Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => O Livro dos Médiuns => Tópico iniciado por: FUSA em 03 de Janeiro de 2013, 20:43

Título: Reuniões mediúnicas: Kardec vs. centros atuais
Enviado por: FUSA em 03 de Janeiro de 2013, 20:43
Gostaria de abrir o tópico tentando entender as diferenças entre as comunicações de espíritos nos centros espiritas hoje em dia e no tempo de kardec.

Na época de kardec (lendo a RE e O céu e o inferno) vejo que as comunicações eram bem instrutivas com muitas evocações de praticamente todo e qualquer espirito, um aprendizado para todos. Parece-me que havia também Evocações de espíritos que eram obsessores para ajuda-los mas não me parece que era a principal ação das reuniões naquela época.

Pois bem, pelo menos em todos os centros que freqüentei até hoje no Brasil e hoje em dia USA,  comunicações mediúnicas são sempre de "irmãos sofredores" ou espíritos endurecidos ou  "obsessores" . Muito raramente se tem uma mensagem de guias espirituais, mas mesmo essas,  vem sempre trazendo a mesma mesmice de sermos caridosos, e Jesus isso e Jesus aquilo, etc. mensagens que, por falta de uma palavra melhor, sem graça.

Qual a razão dessa diferença tão grande? Por que foi que o centro espirita no Brasil virou ambulatório de espíritos mas me parece que esse não era o caso na época de Kardec? Por que parece que na época de kardec havia menos sofredores ou pelo menos , mesmo sendo sofredores eles pareciam que entendiam melhor o que estava acontecendo com eles? Será por que havia um dialogo entre o evocador e o espirito?

Hoje em dia me parece que não há realmente diálogos com os espíritos mas uma certa imposição de querer ajuda-los ou cura-los ou até converte-los sempre em nome de "Jesus o Salvador", etc. 

Lendo O Ceu e O Inferno e varias mensagens na RE eu raramente me deparo com espiritos tao ainda "materializados" como os que vejo hoje? Até mesmo as mensagens dos "espiritos felizes" são bem diferentes, sem o pieguismo que vejo nos "espiritos superiores" que vejo no espiritismo no Brasil?

Qual a sua opinião/teoria?
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Moemaa em 04 de Janeiro de 2013, 10:40
Antes tudo era novidade. Kardec "abriu as portas" desse novo mundo de aprendizado. Se houvesse naquela época o que há hoje, quem se importaria??? Afinal eles nem sabiam do que se tratavam tais "fenômenos".
Se hoje há uma demanda maior por ajuda é porque a necessidade é também maior!
O tempo passou e nada aprendemos. Continuamos cometendo os mesmos erros...
Como mudar o "discurso" se a "platéia" continua a mesma? continuamos cegos e céticos até agora.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Mourarego em 04 de Janeiro de 2013, 14:41
Você tem razão Francisco, parece mesmo que há uma certa vontade de alguns poucos hoje em dia em mesmo inverter as coisas.
Fala-se muito que o pilar único da De seja o Cristianismo, porém este é apenas o sustentáculo dos princípios morais mas a DE segue outras vias além deste.
Veja que nem mesmo a grande maioria sabe do que ocorria ao tempo de Kardec e "acha" que foi ele quem desvendou os mistérios, quando na verdade os fenômenos espirituais, eram a modinha da época e sempre faziam parte das tertúlias francesas.
Eram reuniões frívolas, tais como hoje algumas crianças brincam como jogo do copo entende?
Kardec ainda respondia pelo seu nome de batismo quando houve de ser convidado por um amigo seu com quem por 25 anos estudava o magnetismo, e assim lhe respondeu: "Não digo que não, mas vai me permitir o amigo antes ver a prova de que as mesas tenham um cérebro para pensar e uma organização nervosa para levantarem-se, antes disso amigo, vou crê-las apenas como conversas para me chamar o sono".
Depois sim, havendo notado que havia nas comunicações uma causa inteligente, dignou-se a estuda-as.
abraços,
Moura
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: FUSA em 04 de Janeiro de 2013, 17:05
Mas Moemaa,

Voçe leu direitinho o que eu escrevi? Me parece que na época de Kardec mesmo os espiritos "sofredores" (suicidas, ateus, morte violenta, etc) "caiam na real" muito mais rapido do que os espiritos de hoje em dia.

Nas reuniões mediunicas que eu participo porem, os espiritos são sempre "sofredores" e nunca caem na real de que ja morerram e se quieixam de dor disso, dor daquilo, etc. E ai sempre os "doutrinadores" ficam "ah vejo que tem um medico ai junto de voce" "eles estao dando uma medicação para voce e vão te botar numa maca" e "peça a Jesus pra te ajudar" e por ai vai.

E quando voce le na revista espirita e Ceu e inferno, não tem nada disso e os espiritos eram ajudados do mesmo jeito!

Como explicar?

Antes tudo era novidade. Kardec "abriu as portas" desse novo mundo de aprendizado. Se houvesse naquela época o que há hoje, quem se importaria??? Afinal eles nem sabiam do que se tratavam tais "fenômenos".
Se hoje há uma demanda maior por ajuda é porque a necessidade é também maior!
O tempo passou e nada aprendemos. Continuamos cometendo os mesmos erros...
Como mudar o "discurso" se a "platéia" continua a mesma? continuamos cegos e céticos até agora.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: EsoEstudos em 04 de Janeiro de 2013, 17:29
Eu entendo a dúvida proposta no tópico.

Imagino que o tempo da semeadura já passou. Os Espíritos lançaram luzes e instituíram uma massiva demonstração da natureza do homem e da efetiva existência do plano espiritual. As comunicações de hoje são em sua maioria de sofredores simplesmente porque o ensino foi ministrado e cabe aos homens por em prática um novo plano de vida. Os grandes mestres não ficariam, até onde entendo, se apresentando para repetir as lições já ministradas.

Diz a lenda que certa vez perguntaram ao Chico por que aqui e acolá apareciam Espíritos se comunicando sob títulos de nobreza, ora reis, ora rainhas, grandes magos, faraós, médicos infalíveis etc... Chico teria respondido: é que os humildes daqueles tempos já não precisam mais ficar na Terra...

É uma estorieta divertida...
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: EBLOPES em 04 de Janeiro de 2013, 19:07
Boa tarde,

Algumas dúvidas:

1) Depois de Kardec nada mais passou pela CUEE?

2) Porque ninguém usa esse método hoje?

Abraços
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: new em 04 de Janeiro de 2013, 21:31
Execelente tópico Francisco, extremamente pertinente.

É mais uma questão grave, que tem profunda ligação com as "Colônias espirituais". Afinal, são os mesmos Espíritos que decretaram a reedição da proibição de se evocar os mortos. Emmanuel é o maior líder desse movimento, bem explícito no livro "O Consolador".

O que é totalmente contrário ao que Kardec dizia.


Tomando essa atitude, de que só se pode esperar as comunicações e que só se pode receber Espíritos sofredores, passa a ideia de que só os homens podem ensinar os Espíritos, e estes, nada mais podem contribuir.

A não ser, é claro, os abnegados, venerandos, humílimos e rigorosos guias espirituais dos médiuns brasileiros famosos exaltados ao nível dos santos.

Então, todo o conhecimento espiritual ficou na mão de pouquíssimos Espíritos, o que só por este fato merece a nossa desconfiança. Aliás, é Kardec mesmo que dizia isso.

Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 04 de Janeiro de 2013, 21:46
Francisco,

A resposta para isso é muito simples.

Kardec era um estudioso das relações entre Espíritos desencarnados e encarnados.  Seu método consistia em evocá-los e obter desta forma as informações de que necessitava para seus estudos. Ele nos sugeriu que fizéssemos o mesmo: estudar e evocar. E para que não nos sentíssemos despreparados para a tarefa, ele nos deixou um manual, ou melhor, um guia dos evocadores, que denominou O Livro dos Médiuns.

O movimento Espírita brasileiro, contudo, a partir da determinação de um único Espírito, que se definia como sendo daqueles que não recomendava a evocação direta e pessoal em hipótese alguma, acatou a recomendação e passou a seguir a prática de ouvir apenas aqueles que se manifestassem por iniciativa própria nas reuniões mediúnicas, entendendo, com isso, que esta deveria ser a postura do espírita desprovido de interesses e sempre disposto a colaborar. Deu no que deu...

Mas discordo de você em relação aos Espíritos sofredores do tempo de Kardec serem menos “materializados” dos que os nossos. Volte ao Livro O Céu e o Inferno e releia o capítulo dos Espíritos sofredores. Pelo texto de Kardec, as primeiras evocações são muito semelhantes ao que ouvimos nas nossas reuniões mediúnicas. Mas há ainda o fato de que essas comunicações de O Céu e o Inferno têm uma finalidade didática, e nesse sentido, parece haver mais propósito em se relatar os casos em que os Espíritos têm consciência de sua condição infeliz e de que devem rever seus propósitos o quanto antes. No geral, o que se ouve é que os Espíritos nessa condição nem mesmo têm consciência de seu estado de erraticidade, já que julgam estar ainda entre os “vivos”.

Abraço,


 
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 04 de Janeiro de 2013, 21:56
Amados do meu coração,

Objetivo...
Primeira determinante, para que alguem se reuna...
Pauta...
Primeira orientação para que todos cheguem preparados à reunião, e logo, primeiro passo para que se tenha um minimo de respeitabilidade nos assuntos que serão tratados...
Quem se reune, quem preside, quem secretaria os trabalhos, ???

Respondendo a estas simples perguntas, teremos uma diretiva inicial, as demais, serão simples decorrencias da precisão da organização, com que se planeja uma sequencia de reuniões...
Seja entre Espíritos encarnados, e só entre os desencarnados, e mista, aliás, numa reunião da fábrica, quem garante que nela não esteja um desencarnado, interessado nisso ou naquilo?

Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 04 de Janeiro de 2013, 22:09
1) Depois de Kardec nada mais passou pela CUEE?

Não. Porque não há garantia séria dos ensinamentos, já que “"A única garantia séria do ensinamento dos espíritos está na concordância que existe entre as revelações feitas espontaneamente, por intermédio de um grande número de médiuns estranhos uns aos outros, e em diversos lugares.” (KARDEC, O Evangelho...).  As “novidades” espíritas que hoje alimentam as dissensões entre os adeptos, sobretudo quando há flagrante contradição em relação à um princípio doutrinário qualquer, não atendem a essa condição.

2) Porque ninguém usa esse método hoje?

Porque para usá-lo é necessário isenção. É necessário não ter tanto entusiasmo com a causa espírita. É necessário a frieza para jogar fora o que se comprova equívoco ou deixar de molho o que se mostra suspeito. Os termos “entusiasmo” e “frieza” não foram empregados aqui por acaso: são para lembrar as palavras de kardec em um artigo da Revista Espírita de julho de 1865 (que já citei aqui hoje em outro tópico):

Sou um homem positivo, sem entusiasmo, que tudo julga friamente. Raciocino de acordo com os fatos (...)

Abraço,
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: FUSA em 04 de Janeiro de 2013, 22:28
Exato New,

O kardec falou na introdução do Capítulo XXV - Das evocações que "não chamar a nenhum em particular é abrir a porta a todos os que queiram entrar. Numa assembléia, não dar a palavra a ninguém é deixá-la livre a toda a gente e sabe-se o que daí resulta."

Para mim o que dai resultou foi o que aconteceu no MEB e nas reuniões mediunicas de desobsessão que so vem "sofredor" e são "trazidos pelos mentores" (e muitas das vezes esses sofredores não sabem que tem espiritos mais "elevados" ali).

Eu ultimamente fiquei meio cismado de que muitos daqueles "sofredores" na verdade são mistificadores.

F

Execelente tópico Francisco, extremamente pertinente.

É mais uma questão grave, que tem profunda ligação com as "Colônias espirituais". Afinal, são os mesmos Espíritos que decretaram a reedição da proibição de se evocar os mortos. Emmanuel é o maior líder desse movimento, bem explícito no livro "O Consolador".

O que é totalmente contrário ao que Kardec dizia.


Tomando essa atitude, de que só se pode esperar as comunicações e que só se pode receber Espíritos sofredores, passa a ideia de que só os homens podem ensinar os Espíritos, e estes, nada mais podem contribuir.

A não ser, é claro, os abnegados, venerandos, humílimos e rigorosos guias espirituais dos médiuns brasileiros famosos exaltados ao nível dos santos.

Então, todo o conhecimento espiritual ficou na mão de pouquíssimos Espíritos, o que só por este fato merece a nossa desconfiança. Aliás, é Kardec mesmo que dizia isso.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: FUSA em 04 de Janeiro de 2013, 22:40
EBLopes,

Hoje em dia acho que o CUEE esta "voltando"ao nivel individual pelo menos pois nao mais temos um "Codificador".

Eu pelo menos (nessa encarnação) resolvi me dedicar exclusivamente a estudar os trabalhos que Kardec deixou e rejeitei completamente tudo que veio depois dele (e.g., Chico Xavier, Divaldo, etc).

Ao nivel de instituição porém isso nao acontece e acho difícil acontecer. Imagine a FEB hoje admitir que todo o trabalho de Chico nao passou pelo CUEE?

Porem, acho que sai fora de meu próprio tópico! ;D

F

1) Depois de Kardec nada mais passou pela CUEE?

Não. Porque não há garantia séria dos ensinamentos, já que “"A única garantia séria do ensinamento dos espíritos está na concordância que existe entre as revelações feitas espontaneamente, por intermédio de um grande número de médiuns estranhos uns aos outros, e em diversos lugares.” (KARDEC, O Evangelho...).  As “novidades” espíritas que hoje alimentam as dissensões entre os adeptos, sobretudo quando há flagrante contradição em relação à um princípio doutrinário qualquer, não atendem a essa condição.

2) Porque ninguém usa esse método hoje?

Porque para usá-lo é necessário isenção. É necessário não ter tanto entusiasmo com a causa espírita. É necessário a frieza para jogar fora o que se comprova equívoco ou deixar de molho o que se mostra suspeito. Os termos “entusiasmo” e “frieza” não foram empregados aqui por acaso: são para lembrar as palavras de kardec em um artigo da Revista Espírita de julho de 1865 (que já citei aqui hoje em outro tópico):

Sou um homem positivo, sem entusiasmo, que tudo julga friamente. Raciocino de acordo com os fatos (...)

Abraço,
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: FUSA em 04 de Janeiro de 2013, 22:52
Oi Edmar,

Realmente você tem razão. O Ceu e o Inferno foi mais uma coletãnea para dar uma ideia geral do que acontece com os espiritos após o seu desencarne, dependendo de seu estado evolutivo.

Francisco,

A resposta para isso é muito simples.

Kardec era um estudioso das relações entre Espíritos desencarnados e encarnados.  Seu método consistia em evocá-los e obter desta forma as informações de que necessitava para seus estudos. Ele nos sugeriu que fizéssemos o mesmo: estudar e evocar. E para que não nos sentíssemos despreparados para a tarefa, ele nos deixou um manual, ou melhor, um guia dos evocadores, que denominou O Livro dos Médiuns.

O movimento Espírita brasileiro, contudo, a partir da determinação de um único Espírito, que se definia como sendo daqueles que não recomendava a evocação direta e pessoal em hipótese alguma, acatou a recomendação e passou a seguir a prática de ouvir apenas aqueles que se manifestassem por iniciativa própria nas reuniões mediúnicas, entendendo, com isso, que esta deveria ser a postura do espírita desprovido de interesses e sempre disposto a colaborar. Deu no que deu...

Mas discordo de você em relação aos Espíritos sofredores do tempo de Kardec serem menos “materializados” dos que os nossos. Volte ao Livro O Céu e o Inferno e releia o capítulo dos Espíritos sofredores. Pelo texto de Kardec, as primeiras evocações são muito semelhantes ao que ouvimos nas nossas reuniões mediúnicas. Mas há ainda o fato de que essas comunicações de O Céu e o Inferno têm uma finalidade didática, e nesse sentido, parece haver mais propósito em se relatar os casos em que os Espíritos têm consciência de sua condição infeliz e de que devem rever seus propósitos o quanto antes. No geral, o que se ouve é que os Espíritos nessa condição nem mesmo têm consciência de seu estado de erraticidade, já que julgam estar ainda entre os “vivos”.

Abraço,
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 04 de Janeiro de 2013, 23:12
Oi Edmar,

Realmente você tem razão. O Ceu e o Inferno foi mais uma coletãnea para dar uma ideia geral do que acontece com os espiritos após o seu desencarne, dependendo de seu estado evolutivo.

Francisco,

A resposta para isso é muito simples.

Kardec era um estudioso das relações entre Espíritos desencarnados e encarnados.  Seu método consistia em evocá-los e obter desta forma as informações de que necessitava para seus estudos. Ele nos sugeriu que fizéssemos o mesmo: estudar e evocar. E para que não nos sentíssemos despreparados para a tarefa, ele nos deixou um manual, ou melhor, um guia dos evocadores, que denominou O Livro dos Médiuns.

O movimento Espírita brasileiro, contudo, a partir da determinação de um único Espírito, que se definia como sendo daqueles que não recomendava a evocação direta e pessoal em hipótese alguma, acatou a recomendação e passou a seguir a prática de ouvir apenas aqueles que se manifestassem por iniciativa própria nas reuniões mediúnicas, entendendo, com isso, que esta deveria ser a postura do espírita desprovido de interesses e sempre disposto a colaborar. Deu no que deu...

Mas discordo de você em relação aos Espíritos sofredores do tempo de Kardec serem menos “materializados” dos que os nossos. Volte ao Livro O Céu e o Inferno e releia o capítulo dos Espíritos sofredores. Pelo texto de Kardec, as primeiras evocações são muito semelhantes ao que ouvimos nas nossas reuniões mediúnicas. Mas há ainda o fato de que essas comunicações de O Céu e o Inferno têm uma finalidade didática, e nesse sentido, parece haver mais propósito em se relatar os casos em que os Espíritos têm consciência de sua condição infeliz e de que devem rever seus propósitos o quanto antes. No geral, o que se ouve é que os Espíritos nessa condição nem mesmo têm consciência de seu estado de erraticidade, já que julgam estar ainda entre os “vivos”.

Abraço,
Amados
Estamos postando na parte onde se exprimem estudos doutrinários, e, onde se encontra na doutrina, que só aquilo que kardec escreveu, resume toda a doutrina?

A propósito, Kardec era cético, foi doutrinado, e aceitou, como iniciante, e dele o Verdade e todos que contribuiram se serviram de suas qualidades peculiares, e de sua boa vontade em prestar o serviço à Espiritualidade...
A codificação não é obra de Kardec, amados, é obra dos Espíritos...
Mediunidade é universal, e existe desde todos os tempos, o livro dos médiuns não criou médiuns...
Todavia, aqui é local para estudo do livro dos médiuns, então opiniões pessoais, são maravilhosamente úteis...mas...

Onde Kardec asseverou que detinha toda a verdade,?
Ora, podemos acreditar no que quizermos, mas neste local devemos nos exprimir de conformidade com os ensinos doutrinários, para que inadvertidos não sejam guindados aos nossos pensamentos pessoais...

Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 05 de Janeiro de 2013, 00:15
Estamos postando na parte onde se exprimem estudos doutrinários, e, onde se encontra na doutrina, que só aquilo que kardec escreveu, resume toda a doutrina?

O que se pode dizer aqui é que tudo o que Kardec escreveu passou pela sanção do Controle Universal e que para ser considerado como Doutrina Espírita é necessário que receba essa sansão. Quem diz isso é o próprio:

[...]. Convém, pois, considerar essas explicações como opiniões pessoais dos Espíritos que as formularam, opiniões que podem ser justas ou falsas, e que, em todo o caso, necessitam da sanção do controle universal, e, até mais ampla confirmação, não poderiam ser consideradas como partes integrantes da Doutrina Espírita. (KARDEC, Revista Espírita. Julho, 1866) (Grifei)

A codificação não é obra de Kardec, amados, é obra dos Espíritos...

Uma afirmação infeliz e irrefletida. Kardec foi o “Codificador” da Doutrina. Aquele que codifica algo, torna interpretável de forma ordenada e inteligível aquilo que se encontrava disperso e sem ordenação. Pode se dizer perfeitamente que outro o faria em seu lugar, mas ele o fez e merece sim todo o crédito por isso, ainda que ele próprio, em sua legítima modéstia, não o permitisse.

Ora, podemos acreditar no que quizermos, mas neste local devemos nos exprimir de conformidade com os ensinos doutrinários, para que inadvertidos não sejam guindados aos nossos pensamentos pessoais...

Em relação ao meu texto, com a exceção de minha especulação sobre o caráter didático de O Céu e o Inferno no último parágrafo, eu reafirmo cada uma das palavras como sendo plenamente concordantes com o que ensinam Kardec e os Espíritos que o Orientaram em O Livro dos Médiuns, ou seja, com a Doutrina Espírita, que para mim e para Kardec é somente aquela que recebeu a sanção do Controle.

Mais estudo, mais isenção e menos entusiasmo com a Causa Espírita. É disso que precisamos...
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: new em 05 de Janeiro de 2013, 00:57
edmar, citar Kardec e o seu proceder é uma das coisas que mais me faz feliz em ser espírita.

Ele era verdadeiramente modesto. Ele organizou, deu o seu trabalho, a sua vida pelo Espiritismo. Fez o papel do homem no trabalho da vinda do Consolador. Porque, como dizia, os Espíritos não poderiam ser encarados como reveladores premeditados, e que era necessário o concurso dos homens. Porém em nenhum momento se auto-intitulou ser esse homem. E mais, exaustiva e reiterada  vezes escreveu que nem ele e nem um homem da Terra poderia inculcar ser o autor das ideias contidas na Doutrina Espírita.

E podemos dizer,  sem medo de errar, que Allan Kardec é também um modelo a ser seguido, em todos os aspectos. O guia dele foi o amor. Por amor à humanidade deu o seu trabalho e a sua vida.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 00:59

Amado, grato pela gentileza da produção de discursão saudável, justa e racional...

Por falar em racional, o amado irmão se vale de frase da Revista Espírita, para configurar assunto do livro dos médius, e ainda grifa, como verdade inarredável...
Aceito como excelente fonte de opinião, verdade, onde mora? Uma frase parafreseia, então com uma frase de um tudo se pode parafrasear...
Falemos de Livro dos Médiuns, é o que pede o tópico, e não nos prestemos a prestar gentilezas a outrem que deu o mau exemplo e não se manifesta...

Citar
Citação de: filhodobino em Ontem às 23:12
 
Estamos postando na parte onde se exprimem estudos doutrinários, e, onde se encontra na doutrina, que só aquilo que kardec escreveu, resume toda a doutrina?

O que se pode dizer aqui é que tudo o que Kardec escreveu passou pela sanção do Controle Universal e que para ser considerado como Doutrina Espírita é necessário que receba essa sansão. Quem diz isso é o próprio:

[...]. Convém, pois, considerar essas explicações como opiniões pessoais dos Espíritos que as formularam, opiniões que podem ser justas ou falsas, e que, em todo o caso, necessitam da sanção do controle universal, e, até mais ampla confirmação, não poderiam ser consideradas como partes integrantes da Doutrina Espírita. (KARDEC, Revista Espírita. Julho, 1866) (Grifei)

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-mediuns/?action=post2#ixzz2H3bE8ndV
A codificação não é obra de Kardec, amados, é obra dos Espíritos...


Citar
Uma afirmação infeliz e irrefletida. Kardec foi o “Codificador” da Doutrina. Aquele que codifica algo, torna interpretável de forma ordenada e inteligível aquilo que se encontrava disperso e sem ordenação. Pode se dizer perfeitamente que outro o faria em seu lugar, mas ele o fez e merece sim todo o crédito por isso, ainda que ele próprio, em sua legítima modéstia, não o permitisse.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-mediuns/?action=post2#ixzz2H3bE8ndV

Se é validável para o amigo, frases de outros livros, vejamos o que disse Kardec...
ENSINO -  Todos os Espíritos, qualquer que seja o grau de elevação em que se encontrem, alguma coisa nos ensinam; cabe-nos discernir o que há de bom ou de mau no que nos digam e tirar, do ensino que nos dêem, o proveito possível.
Todos nos podem ensinar ou revelar coisas que ignoramos e que sem eles nunca saberíamos.
Não há espírito algum cujo estudo não nos traga alguma utilidade; alguma coisa aprendemos sempre com todos eles; as suas imperfeições, os defeitos, a incapacidade, a ignorância mesmo, são outros tantos objetos de observação, que nos iniciam na natureza íntima desse mundo; e quando eles não nos instruam, nós, estudando-os, nos instruímos, como fazemos quando observamos os costumes de um povo desconhecido para nós.
Allan Kardec em Gênese; 1/58- 1/61 e 62  e O Que é o Espiritismo; Página: 109 -


Citar
Citação de: filhodobino em Ontem às 23:12
 
Ora, podemos acreditar no que quizermos, mas neste local devemos nos exprimir de conformidade com os ensinos doutrinários, para que inadvertidos não sejam guindados aos nossos pensamentos pessoais...


Em relação ao meu texto, com a exceção de minha especulação sobre o caráter didático de O Céu e o Inferno no último parágrafo, eu reafirmo cada uma das palavras como sendo plenamente concordantes com o que ensinam Kardec e os Espíritos que o Orientaram em O Livro dos Médiuns, ou seja, com a Doutrina Espírita, que para mim e para Kardec é somente aquela que recebeu a sanção do Controle.

Mais estudo, mais isenção e menos entusiasmo com a Causa Espírita. É disso que precisamos...

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-mediuns/?action=post2#ixzz2H3eZ1zh8


Amado, como desvias da rota do bom costume de não criticar pessoas mas ideias... respondo via MP...
este post...
Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 05 de Janeiro de 2013, 01:12
Citar
Considerações Gerais
269.  Os Espíritos podem comunicar-se espontaneamente ou atender ao nosso apelo, isto é, vir mediante evocação. Algumas pes-soas pensam que devem abster-se de evocar este ou aquele Espírito e que é preferível aguardar aquele que queira comunicar-se. Baseiam-se nesta opinião: de que chamando um determinado Espírito, não se tem a certeza de que seja ele quem se apresente, enquanto que, aquele que vem, espontaneamente, pela sua própria vontade, melhor prova a sua identidade, já que anuncia, assim, o desejo que possui de se entreter conosco. Na nossa opinião, aí está um erro: primeiramente, porque há sempre Espíritos em torno de nós, na maioria das vezes, de condição inferior, que nada mais querem, senão comunicar-se; a nenhum chamar, em particular, é abrir a porta para todos os que queiram entrar. Numa assembleia, não dar a palavra a ninguém, é deixá-la entregue a todo mundo e sabe-se o que daí resulta.
O apelo direto, feito a um determinado Espírito, representa um elo entre ele e nós; nós o chamamos pelo nosso desejo e opomos, assim, uma espécie de barreira aos intrusos. Sem uma chamada direta, um Espírito, muitas vezes, nenhum motivo teria para vir até nós, a não ser que seja nosso Espírito familiar. (KARDEC, O Livro dos Médiuns: Evocações) (Grifei)


Que os visitantes e novos adeptos possam ver nas linhas acima o que podem esperar de uma fé raciocinada, e de um movimento no qual seus adeptos acusam de opinião pessoal aquilo que deveria estar consolidado como princípio elementar da Doutrina que professam.

Abraços a todos,
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 01:15
Citar
Considerações Gerais
269.  Os Espíritos podem comunicar-se espontaneamente ou atender ao nosso apelo, isto é, vir mediante evocação. Algumas pes-soas pensam que devem abster-se de evocar este ou aquele Espírito e que é preferível aguardar aquele que queira comunicar-se. Baseiam-se nesta opinião: de que chamando um determinado Espírito, não se tem a certeza de que seja ele quem se apresente, enquanto que, aquele que vem, espontaneamente, pela sua própria vontade, melhor prova a sua identidade, já que anuncia, assim, o desejo que possui de se entreter conosco. Na nossa opinião, aí está um erro: primeiramente, porque há sempre Espíritos em torno de nós, na maioria das vezes, de condição inferior, que nada mais querem, senão comunicar-se; a nenhum chamar, em particular, é abrir a porta para todos os que queiram entrar. Numa assembleia, não dar a palavra a ninguém, é deixá-la entregue a todo mundo e sabe-se o que daí resulta.
O apelo direto, feito a um determinado Espírito, representa um elo entre ele e nós; nós o chamamos pelo nosso desejo e opomos, assim, uma espécie de barreira aos intrusos. Sem uma chamada direta, um Espírito, muitas vezes, nenhum motivo teria para vir até nós, a não ser que seja nosso Espírito familiar. (KARDEC, O Livro dos Médiuns: Evocações) (Grifei)


Que os visitantes e novos adeptos possam ver nas linhas acima o que podem esperar de uma fé raciocinada, e de um movimento no qual seus adeptos acusam de opinião pessoal aquilo que deveria estar consolidado como princípio elementar da Doutrina que professam.

Abraços a todos,

Amado,
ligueiro no gatilho, fostes capaz de estudar minhas colocações em 10 segundos, compilar a resposta e postar?

No âmbito do controle do pensamento...

Colaborador pode exigir de um antigo Coronel, meu irmão, meu xará, companheiro de longa jornada?

citação de Vossa Senhoria, nobre colega,

Citar
Coronel,

Varrendo suas postagens vejo que há uma convicção de sua parte de que nossos pensamentos não sejam nossos porque não somos capazes de controlá-los.

Eu exijo (carinhosamente) de você um pouco mais de lógica doutrinária para tratar dessa questão – lógica doutrinária porque estamos em um Fórum Espírita, e suas regras de participação exigem isso de nós.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/auto-conhecimento/nos-temos-controle-sobre-nossos-pensamentos/165/#ixzz2H3mDHTUz
Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: new em 05 de Janeiro de 2013, 01:20
Citar
Considerações Gerais
269.  Os Espíritos podem comunicar-se espontaneamente ou atender ao nosso apelo, isto é, vir mediante evocação. Algumas pes-soas pensam que devem abster-se de evocar este ou aquele Espírito e que é preferível aguardar aquele que queira comunicar-se. Baseiam-se nesta opinião: de que chamando um determinado Espírito, não se tem a certeza de que seja ele quem se apresente, enquanto que, aquele que vem, espontaneamente, pela sua própria vontade, melhor prova a sua identidade, já que anuncia, assim, o desejo que possui de se entreter conosco. Na nossa opinião, aí está um erro: primeiramente, porque há sempre Espíritos em torno de nós, na maioria das vezes, de condição inferior, que nada mais querem, senão comunicar-se; a nenhum chamar, em particular, é abrir a porta para todos os que queiram entrar. Numa assembleia, não dar a palavra a ninguém, é deixá-la entregue a todo mundo e sabe-se o que daí resulta.
O apelo direto, feito a um determinado Espírito, representa um elo entre ele e nós; nós o chamamos pelo nosso desejo e opomos, assim, uma espécie de barreira aos intrusos. Sem uma chamada direta, um Espírito, muitas vezes, nenhum motivo teria para vir até nós, a não ser que seja nosso Espírito familiar. (KARDEC, O Livro dos Médiuns: Evocações) (Grifei)


Que os visitantes e novos adeptos possam ver nas linhas acima o que podem esperar de uma fé raciocinada, e de um movimento no qual seus adeptos acusam de opinião pessoal aquilo que deveria estar consolidado como princípio elementar da Doutrina que professam.

Abraços a todos,

Pois é, está ai extamente o que é a Doutrina Espírita com relação às evocações.

A evocação ainda é preferível, por criar esse elo com o Espírito, criando uma primeira barreira aos que não são chamados.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 01:25
Citar
Considerações Gerais
269.  Os Espíritos podem comunicar-se espontaneamente ou atender ao nosso apelo, isto é, vir mediante evocação. Algumas pes-soas pensam que devem abster-se de evocar este ou aquele Espírito e que é preferível aguardar aquele que queira comunicar-se. Baseiam-se nesta opinião: de que chamando um determinado Espírito, não se tem a certeza de que seja ele quem se apresente, enquanto que, aquele que vem, espontaneamente, pela sua própria vontade, melhor prova a sua identidade, já que anuncia, assim, o desejo que possui de se entreter conosco. Na nossa opinião, aí está um erro: primeiramente, porque há sempre Espíritos em torno de nós, na maioria das vezes, de condição inferior, que nada mais querem, senão comunicar-se; a nenhum chamar, em particular, é abrir a porta para todos os que queiram entrar. Numa assembleia, não dar a palavra a ninguém, é deixá-la entregue a todo mundo e sabe-se o que daí resulta.
O apelo direto, feito a um determinado Espírito, representa um elo entre ele e nós; nós o chamamos pelo nosso desejo e opomos, assim, uma espécie de barreira aos intrusos. Sem uma chamada direta, um Espírito, muitas vezes, nenhum motivo teria para vir até nós, a não ser que seja nosso Espírito familiar. (KARDEC, O Livro dos Médiuns: Evocações) (Grifei)


Que os visitantes e novos adeptos possam ver nas linhas acima o que podem esperar de uma fé raciocinada, e de um movimento no qual seus adeptos acusam de opinião pessoal aquilo que deveria estar consolidado como princípio elementar da Doutrina que professam.

Abraços a todos,

Pois é, está ai extamente o que é a Doutrina Espírita com relação às evocações.

A evocação ainda é preferível, por criar esse elo com o Espírito, criando uma primeira barreira aos que não são chamados.

Exatamente New...
Critéio, respeito as opiniões contrárias, pois, engano não escolhe cara, nem idade, nem cargo, ninguem enfim...
saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 05 de Janeiro de 2013, 01:28
[...]
Por falar em racional, o amado irmão se vale de frase da Revista Espírita, para configurar assunto do livro dos médius, e ainda grifa, como verdade inarredável...
Aceito como excelente fonte de opinião, verdade, onde mora? Uma frase parafreseia, então com uma frase de um tudo se pode parafrasear...
Falemos de Livro dos Médiuns, é o que pede o tópico, e não nos prestemos a prestar gentilezas a outrem que deu o mau exemplo e não se manifesta...

Interpretação equivocada. A referência ao texto da Revista Espírita foi uma resposta à sua pergunta: “onde se encontra na doutrina, que só aquilo que kardec escreveu, resume toda a doutrina?”

Em relação ao Livro dos Médiuns, especificamente no que toca as minhas afirmações a respeito das Evocações, as palavras de Kardec (e não as minhas) estão no meu último post.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Rola em 05 de Janeiro de 2013, 01:33

No âmbito do controle do pensamento...

Colaborador pode exigir de um antigo Coronel, meu irmão, meu xará, companheiro de longa jornada?

citação de Vossa Senhoria, nobre colega,

Citar
Coronel,

Varrendo suas postagens vejo que há uma convicção de sua parte de que nossos pensamentos não sejam nossos porque não somos capazes de controlá-los.

Eu exijo (carinhosamente) de você um pouco mais de lógica doutrinária para tratar dessa questão – lógica doutrinária porque estamos em um Fórum Espírita, e suas regras de participação exigem isso de nós.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/auto-conhecimento/nos-temos-controle-sobre-nossos-pensamentos/165/#ixzz2H3mDHTUz
Saúde e Paz!

Sem direito a resposta: está trancado o tópico!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 05 de Janeiro de 2013, 01:44
Colaborador pode exigir de um antigo Coronel, meu irmão, meu xará, companheiro de longa jornada?

Aqui eu fiquei mesmo confuso... Não se pode exigir por que ele é um antigo Coronel, seu irmão, seu xará e companheiro de longa jornada? Apenas por isso?

Mas eu me lembro perfeitamente de ter escrito um “Carinhosamente” logo após o “exijo”, e esta foi a maneira carinhosa e fraternal que encontrei de “conversar pessoalmente” com um irmão que é bem mais exigente em relação a todos nós participantes deste Fórum. Tenho a certeza de que ele não entendeu com a mesma leviandade que você considera para a questão.

Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 02:01
Colaborador pode exigir de um antigo Coronel, meu irmão, meu xará, companheiro de longa jornada?

Aqui eu fiquei mesmo confuso... Não se pode exigir por que ele é um antigo Coronel, seu irmão, seu xará e companheiro de longa jornada? Apenas por isso?

Mas eu me lembro perfeitamente de ter escrito um “Carinhosamente” logo após o “exijo”, e esta foi a maneira carinhosa e fraternal que encontrei de “conversar pessoalmente” com um irmão que é bem mais exigente em relação a todos nós participantes deste Fórum. Tenho a certeza de que ele não entendeu com a mesma leviandade que você considera para a questão.



Amado Irmão,
Faz parte do estudo de um médium o zelo com a vaidade pessoal...
Está no Livro dos Médiuns...
Então pensemos... em nome de deus, quantos mataram e morreram em amor em engano...
Quanto mais carinhosamente,...
Cruzadas, inquisição... ninguem está livre de ser alcançado, por isso oremos e vigiemos uns aos outros em amor e em respeito...
Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 05 de Janeiro de 2013, 02:19
[...]
Ao nivel de instituição porém isso nao acontece e acho difícil acontecer. Imagine a FEB hoje admitir que todo o trabalho de Chico nao passou pelo CUEE?
[...]

FUSA,

A FEB não precisaria fazer isso porque os próprios integrantes do MEB já sabem que as obras de autoria dos Espíritos que vieram por intermédio do médium não passaram pelo CUEE. A visão geral que os espíritas têm do CUEE é a de que se trata de um método que teve de ser empregado apenas quando a Doutrina foi codificada até o desencarne de Kardec.

Abraço,
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 03:35
Gostaria de abrir o tópico tentando entender as diferenças entre as comunicações de espíritos nos centros espiritas hoje em dia e no tempo de kardec.

Na época de kardec (lendo a RE e O céu e o inferno) vejo que as comunicações eram bem instrutivas com muitas evocações de praticamente todo e qualquer espirito, um aprendizado para todos. Parece-me que havia também Evocações de espíritos que eram obsessores para ajuda-los mas não me parece que era a principal ação das reuniões naquela época.

Pois bem, pelo menos em todos os centros que freqüentei até hoje no Brasil e hoje em dia USA,  comunicações mediúnicas são sempre de "irmãos sofredores" ou espíritos endurecidos ou  "obsessores" . Muito raramente se tem uma mensagem de guias espirituais, mas mesmo essas,  vem sempre trazendo a mesma mesmice de sermos caridosos, e Jesus isso e Jesus aquilo, etc. mensagens que, por falta de uma palavra melhor, sem graça.

Qual a razão dessa diferença tão grande? Por que foi que o centro espirita no Brasil virou ambulatório de espíritos mas me parece que esse não era o caso na época de Kardec? Por que parece que na época de kardec havia menos sofredores ou pelo menos , mesmo sendo sofredores eles pareciam que entendiam melhor o que estava acontecendo com eles? Será por que havia um dialogo entre o evocador e o espirito?

Hoje em dia me parece que não há realmente diálogos com os espíritos mas uma certa imposição de querer ajuda-los ou cura-los ou até converte-los sempre em nome de "Jesus o Salvador", etc. 

Lendo O Ceu e O Inferno e varias mensagens na RE eu raramente me deparo com espiritos tao ainda "materializados" como os que vejo hoje? Até mesmo as mensagens dos "espiritos felizes" são bem diferentes, sem o pieguismo que vejo nos "espiritos superiores" que vejo no espiritismo no Brasil?

Qual a sua opinião/teoria?

REUNIÃO -
Uma reunião é um ser coletivo, cujas qualidades e propriedades são a resultante das de seus membros e formam como que um feixe.
Este feixe, tanto mais força terá, quanto mais homogêneo for.
Não há nenhum limite absoluto para o número de participantes e embora se possa conceber que cem pessoas, suficientemente concentradas e atentas, estarão em melhores condições do que estariam dez, se distraídas e bulhentas, o número excessivo dos assistentes constitui uma das causas mais contrárias à homogeneidade.
A precaução de se formar cadeia, dando-se todos as mãos, é um meio material que não estabelece a união, se esta não existe nos pensamentos.
Allan Kardec em:
Livro dos Médiuns; 62, 282/15, 331, 332, 334 a 336 -
Livro dos Espíritos; Questão: 656 -
Evangelho Segundo o espiritismo;28/5 -
Gênese;14/19 -

Filhodobino reflete:
Amados revejam o que postei alhures acerca de reunião e suas qualidades e destinações, que entendi como tendo sido o objeto da pergunta conforme citação acima...


Post #8.
Citar
Amados do meu coração,

Objetivo...
Primeira determinante, para que alguem se reuna...
Pauta...
Primeira orientação para que todos cheguem preparados à reunião, e logo, primeiro passo para que se tenha um minimo de respeitabilidade nos assuntos que serão tratados...
Quem se reune, quem preside, quem secretaria os trabalhos,

Respondendo a estas simples perguntas, teremos uma diretiva inicial, as demais, serão simples decorrencias da precisão da organização, com que se planeja uma sequencia de reuniões...
Seja entre Espíritos encarnados, e só entre os desencarnados, e mista, aliás, numa reunião da fábrica, quem garante que nela não esteja um desencarnado, interessado nisso ou naquilo?

Saúde e Paz!

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-mediuns/reunioes-mediunicas-epoca-de-kardec-vs-no-espiritismo-brasileiro/#ixzz2H4GfyUM8

Amado irmão, que abriu o tópico,
por favor se manifeste e diga se esta resposta com todas as referências bibliográficas, que lhe permite acessar por inteiro seu conteúdo, lhe satisfaz, pois do contrário se fosse eu citá-las, tornaria inviável... e vejo excelente oportunidade para também aprender...
Espiritismo se faz com Espíritos irmão, e então em todas as facetas do nosso viver há Espíritos presentes... sejam encarnados, sejam desencarnados...
Amado, se queres entender as diferenças, será preciso que pense e eleja o amigo por si as razões, pois diferenças há, diferentes também... ou lhe move um desejo adverso a que seja o compreender as diferenças...?
De qualquer forma, o irmão perguntou, vários tentaram lhe responder... então só mesmo você tem como nos dizer se estás satisfeito ou desejas mais informações...
Agora Irmão, o amado deve convir, que todos teem liberdade de agir como melhor se lhes aprouver, posto que o Espiritismo não seja religião como as demais organizada com estatutos etc e tal...
Não conheço ninguem que tem a prioridade de possuir autenticação para falar com exclusividade de Espiritismo...
Aqui no fórum porém, há normas que estamos submetidos, e tentamos com todo respeito segui-las muitas vezes em prejuízo do nosso próprio aprendizado, face as mesmas.
Há ainda um conceito respeitabilissimo, que não se pode desprezar, que Espiritismo, se faz com Espíritos, sejam encarnados e ou desencarnados, então é preciso paciencia, observação, atenção, pois quando se trata de Espiritismo, o que estiver nas leis naturais, e for permitido, pela direção da reunião dar-se-á.
Seja portanto bom de entender direção Espiritual da reunião, logo, a priori os Espíritos, tudo podem se encontrarem oportunidade, factível (indescritíel aqui pela extensão) e estiver contido nos ditames da lei natural...
Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: new em 05 de Janeiro de 2013, 13:25
[...]
Ao nivel de instituição porém isso nao acontece e acho difícil acontecer. Imagine a FEB hoje admitir que todo o trabalho de Chico nao passou pelo CUEE?
[...]

FUSA,

A FEB não precisaria fazer isso porque os próprios integrantes do MEB já sabem que as obras de autoria dos Espíritos que vieram por intermédio do médium não passaram pelo CUEE. A visão geral que os espíritas têm do CUEE é a de que se trata de um método que teve de ser empregado apenas quando a Doutrina foi codificada até o desencarne de Kardec.

Abraço,


Pois, eles sabem sim. Mas é a galinha dos ovos de outro, por isso, a FEB e o movimento espírita, intauraram a "infalibilidade papal" para poucos médiuns no Brasil.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Mourarego em 05 de Janeiro de 2013, 15:27
A resposta é de simplicidade pueril EBlopes:

A tomada de ação pertinente à avaliação segundo o método legado pelos Espíritos superiores à Kardec, frustraria muito certo autores alarmistas, descompassados para com que a DE explica e tem coo correto.
Sem que haja tal submissão ao método que foi um dos legados dos Espíritos Superiores, não se tem nada em matéria Espírita, e mesmo do muito que se tenha por obras que ladeiam a doutrina sem que estejam de acordo com ela.
Por exemplo, com diversão ou passatempo até hoje releio as estórias de Lobzang Rampa, sem que, delas as diga doutrina. O mesmo acontece com André e outros autores espirituais que nos relatam apenas por sua visão própria mas nunca pelo que diga a DE.
Eu leio de tudo um pouco, exatamente porque me mantenho dentro da óptica ensinada pela DE, não dando validade de Doutrina àquilo que não tenha passado pelo método avaliativo conhecido por CUEE.
Abraços,
Moura
Boa tarde,

Algumas dúvidas:

1) Depois de Kardec nada mais passou pela CUEE?

2) Porque ninguém usa esse método hoje?

Abraços
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: EsoEstudos em 05 de Janeiro de 2013, 15:55
Citação de: EBLOPES

Boa tarde,

Algumas dúvidas:

1) Depois de Kardec nada mais passou pela CUEE?

2) Porque ninguém usa esse método hoje?

Abraços



O que nos dá a convicção de validade dos ensinos da DE não é, como se fosse causa, a informação constante do ESE de que há o CUEE, mas sim o fato de existir todo um sistema que até hoje não se dobra aos questionamentos dos que simplesmente não crêem em sua validade.

A Doutrina Espírita acha-se muito bem estruturada sobre grossos alicerces filosóficos e sob um plácido céu de coerência. É isso que nos faz assumir como verdadeiro o seu conteúdo e não o fato noticiado no ESE de haver um CUEE.

A aprovação pelo CUEE é efeito do conteúdo do ensino, não o contrário.

Partindo daí, não houve nova outorga do CUEE simplesmente porque não houve uma reunião de grupos de médiuns independentes em quantidade e dispersão suficientes para o fim colimado.

Imagino eu que no primeiro momento em que tal enredamento (difícil de se estabelecer na prática) ocorra, sob organização e logística isenta e bem coordenada, haverá novas comunicações de cunho elevado.

Paralelamente, sou partidário da corrente que considera válidas as obras ditas complementares, devendo ser estudadas sempre e sempre sob os ditames da obra básica.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Mourarego em 05 de Janeiro de 2013, 16:00
Mano Marcão,
se estamos na classe dos esoteristas pode nos parecer válido tal pensamento, porém se estamos, como estamos, na classe de Espíritas, sem que uma obra haja passado pelo Controle (CUEE), esta não pode ser tida senão como uma opinião pessoal, boa ou ruim, acertada ou não, mas nem por isso, sendo boa, possa ser incluída com Doutrina.
Este pensamento, tido como acertado no item do ESE e no capítulo I de A Gênese, vem esclarecer tudo, já que falamos de Doutrina Espírita e esta não se amalgma ao Esoterismo.
Abração,
Moura
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: EsoEstudos em 05 de Janeiro de 2013, 16:07
Davero mano Moura, mas adepto que sou de uma visão mais abrangente, como já expus várias vezes, creio que o CUEE (que, como eu mesmo disse, é o método noticiado e adotado pela Espiritualidade Superior) é sempre um efeito e não a causa da qualidade do ensinamento.

Não se cogita de um ensinamento cujo conteúdo seja inadequado ser aprovado pelo CUEE. Portanto, a qualidade do ensino é precedente lógico da outorga, e não o contrário.

Enquanto não se tem novo CUEE por deficiência da (falta de) organização humana, de tudo há que se estudar, filtrando-se nos limites da Doutrina Espírita --- veja: ninguém pretende "inserir" nada de novo na Doutrina.   :)
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Mourarego em 05 de Janeiro de 2013, 16:11
Mano Marcão,
você toca num ponto importantíssimo quando nos diz: "(...) Enquanto não se tem novo CUEE por deficiência da (falta de) organização humana (...)".

eu já vou um cadinho além apesar de concordar com você; eu digo que o que não se tem é vontade doutrinária de se promover o CUEE. e explico que se nos déssemos a este trabalho, muitas obras respeitadas iriam cair e naufragar diante de tal método.
Abraços,
moura
Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-mediuns/reunioes-mediunicas-epoca-de-kardec-vs-no-espiritismo-brasileiro/30/?action=post;num_replies=31#ixzz2H7NadFUI
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: EsoEstudos em 05 de Janeiro de 2013, 18:16

Não duvido...

Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 19:35
Amados do meu coração,
É só um aspecto do ponto de vista...
Pelos estudos Espiritistas, podemos conceituar que agora mesmo estamos em uma reunião...
Continuo achando que o que falta é boa vontade, ou talvez vontade exagerada em punir certas discordâncias...
E pra que um novo CUEE ...?

Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: EsoEstudos em 05 de Janeiro de 2013, 19:44

Ora, se houvesse como estabelecer uma organização séria e isenta de modo a propiciar a aprovação dos Espíritos Superiores para o fim de transmitir maiores informações, boa parte das questões em discussão sobre ser ou não tal ou qual ideia consentânea com a Doutrina poderia ser aclarada...

Mas eu tenho para mim que, de qualquer modo, tal não ocorreria, mesmo que houvesse grande e sincero esforço.

Há ensinamentos que vêm sendo repetidos há cerca de 5 mil anos e o homem ainda não os assimilou...

Ninguém vai promover o aluno curioso do 2º ano primário se as matérias que lhe cabem nas provas não tiverem sido bem compreendidas, pouco importando que ele demonstre uma sincera e enorme aptidão para ler assuntos mais avançados...
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 05 de Janeiro de 2013, 20:21

Ora, se houvesse como estabelecer uma organização séria e isenta de modo a propiciar a aprovação dos Espíritos Superiores para o fim de transmitir maiores informações, boa parte das questões em discussão sobre ser ou não tal ou qual ideia consentânea com a Doutrina poderia ser aclarada...

Mas eu tenho para mim que, de qualquer modo, tal não ocorreria, mesmo que houvesse grande e sincero esforço.

Há ensinamentos que vêm sendo repetidos há cerca de 5 mil anos e o homem ainda não os assimilou...

Ninguém vai promover o aluno curioso do 2º ano primário se as matérias que lhe cabem nas provas não tiverem sido bem compreendidas, pouco importando que ele demonstre uma sincera e enorme aptidão para ler assuntos mais avançados...

Amado seria a meu ver uma organização bastante mais simples que a de Kardec, basta, um bom algoritimo para criptografar, mensagens em postos de confiança, e um site como esse a divulvar, e dialogar...
Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Mourarego em 06 de Janeiro de 2013, 16:13
Diz a DE mano Bino, que o CUEE só seja para ser executado quando de nova revelação.
Revelações a De também explica que só podem vir através daqueles que detenham a outorga dada pelos Puros Espíritos, ou seja os Espíritos Superiores.
todavia, ao se querer ter como doutrina uma mensagem de qualquer Espírito, basta que se faça o CUEE para ela, seguindo o mesmo processo que foi trabalhado por Kardec.
Obtendo-se a resposta dos Espíritos superiores, validando o texto tudo bem.
O que não se pode fazer é dar-se crédito a uma opinião pessoal de qualquer Espírito tendo a esta com doutrina e passando a propagá-la como tal.
Abraços,
Moura

Amados do meu coração,
É só um aspecto do ponto de vista...
Pelos estudos Espiritistas, podemos conceituar que agora mesmo estamos em uma reunião...
Continuo achando que o que falta é boa vontade, ou talvez vontade exagerada em punir certas discordâncias...
E pra que um novo CUEE ...?

Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 06 de Janeiro de 2013, 16:57
Diz a DE mano Bino, que o CUEE só seja para ser executado quando de nova revelação.
Revelações a De também explica que só podem vir através daqueles que detenham a outorga dada pelos Puros Espíritos, ou seja os Espíritos Superiores.
todavia, ao se querer ter como doutrina uma mensagem de qualquer Espírito, basta que se faça o CUEE para ela, seguindo o mesmo processo que foi trabalhado por Kardec.
Obtendo-se a resposta dos Espíritos superiores, validando o texto tudo bem.
O que não se pode fazer é dar-se crédito a uma opinião pessoal de qualquer Espírito tendo a esta com doutrina e passando a propagá-la como tal.
Abraços,
Moura

Amados do meu coração,
É só um aspecto do ponto de vista...
Pelos estudos Espiritistas, podemos conceituar que agora mesmo estamos em uma reunião...
Continuo achando que o que falta é boa vontade, ou talvez vontade exagerada em punir certas discordâncias...
E pra que um novo CUEE ...?

Saúde e Paz!
É Vero, racional, lógica, e bem lembrada a sua menção...
Mas, vamos que tá começando justo agora uma nova distribuição de explicação de um novo conceito?
Todavia aproveitando que meu nobre amigo me concedeu a oportunidade de diálogo, prezaria sua opinião sobre os escritos assinados por Paulo, em o Evangelho segundo o Espiritismos - 10/15, comparados com as questões 292 e 295 do OLE, ou o lugar não pode ser aqui, se assim for nem precisa responder que entenderei um ou outro caso.
Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Mourarego em 06 de Janeiro de 2013, 17:03
Mano Bino,
eu teria de reestudar os escritos de Paulo, para lhe poder responder, sabe o amigo que não escrevo nada sem antes ter estudado o tema.
Assim, vou precisar de um tempo mano.
Abraços,
Moura
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: filhodobino em 06 de Janeiro de 2013, 17:13
Mano Bino,
eu teria de reestudar os escritos de Paulo, para lhe poder responder, sabe o amigo que não escrevo nada sem antes ter estudado o tema.
Assim, vou precisar de um tempo mano.
Abraços,
Moura

Outro Exemplo de sábia experiencia que vale a pena usar o copy/cole virtual mais que o do pc.
Saúde e Paz!
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: wender100%espirita em 05 de Janeiro de 2014, 19:52
Gostaria de abrir o tópico tentando entender as diferenças entre as comunicações de espíritos nos centros espiritas hoje em dia e no tempo de kardec.

Na época de kardec (lendo a RE e O céu e o inferno) vejo que as comunicações eram bem instrutivas com muitas evocações de praticamente todo e qualquer espirito, um aprendizado para todos. Parece-me que havia também Evocações de espíritos que eram obsessores para ajuda-los mas não me parece que era a principal ação das reuniões naquela época.

Pois bem, pelo menos em todos os centros que freqüentei até hoje no Brasil e hoje em dia USA,  comunicações mediúnicas são sempre de "irmãos sofredores" ou espíritos endurecidos ou  "obsessores" . Muito raramente se tem uma mensagem de guias espirituais, mas mesmo essas,  vem sempre trazendo a mesma mesmice de sermos caridosos, e Jesus isso e Jesus aquilo, etc. mensagens que, por falta de uma palavra melhor, sem graça.

Qual a razão dessa diferença tão grande? Por que foi que o centro espirita no Brasil virou ambulatório de espíritos mas me parece que esse não era o caso na época de Kardec? Por que parece que na época de kardec havia menos sofredores ou pelo menos , mesmo sendo sofredores eles pareciam que entendiam melhor o que estava acontecendo com eles? Será por que havia um dialogo entre o evocador e o espirito?

Hoje em dia me parece que não há realmente diálogos com os espíritos mas uma certa imposição de querer ajuda-los ou cura-los ou até converte-los sempre em nome de "Jesus o Salvador", etc. 

Lendo O Ceu e O Inferno e varias mensagens na RE eu raramente me deparo com espiritos tao ainda "materializados" como os que vejo hoje? Até mesmo as mensagens dos "espiritos felizes" são bem diferentes, sem o pieguismo que vejo nos "espiritos superiores" que vejo no espiritismo no Brasil?

Qual a sua opinião/teoria?
muito bom topico amigo fusa, as vezes me pergunto se estamos no caminho correto nas reunioes mediunicas chamadas hoje "trabalho de desobsessao" do qual participo tambem,aproveitando sua deixa queria perguntar aos amigos foristas quando comecou esse tipo de  reuniao? digo nesses moldes de hoje onde tem as reunioes de desobsessao com manifestacao de Espiritos a maioria pertubados recebendo esclarecimento dos mediuns "doutrinadores", alguem sabe como surgiu aqui no Brasil? paz e luz
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Brenno Stoklos em 08 de Janeiro de 2014, 06:16



Falta de seguimento do que está exposto em:


                                                    O Livro dos Médiuns

                                                       CAPÍTULO XXIX

                                  DAS REUNIÕES E DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS

                                                  Das reuniões em geral



Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: wender100%espirita em 08 de Janeiro de 2014, 23:27
sei disso amigo Brenno, eu pergunto como surgiu no Brasil o tipo de trabalho de desobsessao pois acho que quase unanime, os centros nao seguem o que kardec deixou como orientacao, nao tem evocacoes, nao tem trabalhos realmente  fechado ao publico, bem pelo menos nasci pratticamente dentro do centro rsrsr so conheci o metodo de kardec so deppois de muitos anos e porque pesquisei sozinho ,pois nao havia nem estudos do livro dos mediuns, hoje em dia dao mais enfase  em livros psicografados,do que nas obras da codificacao, e vai querer mudar pra srsrsr vira uma polemica sem fim, sabe nao sei onde vamos parar se continuarmos assim! paz e luz
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Brenno Stoklos em 08 de Janeiro de 2014, 23:46
sei disso amigo Brenno, eu pergunto como surgiu no Brasil o tipo de trabalho de desobsessao pois acho que quase unanime, os centros nao seguem o que kardec deixou como orientacao, nao tem evocacoes, nao tem trabalhos realmente  fechado ao publico, bem pelo menos nasci pratticamente dentro do centro rsrsr so conheci o metodo de kardec so deppois de muitos anos e porque pesquisei sozinho ,pois nao havia nem estudos do livro dos mediuns, hoje em dia dao mais enfase  em livros psicografados,do que nas obras da codificacao, e vai querer mudar pra srsrsr vira uma polemica sem fim, sabe nao sei onde vamos parar se continuarmos assim! paz e luz


O problema, amigo Wender,

É que, no Brasil, o Espiritismo já começou desvirtuado pelo Rustenismo.

Não é de se estranhar que tenha seguido caminhos diferentes daqueles propostos pela Doutrina Espírita!


Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: wender100%espirita em 09 de Janeiro de 2014, 00:07
E verdade Brenno por isso que este forun e tao importante, pelo menos aqui podemos conservar as orientacoes deixadas pelos Espiritos Superiores atraves de Kardec na sua essencia! paz e luz
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Hoover em 11 de Janeiro de 2014, 22:07
Diz a DE mano Bino, que o CUEE só seja para ser executado quando de nova revelação.
Revelações a De também explica que só podem vir através daqueles que detenham a outorga dada pelos Puros Espíritos, ou seja os Espíritos Superiores.
todavia, ao se querer ter como doutrina uma mensagem de qualquer Espírito, basta que se faça o CUEE para ela, seguindo o mesmo processo que foi trabalhado por Kardec.
Obtendo-se a resposta dos Espíritos superiores, validando o texto tudo bem.
O que não se pode fazer é dar-se crédito a uma opinião pessoal de qualquer Espírito tendo a esta com doutrina e passando a propagá-la como tal.
Abraços,
Moura

Acha 157 anos pouco? É isso o que espera acontecer para que saibamos a verdade? Você pode apontar, na DE, onde está escrito que "o CUEE só seja para ser executado quando de nova revelação" ou isso é uma crença sua? Se você não citar o texto da DE, que diz isto, como poderemos acreditar nisto?

Muita paz.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Brenno Stoklos em 12 de Janeiro de 2014, 04:40
É isso o que espera acontecer para que saibamos a verdade?
Muita paz.


Para conhecer a verdade basta que o amigo estude O Livro dos Espíritos.


Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: victor mateus em 07 de Fevereiro de 2014, 23:09
Muitas mensagens já foram ditas, mas me referindo no indagado do post, acredito que as comunicações estão tao "frívolas" e sem efetiva mudança, não por causa dos espíritos, mas sim por causa dos médiuns, ora, queres uma boa comunicação ? Seja um bom médium e utilize sua mediunidade para o bem e para questões serias; Lembrando que quanto mais instruído um médium, melhor serão suas comunicações de um modo geral.
Abraços.
Título: Re: Reuniões mediunicas época de Kardec vs no espiritismo brasileiro
Enviado por: Brenno Stoklos em 08 de Fevereiro de 2014, 01:08
Muitas mensagens já foram ditas, mas me referindo no indagado do post, acredito que as comunicações estão tao "frívolas" e sem efetiva mudança, não por causa dos espíritos, mas sim por causa dos médiuns, ora, queres uma boa comunicação ? Seja um bom médium e utilize sua mediunidade para o bem e para questões serias; Lembrando que quanto mais instruído um médium, melhor serão suas comunicações de um modo geral.
Abraços.


O problema, amigo Victor Mateus,

É que reuniões mediúnicas como se faziam sob a direção de Kardec (Estudos e Experimentação) inexistem nos dias atuais!


Título: Re: Reuniões mediúnicas: Kardec vs. centros atuais
Enviado por: wender100%espirita em 09 de Fevereiro de 2014, 14:30
hoje em dia pelo menos nos centros onde trabalho, o trabalhos mediunicos sao apenas pra esclarecer Espiritos ainda muito perturbados na ilusao de estarem encarnados, nao a uma envocao ou estudo nos moldes que Kardec usava. e uma pena.paz e luz
Título: Re: Reuniões mediúnicas: Kardec vs. centros atuais
Enviado por: Vitor Santos em 09 de Fevereiro de 2014, 17:40
Olá amigos

Na minha óptica, a mediunidade é um sexto sentido que serve para o mesmo que servia o de Jesus. Serve para mostrar às pessoas encarnadas que há fenómenos que nos mostram que  a vida do espírito não se extingue com a morte da carne. São esses fenómenos as evidências que a vida depois da vida existe.

As reuniões que se destinam a encaminhar os desencarnados têm razão de ser, mas o ideal é esclarecer as pessoas antes de chegarem ao estado de erraticidade. Uma actividade não exclui a outra, mas se o exercício da mediunidade serve apenas para encaminhar os mortos, segundo a carne, parece-me de uso muito limitado.

Bem hajam


Título: Re: Reuniões mediúnicas: Kardec vs. centros atuais
Enviado por: Brenno Stoklos em 10 de Fevereiro de 2014, 02:40
hoje em dia pelo menos nos centros onde trabalho, o trabalhos mediunicos sao apenas pra esclarecer Espiritos ainda muito perturbados na ilusao de estarem encarnados, nao a uma envocao ou estudo nos moldes que Kardec usava. e uma pena.paz e luz


Pois é, amigo Wender,

A dificuldade maior é conseguir-se reunir pessoas, entre eles médiuns, que tenham interesse e conhecimentos para se fazer esse tipo de trabalho.


Título: Re: Reuniões mediúnicas: Kardec vs. centros atuais
Enviado por: Brenno Stoklos em 10 de Fevereiro de 2014, 02:50
Olá amigos

Na minha óptica, a mediunidade é um sexto sentido que serve para o mesmo que servia o de Jesus. Serve para mostrar às pessoas encarnadas que há fenómenos que nos mostram que  a vida do espírito não se extingue com a morte da carne. São esses fenómenos as evidências que a vida depois da vida existe.

As reuniões que se destinam a encaminhar os desencarnados têm razão de ser, mas o ideal é esclarecer as pessoas antes de chegarem ao estado de erraticidade. Uma actividade não exclui a outra, mas se o exercício da mediunidade serve apenas para encaminhar os mortos, segundo a carne, parece-me de uso muito limitado.

Bem hajam


Concordo plenamente, amigo Vitor.

Penso que é justamente à esse ponto que as Casas Espíritas deveriam dar mais ênfase.

A maioria das pessoas que buscam as Casas Espíritas, lá vão em busca de convencimento, de algo que lhes aumente a esperança. Que lhes dê algo de certeza.