essas pessoas lêem e estudam o Espiritismo.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 20:39
Olá amigos(as)

Revista Espirita de 1863 (Allan Kardec)
Convido a todos e lerem esta maravilhosa revista que o ME pouco a conhece, e que por acaso ainda não percebi porquê.

Por mais que a torturem e deturpem, por mais que façam falar os Espíritos à sua vontade ou reúnam comunicações apócrifas para lançar contradições de permeio, não farão prevalecer  um ensino isolado, ainda que verdadeiro ou imaginário, contra o que é dado por toda parte. O Espiritismo se distingue de todas as outras filosofias pelo fato de não ser o produto da concepção de um só homem, mas de um ensino que cada um pode receber em todos   os   pontos   do   globo,  e   tal   é   a   consagração   que   recebeu  O Livro dos Espíritos. Escrito sem equívocos possíveis e ao alcance de todas   as   inteligências,  esse   livro   será   sempre   a   expressão   clara   e exata da doutrina e a transmitirá intacta aos que vierem depois de nós.

Para mim não tem dúvidas, por certo tudo que vem depois deve ser lido como cultura geral e muitos ensinamentos têm, mas na dúvida(lembrando Emmanuel) fique com Kardec.
Sim já li uma grande parte dos Livros de Chico Xavier(Grande homem sim senhor) Divaldo, Suely, etc etc.

Abraços fraternos



Kardec também disse
que não calaremos os espíritos e
nem os submeteremos aos nossos caprichos

Vamos trabalhar
que o trabalho é uma lei da natureza
Vai lá então trabalhar,porque eu a partir deste mês fiquei no desemprego por isso é estou mais por aqui...kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

$$$$$$$$$$$$$

então tens grana a emprestar
Não tenho, (desemprego forçado) apenas recebo e aqui estou aberto a propostas..kkkkkkkkkkk
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 20:48
hcancela,

No meu entender, você não pode dizer para as pessoas que elas precisam ler e estudar mais e melhor. Você não pode saber o quanto essas pessoas lêem e estudam o Espiritismo.
Interpretou como quis sem o cuidado da cordialidade. Mostre onde fui descordial?

Digo e volto afirmar, que estudem ,aprendam e tenham bagagem para compreender o que é Espiritismo, e depois sim leiam tudo o que por bem acharem melhor para com isto terem conhecimentos suficientes de separarem o trigo do Joio. Se interpreta isto para o mal, nada tenho a ver com isso. Releia tudo que eu escrevi neste tópico e por certo verá a coisa doutra forma, se não ,beleza na mesma.

Nota: As suas mensagens e de outros e até das minhas, serão apagadas quando saiem daquilo que está estipulado, e lógicamente quando atacam as pessoas. Eu não vou apagar aquela em que me achou  mal, apesar de sair daquilo que está nas regras, no entanto se algum moderador achar que sim eu e você temos de aceitar que o façam porque de facto sai e muito daquilo que se pretende.
Saudações farternas
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 20:57
hcancela,

Você sempre teve cordialidade nas suas respostas. Sempre tive apreço por elas. Desde do tópico "Frei Beto e a Pluralidade dos Mundos Habitados", quando do debate com Zarthur.

Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2013, 21:41
hcancela,

Você sempre teve cordialidade nas suas respostas. Sempre tive apreço por elas. Desde do tópico "Frei Beto e a Pluralidade dos Mundos Habitados", quando do debate com Zarthur.

Abraços.
Ganimedes isto quer dizer que guardou (rancor de mim) me atacando pessoalmente e não questionando aquilo que eu digo mesmo que eu possa estar certo ou errado. Eu apenas para si ou para outros questiono o que escrevem colocando minhas ideias que até podem estar certas ou erradas, não confundindo a sua pessoa porque também não o conheço. Eu não consigo perceber e compreender o quer que seja sem perguntar, questionar e colocando minhas ideais ou opiniões desde que contradizendo explicando( não digo não porque não)e para isto requer procura constante,através do estudo e se não encontrar respostas calo-me, porque se eu levar a minha falta de conhecimentos atacando os outros perco a razão. ( Falo aqui  o conceito geral para explicar minha ideia).
Saudações farternas
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 20 de Setembro de 2013, 23:24
Ganimedes isto quer dizer que guardou (rancor de mim) ...
Não. Não guardo nenhum rancor. Eu extrapolei ao me expressar daquela maneira. Não tive a intenção de ofendê-lo. Continuemos questionando em paz.
Agradeço por ter me deixado continuar.
Um grande abraço,
Ganimedes
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: wender100%espirita em 20 de Setembro de 2013, 23:29
debater ideias e a maneira civilizada de expor-mos nossas ideias e aprender com as respostas dos foristas segundo a doutrina Espirita,e assim que deve ser! paz e luz
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 21 de Setembro de 2013, 00:46
Por que ainda somos tão poucos?
Se não me engano Kardec previu uma expansão do Espiritismo bem mais prodigiosa.
Provavelmente tinha essa perspectiva, pois durante o período que se dedicou arduamente a estruturação e divulgação da Doutrina Espírita houve um crescimento vertiginoso das adesões.
Para variar avaliamos tudo a partir de nós, e eis aí então o erro de cálculo de Kardec e a possível resposta à pergunta do tópico.
Baseando-se em si, não sabia Kardec, que ninguém ou quase ninguém mais, iria se dedicar da mesma forma à Doutrina, mesmo os seus sucessores não seriam capazes de tamanho sacrifício.
Daí o arrefecimento natural no crescimento das adesões.
Como muitos escreveram, também acho que o volume de adeptos não é garantia de qualidade, e, não é desejável que o Espiritismo cresça sem qualidade.
Entretanto, esse vácuo desde os tempos de Kardec para cá, tem um significado importante e que ele concebeu inversamente pela perspectiva que tinha de crescimento vertiginoso do Espiritismo.
Trata-se do estabelecimento da verdadeira fraternidade entre os homens, que Kardec esperava acontecesse muito rapidamente, visto que o Espiritismo espalhado a produziria por osmose.
Por que ainda somos tão poucos?
Na minha opinião, porque não incorporamos o espírito de trabalho de Kardec.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Marcos W. Silva em 21 de Setembro de 2013, 02:34
Olá todos,

Alguém já disse em outro post que temos problemas (nós brasileiros) com a leitura. Ele não mentiu.

Mas vejo a acomodação mental como o pior de todos os entraves ao avanço da doutrina. As massas preferem algo mais "fácil" de assimilar. Veja os que arrebanham as multidões, e confirmarão o que digo. Ouça as músicas que fazem milhões de ouvintes, e verão a pura exibição do "fácil" e "previsível".

A Doutrina exige estudo, e pior ainda para alguns, esforço mental. Mas muitos ainda estão naquela de ficar feliz quando não se tem aula, quando se quebra uma ferramenta para sair mais cedo do trabalho.

Muitos de nós, embora espíritas, ainda queremos o milagre que resolva por nós (lei do menor esforço).

A Doutrina ensina-nos a sermos  melhores, e sem pensar, já queremos ser "bonzinhos", daí para a desistência é só um passo. Muitos também desistem quando veem-se como são (imperfeitos) e percebem-se ainda vacilantes. Lemos, porém, não compreendemos que a , Mãe da Esperança e da Caridade, é filha do saber. Daí a sequencia O Livro dos Espíritos > O Livro dos Médiuns> O Evangelho Segundo o Espiritismo.

Abraços. :)







Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 21 de Setembro de 2013, 03:10
Por que...............
..........................Kardec.

Olá todos,

Alguém...................
...................................Espiritismo.

Abraços. :)



Amigos,

O Cristianismo em Dois Mil Anos não conseguiu reunir o Mundo todo sob sua bandeira, longe disso.

E apesar de ter como sua figura central o Mestre Jesus. Sem dúvidas, figura muito maior que Kardec.

Por que deveríamos esperar que o Espiritismo fosse mais longe em apenas 150 anos?

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 21 de Setembro de 2013, 13:24
Olá amigo Marcos

Citar
Alguém já disse em outro post que temos problemas (nós brasileiros) com a leitura. Ele não mentiu.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/75/#ixzz2fWsN9PgR

Então, talvez seja útil, nos CE, ensinar a ler...

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: wender100%espirita em 21 de Setembro de 2013, 13:38
essa foi boa!! rsrsr paz eluz
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Setembro de 2013, 14:16
Olá amigo Marcos

Citar
Alguém já disse em outro post que temos problemas (nós brasileiros) com a leitura. Ele não mentiu.


Então, talvez seja útil, nos CE, ensinar a ler...

bem haja

Boa piada

...............

Na verdade
não devemos falar mal de nós mesmo

Nós lemos bem

bastante...muito até

Pois todas vez que peço para a minha filha
ajudar nos serviços domésticos

ela me fala que não...que está lendo
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Setembro de 2013, 14:22
Por que...............
..........................Kardec.

Olá todos,

Alguém...................
...................................Espiritismo.

Abraços. :)



Amigos,

O Cristianismo em Dois Mil Anos não conseguiu reunir o Mundo todo sob sua bandeira, longe disso.

E apesar de ter como sua figura central o Mestre Jesus. Sem dúvidas, figura muito maior que Kardec.

Por que deveríamos esperar que o Espiritismo fosse mais longe em apenas 150 anos?



parece-me que a missão do Cristianismo foi destruir
(o paganismo)
e a do espiritismo
construir
o Mundo Novo

Será assim?

Sem nos esquecer da lei de transmigração das almas
...muitos vieram de outros orbes, provando-nos que a lei do Evangelho, ou a contida nEle,
é uma lei universal
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 21 de Setembro de 2013, 15:24
Olá amigo Moisés

Citar
parece-me que a missão do Cristianismo foi destruir
(o paganismo)
e a do espiritismo
construir
o Mundo Novo

Será assim?

Sem nos esquecer da lei de transmigração das almas
...muitos vieram de outros orbes, provando-nos que a lei do Evangelho, ou a contida nEle,
é uma lei universal

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/75/#ixzz2fXHbbtL8

Pode ser assim, como o amigo diz. Mas eu não gosto muito desse tipo de conversa, para ser sincero. Foi esse tipo de conversa que fundamentou a inquisição. Penso que é mais adequado dizer que o espiritismo "pode ser um dos caminhos para...", em vez de "é o caminho para". Até porque há zonas do mundo em que não existem espíritas, mas existem outras tradições espirituais diferentes, embora possam ter pontos em comum. Não faz sentido pensar que Deus apenas olhou quase só para o Brasil, esquecendo o resto do globo.

E o trabalho do espírita, da forma como interpreto a doutrina, não é moldar o mundo, mas moldar-se a si mesmo. O mundo muda para melhor quando muitos dos respectivos habitantes mudar para melhor. Mas, entretanto, também segundo a doutrina, e como o amigo diz, muitos dos que se melhoram podem passar a encarnar em mundos melhores, como muito dos que melhoram provindos de mundos ainda inferiores à Terra, passam a encarnar na Terra. As contas não são assim tão fáceis...

Se os que saem são mais do que os que entram, há regressão do mundo, talvez, sem haver regressão dos espiritos habitantes, se os que entram são mais do que os que saem, então há progresso civilizacional. Entrarem de mundos superiores para aqui, sem ser em missão especial, deve ser mais difícil, porque isso implicava que os espiritos que já encarnam habitualmente nesses mundos superiores retrogradavam. Pode haver é trânsito dos mundos regeneradores, para aqui, no caso daqueles que falharam a experiência do mundo regenerador, por ainda não estarem à altura (já ouvi dizer isso, ou li em qualquer lado...).   

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 21 de Setembro de 2013, 15:30
Olá amigo Marcos

Citar
Alguém já disse em outro post que temos problemas (nós brasileiros) com a leitura. Ele não mentiu.


Então, talvez seja útil, nos CE, ensinar a ler...

bem haja

Boa piada
(...)

Para mim não é apenas piada, é algo muito sério. Ensinar a ler e interpretar corretamente os textos espíritas (ou aqueles que os adeptos gostam de classificar como espíritas) é algo que deveria sim ser feitos nos CE's. Nas reuniões públicas seria complicado, porque quem não é capaz de ler e interpretar um ensinamento espírita também não é capaz de interpretar como necessária e para o bem de todos qualquer iniciativa a esse respeito. Isso seria visto como esnobismo, já que, via de regra, qualquer um que se esforce por estudar e interpretar os ensinamentos tende a ser visto como pedante e intelectual esnobe. Isso acontece até mesmo aqui no Fórum. Mas para os grupos de estudos dos quais saem os evangelizadores e expositores da doutrina, esse prática seria um serviço de utilidade pública. Evangelizadores e expositores capacitados para ler e interpretar corretamente um texto tendem a dizer menos bobagens, e em um processo, por assim dizer, natural, aprendem com muito jeitinho a levar para o público em suas exposições o que aprenderam em seus grupos de estudos. Quando, por exemplo, um expositor, por necessidade, utiliza um termo desconhecido e esclarece para o público o que significa esse termo, ele está ensinando-o a ler e a interpretar. Não tenho dúvidas de que o movimento espírita seria outro se fosse comum nos CE's o estudo e a prática da hermenêutica e da lógica. 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 21 de Setembro de 2013, 16:23
na verdade amigo Ganimedes, é, sob minha visão, o seu modo de julgar que se encontra emerro, e grande...
Vejamos, Não se trata de saber o quanto um outrro estuda ou não, mas sim de saber que naquela opinião há um erro e prová-lo segundo a obra doutrinária.
A questão que se abate e que é visível no seu julgamento aopost do mano Cancela é que o amigo incorre nomesmo problema que anota no outro...
Tudo se resume, não numa forma de se diminuir a uem se diga, "amigo estude melhor e mais este tema" mas sim, no conjunto probatório que o alerta, pois que se trata de um alerta apenas, traga de provas de acordo com nossa doutrina.
Devemops, oiutrossim, não sair do aspecto doutrinário pois senão certamente vamos entrar num julgamento onde não tenhamos nem mérito do Conhecer e nem sabedoria doutrinária no julgamento.
abraços,
Moura

quote author=Ganimedes link=topic=48200.msg335685#msg335685 date=1379704697]
hcancela,

No meu entender, você não pode dizer para as pessoas que elas precisam ler e estudar mais e melhor. Você não pode saber o quanto essas pessoas lêem e estudam o Espiritismo.
[/quote]
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Setembro de 2013, 16:24
Olá edmar

você colocou bem
ensinar a interpretar

Devemos ter cuidado para não cairmos em erro
tais como;

Papa Francisco diz que apenas a Igreja é capaz de interpretar escrituras
Declaração foi dada no seu 1° discurso ante o Comitê da Bíblia do Vaticano.
Para o Papa, 'há uma unidade indissolúvel entre Escritura e Tradição'.


http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/04/papa-francisco-diz-que-apenas-igreja-e-capaz-de-interpretar-escrituras.html
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 21 de Setembro de 2013, 16:36
E há mesmo esta tal "unidade", amigo Moisés, e se a pode constatar segundo  que o tempo nos mostra, a cada tempo esta unidade é modificada oq ue pprova que é uma unidade mais elástica do que o pobre mortal pode conhecer...
Abração,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 21 de Setembro de 2013, 18:20
(...)Papa Francisco diz que apenas a Igreja é capaz de interpretar escrituras
Declaração foi dada no seu 1° discurso ante o Comitê da Bíblia do Vaticano.
Para o Papa, 'há uma unidade indissolúvel entre Escritura e Tradição'.


http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/04/papa-francisco-diz-que-apenas-igreja-e-capaz-de-interpretar-escrituras.html

Moises,

Fiquei um pouco desapontado ao saber dessa declaração. O papa Francisco me impressionou muito com seu modo de vida simples e afastado dos padrões do Vaticano. Mas, ao mesmo tempo, vejo que eu queria demais demais, tendo em vista quem e o que ele representa.

Abraço,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: wender100%espirita em 21 de Setembro de 2013, 18:35
edmar nao entendo do desapontamento , ele o lider de uma religiao. deve seguir os dogmas, somente o concilio pode alterar um dogma, so te afirmo que ele esta fazendo ate demais.paz e luz
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 01:14
Por que...............
..........................Kardec.

Olá todos,

Alguém...................
...................................Espiritismo.

Abraços. :)



Amigos,

O Cristianismo em Dois Mil Anos não conseguiu reunir o Mundo todo sob sua bandeira, longe disso.

E apesar de ter como sua figura central o Mestre Jesus. Sem dúvidas, figura muito maior que Kardec.

Por que deveríamos esperar que o Espiritismo fosse mais longe em apenas 150 anos?



Jesus está além de Kardec, porém agiu em outro contexto.

Kardec compreendeu claramente o que estava produzindo e esperava por resultados  mais rapidamente.

Pensou certo e errado.

Certo, quando na avaliação do material produzido pelos Espíritos Superiores, viu colocada com simplicidade e ao alcance de todos a ciência da vida, que transformaria as instituições humanas, à partir do indivíduo consciente da realidade espiritual.

Errado, quando avaliou tudo isso baseado em si mesmo.

A meu ver, seria muito natural que esperasse um resultado mais prodigioso, como eu escrevi anteriormente, pois, tudo foi colocado às claras, nenhum mistério, nada difícil de entender, acessível a todos, etc.

O Movimento Espírita é uma grande decepção.

Os cientificistas são donos da verdade ou esperam por provas.
Os filósofos são elitistas.
Os religiosos são piegas.

Não, não pensem que estas sejam afirmações minhas, na verdade é o que está implícito muitas vezes nos comentários das diferentes linhas do pensamento espírita e que ao invés de unir, separa e por isso não avança.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 22 de Setembro de 2013, 04:28

Foi esse tipo de conversa que fundamentou a inquisição.

bem haja


Amigo Vitor,

O que fundamentou a inquisição foi o materialismo, a cobiça dos bens materiais, o orgulho e o egoísmo daqueles que se diziam representantes do evangelho de Jesus.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 22 de Setembro de 2013, 04:51

O Movimento Espírita é uma grande decepção.

Os cientificistas são donos da verdade ou esperam por provas.
Os filósofos são elitistas.
Os religiosos são piegas.

Não, não pensem que estas sejam afirmações minhas, na verdade é o que está implícito muitas vezes nos comentários das diferentes linhas do pensamento espírita e que ao invés de unir, separa e por isso não avança.


A Doutrina Espírita é uma coisa. Bem outra é o movimento Espírita.

Não podemos confundir os ensinamentos trazidos por Espíritos Superiores com as ideias e ações de Espíritos inferiores, encarnados em um Mundo de provas e Expiações.

A existência dessas diferentes linhas de pensamento que ao invés de unir, separa e por isso não avança, originam-se da aceitação, por alguns, de obras que nada têm com a Doutrina Espírita. Não podem, portanto, ser consideradas "linhas de pensamento Espírita".

Se o movimento Espírita se pautasse, única e exclusivamente, pelo que está na DE, naõ haveria motivo para contendas ou "decepções"!

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: psi em 22 de Setembro de 2013, 07:28
... na verdade é o que está implícito muitas vezes nos comentários das diferentes linhas do pensamento espírita e que ao invés de unir, separa e por isso não avança.

Olá, amigo Paulo. Eu diria que 95% das divergências estão relacionadas à possibilidade de uma vida materializada no plano espiritual. Se os espíritos podem criar ideoplasticamente a matéria e com ela conviver ( vide a Gênese e o LM ), onde estão as grandes contradições com vários relatos de espíritos que retratam essa materialidade, ainda mais sabendo que a grande maioria de nós ao desencarnar ainda se encontra com o pensamento vinculado à matéria?  Esse debate é polemizado em todos os tópicos onde esse tema é suscitado. É impossível se aprofundar o diálogo porque sempre vem à tona por parte dos amigos mais ortodoxos o mesmo bordão: _ "Espírito fulano não faz doutrina". Mas " A Gênese " e o " LM" não são doutrina? Os espíritos podem criar roupas, ornamentos e materiais para revestirem seus períspiritos, mas não podem criar cidades, paisagens, hospitais e aparelhos diversos? O que vale em nível micro não vale em nível macro?

Um abraço

PSI
   
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 22 de Setembro de 2013, 07:52

Olá, amigo Paulo. Eu diria que 95% das divergências estão relacionadas à possibilidade de uma vida materializada no plano espiritual. Se os espíritos podem criar ideoplasticamente a matéria e com ela conviver ( vide a Gênese e o LM ), onde estão as grandes contradições com vários relatos de espíritos que retratam essa materialidade, ainda mais sabendo que a grande maioria de nós ao desencarnar ainda se encontra com o pensamento vinculado à matéria?  Esse debate é polemizado em todos os tópicos onde esse tema é suscitado. É impossível se aprofundar o diálogo porque sempre vem à tona por parte dos amigos mais ortodoxos o mesmo bordão: _ "Espírito fulano não faz doutrina". Mas " A Gênese " e o " LM" não são doutrina? O espírito pode criar roupas, ornamentos e materiais para revestir seu períspirito, mas não pode criar cidades, paisagens, hospitais e aparelhos diversos? O que vale em nível micro não vale em nível macro?

Um abraço

PSI
   


Eu gostaria de propor a seguinte questão àqueles que defendem a ideia da existência das tais "colônias":

Se existem tais locais "materializados" no Plano Espirital, onde podemos nos relacionar com os outros Espíritos da mesma maneira que o fazemos quando encarnados, ou seja, praticar o mal (agressões, escravização por hipnotismo, vampirismo, etc...) e o bem (ações socorristas, aconselhamentos, curas de perispíritos "doentes", etc...) e até, segundo alguns, praticar sexo!

Qual seria a necessidade da existência do Plano material?

Para que teríamos de encarnar em corpos materiais (de carne)?


Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: psi em 22 de Setembro de 2013, 08:09

Olá, amigo Paulo. Eu diria que 95% das divergências estão relacionadas à possibilidade de uma vida materializada no plano espiritual. Se os espíritos podem criar ideoplasticamente a matéria e com ela conviver ( vide a Gênese e o LM ), onde estão as grandes contradições com vários relatos de espíritos que retratam essa materialidade, ainda mais sabendo que a grande maioria de nós ao desencarnar ainda se encontra com o pensamento vinculado à matéria?  Esse debate é polemizado em todos os tópicos onde esse tema é suscitado. É impossível se aprofundar o diálogo porque sempre vem à tona por parte dos amigos mais ortodoxos o mesmo bordão: _ "Espírito fulano não faz doutrina". Mas " A Gênese " e o " LM" não são doutrina? O espírito pode criar roupas, ornamentos e materiais para revestir seu períspirito, mas não pode criar cidades, paisagens, hospitais e aparelhos diversos? O que vale em nível micro não vale em nível macro?

Um abraço

PSI
   


Eu gostaria de propor a seguinte questão àqueles que defendem a ideia da existência das tais "colônias":

Se existem tais locais "materializados" no Plano Espirital, onde podemos nos relacionar com os outros Espíritos da mesma maneira que o fazemos quando encarnados, ou seja, praticar o mal (agressões, escravização por hipnotismo, vampirismo, etc...) e o bem (ações socorristas, aconselhamentos, curas de perispíritos "doentes", etc...) e até, segundo alguns, praticar sexo!

1-Qual seria a necessidade da existência do Plano material?

2-Para que teríamos de encarnar em corpos materiais (de carne)?




1- Precisamos dele para evoluir, lembrando que as leis que regem o plano material são diferentes das que regem o plano espiritual.   

2- Para sofrer as dores, limitações e doenças que são próprios do corpo de carne.   

Um abraço

PSI
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 22 de Setembro de 2013, 09:04
... na verdade é o que está implícito muitas vezes nos comentários das diferentes linhas do pensamento espírita e que ao invés de unir, separa e por isso não avança.

Olá, amigo Paulo. Eu diria que 95% das divergências estão relacionadas à possibilidade de uma vida materializada no plano espiritual. Se os espíritos podem criar ideoplasticamente a matéria e com ela conviver ( vide a Gênese e o LM ), onde estão as grandes contradições com vários relatos de espíritos que retratam essa materialidade, ainda mais sabendo que a grande maioria de nós ao desencarnar ainda se encontra com o pensamento vinculado à matéria?  Esse debate é polemizado em todos os tópicos onde esse tema é suscitado. É impossível se aprofundar o diálogo porque sempre vem à tona por parte dos amigos mais ortodoxos o mesmo bordão: _ "Espírito fulano não faz doutrina". Mas " A Gênese " e o " LM" não são doutrina? Os espíritos podem criar roupas, ornamentos e materiais para revestirem seus períspiritos, mas não podem criar cidades, paisagens, hospitais e aparelhos diversos? O que vale em nível micro não vale em nível macro?

Um abraço

PSI
   
Psi como fala na codificação o Espirito pode criar sim tudo aquilo que disseste mas temporariamente dando essa aparência,. O ponto da minha divergência  é as pessoas acreditarem que são permanentes, aliás como li por aí afirmarem que há muitos tipos de Colónias Espirituais. Para mim é fulcral este ponto, porque eu até posso acreditar que Espiritos superiores em nome da bondade possam criar isso para que o sofrimento de quem chega seja menor, não posso e aqui não acredito que sejam permanentes como se fosse parecido ao Mundo material.
Como já afirmei algumas vezes e digo novamente há algo aqui pelo meio que eu (falo por mim) não estou a perceber porque me parece haver algo que não estou a ver bem, por isso creio que todos iremos ter uma grande surpresa a quando a nossa chegada ao outro lado...kkkkkkkk


Abraços fraternos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 22 de Setembro de 2013, 09:08

1- Precisamos dele para evoluir, lembrando que as leis que regem o plano material são diferentes das que regem o plano espiritual.   

2- Para sofrer as dores, limitações e doenças que são próprios do corpo de carne.   

Um abraço

PSI


1- Precisamos dele para evoluir, lembrando que as leis que regem o plano material são diferentes das que regem o plano espiritual.

As Leis Divinas são iguais para todo o Universo.

615. É eterna a lei de Deus?

“Eterna e imutável como o próprio Deus.”

                                                          O Livro dos Espíritos



2- Para sofrer as dores, limitações e doenças que são próprios do corpo de carne.


"Estava convicto de não mais pertencer ao número dos encarnados no mundo e, no entanto, meus pulmões respiravam a longos haustos".

"Cabelos eriçados, coração aos saltos, medo terrível senhoreando-me"

"De início, as lágrimas lavavam-me incessantemente o rosto e apenas, em minutos raros, felicitava-me a bênção do sono".

"Pensamentos angustiosos atritavam-me o cérebro"

"Em vão, porém, esmurrava o ar nos paroxismos da cólera. Gargalhadas sarcásticas feriam-me os ouvidos, enquanto os vultos negros desapareciam na sombra. Para quem apelar? Torturava-me a fome, a sede me escaldava. Comezinhos fenômenos da experiência material patenteavam-se-me aos olhos. Crescera-me a barba, a roupa começava a romper-se com os esforços da resistência, na região desconhecida".

"Persistiam as necessidades fisiológicas, sem modificação. Castigava-me a fome todas as fibras, e, nada obstante, o abatimento progressivo não me fazia cair definitivamente em absoluta exaustão. De quando em quando, deparavam-se-me verduras que me pareciam agrestes, em torno de humildes filetes d'água a que me atirava sequioso. Devorava as folhas desconhecidas, colava os lábios à nascente turva, enquanto mo permitiam as forças irresistíveis, a impelirem-me para a frente. Muita vez suguei a lama da estrada, recordei o antigo pão de cada dia, vertendo copioso pranto".

                                                               André Luiz em "Nosso Lar"

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Setembro de 2013, 10:47
Olá amigo Edmar

Citar
Para mim não é apenas piada, é algo muito sério. Ensinar a ler e interpretar corretamente os textos espíritas (ou aqueles que os adeptos gostam de classificar como espíritas) é algo que deveria sim ser feitos nos CE's. Nas reuniões públicas seria complicado, porque quem não é capaz de ler e interpretar um ensinamento espírita também não é capaz de interpretar como necessária e para o bem de todos qualquer iniciativa a esse respeito

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/90/#ixzz2fc1tXzyc

Para mim também não é piada dirigida às pessoas que têm dificuldade em ler, mas pode ser piada para algumas pessoas. São aquelas que não querem ensinar a pessoa a ler, mas a ler o que eles querem que a pessoa leia e não o que está escrito. É preciso ensinar a pescar e não dar o peixe. Deixar as pessoas pensar pela própria cabeça e não impor-lhes um "catecismo". E se as pessoas pensarem, percebem de imediato os livros que constituem o "catecismo espirita". É esse "catecismo espirita" que prejudica o entendimento das pessoas, talvez... É o mesmo que aconteceu com o Cristianismo, quando os romanos o reclamaram para eles.

Eu sou oriundo de famílias pobres, de um país que, ainda há 50 anos era um país de analfabetos. E se eu pude estudar, foi porque os meus pais conseguiram arranjar meios para isso, mesmo não tendo eles estudado. Não brinco com esse tipo de coisas. O meu pai, por exemplo, é pouco mais do que analfabeto, pois tem apenas o ensino básico. Mas ele percebia muito bem o "Livro dos Espíritos" (e ele nunca teve família espirita, nem frequentava CE's). Por isso faz-me confusão as pessoas dizerem que a não compreensão do LE é apenas uma questão de iliteracia. Mas também não conheço o Brasil, para poder ter uma opinião sobre o caso concreto desse grande e belo País.

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Setembro de 2013, 11:24
Olá amigo Paulo

Citar
Jesus está além de Kardec, porém agiu em outro contexto.

Kardec compreendeu claramente o que estava produzindo e esperava por resultados  mais rapidamente.

Pensou certo e errado.

Certo, quando na avaliação do material produzido pelos Espíritos Superiores, viu colocada com simplicidade e ao alcance de todos a ciência da vida, que transformaria as instituições humanas, à partir do indivíduo consciente da realidade espiritual.

Errado, quando avaliou tudo isso baseado em si mesmo.

A meu ver, seria muito natural que esperasse um resultado mais prodigioso, como eu escrevi anteriormente, pois, tudo foi colocado às claras, nenhum mistério, nada difícil de entender, acessível a todos, etc.

Esta sua análise parece-me lúcida, muito inteligente e lógica, amigo. Concordo consigo. 


Citar
O Movimento Espírita é uma grande decepção.

Os cientificistas são donos da verdade ou esperam por provas.
Os filósofos são elitistas.
Os religiosos são piegas.

Não, não pensem que estas sejam afirmações minhas, na verdade é o que está implícito muitas vezes nos comentários das diferentes linhas do pensamento espírita e que ao invés de unir, separa e por isso não avança.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/90/#ixzz2fc7C5ol2

Como não me identifico muito com o movimento espirita, por razões que estou farto de referir, concordo parcialmente.

Mas não posso concordar com a afirmação de que querer ver para crer seja errado. É isso que separa a postura dogmática da não dogmática. Isso é o contrário de se sentir dono da verdade. As duas posturas de que fala, em relação aos "cientifistas", são opostas. Não confunda a postura cientifica com a dos cépticos fanáticos, que são tão, ou mais, dogmáticos do que os religiosos, amigo.

E todas as abordagens da realidade têm alguma razão de ser. As pessoas não todas iguais. Cada em tem o direito de pensar o que bem entende, desde que isso não implique exercer violência sobre os outros, para eles terem de ter a mesma opinião. Nós só somos responsáveis pelas nossas ideias, não pelas dos outros, a não ser que enganemos as pessoas deliberadamente.

Dizia Einstein:

"A ciência sem a religião é coxa, a religião sem a ciência é cega"

O problema é que as pessoas querem impor a sua forma de pensar aos outros mais do que entrar em diálogo. O diálogo não é possível numa base de crenças. A única via para o diálogo é a cientifica, pois o que conta são os factos provados, ou, pelo menos, estatisticamente relevantes, e não opiniões pessoais, sejam elas de espiritos, sejam de encarnados. Contra factos não há argumentos, como se costuma dizer. Para haver entendimento é preciso uma base comum de confiança. A postura céptica, não fanática, é normal e compreensível, no mundo em que vivemos. E é compatível com a fé. Só que a fé é algo pessoal, subjectivo. Não pode ser consensual. Nós não podemos explicar a nossa fé aos outros, objectivamente.

Dalai Lama, por exemplo, é um exemplo de uma pessoa religiosa que sabe dialogar. Os encontros dele com os cientistas são um espectáculo. Por ter ideias diferentes ele não deixa de dialogar, e de uma forma extremamente inteligente. Por isso tem conquistado o respeito dos cientistas que se acotovelam para conseguir ir a essas reuniões.

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 14:07
Psi como fala na codificação o Espirito pode criar sim tudo aquilo que disseste mas temporariamente dando essa aparência,. O ponto da minha divergência  é as pessoas acreditarem que são permanentes, aliás como li por aí afirmarem que há muitos tipos de Colónias Espirituais. Para mim é fulcral este ponto, porque eu até posso acreditar que Espiritos superiores em nome da bondade possam criar isso para que o sofrimento de quem chega seja menor, não posso e aqui não acredito que sejam permanentes como se fosse parecido ao Mundo material.
Como já afirmei algumas vezes e digo novamente há algo aqui pelo meio que eu (falo por mim) não estou a perceber porque me parece haver algo que não estou a ver bem, por isso creio que todos iremos ter uma grande surpresa a quando a nossa chegada ao outro lado...kkkkkkkk


Abraços fraternos
    Caro  amigo hcancela,
 
Você escreve  sobre as construções no “mundo material” e menciona a sua permanência e escreve  sobre a impermanência da forma, na matéria sutil no “mundo espiritual”.
 
Qual é a  medida de tempo que você está aplicando às duas situações para determinar o que  é permanente ou impermanente e se tal medida de tempo ao seu modo de ver pode  ser aplicável por igual nessas duas dimensões?
 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 14:26
A existência dessas diferentes linhas de pensamento que ao invés de unir, separa e por isso não avança, originam-se da aceitação, por alguns, de obras que nada têm com a Doutrina Espírita. Não podem, portanto, ser consideradas "linhas de pensamento Espírita".

Se o movimento Espírita se pautasse, única e exclusivamente, pelo que está na DE, não haveria motivo para contendas ou "decepções"!




Uma  questão:     

Há 156 da  publicação do Livro dos Espíritos, nenhuma informação mais teria chegado aos  encarnados vinda do “mundo espiritual”?
 
Você  poderia responder e dizer por que?
 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 14:32

Olá, amigo Paulo. Eu diria que 95% das divergências estão relacionadas à possibilidade de uma vida materializada no plano espiritual. Se os espíritos podem criar ideoplasticamente a matéria e com ela conviver ( vide a Gênese e o LM ), onde estão as grandes contradições com vários relatos de espíritos que retratam essa materialidade, ainda mais sabendo que a grande maioria de nós ao desencarnar ainda se encontra com o pensamento vinculado à matéria?  Esse debate é polemizado em todos os tópicos onde esse tema é suscitado. É impossível se aprofundar o diálogo porque sempre vem à tona por parte dos amigos mais ortodoxos o mesmo bordão: _ "Espírito fulano não faz doutrina". Mas " A Gênese " e o " LM" não são doutrina? O espírito pode criar roupas, ornamentos e materiais para revestir seu períspirito, mas não pode criar cidades, paisagens, hospitais e aparelhos diversos? O que vale em nível micro não vale em nível macro?

Um abraço

PSI
   


Eu gostaria de propor a seguinte questão àqueles que defendem a ideia da existência das tais "colônias":

Se existem tais locais "materializados" no Plano Espirital, onde podemos nos relacionar com os outros Espíritos da mesma maneira que o fazemos quando encarnados, ou seja, praticar o mal (agressões, escravização por hipnotismo, vampirismo, etc...) e o bem (ações socorristas, aconselhamentos, curas de perispíritos "doentes", etc...) e até, segundo alguns, praticar sexo!

1-Qual seria a necessidade da existência do Plano material?

2-Para que teríamos de encarnar em corpos materiais (de carne)?




1- Precisamos dele para evoluir, lembrando que as leis que regem o plano material são diferentes das que regem o plano espiritual.   

2- Para sofrer as dores, limitações e doenças que são próprios do corpo de carne.   

Um abraço

PSI


O meu ponto de vista:

O “mundo material” oferece condições específicas aos espíritos para viverem experiências necessárias nessa dimensão.

Veja que não escrevi experiências específicas e sim condições específicas.

Sendo o processo desencarnatório nada mais, repito, nada mais do que a libertação de um corpo mais denso, quem espera uma mudança absolutamente radical da forma de vida, provavelmente esteja enganado.

Isso é lógica!

Mais denso, para menos denso, apenas!

Sem mudanças psíquicas bruscas, continuamos os mesmos.



Quanto à manipulação da matéria mais densa e menos densa, para mim é muito simples:

No “mundo material”, manipular a matéria, começa com a ação do pensamento que comanda o processo e o corpo o executa, literalmente “manipulando” a matéria.

No “mundo espiritual” manipular a matéria, é ação do pensamento direto sobre a matéria menos densa e nada impede que se confeccione, desde um palito até uma construção, dependendo apenas da capacidade intelectual dos espíritos desencarnados.

Naturalmente se esse processo se diferencia pela utilização de outras possibilidades do espírito, no “mundo espiritual”; esse mundo também oferece condições específicas para vivência de experiências necessárias ao progresso do espírito e parte disto não há como ser traduzida para a nossa linguagem (encarnados) sem analogias.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 14:43
... na verdade é o que está implícito muitas vezes nos comentários das diferentes linhas do pensamento espírita e que ao invés de unir, separa e por isso não avança.

Olá, amigo Paulo. Eu diria que 95% das divergências estão relacionadas à possibilidade de uma vida materializada no plano espiritual. Se os espíritos podem criar ideoplasticamente a matéria e com ela conviver ( vide a Gênese e o LM ), onde estão as grandes contradições com vários relatos de espíritos que retratam essa materialidade, ainda mais sabendo que a grande maioria de nós ao desencarnar ainda se encontra com o pensamento vinculado à matéria?  Esse debate é polemizado em todos os tópicos onde esse tema é suscitado. É impossível se aprofundar o diálogo porque sempre vem à tona por parte dos amigos mais ortodoxos o mesmo bordão: _ "Espírito fulano não faz doutrina". Mas " A Gênese " e o " LM" não são doutrina? Os espíritos podem criar roupas, ornamentos e materiais para revestirem seus períspiritos, mas não podem criar cidades, paisagens, hospitais e aparelhos diversos? O que vale em nível micro não vale em nível macro?

Um abraço

PSI
   

Concordo em gênero, grau e número.

Um fato interessante é que não tenho conhecimento de desencarnações em que o Espírito se veja ou esteja nu. Então pelo visto manipulamos a matéria com o pensamento mesmo nos primeiros momentos do retorno, e sem o saber.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 15:04
Pode ser assim, como o amigo diz. Mas eu não gosto muito desse tipo de conversa, para ser sincero. Foi esse tipo de conversa que fundamentou a inquisição. Penso que é mais adequado dizer que o espiritismo "pode ser um dos caminhos para...", em vez de "é o caminho para". Até porque há zonas do mundo em que não existem espíritas, mas existem outras tradições espirituais diferentes, embora possam ter pontos em comum. Não faz sentido pensar que Deus apenas olhou quase só para o Brasil, esquecendo o resto do globo.

Meu amigo, Vitor,     


É o caminho sim, pois é a “Ciência da Vida”, não é  propriedade de brasileiros, não é privilégio de alguns, não está restrito e nem  pode ser restringido, não disputa espaço com nada e com ninguém, apenas traz  esclarecimentos a toda humanidade.


Quando se diz que é o caminho, não se quer dizer que  estejamos certos e sim que o Espiritismo está certo e nesse sentido reforço o  seu aspecto científico como essencial.


Esta "Ciência da Vida", chegará a todas partes do mundo, naturalmente, sem imposições ou inquisições.


Sem donos também!


Abraço,

 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Setembro de 2013, 15:06
Olá amigo Paulo

Citar
No “mundo espiritual” manipular a matéria, é ação do pensamento direto sobre a matéria menos densa e nada impede que se confeccione, desde um palito até uma construção, dependendo apenas da capacidade intelectual dos espíritos desencarnados.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/105/#ixzz2fd44rw3h

Eu não digo que sim nem que não, porque não sei, não me lembro de estar na situação de erraticidade.

Mas, tanto quanto aprendi de espiritismo, a intervenção dos espiritos sobre a matéria, de forma perceptível, para nós, encarnados, não pode ser realizada apenas pelos espiritos. Tem que existir um médium. Mais não sei.

E também não é isso que o amigo diz que eu leio no livro "O céu e o Inferno" de Allan Kardec, nas descrições dos espiritos da situação que estão a viver, no capitulo dos exemplos.

Assim, para aceitar uma nova versão, que não encaixa perfeitamente na existente, é preciso rejeitar uma parte da anterior. Mas qual é que está certa? - Quem é que tem razão? devemos "crer sem ver" em qual das histórias?

Se os espíritas contam histórias diferentes, como querem que as pessoas aceitem a história que contam como uma possível realidade? Isso é que gera a divisão entre espíritas. E é extraordinariamente nocivo para o ME. As pessoas não se entendendo sobre uma versão nova, é normal que umas mantenham a antiga, e que outras adoptem a nova. Crenças há para todos os gostos, como provam os debates espíritas... 

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 15:20
Olá amigo Edmar

Citar
Para mim não é apenas piada, é algo muito sério. Ensinar a ler e interpretar corretamente os textos espíritas (ou aqueles que os adeptos gostam de classificar como espíritas) é algo que deveria sim ser feitos nos CE's. Nas reuniões públicas seria complicado, porque quem não é capaz de ler e interpretar um ensinamento espírita também não é capaz de interpretar como necessária e para o bem de todos qualquer iniciativa a esse respeito

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/90/#ixzz2fc1tXzyc

Para mim também não é piada dirigida às pessoas que têm dificuldade em ler, mas pode ser piada para algumas pessoas. São aquelas que não querem ensinar a pessoa a ler, mas a ler o que eles querem que a pessoa leia e não o que está escrito. É preciso ensinar a pescar e não dar o peixe. Deixar as pessoas pensar pela própria cabeça e não impor-lhes um "catecismo". E se as pessoas pensarem, percebem de imediato os livros que constituem o "catecismo espirita". É esse "catecismo espirita" que prejudica o entendimento das pessoas, talvez... É o mesmo que aconteceu com o Cristianismo, quando os romanos o reclamaram para eles.

Eu sou oriundo de famílias pobres, de um país que, ainda há 50 anos era um país de analfabetos. E se eu pude estudar, foi porque os meus pais conseguiram arranjar meios para isso, mesmo não tendo eles estudado. Não brinco com esse tipo de coisas. O meu pai, por exemplo, é pouco mais do que analfabeto, pois tem apenas o ensino básico. Mas ele percebia muito bem o "Livro dos Espíritos" (e ele nunca teve família espirita, nem frequentava CE's). Por isso faz-me confusão as pessoas dizerem que a não compreensão do LE é apenas uma questão de iliteracia. Mas também não conheço o Brasil, para poder ter uma opinião sobre o caso concreto desse grande e belo País.

bem haja

Meus amigos Edmar e Vitor,

Interessante a visão particularista, de entender que a interpretação de uns são mais adequadas que de outros, desde que esses uns sejamos nós.....

O que pode nos dar a certeza de que não estamos errados e aqueles outros certos?
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: psi em 22 de Setembro de 2013, 15:39

1- Precisamos dele para evoluir, lembrando que as leis que regem o plano material são diferentes das que regem o plano espiritual.   

2- Para sofrer as dores, limitações e doenças que são próprios do corpo de carne.   

Um abraço

PSI

As Leis Divinas são iguais para todo o Universo.

Então vamos enquanto encarnados plasmar tudo aquilo que precisamos. É lógico que as leis que regem a matéria no plano físico não são as mesmas leis que regem a matéria no plano espiritual.

..."Estava convicto de não mais pertencer ao número dos encarnados no mundo e, no entanto, meus pulmões respiravam a longos haustos".

"Cabelos eriçados, coração aos saltos, medo terrível senhoreando-me"

"De início, as lágrimas lavavam-me incessantemente o rosto e apenas, em minutos raros, felicitava-me a bênção do sono".

"Pensamentos angustiosos atritavam-me o cérebro"

"Em vão, porém, esmurrava o ar nos paroxismos da cólera. Gargalhadas sarcásticas feriam-me os ouvidos, enquanto os vultos negros desapareciam na sombra. Para quem apelar? Torturava-me a fome, a sede me escaldava. Comezinhos fenômenos da experiência material patenteavam-se-me aos olhos. Crescera-me a barba, a roupa começava a romper-se com os esforços da resistência, na região desconhecida".

"Persistiam as necessidades fisiológicas, sem modificação. Castigava-me a fome todas as fibras, e, nada obstante, o abatimento progressivo não me fazia cair definitivamente em absoluta exaustão. De quando em quando, deparavam-se-me verduras que me pareciam agrestes, em torno de humildes filetes d'água a que me atirava sequioso. Devorava as folhas desconhecidas, colava os lábios à nascente turva, enquanto mo permitiam as forças irresistíveis, a impelirem-me para a frente. Muita vez suguei a lama da estrada, recordei o antigo pão de cada dia, vertendo copioso pranto".

                                                               André Luiz em "Nosso Lar"




No plano espiritual o pensamento e a vontade se fazem manifestar no períspirito que os reflete como num espelho. Isso também está explicado em A Gênese e no LM. Se o espírito pensa que necessita respirar, falar assim vai fazê-lo. Leia sobre as pesquisas do cientista William Crooks com o espírito materializado de Katie King no livro "Fatos Espíritas".
Se o espírito pensar que está com fome, frio, sede e dor em seu corpo espiritual vai sentir isso como um ato reflexo do que sentia quando encarnado se encontrava, porque o períspirito não tem nervos sensitivos para transmitir a sensação de dor, fome ou sede ao cérebro como ocorre no corpo físico. Não existem períspiritos doentes e carentes, mas sim pensamentos doentios e carregados de materialidade.

Um abraço

PSI
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 15:46
Olá amigo Paulo

Citar
No “mundo espiritual” manipular a matéria, é ação do pensamento direto sobre a matéria menos densa e nada impede que se confeccione, desde um palito até uma construção, dependendo apenas da capacidade intelectual dos espíritos desencarnados.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/105/#ixzz2fd44rw3h

Eu não digo que sim nem que não, porque não sei, não me lembro de estar na situação de erraticidade.

Mas, tanto quanto aprendi de espiritismo, a intervenção dos espiritos sobre a matéria, de forma perceptível, para nós, encarnados, não pode ser realizada apenas pelos espiritos. Tem que existir um médium. Mais não sei.

E também não é isso que o amigo diz que eu leio no livro "O céu e o Inferno" de Allan Kardec, nas descrições dos espiritos da situação que estão a viver, no capitulo dos exemplos.

Assim, para aceitar uma nova versão, que não encaixa perfeitamente na existente, é preciso rejeitar uma parte da anterior. Mas qual é que está certa? - Quem é que tem razão? devemos "crer sem ver" em qual das histórias?

Se os espíritas contam histórias diferentes, como querem que as pessoas aceitem a história que contam como uma possível realidade? Isso é que gera a divisão entre espíritas. E é extraordinariamente nocivo para o ME. As pessoas não se entendendo sobre uma versão nova, é normal que umas mantenham a antiga, e que outras adoptem a nova. Crenças há para todos os gostos, como provam os debates espíritas... 

bem haja

Vitor,

Quanto trabalho para Kardec executar em aproximadamente 15 anos!

Como se tratava de uma revelação de ordem superior, haviam prioridades e pelo jeito o tempo era curto.

Tratar de questões inabordáveis na ocasião, parece que não seria o mais adequado, mas tratá-las sob a ótica passível de entendimento e penetração nas camadas pensantes da época, seria mais adequado.

Senão, vejamos: em tempo de conhecimento mais avançado, facilitado pelos esclarecimentos científicos que compravam várias informações dadas pela codificação, mesmo que não na mesma linguagem, se refutam informações pela simples incompreensão de suas possibilidades.

Imaginemos Kardec, escrevendo sobre as construções que causam tanta controvérsia nos dias de hoje.

Bem provavelmente não o fez, pelas razões acima e por mais uma especialmente: Era ele, Kardec, o "bom senso reencarnado".
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 16:06

1- Precisamos dele para evoluir, lembrando que as leis que regem o plano material são diferentes das que regem o plano espiritual.   

2- Para sofrer as dores, limitações e doenças que são próprios do corpo de carne.   

Um abraço

PSI

As Leis Divinas são iguais para todo o Universo.

Então vamos enquanto encarnados plasmar tudo aquilo que precisamos. É lógico que as leis que regem a matéria no plano físico não são as mesmas leis que regem a matéria no plano espiritual.

..."Estava convicto de não mais pertencer ao número dos encarnados no mundo e, no entanto, meus pulmões respiravam a longos haustos".

"Cabelos eriçados, coração aos saltos, medo terrível senhoreando-me"

"De início, as lágrimas lavavam-me incessantemente o rosto e apenas, em minutos raros, felicitava-me a bênção do sono".

"Pensamentos angustiosos atritavam-me o cérebro"

"Em vão, porém, esmurrava o ar nos paroxismos da cólera. Gargalhadas sarcásticas feriam-me os ouvidos, enquanto os vultos negros desapareciam na sombra. Para quem apelar? Torturava-me a fome, a sede me escaldava. Comezinhos fenômenos da experiência material patenteavam-se-me aos olhos. Crescera-me a barba, a roupa começava a romper-se com os esforços da resistência, na região desconhecida".

"Persistiam as necessidades fisiológicas, sem modificação. Castigava-me a fome todas as fibras, e, nada obstante, o abatimento progressivo não me fazia cair definitivamente em absoluta exaustão. De quando em quando, deparavam-se-me verduras que me pareciam agrestes, em torno de humildes filetes d'água a que me atirava sequioso. Devorava as folhas desconhecidas, colava os lábios à nascente turva, enquanto mo permitiam as forças irresistíveis, a impelirem-me para a frente. Muita vez suguei a lama da estrada, recordei o antigo pão de cada dia, vertendo copioso pranto".

                                                               André Luiz em "Nosso Lar"




No plano espiritual o pensamento e a vontade se fazem manifestar no períspirito que os reflete como num espelho. Isso também está explicado em A Gênese e no LM. Se o espírito pensa que necessita respirar, falar assim vai fazê-lo. Leia sobre as pesquisas do cientista William Crooks com o espírito materializado de Katie King no livro "Fatos Espíritas".
Se o espírito pensar que está com fome, frio, sede e dor em seu corpo espiritual vai sentir isso como um ato reflexo do que sentia quando encarnado se encontrava, porque o períspirito não tem nervos sensitivos para transmitir a sensação de dor, fome ou sede ao cérebro como ocorre no corpo físico. Não existem períspiritos doentes e carentes, mas sim pensamentos doentios e carregados de materialidade.

Um abraço

PSI

Um bom estudo é também a questão 257 do LE - Ensaio teórico sobre a sensação nos Espíritos.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Setembro de 2013, 16:48
Olá amigo Paulo

vamos admitir que o amigo tem razão, e que essa versão da realidade de que o amigo fala  não foi descrita, pelo menos de uma forma clara e completa, por Allan Kardec, mas que se trata, efectivamente, da realidade. Como é que nós podemos saber se é uma realidade e não é apenas uma opinião ou interpretação pessoal de um, ou de alguns espiritos?

Se não existe forma de saber, de uma forma universal, objectiva, estamos a declarar que o espiritismo é, afinal, e apenas, uma crença. Pois se não há forma de testar se se trata de uma realidade ou não. Fica em questão não só esse assunto, mas todos, sem excepção, no que se refere ao espiritismo.

Se existe forma de saber, no mínimo existem vários médiuns independentes uns em relação aos outros (pelo menos com trabalhos não publicados pela FEB), de preferência também fora do Brasil e não só nesse País, espíritas ou não espíritas, que tenham produzido informação que o confirme? E qual é a fronteira entre estar encarnado e estar desencarnado? (É que o nosso perispirito já existe em encarnados...) Por onde é que nos alimentamos e bebemos? - pelo perispirito ou pelo corpo de carne? Como é que fazemos sexo, pelos órgãos sexuais do perispirito ou do corpo de carne? Estamos a usar duas ordens de órgãos em simultâneo? Comemos matéria subtil, matéria comum, ou ambas?

Há muitas questões a colocar, muitas respostas a obter. E não chega, pelo menos para mim, a resposta que Chico Xavier era um médium santo e infalível, por via do qual o engano era impossível. Se for para dar essa resposta, não vale a pena, que já a conheço...   

E como é que justificamos que, na biografia de Chico Xavier (que está num site indicado pela FEB: http://www.100anoschicoxavier.com.br/biografia-de-chico-xavier  , e não no principal, curiosamente), diga o seguinte:

Citar
JESUS – KARDEC – EMMANUEL

Como é sabido, a interação Jesus-Kardec-Emmanuel é absolutamente harmônica. E desde aquele longínquo 31 de julho de 1931, Emmanuel já determinava: ” – se algum dia eu conflitar com Jesus e Kardec, me abandone Chico”.
   

A sensação que nos dá, é que, para qualquer incoerência ou desacordo, o fiel da balança é Jesus e Kardec. Jesus não nos fala deste tipo de assunto, a não ser que apareça uma psicografia, caída do céu, identificada com o nome de Jesus de Nazaré a dizer isso (como aparecem aos milhares, por todo o lado, a dizer os mais variados disparates). Logo temos de ficar com Kardec... Será que estou errado? 

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 22 de Setembro de 2013, 17:19


Mas não posso concordar com a afirmação de que querer ver para crer seja errado. É isso que separa a postura dogmática da não dogmática. Isso é o contrário de se sentir dono da verdade. As duas posturas de que fala, em relação aos "cientifistas", são opostas. Não confunda a postura cientifica com a dos cépticos fanáticos, que são tão, ou mais, dogmáticos do que os religiosos, amigo.

E todas as abordagens da realidade têm alguma razão de ser. As pessoas não todas iguais. Cada em tem o direito de pensar o que bem entende, desde que isso não implique exercer violência sobre os outros, para eles terem de ter a mesma opinião. Nós só somos responsáveis pelas nossas ideias, não pelas dos outros, a não ser que enganemos as pessoas deliberadamente.

Dizia Einstein:

"A ciência sem a religião é coxa, a religião sem a ciência é cega"

O problema é que as pessoas querem impor a sua forma de pensar aos outros mais do que entrar em diálogo. O diálogo não é possível numa base de crenças. A única via para o diálogo é a cientifica, pois o que conta são os factos provados, ou, pelo menos, estatisticamente relevantes, e não opiniões pessoais, sejam elas de espiritos, sejam de encarnados. Contra factos não há argumentos, como se costuma dizer. Para haver entendimento é preciso uma base comum de confiança. A postura céptica, não fanática, é normal e compreensível, no mundo em que vivemos. E é compatível com a fé. Só que a fé é algo pessoal, subjectivo. Não pode ser consensual. Nós não podemos explicar a nossa fé aos outros, objectivamente.



Caro amigo Vitor,     
"Mas não posso concordar com a afirmação de que querer  ver para crer seja errado".
 
A  verdade não vem primeiro pelos canais científicos, principalmente quando se  trata de assuntos transcendentais, ela é sempre antecipada pelo meio religioso,  através das revelações.
O  que a ciência pode fazer é refutá-la ou constatá-la com base em limitados  recursos.
Digo  limitados recursos, porque se restringem aos pobres cinco sentidos dos  encarnados.
Kardec  não podia aguardar por isso, então usou de meios científicos não convencionais  e trouxe ao conhecimento da humanidade a “Ciência da Vida”.
Será  que Kardec foi imprudente ou irresponsável por assim agir?
 
"Isso é o contrário de se sentir dono da verdade. As  duas posturas de que fala, em relação aos "cientifistas", são  opostas".
 "O diálogo não é possível numa base de crenças. A  única via para o diálogo é a cientifica,"
 
Essa  postura não é de quem é dono da verdade?
Veja estou discutindo a ideia e não o seu pensamento como  indivíduo e amigo do fórum.
 
Então  fica a questão: Kardec apresentou-nos a Doutrina Espírita baseado na crença ou  na ciência?
 
Se na crença, não serve aos "cientifistas".
Se na ciência, o que esperamos ver  pra crer?
Abraço,
 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: psi em 22 de Setembro de 2013, 17:20
Olá amigo Paulo

vamos admitir que o amigo tem razão, e que essa versão da realidade de que o amigo fala  não foi descrita, pelo menos de uma forma clara e completa, por Allan Kardec, mas que se trata, efectivamente, da realidade. Como é que nós podemos saber se é uma realidade e não é apenas uma opinião ou interpretação pessoal de um, ou de alguns espiritos?


Olá, Vitor. Permita-me responder sobre o seu questionamento. Além das ideoplastias estarem expressas na doutrina, eu não conheço uma só obra psicografada na qual o espírito retrate a vida no plano espiritual onde a matéria plasmada não exista. Será que estão todos enganados?  Eu até gostaria de ler algo diferente. Se o amigo conhecer alguma obra psicografada pós-doutrinária  que retrate o plano espiritual  isento de materialidade, poderia citá-la?

Um abraço

PSI   
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: psi em 22 de Setembro de 2013, 17:34
Psi como fala na codificação o Espirito pode criar sim tudo aquilo que disseste mas temporariamente dando essa aparência,. O ponto da minha divergência  é as pessoas acreditarem que são permanentes

Olá, hcancela. Na verdade ninguém afirmou que as ideoplastias são permanentes. Elas vão existir enquanto os espíritos que convivem com ela assim o desejarem. A diferença é que para as roupas e a aparência do períspirito mudarem, depende apenas da vontade e do pensamento de um único espírio essa transformação. No caso de uma cidade ou paisagem, existe uma egrégora coletiva, e a sua transformação passa pela vontade e pensamento de toda a coletividade. Se todos abandonarem uma cidade espiritual, ela vai se desvanecer e deixar de existir. Todavia, enquanto os espíritos estiverem convivendo com essa realidade, ela  existirá.

Um abraço

PSI   
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Setembro de 2013, 18:33
Olá amigo PSI

Citar
Olá, Vitor. Permita-me responder sobre o seu questionamento. Além das ideoplastias estarem expressas na doutrina, eu não conheço uma só obra psicografada na qual o espírito retrate a vida no plano espiritual onde a matéria plasmada não exista. Será que estão todos enganados?  Eu até gostaria de ler algo diferente. Se o amigo conhecer alguma obra psicografada pós-doutrinária  que retrate o plano espiritual  isento de materialidade, poderia citá-la?

Um abraço

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/105/#ixzz2fdumaf1P

Amigo, eu não sou responsável pela publicação de livros espíritas, por isso não tenho responsabilidades nem obrigações a nível de apuramento da verdade em relação ao que está publicado, nem sou responsável pela formação de ninguém, a nível de espiritismo.

Tudo o que digo é a minha opinião pessoal, baseada na interpretação de tudo o que li, até agora. E a responsabilidade pelo que digo é inteiramente minha. O ME espirita é responsável por ele mesmo, para o bem e para o mal. E eu não pertenço ao ME.

Entrar aqui numa teima de crenças não nos leva a lado nenhum. Quando existirem dados científicos, para além dos livros de André Luiz, falamos. 

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 22 de Setembro de 2013, 20:21
Olá amigo Paulo

vamos admitir que o amigo tem razão, e que essa versão da realidade de que o amigo fala  não foi descrita, pelo menos de uma forma clara e completa, por Allan Kardec, mas que se trata, efectivamente, da realidade. Como é que nós podemos saber se é uma realidade e não é apenas uma opinião ou interpretação pessoal de um, ou de alguns espiritos?


Olá, Vitor. Permita-me responder sobre o seu questionamento. Além das ideoplastias estarem expressas na doutrina, eu não conheço uma só obra psicografada na qual o espírito retrate a vida no plano espiritual onde a matéria plasmada não exista. Será que estão todos enganados?  Eu até gostaria de ler algo diferente. Se o amigo conhecer alguma obra psicografada pós-doutrinária  que retrate o plano espiritual  isento de materialidade, poderia citá-la?

Um abraço

PSI   
Psi vou apenas dar outro forma de ver as coisas mesmo que não possa eu estar totalmente de acordo como já referi atrás!...

Pergunta tua?Se o amigo conhecer alguma obra psicografada pós-doutrinária  que retrate o plano espiritual  isento de materialidade, poderia citá-la?

Eu diria não há obras, porque na realidade não existe mesmo( falo em termos comparativos do tipo Colónias).

Na questão se estão todos enganados, como sabes há muito gente que luta ávidamente contra um Mundo Material parecido com o Mundo Espiritual(colónias etc).

Nota: Apenas respondi a este questionamento, perdoa especificar para não haver dúvidas.

Abraços fraternos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 22 de Setembro de 2013, 20:26
Psi como fala na codificação o Espirito pode criar sim tudo aquilo que disseste mas temporariamente dando essa aparência,. O ponto da minha divergência  é as pessoas acreditarem que são permanentes

Olá, hcancela. Na verdade ninguém afirmou que as ideoplastias são permanentes. Elas vão existir enquanto os espíritos que convivem com ela assim o desejarem. A diferença é que para as roupas e a aparência do períspirito mudarem, depende apenas da vontade e do pensamento de um único espírio essa transformação. No caso de uma cidade ou paisagem, existe uma egrégora coletiva, e a sua transformação passa pela vontade e pensamento de toda a coletividade. Se todos abandonarem uma cidade espiritual, ela vai se desvanecer e deixar de existir. Todavia, enquanto os espíritos estiverem convivendo com essa realidade, ela  existirá.

Um abraço

PSI   
Psi eu sei que não, nem eu afirmo nada, posso muita vez ser um tanto chato, mas sempre tento ser o mais objectivo possível mesmo que eu por vezes não o consiga, possivelmente será um defeito meu, no entanto gosto nestes temas insistir porque para mim sobre este assunto ou parecidos tenho sempre a sensação que há algo que nos escapa ( há sempre nestes temas algum frizão me levando a crer que a coisa não é bem assim)como tal estico um tanto a corda para ver o que sai, claro que posso levar a falsas interpretações, mas paciência faz parte do aprendizado.

Abraços fraternos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Kazaoka em 22 de Setembro de 2013, 21:13
Vou dizer a verdade! Para mim, acho essa ideia de ideoplastia tão estranha quanto para alguns é estranha a ideia de um tipo de materialidade no plano espiritual. Mas, como para tudo que nos incomoda tentamos encontrar as nossas próprias explicações, para mim (novamente "para mim"), no caso dos relatos de André Luiz sobre o plano espiritual, a explicação que encontro é que ele faz referência a um mundo espiritual muito próximo à faixa vibracional que estamos presentemente. Tanto é assim que a maioria dos fatos que ele relata acontecem na confluência destes dois planos.
Nos estudos doutrinários que já participei, todos relatos de materializações ou ideoplastias diziam respeito à manifestação do plano espiritual no material, ou de um plano mais eterizado para um menos eterizado. Não lembro de ter visto falar deste tipo de evento acontecendo com elementos de um mesmo plano.
Me perdoem sobre postar num direcionamento de assunto que não é bem o que propõe o tópico. Confesso que não li as páginas anteriores e estou respondendo com base no que li do PSI e do Cancela.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 22 de Setembro de 2013, 23:28
(...)Papa Francisco diz que apenas a Igreja é capaz de interpretar escrituras
Declaração foi dada no seu 1° discurso ante o Comitê da Bíblia do Vaticano.
Para o Papa, 'há uma unidade indissolúvel entre Escritura e Tradição'.


http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/04/papa-francisco-diz-que-apenas-igreja-e-capaz-de-interpretar-escrituras.html

Moises,

Fiquei um pouco desapontado ao saber dessa declaração. O papa Francisco me impressionou muito com seu modo de vida simples e afastado dos padrões do Vaticano. Mas, ao mesmo tempo, vejo que eu queria demais demais, tendo em vista quem e o que ele representa.

Abraço,

Olha
Não se desaponte
as vezes este  homem caminha no ritmo como já caminha a Igreja...
mas as tiradas que muitas vezes que expressa.

Parece-me arroubos
surgem...como eco de outras vozes..
...Eu fico assim...

Prestando atenção

abçs
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 22 de Setembro de 2013, 23:43
Ideoplastia !!

para  mim

Era quando eu vendia projetos mobiliários (móveis)
e como tinha pouco habilidade em desenhos
fazia uns quadrados e outros riscos a mais
e olhava nos olhos do cliente
e fazias gestos com as mãos e entonava a voz em vários tons regulares
...esforçava-me para encanta-lo com meus argumentos
olhava-mos...ambos...eu e o cliente...
para aquela imagem que eu idealizava no ar
mostrando aquilo que somente nós dois víamos...
Um sonho

E  muitas vezes o cliente comprava
e depois de montado
me ligava
dizendo-me de sua felicidade

Isto eu entendo como Ideoplastia

que ao meu ver é muito distante
da realidade que aceito
das coisas no mundo imaterial

Como os hospitais nos hospitais
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: psi em 22 de Setembro de 2013, 23:48
...Amigo, eu não sou responsável pela publicação de livros espíritas, por isso não tenho responsabilidades nem obrigações a nível de apuramento da verdade em relação ao que está publicado, nem sou responsável pela formação de ninguém, a nível de espiritismo.

Tudo o que digo é a minha opinião pessoal, baseada na interpretação de tudo o que li, até agora. E a responsabilidade pelo que digo é inteiramente minha. O ME espirita é responsável por ele mesmo, para o bem e para o mal. E eu não pertenço ao ME.

Entrar aqui numa teima de crenças não nos leva a lado nenhum. Quando existirem dados científicos, para além dos livros de André Luiz, falamos. 

bem haja

Vitor, eu também não pertenço a nenhum ME. Leio o que dizem os espíritos e converso com alguns médiuns amigos. A minha convicção está embasada pela doutrina espírita e pelas outras obras que já li. Também não quero convencer ninguém da minha crença. Estamos aqui num debate saudável expondo nossos pontos de vista sobre a materialidade do plano espiritual. Agora, se o amigo não precisou de comprovação científica para estabelecer uma convicção sobre o que os espíritos disseram nas obras doutrinárias, por que se haveria de esperar comprovação científica para que se forme uma convicção sobre o que os espíritos escreveram em outras obras? Lembrando que as ideoplastias estão referenciadas nas obras doutrinárias ( A Gênese, LM e RE ).

Um abraço

PSI 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 22 de Setembro de 2013, 23:52
Hoje

Eu vejo o homem no mundo
habitando-o ainda primitivamente
extraindo tudo da matéria bruta para o seu conforto

não seria diferente
oras!
é isso mesmo que vemos

A caverna
está no prédio gigantesco
O Fogo
na luz elétrica
A caça, a pesca...o vegetal (alimento)
nas caixas industrializadas
Os chefes
nos mesmo local...
com patentes mais civilizadas...será?

E  o mundo espiritual
ah!
rsrs
O Mito Platão...essas sombras...essas sombras

de Platão?
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 23 de Setembro de 2013, 08:22

Há 156 da  publicação do Livro dos Espíritos, nenhuma informação mais teria chegado aos  encarnados vinda do “mundo espiritual”?

Você  poderia responder e dizer por que?



Não há necessidade de nenhuma nova revelação.

Em primeiro lugar, porque a Doutrina Espírita é uma obra completa.

Em segundo lugar, porque longe estamos de entendê-la por completo.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 23 de Setembro de 2013, 08:30
Olá amigo PSI

O amigo está a concordar comigo. Não havendo conclusões cientificas, nem para um lado, nem para o outro, trata-se de um debate de crenças. Um debate de crenças não tem muita lógica, pois uma crença é algo de subjectivo, não tem de ser justificada. Simplesmente cremos assim ou assado. Mesmo que a nossa crença seja baseada numa história muito lógica, muito coerente, isso não lhe dá a garantia de que é uma boa aproximação à realidade. E era isso que nós, afinal, pretendíamos saber: qual a crença que se aproxima mais da realidade.

Eu não penso que a codificação é uma obra cientifica, aliás desde que a conheço sempre me debati contra essa ideia de dizer que se trata de conhecimento cientifico. Muito menos conhecimento cientifico apoiado nas ideias e na moderna tecnologia do séc. XXI, que nada tem a haver com a do séc. XIX.

Mas acredito que Allan Kardec fez uma pesquisa cuidada, tipo investigação policial, porque ele assim o disse. Já os outros, se assim procederam, não se deram ao trabalho de o explicar. Logo, é normal que eu parta do pressuposto que Kardec fez essa investigação, porque ele, decerto, não estaria a mentir. Daí não podemos presumir que os outros são mentirosos, contudo eles não disseram que fizeram essa investigação, tipo policial. Se não o disseram, porque razão é que eu havia de crer que o fizeram? E se o fizeram, fizeram-no para quantos e quais dos milhares de Livros que a FEB já publicou (psicografados por Chico Xavier, Divaldo Pereira Franco, Raul Seixas, só para falar nos mais recentes dos mais conhecidos)?

Mas há outra razão para não desdenhar na obra de Allan Kardec, a titulo de espiritismo. A obra de Kardec é a base, a inicial. Que será de um edifício a que se tiram os alicerces? Se derrubar kardec, derruba todos os outros que falavam no espiritismo de Kardec. E todos eles, pelo menos os mais significativos, falam. E se não derruba a obra de kardec, mas a alteramos, então temos de deixar de ser hipócritas e querer agradar "a Deus e ao diabo". 

A minha convicção, a razão pela qual eu me virei para o espiritismo, foi o Livro dos Espíritos, de Allan Kardec. Os que o amigo diz que dizem a mesma coisa, para mim dizem outra coisa. Temos interpretações diferentes. E não vejo forma de entrarmos num consenso, a esse respeito.

Eu não me teria virado para o espiritismo, nem estaria aqui neste fórum, de momento, se só tivesse acesso aos livros de André Luiz, não tenho dúvidas. Mas não adianta o amigo tentar convencer-me, nem calar-me. Não vale a pena amigo. Como lhe digo não vale a pena justificar crenças com outras crenças, porque por aí não vamos a lado nenhum. Assim, a fé, no fim de contas, é o que nos norteia, neste assunto. E a fé de cada um é subjectiva e intima. Ninguém tem nada a haver com isso, nem ninguém tem nada a criticar. O meu amigo fica com as suas convicções e eu com as minhas.

Todavia, há pessoas que têm mais voz activa sobre o assunto, como o amigo Sérgio Aleixo, que parece ter feito um estudo sério, com mais fundamentos, com mais conhecimento de causa do que eu. Sugiro que se esclareça com ele.

Andreluizismo1 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUtQUUpKUHB3eFJVJmFtcDtmZWF0dXJlPXNoYXJlJmFtcDtsaXN0PVBMNTQxMjNBMDRERUJERDI5RSA8YnIgLz4j)
 
Andreluizismo2 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXViTERLcUlCRWlnJmFtcDtmZWF0dXJlPXNoYXJlJmFtcDtsaXN0PVBMNTQxMjNBMDRERUJERDI5RTxiciAvPiM=)

E há muitos mais vídeos do mesmo autor, sobre isto...

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 23 de Setembro de 2013, 08:31

No “mundo espiritual” manipular a matéria, é ação do pensamento direto sobre a matéria menos densa e nada impede que se confeccione, desde um palito até uma construção, dependendo apenas da capacidade intelectual dos espíritos desencarnados.



A questão não é o poder-se, ou não, fazer alguma coisa.

A questão é o porquê, o para que fazer-se.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 23 de Setembro de 2013, 08:38

No plano espiritual o pensamento e a vontade se fazem manifestar no períspirito que os reflete como num espelho. Isso também está explicado em A Gênese e no LM. Se o espírito pensa que necessita respirar, falar assim vai fazê-lo. Leia sobre as pesquisas do cientista William Crooks com o espírito materializado de Katie King no livro "Fatos Espíritas".
Se o espírito pensar que está com fome, frio, sede e dor em seu corpo espiritual vai sentir isso como um ato reflexo do que sentia quando encarnado se encontrava, porque o períspirito não tem nervos sensitivos para transmitir a sensação de dor, fome ou sede ao cérebro como ocorre no corpo físico. Não existem períspiritos doentes e carentes, mas sim pensamentos doentios e carregados de materialidade.

Um abraço

PSI


Pois, então!

Tudo não passa de fantasias do recém-desencarnado!

Com relação ao trecho negritado, se não existem perispíritos doentes e carentes qual a necessidade da existência dos "hospitais das colônias"?

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 23 de Setembro de 2013, 08:52

Um bom estudo é também a questão 257 do LE - Ensaio teórico sobre a sensação nos Espíritos.



Bem lembrado, amigo Paulo!

É lá mesmo, na Doutrina Espírita, que devemos buscar as respostas!

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: hcancela em 23 de Setembro de 2013, 11:01
Olá amigos(as)


Como de momento há muitas divergências em minha cabeça nas questões atrás referidas, tenho sempre para comigo!....

Na dúvida fica com Kardec. :-* ( E olhem ainda ontem no Facebook recebi cerca de 6 páginas de Word sobre este tema, muito bem arrumado).


Abraços fraternos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 23 de Setembro de 2013, 13:16
Mano Paulo,
A ida de qualquer plasmação é tão permanente enquanto dure para aquele ou aqueles espíritos, a sua ligação e crença para com elas.
Como disse, são plasmações, logo, a sua impermanência já está atestada por esta causa simples.
abraços,
Moura

Psi como fala na codificação o Espirito pode criar sim tudo aquilo que disseste mas temporariamente dando essa aparência,. O ponto da minha divergência  é as pessoas acreditarem que são permanentes, aliás como li por aí afirmarem que há muitos tipos de Colónias Espirituais. Para mim é fulcral este ponto, porque eu até posso acreditar que Espiritos superiores em nome da bondade possam criar isso para que o sofrimento de quem chega seja menor, não posso e aqui não acredito que sejam permanentes como se fosse parecido ao Mundo material.
Como já afirmei algumas vezes e digo novamente há algo aqui pelo meio que eu (falo por mim) não estou a perceber porque me parece haver algo que não estou a ver bem, por isso creio que todos iremos ter uma grande surpresa a quando a nossa chegada ao outro lado...kkkkkkkk


Abraços fraternos
    Caro  amigo hcancela,
 
Você escreve  sobre as construções no “mundo material” e menciona a sua permanência e escreve  sobre a impermanência da forma, na matéria sutil no “mundo espiritual”.
 
Qual é a  medida de tempo que você está aplicando às duas situações para determinar o que  é permanente ou impermanente e se tal medida de tempo ao seu modo de ver pode  ser aplicável por igual nessas duas dimensões?
 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 23 de Setembro de 2013, 13:39
Oi Moura, a ideia era só dizer que a impermanência é característica da matéria densa e não densa e o tempo não se mede igualmente nas diferentes dimensões.
Apenas isso.
Só para não restar dúvidas: Tudo se transforma sobre a Terra ou por ação dos encarnados ou pelo processo de renovação da própria natureza, não existindo a permanência da forma também aqui.
Abraço,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 23 de Setembro de 2013, 15:20
Olá amigo Paulo

Citar
Oi Moura, a ideia era só dizer que a impermanência é característica da matéria densa e não densa e o tempo não se mede igualmente nas diferentes dimensões.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/135/#ixzz2fizid91w

Quando dizemos "diferentes dimensões", estaremos a usar uma linguagem simbólica, ou devemos interpretar isso à letra? - Eu explico melhor. Será que os espiritos das várias categorias têm apenas uma outra percepção do mesmo universo, ou será que existem muitos universos paralelos?

E será que "mundo", no sentido empregado pelos espiritos, se refere a um planeta, deste universo, ou a uma parte de um outro universo?

De qualquer modo, no mesmo universo, podem existir dois estados distintos. O de encarnado e o de desencarnado. Ou será que o estado de desencarnado e o estado de encarnado são vivências em universos paralelos?

A diferença entre as definições de encarnado e desencarnado é chave, para continuar este diálogo. 

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 23 de Setembro de 2013, 17:38
Olá amigo Paulo

Citar
Oi Moura, a ideia era só dizer que a impermanência é característica da matéria densa e não densa e o tempo não se mede igualmente nas diferentes dimensões.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/135/#ixzz2fizid91w

Quando dizemos "diferentes dimensões", estaremos a usar uma linguagem simbólica, ou devemos interpretar isso à letra? - Eu explico melhor. Será que os espiritos das várias categorias têm apenas uma outra percepção do mesmo universo, ou será que existem muitos universos paralelos?

E será que "mundo", no sentido empregado pelos espiritos, se refere a um planeta, deste universo, ou a uma parte de um outro universo?

De qualquer modo, no mesmo universo, podem existir dois estados distintos. O de encarnado e o de desencarnado. Ou será que o estado de desencarnado e o estado de encarnado são vivências em universos paralelos?

A diferença entre as definições de encarnado e desencarnado é chave, para continuar este diálogo. 

bem haja

Vitor, não conheço a definição científica de universo paralelo, mas  do ponto de vista do espírito, acho que tudo está relacionado a densidade da matéria e a nossa percepção pelos sentidos. Quando encarnados, muito limitadas são as percepções, quando desencarnados depende da condição evolutiva, como você bem o sabe.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 23 de Setembro de 2013, 19:33
Olá amigo Paulo

Citar
Vitor, não conheço a definição científica de universo paralelo, mas  do ponto de vista do espírito, acho que tudo está relacionado a densidade da matéria e a nossa percepção pelos sentidos. Quando encarnados, muito limitadas são as percepções, quando desencarnados depende da condição evolutiva, como você bem o sabe.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/135/#ixzz2fjoD3A6b

Obrigado pela atenção, amigo Paulo

A minha dúvida não se refere à ciência, mas à compreensão do que se passa após o desencarne.

Sendo o Espírito o mesmo que a alma, mas numa situação diferente (após o desencarne, na erraticidade), ele não tem acesso aos sentidos do corpo de carne, como é óbvio, pois estão destruídos, bem como o cérebro. Portanto o amigo fala dos "sentidos", não localizados (segundo a descrição dos próprios, via mediúnica) do espírito. Esses sentidos não são acessíveis, em estado normal de vigília, ao encarnado, nem em tempo real, nem em termos de memórias passadas. Apenas em estados modificados de consciência.

Mas essa diferença entre a percepção do encarnado e a consciência subjectiva do "eu", pode permitir que o desencarnado se encontre no mesmo espaço-tempo, ou universo,  se assim podemos dizer, na nossa linguagem limitada e grosseira, e apenas o veja de uma forma diferente daquela que via, na carne. Em resumo: vivemos no mesmo sitio, mas com uma percepção diferente do mesmo, e por isso espaço e tempo nos parecem diferentes, mas são os mesmos, na realidade.

Em alternativa, podemos imaginar que, após o desencarne, vivemos mesmo noutro espaço-tempo, noutro universo distinto, em que o espaço e o tempo são realmente diferentes, independentemente da nossa percepção dos mesmos. E essa matéria subtil, então faria parte desse sistema espaço-tempo distinto.

Neste último caso, antes da morte do corpo, nós podemos imaginar que vivemos simultaneamente em dois sistemas espaço-tempo (dois universos): o carnal e o espiritual. Depois do desencarne deixávamos o espaço-tempo carnal, e passaríamos a viver apenas num, o espiritual, em que já vivíamos antes. Em resumo: vivemos em dois universos distintos simultâneos: o carnal e o espiritual, deixando o carnal ficamos apenas no espiritual.

Também podemos imaginar outra variante, ainda com dois sistemas espaço-tempo: antes do desencarne, o espírito vive no mundo carnal, e que, depois transita para o espiritual. vivemos em dois universos distintos simultâneos, mas apenas em um de cada vez: com a morte transitamos do carnal para o espiritual.

Para complicar ainda mais, podemos imaginar que os espiritos, em níveis muito diferentes de maturidade espiritual, vivem no mesmo sistema espaço-tempo (universo) uns dos outros, mas em planetas distintos (seria possível, numa viagem espacial muito rápida, ir a mundos superiores, se as naves o permitissem), ou que eles vivem em sistemas espaço-tempo, ou em universos, distintos. Isto é, que não há ligação física possível entre um mundo inferior e um superior, ainda que tivéssemos aqui na Terra naves espaciais que o permitissem.   

Há muitas possibilidades, e não é fácil, senão mesmo impossível, para nós, de momento, deduzir quais correspondem à realidade. Para além de que tendemos a imaginar outras realidades possíveis por analogia aquela onde nos encontramos (e é essa a limitação do paradigma cientifico actual, talvez). Mas as leis da física, da química, etc. podem ser outras, noutros sistemas espaço-tempo (mundos, universos, como lhe queiramos chamar). E podemos não conseguir deduzir as leis da natureza de uns pelas dos outros.

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 23 de Setembro de 2013, 22:04
Vitor, a hipótese mais correta é essa aos meus olhos.

Neste último caso, antes da morte do corpo, nós podemos imaginar que vivemos simultaneamente em dois sistemas espaço-tempo (dois universos): o carnal e o espiritual. Depois do desencarne deixávamos o espaço-tempo carnal, e passaríamos a viver apenas num, o espiritual, em que já vivíamos antes. Em resumo: vivemos em dois universos distintos simultâneos: o carnal e o espiritual, deixando o carnal ficamos apenas no espiritual.

Estamos completamente fora do assunto do tópico, mas para finalizar, se é que entendi, para mim acontece como você descreve acima.

Abraço,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 24 de Setembro de 2013, 06:53

Neste ........................
...........................................acima.

Abraço,


Neste último caso, antes da morte do corpo, nós podemos imaginar que vivemos simultaneamente em dois sistemas espaço-tempo (dois universos): o carnal e o espiritual. Depois do desencarne deixávamos o espaço-tempo carnal, e passaríamos a viver apenas num, o espiritual, em que já vivíamos antes. Em resumo: vivemos em dois universos distintos simultâneos: o carnal e o espiritual, deixando o carnal ficamos apenas no espiritual.


Mesmo a matéria não é idêntica em todo o Universo:

22. Define-se geralmente a matéria como sendo - o que tem extensão, o que é capaz de nos impressionar os sentidos, o que é impenetrável. São exatas estas definições?

“Do vosso ponto de vista, elas o são, porque não falais senão do que conheceis. Mas a matéria existe em estados que ignorais. Pode ser, por exemplo, tão etérea e sutil que nenhuma impressão vos cause aos sentidos. Contudo, é sempre matéria. Para vós, porém, não o seria.”

"Demais, não dissemos que todos os seres são feitos de igual matéria que vós outros e com órgãos de conformação idêntica à dos vossos.”

                                                        O Livro dos Espíritos


Estamos completamente fora do assunto do tópico


É o que expus no responder #99:

Não podemos confundir os ensinamentos trazidos por Espíritos Superiores com as ideias e ações de Espíritos inferiores, encarnados em um Mundo de provas e Expiações.

A existência dessas diferentes linhas de pensamento que ao invés de unir, separa e por isso não avança, originam-se da aceitação, por alguns, de obras que nada têm com a Doutrina Espírita. Não podem, portanto, ser consideradas "linhas de pensamento Espírita".

Se o movimento Espírita se pautasse, única e exclusivamente, pelo que está na DE, não haveria motivo para contendas ou "decepções"!

É por isso que ainda somos (Espíritas de fato) poucos!

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 24 de Setembro de 2013, 10:37
Olá amigo Paulo Cortez

Citar
Estamos completamente fora do assunto do tópico, mas para finalizar, se é que entendi, para mim acontece como você descreve acima.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/135/#ixzz2fnayMsju

Para mim, a intuição diz-me que essa possibilidade é viável, mas explicar como é que já sai for a das minhas capacidades.

Mas não parece que estejamos fora do âmbito do tópico, pois, na minha óptica, um dos problemas que estão na base do desenvolvimento saudável do ME é a divisão que estas questões geram no mesmo, não por causa da divergência das ideias, em si, que é normal, e até saudável, mas porque essa divergência tem consequências públicas nocivas. A minha intenção é mostrar que podemos equacionar as coisas e dialogar sobre elas sem exaltações (o que estamos ambos a fazer).

Nos actos públicos, abertos a toda a gente, para bem do ME, apenas se devia veicular a informação consensual. Mas não. As mensagens dos dirigentes e trabalhadores espíritas reflectem partidarismos em relação às ideias. Diferentes correntes de pensamento.

Em contrapartida falta o diálogo desapaixonado  não partidário, não sectário, sobre as questões polémicas, entre aqueles que já conhecem bem a DE. E entre esses e os cientistas, tal como faz o Dalai Lama. É preciso compreender a utilidade do cepticismo, não fanático, e a capacidade de diálogo, em vez de "guerras de ideias" que partem do pressuposto: eu sou o dono da verdade e tu és ignorante. Diálogo positivo é aquele em que conseguimos separar minimamente as emoções e os entusiasmos exagerados do debate, de forma a equacionarmos os argumentos, em vez de os considerarmos ataques. Isso, por vezes, é difícil, mas um diálogo destes só tem utilidade entre pessoas capazes de refrear os ânimos.     

Tudo tem o seu lugar e a sua hora, mas as sessões públicas, destinadas a não conhecedores da DE, deveriam apenas abordar questões consensuais. Se o público, mais desconhecedor, começa por ver que os "conhecedores" não se entendem, e que há partidos ideológicos no seio do ME, nos dias de hoje, não se pode sentir confiante. Fica confuso. É como um aluno que chega a uma escola e que verifica que o professor não está seguro em relação à matéria que lecciona, e que cada professor diz sua coisa. 

Assim, para que o ME tenha futuro, e para que passe a contar com muitos, em proporção, pelo mundo inteiro, na minha opinião, é preciso estabelecer uma base de consenso, para apresentar como os princípios básicos do ME. E tudo o que esteja fora dessa base de consenso deve ser tomado como hipótese em estudo. Esse base de consenso, do meu ponto de vista, não está determinada de forma clara, no seio do ME. E é importante e urgente determiná-la, em cooperação. Se, no seu interior, o ME não é capaz de encetar o diálogo, então não vai longe. É tempo de acabar com hipocrisias e cinismos, que levam as pessoas a dizer que todas ideias são compatíveis entre si, sem o serem. Se todas as ideias servem, então o ME não tem ideia nenhuma sólida, na prática.

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 24 de Setembro de 2013, 15:10
Certamente mano Paulo.
abraços,
Moura
Oi Moura, a ideia era só dizer que a impermanência é característica da matéria densa e não densa e o tempo não se mede igualmente nas diferentes dimensões.
Apenas isso.
Só para não restar dúvidas: Tudo se transforma sobre a Terra ou por ação dos encarnados ou pelo processo de renovação da própria natureza, não existindo a permanência da forma também aqui.
Abraço,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 24 de Setembro de 2013, 15:49
Olá amigo Paulo Cortez

Citar
Estamos completamente fora do assunto do tópico, mas para finalizar, se é que entendi, para mim acontece como você descreve acima.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/135/#ixzz2fnayMsju

Para mim, a intuição diz-me que essa possibilidade é viável, mas explicar como é que já sai for a das minhas capacidades.

Mas não parece que estejamos fora do âmbito do tópico, pois, na minha óptica, um dos problemas que estão na base do desenvolvimento saudável do ME é a divisão que estas questões geram no mesmo, não por causa da divergência das ideias, em si, que é normal, e até saudável, mas porque essa divergência tem consequências públicas nocivas. A minha intenção é mostrar que podemos equacionar as coisas e dialogar sobre elas sem exaltações (o que estamos ambos a fazer).

Nos actos públicos, abertos a toda a gente, para bem do ME, apenas se devia veicular a informação consensual. Mas não. As mensagens dos dirigentes e trabalhadores espíritas reflectem partidarismos em relação às ideias. Diferentes correntes de pensamento.

Em contrapartida falta o diálogo desapaixonado  não partidário, não sectário, sobre as questões polémicas, entre aqueles que já conhecem bem a DE. E entre esses e os cientistas, tal como faz o Dalai Lama. É preciso compreender a utilidade do cepticismo, não fanático, e a capacidade de diálogo, em vez de "guerras de ideias" que partem do pressuposto: eu sou o dono da verdade e tu és ignorante. Diálogo positivo é aquele em que conseguimos separar minimamente as emoções e os entusiasmos exagerados do debate, de forma a equacionarmos os argumentos, em vez de os considerarmos ataques. Isso, por vezes, é difícil, mas um diálogo destes só tem utilidade entre pessoas capazes de refrear os ânimos.     

Tudo tem o seu lugar e a sua hora, mas as sessões públicas, destinadas a não conhecedores da DE, deveriam apenas abordar questões consensuais. Se o público, mais desconhecedor, começa por ver que os "conhecedores" não se entendem, e que há partidos ideológicos no seio do ME, nos dias de hoje, não se pode sentir confiante. Fica confuso. É como um aluno que chega a uma escola e que verifica que o professor não está seguro em relação à matéria que lecciona, e que cada professor diz sua coisa. 

Assim, para que o ME tenha futuro, e para que passe a contar com muitos, em proporção, pelo mundo inteiro, na minha opinião, é preciso estabelecer uma base de consenso, para apresentar como os princípios básicos do ME. E tudo o que esteja fora dessa base de consenso deve ser tomado como hipótese em estudo. Esse base de consenso, do meu ponto de vista, não está determinada de forma clara, no seio do ME. E é importante e urgente determiná-la, em cooperação. Se, no seu interior, o ME não é capaz de encetar o diálogo, então não vai longe. É tempo de acabar com hipocrisias e cinismos, que levam as pessoas a dizer que todas ideias são compatíveis entre si, sem o serem. Se todas as ideias servem, então o ME não tem ideia nenhuma sólida, na prática.

bem haja
    Oi Vitor, bom dia.
 
Ao mantermos esse "diálogo" amistoso, estamos  naturalmente dentro dos princípios básicos da orientação dada pelos Espíritos  Superiores aos espíritas.
 
Entendendo perfeitamente as suas colocações.
Preocupo-me, talvez até, não seja com companheiros que  pensam como você, porém com aqueles que a pretexto de rigorosa ortodoxia,  limitem as possibilidades de avanço do conhecimento espírita.
 
Veja existem vários assuntos que dizem respeito ao cotidiano  de nossas vidas e que não foram aprofundados ou detalhados à Kardec, pelos  Espíritos Superiores e aí teremos problemas engessando a DE.
 
Por outro lado, também acho que muita coisa não pode ser  incorporada, simplesmente por ter uma boa origem ou suposta boa origem, além do  que se escancararmos as portas da DE estaremos fatalmente condenando-a a  contaminações das mais diversas.
 
Então temos que achar um meio termo, ou seja, “nem tanto ao  mar nem tanto a terra”.
 
Creio ser possível o entendimento de alto nível,  desapaixonado e imparcial, mas mesmo assim, acho que temos um impasse que não  resolveremos tão breve.
 
Abraço,
 
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 25 de Setembro de 2013, 05:15

Veja existem vários assuntos que dizem respeito ao cotidiano  de nossas vidas e que não foram aprofundados ou detalhados à Kardec, pelos  Espíritos Superiores e aí teremos problemas engessando a DE.
 
Abraço,


Achei interessante essa colocação do amigo.

O amigo poderia explicitar alguns desses assuntos?

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 25 de Setembro de 2013, 12:19
Não acredito nas pessoas, que dizem conhecer o Espiritismo, sem ter lido os livros psicografados por Chico Xavier e aprendido com eles. Ler esses livros é fundamental, porque quem não faz isso, ao estudar os livros da DE, não avança em conhecimento. O que está postado acima nesta página é o meu argumento mais forte; é a certeza e a prova disso.
Por que ainda somos tão poucos? Os visitantes, desta página, que tirem suas conclusões.




Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 25 de Setembro de 2013, 13:00

Veja existem vários assuntos que dizem respeito ao cotidiano  de nossas vidas e que não foram aprofundados ou detalhados à Kardec, pelos  Espíritos Superiores e aí teremos problemas engessando a DE.
 
Abraço,


Achei interessante essa colocação do amigo.

O amigo poderia explicitar alguns desses assuntos?



Brenno, bom dia meu amigo!

Sei que a sua provocação é positiva e respondo com alguns aspectos já bastante discutidos por nós no fórum, sem que tenhamos chegado a um consenso:

Homossexualidade.
Vegetarianismo.
A evolução do princípio inteligente à condição humana, passando pelos outros reinos das natureza.

Acredito que tenhas de pronto as suas interpretações tiradas da DE e do LE sobre os assuntos acima, mas veja bem o que escrevi:

"Veja existem vários assuntos que dizem respeito ao cotidiano  de nossas vidas e que não foram aprofundados ou detalhados à Kardec, pelos  Espíritos Superiores e aí teremos problemas engessando a DE".

Penso que podemos e devemos ouvir e ler as abordagens feitas por outros espíritos e espíritas sobre esses assuntos e provavelmente os resultados sejam bastante importantes para nossas reflexões.

É isso!

Abraço,


Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: IRANY em 25 de Setembro de 2013, 15:37
Não acredito que sejamos poucos.O que eu acho e vejo, é que os espíritas kardecistas tem medo de dizer publicamente a religião que seguem.Pois bem, se assim não fosse, não teríamos em meio a sessões  tantos católicos praticantes,evangélicos, budistas, e ai afóra usufruindo das benesses espiritas.Já notaram que algumas pessoas quando questionadas de serem espíritas, dizem :não sou espírita, sou espiritualista...(?). Acredito que ainda seja  ranço de décadas de perseguição, de cultura mesmo, que ainda não enchemos o peito e dizemos sou sim espírita, vivo em paz com o universo,apesar de ser humano como qualquer outro praticante de outras religiões.Deveríamos debater mais em redes sociais sobre leituras espíritas, acontecimentos espíritas, trocar informação de leituras espíitas(não só as leituras técnicas)mas os outros tantos livros psicografados que existem e que a maioria dos espíritas não conhecem.Não só atribuir  a Chico, Bezerra,Alan Kardec os louros das escritas, mas colocar tantos outros que fazem obras maravilhosas e que são poucos ou quase nada conhecidos..Em páginas como o FB deveríamos falar dos livros que estamos lendo, trocando mesmo figurinhas entre a gente.A todos que estão  um esplendoroso dia.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 25 de Setembro de 2013, 15:44
Amigo Ganimedes,
novamente vou lhe fazer pergunta já feita antes e não respondida:
Chico algum dia, por mensagem de qualquer um dos Espíritos que ele psicografou, deu alguma contribuição que se tornou doutrina?
meu amigo, não coloque o carro afrente dos bois, pois o atropelamento será inevitável.
Abraços,
Moura
quote author=Ganimedes link=topic=48200.msg336241#msg336241 date=1380107949]
Não acredito nas pessoas, que dizem conhecer o Espiritismo, sem ter lido os livros psicografados por Chico Xavier e aprendido com eles. Ler esses livros é fundamental, porque quem não faz isso, ao estudar os livros da DE, não avança em conhecimento. O que está postado acima nesta página é o meu argumento mais forte; é a certeza e a prova disso.
Por que ainda somos tão poucos? Os visitantes, desta página, que tirem suas conclusões.





[/quote]
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 25 de Setembro de 2013, 15:46
Sim mano Paulo você está coretíssimo mas note que o amigo fala de plano físico, ou seja, do ponto de vista material, apenas. A grande modificação Espiritual, quando há de se operar, não vem por este mesmo caminho.
Abraços,
Moura
Oi Moura, a ideia era só dizer que a impermanência é característica da matéria densa e não densa e o tempo não se mede igualmente nas diferentes dimensões.
Apenas isso.
Só para não restar dúvidas: Tudo se transforma sobre a Terra ou por ação dos encarnados ou pelo processo de renovação da própria natureza, não existindo a permanência da forma também aqui.
Abraço,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 26 de Setembro de 2013, 07:18
Não acredito nas pessoas, que dizem conhecer o Espiritismo, sem ter lido os livros psicografados por Chico Xavier e aprendido com eles. Ler esses livros é fundamental, porque quem não faz isso, ao estudar os livros da DE, não avança em conhecimento. O que está postado acima nesta página é o meu argumento mais forte; é a certeza e a prova disso.
Por que ainda somos tão poucos? Os visitantes, desta página, que tirem suas conclusões.


Para se conhecer o Espiritismo não é necessário ler nenhuma obra de Chico Xavier, pois que não são obras Espíritas!

O Espiritismo (Doutrina Espírita) é apenas o que se encontra nas obras Codificadas.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 26 de Setembro de 2013, 07:30

"Veja existem vários assuntos que dizem respeito ao cotidiano  de nossas vidas e que não foram aprofundados ou detalhados à Kardec, pelos  Espíritos Superiores e aí teremos problemas engessando a DE".

Penso que podemos e devemos ouvir e ler as abordagens feitas por outros espíritos e espíritas sobre esses assuntos e provavelmente os resultados sejam bastante importantes para nossas reflexões.

É isso!

Abraço,


Concordo, nesse ponto, com o amigo.

Até porque, se assim não fosse, não haveria razão para existirem Médiuns e, consequentemente, comunicações de Espíritos.

Ressalve-se apenas o cuidado que devemos ter para não aceitar nada que contradiga ou fuja à Doutrina Espírita.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 26 de Setembro de 2013, 13:04

"Veja existem vários assuntos que dizem respeito ao cotidiano  de nossas vidas e que não foram aprofundados ou detalhados à Kardec, pelos  Espíritos Superiores e aí teremos problemas engessando a DE".

Penso que podemos e devemos ouvir e ler as abordagens feitas por outros espíritos e espíritas sobre esses assuntos e provavelmente os resultados sejam bastante importantes para nossas reflexões.

É isso!

Abraço,


Concordo, nesse ponto, com o amigo.

Até porque, se assim não fosse, não haveria razão para existirem Médiuns e, consequentemente, comunicações de Espíritos.

Ressalve-se apenas o cuidado que devemos ter para não aceitar nada que contradiga ou fuja à Doutrina Espírita.



100 % de acordo!
;D ;D ;D
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 26 de Setembro de 2013, 14:52
Se doutrina é a moral cristã, não. Não deu nenhuma contribuição, porque toda a doutrina cristã está contida nos livros codificados por Kardec.

Moura, ler os livros de Chico Xavier me pôs ao alcance do que pode ser o mundo espiritual. Deu-me a ideia de como é a vida do outro lado da vida. Penso que com você e com muitos tenha acontecido também desse modo. Esses livros não são mais importantes que os livros da Codificação. Eles, no meu entender, avança no sentido de explicar a vida no plano espiritual. É por isso que disse: "Não acredito nas pessoas ..."
Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 26 de Setembro de 2013, 15:37
Olá amigo Ganimedes

Citar
Moura, ler os livros de Chico Xavier me pôs ao alcance do que pode ser o mundo espiritual. Deu-me a ideia de como é a vida do outro lado da vida.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/150/#ixzz2g0ePWRxM

Quais livros do Chico? Todos, entre as várias centenas disponíveis?

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 26 de Setembro de 2013, 16:02
Citando ESE:
"Os Espíritos superiores, só falam do que sabem e do que podem falar. Esperam entretanto, que lhes seja ordenado fazê-lo"
Esta a regra doutrinária.
Abraços,
Moura

"Veja existem vários assuntos que dizem respeito ao cotidiano  de nossas vidas e que não foram aprofundados ou detalhados à Kardec, pelos  Espíritos Superiores e aí teremos problemas engessando a DE".

Penso que podemos e devemos ouvir e ler as abordagens feitas por outros espíritos e espíritas sobre esses assuntos e provavelmente os resultados sejam bastante importantes para nossas reflexões.

É isso!

Abraço,


Concordo, nesse ponto, com o amigo.

Até porque, se assim não fosse, não haveria razão para existirem Médiuns e, consequentemente, comunicações de Espíritos.

Ressalve-se apenas o cuidado que devemos ter para não aceitar nada que contradiga ou fuja à Doutrina Espírita.


Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 26 de Setembro de 2013, 16:12
Amigo Ganimedes, entenda:
Você mesmo diz: "ler os livros de Chico Xavier me pôs ao alcance do que pode ser o mundo espiritual. Deu-me a ideia de como é a vida do outro lado da vida."
Logo, o amigo dá a jjusta medida do que uma obra que não tenha o amparo  do CUEE pode dar e trazer. No entan to, as obrs]as básicas, que passarampor este método, não tyrazemo que pode, mas sim o que há. Esta a diferença.
Você amigo, pode e tem o direito de creditar maior valor a esta ou àquela obra, tudo bem mas  tal crença e crédito não o fará estar agindo acertadamente, pelo menos no ver doutrinário.
DE Chico também comecei pelo Parmnaso, e fui muito além, fu imesmo ao encontro do médium por duas vezes, e dele tenho a mais grata lembrança.
Li outras obras, várias mesmo as de Ramatis ou as do comandante Ashtar Sheran, porém não busquei nelas mais que o divertimento tal como fiz com as obras de Lobzang Rampa.
Nuncame dou com oexeplo pois sei que ainda estou na estação esperando o trem do conhecimento porém quando quis tentar entender a Rosa Cruz, atendi ao convite de meu irmão e lá estiuve por dois anos, o mesmo tempo usei pára andar por este Brasil me apalavreando com chefes de Terreiro, babalaorisás (termo escrito em Yorubá por ]deferência a eles), passei 25 anos na Umbanda Iniciática, de onde a pedido de meu pai espiritual, ingressei ao estudo da DE na qual já estou Há outros 24 anos.
Maçonaria também estive no tempo em que participava da Umbanda, logo, aprendi muita coisa, e são estas coisas que conservo e que repercutiram quando iniciei o estudo da DE.
Aqui, sigo somente o que está nas obras básicas.
Abraços,
Moura
Se doutrina é a moral cristã, não. Não deu nenhuma contribuição, porque toda a doutrina cristã está contida nos livros codificados por Kardec.

Moura,   Penso que com você e com muitos tenha acontecido também desse modo. Esses livros não são mais importantes que os livros da Codificação. Eles, no meu entender, avança no sentido de explicar a vida no plano espiritual. É por isso que disse: "Não acredito nas pessoas ..."
Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 26 de Setembro de 2013, 16:18
Quais livros do Chico? Todos, entre as várias centenas disponíveis?
bem haja
Faz muito tempo que li esses livros. Sei que foi por causa deles, a partir de então, que lia todos os livros psicografados -- os que falavam da vida no plano espiritual --, ávido por novas notícias.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 26 de Setembro de 2013, 16:23
Moura, disse " do que pode ser", porque entendo que deve ser muito mais do que nos contam, esses livros. Será muito pior saber, mais tarde, que não se avançou mais por tê-los desprezado.
Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: wender100%espirita em 26 de Setembro de 2013, 22:29
sabe amigo esse comentario seu me lembrou uma palestra do nazareno feitosa, onde fizeram uma pesquisa nos centros espiritas porque as pessoas praticavam a caridade, sabe o que a maioria respondeu "ora  eu quero ganhar bonus horas" outros " olha nao quero ir para o umbral" outros " se Deus quiser quero ir pra nosso lar", a minoria respondeu que praticam a caridade na sua essencia, pra ser um espirito melhor, fazer a sua reforma intima,perdoar, ser indulgente, praticar a beneficiencia ,sem nenhum interesse, sem se preocupar pra onde vai depois do desencarne, por isso devemos ler sim outras obras mas jamais esquecer dos livros da codificacao que sera sempre nosso caminho seguro para compreender o mundo espiritual. paz e luz
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 26 de Setembro de 2013, 22:51
Isto serve para todos nós. O que podemos fazer é estudar mais.

"A verdadeira doutrina espírita é um ensinamento dado pelos Espíritos, e os conhecimentos que tal ensino comporta são muito sérios para que possam ser adquiridos por algum meio a não ser por um estudo sério e contínuo, feito no silêncio e no recolhimento. Porque só nestas condições é possível observar um número infinito de fatos e de nuanças que escapam ao observador superficial e que permitem estabelecer uma opinião."( O Livro dos Espíritos_Introdução ao estudo da Doutrina Espírita )

"Acreditar que a natureza humana pudesse transformar-se subtamente pelas idéias espíritas fora demasiada presunção. A ação de tais idéias, por certo, nem é a mesma, nem no mesmo grau em cada um dos que a professam. Seja, porém, qual for o resultado, ainda que muito fraco, é sempre um melhoramento, quando mais não fosse o de dar a prova da existência de um mundo extra-corpóreo, o que implica a negação das doutrinas materialistas."( O Livro dos Espíritos_ conclusão VII )
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 27 de Setembro de 2013, 06:04
Isto serve para todos nós. O que podemos fazer é estudar mais.

"A verdadeira doutrina espírita é um ensinamento dado pelos Espíritos, e os conhecimentos que tal ensino comporta são muito sérios para que possam ser adquiridos por algum meio a não ser por um estudo sério e contínuo, feito no silêncio e no recolhimento. Porque só nestas condições é possível observar um número infinito de fatos e de nuanças que escapam ao observador superficial e que permitem estabelecer uma opinião."( O Livro dos Espíritos_Introdução ao estudo da Doutrina Espírita )

"Acreditar que a natureza humana pudesse transformar-se subtamente pelas idéias espíritas fora demasiada presunção. A ação de tais idéias, por certo, nem é a mesma, nem no mesmo grau em cada um dos que a professam. Seja, porém, qual for o resultado, ainda que muito fraco, é sempre um melhoramento, quando mais não fosse o de dar a prova da existência de um mundo extra-corpóreo, o que implica a negação das doutrinas materialistas."( O Livro dos Espíritos_ conclusão VII )

Atenção aos grifos.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 27 de Setembro de 2013, 06:08

avança no sentido de explicar a vida no plano espiritual.

Abraços.


Explicariam mesmo?

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 27 de Setembro de 2013, 12:24
Olá amigo Ganimedes

Citar
Faz muito tempo que li esses livros. Sei que foi por causa deles, a partir de então, que lia todos os livros psicografados -- os que falavam da vida no plano espiritual --, ávido por novas notícias.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/150/#ixzz2g5i9Yv96

Mas a questão o amigo não respondeu: quais das centenas de livros, do Chico, devemos ler? Todos? - Se dizem que as pessoas são preguiçosas para ler poucos livros da codificação, então para ler centenas de livros do Chico, ou milhares, se somarmos também os do Divaldo, os do Raul Seixas, etc., etc., etc...., que diremos?

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 27 de Setembro de 2013, 13:27
Olá amigo Ganimedes

Citar
Faz muito tempo que li esses livros. Sei que foi por causa deles, a partir de então, que lia todos os livros psicografados -- os que falavam da vida no plano espiritual --, ávido por novas notícias.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/150/#ixzz2g5i9Yv96

Mas a questão o amigo não respondeu: quais das centenas de livros, do Chico, devemos ler? Todos? - Se dizem que as pessoas são preguiçosas para ler poucos livros da codificação, então para ler centenas de livros do Chico, ou milhares, se somarmos também os do Divaldo, os do Raul Seixas, etc., etc., etc...., que diremos?

bem haja

Vitor, bom dia!
Não é Raul Seixas (esse é o cantor), e sim Raul Teixeira (esse, a meu ver, um espírita).
Abraço,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 27 de Setembro de 2013, 14:02
Mas a questão o amigo não respondeu: quais das centenas de livros, do Chico, devemos ler? Todos?bem haja
Não direi nenhum nome de livro. Cada um que leia o que achar melhor.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 27 de Setembro de 2013, 14:40
Olá amigo Paulo

Citar
Vitor, bom dia!
Não é Raul Seixas (esse é o cantor), e sim Raul Teixeira (esse, a meu ver, um espírita).
Abraço,

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/porque-ainda-somos-tao-poucos/165/#ixzz2g6G7uPB8

Não há dúvida que me falhou o nome do Sr., que ainda há relativamente pouco tempo foi noticia por ter problemas de saúde. Mas não foi assim um falha tão grande, pois o amigo entendeu a quem eu me referia. O amigo Ganimedes é que não soube responder à questão que lhe foi colocada, que era o essencial, do meu ponto de vista.

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 27 de Setembro de 2013, 14:47
Não ganimedes, não inverta as coisas. Não foi o Moura quem disse "do que pode ser" e sim você, releia seu post.
amigo, com ensina a De o que a opinião pessoal de um Espírito diz, é retrirado daquilo que ele pensa ser verdade. esta verdade, no mais das vezes é tão etérea quanto ele mesmo.
O que já não acontece com a obra codificada, pois que são vários Espíritos a dizerem a um só tempo a mesma coisa e que esta cpoisa depois de ser dita é pesuisada e certificada pelo método CUEE.
Abraços,
Moura
Moura, disse " do que pode ser", porque entendo que deve ser muito mais do que nos contam, esses livros. Será muito pior saber, mais tarde, que não se avançou mais por tê-los desprezado.
Abraços.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Roger_espiritual em 27 de Setembro de 2013, 14:50
Sobre a questão de ler todos os livros, posso colocar um exemplo aqui, que para mim explica muito bem isso:

O rio Amazonas é abundante em águas... Muitas pessoas podem consumir as águas daquele rio. No entando, eu preciso apenas de um pouco por dia das águas do rio (caso precisasse) para sobreviver e seguir adiante.

Igualmente, existem muitas informações, mas preciso saber qual delas me serve, me ajudaria para seguir meu caminho. Não preciso saber tudo, mas apenas "beber o necessário para saciar a sede".

O mais importante é viver o que se aprende.

Abraços!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: marcelo2100 em 27 de Setembro de 2013, 14:51
se  bem que Raul Seixas ja deu as caras num livro.........para quem acredita em tudo que lê a obra um Roqueiro do Além é um prato cheio!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 27 de Setembro de 2013, 14:57
Moura, disse "do que pode ser", porque entendo ...

Moura, eu disse "do que pode ser", porque entendo ...

Cabe a gente analisar o que o espírito diz. Saber escolher o livro também faz parte do estudo.
Abraços
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 27 de Setembro de 2013, 14:59
É verdade mano Marcelo e a obra serve para identificar o engodo.
Eu convivi com o maluco beleza, que morava na mesma rua que eu e que depois de travar conhecimento comigo e alguns da minha turma, passava noites conversando e fazendo música conoisco.
Tenho frases minhas colocadas em letras dele.
Quem conheceu Raul sabe que ele não falaria muitas das assertivas postas ali, uma delas é se achar melhor entre as sombras o que ele nunca falaria, pois buscava incessantemente a luz.
Abraços,
Moura
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 27 de Setembro de 2013, 15:09
Roger_espiritual,

É isso!
Igualmente, existem muitas informações, mas preciso saber qual delas me serve, me ajudaria para seguir meu caminho. Não preciso saber tudo, mas apenas "beber o necessário para saciar a sede".
O mais importante é viver o que se aprende.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Ganimedes em 27 de Setembro de 2013, 15:15
"... para quem acredita em tudo que lê a obra um Roqueiro do Além é um prato cheio!"
Desfazer das pessoas não o torna melhor do que elas. Você vai continuar exatamente onde está.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: marcelo2100 em 27 de Setembro de 2013, 15:16
Moura se voce conviveu mesmo com o Raul bem q poderia matar minha curiosidade e me dizer o sentido das letras de algumas de suas musicas, porque fico intrigado para saber o sentido delas!!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 28 de Setembro de 2013, 02:13

Não direi nenhum nome de livro. Cada um que leia o que achar melhor.



Fiquemos, pois, com aqueles da Codificação.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 28 de Setembro de 2013, 02:18

O rio Amazonas é abundante em águas... Muitas pessoas podem consumir as águas daquele rio. No entando, eu preciso apenas de um pouco por dia das águas do rio (caso precisasse) para sobreviver e seguir adiante.

Abraços!


É que a Doutrina Espírita, caudaloso rio de ensinamentos, não encontrou, até aqui, afluentes!

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: CassianoZ em 28 de Setembro de 2013, 14:20
Olá amigos.

Queria dizer que concordo com quem disse que uma das principais razões para o número de espíritas não ser maior é a falta de tempo para os estudos. 

Porém o Moura foi certíssimo quando nos lembrou que a maioria dos livros psicografados ou inspirados, são feitos por 1 só espírito, já os 5 livros da Codificação de Kardec foram feitos e revisados por muitos espíritos, dando as mesmas respostas ou com o mesmo teor.

Portanto, mesmo com pouco tempo, respondendo áquele amigo que perguntou quais livros se deve começar a ler, acredito que são os livros da Codificação.

Alí está toda a essencia, leia sem pressa, leia e reflita. Depois desses ensinamentos, você pode usá-los para todo o resto.

Abraços
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: CassianoZ em 28 de Setembro de 2013, 14:48
É verdade mano Marcelo e a obra serve para identificar o engodo.
Eu convivi com o maluco beleza, que morava na mesma rua que eu e que depois de travar conhecimento comigo e alguns da minha turma, passava noites conversando e fazendo música conoisco.
Tenho frases minhas colocadas em letras dele.
Quem conheceu Raul sabe que ele não falaria muitas das assertivas postas ali, uma delas é se achar melhor entre as sombras o que ele nunca falaria, pois buscava incessantemente a luz.
Abraços,
Moura

Puxa Moura você conheceu o Raul Seixas que demais!!!

Primeiro 1 pergunta: vocês disseram que o Livro Um roqueiro no além é um engodo? eu tinha muita curiosidade de ler e cheguei a vê-lo vendendo na Federação Espírita do Estado de São Paulo, pelo que eu saiba eles tomam muito cuidado com o que vendem lá não é verdade?

Outra pergunta, ouvi dizer que o Raul era mais Umbandista, é verdade?

Falando nisso, esse tópico meio que desvirtuou no fim, mas voltando á pergunta original
" Por que ainda somos tão poucos? " e aproveitando a deixa do Raul ser umbandista ou espiritualista talvez, é disso que queria falar.
Não acho que os espíritas sejam poucos. E mesmo pra quem ache, acredito que devemos ver além do mundo "espírita kardecista", pois o próprio Allan Kardec disse que a filosofia espírita iria influenciar a todas as religiões. Acho que isso sim é bacana, e aí se percebe que a filosofia espírita está influenciando muito mais do imagina quem fica com o olhar restrito só no kardecismo. Existe religiões com influencia direta no kardecismo como a Umbanda, existem um sem fim de pessoas ditas espiritualistas, ou seja, não seguem uma religião específica, ou se dizem de alguma, tipo católica, por tradição, mas na verdade bebem na fonte da várias religiões e crenças, inclusive e principalmente no espiritismo. Fora a influencia as vezes não admitida, mas que já se percebe, do espiritismo nas religiões tradicionais. Senão em seus sacerdotes (orgulho!) mas em seus fiéis.
O espiritismo já está até no inconsciente ou nas crenças populares, quantos católicos não se vê falando: Você vai pagar isso com tal pessoa em outra vida, ou outras citações de reencarnação, esquecendo que a religião deles não acredita oficialmente em reencarnação.
Quem se preocupa se o espiritismo está em pouco número, não se preocupe. Sua influencia está indo mais longe do que se enxerga a princípio. E isso é motivo pra ficarmos contentes!
Cada religião é um caminho diferente para um mesmo destino: nossa evolução, nossa proximidade com Deus.
Então que cada um vá pelo caminho que achar melhor, ou que lhe sirva melhor, e que o mundo evolua cada vez mais!   
Abraços!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 28 de Setembro de 2013, 16:51
Ganimedes,
acredito qoue o amigo  se atrapalha no julgar.
Ninguém está a desfazer deste ou daquele, e quem já leu a obra com OLE do lado, e mais, quem conheceu o Raul como eu o fiz, sabe ser a obra pproduto de engodo.
abraços,
Moura
"... para quem acredita em tudo que lê a obra um Roqueiro do Além é um prato cheio!"
Desfazer das pessoas não o torna melhor do que elas. Você vai continuar exatamente onde está.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 28 de Setembro de 2013, 19:38

Federação Espírita do Estado de São Paulo, pelo que eu saiba eles tomam muito cuidado com o que vendem lá não é verdade?

Abraços!


Amigo CassianoZ,

Isso passa longe da verdade!

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 29 de Setembro de 2013, 00:48
Poxa!

E eu curti muito este  livro

Roqueiro do Além

Li algumas biografias de Raul
e sempre venho lendo algo de Raul
e olha que faz tempo
desde moleque meu irmão ouvia Raul
e lá em casa...todos gostam


Não que seja fanático

mas
Voltando ao Livro
como eu identifiquei Raul neste livro

Achei este livro, Roqueiro no Além, fantástico

e sabemos
que ao contarmos a história de nós mesmo
por nós...como se nós nos narrássemos
poucos nos identificariam

Eu confesso
que tenho este livro como verdadeiro
e olha que conheço um pouquinho de psicografia, psicofonias e mediunidade...
mas bem pouquinho.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: VLRC em 29 de Setembro de 2013, 01:18
Poxa!


Achei este livro, Roqueiro no Além, fantástico

e sabemos
que ao contarmos a história de nós mesmo
por nós...como se nós nos narrássemos
poucos nos identificariam

Eu confesso
que tenho este livro como verdadeiro
e olha que conheço um pouquinho de psicografia, psicofonias e mediunidade...
mas bem pouquinho.

Mas agora eu também resolvi
Dar uma queixadinha
Porque eu também sou um rapaz                       

Latino-americano que também sabe se lamentar e
Sendo nuvem passageira
Não me leva nem à beira disso tudo 
Que eu quero chegar

e fim de papo...
Raul Seixas


Moises eu também gosto muito deste livro,
e o medium Nelson Moraes me parece pessoa muito
séria ,tenho os dois o livro e o médium como verdadeiros.

Abç
Valter LRC
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 29 de Setembro de 2013, 01:30
Né!

Eu já vi,
Eu já li
Espíritos vindo falar com seus entes, com seus conhecidos encarnados
e eles mesmos não crerem

Uma coisa que prepondera nos espíritos
ou melhor
em suas manifestações

é a cultura que muda
a sua cultura como espírito

Não digo cultura bagagem

Pois
assim como eles nos surgem
como que fumaças
ágeis e etéreas, e sumidiças
Muito de si
tomam também estes aspectos

é preciso empatia
imaginarmos-nos espíritos
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Paulo Cortez em 29 de Setembro de 2013, 13:52

Federação Espírita do Estado de São Paulo, pelo que eu saiba eles tomam muito cuidado com o que vendem lá não é verdade?

Abraços!


Amigo CassianoZ,

Isso passa longe da verdade!



Mais uma vez, 100% de acordo, Brenno!

Digamos que já passa longe o tempo que havia alguns cuidados.

Abraço,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Brenno Stoklos em 29 de Setembro de 2013, 18:55

Mais uma vez, 100% de acordo, Brenno!

Digamos que já passa longe o tempo que havia alguns cuidados.

Abraço,


Os cuidados de hoje dizem respeito apenas às possibilidades de lucro.

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Mourarego em 29 de Setembro de 2013, 19:58
Na verdde mano Paulo houve tempo em que a FEESP fez editar uma versão própria do ESE contendo tanta estultice nova que foi obrigada a retirar das livrarias via justiça.
Abraços,
Moura

Federação Espírita do Estado de São Paulo, pelo que eu saiba eles tomam muito cuidado com o que vendem lá não é verdade?

Abraços!


Amigo CassianoZ,

Isso passa longe da verdade!



Mais uma vez, 100% de acordo, Brenno!

Digamos que já passa longe o tempo que havia alguns cuidados.

Abraço,
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Fred Mesquita em 02 de Janeiro de 2015, 13:03
Bom dia,

O meu "pitaco" para a questão é o que senti, quando iniciei na doutrina há dois anos:

- "Leia o Livro dos Espíritos": é começar errado! O livro é maçante, chato, requer atenção e estudo até com o vocabulário utilizado, que utiliza palavras e expressões muito polidas, traduzidas do francês e ou utilizadas no século 19; não é para simples leitura. Quem se iniciar por ele, a chance de desistir é grande.

- Recomendar Divaldo Franco: Leituras e palestras (no youtube tem várias) do Divaldo Franco também são difíceis para quem não esta habituado. O português do homem é muito rico e vasto, coisa que ele faz questão de dizer que "espiritismo é ciência de cultura". Coitado do "zé povão"! Melhor indicar Chico Xavier.

Já sugeri a um iniciante o livro Nosso Lar, ele gostou e depois assistiu o filme. Acho que fica mais fácil de iniciar assim, e daí se estabelecer na Doutrina.

Abraços,

Quando comecei no movimento espírita, ávido por informações, me indicaram ler de início o "Livro dos Espíritos". Para mim foi pior do que assistir dez filmes de terror.... por causa da idade pouco avançada e quase nenhum conhecimento na doutrina, fiquei dias ou meses com medo da noite, do escuro, de olhar para locais pouco povoados, enfim a leitura desse livro como leigo só me ajudou a ter muito medo do Espiritismo - o que hoje não indico a ninguém começar por esse livro. Normalmente indico o livro "Obras Póstumas" pois é um livro mais ameno e de linguagem mais tranquila para quem precisa começar a entender algo sem necessitar de ter o pavor e medo.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: wender100%espirita em 02 de Janeiro de 2015, 20:18
Bom dia,

O meu "pitaco" para a questão é o que senti, quando iniciei na doutrina há dois anos:

- "Leia o Livro dos Espíritos": é começar errado! O livro é maçante, chato, requer atenção e estudo até com o vocabulário utilizado, que utiliza palavras e expressões muito polidas, traduzidas do francês e ou utilizadas no século 19; não é para simples leitura. Quem se iniciar por ele, a chance de desistir é grande.

- Recomendar Divaldo Franco: Leituras e palestras (no youtube tem várias) do Divaldo Franco também são difíceis para quem não esta habituado. O português do homem é muito rico e vasto, coisa que ele faz questão de dizer que "espiritismo é ciência de cultura". Coitado do "zé povão"! Melhor indicar Chico Xavier.

Já sugeri a um iniciante o livro Nosso Lar, ele gostou e depois assistiu o filme. Acho que fica mais fácil de iniciar assim, e daí se estabelecer na Doutrina.

Abraços,

Quando comecei no movimento espírita, ávido por informações, me indicaram ler de início o "Livro dos Espíritos". Para mim foi pior do que assistir dez filmes de terror.... por causa da idade pouco avançada e quase nenhum conhecimento na doutrina, fiquei dias ou meses com medo da noite, do escuro, de olhar para locais pouco povoados, enfim a leitura desse livro como leigo só me ajudou a ter muito medo do Espiritismo - o que hoje não indico a ninguém começar por esse livro. Normalmente indico o livro "Obras Póstumas" pois é um livro mais ameno e de linguagem mais tranquila para quem precisa começar a entender algo sem necessitar de ter o pavor e medo.
o livro a ser lido pelos  iniciantes a Doutrina Espirita e o livro indicado por Kardec "o que é Espiritsmo". depois o livro dos espiritos e o livro dos Mediuns tem todas questões fundamentais da Doutrina. paz e luz
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Rosa Luiza Baldon em 11 de Julho de 2016, 18:41
Acho impressionante como ainda existe tanto preconceito em relação ao espiritismo.

Às vezes também me pergunto isso: "Por que ainda somos tão poucos?" "Por que ainda tanto preconceito?" "Por que não posso falar para as pessoas que sou espírita sem ser muito mal interpretada?".

Acho que isso ainda acontece muito por causa da ignorância que ainda existe em relação ao espiritismo. As pessoas ainda acham que espiritismo é o mesmo que "macumba", "mesa branca", "bruxaria", e até "crendice". Isso me revolta. Uma vez até ouvi alguém dizendo que espiritismo não faz parte do cristianismo.

E não são pessoas ignorantes não. Poderíamos pensar "São pessoas que não leem". Pelo contrário! São pessoas muito estudadas, professores, religiosos, etc. O problema é que não leem nada que tem o tema espiritismo. São ignorantes nesse assunto.

E essa mentalidade é o que mais prejudica o crescimento do espiritismo.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: lconforjr em 12 de Julho de 2016, 02:31
Re: Por que ainda somos tão poucos?

      Ref resp #190 em: 11 07 16, às 18:41, de Rosa Luiza

      Olá, minha filha, não existe tanto preconceito só em relação ao espiritismo; existe muito preconceito em relação a “todas” as doutrinas religiosas, como em relação a muitas coisas mais. O homem é um bicho preconceituoso e nem mesmo a doutrina espírita consegue explicar qual é a causa disso, se ela mesma nos afirma que somos todos criados não inclinados para mal e perfeitamente iguais!!

      Como há preconceito contra o espiritismo por parte de seguidores de outras doutrinas espiritualistas, há também muito preconceito dos espíritas em relação a essas outras doutrinas. O que acontece é que cada religião se crê a única certa, a única possuidora da verdade, ou da maior parte da verdade e seus seguidores creem no que elas dizem. Os homens só sabem focar sua atenção naquilo em que creem e descartam tudo o mais, porq acreditam que a doutrina que seguem é a melhor, mesmo sem nada conhecer das outras; puso preconceito, portanto!

       E é, tb, exatamente isso que vc disse: “isso ainda acontece muito por causa da ignorância que ainda existe em relação ao espiritismo”, do mesmo modo que podemos dizer em relação aos espíritas, que também são preconceituosos em relação a outras linhas espiritualistas, devido à ignorância do que sejam elas. Para muitos, qualquer religião é crendice, superstição, infantilidade, ignorância, crença sem base, absurda!

      Rosa disse: Isso até me revolta! Uma vez até ouvi alguém dizendo que espiritismo não faz parte do cristianismo.

      Conf: mas isso, minha jovem, também se deve ao fato de que a doutrina espírita considera errados importantes e esclarecedores ensinamentos do cristianismo, mas nem mesmo escreve uma linha para nos explicar porq os considera errados.

      E como vc diz que essas pessoas que têm preconceito em relação ao espiritismo não são pessoas ignorantes, veja que, conforme sérios estudos e pesquisas, sabe-se que nas populações onde é maior o QI, é menor o número dos que creem em alguma religião ou em Deus; onde os QIs são menores, o número de crentes é maior. Maior o QI, menos crentes; menor o QI mais crentes!

      Vc tb diz que o problema de muitos é que não leem nada sobre o espiritismo e posso lhe dizer que muitos espíritas tb nada leem de outras linhas espiritualistas! É aquilo que já lhe falei: cada um crê que sua religião é a única certa! Puro preconceito, portanto!

.............
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Rosa Luiza Baldon em 24 de Julho de 2016, 21:21
Ok, mas não disse que o problema é as pessoas não acreditarem no espiritismo, disse que o que me incomoda é a discriminação que fazem contra o espiritismo.
Cada um pode acreditar no que quiser, mas deveria haver mais respeito em relação às religiões. E existe uma grande diferença entre vc chegar em um lugar e dizer que é espírita e dizer que faz parte de uma igreja, por exemplo. A reação das pessoas é completamente diferente.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: lconforjr em 25 de Julho de 2016, 02:41
Re: Por que ainda somos tão poucos?

      Ref resp #192 em: 24 07 16, às 21:21, de Rosa Luiza

      Rosa escreveu: Ok, mas não disse que o problema é as pessoas não acreditarem no espiritismo, disse que o que me incomoda é a discriminação que fazem contra o espiritismo. Cada um pode acreditar no que quiser, mas deveria haver mais respeito em relação às religiões. E existe uma grande diferença entre vc chegar em um lugar e dizer que é espírita e dizer que faz parte de uma igreja, por exemplo. A reação das pessoas é completamente diferente.

      Conf: minha querida, com o que vc disse, vc deu a oportunidade de tocarmos em outras questões, mas a primeira é essa acima: a reação das pessoas é completamente diferente justamente por isso: não creem no espiritismo, acham absurdas muitas de suas afirmações e, como já coloquei antes, a própria doutrina contribui para isso! Qto às novas questões:

      - porq vc se sente incomodada com isso, se outros não se sentem assim? Qual é o motivo dessa desigualdade?

      - porq não há o respeito que vc considera que deve haver em relação às religiões?

      - porq vc diz que cada um pode acreditar no que quiser se acreditar nisto ou naquilo não depende de nosso querer?

      Tenha uma boa noite e uma boa semana!
.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 25 de Julho de 2016, 12:01
Olá amiga Luiza

Citar
Ok, mas não disse que o problema é as pessoas não acreditarem no espiritismo, disse que o que me incomoda é a discriminação que fazem contra o espiritismo.

Tem razão para se indignar. A descriminação, a intolerância é sempre um sinal de estreiteza intelectual. Um resposta de baixo nível. Seja a descriminação e a intolerância contra o que for, ou contra quem for. Eu mesmo, há cerca de 16 anos, sem saber o que era o espiritismo, pelo que ouvia e lia, por exemplo no catecismo católico romano, pensava que se tratava de feitiçaria, práticas supersticiosas e/ou vigarices para lucrar com a desgraça e a aflição alheia. Ao ler o Livro dos Espíritos de Allan Kardec é que eu tive a oportunidade de saber o que era a Doutrina Espirita. Aqui em Portugal a ditadura politica, que culminou em 1974, chegou a proibir os Centros Espíritas e confiscou o edifício da Federação Portuguesa de Espiritismo. Foi limitado, por essa via, por exemplo, o acesso à informação. Houve aqui descriminação e intolerância contra a Doutrina Espirita, e não foi pouca, não.

Outra via de descriminação e intolerância é aquela que foi aqui expressa pelo amigo Iconforjr, por estas estas palavras:

Citar
E como vc diz que essas pessoas que têm preconceito em relação ao espiritismo não são pessoas ignorantes, veja que, conforme sérios estudos e pesquisas, sabe-se que nas populações onde é maior o QI, é menor o número dos que creem em alguma religião ou em Deus; onde os QIs são menores, o número de crentes é maior. Maior o QI, menos crentes; menor o QI mais crentes!

Os verdadeiros génios da ciência, sobretudo na área das ditas ciências exactas, são pessoas que conhecem bem a natureza. Assim sendo, também são aqueles que melhor reconhecem a organização e a inteligência implícita na organização de tudo isto a que pertencemos, e que usualmente designamos por Universo. São aqueles que têm maior noção da complexidade da natureza e da ínfima parte do conhecimento que aqui na Terra nos é dado ter sobre a mesma.

Os ignorantes em ciência pensam que a ciência já explica tudo, ou quase tudo. Alguns deles até acreditam que o universo foi gerado espontaneamente, de nada. Ou seja, que, de nada, pode surgir espontaneamente alguma coisa. Que este efeito grandioso que conhecemos, o Universo, não tem causa alguma. Pensamento infantil, como o da criança que acredita que o coelho que o ilusionista tira da cartola lá surgiu espontaneamente,  que ninguém o colocou lá previamente.

Não tenho condições nem conhecimentos para explicar a quem quer que seja como tudo isto surgiu, e porquê. É algo complexo demais para os maiores sábios da Terra, como poderia eu ter a pretensão de compreender e explicar uma coisa dessas. Mas as minhas bases cientificas são suficientes para concluir que a ciência não tem respostas cientificas, comprovadas, sobre as razões pelas quais o Universo existe e porque é organizado, segundo as leis que a ciência vai descobrindo. A própria ciência testemunha uma organização fantástica, que tenta descrever com pobres modelos matemáticos, aproximações limitadas da realidade, válidos apenas dentro de determinadas condições particulares. E é a partir desses modelos que surgem as invenções que vão maravilhando o homem.

Essa organização que creio ter como causa primeira a inteligência suprema (aquilo que designamos como Deus), é tão fantástica e misteriosa, ainda, para a ciência terrena,  que supera toda a ficção cientifica imaginável pelas pessoas da Terra. A própria ciência nos dá uma ideia da dimensão universal observável. A Terra é um mundo entre biliões de mundos da nossa galáxia. A nossa galáxia é uma entre biliões de galáxias. Não entender a grandeza universal e pensar que se domina o conhecimento cientifico ao ponto de negar peremptoriamente a existência de Deus é que é me parece ser baixo QI. Não tenho complexos nenhuns de ter baixo QI por ter as minhas crenças, se isso é indicio de baixo QI.

Se me considerasse apenas um cadáver adiado, se acreditasse nisso, não fazia sentido era estar aqui. Seriamos apenas uma triste ironia da natureza: seres inteligentes, com a noção de que existem, sem futuro, pois que seriamos apenas corpos de carne e nada mais. Muitos dos que defendem essas ideias materialistas, acham-se cheios de mérito por isso. Consideram-se de elevado QI. Se fossemos apenas corpos de carne, e nada mais, éramos apenas máquinas sem mérito. O maior génio da ciência tinha tanto mérito em relação ao homem mais estúpido de Terra como uma couve tem mérito de ser um pouco maior do que outra couve...

bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Rosa Luiza Baldon em 25 de Julho de 2016, 17:39
Olá, Vitor Santos, ótimo comentário sobre o tema, obrigada.

Lembrando que minha postagem foi apenas um desabafo.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 26 de Julho de 2016, 09:56
Olá amiga Rosa Luiza

Citar
Lembrando que minha postagem foi apenas um desabafo.

Na minha opinião foi uma boa postagem. Com base nela houve uma troca de ideias que me pareceu útil.

Bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Diegas em 26 de Julho de 2016, 15:34
Olá !


'Por que ainda somos tão poucos ?'

Jesus serviu-se de 12 discipulos e projetou-se além dos séculos trazendo-nos os seus ensinamentos. Então, por que duvidar da projeção/expansão da Doutrina Espirita ?




Abç
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 26 de Julho de 2016, 17:23
Citar
Por que ainda somos tão poucos ?'

Jesus serviu-se de 12 discipulos e projetou-se além dos séculos trazendo-nos os seus ensinamentos. Então, por que duvidar da projeção/expansão da Doutrina Espirita ?

Tens razão Diegas. Para além disso aqueles que estão encarnados não são os únicos espíritas. Entre os desencarnados há um conjunto muito grande de espíritas. Não sei calcular quantos, até porque nem todos estarão na Terra, ou perto da Terra.

Com Jesus eu não sei dizer como era. Todavia, é de prever que devia existir uma equipa vastíssima de desencarnados a apoiá-lo.

Tendemos a só contar os encarnados.... Mas as contas podem ser bem mais complicadas  ;)

bem hajas     
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: bblu em 26 de Julho de 2016, 21:24
Citar
Por que ainda somos tão poucos ?'

Jesus serviu-se de 12 discipulos e projetou-se além dos séculos trazendo-nos os seus ensinamentos. Então, por que duvidar da projeção/expansão da Doutrina Espirita ?

Tens razão Diegas. Para além disso aqueles que estão encarnados não são os únicos espíritas. Entre os desencarnados há um conjunto muito grande de espíritas. Não sei calcular quantos, até porque nem todos estarão na Terra, ou perto da Terra.

Com Jesus eu não sei dizer como era. Todavia, é de prever que devia existir uma equipa vastíssima de desencarnados a apoiá-lo.

Tendemos a só contar os encarnados.... Mas as contas podem ser bem mais complicadas  ;)

bem hajas     


A pergunta "por que somos tão poucos" se refere somente a seguidores da doutrina espírita?
Se assim for, existe uma suposição ou certeza dos que se designam espíritas, de que somente eles são os disseminadores da verdade trazida por Jesus...isso não seria soberba e presunção?
Jesus não deixou religião nem doutrina para ser seguida...então como contabilizamos esses que se dizem poucos e eles são poucos em número para que intento?
Se considerarmos que existem muitos caminhos que levam a Deus, como saberíamos quantos estão trilhando esse caminho em diferentes credos, religiões ou mesmo solitariamente sem apoio de nenhuma instituição religiosa ou doutrina?
Na minha visão, se nós homens de boa fé, fossemos assim tão poucos a terra já não teria mais esperança.
Somos muitos e assim creio porque não coloco rótulos na fé de ninguém. A fé está além de se ser muçulmano, católico, evangelista, espírita, talmudista, budista...em fim...o amor sempre vence e Deus não pertence a templos e doutrinas, ele está dentro de todos nós que temos fé.



Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Diegas em 27 de Julho de 2016, 11:40
Olá, bblu


'...existe uma suposição ou certeza dos que se designam espíritas, de que somente eles são os disseminadores da verdade trazida por Jesus...isso não seria soberba e presunção?...'


Sem dúvida, há disseminadores da verdade de Jesus em várias outras doutrinas, mas a DE é a unica que traz o viés de 'Consoladora' - prometida por Jesus. Nenhuma outra doutrina até hoje foi capaz de explicar e popularizar de forma tão brilhante a relação além-tumulo; utilizar-se de uma linguagem que permite o fácil entendimento a complexidade do mundo espiritual: Deus; a imortalidade da alma; a pluralidade das existencias e dos mundos habitados. Impregnada de uma lógica invejável continua a surpreender os cerebros mais exigentes quanto a compreensão sobre o mistério da existencia: a razão de existir; de onde viemos e para aonde vamos.

De só uma tacada, por meio de 5 livros codificados, Kardec e a Espiritualidade foi capaz de reduzir a pó toda Filosofia, Ciencia e Religião - quase todo conhecimento que tínhamos nessas áreas.



Abç
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Rosa Luiza Baldon em 27 de Julho de 2016, 17:42
Citar
Por que ainda somos tão poucos ?'

Jesus serviu-se de 12 discipulos e projetou-se além dos séculos trazendo-nos os seus ensinamentos. Então, por que duvidar da projeção/expansão da Doutrina Espirita ?

Tens razão Diegas. Para além disso aqueles que estão encarnados não são os únicos espíritas. Entre os desencarnados há um conjunto muito grande de espíritas. Não sei calcular quantos, até porque nem todos estarão na Terra, ou perto da Terra.

Com Jesus eu não sei dizer como era. Todavia, é de prever que devia existir uma equipa vastíssima de desencarnados a apoiá-lo.

Tendemos a só contar os encarnados.... Mas as contas podem ser bem mais complicadas  ;)

bem hajas     


A pergunta "por que somos tão poucos" se refere somente a seguidores da doutrina espírita?
Se assim for, existe uma suposição ou certeza dos que se designam espíritas, de que somente eles são os disseminadores da verdade trazida por Jesus...isso não seria soberba e presunção?

Pensei que se referisse apenas à doutrina espírita porque o fórum é sobre o espiritismo. Mas é claro que a "verdade" não está apenas no espiritismo. Senão não haveriam tantas outras religiões. Acho que toda religião/doutrina que ensine as pessoas a fazerem o bem é bem-vinda. Cada um escolhe a que faz mais sentido para si. Eu escolhi a doutrina espírita.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: lconforjr em 28 de Julho de 2016, 17:49
Re: Por que ainda somos tão poucos?

      Ref resp #200 em: 27 07 16, às 11:40, de Diegas

      Bblu (msg ant, em 26 de Julho de 2016, 21:24): '...existe uma suposição ou certeza dos que se designam espíritas, de que somente eles são os disseminadores da verdade trazida por Jesus...isso não seria soberba e presunção? ...'

      Conf: essa presunção é própria de seguidores de todas as doutrinas, de que aquela que seguem é a única correta, ou que contêm a maior dose da verdade.
      Mas, será, como o amigo Diegas diz, a DE a única que traz o viés de 'Consoladora'? Não sei qual sentido deu o amigo ao “termo” viés, mas muitas, senão todas as doutrinas religiosas, são tb consoladoras. Todas prometem melhoras para o futuro, inclusive para o post-mortem. E, sinceramente, com o desejo de ter uma fé-raciocinada, gostaria de pedir ao amigo Diegas que nos esclarecesse qto à compreensão que da DE obteve, como ele diz, sobre a razão de existir. E, se possível, a um assunto imprescindível para que se entenda a doutrina: qual a razão de uns serem bons e outros, maus.

      Uma última questão: gostaria de pedir ao amigo que especifique, se possível dano o nome, a quais filosofias, ciências e religiões se refere o amigo ao dizer que “a DE reduziu a pó toda Filosofia, Ciência e Religião - quase todo conhecimento que tínhamos nessas áreas”.

      Um abraço!
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: lconforjr em 28 de Julho de 2016, 17:59
Re: Por que ainda somos tão poucos?
      Ref resp #201 em: 27 07 16, às 17:42, de Rosa Luiza
      Rosa disse: ... Cada um escolhe a (religião) que faz mais sentido para si. Eu escolhi a doutrina espírita.
      Conf: com a intenção de melhor entender, de ter uma fé raciocinada, gostaria que a amiga nos esclarecesse porq, entre tantas outras, a doutrina espírita, "faz mais sentido" para vc.
      Abç!




Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Vitor Santos em 28 de Julho de 2016, 20:48
Olá  bblu

Citar
Na minha visão, se nós homens de boa fé, fossemos assim tão poucos a terra já não teria mais esperança.
Somos muitos e assim creio porque não coloco rótulos na fé de ninguém. A fé está além de se ser muçulmano, católico, evangelista, espírita, talmudista, budista...em fim...o amor sempre vence e Deus não pertence a templos e doutrinas, ele está dentro de todos nós que temos fé.

A questão referia-se ao número de espíritas, como já foi esclarecido. Foi assim que a entendi, pelo menos.

Mas não se pode concluir que os espíritas ou os adeptos de outras doutrinas, sejam elas quais forem, incluindo a doutrina ateista materialista-reducionista, são pessoas de boa ou má fé a partir das crenças que referem ser as deles.

Pouco interessa o que as pessoas dizem. Até o que dizem a si mesmas. As pessoas conhecem-se pela forma de agir. Jesus, na sua sabedoria ensinou: pelos frutos se conhece a árvore. As flores que estão na árvore antes dos frutos podem ser lindas, mas os frutos serem maus.

A intolerância e a descriminação religiosa, ou de qualquer espécie é contra um dos princípios fundamentais da Doutrina Espirita: "fora da caridade não há salvação". A benevolência, a tolerância fazem parte da caridade, no sentido espirita da palavra.

Segundo a minha interpretação da DE, todos os espíritos são igualmente importantes para Deus. Até os agem de má fé. Há aprendizes em fases ainda muito ignorantes e em fases mais avançadas. Mas todos caminharão para a felicidade eterna, pois o progresso é obrigatório. As circunstâncias pressionam o espírito a progredir, nem que seja através da dor. A dor é o remédio mais poderoso, pois ninguém o consegue ignorar. Fazemos sempre tudo o que sabemos e podemos para eliminar a nossa dor. 

Bem haja
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Sorovisk em 29 de Julho de 2016, 00:29
somos muitos, todos no seu tempo e faixa de conhecimento, é igual uma escola, tudo no seu tempo...





Obs.: só não pode se acomodar.....
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Diegas em 29 de Julho de 2016, 00:49
Olá, Vitor Santos





Tendemos a só contar os encarnados.... Mas as contas podem ser bem mais complicadas  ;)


Realmente, não podemos esquecer da população de desencarnados que nos rodeiam.


Vide a resposta de André Luiz, que foi psicografada, e encontra-se no anuário espirita do ano de 1964:

Citar
1.Qual a quantidade aproximada de habitantes espirituais – em idade racional – que se desenvolvem, presentemente, nas circunvizinhanças da Terra?

“Será lícito calcular a população de criaturas desencarnadas em idade racional, nos círculos de trabalho, em torno da Terra, para mais de vinte bilhões, observando-se que alta percentagem ainda se encontra nos estágios primários da razão e sendo esse número possível de alterações constantes pelas correntes migratórias de espíritos em trânsito nas regiões do Planeta.”
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Diegas em 29 de Julho de 2016, 10:53
Olá, Iconforjr

Não sei qual sentido deu o amigo ao “termo” viés, mas muitas, senão todas as doutrinas religiosas, são tb consoladoras. Todas prometem melhoras para o futuro, inclusive para o post-mortem...'


O capítulo VI, do livro 'O Evangelho Segundo o Espiritismo':


Citar
3. “Se me amais, observai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai, e Ele vos enviará um outro consolador, para que fique eternamente convosco, o Espírito de Verdade que o mundo não pode receber, porque não o vê e porque não o conhece. Vós, porém, o conhecereis, porque ele ficará convosco e estará em vós. Mas o consolador, que é o Santo Espírito, que meu pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenho dito.” (João, XIV: 15 a 17 e 26.)

4. Jesus promete um outro consolador: é o Espírito de Verdade, que o mundo não conhece ainda, porque não está em condições de compreendê-lo, e que o Pai enviará para ensinar todas as coisas, para fazer lembrar o que Cristo falou. Portanto, se o Espírito de Verdade deve vir mais tarde ensinar todas as coisas, é porque o Cristo não as disse todas; se ele vem fazer lembrar o que Cristo ensinou, é que suas palavras foram esquecidas ou mal compreendidas. O Espiritismo vem, na época determinada, cumprir a promessa do Cristo: o Espírito de Verdade preside ao seu estabelecimento; ele relembra aos homens a observação da lei; ele ensina todas as coisas fazendo compreender o que o Cristo só nos transmitiu por meio de parábolas.

O Cristo disse '“Que ouçam os que têm ouvidos para ouvir'. O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, pois fala de forma clara, sem alegorias; ele retira o véu que foi deixado, propositadamente, sobre certos mistérios; finalmente, vem trazer uma suprema consolação aos deserdados da Terra e a todos aqueles que sofrem, dando uma razão justa e um objetivo útil a todas as dores.

O Cristo disse '“Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados'. Mas como alguém pode se achar feliz por sofrer se não sabe por que está sofrendo? O Espiritismo demonstra que a causa dos sofrimentos está nas existências anteriores e na destinação da Terra, onde o homem resgata os erros do seu passado; ele mostra o objetivo dos sofrimentos, porquanto eles são como crises salutares que trazem a cura e a depuração que assegura a felicidade nas existências futuras. O homem compreende que merece sofrer e acha que o sofrimento é justo; sabe que ele ajuda o seu adiantamento e aceita-o sem lamentações, como o trabalhador aceita o trabalho que lhe proporciona o seu salário. O Espiritismo lhe dá uma fé inabalável no futuro, e a dúvida cruel não se apodera mais da sua alma; fazendo com que ele veja os fatos de um ponto de vista elevado, a importância das vicissitudes terrestres desaparece no amplo e esplêndido horizonte que ele abrange, e a perspectiva da felicidade que o espera dá-lhe a paciência, a resignação e a coragem de ir até o final do caminho. Assim, o Espiritismo proporciona o que Jesus disse sobre o consolador prometido: conhecimento dos fatos, que faz com que o homem saiba de onde veio, para onde vai e por que está na Terra; retorno aos verdadeiros princípios da lei de Deus, e consolação pela fé e pela esperança.
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Diegas em 29 de Julho de 2016, 11:41
Olá, Iconforjr


'...sobre a razão de existir. E, se possível, a um assunto imprescindível para que se entenda a doutrina: qual a razão de uns serem bons e outros, maus...'


A razão me diz que muito preferível existir, mesmo que a existencia torne-se tempestuosa, em virtude de alguns equivocos que cometemos por conta de nosso livre-arbitrio. A toda causa resulta um efeito - é assim que funciona a lei divina ! Se a causa for boa, o efeito será positivo; se a causa for má o efeito será negativo.

Posso listar algumas condições determinantes para que alguns Espiritos sejam mais/melhores evoluidos (bons) do que os inferiores/piores (maus):

1- Todos os Espiritos são/foram criados simples e ignorantes (irracionais);

2- Os Espiritos não são/foram criados todos ao mesmo tempo;

3- A criação de Espiritos não cessa e nem cessou - a tendencia da população universal é só aumentar;

4- Os mundo fisicos são como escolas e o planeta Terra é considerado um dos mais atrasados, portanto, nada admirar que aqui encontremos Espiritos proximos, ou recem-saidos da animalidade, que agem mais por instinto do que com a razão;

5-As emigrações e imigrações também contribuem para que haja a existencia de Espiritos em diferentes condições evolutivas.



Abç

Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: Diegas em 29 de Julho de 2016, 13:38
Olá, Iconforjr


'...Uma última questão: gostaria de pedir ao amigo que especifique, se possível dano o nome, a quais filosofias, ciências e religiões se refere o amigo ao dizer que “a DE reduziu a pó toda Filosofia, Ciência e Religião - quase todo conhecimento que tínhamos nessas áreas”


Reduzir a pó = diminuir a importância; tornar-se irrelevante.

- Muitos filosofos e pensadores passaram pelo planeta e, apesar dos elogiáveis esforços, não conseguiram resolver, satisfatoriamente, algumas questões relevantes e que sempre afligiram a Humanidade. Para lá de séculos e séculos que as discussões se alongam sobre essencia e existencia, com os que defendem a hipótese de que a essencia preceder a existencia, enquanto outros afirmarem que a existencia é que precede a essencia - até hoje, não chegaram a uma conclusão sobre este assunto. Também, não conseguiram explicar, adequadamente, muitas outras questões, por exemplo: 'quem somos', 'de onde viemos' ou 'para aonde vamos'. Há, inclusive, alguns existencialistas ateus que gastam/ram toneladas de tinta e páginas para no final concluirem 'Que Tudo é Nada' !

- A Ciencia humana alega conhecer o 'homem-corpo' - Parabéns !! - porém, desconhece completamente o' homem-alma'. Nada sabe à respeito da fisiologia/anatomia do Perispirito, e muito menos sobre a existencia do Espirito.

- O surgimento da DE - as pessoas passaram a uma Fé raciocinal - trouxe grande prejuízo para os cofres da maioria das instituições religiosas, principalmente as verrugas-mercantis que se intitulam cristãs - catolicismo/protestantismo (vc queria nomes dos responsáveis pelo atraso espiritual do planeta ?); e um grande mal-estar para os religiosos, muito mais preocupados com a sua posição hierarquica dentro das Igrejas do que propriamente com o esclarecimento racional-espiritual dos individuos.



Abç
Título: Re: Por que ainda somos tão poucos?
Enviado por: bblu em 29 de Julho de 2016, 22:20
Citar
“a DE reduziu a pó toda Filosofia, Ciência e Religião - quase todo conhecimento que tínhamos nessas áreas”


O que me dá arrepio é esse tipo de resposta acima, por isso questionei a pergunta "por que ainda somos tão poucos?", se isso não seria soberba.

Se a DE realmente tivesse tido todo esse impacto na filosofia, ciência e religião estaríamos vivendo em um mundo muito diferente. A literatura espírita contém informação capaz de mudar o mundo...SE as pessoas tomarem essa responsabilidade, a de mudar suas vidas de acordo com o que leem, e assim mudar o mundo.

Uma doutrina ou religião não tem o poder de mudar o mundo. Um mundo repleto de espiritas não seria um mundo melhor. Um mundo cheio de espiritas conduzindo uma vida impecável, responsável consigo mesmo e com o planeta, pessoas que realmente agem de acordo com o conteúdo dos livros espiritas e evangelho, aí sim eles modificariam o mundo.


Se a DE houvesse desbancado toda a ciência, filosofia e religião então ela já estaria morta e obsoleta também. Me explico melhor...só a perfeição não precisa mais aprender e se renovar. Somente Deus é a perfeição