Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => O Evangelho Seg. Espiritismo => Tópico iniciado por: vennus em 17 de Maio de 2009, 06:09

Título: a fé religiosa.
Enviado por: vennus em 17 de Maio de 2009, 06:09
Alguém pode me esclarecer o que quer dizer ao pé da letra
'fé inabalável só é a que pode encarar de frente a razão,em todas as épocas da humanidade"
desde já grata.
Título: Re: a fé religiosa.
Enviado por: Vitor Santos em 17 de Maio de 2009, 08:39
Olá

Citar
Alguém pode me esclarecer o que quer dizer ao pé da letra 'fé inabalável só é a que pode encarar de frente a razão,em todas as épocas da humanidade"

Na minha opinião, fé quer dizer acreditar/ crença.

Se uma crença é cega, nós não sabemos muito bem porque acreditamos. Acreditamos e pronto.

Quando nós acreditamos, mas com um espirito critico, tentando perceber se aquilo que acreditamos tem lógica, se tudo é coerente, se estamos a acreditar em coisas que a ciência prova não serem verdade, a nossa fé é mais forte.

Em resumo:

- O objectivo é procurar sempre a verdade, sem preconceitos. Se a nossa fé vai contra a verdade, mais tarde ou mais cedo, alguém a desmascara e nós entramos em decepção ( a fé vai-se embora). Se procurarmos sempre a verdade, é mais dificil entrarmos em decepção. Podemos não ter certezas absolutas, mas devemos ter o maior grau de certeza possivel para nós.

bem haja
Título: Re: a fé religiosa.
Enviado por: Gigii em 17 de Maio de 2009, 11:48
OLa Vennus

Kardec viveu numa época racionalista..daí que ele desse tanta importância á razão como fonte de verdade.
Com o tempo ele mudou um pouco esta visão.

Mas o que ele quis dizer foi que a fé verdadeira é aquela que haja o que houver permanece segura da existência do Criador e do seu amor por nós.
Título: Re: a fé religiosa.
Enviado por: Vitor Santos em 17 de Maio de 2009, 19:28
Olá Giggi

Citar
Mas o que ele quis dizer foi que a fé verdadeira é aquela que haja o que houver permanece segura da existência do Criador e do seu amor por nós.

Vejo as coisas de uma forma um pouco diferente.

Não passou a época de usarmos a razão para analisar a realidade que nos rodeia. Pelo contrário, quanto maior é a sofistificação tecnológica e comercial, mais temos de usar a razão para nos livrarmos das aldrabices. Não sejamos ingénuos, há muita aldrabice por aí.

Se formos acreditar nos aldrabões todos que andam por aí, a nossa crença, além de irracional, servirá para alimentar vigaristas, pois, em regra, há sempre interesse material onde estão os aldrabões.

Todo o aldrabão se aproveita da máxima de Jesus, em relação a Tomé: "feliz de quem acredita sem ver". Não comparemos o facto de alguém ter convivido com Jesus e depois não o reconhecer (trata-se de um caso especial, que não se pode generalizar, penso eu), como se Jesus tivesse dito para termos uma fé cega e irracional. Eu não acredito que Jesus estivesse a incentivar a fé cega. Porque Jesus falava de seguir a verdade e não de fechar os olhos e acreditar no primeiro vigarista que nos aparece.

A fé cega, por natureza, é uma fé que está dependente de dogmas ou da crença cega  noutras pessoas. Nós devemos ser criticos e racionais em relação aquilo em que acreditamos, não devemos, contudo (penso eu, pelo menos), criticar, julgar ou condenar as crenças ou o que quer que seja nas outras pessoas. Mas também não nos devemos deixar manipular.

Ser critico não é estar contra nem a favor das pessoas que têm uma crença diversa da nossa. Podemos viver todos em paz com crenças diferentes. Eu respeito muito a liberdade de crença, de opinião e de expressão de cada um.

Quando eu digo ser critico é em relação ao que nós próprios acreditamos, não em relação ao que os outros acreditam. A postura critica nem sempre é aceite pelas pessoas. Algumas sentem-se agredidas pelo facto de nós não acreditarmos no mesmo que elas. Mas isso, paciência. Quem está errado é quem se sente agredido, pois a liberdade de opinião e de expressão só ofende aqueles que gostam de oprimir e manipular os outros, ou que são orgulhosos e não gostam de dar o braço a torcer quando não têm razão.

Não vamos ser hipócritas para agradar a toda a gente, mas vamos também ser tolerantes com todos.

Podemos dizer que aquilo que sentimos, também é importante. Sem dúvida. Mas é a simbiose da racionalidade com a nossa intuição, ou seja, coração+razão, que nos podem levar mais perto da verdade. Só racionalidade pode ser pouco, mas só coração é pouco de certeza.

Há técnicas de marketing, como as usadas pelas máquinas comerciais como a igreja do reino de Deus, a igreja maná, que levam milhões de pessoas a levar lá o o seu dinheirinho, para sustentar as moradias, os carros de luxo, os barcos, etc. dos pastores e respectivos auxiliares e do resto da organização. Eles apelam à fé cega. E muitas pessoas lá vão deixar o dinheirito que ás vezes lhes faz tanta falta, no meio do desespero. Se perguntar a essas  pessoas se têm fé, muitas dizem que sim. E talvez alguns consigam ganhar alguma auto-confiança e melhorar a sua situação. Mas muitos outros, passado um tempo caem na amargura da decepção, pois estavam à espera de milagres, coitados.

O mesmo fazem os médiuns vigaristas, uns que nem são médiuns ostensivos, outros que são médiuns mas pedem conselhos aos próprios obsessores, que se apresentam como lobos com pele de cordeiro, sob o nome de um familair, ou de uma figura publica querida das pessoas. Pois espiritos sérios, não alinham em negócios com a espiritualidade. 

O que eu penso que Kardec queria dizer é que a verdade é só uma. Venha ela de onde vier. Nós devemos estar muito atentos, analisar se as coisas têm lógica, se são de acordo com as coisas que já sabemos. Se não forem contra o que já sabemos, então temos de analisar "à lupa", para compreender se estávamos enganados antes e porquê ou se o erro está nas coisas novas e porquê. O mais moderno, não é necessáriamente mais verdade nem mais mentira. Há verdades modernas, como há verdades antigas, há aldrabices modernas, como há aldrabices antigas. A novidade não é sinónimo de verdade.

Se o que nós cremos hoje, se provar amanhã, de forma concludente, que está errado, devemos mudar as nossas crenças, no sentido da verdade, isto se queremos ser o menos enganados possivel.

Há vários tipos de pessoas ditas sábias, nas coisas do espirito:

- Umas que afirmam que sabem muito, normalmente por experiência própria, mas que nunca revelam aquilo que sabem, para nós analisarmos à luz da razão e do coração, por nós mesmos. Esses sábios são inúteis e nem sempre bem intencionados. Se não revelam aquilo que sabem, e querem impor aos outros que acreditem cagamente no que eles dizem, para mim não são úteis.

- Outras, só podem revelar aquilo que sabem através dos livros que publicam. Para saber o que pensam, só comprando primeiro vários livros (normalmente é uma colecção de livros, raramente é um só). De mim não levam nada, em regra. Quando eu compro um livro, não é completamente às cegas. Gosto de ter uma ideia do que estou a comprar. Não obstante o meu cuidado já fui muitas vezes enganado ao comprar livros que não interessam nada, embora apresentem uma fachada comercial e um inicio de leitura apelativa. Mas quem anda à chuva molha-se, é mesmo assim.

- As últimas são os verdadeiros sábios. As pessoas de boa fé e de boa vontade, não guardam segredos das coisas do espirito, que Deus lhes permitiu saber, para partilhar com os outros irmãos. Há aqueles que publicam livros interessantes, que são verdadeiros sábios, como por exemplo Kardec, ou Leon Denis e muitos outros (não só espiritas óbviamente). Mas esses não fazem dos seus livros um negócio, mas um meio de divulgação, o mais claro, simples e objectivo possivel. Com preços o mais próximos do custo possivel. A informação não é expandida e cheia de voltas complicadas, mas condensada e organizada para rápida leitura e compreensão.   
   
Conclusão:

A fé e a verdade tem de estar do mesmo lado. A fé cega muito dificilmente nos levará a uma crença próxima da verdade. Temos de ter os olhos bem abertos, para minizarmos as inverdades em que acreditamos.

bem hajam
Título: Re: a fé religiosa.
Enviado por: Dhan em 17 de Maio de 2009, 21:11
Alguém pode me esclarecer o que quer dizer ao pé da letra 'fé inabalável só é a que pode encarar de frente a razão,em todas as épocas da humanidade"

Olá!

O que disseram está correto, na minha opinião. Mas acredito que Allan Kardec proferiu essa frase um tanto quanto para que desafiar os que professam outra fé ou crença - principalmente os detratores da DE - a analisá-las com a mesmo rigor científico (a lógica, a observação dos fatos e a progressão das idéias) que ele se utilizou para chegar às conclusões sobre os ensinamentos dos Espíritos.

É muito frequente que as pessoas já acostumadas com uma crença até evitem, após certo tempo, se envolver, estudar ou até mesmo querer ouvir falar de outras crenças ou cultos. Elas têm medo de descobrir que estão erradas e que perderam um precioso tempo de suas vidas acreditando em uma mentira. Geralmente essas pessoas são as que mais se gabam por ter "muita fé" em sua crença ou religião. E penso que esta frase de Kardec fere como uma afiada espada o orgulho desses "crentes", isto é, daqueles que possuem o mínimo de razão.

No fim das contas, a frase é uma verdade muito bem dita, um desafio e um convite a todos aqueles que se consideram seguros de suas crenças. Afinal, como disse o filósofo Nietzsche, "as crenças são piores inimigas da verdade do que a mentira".

Abs!

~Dhan
Título: Re: a fé religiosa.
Enviado por: Sarah Senna em 18 de Maio de 2009, 03:20
Boa noite Dhan,

Tentarei colocar meu ponto de vista espero que lhe possa ser de alguma serventia.

Se formos analizar por partes, pensemos o que é a fé?
è um sentimento de duas letrinhas que tem enorme significado, não é mesmo?
 O que vem a ser Inabalável?
Toda e qualquer coisa que não se modifica, nem se altera sob nenhum prisma independente do que possa ocorrer externamente ou internamente.
E o que é a RAZÃO?
o dicionário nos diz que é : O conjunto das faculdades intelectuais.
2. Fonte do raciocínio.
3. Justiça, dever, equidade.
4. Argumento.
5. Causa, motivo.
6. Prova.
Aí a coisa fica séria não é? Então eu entendo que ´: É UMA "CERTEZA" TÃO INTENSA QUE VEM DE DENTRO DA ALMA, CAPAZ DE ENFRENTAR E MANTER-SE FORTE EM FAVOR DE DEFENDER SUA VERDADE INTERIOR EM QUALQUER TEMPO EM QUALQUER DIREÇÃO. Assim procuro viver minha fé, assim busco dia após dia, me superar como ser humano em direção a moralidade , e se eu não tivesse dentro de mim essa FORÇA  chamada FÉ, acredite , não tentaria sequer colocar meu ponto de vista aqui pra tentar te esclarecer, pois estaria ainda no vazio e distante de mim mesma. Minha força para enfrentar dissabores na vida vem dessa palavra tão pequenina de apenas das letrinhas mas que  pra mim tem uma dimensão inalcansável, inenarrável, e assim INABALÁVEL.
ABREIJOSSS
espero que tenha sido de alguma serventia. ok
fique na paz
Título: Re: a fé religiosa.
Enviado por: marleners1 em 01 de Junho de 2009, 01:18
 Quando penso em Fé, volto meus olhos para o alto e vejo o CRIADOR em todas formas de vida, um exemplo disto é pensar que da árvore nasce a flor, e desta nasce o fruto que supre minha necessidade de alimentar. Portanto DEUS esta em todos os lugares. Agora, ter fé cega não é bom, já dizia KARDEC, é preciso analisar, pesquisar, comparar o que vemos e ouvimos, somos dotados de inteligência, para poder estudar e fazer julgamentos sempre baseados na palavra e exemplo de CRISTO. Aceitar a religião do próximo é importante desde que ela seja voltada para o bem, sem mentiras ou estrelismos.
Citar
[/color]
Título: Re: a fé religiosa.
Enviado por: marcosalcouto em 05 de Junho de 2009, 20:26
Vou tentar descrever, pois para mim apenas na linguagem humana é pobre demais para dizer sublime sentimento.
A fé é a minha crença em algo maior, num poder supremo de grande coração, carinho, amor que me deu a opotunidade de estár vivo, sentir, sofrer, amar, chorar, perder, ganhar, pois todos estes sentimentos me fazem crescer e aumentar mais ainda minha fé etc...
É olhar para o céu mesmo nunca ter visto a face do pai criador sentir que está presente em tudo e todos os lugares ao mesmo tempo e que não importa o que eu faça ele sempre está ao meu lado e dentro de mim por mim e como disse nunca ví a face de Deus e mesmo assim não preciso de imagem para agradecer ou acreditar ele conversa conosco atravéz de nossa conciência, basta querer escutar, pois apenas quer nosso bem.
Os seres humanos são como São Tomé, tem de ver para crer.
A partir do momento que acreditarem realmente que Deus existe está em tudo e em todos não mais terão dúvidas sobre suas existências. Isso é bíblico em Matheus 21:21 em verdade vos digo se tiverdes fé e não duvidardes, não fareis somente o que foi feito a figueira, mas se até mesmo se a este monte disserdes: ergue-te e lança no mar, tal se sucederá.
Uma fé inabalável de exemplo foi de Jó leia a história de JÓ.
A minha posso assegurar que é inabalável, pois tudo que já vivi, já sentí, já ganhei e já perdí.
Graças a Deus hoje ao mesmo tempo que sou pobre, sou rico.Abra seu coração deixe Jesus entrar e consirá entender o que digo.
Graças a Deus tenho a oprtunidade de dizer este tipo de vivencia que passei e com a imensa alegria que coloco nestas palavras sinto completamente vibrações boas de espíritos amigos que compartilham deste sentimento de alegria e poder passar isso para alguém.
O verdadeiro templo de Deus está dentro de cada um de nós e o altar é a nossa fé, de acordo com a sua fé será o alicerce do seu templo e instrutura do seu altar.
E para terminar a resposta em todas épocas da humanidade isso minha amiga seria nos momentos bons e ruins que tiver nesta existencia de acordo com o que vc escolher para vc e seu semelhante.
Espero ter ajudado a entender um pouco, pois a fé é uma das parábolas de Jesus que não é dado a todos a entender.
Se sente não sabe e se tem não imagina.
Que Jesus te abençoe e que encha teu coração com um pouco de alegria que talvez seja o que te falta neste momento, para também sentir sua fé inabalável que vc tem e não imagina.
Fique com Deus