Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => O Livro dos Espíritos => Tópico iniciado por: Peregrino em 05 de Junho de 2005, 17:30

Título: O Livro dos Espíritos e a finalidade do Espiritismo
Enviado por: Peregrino em 05 de Junho de 2005, 17:30


A Finalidade do Espiritismo.


Na Conclusão final do Livro dos Espiritos, é realçado que «O Espiritismo não é obra de um homem. Ninguém pode inculcar-se como seu criador, pois tão antigo é ele quanto a criação. Encontramo-lo por toda parte, em todas as religiões, principalmente na religião Católica e aí com mais autoridade do que em todas as outras, porquanto nela se nos depara o princípio de tudo que há nele: os Espíritos em todos os graus de elevação, suas relações ocultas e ostensivas com os homens, os anjos guardiães, a reencarnação, a emancipação da alma durante a vida, a dupla vista, todos os gêneros de manifestações, as aparições e até as aparições tangíveis. Quanto aos demônios, esses não são senão os maus Espíritos e, salvo a crença de que aqueles foram destinados a permanecer perpetuamente no mal, ao passo que a senda do progresso se conserva aberta aos segundos, não há entre uns e outros mais do que simples diferença de nomes. Que faz a moderna ciência espírita? Reúne em corpo de doutrina o que estava esparso: explica, com os termos próprios, o que só era dito em linguagem alegórica; poda o que a superstição e a ignorância engendraram, para só deixar o que é real e positivo. Esse o seu papel! O de fundadora não lhe pertence. Mostra o que existe, coordena, porém não cria, por isso que suas bases são de todos os tempos e de todos os lugares.»

Sempre houve intercâmbios mediunicos, agora designados por “factos espiritas”, mas só uma minoria de “iniciados”, partilhava do saber que agora é acessível a todo aquele “que tiver ouvidos de ouvir e olhos de ver”, mas acima de tudo, “coração para compreender” e se deixar despertar e curar para a vida e para o amor. Na verdade, mais do que na Razão, é no coração que se encontra a chave da compreensão e da sabedoria, porque o saber que não produz bons frutos não é saber, mas tão só mero soletrar. O mesmo se dá com a Fé.

Não basta ler este livro, decorar cada uma das frases nele contido, sem a compreensão da sua finalidade. Na verdade, nele não há apenas uma síntese dos “Principios da Doutrina Espirita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida futura e o porvir da Humanidade” como consta da sua primeira pagina.

Seja o espiritismo ou não “O Consolador” prometido por Jesus há 2000 anos, a verdade é que sua finalidade é dar nos a Razão de nos melhorarmos em cada dia, seguindo o exemplo dos mensageiros de Deus que passaram por este planeta: Buda, Socrates, Jesus, Krishna, Francisco de Assis, Gandhi, Teresa de Calcuta, e muitos mais, de todos os povos da Terra, que cultuaram a mesma e única religião divina e eterna: o Amor.

Já é milenar esse apelo à dirigir a Fé para a própria reforma intima: «Ouvi, tornai a ouvir, mas não compreendereis, Vede, tornai a ver, mas não percebereis.
Obceca o coração deste povo (...), que o seu coração não entenda, que não se converta e cure» - Isaias, VI, 10

Jesus confirmou o apelo:
«Porque o coração deste povo tornou-se duro, e duros também os seus ouvidos; fecharam os olhos, não fossem ver com os olhos, ouvir com os ouvidos, compreender com o coração, e converter-se para Eu os curar.» - Mateus, XIII, 15

Essa sua razão de reencarnar entre os homens, submetendo-se à mesma condição, para mostrar que era possível:
«Dei-vos o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais tambem.» - João, XIII, 15
«Uma vez que sabeis estas coisas, feliz sereis se as puserdes em prática.» - João, XIII, 17
«Nem todo o que Me diz: “Senhor, Senhor!” entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que faz a vontade de Deus (...) Afastai-vos de Mim, vós que praticais a iniquidade» - Mateus, VII, 21/23
«Aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática, é semelhante ao néscio que edificou a sua casa sobre a areia» - Mateus, VII, 24

Pg   :)
Título: Re: O Livro dos espíritos e a finalidade do Espiritismo
Enviado por: Peregrino em 05 de Junho de 2005, 17:33


Sem a Essência, a Letra petrifica e torna esteril.


   Consta do próprio início do L.E. (Prolegómenos) que se trata de «...um novo edifício que se eleva e que um dia há de reunir todos os homens num mesmo sentimento de amor e caridade.» Porém, adverte que “A vaidade de certos homens, que julgam saber tudo e tudo querem explicar a seu modo, dará nascimento a opiniões dissidentes. Mas, todos os que tiverem em vista o grande princípio de Jesus se confundirão num só sentimento: o do amor do bem e se unirão por um laço fraterno, que prenderá o mundo inteiro. Estes deixarão de lado as miseráveis questões de palavras, para só se ocuparem com o que é essencial. E a doutrina será sempre a mesma, quanto ao fundo, para todos os que receberem comunicações de Espíritos superiores.»

   De facto, sendo o Homem um Espírito que já viveu, em vidas anteriores, afiliado a religiões, não seria de estranhar que voltasse agora a ter as mesmas atitudes fanaticas, de seita exclusivista e dona da verdade. Mas as luzes Espiritas trazem consigo uma maior responsabilidade, por ser baseada na Razão e não mais em dogmas e rituais ou superstições infantis. Não podemos mais escravizar-nos à letra, esquecendo a essência e a finalidade acima referida. O Espiritismo não é mais uma nova religião, tão-só destinada à supermacia de clã sobre os demais companheiros e irmãos de caminhada terrena. Estas palavras de Jesus ainda são válidas para chamar à atenção os modernos doutores da Lei, aqueles que decoram este livro, mas continuam como sempre foram em épocas pretéritas: «Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Pois fechais aos homens o Reino dos Céus; nem entrais vós, nem deixais entrar aqueles que querem entrar!» - Mateus, XXII, 1/39

   Neste livro, estão os principios, o convite feito aos homens em geral para o conhecimento e meditação sobre a realidade superior, não é um sistema fechado. Seria um contrasenso fazer deste livro, em que foram reunidos as bases para que doravante as comunicações mediunicas fossem mais seguras e proveitosas, um doutrina rigida parada no tempo, repudiando (como alguns menos vigilantes e que se deixaram cegar pelo perigo da ortodoxia mais ciosa da letra do que da essência) o subsequente desenvolvimente, regredindo à paranoia anti-Espirito da Igreja Católica.

   Este é, pois, o Consolador prometido por Jesus, mas tão só como mais um convite para que o ser humano se esforce para sua melhoria moral.


Pg   :)
Título: Re: O Livro dos espíritos e a finalidade do Espiritismo
Enviado por: Peregrino em 05 de Junho de 2005, 18:15


    Conclusão de Kardec no final do Livro dos Espíritos:


   «Fora presumir da natureza humana supor que ela possa transformar-se de súbito, por efeito das idéias espíritas. A ação que estas exercem não é certamente idêntica, nem do mesmo grau, em todos os que as professam. Mas, o resultado dessa ação, qualquer que seja, ainda que extremamente fraco, representa sempre uma melhora».

   «O primeiro e mais geral consiste em desenvolver o sentimento religioso até naquele que, sem ser materialista, olha com absoluta indiferença para as questões espirituais. Daí lhe advém o desprezo pela morte. Não dizemos o desejo de morrer; longe disso, porquanto o espírita defenderá sua vida como qualquer outro, mas uma indiferença que o leva a aceitar, sem queixa, nem pesar, uma morte inevitável, como coisa mais de alegrar do que de temer, pela certeza que tem do estado que se lhe segue.»

   «O segundo efeito, quase tão geral quanto o primeiro, é a resignação nas vicissitudes da vida. O Espiritismo dá a ver as coisas de tão alto, que, perdendo a vida terrena três quartas partes da sua importância, o homem não se aflige tanto com as tribulações que a acompanham. Daí, mais coragem nas aflições, mais moderação nos desejos. Daí, também, o banimento da idéia de abreviar os dias da existência, por isso que a ciência espírita ensina que, pelo suicídio, sempre se perde o que se queria ganhar. A certeza de um futuro, que temos a faculdade de tornar feliz, a possibilidade de estabelecermos relações com os entes que nos são caros, oferecem ao espírita suprema consolação. O horizonte se lhe dilata ao infinito, graças ao espetáculo, a que assiste incessantemente, da vida de além-túmulo, cujas misteriosas profundezas lhe é facultado sondar.»

   «O terceiro efeito é o estimular no homem a indulgência para com os defeitos alheios. Todavia, cumpre dizê-lo, o princípio egoísta e tudo que dele decorre são o que há de mais tenaz no homem e, por conseguinte, de mais difícil de desarraigar. Toda gente faz voluntariamente sacrifícios, contanto que nada custem e de nada privem. Para a maioria dos homens, o dinheiro tem ainda irresistível atrativo e bem poucos compreendem a palavra supérfluo, quando de suas pessoas se trata. Por isso mesmo, a abnegação da personalidade constitui sinal de grandíssimo progresso.»


Pg   :)
Título: Re: O Livro dos Espíritos e a finalidade do Espiritismo
Enviado por: Peregrino em 04 de Abril de 2007, 20:02

No capitulo XV da introdução de Kardec ao LE, ainda se vê a finalidade de "incentivo" do Consolador prometido por Jesus, que nos avisou que "aquele que persistir até ao fim seria salvo"...


"O verdadeiro espírita vê as coisas deste mundo de um ponto de vista tão elevado; elas lhe parecem tão pequenas, tão mesquinhas, a par do futuro que o aguarda; a vida se lhe mostra tão curta, tão fugaz, que, aos seus olhos, as tribulações não passam de incidentes desagradáveis, no curso de uma viagem. O que, em outro, produziria violenta emoção, mediocramente o afecta.

Ele sabe que as amarguras da vida são provas úteis ao seu adiantamento, se as sofrer sem murmurar, porque será recompensado na medida da coragem com que as houver suportado. Suas convicções lhe dão, assim, uma resignação que o preserva do desespero e, por conseguinte, de uma causa permanente de loucura e suicídio.

Conhece também, pelo espectáculo que as comunicações com os Espíritos lhe proporcionam, qual a sorte dos que voluntariamente abreviam seus dias e esse quadro é bem de molde a fazê-lo reflectir, tanto que a quantidade muito considerável já ascende o número dos que foram detidos em meio desse declive funesto. Este é um dos resultados do Espiritismo."



Abraços fraternos

Pg  :)
Título: Re: O Livro dos Espíritos e a finalidade do Espiritismo
Enviado por: Peregrino em 01 de Fevereiro de 2008, 20:29

"No momento mesmo em que o materialismo atingia o seu apogeu, e por toda parte espalhava a idéia do nada, surge uma crença nova apoiada em factos. Ela oferece ao pensamento um refúgio onde se encontra, afinal, o conhecimento das leis eternas de progresso e de justiça.

Um florescimento de idéias que se acreditava mortas, mas que dormitavam apenas, produz-se e anuncia uma renovação intelectual e moral. Doutrinas, que foram a alma das civilizações passadas, reaparecem sob mais desenvolvida forma, e numerosos fenômenos, por muito tempo desdenhados, mas cuja importância enfim é pressentida por certos sábios, vêm oferecer-lhe uma base de demonstração e de certeza.

As práticas do magnetismo, do hipnotismo, da sugestão e, mais ainda, os estudos de Crookes, Russel Wallace, Paul Gibier, etc., sobre as forças psíquicas, fornecem novos dados para a solução do grande problema. Abrem-se abismos, formas de existência revelam-se em centros onde não mais se cuidava de observá-los.

E, dessas pesquisas, desses estudos, dessas descobertas, nascem uma concepção do mundo e da vida, um conhecimento de leis superiores, uma afirmação da ordem e da justiça universais, apropriados a despertar no coração do homem, com uma fé mais firme e mais esclarecida no futuro, um sentimento profundo dos seus deveres, um afecto real por seus semelhantes, capazes de transformarem a face das sociedades."


Léon Denis, Depois da Morte (Introdução)