Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Outros Estudos => Tópico iniciado por: evangelico em 28 de Maio de 2012, 19:48

Título: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 28 de Maio de 2012, 19:48
Histórias de crucificados muito parecidas com a de Jesus:

    Divindade: Quetzalcóatl
    Onde: México
    Quando: 587 A.C.

Venerado por astecas, toltecas e maias, seu nome combina “quetzal” (uma ave nativa, com belas plumas) e “cóatl” (serpente). Também nasceu de uma mãe virgem para livrar os homens de seus pecados. Foi batizado na água, ungido com óleos e jejuou por 40 dias. Crucificado entre dois ladrões, renasceu e subiu aos céus.

    Divindade: Esus
    Onde: Bretanha
    Quando: 834 A.C.

Nasceu da virgem Mayence, hoje representada como uma santa envolta em 12 estrelas e uma serpente aos pés. Foi crucificado em um carvalho, considerada “a árvore da vida”, entre um elefante (que simbolizaria a magnitude dos pecados da humanidade) e um cordeiro (alusão à pureza de quem se oferece para o sacrifício divino).
O poeta romano Lucano (39-65) não estabelece de que maneira Esus (essa é a grafia correta) teria morrido.

    Divindade: Prometeu
    Onde: Grécia
    Quando: Não é possível estabelecer uma data para a sua morte

Foi o Titã que libertou e “iluminou” a raça humana ao lhe dar o fogo dos deuses. Por essa ousadia, foi condenado por Zeus a viver pregado numa rocha, com o fígado devorado por uma águia. Para os gregos, era nesse órgão que ficavam os sentimentos, e não no coração.

    Divindade: Bali
    Onde: Índia
    Quando: 725 A.C.

Segundo o historiador Godfrey Higgins, a cidade de Mahabalipore, na Índia, traz registros dessa crucificação, que também teria servido para limpar nossos pecados. “Bali” significa “Segundo Senhor” – ele integrava uma trindade que compunha um só Deus. Era cultuado como Deus e como filho Dele.

    Divindade: Indra
    Onde: Tibete
    Quando: 725 A.C.

Sua mãe, virgem, era negra. Indra também. Acreditava-se que ele tinha poderes extraordinários, como prever o futuro, andar sobre as águas e levitar. Indra era um deus guerreiro, que não pregava a paz, e defendia que a castidade era o único caminho para se tornar santo.

    Divindade: Krishna
    Onde: Índia
    Quando: 900 A.C.

Tem muitos pontos em comum com Jesus. Segundo textos hindus, como o Bhagavata Purana e o Mahabaratha, seu nascimento estava previsto em um livro sagrado. Para evitar que a profecia se concretizasse, o governante da região mandou matar todos os recém-nascidos. Sua mãe era uma virgem de origem humilde, que recebeu a visita de pastores quando deu à luz. Krishna peregrinou por regiões rurais dando sermões, curando doentes e operando milagres, como a multiplicação de peixes. Recomendava aos discípulos que amassem seus inimigos. Segundo alguns relatos, teria sido crucificado – assim como Jesus, entre dois ladrões e aos 33 anos. Ressuscitou no terceiro dia e subiu aos céus, mas avisou que ainda voltaria à Terra.
Em uma segunda versão dos fatos, Krishna teria sido vítima de flechada, aos 125 anos. Sua mãe, Devaki, não era virgem.

    Divindade: Sakia
    Onde: Índia
    Quando: 600 A.C.

Nasceu para expiar os pecados do mundo e sua mãe era chamada por seus seguidores de Virgem Sagrada. Assim como Jesus, operou milagres e curou doentes. Foi tentado pelo diabo e deixou mandamentos como “não matarás”, “não roubarás”, “não pecarás”, “não cometerás adultério” e “não mentirás”. Ficou eternizado pelo símbolo da cruz.

    Divindade: Alceste
    Onde: Grécia
    Quando: 600 A.C.

É o único caso de que se tem relato sobre uma mulher sendo crucificada para livrar a humanidade dos próprios pecados. Ela também era parte de uma Santíssima Trindade. A morte da deusa gera controvérsia: algumas versões defendem que ela deu a vida para salvar o marido, Eurípedes. Como recompensa, teria ressuscitado ainda mais bela. Humana, Alceste teria sido levada pelo deus da morte, Tanatos.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 28 de Maio de 2012, 22:49
A doutrina amigo Evangélico,
não se apega a coincidências, ao contrário, diz-las não existir.
abraços,
Moura
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: NIKITA10 em 28 de Maio de 2012, 23:35
A explicação, à luz da racionalidade para mim, é que a bíblia, sendo um livro mitológico escrito por seres humanos, copiou de outras estórias mitológicas seus textos.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 29 de Maio de 2012, 00:17
A doutrina amigo Evangélico,
não se apega a coincidências, ao contrário, diz-las não existir.
abraços,
Moura

Caro Moura,
Não sou protestante, meu nick evangelico se dá em razão de buscar seguir o Evangelho, sou Espírita.
Tais fatos colacionados por mim, são fatos históricos colocados resumidamente num site isento (no sentido de não ser vinculado a nenhuma religião).
Como já mencionei, sou Espírita e procuro estudar a doutrina colocando os contrapontos, neste sentido, como explicar a mesma história contada por diferentes povos e em tempos distintos?
Grande abraço
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 30 de Maio de 2012, 14:54
Cara Elisabete Souza Rodrigues, já baixei as "Cartas de Cristo", prometo lê-las com carinho, mas não dá para adiantar alguma coisa a respeito do tema?
Grande abraço
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 30 de Maio de 2012, 16:29
Valeu mano evangélico,
por sua explicação, fico mais tranquilo para lhe explicar uma coisa:Temos por modelo e guia de perfeição moral a Jesus, certo?
Ora, falamos tão somente m moral, mas a doutrna que também elenca a moral como uma das condições de elevação espiritual, fala-nos, também no intelecto.
Ao analisar certas máximas trazidas por Jesus, kardec ceditou a obra a que, primeiramente deu o titulo de "A Imitação do Evangelho", e que depois veio a trocar por O Evangelho segundo o Espiritismo", note bem nesta obra de sua autoria, o codificador elenca apenas algumas das máximas mas não todas.
Como estamos a trocar idéias sobre a doutrina, é esta a que devamos seguir, primeiro porque o computo de seus ensinos vai bem além e trata de assuntos bem diversos do que os tratados pelo ESE, sendo assim, querer guiar-se, como o amigo diz, tendo o Evangelho por doutrina é um pensamento desfocado já que a obra O ESE não é uma obra básica e de autoria de kardec enquanto OLE, que trás na explicação "Esta obra contém toda a doutrina conforme foi ditada pelos Espíritos Superiores" é que é o foco central pois trata da doutrina, e esta já contém as máximas preconizadas na outra obra.
Nessa postagem só tentei explicar essa coisa pois que vejo que muitos pensam sem muita exatidão sobre o que seja a doutrina.
Abraços,
Moura


A doutrina amigo Evangélico,
não se apega a coincidências, ao contrário, diz-las não existir.
abraços,
Moura

Caro Moura,
Não sou protestante, meu nick evangelico se dá em razão de buscar seguir o Evangelho, sou Espírita.
Tais fatos colacionados por mim, são fatos históricos colocados resumidamente num site isento (no sentido de não ser vinculado a nenhuma religião).
Como já mencionei, sou Espírita e procuro estudar a doutrina colocando os contrapontos, neste sentido, como explicar a mesma história contada por diferentes povos e em tempos distintos?
Grande abraço
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Norizonte da Rosa em 30 de Maio de 2012, 16:57
Amigo Moura, agora você me deu um nó, não sei se entendi bem, mas 'O Evangelho Segundo o Espiritismo' não seria uma obra básica?

Mas não é 'segundo' o Espiritismo?

O que seria obra básica para você?

Abraço.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 30 de Maio de 2012, 18:33
Pelo que sei meu irmão evangélico, não são apenas os luteranos, antigamente chamados de protestantes, que são evangélicos, existe uma infinidade de igrejas com essa denominação, parece-me que são em torno de 32 mil.
Alem disso, esse site deve ser de alguma associação de ateus, pois que ja vi essas afirmações feitas por um grupo de ateus.
Livros sagrados, como a biblia, existem tambem aos montes, mas mesmo Ghandi, afirmou que se todos se perdessem, badtaria que sobrasse o sermão da montanha, do evangelho de Jesus.
Sou casado com uma evangélica, cuja familia é bem envolvida com as lides da sua igreja e uma coisa que para mim esta ficando claro, é que pouco importa acreditar ou não em reencarnação, ou que o Cristo ressucitou. O importante é sermos melhores.
Mas tambem acho que a DE é a melhor maneira de compreendermos essa verdade.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 30 de Maio de 2012, 20:48
Grande Moura,
Entenda que não leio apenas o ESE, mas a Bíblia também, quando falo em evangelho isso engloba a boa nova trazida por Jesus em grande parte mal interpretada, ou deturpada, ao longo dos séculos.
Não deixo der ler o LE, mas cada dia é uma nova descoberta para mim, sou um Espírita muito recente, era Católico e acabei me aproximando do Espiritismo em razão de minha esposa ser, conheci melhor a doutrina e derrubei muitos preconceitos.
Com o Espiritismo descobri que não posso conhecer a Verdade sem abrir minha mente para o conhecimento, por isso não me limito a uma só obra, pode ficar tranquilo.
Na minha concepção, espero não estar equivocado, a doutrina espírita também não está limitada apenas às obras de Kardec, mas em constante expansão, caso contrário, desnecessários seriam os contatos mediúnicos.
Agora, voltando ao tema proposto, podes me ajudar? A Bíblia seria uma colcha de retalhos e os relatos, como esse da crucificação entre ladrões, virgem, enfim, todas essas coincidências nas histórias das religiões com a história de Jesus Cristo apenas uma nova roupagem para velhos contos?
Abração



Valeu mano evangélico,
por sua explicação, fico mais tranquilo para lhe explicar uma coisa:Temos por modelo e guia de perfeição moral a Jesus, certo?
Ora, falamos tão somente m moral, mas a doutrna que também elenca a moral como uma das condições de elevação espiritual, fala-nos, também no intelecto.
Ao analisar certas máximas trazidas por Jesus, kardec ceditou a obra a que, primeiramente deu o titulo de "A Imitação do Evangelho", e que depois veio a trocar por O Evangelho segundo o Espiritismo", note bem nesta obra de sua autoria, o codificador elenca apenas algumas das máximas mas não todas.
Como estamos a trocar idéias sobre a doutrina, é esta a que devamos seguir, primeiro porque o computo de seus ensinos vai bem além e trata de assuntos bem diversos do que os tratados pelo ESE, sendo assim, querer guiar-se, como o amigo diz, tendo o Evangelho por doutrina é um pensamento desfocado já que a obra O ESE não é uma obra básica e de autoria de kardec enquanto OLE, que trás na explicação "Esta obra contém toda a doutrina conforme foi ditada pelos Espíritos Superiores" é que é o foco central pois trata da doutrina, e esta já contém as máximas preconizadas na outra obra.
Nessa postagem só tentei explicar essa coisa pois que vejo que muitos pensam sem muita exatidão sobre o que seja a doutrina.
Abraços,
Moura


Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 30 de Maio de 2012, 21:14
Mano evangélico, a doutrina, como doutrina está sujeita ao método investigativo pela qual foi construída pelos Espíritos Superiores, então sim, com sabemos que apenas os Espíritos Superiores podem, trazer Revelações Espíritas (como doutrina), ela fica amarrada aos livros já editados.
Fora dela, as obras que não se sujeitaram ao método têm caráter de opiniões pessoais.

Já sobre a bíblia e suas passagens, só posso dizer do que ainda estudo, por parte dos historiadores, e no meu caso firmo-me mais nos historiadores judeus.
Há ainda hoje, mano, uma espécie de dissidência ou melhor dizendo de cisma entre os historiadores, sobre certos fatos narrados. na verdade sobre alguns não se tem mesmo, ainda hoje, nem a certeza de que quem os assina fora quem tivesse escrito e que tivesse estado no momento em que tais fatos sucederam.
Aliás, esse cisma, ou diferença de interpretações é conhecido mesmo por quem conhece a fundo os evangelhos aqui mesmo no Brasil.
Esta a razão de no meu caso apenas estudar a tudo que me chegue aos olhos deste grupo de historiadores, quer os judeus, ou os de outra crença, brasileiros ou não. apenas estudo, mas ainda não posso dar nenhuma opinião pois não tenho nenhuma conclusão formada.
Abraços,
Moura

Grande Moura,
Entenda que não leio apenas o ESE, mas a Bíblia também, quando falo em evangelho isso engloba a boa nova trazida por Jesus em grande parte mal interpretada, ou deturpada, ao longo dos séculos.
Não deixo der ler o LE, mas cada dia é uma nova descoberta para mim, sou um Espírita muito recente, era Católico e acabei me aproximando do Espiritismo em razão de minha esposa ser, conheci melhor a doutrina e derrubei muitos preconceitos.
Com o Espiritismo descobri que não posso conhecer a Verdade sem abrir minha mente para o conhecimento, por isso não me limito a uma só obra, pode ficar tranquilo.
Na minha concepção, espero não estar equivocado, a doutrina espírita também não está limitada apenas às obras de Kardec, mas em constante expansão, caso contrário, desnecessários seriam os contatos mediúnicos.
Agora, voltando ao tema proposto, podes me ajudar? A Bíblia seria uma colcha de retalhos e os relatos, como esse da crucificação entre ladrões, virgem, enfim, todas essas coincidências nas histórias das religiões com a história de Jesus Cristo apenas uma nova roupagem para velhos contos?
Abração



Valeu mano evangélico,
por sua explicação, fico mais tranquilo para lhe explicar uma coisa:Temos por modelo e guia de perfeição moral a Jesus, certo?
Ora, falamos tão somente m moral, mas a doutrna que também elenca a moral como uma das condições de elevação espiritual, fala-nos, também no intelecto.
Ao analisar certas máximas trazidas por Jesus, kardec ceditou a obra a que, primeiramente deu o titulo de "A Imitação do Evangelho", e que depois veio a trocar por O Evangelho segundo o Espiritismo", note bem nesta obra de sua autoria, o codificador elenca apenas algumas das máximas mas não todas.
Como estamos a trocar idéias sobre a doutrina, é esta a que devamos seguir, primeiro porque o computo de seus ensinos vai bem além e trata de assuntos bem diversos do que os tratados pelo ESE, sendo assim, querer guiar-se, como o amigo diz, tendo o Evangelho por doutrina é um pensamento desfocado já que a obra O ESE não é uma obra básica e de autoria de kardec enquanto OLE, que trás na explicação "Esta obra contém toda a doutrina conforme foi ditada pelos Espíritos Superiores" é que é o foco central pois trata da doutrina, e esta já contém as máximas preconizadas na outra obra.
Nessa postagem só tentei explicar essa coisa pois que vejo que muitos pensam sem muita exatidão sobre o que seja a doutrina.
Abraços,
Moura



Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 30 de Maio de 2012, 22:48
Histórias de crucificados muito parecidas com a de Jesus:

    Divindade: Quetzalcóatl
    Onde: México
    Quando: 587 A.C.

Venerado por astecas, toltecas e maias, seu nome combina “quetzal” (uma ave nativa, com belas plumas) e “cóatl” (serpente). Também nasceu de uma mãe virgem para livrar os homens de seus pecados. Foi batizado na água, ungido com óleos e jejuou por 40 dias. Crucificado entre dois ladrões, renasceu e subiu aos céus.

    Divindade: Esus
    Onde: Bretanha
    Quando: 834 A.C.

Nasceu da virgem Mayence, hoje representada como uma santa envolta em 12 estrelas e uma serpente aos pés. Foi crucificado em um carvalho, considerada “a árvore da vida”, entre um elefante (que simbolizaria a magnitude dos pecados da humanidade) e um cordeiro (alusão à pureza de quem se oferece para o sacrifício divino).
O poeta romano Lucano (39-65) não estabelece de que maneira Esus (essa é a grafia correta) teria morrido.

    Divindade: Prometeu
    Onde: Grécia
    Quando: Não é possível estabelecer uma data para a sua morte

Foi o Titã que libertou e “iluminou” a raça humana ao lhe dar o fogo dos deuses. Por essa ousadia, foi condenado por Zeus a viver pregado numa rocha, com o fígado devorado por uma águia. Para os gregos, era nesse órgão que ficavam os sentimentos, e não no coração.

    Divindade: Bali
    Onde: Índia
    Quando: 725 A.C.

Segundo o historiador Godfrey Higgins, a cidade de Mahabalipore, na Índia, traz registros dessa crucificação, que também teria servido para limpar nossos pecados. “Bali” significa “Segundo Senhor” – ele integrava uma trindade que compunha um só Deus. Era cultuado como Deus e como filho Dele.

    Divindade: Indra
    Onde: Tibete
    Quando: 725 A.C.

Sua mãe, virgem, era negra. Indra também. Acreditava-se que ele tinha poderes extraordinários, como prever o futuro, andar sobre as águas e levitar. Indra era um deus guerreiro, que não pregava a paz, e defendia que a castidade era o único caminho para se tornar santo.

    Divindade: Krishna
    Onde: Índia
    Quando: 900 A.C.

Tem muitos pontos em comum com Jesus. Segundo textos hindus, como o Bhagavata Purana e o Mahabaratha, seu nascimento estava previsto em um livro sagrado. Para evitar que a profecia se concretizasse, o governante da região mandou matar todos os recém-nascidos. Sua mãe era uma virgem de origem humilde, que recebeu a visita de pastores quando deu à luz. Krishna peregrinou por regiões rurais dando sermões, curando doentes e operando milagres, como a multiplicação de peixes. Recomendava aos discípulos que amassem seus inimigos. Segundo alguns relatos, teria sido crucificado – assim como Jesus, entre dois ladrões e aos 33 anos. Ressuscitou no terceiro dia e subiu aos céus, mas avisou que ainda voltaria à Terra.
Em uma segunda versão dos fatos, Krishna teria sido vítima de flechada, aos 125 anos. Sua mãe, Devaki, não era virgem.

    Divindade: Sakia
    Onde: Índia
    Quando: 600 A.C.

Nasceu para expiar os pecados do mundo e sua mãe era chamada por seus seguidores de Virgem Sagrada. Assim como Jesus, operou milagres e curou doentes. Foi tentado pelo diabo e deixou mandamentos como “não matarás”, “não roubarás”, “não pecarás”, “não cometerás adultério” e “não mentirás”. Ficou eternizado pelo símbolo da cruz.

    Divindade: Alceste
    Onde: Grécia
    Quando: 600 A.C.

É o único caso de que se tem relato sobre uma mulher sendo crucificada para livrar a humanidade dos próprios pecados. Ela também era parte de uma Santíssima Trindade. A morte da deusa gera controvérsia: algumas versões defendem que ela deu a vida para salvar o marido, Eurípedes. Como recompensa, teria ressuscitado ainda mais bela. Humana, Alceste teria sido levada pelo deus da morte, Tanatos.


Creio que a coinscidência retratada

Aponta para a necessidade de se deificar os personagens
envolvidos por aqueles que não compreendiam o que hoje
podemos compreender

A existência de espíritos evoluidos

Daí

A epopéia mitológica
repetindo-se como argumentação plausível.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 31 de Maio de 2012, 02:08
Citar
Creio que a coinscidência retratada
Aponta para a necessidade de se deificar os personagens
envolvidos por aqueles que não compreendiam o que hoje
podemos compreender A existência de espíritos evoluidos
Daí A epopéia mitológica repetindo-se como argumentação plausível.

Desculpa, não entendi, isso quer dizer que a coincidência com a história de Jesus Cristo quer dizer o que? A história foi se repetindo até Jesus reencarnar? A história de Jesus realmente existiu ou foi uma repriste com novos personagens? ou ainda, Jesus existiu mas a história não é bem essa?
Grande abraço
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 31 de Maio de 2012, 02:14
Querido Gustavo,
jamais falei em luteranos, evangélicos e protestantes são a mesma coisa, embora muitos evangélicos sintam-se ofendidos com isso, suas seitas tem a mesma origem e os mesmos dogmas... rebelaram-se contra a Igreja Católica, mas usam a Bíblia, ou seja, conjnto de livros reunidos pelos católicos.
O fato de serem ateus, o que não posso afirmar, os autores do site, não estão eles inventando nada, são fatos históricos.. podiam eles ser Hindus, Islãmicos, Umbandistas...de qualquer forma devemos nos ater aos fatos, se buscamos a verdade. Os livros de arqueologia e história reprisam os mesmos fatos, e não sabemos a crença de seus autores, sabemos apenas que estudaram isso.
Quanto a sermos melhores, pelo que tenho debatido com protestantes, para os mesmos somos salvos pela fé, e não pelas obras, ou seja, se acreditar em Cristo como salvador serás salvo, fazendo ou não boas obras.
Abração


Pelo que sei meu irmão evangélico, não são apenas os luteranos, antigamente chamados de protestantes, que são evangélicos, existe uma infinidade de igrejas com essa denominação, parece-me que são em torno de 32 mil.
Alem disso, esse site deve ser de alguma associação de ateus, pois que ja vi essas afirmações feitas por um grupo de ateus.
Livros sagrados, como a biblia, existem tambem aos montes, mas mesmo Ghandi, afirmou que se todos se perdessem, badtaria que sobrasse o sermão da montanha, do evangelho de Jesus.
Sou casado com uma evangélica, cuja familia é bem envolvida com as lides da sua igreja e uma coisa que para mim esta ficando claro, é que pouco importa acreditar ou não em reencarnação, ou que o Cristo ressucitou. O importante é sermos melhores.
Mas tambem acho que a DE é a melhor maneira de compreendermos essa verdade.

Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 31 de Maio de 2012, 02:35

Grande Moura,
tua humildade e objetividade são ímpares.
Mas tenho a contestar um coisa, se as revelações ficam amarradas aos livros já editados, as comunicações mediúnicas servem para que? Entendo que nada é por acaso.
Temos as obras que se sujeitaram aos métodos enumeradas? Como posso verificar isso, uma vez que sou um mero principiante?
Abraço


Mano evangélico, a doutrina, como doutrina está sujeita ao método investigativo pela qual foi construída pelos Espíritos Superiores, então sim, com sabemos que apenas os Espíritos Superiores podem, trazer Revelações Espíritas (como doutrina), ela fica amarrada aos livros já editados.
Fora dela, as obras que não se sujeitaram ao método têm caráter de opiniões pessoais.

Já sobre a bíblia e suas passagens, só posso dizer do que ainda estudo, por parte dos historiadores, e no meu caso firmo-me mais nos historiadores judeus.
Há ainda hoje, mano, uma espécie de dissidência ou melhor dizendo de cisma entre os historiadores, sobre certos fatos narrados. na verdade sobre alguns não se tem mesmo, ainda hoje, nem a certeza de que quem os assina fora quem tivesse escrito e que tivesse estado no momento em que tais fatos sucederam.
Aliás, esse cisma, ou diferença de interpretações é conhecido mesmo por quem conhece a fundo os evangelhos aqui mesmo no Brasil.
Esta a razão de no meu caso apenas estudar a tudo que me chegue aos olhos deste grupo de historiadores, quer os judeus, ou os de outra crença, brasileiros ou não. apenas estudo, mas ainda não posso dar nenhuma opinião pois não tenho nenhuma conclusão formada.
Abraços,
Moura
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 31 de Maio de 2012, 14:45
Mano Moises, és professor de lingua portuguesa ou andou estudando literatura tambem? rsrsrs
Brincadeiras a parte, e discutia issocom um colega hoje pela manhã,  entendo que a biblia é uma verdade praticamente inquestionável, mas... uma gigantesca metáfora, uma parábola por assim dizer.
Mas concordo com você quando diz que nossa pouca evolução intelectual não permitia compreender certos fenômenos. Coisa que ainda acontece hoje, posto que rotulamos tudo que aconteça de acordo com conceitos ultrapassados.
Mas estamos em caminho, e aos poucos vamos compreendendo, sem pré conceitos, os fatos naturais desconhecidos.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 31 de Maio de 2012, 17:59
Mano Evangélico,
pelo visto o amigo não passou os olhos ao item dois da Introdução ao Estudo da DE tida no ESE, ou mesmo no capítulo I de A Gênese.
remeta a estes dois itens de doutrina, para saber o que é e o que não é doutrina.
As comunicações Espíritas obtidas quer por psicografia ou psicofonia, por exemplo, retratam apenas  a opinião pessoal daquele Espírito.
Este item, ou estes itens anunciados por mim, são princípios básicos de DE outros e portanto são inamovíveis e dos quais nenhum seguidor da doutrina pode se eximir, mesmo em saber.
Abraços,
Moura
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 31 de Maio de 2012, 18:02
Citar
Creio que a coinscidência retratada
Aponta para a necessidade de se deificar os personagens
envolvidos por aqueles que não compreendiam o que hoje
podemos compreender A existência de espíritos evoluidos
Daí A epopéia mitológica repetindo-se como argumentação plausível.

Desculpa, não entendi, isso quer dizer que a coincidência com a história de Jesus Cristo quer dizer o que? A história foi se repetindo até Jesus reencarnar? A história de Jesus realmente existiu ou foi uma repriste com novos personagens? ou ainda, Jesus existiu mas a história não é bem essa?
Grande abraço

SE não entendeu
Não fica chutando as alternativas
uai
(brincadeirinha)
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 31 de Maio de 2012, 18:06
Mano Moises, és professor de lingua portuguesa ou andou estudando literatura tambem? rsrsrs
Brincadeiras a parte, e discutia issocom um colega hoje pela manhã,  entendo que a biblia é uma verdade praticamente inquestionável, mas... uma gigantesca metáfora, uma parábola por assim dizer.
Mas concordo com você quando diz que nossa pouca evolução intelectual não permitia compreender certos fenômenos. Coisa que ainda acontece hoje, posto que rotulamos tudo que aconteça de acordo com conceitos ultrapassados.
Mas estamos em caminho, e aos poucos vamos compreendendo, sem pré conceitos, os fatos naturais desconhecidos.

Sou não moço
Vixiiii
Sou semi alfabetizado
rs
A Minha professora de português...passava como lição de Casa
trocentas e nove análises sintáticas
ai eu peguei trauma
nunca fiz uma sequer

Não poso nem ouvir falar na lingua desta professora
se não me engano ela era Coreana ou Cearena

já me esqueci.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 31 de Maio de 2012, 18:19
Rapaz.. nunca gostei dessa tal de análise sintática... e nunca vi muita utilidade para isso.. rsrsrsrs.
E eu tive uma professora de portugues que era ... austriaca...
Mas idiomas a parte, muito correta e coerente sua citação.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 31 de Maio de 2012, 18:25
No meu tempo (ih, bota tempo nisso), a gente estudava latim, oque dava ao alunado um conhecimento mais forte do português.
Depois como advogado, tive de estudar bem mais a língua portuguesa, e para sedimentar mais o que aprendia, fortifiquei meus estudos no latim.
Não dou daqueles dados a citações em latim, uso-as pouco e para não esquecer hehehe.
ms tento escrever o mais escorreitamente possível, (para a nossa alegria hehehe).
abração,
Moura
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 31 de Maio de 2012, 19:05
Querido Moisés,
Qual seria a alternativa correta na tua interpretação?
Abraço

Citar
Creio que a coinscidência retratada
Aponta para a necessidade de se deificar os personagens
envolvidos por aqueles que não compreendiam o que hoje
podemos compreender A existência de espíritos evoluidos
Daí A epopéia mitológica repetindo-se como argumentação plausível.

Desculpa, não entendi, isso quer dizer que a coincidência com a história de Jesus Cristo quer dizer o que? A história foi se repetindo até Jesus reencarnar? A história de Jesus realmente existiu ou foi uma repriste com novos personagens? ou ainda, Jesus existiu mas a história não é bem essa?
Grande abraço

SE não entendeu
Não fica chutando as alternativas
uai
(brincadeirinha)
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 31 de Maio de 2012, 20:01
Querido Moisés,
Qual seria a alternativa correta na tua interpretação?
Abraço

Citar
Creio que a coinscidência retratada
Aponta para a necessidade de se deificar os personagens
envolvidos por aqueles que não compreendiam o que hoje
podemos compreender A existência de espíritos evoluidos
Daí A epopéia mitológica repetindo-se como argumentação plausível.

Desculpa, não entendi, isso quer dizer que a coincidência com a história de Jesus Cristo quer dizer o que? A história foi se repetindo até Jesus reencarnar? A história de Jesus realmente existiu ou foi uma repriste com novos personagens? ou ainda, Jesus existiu mas a história não é bem essa?
Grande abraço

SE não entendeu
Não fica chutando as alternativas
uai
(brincadeirinha)

Evangelico na verdade eu não respondi
apenas brinquei
(peço desculpas)

Talvez a coincidência seja a de que
temos varios e diferenciados entendimentos
para não optarmos unicamente para a coincidência.

Que pensa?
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 31 de Maio de 2012, 20:44
Sabe Moura, na minha adolescencia queria ser advogado, acho ate que tinha jeito... rsrsrs
Mas acabei indo, graças a um tal de plano cruzado, para a administração de empresas, profissão da qual me orgulho tambem.
Mas confesso que depois de ter estudado um pouco de ingles, sem concluir, tenho curiosidade pelo hebraico para poder buscar informações direto na fonte...rsrsrs
Mas o ingles me faz falta, não achei em portugues o livro do rabino Avraham Brandwein que achei interessante.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 31 de Maio de 2012, 22:44
Amigo Moisés,
penso que é uma história recontada, assim como a lenda do dilúvio contada pelos sumérios, antigos habitantes do Irã, os quais existiam 3000 a.C., onde é contada a história do semi-deus gilgamesh, em que uma familia contrói um barco para fugir desse dilúvio... igual à história de Noé.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 01 de Junho de 2012, 13:25
Caro Evangélico, vi certa feita um documentário, creio que no Discovery, falando de uma gigantesca inundação ocorrida naquela região, em tempos idos, e que provavelmente é a origem desse mito.
Alias, a ciência, nossa amiga, tem dismistificado muito do que a biblia relata, não necessariamente desmentindo, mas, bem como na Gênese, dando uma logica mais racional e inteligente para os fatos.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 01 de Junho de 2012, 16:09
Foi no Discovery sim mano Gustavo, eu também assisti.
Abraços,
Moura
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Luzceano em 01 de Junho de 2012, 20:31
Amigo Moura, agora você me deu um nó, não sei se entendi bem, mas 'O Evangelho Segundo o Espiritismo' não seria uma obra básica?

Mas não é 'segundo' o Espiritismo?

O que seria obra básica para você?

Abraço.
Minha amiga, então tira esse nó por que esta escrito no evangelho segundo espiritismo que faz parte das obras basicas sim.
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 02 de Junho de 2012, 16:43
LUZ
primeiro a tradução dando como parte o vocábulo "segundo" nemmesmo correta está.
Segundo em francês é Seconde
Selon em francês quer dizer de acordo com...

Ao traduzir a obra, deixou-se que se colocasse, o que por extensão, pensava-se ser a mesma coisa mas não é.
De acordo com a doutrina não faz de uma obra, que esta seja a  própria doutrina.
É sim uma obra, que esta de acordo com uma doutrina, porém não é, nem doutrina e muito menos básica, porque em nosso caso o que representa o ESE é o produto de certas máximas de moral que ali são estudadas e despidas das alegorias necessárias ao tempo de Jesus.

Estude mais sobre o ESE que vais encontrar isso descrito pelo próprio codificador e logo ao início da obra.
Abraços,
Moura
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 02 de Junho de 2012, 17:01
OLM, nos relata ponto de interesse capitalç para que saibamos bem, com desvendar os engendros dos mistificadores:

"246. Há Espíritos obsessores sem maldade, que são até mesmo bons, mas dominados pelo orgulho do falso saber: têm suas idéias, seus sistemas sobre as Ciências, a Economia Social, a Moral, a Religião, a Filosofia. Querem impor a sua opinião e para isso procuram médiuns suficientemente crédulos para aceitá-las de olhos fechados, fascinando-os para impedir qualquer discernimento do verdadeiro e do falso. São os mais perigosos porque não vacilam em sofismar e podem impor as mais ridículas utopias. Conhecendo o prestígio dos nomes famosos não têm escrúpulo em enfeitar-se com eles e nem mesmo recuam ante o sacrilégio de se dizerem Jesus, a Virgem Maria ou um santo venerado 192.
192 Muitas pessoas aceitam com facilidade as comunicações assinadas por Jesus, Maria, João, Paulo e outras figuras exponenciais da Religião e da História, esquecidas das advertências doutrinárias. Mensagens com assinaturas dessa espécie são sempre suspeitas, pois os Espíritos que habitualmente se comunicam conosco são, pela própria lei de afinidade, mais próximos de nós. (N. do T.)

193 O argumento citado é hoje freqüentemente usado pelos defensores de obras psicográficas dotadas de todas as características mencionadas acima. Claro que o mistificador tem de misturar joio e trigo, pois do contrário ninguém o aceitaria. (N. do T.)"
Abraços,
Moura
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: evangelico em 03 de Junho de 2012, 14:06
LUZ
primeiro a tradução dando como parte o vocábulo "segundo" nemmesmo correta está.
Segundo em francês é Seconde
Selon em francês quer dizer de acordo com...

Ao traduzir a obra, deixou-se que se colocasse, o que por extensão, pensava-se ser a mesma coisa mas não é.
De acordo com a doutrina não faz de uma obra, que esta seja a  própria doutrina.
É sim uma obra, que esta de acordo com uma doutrina, porém não é, nem doutrina e muito menos básica, porque em nosso caso o que representa o ESE é o produto de certas máximas de moral que ali são estudadas e despidas das alegorias necessárias ao tempo de Jesus.

Estude mais sobre o ESE que vais encontrar isso descrito pelo próprio codificador e logo ao início da obra.
Abraços,
Moura

Grande Moura, me desculpa te contestar mas SEGUNDO, CONFORME, DE ACORDO COM, ..., são todos sinônimos.. em português é indiferente dizer segundo o espiritismo, conforme o espiritismo ou de acordo com o espiritismo... isso, a meu ver, não torna a tradução imprecisa.
O que posso afirmar, s.m.j., é que se existe uma interpretação à luz do Espiritismo, então as passagens bíblicas sob análise de fato teriam ocorrido, uma vez que se houvesse dúvida a respeito disso, jamais poderiam, ou deveriam, terem sido interpretadas.
Ora, se os espíritos considerados confiáveis trouxeram tais esclarecimentos, e Kardec compilou-os numa obra, pq o ESE não pode ser considerado uma obra básica?
Grande abraço
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Luzceano em 04 de Junho de 2012, 12:45
Quando se fala de obras basicas do espiritismo esta a se falar sobre tudo que foi escrito sobre o espiritismo e todas as pessoas serias e estudiosas dizem que tudo que Kardec publicou e a obra basica.
Mas o que nos vemos aqui no forum?
Nos vemos o Moura a dizer que o Evangelho Segundo o Espiritismo não faz parte das obras basicas e que tambem não foi escrito pela espiritualidade superior e inclusive existem diversas pessoas que ja estão a repetir a mesma coisa.

INTRODUÇÂO DO EVANGELHO SUGUNDO O ESPIRITISMO
O EVANGELHO SUGUNDO O ESPIRITISMO foi organizado e escrito sob a orientação direta da ESPIRITUALIDADE SUPERIOR...

Agora eu pergunto quem esta a criar doutrina aqui no forum?
Coitado do Kardec não passou pelo CUEE do Moura rsrs :D
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Mourarego em 04 de Junho de 2012, 17:11
As obras básicas amigo, representam as obras que nasceram dos 56 cadernos que sei que oi amigo ainda não tomou conhecimento de que existiram, mesmo já tendo eu falado sobre eles mais de cem vezes.
Ali estavam as mensagens dirigias aos Espíritos Superiores, pelos Espíritos Puros e estes as receberam, segundo dita a doutrina do próprio Deus.
O ESE ou seja a compilação de algumas das máximas da Boa Nova e não de todas elas, foi proposição de Kardec, e deste estudo é que foi composto, primeiramente sob o título de Imitação do Evangelho, título este depois trocado para O Evangelho Segundo o Espiritismo.
Logo, trata-se de obra autoral, e excertada das máximas bíblicas e por esta razão, não pode ser considerada obra básica, mas sim uma das obras da codificação.
Não meu mano, se o amigo houvesse estudado um cadinho mais saberia também que nem todo o escrito de Kardec esteja sob o título de codificação, e olhe que me refiro às obras em que ele trata do tema Espiritismo.

Volte ao ESE e veja no título "I - OBJETIVO DESTA OBRA" (note que o título está na introdução que o amigo disse ter lido.) e verá:


"(...)Como complemento de cada preceito, damos algumas instruções, escolhidas
entre as que foram ditadas pelos Espíritos em diversos países, através de diferentes
médiuns (...)"
Logo, não foi escrito sob ditado dos Espíritos, e nem poderia ser já que bem antes as máximas já eram de conhecimento público por estarem na Boa Nova.
antes de querer fazer piadinhas, estude bem, pois que senão, as piadinhas além de não demonstrarem bom Humor ou inteligência, só o farão "pagar mico", tal como agora.
Abraços,
Moura
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: raphaelheadbanger em 23 de Maio de 2013, 15:18
Bom, não vou me ater ao debate das nomenclaturas e denominações pois considero não ter conhecimentos suficientes para tal.

Sobre a questão proposta pelo tópico, meu ponto de vista é o seguinte?

O que impede que o plano espiritual tenha feito uma "força-tarefa" e enviado um grupo de espíritos elevados à diversos povos para ensinar novos valores?
Vale lembrar que para o plano espiritual, a percepção de tempo é diferente da nossa, e portanto mil anos podem ser somente um breve instante para eles.

Supondo que Jesus seja o líder deste grupo, assumiu a responsabilidade de trazer a renovação ao ocidente (a longo prazo). Sabemos que o plano espiritual nada faz em vão.

Todos passariam então por pelas mesmas coisas, por eram a maneira material de fazer as pessoas compreenderem as coisas naquela época. A cruficificação nos mostra que mesmo o mais elevado dos homens também passa por sofrimentos, mas o que o diferencia é a sua fé e sua resignação.

Também podemos considerar que um mesmo ser tenha passado por vários povos em uma mesma encarnação. Sabemos que a questão de calendários é imprecisa, até mesmo o nosso calendário já passou por diversas reformulações.

Bom, isso são suposições minhas.

Já leste o Bhagavad Gita? Já pesquisastes sobre os ensinamentos de Sidharta Gautama (Buda)? Já lestes o Tao Te Ching, de Lao Tsé?

Em tempos remotos, mesmo antes de Jesus chegar, eles já pregavam o mesmo teor de ensinamentos, e que mesmo nos dias de hoje, se seguidos à risca, podem levar o homem a elevação.

Sei que é importante estudar as formas e a origem das coisas, mas eu hoje me detenho mais no ensino moral da Doutrina (Kardec), pois ao meu ver é o que realmente importa.

Então, baseados no que aprendemos, vamos pegar todos esses grandes "mestres" do passado e veremos que não foi Jesus o único espírito elevao a encarnar em nossa orbe. Entretanto, bem provável (por sua missão) que ele tenha sido O MAIS elevado.

O que pensam, amigos?
Título: Re: Como explicar tantas coincidências à luz do Espiritismo?
Enviado por: Brenno Stoklos em 15 de Março de 2014, 05:01

Então, baseados no que aprendemos, vamos pegar todos esses grandes "mestres" do passado e veremos que não foi Jesus o único espírito elevado a encarnar em nossa orbe. Entretanto, bem provável (por sua missão) que ele tenha sido O MAIS elevado.

O que pensam, amigos?


"Perguntam algumas pessoas: Ensinam os Espíritos qualquer moral nova, qualquer coisa superior ao que disse o Cristo? Se a moral deles não é senão a do Evangelho, de que serve o Espiritismo? Este raciocínio se assemelha notavelmente ao do califa Omar, com relação à biblioteca de Alexandria: “Se ela não contém, dizia ele, mais do que o que está no Alcorão, é inútil. Logo deve ser queimada. Se contém coisa diversa, é nociva. Logo, também deve ser queimada.”

Não, o Espiritismo não traz moral diferente da de Jesus. Mas, perguntamos, por nossa vez: Antes que viesse o Cristo, não tinham os homens a lei dada por Deus a Moisés? A doutrina do Cristo não se acha contida no Decálogo? Dir-se-á, por isso, que a moral de Jesus era inútil? Perguntaremos, ainda, aos que negam utilidade à moral espírita: Por que tão pouco praticada é a do Cristo? E por que, exatamente os que com justiça lhe proclamam a sublimidade, são os primeiros a violar-lhe o preceito capital: o da caridade universal? Os Espíritos vêm não só confirmá-la, mas também mostrar-nos a sua utilidade prática. Tornam inteligíveis e patentes verdades que haviam sido ensinadas sob a forma alegórica. E, justamente com a moral, trazem-nos a definição dos mais abstratos problemas da psicologia.

Jesus veio mostrar aos homens o caminho do verdadeiro bem. Por que, tendo-o enviado para fazer lembrada Sua lei que estava esquecida, não havia Deus de enviar hoje os Espíritos, a fim de a lembrarem novamente aos homens, e com maior precisão, quando eles a olvidam, para tudo sacrificar ao orgulho e à cobiça? Quem ousaria pôr limites ao poder de Deus e traçar-Lhe normas? Quem nos diz que, como o afirmam os Espíritos, não estão chegando os tempos preditos e que não chegamos aos em que verdades mal compreendidas, ou falsamente interpretadas, devam ser ostensivamente reveladas ao gênero humano, para lhe apressar o adiantamento? Não haverá alguma coisa de providencial nessas manifestações que se produzem simultaneamente em todos os pontos do globo?"

                                                           O Livro dos Espíritos