Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Tópico iniciado por: Marianna em 03 de Agosto de 2015, 18:30

Título: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 03 de Agosto de 2015, 18:30

(http://smayls.ru/data/smiles/animashki-serdechki-1142.gif)

Amados/Irmãos Visitantes.   

Aqui vocês terão a oportunidade de ver os artigos mais lidos sobre O Espiritismo. Com "A Boa Nova" não somos mais "Cegos que Guiam outros Cegos", porque o Espírito da Verdade, nos trouxe "A Verdade que Liberta". Glorias a Deus.

Textos de Autores Diversos


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 03 de Agosto de 2015, 18:46

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-12.gif)

1º-)  Reencarnar — Opinião Espírita

Você não se lembra, eu também não, mas, na minha opinião de espírita, nós demos graças a Deus quando tivemos a oportunidade de reencarnar mais essa vez.

Vemos pessoas se queixando da vida, que é muito trabalho, que é muita injustiça, que a vida é muito dura, que isso é um vale de lágrimas, que é muito quente, ou muito frio, ou muito chuvoso.

Mas nós ansiamos muito por esta oportunidade. Oportunidade de estarmos de novo na matéria, momentaneamente esquecidos de nosso passado, com novo corpo, novo nome, nova configuração familiar, num novo tempo, numa nova chance.

▬  Você faz ideia de como a fila é grande para reencarnar?

▬  Você já parou pra pensar na dificuldade que é para nossos superiores espirituais arranjar tudo de modo que vários membros endividados uns com os outros renasçam mais ou menos entrelaçados?

▬  Você percebe que tudo tem que ser planejado e executado de modo a permitir encontros e reparações?

Reencarnar é um privilégio! A Vida é uma maravilha! Não duvide nenhum momento da sua vida de que este fenômeno chamado Vida é uma verdadeira maravilha!

Por favor, não pense que sou excepcionalmente afortunado, que desconheço problemas. Todos temos problemas. Não há vida sem problemas. Uma vida sem problemas seria qualquer coisa, mas não seria Vida.

Não é por falta de problemas que convido você a celebrar e agradecer à Vida. É por reconhecer a grandiosidade da existência, o poder que eu tenho, que você tem, de progredir consideravelmente nesta reencarnação.

▬  Chegamos aqui cheios de entusiasmo. Não se lembra de quando você era criança?

Se não lembra bem, olhe para uma criança, lembre de uma, qualquer uma, brincando, feliz. É assim que chegamos.

Alguma pessoa mais ranzinza pode alegar que elas são assim porque desconhecem a realidade, porque não sabem o que as espera.

▬  Qual realidade elas desconhecem?
▬  O negativismo, o medo, a desconfiança, a dúvida?

Mas isso não é realidade. Isso é mentira! Nós vivemos cercados de mentiras. Mentiras que se consagraram em tempos de ignorância e superstições e que foram passando de geração em geração.

Criança nenhuma tem culpa das mentiras seculares que nos rodeiam. Você não tem culpa, eu não tenho culpa.

A Vida é maravilhosa, independente das calúnias que giram em torno dela. Mesmo nos momentos de grandes dissabores e contrariedades a Vida é uma maravilha. Porque ela nos dá a certeza de que tudo passa.

Tudo isso vai passar. Você está lendo isso agora; daqui a dois minutos estará fazendo outra coisa, talvez meditando sobre este assunto. Mas a leitura deste artigo já será passado, e nunca mais irá voltar.

É assim com os melhores momentos da sua vida. É assim também com os momentos mais críticos e difíceis da sua vida.

Você lembra da passagem do evangelho em que Jesus disse para que deixassem que as crianças fossem a ele, pois delas é o reino dos céus?

É que as crianças têm amor à Vida, e confiança na Vida, e o coração aberto para aprender, e aceitam, e perdoam, e são felizes com pouco, muito pouco.

Não podemos viver como crianças. Temos responsabilidades de adultos.

Lembre-se que você também ansiou muito por isso.

▬  Queria porque queria ficar adulto:
▬  Ficou, não ficou?

Então não somos crianças, temos um monte de obrigações, e coisas sérias para fazer. Mas podemos desenvolver aquelas qualidades que agora a pouco eu atribuí às crianças.

Podemos lembrar todas as manhãs, quando acordamos, de sermos gratos à Vida, e amar estar vivos. Podemos e devemos, até como prova de inteligência, confiar na Vida, pois sabemos que no final tudo dá certo.

Podemos abrir nossos corações para novos aprendizados, novas ideias, novos modos de encarar o mundo, as coisas, as pessoas. Podemos aceitar mais e resistir menos, podemos desenvolver a capacidade de perdoar, a nós mesmos e aos outros, sempre, incondicionalmente.

E podemos ser felizes com o que temos, e com o que ainda podemos alcançar. Temos um universo à nossa disposição, e tanta coisa para conhecer e conquistar!

Morel Felipe Wilkon.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 03 de Agosto de 2015, 19:38

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-8.gif)

2º-)  Deus castiga?
O que é um castigo na visão espírita?

Em O Livro Dos Espíritos poderemos encontrar uma resposta mais confiável e racional para responder a inquietante questão:
—  Deus castiga?

Temos que compreender o significado do termo castigo para os espíritos superiores e sobre a ação de Deus em nossas vidas e no universo. Não adiantará procurarmos o significado da palavra castigo no dicionário ou em visões estranhas a concepção espirita.

Os filósofos tampouco nos ajudarão, pois, não se trata de um jogo de pensamentos, mas em informações originadas do mundo dos espíritos, que é o local onde grande parte das consequências de nossas atitudes se desenvolverá, sabedores que somos que a lei humana não pode alcançar todas as nossas faltas.

Questão 680 de O Livro Dos Espíritos:

—  Não há homens que se encontram impossibilitados de trabalhar no que quer que seja e cuja existência é, portanto, inútil?
R — “Deus é justo e, pois, só condena aquele que voluntariamente tornou inútil a sua existência, porquanto se vive a expensas do trabalho dos outros. Ele quer que cada um seja útil de acordo com as suas faculdades”

Percebemos da resposta 680 que a correção de uma falta leva em consideração o grau evolutivo de cada espirito, suas possibilidades, não sendo um mecanismo automático.

Não é a condenação de um espírito um ato de vingança, mas decorre de uma necessidade de corrigir um erro. Esta correção tem relação com a necessidade do espírito, não é apenas uma satisfação dada por Deus aos que sofreram.

Sempre é levado em consideração o grau evolutivo porque a correção do erro a que o espírito é submetido tem por finalidade sua evolução, nunca sendo um ato de vinganças ou um simples pagamento de dívidas. Usarei um exemplo para que melhor possamos entender a questão.

Se um homem rouba outro homem, temos sempre um erro. Percebemos, entretanto, que se alguém rouba para alimentar seu filho, então, é menos condenável que aquele que rouba para satisfazer um desejo fútil, comprar um carro esportivo, por exemplo.

Em ambos os casos, existe o erro, mas não se pode julgar com a mesma severidade as duas situações.

Questão 258 de O Livro Dos Espíritos:

—  Quando na erraticidade, antes de começar nova existência corporal, tem o Espírito consciência e previsão do que lhe sucederá no curso da vida terrena?
R — ” Ele próprio escolhe o gênero de provas por que há de passar e nisso consiste seu livre arbítrio.”

—  Não é Deus, então, quem lhe impõe às atribulações da vida como castigo?.
”Nada ocorre sem a permissão de Deus, porquanto foi Deus quem estabeleceu todas as leis que regem o universo. Ide agora perguntar por que decretou Ele esta lei e não aquela.

Dando ao Espírito a liberdade de escolher, Deus lhe deixa a inteira responsabilidade de seus atos e das consequências que estes tiverem. Nada lhe estorva o futuro, abertos se lhe acham, assim, o caminho do bem, como o do mal.

Se vier a sucumbir, restar-lhe-á a consolação de que nem tudo se lhe acabou e que a Bondade divina lhe concede a liberdade de recomeçar o que foi malfeito. Ademais, cumpre se distinga o que é obra da vontade de Deus do que o é da vontade do homem.

Se um perigo vos ameaça, não fostes vós quem o criou e sim Deus. Vosso, porém, foi o desejo de a ele vos expordes visto nisso um meio de progredirdes, e Deus o permitiu”

Do exposto percebemos que as leis de Deus preveem castigos para toda falta. Os espíritos declaram que Deus fez as leis da forma que estas leis são e, se quisermos saber, por que não fez Deus leis diferentes, deveremos perguntar ao próprio Deus.

—  Poderiam as leis não determinar punições para nossas faltas?

Bem, se Deus as fizesse dessa forma, certamente, poderia não haver nenhuma consequência dos atos que praticamos e não existiria o carma.

O que fosse feito de errado em uma encarnação não traria nenhuma consequência para as próximas encarnações, mas não foi assim que Deus desejou.

Teremos que reparar o erro cometido, somos livres e esta liberdade abre possibilidades para o erro. Não somos livres, porém,  para não reparar o erro. Um exemplo nos fará entender.

Um homem é livre para chutar uma parede, mas não é livre para não sentir a dor corrente do chute. Somos livres para semear, mas a colheita é obrigatória. A bondade de Deus nos permite corrigir o mal realizado.

Na doutrina espírita não existe o inferno, pois, se o inferno existisse, representaria a impossibilidade de se corrigir o erro. O inferno é um lugar de sofrimento, não de correção. A ideia do inferno como lugar de sofrimentos eternos não é aceito pelo Espiritismo.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 03 de Agosto de 2015, 20:37

Vamos a outra consideração. Na literatura espirita, nos romances por exemplo. Lemos que um crime cometido em uma encarnação será pago em outra encarnação, quando não houve a possibilidade de ser corrigido na existência em que foi praticado.

Nem sempre a correção será na próxima encarnação. É comum passarem-se várias encarnações, para somente então, haver a correção.

Tal ocorre porque será nesta encarnação que o espírito estará em condições de aproveitar o aprendizado que virá de sua punição. Se assassinei alguém, posso vir a ter morte violenta alguma encarnações depois, digamos, quinhentos anos depois.

Observem que não preciso ser assassinado, mas ter morte violenta. A lei não exige um assassino para matar o homem que cometeu assassinato em encarnação anterior.

O castigo é a punição para a infração cometida. Não se trata de “pagar” uma dívida anterior, pois, sendo assassinado não pagarei nada a ninguém, mas será um evento emocional importante para dar ao que assassinou, a real dimensão de ser assassinado.

Nem tudo o espírito aprende intelectualmente, muitos tipos de aprendizado são feitos na prática. Se roubei, menti, trai ou matei,  não significa que terei que ser roubado, traído ou morto no futuro.

Nem sempre será necessário este evento, pois, posso beneficiar aquele que prejudiquei através do amor. Poderei, por exemplo, receber a quem assassinei como meu filho em futura existência. Pagarei com amor o mal que lhe fiz.

Se, entretanto, persisto no erro, poderei a sofrer as consequências de meus atos, consequências com papel educativo, para meu próprio benefício, mas que não deixam de ser um castigo para as faltas cometidas.

Cada espírito aprende a se corrigir de acordo com suas disposições íntimas. Alguns pelo amor, outros pela dor. A consciência aceita o castigo ( correção), mas não é o próprio espírito que providência o castigo, mas Deus que o faz. Não temos competência para criar as condições necessárias envolvidas na correção de nossas faltas.

Poderemos agir com muita severidade para conosco ou com muita leniência. O espírito não julga a si mesmo, Deus é que julga em última instância.

Podemos, é claro, opinar sobre o tipo de correção que será imposta a nós mesmos ou mesmo reivindicar a nossa correção, mas não temos autonomia absoluta sobre o que nos sucederá.

Na resposta dos espíritos temos “se um perigo vos ameaça, não fostes vos que o criastes e sim Deus. Vosso, porém, foi o desejo ( a consciência) de a ele vos expordes, por haverdes visto nisso um meio de progredirdes, e Deus o permitiu.

”Novamente percebemos que o castigo é um mecanismo para possibilitar a evolução do espírito infrator da lei, não um capricho de Deus."

É o castigo um fato semelhante a um procedimento cirúrgico doloroso em que o doente sofre no pós-operatório, mas em seu próprio benefício. Foi o cirurgião que o operou, mas não por capricho, mas por absoluta necessidade. O doente consentiu por entender ser este o melhor procedimento.

—  Não é a cirurgia uma espécie de castigo ou é um prêmio dado aos doentes?
—  É com prazer que alguém se submeta a uma cirurgia ou é, antes de tudo, uma necessidade?

Existem situações em que o paciente chega na emergência médica com risco de morte e o cirurgião irá operá-lo sem o seu consentimento, mas em benefício do paciente.

Tal é a situação dos espíritos mais atrasados e que não se dispõe a corrigir o erro, o castigo poderá ser imposto aos mesmos, mas sempre no interesse dos mesmos, sem atender-lhes o capricho ou a vontade mal orientada.

Concluímos que Deus castiga, mas o castigo significa um meio de corrigir o mal praticado. O castigo está na razão direta da consciência que o espírito tem do erro cometido e do benefício que o castigo trará ao espírito.

Se você acredita que castigo é uma vingança ou um capricho de Deus, então, você não entendeu a definição que os espíritos superiores tem do castigo e da real finalidade do castigo.

Muitos acreditam que o espírito julga a si mesmo no tribunal da consciência e concluem que possuem total autonomia sobre suas vidas e todas as consequências decorrentes de suas faltas.

Acreditam que espíritos atrasados ou relativamente atrasados possuem a sabedoria, a iluminação espiritual suficiente para sozinhos julgarem a si mesmos e darem a sentença adequada, nada mais restando a Deus que observar seus filhos inexperientes cuidando sozinhos de seu próprio futuro.

A palavra castigo, condenação e punição aparece inúmeras vezes no O Evangelho Segundo O Espiritismo, no livro O Céu E O Inferno, em O Livro Dos Espíritos. É necessário entender o significado dessa palavras no contexto da codificação.

As pessoas discutem e ficam indignadas quando leem estas palavras, porque não compreendem o significado que os espíritos dão a estes termos. Castigo é um conjunto de medidas desagradáveis, mas necessárias à evolução do espírito.

Castigo é um meio de aprendizado, não um meio de vingar-se. É um recurso pedagógico adequado ao grau de entendimento do aluno cuja lição necessita aprender.

O castigo não é uma satisfação que Deus presta à vítima ( que pode ter sofrido devido a seu carma ou necessidade de aprendizado) e sim um recurso para que o espírito aprenda a se adequar às leis de amor e justiça, leis criadas por Deus em benefício de todos os espíritos.

João Senna.
Salvador, 14/08/2016


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 03 de Agosto de 2015, 23:22


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-9.gif)

3º-)  Espiritismo e amor ao próximo

Amar e gostar são coisas diferentes. Segundo o espiritismo, o amor é o sentimento por excelência. Jesus promoveu o amor a lei maior ao resumir toda a lei e os profetas nesses dois mandamentos: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Somos partículas de Deus, então amar a Deus é deixar que Ele se manifeste através de nós. Quando isso acontece, sentimos o máximo amor à vida, nos amamos muito, amando a Deus. Quando amamos a Deus de todo o nosso coração amamos a nós mesmos.

Para amar o próximo como a nós mesmos, e para que esse amor seja considerável, é preciso que nos amemos. Quer dizer, esses dois mandamentos, os mais importantes de todos, o resumo de todo o ensinamento cristão, manda que você ame a você. Muito.

Mas muito. Algum purista pode achar isso uma heresia.

—  Por quê?

Porque talvez interprete esse amor a si mesmo como algo puramente hedonista, o que não é o caso.

—  Quando você sente que ama a Deus?
—  Não é quando você acaba de dar o melhor de si em prol de uma causa digna? 
—  Não é quando valoriza as pequenas e grandes coisas da obra do Criador que outras tantas vezes passam despercebidas?

—  Não é quando você ama, simplesmente ama?

E amar só é possível quando se ama a si. O tamanho do amor que se tem para oferecer é o tamanho do amor que temos. Ninguém pode dar o que não tem.

Deus é dentro de nós, e nos deu o livre arbítrio para que tenhamos o poder de decisão. Decidimos se deixamos que Deus se manifeste ou não.

Na maioria das vezes preferimos manifestar o personagem que criamos, este corpo a que atribuímos personalidade, caráter, mente, como se fosse tudo uma coisa só.

Mas quando nos permitimos dar vazão à luz que jaz em nosso íntimo, a essa centelha divina permanentemente pronta a nos guiar, é Deus que se manifesta, e nós sentimos amor, e amamos a Deus, e amamos a nós mesmos. E amando a nós mesmos podemos amar nosso semelhante.

Aqui há uma distinção a fazer. Amar é uma coisa, gostar é outra. Uma das definições mais corriqueiras do amor diz que amar é gostar muito de algo ou alguém.

Não é bem assim.

—  Você ama seus inimigos?

Jesus mandou.

Claro que não quero comparar nossa qualidade de amor com a dele, mas você acha que mesmo ele amava seus inimigos com esse amor meloso e cor-de-rosa que alguns pregam da boca pra fora? Não é assim que os evangelhos o retratam. O que mais vemos é ele soltando o verbo pra cima dos fariseus e saduceus hipócritas.

Amar é desejar o bem, todo o bem possível, sem restrição. É perdoar de todo o coração, é querer a felicidade do próximo. Amar e gostar não são a mesma coisa.

—  Como é que você vai gostar de um inimigo?

Alguém com quem você não tem a mínima identificação, com quem você não concorda acerca de nenhum ponto de vista, com quem você não tem nada em comum. Sem falar que esse alguém pode ter lhe prejudicado terrivelmente.

—  Que você perdoe, que deseje tudo de bom, que aprenda a conviver amistosamente se for necessário, mas gostar?!

Gostar é uma escolha, amar é obrigação. Devemos amar nossos semelhantes, e nos encaminhamos pra isso. Mas sempre iremos escolher do que ou de quem gostamos.

Mesmo que vivêssemos já num mundo muito mais adiantado que o nosso, onde todas as pessoas fossem amáveis e reunidas conforme suas peculiaridades e anseios, haveria aqueles de quem realmente gostaríamos.

É claro que um dia, num futuro distante, num mundo hoje inimaginável, quando todas as atribulações atuais não forem mais que uma névoa no passado da memória, o amor reinará.

Mas estou me dirigindo a você, e não à posteridade. Perdoemos e sejamos mais tolerantes, por enquanto já tá de bom tamanho.

Morel Felipe Wilkon. Não acha?



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 04 de Agosto de 2015, 06:25

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-7.gif)

5º-)  Somos responsáveis pelos nossos afetos.

Se fomos responsáveis por despertar o sentimento de alguém, se nos envolvemos ou nos deixamos envolver conscientemente numa relação de afeto, somos responsáveis por esse vínculo.

Isso não quer dizer, de modo algum, que a felicidade alheia está em suas mãos.  Você jamais se torna responsável pela felicidade de outra pessoa.

A felicidade é uma conquista pessoal, que não depende de nada e ninguém exterior. Não está nas mãos de ninguém propiciar a felicidade de quem quer que seja.

Só quem condiciona o sentimento afetivo aos seus próprios anseios neuróticos pode esperar que o outro se responsabilize por sua realização pessoal.

▬  Há pessoas, e são muitas, que querem:

●  Ser amadas mas não se amam,
●  Querem ser compreendidas mas não compreendem a si próprias,
●  Querem alguém que as cuide mas não fazem sua parte em cuidar de si mesmas.

▬  São pessoas que ao menor revés afetivo, usam bordão dos sofredores abandonados:

●  Quando eu mais precisava…
●  Mas justo quando eu mais precisava…

Não percebem que estão sempre precisando, e não é de ninguém além delas mesmas que precisam. Não se dão conta de que são as únicas responsáveis pelas suas próprias necessidades.

Confundem sua carência afetiva com amor. Mas essa carência, que anseia por ser preenchida, é um vazio a ser trabalhado internamente, é antes de mais nada falta de auto conhecimento.

Só quem conhece a si mesmo pode saber o que quer.

E é imprescindível saber o que se quer para buscar alguma coisa, fazer alguma coisa por si, e não esperar permanentemente pelo reconhecimento, pela gratidão, pela admiração do outro.

Mas, se por um lado não somos responsáveis pela felicidade de ninguém, por outro lado, ao nos vincularmos numa relação de afeto, não podemos deixar de levar em conta as necessidades, o bem-estar e os anseios do outro.

Mesmo que você não se sinta mais ligado a essa pessoa, ou que nunca tenha se sentido diretamente vinculado a ela.

Se você permitiu que essa ligação se estabelecesse, também se permitiu fazer parte de um universo que não é o seu, se permitiu tornar em uma referência na trajetória evolutiva dessa pessoa.

A semeadura é livre, a colheita é obrigatória. Nunca é demais lembrar.

Plantamos afetos, nem sempre conscientemente, e o que colhemos são afetos, nem sempre planejados ou mesmo desejados.

Não somos escravos dos afetos que criamos; podemos, na maioria das vezes, virar as costas e seguir em frente. Mas não há como nos eximirmos do preço a pagar.

E em matéria de sentimentos, o preço geralmente é caro e o juro é alto… Muitas vezes essas situações mal resolvidas ultrapassam o túmulo em busca de uma solução mais satisfatória.

▬  Pouco ou nada disso tem a ver com amor.

●  O amor não termina.
●  Nasce mas não morre.

O amor está em nós, faz parte de nosso ser, cabe a nós desenvolvê-lo e vivê-lo. Mas o amor muda, se adapta, se transforma, muda o foco. Nós mudamos.

Há os que consideram uma heresia aceitar que o amor mude, e se anulam em nome do amor estático e acabam sozinhos, abandonados, sem entender o que aconteceu, achando a vida injusta.

Outros, ainda, sonham com o amor ideal, e quando encontram um alvo disponível, tentam de todas as maneiras encaixar a pessoa amada nesse modelo.

Cuide de seus afetos.

Você não é responsável pela felicidade das pessoas que têm afeto por você. Mas você é responsável pelo afeto que essas pessoas sentem por você.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Ou você acha que não tem nada a ver com o que as pessoas sentem por você?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Que isso é apenas escolha delas, e você não tem nada com isso?

Ainda há tempo pra você resolver isso.




Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 05 de Agosto de 2015, 05:35


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-124.gif)

6º-)  Espiritismo e as antipatias gratuitas

O espiritismo nos ensina que casos de antipatia gratuita muitas vezes vêm de outras vidas.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você nunca conheceu alguém e imediatamente não foi com a sua cara?

Podem ser sensações revividas, sensações que já foram experimentadas antes. Mas essa antipatia também pode ser resultante da diversidade no modo de pensar.

Quem torce com fervor para um time pode não gostar muito de ver alguém com a camisa do time adversário; se este tiver mais um ou dois traços de que não goste, está formada a antipatia. E esta primeira impressão é difícil de ser alterada.

O mesmo se dá com a política, ou com qualquer outra paixão.

O exemplo do futebol é ilustrativo, mas qualquer discordância mais acentuada na maneira de pensar, de se expressar, de ver e viver a vida pode dar ensejo a que se forme uma relação de antipatia, quase sempre recíproca.

Acontece de mudarmos de ideia, em relação a alguém. Às vezes nos decepcionamos.

Mas há os casos em que antipatizamos com alguém à primeira vista, por diferenças reais ou por má interpretação dessas supostas diferenças, e passamos a reconhecer na pessoa qualidades que não suspeitávamos.

Claro que, como em tudo, vai aí uma grande dose de orgulho.

Foi só vermos que a pessoa não pensa tão diferente de nós, não é tão diferente de nós, e vai caindo a venda que tapava nossos olhos para as suas qualidades. Se você acha que não é assim, talvez seja bom começar a se analisar melhor.

Aliás, nesses casos de dúvida a respeito de nós mesmos, deveríamos sempre pedir a opinião de um inimigo, ou, se o termo é muito forte, para alguém que sabidamente não simpatiza conosco.

Ele não vai mentir para nos agradar. Um amigo certamente mentiria, com medo de nos magoar, de ferir nossas suscetibilidades.

Mas devemos reconhecer que nem tudo é resultado direto de vidas passadas, nem de orgulho ferido pela não aceitação das diferenças.

Formamos ao nosso redor uma atmosfera fluídica pessoal que exerce um poder de atração ou repulsão entre os indivíduos, conforme seu padrão de pensamento, palavra e ação.

—  A conscienciologia criou um neologismo que também é interessante para o caso, o pensene:

●  Energia,
●  Sentimento,
●  E pensamento...

... Que significa a manifestação indissociável e integral da consciência a partir dos seus pensamentos, sentimentos e das suas energias ou ações.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já parou pra pensar que assim como você antipatiza com alguém que nunca viu antes há pessoas que nunca viram você antes e que não vão com a sua cara?

—  Que acham você:

●  Ou chato
●  Ou chorão,
●  Ou esnobe,
●  Ou mal-humorado,
●  Ou então tudo isso junto?

Certo, não podemos agradar a todos.

Mas seria o ideal. É melhor ser agradável do que desagradável. E tentar fazer o que achamos o melhor é nossa obrigação.

Aquela lorota de que o importante é competir é lorota no esporte, onde todos competem para ganhar. Mas na vida o importante é tentar.

Não conseguiremos tudo, mas alguma coisa sim, se tentarmos.

Não conseguiremos tudo não porque não somos capazes, mas porque não dá tempo; uma vida é pouco pra fazer tudo o que gostaríamos.

—  Ainda bem que tem outras:

●  Tente.
●  Tentemos.

Podemos e devemos começar pelo pensamento; é o começo de tudo.

Tudo o que já foi realizado começou com um pensamento. Todos nossos pensamentos geram sentimentos ou emoções que resultam num determinado tipo de energia.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 05 de Agosto de 2015, 18:54


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-121.gif)

7º-)  Espiritismo e o medo da vida

Medo da vida. O espiritismo, ao nos demonstrar a continuidade da vida e as inúmeras oportunidades de aprendizado e experiência que a vida nos oferece, transforma o medo da vida num sentimento irracional.

Claro que o fato de se reconhecer um sentimento como irracional não acaba com ele, mas é um começo.

Você já existia antes de ser filho de sua mãe e de seu pai, e vai continuar existindo depois que seu corpo morrer. Vai continuar pra sempre, a individualidade não se perde jamais.

Só a convicção deste fato já devia ser suficiente para percebermos que não há o que temer, que o medo é ilusório, que tudo tem nova chance, que tudo continua, se renova, se transforma.

Nenhuma adversidade é permanente, sem contar que a maioria delas é meramente especulativa; tememos com antecedência.

Já dizia Jesus Cristo no maior ensinamento que já chegou à Terra, o Sermão da Montanha, que não devemos nos preocupar com o dia de amanhã.

Disse-nos o Mestre:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “Olhem os lírios do campo; não trabalham nem fiam. No entanto, nem Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  "Se Deus veste assim a erva dos campos, que hoje cresce e amanhã será lançada ao fogo, quanto mais a vocês, homens de pouca fé?”

Isso é uma das coisas mais profundas que já nos foram ensinadas, e talvez justamente pela sua simplicidade, não recebe até hoje o devido valor.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  O que ele está dizendo pra você?

Pra parar de se preocupar com o que ainda não aconteceu, pra parar de sofrer por antecipação, pra parar de temer o dia de amanhã.

O que você deve entender, o que nós todos devemos entender de uma vez por todas é que nós somos partículas Divinas, nós somos a parte de Deus que nos cabe, Deus se manifesta para você  através de você!

Deus, que habita dentro de você, quer o seu melhor, sempre.

Jamais culpe Deus. Jamais atribua a Deus as falhas que você cometeu. Sempre é bom lembrar que a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.

Você colhe hoje o que plantou ontem. Colherá amanhã o que plantar hoje. Assim mesmo. Aprenda a assumir seus erros e pare de culpar Deus, o destino, a vida, os outros. Tudo o que lhe acontece é causado por você.

Não adianta esbravejar. Se isso o aborrece, pare de ler imediatamente e vá ao banheiro pensar a respeito, depois continue.

O medo da vida nasce da culpa. Culpa por ter feito algo errado, por não fazer o que devia ser feito, por não praticar o que sabe, por não assumir ser quem é. Não é fácil abandonar o medo.

Não se abandona um hábito entranhado. É preciso substituí-lo.

—  Substitua o medo:

●  Pela confiança,
●  Pela coragem,
●  Pela força.

Você consegue, desde que comece pelo começo.
E o começo é reconhecer seus erros.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não é lindo quando uma criança confessa alguma travessura, encabulada ou chorosa?

É lindo porque é verdadeiro, não por se tratar de uma criança. Nós precisamos reconhecer a responsabilidade que é nossa perante a vida. Esse é o caminho para trocar o medo pela confiança, pelo amor incondicional à vida.

Claro que há dificuldades. Sempre haverá, neste planeta. Mas o medo atrai medo. As suas vibrações mentais de medo atraem as vibrações mentais de medo dos outros, encarnados e desencarnados. O contrário também acontece.

—  vibrações de:

●  Fé,
●  Alegria,
●  Gratidão
●  Coragem,
●  E confiança,

E reconhecimento   à vida atraem vibrações semelhantes. Você decide o que quer para si.

—  Nós decidimos o que queremos para nós:

●  Queiramos o certo.
●  Façamos o bem.
●  Querer é poder.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 05 de Agosto de 2015, 19:20

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-117.gif)

8º-)  Aproveite o dia

Os dias escoam como areia por entre os dedos. Aproveite o dia de hoje!

O espiritismo ensina que sempre é tempo de recomeçar, de aprender, de fazer o que deve ser feito, pois a vida não termina. O que não fizemos ontem, por desleixo, preguiça ou despreparo, podemos começar a fazer hoje.

Certamente retomamos, nesta vida, tarefas que ficaram inacabadas em outras. Isso é o famoso "resgate". A recapitulação de algo que devia ter sido feito e não foi, o conserto de algo que foi feito de maneira errada, a correção a partir do zero de atos praticados indevidamente.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Isso quer dizer que não precisamos nos preocupar com os deveres de hoje, já que podemos deixá-los para amanhã?

Não exatamente, como, aliás, você já sabe. É um consolo saber que podemos consertar de alguma forma nossos erros, aprender o que não aprendemos antes.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas vale a pena adiar compromissos e responsabilidades indefinidamente?

Chega o momento em que nos defrontamos com a necessidade de lavar a louça suja, e é melhor fazer isso antes que a pia esteja transbordando.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já se deu conta de que os dias escoam como areia por entre os dedos, e que a vida passa?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Ainda não?

Pois ela passa, e não deixa de ser interessante vê-la passar, mas só isso não basta. É preciso aproveitá-la, aproveitar cada dia. Muita coisa pode ser feita num dia.

Todos os grandes acontecimentos têm lugar num determinado dia. Os melhores dias da sua vida foram… dias. Muita coisa culmina num dia; muita coisa começa num dia. E tudo de importante que se deve fazer há de começar por um dia.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Este dia pode ficar para depois, mas depois quando?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já se deu conta de que depois não existe?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  De que isso que chamamos futuro não existe?

Não faça planos para o futuro. Date-os. De preferência comece hoje mesmo; se não puder, estabeleça um prazo, ou a chance de concretizá-los se torna muito pequena.

Você precisa aproveitar melhor o seu dia, todos precisamos, e isso não quer dizer necessariamente fazer mais coisas, mas fazer melhor. E, principalmente, ser melhor.

Devemos ser melhores.
Sabemos disso há muito tempo.

Talvez há séculos, ou milênios.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Que esperamos para colocar em prática isso que sabemos com tanta certeza?

Não vamos melhorar num passe de mágica, é preciso um passo de cada vez. O primeiro já demos, que é ter certeza da necessidade. O segundo é querer.

E a partir daí tentar, exercitar. Tudo que tentamos com perseverança nós conseguimos, taí outra coisa que você já sabia. Quanta oportunidade um dia nos oferece!

É meio piegas aquele negócio de dizer:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  "Imagine que hoje é o último dia de sua vida…"

Não precisamos apelar para o sentimentalismo, mas não podemos simplesmente desperdiçar um dia depois do outro. Somos imortais, teremos outras vidas, outras chances.

Mas como esta vida não haverá outra. A idade que você tem, depois de completar a próxima você não terá mais. Dia como hoje nunca mais haverá.

—  Haverá muitos dias semelhantes:

●  Com claridade,
●  Com temperatura,
●  Com afazeres semelhantes,
●  Com umidade relativa do ar,
●  Em tudo semelhantes ao dia de hoje,

Mas este dia não se repetirá, nem as oportunidades de aprendizado e crescimento e harmonia e amor que ele oferece.

Os prazeres que a vida nos oferece, inclusive o prazer de não fazer nada, o dolce farniente, são realmente muito bons.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas o que aprendemos de útil com eles?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Que lembrança nos fica deles?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Adianta alguma coisa lembrar dos dias de doce preguiça em que não fizemos nada?

Esses dias não voltam. Isso não é nenhuma tragédia, são escolhas, como tudo na vida. Mas é melhor você aproveitar o dia.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 05 de Agosto de 2015, 19:52


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-113.gif)

9º-)  Existe crítica construtiva?

Com a medida que medimos somos medidos…

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você costuma ser crítico?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você acha que existe crítica construtiva?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você, pessoa maravilhosa, cheia de virtudes, nota com facilidade os defeitos alheios?

Sei que não é o seu caso, mas há pessoas viciadas em criticar. Sempre fariam melhor o que outra pessoa fez.

Hoje se valoriza muito o que se convencionou chamar:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “Crítica construtiva”.

Tenho sérias dúvidas a respeito do que se possa construir a partir de uma crítica. O fato é que ninguém gosta de ser criticado, nem você, nem eu. Mas apreciamos a sinceridade, a honestidade ao manifestar opinião.

Quando queremos saber algo relevante a respeito de nós mesmo, deveríamos perguntar a alguém que não simpatize conosco, pois um amigo raramente será sincero correndo o risco de nos desagradar. Não convém esquecer que com a medida que medirmos seremos medidos, palavras do Mestre em sua sabedoria eterna.

Complicado é aquele tipo de pessoa que critica quem se desvela e mima um animal de estimação, alegando que tais cuidados deveriam ser dispensados a uma criança:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “Tanta criança abandonada e fazem até hotel pra cachorro”.

Só que essas pessoas nem adotam a criança nem cuidam do cachorro… Ou aquele que critica a obra pronta mas nunca está presente para ajudar.

Enfim, são os tipos humanos, não somos assim tão diferentes. Mas devemos tomar cuidado com as críticas.

Se é verdade que é com as críticas que construímos e reajustamos a rota, não é menos verdade que são essas mesmas críticas que entopem nosso subconsciente desde a mais tenra infância até nos fazer acreditar em todas elas.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já observou como se critica uma criança o tempo inteiro?

Na intenção de educar e impor limites, aliás necessários, tudo é feio, tudo é errado, tudo é perigoso, tudo não pode.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E os xingamentos que uma criança ouve dos pais ao fazer qualquer coisa errada ou considerada como tal?

Preste atenção ao tratamento costumeiro que as crianças recebem, entenderá melhor porque os adultos são tão problemáticos.

Mas nós não somos mais crianças (você não é, né?), o que está feito, está feito. O que podemos fazer é procurar criticar menos, e não confundir franqueza com grosseria, espontaneidade com falta de educação.

A grande maioria se magoa com as críticas. Dificilmente alguém não vai levar para o lado pessoal, até porque isso é uma grande bobagem.

O profissional é uma pessoa, o artista, o escritor, o colega, todos são pessoas, e são pessoas o tempo inteiro, mesmo ao exercerem sua atividade criticada.

●  Se for imprescindível a crítica, que seja feita com cuidado.
●  Tente se colocar no lugar do outro e sentir como ele se sentiria.

E delimite muito bem o alvo da crítica. Ela deve ser dirigida exclusivamente à ação, ou atitude, ou fato, jamais à pessoa. Nem sempre é possível, mas convém tentar.

Ainda somos muito suscetíveis, cheios de melindres. Talvez daqui a cinquenta anos um assunto como este já esteja ultrapassado, as pessoas sejam menos orgulhosas e mais ávidas em conhecer a si mesmas, ansiando por uma informação que elas mesmas dificilmente perceberiam.

Pois a função da crítica é essa, chamar a atenção de alguém para algo que ele não percebeu em si próprio ou para algo que fez de maneira inadequada.

Por fim, não se descuide dos pensamentos, pois a maioria das críticas não chega a ser externada com palavras, ficando somente na esfera do pensamento.

Pensamento é energia, e o pensamento de crítica gera uma energia negativa pesada, que se divide entre você e o alvo da crítica.

E o resultado desse tipo de energia nunca é bom.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 05 de Agosto de 2015, 20:37


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-108.gif)

10º-)  Nós somos aquilo que pensamos

O espiritismo nos alerta insistentemente para que controlemos nossos pensamentos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Por que parece tão difícil?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Por que vigiamos nosso pensamento num instante e no momento seguinte já perdemos o controle e voltamos às ideias fixas, quase sempre tenebrosas?

●  Simples hábito, nada mais que isso.
●  Sim, é verdade que somos o que pensamos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Alguém tem coragem de afirmar que não?

Também é verdade que somos a soma de nossos hábitos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Sua vida não é uma constante repetição de procedimentos padronizados?

—  Desde o momento em que você acorda até a hora de dormir o dia é uma sucessão de hábitos:

●  Beber,
●  Comer,
●  Jantar, 
●  Almoçar,
●  Estudar,
●  Trabalhar,
●  Ler jornal,
●  Tomar café,
●  Ver televisão,
●  Ir ao banheiro,
●  Trocar de roupa,
●  Estar na internet,
●  Escovar os dentes...
 
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não são coisas que se repetem dia após dia?

A maioria delas é obrigatória, eu sei; a questão não é discutir os hábitos, mas reconhecê-los. Raramente fazemos coisas que fogem ao nosso padrão de comportamento, ao nosso hábito.

Mesmo o que você considera como exceção, se analisar bem, provavelmente não passa de um hábito que acontece mais espaçadamente, um hábito especial.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  De onde vêm nossos hábitos?

●  Do meio,
●  Da mídia,
●  Da criação,
●  Da infância,
●  De um monte de lugares.
●  De nós mesmos, muito pouco; quase nada.

Em algum momento de nossas vidas aprendemos algo, por obrigação ou não, e passamos a exercer esse aprendizado no cotidiano, a ponto de não mais questioná-lo ou meditar sobre ele. Apenas fazemos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Isso quer dizer que não somos responsáveis pelos nossos hábitos, já que a maior parte deles nos foi imposta?

Nem sempre temos escolha sobre o quê fazer. Em algum momento da vida, por exemplo, todos temos que estudar e trabalhar. Mas podemos escolher como fazer.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E de onde vem a escolha?

●  Do pensamento.
●  O pensamento é determinante.

Nós somos aquilo que pensamos. E nossos pensamentos são hábitos. Não percebemos que é o pensamento que constrói nossa vida, que é a partir do pensamento que se cria, se faz, se desenvolve.

Relegamos o pensamento a um canto escuro do cérebro, como se sua única utilidade fosse fazer aos outros, e com os outros, aquilo que não podemos ou não temos coragem de fazer.

Ao pensarmos, estamos projetando para fora de nós as formas exatas do que pensamos, incluindo os personagens reais ou fictícios de nossos desejos, sejam eles quais forem.

O pensamento jamais está escondido num canto escuro do cérebro. Ele é compartilhado por inúmeras outras mentes, de encarnados e desencarnados.

Quem tem por hábito o pessimismo cria ao seu redor uma nuvem negra que funciona como um ímã para espíritos doentios.

Sentimentos podres como ódio, inveja, ciúmes, sede de vingança, tornam os ambientes pesados e negativos.

Você já concordou que desde o momento em que acorda até a hora de dormir você é regido pelos hábitos.
E depois?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E quando adormece?

A soma de nossos pensamentos durante o dia é que determina para onde vamos e com quem nos relacionamos durante o sono.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Por onde você tem andado, quando dorme?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Que tipo de companhia seus pensamentos têm procurado, enquanto seu corpo físico repousa?



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 05 de Agosto de 2015, 20:56


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-107.gif)

11º-)  Qual o valor da sua opinião?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Até que ponto você é aferrado às suas ideias?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Qual o valor da sua opinião?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Quando você discute, aceita a opinião do oponente, ou está sempre com a razão?

Damos um valor imenso às nossas próprias opiniões, às nossas concepções acerca de tudo.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas você já se deu conta de que somos um tanto negligentes na formação de nossas ideias?

Sofremos influências de toda parte: mídia, religião, educação por parte dos pais, cultura local, de toda parte somos bombardeados com pacotes de ideias prontas. E as aceitamos quase sempre sem nos questionarmos.

Quantas vezes defendemos nossas ideias ou atitudes com um “sempre foi assim”!

Assim como adotamos uma ideia, ou gosto, ou opinião, os abandonamos; muitas vezes sem sentir, pois em grande parte das vezes são como produtos da moda, cumprem seu tempo e desaparecem sem deixar vestígios.

Mas basta alguém discordar de nós, ou apontar-nos um erro em nosso ponto de vista, que passamos a defendê-lo com unhas e dentes!

Repentinamente aquela opinião que mal sabíamos que existia, que provavelmente não foi sequer concebida por nós mesmos, mas tomada de empréstimo de alguém que julgamos importante, adquire um valor imenso, ficamos magoados e ofendidos por nos dizerem que estamos errados.

Será que é a nossa opinião que estamos defendendo tão ardorosamente, ou é apenas a velha conhecida vaidade que está vendo seu prestígio em risco?

Afinal, trata-se da minha ideia, da minha opinião, do meu ponto de vista.
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Tem certeza que é seu mesmo, ou foi imposto por alguém?

E, você sabe, tudo que é meu é importante, é intocável, é o melhor do mundo. Ó orgulho que domina homens e mulheres milênio após milênio!

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Quando iremos aprender a viver sem ti?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Quando começaremos a nos:

●  Valorizar sem nos acharmos os melhores,
●  A nos amar sem pensarmos que somos superiores,
●  A buscar o progresso sem sermos movidos pela ambição pessoal?




Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 05 de Agosto de 2015, 21:15


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-110.gif)

É preciso saber ceder

Devemos urgentemente aprender a respeitar a opinião alheia, o modo de ver do próximo.

Devemos deixar de lado a coleção de preconceitos que vamos acumulando com o tempo e dar tempo a nós mesmos de tentar compreender, ouvir, analisar desapaixonadamente o próximo. Porque normalmente nem sequer o deixamos concluir o que tem a expor.

Acostumamos-nos com nossas verdades, com nossos conceitos, pegamos carinho por eles, e mesmo que não nos sirvam mais, mesmo que nunca nos tenham servido para nada, não queremos abrir mão deles, porque são nossos.

Sabe aquela frasesinha:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “Com quem ele pensa que está falando?”

Pois é;
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  "Grande bosta com quem ele está falando"!

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Como podemos nos achar assim tão superiores, tão especiais em comparação com os outros?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Como aguentamos tanta prepotência em nós mesmos?

Tem uma dessas frasesinhas que eu alimentei por muito tempo em minha cabeça, por achá-la “forte”, só esperando uma oportunidade de usá-la. Ainda bem que nunca a usei.

É esta pérola:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “O que tu pensas ou deixas de pensar, e merda, pra mim á a mesma coisa”.
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não é uma graça?

Todos pensam, todos alimentam seus próprios pensamentos. Respeitemo-los. Vamos aprender a ouvir, sem ideias preconcebidas, sem aquele não preparado para ser disparado.

Você precisa saber dizer não, sempre que lhe quiserem impor algo contra a sua vontade. Mas nao confunda vontade com vaidade. É preciso saber ceder.

Ceder não é vergonha, na maioria das vezes é uma bela demonstração de grandeza e desprendimento. Não é feio perder uma discussão, feio é discutir. Toda e qualquer discussão é inútil, pois jamais se chega a um consenso.

Quando se inicia uma discussão, a única preocupação dos contendores é fazer prevalecer seus pontos de vista, e nem se dão conta de que, na ânsia de defenderem as ideias que lhes são tão caras, logo estão mentindo para si mesmos, exagerando, fugindo à proposta inicial.

É ridículo.
—  Você não acha?



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 07 de Agosto de 2015, 05:08

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-106.gif)

13º-)  Não envergonhe os outros!

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já se sentiu envergonhado?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já constrangeu alguém?

Devemos evitar ao máximo envergonhar as pessoas. Não envergonhe os outros!

—  Poucas coisas causam tantos ressentimentos quanto:

●  Envergonhar alguém,
●  Ferir os sentimentos de alguém,
●  Se for em público, então, o estrago é maior ainda.

Está certo que você pode fazer isso algumas vezes sem se dar conta, não é de propósito.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas será que não podemos meditar um instante para analisar se o conteúdo do que dizemos não pode machucar alguém?

Muitos de nós, a maioria, ainda é muito suscetível a mágoas e rancores.

Não devia ser assim, e estamos evoluindo, mesmo que vagarosamente, para um dia não nos melindrarmos tanto com a vaidade ferida.

Mas ninguém quer ser constrangido em público, nem você, que se julga num nível um pouquinho mais elevado.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Ah, não se julga?
—  Então desculpe.

Mas às vezes nos achamos assim. Até que somos colocados à prova, e percebemos que ainda falta muito… Mas já houve progressos, é o que importa.

—  O fato é que:

●  Ninguém gosta que comentem sobre seus defeitos,
●  Ninguém gosta de receber ordens autoritárias,
●  Ninguém gosta de ser repreendido duramente,
●  Ninguém gosta de ser criticado.

Não se trata de saber quem está certo e quem está errado.

Fazer alguém se sentir envergonhado, além de ser um dos modos mais fáceis e rápidos de conquistar um inimigo, nunca resolve nada; na verdade só complica ainda mais.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você percebe o que acontece quando uma criança é continuamente criticada?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você se dá conta de que a crítica a fere profundamente?

—  E você que é chefe, que tem subordinados:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Já criticou algum deles em público?

—  Não temos o direito de humilhar alguém perante si mesmo, muito menos perante os outros.

●  Ninguém quer ver suas falhas e fraquezas expostas ao vento;
●  Ninguém quer ser taxado de tímido, mesmo que se esconda atrás das paredes,
●  Ninguém quer ser tratado como burro, mesmo que às vezes se pareça com um.

Algumas vezes é difícil se colocar no lugar de alguém, mas não nesse caso.

—  Basta lembrar-se de uma:

●  Situação vergonhosa de que se foi vítima,
●  Um episódio de humilhação qualquer.

Todos já passaram por isso.

Uma repreensão desajeitada pode causar uma desilusão irreversível, pode estragar uma boa imagem.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você não se revolta quando vê alguma manifestação de preconceito, em que a vítima é tratada com desprezo?
—  Claro que sim!

Só que são os casos pontuais que provocam revolta. No dia-a-dia você  mergulha na correria e esquece que é civilizado, esquece que é espírito imortal em busca de experiência e aprendizado.

E que o respeito irrestrito ao próximo é uma das lições que devemos aprender, é uma das provas que devemos gabaritar.

—  Procure valorizar o que os outros têm de bom:

●  Em vez de envergonhar a pessoa falando de seus defeitos e erros,
●  Estimule-a ressaltando suas qualidades.

Se a repreensão for inevitável, e às vezes é, repreenda depois; primeiro elogie.

As flores precisam da luz do sol para desabrochar. As pessoas precisam do elogio para florescer. Todas elas, mesmo aquelas que parecem frias ou duronas. Sejamos mais cuidadosos e evitemos envergonhar as pessoas.

Todos nós temos uma gota de autoritarismo circulando junto com o sangue, mas depende de nós permitir ou não que esse defeito milenar venha à tona ou que seja definitivamente transformado.

Todos têm direito à dignidade, e somos nós, que estamos sempre buscando o aperfeiçoamento moral, que devemos fazer valer esse direito.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não é mesmo?



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 10 de Agosto de 2015, 00:33
 

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-101.gif)

14º-)  Como anda a sua tolerância?

Você é uma pessoa boa e sensível, tenho certeza.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas como anda a sua tolerância?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Como você lida com os erros e imperfeiçoes alheias?

É difícil desfazer um erro, às vezes impossível. E magoar ou aborrecer alguém não deixa de ser um erro. No entanto, são erros que cometemos mais vezes do que imaginamos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você não?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você mantém a paciência em casa, com os filhos, cônjuge, pais, irmãos?

—  Com:

●  A sujeira,
●  A bagunça,
●  A louça suja,
●  O desperdício,
●  O lixo misturado,
●  O xixi fora do vaso,
●  As roupas espalhadas,
●  Os riscos na pintura da parede.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Existe uma mulher que não odeie isso?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você aguenta no osso?

—  Que bom, parabéns!

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas e na rua?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você mantém a calma no trânsito?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Compreende que não adianta buzinar?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas, será que você lembra que xingar é feio?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  No restaurante, quando servem algo diferente do que você pediu, você é complacente, deixa assim mesmo, ou, quem sabe, reitera educadamente o pedido e aguarda paciencioso e sorridente?

Alguns dos lugares onde os funcionários são mais atormentados são supermercados e bancos (falar de hospital não vale).

—  Quantas vezes você já viu essa cena:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  A guria do caixa do supermercado com cara de fome e uma velha (tá bem, senhora idosa) gastando o verbo na pobre?

Banco, então, chega a ser estressante. Aquele monte de gente irritada descontando em quem estiver atrás de uma mesa ou balcão.

●  Não devemos nos deixar enganar.
●  Temos que defender nossos direitos.
●  Não somos obrigados a engolir sapos. 
●  Não temos nada com os problemas dos outros.

—  Peraí!
—  Também não é bem assim!
—  E a empatia, onde é que fica?

É importante saber se colocar no lugar do outro, avaliar-se hipoteticamente na situação do outro

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já se deu conta de que muitas vezes tratamos essas pessoas como meras peças do sistema?

●  São pessoas,
●  Tem sua família,
●  Têm seus anseios
●  Têm seus problemas,
●  Têm seus sentimentos...

... E muito provavelmente ganham menos que você e trabalham mais horas que você. Não estou justificando falhas alheias ou fazendo apologia altruístico-social.

Estou lembrando que devemos nos focar nas coisas boas, nos aspectos positivos de tudo, no lado bom da vida, do sistema e das pessoas.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E a outra face da moeda?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Quando você é bem atendido, elogia?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Quando é cumprimentado com um sorriso no supermercado ou no banco, você retribui com vontade?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Ou fica se achando muito ocupado pra forçar sorrisos?

—  Gentilezas acontecem, todos os dias, em toda parte. Preste atenção nelas.

●  Agradeça a boa educação no trânsito,
●  Agradeça ao garçom quando for bem atendido;
●  Se a comida estiver excepcionalmente boa, peça que agradeça ao cozinheiro.

Parabenize o funcionário do banco que lhe atender com solicitude e competência.

Principalmente, valorize aqueles com quem compartilha o seu pedaço mais importante do universo, a sua casa.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Difícil?

●  Temos que tentar,
●  Queremos crescer,
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não queremos?

Não temos o direito de magoar as pessoas. Não me fale em justiça, em certo e errado, não é disso que se trata.

Você ainda não percebeu que criticar não adianta?
A crítica não resolve, nunca resolveu.

O máximo que se consegue é gerar antipatia e talvez alguma inimizadezinha básica.

—  Ninguém gosta de ser criticado. Ninguém!

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você gosta?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Então?!

No entanto todos têm coisas boas.

Todos os dias você se depara com um monte de coisas boas e não as elogia, está viciado em resmungar e criticar.

—  Pense nas pessoas que você mais gosta.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Pensou?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  O que você lembra de melhor nessas pessoas?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não são os elogios que recebeu, mesmo que sem palavras?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Quantas vezes você já ouviu elogios de pessoas não muito próximas ou mesmo desconhecidas e nunca mais esqueceu delas?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não são boas essas lembranças?

Comece a elogiar mais e criticar menos, de preferência nunca mais critique ninguém. Não vai resolver nada, é só o luxo do desabafo.

E você vai magoar alguém que é uma pessoa, assim como eu, assim como você.


 
Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 10 de Agosto de 2015, 20:10


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-87.gif)

15º-)  Você se leva a sério?

E ainda por cima, acha isso uma virtude? Não há problema algum em ser sério, em apreciar as coisas sérias...

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas será correto levar a sério tudo o que se pensa, se acredita, se faz, se diz?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Será que assim você não se torna escravo de si mesmo?

—  Mas é preciso ser coerente, você argumenta, exasperado.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Coerente com o quê?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Com o seu passado?

Coerência é compromisso com o passado, ser coerente é agir de acordo com o que fala, falar de acordo com o que pensa, pensar de acordo com o que crê. É muito bom ter uma crença sólida.

—  É muito vantajoso ter uma:

●  Linha de pensamento bem definida,
●  Uma corrente de raciocínio bem estruturada.

Ajuda na hora de se expressar, sempre se encontra o que se quer na cabeça, as sinapses usadas são sempre as mesmas, fundas como trilhas indígenas na mata.

Claro que isso é exagero. Você precisa de uma base em que se apoiar ou seria uma  eterna metamorfose ambulante, como diria Raul.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas não é um exagero levar a si mesmo muito a sério?

Você não é dono da verdade, não sabe quase nada, não tem essa importância toda pra humanidade.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Então pra que se encher de dedos quando alguém discorda das suas ideias?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Cadê a humildade?

—  Nem precisa ir tão longe.
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Cadê o senso de humor?

A vida é muito mais bela, leve e solta do que carrancuda, austera e rabugenta. Cuidado com esse negócio de coerência. Hoje se tem falado muito em coerência, é artigo valorizado.

É importante praticar aquilo em que se crê ou que se prega aos outros. Fundamental, até.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas ficar escravizado a ideias bolorentas e conceitos mofados em nome da coerência?

Quando você aprendeu esses conceitos e adquiriu essas ideias você era uma pessoa, vivendo uma determinada etapa de sua vida, com algumas experiências, foi um contexto que não existe mais. Você é outra pessoa hoje.

Você é espírito imortal, mas a personalidade que anima hoje comporta vários personagens dentro de uma vida.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Ou você é o mesmo de dez, vinte, trinta anos atrás?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não, né?

Há ideias eternas. Mas até o modo de vê-las e interpretá-las muda. E precisa mudar.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já releu um livro muito tempo depois de lê-lo a primeira vez?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  O livro era o mesmo, mas não foi outra a sua visão a respeito dele?

Os conceitos são e precisam ser permanentemente atualizados.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Ou você prefere permanecer fiel aos conceitos vigentes à época em que leu o livro pela primeira vez em nome da coerência?

Não se leve tão a sério. Valorize-se, mas não seja chato. Aceite o diferente, o divergente. Ser coerente é ter todas as certezas, nunca pensar, falar ou agir de maneira inadequada ao que se crê. Nunca desviar do caminho, nunca sair do trilho.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Parece bonito, mas e as coisas novas?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Os novos conhecimentos que vão surgindo, pedindo adaptações nos planos, inevitáveis mudanças de opinião e adequação da trajetória?

Ser coerente a todo custo, no fundo, denota medo. Quem se leva muito a sério em nome da coerência teme o desconhecido, quer continuar pisando em terreno firme e conhecido.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Que é o medo senão um mecanismo de defesa que nos avisa que estamosrumando para o desconhecido?

Seja sério, se gosta dessa natureza. Mas não deixe de lado o senso de humor, a curiosidade pelas coisas novas ou simplesmente desconhecidas, pergunte-se, questione-se.

Quando você tiver resposta pra tudo talvez seja hora de se atualizar, aprender outras respostas para outras perguntas. Seu universo está se limitando, e isso é um passo para o fanatismo e para a intolerância.

Ninguém é assim tão inteligente, tão superior, que não precise aprender sempre mais, se refazer de tempos em tempos.

Nem aqueles seus ídolos e gurus da juventude sabiam tanto quanto desejavam saber, ou desejavam fazer crer que sabiam.

●  Somos dinâmicos,
●  Somos espíritos.
●  Somos imortais.




Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 14 de Agosto de 2015, 00:46


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-100.gif)

16º-) Todo mundo gosta de elogio! 
 

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você gosta que simpatizem com você?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você se sente bem quando nota que alguém tem carinho por você?

Todos nós ansiamos por simpatia. Todos nós queremos aceitação, queremos ser bem quistos e considerados.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você concorda?

A necessidade de aceitação começa a se manifestar logo na infância.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já notou as estripulias que uma criança faz para receber atenção e carinho?

As pessoas mais fortes, ou as que assim se consideram, podem discordar quanto à necessidade de aceitação por parte delas.

—  Mas e se elas experimentassem viver um tempo:

●  Sem elogios,
●  Sem bajulações,
●  Ou mesmo sem o mais puro respeito...

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  ... em forma de acatamento às suas proposições?

—  Se de um momento pro outro não tivessem mais:

●  Admiradores,
●  Nem seguidores,
●  Nem quaisquer pessoas preocupadas com o seu bem-estar?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Ficariam imunes à carência?
●  Eu me permito duvidar.

Não vale argumentar com exceções! Claro que há meia dúzia de iluminados que abrem mão de si em benefício dos outros, como se isso fosse a coisa mais normal do mundo. Mas são as exceções. A regra é que fortes e fracos precisam de aprovação, nem que seja como um reflexo de si mesmos.

Uma confirmação de que estão no caminho certo, de que permanecem firmes em seus propósitos. Você pode fazer o bem sem esperar nada em troca, nem o reconhecimento, mas o elogio lhe abre um sorriso mais franco e feliz… Não estou pregando que devemos esperar recompensas pelo bem que fizermos, ou que a caridade por si só não satisfaz a quem a pratica. Não é isso.

Mas não custa nada reconhecermos o quanto faz bem um agradecimento, um sorriso de simpatia, um elogio. Dirão talvez que isso alimenta a vaidade. Se uma pessoa se deixa envaidecer por um elogio sincero, poderá também amargurar-se com a falta de reconhecimento. Não custa lembrar que estamos longe da perfeição.

Elegemos modelos a seguir, temos um ideal de comportamento a ser alcançado, mas estamos longe desse patamar. Ninguém está falando de bajulação, de puxa-saquismo! Estou propondo que se elogie mais, mas elogios sinceros; sempre há o que se elogiar!

As pessoas são tão necessitadas de simpatia que quando não tem mais nenhuma maneira de chamar a atenção, apelam para as suas doenças e dores. Falam de seus acidentes, dão detalhes de suas cirurgias, dos remédios e seus efeitos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você conhece alguém assim?
●  Claro que sim, o mundo está cheio dessas pessoas.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Por quê?
●  Simplesmente porque não conseguem obter um pouco de simpatia de nenhum outro modo...

... A maneira que perceberam que funciona, mesmo que pouco, para conquistar algum apreço, ou mesmo pena, ou um sorriso desbotado que seja, é o queixume, a chorumela.

—  Experimente elogiar mais!

●  Elogiar,
●  Não puxar o saco.

Elogie sinceramente, veja o que a pessoa tem de bom, de positivo, e elogie! Você estará conquistando a simpatia de alguém ao mesmo tempo em que faz algo de bom.

●  Todos gostam de ser elogiados.
●  Todas querem o elogio.

Todos se sentem reconfortados e plenos ao receber um elogio sincero e carinhoso. Não se preocupe, você não estará colocando lenha na fogueira da vaidade.

Se existe alguém que não gosta de elogio, deve ser alguém amargo ou inseguro quanto à sua força moral. Além disso, dos defeitos humanos, a vaidade certamente não é dos mais graves. O excesso de vaidade, sim, é prejudicial.

—  Mas qual o problema em alguém:

●  Estudar,
●  Aprender com seu esforço
●  E gostar de ser reconhecido por isso?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Qual o problema de alguém gostar de se vestir bem, ter boa aparência?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Qual o problema de alguém ser simpático e agradável e popular e ser elogiado por isso?

O exagero no elogio é ruim, assim como o exagero na austeridade. Mas o elogio sincero é sempre bom, é uma demonstração de sensibilidade, uma manifestação de carinho e apreço feito por pessoas de bem com a vida, felizes e educadas.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  É ou não é?



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 14 de Agosto de 2015, 18:27


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-94.gif)

17º-)  O Próximo mais próximo

O próximo mais próximo está no lar. É no lar que estão nossos próximos mais próximos, é lá o laboratório terreno do espírito imortal.

Não saiba a sua mão esquerda o que dá a sua mão direita.

—  Você tem esse cuidado, de fazer o bem:

●  Sem ostentação,
●  Cumprir o dever sem reclamar.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Dar de si sem esperar reconhecimento?

Não é das regras mais fáceis de serem cumpridas.

Geralmente quando nos deparamos com essas normas de conduta, imaginamos sua aplicação em contextos específicos, fora das coisas comuns do dia-a-dia, e não nos damos conta de que elas devem ser aplicadas em primeiro lugar e principalmente no lar.

É lá que estão nossos próximos mais próximos, é lá o laboratório terreno do espírito imortal.

—  Cuidar dos nossos sem esperar:

●  Elogio,
●  Gratidão,
●  Ou reconhecimento.

Então, num momento de fraqueza, você acha que devia ser reconhecido por tudo o que faz, percebe que seu esforço nem sequer é notado, e se vê frente a frente com a tentação de dizer tudo, tudo o que você fez e faz sem ser notado, toda a energia que você dispensa em prol do outro em detrimento de si mesmo.

—  Não faça isso!

Se você cumpre seu dever em silêncio, se faz o que acha que deve ser feito e não exige nada em troca é porque você sabe que deve ser assim, impôs a si mesmo essa obrigação.

Vai chegar o dia em que fará isso tão naturalmente que não saberá direito o significado da palavra ingratidão. Mas enquanto você faz isso com esforço, não ponha tudo a perder num momento menos feliz!

—  Não saia enchendo a boca para contar todos:

●  Os pequenos sacrifícios que você faz,
●  Todas as pequenas injustiças a que você se sujeita,
●  E calado, sem murmurar, dia após dia, ano após ano.

Se aguenta isso normalmente, não é por causa de um atrito que você vai trair a si mesmo. Mate no peito mais essa, você consegue.

—  Mas tome cuidado para não:

●  Se achar herói,
●  Pobre sofredor injustiçado,
●  Ou você perde o mérito perante você mesmo.

Deus não nos dá um fardo que não possamos carregar, você sabe disso. Às vezes parece que o fardo subitamente dobra de peso, mas é passageiro. Na maioria das vezes somos nós que nos tornamos mais fracos e relapsos.

Precisamos nos fortalecer permanentemente a fim de suportar o tal fardo.

—  Que nos bons momentos nem fardo é, não passa de um pacotinho.

●  Nosso lar,
●  Nossa casa,
●  Nossa família...

... São os instrumentos que nos são disponibilizados para nossos ajustes, nosso aprendizado, nossas experiências mais profundas.

Se vencemos a nós mesmos dentro de casa, certamente não há o que temer lá fora. Claro que dói perceber que tanto desvelo anônimo não será percebido, que suas preocupações e cuidados existem só na sua própria realidade, não na dos outros.

Mas tudo tem sua razão de ser, e esse desinteresse, esse servir sem expectativa fortalece o caráter, a disciplina, a confiança em si mesmo.

E sabe-se lá o que você não andou aprontando em encarnações passadas pra esses mesmos que hoje lhe dão algum trabalho…

Sabemos que é dessa forma que se processam os reajustes imprescindíveis a ambas as partes. Raramente um lar é formado por um monte de espíritos bondosos e altruístas, reunidos para uma missão importante. Ainda estamos um pouco distantes desse patamar.

Quando digo um pouco é um pouco mesmo, acredito que nossa reencarnação atual, nesse período de transição importante por que passamos, é determinante para nosso aprimoramento.

Estamos tendo uma oportunidade ímpar de aprendizado, novas experiências e superação de antigas revoltas e inimizades.

Então segure a onda, sufoque o orgulho ferido, que ele não vale nada mesmo.

—  E continue fazendo aquilo que intimamente sabe que deve ser feito, sem se preocupar:

●  Com ingratidão,
●  Com recompensas,
●  Ou com reconhecimento.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 14 de Agosto de 2015, 19:03


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-89.gif)

18º-)  O Espiritismo e a Saudade

O espiritismo é uma doutrina consoladora, por nos demonstrar a continuidade da vida após a separação terrena.

Mas devemos reconhecer que o fato de sabermos que a vida continua não ameniza a saudade, pois é difícil superar o silêncio. Esse silêncio que dói e que não é preenchido por nada.

Talvez se tivéssemos em mente, se nos lembrássemos com frequência, que todos aqueles que amamos um dia vão partir da matéria, muitos deles antes de nós, talvez então os valorizássemos mais, talvez então notássemos mais as suas virtudes e menos os seus defeitos.

Mas isso também vale para quem, por algum motivo, esteja afastado dos seus.

É claro que então a saudade ainda dói, mas ao mesmo tempo alenta, porque o reencontro não depende de que todas as pessoas estejam novamente no mesmo plano… Sem contar que hoje temos o auxílio inestimável da tecnologia.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não é a mesma coisa?
Claro que não, mas pouco tempo atrás não existia, não havia esse consolo.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Algum tempo atrás, quem imaginaria ver suas pessoas queridas pelo webcam, estando em praticamente qualquer lugar do mundo?

Uma coisa a ser evitada nos momentos de saudade é justamente pensar nela. Antes de deprimir-se, é melhor se manter ocupado com coisas úteis.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não há um monte de coisas que deixamos pra fazer quando tivermos tempo?

Pois que se aproveite o espaço vazio deixado pela saudade para ocupar-se com essas coisas. A palavra saudade só existe na língua portuguesa, e sua etimologia é a mesma da palavra solidão.

E são realmente sentimentos que se confundem. Pois a solidão também pode ser aproveitada para coisas que em outras ocasiões e circunstâncias não seriam possíveis. É na solidão que entramos em contato com nós mesmos, com nosso universo interior.

Na solidão podemos encontrar respostas seguras para as incertezas que alimentamos, e esse contato com nosso íntimo é que nos dá coragem para enfrentar as dificuldades da passagem pela Terra.

Quando estiver de braços com a saudade, não permita que ela se transforme numa prisão emocional, impedindo que você saiba aproveitar os dias que de repente ficaram mais compridos...

▬  Impedindo que você:

●  Domine o seu pensamento,
●  Que você domine as lágrimas,
●  Que você domine o desânimo que bate à porta ameaçadoramente.

Não! Todos os períodos da vida são importantes, nenhum se repete, com toda a certeza um dia a oportunidade de aprendizado e vivência desse momento da sua vida lhe será cobrado, e é bom que você tenha aproveitado.

▬  Seja útil:

●  A você,
●  Aos outros,
●  Aos que ficaram.

E quando puder estar novamente ao lado das pessoas que ama, aproveite ao máximo.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Viva cada detalhe, cada momento; sabe-se lá quando terá outro abraço como esse?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  É triste?

▬  Talvez.

●  Seria pior se não houvesse o reencontro nesta vida;
●  Pior ainda se não houvesse amanhã.

Mas a vida é um dia depois do outro, cada um deve ser aproveitado ao máximo, com saudade ou sem saudade.

Quanta oportunidade um dia nos oferece! Que o vazio da ausência seja preenchido com bons pensamentos e atividades construtivas.

E que se aproveite essa oportunidade de aprendizado para, no decorrer dessa vida e pela eternidade, darmos o devido valor às coisas simples, que não exigem nada de extravagante para serem feitas, basta a presença daqueles que amamos.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 14 de Agosto de 2015, 20:12


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-88.gif)

19º-) Falar mal dos outros

Falar mal dos outros é um erro nojento.
 
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “O espírita é reconhecido pelo esforço que faz para sua transformação moral e para vencer suas tendências para o mal.” Esta definição de Allan Kardec descreve aquilo que deve ser nosso propósito diário, habitual.
 
Um efeito colateral da busca constante pelo aperfeiçoamento é a consciência cada vez mais clara de nossas imperfeições, das falhas que cometemos indiscriminadamente, sem pensar.
 
Não me refiro aos grandes dilemas existenciais, característicos de cada um, bagagem que cada um de nós carrega como responsabilidade sua.
 
Falo das pequeninas coisas, picuinhas que normalmente nos passam despercebidas, mas que, quando nos habituamos ao autopoliciamento, tornam-se visíveis para nós, acionam o sinal de alerta da consciência.
 
Durante a maior parte da vida tentei ser conciliador, quase sempre sem sucesso e muitas vezes sem muita ênfase. O ser humano, pelo menos a classe à qual pertenço, tem o costume pérfido e grotesco de falar dos outros pelas costas.
 
Já me causou muito desgosto ouvir um amigo ou colega falando mal de outro. Depois esse outro fala mal do um. E seria ingenuidade pensar que ambos não falam mal de mim.
 
Muitas vezes tentei evitar, contrabalançar os defeitos apontados com qualidades notórias ou nem tanto, mas a verdade é que nunca me empenhei realmente para isso.
 
A verdade é que esse é um costume tão arraigado à sociedade que chega a ser bem aceito, e não é tão simples dizer a todos que se quiserem falar mal dos ausentes que o façam em suas respectivas presenças.
 
Certamente todos se melindrariam e quadruplicariam a falação relativa a mim. Isso se não se ofendessem abertamente com tamanha desfeita.
 
—  Sei que há pessoas que lidam melhor com esse tipo de situação:
 
●  São pessoas com tato,
●  Que sabem dizer as coisas com brandura e um sorriso nos lábios.
 
—  Seja o assunto que for:
 
●  Pessoas que têm o dom da persuasão,
●  Pessoas que não se exaltam com facilidade.
 
Ainda não é o meu caso. Mas eu chego lá. Já é uma grande coisa eu não ter esse hábito. Quer dizer, não tão arraigado. Um dia desses tive uma recaída.
 
Talvez em outro período de minha vida isso passasse despercebido, ou, se percebesse, não se tornaria num incômodo. Mas tenho me policiado, prestado atenção aos meus pensamentos, palavras e ações. Nesse dia escapou.
 
E não foi nada grave; também não estou morrendo de remorso. Mas percebi. Notei um erro, um erro que recrimino nos outros e que me dá nojo.
 
É que às vezes adotamos, mesmo que não deliberadamente, um estado de espírito em que nos permitimos extravasar um pouco de nossas mazelas, como se tivéssemos o direito de perturbar o ambiente com pensamentos desarmoniosos ou de fazer os ouvidos alheios de penico.
 
Sejamos mais fortes que isso. Tenhamos sempre em mente que somos pequenina peça de uma engrenagem colossal.
 
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Isso o torna menos importante aos seus próprios olhos?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Saber que você é um entre incontáveis outros como você o diminui?
 
Claro que não. Somos perfectíveis, temos uma infinidade de possibilidades dentro de nós, uma melhor que a outra. Façamos a nossa parte.
 
Se o melhor de mim é pouco, que ao menos eu me detenha antes de praticar o que há de menos bom em mim. Não é porque um mau hábito é aceito sem discussão que temos o direito de compartilhar dele.
 
Rebaixamos-nos, ao fazer algo que intimamente execramos. E nada é mais degradante do que pegar nojo de si mesmo.

 

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 14 de Agosto de 2015, 20:16


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-73.gif)

20º-)  O domínio do pensamento e a reforma íntima

É preciso ter o domínio do pensamento. É pelo domínio do pensamento que trabalhamos a reforma íntima.

—  O espiritismo deixa claro que é através do pensamento que atraímos os espíritos:

●  Bons pensamentos atraem bons espíritos,
●  Maus pensamentos atraem maus espíritos.

—  Não me corrija, dizendo que:

●  Não são bons e maus,
●  Que são mais adiantados ou menos adiantados.

Na prática dá no mesmo, e a aplicação do pensamento é essencialmente prática. Existe uma cacetada de livros sobre o poder da mente, pensamento positivo, mente subconsciente.

Nenhum deles explica como funciona o poder de atração do pensamento, ou o poder criador do pensamento, apenas demonstram com exemplos e argumentos lógicos que o poder existe e funciona.

Allan Kardec escreveu na Revista Espírita de dezembro de 1864 que o pensamento age sobre os fluidos ambientes como o som age sobre o ar.

André Luiz na obra Nos Domínios da Mediunidade afirma que o pensamento exterioriza-se e projeta-se, formando imagens e sugestões que arremessa sobre os objetivos que se propõe atingir.

O espiritismo prega antes de mais nada a reforma íntima, ótimo.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Quem disse que uma coisa exclui a outra?

É justamente pelo domínio do pensamento que trabalhamos a reforma íntima. Claro que pensamento e intenção sem iniciativa e ação de pouco adiantam. É preciso aliar a força do pensamento à determinação na prática.

●  O pensamento cria,
●  O pensamento renova,
●  O pensamento transforma.

Não podemos esquecer que todo processo criativo, bom ou mau, antes de ser posto em prática foi criado em pensamento. O pensamento elevado é oração.

O pensamento edificante e honesto vale mais que um amontoado de palavras ditas da boca pra fora.

O pensamento íntegro e construtivo evita uma série de pequenas quedas cotidianas que, somadas, fazem de nós pessoas fracas.

—  Permanentemente necessitadas de:

●  Ajuda exterior,
●  Maníacos por passes,
●  Bebedores de água fluida.

Não é deboche. Há grande valor na água fluidificada e nos passes.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas depender deles a vida inteira?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não seremos capazes de ativar nossas próprias energias?

Claro que sim, basta querer, querer de verdade, e exercitar. Nada na vida se aprende ou se adquire sem exercício e sem esforço. E é isso que nos fortalece. O confronto com nós mesmos, a vitória sobre nós mesmos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você é do tipo que se compara com os outros?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Já experimentou se comparar a si mesmo?

Compare-se com o seu melhor e com o seu pior, veja, perceba como é grande o abismo que separa um do outro. Temos possibilidades opostas dentro de nós.

—  E extremas.

●  Quem decide o que fazer com suas possibilidades é você.
●  Quem faz a sua reforma íntima é você mesmo, por isso é íntima.

É lógico que precisamos manter o foco, e isso dá trabalho, por nossa incipiência no assunto. Mas é um trabalho bom, que rende frutos na exata proporção de nosso esforço pessoal, que nos enobrece e alegra.

—  Recuse-se a ser hipnotizado pela propaganda:

●  Da dor,
●  Do carma,
●  Da doença,
●  Da fraqueza, 
●  Da expiação,
●  Da provação,
●  Do sofrimento.

Todos nós já enfrentamos problemas sérios, sabemos o quanto é difícil acreditar em algo positivo nesses momentos. Parece falta de respeito falar de superação de dificuldades com quem está passando por um momento angustiante.

A esses espero que enfrentem o problema, não somente passem por ele. Você pode muito mais do que vem fazendo até agora, não importa o quanto já tenha feito.

—  Sempre pode e deve ser melhor.

●  Reforme-se!
●  Reformemo-nos!

Vamos dominar os nossos pensamentos. Eles partem de nós, e só terão vida própria se os permitirmos a isso.

—  Não esqueça, o pensamento é seu:

●  Você manda,
●  Ele obedece.




Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 14 de Agosto de 2015, 22:51


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-74.gif)

21º-)  A intimidade em família

A vida em família proporciona uma intimidade nem sempre benéfica. O espiritismo considera a família como um grupo de espíritos ligados por desajustes ou necessidades de aprimoramento, um laboratório de experiências reparadoras.

A proximidade, o compartilhamento do espaço, e principalmente o conhecimento a fundo das pessoas que nos são mais próximas possibilita um convívio sem máscaras.

Na vida social as máscaras são úteis e até necessárias à medida que longe estamos todos nós de um patamar evolutivo onde possamos nos mostrar permanentemente como somos sem ferir os que nos rodeiam.

Então encarnamos personagens, na melhor das hipóteses não muito diferentes do que somos em realidade

Mas no lar reina a espontaneidade, e quando tiramos a roupa ao chegar em casa tiramos também a máscara. E aí se mostra a outra face do pacato cidadão em sociedade.

As pessoas economicamente ativas, na maior parte das vezes, passam mais tempo no trabalho do que em casa. E raramente o comportamento é o mesmo nesses dois ambientes, casa e trabalho.

●  O funcionário humilde e cabisbaixo pode ser um pai rigoroso e severo em casa,
●  A executiva exigente de uma organização mostra-se frágil e sem pulso no lar,
●  O chefete autoritário não é respeitado por ninguém onde habita.

Mas o lado realmente nefasto das relações domésticas é a intimidade desrespeitosa que se cria com o tempo em muitas famílias.

●  Tratam-se por apelidos pejorativos,
●  Procuram defeitos uns nos outros,
●  Numa disputa baixa e cruel...

... Em que a maneira de elevar-se é rebaixando o próximo.

Você já parou pra pensar que não se dá a liberdade de fazer certas brincadeiras com colegas e amigos:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Mas só com os familiares?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Que outra pessoa provavelmente se magoaria ou aborreceria com tais liberdades?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você, pessoa de boa índole e bons modos, já percebeu que é em família que você se permite eventuais deslizes?

Que em casa você se despe do verniz social que o torna bem aceito pela sociedade:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E deixa transparecer o que há de podre em você?

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  No entanto, você ama sua família, não ama?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  As pessoas que você mais ama não são justamente aquelas que fazem parte da sua família?

Se tivéssemos pelos colegas e amigos, pelas pessoas em geral, o mesmo afeto que temos por nossos familiares, e se tivéssemos pelos nossos familiares o mesmo respeito e noção de distanciamento que temos pelos outros, as relações estariam mais próximas do razoável.

—  Mas não, o abuso e o desrespeito é mais comum exatamente para com:

●  Aqueles que amamos,
●  Aqueles que nos são mais caros.

E aos outros, aos quais respeitamos mais e mantemos um certo distanciamento discreto, raramente dedicamos qualquer sentimento maior que a simples simpatia.

Talvez a explicação para esse fenômeno seja justamente o fato de que formamos as famílias em busca de reparação de erros pretéritos, como forma de aprendizado conjunto que às vezes vem de milênios!

Você sabe que é muito raro o caso de uma família unida unicamente por laços de simpatia e interesse afins.

Mas o conhecimento de que há uma causa milenar gerando efeitos em nosso cotidiano, não nos isenta da responsabilidade de tentar, todos os dias de nossas vidas, vencer a nós mesmos.

Você não pode, nós não podemos nos esquecer de que o objetivo maior de estarmos aqui é a superação dessas fraquezas que tanto aborrecimento nos causa, e não há fórmula mágica...

—  Apenas o bom e velho exercício:

●  Da tolerância, e do respeito,
●  Da paciência, e do amor.

Essas coisas todas que já sabemos, mas que precisamos estar sempre lembrando, sempre trazendo à mente, até que, um dia, passem a fazer parte de nossas características de espírito imortal.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 14 de Agosto de 2015, 22:56


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-68.gif)

22º-)  Ninguém precisa de Guru

O espiritismo não é invenção de nenhum guru, não saiu da cabeça de algum líder predestinado, de nenhum dono da verdade.

●  O espiritismo está em nossa consciência.
●  Ninguém precisa de guru.

●  O espiritismo não tem gurus.
●  São as pessoas que inventam profetas e gurus.

Muitas pessoas sentem necessidade de abalizar suas crenças e convicções sob o caráter inquestionável de um mestre, um dono da verdade.

Incapazes de estabelecer suas próprias verdades, através de estudo e raciocínio, preferem a receita de bolo infalível, de fácil preparo mas de nutrição duvidosa.

Um bom exemplo de como as pessoas são sugestionáveis e influenciáveis é a imprensa, especialmente o chamado jornalismo de opinião.

—  Se o público-alvo:

●  Leitor,
●  Ouvinte,
●  Internauta,
●  Telespectador...

... Concordar com três ou quatro ideias fortes e contundentes do dito jornalista, muito provavelmente acabará concordando com tudo o que ele diz, sem se questionar.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Como é que você vai concordar com algo sem questionar?

—  Como é que você vai aceitar como verdade qualquer coisa dita por qualquer pessoa, só porque essa pessoa:

●  Se expressa bem,
●  Ou porque se destaca em determinada área...

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Ou ocupa uma posição importante na sociedade?

Ninguém pode ditar as regras da sua consciência. A sua consciência, como a minha, como a de todas, já tem as suas regras, não precisa de outras.

●  Ouça a sua consciência,
●  Escute a sua voz,
●  Dê ouvidos a ela.

Preste atenção ao que ela diz. Aquela voz lá do fundo, lá, detrás de todas as outras, que são muitas, na sua cabeça; aquela voz lá no fundão é a sua consciência.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você não costuma ouvi-la?

Ela não é muito popular, simpatia não é o seu forte. É que a verdade nem sempre é agradável, nem sempre faz sucesso.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não dizem que a verdade dói?

●  Não aceite as verdades da sociedade,
●  Não aceite as verdades dos gurus.
●  Não sem se questionar.

Dentro do próprio espiritismo há um monte de gurus. Não por culpa deles, que nenhum deles se auto proclamou como guru...

—  Mas porque as pessoas os elegem como gurus, como elegem:

●  Um vereador,
●  Ou a musa do verão,
●  Ou síndico do prédio.

Allan Kardec é tido por muitos como uma espécie de papa do espiritismo. Outros preferem Ramatis, ou Chico Xavier, ou André Luiz.

É claro que temos preferência pelas ideias de um ou de outro, pelo modo de ver, pela maneira de ensinar. Mas não podemos nunca deixar de nos questionar. Não podemos comprar verdades prontas.

Um que prega algo parecido é o dissidente Waldo Vieira, que diz para não acreditar em nada, para termos nossas próprias experiências. No entanto, nunca vi alguém tão dono da verdade e que atira pra tudo quanto é lado como ele.

Mas nada me obriga a aceitar suas verdades como minhas ou a levar a sério tudo o que ele diz. Mas que ele faz pose de guru, faz.

Tem coisas muito úteis na conscienciologia ensinada pelo Waldo, como tem muito de útil e verdadeiro e digno e bonito no que ensinam os demais mencionados.

Eles são como você, espírito imortal! Talvez mais adiantados, mais experientes. Mas como você, como nós. Filhos de Deus perfectíveis e ainda sujeitos a falhas.

—  Vamos aprender a pensar com nossas próprias cabeças.

●  Questione,
●  Pesquise,
●  Pergunte,
●  Conclua.

—  Ou apenas pense.

Só não se deixe levar pelo cabresto da verdade única, não se deixe manietar por quem tem preguiça de pensar e quer rebanho dócil que aceite verdades prontas e não faça perguntas.

●  O estudo não tem fim.
●  Se quisermos saber mais, temos que estudar mais.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 15 de Agosto de 2015, 04:55


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-63.gif)

23º-)  Existe crítica construtiva?

Com a medida que medimos somos medidos…

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você costuma ser crítico?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você acha que existe crítica construtiva?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você, pessoa maravilhosa, cheia de virtudes, nota com facilidade os defeitos alheios?

Sei que não é o seu caso, mas há pessoas viciadas em criticar. Sempre fariam melhor o que outra pessoa fez. Hoje se valoriza muito o que se convencionou chamar “crítica construtiva”. Tenho sérias dúvidas a respeito do que se possa construir a partir de uma crítica.

—  O fato é que ninguém gosta de ser criticado:

●  Nem você,
●  Nem eu.

Mas apreciamos a sinceridade, a honestidade ao manifestar opinião.

Quando queremos saber algo relevante a respeito de nós mesmo, deveríamos perguntar a alguém que não simpatize conosco, pois um amigo raramente será sincero correndo o risco de nos desagradar.

Não convém esquecer que com a medida que medirmos seremos medidos, palavras do mestre em sua sabedoria eterna.

Complicado é aquele tipo de pessoa que critica quem se desvela e mima um animal de estimação, alegando que tais cuidados deveriam ser dispensados a uma criança:

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “Tanta criança abandonada e fazem até hotel pra cachorro”.

●  Só que essas pessoas nem adotam a criança,
●  Nem cuidam do cachorro…

Ou aquele que critica a obra pronta mas nunca está presente para ajudar. Enfim, são os tipos humanos, não somos assim tão diferentes. Mas devemos tomar cuidado com as críticas.

Se é verdade que é com as críticas que construímos e reajustamos a rota, não é menos verdade que são essas mesmas críticas que entopem nosso subconsciente desde a mais tenra infância até nos fazer acreditar em todas elas.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já observou como se critica uma criança o tempo inteiro?

—  Na intenção de educar e impor limites, aliás necessários:

●  Tudo é feio,
●  Tudo é errado,
●  Tudo não pode,
●  Tudo é perigoso.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E os xingamentos que uma criança ouve dos pais ao fazer qualquer coisa errada ou considerada como tal?

Preste atenção ao tratamento costumeiro que as crianças recebem,
Entenderá melhor porque os adultos são tão problemáticos.

Mas nós não somos mais crianças.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você não é, né?

O que está feito, está feito. O que podemos fazer é procurar criticar menos, e não confundir franqueza com grosseria, espontaneidade com falta de educação. A grande maioria se magoa com as críticas.

Dificilmente alguém não vai levar para o lado pessoal, até porque isso é uma grande bobagem.

—  O profissional é uma pessoa:

●  O artista,
●  O colega,
●  O escritor,
●  Todos são pessoas...

... E são pessoas o tempo inteiro, mesmo ao exercerem sua atividade criticada.

Se for imprescindível a crítica, que seja feita com cuidado.
Tente se colocar no lugar do outro e sentir como ele se sentiria.

E delimite muito bem o alvo da crítica.

—  Ela deve ser dirigida exclusivamente:

●  À ação,
●  Ao fato, 
●  Ou atitude,
●  Jamais à pessoa.

Nem sempre é possível, mas convém tentar. Ainda somos muito suscetíveis, cheios de melindres. Talvez daqui a cinquenta anos um assunto como este já esteja ultrapassado.

As pessoas sejam menos orgulhosas e mais ávidas em conhecer a si mesmas, ansiando por uma informação que elas mesmas dificilmente perceberiam.

Pois a função da crítica é essa, chamar a atenção de alguém para algo que ele não percebeu em si próprio ou para algo que fez de maneira inadequada. Por fim, não se descuide dos pensamentos, pois a maioria das críticas não chega a ser externada com palavras, ficando somente na esfera do pensamento.

Pensamento é energia, e o pensamento de crítica gera uma energia negativa pesada, que se divide entre você e o alvo da crítica. E o resultado desse tipo de energia nunca é bom.




Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 15 de Agosto de 2015, 05:08

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-67.gif)

24º-)  Nós somos aquilo que pensamos

O espiritismo nos alerta insistentemente para que controlemos nossos pensamentos.
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Por que parece tão difícil?

Por que vigiamos nosso pensamento num instante e no momento seguinte já perdemos o controle e:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Voltamos às ideias fixas, quase sempre tenebrosas?

Simples hábito, nada mais que isso.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Se é verdade que somos o que pensamos, alguém tem coragem de afirmar que não?, também é verdade que somos a soma de nossos hábitos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Não?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Sua vida não é uma constante repetição de procedimentos padronizados?

—  Desde o momento em que você acorda até a hora de dormir o dia é uma sucessão de hábitos.

●  Jantar,
●  Jornal,   
●  Bebida,
●  Comida,
●  Estudar,
●  Internet,
●  Almoçar,
●  Trabalhar,
●  Televisão,
●  Tomar café,
●  Ir ao banheiro,
●  Trocar de roupa,
●  Escovar os dentes.

Não são coisas que se repetem dia após dia?

A maioria delas é obrigatória, eu sei, a questão não é discutir os hábitos, mas reconhecê-los. Raramente fazemos coisas que fogem ao nosso padrão de comportamento, ao nosso hábito.

Mesmo o que você considera como exceção, se analisar bem, provavelmente não passa de um hábito que acontece mais espaçadamente, um hábito especial.

—  De onde vêm nossos hábitos?

●  Do meio,
●  Da mídia,
●  Da criação,
●  Da infância,
●  De um monte de lugares.

De nós mesmos, muito pouco; quase nada. Em algum momento de nossas vidas aprendemos algo, por obrigação ou não, e passamos a exercer esse aprendizado no cotidiano, a ponto de não mais questioná-lo ou meditar sobre ele. Apenas fazemos.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Isso quer dizer que não somos responsáveis pelos nossos hábitos, já que a maior parte deles nos foi imposta?

Nem sempre temos escolha sobre o quê fazer. Em algum momento da vida, por exemplo, todos temos que estudar e trabalhar. Mas podemos escolher como fazer.

—  E de onde vem a escolha?

●  Do pensamento.
●  O pensamento é determinante.

Nós somos aquilo que pensamos. E nossos pensamentos são hábitos. Não percebemos que é o pensamento que constrói nossa vida, que é a partir do pensamento que se cria, se faz, se desenvolve.

Relegamos o pensamento a um canto escuro do cérebro, como se sua única utilidade fosse fazer aos outros, e com os outros, aquilo que não podemos ou não temos coragem de fazer.

Ao pensarmos, estamos projetando para fora de nós as formas exatas do que pensamos, incluindo os personagens reais ou fictícios de nossos desejos, sejam eles quais forem.

O pensamento jamais está escondido num canto escuro do cérebro. Ele é compartilhado por inúmeras outras mentes, de encarnados e desencarnados.

Quem tem por hábito o pessimismo cria ao seu redor uma nuvem negra que funciona como um ímã para espíritos doentios.

—  Sentimentos podres como:

●  Ódio,
●  Inveja,
●  Ciúmes,
●  Sede de vingança,
●  Tornam os ambientes pesados e negativos

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você já concordou que desde o momento em que acorda até a hora de dormir você é regido pelos hábitos?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E depois?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E quando adormece?

A soma de nossos pensamentos durante o dia é que determina para onde vamos e com quem nos relacionamos durante o sono.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Por onde você tem andado, quando dorme?
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Que tipo de companhia seus pensamentos têm procurado, enquanto seu corpo físico repousa?




Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 20 de Agosto de 2015, 00:05


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-62.gif)

25º-) O sentido da oração

Você sabe qual é o verdadeiro sentido da oração? Um dos erros que mais percebo é que muitas pessoas pensam que não há relação alguma entre Deus e prosperidade.

Minha visão de Deus, na infância, também era mais ou menos assim. Uma associação de virtude com pobreza.

—  A energia no Universo é infinita, e essa mesma energia está:

●  Em mim,
●  Em você,
●  Em cada um de nós.

Nós, como filhos de Deus, temos o poder de manipular essa energia a nosso favor. Não há nada mais forte e poderoso na Terra do que o espírito imortal.

A natureza obedece cegamente às Leis que a regem. Sempre. Sem escolha. Nós, pelo nosso livre-arbítrio, podemos escolher, crear, nos desenvolvermos em todos os sentidos.

É uma pena que apenas uma pequena parcela da humanidade esteja apta a perceber que tudo no Universo é energia, e que temos poder sobre essa energia. Com Vontade determinada, temos o poder de mudar a nós mesmos e ao ambiente em que vivemos.

Talvez a maior preocupação das pessoas em geral seja com os bens materiais, com o dinheiro. Como a maioria das pessoas perdeu a confiança em si mesma, não é coisa muito fácil modificar sua situação econômica.

No entanto, a Vida está cheia de exemplos de pessoas que superaram as próprias dificuldades materiais graças à mudança no padrão de pensamentos.

Para tudo na vida as Leis de Deus são o guia seguro. Observe uma por uma das pessoas que superaram situações de pobreza material e verá que elas transformaram pensamentos vitoriosos em ação. Muita ação.

Estamos neste planeta para agir. Orar e se queixar da sorte não resolve nada. A oração e os pensamentos construtivos devem ser acompanhados de ação, disciplina, persistência e determinação.

Isso tanto vale para a reforma íntima quanto para as questões materiais. O Universo é energia abundante, a Natureza é pródiga e abundante. Tudo o que precisamos já existe, inclusive os bens materiais que almejamos.

A parte mais difícil já foi feita, que é a invenção das coisas que nos facilitam a vida. Todo o conforto, todos os recursos tecnológicos que conhecemos estão à nossa disposição há pouco tempo.

Você não precisa ser um gênio e criar aparelhos para a sua comodidade. Eles já existem. A Natureza entrou com os recursos, o homem participou com a invenção. A você compete apenas adquiri-los a custo do seu trabalho.

Recebe quem está aberto para receber.

—  Isso vale:

●  Para a paz,
●  Para o amor,
●  Para os ensinamentos,
●  Para os recursos materiais.

O planeta nos oferta tudo de que precisamos em nosso estágio evolutivo. Com as mãos fechadas você não receberá nada. É preciso estar receptivo, é preciso estar com as mãos em concha, disposto a receber.

Esse é o sentido da oração, da comunhão com Deus. Deus sabe do que precisamos. Quando oramos, não estamos informando Ele sobre nossos planos. Ele sabe disso tudo.

—  Quando oramos estamos nos predispondo a receber, estamos entrando num estado:

●  De receptividade,
●  De passividade,
●  De aceitação.

Quando oramos criamos em nós mesmos as condições necessárias para atrair o que pedimos.

Se prosperidade não estivesse nos planos de Deus, a Natureza não seria tão abundante. Não há nada de mal nas conquistas materiais.

—  O mal não está em:

●  Possuir bens,
●  Mas em ser possuído por eles.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 07 de Setembro de 2015, 18:59
             

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-70.gif)

26º-) O sexo casual numa visão espírita

Atualmente o sexo casual é aceito por boa parte da sociedade, mesmo por alguns conservadores. O artigo que segue é uma opinião espírita sobre o tema. Quem quiser consultar doutrina, procure as questões 696 e 701 do Livro dos Espíritos.

Há algum tempo sexo era tabu e quem desafiasse esse tabu era mal visto pela sociedade. Mulheres deviam casar virgens. Muitas desgraças familiares, muitos suicídios foram cometidos por mulheres que se deixaram seduzir e engravidaram.

Era tão estupidamente grande a vergonha de ser mãe solteira, condenada ao preconceito e falatório para o resto da vida; era tão assustadora a ideia de encarar um pai ultrajado com isso que era considerada a maior vergonha possível, que muitas preferiam dar fim à própria vida.

Muitos abortos clandestinos e perigosos, muitas mulheres especializadas em tirar a vida que se formava nos ventres jovens de mulheres que não conseguiram superar o desejo.

Muitos filhos bastardos, nunca reconhecidos, apartados da vida digna e normal. Muitos casamentos forçados na última hora, para evitar que o escândalo de uma gravidez sujasse o nome da família.

Muitos casamentos arranjados apenas por interesse dos pais ou para evitar que as filhas ficassem solteiras além do tempo e perdessem o ensejo de arranjar um marido.

—  E com isso:

●  O desgosto,
●  O nojo do sexo,
●  A falta de amor e carinho.

Duvido que a geração de agora saiba o que significava tudo isso.

Porque hoje a política sexual vigente é exatamente o contrário; hoje o jovem é pressionado a iniciar sua vida sexual cada vez mais cedo, a experimentar o máximo de relações sexuais, a transitar entre pessoas dos dois sexos.

Vivemos uma ditadura sexual.

—  Talvez muitos pais não tenham consciência do que ocorre:

●  Nas ruas,
●  Nas escolas,
●  Em suas próprias casas.

Em qualquer contato íntimo entre pessoas há troca de energias. Os adolescentes não imaginam que ficar com alguém não é algo apenas momentâneo. Eles ficam durante minutos ou horas, com ou sem relações sexuais.

Mas as energias e as companhias espirituais dos ficantes transitam livremente. O sexo forma uma ligação energética entre os parceiros que se estende por muito tempo. 

O sexo casual é tido como uma atividade adulta, livre, em que o único cuidado, se houver, é na prevenção de doenças.

Tratam isso como se fosse um avanço, uma grande conquista da civilização, quando na verdade se trata de uma tirania dos instintos. O sexo pelo sexo é um retorno à animalidade.

Sexo sem afeto é instinto animal. Os praticantes do sexo casual não gostam de pensar a respeito. Ninguém gosta de reconhecer suas fraquezas, analisá-las e questioná-las.

Acham que quem tem opinião contrária à sua é moralista.

Não conheço nenhuma  – nenhuma! – pessoa que se entregue a quantos parceiros se lhe apeteçam, durante a vida, que não sofra a partir de uma determinada idade.

Quando o tesão começa a diminuir e a pessoa percebe que não formou afetos, só erotismo, o vazio aperta, o desgosto pela vida, a depressão.

Fora a banalização cada vez maior do sexo, a busca por prazeres mais intensos, a experimentação com parceiros do mesmo sexo.

Acho que a homoafetividade deve ser respeitada como manifestação autêntica da personalidade humana. Mas a experiência por curiosidade ou por modismo ou por pressão do grupo é um mergulho no desconhecido.

—  Estão lidando com:

●  Emoções,
●  Sentimentos, 
●  E sensações energeticamente poderosas...

... Que mais cedo ou mais tarde exigem o reajuste. Aí a dor é inevitável…

Frequentemente sou perguntado pela opinião do Espiritismo a respeito do sexo livre e casual. O Espiritismo não tem como princípio ser um norteador de condutas à maneira dos antigos códices.

—  O Espiritismo deixa claro que temos o livre-arbítrio, que tudo:

●  Nos é permitido,
●  Mas nem tudo nos convém,
●  Que toda ação gera uma reação.

Mas o mais importante é que sempre estamos acompanhados pelos espíritos que se afinizam conosco. Somos rodeados de espíritos que gostam do que gostamos. Nada que seja estritamente material pode atrair espíritos bem intencionados.

O sexo casual, sem afeto, apenas pelo prazer, atrai muitos espíritos que sentem necessidade dessas mesmas energias. Forma-se com eles verdadeira simbiose, trocando energias e influências.

O sexo é uma dádiva de Deus e uma fonte legítima de prazer e rearmonização energética. Mas a vivência do sexo saudável pressupõe afeto. O resto é animalidade.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 07 de Setembro de 2015, 19:39
   

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-59.gif)

27º-) Espiritismo e os relacionamentos amorosos

Na falta de designação melhor, chamamos às relações sexo afetivas de:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “Relacionamentos amorosos”.

Muitos buscam no Espiritismo explicação ou solução para os seus conflitos emocionais…

Muitas pessoas ainda atrelam a sua felicidade a alguém. Acham que precisam de alguém pra serem felizes. Isso gera uma constante insatisfação, pois não é possível nos apossarmos dos sentimentos de alguém para preencher nosso próprio vazio existencial.

—  Eu, Morel Felipe Wilkon, recebo centenas de e-mails referentes a assuntos emocionais:

●  Pessoas que têm dúvidas sobre a própria sexualidade,
●  Pessoas que não conseguem se relacionar com ninguém,
●  Pessoas que pulam de um relacionamento pro outro e nunca estão satisfeitas,
●  Pessoas que foram traídas, acham que perdoaram mas não superam o desgosto;
●  Pessoas que estão traindo e não querem abrir mão nem do parceiro nem do amante.

Não posso responder a todos, até porque muitos deles são tão infantis que não merecem resposta.

—  Já sabia que isso ia acontecer quando escrevi os seguintes artigos:

●  Espiritismo e traição,
●  Espiritismo e adultério,
●  Espiritismo e relações amorosas,
●  O sexo casual numa visão espírita.

Sei que não posso reclamar, pois se expus minha opinião a respeito, naturalmente devo dirimir as dúvidas que estiverem dentro dos meus conhecimentos e experiências; e orientar sobre como recobrar o equilíbrio.

Esta tarefa, muitas vezes, parece ingrata, porque é uma pequena minoria que está realmente disposta a ajudar a si mesma:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  "Nenhuma ajuda é suficiente se a pessoa não ajudar a si mesma".

E quando o assunto é o que convencionamos chamar de “relações amorosas” (na verdade, o amor é bem outra coisa), a única ajuda eficaz é a auto ajuda, que na maioria das vezes deve começar com o autoconhecimento.

É assombroso o egoísmo de algumas pessoas. É o caso de quem vive um relacionamento extraconjugal, mas não quer romper os laços com o cônjuge. Pode parecer que se trata de amor ou de compaixão.

Se analisarem um pouquinho a si mesmos perceberão que pensam, mesmo, é em si próprios, e o que não querem é diminuir a sua cota de prazeres e atenção.

Ou então a pessoa para quem nenhum relacionamento dá certo, e culpam a Deus, à Vida, ao “carma”.
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  "Perguntam, revoltadas, se estão aqui só pra “pagar”...

E por que Deus não as deixa ser felizes. Não se deram ao trabalho de se perguntarem por que ninguém fica mais tempo com elas.

—  Será que todo mundo está errado e só elas estão certas?
—  Será que não estão exigindo demais?

Noutros casos, as pessoas se debatem durante anos em dolorosos conflitos sobre a própria orientação sexual, cheias de culpas e dúvidas.

Casos complexos demais, originados de desajustes iniciados em outras existências, que exigem muito mais do que conselho ou consolo.

●  Ou aqueles que deixaram de amar,
●  Ou os que traíram e não se perdoam,
●  Ou aqueles que não se sentem amados,
●  Ou que descobriram a traição do parceiro
●  E insistem na continuidade da relação abaixo de dificuldades.

Das pessoas que se dirigem a mim por causa desses assuntos, uns poucos se animam a comentar o assunto. Outros, mais reservados, me contatam por e-mail. A busca pela solução demonstra o desejo de resolver o mal que os aflige.

Só que pedir ajuda ou orientação pela internet, digitando algumas dúzias de palavras, é fácil. E não há soluções fáceis para problemas difíceis. Problemas sérios exigem soluções sérias. É preciso querer se ajudar.

—  É preciso deixar a preguiça:

●  O medo,
●  A inércia,
●  A indiferença,
●  O comodismo.

Problemas são oportunidades de crescimento

—  É preciso, antes de mais nada, perceber algo que é óbvio, mas infelizmente ainda não é óbvio pra todos:

●  As pessoas não são sua propriedade,
●  O mundo não gira em torno de você

—  A Vida não existe para transarmos com todo mundo:

●  Prazer sexual não é amor,
●  Romantismo não é amor.

A ideia de que a nossa felicidade está na dependência de uma relação qualquer afasta qualquer possibilidade de bem-estar íntimo.

É importante ter alguém para dividir a passagem pela matéria; a própria natureza, enquanto reencarnados, nos induz a isso. Mas isso não é sinônimo de felicidade.

Ser feliz é um estado de ser que independe de fatores externos. A preocupação quanto à vida amorosa ou sexual (que quase sempre se confundem) gera cada vez mais incertezas, produz desconforto com a situação vigente, faz a Vida perder o sentido.

—  A Vida é muito mais que isso é oportunidade:

●  De disciplina,
●  De aprendizado,
●  De autoconhecimento,
●  E de troca de conhecimentos e experiências.

Resumir a Vida a encontros e desencontros sexuais é voltar ao estágio animal.

Quem passa por problemas desse tipo e quer solução, deve buscá-la com todas as suas forças.

—  Se está lendo um artigo espírita é de se supor que seja simpatizante do Espiritismo.

●  Ore.
●  Leia.
●  Estude.
●  Se esclareça.

—  Ore várias vezes ao dia, faça disso um hábito:

●  Frequente o centro espírita.
●  Procure um tratamento no centro espírita.
●  Procure participar de grupos de estudo no centro espírita,
●  A troca de experiências é um dos aprendizados mais eficazes.

Pergunte-se acerca dos seus reais valores.

—  O que você espera acrescentar nesta vida?
—  O que você pretende fazer para aproveitar a oportunidade da atual reencarnação?
—  Você já percebeu que sexo e atração física são fenômenos ilusórios e, portanto, passageiros?

—  Já se deu conta de que:

●  O tesão acaba,
●  Músculos e bundas caem,
●  Que rostinhos bonitos murcham,
●  Que palavrinhas românticas só têm valor nos momentos fugazes de prazer?

—  Você não notou, ainda, que a consciência é o seu juiz, e que cobra você e continuará cobrando sempre que você errar?
—  Não sabe que não há como ser feliz mentindo pra si mesmo, tentando enganar à própria consciência?

—  Ou você pensa que:

●  Amizade,
●  Respeito,
●  Fidelidade,
●  Retidão de caráter,
●  São apenas conceitos?

Ou acha que essas coisas são fruto de pregações religiosas atrasadas e conservadoras?

—  Está encrencado?
—  Quer viver em paz?

—  Mude!

Quando você muda, o mundo muda. Pare de se queixar e de achar que a Vida é um complô contra você.

Há 7 bilhões de espíritos encarnados iguaizinhos a você.

—  Você acha que você merece uma atençãozinha especial de Deus?
—  Não sabe que não há privilégios na Lei divina?

Faça alguma coisa por si mesmo, torne-se uma pessoa melhor, deixe de pensar só em si. Você irá se cobrar severamente se não mudar de atitude a tempo.

—  Você é o seu juiz…

E o seu estado de espírito de hoje, a maneira como você está se sentindo neste exato momento lhe responde como você vem agindo.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 26 de Outubro de 2015, 03:40


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-58.gif)

28º-)  Olhai os lírios do campo

Pra mim, o ápice do Evangelho é este:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “Olhai os lírios do campo, como eles crescem! Não trabalham nem fiam, e eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, nunca se vestiu como qualquer um deles”.

Acho forte pela beleza da imagem poética. Mas ainda mais pela clareza do ensinamento. Ela se passa no Sermão da Montanha, ocasião em que Jesus nos deixou seus mais belos e profundos ensinamentos.

▬  Nesta passagem, Jesus se refere à preocupação que nós temos com o dia de amanhã:

●  Roupas,
●  Alimentamos,
●  Pensamentos de angústia,
●  E desconfiança em relação ao futuro.   

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  E desconfiança em relação ao futuro.

Estamos sempre preocupados com o que pode acontecer, com o que pode fugir ao nosso controle.

A própria palavra já se explica por si só:
▬  Pré-ocupação.

Uma ocupação prévia, antes do tempo. É a isso que Jesus se refere. Os lírios do campo não se preocupam, não vivem antecipadamente o dia de amanhã.

E Deus provê a sua “roupa” em forma de lindas flores, que nem Salomão, o maior Rei que o povo de Jesus já havia conhecido:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  " Nem Salomão, no auge de sua glória, nunca havia se vestido de maneira tão bela quanto os lírios do campo".

●  Costumamos dar muita ênfase aos ensinamentos morais do Cristo.
●  Realmente, não há código de ética mais avançado do que o seu ensino.

Isso tudo é minha opinião, você não é obrigado a concordar com ela:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  "Acho que o principal ensinamento de Jesus é negligenciado até hoje".

Dezenas de autores escreveram livros e mais livros falando o que ele falou, ensinando o que ele ensinou, como se fosse alguma novidade.

Me refiro ao pensamento, ao poder do pensamento, ao pensamento criador, ao pensamento como fator determinante para a criação e o desenvolvimento de tudo em todos os planos de vida.

Negligenciamos o pensamento, e há cada vez mais evidências de que tudo, absolutamente tudo, é criado a partir do pensamento.

Alguns anos atrás o filme “O segredo” fez um sucesso estrondoso tratando desse tema. Não trouxe nada de novo, nada que já não houvesse sido abordado em dezenas de livros, detalhadamente.

E acredito que muitos e muitos livros e filmes deverão surgir ainda para popularizar e tornar aceita essa verdade: O pensamento e a Lei de atração.

O espiritismo deixa claro a importância do pensamento, embora seu enfoque hoje seja predominantemente moral. As obras de André Luiz elucidam muita coisa sobre a natureza e o funcionamento do pensamento.

O fato é que atraímos tudo o que pensamos. Tudo o que pensamos, de bom e de mau, se manifesta como realidade.

Você provavelmente lembra de muitos casos em que seus pensamentos não se concretizaram, por isso não leva este assunto tão a sério como deveria.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Você não percebeu que não há como duas coisas antagônicas acontecerem ao mesmo tempo?

▬  Se você quer determinada coisa e ao mesmo tempo teme que não vá conseguir:

●  Um pensamento combate o outro,
●  Um pensamento neutraliza o outro.

Não gosto de mencionar isso, mas o fato é que somos muito negativos. Pensamos muitas coisas negativas, somos alimentados com tragédias televisivas (eu não), somos influenciados por pessoas negativas.

Não estamos totalmente prontos. Mas é hora de começar a experimentar, é hora de desconstruirmos nossas velhas e podres crenças e nos reformarmos com a verdade.

●  Faça suas próprias experiências!
●  Se não se achar pronto pra isso, comece a observar.

Pessoas de sucesso, em qualquer área, são pessoas que não questionam se o que querem fazer vai dar certo ou não.

●  Simplesmente fazem,
●  Acreditam em si mesmas.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  As pessoas mais doentes, principalmente as que têm doenças de difícil diagnóstico, são as que mais falam em doenças; é o seu assunto predileto, é pensamento que se manifesta.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  Quando você tem algum problema e fica pensando nele, buscando solução, não consegue resolvê-lo.

Só acha solução quando deixa de se preocupar com ele. Pois enquanto está pensando no problema, está atraindo mais problema.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  As divergências com os outros só surgem quando nos concentramos nas:

●  Características dos outros de que não gostamos,
●  Nas características que não desejamos.

Se mantivermos nossa atenção no que temos em comum com os outros, não haverá divergência. Esta só existe porque nos concentramos no que não queremos.

São muitas evidências de que o pensamento é criador, de que a Lei de atração é uma lei tão digna de credibilidade e passível de ser constatada como a Lei da gravidade, por exemplo.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 25 de Novembro de 2015, 22:52


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-52.gif)


29º-)  Para onde você vai quando está dormindo?

▬   Você sabia que enquanto seu corpo físico repousa você continua em atividade?

Você é espírito imortal. Você é um espírito encarnado, revestido dum corpo físico que dificulta seu acesso ao plano astral. O corpo físico só permite experiências com o plano físico.

Quando você dorme, o corpo físico fica deitado, repousando, enquanto você, muitas vezes, aproveita essa liberdade provisória para fazer coisas que normalmente não se permite.

Hoje vem se tornando cada vez mais comum o fenômeno da projeção consciente. Em tese, qualquer pessoa pode treinar e desenvolver a capacidade de se manter lúcido enquanto o corpo físico repousa.

Nesse caso, a consciência acompanha o corpo astral (ou perispírito) Mas a projeção acontece quase sempre.

Para nos projetarmos, ou seja, para atuarmos com o corpo astral, não precisamos estar conscientes disso. A maioria de nossos sonhos se trata de experiências no plano astral. Como o cérebro físico não participa dessas experiências.

▬   Já que o corpo físico está dormindo, as lembranças que temos dos sonhos são:

●  Confusas,
●  Dispersas,
●  E quase sempre sem nexo.

Muitas pessoas mantêm durante o período de sono as mesmas atividades rotineiras. Agem como zumbis.

Mas quero abordar o caso de quem se aproveita (inconscientemente) desses momentos de relativa liberdade, para praticar coisas que aqui no plano físico são inviáveis.

▬   Inviáveis por não estarem:

●  Ao alcance, 
●  Contra a moral,
●  Contra as conveniências,
●  Ou por serem contra a lei.

A literatura espírita nos mostra, e é algo que eu pude constatar pela observação e experiência, que grande parte dos encarnados vai em busca de prazeres quando projetados.

▬   O sexo é, disparado, o maior atrativo para esses festeiros.

▬   Mas também é comum a procura por vícios de toda espécie; como:

●  Jogo,
●  Álcool,
●  Drogas,
●  E negócios escusos.
 
●  Ladrões roubam,
●  Invejosos sabotam,
●  Fofoqueiros fazem intrigas,
●  Rancorosos praticam vinganças,
●  Inimigos se encontram para brigar,
●  Criminosos voltam ao local do crime.

▬   Leitura pesada, né?

Prefiro tratar de assuntos mais leves, mas há verdades que não podemos ignorar. Dorme-se grande parte da vida. É muito tempo. Esse tempo não pode simplesmente fugir ao nosso controle.

▬   Mas como controlar?

Isso é quase óbvio. Nossas atividades astrais seguem o padrão de nossos pensamentos no estado de vigília.

O que pensamos durante o tempo inteiro, quando acordados, determina o lugar para onde vamos e as companhias que teremos durante o período de sono.

Por isso a atração quase irresistível que o sexo provoca nos encarnados desdobrados do corpo físico. O apelo sexual está ativo como nunca.

Nunca se teve acesso tão fácil à pornografia como hoje. Pesquisas têm apontado para o fato de que a quase totalidade dos homens com acesso à internet consome pornografia. Fora a internet, o erotismo está na televisão, para quem quiser ver.

▬   Estou parecendo puritano?

Sou tão humano quanto você que está lendo. Mas não podemos nos acostumar a isso e pensar que a busca por pornografia é normal.

▬   O desejo sexual descontrolado envolve:

●  Emoções,
●  Fantasias, 
●  Hormônios,
●  Imaginação,
●  E fraquezas de todo gênero.

▬   Tudo o que você coíbe durante:

●  A vida de relação,
●  Quando está acordado,
●  Você libera durante o período do sono físico.

▬   Você acha que quem consome pornografia faz isso sozinho?
▬   Os espíritos estão por toda parte, lembra?

▬   Por que você acha que deixariam você só nessas horas?
▬   Talvez para respeitar sua privacidade!?

▬   Seria muita ingenuidade pensar assim.

Há verdadeiras redes no astral inferior (ou umbral) especializadas em sexo sujo. Essas redes têm sua contraparte física aqui.

Você ainda não se deu conta do poder e alcance da internet como rede conectora de mentes e pensamentos?

Pois se é assim para as amizades virtuais, também funciona assim com os sites pornográficos. Seus frequentadores logo fazem “amizades” espirituais que os aguardam à hora do sono.

Tão logo adormecem, esses frequentadores são recepcionados por seus iguais, ansiosos por lhes vampirizarem as energias.

Não existe truque para escapar a isso. Apenas o controle sobre os pensamentos, palavras e ações.

●  Você sabe o que é o certo.
●  Você está no domínio.
●  Você escolhe.




Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 19 de Fevereiro de 2016, 16:59


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-45.gif)

30º-) Reforma íntima e a preguiça

Os que me acompanham há mais tempo sabem que eu escrevo à frente dum espelho. É pra lembrar que escrevo, em primeiro lugar, pra mim mesmo. Acho que o maior adversário da reforma íntima que precisamos fazer é a preguiça.

Não sei o quanto você conhece, o quanto você sabe. As coisas da espiritualidade são uma fonte de aprendizado inesgotável. O Espiritismo, particularmente, é um campo de pesquisa e estudo vasto e rico. Por isso disse que não sei o quanto de conhecimento e experiência você tem.

▬  Não importa.

●  Você aceita os fatos da mediunidade mesmo sem ser médium ativo,
●  Você crê na bondade e misericórdia de Deus,
●  Você acredita em reencarnação,
●  Que bom!

No entanto, não basta crer. É preciso agir. Por menos que você saiba é bem provável que você saiba mais das coisas do Espírito do que a maioria das pessoas com quem você convive no dia-a-dia.

Por menos elevado que você seja, e é bom que se reconheça isso, tudo indica que você esteja mais preparado moral e espiritualmente do que a maior parte das pessoas do seu círculo de convívio.

▬  Isso aumenta a sua responsabilidade.

●  Quanto mais conhecimento, maior é a obrigação de colocar em prática o que se sabe.
●  Quanto mais se aprimora espiritualmente, maior é a responsabilidade perante os outros.

Se você se dedica às coisas do Espírito, é natural que você acabe contando com a simpatia e o amparo dos espíritos trabalhadores.

Quanto mais você se dedica ao conhecimento e à reforma íntima, mais aumentam os seus contatos e a sua intimidade com espíritos superiores a nós.

Se você faz dessa busca de aperfeiçoamento algo que tenha um espaço significativo em seu cotidiano, você começa a beneficiar as pessoas que estão à sua volta. Se você está um pouco mais elevado que aqueles que o cercam, você passa a agir como fator de equilíbrio nos ambientes que frequenta.

Observe o grau de influência que o seu estado de espírito exerce no seu ambiente de trabalho ou estudo. Note como o seu humor atinge as demais pessoas, veja a responsabilidade que os seus pensamentos têm na harmonia geral.

Sua influência aumenta se você desenvolver a disciplina com a espiritualidade. O ideal é que o contato com as coisas do Espírito aconteçam todos os dias.

▬  Ou, pelo menos, nos dias úteis, nos dias de trabalho.

●  A oração,
●  A meditação,
●  A leitura edificante,
●  O seu contato deliberado com a espiritualidade superior deve ser diário.

Isso pode parecer difícil, mas não é. Serão alguns minutos do seu dia. Você define o tempo. Você pode dedicar cinco minutos pela manhã, cinco minutos ao meio-dia e cinco minutos à noite.

Já é um ótimo começo. Se você não puder cumprir esses horários, estabeleça outro que possa cumprir. O importante é fazer disso um hábito, uma disciplina que faça parte da sua vida.

Acredito que algumas pessoas não têm tempo, ou não têm um horário fixo que possa ser dedicado a isso. Entendo que muitos não estão preparados pra isso, não conseguem ver nessa prática algo que tenha algum valor real.

▬  Mas sei que há muitas pessoas que consideram essa disciplina importante e:

●  Não conseguem se impor um compromisso,
●  Não conseguem convencer a si mesmas,
●  Não conseguem vencer a preguiça.

Se for o seu caso, saiba que a preguiça é um mal terrível, que deve ser combatido imediatamente. A preguiça é pior do que muitos maus hábitos. Pessoas decididas conseguem transformar um mau hábito num bom hábito.

Vencer a preguiça geralmente dá mais trabalho, pois a pessoa “se perdoa” por ser preguiçosa. Você tem responsabilidade sobre os que convivem com você.

▬  Você tem conhecimentos que eles não têm:

●  Seja disciplinado,
●  Mantenha bons hábitos
●  E aja como um instrumento de Deus.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 15 de Abril de 2016, 22:46


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-60.gif)

31º-)  Espiritismo e as doenças

Pelo que depreende do estudo do Espiritismo, as doenças nascem do Espírito.

▬  Os maiores causadores de doenças são:

●  A raiva,
●  A inveja,
●  A mágoa,
●  O rancor,
●  As frustrações,
●  O sentimento de culpa.

São esses sentimentos que provocam as doenças do corpo físico.

Todos os dias os jornais divulgam novas pesquisas sobre os benefícios ou malefícios de determinados alimentos em nossa saúde.

Também tem sido muito difundida a recomendação da prática de exercícios físicos para a manutenção e melhora de nossa saúde física e emocional.

Assim como muitas pessoas, tenho cuidados com a alimentação e pratico exercícios físicos regularmente. Desde que sem exageros, sabemos que esses hábitos só têm a contribuir para o nosso bem-estar.

▬  O que é bem menos divulgado é que, do mesmo modo que:

●  Somos responsáveis pela saúde,
●  Também somos responsáveis pelas doenças.

●  As doenças nascem não só do descuido com o corpo,
●  Mas principalmente do descuido com as nossas emoções.

Os maiores causadores de doenças são a raiva, a mágoa, as frustrações, o rancor, a inveja, o sentimento de culpa.

São esses sentimentos que provocam as doenças do corpo físico. As emoções atingem imediatamente o corpo físico, que serve como um dreno por onde escoam essas energias negativas.

Só que muitas não escoam, não fluem, ficam presas ao corpo físico e se manifestam em algum órgão em forma de doença.

▬  Todas as doenças se originam do espírito:

●  O que não tem origem nesta vida,
●  Tem origem em reencarnações passadas.

Muitas pessoas não aceitam este fato, ou só o aceitam parcialmente. Mas não há como fugir a essa constatação.

O corpo físico é apenas reflexo do corpo astral (ou perispírito). Tudo o que está registrado em nosso corpo astral se manifesta em nosso corpo físico.

▬  Você conhece pessoas que são viciadas em doenças:

●  Falam de suas doenças com carinho,
●  Com uma espécie de orgulho,
●  No ambiente de trabalho,
●  Na fila do banco,
●  Em casa...

... Em qualquer lugar é possível ver pessoas competindo para ver que é mais doente.

Trocam informações, nomes de remédios, não omitem nenhum detalhe de seus sintomas e dores.

A doença é o modo que muitas pessoas carentes de afeto acham para chamar a atenção.

●  Quanto mais detalhes mórbidos,
●  Mais atenção despertam.

●  É um modo de serem ouvidas, consideradas.
●  Se apaixonam pelas próprias doenças.

Quando você encontra alguém assim, a primeira coisa que ela faz é lhe passar o relatório completo de suas doenças:

●  Onde dói,
●  Como dói,
●  O que ela tomou,
●  O que o médico disse,
●  O que o outro médico disse.

Se algumas dessas pessoas ficassem curadas de repente, perderiam o sentido da vida.

Claro que não são todas as pessoas doentes que gostam de suas doenças. Há pessoas que nascem com doenças graves, com limitações físicas que terão que suportar pela vida toda.

Outras adquirem qualquer moléstia ou enfermidade no decorrer da vida, e a cura nem sempre está ao seu alcance.

Nem todos se conformam. Muitos se acham injustiçados, acham que a vida está errada e questionam a Justiça Divina. Não aceitam o fato de que são elas mesmas que causaram ou escolheram suas doenças.

Mesmo dentro do Espiritismo há quem ache essa abordagem muito dura. Acham cruel generalizar. Ficam comovidas com casos de doenças graves em crianças ou pessoas sabidamente boas. A dor dessas pessoas dói nelas.

Não sou insensível. Com a popularização das redes sociais, todos os dias nos deparamos com imagens de pessoas que sofrem de doenças terríveis.

●  Mas se aceitamos que somos os responsáveis pelos nossos atos,
●  Que nossos males morais foram provocados por nós mesmos,
●  E que compete a nós modificá-los,
●  Que colhemos o que plantamos...

... Por que seria diferente com os males físicos?

●  São as nossas emoções que provocam as doenças.
●  A cura também passa pelas nossas emoções.

Não estou dizendo que devemos abrir mão da medicina, pelo contrário.

Temos que aproveitar os avanços que conquistamos.  Mas a cura, real, verdadeira e definitiva para qualquer mal que atinja o nosso corpo está no controle das nossas emoções.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 24 de Junho de 2016, 03:11


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-67.gif)

32º-) Espiritismo e o medo da vida

O espiritismo, ao nos demonstrar a continuidade da vida, as inúmeras oportunidades de aprendizado e experiência que a vida nos oferece, transforma o medo da vida num sentimento irracional.

Claro que o fato de se reconhecer um sentimento como irracional não acaba com ele, mas é um começo. Você já existia antes de ser filho de sua mãe e de seu pai, e vai continuar existindo depois que seu corpo morrer. Vai continuar pra sempre, a individualidade não se perde jamais.

▬  Só a convicção deste fato já devia ser suficiente para percebermos que:

●  Que tudo continua,
●  Que tudo se renova,
●  Que o medo é ilusório,
●  Que tudo se transforma,
●  Que não há o que temer,
●  Que tudo tem nova chance.

Nenhuma adversidade é permanente, sem contar que a maioria delas é meramente especulativa; tememos com antecedência.

Já dizia Jesus Cristo no maior ensinamento que já chegou à Terra, o Sermão da Montanha:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  "Que não devemos nos preocupar com o dia de amanhã".

Disse-nos o Mestre:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  “Olhem os lírios do campo; não trabalham nem fiam. No entanto, nem Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles.

(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)  "Se Deus veste assim a erva dos campos, que hoje cresce e amanhã será lançada ao fogo, quanto mais a vocês, homens de pouca fé?”

Isso é uma das coisas mais profundas que já nos foram ensinadas, e talvez justamente pela sua simplicidade, não recebe até hoje o devido valor.

▬  O que ele está dizendo pra você?

●  Pra parar de sofrer por antecipação,
●  Pra parar de temer o dia de amanhã,
●  Pra parar de se preocupar com o que ainda não aconteceu.

O que você deve entender, o que nós todos devemos entender de uma vez por todas é que nós somos partículas Divinas, nós somos a parte de Deus que nos cabe, Deus se manifesta para você através de você!

Deus, que habita dentro de você, quer o seu melhor, sempre. Jamais culpe Deus. Jamais atribua a Deus as falhas que você cometeu.

Sempre é bom lembrar que a semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Você colhe hoje o que plantou ontem. Colherá amanhã o que plantar hoje. Assim mesmo.

Aprenda a assumir seus erros e pare de culpar Deus, o destino, a vida, os outros. Tudo o que lhe acontece é causado por você. Não adianta esbravejar. Se isso o aborrece, pare de ler imediatamente, respire fundo, depois continue.

▬  O medo da vida nasce da culpa:

●  Por ter feito algo errado,
●  Por não praticar o que sabe,
●  Por não assumir ser quem é,
●  Por não fazer o que devia ser feito.

Não é fácil abandonar o medo. Não se abandona um hábito entranhado. É preciso substituí-lo. Substitua o medo pela confiança, pela coragem, pela força. Você consegue, desde que comece pelo começo. E o começo é reconhecer seus erros.

▬  Não é lindo quando uma criança confessa alguma travessura, encabulada ou chorosa?

É lindo porque é verdadeiro, não por se tratar de uma criança.

Nós precisamos reconhecer a responsabilidade que é nossa perante a vida. Esse é o caminho para trocar o medo pela confiança, pelo amor incondicional à vida.

Claro que há dificuldades. Sempre haverá, neste planeta. Mas o medo atrai medo. As suas vibrações mentais de medo atraem as vibrações mentais de medo dos outros, encarnados e desencarnados.

O contrário também acontece.

▬  As vibrações de:

●  Fé,
●  Alegria,
●  Coragem,
●  Confiança,
●  Reconhecimento
●  E gratidão à vida atraem vibrações semelhantes.

Você decide o que quer para si. Nós decidimos o que queremos para nós. Querer é poder. Queiramos o certo. Façamos o bem.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 30 de Julho de 2016, 02:49


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-51.gif)

33º-)  Pelo amor ou pela dor

Você já ouviu falar que aprendemos pelo amor ou pela dor?

Acredita que podemos aprender tudo pelo amor? Eu, particularmente, acho que ainda não. A experiência de cada um de nós demonstra que costumamos aprender muito mais pela dor do que pelo amor.

Desde crianças temos a oportunidade de aprender através do amor.

▬  São os conselhos e ensinamentos exaustivos:

●  De exemplos,
●  Do pai e da mãe,
●  As lições que recebemos dos mais velhos.

●  Alguns nós seguimos.
●  Muitos outros nós não seguimos.

E aprendemos com nossas próprias experiências. Às vezes repetimos as mesmas experiências de nossos pais, sendo que seria fácil para nós ter aprendido com a experiência deles.

Mas não dá pra negar a capacidade que a dor tem de nos ensinar. É que a dor, pelo menos neste nosso planeta, é mais experiente que o amor. A dor pega você de jeito, como quem não quer nada, e quando você vê está pronto para refletir.

●  O que o amor levaria meses para explicar, a dor demonstra em alguns minutos.
●  O que o amor levaria várias reencarnações para ensinar, a dor ensina em alguns anos.

A dor chama para si, obriga a sentar e ouvir. Com a dor física, você percebe que está abusando do corpo.

●  Com a dor da saudade, você valoriza quem está longe.
●  Com a dor do arrependimento, você reconhece o erro e se propõe a consertá-lo.
●  Com a dor da solidão, você se dá conta de que não é uma ilha, de que não se basta sozinho.
●  Com a dor do coração você nota que não é como gostaria de ser, que é bem mais falível, suscetível e sensível do que costuma pensar.

A dor arranca o seu disfarce. E você se vê como é de verdade. E, não importa como você seja, o fato é que você é único. E só. Sozinho num imenso universo. O único responsável por você mesmo.

Autor, ator e crítico do próprio espetáculo. Você é responsável pelo seu corpo, é você que deve cuidar dele. Você é responsável por seus sentimentos, e deve aprender a lidar com situações conflituosas como solidão, saudade ou abandono.

Você é responsável por seus pensamentos, palavras e ações, e está sujeito a fazer coisas de que se arrependerá.

E ao perceber que você é o único responsável por sua própria vida, você então permite ao outro que ele seja como ele é. Porque o outro também é o único responsável pela vida dele.

O outro não tem o poder de influenciar a sua vida, a não ser que você permita. Do mesmo modo, você só vai influenciar a vida do outro se ele permitir.

E se você quer ser livre precisa saber que só existe liberdade onde houver tolerância. Se você não permite que o outro seja como ele é, se você não aceita que o outro seja diferente de você, você está preso ao outro.

Está preso porque há uma questão mal resolvida que exige solução. A liberdade em relação aos demais só é alcançada se houver tolerância.

A dor é um mecanismo que serve para orientar, como uma bússola. Sempre que houver um desvio da rota, a dor alerta.

Você pode ignorá-la por um bom tempo. E quanto mais você a ignora, mais forte ela fica, mais potencial de ensinamento ela adquire.

É claro que um dia aprenderemos mais com o amor. Aprenderemos mais facilmente, mais docilmente. Mas em nosso estágio evolutivo a dor ainda é de extrema utilidade.

Sem ela, levaríamos muito mais tempo para aprender qualquer coisa. Não sentiríamos necessidade alguma de refletir.

●  Não reclame da dor,
●  aprenda com ela.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 08 de Março de 2017, 22:32
 

(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-50.gif)

As singularidades da Mulher

Mulher é grandeza. É distinção. Mulher é ímpar. É sedução.

Ser mulher é fazer parte de uma história de luta e de conquista, uma história rica em personagens que gritam a verdade do íntimo de cada um de nós.

Não há mulher maior do que qualquer uma, tal como não existe algum ser maior que qualquer mulher. Se há justiça no mundo, ela se deve a todas as mulheres que do nada construíram o tudo.

O coração das mulheres é diferente de qualquer outro que habita no interior de todos os seres.

E é por isso que hoje conhecemos a parte positiva do mundo, tal como ele é. Em relação à parte negativa, ela está ainda em construção, mas podemos ter certeza de uma coisa: o mundo vai ficar ainda melhor.

●  Porque as mulheres são a janela para a bondade.
●  Elas são palavra.
●  Elas são canção.

●  A mulher é vida.
●  Ela dá vida.

Ninguém espelha tanto a esperança quanto a mulher. Ninguém. A gente deveria ajoelhar todas as noites, agradecendo a Deus a dádiva que Ele nos deu: a mulher.

Não há algo que brilhe mais em nosso planeta do que as mulheres. Não há algo que respire mais amor, mais verdade. A mulher é singular sob todos os pontos de vista.

●  Obrigado, mulheres, por serem tão especiais!
●  Feliz dia Internacional da Mulher!


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 08 de Outubro de 2017, 23:22


(http://gifportal.ru/data/smiles/cveta-29.gif)

Como Entender A Vida Eterna


Questão 153:
P: Em que sentido se deve entender a vida eterna?
R: “A vida do espírito é que é eterna; a do corpo é transitória e passageira. quando o corpo morre, a alma retorna a vida eterna”


Segundo consolo que encontramos na Doutrina Espírita: possibilidade de comunicação entre os encarnados e os desencarnados!

A possibilidade da comunicação com o ser querido leva muitas pessoas a desejarem, a todo custo, uma mensagem, uma palavra que possa proporcionar-lhes a aceitação do ocorrido e que lhes minore a dor da enorme saudade que sentem.

No entanto, é necessário se precaver contra a urgência desenfreada de se obter essa comunicação, principalmente quando é recente a desencarnação.

Nesse caso, sabemos que ela não é impossível, mas não é recomendada porque, e isto é natural e previsível para todos os recém desencarnados, há um período de adaptação do Espírito a sua nova realidade.

Não podemos olvidar também que as condições em que se encontram os Espíritos no mundo espiritual, se dão pelo próprio espírito, ou seja, pelas escolhas, a forma como viveu enquanto encarnado, seus méritos e suas necessidades! Diante disso, a comunicação pode ser impedida ou não possível por um determinado tempo.

Em segundo, as comunicações são acompanhadas de uma necessidade e de uma utilidade!

Temos que entender que o mundo espiritual não esta para nos servir a qualquer hora ou custo, para saciar desejos desenfreados, isso pode abrir portas para mistificações e ate obsessões. Por isso toda e qualquer comunicação deve ser vista com cautela e seriedade!

Então as pessoas que buscam o centro espírita com profundo desejo de receberem uma mensagem de um ente querido desencarnado, estejam avisadas de que este contato nem sempre é possível.

Às vezes passam-se meses e até anos antes de obterem uma palavra ou mensagem.

Nem os médiuns, nem os Espíritos estão obrigados a nos dar as respostas que queremos, mas se a Misericórdia Divina permitir, com certeza será recebida, como podemos comprovar por tantas psicografias, posteriormente publicadas em livros, recebidas por Francisco Candido Xavier, mensagens consoladoras e esperançosas para pais, filhos, amigos…

Outro consolo que a Doutrina Espírita trás, diz respeito às desencarnações de entes amados em tenra idade, jovens, filhos ceifados de um momento para outro, por meio de acidentes, violência desenfreada, doenças rápidas! Esse tipo de desencarnação geralmente causa espanto, e muita revolta para os que ficam.

Mas no Evangelho Segundo Espiritismo, no capitulo V, Instruções dos Espíritos no item perda de pessoas amadas e mortes prematuras (Sansão, antigo membros da Sociedade Espírita de Paris, 1863):

Ele diz assim:
“A morte prematura é quase sempre um grande beneficio que Deus concede ao que se vai. Sendo assim preservado das misérias da vida, ou das seduções que poderiam arrastá-lo à perdição. aquele que morre na flor da idade não é vitima da fatalidade, pois, deus julga que não lhe será útil permanecer maior tempo na terra.”

Ressalta-se que nos casos de morte em que não houve imprudência ou que não houve nenhuma participação do desencarnado.

E Sansão ainda nos diz:
“Regozijai-vos em vez de chorar quando apraz Deus retirar um dos seus filhos deste vale de misérias. Não é egoísmo desejar que ele fique para sofrer convosco?

“Ah! essa dor se concebe entre os que não têm fé, e que veem na morte a separação eterna. Mas vós espíritas, sabeis que a alma vive melhor quando livre de seu invólucro corporal.

“Mães sabeis que vossos filhos bem-amados estão perto de vós; sim, eles estão bem perto; seus corpos fluídicos vos envolvem, seus pensamentos vos protegem, vossa lembrança os inebria de contentamento, mas também as vossas dores sem razão os afligem, porque revelam uma falta de fé e constituem uma revolta contra a vontade de Deus!”

Diante dessas palavras instrutivas do Espírito Sansão, podemos ver que os pensamentos, dirigidos aos entes amados desencarnados, chegam como vibrações e são percebidas e assimiladas por eles.

Porque a morte nada mais é do que a destruição do corpo orgânico, mas a alma imortal segue eterna, assim como os laços de amor e afeições que os uniu aos pais, aos filhos, aos maridos, as esposas, aos amigos!

A Doutrina Espírita orienta-nos a pensar e emitir vibrações de amor, e não de dor e desespero. Vejamos o que nos revela a questão 936 do Livro dos Espíritos.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 23 de Dezembro de 2018, 01:22

36º-) O Que é,  e o que Não é Espiritismo

Existe uma enorme confusão a respeito do que é ou não é Espiritismo.

Muitas pessoas quando ouvem falar em Espiritismo confundem com coisas que não têm absolutamente nada a ver. Pensam que as tais "mulheres de virtudes", cartomantes ou videntes são espíritas.

Chegam até a pensar que são espíritas, também, certas pessoas que distribuem panfletos pelas ruas prometendo resolver problemas, desde ganhar no euro milhões até conseguir casamentos, com consultas pagas.

Li uma vez em um site ante espírita:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)   "O Espiritismo que hoje se expande no Brasil e no mundo nada mais é do que a continuação da necromancia e do ocultismo praticados pelos povos antigos".

Muitas vezes também o Espiritismo é associado a magia, feitiçaria, etc.

Visando ajudar àqueles que não conhecem o Espiritismo, mostraremos abaixo algumas coisas que não devem ser encontradas em uma casa espírita verdadeira:

Explanações e orações ao som de batuques, atabaques, etc:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)   O Espiritismo não utiliza instrumentos musicais para exortar o público ou evocar Espíritos. Não há o uso de qualquer instrumento durante os trabalhos.

Trajes Especiais:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)   O Espiritismo não tem roupas especiais para os dias de trabalhos ou mesmo no dia-a-dia das seus adeptos.

Enfeites, amuletos, colares, vestimentas com cores que significariam o bem (branca) ou o mal (negra, vermelha) não têm fundamento para o espírita.

—   Presença de rituais como:

●  Benzer-se,
●  Sentar-se no chão,
●  Ajoelhar-se frente a algo ou alguém,
●  Beijar a mão ou louvar os responsáveis pela casa,
●  Ficar levantando e sentando durante os trabalhos,
●  Ou proferir determinadas palavras (mantras) para evocar os Espíritos.

Nas sedes dos verdadeiros centros espíritas não são encontradas imagens de santos ou personalidades do movimento espírita, amuletos de sorte, figuras que afastam ou atraem maus Espíritos, incensos, velas e tudo o mais que seja material e que teoricamente serviria de ligação com o mundo espiritual.

Sacrifícios de Animais: O local que possui este tipo de prática ou decoração não é espírita.

O Espiritismo é contrário a qualquer tipo de sacrifício animal. Espíritos que pedem este tipo de atividade são Espíritos atrasados, ignorantes da Lei de Deus e muitas vezes maléficos, que podem prejudicar a vida de quem dá ouvidos aos seus baixos desejos.

Comunicação de Espíritos em público:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)   A Doutrina Espírita é contrária a este tipo de manifestação, cercada geralmente de curiosidades e interesses materiais, ao invés do bom senso que deve permear toda comunicação espiritual.

Há locais em que os médiuns recebem seus "guias" ou "Espíritos protetores", teoricamente responsáveis pelo funcionamento da casa, e orientam os consulentes sobre qualquer tipo de dúvida.

Muitas vezes, as respostas dadas por este tipo de Espírito não têm base científica ou doutrinária alguma, seguindo apenas seu próprio conhecimento, que pode ser limitado.

Em vários destes lugares em que há a manifestação pública, as entidades espirituais são servidas de fumo, bebida, comida, ingeridas pelo médium incorporado.

Com isso, mostram a limitação destes Espíritos, ainda muito apegados aos vícios e prazeres materiais.

Desenvolvimento mediúnico forçado:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)   Se ao chegar em um ambiente espiritualista lhe afirmarem que sua mediunidade "precisa" ser desenvolvida, caso contrário você sofrerá as consequências materiais e espirituais; sua vida será um transtorno; que os Espíritos estão lhe chamando para o trabalho; que esta é a sua missão; com certeza este não é um local que segue a Doutrina Espírita.

Há seitas e religiões afro-brasileiras que obrigam a pessoa a desenvolver-se mediunicamente e depois as ameaçam com terríveis problemas futuros se elas deixarem de "trabalhar".

Isto gera angústia, medo e desespero nos envolvidos, que geralmente acabam vítimas de graves obsessões (influência maléfica persistente de um Espírito atrasado sobre outro ser.)

—   Cuidado!

Promessas de cura:
(http://lh6.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/Sr5fBjihTdI/AAAAAAAAJZ0/krdPRcLjLJo/s400/divisoria13.gif)   Qualquer lugar que prometa a cura de problemas espirituais ou materiais, sem levar em consideração os fatores já citados, não é um local espírita.

Condicionar uma cura à frequência exclusiva naquele ambiente, ao pagamento de dinheiro ou bens materiais, ou mesmo à "força da casa" não tem base no Espiritismo e foge do bom senso que regula as leis de Deus.

—   Estas, não podem ser modificadas de acordo com nossa vontade.

Por isso, prometer algo que não depende apenas de nós mesmos beira a irresponsabilidade e pode levar a pessoa desesperada ao desequilíbrio total ou à descrença em Deus.

Cobrança pela ajuda espiritual: todo local que cobra dinheiro, favores ou exige qualquer coisa ou favor material devido à ajuda espiritual prestada não é um centro espírita.

A cobrança financeira é própria de pessoas que vivem da exploração da crença alheia, contrariando os ensinos de Jesus.

Há seitas que pedem dinheiro aos seus assistidos afirmando que será usado para o feitio de trabalhos espirituais, como a compra de velas, comida, roupas e coisas do gênero.

—   Isso não é Espiritismo.

Espíritos que se prestam a fazer serviços espirituais em troca de coisas materiais são entidades atrasadas, que nada de bom podem trazer aos que os procuram.

Não podemos comprar a paz de espírito e tranquilidade que buscamos, é isto que prega a Doutrina Espírita. Se não for esta a orientação do local, com certeza não é um ambiente espírita.

Desconheço a Fonte.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 24 de Dezembro de 2018, 00:57


37º-) O Estilo é o Homem

Aquele que, por tanto tempo, figurou no mundo científico e religioso sob o pseudônimo de Allan Kardec, chamava-se Rivail e morreu aos 65 anos.

O registro das testemunhas do óbito, ocorreu:
—  “Ao primeiro de abril de 1869, às dez horas e meia da manha”.

Informaram que Rivail faleceu:

—  “Ontem... em seu domicílio em Paris, na rua Ste. Anne, nº 59”. A certidão ressalta o que todos sabemos: Allan Kardec retorna ao plano espiritual, numa quarta-feira, dia 31 de março do ano de 1869, fulminado, como citam seus biógrafos, pela ruptura de um aneurisma".

Vimo-lo deitado num simples colchão, no meio daquela sala das sessões que há longos anos presidia.

Vimo-lo com o rosto calmo, como se extinguem aqueles a quem a morte não surpreende, e que, tranquilo quanto ao resultado de uma vida vivida honesta e laboriosamente, deixam como que um reflexo da pureza de sua alma sobre esse corpo que abandonam à matéria.

Resignados pela fé numa vida melhor e pela convicção da imortalidade da alma, numerosos discípulos foram dar um último olhar a esses lábios descorados que, ainda ontem, lhes falava a linguagem da Terra. Mas já tinham a consolação do além-túmulo.

O Espírito de Allan Kardec viera dizer como tinha sido o seu desprendimento, quais as suas impressões primeiras, quais de seus predecessores na morte tinham vindo ajudar sua alma a desprender-se da matéria.

Se “O Estilo é o Homem”, os que conheceram Allan Kardec vivo só podiam comover-se com a autenticidade dessa comunicação espírita.

A morte de Allan Kardec é notável por uma coincidência estranha.

—  A Sociedade formada por esse grande vulgarizador do Espiritismo acabava de chegar ao fim:

●  O local abandonado,
●  Os móveis desaparecidos,
●  Nada mais restava de um passado que devia renascer sobre bases novas.

Ao fim da última sessão, o presidente tinha feito suas despedidas; cumprida a sua missão, ele se retirava da luta diária para se consagrar inteiramente ao estudo da Filosofia Espiritualista.

Outros, mais jovens - os valentes - deviam continuar a obra.

—  E fortes na sua virilidade, impor a verdade pela convicção:

●  Que adianta contar detalhes da morte?
●  Que importa a maneira pela qual o instrumento se quebrou?
●  E porque consagrar uma linha a esses restos integrados no imenso movimento das moléculas?

Allan Kardec morreu na sua hora.

Com ele, fechou-se o prólogo de uma religião vivaz que, irradiando cada dia, em breve terá iluminado a Humanidade.

—  Ninguém melhor que Allan Kardec poderia levar a bom termo essa obra de propaganda, à qual era preciso:

●  A paciência que ensina continuamente,
●  Sacrificar as longas vigílias que nutrem o espírito,
●  A abnegação que desafia a tolice do presente para só ver a radiação do futuro.

Por suas obras, Allan Kardec terá fundado o dogma pressentido pelas mais antigas sociedades.

Seu nome, estimado como o de um homem de bem, é desde muito tempo vulgarizado pelos que creem e pelos que temem.

—  É difícil realizar o bem sem chocar os interesses estabelecidos:

●  O Espiritismo destrói muitos abusos; 
●  Também reergue muitas consciências doloridas,
●  Dando-lhes a convicção da prova e a consolação do futuro.
 
Hoje os espíritas choram o amigo que os deixa, porque o nosso entendimento, demasiado material, por assim dizer, não se pode dobrar a essa idéia da passagem.

Mas, pago o primeiro tributo à inferioridade do nosso organismo, o pensador ergue a cabeça, e para esse mundo invisível, que sente existir além do túmulo, estende a mão ao amigo que se foi, convencido de que seu Espírito nos protege sempre.

O Presidente da Sociedade de Paris morreu, mas o número dos adeptos cresce dia a dia, e os valentes, cujo respeito pelo mestre os deixava em segundo plano, não hesitarão em se afirmar, para o bem da grande causa.

Esta morte, que o vulgo deixará passar indiferente, é um grande fato na história da Humanidade.

—  Este não é apenas o sepulcro de um homem.

É a pedra tumular enchendo o vazio imenso que o Materialismo havia cavado sob os nossos pés, e sobre o qual o Espiritismo espalha as flores da esperança.

Pagès de Noyez - Le Journal Paris - 3/4/1869.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 09 de Janeiro de 2019, 23:11


38º-) Em Vez De Lutar Pela Paz, Seja A Paz

Não é criando uma oposição à guerra que poderemos criar a paz.

Para que a paz seja uma realidade em nossa vida e em nosso planeta, é preciso que possamos ser a paz independentemente de qualquer coisa. É o que nos ensina mestre Saint Germain nesta mensagem

Paz é um estado de ser. Estar no aqui e agora, em harmonia e equilíbrio com todas as coisas. Paz existe no espaço entre a Luz e as Trevas. É o perfeito equilíbrio entre essas polaridades.

Paz é um entender de ambos os lados das polaridades e não achar oposição em nada, isto é, não ir contra a nada ou ninguém. Paz não conhece oposição. Deus não conhece oposição. Deus não se opõe a nada.

De qualquer maneira, em seu livre arbítrio, a humanidade tem a liberdade de se opor, ir contra ou de criar o equilíbrio e perfeição que se encontra na Fonte de Deus dentro de nossos corações. É somente na ilusão dessa separação que nós podemos escolher a oposição, escolher ir contra.

Medo - outra ilusão - cria oposição. Toda oposição é motivada pelo medo. É um cair continuo até que chega uma hora em que você tem tanto medo e oposição que a Poderosa Luz da Presença Divina EU SOU começa a brilhar, mudando seu medo e oposição para equilíbrio e amor.

Quando você escolhe se render de suas oposições, você escolhe se render para Seu Ser Crístico. Ser amoroso e bondoso, mas não entender e se revoltar contra o oposto  revoltar-se contra o ódio, guerras, injustiças é viver na oposição.

Nesse estado de oposição, você se envolve na mesma energia do ódio e da guerra. Você fala, "é para a Paz que nós nos colocamos contra a guerra". Mas EU falo para vocês: paz não se opõe, não vai contra nada. Paz é o que a paz faz.

Se você fala que está em paz, mas não entende o porque das coisas erradas que outros fazem ou deixam de fazer, da violência e das injustiças, então você não está em paz. Se você usa seu tempo para brigar contra o sistema, se rebela contra as injustiças do mundo e compete com o próximo, então você não está em paz.

Polarizando toda situação entre certo e errado, bom e ruim, preto e branco, não se cria a paz. Onde há oposição, não há paz.

Você fala que quer paz.

Mas, para ter paz, você deve ser paz, sentir paz. Deve começar a conhecer a paz intimamente, dentro da chama de seu coração.

A única maneira de ter, ser paz é permitir que outros tenham suas experiências, por mais tenebrosas que sejam, e, na sua paz, nada disso o afetará.

E verá dentro deles a paz, a luz, o amor de Cristo, que é a verdadeira natureza do ser que você reconhece em sua pacífica consciência amplificada.

Se não houver sintonia com todo esse comportamento, atitude, ação ou julgamento do outro, é recompensador perceber sua neutralidade com tudo isso.

É recompensador, talvez, até mesmo expressar seus sentimentos de neutralidade, para informar aos outros que você não está em sintonia com tudo isso. Você pode, em sua consciência e visão, compartilhar sua sabedoria e demonstrar talvez um jeito mais equilíbrio de ser. Essas ações são feitas em equilíbrio com a paz. Elas são realizadas em paz.

De qualquer maneira, fique atento quando sentir a fúria no plexo solar, a fúria do descontentamento ardendo dentro de você, uma posição do que você acha ser a ação correta para os que estão em guerra. Sua fúria e virtuosa ação não são ações de paz.

Existe oposição na ação. Paz é o que a paz faz. Ela não conhece oposição.

Você pode falar:
"Mas, ficar quieto e deixar tudo acontecendo e não fazer nada?".
Isso pode ser verdade.

Mas a oposição somente cria mais guerra
Então, o que apenas uma pessoa pode fazer?

 Paz é o que a paz faz.
 Esteja em paz e você terá paz.
 Viva, seja, respire, imagine, veja a paz.
 Faça a sua a parte em plena paz.

Não justifique sua oposição em nome da paz. A paz dos céus não pede batalhas ou justificativas. Para trazer o Céu para a Terra, você deve simplesmente se render para aquilo que é sua verdadeira natureza. A Presença Divina EU SOU de suas almas não conhece oposição. Ela conhece somente a paz.

Enquanto você se defende contra a oposição, contra o que está errado, você se afasta do Amor e Luz que é sua verdadeira essência. Você mascara a luz e logo se torna o naquilo a que se opõe. Enquanto você constata a guerra e a violência do dia a dia e acusa os envolvidos nela como maléficos, sua acusação é também maléfica.

Enquanto houver o oposto, há a oposição, há polaridade e dualidade, o que lhe levará ainda mais para a realidade densa da terceira dimensão. Quando guerra e violência são feitas para se obter a paz, isso somente estará criando mais oposição.

A paz é perseguida, buscada, mas não é achada porque não se pode buscar a paz - ela pode somente ser experimentada. Paz é o que a paz faz. É o ego humano que cria medo para criar a oposição a fim de distrai-lo e não deixar você perceber a Luz que realmente é.

Oposição é uma criação humana. Nós lhe falamos, acabe com isso! Isso não serve para nada. Concentre-se na paz e você criará mais paz; concentre-se na oposição e você criará mais oposição. Entenda que saúde, felicidade, amor, prazer e plenitude são produtos da paz interior. Doenças, carência, crítica, luta dor são produtos da oposição.

Superficialmente, você pode falar:
"Eu sou uma pessoa pacífica e eu não me oponho a nada".

Nós lhe suplicamos que olhe bem dentro de seu honesto e puro coração.
Permita-se ficar livre de todas essas aflições da oposição que você mesmo colocou em seu coração.

No mundo da polaridade, tudo que funciona com violenta crítica e julgamento transforma-se em separação entre a maneira certa e a errada.

Aumentando mais e mais a distância entre o certo e errado - porque a cada novo certo criado, um novo errado também surge -o pêndulo balança sem parar entre os extremos das forças da oposição e cria mais oposição.

Existe uma distorção do que é certo das coisas erradas. Quando o pêndulo pára de balançar entre a polaridade do certo e do errado, Trevas e Luz, bem e mal, então se acha a paz. Paz está entre as polaridades, não está em somente um dos lados.

Enquanto se fica julgando tudo como certo ou errado não se terá paz.

Enquanto você viver sua vida em oposição, opondo-se a isso ou aquilo, indo contra o governo, a economia, o materialismo, a política, a violência - seja lá o que for - você não estará em paz. Mesmo que a intenção de sua oposição seja a paz, você não vive em paz quando está na oposição.

Seu caminho eventualmente o levará para a paz. Paz sabe o que é equilíbrio e harmonia, e isso é seu estado natural de ser, no qual sua Presença Divina EU SOU está constantemente convidando-o a experimentar. 

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 14 de Janeiro de 2019, 03:19

Busque a paz dentro de você. Abra-se para essas áreas onde você carrega a oposição dentro de seu coração. Abra-se para a essência das causas de suas oposições e então faça as pazes com tudo isso.

Se você está se opondo a alguma coisa porque foi feita uma injustiça contra você, faça as pazes com essa injustiça. Nessa atitude, você estará em paz. Você não estará em paz até que faça as pazes com seu próprio ser.

Sim, existe injustiça e sim, existe ação correta, mas o tempo para batalhas e oposições acabou. O tempo para a quietude da paz já se iniciou.

Quando puder amar - verdadeiramente amar - isso a que se opõe, sem ter medo - mas, pelo contrário, ter amor, compaixão por todo esse processo -, então seu mundo será transformado e retornará à sua verdadeira natureza: paz.

Seja justo em sua própria vida.

Considere todas as conseqüências de suas ações. Esteja consciente da causa e do efeito - não somente no efeito que lhe causará, mas que pode atingir o outro, o efeito no todo.

Seja lá o que fizer, se essas ações e pensamentos não refletirem paz em todos os níveis, então nós dizemos que você não está em paz. Se esse for o caso, então suas palavras de paz são somente da boca para fora. Você só pode refletir para o mundo externo a quilo que sente e é no mundo interno.

Sua escolha em tudo que faz, pensa e fala é a verdade de seu estado de consciência. Não faça da paz uma alegoria ou uma fantasia.

Paz não é uma coisa que cai do céu sobre você e limpa toda essa bagunça que nós humanos criamos. Sinta paz dentro de você agora e isso irá crescer à sua volta e transformar até aquela mais escura demonstração de oposição.

●  Sinta paz em cada respirar.
●  Respire a paz em toda sua vida.

Existe uma grandiosa força na paz, e na paz está a solução de tudo que não se harmonizou com a paz.

Se você realmente deseja a paz na Terra, então que a Terra esteja em paz. Honre a Terra. Honre ao próximo.

●  Pare de lutar.
●  Pare de julgar.
●  Pare de se opor.

Pare de competir. Pare de achar o culpado. Seja amoroso. Seja caridoso. Realize suas ações com atenção, com consciência, com compaixão. Fale paz, pense paz, aja pacificamente. Sonhe paz. Esteja em paz.

Comece a imaginar que, um dia, em algum lugar, essa maneira de viver em paz - uma utopia, se assim quiser - cooperação, amor, harmonia, prazer, alegria e equilíbrio está acontecendo. Os problemas serão solucionados nesse mundo de paz.

Se você deseja a paz, você deve se tornar paz.

Então, esteja em paz. Reconheça quando você está em oposição e então pergunte ao Seu Cristo interno, "a que estou me opondo?

Se todas as coisas são Deus e EU SOU Deus, então porque esta oposição a mim mesmo? Me ajude a achar a paz. Eu me rendo da minha oposição".

Para aumentar sua consciência, você deve achar paz entre as Trevas e a Luz. Muitos de vocês acham que a paz se encontra no brilho da luz. E de fato existe paz na luz.

De qualquer maneira, a luz mais pura não pode ser alcançada até que toda a energia esteja harmonizada, reconciliada e entendida.

Essa reconciliação e entendimento se encontram nesse espaço entre as polaridades, o espaço de equilíbrio e igualdade, o espaço onde a paz se encontra. Paz não é nem uma ou outra polaridade, ela é o equilíbrio das duas.

Quando o mundo é olhado de fora e se vê as polaridades e distorções, mas se tem paz interior, você traz com sua paz a dádiva da renovação, da esperança, da mudança, da paz, harmonia, e do arcoíres.

Mas, quando se vê as polaridades e a distorções e se envolve com toda a injustiça e a falta de esperança, então se perde a paz, e ela é perdida no momento desse envolvimento.

Você saberá que encontrou a paz quando puder se sentar com aqueles que vão contra você e sentir profunda compaixão pela maneira que eles enxergam o mundo. E em seu verdadeiro equilíbrio você demonstra sua paz sem se opor ao que aparenta ser a oposição.

Quando você anda pelo mundo e imagina a paz e entre em sintonia com esse nascer da paz, então você está criando paz.

Reveja sua vida. Quando você está em paz? Quando está em oposição? Traga paz para suas oposições e o mundo irá refletir paz para você.

Se olhar à sua volta para achar a paz e somente ver, mesmo que um pouco, de oposição, essa é a dica para mostrar que dentro do seu coração ainda existe oposição. Quando você estiver em paz, o mundo estará em paz com você.

Quantos, andando na paz, são necessários para que o resto do mundo responda e se transforme com isso?

Nós falamos para vocês, queridos, que são menos do que imaginam. Não descuidem nem um minuto de sentir, pensar e fazer a paz. Um momento de pura demonstração de amor e paz pode mudar o mundo e criar milagres dentro de você.

Pode desintegrar armas bem na frente de seus olhos, pode parar as balas no ar, pode até mesmo derreter o coração mais duro que esteja envolvido na guerra. Na verdade, isso é muito simples.

Amor e Paz criam Amor e Paz.

De nossos corações, pedimos para não desanimarem com tudo que está sendo mostrado em seu mundo. Essa distorção que tem sido criada se tornará paz. Todos vocês possuem paz em seus corações. A Paz é verdadeira. Paz faz parte de sua essência.

Mas você não será testemunha da paz se ficar esperando que ela caia do céu. Como pode perceber, dependerá de você criar a manifestação da paz.

Nós imploramos a todos para que criem paz em todos os aspectos de suas vidas.

Faça a paz ser significante em sua vida. Traga paz para sua consciência. Seja um manifestador dela e logo verá paz rodeando sua vida. Os outros lhe seguirão, e então você terá um mundo de paz.

Uma Demonstração Divina, de fato. Ame uns aos outros e a paz prevalecerá. Deixe de lado todas suas oposições, suas competições, sua luta interior. Quando você se tornar paz, você cria paz. Seja Amor e criará Amor. Esteja em oposição e, bem, você já sabe do resto.

Nós lhe amamos e agora nos retiramos em paz para refletir paz. Que a paz esteja em seus corações, suas mentes e suas manifestações.

PAZ, EU SOU Pacificamente a seu serviço.

Saint Germain.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 15 de Janeiro de 2019, 02:46

39º-) Castigo Em Forma De Perdão.

— Qual seria a melhor pena para os criminosos?
— A estes espíritos que escolheram evoluir pelo aprendizado na dor, seria o correto sentimentos de piedade e solidariedade a eles?

Muito difícil colocar em prática o perdão, em casos extremos como esses. O sentimento de indignação e sofrimento transcende a qualquer pratica mesmo diante todos ensinamentos que Jesus nos deixou.

— Perdoar criminosos tão frios e violentos, que cometem atrocidades como esta?
— Não seria justo, então, imputar-lhes a mesma pena?
— Não devem eles pagar com as próprias vidas?

Aos que escolhem diante uma nova encarnação seguir o aprendizado na dor, escolhem em suas vidas caminhos mais longos e mais difíceis a seguir.
 
Mas Deus é misericordioso, e estamos todos sujeitos as mesmas Leis, criminosos ou não. Pela reencarnação, Deus oferece a todos os homens oportunidades de ser refazerem dos males cometidos com o bem.

A finalidade da reencarnação é a evolução espiritual necessária a este pobre espírito.

Esse progresso passa do ponto de vista de criminoso que responde as leis da justiça dos homens, que nada traz a seu crescimento e entendimento espiritual neste sistema decadente de justiça aqui imposta, mas sim será condenado e apenado diante a justiça divina, esta é a verdadeira e digna justiça.
 
Então cabe a cada um de nós, que indignadamente acompanha o desenrolar dessas novelas, aonde os criminosos se tornam monstros famosos até uma simples modificação na legislação vigente, ou a entrada de um novo desembargador modifique todo o curso da pena destinada a eles.

Isso não é digno de sofrimento e complacência de todos que humanamente sentem com pesar a situação. A única solução nesta hora é exercitarmos o perdão de coração, pois com dignidade reconhecemos que Deus supremamente conduz a situação.

Devemos confiar mais no poder de Deus, e menos em nossas indignações que serão sempre limitadas, circunscritas a uma única existência, e sem conhecimento da trajetória dos espíritos envolvidos na tragédia.

Diante do Código Penal Da Vida Próxima, sabemos que o espírito sofre na vida espiritual as consequências das imperfeições que não conseguiu corrigir na vida corporal.

Não há uma única imperfeição da alma, que não importe funestas e inevitáveis consequências, como não há uma só qualidade boa que não seja fonte de felicidade.

Dependendo o sofrimento da imperfeição, a alma traz consigo o próprio castigo ou prêmio, onde quer que se encontre. O inferno está em toda parte em que haja almas sofredoras, e o céu igualmente onde houver almas felizes e amorosas.

A duração da pena depende da melhoria do Espírito culpado. O que Deus exige por termo de sofrimentos, é um melhoramento sério, efetivo, sincero, de volta ao bem.

O Espírito é sempre árbitro do próprio destino, podendo prolongar os sofrimentos pela pertinência no mal, ou suavizá-los e anulá-los pela prática do bem.

O arrependimento, conquanto seja o primeiro passo para a regeneração, não basta por si só: são precisas a expiação e a reparação.

●  Arrependimento.
●  Reparação.
●  Expiação.

Constituem portanto as condições necessárias para apagar os traços de uma falta cometida, e suas consequências.

O arrependimento suaviza os travos da expiação, abrindo pela esperança o caminho da reabilitação. Só a reparação, contudo, pode anular o efeito, distraindo-lhe a causa. Do contrário, o perdão seria uma graça, não uma anulação.

Até que os últimos vestígios da falta desapareçam, a expiação consiste no sofrimento físico e moral que lhe são conseqüentes, ou seja na vida atual, ou na vida espiritual ou até em nova existência corporal.

A reparação consiste em fazer o bem àqueles a quem se há feito mal. Quem não repara os seus erros numa existência por fraqueza ou má vontade, achar-se-á numa existência próxima em contato com as mesmas pessoas as quais as quais deve reparar-se, e em condições voluntariamente escolhidas, de modo a demonstrar-lhes reconhecimento e fazer-lhes tanto bem quanto mal lhes havia feito.

Para o criminoso, a presença incessante das vítimas e das circunstâncias do crime é um suplício cruel.

A misericórdia Divina é infinita, sem dúvidas, mas não é cega. O culpado que ela atinge não fica exonerado e enquanto não houver satisfeito a justiça, sofre as consequências de seus erros.
 
Foi lindo e de grandioso exemplo a atitude dos avós maternos de Isabella, um dia após os suspeitos serem indiciados pelo crime. Eles pediram que oremos pelos supostos assassinos.

Com certeza eles são conhecedores e compreender dores dos ensinamentos que Jesus nos deixou.

Em momento tão difícil e doloroso, estão demonstrando o que verdadeiramente há em seus corações e suas identidades espirituais. O melhor que podemos fazer é o mesmo que eles pois do restante a justiça dos homens irá se ocupar.

E a justiça de Divina não falhará...

Juliana.
Pelo espírito Alice.


Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 30 de Janeiro de 2019, 22:23

40º- Depois da "Morte" Ainda Temos Que Trabalhar?

O grande problema enfrentado pelas pessoas logo depois da morte é o sentimento de decepção. Quando vivos colocam na nossa cabeça diversas informações distorcidas ou falsas com relação a vida depois da morte.

A maior delas é a ideia do descanso eterno.

Da ociosidade por toda a eternidade. Férias para sempre. Muitos acreditam que a morte esta diretamente relacionada com descansar, ficar contemplando as belezas de um paraíso por toda eternidade sem nada para se preocupar, sem problemas para resolver, sem nada para fazer.

Se você é uma destas pessoas que pensa desta forma. Tente mudar esta idéia da sua cabeça, pois as coisas não funcionam bem assim. Existe muito, mas muito trabalho depois da morte.

Vamos entender isso:

Você é uma unidade de inteligência (espírito) criada em algum momento neste Universo como todas as coisas que nossos sentidos e instrumentos podem detectar, e as coisas que não podemos sentir ou detectar.

Da mesma forma que a matéria no principio do Universo era bruta e primitiva, seu espírito também foi criado como entidade bruta dotada da completa ignorância, mas com a capacidade de tomar decisões (livre arbítrio).

Animando um corpo físico, nascendo uma, duas, inúmeras vezes você tem a oportunidade de se lapidar. Sair da brutalidade e da ignorância (o que muitos chamam de mal) e mergulhar no conhecimento e na sabedoria (que muitos chamam de bem).

Nascendo você esquece os erros passados e começa novamente para reparar erros passados ou aprender coisas novas. Se esta necessidade de aprimoramento individual não bastasse ainda existe a sua necessidade de ajudar seus afetos a evoluir junto com você.

Que graça existe em atingir um estado supremo de sabedoria e por conseqüência atingir o estado de felicidade verdadeiro, se os teus amigos, parentes e as pessoas que você gosta ficaram para trás mergulhadas em todos os sofrimentos que a ignorância nos impõe?

É como aquele cara que ganha na Mega Senna e não divida o prêmio com todos os familiares. Sem fazer isso a felicidade do novo milionário com certeza não é completa. Uma fez conhecendo o que é bom é natural que queiramos mostrar aos outros o que conhecemos.

É impossível que algum espírito bom, justo, sábio se sinta verdadeiramente feliz, completamente feliz sabendo que existe algum outro espírito semelhante a ele em condição diferente.

É impossível descansar em paz sabendo que existem bilhões de pessoas precisando de ajuda para chegar onde você chegou.

É por isso que nos livros psicografados por espíritos podemos ver claramente que quanto mais elevado é o grau de bondade, sabedoria e inteligência de um espírito maior é a sua consciência de que precisa trabalhar e ajudar para evolução da humanidade.

Felizmente alguns homens aqui na Terra (encarnados) compartilham do mesmo sentimento e acordam todos os dias com a real intenção de fazer alguma coisa para tornar a vida dos outros um pouco melhor.

Normalmente são pessoas animadas por espíritos de grande elevação e capacidade de renuncia em prol da causa humana.

Podemos citar o exemplo do próprio Jesus que foi o espírito mais elevado que já se aventurou a encarnar na Terra com o único objetivo de nos educar.

Jesus trabalho duro aqui na Terra e com certeza Não Está sentado ociosamente em um trono a direita de Deus Pai assistindo o sofrimento Terreno.

É certo que ele e todos os espíritos de grande elevação estejam em constante trabalho para influenciar o homem a seguir o caminho mais curto e menos sofrido até o estado pleno de sabedoria e felicidade.

Quando digo influenciar é porque não podemos esquecer do danado do livre arbítrio. A liberdade que cada espírito tem é sagrada. Por isso só podemos mesmo receber influencias, ajuda e sugestões.

A decisão sempre é de cada um.

O importante mesmo é saber que existe muito trabalho a ser feito. O trabalho é a principal força que move a humanidade para o progresso espiritual e moral. E quando você terminar o seu trabalho, ai é que terá mais trabalho para fazer, pois estará ainda mais preparado a ajudar os que ficaram para trás.

Autor Desconhecido.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 01 de Fevereiro de 2019, 16:25

41º- Eleve Sua Auto-Estima

1º Harmonize seu lar:

Abra portas e janelas e comece uma limpeza. Inicie pelo guarda-roupa e  armários, tire tudo e só guarde o que está realmente precisando. O resto,  elimine da melhor forma que encontrar (doando, vendendo etc.). Faça isso em todas as dependências da casa ou escritório. Lembre-se, só fica o necessário! Roupas e objetos que estão sem uso perdem a função vital,  bloqueando o fluxo de energia do meio ambiente. A falta dessa energia ou a energia parada adoece a casa, você e sua família. Faça isso periodicamente e com a consciência de que também estará fazendo uma faxina emocional.

2º Coma bem:

Respeite os momentos das refeições. Preste atenção no que está fazendo. Não assista TV e nem marque negócios para essa hora. Evite falar sobre problemas. Acalme-se, olhe para o seu prato e lembre-se: o que está  ingerindo irá para o interior das suas células e será parte de você, tanto física como mentalmente. Seu corpo é 100% natural, uma alimentação artificial é incompatível com a sua natureza. Evite também alimentos de base animal, pois eles levam uma vida inteira sendo maltratados, principalmente no momento do abate. Todas essas emoções como o medo, o desespero, a tristeza, ficam em forma de energia negativa impregnadas nas  carnes que você está ingerindo.

3º Preste atenção em você:

Perceba os seus pensamentos. Ao longo do dia você tem milhares de pensamentos negativos e positivos. Você não é os seus pensamentos, mas eles têm uma enorme força sobre a sua vida. Se você tem mais pensamentos negativos, isto demonstra que você é uma pessoa negativa, sua vida vai mal e as pessoas e situações que você atrai também estão na mesma freqüência de negatividade. Você pode mudar a sua vida, mudando a qualidade de seus pensamentos. Quanto aos negativos, você não poderá eliminá-los, mas poderá tirar as suas forças, cultivando os positivos e os elevados. Enquanto você presta atenção no que está pensando, já tem maior autocontrole sobre a energia mental e conseqüentemente sobre sua vida. Procure ler frases de afirmações positivas e biografias de pessoas bem sucedidas. Mas quando o pensamento negativo lhe assaltar a mente, repita por sete vezes: "este pensamento não tem força sobre mim". Com o tempo você perceberá que no jardim existem rosas e espinhos e que a felicidade é um presente para quem observa as rosas e a tristeza os espinhos.

4º Tenha objetivos:

Tenha objetivos materiais e espirituais. Busque sempre melhorar a sua condição financeira, planeje comprar bens, faça investimentos, realize viagens e busque tudo que tiver vontade, mas lembre-se: nunca dependa dessas conquistas para viver emocionalmente bem. Elas não podem garantir isto! O verdadeiro Bem-Estar só é alcançado por meio dos objetivos espirituais. Vá à conquista de se tornar uma pessoa mais paciente, bondosa, serena, confiável e amiga, além de humilde, aberta, sincera e simples e, principalmente, uma pessoa que tenha fé e confiança na vida.  Esses objetivos, e só esses, podem garantir o equilíbrio, a satisfação e a razão de viver.

5º Faça exercícios:

Escolha um exercício que lhe agrade, caminhar, dançar e nadar são os mais recomendados. Os exercícios estimulam o fluxo de energia vital, gerando além de um melhor condicionamento físico, uma ótima sensação de bem-estar. A prática de exercícios bioenergéticos como o yoga, o tai ch'i chuan, a dança do ventre entre outros, é fundamental para o equilíbrio do corpo e da mente. O mais difícil é tomar a decisão de começar. Mas depois de 21 dias de exercício, ou prática, o cérebro registra como um hábito e tudo  fica mais fácil.

6º Utilize seus talentos:

Você tem dons e talentos. Descubra quais são eles e comece a colocar em prática. A saúde física e emocional depende muito desses talentos. Pessoas  que não utilizam essa energia criativa, bloqueiam o seu fluxo energético e  adoecem física e emocionalmente. Canalize seus talentos com o propósito de  melhorar a vida das pessoas. Este é um excelente caminho para encontrar prazer, equilíbrio e crescimento em sua vida.

7º Medite, medite e medite:

A meditação é a medicina do corpo e da mente mais poderosa do mundo. Além de terapêutica é a melhor ferramenta para o crescimento pessoal e espiritual. Preste muita atenção: aprendendo a meditar você descobre a diferença do que é ou não importante para sua vida, com isto se torna uma pessoa mais segura e objetiva. Com a meditação você cura seu corpo, Melhora a memória e concentração, desperta a intuição e a percepção. Você  se torna uma pessoa mais disposta e produtiva, mais agradável e serena. A  forma de meditar é muito particular de cada pessoa. Existem muitas técnicas e rituais. Cada um deve praticar da maneira que se sentir melhor. Procure um livro, um curso ou um mestre, mas procure, pois a meditação vai  melhorar muito a sua vida, pois vai fazer você encontrar a pessoa mais importante do mundo: você mesmo!

8º Aceite a vida:

Pare já de reclamar. Volte sua mente para o que a vida oferece de bom. Aceite viver nesse planeta azul, e curta a viagem da melhor maneira possível. Lembre-se que ela tem fim, então faça bom proveito. Ajude ao próximo, seja uma pessoa sincera, alegre e procure trabalhar com amor. Aceite sua casa e seus bens. Aceite as pessoas como elas são e, principalmente, se aceite como você é, seu corpo, sua personalidade. Mas  aceitar não significa se acomodar com os problemas e dificuldades da vida. Devemos buscar a força para mudar o que podemos mudar, e a aceitação para  o que não se pode ser diferente.

9º Visite a natureza:

Coloque essa meta em sua vida. Pelo menos uma vez por mês, faça uma visita  à mãe natureza. Ela tem o poder de purificar as células e acalmar o  espírito. O mar neutraliza as energias negativas e recarrega o campo  eletromagnético (aura). As cachoeiras ativam a vida celular e também energizam a aura, além de hidratar a pele e os cabelos. O verde ativa o  processo interior de autocura, tanto física como emocional. Pisar descalço na terra descarrega as energias negativas. E não se esqueça, você é parte da natureza e deve estar em harmonia com ela se quiser manter ou recuperar  a qualidade de sua vida.

10º Converse com Deus:

Os gregos espiritualistas evitavam dizer o nome de Deus, pois achavam seu vocabulário muito limitado para expressar a grandeza Dele. Então todas as vezes que tinham que falar sobre Deus usavam a expressão o TODO. Aprenda  estar em sintonia com o TODO, que está ao redor e, principalmente, dentro  do seu coração. A melhor forma? Fica a seu critério, o importante é  desejar que isso aconteça.

Marcelo de Almeida.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 07 de Fevereiro de 2019, 02:58


42º- Visão Espírita Do Pecado

Um dos conceitos mais arraigados na nossa cultura cristã é a ideia do pecado.

Desde a mais tenra idade nos ensinam que somos todos pecadores, que tudo de errado que fazemos é pecado e que por isto devemos ser punidos, ou como é mais comum dizermos, castigados.

Fazendo-se uma análise, à luz da razão, desta relação entre pecado e castigo, vamos verificar que este é um processo que apenas gera medo e temor, levando-nos a conter nossos atos, não pela educação, mas pela ameaça do respectivo castigo.

— Mas será esta a maneira adequada de levar as pessoas à obediência do Evangelho? —— Será este o meio adequado de implantar o amor entre os homens?

Antes de nos concentrarmos na busca de uma alternativa, seria interessante que fôssemos procurar a origem desta visão punitiva.

Quando Moisés retirou seu povo do Egito, os Hebreus estavam completamente influenciados pela cultura egípcia, a idéia de um Deus único era estranha e não havia qualquer disciplina entre eles, era um povo rebelde e acostumado à prática do roubo, do adultério e da adoração a vários deuses. Era ainda um povo primitivo, incapaz de espontaneamente modificar sua conduta.

Não existia outra maneira de levá-los a abandonar os velhos hábitos a não ser a adoção da imagem de um Deus punitivo, um Deus que se irava e que castigava implacavelmente aqueles que não obedecessem a “sua Lei”, era o tempo do “olho por olho, dente por dente”.

Quando Jesus veio à terra, seu discurso falava de um Deus tão amoroso que ele o chamava de Pai, sua mensagem não era mais o antigo conceito do Deus vingativo, mas do Deus que perdoava e que nos queria vivendo como irmãos, perdoando e oferecendo a outra face.

Com o advento da Idade Média, a Igreja resgatou o conceito mosaico do pecado, e a idéia de que os pecadores precisavam ser castigados como forma de remir suas faltas, além disso, foi fortalecida a idéia da ação do demônio na vida dos homens e de que se não “pagássemos” pelas nossas faltas estaríamos irremediavelmente condenados ao fogo do inferno. Essa concepção foi transmitida através das gerações e chegou até os nossos dias, onde continuamos temendo os castigos de Deus.

O Espiritismo, através de uma visão amadurecida, observa sob uma nova ótica a questão do pecado, lançando a luz do entendimento sobre o assunto e trazendo conforto e esperança aos homens, que doravante apagam a noção de pecadores e passam a assumir o papel de seres em evolução, ainda imperfeitos é verdade, mas rumando inexoravelmente para uma condição superior onde não mais cometerão os erros atuais. 

Alguns podem julgar esta posição absurda, mas então vamos parar um minuto e perguntar a nós mesmos:
— Quantos de nós, que somos humanos, ao invés de darmos nova oportunidade a nossos filhos, quando estes fazem algo que julgamos errado, os expulsamos de casa e os condenamos a viver eternamente com sua culpa?

— Então por que Deus que é o infinito amor agiria de uma forma pior do que a nossa?

Afinal não foi Jesus quem disse:
“Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus” (Mateus 7:11).

Apaguemos de nossas mentes a idéia da culpa.

Na Doutrina Espírita nós não somos culpados; somos responsáveis pelos nossos atos e devemos responder pelas nossas ações, não através do famigerado castigo, mas através de mecanismos que nos levam à conscientização de nossas atitudes equivocadas e da reparação dos mesmos, pois o equívoco faz parte do processo de aprendizado e como seres em evolução precisamos vivenciar as mais diversas experiências para alcançar o progresso espiritual, e nessa jornada de luz é natural que nos enganemos, mas, é imprescindível que nos esforcemos para crescer.

O objetivo da lei divina não é punir, mas, educar, fazendo com que cada indivíduo evite repetir seus erros pela compreensão de que sua atitude passada foi inadequada e que é necessário uma mudança de conduta.

As fases deste processo de mudança são: o Arrependimento, momento em que reconhecemos a nossa falha de conduta, a Expiação, que é quando vamos refletir sobre o que fizemos e finalmente a Reparação, que é o ápice deste processo, pois é quando alteramos nossos passos ou corrigimos o ato falho.

Observem a lógica desta proposta, nela todos saem enriquecidos; nós, pelo amadurecimento, e o outro (a quem porventura prejudicamos), por ser valorizado ao consertarmos os nossos enganos.

A vida é uma dádiva de Deus, que no-la concedeu, para que alcancemos a felicidade, e não para vivermos com medo, vamos todos então trabalhar para alcançarmos a comunhão com Ele, certos de que:

“Todo homem podendo corrigir as suas imperfeições pela sua própria vontade, pode poupar-se os males que delas decorrem e assegurar a sua felicidade futura”  (o Céu e o Inferno, Cap VII).

Edilson Botto

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 08 de Fevereiro de 2019, 17:33

43º- Os Espíritos Escolhidoso

Os companheiros assim classificados não são especialmente favorecidos pela graça divina, que é sempre a mesma fonte de bênçãos para todos. Sabemos que a “escolha”, em qualquer trabalho construtivo, não exclui a “qualidade”, e se o homem não oferece qualidade superior para o serviço divino, em hipótese alguma deve esperar a distinção da escolha.

Infere-se, pois, que Deus chama todos os filhos à cooperação em sua obra augusta, mas somente os devotados, persistentes, operosos e fiéis constroem qualidades eternas que os tornam dignos de grandes tarefas.

E, reconhecendo-se que as qualidades são frutos de construções nossas, nunca poderemos esquecer que a escolha divina começará pelo esforço de cada um. 16a - página 80] - André Luiz - 1943

Precisamos considerar que o Espírito em missão experimenta, igualmente, as suas provas no trabalho a realizar, com a diferença de permanecer menos acessível ao efeito dos sofrimentos humanos, pela condição de superioridade espiritual.

Podereis, todavia, identificar a missão da alma pelos atos e palavras, na exemplificação e no ensino da tarefa que foi chamada a cumprir, porque um emissário de amor deixa em todos os seus passos o luminoso selo do bem. [41a - página 194] - Emmanuel - 1940

No fluir e refluir das eras numerosas, os filhos do Planeta que se conservam atentos às determinações divinas, livres da antiga escravidão à miséria moral, tornam ao ambiente escuro do cativeiro que já abandonaram, a fim de ampararem os irmãos ignorantes e desvairados, em sublime trabalho de compaixão.

Formam as vanguardas do Cristo, nos mais diversos pontos do Globo, e, aos milhões, sob o patrocínio d’Ele, operam no amor e na renúncia, avançando, dificilmente embora, humanidade a dentro, enfrentando a ofensiva incendiária e exterminadora, com as bênçãos da Luz Celeste... [96 - página 36] - André Luiz

Fonte desconhecida.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 11 de Fevereiro de 2019, 00:26

44º- Dor Gerada Pela Fraqueza Moral Não É Castigo

Em plena virada de ano a humanidade foi surpreendida pelo conflito armado no Oriente Médio, envolvendo israelenses e palestinos.

A confraternização universal inspirada pelo dia 1º de janeiro foi então substituída por mortíferos foguetes e violentos bombardeios, que, juntos, construíram um cenário aterrador de dor e medo junto à população civil, a principal vítima.

Olhando tanta destruição na faixa de Gaza, onde buscar nesse instante o ensinamento maior de amor deixado pelo Mestre Jesus ou a compreensão do perdão diante do momento histórico escrito pela falência moral dos homens?

Allan Kardec pergunta oportunamente na questão 742 de O Livro dos Espíritos o que impele o homem à guerra? Ao que os Espíritos responderam: “Predominância da natureza animal sobre a natureza espiritual e transbordamento das paixões.”

E vão mais além os amigos do Espaço, alertando que à medida que o homem progride menos frequente se torna a guerra, porque ele lhe evita as causas, fazendo-a com humanidade, quando a sente necessária.

Ora, buscando mais amparo nos ensinos dos espíritos vemos na Introdução de “O Evangelho Segundo o Espiritismo” (item 6), que Deus só se comunica com os homens por intermédio dos Espíritos puros, que são os incumbidos de lhe transmitir as vontades.

E a vontade maior de Deus, segundo nos ensinou o Messias, é o aprendizado do Amor.

Em mensagem no capítulo 11 do mesmo Evangelho, Fénelon (François de Salignac de la Mothe, orador, escritor e prelado francês do século 17) pede que não acreditemos na esterilidade e no endurecimento do coração humano, pois ao contato com o amor verdadeiro, ele finda por ceder.

Confiando sempre na força do amor, acrescenta o Espírito que a Terra, orbe de provação e de exílio, será então purificada por esse fogo sagrado e verá praticados na sua superfície a caridade, a humildade, a paciência, o devotamento, a abnegação, a resignação e o sacrifício, virtudes todas filhas do amor.

Assim sendo, a Confraternização Universal representada pelo dia primeiro de janeiro, é o lembrete simbólico que as leis de Deus exigem cumprimento e obediência. E o que hoje é obrigação para nós, tornar-se-á, no futuro, na passividade dos bons sentimentos, que haveremos de conquistar, um exercício natural do amor praticado.

Assim refletindo, conclui-se que o Amor só será possível com o incentivo da vontade. A humanidade carece de vontade. Não das vontades fúteis e perigosas, onde a vaidade e o orgulho se escondem sorrateiros, e onde a ganância pelo poder aniquila tudo que encontra pela frente, mas aquela vontade que modifica, reconstrói, age e move.

Encontramos essa vontade atuante na questão 38 de “O Livro dos Espíritos”, quando Allan Kardec indaga como Deus criou o Universo. A resposta é precisa: “Para me servir de uma expressão corrente, direi: pela sua Vontade.

Nada caracteriza melhor essa vontade onipotente do que estas belas palavras de A Gênese - Deus disse: Faça-se a luz e a luz foi feita.”

Se nada conseguimos ainda nesse quesito, embora dotados de inteligência e razão, é porque carecemos de melhor disciplinar a nossa vontade no atendimento às leis divinas. O choque daí advindo faz com que padeçamos rudes provas e demoradas expiações durante várias encarnações.

A dor gerada pela fraqueza moral, não é castigo de Deus, mas colheita natural realizada pelo filho rebelde, imprevidente e preguiçoso, quando não violento.

Assim, a falta de Amor e de uma vontade ativa que promova uma reforma interior, constitui não somente o ponto crucial dos conflitos e das dores de toda espécie, como retardam grotescamente a caminhada humana em direção ao Pai.

Tudo parte da insubmissão humana à vontade do Senhor do Universo, pois a liberdade de agir de que somos dotados, embora relativa, deve ser bem empregada e, sobretudo, melhor direcionada.

Devemos sim acreditar no Amor e na Esperança, sentimentos verdadeiros e atuantes. Pois quando movidos por uma vontade firme, renovada no Evangelho, constituem um campo incessante de trabalho e de aprendizado. Elementos essenciais de evolução, sem guerras, disputas ou ódios.

Voltando os nossos pensamentos para conflito militar na faixa de Gaza, que se desenrola há mais de três semanas, lembremos-nos dos ensinamentos maiores da questão 745 de “O Livro dos Espíritos” sobre o que se deve pensar daquele que suscita a guerra para proveito seu: “Grande culpado é esse e muitas existências lhe serão necessárias para expiar todos os assassínios de que haja sido causa, porquanto responderá por todos os homens cuja morte tenha causado para satisfazer à sua ambição.”

Eliana Thomé.
Fonte: Jornal dos Espíritos.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 18 de Fevereiro de 2019, 03:55

45º- Onde Está A Perfeição De Deus?

No Brooklyn, Nova Iorque, Chush é uma escola que se dedica ao ensino de crianças especiais. Algumas crianças ali permanecem por toda a vida escolar, enquanto outras podem ser encaminhadas a escolas comuns.

Em um jantar beneficente de Chush, o pai de uma criança fez um discurso que nunca mais seria esquecido pelos que ali estavam presentes.

Depois de elogiar a escola e seu dedicado pessoal, perguntou ele: “Onde está a perfeição em meu filho Shaya? Tudo o que DEUS faz, é feito com perfeição. Mas meu filho não pode entender as coisas como outras crianças entendem. Meu filho não pode se lembrar de fatos e números como as outras crianças. Onde está a perfeição de Deus?”

Todos ficaram chocados com a pergunta e com o sofrimento daquele pai. Mas ele continuou:

“Acredito que quando Deus traz uma criança especial ao mundo, a perfeição que Ele busca está no modo como as pessoas reagem diante desta criança”.

Então ele contou a seguinte história sobre o seu filho Shaya:

“Uma tarde Shaya e eu caminhávamos pelo parque onde alguns meninos que Shaya conhecia, estavam jogando beisebol. Shaya perguntou-me, você acha que eles me deixariam jogar”?

Eu sabia das limitações do meu filho e que a maioria dos meninos não o queria no time. Mas entendi que se Shaya pudesse jogar com eles, isto lhe daria uma confortável sensação de participação.

Aproximei-me de um dos meninos no campo e perguntei se Shaya poderia jogar. O menino deu uma olhada ao redor buscando a aprovação de seus companheiros de time. Mas, mesmo não conseguindo nenhuma aprovação, ele assumiu a responsabilidade e disse:

“Nós estamos perdendo por seis rodadas e o jogo está na oitava. Acho que ele pode entrar em nosso time e tentaremos colocá-lo para bater até a nona rodada”.

Fiquei admirado quando Shaya abriu um grande sorriso ao ouvir a resposta do menino. Pediram então que ele calçasse a luva e fosse para o campo jogar. No final da oitava rodada, o time de Shaya marcou alguns pontos, mas ainda estava perdendo por três. No final da nona rodada, o time de Shaya marcou novamente e agora com dois fora e as bases com potencial para a rodada decisiva, Shaya foi escalado para continuar.

O time deixaria Shaya de fato rebater nesta circunstância e jogar fora a chance de ganhar o jogo?

Surpreendentemente, foi dado o bastão a Shaya. Todo o mundo sabia que isto seria quase impossível, porque ele nem mesmo sabia segurar o bastão. Porém quando Shaya tomou posição, o lançador se moveu alguns passos para arremessar a bola de maneira que Shaya pudesse ao menos rebater.

Foi feito o primeiro arremesso e Shaya balançou desajeitadamente e o perdeu. Um dos companheiros do time de Shaya foi até ele e juntos seguraram o bastão e encararam o lançador. O lançador deu novamente alguns passos para lançar a bola suavemente para Shaya.

Quando veio o lance, Shaya e o seu companheiro de time balançaram o bastão e juntos rebateram a lenta bola do lançador.

O lançador apanhou a suave bola e poderia tê-la lançado facilmente ao primeiro homem da base, Shaya estaria fora e isso teria terminado o jogo. Ao invés disso, o lançador pegou a bola e lançou-a em uma curva, longa e alta para o campo, distante do alcance do primeiro homem da base. Então todo o mundo começou a gritar: “Shaya, corra para a primeira base. Corra para a primeira”.

Nunca em sua vida ele tinha corrido… Mas saiu em disparada para a linha de base, com os olhos arregalados e assustado. Até que ele alcançasse a primeira base, o jogador da direita teve a posse da bola.

Ele poderia ter lançado a bola ao segundo homem da base o que colocaria Shaya para fora, pois ele ainda estava correndo. Mas o jogador entendeu quais eram as intenções do lançador, assim, lançou a bola alta e distante, acima da cabeça do terceiro homem da base. Todo o mundo gritou:

“Corra para a segunda, corra para a segunda base”.

Shaya correu para a segunda base, enquanto os jogadores à frente dele circulavam liberadamente para a base principal.

Quando Shaya alcançou a segunda base, a curta parada adversária, colocou-o na direção de terceira base e todos gritaram: “Corra para a terceira”.

Quando Shaya contornou a terceira base, os meninos de ambos os times correram atrás dele gritando:”Shaya, corra para a base principal”.

Shaya correu para a base principal, pisou nela e todos os 18 meninos o ergueram nos ombros fazendo dele o herói, como se ele tivesse vencido o campeonato e ganho o jogo para o time dele.

Naquele dia, disse o pai com lágrimas caindo sobre a face, “aqueles 18 meninos alcançaram a Perfeição de Deus. Eu nunca tinha visto um sorriso tão lindo no rosto do meu filho!”

Tenhamos a certeza de que, se quisermos, poderemos transformar nossas vidas e fazer sempre o melhor para todas as pessoas.

Um abraço gostoso, para você que consegue alcançar a Perfeição de Deus, em muitos momentos.

(A. D.)

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 20 de Fevereiro de 2019, 02:57

46º- Desastres E Resgates Coletivos.
Sinal Dos Tempos, Ou De Um Futuro Promissor?

Quando olhamos para o mundo à nossa volta, parece-nos que se multiplicam as catástrofes, os desastres, os cataclismos. os questionamentos são vários, e envolvem até a Justiça (ou para alguns, a injustiça) Divina.

O Espiritismo, enquanto doutrina libertadora, progressista e evolutiva, e por isso mesmo considerada consoladora, objetiva auxiliar-nos a entender o porquê dos acontecimentos de nosso dia-a-dia, inclusive dos mais trágicos. Assim, via entendimento da Lei Natural e da Justiça Divina, obtêm-se a conseqüente aplicação desses princípios no cotidiano, favorecendo sua vivência, promovendo a coerência entre o crer e o agir.

Frente a situações de catástrofes coletivas, alguns questionamentos são usuais, como, por exemplo:

Por que acontece esse tipo de coisas?
Qual a finalidade desses acidentes que causam a morte conjunta de várias pessoas?
Como a Justiça Divina pode ser percebida nessas situações?
Por que algumas pessoas escapam?

Naturalmente, as respostas exigem reflexão aprofundada com base em princípios fundamentais do Espiritismo, como a multiplicidade das encarnações e a anterioridade do Espírito.

Esses pontos somam-se ao fato de que nós, enquanto Espíritos em processo evolutivo, temos um passado de descumprimento da lei divina que precisa ter seu rumo corrigido não apenas para equacionar nossos problemas de consciência, mas também para nos harmonizar com nossos semelhantes, afetados pelas nossas ações de desvirtuamento da Lei.

Ao entendermos o que a Doutrina Espírita tem a dizer sobre o assunto, começamos a perceber a profundidade da reflexão que deve ser adotada por cada um de nós em nosso dia-a-dia e o papel a ser assumido de observadores da Sociedade, em substituição à postura usual de críticos e questionadores.

Começamos, assim, a conhecer o caminho para aplicação dinâmica e prática em nosso dia-a-dia da Doutrina que abraçamos, pela análise do mundo e sua transformação, percebendo a profundidade de conceitos como fatalidade, resgate coletivo, regeneração do planeta, além de favorecer o entendimento de ensinamentos de Jesus relacionados àquilo que alguns chamam de sinais dos tempos.

Fatalidade como causa?

Fatalidade, destino, azar são palavras sempre lembradas em situações como essa. Mas que conceitos estão por trás dessas palavras?  Em “O Livro dos Espíritos”, as questões de 851 a 867 tratam de fatalidade, e, entre outras informações, destaca-se o fato de que “a fatalidade só existe no tocante à escolha feita pelo Espírito, ao se encarnar, de sofrer esta ou aquela prova; ao escolhê-la ele traça para si mesmo uma espécie de destino, que é a própria conseqüência da posição em que se encontra” (”O Livro dos Espíritos”, questão 851).

Mais à frente (”O Livro dos Espíritos”, questão 853), está dito que “fatal, no verdadeiro sentido da palavra, só o instante da morte. Chegado esse momento, de uma forma ou de outra, a ele não podeis furtar-vos“.

A questão seguinte (”O Livro dos Espíritos”, questão 853a) melhor explica esse ponto, frisando que quando é chegado o momento de retorno para o Plano Espiritual, nada “te livrará” e frequentemente o Espírito também sabe o gênero de morte por que partirás daqui, “pois isso lhe foi revelado quando fez a escolha desta ou daquela existência“.

Não esquecer, jamais, que “somente os acontecimentos importantes e capazes de influir na tua evolução moral são previstos por Deus, porque são úteis à tua purificação e à tua instrução” (”O Livro dos Espíritos”, questão 859a).

Como vemos, a fatalidade só existe como algo temporário frente à nossa condição de imortais com a finalidade de realinhamento de rumo. No entanto, essa situação não é engessada.

Graças à Lei de Ação e Reação e ao livre-arbítrio, o homem pode evitar acontecimentos que deveriam realizar-se, como também permitir outros que não estavam previstos (”O Livro dos Espíritos”, questão 860). Fatalidade, destino, azar são palavras que não combinam com a Doutrina Espírita.

Então, como se explicam casos como esse de Santa Catarina?

A resposta está no resgate coletivo, conceito que envolve a correção de rumo de um grupo de Espíritos que em alguma outra encarnação cometeu atos semelhantes – e muitas vezes em conjunto – de descumprimento da lei divina e que, portanto, para individualmente terem a consciência tranqüilizada, precisam sanar o débito.

Toda a problemática, nesse caso, está no trabalho dos mentores na reunião desses Espíritos de modo a que juntos possam se reajustar frente à Lei Divina.

Impulsionar o progresso:

O resgate de nossas ações contrárias à Lei Divina, ao bem e ao amor pode ocorrer de várias formas, inclusive coletivamente. O objetivo, segundo “O Livro dos Espíritos”, questão 737, é “fazê-lo avançar mais depressa” e as calamidades “são freqüentemente necessárias para fazerem com que as coisas cheguem mais prontamente a uma ordem melhor, realizando-se em alguns anos o que necessitaria de muitos séculos“.

Além disso (”O Livro dos Espíritos”, questão 740), “são provas que proporcionam ao homem a ocasião de exercitar a inteligência, de mostrar sua paciência e sua resignação ante a vontade de Deus, ao mesmo tempo em que lhe permitem desenvolver os sentimentos de abnegação, de desinteresse próprio e de amor ao próximo“.

E assim, entendemos o sentimento de solidariedade que essas calamidades despertam, auxiliando todos a desenvolver o amor.

O importante para os mais diretamente envolvidos, para que tenham o progresso devido, como está dito em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, capítulo 14, item 9, é “não falir pela murmuração“, pois “as grandes provas são quase sempre um indício de um fim de sofrimento e de aperfeiçoamento do Espírito, desde que sejam aceitas por amor a Deus“.

Nesta frase selecionada no “O Evangelho Segundo o Espiritismo” está uma informação de cabal importância: indício de aperfeiçoamento do espírito.

E qual seria o objetivo prático de tudo isso e como esses fatos atuam em nosso progresso, com que finalidade?

A resposta está na Lei do Progresso, que determina ao homem o progresso incessante, sem retrocesso, no campo intelectual e moral; cada um há seu tempo, seguindo seu ritmo próprio, sendo que “se um povo não avança bastante rápido, Deus lhe provoca, de tempo em tempos, um abalo físico ou moral que o transforma” (”O Livro dos Espíritos”, questão 783).

Como vemos, o progresso se faz, sempre, e quando estamos atravancando-o, Deus, em sua infinita bondade e justiça, lança mão de instrumentos que nos impulsionem à frente.

O objetivo é nos levar a cumprir a escala evolutiva, saindo de nossa condição de Espíritos imperfeitos moralmente para a de espíritos regenerados, até atingirmos a condição de Espíritos puros.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 22 de Fevereiro de 2019, 03:07

Essa transposição de imperfeito moralmente para regenerado marca a atual fase de transição que vivenciamos, plena de flagelos destruidores, de calamidades, de acidentes com grande número de mortos.

Nos evangelhos segundo Mateus, Marcos e João, há várias referências aos sinais precursores de uma transformação no estado moral do Planeta, caracterizada pelo anúncio de calamidades diversas que atingirão a humanidade e dizimarão grande número de pessoas, para que, na seqüência, ocorra o reinado do bem, sejam instituídas a paz e a fraternidade universal, confirmando a predição de que após os dias de aflição virão os dias de alegria.

O que é anunciado nessas passagens evangélicas não é o fim do mundo de forma absoluta e real, mas o fim deste mundo que conhecemos, em que o mal aparentemente se sobrepõem ao bem, e, como afirma Allan Kardec em “A Gênese”, capítulo 17, item 58, “o fim do velho mundo, do mundo governado pela incredulidade, pela cupidez e por todas as más paixões a que o Cristo alude“.

Para que esse novo mundo se instale (”A Gênese”, capítulo 18), é fundamental que a população seja preparada para habitá-lo. Para tanto, teremos, todos nós, de equacionar alguns problemas de nosso passado, construindo nosso progresso moral.

Não há transformação sem crise, e catástrofes e cataclismos são crises que agitam a humanidade, despertando-a para a solidariedade, a fraternidade, o bem.

Temos, então, de ver a humanidade como “um ser coletivo no qual se operam as mesmas revoluções morais que em cada ser individual” (”A Gênese”, capítulo 18 item 12).

Nesse contexto, a fraternidade será a pedra angular da nova ordem social, com o progresso moral, secundado pelo progresso da inteligência assegurando a felicidade dos homens sobre a Terra.

Para que possamos habitar esse novo mundo, não temos de nos renovar integralmente.

Segundo Kardec (”A Gênese”, capítulo 18 item 33), “basta uma modificação nas disposições morais“, e, para isso, temos de equacionar débitos do passado e nos conscientizarmos de nossa condição de espíritos imortais perfectíveis, em fase de desenvolvimento de nossas potencialidades.

Como forma de acelerar esse processo de modificação da disposição moral, a presente fase é marcada pela multiplicidade das causas de destruição, até como forma de estimular em nós o desenvolvimento de nossas potencialidades no bem, pois o mal de hoje há de ser o bem de amanhã.

Somente a educação do Espírito poderá libertá-lo do mal, dando-lhe condições de alçar os mais altos vôos no plano infinito da vida. O importante em tudo isso é mantermos a serenidade, olharmos para a frente, divisarmos o futuro, pois “a marcha do Espírito é sempre crescente e ascendente.

É preciso descobrir quanto bem se é capaz de fazer agora para que o próprio crescimento não se detenha” (Manoel Portásio).

Em todo ser humano, como ressalta o Espírito Clelie Duplantier, em “Obras Póstumas”, “há três caracteres: o do indivíduo ou do ente em si mesmo, o do membro da família e o do cidadão. Sob cada uma dessas três fases, pode ele ser criminoso ou virtuoso; isto é, pode ser virtuoso como pai de família e criminoso como cidadão, e vice-versa“.

Além disso, pode-se admitir como regra geral que todos os que se ligam numa existência por empenhos comuns, já viveram juntos, trabalhando para o mesmo fim e se encontrarão no futuro, até expiarem o passado ou cumprirem a missão que aceitaram.

O Papel de Cada Um:

Essas calamidades – se olharmos para elas sob o ponto de vista espiritual, fundamentando nossa reflexão nos princípios da Doutrina Espírita – têm, portanto, objetivos saneadores que, conforme Joanna de Ângelis, removem as pesadas cargas psíquicas existentes na atmosfera e significam a realização da justiça integral, pois a Justiça Divina, para nosso re-equilíbrio, recorre a métodos purificadores e liberativos, de que não nos podemos furtar.

Assim, tocados pelas dores gerais, ajudemo-nos e oremos, formando a corrente da fraternidade e estaremos construindo a coletividade harmônica, sempre lembrando a advertência de Hammed: “a função da dor é ampliar horizontes para realmente vislumbrarmos os concretos caminhos amorosos do equilíbrio.

Como o golpe ao objeto pode ser modificado, repensa e muda também tuas ações, diminuindo intensidades e freqüências e recriando novos roteiros em sua existência“. Desse modo, estaremos utilizando nossos problemas como ferramenta evolutiva, não nos perdendo em murmurações, mas utilizando nosso livre-arbítrio como patrimônio.

O progresso de todos os seres da criação é o objetivo de tudo que acontece.

Tenhamos a consciência desperta e procuremos entender o mundo à nossa volta, cientes de que a solidariedade é o verdadeiro laço social, não só para o presente, mas, como está em “Obras Póstumas”, “estende-se ao passado e ao futuro, pois que os mesmos indivíduos se encontram e se encontrarão para juntos seguirem as vias do progresso, prestando mútuo concurso. Eis o que faz compreender o Espiritismo pela eqüitativa lei da reencarnação e da continuidade das relações entre os mesmos seres“.

E MAIS:

Graças ao Espiritismo, compreende-se hoje a justiça das provações desde que as consideremos uma amortização de débitos do passado.

As faltas coletivas devem ser expiadas coletivamente pelos que juntos as praticaram, e os mentores estão sempre trabalhando, ajudando a todos nós, reunindo-nos em grupos de forma a favorecer a correção de rumo, amparando-nos e nos fortalecendo para darmos conta daquilo a que nos propomos, além de nos equilibrarem para podermos auxiliar o outro com nossos pensamentos positivos, nossos melhores sentimentos e vibrações.

Fontes de Consulta:

Joana de Ângelis: Após a tempestade, texto Calamidades, psicografia de Divaldo Pereira Franco.
HAMMED: Renovando Atitudes, texto Crenças e carmas, psicografia de Francisco do Espírito Santo Neto.
Allan Kardec: A Gênese, capítulos 17 e 18.

Kátia Penteado.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 24 de Fevereiro de 2019, 03:12

47º - Espiritísmo E Filosofia

O nome filosofia vem do grego e significa “amor à sabedoria”. A Filosofia, segundo o novo Dicionário Aurélio, “é um estudo que se caracteriza pela intenção de ampliar incessantemente a compreensão da realidade (...)”.

O filósofo era na antiguidade o representante da busca pelo saber.

E o que ele estudava? No entender dos filósofos: “tudo”. A Filosofia é um estudo que tem por finalidade ampliar o nosso conhecimento da realidade, e tem por objeto de estudo o homem e o universo. A diferença entre a Filosofia e a Ciência é que enquanto a Ciência busca conhecer muito sobre um tema específico, a Filosofia avalia toda uma vastidão de conhecimentos para encontrar uma síntese desses fenômenos. A Filosofia pode também ser diferenciada pelo instrumento de pesquisa, pelo método e pela finalidade.

Enquanto a Ciência utiliza-se dos mais variados instrumentos, como, telescópios, microscópios, computadores, etc. A Filosofia utiliza basicamente a razão, o raciocínio puro, como instrumento de pesquisa da verdade.

O método em sua essência se utiliza da indução e da dedução. O primeiro, através dos fatos, descobre os princípios primeiros; o segundo ilumina os fatos com os princípios primeiros, para compreendê-los melhor.

A Filosofia não está voltada para fins práticos como a Ciência. Ela tem como único objetivo o conhecimento e por extensão, a verdade em si mesma.

Apesar de todas as coisas serem suscetíveis de pesquisa filosófica, alguns problemas são de preferência, estudadas pela Filosofia: a

A Lógica (se ocupa do problema da exatidão do raciocínio); a Epistemologia (o valor do conhecimento); a Metafísica (do fundamento último das coisas em geral); a Ética (a origem e natureza da lei moral, da virtude e da felicidade); A Teologia (da existência e natureza de Deus e das relações com os homens); a Estética (do problema do belo e da natureza e função da arte); e a Axiologia (o problema dos valores); Cosmologia (a constituição essencial das coisas materiais, da sua origem e de seu devir).

As teses fundamentais que integram a Doutrina Espírita encontram-se no “O Livro dos Espíritos”, as quais podem ser identificadas com as principais categorias filosóficas.

A Filosofia Espírita apesar de se encaixar dentro dessas categorias, não é propriamente um saber clássico. Em muitas de suas facetas ela é um assunto novo e vibrante. Primeiramente, o Espiritismo aborda um Universo dual, com um componente material e outro espiritual.

Com isto se abre diante de nós toda uma gama de possibilidades de estudo.

Neste Universo espiritual habitam espíritos, que são criados simples e puros, para evoluírem e aprenderem com seus próprios erros e experiências, trilhando um longo caminho até compreender a relação entre Deus e o Homem, alcançando uma harmonia entre o conhecimento, a moral e a inteligência.

O espírito e o espiritual, certamente não fazem parte desta filosofia tradicional, por isso podemos falar de uma nova filosofia que se nos mostra: “a Filosofia Espírita”, possuidora de uma cosmologia, uma metafísica e uma ética próprias, apesar de baseada na ética cristã.

Para Jon Aizpúrua (2000) o Espiritismo é:

Uma filosofia deísta, porque reconhece a existência de Deus como força inteligente e causa primária de todas as coisas;

Uma filosofia espiritualista, porque afirma a existência do espírito como princípio independente da matéria, assim como sua sobrevivência após a morte;

Uma filosofia evolucionista, porque admite que a evolução é a lei que rege o Universo, presidindo todas as transformações, tanto de ordem física como de ordem espiritual;

Uma filosofia científica, uma filosofia racionalista e humanista, porque coloca o ser humano e as suas necessidades no centro de suas atenções.

Devemos nos lembrar que a Filosofia Espírita não é um alimento somente para o intelecto, mas também para a alma que sente e sofre, que presencia a alegria mas às vezes sucumbe à tristeza. Lembremos o que disse Kardec (1995, p.483):

“Mesmo os que nenhum fenômeno têm testemunhado, dizem: à parte esses fenômenos, há a filosofia, que me explica o que NENHUMA OUTRA me havia explicado.

Nela encontro, por meio unicamente do raciocínio, uma solução racional para os problemas que no mais alto grau interessam ao meu futuro.

Ela me dá calma, firmeza, confiança; livra-me do tormento da incerteza. Ao lado de tudo isto, secundária se torna a questão dos fatos materiais.”

Jorge Cordeiro.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 25 de Fevereiro de 2019, 01:57

48º - O Que Esperar Da Vida?
 
A vida passa inexoravelmente.
Não há como detê-la.

Tudo tem seu percurso inevitável e cabe a cada um de nós saber exatamente o momento de agir nesta conjunção da eternidade.

—  Como devemos nos comportar diante da eternidade?

Penso que se desejamos sinceramente advir o pensamento do hedonismo não devemos deixar de tecer a oportunidade do recomeço constante na busca incessante da felicidade.

Há tantos quantos pensam que não há mais vida além da vida física, que tudo se acaba, que tudo se corrói. Perdem tempo em assim pensar.

Pode ser que a espera por provas inquestionáveis faça-o incrédulo das coisas espirituais, mas, se percebermos que esta dimensão possui suas leis próprias e que devemos entendê-las para somente assim encontrar um fio de razão em cada coisa que nos passar.

A espiritualidade é diversa. De logo percebi que não há surpresas a não ser para aquele que nada espera. O mundo de cá não é tão diferente do mundo daí.

Tudo funciona em perfeita conjunção de interesses. A simbiose é perfeita. Um alimenta o outro e ganham-se reciprocamente.

A vida não cessa jamais, eis o primeiro ensinamento a ser absorvido. Quem já absorve este fundamento inicial começa bem os seus primeiros passos diante da eternidade.

—  Mas fazer o quê depois da vida física?

Fazer a continuidade do existir físico. O extrafísica se descortina de enormes oportunidades de renascer-se. O espírito, sendo imortal, necessita ter uma razão existencial que o siga e o sustente para o futuro.

Daí a importância fundamental de pensar adiante.

—  O que farei da vida após a vida?

Continuar a ser o que sempre fui. Pensar em céu e inferno é por demais limitante àquele que imagina mais do que simplesmente as glórias terrestres.

Tive oportunidade, certa vez, de imergir nestes conhecimentos transcendentais. Minha veia católica ensinava-me o pós-existir, mas delimitava-me o pensamento no além.

Segui na minha crença, mas certo que não poderíamos nos contentar com tão pouco. Fiz-me homem e procurei mais respostas.

Os homens pensadores davam-me outras perspectivas do que aquela que minha igreja me sugeria. Fui mais além em determinados pensamentos, mas não obtive reciprocidade na palavra sagrada.

Agora, mais lúcido de minhas opiniões, venho-me em retrato espiritual dizer-me vivo e mais vivo do que nunca.

Tive a oportunidade de comunicar-me outras vezes, mas queria fazê-lo de fôlego, o que só agora me abriram as portas para assim fazê-lo. Penso mais. Penso que os homens se quiserem descobrir-se mais homens devem procurar as respostas verdadeiras da vida no mais além.

Tolo, dirão muitos, este Joaquim agora enlouqueceu, se é que é ele mesmo.

—  E por quê não seria?
—  Por que não se poderia admitir que a vida pós-morte fosse uma realidade perene?

Afinal, a vida eterna foi-nos prometida pelo nosso Criador. Agora pensar na finitude e justificar que não encontra respostas convincentes nos compêndios espirituais é querer-se enganar e ficar absorto diante de uma realidade tão presente.

Meus correligionários da carne, agora faço de bom alvitre a comunicação dos “mortos”. Sugiro a todos vocês abraçarem a nova causa com fervor.

Podem até ignorá-la por algum tempo, mas chegará o momento em que ela se mostrará insofismável. Agora, mais do que nunca, os tempos são chegados. Tempos de novas aspirações humanas na busca de sua transcendência.

Tempos de renovação espiritual. Tempos de redescobrimento de si mesmo. Tempos, enfim, de mais valia espiritual, tão-somente.

Aos poucos, do lado de cá da vida, descobri que torcer o nariz para a realidade transcendental da vida é perda de tempo. A inteligência mediana não aguenta mais os discursos materialistas e paralisantes. Não mais.

Os dias de hoje são construídos de muita atividade e movimento constante de renovação. Tudo muda e numa velocidade estonteante.

Aos acomodados, aos incautos consigo mesmos, resta a paralisa, mas àqueles que têm a impaciência do movimento constante não podem esperar que alguém dite as regras de seu comportamento. Abra-se ao novo, repense a sua vida e verá que haverá mais sentido se concebermos a continuidade como lei permanente do existir.

Meus compatriotas, falo hoje do espírito como ontem falei das coisas mundanas. Se me deleitava com um bom discurso e uma boa polêmica, faço desta vez noutras paragens.

A tribuna que me debruço hoje diz-me para ver mais adiante do que dos tribunais ou dos palanques, bem além do parlamento ou das praças públicas. O que vislumbro hoje me faz ver com os olhos de lince. Olhos de perspicácia. Olhos de indutor de um novo amanhã.

Creio num mundo diferente do lado de cá da vida porque as mudanças que estão em curso não têm como parar. Tudo modificará radicalmente daqui a alguns anos. Não ficará pedra sobre pedra do mundo atual.

O novo chega com tal retumbância que aqueles que se arvorarem em prender-se ao velho serão liquidados de supetão. Criem em vossas consciências a abertura para o novo.

O novo não apenas para as palavras, mas para as ideias novas. Ideias que resplandecerão na sua mente como luz verdadeira ou como ouro dos melhores.

Ao discurso abolicionista de ontem, junto-me hoje à nova causa: a causa do amor. Não que uma esteja distante da outra, mas como pensar num mundo diferente se ele estiver sedimentado em bases velhas, ultrapassadas.

O amor que vos falo, igualmente àquele pregado por Jesus há dois mil anos, é aquele que transforma o ser humano para melhor. É aquele que faz ver os outros e a si mesmo com alegria e destemor.

A vida, irmãos, somente haverá de ter sentido se permear no coração dos homens, num elo desencadeante para toda a sociedade, se houver a presença inquebrantável do amor.

Será o amor que mostrará que a civilização é possível. Não mais os preconceitos de toda ordem. Não mais a ignorância ou o olhar de indiferença diante do sofrimento do outro. Não, correligionários da nova era.

Mas o amor transformante e abrasador.

Aquele que faz mover mundos e fundos porque representa a causa das causas. A nova era anunciada se baseia na vivência plena do amor e é a esta causa que agora me associo plenamente.

Pensemos numa vida nova, mas ela somente se fará viável a partir do momento que inserirmos a nossa contribuição de operário deste outro amanhã. Neste dia de meu nascimento físico, há algum tempo atrás, junto-me às comemorações que se fazem.

Não na minha pessoa – que pouco importa no conjunto global – mas nas causas que defendi e que muitas são vivas ainda hoje.

Avante com as mudanças fundamentais!

Avante com as alterações inadiáveis em nossas leis de modo a proporcionar um ambiente mais justo e igual de convivência entre irmãos.

Avante à nova era!
A era do espírito.
A era do amor pleno.

Avante, irmãos!
Avante!

Joaquim Nabuco.
Texto recebido por: Carlos Pereira.
No Grupo Espírita Esperança.
Em 19 de agosto de 2008.

Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 26 de Fevereiro de 2019, 00:57


49º - Amor, Alimento Das Almas

Muito refletimos sobre o que nos “alimenta”. Sobre o que nos proporciona bem-estar, sustentação. Esta oportunidade nos foi ofertada pela União Espírita Mineira ao sermos convidados para apresentar este tema na Feira do Livro Espírita, em outubro de 2018.

Recorremos, inicialmente, à comparação feita por Jesus entre a mesa que recebe o alimento material e também o alimento espiritual.  É o conhecido Capítulo “O Culto Cristão no Lar, do livro “Jesus no Lar”, de Neio Lúcio, quando Jesus afirma:

“O berço doméstico é a primeira escola e o primeiro templo da alma. A casa do homem é a legítima exportadora de caracteres para a vida comum. 

Se o negociante seleciona a mercadoria, se o marceneiro não consegue fazer um barco sem afeiçoar a madeira aos seus propósitos, como esperar uma comunidade segura e tranquila sem que o lar se aperfeiçoe? 

A paz do mundo começa sob as telhas a que nos acolhemos. Se não aprendemos a viver em paz, entre quatro paredes, como aguardar a harmonia das nações? Se nos não habituamos a amar o irmão mais próximo, associado à nossa luta de cada dia, como respeitar o Eterno Pai que nos parece distante?

Jesus relanceou o olhar pela sala modesta, fez pequeno intervalo e continuou:

—  Pedro, acendamos aqui, em torno de quantos nos procuram a assistência fraterna, uma claridade nova. A mesa de tua casa é o lar de teu pão.

Nela, recebes do Senhor o alimento para cada dia. Porque não instalar, ao redor dela, a sementeira da felicidade e da paz na conversação e no pensamento?

O Pai, que nos dá o trigo para o celeiro, através do solo, envia-nos a luz através do Céu. Se a claridade é a expansão dos raios que a constituem, a fartura começa no grão. Em razão disso, o Evangelho não foi iniciado sobre a multidão, mas, sim, no singelo domicílio dos pastores e dos animais.”

Reflexão importante.

Necessitamos do sustento, por meio da alimentação. No plano físico, o alimento material, o pão, que dará a necessária sustentação ao corpo físico. Espiritualmente necessitamos do sustento, para a alma. E o Mestre faz o convite a Pedro, e também a todos nós, da sementeira do Amor, da Caridade.

Retomamos a conhecida pergunta de “O Livro dos Espíritos”, relativa à Caridade:

886. — Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?
“Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.”

Allan Kardec, em seu comentário, nos auxilia no entendimento:

“O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.”

Desta forma procuramos entender melhor o significado do amor ao próximo, da fraternidade, que procuramos sentir em nossos corações.

No Livro “Nosso Lar”, de André Luiz, temos um capítulo com o título “Amor, Alimento das Almas”. Em forma de diálogos, envolvido em ambiente de fraternal entendimento, vamos aprendendo um pouco mais sobre este interessante tema.

Interessante, é que conversação se dá no lar de Dona Laura, a nos convidar para aproveitarmos este ambiente para nossa edificação espiritual, na forma do convite de Jesus a Pedro.

Inicialmente, a conversa se dá em torno da necessidade de alimentação no plano espiritual. A senhora Laura comenta:

— Afinal, nossas refeições aqui são muito mais agradáveis que na Terra. Há residências, em “Nosso Lar” que as dispensam quase por completo; mas, nas zonas do Ministério do Auxílio, não podemos prescindir dos concentrados fluídicos, tendo em vista os serviços pesados que as circunstâncias impõem.

Despendemos grande quantidade de energias. É necessário renovar provisões de força Uma jovem que participa da conversação, complementa:

“Todos os Ministérios, inclusive o da União Divina, não os dispensam, diferindo apenas a feição substancial. Na Comunicação e no Esclarecimento há enorme dispêndio de frutos.

Na Elevação o consumo de sucos e concentrados não é reduzido, e, na União Divina, os fenômenos de alimentação atingem o inimaginável.” A mãe de Lísias amplia o tema, incluindo o Amor como base de toda alimentação:

“— Nosso irmão talvez ainda ignore que o maior sustentáculo das criaturas é justamente o amor. De quando em quando, recebemos em “Nosso Lar” grandes comissões de instrutores, que ministram ensinamentos relativos à nutrição espiritual.

Todo sistema de alimentação, nas variadas esferas da vida, tem no amor a base profunda. O alimento físico, mesmo aqui, propriamente considerado, é simples problema de materialidade transitória, como no caso dos veículos terrestres, necessitados de colaboração da graxa e do óleo.

A alma, em si, apenas se nutre de amor.

Quanto mais nos elevarmos no plano evolutivo da Criação, mais extensamente conheceremos essa verdade. Não lhe parece que o amor divino seja o cibo  do Universo?”

Lísias, complementa:

“— Tudo se equilibra no amor infinito de Deus, e, quanto mais evolvido o ser criado, mais sutil o processo de alimentação.

O verme, no subsolo do planeta, nutre-se essencialmente de terra. O grande animal colhe na planta os elementos de manutenção, a exemplo da criança sugando o seio materno.

O homem colhe o fruto do vegetal, transforma-o segundo a exigência do paladar que lhe é próprio, e serve-se dele à mesa do lar. Nós outros, criaturas desencarnadas, necessitamos de substâncias suculentas, tendentes à condição fluídica, e o processo será cada vez mais delicado, à medida que se intensifique a ascensão individual.”

O Amai-vos uns aos outros passa, então, a ser melhor interpretada, pela expressão da senhora Laura:

Jesus não preceituou esses princípios objetivando tão somente os casos de caridade, nos quais todos aprenderemos, mais dia menos dia, que a prática do bem constitui simples dever. Aconselhava-nos, igualmente, a nos alimentarmos uns aos outros, no campo da fraternidade e da simpatia.

O homem encarnado saberá, mais tarde, que a conversação amiga, o gesto afetuoso, a bondade recíproca, a confiança mútua, a luz da compreensão, o interesse fraternal — patrimônios que se derivam naturalmente do amor profundo — constituem sólidos alimentos para a vida em si.

Reencarnados na Terra, experimentamos grandes limitações; voltando para cá, entretanto, reconhecemos que toda a estabilidade da alegria é problema de alimentação puramente espiritual. Formam-se lares, vilas, cidades e nações em obediência a imperativos tais.

Vamos refletindo e aprendendo, desde já, o bem que nos faz uma boa conversação, a confiança entre amigos e irmãos.

Já conseguimos sentir como isto é importante para nós, para a nossa vida. Como nos sentimos realmente alimentados, sustentados quando temos essas oportunidades de trocas singelas e sinceras de afeto, entre Espíritos imortais.

Vamos entendendo que o alimento material tem origem no Amor Divino e nele estamos envolvidos.

Em nossa jornada evolutiva, rumo à perfectibilidade, vamos encontrando Espíritos que amamos e que nos amam. Em contato com esses irmãos, vamos nos alimentando espiritualmente, colocando em prática a verdadeira Caridade, conforme entendia Jesus. A reciprocidade no Bem se torna, então, algo importante para nós.

Na sequência da conversa em Nosso Lar, alguns participantes da agradável conversação vão se dirigir a uma excursão ao Campo da Música.  A senhora Laura, então, comenta:

“Vão em busca do alimento a que nos referíamos. Os laços afetivos, aqui, são mais belos e mais fortes.”

E termina, com uma frase que nos leva a profunda reflexão:
“O amor, meu amigo, é o pão divino das almas, o pábulo sublime dos corações.”

Felipe Estabile Moraes.



Título: Re: Espiritismo, Artigos Mais Lidos
Enviado por: Marianna em 03 de Março de 2019, 20:21


50º - O Caçador de Reencarnados

Erlendur Haraldsson adora conversar com crianças.

Tanto que o psicólogo islandês de 78 anos já encarou mais de 9 viagens ao Sri Lanka e outras 6 até o Líbano só para ouvir as histórias que os pequenos do outro lado do mundo poderiam lhe contar.

Nada de brincadeiras ou travessuras, o que há de comum nos relatos dessas vozes infantis é uma narrativa direta:

—  Como elas morreram: afogadas, carbonizadas, vítimas de homicídio. Boa parte das crianças ouvidas por Haraldsson é capaz de narrar, detalhe a detalhe, histórias de mortes violentas que teriam sofrido em outras encarnações.

É o caso de Purnima Ekanayake, garota que o pesquisador conheceu quando tinha 9 anos, na década de 90, em Bakamuna, um vilarejo do Sri Lanka. Aos 3 anos ela começou a contar aos pais sobre uma outra existência que teria vivido antes de nascer.

Um dia, ao ver a mãe aborrecida por conta de um acidente de carro, comentou:
—  "Não ligue para isso, mamãe. Eu vim para você depois de um acidente. Tinha um monte de ferro no meu corpo". A menina começou a contar histórias detalhadas sobre uma vida anterior, na qual teria sido um homem, funcionário de uma fábrica de incenso.

—  Relatou a localização da fábrica:  a escola, os carros da família,  o nome da antiga mãe,  deu detalhes sobre o número de irmãos,  as marcas de incenso que eram produzidas. Seguindo as indicações, seus pais chegaram à família de Jinadasa Perera, fabricante de incensos que morrera atropelado por um ônibus dois anos antes de Purnima nascer.

—  Este é Wijisiri, meu cunhado: Foi o que a menina, sem nunca tê-lo visto antes, disse ao entrar na antiga indústria de incenso, a 230 km da sua casa, segundo testemunhas entrevistadas por Haraldsson.

A menina ainda olhou para as embalagens e perguntou: —  "Vocês mudaram a cor?".

A cor das embalagens havia sido alterada logo após a morte de Jinadasa. Ao analisar as informações dadas por Purnima antes desse encontro, Haraldsson concluiu que os relatos se encaixavam no perfil do morto. E foi além.

Vasculhando os registros da necropsia de Jinadasa, apurou que o atropelamento havia ferido o fabricante de incenso no lado esquerdo do abdome — mesmo local onde o corpo da menina Purnima exibia manchas brancas de nascença.

Três décadas de reencarnação:

Longe de ser exceção, histórias como a de Purnima são uma constante na vida do islandês. O Ph.D. em psicologia e professor emérito da Universidade da Islândia passou as últimas três décadas colecionando histórias de crianças sobre vidas passadas.

Foram exatas 94 investigações sobre essas narrativas no Líbano e no Sri Lanka, países onde os relatos são mais numerosos, provavelmente por conta da religião — o budismo, no Sri Lanka, e, no caso do Líbano, o drusismo, uma religião de influência islâmica que acredita na reencarnação.

Haraldsson identificou um padrão nessas narrativas. Na maioria dos casos, elas aparecem entre 2 e 5 anos e são comuns os relatos de morte violenta. Algumas das crianças pedem para conhecer os familiares da suposta outra vida.

Outras, vão além: —  Vocês não são meus pais de verdade.

Foi o que Dilukshi Nissanka passou a dizer desde que tinha 3 anos, para a tristeza de sua família, em Veyangoda, no Sri Lanka. A menina insistia em rever sua "outra mãe", dizendo que seu nome verdadeiro era Shiromi e que havia se afogado num rio.

Depois que a história foi publicada num jornal local (casos de reencarnação fazem tanto sucesso na imprensa popular do Sri Lanka como as mulheres-fruta nos nossos tablóides), os pais da garota foram contatados por uma família de outra cidade:

Eles contaram que, anos antes, a família havia perdido uma filha chamada Shiromi, afogada em um rio. Examinando declarações da garota antes do encontro entre as famílias, Haraldsson constatou que Dilukshi acertara várias informações sobre a família de Shiromi, como a região em que viviam, o número de filhos e a paisagem local.

Coincidência?

Histórias assim impressionam.
—  Mas será que não podem ser explicadas apenas como coincidência?

Foi a pergunta que Galileu fez para Haraldsson quando o caçador de reencarnados esteve no Brasil, em setembro, participando do I Simpósio Internacional Explorando as Fronteiras da Relação Mente-Cérebro.

"Pode ser coincidência, sim", diz o pesquisador. Para logo em seguida acrescentar pausadamente, em tom didático de professor universitário:
—  "Mas há alguns casos em que isso é altamente improvável".

Apesar de apontar evidências que considera fortes, Haraldsson evita especular sobre se a reencarnação existe ou não em seus estudos. Prefere apresentar os fatos e deixar as interpretações para quem lê. "Sou um pesquisador empírico", afirma:
—  "Você pode encontrar uma grande correlação entre o que uma criança conta e a vida de alguém que morreu. Isto é um fato. O que significa já é outra questão."

Haraldsson chegou a testar a hipótese de que os relatos poderiam ser explicados por questões como necessidade de chamar atenção ou transtornos mentais. Mas isso, de acordo com o psicanalista, não é o tipo de coisa que Freud explica.

O islandês aplicou testes psicológicos em dois grupos de 30 crianças libanesas, um dos quais dizia se lembrar de outras vidas. O estudo não encontrou diferenças significativas, exceto em um ponto: —  As crianças que relatavam vida anterior tinham sintomas de estresse pós-traumático.

Isso pode ser explicado pelo fato de que 80% delas contavam ter passado por mortes violentas. Real ou imaginário, um acidente mortal ou um homicídio são lembranças difíceis para a mente de uma criança.

Método:

Mesmo lidando com fenômenos estranhos, o islandês busca seguir a metodologia científica. Seu método dá preferência a fontes que ouviram em primeira mão as declarações espontâneas das crianças, como: pais, avós, irmãos, e amigos.

Para garantir a precisão e flagrar contradições, as testemunhas são entrevistadas mais de uma vez, separadas umas das outras. Entrevistas com a própria criança são feitas depois, para evitar que o pequeno diga o que o entrevistado quer ouvir. Feito isso, o psicólogo assume papel de detetive.

Com a ajuda de colaboradores locais, como jornalistas e religiosos, busca identificar pessoas mortas com histórias que se encaixem no que as crianças contaram.

Na última fase, procura os registros da necrópsia do morto (se houver) e analisa se há correspondência entre possíveis ferimentos e eventuais marcas de nascença. Aplicar esse método significa chegar a informações consistentes em pouquíssimos casos.

Na maioria das vezes, não é possível levantar correlação significativa entre os relatos e o que de fato ocorreu. A maior parte do trabalho de investigação de 30 anos do pesquisador acaba mesmo sendo descartada.

"No Sri Lanka, apenas 10% dos casos apresentam evidências fortes; no Líbano, entre 20% e 30%."

O aparente rigor e seus quase 100 artigos publicados não impedem, contudo, que o tema de pesquisa de Haraldsson seja visto como marginal. Se duvidar, é só perguntar a ele como a comunidade científica tradicional reage a seus estudos.

A resposta é simples e serena:
—  "Não há reação. Eles apenas não leem".

Fonte:
Revista Galileu.
Por Fausto Salvadori.