Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => O Evangelho Seg. Espiritismo => Tópico iniciado por: macili em 15 de Agosto de 2015, 14:56

Título: Teu Óbolo
Enviado por: macili em 15 de Agosto de 2015, 14:56
(http://4.bp.blogspot.com/-qbxfPqCHNl8/VHQIvhV426I/AAAAAAAAJSg/HjLVKohArCY/s400/16%2Bwidow's%2Bmite.bmp.jpg)




Teu Óbolo




Simbolicamente, óbolo da viúva tem larga aplicação no constante labor de quem deseja ser útil.
Não apenas a moeda representativa para a aquisição do pão ou do vestuário, do medicamento ou do teto... Mas, também, o gesto sacrificial, sem preço, raramente oferecido, assim como a palavra oportuna, quando a circunstância é difícil.
*
Da mesma forma, o perdão silencioso à ofensa intempestiva ou a compreensão fraternal, quando ocorra lamentável incidente.
O silêncio digno, quando a ofensa provoque reações infelizes ou a confiança no êxito, mesmo que os fatores pessimistas pareçam predominar.
*
A viúva, referida por Jesus, na parábola, ofertou a última e menor moeda que possuía, em cumprimento ao dever recomendado pela Lei.
*
Há doações valiosas e ricas que transitam pelas mãos do mundo, sem que solucionem os problemas daqueles a quem são dirigidas. Não obstante, a dádiva de amor logra abençoar as vidas, enriquecendo-as de esperança e de harmonia.
Sempre serás convocado a repetir o gesto nobre e significativo da viúva pobre, que motivou a bela parábola evangélica.
A oração intercessória por alguém; a referência positiva a respeito do próximo; a ação, desconhecida pelo beneficiário; são pequenas-valiosas moedas colocadas nos gazofilácios das vidas, em cumprimento à Lei de Amor, que vige em toda a parte.
Sempre podes auxiliar, doando e enriquecendo-te, porquanto, mais feliz é sempre aquele que doa, pois que, mesmo na posição de carência em que se possa encontrar, desejando, sempre pode ajudar, com o óbolo que notabilizou a feliz viúva do Evangelho.




Joanna de Ângelis / Divaldo P. Franco
Título: Re: Teu Óbolo
Enviado por: san_123 em 20 de Agosto de 2016, 16:15
deus que é justo não poderia desconsiderar o esforço daquele que pratica caridade em suas boas ações, por isso aqueles que fizeram maior esforço para fazer o bem têm mais mérito. O mesmo caso se aplica a viúva , que mesmo dando pouco, teve mais mérito que todos os outros.
     É claro que nesse caso vale ressaltar o fato de que para fazer o bem devemos começar pelos pequenos gestos, e antes que consigamos perceber vamos estar fazendo coisas que antes considerávamos impossíveis.