Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Espiritualismo => Tópico iniciado por: Carol_2009 em 30 de Março de 2010, 15:15

Título: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Carol_2009 em 30 de Março de 2010, 15:15
Você resiste à sua mediunidade?
:: Osvaldo Shimoda ::

Você é instável emocionalmente - muda de humor com freqüência - sem um motivo que justifique?
Sente dores constantes pelo corpo, que mudam de lugar?
Doenças, cuja causa o médico não encontra?
Sente medos, insatisfação, vontade de chorar, tristeza, vazio sem causa aparente?
Sua vida não flui, está truncada - tem bloqueios afetivo, financeiro - profissional e de relacionamento?
Todos esses problemas podem ser indícios de mediunidade.

Em verdade, a mediunidade faz parte da natureza humana - somos todos médiuns, uns mais desenvolvidos, outros menos.
Por ser uma condição natural do ser humano, a mediunidade deveria ser estudada com seriedade pela ciência oficial (Psicologia e Psiquiatria) por provocar - quando o médium não é bem assistido, orientado - distúrbios psíquicos, psicossomáticos, orgânicos (cuja causa a medicina não encontra) e de relacionamento interpessoal (conflitos conjugais, familiares, sociais e no trabalho).

Somos canais do mundo espiritual - captamos energias positivas ou negativas dos espíritos de luz ou das trevas, de acordo com os nossos padrões de pensamento, sentimentos e atitudes.
Neste aspecto, os espíritos desencarnados influenciam as nossas vidas muito mais do que podemos imaginar.
Bons ou maus pensamentos, sentimentos e atitudes que cultivamos no nosso dia-a-dia podem vir sob influencia de espíritos desencarnados amigos ou inimigos (obsessores do passado).

Tenho escrito nos meus artigos que 95% de meus pacientes apresenta uma interferência espiritual obsessora como causa de seus problemas emocionais, amorosos, familiares, sociais, de saúde, profissionais e financeiros. Explica, desta forma, o por que suas vidas estarem complicadas, truncadas.
Apesar de a mediunidade fazer parte da natureza do homem e, portanto, não há nada de sobrenatural, esse assunto ainda é tratado por muitos com preconceito, temor ou reserva.
Num centro espírita já me falaram que por ser médium preciso desenvolver a minha mediunidade, mas não quero.
É comum ouvir esse comentário. No entanto, não querer desenvolver a mediunidade me faz lembrar um comentário de meu filho - na ocasião tinha oito anos - que me disse que não queira crescer, ficar adulto por não querer assumir responsabilidade.
Ora, crescer é um processo natural do homem, o mesmo ocorrendo com a mediunidade.
Mas, se o médium resiste em trabalhar sua mediunidade, a vida tem seus próprios meios de fazê-lo expandir a sua consciência, muitas vezes de forma mais drástica.
Quanto maior for sua resistência em não aceitar se comunicar com os espíritos, maiores e mais difíceis serão suas provas.

Observe que esses médiuns estão sempre com problemas, seja na área da saúde, familiar, afetiva, profissional - financeira, etc.
Sua vida vai mal e tudo parece estar contra sua felicidade.
No entanto, quando começa a desenvolver (educar) sua mediunidade, praticando-a para ajudar os seus semelhantes, passa a levar uma vida normal e equilibrada...
Mas, por que acontece isso?
Porque há médiuns que precisam dedicar-se em favor do próximo, incorporando entidades espirituais. Escolheram isso antes de reencarnar (embora o véu do esquecimento de seu passado não os deixe se lembrar) e se comprometeram com determinados grupos de entidades espirituais por se sentirem culpados de erros cometidos em uma vida passada e, com isso, minimizar o remorso da consciência.
Porém, se esse médium resiste à sua missão espiritual, sua vida irá se complicar.
Entretanto, é importante esclarecer nesse artigo, que nem todos os médiuns se comprometeram antes de reencarnar à tarefa de incorporar entidades espirituais e ajudar os necessitados, pois há outras formas de auxilio sem precisar incorporar.

Veja o caso de um paciente que passou pela TRE (Terapia Regressiva Evolutiva - Abordagem psicológica e espiritual breve canalizada por mim através dos espíritos superiores do Astral) e descobriu que seus relacionamentos amorosos não davam certo (terminava o namoro sempre muito machucado e magoado) por não estar exercendo sua mediunidade de incorporação.

Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Carol_2009 em 30 de Março de 2010, 15:19
Caso Clínico:
Homem de 30 anos, solteiro.

Veio ao meu consultório querendo entender o porquê de seus relacionamentos amorosos não darem certo. Saía desses relacionamentos sempre machucado, magoado, pois se entregava e, no final, era rejeitado, humilhado. Sentia-se usado pelas mulheres.
Não conseguia se envolver com mais ninguém, e o insucesso amoroso o afetara negativamente a ponto de deixá-lo inseguro e com baixa auto-estima. Era espírita - freqüentava um centro Kardecista como assistente, mas nunca tinha incorporado uma entidade espiritual.

Na regressão o paciente me relatou:
Sinto uma presença espiritual aqui do meu lado (paciente estava deitado no divã).
Não o vejo, mas tenho a impressão de ser uma entidade espiritual masculina (pausa).

- Pede para essa entidade se identificar - peço ao paciente.
(Após a minha pergunta, subitamente notei que o rosto do paciente se alterou, se contraindo - estava incorporando essa entidade espiritual).
Não interessa o meu nome - respondeu o espírito. Mas não se preocupe, não vim fazer mal aqui (referindo-se ao meu consultório).
Na verdade, todo mundo quer vir aqui. Esse cara (paciente), não sabe, mas têm muitas amizades desse lado (das trevas).
Ele não quer ser médium, não quer dar passagem (incorporar) para a gente, não que se envolver.
Agora está dando passagem, incorporando. Não tem jeito, ele quis ficar no muro, mas não adiantou.
Eu sou um de seus amigos do passado. A gente era tudo amigo. Ele era o dono de um prostíbulo na existência passada. Mas amigo é para sempre, inclusive depois que morre.
Ele não discrimina ninguém, amigo para ele é para vida toda. Mas precisava ajudar a gente que está desse lado.
Nosso amigo não quer assumir a responsabilidade de ser médium.
É por isso que a parte afetiva dele não vai para frente. Na verdade, esse cara já foi ruim no passado, ele aprontou muito. Ele explorou muito as prostitutas. A gente freqüentava o prostíbulo dele. As mulheres que ele explorou, maltratou, são as namoradas dele na vida atual. É por isso que hoje elas maltrataram, humilharam ele.
Mas ele é ponta firme, pode contar com ele. As amizades continuam.
Ele não sabe, mas nós somos seus verdadeiros amigos. Ele tem mais amigos aqui, desse lado, do que na vida terrena.
A gente não presta - somos do mesmo covil -, mas ele pode contar com todos nós.

Doutor, ele escolheu ser espírita, mas não quer sentir a gente, fazer uso do compromisso como médium. Ele achava que nunca iria incorporar. Mas veja, agora está me incorporando! (Fala rindo).
O irmão dele está na mesma situação. Ele também é médium, tem um monte de coisa nas costas (espíritos obsessores). É por isso que a vida dele também não anda. Mas o irmão não consegue ouvir, ver as entidades espirituais. Eles vão levá-lo para o buraco se não se cuidar, desenvolvendo sua mediunidade.
Se ele não tomar cuidado, vai embora (desencarnar) ainda esse ano.

Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Carol_2009 em 30 de Março de 2010, 15:22
Ele tem uma consideração grande pelo irmão. Todas as coisas que não prestam, o irmão tem. Ele tem uns espíritos obsessores que não largam ele (pausa).
Desta vez esse rapaz (paciente) está sentindo o que é incorporar um morto. Vim dar um passeio no plano material. Ele conseguiu encontrar o caminho certo vindo aqui no consultório, mas o irmão dele não. Ele aceitou o passo vindo aqui, só que tem de incorporar.

Doutor, ele pediu a Deus em suas orações para se libertar de seus sofrimentos amorosos e Deus atendeu trazendo-o aqui no consultório.
O lado dele dos relacionamentos amorosos não vai para frente porque ele parou no meio do caminho, não desenvolveu sua mediunidade, esqueceu da gente, se distanciou de nós. Ele esqueceu que tem muitos amigos - nós precisamos dele para sair desse buraco (trevas, escuridão).
E o Homem (Deus) falou que a gente só sai desse buraco se a gente fizer caridade. Mas, para isso, precisamos dele para incorporar. Só assim que vamos poder ajudar as pessoas.
Ele precisa nos ajudar para também a gente ajudá-lo.
Ele até quer ser médium de passagem, mas não quer estudar e escrever livros (psicografar).
Ele veio com esse propósito de ser um médium de passagem, mas não está fazendo a parte dele. Ele precisa voltar para o centro espírita para incorporar a gente e não como vem fazendo, trabalhando como assistente. E os seus amigos de verdade que ficam aqui na escuridão? Daqui para frente ele precisa incorporar porque está todo mundo esperando. Nós também queremos sentir o calorzinho! (referindo-se ao calor do corpo físico). Ele não está cumprindo o que prometeu, não está repartindo o pão!
Ele precisa incorporar também para ajudar o seu irmão.

Doutor, é muito bom estar aqui em seu consultório! Que lugar gostoso!
É muito boa essa musiquinha! (Costumo tocar um CD suave para os pacientes relaxarem na hipnose).
Que gostoso estar do lado de cá!
Como é bom!
O senhor acha justo só ele querer sentir esse calorzinho?
Ele é nosso amigo, mas esqueceu de nós!
Só quer saber dele!
Ele esqueceu do que prometeu?
Que gostoso! (Entidade espiritual fala gritando, se esperneando no divã).

Doutor, eu não sou criança, sou velho, mas sou brincalhão, é muito bom sentir de novo esse corpo quentinho!
Só estou pegando uma caroninha!
Quem sabe agora ele toma vergonha e ajuda a gente”!

No final dessa sessão, a entidade espiritual não queria ir embora, disse que esperou muito por esse momento, queria sentir mais um pouco o prazer de estar novamente num corpo carnal. Como tinha extrapolado o horário, resolvi encerrar a sessão. Antes de ir, me agradeceu por essa oportunidade.

Após encerrarmos a sessão (era a 4ª sessão de regressão), o paciente estava surpreso, pois nunca tinha incorporado uma entidade espiritual.
Disse-me que lembrava de tudo o que o espírito desencarnado havia falado, pois descobriu que era um médium de incorporação consciente.
Disse-me ainda que agora tinha se conscientizado de seu verdadeiro propósito de vida, e que estava mais confiante, tranqüilo e sereno.
Compreendeu que foi intuído pela espiritualidade (espíritos superiores do astral) a me procurar para descortinar o “véu do esquecimento” de seu passado e saber o seu verdadeiro caminho.

Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Carol_2009 em 30 de Março de 2010, 15:28
Bem, enviei esse texto, pois quando o li, imaginei como se fosse uma entidade que chamam de "povo de rua" na Umbanda (eu acho), que são exus e pombas-giras. Achei curioso pois parece mesmo uma dessas entidades falando...
Eu não tenho nada contra umbanda, pelo contrário, gosto muito de estudá-la e entender como parte do espiritismo. Aliás, Umbanda e Candomblé.
Então queria perguntar o que vcs acharam desse relato.
Se realmente os espíritos que estão nesses centros precisam desse tipo de ajuda... pois esses centros os exus também ajudam as pessoas.

Não sei se soube me expressar bem, mas sei lá... vou esperar as opiniões...

PS: Há muito tempo não postava aqui... Estou com saudade de meus amiguinhos...
Bjs!!!
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Carol_2009 em 30 de Março de 2010, 15:30
Ah! O link do texto... muito importante para saberem de onde eu tirei esse texto!!! rsrsr

http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=6139 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3NvbW9zdG9kb3N1bS5pZy5jb20uYnIvY29udGV1ZG8vY29udGV1ZG8uYXNwP2lkPTYxMzk=)
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Mourarego em 30 de Março de 2010, 16:08
Bem, enviei esse texto, pois quando o li, imaginei como se fosse uma entidade que chamam de "povo de rua" na Umbanda (eu acho), que são exus e pombas-giras. Achei curioso pois parece mesmo uma dessas entidades falando...
Eu não tenho nada contra umbanda, pelo contrário, gosto muito de estudá-la e entender como parte do espiritismo. Aliás, Umbanda e Candomblé.
Então queria perguntar o que vcs acharam desse relato.
Se realmente os espíritos que estão nesses centros precisam desse tipo de ajuda... pois esses centros os exus também ajudam as pessoas.

Não sei se soube me expressar bem, mas sei lá... vou esperar as opiniões...

PS: Há muito tempo não postava aqui... Estou com saudade de meus amiguinhos...
Bjs!!!

Carol,
Umbanda e candomblé, Têm ritos próprios. crenças um tanto diferentes,  e por isso mesmo não são e não podem ser encaradas como parte do Espiritismo que é doutrina completa e não prevê nenhum dos ritos que as duas primeiras têm.
Abraços,
Moura
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Mourarego em 30 de Março de 2010, 23:54
Gente amiga,
não vamos continuar acreditando naquilo que não pode acontecer.
Tratamos aqui de afinidades. Ora, para que alguma ação no sentido do mal párta de algum Espírito, existe a obrigatoriedade que tal Espírito e a pessoa a ser atingida por uma ação deste, tenha para com estes procedimentos no mal uma intimidade acumpliciada, ou seja, a pessoa tem que se comprazer também, em fazer o mal a outrem. Não havendo este vínculo obrigatório e mais, se a pessoa tiver geralmente pensamentos no bem, não há como existir tal intimidade ou comprazimento, logo, o Espírito nem a achará, já que os dois estarão em vibrações diferentes.
Esta a lição da doutrina, qualquer outra idéia em pensamento contrário é extra doutrinária, logo não espírita.
Portanto, não nos deixemos enredar com falsas comunicações, de Espíritos que mais das vezes são e estão encarnados, e que representam apenas a opinião,  errada que têm.
A doutrina toda se encontra nas páginas de OLE, fora dele tudo o que se tem não pertence senão à idéia que outros Espíritos possam reter.
Simples assim.
Abraços,
Moura
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Carol_2009 em 01 de Abril de 2010, 01:30
Mourarego, se há incorporação e em se tratando de espíritos, por quê não fazem parte do espiritismo? Na Umbanda e no Candomblé existem os ritos, com certeza... mas não há o propósito do espiritismo?
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: fhespanhol em 18 de Junho de 2010, 20:19
Gente não vamos confundir as coisas. Vocês estão misturando tudo, catolicismo, espiritismo, umbanda e camdomblé em uma coisa só. E a coisa não é por aí.

1º - Carl_2009 - Exus, Pombajiras e Bombonjiras não são pessoas de rua como você disse. São entidades com atribuições específicas no mundo astral e ao contrario do que se imagina não são do mal. Atuando junto aos guardiões e auxiliando espiritos ainda presos a matéria (segundo a umbanda e o candomblé é claro);
2º - Se desejamos conhecer os fenômenos mediúnicos e a doutrina espírita devemos ler os 5 livros primordiais desta que são os do Allan Kardec;
3º Procurar conhecer as demais religiões e doutrinas afim de não cometer os erros de interpretação que são tão comuns a quem não as conhece, mas que não corrsponde a verdade.

Sendo assim procurem estudar e aprender mais. Pois isto é o fundamental para termos uma visão centrada sobre os assuntos aquí tratados. A Internet está aí para pesquisa e aprendizado, procuremos estudar em sites sérios para termos uma noção seria e precisa dos fatos.
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Vitoriano em 19 de Junho de 2010, 15:25
Saravá! Olá amigos, primeiramente peço licença para adentrar este fórum e dar o meu pequeno "pitaco" sobre tal assunto,

Sou Umbandista, e nosso "povo da rua" não são entidades sem evolução como muitos pensam(até mesmo muitos umbandistas), são entidades evoluidas que vem em sua forma seja de exu, pomba-gira, exu-mirim e etc para nos ajudar, costumamos-dizer que é o povo que é mais próximo de nós, aquele que melhor nos compreende nas questões mundanas.

O "povo da rua" é apenas um dos digamos, "povos" de exu, temos também povo da mata, calunga, praia e etc para melhor compreender recomendo a leitura do post no blog Exubandeiro: http://exubandeiro.blogspot.com/2009/05/kimbanda-e-reinos.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2V4dWJhbmRlaXJvLmJsb2dzcG90LmNvbS8yMDA5LzA1L2tpbWJhbmRhLWUtcmVpbm9zLmh0bWw=)

É um blog sobre exu em geral, mais este artigo trata de exu na kimbanda, os povos, reinos e etc, ajuda bem na compreensão sobre as áreas de atuação de exu e etc

Creio que no caso do post, seria um obsessor sim que dependeria da ajuda de tal irmão, porém não um exu.

Espero que tenha sido claro em minhas palavras e estou a disposição pra sanar qualquer dúvida dentro do meu humilde conhecimento dentro da religião, seja sobre o que for em nosso ponto de vista, responderei com o maior prazer sob o meu ponto de vista.

Axé a todos
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: fhespanhol em 21 de Junho de 2010, 11:44
É isto aí Vitoriano. Esclarecimento e estudo são fundamentais para o desenvolvimento de qualquer doutrina e área de atuação. De modo que devemos parar de culpar os espíritos por qualquer coisa, se caímos, damos uma topada, engasgamos ou temos um reves na vida culpamos os espíritos. A coisa não e bem assim, para um espírito nos influenciar deve haver afinidade de pensamentos com ele e os dois encarnado e desencarnado estar em perfeita sintonia do contrário não ocorre uma obsessão. Se fosse assim todas as pessoas do mundo hoje estariam sobre a influência de obssessores. Devemos sim parar e refletir sobre nossos atos e ações e ver se o que estamos passando não é fruto de nossas próprias faltas e erros. Pois como sabemos o mundo é regido pela lei da ação e reação. Sendo assim se temos um revés na vida e bem provavel que este seja fruto de um erro cometido no passado e não obra de um espirito obssessor.
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: .. em 21 de Junho de 2010, 12:42
Ola Carol,

Gostei muito do que você postou aqui. Meu caso é bem semelhante e nesse momento me encontro em desenvolvimento espiritual e mediunico. Minha vida ja mudou e ja me sinto muito melhor.


Achei bacana sua resposta e acho que independentemente de ser verdade ou falso o assunto do tópico, Devemos sempre procurar um meio de participar diretamente das atividades do Centro Espírita que você frequenta e acho perfeitamente possível estudar enquanto pratica a Caridade! Ficar só estudando e esperando ganhar conhecimentos teóricos é muito bom, mas já ouví muitas vezes em grandes palestras Espíritas, que ficar somente assistindo palestras não leva exatamente ao objetivo que é a Caridade e como "Fora da caridade não há salvação", acho que este seria o caminho para se atingir um bom desenvolvimento mediúnico. Vejo que as pessoas citam Umbanda, Candomblé e outras religiões que são respeitáveis como qualquer outra, porém o que as pessoas querem é uma orientação de como proceder para se desenvolver. CLARO que serão Espíritas se forem bem orientados e nada melhor e esclarecedor do que a Doutrina de Kardec.
Vamos estudar muito mas vamos participar tambem de atividades no Centro Espírita que escolhemos e lá, mesmo que não seja o mais confiável, o que vale é a nossa boa intenção e Vamos transformá-lo! O importante na minha opinião é começar com Caridade sem esquecer o estudo profundo que é o que vai fazer voce se livrar de charlatões.
Esta é a minha opinião.
abraços fraternos a todos! :)
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Mourarego em 21 de Junho de 2010, 13:34
Veja só amigo WhastRj,
Kardec e o Espírito A Verdade, disseram sobre o conheciemnto ser o ponto principal da doutrina;
Emmanuel, só para citar um Espírito onhecido de todos, disse " Amaridade que se faz pela doutrina é dizê-la corretamente". E disse mais, informou ele ao Chico que quando dissesse algo emoposição ao ditado codificado que ele, Chico, ficasse comKardek.
mesmo Ramatis de quem tanto se fala mal, é um dos que se associam dizendo que a obra desse homem deveser seguida sem modificações.
como se vê, todos falam de antes de qualquer coisa conhecer aquilo em que se quer participar ajudando, mas o amigo inverte todos esses ensinamentos e quer participar no CE com vistas a transformá-lo.
Participe, amigo, no que lhe for de conhecimento, na administração da casa, por exemplo, na organização da casa nos dias de reunião, ou ficando depois destas a arrumar a casa.
Quanto a fazer qualquer outro trabalho, medianímico ou de simples conversação sobre temas doutrinário, é necessário  que primeiro se tenha, para o campo medianímico uma qualidade que o possa, fazer, quando bem acertada, e conhecida nos seus misteres, funcione bem na ajuda que se quer prestar.
Isso porém não transformaria senão a que se prestasse responsavelmente ao trabalho, pois que para transformar uma casa Espírita é necessário não só este tipo de trabalho mas uma revolução no estudo e na compreensão da doutrina. E isso, caro amigo um novato ou uma pessoa que se julgue em condições apenas por ter um tempo grande de associação a uma casa espírita com preparada para tal, fatalmente induzirá em atrapalhação maior do que uma ajuda eficiente.
Isso se tomarmos por base um princípio muito repetido mais pouco refletido, Semelhante atrai semelhante, logo se não conheço bem a doutrina não posso ajudar de forma a transformar para melhor a casa em que sou assistente, hoje.
abraços,
Moura
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: .. em 21 de Junho de 2010, 19:08
Obrigado Mourarego por ler o que escrevi e esclarecer ainda mais!!
Abraços
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Fernando Louren em 02 de Agosto de 2010, 17:38
Boa tarde a todos , gostaria de saber se alguem pode me dar algum tipo de informações sobre as entidades de umbanda chamadas eres (crianças).Gostaria de saber em que nivel de evoluçãos elas se encontram , que tipo de trabalho desenvolvem no plano espiritual.Tenho muita afinidade com essas entidades , porém , não tenho conhecimento sobre elas.

Muita alegria e paz a todos.
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Mourarego em 02 de Agosto de 2010, 17:42
Ere é Ere mano Fernando e criança ou Ybeji, é criança.
Eres segundo as linhas mais primárias da umbanda que ainda guardam muitos resquícios dos culto de Nação, são seres que morreram sem o batismo e por isso continuariam com um pé no mundo material e outro no Espiritual.
Crianças ou Ybeji, são espíritos já cristianizados como o dos Santos cultuados Cosme e Damião.
Abraços,
Moura
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Fernando Louren em 02 de Agosto de 2010, 18:04
Obrigado pelas informações , mas gostaria de saber sobre o nivel de evolução desse espiritos e o tipo de trabalho que desenvolvem .
um abraço e paz
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Mourarego em 02 de Agosto de 2010, 18:31
Os trabalhos são vários e tendentes ao bem amigo Fernando.
Abraços,
Moura
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: cazotto em 02 de Agosto de 2010, 20:22
Boa tarde a todos.
Fernando, venho frequentando espiritismo desde meus 18 anos, hoje com 39 e a 6 na Umbanda. Entendo eres (ibejis) ou qualquer outro nome que possam dar como uma entidade desencarnada. Como sabemos no plano espiritual não existe sexo, idade, raça... e de acordo com sua condição/elevação eles "desencarnados", estão de acordo com sua faixa vibratoria. Resumindo as crianças que vemos na Umbanda são por condições de faixa vibratoria e/ou opção de se apresentar desta forma, penso que na ultima encarnação deste Ser "pode" ter tido o desencarne como criança, mas se esta não foi a única encarnação deste irmão. - Pergunto. Em todas as suas existencias ele sempre desencarnou como criança? Não acredito. E sendo a vida verdadeira O plano espiritual ele teria consciencia de sua evolução, lembraria portanto de vidas passadas como jovem, adulto ou mesmo idoso.
 Não sou a melhor pessoa a opnar sobre o assunto mas como estamos trocando informações...espero ter colaborado criando itens para sua pesquisa.
 Fraterno abraço Cazotto
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: Fernando Louren em 02 de Agosto de 2010, 20:28
Obrigado Cazotto , esta começando a clarear .
Estas entidades me despertam muita curiosidade .

Grande abraço

Muita paz e alegria!!
Título: Re: Entidades Umbanda e Candomblé
Enviado por: LUDMILABSB em 02 de Agosto de 2010, 20:52
Sou novata no site e com 2 anos tentando conhecer a Doutrina Espírita, especificada errôneamente como Kardecismo.
Neste tópico específico, estou gostando do debate de conceitos de umbanda. Não conheço muito esta área no sentido das manifestações espíritas, mas também sei que esta religião é um sincretismo religioso de rituais africanos e católicos. Pode apoiar-se, em alguns casos, na doutrina espírita, mas não faz parte desta que foi codificada por Kardec e direcionada por muito médiuns como o Chico Xavier.

Muita fé!!!