Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: Antonio Renato em 01 de Julho de 2016, 10:35

Título: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 01 de Julho de 2016, 10:35
Meus irmão de estudos bom dia. Mais uma vez estamos aqui neste fórum para debatermos
sobre a Doutrina Espirita, desta feita com o Cap. XIV do E.S.E. - Honrai o vosso pai e a
vossa mãe.
Honrar no sentido deste capítulo, quer dizer "Respeitar", a isto se dá pela valorização do
que representa nosso pai e nossa mãe diante de Deus, que nos colocou como sendo
para eles uma responsabilidade no cuidado e na atenção, até que cada um possa então
caminhar sem que não seja mais necessário o apoio dos dois.
O mandamento: "Honrai o vosso pai e a vossa mãe" é um corolário(afirmação deduzida
de uma verdade já demonstrada)da lei geral da caridade e amor ao próximo, visto que
não pode amar o seu próximo aquele que não ama o seu pai e sua mãe; mas o termo
honrai encerra um dever a mais para com eles: o da piedade filial. Quis Deus mostrar por
essa forma que ao amor se devem juntar o respeito, as atenções, a submissão e a
condescendência, o que envolve a obrigação de cumprir-se para com eles, de modo mais
rigoroso, tudo o que a caridade ordena relativamente ao próximo em geral. Esse dever se
estende naturalmente às pessoas que fazem as vezes de pai e de mãe, as quais tanto
maior mérito têm, quanto menos obrigatório é para elas o devotamento. A punição
dar-se-a a si próprio com rigor aqueles que violarem esse mandamento.
Honrar seu pai e a sua mãe, não consiste apenas em respeitá-los; é também assisti-los
na necessidade; é proporciona-lhes repouso na velhice; é cercá-los de cuidados como
eles fizeram conosco, na infância.
Meus irmãos, bons estudos, convido a todos deste fórum a participarem deste debate,
porque e para que, seja despertado para alguns o dever, a consciência e a
responsabilidade em cumprir esse mandamento.
Título: Re: Estudos do mês de julho - Cap. XIV do E.S.E - "Honrai o vosso pai e a vossa mãe"
Enviado por: M.Altino em 01 de Julho de 2016, 11:27
Amigos é com muito carinho que lhes dou o meu bom dia e felicitar o grande amigo António Renato ao abordar este tema muito importante Honrai o vosso pai e a vossa mãe transmitindo que a Piedade filial é muito importante nos dias que correm e faz sentido debatermos este lindo tema.....
http://www.youtube.com/watch?v=nIW1C45LU2Q
Piedade Filial
Caridade e do amor ao próximo, porque não se pode amar ao próximo sem amar aos pais; mas o imperativo honra implica um dever a mais para com eles: o da piedade filial.
Deus quis demonstrar, assim, que ao amor é necessário juntar o respeito, a estima, a obediência e a condescendência, o que implica a obrigação de cumprir para com eles, de maneira ainda mais rigorosa, tudo o que a caridade determina em relação ao próximo.
Esse dever se estende naturalmente às pessoas que se encontram no lugar dos pais, e cujo mérito é tanto maior, quanto o devotamento é para elas menos obrigatório.
Deus pune sempre de maneira rigorosa toda violação desse mandamento.
Honrar ao pai e à mãe não é somente respeitá-los, mas também assisti-los nas suas necessidades; proporcionando-lhes o repouso na velhice; cercá-los de solicitude, como eles fizeram por nós na infância.
É sobretudo para com os pais sem recursos que se demonstra a verdadeira piedade filial. Satisfariam a esse mandamento os que julgam fazer muito, ao lhes darem o estritamente necessário para que não morram de fome, enquanto eles mesmos de nada se privam? Relegando-os aos piores cómodos da casa, apenas para não deixá-los na rua, e reservando para si mesmos os melhores aposentos, os mais confortáveis?
E ainda bem quando tudo isso não é feito de má vontade, sendo os pais obrigados a pagar o que lhes resta da vida com a carga dos serviços domésticos!
É então justo que pais velhos e fracos tenham de servir filhos jovens e fortes?
A mãe lhe teria cobrado o leite, quando ainda estavam no berço?
Teria, por acaso, contado as suas noites de vigília, quando eles ficavam doentes, os seus passos para proporcionar-lhes o cuidado necessário?
Não, não é só o estritamente necessário que os filhos devem aos pais pobres, mas também, tanto quanto puderem, as pequenas alegrias do supérfluo, as amabilidades, os cuidados carinhosos, que são apenas os juros do que receberam, o pagamento de uma dívida sagrada.
Essa, somente, é a piedade filial aceita por Deus.
Infeliz, portanto, aquele que se esquece da sua dívida para os que o sustentaram na infância, os que, com a vida material, lhe deram também a vida moral, e que frequentemente se impuseram duras privações para lhe assegurar o bem-estar!
Ai do ingrato, porque ele será punido pela ingratidão e o abandono; será ferido nas suas mais caras afeições, às vezes desde a vida presente, mas de maneira certa noutra existência, em que terá de sofrer o que fez os outros sofrerem!
Certos pais, é verdade, descuidam dos seus deveres, e não são para os filhos o que deviam ser.
Mas é a Deus que compete puni-los, e não aos filhos.
Não cabe a estes censurá-los, pois que talvez eles mesmos fizeram por merecê-los assim. Se a caridade estabelece como lei que devemos pagar o mal com o bem, ser compassivo para as imperfeições alheias, não maldizer do próximo, esquecer e perdoar as ofensas, e amar até mesmo os inimigos, quanto essa obrigação se faz ainda maior, em relação aos pais!
Os filhos, devem, por isso mesmo, tomar como regra de conduta para com os pais todos os preceitos de Jesus referentes ao próximo, e lembrar que todo procedimento condenável em relação aos estranhos, mais condenável se torna para com os pais.
Devem lembrar que aquilo que no primeiro caso seria apenas uma falta, pode tornar-se um crime no segundo, porque, neste, à falta de caridade junta-se a ingratidão.
Amigos com todo o carinho e fazendo votos de muitas participações de todos para este Estudo....... este vosso dedicado amigo.
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudos do mês de Julho - "Honrai o vosso pai e a vossa mãe"
Enviado por: Antonio Renato em 01 de Julho de 2016, 17:59
Meus irmão Altino, seja bem vindo ao nosso estudo mensal. Muito embora concorde
com as suas colocações, me permita discordar de alguns pontos, e é ai que muitos
não participam dos debates, talvez, por não acharem que possa discordar, mas então,
nós estamos em um fórum de debates! Vamos aos pontos: Quando de início coloquei
que as punições para quem não honra seu pai e sua mãe, dar-se-a a si próprio, foi para
não seguir a risca que Deus pune com rigor a violação do mandamento de honrar pai e
mãe, porque senão estaria colocando um Deus impiedoso que sempre castiga, pois
sendo ele só amor, não seria justo coloca-lo desta forma. Por outro lado temos então
os ensinamentos do mestre Jesus que nos diz que a semeadura é livre, mas a colheita
é obrigatória. Sendo a ingratidão uma forma desumana de um filho não reconhecer tudo
que seus pais lhes havia feito por amor, em todo tempo, durante os seus primeiros anos
de sua existência material, pois receberam de Deus essa missão, que  com dedicação e
amor sempre o fizeram, mesmo que isto venha sacrificar a si mesmo. Asim eu penso.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: M.Altino em 02 de Julho de 2016, 10:33
Amigos é com muito carinho que a todos dou o meu bom dia sereno de muita paz e agora cabe me dizer ao nosso amigo António Renato que o que Eu quis dizer é que Deus não pune ninguém ........ mas a Justiça Divina pelo lei da Ação e Reação todos somos chamados a resgatar os nossos erros foi neste sentido que tentei falar sobre aqueles que não cumpre a sublime missão e ajudar os seus pais.........
Deus disse: "Honrarás a teu pai e a tua mãe, para teres uma dilatada vida sobre a Terra que o Senhor teu Deus te há de dar."
Mas por que promete como recompensa vida terrena e não a celeste?
A explicação se encontra nestas palavras:
 "Que Deus vos dará", suprimidas na forma moderna do decálogo, o que lhe desfigura o sentido.
Para compreendermos essas palavras, temos de nos reportar à situação e às ideias dos hebreus, na época em que elas foram pronunciadas.
Eles ainda não compreendiam a vida futura.
A Sua visão não se estendia além dos limites da vida física.
Por isso, deviam ser mais fortemente tocados pelas coisas que viam, do que pelas invisíveis.
Eis o motivo porque Deus lhes fala numa linguagem ao seu alcance, e, como as crianças, lhes apresenta como perspectiva aquilo que poderia satisfazê-los.
Eles estavam então no deserto.
 A Terra que Deus lhes dará é a Terra da Promissão, alvo de suas aspirações.
Nada mais desejavam, e Deus lhes diz que viverão nela por longo tempo, o que significa que a possuirão por longo tempo, se observarem os seus mandamentos.
Mas, ao advento de Jesus, suas ideias estavam mais desenvolvidas.
Tendo chegado o momento de lhes ser dado um alimento menos grosseiro, Jesus os inicia na vida espiritual, ao dizer:
"Meu reino não é deste mundo; é nele, e não sobre a Terra, que recebereis a recompensa das vossas boas obras."
Com estas palavras, a Terra da Promissão material se transforma numa pátria celeste.
Da mesma maneira, quando lhes recorda a necessidade de observação do mandamento: "Honra a teu pai e a tua mãe", já não é mais a Terra que lhes promete, mas o céu............
Amigos com um grande abraço de muita paz este vosso amigo sincero .......
[attach=1]
Manuel Altino

Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 02 de Julho de 2016, 12:38
Meus irmãos de estudos bom dia. - Honrar a seu pai e a sua mãe.
É comum e até mesmo por regra geral, quando se espera um filho que virá fazer parte da
família de um casal, quando esse tem a expectativa de recebimento do fruto gerado dentro
do preceitos do amor que os uniu, seja este filho gerado por esta união o primogênito ou
os que virão acrescentar a esta família. A esse filho cerca-se de cuidados e de zelo, em dá 
a ele o que há de melhor dentro das posses deste casal, seja na acomodação e até no
embelezamento das coisas que irão fazer da sua vida naquele lar. Durante os primeiros
anos de vida deste filho, se esmera o casal no cuidado e na atenção para que nada lhes
falte, mesmo que isto venha sacrificar algumas coisas para si próprio. E assim continuarão
esses pais na educação e na orientação desse filho até que ele possa caminhar por si
mesmo. Na segunda fase de sua vida, já como adulto, vem a preocupação destes pais em
dá a esse filho uma melhor qualificação para o mercado de trabalho, nas funções que irão
exercer, seja esta formação acadêmica ou técnica especializada. Vem a eles a sensação de
dever cumprido na missão ordenada por Deus na atenção e cuidados para os filhos, dai
então eles esperam que estes filhos cuidem de si mesmo, e nada pedem por recompensa
pelo trabalho que tiveram. Quando a velhice lhes chega e que não têm mais o mesmo
vigor de outrora, vem a necessidade destes filhos dá a eles os cuidados que os mesmos
tiveram quando eles eram crianças. Eu costumo dizer que velho e criança são então, dois
opostos que se encontram, tendo então condutas semelhantes, mas muitos filhos não
reconhecem ou até mesmo procuram ignorar, passam a ter esses pais como um atropelo
para as suas vidas, e nada lhes dão em reconhecimento do que receberam deles, a isto
só tem uma palavra que sintetiza essas atitudes, chama-se: Ingratidão, a própria palavra
em si já causa um entristecimento só em pronunciá-la, mas por outro lado há de se de
se ver que os espíritos destes pais, tenham escolhido passar por esses sofrimentos como
forma de expiar faltas cometidas em outras encarnações, mas isto é outro assunto para
ser debatido em outra ocasião.
Tenham um bom dia e fiquem na paz.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 03 de Julho de 2016, 09:30
Meus irmãos de estudos bom dia. - Honrar pai e mãe. - A ingratidão e o os laços de família.
A ingratidão é um dos frutos mais diretos do egoísmo. Revolta sempre os corações
honestos. Mas, a dos filhos para com os pais apresenta caráter mais odioso. É, em
particular, desse ponto de vista a vamos considerar, para lhe analisar as causas e os
efeitos. Também nesse caso, como em todos os outros, o Espiritismo projeta luz sobre
um dos grandes problemas do coração humano.
Quando deixa a terra, o Espírito leva consigo as paixões ou as virtudes inerentes à sua
natureza e se aperfeiçoa no espaço, ou permanece estacionário, até que deseje receber
a luz. Muitos, portanto, se vão cheios de ódios violentos e de insaciados desejos de
vingança; a alguns dentre eles, porém, mais adiantados do que os outros, é dado
entrevejam uma partícula da verdade; apreciam então as funestas consequências de suas
paixões e são induzidos a tomar resoluções boas. Compreendem que, para chegarem a
Deus, uma só é a senha: caridade. Ora, não há caridade sem esquecimento dos ultrajes
e das injúrias; não há caridade sem perdão, nem com o coração tomado de ódio.
Meus amigos, o Espiritismo vem sobre a luz da verdade, focar um dos grandes problemas
do coração humano: o egoísmo, tendo ele em si, o espírito é levado a cometer ás
injustiças que os fazem permanecer estacionário no seu progresso moral, dai então, até
que possa despertar para a realidade de que para ir até Deus, deve deixar o ódio e as
paixões que trouxeram de outras vidas e abraçar a caridade. A ingratidão praticada por
ele nos laços de família, principalmente quando esta vem a ser para com seus pais, que
é o laço mais forte da parentela material. O período em que permaneceu como espírito
encarnado, foi a oportunidade dada por Deus para que ele pudesse corrigir seus erros e
não cometer outros maiores, tal qual se situa neles a ingratidão. E assim meus irmãos,
necessitará esse espírito de uma punição que o faça sentir o peso das suas más ações.
 
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 04 de Julho de 2016, 14:27
Meus irmãos de estudos bom dia. - Honrai o vosso pai e vossa mãe -
Honrar o seu pai e a sua mãe, não consiste apenas em respeitá-los; é também assisti-los
na necessidade; é proporcionar-lhes repouso na velhice; é cercá-los de cuidados como
eles fizeram conosco, na infância.
Sobretudo para com os pais sem recursos é que se demonstra a verdadeira piedade filial.
Obedecem a esse mandamento os que jugam fazer grande coisa porque dão a seus pais
o estritamente necessário para não morrem de fome, enquanto eles de nada se privam.
atirando-os para os cômodos mais ínfimos da casa, apenas por não os deixarem na rua,
reservando para si o que há de melhor, de mais confortável? Ainda bem quando não o
fazem de má-vontade e não os obrigam a comprar caro o que lhes resta a viver,
descarregando sobre eles o peso do governo da casa! Será então aos pais velhos e
fracos que cabe servir a filhos jovens e fortes? Ter-lhes-á a mãe vendido o leite, quando
os amamentava? Contou porventura suas virgílias, quando elas estavam doente, os
passos que deram para lhes obter o de que necessitavam? Não , os filhos não devem a
seus pais pobres só o estritamente necessário, devem-lhes também, na medida do que
puderem, os pequenos nadas supérfluos, as solicitudes, os cuidados amáveis, que são
apenas o juro do que receberam, o pagamento de uma dívida sagrada. Unicamente essa
é a piedade filial grata a Deus.
Vejam meus irmãos os erros cometidos por aqueles filhos que no seu julgamento, vem
a entender que estão obedecendo ao mandamento, dá o estritamente necessário, até mesmo por uma piedade que julga ser, aos pais que a vida todo lhes dedicaram amor e
carinho sem nada cobrar em troca. Em muitas das vezes vêm esses filhos cobrar dos
pais já envelhecidos, os cuidados e a manutenção da casa no sustento das necessidades gerais. Que filhos ingratos são  aqueles que jovens, fortes e sadios, cobram de seus pais
velhos e fracos servir a eles! Será então que seus pais viera cobrar deles os cuidados que
tiveram para serem eles o que hoje são? Eis ai uma reflexão que devemos fazer
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 05 de Julho de 2016, 11:49
Meus irmãos de estudo bom dia. - Honrar pai e mãe -
Alguns pais, é certo, descuram de seus deveres e não são para os filhos o que deviam ser;
mas, a Deus é que compete puni-los e não os seus filhos. Não compete a estes filhos
censurá-los, porque talvez hajam merecido que aqueles fossem quais se mostram. Se a
lei da caridade manda se pague o mal com o bem, se seja indulgente para as imperfeições
de outrem, se não diga mal do próximo, se lhe esqueçam e perdoem os agravos, se ame
até os inimigos, quão maiores não hão de ser essas obrigações, em se tratando de filhos
para com os pais! Devem pois, os filhos tomar como regra de conduta para com seus pais
todos os preceitos de Jesus concernentes ao próximo e ter presente que todo
procedimentos censurável, com relação aos estranhos, ainda mais censurável se torna
relativamente aos pais; e que talvez mão passe de simples falta, no primeiro caso, pode
ser considerado um crime, no segundo, porque, aqui, à falta de caridade se junta a
ingratidão.
Meus irmãos, vejam bem. Em geral as pessoas que sabem dos procedimentos de pais
que foram negligentes ou até mesmo maltrataram seus filhos, receberam destes filhos
um tratamento semelhante aos que lhes foi dado, quando esses pais estão na velhice,
muitos dizem até, estão recebendo o pagamento do que fizeram aos seus filhos. Por
sua vez esses filhos se conduzem desta forma porque julgam estarem fazendo o que é
certo, ora, mas esses pais só Deus poderá julgá-los, assim diz a lei, que determina
também que o mal se paga com o bem. Seria um crime de conduta o procedimento
desses filhos com relação aos pais, ao mesmo tempo seria então, à falta de caridade
que se junta a ingratidão praticada por esses filhos. Assim eu penso, o que diriam os
amigos?
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: M.Altino em 06 de Julho de 2016, 10:46
Amigos para todos com  muito carinho o meu bom dia de muita paz e tenho a dizer que as colocações do nosso nobre amigo António Renato são muito importantes para entendermos que os filhos tem de ajudar os seus pais mesmo quando não podem.........pois um dia esses mesmo filhos serão velhinhos também e vão precisar de ajuda com o diz uma bonita canção portuguesa que eu vou colocar para cada um de nossos meditar na sua letra e ao mesmo tempo dar sentido ao que podemos fazer na vida...........Peço por favor que a escutem com atenção e depois digam alguma coisa...Não é uma canção Espirita mas tem um sentido de vida que é um ensinamento para todos nós..............
MARANTE-O VELHINHO CAMINHAVA (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTFBTVZodWl0eGxrIw==)
Amigos com carinho e compreensão vos peço para escutem esta canção que me toca muito e me diz que quando muitas vezes somos novos não damos valor aos velhinhos..........mas um dia se Deus entender lá vamos chegar....Foi com este sentimento que li e reli os textos do Amigo Renato e senti esta força de partilhar .Obrigado Renato pela linda partilha........
Com um carinhoso abraço de muita paz este vosso dedicado amigo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 06 de Julho de 2016, 16:32
Meu irmão e amigo Altino, muito embora a sonoridade em notbook não seja boa, aliada
a uma deficiência auditiva minha minha, dificultou um pouco o entendimento da música,
gostaria que você pudesse me mandar por MP a letra desta canção, para que eu possa
melhor entendê-la. Nós temos aqui no Brasil uma música do cantor Roberto Carlos, que
muito emociona quem a ouve, pois fala do amor e do sentimento que ele tinha pelo seu
pai já envelhecido, o nome da música é: Meu querido velho. Embora as músicas não sejam de cunho Espirita, elas trazem em si uma mensagem importante que nos chama a atenção,
e faz-nos vê da importância que devemos dá aos nossos pais na nossa vida, e a atenção
e os cuidados que devemos dedicar a eles quando envelhecidos.
O tema de estudo deste mês: "Honrai seu pai e sua mãe", é muito profundo e nos leva a
muitas reflexões, pois envolve sentimentos, e esses às vezes não são tão nobres como deveriam ser. Ao mesmo tempo somos colocados em Xeque-mate, ou como diríamos por
aqui: Contra a parede, pelo cumprimento desse mandamento de Deus, seja ele então
muito contundente, pois cobra de todos o exercício da lei maior, que é a lei do amor.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 06 de Julho de 2016, 18:49
HONRAR PAI E MÃE

 
Declara o mandamento expresso da Lei Antiga:
- “Honrarás pai e mãe.”

E Jesus, mais tarde em complementação das verdades celestes, afirmou positivo:
- “Eu não vim destruir a Lei”.
 
Entretanto, no decurso do apostolado divino, o Senhor chega a dizer:
- “Aquele que não renunciar ao seu pai e à sua mãe não é digno de ser meu discípulo.”
 
Ao primeiro exame surge aparente desarmonia nos textos da lição.

Contudo, é preciso encarecer que Jesus não nos endossaria qualquer indiferença para com os benfeitores terrenos que nos ofertam a benção do santuário físico.

O Mestre exortava-nos simplesmente a desistir da exigência de sermos por eles lisonjeados ou mesmo comprometidos.

Prevenia-nos contra o narcisismo pelo qual, muitas vezes, no mundo, pretendemos converter nossos pais em satélites de nossos pontos de vista.

Devemos, sim, renunciar ao egoísmo de guardá-los por escravos de nossos caprichos, no cotidiano, a fim de que lhes possamos dignificar a presença, com a melhor devoção afetiva, perfumada de humildade pura e de carinho incessante.

Em tempo algum, pode um filho, por mais generoso, solver para com os pais a dívida de sacrifício e ternura a que se encontra empenhado.

A Terra não dispõe de recursos suficientes para resgatar os débitos do berço no qual retornamos em nome do Criador, para a regeneração ou elevação de nossos próprios destinos.

Lembra-te ainda do Mestre Incomparável confiando a divina guarda de sues dias ao apóstolo fiel, diante da cruz, e não te creias, em nome do Evangelho, exonerado da obrigação de honrar teus pais humanos, em todos os passos e caminhos do mundo, porque no devotamento incansável dos corações, que nos abrem na Terra as portas da vida, palpita, em verdade, o amor inconcebível do próprio Deus.

(Do livro "Família", pelo Espírito Emmanuel, Francisco C. Xavier)
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: lconforjr em 06 de Julho de 2016, 19:19
Meus amigos,

      Porq se dizer que aqueles que não respeitam, que maltratam os outros, como acontece com muitos filhos em relação com os pais, cabe a Deus puni-los? Esses fazem de propósito o que fazem, escolheram não honrar e desrespeitar os pais? Porq fariam essa escolha se isso poderá reverter contra eles mesmos? O que será: teimosia, ignorância, maldade? Mas se, para todos os efeitos existem causas, qual é a causa de esses serem assim e outros não serem? Porq, eqto há filhos que nem mesmo se importam e mesmo matam os pais, há outros que morrem por eles?

      Porq será que ninguém responde as perguntas que faço? São absurdas? Ou devo fazer perguntas em outro tópico?
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 06 de Julho de 2016, 23:04
Meus amigos,

      Porque se dizer que aqueles que não respeitam, que maltratam os outros, como acontece com muitos filhos em relação com os pais, cabe a Deus puni-los?
É que os ensinos dos espíritos buscam nos esclarecer sobre as lições do Cristo de Deus, que nos pede para não fazer justiça com as próprias mãos... Confiar que há um Deus Justo e que somente a ele a cabo de seus Ministros compete a justiça que nos pune educando-nos
Citar
Esses fazem de propósito o que fazem, escolheram não honrar e desrespeitar os pais?
parece que sim, que tem questões propositais.. uma certa indiferença em se comprometerem com a pratica do que é o bem ...observando parece isto mesmo
Citar
Porque fariam essa escolha se isso poderá reverter contra eles mesmos?
Não é nem por que fariam, mas observa-se pelos que já fazem, já fizeram... há pessoas que estão pouco se linchando para as leis de Deus... Parece-me que não escolhem por entender que escolhem..agem por um certo impulso...
Citar
O que será: teimosia, ignorância, maldade?
Ah sim..  De tudo isto um pouco e muito mais
Citar
Mas se, para todos os efeitos existem causas, qual é a causa de esses serem assim e outros não serem?
A causa você mesmo disse acima (teimosia, ignorância, maldade) e muito mais... cultivar as atitudes más dentro do coração
Citar
Porque, enquanto há filhos que nem mesmo se importam e mesmo matam os pais, há outros que morrem por eles?
É o que agente observa em nosso cotidiano
e muitas vezes nós é quem somos o paciente e outras vezes os não pacientes
Há um sinal de diferença evidente entre nossas ações e nós as pessoas
Citar
      Porque será que ninguém responde as perguntas que faço? São absurdas? Ou devo fazer perguntas em outro tópico?
talvez seja um reflexo do nosso absurdo
mas já foram feitas, respondidas e compreendidas

abraços
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 06 de Julho de 2016, 23:18
Honrar ao nosso Pai

Honrar nosso pai é honrar também a Deus, o nosso Pai de Infinita Bondade.

Amamos a Deus na pessoa do próximo.

Comecemos o exercício dessa abnegação que nos proporcionará o necessário acesso à Luz Divina.

Fomos feridos nas tarefas cotidianas?

Saibamos esquecer as ofensas do companheiro que ainda ignora as conseqüências do mal.

...E por isso que Jesus, o filho mais altamente consagrado ao Supremo Senhor que a Terra já conheceu, assim se expressou fazendo-nos sentir que Deus está conosco e espera por nós em todas as circunstâncias:

"Todo o bem que fizerdes no mundo ao último dos pequeninos, em verdade, é a mim que o fizestes."

Espírito: Batuíra
Médium: Francisco Cândido Xavier
do Livro: Escadas de Luz
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 07 de Julho de 2016, 12:28
Meus irmãos de estudos bom dia. - honrai vosso pai e vossa mãe -
Meus irmãos Moisés e lconforjr, sejam bem vindo ao nosso estudo. Há duas frases que
foram colocadas pelo nosso irmão Moisés que nos mostram o quanto é importante
honrar nosso pai: "Honrar nosso pai é também honrar a Deus", pois temos então na
pessoa do nosso pai a presença de Deus. Não menos importante temos a nossa mãe
com o seu sentimento materno e protetor, pois cabe-lhe então a tarefa dos cuidados
para com seus filhos que foram gerados em seu ventre ou aqueles que fora adotados.
Outra frase que nos chama a atenção, diz: "Amamos a Deus na pessoa do próximo"Eis então o cumprimento da lei maior deixada por Deus para todos nós, pois o amor que devemos dedicar se traduz nos cuidados para com os nossos pais quando eles já
estiverem envelhecidos. É no exercício da lei do amor que mostramos ao pai maior a
nossa obediência a ele e a seus mandamentos.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 07 de Julho de 2016, 23:24
Onde o desperdício apareça por flagelo da ignorância,
iniciemos a construção da verdade pelo exemplo da sobriedade,
na certeza de que,
"em toda tarefa de educação,
exemplificar é explicar."

EMMANUEL
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 07 de Julho de 2016, 23:24
“Pregue o Evangelho em todo tempo.
Se necessário, use palavras.”

Francisco de Assis
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: lconforjr em 08 de Julho de 2016, 00:46
Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)

      Ref resp #12 em: 05 07 16, às 23:04, de Moisés de Cerqueira

      Olá, amigo, pensei que tivesses me abandonado “às baratas”, que não ias mais responder as minhas mensagens! Que bom que está respondendo.

      Vamos a nossa conversa, mas lhe peço, não se chateie com perguntas que faço. Afinal estamos aqui para aprender, não é verdade? Também lhe peço que, se achar alguma das perguntas absurdas, se puder me explique porq as acha absurdas.

     Bem, sobre este tema pretendo não aborrecê-lo mais; só lhe peço, ou a alguém que esteja lendo, que responda esta última questão, que isso me basta para entender o q estou tentando entender neste tópico: porq ou, qual é a causa de os homens, que são criados por Deus em total, absoluta e perfeita igualdade, se tornarem tão desiguais se eram perfeitamente iguais?!
.............


Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: M.Altino em 08 de Julho de 2016, 11:04
Amigos e devotados companheiros deste estudo e onde sempre partilhamos verdades que nos ajudam a entender este máxima que Jesus tanto nos disse Honrar Pai e Mãe para todos o meu bom dia sereno e vamos questionar como Jesus questionou ........... afinal quem é a minha família e quem são os meus irmãos...........
Quem é Minha Mãe e Quem São os Meus Irmãos?
Então vieram à casa; e concorreu de novo tanta gente, que nem mesmo podiam tomar o alimento.
E quando isto ouviram os seus, saíram para o prender; porque diziam:
Ele está furioso.
E  então chegaram sua mãe e seus irmãos, e ficando da parte de fora, o mandaram chamar. E estava sentado à roda de um crescido número de gente, e lhe disseram:
Olha que tua mãe e teus irmãos te buscam aí fora. E ele respondeu, dizendo:
Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?
E olhando para os que estavam sentados à roda de si, lhes disse:
Eis aqui minha mãe e meus irmãos.
Porque o que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã e minha mãe. (Marcos, III:20-21 e 31-35 Mateus, XII:46-50).

Estas palavras parecem estranhas na boca de Jesus, pois contrastam com a sua bondade e a sua inalterável benevolência para com todos.
Os incrédulos não deixaram de se aproveitar disso, para dizer que Ele se contradizia a si mesmo.
Um fato irrecusável, porém, é a que a sua doutrina tem por base essencial, por pedra angular, a lei do amor e da caridade.
Ele não podia, pois, destruir de um lado o que construía do outro, de onde é imperioso tirar esta consequência rigorosa: se certas máximas estão em contradição com aquele princípio, é que as palavras que se lhe atribuem foram mal reproduzidas, mal compreendidas, ou não lhe pertencem.
Admira-se, e com razão, de ver Jesus mostrar, nesta circunstância, tanta indiferença para com os seus, e de qualquer sorte renegar a mãe.
 Pelo que respeita aos seus irmãos, sabe-se que nunca tiveram simpatia por Ele. Espíritos pouco adiantados, não haviam compreendido a sua missão.
Era bizarra, para eles, a conduta de Jesus, e seus ensinamentos não os haviam tocado, pois nenhum deles se fez seu discípulo.
Parece mesmo que eles participavam, até certo ponto, das prevenções de seus inimigos.
De resto, é certo que o recebiam mais como um estranho do que como um irmão, quando se apresentava em família.
Quanto à sua mãe, ninguém contestaria sua ternura para com o filho.
Mas é necessário convir, também, que ela não parece ter feito uma ideia justa de sua missão, pois jamais se soube que seguisse os seus ensinos, nem que desse testemunho dele, como o fez João Batista.
A solicitude maternal era o seu sentimento dominante.
No tocante a Jesus, supor que houvesse renegado sua mãe, seria desconhecer-lhe o caráter, pois semelhante pensamento não poderia animar aquele que disse:
Honra a teu pai e a tua mãe.
 É, pois, necessário procurar outro sentido para as suas palavras, quase sempre veladas pela forma alegórica.
Jesus não perdia nenhuma ocasião de ensinar.
Serviu-se, portanto, da que lhe oferecia a chegada de sua família, para estabelecer a diferença entre o parentesco corporal e o parentesco espiritual......
Amigos vejam como Jesus se servia de todos os momentos para ensinar e fazer sentir que para cada um de nós e verdadeira família é espiritual para a qual havemos de encontrar um dia e esta agora apenas é para nos dar a forma de evoluirmos mais um pouco......
Amigos queridos com este caloroso abraço sincero de muita amizade este vosso amigo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 09 de Julho de 2016, 11:59
Meus irmãos de estudos bom dia. -Honrai o vosso pai e a vossa mãe-
Singulares parecem algumas palavras de Jesus, por contrastarem com a sua bondade e a
sua inalterável benevolência. Os incrédulos não deixaram de tirar daí uma arma,
pretendendo que ele se contradizia. Fato porém, irrecusável é que sua doutrina tem por
base principal, por pedra angular, a lei do amor e da caridade. Ora, não é possível que ele
destruísse de um lado o que do outro estabelecia, donde esta consequência rigorosa: se
certas proposições suas se acham em contradição com aquele princípio básico, é que as
palavras que se lhe atribuem foram ou mal reproduzidas, ou mal compreendidas, ou não
são suas.
Causa admiração, e com fundamento, que, neste passo, mostrasse Jesus tanta
indiferença para com seus parentes e, de certo modo, renegasse a sua mãe.
pelo que concerne a seus irmãos, sabe-se que não o estimavam. Espíritos pouco
adiantados, não lhe compreendiam a missão: tinham por excêntrico o seu proceder e
seus ensinamentos não os tocavam, tanto que nenhum deles o seguiu como discípulo.
Meus irmãos vejam bem. Jesus na época em que esteve neste plano, não foi bem compreendido em seus propósitos de esclarecimento ao povo que o seguia, tendo
então dentro deste povo aqueles que eram incrédulos que não se furtavam em tentar
ridicularizá-lo naquilo que não entendia. Sendo então um povo rude e de tão pouco   
conhecimento, aliado a forma alegórica com que Jesus falava, levava-os a terem essa
reação. Ora meus irmãos, se Jesus que pregava o amor e a caridade, jamais iria de
encontro aquilo que tanto insistia para que eles viessem entender os propósitos de
Deus para todos. Jamais iria ele negar o amor que tinha pela sua mãe, ou ignorar
aqueles que eram parte da sua família, embora estes por também não o entenderem,
se colocavam junto aos incrédulos,e neste sentido poderíamos até dizer que Jesus era
um espírito que veio ao lugar certo mas na hora errada. Mas se não houvesse quem
como Jesus, tivesse como missão esclarecer sobre as leis de Deus, e ao mesmo tempo
unir esse povo, como estariam então  se permanecessem na forma que estavam.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 11 de Julho de 2016, 17:19
Meus irmãos de estudos bom dia. - Honrai o vosso e a vossa mãe-
Os laços de sangue não criam forçosamente os liames entre os espíritos. O corpo procede
do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito, porquanto o Espírito já existia antes da
formação do corpo. Não é pai quem cria o Espírito do seu filho; ele não faz mais do que
lhe oferecer o invólucro corpóreo, cumprindo lhe, no entanto, auxiliar o desenvolvimento
intelectual e moral do filho, para fazê-lo progredir.
Os que encarnam numa família, sobretudo como parentes próximos, são as mais das
vezes, Espíritos simpáticos, ligados por anteriores relações, que expressam por afeição
recíproca na vida terrena. Mas, também pode acontecer sejam completamente estranhos
uns aos outros esses Espíritos, afastados entre si por antipatias igualmente anteriores,
que se traduzem na terra por um mútuo antagonismo, que ai lhe serve de provação. Não
são os da consanguinidade os verdadeiros laços de família e sim os da simpatia e da comunhão de idéias, os quais prendem os Espíritos antes, durante e depois de suas encarnações. Segue-se que dois seres nascidos de pais diferentes podem ser mais
irmãos pelo Espírito, do que se fossem pelo sangue.
Meus irmãos vejam bem. Os pais não criam os Espíritos já os recebem prontos de Deus,
eis uma afirmação que não pode questionar, são eles responsáveis apenas em fornecer o
que pode chamar de invólucro corpóreo, mas cumprem a obrigação de auxiliar no seu
desenvolvimento intelectual e moral, afim de ele possa progredir. Mas muitas das vezes
não é uma tarefa fácil, pois esses Espíritos não são simpáticos uns aos outros, pois
trazem antipatias de encarnações anteriores. Sendo então para esses pais até mesmo
uma prova, como também para os Espíritos, pois o corpo procede do corpo, mas o
Espírito não procede do Espírito. É comum mas não é regra, ter em uma mesma família
Espíritos simpáticos, isto trás uma harmonia à família, mas há situações que irmãos
consanguíneos não se harmonizem, e que até mesmo venha desestruturar essa família.

Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: M.Altino em 12 de Julho de 2016, 11:12
Amigos e companheiros deste cantinho de muita paz é com muito carinho que lhes dou o meu bom dia sereno de muita paz e continuando o tema muito bem elaborado pelo amigo Renato.
A ingratidão é um dos frutos mais imediatos do egoísmo, e revolta sempre os corações virtuosos.
Mas a dos filhos para com os pais tem um sentido ainda mais odioso.
É desse ponto de vista que a vamos encarar mais especialmente, para analisar-lhe as causas e os efeitos.
Nisto, como em tudo, o Espiritismo vem lançar luz sobre um dos problemas do coração humano.
http://www.youtube.com/watch?v=VeOU0q2KGwo
Quando o Espírito deixa a Terra, leva consigo as paixões ou as virtudes inerentes à sua natureza, e vai no espaço aperfeiçoar-se ou estacionar, até que deseje esclarecer-se. Alguns, portanto, levam consigo ódios violentos e desejos de vingança.
A alguns deles, porém, mais adiantados, é permitido entrever algo da verdade: reconhecem os funestos efeitos de suas paixões, e tomam então boas resoluções; compreendem que, para se dirigirem a Deus, só existe uma senda  a caridade.
 Mas não há caridade sem esquecimento das ofensas e das injúrias; não há caridade com ódio no coração e sem perdão.
É então que, por um esforço inaudito, voltam o seu olhar para os que detestaram na Terra. À vista deles, porém, sua animosidade desperta.
Revoltam-se à ideia de perdoar, e ainda mais a de renunciarem a si mesmo, mas sobretudo a de amar aqueles que lhes destruíram talvez a fortuna, a honra, a família.
Não obstante, o coração desses infortunados está abalado.
 Eles hesitam, vacilam, agitados por sentimentos contrários.
Se a boa resolução triunfa, eles oram a Deus, imploram aos Bons Espíritos que lhes dêem forças no momento mais decisivo da prova.
Enfim, depois de alguns anos de meditação e de preces, o Espírito se aproveita de um corpo que se preparara, na família daquele que ele detestou, e pede, aos Espíritos encarregados de transmitir as ordens supremas, permissão para ir cumprir sobre a Terra os destinos desse corpo que vem de se formar.
Qual será, então, a sua conduta nessa família? Ela dependerá da maior ou menor persistência das suas boas resoluções.
O contato incessante dos seres que ele odiou é uma prova terrível, da qual às vezes sucumbe, se a sua vontade não for bastante forte.
Assim, segundo a boa ou má resolução que prevalecer, ele será amigo ou inimigo daqueles em cujo meio foi chamado a viver.
É assim que se explicam esses ódios, essas repulsas instintivas, que se notam em certas crianças, e que nenhum fato exterior parece justificar.
Nada, com efeito, nessa existência, poderia provocar essa antipatia. Para encontrar-lhe a causa, é necessário voltar os olhos ao passado.
Oh, espíritas!
Compreendei neste momento o grande papel da Humanidade!
Compreendei que, quando gerais um corpo, a alma que se encarna vem do espaço para progredir.
Tomai conhecimento dos vossos deveres, e ponde todo o vosso amor em aproximar essa alma de Deus: é essa a missão que vos está confiada, e da qual recebereis a recompensa, se a cumprirdes fielmente. Vossos cuidados, a educação que lhe derdes, auxiliarão o seu aperfeiçoamento e a sua felicidade futura.
Lembrai-vos de que a cada pai e a cada mãe, Deus perguntará:
"Que fizestes da criança confiada à vossa guarda?"
Se permaneceu atrasada por vossa culpa, vosso castigo será o de vê-la entre os Espíritos sofredores, quando dependia de vós que fosse feliz.
Então vós mesmos, carregados de remorsos, pedireis para reparar a vossa falta; solicitareis uma nova encarnação, para vós e para ela, na qual a cercareis de mais atentos cuidados, e ela, cheia de reconhecimento, vos envolverá no seu amor.
Não recuseis, portanto, o filho que no berço repele a mãe, nem aquele que vos paga com a ingratidão: não foi o acaso que o fez assim e que lhe enviou.
Uma intuição imperfeita do passado se revela, e dela podeis deduzir que um ou outro já odiou muito ou foi muito ofendido, que um ou outro veio para perdoar ou expiar.
Mães!
Abraçai, pois, a criança que vos causa aborrecimentos, e dizei para vós mesmas:
"Uma de nós duas foi culpada."
Merecei as divinas alegrias que Deus concedeu à maternidade, ensinando a essa criança que ela está na Terra para se aperfeiçoar, amar e abençoar.
Mas, ah! Muitas dentre vós, em vez de expulsar por meio da educação os maus princípios inatos, provenientes das existências anteriores, entretêm e desenvolvem esses princípios, por descuido ou por uma culposa fraqueza.
E, mais tarde, o vosso coração ulcerado pela ingratidão dos filhos, será para vós, desde esta vida, o começo da vossa expiação.
A tarefa não é tão difícil como podereis pensar.
Não exige o saber do mundo: o ignorante e o sábio podem cumpri-la, e o Espiritismo vem facilitá-la, ao revelar a causa das imperfeições do coração humano.
Desde o berço, a criança manifesta os instintos bons ou maus que traz de sua existência anterior.
É necessário aplicar-se em estudá-los.
Todos os males têm sua origem no egoísmo e no orgulho.
Espreitai, pois, os menores sinais que revelam os germes desses vícios, e dedicai-vos a combatê-los, sem esperar que eles lancem raízes profundas.
Fazei como o bom jardineiro, que arranca as ervas daninhas à medida que os vê aparecerem na árvore.
Se deixardes que o egoísmo e o orgulho se desenvolvam, não vos espanteis de ser pagos mais tarde pela ingratidão.
Quando os pais tudo fizeram para o adiantamento moral dos filhos, se não conseguiram êxito, não tem do que lamentar e sua consciência pode estar tranquila.
Quanto à amargura muito natural que experimentam, pelo insucesso de seus esforços, Deus reserva-lhes uma grande, imensa consolação, pela certeza de que é apenas um atraso momentâneo, e que lhe será dado acabar em outra existência a obra então começada, e que um dia o filho ingrato os recompensará com o seu amor.
Deus não faz as provas superiores às forças daquele que as pede; só permite as que podem ser cumpridas; se isto não se verifica, não é por falta de possibilidades, mas de vontade. Pois quantos existem, que em lugar de resistir aos maus arrastamentos, neles se comprazem: é para eles que estão reservados o choro e o ranger de dentes, em suas existências posteriores.
Admirai, entretanto, a bondade de Deus, que nunca fecha a porta ao arrependimento. Chega um dia em que o culpado está cansado de sofrer, o seu orgulho foi por fim dominado, e é então que Deus abre os braços de pai para o filho pródigo, que se lança aos seus pés.
Amigos aqui vemos o grande esforço que nós pais temos de ter para educar com muita serenidade os filhos para que possam evoluir na senda do progresso......
Com um grande abraço de muita paz este vosso amigo e que todos possamos comentar este lindo tema para servir de exemplos a todos os que nos visitam..........
[attach=1]
Manuel Altino


.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 12 de Julho de 2016, 12:36
JESUS E HONRA

  A estrutura psíquica de Jesus é o modelo da perfeita identificação com a tarefa que Ele veio exercer.
  Ele pôde penetrar nas leis fundamentais da vida que conduzem os homens, estabelecendo em palavras e atos os roteiros seguros para o equilíbrio fisiopsíquico de todos.

Projetando a Verdade, não esmagava com a Sua natural superioridade, não absorvendo cada individualidade, que permanecia mais independente.

Aqueles que se Lhe afeiçoavam, encontravam a paz e por esta razão,  optavam livremente por segui-lo.
 
Ele sabia despertar as potencialidades jacentes em cada um, canalizando-as para as operações saudáveis, mediante cujo esforço se fruiam júbilos e plenitude.

As parábolas, que lhe guardam as instruções vivas, continuam adequadas para os problemas hodiernos, possuindo sentido harmônico e orientação capazes de serem aplicadas sem qualquer conflito de época, lugar e pessoa.

O homem moderno prossegue, de certo modo, com as mesmas aspirações e necessidades dos seus antepassados, ressalvadas algumas
conquistas logradas através dos tempos.

Desse modo, ainda permanece com carências e inseguranças que lhe perturbam as estruturas emocionais.

Para conseguir a liberdade interior e a emancipação, necessita da luz do conhecimento e da coragem para entregar-se com decisão à honra dos  objetivos que persegue.

Saber o que pretende da vida e como consegui-lo, eis o processo-parto de amadurecimento pessoal rompendo com as suas próprias raízes os atavismos
que lhe procedem do passado espiritual.

Para este esforço, a honra se lhe torna o inigualável guia interior, impulsionando-o para a frente, nos passos que deve dar, sem mais deter-se.

Na ruptura dos laços familiares constringentes, Jesus, sem deixar de atender aos compromissos morais e sociais com o clã a que pertencia, demonstrou a grandeza da coragem que a honra pessoal lhe facultava.

Buscado pela família, que Lhe ignorava o ministério, duvidando da Sua missão, e assim tentando interrompê-la, quando Ele punha os alicerces da Boa
Nova nos corações, foi advertido por alguém que Lhe disse: “— Tua mãe e Teus irmãos aí se encontram e chamam por Ti.”

Chegara-Lhe o momento da indeclinável quão honrosa decisão, facultando-Lhe interrogar com tranqüilidade: “— Quem é meu pai, minha mãe, quem são meus irmãos, senão aqueles que fazem a vontade de Deus?”

A estupefação geral não O perturbou e Ele prosseguiu como se nada houvesse acontecido.

Honra é a coragem de eleger o melhor.

A dubiedade na decisão entre os que O desejavam reter e aqueles que Lhe necessitavam da presença e das lições, seria a lamentável falência dos objetivos que buscava.

Não há, aí, desrespeito aos familiares. Estes, sim, presunçosos e amedrontados, sem O consulrem, desrespeitavam-Lhe a opção de homem
independente, que viera para um apostolado que jamais negara qual seria o término: a humilhação, a cruz, a morte.

A Sua honra levava-O ao prosseguimento, mesmo lutando contra todos os fatores hostis.

Ele viera romper os impedimentos, arrancar a escultura modelada do homem integral, do mármore frio da sociedade utilitarista e escravocrata.

O cinzel e o martelo para arrebentar a pedra eram a honra e o dever.

Nada podia emparedá-lo nos limites das conveniências, dos receios pueris, das
afeições imaturas.

Vinte séculos depois, ei-lO o mesmo escultor de almas, trabalhando o granito das vidas, a fim de libertá-las.

Tua honra deve modelar-se na dEle.

Tua decisão para a felicidade, rompendo as estruturas passadistas e acomodadas, é a força do teu empreendimento.

Entra em ti mesmo e ausculta a consciência, o teu guia íntimo, a fim de saberes o que pretendes, o que é melhor para ti e como conquistá-lo.

A tua libertação diferirá daquela que rompe vínculos de afetividade para soltar-se, escravizando-se a outras situações piores.

A honra de encontrar um guia interno, que te orienta nos fundamentos da vida de Jesus, é o desalgemar-se de tudo quanto constitui retentiva, para que
sigas plenamente.

Após isto, não serás mais o mesmo, nem te repetirás.

A consciência do dever se manifestará a ti na honra de seguir em padrões de respeito a todos e a tudo, porém, de liberdade total sob a liderança de
Jesus.



Divaldo Franco
Joanna de Ângelis

Mensagem: Livro Jesus e Atualidade

Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Dothy em 13 de Julho de 2016, 13:12
Bom dia amigos.. Bom estudo a todos nós
amigo Antonio, ótimo tema para refletirmos e reavaliarmos nossa conduta

A Doutrina Espírita nos ensina que os seres humanos não se encontram na face da Terra ao sabor do acaso. As sábias leis que regem nossas vidas fazem da existência, de cada uma das vidas que se sucedem, através da reencarnação, oportunidades programadas para o aprendizado e evolução dos espíritos reencarnantes.
 
Os encontros que ocorrem numa família não são acidentes biológicos, mas sim de uma programação que lhe precede sua vinda ao mundo físico, podemos observar que os grupos humanos, desde o nível das nações até os agrupamentos mais modestos, põem as pessoas em contato para que, nesse convívio, possam exercitar o cultivo das virtudes de tolerância, compreensão e fraternidade até alcançar os níveis sublimes da caridade e amor ilimitado ao próximo
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 13 de Julho de 2016, 21:55
Minha querida irmã Dothy, seja bem vinda ao nosso estudo. Eis um ponto que venho então
concordar, o acaso não existe, há uma determinação de Deus para que haja na verdade um programa para cada um de nós na formação de uma família, e seja então para todos uma
prova. Os acontecimento que irão suceder, medirá a capacidade de cada um em saber e
poder administrar esse programa, não podendo ele ser padrão, pois cada um tem as suas
provas afim de saldar os seus débitos. Honrar pai e mãe é um mandamento de Deus e está
no dever de todos cumpri-lo, mas isso nem sempre acontece, pois há filhos que procuram
ignorar e se isentar deste dever, em dedicar a seu pai e a sua mãe, quando esses já estão
envelhecidos, o mesmo amor e carinho que tiveram deles no início e por muito tempo da
sua vida material. Mas por outro lado podemos ter outra visão, não seria essa ingratidão
praticada por alguns filhos, uma prova que esses pais devam passar, pelos débitos que
tenham que pagar? Seria então motivo para uma reflexão!
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 15 de Julho de 2016, 17:26
Meus irmãos de estudos, vejam bem. Após muitos anos de meditações e preces, o Espírito
se aproveita de um corpo em preparo na família daquele a quem detestou, e pede aos
Espíritos incumbidos de transmitir as ordens superiores permissão para ir preencher na
terra os destinos daquele corpo que acaba de formar-se. Qual será o seu procedimento na
família escolhida? Dependerá da sua maior ou menor persistência nas boas resoluções que
tomou. O incessante contato com seres a quem odiou constitui prova terrível, sob a qual
não raro sucumbe, se não tem ainda bastante forte a vontade. Assim, conforme prevaleça
 ou não a resolução boa, ele será o amigo ou inimigo daqueles entre os quais foi chamado
a viver. É como se explicam esses ódios, essas repulsões instintivas que se notam da parte
de certas crianças e que parecem injustificáveis. Nada, com efeito, naquela existência há
podido provocar semelhante antipatia; para se lhe aprender a causa, necessário se torna
volver o olhar ao passado.
Meus irmãos, Há provas para quem chega e para quem já está presente, pode parecer que
seja uma colocação sem sentido, mas vejamos por uma outra visão: O Espírito antes de
reencarnar pede às provas pelas quais deva passar, e uma delas seja conviver com outros
espíritos que em encarnações anteriores se tornaram desafetos e que não conseguiram
se reconciliar. É também para aqueles que recebem este Espírito no seio de uma família
já formada uma prova, no trato e na convivência. Poderão estes se reconciliarem ou
continuarem a serem inimigos se não houver uma vontade maior  de ambas as partes       neste sentido. Quando um filho esperado por um casal vem ao mundo pelo desejo deles
e pela vontade de Deus, nem sempre será ele da forma que tanto desejavam. Há de se cumprir o que foi programado para eles durante essa nova vida, se conseguirem superar,
será mais um degrau que subiram na escala evolutiva.





































 
existência, que constituirá uma prova para ambos
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 17 de Julho de 2016, 16:47
Meus irmãos de estudo, bom dia. O ser humano é uma máquina, por assim dizer, completa
na sua forma mas imperfeita no seu funcionamento, visto que às suas reações diante das  circunstâncias mostra essa imperfeição. Somos todos espíritos movidos por sentimentos,
que é o combustível principal, são eles que nos comandam através dos pensamentos que
nos veem, pode parecer um absurdo para alguns, mas é assim que eu vejo e intendo.
Vejam então o exemplo na minha exposição de motivos:Todos nós que tivemos ou para
alguns que ainda tenham os seus pais, e que desde a tenra idade receberam deles então,
amor e carinho, isso porque haviam neles sentimentos fortes que os faziam agir assim.
Deveriam eles receberem então o correspondente, isto é, o mesmo tratamento que
dedicaram aos seus filhos, quando não tivessem mais o vigor de outrora. Mas nem
sempre isso acontece, pois pensamentos contrários veem à alguns filhos, que chegam a
influenciar os seus sentimentos, tipo assim: Meus pais depois de velhos ficaram muito
chatos, e eu não tenho tanta paciência, quem disse que eu tenho a obrigação de cuidar
deles a vida toda, alguns chegam ao extremo em pensar, eles podiam morrerem logo
para não ficarem atrapalhando a minha vida. Assim somos essa máquina chamada
humano.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: lconforjr em 18 de Julho de 2016, 20:15
Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)

      Ref resp #26 em: 18 07 16, às 16:47, de ARenato

      Olá, querido amigo Renato; gosto de dialogar com vc pois vc é um dos poucos que respondem as mensagens que coloco.

      E, PARA QUE OS AMIGOS RACIOCINEM, tenho de LHES perguntar: “está correto afirmar isso? Que Deus criou “o ser humano, essa máquina, que é completa na sua forma, mas imperfeita no seu funcionamento” ?! Quem criou essa máquina não foi Deus? Como dizer que Deus criou algo imperfeito?!  Como podemos explicar isso?!

.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 18 de Julho de 2016, 23:07
Meu amigo lconforjr, veja bem. Eu não afirmei que o ser humano era uma máquina, pois
Deus não o colocaria assim, foi uma forma alegórica de comparar este ser a animado
com algo inanimado mas que fosse também perfeito. Imaginemos assim: Um carro
criado por engenheiros, com toda sua aerodinâmica para ter um desempenho perfeito,
um motor que rendesse o máximo imaginado pelos seus criadores, mas no entanto
ele não chegaria de pronto a ser assim. Só depois algum tempo de funcionamento e
alguns ajuste iria se tornar o carro ideal.
O ser Humano é assim, acredito eu, perfeito em todos os detalhes, exceto no seu
funcionamento: Comete erros e mais erros, não se ajusta, se rebela, cai, levanta, as
vezes cai e não consegue levantar... Etc, etc... Se você me perguntar porque não
saberei responder, mas me mostre um ou alguns que não sejam assim, que seja então
diferente.
Fique na paz.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 18 de Julho de 2016, 23:57
Meus irmãos de estudo boa noite. - Honrai vosso pai e vossa mãe -
Vejam bem. Honrar pai e mãe, que sentido teria essas palavras para alguns ou para muitos?
Somos os filhos gerados, no sentido biológico, criados no seio de uma família dita normal
dentro dos padrões que a nossa sociedade exige, isso porque nem todas as famílias são
ajustadas. Até ai tudo bem. Entretanto, não podemos esquecer que somos espíritos
velhos, por assim dizer, que trazemos vícios de outras vidas, para que se possa melhor
entender.
Os filhos são ligados ao pais pelos laços que os unem, e a esses pais é dado então a
responsabilidade de cuidarem desses filhos, até que eles possam cuidarem de si mesmo e
continuarem a sua própria vida. Com o passar dos anos esses pais envelhecem, isso faz parte do processo nesta vida, eles já não têm aquele mesmo vigor, é chegado o momento
desses filhos inverterem esse papel e passarem então a cuidar dos pais. Para alguns é
uma tarefa difícil, para outros é quase impossível, por ser para eles uma carga muito
pesada e que irá atrapalhar a sua vida, eles não têm a mesma paciência que tiveram seus
pais, quando eles eram crianças, não há tempo devido a sua vida agitada com o seu
trabalho e as atividades sociais, acabam seus pais se tornando um estorvo para eles. Mas
esses pais querem tão pouco desses filhos: A sua atenção, mesmo que seja por um
breve tempo, uma palavra de carinho, ou simplesmente um Oi! Estando eles próximos ou
distantes.
A vida passa, o tempo não perdoa, esses filhos começam a envelhecer, se tiverem filhos,
já é outra geração. Desperta neles então a consciência e a razão, e vem então a eles os
questionamentos: Será que fui um bom filho, cuidei dos meus pais quando eles mais
precisavam, dei a eles amor e carinho da mesma forma que eles deram para mim? Alguns
podem até dizer que seus pais não foram tão cuidadosos para com eles, opa! Esse é um
julgamento para Deus. E os meus filhos como serão para comigo... A vida continua.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 20 de Julho de 2016, 19:20
Meus irmãos de estudos boa tarde. - Honrai vosso pai e vossa mãe -
Eis então um aviso da espiritualidade superior para todos nós espiritas, para que possamos
compreender o grande papel da humanidade: "Compreendei que, quando produzis um
corpo, a alma que nele encarna vem do espaço para progredir; inteirai-vos dos vossos
deveres e ponde todo vosso amor em aproximar de Deus essa alma; tal a missão que vos
estais confiada e cuja a recompensa recebereis,se fielmente cumprirdes. Os vossos
cuidados e a educação que lhes darei auxiliarão o se aperfeiçoamento e o seu bem estar
futuro. Lembrai-vos de que a cada pai e a cada mãe perguntará Deus: Que fizestes do filho
confiado a vossa guarda? Se por culpa vossa ele se conservou atrasado, tereis como
castigo vê-lo entre os espíritos sofredores, quando de vós dependia que fosse ditoso.
então, vós mesmos, assediado de remorsos, pedireis vos seja concedido reparar a vossa
falta; solicitareis, para vós e para ele, outra encarnação em que o cerqueis de melhores cuidados e que ele, cheio de reconhecimento, retribuirá com o seu amor.
Veja então meus amigos a grande responsabilidade assumida pelos pais diante de Deus
para com os seus filhos, nos cuidados e na atenção. A educação é a base para que um
filho possa iniciar a sua vida e ter progresso moral, é então ele uma alma desorientada que
necessitará de apoio em um mundo para ela desconhecido. O que é cobrado por Deus ao
filho no que eles tenham feitos aos seus pais, muito mais será cobrado desses pais o que
fizeram por seus filhos.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: lconforjr em 20 de Julho de 2016, 20:38
Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)

      Ref resp #28 em: 18 de Julho de 2016, 23:07, de ARenato

      Renato escreveu: Meu amigo lconforjr, veja bem. Eu não afirmei que o ser humano era uma máquina, pois Deus não o colocaria assim, foi uma forma alegórica de comparar... Imaginemos assim: Um carro criado... para ter um desempenho perfeito, mas ele não chegaria de pronto a ser assim. Só depois algum tempo de funcionamento e alguns ajuste iria se tornar o carro ideal.

      O ser Humano é assim, acredito eu, perfeito em todos os detalhes, exceto no seu funcionamento: Comete erros e mais erros, não se ajusta, se rebela, cai, levanta, às vezes cai e não consegue levantar...etc., etc.... Se você me perguntar porque não saberei responder, mas me mostre um ou alguns que não sejam assim, que seja então diferente.

      Conf: entendi, meu amigo, e fez uma ótima comparação: a um motor, um carro que rendesse o máximo imaginado pelos seus criadores, mas no entanto ele não chegaria de pronto a ser assim. Só depois algum tempo de funcionamento e alguns ajuste iria se tornar o carro ideal. Mas, como a DE recomenda que raciocinemos para entender melhor o que falamos e estudamos, vamos raciocinar:

      - primeiro, lhe digo que não há nada de diferente a lhe mostrar, pois vc fez um retrato fiel do ser humano, da criatura que Deus criou: uma criatura perfeita, mas ainda lhe faltando ajustes para se tornar o ideal. Mas, como devemos ter uma “fé raciocinada”, e se todos os efeitos têm suas causas, qual é a causa de esses ajustes trazerem sofrimentos ao ser humano?
...
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Julho de 2016, 15:07
Os 25 Sintomas Da Doença De Alzheimer


De todas as pessoas que sofrem de demência, estima-se que 50 a 70% dos indivíduos afetados tenham a doença de Alzheimer. Conheça os 25 sintomas que determinam o aparecimento da doença de Alzheimer e faça o melhor diagnóstico possível para aumentar a qualidade de vida de um doente.

A doença de Alzheimer é um tipo de demência que provoca uma deterioração global, lenta, progressiva e irreversível de diversas funções do conhecimento e revela-se na perda de memória, atenção, concentração, linguagem, pensamento, entre outras. No entanto, um único sintoma não indica necessariamente que uma pessoa sofra de Alzheimer ou de demência. Por exemplo, existem várias causas para a perda de memória e a falta dela não é sinônimo de doença. Contudo, se juntamente com a perda de memória, existirem alterações significativas no comportamento e na capacidade funcional da pessoa, estes podem ser sinais claros do surgimento da doença de Alzheimer.
Dos aspetos principais que constituem a doença de Alzheimer, destacam-se os sintomas seguintes:

1. A Perda De Memória

A maior parte dos doentes com Alzheimer não se consegue lembrar das mais pequenas coisas do dia-a-dia como, por exemplo: o que fizeram no dia anterior, os nomes das pessoas que os rodeiam, o que comeram ao almoço, os animais de estimação que têm, números de telefone e conversas recentes, entre outros. Em todo o caso, a perda de memória pode não ser consistente e o facto de não se lembrar hoje não quer dizer que não o faça amanhã.

2. O Estado Agitado E O Humor Alterado

É comum para alguém que sofre de Alzheimer parecer ansioso ou agitado. A agitação resulta geralmente do medo, confusão, pressão ou fadiga que um doente possa estar a sentir. Por outro lado, as mudanças radicais também contribuem para uma enorme agitação e mudança repentina de humor. Independentemente do motivo ou situação, um doente de Alzheimer pode passar de um estado calmo para um estado de raiva sem qualquer motivo aparente.

3. O Julgamento Debilitado

Uma pessoa que tem a doença de Alzheimer tem tendência a tomar as decisões mais disparatadas e/ou inadequadas perante uma determinada situação. Um exemplo dessa irresponsabilidade está na forma imperfeita de se vestir ou na incapacidade de avaliar por si próprio aquilo que é mais seguro. Por norma, as primeiras mudanças que ocorrem no julgamento de uma pessoa estão relacionadas com a gestão das suas finanças e é quando o dinheiro começa a ser gasto de forma inusitada e incorreta.

4. Dificuldade Em Lidar Com O Dinheiro

A dificuldade em lidar com o dinheiro é um obstáculo muito difícil de ser ultrapassado para quem sofre de Alzheimer. A incapacidade de pagar contas, de fazer as compras essenciais e administrar um orçamento é um sinal claro de demência psíquica e indica se um indivíduo está ou não na posse de todas as suas faculdades.

5. Dificuldade Em Realizar Tarefas Familiares

Uma pessoa que sofre de demência leva mais tempo a concluir as tarefas mais básicas do dia-a-dia que, por hábito, já realizou milhares de vezes. Por exemplo, um cozinheiro experiente pode ter sérias dificuldades em fritar um ovo ou qualquer outro tipo de cozinhado de fácil realização.

6. O Problema Do Planeamento E Resolução De Problemas

À medida que a demência progride, podem existir maiores dificuldades de concentração. De uma forma mais particular, uma pessoa que sofre de Alzheimer não consegue seguir um plano, tomar a medicação de forma correta ou gerir um orçamento. Por outro lado, a sua capacidade de decisão e resolução de problemas é nula.

7. Trocar O Lugar Das Coisas

Um dos sintomas mais frequentes da doença de Alzheimer está relacionado com a troca sistemática do lugar das coisas. Por exemplo, é muito frequente encontrar as chaves de casa no congelador ou o comando da televisão na gaveta das meias, entre outras situações insólitas. Existe uma tendência para o esquecimento, mas também para deixar as coisas nos locais mais incomuns. É também de registar que é frequente acusarem outra pessoa de esconder ou roubar os seus pertences.

8. A Desorientação No Tempo E No Espaço

A perceção do tempo e do espaço é um dos problemas mais graves que afeta um doente de Alzheimer. É muito fácil ficar perdido na rua, uma vez que não se recorda do local onde vive, não tem a noção das datas, estações do ano e/ou passagem do tempo, entre outras situações temporais e espaciais.

9. A Dificuldade Em Comunicar

As capacidades linguísticas e comunicacionais de uma pessoa com Alzheimer vão diminuindo com o passar do tempo. Uma pessoa pode ter imensas dificuldades em encontrar a palavra certa, chamar as coisas pelos nomes errados, inventar novas palavras, entre outras situações. Esta condição carece de atenção, pois pode conduzir ao isolamento e depressão.

10. Vaguear Sem Rumo

Infelizmente, cerca de 60% das pessoas com demência têm uma tendência para vaguear sem qualquer tipo de destino. Isso deve-se à inquietação, medo, confusão em relação ao tempo e incapacidade em reconhecer pessoas, familiares, lugares e objetos. Em alguns casos, a pessoa pode sair de casa a meio da noite para satisfazer uma necessidade física, como encontrar uma casa de banho/banheiro ou comida, ou até pode querer ir para casa quando já está efetivamente em casa.

11. O Discurso Repetitivo

A repetição frequente de palavras, frases, perguntas ou atividades é uma característica da demência e da doença de Alzheimer. Esse comportamento repetitivo é provocado, por vezes, pela ansiedade, stress, ou para alcançar o conforto, segurança ou familiaridade.

12. As Dificuldades Visuais E Espaciais

As pessoas que sofrem da doença de Alzheimer tendem a ter dificuldades de leitura, em julgar distâncias ou a determinar a cor e/ou contraste de um determinado tipo de material. Em termos de percepção, é comum que uma pessoa se olhe ao espelho e pense que está na companhia de outra pessoa sem se ter apercebido que está diante do seu próprio reflexo.

13. A Realização De Atividades Sem Qualquer Tipo De Propósito

Se detetar que um familiar que está ao seu cuidado faz todo o tipo de esforços para a realização de uma atividade sem qualquer tipo de objetivo como, por exemplo, abrir e fechar uma gaveta várias vezes, isso poderá significar que essa pessoa sofrerá de demência e, consequentemente, de Alzheimer. Apesar de não terem uma finalidade última, esse tipo de comportamentos revela a necessidade que uma pessoa tem em se sentir produtivo ou ocupado.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Julho de 2016, 15:09
14. A Necessidade De Se Afastar De Todo O Tipo De Atividades

A doença de Alzheimer pode ser uma doença muito solitária e pode originar uma falta de interesse geral nas mais variadas atividades sociais ou pessoais. É comum que uma pessoa que sofra desta doença deixe de fazer os seus passatempos preferidos, pois, para além de não se recordar como os faz, também já não sente o mesmo prazer em fazê-lo.

15. A Perda De Iniciativa E Motivação

A apatia, perda de interesse e de motivação em atividades sociais ou pessoais podem levar uma pessoa à depressão e, consequentemente, ao isolamento. A depressão dificulta muito a tarefa de um doente pois impede-o de articular corretamente os seus sentimentos e faz com que ele não tenha qualquer vontade ou iniciativa própria.

16. O Não Reconhecimento Da Família E Dos Amigos

De uma forma geral, as pessoas que têm Alzheimer esquecem o que aprenderam e quem conheceram e isso faz com que não reconheçam os seus amigos e familiares mais próximos. Num estado avançado e final da doença, as pessoas podem apenas recordar-se dos seus pais e de apenas algumas passagens com eles.

17. A Perda Das Habilidades Motoras E Do Sentido Do Tato

A demência afeta as capacidades motoras e interfere com o manuseamento de roupas ou todo o tipo de utensílios, como as tesouras ou os garfos. Contudo, a perda das habilidades motoras e do sentido do tato podem estar relacionados com uma doença muito diferente, como a doença de Parkinson. Deve observar esses sintomas e comunicá-los imediatamente ao seu médico de família para um diagnóstico mais detalhado.

18. A Dificuldade Em Se Vestir

A forma como um indivíduo se veste diz muito sobre a condição psicológica de uma pessoa. No caso de um doente de Alzheimer é comum ele utilizar a mesma roupa durante vários dias, pois esquece-se que a mesma já foi usada. Por outro lado, as dificuldades em apertar ou desabotoar os botões de uma camisa ou de um casaco, assim como realizar o nó de uma gravata são também um enorme handicap devido à perda das habilidades motoras.

19. O Desleixo Com A Aparência E Higiene Pessoal

Os doentes de Alzheimer têm tendência para serem desleixados com a sua aparência e higiene pessoal, e esquecem-se, na maioria das vezes, de escovar os dentes, cortar as unhas, tomar banho e até utilizar a casa de banho/banheiro para a realização das suas necessidades.

20. Esquecer As Refeições Principais

A diminuição do apetite e a perda de interesse e prazer pela alimentação faz com que um doente de Alzheimer se esqueça de realizar as refeições principais ao longo do dia. Existe também a hipótese de um indivíduo perder a capacidade de dizer se um alimento ou bebida está quente ou frio demais para comer ou beber. Por vezes, face ao facto de não se lembrarem de como utilizar os talheres, alguns indivíduos chegam a levar a comida até à sua própria boca com a mão.

21. O Comportamento Inadequado

Na fase terminal da doença de Alzheimer, um indivíduo pode revelar um comportamento inadequado e agir de forma atípica em várias situações distintas. Por exemplo, é comum esquecerem-se que são indivíduos casados e começam a fazer avanços sexuais inapropriados com outros parceiros, ou podem tirar a roupa em horários impróprios e em locais invulgares.

22. A Capacidade De Delirar

Os delírios e a paranóia são comuns nos doentes que sofrem de Alzheimer e alguns chegam a ter a forte convicção ou ilusão de que alguém o está a tentar ferir ou matar. A perda da memória e a confusão são os responsáveis principais pela má interpretação do que um doente vê e ouve.

23. A Agressão Física E Verbal

A demência vai piorando com o tempo e com ela vão-se alterando os comportamentos e é normal que alguém se torne física ou verbalmente mais agressivo. As explosões verbais, gritos, ameaças e empurrões podem ser uma constante e podem surgir do nada. No entanto, é de realçar que a agressão verbal ou física pode estar relacionada com algum desconforto físico, incapacidade de comunicação ou frustração perante uma determinada situação.

24. As Dificuldades Em Dormir

Alguns sintomas como a agitação, ansiedade, desorientação e confusão tendem a piorar à medida que o dia passa e podem continuar durante a noite, fazendo com que existam muitas dificuldades em adormecer e dormir. Essa perturbação do sono pode estar relacionada com as alterações do relógio biológico de uma pessoa e é uma razão comum que leva muitas vezes os familiares a colocar os seus entes queridos num lar de idosos.

25. A Imitação Ou O Comportamento Infantil

Os especialistas afirmam que quem sofre da doença de Alzheimer fica completamente dependente de um determinado indivíduo e imita-o de forma infantil, chegando até a segui-lo como uma espécie de “sombra”. Este comportamento surge, muitas vezes, pelo receio em encarar a forma confusa como o mundo é percepcionado e pela necessidade de ter por perto uma pessoa em quem se confia totalmente.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 22 de Julho de 2016, 00:05
Refletindo sobre esta questão
A de honrarmos os nossos pais
Claro que não somente na velhice deles
Se isto o alcançarmos
Mas em espícifico , penso eu...
Nesta questão
Da aproximação de suas invalidez

Preponderará sempre os recursos da instrução e da educação

devemos nos instruir para bem estarmos preparados
e buscarmos a questão de termos a educação

Bem na verdade que para um casal
que passam a ter em seu lar
a presença do seus filhos
seja eles naturais ou adotados
Tudo leva a uma alegria constante
Pois estamos observando
Constantemente os seus progressos

Mas ao se tratar dos nosso pais
ou de uma outra pessoa que se aproxima da velhice
e que venha a apresentar cuidados especiais

Sinto a necessidade que temos
de nos educarmos
e nos prepararmos
para cuidarmos e acompanharmos
a decrepitude orgânica e mental

É uma realidade que estou passando
Pois a minha sogra está em minha casa
e os meus pais se encontram em idades avançadas

Alguns problemas relacionados a idade
As dificuldades que elas nos trazem
acredito que assusta a muitos
Disso não tenho dúvidas
Pois somos constantemente foragidos da realidade

Questões de heranças chegam
Obrigações mal assumidas no caso de muitos filhos
Doenças degenerativas
Impossibilidade física de locomoções
Tanto de coordenação motora
Como o levar aos hospitais e clinicas
Alimentação adequada
Teimosia em franca evidencia
Remédios
Fraturas !!
Demência
Higienização constante
Exposição em muitos casos que os constrange
Tato nas palavras
Forças pessoais inexistente para os cuidados (pois alguns se encontram bem acima de um peso adequado)
Moradias com espaço adequados
Visitação que auxilia
Questões que não fazem mais sentido para os pais
Os nossos recursos físicos e financeiros

Enfim!
Uma infinidade de questões
que surge e pegam-nos desprevenidos

Pensemos antes de qualquer julgamento
Antes de qualquer analise
Perante este quadro

E penso que não é atoa que o Cristo
Ou o mandamento moral presente em todas as culturas
que tem caráter de ensinamento

Onde todos e tudo reforça com a colocação

Horai...

Indiscutivelmente
A palavra honra e o valor que ela encerra
Nos tornará verdadeiramente
Pessoas de nobres valores

( apenas uma reflexão )

Abraços



Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 22 de Julho de 2016, 19:21
Meus irmãos de estudo boa tarde. - Honrai o vosso pai e a vossa mãe
Meu irmão Moisés, foi boa essas suas colocações  no que diz respeito aos cuidados e a
atenção a uma pessoa em idade avançada, seja elas nossos pais ou um parente próximo.
Mesmo sendo movidos pelo sentimento de amor ao próximo, muitas das vezes temos
dificuldades para lidar com a situação, isso porque nem sempre temos na verdade, uma
acomodação adequada que possa dá um mínimo de conforto e segurança a essa pessoa.
Vem então outras questões que dificultam mais ainda: O mundo moderno em que vivemos
trás para todos um modo de vida diferente de como era a 50 anos atrás por exemplo,
pois para dá uma melhor qualidade de vida a família o marido e a esposa tenham que
trabalhar, mas mesmo os dois trabalhando o rendimento não é suficiente para que possa
pagar a uma pessoa para cuidar do idoso em sua companhia, pois a necessidade obrigam
os dois estarem ausentes, há também a questão dos seus filhos ainda serem pequenos, e
não terão eles amadurecimento suficiente para para esta tarefa.
Em uma análise menos cuidadosa pode-se dizer ou mesmo interpretar que não há amor
suficiente para os filhos que buscam um local mais conveniente, mais adequado para seus
pais idosos, onde ela possa ser melhor cuidada. Entretanto, eles necessitam que lhes
sejam dados então atenção, amor e carinho permanentemente para que o lado moral não
venha ser prejudicado, nem o mandamento de Deus deixe de ser cumprido.
Foi bom também você ter colocado esse alerta por assim dizer, sobre o que seja a doença
de Alzheimer. Eu costumo brincar com os amigos quando eles esquecem de uma data ou
acontecimento, dizendo assim: Cuidado com o alemão hem!
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 22 de Julho de 2016, 23:56
Velhice

A vida, para desenvolver-se, exige energia.

O envelhecimento, resultado do desgaste energético, é fenômeno natural.

Irreversível, a idade conquista espaço no organismo humano, combalindo-lhe as forças e conduzindo-o à desencarnação.

Apesar da importância de serem preservados a juventude interior, o entusiasmo pela vida, as ocasiões de prosseguir servindo e iluminando-se, isto não descarta o fenômeno de velhice.

*

Cada minuto que passa, adiciona consumo à máquina orgânica impondo- te sisudeza, maturidade, consciência responsável.

A velhice é quadra abençoada da existência planetária, que nem todos têm oportunidade de alcançar.

Repositório de experiências, é campo de sabedoria a serviço da vida.

*

Respirando e agindo, estás envelhecendo.

Pensa nisso.

Vive, desse modo, programando a tua terceira idade, jovialmente, a fim de não seres colhido pela amargura e o dissabor, quando as forças se te apresentarem diminuídas, portanto, em decadência.

O pior da velhice é a forma refratária com que muitos a consideram, ingratamente.

Divaldo Pereira Franco
Pelo Espírito Joanna de Ângelis
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 23 de Julho de 2016, 15:05
O idoso e a relação familiar

Como cuidar, respeitar e amar

Citar
“(...)  Mas, se  alguém  não  tem cuidado dos seus, e principalmente  dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel.”  – Paulo (Timóteo, 5:8.)

Mudar a sociedade não é fácil, mas mudar a forma como tratamos as pessoas à nossa volta é algo que está inteiramente ao nosso alcance.
A Drª. Roberta da Silva, CRMRS 27659 - Médica especializada em Geriatria, explica que na cultura oriental o idoso é o membro da família detentor de sabedoria e merecedor de profundo respeito. Assim, conselhos são solicitados a ele, que possui não somente uma soma de anos, mas valores, experiências e sabedoria que guiam os mais jovens nos desafios e caminhos que a vida proporciona. Parece-lhes simples, dessa forma, auxiliados pelos mais velhos, conhecer de antemão o caminho que deverá ser percorrido, os alertas aos quais devem estar atentos, as adversidades que vão encontrar. E o mais importante: são-lhe gratos. Dignificam o idoso até seus últimos momentos.       

E nós, o que aprendemos com os nossos? Servem-nos de conselheiros? Respeitamo-los como merecem? A  Dra. Roberta Silva acredita que não, uma vez que a nossa sociedade, a julgar por tudo aquilo que podemos observar, tem outro olhar diante da terceira idade: os idosos muitas vezes acabam ocupando um “status” de improdutivos. Não trabalham mais, como se o mercado de trabalho lhes oferecesse chances dignas para produzir.

Quantas vezes já ouvimos: “o vovô está caducando...” ou “no seu tempo era diferente! Isso já era”. O conflito de gerações nos lares, mudanças de hábitos, de tecnologias, não podem existir em detrimento do respeito, dos bons costumes e dos sentimentos.

Popularmente diz-se que o ser humano aprende com a dor. Diferente dos orientais, a maioria de nós despreza tamanha oferta de saber. Prefere arriscar-se mais, correr mais, a escutar preciosas lições. Fica claro, neste ritmo desenfreado, que preferimos culpar nosso estilo de vida, a correria do dia-a-dia e os afazeres para ganhar a vida, a culpar-nos por tamanha indiferença.

Hoje, o que se busca na Geriatria é o envelhecimento com qualidade de vida: prevenção de doenças, avanços nos tratamentos, mas ainda não existe medicação para curar o mal da solidão e do abandono que aflige mais de 15% dessa população.

Com certeza chegou a hora de educar-nos e a nossos filhos. Mostrar-lhes que aquelas rugas não assinalam apenas dias e dias vividos, mas são as marcas dos trabalhos que tiveram para que hoje estivéssemos aqui em razoáveis condições de cultura, conforto e bem-estar. 

Aconchego doméstico só o lar tem condição de oferecer

Há que compreender que muitas vezes o andar mais vagaroso, as mãos trêmulas e sua voz com tons mais baixos não significam fraqueza, mas sinais que indicam que nessa ocasião precisam ser mais abraçados do que podem abraçar; de que já perderam muito e muitas pessoas que ainda lhes são caras, que por isso a família talvez seja tudo aquilo que eles ainda têm, e isso significa muito.

Quando a família opta pelo internamento do idoso em asilos, sua expectativa de vida decresce de forma significativa, por melhores que sejam as instalações e por mais bem cuidados que sejam por profissionais competentes. Afinal, aconchego doméstico só mesmo os lares têm condição de oferecer, mas oferecem?

Há que ter capacidade de entender que os idosos ainda podem ser úteis, talvez não mais com força ou oferecendo quantias monetárias, mas com conselhos, com afetos aos demais membros da família, em especial com as crianças, cuidando das pequenas coisas que podem fazer nos lares.  É difícil sensibilizar pessoas. Mas apenas pense como gostaria de ser tratado por seus filhos na sua terceira idade. Não esqueça que o seu exemplo está sendo observado e será repetido por eles.   

Na década de 40 os idosos representavam somente 0,7% da população brasileira e hoje este grupo representa 2,5%. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2025, eles chegarão a 34 milhões, colocando o nosso país em 6º lugar no mundo em população idosa.  Fazem-se, portanto, necessárias as devidas providências para atendimento dessa parte bastante expressiva da sociedade, e aí a família tem um papel muito importante.

Como está atualmente o relacionamento dos membros mais jovens com os parentes que já estão na terceira idade e o que se pode fazer para melhorar essa convivência?

O que significa ter um idoso morando com os demais membros da família?

De um modo geral, a presença do idoso na família vai resultar em algumas ingerências em especial na educação das crianças, o que obviamente é missão dos pais. Mas não há problema algum que não possa ser contornado quando existe respeito e amor pelos mais velhos. Os familiares não podem jamais perder de vista que os idosos já tiveram a sua fase de trabalho e de provedores. Portanto, a Terceira Idade não é uma fase para se conquistar o afeto da família e sim usufruir de algo já construído. Por isso, é importante, para os mais jovens, construírem desde já a harmonia familiar. Nada impede que os idosos possam fazer alguns serviços caseiros mais leves, mas não pode existir abuso.   

Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 23 de Julho de 2016, 15:05
A piedade filial não pode ser negligenciada

Os Benfeitores Espirituais revelaram a Kardec que o limite do trabalho é o das forças, deixando Deus, a esse respeito, inteiramente livre o homem, e acentuaram que ele tem o direito de repousar na velhice, não sendo a nada obrigado, e, se algum encargo tiver, que seja esse de acordo com suas possibilidades físicas.

Ensina o caroável Mestre lionês que a piedade filial não pode ser negligenciada, uma vez que se encontra implícita no mandamento: “Honrai a vosso pai e a vossa mãe”.  Honrá-los, outra coisa não é senão “respeitá-los, assisti-los nas necessidades, proporcionar-lhes repouso na velhice, cercá-los de cuidados como eles fizeram conosco, na infância”.  “Sobretudo para com os pais sem recursos” – continua Kardec – “é que se demonstra a verdadeira piedade filial. Obedecem a esse man­damento os que julgam fazer grande coisa porque dão a seus pais o estritamente necessário para não morrerem de fome, enquanto eles de nada se privam, atirando-os para os cômodos mais ínfimos da casa apenas por não os deixarem na rua, reservando para si o que há de melhor, de mais confortável?  Ainda bem quando não o fazem de má vontade e não os obrigam a comprar caro o que lhes resta a viver, descarregando sobre eles o peso do governo da casa! Será então aos pais velhos e fracos que cabe servir a filhos jovens e fortes? Ter-lhes-á a mãe vendido o leite, quando os amamentava? Contou porventura suas vigílias, quando eles es­tavam doentes, os passos que deram para lhes obter o de que necessitavam? Não. Os filhos não devem a seus pais pobres só o estritamente necessário: devem-lhes também, na medida do que puderem, os pequenos nadas, os supér­fluos, as solicitudes, os cuidados amáveis, que são apenas o juro do que receberam, o pagamento de uma dívida sa­grada. Unicamente essa é a piedade filial grata a Deus”.

Dentro da alçada da piedade filial, a Drª. Roberta Silva ainda acrescenta:

“(...) Uma boa iniciativa para se viver melhor numa família com a presença de um idoso é ensinar as crianças a respeitá-lo e valorizá-lo, contornando com amor e gentileza os muitos lapsos de memória e procurando compreender, igualmente, os discursos repetitivos e a demora do raciocínio da parte dele. Há que se ter sempre na lembrança que a idade avançada nem sempre é sinônimo de ostracismo e de inatividade. No Velho Testamento, existe um salmo que diz: ‘Na velhice ainda darão frutos, serão viçosos e florescentes’ .” 

O envelhecimento faz parte do curso natural da vida

A Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo e Professora da Universidade Estadual de Londrina, Verônica Bender Haydu, escreveu um artigo na Tribuna do Vale do Paranapanema, nº 1179, intitulado: ‘Cuidar, respeitar, amar’, no qual ela mostra aspecto importante para a vida das pessoas, e no que se refere aos idosos, afirmou: ‘Não vou especificar qual a idade que define a velhice, pois isto é muito relativo, podendo-se considerar que ela começa aos 50, 60 ou 70 anos. Neste texto, vou escrever sobre as pessoas comuns, aquelas que nos rodeiam, como nossos avós, pais, tios, sogro e sogra. Vou escrever sobre o idoso que está à nossa volta e para o qual podemos ‘fazer a diferença’.

O envelhecimento faz parte do curso natural da vida e acontecerá a todos aqueles que não morrerem antes de atingirem idades mais avançadas. Viver é envelhecer... Com a maturidade, adquirimos conhecimento, sensibilidade para relacionamentos afetivos e uma forte tendência para recorrer às experiências anteriores, e, quando temos um bom relacionamento interpessoal, adquirimos confiança e segurança. Por outro lado, com o envelhecimento de nosso corpo, perdemos capacidade física; ficamos preocupados com as doenças, que passam a ocorrer com frequência cada vez maior; ficamos com medo de morrer, pois vemos pessoas do nosso convívio, como amigos e familiares morrendo; e somos substituídos por pessoas mais jovens em nosso trabalho ou emprego.  Além disso, as pessoas que nos rodeiam passam a nos designar ‘velhos’, muitas vezes de forma pejorativa e maldosa. Não raro, vemos pessoas idosas sendo submetidas a maus tratos que não são práticas presentes apenas em nossa cultura. Este é um problema global que recebeu atenção da Organização Mundial de Saúde, que na Declaração de Toronto para a Prevenção Global de Maus Tratos às Pessoas Idosas definiu maus tratos ao idoso “como qualquer ato isolado ou repetido, ou a ausência de ação apropriada, que ocorre em qualquer relacionamento em que haja uma expectativa de confiança, e que cause dano, ou incômodo a uma pessoa idosa. Estes podem ser de vários tipos: físico, psicológico/emocional, sexual, financeiro ou simplesmente refletir atos de negligência intencional, ou por omissão”.

Diante desse cenário, eu pergunto: O que podemos fazer para que a nossa sociedade seja mais justa e para que as pessoas idosas também possam ser felizes? Basta um pouco mais de tolerância e de disposição para enxergar as contribuições que elas são capazes de fazer.   

Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 23 de Julho de 2016, 15:06
O idoso e a família: os dois lados da mesma moeda

Quando cobramos ações e reações que estão fora do alcance do idoso devido às limitações impostas a ele pela idade, ou quando exploramos o idoso com trabalho e exigências acima de suas possibilidades, criamos um ambiente coercitivo que provoca reações de fuga. Assim, para poder escapar das exigências e das agressões, o idoso se refugia e se isola, e com o isolamento muitas vezes vem a depressão. O isolamento e a depressão são condições que favorecem o aparecimento de outras doenças. O que eu quero enfatizar é que a negligência, o descaso e a violência emocional e física só pioram as condições dos idosos no que diz respeito a ser produtivo, ter uma vida social intensa, ter saúde, enfim, ter uma velhice bem sucedida.

A receita para que possamos “fazer a diferença”  é:  Cuidar e fazer-se cuidar. Entende-se que cuidar do idoso é dar atenção, é enxergar as suas necessidades, é dar carinho e afeto. Criticar, depreciar, reprimir, xingar, punir não são maneiras apropriadas de cuidar de quem quer que seja. Fazer o idoso se cuidar é dar oportunidade para que ele se preocupe com a própria saúde, é, acima de tudo, valorizar seus feitos, para que ele seja produtivo e procure ser feliz e motivado no convívio social e, dessa forma, tenha uma vida digna, bem diferente da vida de isolamento.

Pesquisando na revista da PUC/SP, ano I, nº. 8, de novembro de 2000, localizamos um artigo escrito pela assistente social Fátima Teixeira, com mestrado pela PUC/SP, intitulado “O idoso e a família: os dois lados da mesma moeda”, no qual ela aborda a questão do idoso dentro do âmbito familiar sobre dois enfoques: de um lado, o ponto de vista do idoso com suas necessidades e expectativas,  e  do  outro  a  família  moderna com sua organização e dinâmica, nem sempre entendendo o processo que o idoso vem experimentando nessa etapa da vida. Teixeira define a família como um grupo arraigado numa sociedade e tem uma trajetória que lhe delega responsabilidades sociais. Especialmente perante o idoso, a família vem assumindo um papel importante e inovador, na medida em que o envelhecimento acelerado da população que estamos constatando é um processo recente e ainda pouco estudado pelas ciências sociais.

A Constituição Federal de 1988 apresenta a família como base da sociedade e coloca como dever da família, da sociedade e do Estado “amparar as pessoas idosas assegurando sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade e bem-estar e garantindo-lhe o direito à vida”. 

O que o idoso necessita é sentir-se valorizado 

Neste sentido, cabe aos membros da família entender essa pessoa em seu processo de vida, de transformações, conhecer suas fragilidades, modificando sua visão e atitude sobre a velhice e colaborar para que o idoso mantenha sua posição junto ao grupo familiar e à sociedade.

Aqui cabe uma pergunta: Como os filhos, de uma maneira geral acostumados a serem cuidados e dependentes dos pais por bons anos de suas vidas, num dado momento passam a experimentar uma inversão nessas relações quando os pais começam a necessitar de atenção e ajuda? Com as fragilidades que muitas vezes acompanham o processo de envelhecimento é comum surgirem conflitos entre os filhos quando a situação dos pais passa a lhes exigir novas responsabilidades e cuidados. A família precisará, então, de um período de adaptação para aceitar e administrar com serenidade a nova situação, de forma a respeitar as necessidades dos pais e evitar que se sintam uma sobrecarga para os filhos. Daí a importância de o idoso concentrar esforços para, nos mais diversos sentidos, não se entregar à inatividade, evitando o mais possível o sentimento de dependência da família que tanto o aflige.

Os idosos alimentam a expectativa de receberem atenção e cuidados dos filhos e netos no momento em que perderem ou tiverem suas capacidades físicas e intelectuais diminuídas, fantasma constante a perseguir e preocupar os mais velhos. Essa dependência se caracteriza num verdadeiro acordo tácito, ou seja, uma negociação na qual os pais acalentam a expectativa de obter, no momento que necessitarem, a retribuição pela dedicação oferecida à família.

As mudanças que estão ocorrendo nas representações de família nas novas gerações estão exigindo formas alternativas de convívio familiar e reformulação de valores e conceitos. A família brasileira do terceiro milênio está cada vez mais distanciada do modelo tradicional, no qual o idoso ocupava lugar de destaque. Estamos vivendo um importante período de transição e mudanças, no qual se faz necessário o entendimento das transformações sociais e culturais que se vêm processando nas últimas décadas, para enfrentarmos o nosso próprio processo de envelhecimento dentro de expectativas condizentes com as novas formas de organização familiar. No entanto, qualquer que seja a estrutura na qual se organizará a família do futuro, há a necessidade de se manterem os vínculos afetivos entre seus membros e os idosos. Nessa fase da vida, o que o idoso necessita é sentir-se valorizado, viver com dignidade, tranquilidade e receber a atenção e o carinho da família.

- ROGÉRIO COELHO
 
Fontes consultadas:
http://www.clickfamilia.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=84&sid=160.
Revista da PUC/SP, ano I, nº. 8, de novembro de 2000.
Tribuna do Vale do Parapanema nº 1179.
O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec
O Evangelho segundo o Espiritismo, de Allan Kardec.

Revista eletrônica - O Consolador

Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: lconforjr em 23 de Julho de 2016, 23:46
Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
      Ref resp #36 em: 22 07 16, às 23:56, de Moisés de Cerq
      Moisés citou texto psicografado por Divaldo P Franco, de Joanna de Ângelis:
      Texto: Velhice - A vida, para desenvolver-se, exige energia. O envelhecimento, resultado do desgaste energético, é fenômeno natural. Irreversível, a idade conquista espaço no organismo humano, combalindo-lhe as forças e conduzindo-o à desencarnação.
      Luis: na intenção de sempre, que é entender, tenho de perguntar: porq o envelhecimento tem de vir acompanhado de males que fazem sofrer aquele que envelhece, e tantas vezes de maneira tão cruel que seus efeitos levam também sofrimentos a familiares e amigos? A doutrina espírita afirma que, considerando a perfeita justiça divina, todos os sofrimentos, sem exceção, são impostos somente àqueles que merecem sofrer e que só merecem sofrer aqueles que, propositadamente, transgridem as leis de Deus! (Exceções: os sofrimentos decorrentes de provas solicitadas e de missões assumidas). Isso significa que todos esses idosos que vemos sofrendo os efeitos da velhice, decidiram desrespeitar as leis de Deus? É isso mesmo?
      Texto: A velhice é quadra abençoada da existência planetária, que nem todos têm oportunidade de alcançar. Repositório de experiências, é campo de sabedoria a serviço da vida.
      Conf: aqui está um ponto que exige muito raciocínio e que, apesar de muito raciocinar, não consigo entender: como dizer isso, que a velhice é “quadra abençoada da existência” se o que todos vemos no mundo é essa quadra sempre acompanhada de males de todas as espécies que fazem sofrer os que envelhecem e mesmo aqueles que o rodeiam?
...
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 24 de Julho de 2016, 17:57
Meus irmãos de estudo bom dia. - Honrai o vosso pai e a vossa mãe -
Meus amigos vejam bem. O envelhecimento é um processo natural de toda matéria na
natureza, não será diferente com o ser humano que é parte integrante dessa natureza,
as diferenças se darão por conta de que o ser é animado por um espírito que lhe dá vida,
e essa vida é continuidade de outras vidas. O que acontece durante uma vida irá interferir
nas vidas subsequentes, isso para nos situarmos melhor, pois a fatores a serem analisados
que dizem respeito a nossa conduta moral. Vejamos então: O espírito em sua nova vida,
isso porque ele está reencarnado para dá continuidades a sua evolução, estará presente
no seio de uma família, pelo tempo que lhes foi determinado para permanecer, ficando
então a partir dai sujeito as vicissitudes da vida. E é justamente na questão moral que se
dará às suas variações, vejamos então: Um filho recebe dos pais inicialmente, e até um
certo período da sua vida, amor, carinho e dedicação, o que ele deve fazer então para
retribuir a isso? Dá aos pais já envelhecidos o mesmo tratamento que lhes foi dispensado,
quando eram crianças,esse é o ideal por assim dizer, mas isso nem sempre acontece. Por
isto o lado moral é visto com atenção. Por isto meus irmãos, não poderá se dizer então
que se tem um moral elevada diante da família se for negligenciado essa parte.
Assim eu penso.
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 25 de Julho de 2016, 17:04
Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
      Ref resp #36 em: 22 07 16, às 23:56, de Moisés de Cerq
      Moisés citou texto psicografado por Divaldo P Franco, de Joanna de Ângelis:
      Texto: Velhice - A vida, para desenvolver-se, exige energia. O envelhecimento, resultado do desgaste energético, é fenômeno natural. Irreversível, a idade conquista espaço no organismo humano, combalindo-lhe as forças e conduzindo-o à desencarnação.
      Luis: na intenção de sempre, que é entender, tenho de perguntar: porque o envelhecimento tem de vir acompanhado de males que fazem sofrer aquele que envelhece, e tantas vezes de maneira tão cruel que seus efeitos levam também sofrimentos a familiares e amigos? A doutrina espírita afirma que, considerando a perfeita justiça divina, todos os sofrimentos, sem exceção, são impostos somente àqueles que merecem sofrer e que só merecem sofrer aqueles que, propositadamente, transgridem as leis de Deus! (Exceções: os sofrimentos decorrentes de provas solicitadas e de missões assumidas). Isso significa que todos esses idosos que vemos sofrendo os efeitos da velhice, decidiram desrespeitar as leis de Deus? É isso mesmo?
Olá Luis
Sua observação é boa e pertinente ao assunto
Nos leva a aprofundarmos em um seríssimos estudo do que realmente venha a ser as leis de Deus
Sobre o envelhecer e o sofrimento que decorrem da velhice
Não nos esqueçamos que nem todos se previnem, se preparam como devem
Levamos a velhice resultados de abusos perpetrados impiedosamente ao nosso corpo físico
Como: Alimentação exagerada e desequilibrada, vida sedentária, vícios do tabaco, vícios do álcool  hoje acentua-se tantas outras drogas. medicamentos em abuso, enfim enumeraríamos um infinidades de descuidos
Fora as questões psíquicas relacionadas a educação e também aos problemas de ordem emocional...
Enfim!... o porquês começam a trazer luzes a nós...
E assim não está tão dificil compreender certas diferenças
Além da própria decrepitude natural do corpo físico
Citar
      Texto: A velhice é quadra abençoada da existência planetária, que nem todos têm oportunidade de alcançar. Repositório de experiências, é campo de sabedoria a serviço da vida.
      Conf: aqui está um ponto que exige muito raciocínio e que, apesar de muito raciocinar, não consigo entender: como dizer isso, que a velhice é “quadra abençoada da existência” se o que todos vemos no mundo é essa quadra sempre acompanhada de males de todas as espécies que fazem sofrer os que envelhecem e mesmo aqueles que o rodeiam?
...

Para aqueles que chegam a velhice consorciados a toda prevenção e preparação moral para a mesma...
Há sim de se concluir que este homem e ou mulher prudente, após vencer várias vicissitudes da vida, chegam a velhice com um caráter mais polido, com uma moral mais compreendida
será útil a sociedade por ser um representante direto da experiência da vida

os que padecem as mazelas do corpo físico e ainda as doenças que adquiriu
fora sua própria desvalorização moral
Bom!
É como perder uma quadra na sua caminhada
e pra não dizer
perde vários quarteirões e até mesmo uma vila inteira

Abraços
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Antonio Renato em 26 de Julho de 2016, 01:01
Meus irmãos de estudos boa noite. - Honrai vosso pai e vossa mãe -
Meus amigos, não é regra, mas é que normalmente acontece com todos nós, a velhice
sempre vem acompanhada de sofrimentos, isso porque no decorrer da nossa vida
material não cuidamos devidamente do corpo físico, assim como foi colocado pelo nosso
irmão Moisés. Em geral, salvo às exceções, as agressões que sofremos pelo modo de
vida que se costuma ter, trazem consequências desagradáveis que só vem a ser sentidas
na velhice. São poucos os que na verdade procuram ter uma vida regrada, se preparando
para a velhice. É natural as decrepitudes que o corpo físico experimenta, como também
às vicissitudes da vida, que vai tirando aos pouco o vigor que é próprio de um corpo
jovem.
Portanto meus irmãos, o que se sofre na velhice, é o reflexo do que foi feito ao corpo
físico, durante a vida de espírito encarnado.
 
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Dothy em 26 de Julho de 2016, 22:09
Boa noite... Bom estudo a todos

  O mandamento: "Honrai a vosso pai e a vossa mãe" é um corolário da lei geral de caridade e de amor ao próximo, visto que não pode amar o seu próximo aquele que não ama a seu pai e a sua mãe; mas, o termo honrai encerra um dever a mais para com eles: o da piedade filial. Quis Deus mostrar por essa forma que ao amor se devem juntar o respeito, as atenções, a submissão e a condescendência, o que envolve a obrigação de cumprir-se para com eles, de modo ainda mais rigoroso, tudo o que a caridade ordena relativamente ao próximo em gera!. Esse dever se estende naturalmente às pessoas que fazem as vezes de pai e de mãe, as quais tanto maior mérito têm, quanto menos obrigatório é para elas o devotamento. Deus pune sempre com rigor toda violação desse mandamento.
            Honrar a seu pai e a sua mãe, não consiste apenas em respeitá-los; é também assisti-los na necessidade; é proporcionar-lhes repouso na velhice; é cercá-los de cuidados como eles fizeram conosco, na infância. (O Evangelho Segundo o Espiritismo. Cap. 14. Item 3 . Allan Kardec).
            O Espírito Scheilla recomenda: ''Nunca deixes um velho sem o teu sorriso ou um aperto de mãos. Vê o que podes fazer por ele, com alegria e afeto. Se já chegou a velhice dele, a tua se encontra a caminho, não te iludas. E poderás ser mais necessitado que ele.
            (...) Trata os velhos com benevolência. Canta para eles, se tiveres esse dom aflorado. Lê para eles, e conta histórias que possam alegrá-los. Mais tarde, escutarás, de outros lábios, a fala e a música, cujas sementes plantastes, nos corações dos que estavam partindo para a espiritualidade.'' (Chão de Rosas. Espírito Scheilla. João Nunes Maia).
            Nesse sentido, a piedade filial é das mais significativas manifestações de amor que o Espírito se deve impor, ampliando a área dos sentimentos e acrescentando outros deveres, quais os de gratidão, respeito e ternura impostergáveis.
            Quando se trata de pessoas não vinculadas através do sangue, mas que se tornaram pais adotivos ou os representam, esse é ainda muito maior, considerando-se que o afeto de que se fizeram objeto possui um caráter mais grandioso, porque destituído da obrigatoriedade que a injunção carnal impõe, quando ocorre a edificação da família. Esse formoso conceito expresso no amar pai e mãe, não se restringe somente ao afeto, à consideração enquanto se encontrem sob sua dependência econômica e civil, mas sobretudo, quando lhes advêm a velhice, o cansaço, a enfermidade e as necessidades que devem ser supridas mediante carinho e devotamento.


Leia mais: http://www.passatempoespirita.com.br/aulas/aula-67-honrar-pai-e-mae/
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 26 de Julho de 2016, 23:40
Uma vez mencionado

"Chão de Rosas"


O mundo em que vives assemelha-se a um chão de Rosas, a receber todo o carinho de Jesus e o amor de Deus.

Devemos interromper, de vez em quando, as nossas cogitações comuns, e meditar sobre as oportunidades valiosas que recebemos, como prêmio da vida, ao ingressarmos nos fluidos da carne.

Tudo para nós é ação benfeitora. Tudo que nos cerca são bênçãos do Criador a nos despertar para mais vida.

Começa no mundo espiritual, o carinho com que os benfeitores nos gratificam, ao nos anunciarem a nossa volta.

E, quando queremos e aceitamos essa viagem de aprendizado, somente encontramos afabilidade, atenção e amparo, no arrumo das nossas bagagens.

Todas as estradas são floridas, mesmo que os nossos olhos a vejam em formas de espinhos. Na profundidade, são flores que educam e instruem. É por isso que chamamos o ingresso na carne Chão de Rosas.

Pessoalmente, passamos por situações dolorosas quando na Terra, animando um corpo. Mas, depois, compreendemos que as trilhas pelas quais andamos foram as mais produtivas para a nossa experiência terrena, por tirar delas as mais ricas lições de amor e de vida, para com o coração torturado. Hoje, colhemos os frutos do que pudemos fazer em favor dos desesperados, face às lutas.

Dentro de nós nada falta. Existem todos os recursos apreciáveis, de modo a ajudar-nos, com eficiência, em todas as dificuldades que surgirem em nossos caminhos. Estamos, pois, preparados para a luta, e o dever é lutar contra as nossas imperfeições, transformando-as em atividades do Bem, que vibra, sempre, na consciência, e se nos faz visível em toda parte da vida.

Onde estiveres, meu irmão, encontrar-te-ás num Chão de Rosas, desfrutando do perfume do Amor, fragrância que reacende os corações carentes. Compartilha da caravana da fraternidade, cujo ambiente é o universo. Sê cidadão do mundo sem limites.

Vamos materializar o Bem, em todos os ângulos da existência, e fazer com que o Amor não perca a luminosa estrada dos nossos corações, onde deve nascer o Cristo de Deus a nos mostrar a felicidade.

Tornamos a afirmar que a Terra é, pois, um Chão de Rosas, com as bênçãos de Deus a se mostrarem nas mínimas coisas: desde o pingo d'água, até os oceanos, dos elementos periódicos, aos mundos que circulam na criação do Grande Soberano, dos primeiros movimentos das células isoladas, à maravilhosa harmonia do corpo humano, a manifestar a inteligência racional e iluminada de Evangelho.

Se quiseres, poderás sentir e ver tudo florido, por onde andas, a convidar-te para o banquete celestial, pelas palavras inarticuladas dos ventos, das águas, das árvores, dos pássaros, das estrelas, de tudo que puderes observar, desde que tenhas carinho em teus gestos e amor no coração.

Não percas a oportunidade, tu que estás animando um corpo. Abraça esse Chão de Rosas, como sendo oferta do progresso, e serás abençoado pelos frutos que deverás colher, assinalando a tua vida na correspondência da sementeira que lançaste no seio do solo.

Que Deus e Jesus nos abençoem a todos, onde estivermos, dando início, se ainda não começamos, à prática do Bem, pelo Amor, e da Caridade, por Dever.

Espírito: Sheila
Médium: João Nunes Maia
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: M.Altino em 31 de Julho de 2016, 10:42
Amigos e ternos companheiros deste cantinho de muita paz e onde sempre temos o nosso estudo é com muito carinho que vos dou o meu bom dia sereno e ao mesmo tempo agradecer de forma muito carinhosa ao prezado amigo António Renato pela sua grande entrega ao estudos..........Muito Obrigado amiga que tenha sempre a proteção Espiritual na sua caminhada..................
Agora também quero dar as boas vindas muito sinceras ao nosso valoroso amigo Moisés parta que o próximo estudo a começar amanhã seja de muita utilidade a todos nós pelas suas considerações sempre valiosas e oportunas que nos ajudam e compreender melhor esta linda Doutrina............
Com um sincero abraço de muita paz e serenidade este vosso dedicado amigo que embora esteja limitado fisicamente pois o meu lado direito está todo paralisado e já podem imaginar como me é complicado teclar com a mão esquerda sempre estarei aqui para colaborar com  vós queridos amigos..............

Amigos no espaço da Prece Diária sintam que está aberta a todos os que precisam de colocar uma prece pois o espaço é para todos.............

[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Honrai o vosso pai e a vossa mãe (julho, 2016)
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 31 de Julho de 2016, 15:49
Os Pais Envelhecem

- Reflexão Espírita

Talvez a mais rica, forte e profunda experiência da caminhada humana seja a de ter um filho.

Plena de emoções, por vezes angustiante, ser pai ou mãe é provar os limites que constituem o sal e o mel do ato de amar alguém.

Quando nascem, os filhos comovem por sua fragilidade, seus imensos olhos, sua inocência e graça.
Basta vê-los para que o coração se alargue em riso e cor. Um sorriso é capaz de abrir as portas de um paraíso.
Eles chegam à nossa vida com promessas de amor incondicional. Dependem de nosso amor, dos cuidados que temos. E retribuem com gestos que enternecem.

Mas os anos passam e os filhos crescem. Escolhem seus próprios caminhos, parceiros e profissões. Trilham novos rumos, afastam-se da matriz.

O tempo se encarrega da formação de novas famílias. Os netos nascem. Envelhecemos. E então algo começa a mudar.

Os filhos já não têm pelos pais aquela atitude de antes. Parece que agora só os ouvem para fazer críticas, reclamar, apontar falhas.

Já não brilha mais nos olhos deles aquela admiração da infância e isso é uma dor imensa para os pais.

Por mais que disfarcem, todo pai e mãe percebe as mínimas faíscas no olho de um filho.

É quando pais idosos, dizem para si mesmos: Que fiz eu? Por que o encanto acabou? Por que meu filho já não me tem como seu herói particular?

Apenas passaram-se alguns anos e parece que foram esquecidos os cuidados e a sabedoria que antes era referência para tudo na vida.

Aos poucos, a atitude dos filhos se torna cada vez mas impertinente. Praticamente não ouvem mais os conselhos.

A cada dia demonstram mais impaciência. Acham que os pais têm opiniões superadas, antigas.

Pior é quando implicam com as manias, os hábitos antigos, as velhas músicas. E tentam fazer os velhos pais se adaptarem aos novos tempos, aos novos costumes.

Quanto mais envelhecem os pais, mais os filhos assumem o controle. Quando eles estão bem idosos, já não decidem o que querem fazer ou o que desejam comer e beber. Raramente são ouvidos quando tentam fazer algo diferente.

Passeios, comida, roupas, médicos - tudo passa a ser decidido pelos filhos.

E, no entanto, os pais estão apenas idosos. Mas continuam em plena posse da mente. Por que então desrespeitá-los?

Por que tratá-los como se fossem inúteis ou crianças sem discernimento?

Sim, é o que a maioria dos filhos faz. Dá ordens aos pais, trata-os como se não tivessem opinião ou capacidade de decisão.

E, no entanto, no fundo daqueles olhos cercados de rugas, há tanto amor. Naquelas mãos trêmulas, há sempre um gesto que abençoa, acaricia.

* * *

A cada dia que nasce, lembre-se, está mais perto o dia da separação. Um dia, o velho pai já não estará aqui.

O cheiro familiar da mãe estará ausente. As roupas favoritas para sempre dobradas sobre a cama, os chinelos em um canto qualquer da casa.

Então, valorize o tempo de agora com os pais idosos. Paciência com eles quando se recusam a tomar os remédios, quando falam interminavelmente sobre doenças, quando se queixam de tudo.

Abrace-os apenas, enxugue as lágrimas deles, ouça as histórias (mesmo que sejam repetidas) e dê-lhes atenção, afeto...

Acredite: dentro daquele velho coração brotarão todas as flores da esperança e da alegria.

Redação do Momento Espírita.

Autor: Momento Espírita
Autor desconhecido