Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => O Livro dos Espíritos => Tópico iniciado por: fabiao37 em 22 de Agosto de 2009, 20:02

Título: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: fabiao37 em 22 de Agosto de 2009, 20:02
Como explicar o aquecimento global e a falta de água,seos Espíritos Superiores dizem que tudo está progredindo?
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Mourarego em 22 de Agosto de 2009, 20:32
Progridem os atos morais e se agigantam para alguns os atos amorais.
Sendo assim, se a conta tem resultado tendente ao positivo o mundo, progride, contudo, é mundo de provas e expiações, e onde o "mal se sopbrepõe ao bem", isso ensina a doutrina, logo, hão de acontecer essas coisas, provocadas pelo homem, mas não fazem elas estagnar o progresso, entravam-no mais um cadinho em sua velocidade.
Abraços,
Moura
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Maria Nazar em 23 de Agosto de 2009, 03:50
Olá Fábio, a evolução não dá saltos.
Estamos sim evoluindo, inclusive prestes ao término de um novo Ciclo, onde a Terra passará de Mundo de Provas e Expiações para Mundo de Regeneração.
Tudo que passamos é fruto da ignorância do próprio homem,ignorância de ignorar a lei de amor.
Estamos condenados a angelitude, mas isto denota muito tempo, mas muito tempo mesmo!
Esta evolução são degraus que teremos que subir, um à um,e cabe a nós seres imortais buscarmos a nossa reforma íntima, buscar o amor.

Abraços,
Nazaré
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Mourarego em 23 de Agosto de 2009, 17:39
concordo consigo, Nazaré,
contudo, antes de colocar o amor, como sendo o elo master, advertiria para que se buscasse antes, o conhecimento, já que sem ele não se saberia o que é o amor e a que parcela deste, no mundo e na condição em que nos encontramos ,podemos atingir.
Veja que Kardec diz a nós Espíritas que é preciso conhecer e entender a doutrina para se conseguir resultados maiores.
Ora, como saber o que é o amor, este que muitos travestem de outras formas?
Dizem: "amo meu carro", ora amar a algo material o torna materialista e longe dos aspectos de doutrina conducentes ao topo espiritual.
abração,
Moura
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Jovem em 23 de Agosto de 2009, 18:34
Como explicar o aquecimento global e a falta de água,seos Espíritos Superiores dizem que tudo está progredindo?

Tudo se encadeina na natureza e as coisas aparentemente mais díspares, tem pontos de contato que nem sempre conseguimos compreender. Porém, por um esforço da inteligência, podemos entrever a questão. Transformações na superfície do globo podem ser necessárias à harmonia geral, e as transformações deletérias geradas pela ação do homem fazem com que o mesmo trabalhe no sentido de saná-las, e assim, ele desenvolve sua inteligência, pelo trabalho que é forçado a realizar.
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: fabiao37 em 23 de Agosto de 2009, 19:36
morarego e Maria Nazaré,muito obrigado pelas respostas  ;)
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: sensitive em 24 de Agosto de 2009, 21:27
  Olá fabiao

No livro dos espíritos diz:

731 Por que, ao lado dos meios de conservaçã, a natureza colocou ao mesmo tempo os agentes destruidores?

Resp: O remédio ao lado do mal, para manter o equilíbrio e servir de contrapeso.

Abraço


Sensitive
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Anton Kiudero em 25 de Agosto de 2009, 00:29

O mundo esta evoluindo e alterando as suas caracteristicas para abrigar nova escola, um tantinho melhor, para os espíritos. Com isto muita coisa esta mudando e será sempre para melhor de acordo com a programação divina que nada tem a ver com a percepção dos homens que em sua cegueira gostariam que tudo permanecesse exatamente como sempre esteve.

A proposito, o aquecimento global é um evento ciclico que nada tem a ver com qualquer ação humana e não há nada que o homem possa fazer para inverter o processo.

Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: leandro_manzo em 25 de Agosto de 2009, 01:28
Ja é praticamente unânime entre os cientistas climáticos a opinião de que as consequências serão ímpares.
Preparemo-nos para as piores consequências da natureza, pois o processo é irreversível.
Pelo menos, pelos próximos cem anos a humanidade irá esperimentar a fúria da natureza.
Toda ação tem uma reação.
E é chegada a hora da reação.

Abração e fiquem com deus!
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Mind em 25 de Agosto de 2009, 02:06
Como explicar o aquecimento global e a falta de água,seos Espíritos Superiores dizem que tudo está progredindo?

Olá a todos, muita paz.
     Amigo Fabiao, quanto á sua questão eu me baseio em actos humanos negligentes e egoístas, sabemos que esse aquecimento global advém da poluição oriunda de todos dos gases nocivos que afecta a camada do ozono (Co2).
     Digo negligente, pois países altamente desenvolvidos e industrializados, lançam para a atmosfera enormes quantidades desses mesmos gases, dos quais todos nós temos noção que estamos a destruir o nosso planeta azul; mas o comércio não pode parar e dai o egoísmo pois estamos a comprometer a qualidade de vida aos nossos descendentes mais longínquos. No entanto a ciência e o conhecimento do homem sábio, tem feito os melhores esforços para substituir as energias não renováveis pelas renováveis e apostar na reciclagem entre outras formas de combater a destruição, de um mundo que não é meramente humano, pois todos seres vivos estão a pagar por nossos actos.
     Aquecimento global, contaminação das águas, poluição atmosférica, derretimentos dos glaciares, desflorestação de florestas com intuito gerador de negócios rentáveis e etc … Tudo isso culpa do “homem”, pois sabemos do mal que causamos; mas o livre arbitro e o dinheiro neste mundo “fala” mais alto.
 Bem-haja a todos.
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Vitor Santos em 25 de Agosto de 2009, 03:00
Olá Fabião

Para termos a ideia se o mundo evolui ou não, temos de olhar para a história da humanidade.

Penso que, apesar dos problemas em questao, houve muita coisa que evoluiu, desde os homens primitivos até hoje.

O problema do aquecimento global deve ser resolvido ou minimizado, mas é um problema de cada cidadão do mundo, do ponto de vista individual e colectivo.

- É fácil dizer que os carros poluem, mas quem prescinde de andar no seu automóvel por esta razão?

- É fácil dizer que as fábricas poluem, mas quem prescinde dos produtos que elas produzem por razões ambientais?

- A iluminação à noite polui, pois gasta energia, mas quem prescinde de ter a luz acesa, de ver televisão, de estar no computador, etc.,  para poupar o ambiente?

- Quem prescinde do aquecimento e/ou do ar condicionado para poupar energia?
 
A realidade está à vista de todos nós. Trata-se de uma prova colectiva, um alerta contra o egoismo da humanidade. A sua resolução implica a cooperação de todos.

Tal como as nossas provas individuais, o aproveitamento nesta prova colectiva depende do esforço de cada um e de todos.

Não vale a pena ninguém se queixar, pois só não são coniventes com o aquecimento global aqueles a quem não chega a energia, nem os bens que a tecnologia permite, devido à pobreza extrema.

O progresso da humanidade não se pode medir numa geração. Tudo na terra vai evoluindo aos altos e baixos, podendo dar a aparência provisória de involução. Mas se formos ver o resultado, numa janela de tempo suficientemente larga, o saldo entre os altos e baixos é sempre positivo.

bem haja
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Diegas em 25 de Agosto de 2009, 03:16
Olá.


Interessante a associação moradia-morador.

Assistindo ao golf pela tv, a cada tacada estrategica que o jogador dá na bolinha (que viaja sem a mínima preocupação no espaço à procura de um descanso num buraquinho),  fica-me sempre a impressão de que alguns privilegiados gozam de pleno status espiritual. Infeliz daquele que não tem o prazer e o tempo para dedicar-se a este esporte.



Abç
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Mind em 25 de Agosto de 2009, 03:40
Não vale a pena ninguém se queixar, pois só não são coniventes com o aquecimento global aqueles a quem não chega a energia, nem os bens que a tecnologia permite, devido à pobreza extrema.

Olá amigo Vítor Santos, concordo consigo, que todos somos um tanto culpados pela poluição; mas não concordo com a citação que mencionou, pois vale a pena sim! Não só nos queixarmos, como uma vez mais evoluirmos, pois ser um bom cidadão também implica cidadania para com o meio ambiente. Volto a referir que o Sol é uma energia inesgotável, portanto renovável que Deus nos ofereceu. A fonte de alimentação de energia numa habitação pode ser muito bem conseguida por painéis solares, infelizmente não é um bem ao alcance de todos os cidadãos devido aos seus altos custos; mas já não é uma questão de falta de meios e sim por falta de apoio por parte do Estado que deve ser estudado pelas diferentes instituições politicas no parlamento…
     Existem embalagens amigas do ambiente (recicláveis) que deveremos, sempre procurar o símbolo referente a essa causa nas embalagens, pequenos gestos que a ser executados por cada ser humano com certeza fará a longo prazo grandes diferenças.
Eu também poluo; mas já há muito que criei na minha pessoa princípios éticos de lidar com a natureza.
Abraço Fraterno…
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Fernando B. em 25 de Agosto de 2009, 10:11
Bom dia pessoal!

Existe uma explicação para o aquecimento global que não inclui a industrialização, queimadas, enfim, uma explcação que não tem a ver com a ação do homem, sem querer esquecer a nossa responsabilidade por tal fenômeno, pois é claro que estamos contribuindo muito para tal fato.

Quem ja leu A Genese, sabe do que estou falando, tem algo a ver com os equinócios, inclusive acredito que ja deixei um tópico na sessão referente a A Genese, abordando o tema. Vou procurar e deixar aqui também!

Muita paz a todos!
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Fernando B. em 25 de Agosto de 2009, 10:15


Citar
"A Gênese" 
 
Cap  IX  Revoluções Periódicas:

6. Além de seu movimento anual em redor do Sol, que produz as estações, de seu movimento de rotação sobre si mesma em 24 horas, que produz o dia e a noite, a Terra tem um terceiro movimento que se realiza aproximadamente a 25.000 anos de intervalo, mais exatamente, 25.868 anos, e que produz o fenômeno designado em Astronomia por precessão dos equinócios (Cap. V, nº 11).

Este movimento, que seria impossível explicar em poucas palavras, consiste numa espécie de balanço circular que tem sido comparado com o de um pião ao desacelerar seu giro; por conseqüência de tal movimento, o eixo da Terra, mudando de inclinação, descreve um duplo cone cujo vértice é o centro da Terra, e as bases abarcam a superfície circunscrita pelos círculos polares; isto é, uma amplitude de raio de 23 graus e meio.

7. O equinócio é o instante em que o Sol, passando de um hemisfério para o outro, se encontra perpendicularmente sobre o equador, o que sucede duas vezes por ano, perto do dia 21 de março, quando o Sol volta para o hemisfério boreal ou do norte, e perto do dia 22 de setembro, quando volta para o hemisfério austral ou do sul.

Porém, em conseqüência da mudança gradual na obliqüidade do eixo, o que resulta na obliqüidade do equador sobre a eclíptica, o instante do equinócio se encontra a cada ano adiantado de alguns minutos (25 minutos e 7 segundos). É este avanço que se denomina precessão dos equinócios (do latim praecedere, andar adiante, composto de prae antes, e cedere, ir).

Estes poucos minutos, em conjunto, formam horas, dias, meses e anos; daí resulta que o equinócio da primavera, que atualmente chega em março, num tempo dado chegará em fevereiro, depois em janeiro, depois em dezembro, e então o mês de dezembro terá a temperatura do mês de março, enquanto que março terá a de junho, e assim por diante, até que voltando ao mês de março, as coisas se encontrarão novamente no estado atual, o que terá lugar em 25.868 anos, para recomeçar indefinidamente a mesma revolução. (1)

(1) A precessão dos equinócios produz outra mudança, aquela que se opera na posição dos signos do zodíaco.

Na duração de um ano, a Terra gira em redor do Sol; à medida que ela avança, o Sol se encontra a cada mês face a uma nova constelação. Estas constelações são doze, a saber: Carneiro, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Balança, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes. São chamadas constelações zodiacais ou sinais do zodíaco, e formam um círculo no plano do equador terrestre. Segundo o mês de nascimento de um indivíduo, dizia-se que nascera sob o signo tal: daí os prognósticos da astrologia. Porém, em conseqüência da precessão dos equinócios, sucede que os meses não correspondem mais às mesmas constelações; assim, quem nasce no mês de julho, não está mais no signo de Leão, mas no de Câncer. Cai assim a idéia supersticiosa ligada à influência dos signos. (Cap. V, nº 12).

8. De tal movimento cônico do eixo, resulta que os pólos da Terra não olham constantemente os mesmos pontos do céu; que a estrela polar não será sempre estrela polar; que os pólos são gradualmente mais ou menos inclinados em direção ao Sol e dele recebem raios mais ou menos diretos; do que se conclui que a Islândia ou a Lapônia, por exemplo, que estão sob o círculo polar, poderão, num tempo dado, receber os raios solares como se estivessem na latitude da Espanha e da Itália, e que na posição oposta, extrema, a Espanha e a Itália poderão ter a temperatura da Islândia e da Lapônia, e assim por diante, a cada renovação do período de 25.868 anos. (1)

(1) O deslocamento gradual das linhas isotérmicas, fenômeno reconhecido pela ciência de maneira tão positiva quanto o deslocamento do mar, é um fato material que confirma essa teoria.

9. As conseqüências desse movimento não puderam ainda ser determinadas com precisão, pois que não tem sido possível observar senão uma parte muito pequena de sua revolução; com relação a tal assunto, pois, não há senão presunções, das quais algumas têm certa probabilidade.

Essas conseqüências são:

1º _ O aquecimento e o resfriamento alternativo dos pólos e, por conseguinte, a fusão dos gelos polares durante a metade do período de 25.868 anos, e sua nova formação durante a outra metade desse período. Daí resultará que os pólos não serão votados a uma esterilidade perpétua, mas gozarão por sua vez os benefícios da fertilidade.

2º _ O deslocamento gradual do mar, que pouco a pouco invade as terras, enquanto que descobre outras, para as abandonar de novo e reentrar em seu antigo leito. Este movimento periódico, renovado indefinidamente, constituiria verdadeira maré universal de 25.868 anos.

A lentidão com a qual se opera este movimento do mar torna-o quase imperceptível a cada geração; porém é sensível ao fim de alguns séculos. Não pode causar nenhum cataclismo súbito, pois que os homens se retiram, de geração em geração, à medida que o mar avança, e eles avançam sobre as terras de onde o mar se retira. É a esta causa, mais que provável, que alguns sábios atribuíam a retirada do mar, em certas costas, e sua invasão em outras.

10. O deslocamento lento, gradual e periódico do mar é um fato adquirido pela experiência, e atestado por numerosos exemplos sobre todos os pontos do globo. Tem como conseqüência a manutenção das forças produtivas sobre a Terra. Esta longa imersão é um tempo de repouso durante o qual as terras submersas recuperam os princípios vitais esgotados por uma produção não menos longa. Os imensos depósitos de matérias orgânicas, formados pela permanência das águas durante séculos, são adubações naturais periodicamente renovadas, e as gerações se sucedem sem perceber tais mudanças. (1)

(1) Entre os fatos mais recentes que provam o deslocamento do mar, podem-se citar o seguinte:

No golfo de Gasconha, entre o velho Soulac e a torre de Cordouan, quando o mar está calmo, percebem-se no fundo da água, trechos de muralha: são restos da antiga cidade de Noviomagnus, invadida pelas águas em 80. O rochedo de Cordouan, que naquela época estava ligado à margem, está agora a 12 quilômetros.

No Mar da Mancha, sobre a costa do Havre, o mar ganha terreno cada dia, e mina as penedias de Sainte-Adresse, as quais pouco a pouco desmoronam. A 2 kms da costa, entre Sainte Adresse e o cabo de Hève, existe o banco de l'Éclat, que outrora era visível e reunido à terra firme. Antigos documentos constatavam que sobre este local, no qual hoje se navega, havia a cidade de Sain Denis Chef de Caux. Tendo o mar invadido os terrenos, no século XIV, a igreja foi tragada em 1378. Dizem que, com o mar calmo, ainda se vêem os seus restos no fundo da água.

Em quase toda a extensão do litoral da Holanda, o mar só é contido a poder de diques, que se rompem de tempos a tempos. O antigo lago Flevo, reunido ao mar em 1225, forma hoje o golfo de Zuyderzee. Esta irrupção do oceano tragou diversas cidades.

Segundo isto, os territórios de Paris e da França serão algum dia novamente ocupados pelo mar, conforme já sucedeu por diversas vezes, segundo o comprovam as observações geológicas. As partes montanhosas formarão então ilhas, como atualmente o são as de Jersey, Guernesey e a Inglaterra, as quais outrora eram ligadas ao continente.

Então, será possível navegar por cima de regiões que hoje percorremos em estradas de ferro; os navios abordarão em Montmartre, no monte Laveriano, aos outeiros de Saint-Cloud e de Meudon; os bosques e as florestas onde hoje se pode passear, serão sepultados pelas águas, serão cobertos de limo e povoados por peixes em lugar de pássaros.

O dilúvio bíblico não pode ter tido esta coisa, pois a invasão das águas foi súbita, e sua permanência de curta duração, enquanto que, de outro modo, essa permanência houvera sido de diversos milhares de anos, e ainda duraria, sem que os homens se tivessem percebido dela.

Livraria Allan Kardec Editora.


Este texto foi postado em nosso fórum por LENI no sub quadro sobre a GENESE e estou aproveintando e desde ja agradecendo a Leni por ter nos presenteado com esta lembrança entre outras tantas que ela nos deixa aqui!  
 
 
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Mind em 25 de Agosto de 2009, 10:32
Olá amigo Fernando B, você mencionou presunções, probabilidades e possíveis consequências, eu referi-me ao que aprendi na 4ª classe em ciências (estudo do meio), no entanto são observações das quais não excluo e merecem estudos por parte dos cientistas…
Abraço fraterno.
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: marcia heerdt em 25 de Agosto de 2009, 17:54


Citar
"A Gênese" 
 
Cap  IX  Revoluções Periódicas:

6. Além de seu movimento anual em redor do Sol, que produz as estações, de seu movimento de rotação sobre si mesma em 24 horas, que produz o dia e a noite, a Terra tem um terceiro movimento que se realiza aproximadamente a 25.000 anos de intervalo, mais exatamente, 25.868 anos, e que produz o fenômeno designado em Astronomia por precessão dos equinócios (Cap. V, nº 11).

Este movimento, que seria impossível explicar em poucas palavras, consiste numa espécie de balanço circular que tem sido comparado com o de um pião ao desacelerar seu giro; por conseqüência de tal movimento, o eixo da Terra, mudando de inclinação, descreve um duplo cone cujo vértice é o centro da Terra, e as bases abarcam a superfície circunscrita pelos círculos polares; isto é, uma amplitude de raio de 23 graus e meio.

7. O equinócio é o instante em que o Sol, passando de um hemisfério para o outro, se encontra perpendicularmente sobre o equador, o que sucede duas vezes por ano, perto do dia 21 de março, quando o Sol volta para o hemisfério boreal ou do norte, e perto do dia 22 de setembro, quando volta para o hemisfério austral ou do sul.

Porém, em conseqüência da mudança gradual na obliqüidade do eixo, o que resulta na obliqüidade do equador sobre a eclíptica, o instante do equinócio se encontra a cada ano adiantado de alguns minutos (25 minutos e 7 segundos). É este avanço que se denomina precessão dos equinócios (do latim praecedere, andar adiante, composto de prae antes, e cedere, ir).

Estes poucos minutos, em conjunto, formam horas, dias, meses e anos; daí resulta que o equinócio da primavera, que atualmente chega em março, num tempo dado chegará em fevereiro, depois em janeiro, depois em dezembro, e então o mês de dezembro terá a temperatura do mês de março, enquanto que março terá a de junho, e assim por diante, até que voltando ao mês de março, as coisas se encontrarão novamente no estado atual, o que terá lugar em 25.868 anos, para recomeçar indefinidamente a mesma revolução. (1)

(1) A precessão dos equinócios produz outra mudança, aquela que se opera na posição dos signos do zodíaco.

Na duração de um ano, a Terra gira em redor do Sol; à medida que ela avança, o Sol se encontra a cada mês face a uma nova constelação. Estas constelações são doze, a saber: Carneiro, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Balança, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, Aquário e Peixes. São chamadas constelações zodiacais ou sinais do zodíaco, e formam um círculo no plano do equador terrestre. Segundo o mês de nascimento de um indivíduo, dizia-se que nascera sob o signo tal: daí os prognósticos da astrologia. Porém, em conseqüência da precessão dos equinócios, sucede que os meses não correspondem mais às mesmas constelações; assim, quem nasce no mês de julho, não está mais no signo de Leão, mas no de Câncer. Cai assim a idéia supersticiosa ligada à influência dos signos. (Cap. V, nº 12).

8. De tal movimento cônico do eixo, resulta que os pólos da Terra não olham constantemente os mesmos pontos do céu; que a estrela polar não será sempre estrela polar; que os pólos são gradualmente mais ou menos inclinados em direção ao Sol e dele recebem raios mais ou menos diretos; do que se conclui que a Islândia ou a Lapônia, por exemplo, que estão sob o círculo polar, poderão, num tempo dado, receber os raios solares como se estivessem na latitude da Espanha e da Itália, e que na posição oposta, extrema, a Espanha e a Itália poderão ter a temperatura da Islândia e da Lapônia, e assim por diante, a cada renovação do período de 25.868 anos. (1)

(1) O deslocamento gradual das linhas isotérmicas, fenômeno reconhecido pela ciência de maneira tão positiva quanto o deslocamento do mar, é um fato material que confirma essa teoria.

9. As conseqüências desse movimento não puderam ainda ser determinadas com precisão, pois que não tem sido possível observar senão uma parte muito pequena de sua revolução; com relação a tal assunto, pois, não há senão presunções, das quais algumas têm certa probabilidade.

Essas conseqüências são:

1º _ O aquecimento e o resfriamento alternativo dos pólos e, por conseguinte, a fusão dos gelos polares durante a metade do período de 25.868 anos, e sua nova formação durante a outra metade desse período. Daí resultará que os pólos não serão votados a uma esterilidade perpétua, mas gozarão por sua vez os benefícios da fertilidade.

2º _ O deslocamento gradual do mar, que pouco a pouco invade as terras, enquanto que descobre outras, para as abandonar de novo e reentrar em seu antigo leito. Este movimento periódico, renovado indefinidamente, constituiria verdadeira maré universal de 25.868 anos.

A lentidão com a qual se opera este movimento do mar torna-o quase imperceptível a cada geração; porém é sensível ao fim de alguns séculos. Não pode causar nenhum cataclismo súbito, pois que os homens se retiram, de geração em geração, à medida que o mar avança, e eles avançam sobre as terras de onde o mar se retira. É a esta causa, mais que provável, que alguns sábios atribuíam a retirada do mar, em certas costas, e sua invasão em outras.

10. O deslocamento lento, gradual e periódico do mar é um fato adquirido pela experiência, e atestado por numerosos exemplos sobre todos os pontos do globo. Tem como conseqüência a manutenção das forças produtivas sobre a Terra. Esta longa imersão é um tempo de repouso durante o qual as terras submersas recuperam os princípios vitais esgotados por uma produção não menos longa. Os imensos depósitos de matérias orgânicas, formados pela permanência das águas durante séculos, são adubações naturais periodicamente renovadas, e as gerações se sucedem sem perceber tais mudanças. (1)

(1) Entre os fatos mais recentes que provam o deslocamento do mar, podem-se citar o seguinte:

No golfo de Gasconha, entre o velho Soulac e a torre de Cordouan, quando o mar está calmo, percebem-se no fundo da água, trechos de muralha: são restos da antiga cidade de Noviomagnus, invadida pelas águas em 80. O rochedo de Cordouan, que naquela época estava ligado à margem, está agora a 12 quilômetros.

No Mar da Mancha, sobre a costa do Havre, o mar ganha terreno cada dia, e mina as penedias de Sainte-Adresse, as quais pouco a pouco desmoronam. A 2 kms da costa, entre Sainte Adresse e o cabo de Hève, existe o banco de l'Éclat, que outrora era visível e reunido à terra firme. Antigos documentos constatavam que sobre este local, no qual hoje se navega, havia a cidade de Sain Denis Chef de Caux. Tendo o mar invadido os terrenos, no século XIV, a igreja foi tragada em 1378. Dizem que, com o mar calmo, ainda se vêem os seus restos no fundo da água.

Em quase toda a extensão do litoral da Holanda, o mar só é contido a poder de diques, que se rompem de tempos a tempos. O antigo lago Flevo, reunido ao mar em 1225, forma hoje o golfo de Zuyderzee. Esta irrupção do oceano tragou diversas cidades.

Segundo isto, os territórios de Paris e da França serão algum dia novamente ocupados pelo mar, conforme já sucedeu por diversas vezes, segundo o comprovam as observações geológicas. As partes montanhosas formarão então ilhas, como atualmente o são as de Jersey, Guernesey e a Inglaterra, as quais outrora eram ligadas ao continente.

Então, será possível navegar por cima de regiões que hoje percorremos em estradas de ferro; os navios abordarão em Montmartre, no monte Laveriano, aos outeiros de Saint-Cloud e de Meudon; os bosques e as florestas onde hoje se pode passear, serão sepultados pelas águas, serão cobertos de limo e povoados por peixes em lugar de pássaros.

O dilúvio bíblico não pode ter tido esta coisa, pois a invasão das águas foi súbita, e sua permanência de curta duração, enquanto que, de outro modo, essa permanência houvera sido de diversos milhares de anos, e ainda duraria, sem que os homens se tivessem percebido dela.

Livraria Allan Kardec Editora.


Este texto foi postado em nosso fórum por LENI no sub quadro sobre a GENESE e estou aproveintando e desde ja agradecendo a Leni por ter nos presenteado com esta lembrança entre outras tantas que ela nos deixa aqui!  
 
 

interessante o texto,pois sempre achei que o mar um dia vai tomar seu lugar de volta
marcia heerdt
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: Anton Kiudero em 25 de Agosto de 2009, 18:17
Ja dizia padim Cicero: O mar vai virar sertão e o sertão vai virar mar...
Título: Re: Se o mundo está evoluindo,como explicar o aquecimento global?
Enviado por: marcia heerdt em 25 de Agosto de 2009, 18:36
 ;DBOA