Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Tópico iniciado por: Pedro em 07 de Maio de 2006, 22:10

Título: Os Espíritos tudo sabem e tudo podem?
Enviado por: Pedro em 07 de Maio de 2006, 22:10
Olá a todos.

"Os espíritos tudo sabem e tudo podem? Quantas pessoas já fizeram essa pergunta, e já ouvimos diferentes respostas. Por exemplo: já ouvimos que os espíritos, não sendo mais do que as almas dos homens que já viveram na Terra, nada tem a nos ensinar. Já lemos em livros de autores estrangeiros, traduzidos para o nosso idioma, que os mortos nada tem a ensinar aos vivos, porque são mortos. Por outro lado já deparamos com um grande número de pessoas que acreditam, que ao desencarnar os espíritos passam a tudo saber e poder.

Na pergunta de n.° 238 de O Livro dos Espíritos, Allan Kardec perguntou: As percepções e conhecimentos dos espíritos são infinitos? Em uma palavra, sabem eles todas as coisas? A reposta foi: Quanto mais se aproximam da perfeição mais sabem – se são superiores, sabem muito. Os espíritos inferiores são mais ou menos ignorantes em todos os assuntos.

Deduzimos dessa resposta que estão errados aqueles que pensam, que basta ser um espírito desencarnado para ter toda a sabedoria possível e conhecer todas as coisas e assuntos. Este é um triste engano que tem levado muitas pessoas à sérias decepções, e pior ainda, culpam a Doutrina Espírita por isso.

Se tivessem se dado ao trabalho de estudar um pouco o Espiritismo, se forrariam de tais decepções.

Por outro lado equivocam-se os que pensam que os espíritos não tem nada a nos ensinar, pois, tem e muito. A sua simples manifestação já nos ensina sobre a imortalidade do ser, imortalidade dinâmica que caminha para a perfeição.

Apesar das advertências feitas por centros espíritas sérios e por programas de rádio e jornais doutrinários, ainda existem os que se fanatizam por espíritos e acham que eles tudo podem e sabem. Entretanto é preciso convir que existem muitos espíritos, considerados guias e protetores de médiuns e instituições espíritas ditas espíritas, que nem sequer conhecem a Doutrina Espírita.

Outra questão complicada para os espíritos é a questão do tempo. Eles não marcam o tempo como nós, não estão escravizados ao relógio ou calendário, por isso, cada vez que um espírito marque um tempo para certos acontecimentos, existem possibilidades de falhas. Aliás, Allan Kardec recomendou que desconfiássemos, sempre que um espírito predissesse um tempo exato para algum acontecimento.

Saber o princípio das coisas, ter domínio sobre o tempo e ter todas as percepções são coisas de espíritos muito evoluídos.

Sabemos que eles se interessam por nós, aliviam nossos sofrimentos, nos aconselham, mas como eles conhecem as finalidades dos acontecimentos, não se angustiam como nós. Eles se entristecem, mesmo, quando nos rebelamos contra a vida e contra Deus, pois sabem que as conseqüências serão, a de nos atrasar na evolução e trazer mais dores em nosso caminho.

Vale a pena ser espírita? Claro que sim, mas ser espírita com lucidez, amante do estudo, do conhecimento. O homem que procura no Espiritismo as soluções para os problemas que cabe a ele próprio resolver, que só entende Espiritismo pelos prisma dos fenômenos mediúnicos, pelas vantagens materiais, está imitando o personagem bíblico Esaú, que trocou a sua progenitura por um prato de lentilhas.

Não pode existir Espiritismo sem estudo, sem aplicação do aprendizado, sem transformação moral, sem o desenvolvimento das potencialidades do ser. Somos seres em desenvolvimento. Somos imperfeitos, mas perfectíveis, por isso, os pequenos gestos de bondade ajudam em nossa caminhada.

O Espiritismo é uma terapia para a alma cansada, doente, aflita, é a terapêutica do amor. Como não pode existir Espiritismo sem estudo, também não pode existir Espiritismo sem amor.

Se você decidiu, espontaneamente, ser espírita, seja-o por inteiro. Desenvolva a fé racional, tenha por lema a caridade, espalhe em torno dos teus passos a bondade e a esperança. Desenvolva o amor em plenitude para anular o ódio dos que ainda se comprazem na sombra.

Amílcar Del Chiaro Filho
de Guarulhos, SP
Jornal Verdade e Luz Nº 182 de Março de 2001

Com amizade.
Pedro
Título: Re: Os Espíritos tudo sabem e tudo podem?
Enviado por: Carlos Ribeiro em 08 de Maio de 2006, 15:27
Adorei ler este texto.
Muito simples mas muito verdadeiro.
Parabéns.
Título: Re: Os Espíritos tudo sabem e tudo podem?
Enviado por: Siegmund Beulke em 27 de Novembro de 2009, 17:03
Parabéns.
Também vejo que o texto é bem profundo. Explica de forma fácil a visão espírita.

Gostaria de lembrar ainda, para somar ao texto, que mesmo os espíritos que se comunicam, por diversas formas, mesmo que não têem conhecimento, eles nos ensinam falando de suas vidas e suas experiências.
Os erros que cometeram, as consequências dos erros, mostrando assim como será conosco se fizermos o mesmo que eles fizeram.
Estão nos ensinando a buscar o caminho estreito , a sair das zonas umbralinas e estarmos preparados para viver nas colônias espirituais.
Muitos deles sabem muito de cada um de nós, pois vivem espiritualmente ao nosso redor, por atração . Somos nós que os atraímos pelas nossas atitudes e pensamentos. Então sabem tanto ou quanto cada um de nós ou até mais.

No LE questão 459 " Os espíritos influem sobre os nossos pensamentos e as nossas ações?
E a resposta foi: A esse respeito sua influência é maior do que credes porque, freqüentemente , são eles que vos dirigem.

Se conseguem nos dirigir é porque sabem alguma coisa de acordo com a sua evolução, como também fala o texto aqui colocado antes.
Título: Re: Os Espíritos tudo sabem e tudo podem?
Enviado por: Mourarego em 27 de Novembro de 2009, 17:59
Sobre o Amilcar a quem já entrevistei para a Sala Filosofia Espírita.
O cara é um homem e tento, sofre em sua vida particular mais que qualquer um de nós e está sempre a postos.
Força neste nível eu a conheço também em outro que daqui já se foi, Amazonas Hércules, hanseniano que nunca se furtou à ajuda ao próximo ou á explicação mais detalhada.
Estes dois baluartes do movimento Espírita se fizeram de exemplos para mim, que me tenho junto a eles como um ignorante nas lides do amor, ou mesmo da humildade.
Sei bem quem eu sou e o que posso fazer por mim que exale aos outros, mas por enquanto vou apenas dizendo a doutrina que é o que mais fácil se me dá a fazer.
Não serão os Espíritos ou a doutrina que me irão modificar mas sim meus firme propósito em me transformar, no futuro próximo em homem de bem.
Estes dois acima mencionadas foram e serão sempre homens de bem.
abraços,
Moura
Título: Re: Os Espíritos tudo sabem e tudo podem?
Enviado por: askafil em 20 de Julho de 2010, 15:11
"Não pode existir Espiritismo sem estudo, sem aplicação do aprendizado, sem transformação moral, sem o desenvolvimento das potencialidades do ser. Somos seres em desenvolvimento. Somos imperfeitos, mas perfectíveis, por isso, os pequenos gestos de bondade ajudam em nossa caminhada."

obrigado pelas palavras se incentivo...