Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Tópico iniciado por: MariaC em 03 de Julho de 2005, 20:41

Título: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: MariaC em 03 de Julho de 2005, 20:41


    Grupo Espirita Bezerra de Meneses.
    Mensagem Mediunica.
    Classificação:Espiritos superiores e instrutores.
    Data-15/10/98



     "Homens que fizestes do Espiritismo o pedestral para a manifestação do vosso
      orgulho e da vossa vaidade.Pagareis caro pela vossa incúria e pela vossa
      inrresponsabilidade em enganar os mais simples e os deslumbrados que vos derem
      ouvidos .Em vez de enxugardes lágrimas ,de fazerdes do sofrimento o instrumento
      que conduz á iluminação interior ,optastes por iludir os incautos com vossos lampejos
      de alegrias terrenas.Alguns de vos sois instrumentos de Espiritos levianos ,que
      divertem-se ás vossas custas,impondo-lhes desejos e tendênçias mordazes.

      Como homens publicus que sois ,dotados de conhecimento da verdade revelada
      pelo Alto,sereis mais responsabilizados pelos enganos que espalhardes nos meios
      de comunicação em nome do Espiritismo.Os Espiritos elevados ,como os homens
      sérios entre vos ,não buscam ambientes onde predominam as brincadeiras e
      galhofarias .Se quizerdes conseguir bons resultados nos trabalhos doutrinários  que
      fizerdes ,tratai da Terceira Revelação com a atenção que lhe é devida.

      Não,uma vez mais,não !Os Espiritos Superiores não são contra vossa postura de
      alegrias,porém ,há de se convir que cada coisa tem o seu lugar.Do mesmo modo que
      um homem seria motivo de chacota se fizesse gracejos em uma reunião que trata
      de temas graves ,assim também sois vos ,que vos comportais como crianças em
      ambientes onde deveriam portar-se como adultos.

      Não esqueceis,amigos,irmãos ,de que a vossa imagem reflete a imagem da Doutrina
      Espirita.Cuidai,pois,com zelo daquilo que vos foi confiado .Deus tomará conta de cada
      um por todo ato que denote leviandade no trato com um assunto tão grave como
      o Espiritismo."


     ( ESPIRITO:João de Arimateia.)



                            SEJAM FELIZES.
     
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: Liana em 20 de Novembro de 2005, 03:23
Olá minha amiga

O texto que escolhestes, vem a calhar nesse momento em que, pessoas que se dizem espíritas, esquecem a seriedade do significado dessa palavra, esquecendo também, da responsábilidade que ela trás, no exemplo que se dá!
É sempre bom recordarmos as responsábilidades e comprometimentos.

Beijinhos

Muita Paz

Liana 
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: Mario A. em 21 de Novembro de 2005, 20:06
Ola a todos:
Sem qualquer maldade,nao se reflecte essa situaçao nas palestras?Nao sao as palestras a ferramenta e mobil desses enganos,os achismos e opinioes pessoais?Ja me fizeram ver que nao é tarefa facil ser palestrante mas a responsabilidade nao é por vezes esquecida?
Repito o topico que foi ignorado anterirmente,como é elaborada uma palestra,quais os criterios,ha ou nao entidades desencarnadas colaborando(exceptuando,obviamente a influencia que todos sofremos habitualmente)?
Perdoem me a insistencia mas expliquem me como se eu fosse muito burro ;D ...
Deus esteja convosco!
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: aruanda em 21 de Novembro de 2005, 20:35
Gostaria sòmente de fazer uma pergunta?..
Onde ,como ,de que forma foi essa mensagem recebida? Foi devidamente analisada ?

Citar
"Homens que fizestes do Espiritismo o pedestral para a manifestação do vosso
      orgulho e da vossa vaidade.Pagareis caro pela vossa incúria e pela vossa
      inrresponsabilidade em enganar os mais simples e os deslumbrados que vos derem
      ouvidos .Em vez de enxugardes lágrimas ,de fazerdes do sofrimento o instrumento
      que conduz á iluminação interior ,optastes por iludir os incautos com vossos lampejos
      de alegrias terrenas.Alguns de vos sois instrumentos de Espiritos levianos ,que
      divertem-se ás vossas custas,impondo-lhes desejos e tendênçias  mordazes.

Será que joão de arimateia ,que já deve estar muito evoluido, nos falaria desta forma sem nenhum amor?

Acredito que mesmo nós falariamos com mais carinho......
Todos nós sabemos que não somos perfeitos e que temos muita responsabilidade nos nossos actos ( em todos),não sómente nos que efectuamos por conta da doutrina.
No entanto, convém não esquecer que quando estamos numa palestra a responsabilidade do palestrante é muitissima mas, o pensamento de quem está a ouvir influencia negativa ou positivamente essa pessoa.
Não é só quem fala que tem que se cuidar...também quem ouve.
Daqui a pouco estamos a dizer que cometemos erros porque nos levaram a isso.
É claro que alguem que vai falar de espiritismo ou de qualquer outro tema religioso, devia ser MUITO responsavel, perfeito ,etc etc....mas, como estamos na terra e, somos seres ainda em evolução(TODOS) por vezes acontece que a boa vontade e o estudo não são suficientes.
Acredito, no entanto que um palestrante se tiver um minimo de conhecimentos e muito AMOR,vai ser sempre muito ajudado pelo plano superior.
E, gostaria de acrescentar que aquilo que as mensagens recebidas mediunicamente nos transmitem,têm que ser devidamente passadas pelo crivo da lógica e da razão, ou correremos o risco de acreditar em tudo, mesmo no que não está correcto.
Sem querer ser "contra" eu fico com a interrogação.
Abraços
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: aruanda em 21 de Novembro de 2005, 23:14
Pois, tem toda  a razão mas, só estava seguindo o que nos aconselhou kardec...bom senso e análise..
mas, também tenho que admitir que é só uma opinião pessoal mas, não é por se ser espirita que não se erra.
Ser espirita não é sinónimo de perfeição.
De qualquer forma repito..é só a minha opinião.
Abraços
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: SB em 21 de Novembro de 2005, 23:43
Ola,

Realmente a responsabilidade cabe-nos a todos, em qq acto, em qq palavra..por isso devemos ter cuidado e como a aruanda diz bom senso e analise...

Existem varia psicografias como esta, mas devo dizer que usar psicografias é o mesmo que usarmos a palavras de outro, teremos que ter mais cuidado quando as usamos e saber com que finalidade, esta é um tanto impercetivel, pq não deixa de ter um contexto que não foi colocado aqui, nem tão pouco foi comentado a finalidade da mesma...

Compreendo que o medium ao receber esta mensagem alertava por qq razão os espiritas de abuso da sua sabedoria, vinha com um proposito, não fala do espiritismo em concreto, mas nalguns espiritas, falata-nos complementar aqui esse conteudo ...

MariaC eventualmente consegues nos trazer ou comentar a que preposito foi escrita esta psicografia?

Qual o motivo da mesma?

E para que efeito foi transcrita?

Esta psicografia como outras podem colocar muitas duvidas a muitos, devemos ter em atenção, quando as colocamos...pois tem sempre uma intenção, e essa será sempre na aprendizagem de algo, é isso que coloco as minhss duvidas MariaC, qual a aprendizagem?

MarioA

Qualquer palestra é feita fraternalmente e amorosamente, nunca haverá enganos nos amor!
Não confuda, por estes pequenos textos...

Alguns textos psicografados são indicados de alertas, da mesma forma como nós educandos, o fazemos com nosso filhos...quando usamos a autoridade submersa de amor.

Um abraço para ambos

Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: António Luís em 23 de Novembro de 2005, 13:27
Olá a todos.

O título deste tópico chama-se "assunto grave". Honestamente não encontrei na mensagem transcrita algo de grave. É apenas uma mensagem, como tantas outras.
Nela consta arrogância, e claramente é ditada por alguém que se julga detentor de alguma verdade, talvez um pseudo-sábio. Os Espíritos Superiores não dariam tal mensagem de acusação, dariam sim um alerta para que algo estivesse mal, mas não assim. O espírita é uma pessoa como qualquer outra, e claro que todos são livres de propagar o Espiritismo à sua maneira. Agora, se o fizermos mal, então vamos ter um problema para resolver mais tarde, quando a nossa consciência ficar pesada e nos apercebermos das trapalhadas que fizémos. Mas é este um mundo de aperfeiçamento, e nós estamos em evolução, tentando deixar para trás vários vicios, paixões, ideias erróneas, ..... Não vale a pena nos condenarmos se fizermos algo de errado, pois existe sempre a possibilidade de a rectificarmos.
Quanto às palestras, creio ser prioridade do palestrante apresentar sempre um tema à luz da codificação espírita. Agora, é normal que cada palestrante de certa forma ponha o seu cunho pessoal na palestra, pois é ele que está a palestrar. Contudo esse palestrante tem que ser conscêncioso e não dizer disparates.

Abraço,
Toni
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: Det's me!... em 23 de Novembro de 2005, 20:39
Olá a todos,

Muita Paz!


Realmente nada de grave existe no texto...... talvez o tom um pouco mais acima do normal, instituido como diálogo mais fraterno.....

O referido espirito Joao de Arimateia, é segundo o proprio Grupo Bezerra de Menezes, é um dos fieis seguidores do Cristo à sua época, e também um dos "espiritos mentores" do GBM ....

O que não é de estranhar é o tom mais ou menos aceso, inflamado do texto......levando a algum "tipo de acusações"

Já aqui me referi a tal, e pela onze vez.......bou dezer..... ;)

O Grupo Espirita Bezerra de Menezes......de São José Ribeirão Preto.....tal como o espirito João de Arimateia, tem o seu gosto de falar alto..... e alto falando.....abandonou o Movimento Espirita, batendo com a porta......e abrindo um novo espaço/movimento.....intitulado NOVA VOZ.

Instituiram tb o vigisimo....... isto é.....para custeio de despesas.......contribuição de 20% sobre o rendimento auferido.

O tom do amigo Joao de Arimateia....concerteza era um pouco alto......o do GEBM .....também......sintonias concerteza...

Amigo Mário A. ......... as influencias de ajuda para os palaestrantes, existem sim.......sempre..... é importante é que o palestrante tenha feito a sua parte do trabalho, criando sintonias positivas e ao mesmo tempo dando a conhecer aos espiritos amigos que fez o seu melhor.......as ajudas chegam sim.....

Eu a primeira vez que falei em publico.....fui quase empurrado pelos encarnados para o fazer.....Preparei-me o melhor que pude e esforcei-me......na hora de começar....eram 350 pares de olhos a olhar para mim.....acho que nunca tinha visto a casa tao cheia.....talvez só quando Divaldo ou outro palestrante lá aparecia..

Falei, dizem que fluentemente, durante todo o tempo, encadeando os temas uns nos outros com fluidez.....quando senti que acabei......sentei-me e olhei para o relógio......o ponteiro dos segundos, tinha acabado de chegar às 22 hrs, hora prevista para o terminus....

Nem um segundo a mais...nem um segundo a menos.......foi muita ajuda.....provavelmente só foi ajuda.....Graças a Deus, e aos Benfeitores amigos.


Fiquem bem

Abraceijos ;)
Luis

Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: VS em 24 de Novembro de 2005, 22:51
Olá amigos

O Espirito que transmitiu esta psicografia, estava a falar para:

"os Homens que fizestes do Espiritismo o pedestral para a manifestação do vosso
      orgulho e da vossa vaidade."

Quando acontece, isso é de facto muito grave, sobretudo para essas pessoas e para a aceitação da doutrina em geral. Não sabemos o contexto da psicografia nem as pessoas concretas a quem se dirigia, para perceber bem as razões das palavras duras.

Em marketing costuma-se dizer que uma acção que satisfaça o cliente, propaga-se, em média, a 5 pessoas. Uma acção que deixe o cliente insatisfeito propaga-se a 20 pessoas. O Trabalhador da Casa Espirita é um representante do Espiritismo. O seu exemplo pode vir a ser propagado a muito mais pessoas se for um exemplo negativo do que se for positivo. Ninguém é perfeito, mas de facto, os Trabalhadores das Casas Espiritas têm muita responsabilidade. Graças a Deus, muitos deles são pessoas que dão tudo do seu melhor, que dão gratuitamente o seu tempo sem esperar nada em troca, porque acreditam decerto estar a contribuir para uma causa muito importante para a humanidade e são pessoas com grande evolução moral.

bem hajam
Vitor Santos



Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: M em 25 de Novembro de 2005, 11:06
Ao que já foi dito - e muito bem dito - acrescento apenas que o isolamento dos grupos espíritas costuma ser responsável por alguns erros, que depois se instituem como hábito. Ninguém faz por mal, é claro, pois que ninguém está no Espiritismo para auferir lucros materiais, e, de tão incompreendido que o Espiritismo ainda é, também não me parece que seja usado para aumentar o prestígio pessoal.

Deixar que a prática mediúnica monopolize a actividade do centro, aceitar incondicionalmente todas as comunicações, igrejificar o Espiritismo, atribuir tarefas a novos membros sem que estes estejam preparados, são alguns dos erros, cometidos de boa-fé, pelos grupos que se isolam. Criam-se hábitos e não se questiona.

Já aqui tem sido focado que o isolamento de alguns grupos é hábito que ficou da época em que o Espiritismo era proibido em Portugal. Muitos espíritas continuam com a "mania de se esconderem".
O contacto entre centros, a imprensa espírita, sites como este, contribuem para quebrar esse isolamento.

M.
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: SB em 25 de Novembro de 2005, 12:04
Ola Vitor Santos e Mário

As vossas duas mensagens tem de muito esclarecimento.

É isso mesmo.  :)

Bem hajam todos
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: VS em 25 de Novembro de 2005, 22:32
Olá Mario

Concordo contigo Mário. Decerto que Deus deu a possibilidade de comunicar com os Espiritos aos médiuns, para o serviço de toda a humanidade. Admitindo que, de facto, existem Associações Espiritas muito fechadas (não conheço suficientemente o panorama geral para concordar nem discordar desse facto, embora haja razões que me fazem acreditar que assim é. Práticamente não conheço produção psicografada provinda de Espiritos Elevados através de médiuns portugueses, em Portugal. Isso faz-me confusão, sinceramente).

bem hajam
Vitor Santos

Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: M em 26 de Novembro de 2005, 01:56
Olá Vitor,

Não se divulgam muito as mensagens psicografadas em Portugal, também me parece. Ou não estamos atentos...

Envio aqui uma. Interessa o conteúdo, por isso abstenho-me de citar a associação espírita ou o médium.


MSG - Júlio - Pensamentos Cruzados - Nov 2005
 
Queridos amigos

Gostaríamos de vos deixar breves considerações acerca do poder mental.

Embora seja já do vosso conhecimento, nunca é demais referir que a mente é poderosa fábrica que emite e recebe constantemente ondas. Essas ondas podem ser de atracção ou repulsão.

Tende atenção aos vossos pensamentos pois, por vezes, por invigilância, agredis-vos mutuamente sem que deis por isso.

Bem sabemos que não é por maldade, mas por falta de consciência do poder da mente.

Relembremos Jesus que nos concitava à prece e à auto-vigilância.

Amor é aceitar o outro como ele é.

Se o fizerdes, deixareis de vos criticar mutuamente e em silêncio.

União de pensamentos em torno do bem é a receita para o êxito.

Júlio


Há Espíritos conhecidos pela elevação das suas comunicações que deixam mensagens pelo nosso cantinho luso.

Por vezes, quando um Espírito "de renome" se comunica, o médium retrai-se, por humildade e/ ou para evitar conclusões apressadas de que se tratará de um Espírito mistificador. Creio que já foi aqui citado um artigo de Alamar Régis sobre este asunto.

Abraço,

Mário
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: Sonia em 28 de Dezembro de 2005, 15:13
                                                       O Personalismo                                                                 
                                                                   Marcus Alberto De Mario - RJ

É fato comum, infelizmente, encontrarmos no pensamento e nas atitudes de dirigentes espíritas a erva daninha do personalismo, quando vale mais a palavra de ordem de quem dirige, do que a palavra da doutrina espírita. Muitos fatores contribuem para o crescimento e alojamento do personalismo.

Entre as causas, a primeira, sem dúvida, é o egoísmo ainda inerente ao ser humano. O egoísmo pode mesmo cegar uma pessoa que, apesar de receber severas críticas por sua conduta, tudo leva à conta da inveja dos outros, quando na verdade está sendo alertada para uma mudança de atitude. Conhecemos uma pessoa, espírita convicta, que, em não levando em consideração as advertências dos amigos, recebeu espontaneamente mensagem dos espíritos com a mesma adver-tência, contudo, interpretou a palavra espiritual de forma totalmente equivocada, caminhando desde então para perigoso processo de fascinação.

Os personalistas são facilmente excitáveis, pois o egoísmo anda de mãos dadas com o orgulho, assim os maus espíritos dedicam-se a incentivar o ego da pessoa, com sugestões sutis e elogios disfarçados, com conseqüências devastadoras para todos aqueles que convivem e depen-dem dessa pessoa.

Cego às advertências, o personalista centraliza o poder, o comando, em torno de si, fa-zendo sempre prevalecer a sua opinião, o seu modo de ver as coisas, a sua interpretação, o seu jeito de realizar. Pode até trabalhar com um bom grupo de pessoas, mas todos ficam sabendo que, no fim, será como o dirigente personalista quer. É por esse motivo que muitos centros espí-ritas padecem o mal da teia de aranha: ficam enredados em sistemas e práticas absolutas, repeti-das à exaustão ao longo de vasto tempo, sem mudanças, sem renovação, sem questionamentos.

Outra causa do personalismo é a ignorância doutrinária, a falta de estudo contínuo e pro-fundo dos princípios espíritas, antídoto natural que se fosse utilizado, minimizaria, ou mesmo terminaria, com o personalismo.
Aquele que constantemente procura o esclarecimento, seja pela leitura dos livros, ouvin-do palestras, participando de seminários e outros eventos doutrinários, dificilmente se deixa apa-nhar pelo comodismo, pelas idéias pré-concebidas, pelo chamado "achismo".

Combaterá em si mesmo essa chaga e encontrará nos grupos de estudo do Espiritismo uma base firme para sua renovação intelectual e moral.
O Espiritismo representa o fim do materialismo e, portanto, do egoísmo e do orgulho, se bem compreendido e bem praticado. Allan Kardec assim definiu a doutrina.
Podemos ainda apontar uma terceira causa do personalismo: a formação cultural do diri-gente. Se ele não recebeu os devidos estímulos para o estudo e as idéias arejadas, progressivas, pelo contrário, cresceu num ambiente sufocado pela ignorância, pela crendice, pelo pouco estu-do, poderá tender, mas não é regra geral, a fechar-se em si mesmo, tornando-se impermeável à própria doutrina que agora abraça.

Podemos considerar, e a prática assim demonstra o acerto do nosso pensamento, que é mais fácil discursar a doutrina para os outros do que aplicá-la a nós mesmos. Contudo, isso não serve de desculpa para as atitudes personalistas ou outras, pois é dever do espírita fazer todos os esforços para seu progresso moral e intelectual.

Resta uma consideração, quanto ao que fazer diante de um dirigente personalista, centra-lizador das idéias e dos trabalhos. Recomendamos a prece, solicitando aos bons espíritos o auxiliem e inspirem, para que possa reconhecer o erro em que caiu, ao mesmo tempo em que deve-mos exercer, de nossa parte, a calma, a paciência, procurando sempre o diálogo construtivo e as indicações doutrinárias que possam esclarecer. Ofertar a esse dirigente todas as oportunidades de participação nos eventos doutrinários, e soprar-lhe boas idéias, pois o personalista, inflado pelo orgulho, as tomará como de si próprio, acabando por realizar aquilo que será bom para todos, mesmo sem o querer.

O personalismo é pedra de tropeço para a solidariedade, a fraternidade, a cooperação, a afetividade, motivos pelos quais precisamos ficar atentos, como fica o bom jardineiro, podando, primeiro em nós, os menores sinais do seu aparecimento, para que a doutrina espírita, que é libertadora de consciências, possa aflorar e perfumar o jardim das mentes e corações de todos aqueles que se dispõem a caminhar como tarefeiros da causa e da casa espíritas.
 
 
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: Liana em 29 de Dezembro de 2005, 02:29
Olá amiga Sonia

Excelente texto, de mensagem clara e real.
O personalismo prejudica, muitas vezes, Centros espíritas, ou mesmo outros tipos de agrupamentos, de irmãos na doutrina.
A tolerância, indulgência e paciência, ajudam e muito nesses casos.
Mas, como diz a mensagem desse texto, é necessário busquemos primeiramente em nós, as características do personalismo, usando de muita franquesa e honestidade, para conosco mesmos.

Um grande abraço

Muita Paz

Liana
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: Marlenelua em 03 de Janeiro de 2006, 21:29
Olá, Sónia! :)

Também adorei ler o excelente texto que aqui colocaste. Aliás, como muitos outros, com que nos tens vindo a brindar.
Nunca é demais debruçarmo-nos sobre a nossa conduta, reflectindo acerca dos sentimentos que nos assolam, bem como nas atitudes que estes impulsionam.
Existe por vezes grande dificuldade em se conseguir obter a humildade suficiente, para reconhecer o personalismo instalado.

Bem haja! :-*

Marlene
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: WOLLER em 11 de Janeiro de 2006, 12:26
Olá Sonia

O personalismo é erva daninha que muitas vezes sufoca grandes obras, desvirtuando grandes inteligências.
Equilíbrio, sinceridade, humildade são armas que ajudam a combater esse grande inimigo da verdade pura.
Busquemos utilizar essas armas, primeiramente e sempre, em nós.

Um abraço   ;)

WOLLER
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: Sonia em 11 de Janeiro de 2006, 14:54
Amigos de ideal

Se fizermos um estudo minucioso em toda história do espiritismo, vamos nos deparar com situações muito peculiares onde o personalismo tem sido pedra de tropeço na marcha pessoal e da própria Instituição onde nos vinculamos.

Façamos um análise em algumas mensagens ditadas pelo benfeitor espiritual Bezerra de Menezes por diferêntes médiuns igualmente sérios e constataremos o mesmo apelo em todas as recomendações.
O amai-vos está cada vez mais evidenciado justamente pelos equívocos que alguns pseudo sábios tem cometido mesclando o personalismo e as reais necessidades do espírito.

Vejamos em que momento estamos e o que nos pede esse período.
Não podemos apartar o afeto do saber, nem nos distraírmos no intelectualismo vazio e sem obras, por mais singela que possa parecer.

Cabe a nós mesmos identificarmos nossas fragilidades e então envidar esforços para o bom combate.

Um grande abraço a todos e que tenhamos nesse ano, muitas oportunidades de aprendizado e realizações.

Com carinho
Sonia
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: aruanda em 24 de Janeiro de 2006, 23:27

Achei muito interessante.

Abraços
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: Peregrino em 25 de Janeiro de 2006, 19:40
Olá, Olga  :)

Excelente, sim senhora, fizeste bem em colocar à disposição, este diz tudo e é, sem dúvida, matéria a meditar e a interiorizar para melhor pautar nossa vivência do Espritismo, e, em especial, a melhorar nossa atitude no dialogo, aqui no Forum.

Muito bom, de facto. O autor estava inspirado.

Leiam que vale a pena.

Abraços

Pg.  :)
Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: andreia em 09 de Março de 2006, 12:06

"Porém, nunca o repetirei demasiado, não aceiteis coisa alguma às cegas".
Erasto - LM cap. V item 98

É muito comum encontrarmos afirmações do tipo: Espírita Kardecista, Kardecismo. Isto cada vez mais, vai se tornando natural no meio Espírita em palestras, jornais e revistas. Porém o que me chamou a atenção foi o artigo da jornalista Renata Saraiva no Jornal Valor de 15 de dezembro de 2000, no seu artigo "Loucura e espiritismo no Brasil" a chamada é a seguinte: "Historiadora estuda como a psiquiatria tratou o Kardecismo no início do século". O artigo trata da tese de doutorado da historiadora da Universidade Estadual de Campinas- UNICAMP Angélica Silva de Almeida "A Loucura Espírita no Brasil". Percebam que o termo Kardecismo foi utilizado como sinônimo de Espiritismo, demonstrando que a confusão iniciada no meio espírita começa a atingir também a mídia. Isto é tudo que alguns inimigos da Doutrina Espírita querem, pois ela deixaria de ser a revelação dada por uma plêiade de espíritos liderados pelo Espírito da Verdade para ficar resumida em uma única pessoa. Antigamente falava-se em espiritismo de mesa branca, espírita de mesa branca e a mesa branca foi substituída por Kardecismo ou Kardecista, alguns centros chegam a incluir em sua denominação Centro Espírita Kardecista.

Entre os espíritas ainda predomina o aprendizado verbal ouve-se alguém dizer acha-se bonito e vai se repetindo, sem se parar para refletir se isto condiz com o que aprendemos. Apenas como exemplo já perceberam como o termo karma foi incorporado ao linguajar de alguns "espíritas". O que mais ouvimos é que a leitura do Livro dos Espíritos é muito difícil por isto esta verdadeira enxurrada de romances, muitos deles com erros graves em relação a Doutrina e são vendidos dentro da própria casa espírita, basta se dizer que o livro é psicografado para se tornar uma obra espírita, mas esta é uma história que fica para uma outra vez.

Para explicar porque não sou espírita Kardecista, chamo em minha defesa o Sr. Allan Kardec, que sem dúvida era o bom senso encarnado e que já imaginando as distorções que poderiam ocorrer fez questão de deixar bem claro logo no primeiro parágrafo da introdução do Livro dos Espíritos o seguinte: "Para se designarem coisas novas são precisos termos novos. Assim exige a clareza da linguagem para evitar confusão inerente à variedade de sentidos das mesmas palavras." e mais a frente estabelece "Os adeptos do Espiritismo serão, Espíritas ou se quiserem Espiritistas." (grifo nosso).

Recorro agora a equipe de espíritos responsáveis pelo Livro dos Espíritos, vamos aos prolegômenos deste livro, que nos dizem: "Este livro é o repositório de seus ensinos, foi escrito por ordem e mediante ditado de Espíritos superiores para estabelecer os fundamentos de uma filosofia racional. Nada contém que não seja a expressão do pensamento deles e que não tenha sido por eles examinado. Só a ordem e a distribuição metódica das matérias, assim como as nota e a forma de algumas partes da redação constituem obra d?aquele que recebeu a missão de os publicar".

Portanto a simples leitura da Introdução e dos Prolegômenos do Livro dos Espíritos já bastaria para que não criássemos termos novos para definir o que já está definido e muito bem definido. Seria interessante ainda aos que se dizem espíritas Kardecista lerem o Capitulo I de A Gênese que trata do Caráter da Revelação Espírita , em especial o item 45 que aqui reproduzimos:

"A primeira revelação teve a sua personificação em Moisés, a segunda no Cristo, a terceira não a tem em indivíduo algum (grifo nosso). As duas primeiras foram individuais, a terceira coletiva; aí está um caráter essencial de grande importância. Ela é coletiva no sentido de não ser feita ou dada como privilégio de pessoa alguma; ninguém, por conseqüência, pode inculcar-se como seu profeta exclusivo; foi espalhada simultaneamente, por sobre a Terra, a milhões de pessoas, de todas as idades e condições, desde a mais baixa até a mais alta da escala, conforme esta predição registrada pelo autor dos Atos dos Apóstolos: "Nos últimos tempos, disse o Senhor, derramarei o meu espírito sobre toda a carne; os vossos filhos e filhas profetizarão, os mancebos terão visões, e os velhos, sonhos." (Atos,cap.II,vv. 17,18.) "Ela não proveio de nenhum culto especial, a fim de servir um dia, a todos, de ponto de ligação."

Com base neste item Kardec faz uma nota explicando o seu papel "neste grande movimento de idéias". Neste mesmo livro no Cap. XVII, Predições do Evangelho item 40, podemos ler : "Não é uma doutrina individual, uma concepção humana; ninguém pode dizer-se seu criador. É o produto do ensino coletivo dos espíritos, ao qual preside o Espírito de Verdade." E no rodapé da pagina joga uma pá de cal sobre este assunto, escrevendo o seguinte:

"Todas as doutrinas filosóficas e religiosas trazem o nome da individualidade fundadora: o mosaismo, o cristianismo, o maometismo, o budismo, o cartesianismo, o furierismo, san-sinomismo, etc...A palavra Espiritismo ao contrário, não lembra nenhuma personalidade, ela encerra uma idéia geral, que indica, ao mesmo tempo, o caráter e a fonte múltipla da doutrina."

Portanto baseado em tudo que aprendi até agora, sou Espirita e ponto final.

(Retirado do Boletim GEAE Número 429 de 5 de fevereiro de 2002)

Wladisney Lope


Beijos com carinho  :D

Andreia

Título: Re: Codificação Espírita, Espíritos, Doutrina, Opiniões, Personalismo, Estudo do Espiritismo e Liberdade de Consciência...
Enviado por: andreia em 12 de Março de 2006, 15:49

O espírita têm em mãos um verdadeiro tesouro chamado Doutrina Espírita. Aquele que não se deixa fanatizar pelo misticismo criado em torno de médiuns ou dirigentes idólatras, tem ao seu alcance a chave da ciência oculta, vulgarização da doutrina do conhecimento. E, temos afirmado, não se pode compreender ou fazer uso deste compêndio de ensinamentos do dia para noite, depois de apenas passar os olhos superficialmente pelos livros fundamentais. Entre nós espíritas, existem irmãos que iniciaram-se na senda do progresso através de obras subsidiárias, ditadas por habitantes de colônias socorristas que, embora possuam luz, não oferecem uma idéia mais justa, mais profunda, do que seja a vida do Espírito imortal. Também não adianta ler uma ou duas dúzias de romances e depois disso declarar-se um conhecedor do Espiritismo. Se uma pessoa deseja crescer em termos espirituais, é preciso muito mais. É necessário iniciar-se na ciência da Verdade.

Os centros espíritas nem sempre são lugares seguros para o estudo do Espiritismo. Por uma série de motivos, que não cabe citarmos, boa parte das casas, que deveriam funcionar com um espírito de escola, tornaram-se pequenas igrejas. Dentre os inúmeros problemas, um deles é o hábito de se introduzir iniciantes na Doutrina dos Espíritos, pelos caminhos finais. Muita gente começa pelas obras de André Luiz, de Emmanuel, de Luiz Sérgio, de Ramatis e similares que, embora mereçam respeito, estão bem aquém das instruções deixadas pelo Espírito de Verdade a Allan Kardec. Falta-lhes o cunho da universalidade. São opiniões pessoais, que nunca tiveram a chancela do Controle Universal dos Espíritos (a maioria dos espíritas nem sabe o que é). Claro, tais livros poderão ser estudados mais tarde, porém, após a instrução fundamental, para que possam discernir o joio do trigo. Centros espíritas inteiros se deixaram guiar por orientações vindas das colônias e prepararam as pessoas para viver em "Nosso Lar".

Muitos não gostam de ouvir falar que centros espíritas podem ser entidades problemáticas. Mas é verdade. Se querem provas basta reunir os trabalhadores espíritas e propor qualquer tipo de melhoria no sistema vigente. A resistência encontrada é enorme e ninguém gosta de responsabilidades. Conseguiram convencer as pessoas que qualquer coisa que fizerem em nome do bem é caridade. Criaram uma espécie de amadorismo religioso, onde o adepto tem a ilusão de que está cheio de luzes. A grandiosa idéia veio das tais colônias socorristas, onde a maioria dos habitantes sofreram duras experiências no umbral, por causa de sua falta de conhecimento e seriedade perante a vida.

O serviço prestado por bom número de casas é de baixa qualidade. Mas quem se importa com isso? Orgulhosos e despreparados dirigentes, assistidos por guias espirituais em igual situação, ajudam a fazer de conta que tudo está maravilhosamente bem. Triste ilusão, que acaba com a morte e freqüentemente durante a vida mesmo. Conhecemos muitos adeptos que se desencantaram do Espiritismo, porque pouco de bom conseguiram obter. Obsessões e doenças nunca foram curadas, sob a alegação de que "era assim mesmo". Desilusões que poderiam ser evitadas se a doutrina fosse vista de uma maneira mais racional e objetiva, conforme instruiu-nos o Codificador.

Por esta razão, começa a tornar-se urgente a necessidade de se adquirir auto-suficiência espiritual. Não se pode depender de pessoas, sejam médiuns ou não; de líderes, sejam espíritas ou não; de centros, sejam corretos ou não, para termos paz. Deus é um pai de bondade e perfeição e nos dá hoje, com a Doutrina Espírita, todas as condições para termos a luz do Espírito, ou seja, conhecimento e moralidade em nível superior. E, certamente, não se faz necessário lermos todos os livros espíritas existentes. Aliás, bom número deles é dispensável, seja por constituírem-se em repetições do que todo mundo já disse, ou por suas condições doutrinárias e espirituais inferiores.

O espírita verdadeiro precisa ser absolutamente independente em termos espirituais. O centro espírita deve ser sua escola, o local onde encontre condições de crescimento em todos os sentidos. Mas, na impossibilidade disso acontecer, ele deve instruir-se na sã doutrina pessoalmente, na sua casa. Mais vale tentar compreender o Espiritismo em casa, que frequentar um centro espírita problemático. Mas, não será um iniciado na ciência do conhecimento, se tentar orientar-se, por obras ditadas por Espíritos habitantes dos planos próximos da Terra. Necessita dos livros da Codificação, para formar sua consciência crítica e aprender a separar o que de bom existe nesses e em outros trabalhos. Começar pelo começo e dedicar-se ao seu crescimento interior. Eis um seguro caminho, para beneficiar-se da luz que emana dessa doutrina, sem deixar-se iludir por falsos mestres encarnados ou desencarnados, que vêm provocando danos em muitas mentes e instituições.

Josué de Freitas
NovaVoz – Grupo Espírita Bezerra de Menezes
São José do Rio Preto – SP


 :D
Andreia