Forum Espirita

GERAL => Audiovisuais => Tópico iniciado por: Roger Tadeu em 03 de Novembro de 2013, 11:44

Título: Anete Guimarães - Fatores neurológicos da felicidade
Enviado por: Roger Tadeu em 03 de Novembro de 2013, 11:44

Excelente palestra de Anete Guimarães:

01-06-2012 - ANETE GUIMARÃES - VISÃO NEUROLÓGICA DA BUSCA DA FELICIDADE.. (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVNBYkpkZEtxYXpBIw==)
Título: Re: Anete Guimarães - Fatores neurológicos da felicidade
Enviado por: Benny em 03 de Novembro de 2013, 17:39
Ou é impressão minha ou a Anete está falando parecido com a entonação do Divaldo?
Título: Re: Anete Guimarães - Fatores neurológicos da felicidade
Enviado por: Vitor Santos em 03 de Novembro de 2013, 17:41
Olá amigo Roger

Gostei imenso. Obrigado pela partilha.

O bloqueio emocional pode ser utilizado, inclusivamente para a obsessão. Se nós ficamos com medo, nós rejeitamos pensar, raciocinar naquilo que nos faz medo, se nós não queremos raciocinar sobre determinado assunto porque as emoções nos fazem sentir mal com isso, nós estamos a dar campo para alimentar esse circuito irracional culpa-recompensa. E, dessa forma, facilmente nos deixamos dominar, por encarnados ou por desencarnados.

Enfrentar é sempre o melhor. Colocar a cabeça debaixo da areia é para avestruz, não para pessoas. Todavia agora compreendo porque temos uma tendência tão grande para fazer isso.

bem haja
Título: Re: Anete Guimarães - Fatores neurológicos da felicidade
Enviado por: Roger Tadeu em 03 de Novembro de 2013, 17:49

Olá Benny.

Eu também achei a mesma coisa. Inicialmente pensei ser só impressão, mas realmente parece existir muita semelhança.

Repare que eu já assisti diversas outras palestras da Dra. Anete, mas, apenas nessa percebi tal entonação. Em outras ocasiões parece não existir semelhança.

Abraços.

Roger

Ou é impressão minha ou a Anete está falando parecido com a entonação do Divaldo?
Título: Re: Anete Guimarães - Fatores neurológicos da felicidade
Enviado por: Roger Tadeu em 03 de Novembro de 2013, 18:03
Olá amigo Roger

Gostei imenso. Obrigado pela partilha.

O bloqueio emocional pode ser utilizado, inclusivamente para a obsessão. Se nós ficamos com medo, nós rejeitamos pensar, raciocinar naquilo que nos faz medo, se nós não queremos raciocinar sobre determinado assunto porque as emoções nos fazem sentir mal com isso, nós estamos a dar campo para alimentar esse circuito irracional culpa-recompensa. E, dessa forma, facilmente nos deixamos dominar, por encarnados ou por desencarnados.

Enfrentar é sempre o melhor. Colocar a cabeça debaixo da areia é para avestruz, não para pessoas. Todavia agora compreendo porque temos uma tendência tão grande para fazer isso.

bem haja

Olá Vitor, tudo bem?

Realmente, se pararmos um pouco para refletir, perceberemos o quanto o fato de agirmos por impulso ou mesmo antes de qualquer raciocínio mais crítico, nos atrapalha em todos os aspectos de nossa vida cotidiana.

Não precisa ir muito longe para exemplificar isso com os inúmeros  episódios de violência, intolerância e falta de civilidade. Não só para com nós mesmos, mas também para com nossos semelhantes.

O medo de nos deparamos com nós mesmos, muitas vezes, nos impede de progredir mais e melhor, nos atrapalha de tomarmos atitudes para mudar. E isso vai desde as mais pequenas e simples atitudes, como iniciar uma dieta ou deixar de tornar refrigerante, até a tomada de decisões bem mais complexas.

A palestrante coloca isso de uma forma direta e simples. Realmente a explanação dela é muito boa.

[]s
Roger